Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CA TARINA

CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE


DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM
CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM
O CUIDADO NO PROCESSO DE VIVER HUMANO II

Acadêmica: Thays Berger

REFLUXO GASTRO-ESOFÁGICO (RGE)

Prescrições de Enfermagem

1. Orientar os pais sobre o refluxo, que na maioria dos casos o prognostico é bom
e os possíveis tratamentos;
2. Orientar os pais para evitar alimentar a criança com alimentos gordurosos,
como: frutas cítricos, tomate, alimentos picantes, chocolates e caféina;
3. Aumentar o número de refeições e fracionar a alimentação oferecida a criança,
lembrando sempre que se a criança mamar no peito, oferecer o mesmo peito até que
esvazie para que ela mame o leite de trás também;
4. Orientar o uso da mamadeira, ela deve ficar sempre bem levantada, de forma
que a região do bico esteja sempre preenchida totalmente com leite. O líquido
deve apenas gotejar e não jorrar;
5. Manter o leito em 30 ou 45 grau, dependendo a sereveridade do caso, e em
decúbito lateral e orientar os pais que é para reduzir as possibilidades de aspiração.
6. Evitar chacoalhar ou agitar a criança durante e após as refeições;
7. Orientar os pais e a criança para a realização de higiene oral após cada
episódio de vômito;
8. Orientar os pais que evite a automedicação, e que comuniquem ao médico em
caso de uso de teofilina, aminofilina ou algum medicamento utilizados para o
tratamento da bronquite;
9. Realizar balanço hidroeletrolítico;
10. Observar sinais de desidratação: prega cutânea, mucosas secas, pele ressecada,
olhos afundados e sem brilho;
11. Observar as características do vomito ou regurgitação e anotar no prontuário;
12. Observar sinais e sintomas de doença do refluxo gastresofágico, lactente que,
choram muito, não ganha peso e apresenta vômitos freqüentes, crianças com dor
abdominal;
13. Orientar os pais a evitar que a criança permaneça em locais onde existam
fumantes. A nicotina espalhada pelo tabaco é poderoso relaxante da
musculatura da cárdia e intensifica potentemente o RGE.

REFERÊNCIAS

COLLET, N.; OLIVEIRA, B. R. G. Manual de Enfermagem em Pediatria. Editora


AB. Goiânia, 2002.

GUIMARÃES, E. V.; MARGUET, C; CAMARGO, P. A. M. Tratamento da doença


do refluxo gastroesofágico. J. pediatr. (Rio J.) 2006; 76 (Supl.5) S133-S45.

NORTON, R.C.; PENNA, F. J. Refluxo Gastroesofágico. J. pediatr. (Rio J.) 2000; 76


(Supl.2) S218-S224.

WHALEY, L.F. e WONG, D.L. Enfermagem pediátrica. Editora Guanabara Koogan.


Rio de Janeiro, 1985.