Você está na página 1de 3

CAVALINHA

Nome científico: Equisetum arvense


Sinônimos: Cavalinha, Rabo de cavalo,cauda de cavalo, erva carnuda, equisseto
Descrição: Caules ocos de até 30 cm de altura, parece um bambú sem folhas e
fino. Os caules podem ser de dois tipos: -estéril: mais alto, de cor
esverdeada, pequenas folhas em forma de agulhas emendadas ; ess
parte produz alimentos para si mesma, realizando a fotossíntese.
-fértil: aparecem na primavera, são mais curtos , de cor branco
amarelada na base e vermelho escuro na ponta, com tufos de esporo
bissexuados. A cavalinha possui grandes quantidades de ácido sílico
flavonóides, sais de potássio, ferro e magnésio, além de tanino e
outras substâncias. Prefere solos pantanosos ou campos úmidos.
Propriedades Por conter grande quantidade de silício, é uma excelente
Medicinais: mineralizante, sendo boa para problemas nos ossos, como
osteoporose; é conhecida também como erva da terceira idade, pois
além dos ossos, protege também quem tem problemas de
próstata.Diurética e anti-úrica, a cavalinha é usada popularmente par
tratar de retenção e irritação das vias urinárias (rins e bexiga),
anemias, hemorróidas, hemorragias nasais, inflamações de útero,
fraturas e descalcificação de dentes e ossos, sob forma de infusão (2
a 3 xíc/dia), auxilia no tratamento de hemorragias ( sob forma de
vapor ou compressas)..Sua utilização é sob forma de chá, feita com
infuso (ferve-se primeiro a água, coloca-se a erva num recipiente e
joga a água fervente por cima, abafando antes de tomar pelo menos
por cinco minutos) de 2 colheres de sopa da erva picada para 500 m
de água.

Em infusão, combate a celulite; ferva 30 gs da erva (caules estérei


em 2 litros de água por 15 minutos. Coe e despeje na banheira. Tom
banho de imersão por 20 minutos. Repita 2 ou 3 vezes por
semana.Uma infusão mais forte aplicada com bandagens, ou mesmo
um cataplasma da erva, aplicada em locais do corpo propensos a
celulite, faz verdadeiras maravilhas.A cavalinha é ainda excelente
tônico para peles oleosas

Usa-se contra transpiração excessiva nos pés, sob a forma de tintura


com banhos preparados com a planta.
Fotografias:

CASTANHA DA ÍNDIA
Nome científico: Aesculus hippocastanum
Sinônimos: Cavalinha, Rabo de cavalo,cauda de cavalo, erva carnuda, equisseto
Descrição: A família das Hipocastenáceas tem menos de vinte espécies. A maio
parte pertencente ao gênero Aesculus e outras duas ao gênero Billia
nativo da America Central. O gênero Aesculus consta de 13 espécies
de árvores e arbustos decíduos que ocorrem no sudeste da Europa,
Ásia oriental e América do Norte; Aesculus hippocastanum é nativo
nos Bálcans e Himalaias. Introduzido na Europa no século XVI, o
castanheiro da Índia têm uma bonita folhagem que fica de cor
marrom-vivo no outono. As sementes se assemelham às do
castanheiro comestível (Castanea sativa). O castanheiro-da-índia é
uma grande árvore cuja madeira é quebradiça e os brotos são
pegajosos. Os ramos são cobertos de folhas opostas em forma de
palma. As flores branco-amareladas estão dispostas em panículas e
aparecem no início da primavera. O fruto é uma cápsula espinhosa
que contém de uma a três sementes de coloração vermelho-marrom
brilhante.
Propriedades São colhidos a casca e sementes maduras no outono para uso em
Medicinais: extratos líquidos e decocção, mas sobretudo as sementes ou
castanhas, completamente maduras, no momento em que caem das
cápsulas. São depois moídas, secas e processadas industrialmente.
As castanhas contêm até 28% de saponina, assim como aescina,
aesculina, fraxina e taninos. Entram na composição de remédios de
fabrico industrial, utilizados no tratamento das afecções cardíacas ou
circulatórias. As matérias ativas atuam sobre a resistência das
paredes venosas, aumentam a permeabilidade das coronárias e
afetam igualmente a coagulação sanguínea. São também aplicadas
no tratamento das inflamações das vias respiratórias superiores
(expectorantes), das varizes e edema advindo de trauma severo. A
medicina popular emprega esta castanha contra as diarréias
persistentes, a disenteria, e no passado era mesmo usada para trata
a malária. Em aplicações externas, a decocção da castanha-da-índia
serve para lavar feridas, frieiras e hemorróidas. As sementes contêm
igualmente componentes do tipo cumarino que servem como aditivo
dos cremes solares e protetores. Desde que o ingrediente ativo, a
aescina, é muito pouco absorvido em seu estado natural, as semente
são cortadas e assadas antes de seu uso.
Fotografias: