P. 1
O Processo de Haber Bosch

O Processo de Haber Bosch

|Views: 4.898|Likes:
Publicado porKarla Romão

More info:

Published by: Karla Romão on Jan 12, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/25/2013

pdf

text

original

Processo de Haber Bosch ± Produção Industrial da Amônia

O processo de Haber (também conhecido como Processo Haber Bosch) é uma reação entre nitrogênio e hidrogênio para produzir amoníaco. Esta reação é catalisada com o ferro, sob as condições de 200 atmosferas de pressão e uma temperatura de 450 °C.: N2(g) + 3H2(g) 2NH3(g) + energia ¨ H = -92,22 Kj

O processo foi desenvolvido por Fritz Haber e Carl Bosch em 1909 e patenteado em 1910. Foi usado pela primeira vez, à escala industrial, na Alemanh durante a Primeira Guerra a Mundial. Para a produção de munição os alemães dependiam do nitrato de sódio importado do Chile, que era insuficiente e incerto. Por isso passaram a utilizar prontamente o processo de Haber para a produção de amoníaco. Atualmente, a amônia é muito utilizada na indústria. Ela serve como material de partida de compostos importantes, tais como pesticidas e fertilizantes, também está presente nas formulações de tintas de cabelo que são muito vendidas atualmente. Se fôssemos simplesmente sintetizar amônia a partir do nitrogênio e do oxigênio obteríamos muito pouco produto, pois esta reação tem um rendimento muito baixo. Além disso, esta reação é muito lenta e como as indústrias querem produtividade, não se pode esperar muito tempo para a reação se processar.Para sintetizar a amônia industrialmente, a partir do nitrogênio e do hidrogênio, uma maneira conveniente é aumentar a velocidade da reação, utilizando um catalisador, por exemplo. Para a produção da amônia, o nitrogênio é obtido do ar atmosférico, e o hidrogênio como resultado da reação entre a água e o gás natural: Fritz Haber ganhou o prêmio CH4(g) + H2O(g) CO(g) + 3H2(g) Nobel por viabilizar a síntese da amônia. Condições de equilíbrio do processo A reação entre nitrogênio e hidrogênio é reversível, portanto, o rendimento na produção do amoníaco depende de algumas condições: Temperatura A formação da amônia, apesar de muito lenta, é exotérmica. Assim, poderíamos imaginar que se aumentarmos a temperatura do siste ma, a reação se deslocaria na formação de nitrogênio e hidrogênio. Assim como, se diminuirmos a temperatura, a reação se deslocaria na formação de mais amônia. No entanto, quando aquecemos o sistema reacional, podemos aumentar a velocidade da reação, pois a baixas temperaturas a reação é tão lenta que perderíamos muito tempo com esta reação. Sendo assim, baixas temperaturas favorecem a produção do NH3 e o incremento da temperatura tende a deslocar o equilíbrio da reação no sentido inverso, de acordo com o P rincípio de Le Chatelier. Por outro lado, a redução da temperatura diminui a velocidade da rea ção, portanto, uma temperatura intermédia é a ideal para favorecer o processo. Experiências demonstraram que a temperatura ideal é de 450 °C. Pressão Se aumentarmos a temperatura, o equilíbrio se deslocará na formação de nitrogênio e oxigênio, o que é desfavorável, assim podemos aumentar a pressão, o que faz com que a produção de amônia também aumente, pois a alta pressão faz com que o equilíbrio se desloque no sentido de menor volume de gás. Uma forma de aumentar o rendimento é remover a amônia e isto é feito em muitas indústrias do mundo. Logo, o incremento da pressão aumenta o rendimento de formação do produto, mas por outro lado este incremento deve ser economicamente viável, ou seja, não deve tornar os custos de produção demasiado elevados. A pressão considerada tecnicamente e economicamente viável é de 200 atmosferas.

l i t B . j . £¥  £ ¨ £ ¥ £ ¢ §£ ¦©¥¦§ £¥ ¤¦ ¨ ¥¢¦§ ¤¨ £ 0 £§¦£ £  ¦¤¦¤£ ¦¥£ ¤ ¦¨ £ ¨ £ £¥ ¦©£§¦ ¥  ¦©£ £ ¤  §£ 0 ¢ ¨¦¢£ ¦©¨ ¦ ¨(¦§¥ $  ¦ ¨(¦§ ¨  ¦© ¤¦¦¢¥ ¥ ¦©£§ £ £ ¤ ¦ ¥£¥  ¤§§ 2 §§¦¢¦ ¦©¨ £¥  £§¦ £ ¦¤ ¤1 ¥¨¦¢ ¤£ ¤! ¦   ¦¥£ ¤  ¨ ¤ # ¦ ¦©¤¤§ £ £ ¦¤  ¦¥¨£§ § § §¦ ¤)   £¥£§¦ £ ¨ £    0 A li i f f it . i f t i li f it i t t i t i lí t i t . f t líti l i f . A i t li it f l t t t i i . tili i ti . A tit i f i i . i f tit .E t l t R i t i t i ti ilí i . li i . f tifi i l i l . it . ¦¤¤¢¦§ ¦¨ ¦ ¨( ¦ ¦¥ ¦©£¨   £ ¦¢ ¦¢ )  ¦§§ £ £¥ &¥§  £ ¨£ ¦¥ ¢£ ¦ ¨(¦§¥ $ ¦£ ¦§§ ¥ ¦¥  £ ¨£ £¥ ¦© ¦  £  ¦¥£ £   ¦¢ £ £¢ ¦§§ ¦ £ § ¤ ¥¨ £! %  ¦ £ ¨  £ ¨£ ¤¥  #£&   § §£ ' ¦§§  ¨ ¤ § ¤ ¤§¦¥£¤ £ £¢ ¦¦¢ ¦ ¨ §  ¦ ¤ ¦ ¤#££¤ $¢¤¦ #§ £" ¦©£§ £ £§£ ¦ ¢ ¨ ¦! ¤£ £ ¤ £ ¤£§ £§   ¨ £§¦%£    £ ¦¨ ¦ ¤¥ ¤ ¦¤¤¢¦§ ¦   § §¦¥£¤ £ £¢  ¥ ¦© ¥£ §  ¦ § ¨ £ £§£ ¦©£§ £¥ ¥£¥ ¢¦  £ £§ ¢£ §¦ ¦ §  ¦ £  £ ¦©¨ §¦¥£¤ £ £¢    ¡ Catali ador: t li f t ilí i .£¥£¤ §¤ ¥¦  £¥£§ § ¦© ¨  £   £ ¨ £ £ ¦¥¨£ ¤ A 0 £¥     §¨¦¢ ¤ §¦¥£¤¨¥¨¦¢ ¦  £¤¤£ ¦¥¨£ ¤£ @98 ! ¦¤¦¤£ ¦¥£ ¤ ¦¨ £§ ¨¦¢¨ ¤ £¥£§¦ £ ¨ £ £ ££  £ ¤! 7 " 0 §¦¥£¤¨¥¨¦¢  £§£ £¥ § ¤¨£§  5"  5! ¥ £§ ¤  £ ¦ §  ¦ § ¨ £  § £§ ¦ 6 §¦ £§   £¥£¢¦ ¦¢  5"  5! ¥ £¤¦¤£ £§ ¤  £4 3 . fi lí i i .A . . j . . i f i i : . i â i t li . i í i . t t li . i f . At l t . i l . l ti i ilí i . i i i . : t . ti t i i lí t t t . . t l . lt i i ili t .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->