Você está na página 1de 8

Universidade Federal de Alagoas – UFAL

Disciplina: Física 4 – EAD Professor Wandearley Dias

Pólo Olho d’Água das Flores 22/03/2010

Aluna Katylane Vieira Ferreira

3º Lista de Exercícios

Colegas, nesta lista avaliada pelo tutor Alex Costa 11/16 questões estão corretas!
Peso da avaliação: 3,0 pontos
Pontuação obtida:2,16 pontos

Instruções: leia atentamente todas as questões. Esta lista de exercícios deverá ser
entregue ao tutor presencial no dia da prova do módulo 3.

1. Um padrão de interferência de fenda dupla é formado usando luz de laser


monocromática com comprimento de onda de 640 nm. No segundo máximo a
partir do máximo central, qual a diferença de caminho óptico entre a luz vinda
de cada uma das fendas?
Resposta: veja a situação
Dupla fenda de Young

Figura 2.9

Segundo o experimento d sin   m  d sin   2.640nm  1,28m


2. Uma luz com comprimento de onda de 500 n m incide perpendicularmente em
um filme de água de 1m de espessura.
(a) Qual o comprimento de onda da luz na água?
Resposta: tendo que o ocomprimento da luz de 500 n m é no vácuo,
relacionamos este comprimento ao índice de refração da luz na água por
 500nm
água  vácuo   375,94nm , sendo este valor o resultado esperado.
´nágua 1,33
(b) Quantos comprimentos de onda estão contidos na distância 2t, onde t é a
espessura do filme?
Resposta: ora, uma vez t  1m , a distância 2t  2m . E, para saber
quantos comprimentos de onda cabem nesta distância, basta dividirmos este
valor pelo comprimento da onda de luz na água:
2t 2m
N   5,3 comprimentos de ondas
água 375,94nm
(c) O filme tem ar em ambos os lados. Qual a diferença de fase entre a onda
refletida na superfície da frente e a onda refletida pela superfície de trás na
região onde as duas ondas refletidas se superpõem?
Resposta:
Diferença de fase por reflexão:

 onda refletida na superfície da frente: 0,5água


 onda refletida pela superfície de trás: 0

→Diferença de fase total seja destrutiva:

água
, para mínimos 1,2,3...
375,94nm
 2L  m m
nágua 1,33

3. Uma luz de comprimento de onda de 600 nm é usada para iluminar duas placas
de vidro com incidência normal. As placas tem 22 cm de comprimento,
encostam-se a uma extremidade e estão separadas na outra extremidade por um
fio que tem raio igual0,025 mm. Quantas franjas brilhantes aparecem ao longo
do comprimento total das placas?
Interferência em filmes finos

Figura 3.1
Resposta: supomos que existe ar entre as placas, existem franjas brilhantes nas
duas extremidades, imersas no ar.
 Lado esquerdo da cunha
Vemos que elas estão separadas, logo, formando um sistema ar –
vidro – ar – vidro – ar, assim, teremos uma interferência destrutiva
para a primeira franja escura dada por
ar
2 L  m  0,5  2 L  m  0,5ar
nar
 2 L  mar  0,5ar  mar  0,5ar  2 L

 0,5ar  2 L
m  166 franjas brilhantes
ar
4. Duas fendas estreitas estão separadas por uma distância d. Seu padrão de
interferência deve ser observado em um anteparo a uma grande distância L.
(a) Calcule o espaçamento entre máximos sucessivos próximos a franja central
para a luz de comprimento de onda de 500 nm quando L = 1,00 m e d =
1,00 cm.
Resposta: como a distância do anteparo L é muito maior que a distância d
entre as fendas podemos supor que sin   tan   , isso nos leva ao
cálculo da posição de uma franja clara a partir do eixo central:
y m
tan    m sin    
L d
y m m mL
  ym 
L d d
Fazemos o mesmo para o máximo de ordem m  1 :

y m 1 
m  1L
d
Para obter a distância entre esses máximos vizinhos, basta subtrair as duas
equações:

y  y m1  ym 
m  1L  mL  L  500nm.1m  5.10 5 m
d d d 0,01m
(b) Você esperaria ser capaz de observar a interferência da luz no anteparo para
esta situação?
Resposta: não, porque a distância entre elas é tão pequena que é como se
fosse uma imagem sem interferência.
(c) Quão próximas as fendas deveriam ser colocadas para que os máximos
estivessem separados por 1 mm para este comprimento de onda e distância
do anteparo?
Resposta: para saber, basta utilizarmos a equação da questão anterior,
mantermos os valores, exceto da distância d entre as fendas que deve ser
substituído por 1mm=0,001m:
L L
500nm.1m
y  d    5.10  4 m
d y 0,001m
5. Luz de comprimento de onda de 600 nm incide em uma fenda longa e estreita.
Determine o ângulo do primeiro mínimo de difração se a alargadura da fenta é:
(a) 1,0 mm.
Resposta: podemos calcular os mínimos de difração através:
1.600nm
a sin   m    sin 1  sin 1 6.10 4  0,034
0,001m
(b) 0,10 mm.

Resposta: podemos calcular os mínimos de difração através:

m 1.600nm
a sin   m    sin 1  sin 1  sin 1 6.10 3  0,34
a 0,0001m

(c) 0,010mm.

Resposta: podemos calcular os mínimos de difração através:

m 1.600nm
a sin   m    sin 1  sin 1  sin 1 6.10 3  3,44
a 0,00001m

6. Duas fontes de luz de comprimento de onda igual a 700 nm estão separadas por
uma distância horizontal x. Elas estão a 5,0 m de uma fenda vertical de
alargadura 0,500 mm. Qual é o menor valor de x para o qual o padrão de
difração das fontes possa ser resolvido pelo critério de Rayleigh?
Resposta: o ângulo de difração deve ser:
 700nm
  sin 1  sin 1  sin 1 1,4.10  3  0,080
d 0,0005m

O comprimento do arco deve ser igual a x; uma vez que a distância das fontes
até a abertura é muito maior que a fenda, o sin de teta = tan de teta = teta.
C  x  r  C  x  0,080.5m  0,4m
7. Usando uma rede de difração com 2000 fendas por centrímetro, duas linhas do
espectro de primeira ordem do hidrogênio são encontradas nos ângulos de e
1,32.10 1 rad . Quais os comprimentos de onda das linhas?

Resposta: resolvemos este problema pelo critério de Rayling, mas, primeiro


calculando a distância entre as fendas na rede de difração pela razão
Wl arg ura 0,01m
d   5.10  6 , encontramos a distância entre as fendas e
N fendas 2000
assim podemos aplicar o critério:
 
d sin   m    d sin     5.10 6 sin1,32.101 rad  1,15.10 8 m
8. Repetida.
9. Em um experimento de fenda dupla, a distância entre as fendas é 5,00mm e as
fendas estão a 1,0 m de distância da tela. Duas figuras de interferência são vistas
na tela, uma produzida com luz de comprimento de onda de 480 nm e outra por
uma luz de comprimento de onda de 600 nm. Qual é a distância na tela entre as
franjas claras de terceira ordem (m = 3) das duas figuras de interferência?

Resposta: como a distância do anteparo L é muito maior que a distância d entre


as fendas podemos supor que sin   tan   , isso nos leva ao cálculo da
posição de uma franja clara a partir do eixo central de qualquer onda com
qualquer comprimento:

y480nm m
tan     sin    
L d
y480nm m1 m1L
  y480nm 
L d d
Fazemos o comprimento de luz de 600nm :
m2 L
y600nm 
d

Achados as posições das franjas claras de terceira ordem das duas ondas,
calculamos a distância entre as duas através da subtração das posições
m2 L m1 L m2 L  m1 L mL2  1 
y  y600nm  y 480nm    
d d d d
7 2
3,6.10 m
  7,2.10 5 m
5.10 3 m

10. Deseja-se revestir uma placa de vidro (n = 1,5) com um filme de material
transparente (n = 1,25) para que a reflexão de uma luz de comprimento de onda
de 600 nm seja eliminada por interferância. Qual é a menor espessura possível
do filme?
Resposta: o raio 1 refletido sobre um deslocamento de fase de 0,5 comprimento
de onda na interface ar/plástico, o raio2 sofre um deslocamento de fase também
de 0,5 comprimentos de onda o que tende colocar raio 1 e 2 em fase e nos leva a
equação para calcular a menor espessura do filme:
 1 
2L   m   , como queremos a menor espessura de L, fazemos m=0 e
 2  n plástico
resolvemos a equação:
 1   600nm
2L   0   L   12m
 2  n plástico 4n plástico 4.1,25
11. Se a distância entre o primeiro e o décimo mínimo em uma figura de
interferência de fenda dupla é 18,0 mm, a distância entre as fendas é 0,150 mm
e a tela está a 50 cm das fendas, qual é o comprimento de onda da luz?

Resposta: como a distância do anteparo L é muito maior que a distância d entre


as fendas podemos supor que sin   tan   , isso nos leva ao cálculo da
posição de uma franja clara a partir do eixo central:

ym m
tan    sin    
L d
y m m mL
  ym 
L d d
Fazemos o mesmo para o máximo de ordem m  1 :

y m 1 
m  1L
d

Para obter a distância entre esses máximos vizinhos, basta subtrair as duas
equações:

y  ym 1  ym 
m  1L  mL  y  y  ym 
10L 1L 9L
 
m 1
d d d d d
9L dy 2,7.10  3 m 2
 y   9L  dy      6.10  4 m
d 9L 4,5m

12. A segunda franja escura numa figura de interferência de fenda dupla está a 1,2
cm do máximo central. A Distância entre as fendas é igual a 800 comprimentos
de onda da luz monocromática que incide (perpendicularmente) nas fendas. Qual
é a distância entre o plano das fendas e a tela de observação?

Resposta: como a distância do anteparo L é muito maior que a distância d entre


as fendas podemos supor que sin   tan   , isso nos leva ao cálculo da
posição de uma franja clara a partir do eixo central, assim, podemos determinar
o valor que queremos:

ym m
tan     sin    
L d
ym m
  ym 
mL y d
 mL  ym d  L  m  L 
0,012m800
L d d m 2

L
0,012m800  4,8m
2
13. A distância entre o primeiro e o quinto mínimo da figura de difração de uma
fenda é 0,35 mm com a tela a 40 cm de distância da fenda quando é usada uma
luz com comprimento de onda igual a 550 nm.
(a) Determine a largura da fenda.
Resposta: como no caso da fenda dupla, nós supomos que por d  L a
tan  sin    , assim:
y m
tan   sin  
L d

y m L 5L
Igualando :   Se y1º  Se y5º 
L d d d

5L L L5  1 4L


 y  y5º  y1º    
d d d d

4L 4L 4.550nm.0,4m


 y  d   
 2,51.103 m ou 2,51mm
d y 0,35.10 m3

(b) Calcule o ângulo do primeiro mínimo de difração.


Resposta: usando o resultado da questão anterior para a largura da fenda e
os do enunciado do problema, encontramos o ângulo do primeiro mínimo:
 550nm
  sin 1   sin 1 2,19.10 4  0,0130
d 2,51m
14. Uma luz visível incide perpendicularmente em uma rede de difração com 315
ranhuras/mm. Qual é o maior comprimento de onda para o qual podem ser
observadas linhas de difração de quinta ordem?
0,001
Resposta: a distância entre as ranhuras é d   3,17.10  6 m
315
Aplicando a equação para o máximo de difração da rede:
d sin  3,17.10 6 m sin 900
d sin   m      6,35.10  7 m
m 5
15. Raios X com comprimentos de onda de 0,12 nm sofrem reflexão de segunda
ordem num cristal de fluoreto de lítio para um ângulo de Bragg de 280. Qual é a
distância interplanar dos planos cristalinos responsáveis pela reflexão?
Resposta: aplicando a lei de Bragg,
m 2.0,12nm
2d sin   m  d  d   2,6.10 10 m
2 sin  2 sin 28 0

16. Um feixe de Raios X com comprimentos de onda entre 95,0 pm e 140 pm faz
um ângulo de quarenta de cinco graus com uma família de planos refletores com
um espaçamento d = 275 pm entre si. Entre os máximos de intensidade do feixe
difratado, determine:
(a) O maior do comprimento de onda.
(b) O valor do número de ordem m associado.
(c) O menor valor do comprimento de onda.
O valor do número de ordem m associado.