Você está na página 1de 29

FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR

José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)


Dentre as afirmações:
a) somente I é correta.
b) somente II é correta. c) somente III é correta.
d) somente II e III são corretas. e) I, II e III são corretas.

Professores: José Ranulfo 06. (PUC – SP) Se a velocidade vetorial de um ponto material é
constante e não nula, sua trajetória:
Marcelo Correia a) é uma parábola.
Anderson b) pode ser retilínea, mas não necessariamente.
c) deve ser retilínea.
Genival d) é uma circunferência.
e) pode ser uma curva qualquer.

07. (ESAL – MG) O movimento retilíneo uniformemente


acelerado tem as seguintes características:
01. (FEI – SP) Sabendo-se que a aceleração total (resultante) a) aceleração normal nula; aceleração tangencial constante
de um móvel é nula, pode-se afirmar que: diferente de zero e de mesmo sentido que a velocidade.
a) sua velocidade é nula. b) aceleração normal constante diferente de zero; aceleração
b) seu movimento é circular e uniforme. tangencial nula.
c) seu movimento é uniforme, qualquer que seja a sua trajetória. c) aceleração normal nula; aceleração tangencial constante
d)seu movimento só pode ser retilíneo e uniforme. diferente de zero e de sentido oposto ao da velocidade.
e) nenhuma das anteriores é correta. d) aceleração normal constante diferente de zero; aceleração
tangencial constante diferente de zero e de mesmo sentido que
02. (FUC – MT) No movimento circular uniforme, podemos a velocidade.
afirmar que: e) as acelerações normal e tangencial não são grandezas
a) a direção do vetor velocidade tem sentido voltado para o relevantes ao tratamento deste tipo de movimento,
centro da circunferência em questão.
b) não existe aceleração e a velocidade tangencial é constante. 08. (Unirio – RJ) Um ponto se move sobre uma curva no
c) não existe aceleração e a velocidade tangencial não é
espaço segundo a lei s = a + b ⋅ t + c ⋅ t 2 , em que s é o arco
constante.
sobre a curva, medido a partir de uma origem conhecida, t é o
d) existe aceleração e esta tem módulo constante;
tempo e a, b e c são constantes. Podemos afirmar que:
e) existe aceleração e esta é centrífuga.
a) a aceleração escalar é constante.
03. (PUC – RS) Com relação à velocidade e à aceleração de um b) a aceleração vetorial tem módulo constante.
corpo, é correto afirmar que: c) a aceleração vetorial em cada ponto é tangente à curva.
a) A aceleração é nula sempre que o módulo da velocidade é d) a aceleração vetorial em cada ponto é normal à curva.
constante; v2
e) a aceleração tem módulo dado pela fórmula .
b) Um corpo pode estar acelerado mesmo que o módulo de sua R
velocidade seja constante.
c) A aceleração centrípeta é nula no movimento circunferencial. 09. (UFPA) Uma partícula percorre, com movimento uniforme,
d) Sempre existe uma aceleração tangencial no movimento uma trajetória não-retilínea. Em cada instante teremos que:
circunferencial. a) os vetores velocidade e aceleração são paralelos entre si.
d) A velocidade é diretamente proporcional à aceleração em b) a velocidade vetorial é nula.
qualquer movimento acelerado. c) os vetores velocidade e aceleração são perpendiculares entre
si.
04. (UEL – PR) Uma pista é constituída por três trechos: dois d) os vetores velocidade e aceleração têm direções
retilíneos AB e CD e um circular BC, conforme o esquema. Se independentes.
um automóvel percorre toda a pista com velocidade escalar e) o valor do ângulo entre o vetor velocidade e o vetor
constante, o módulo da sua aceleração será : aceleração muda ponto a ponto.
a) Nulo em todos os trechos.
b) Constante, não nulo, em todos os trechos. 10. (Unifor – CE) Considere as afirmações acerca do
c) Constante, não nulo, nos trechos AB e CD. movimento circular uniforme:
d) Constante, não nulo, no trecho BC. I. Não há aceleração, pois não há variação do vetor
e) Variável apenas no trecho BC. velocidade.
II. A aceleração é um vetor de intensidade constante.
III. A direção da aceleração é perpendicular à velocidade e ao
plano da trajetória.
Dessas afirmações, somente:
a) I é correta. d) I e II são corretas.
b) II é correta. e) II e III são corretas.
c) III é correta.
05. (Unifor – CE) As afirmações abaixo referem-se ao
movimento de um automóvel que percorre, com velocidade
escalar constante de 60 km/h, um trecho de estrada com muitas 11. (Fatec – SP) Na figura, representa-se um bloco em
curvas, durante 16 min. movimento sobre uma trajetória curva, bem como o vetor
I. O deslocamento escalar foi de 16 km. velocidade v , o vetor aceleração a e seus componentes
II. A aceleração vetorial do automóvel foi constante.
III. A aceleração vetorial do automóvel foi sempre nula. intrínsecos, aceleração tangencial a t e aceleração normal an .

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
15. (UFCE) Um automóvel entra numa curva de 200 m de raio,
de uma estrada cujas condições permitem uma aceleração
2
centrípeta máxima de apenas 2 m/s sem que aconteça
derrapamento. Determine a maior velocidade, em km/h, com
que o automóvel pode ser conduzido na curva, sem derrapar.

16. (FESP/SP) Em um determinado instante, a velocidade


vetorial e a aceleração vetorial de uma partícula, estão
representados na figura a seguir. Calcule nesse instante
considerado, a aceleração escalar α e o raio R de curvatura da
trajetória.
Analisando-se a figura, conclui-se que:
a) o módulo da velocidade está aumentando.
b) o módulo da velocidade está diminuindo.
c) o movimento é uniforme.
d) o movimento é necessariamente circular.
e) o movimento é retilíneo.

12. A figura representa a


velocidade vetorial v e a Enunciado para as questões 17 e 18:
aceleração vetorial a de uma Um móvel parte do repouso e percorre uma trajetória circular de
partícula que se move em raio 100 m, assumindo movimento uniformemente acelerado de
2
trajetória circular de centro O, aceleração escalar 1,0 m/s .
num mesmo instante t.
Sabendo que
o
θ = 30 , 17. (PUC – SP) As componentes tangencial e normal da
V = 6,0 m/s e a = 4,0 m/s ,
2 aceleração valem, respectivamente, após 10 segundos:
2 2 2 2
calcule: a) 1 m/s e 10 m/s . b) 10 m/s e 10 m/s .
2 2 2 2
c) 1 m/s e 1 m/s . d) 10 m/s e 1 m/s .
2 2
a) O raio da trajetória; e) 10 m/s e 100 m/s .
b) O módulo da aceleração tangencial no instante t.
18. (PUC – SP) O ângulo formado entre a aceleração total e o
raio da trajetória no instante t = 10 segundos vale:
a) 180°. b) 90°. c) 60°.
d) 45°. e) 30°.
13. Uma partícula move-se em
trajetória circular de centro O, 19. (CESESP – PE/85) Um barco sai do porto do Recife,
com movimento uniformemente navegando na direção leste. Após duas horas de viagem, muda
acelerado, tendo velocidade o curso e passa a navegar na direção sudeste por uma hora,
Vo = 4,0 m/s no instante t = 0. A quando finalmente passa a navegar na direção Norte. Se
figura representa a aceleração durante toda a viagem o módulo da velocidade do barco for
constante e igual a 30 km/h, qual a sua distância, em km, ao
vetorial instantânea a no instante
ponto de partida, após cinco horas de viagem?
t = 2,0 s. Sabendo que
2
a = 26 m/s , sen θ = 5/13 e 20. João caminha 3 m para oeste e depois 6 m para sul. Em
cos θ = 12/13, calcule: seguida ele caminha 11 m para leste. Em relação ao ponto de
partida, podemos afirmar que João está.
a) O módulo da aceleração tangencial; a) a 10 m para Sudeste.
b) O módulo da aceleração centrípeta no instante t = 2,0 s; b) a 10 m para Sudoeste. c) a 14 m para Sudeste.
c) A velocidade escalar no instante t = 2,0 s; d) a 14 m para Sudoeste. e) a 20 m para Sudoeste.
d) O raio da trajetória.
21. (FCC) Um ponto em movimento circular uniforme percorre
o
4. (FEI/SP) A velocidade v de um móvel em função do tempo um arco de círculo de raio R = 20 cm e ângulo central de 60 em
acha-se representada pelo diagrama vetorial da figura abaixo. A 5 s. A variação v 2 − v1 é, em cm/s, igual a :
intensidade da velocidade inicial é dada por Vo = 20 m/s.
Determine o módulo da aceleração vetorial média entre os
instantes t = 0 e t = 8 s.

4π 5π
a) . b) .
3 3
10 π
c) . d) 5 π .
3

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
e) um vetor diferente dos anteriores.
22. (Unisa – SP) Um projétil é lançado verticalmente para cima, 26. Associe cada uma das alternativas seguintes às questões
com velocidade escalar 200 m/s. A velocidade vetorial média do de I a VI:
projétil, para o intervalo de tempo que vai do lançamento até o
instante em que o projétil volta ao solo, tem módulo igual a:
a) 400 m/s. b) 200 m/s. c) 100 m/s.
d) zero. e) 50 m/s.

23. (UFJF – MG) No Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1


deste ano, o vencedor percorreu as 78 voltas completas do
circuito em quase 1,5 h. Cada volta tem aproximadamente
3 400 m. Podemos concluir que:
a) o módulo do vetor velocidade do carro esteve sempre acima
de 100 km/h.
b) o módulo do vetor velocidade média do carro foi zero.
c) o módulo do vetor velocidade média a cada volta foi
aproximadamente 177 km/h.
d) o módulo do vetor velocidade média foi 177 km/h.

24. (U.F.São Carlos – SP) Nos esquemas estão representadas I. Movimento de velocidade vetorial não variável com o
tempo.
a velocidade v e a aceleração a do ponto material P. Assinale II. Movimento retilíneo acelerado.
a alternativa em que o módulo da velocidade desse ponto III. Movimento retilíneo retardado.
material permanece constante. IV. Movimento circular de velocidade escalar constante.
V. Movimento circular uniformemente acelerado.

27. (UFOP – MG) Os vetores velocidade v e aceleração a de


uma partícula em movimento circular uniforme, no sentido
indicado, estão melhor representados na figura:

25. (Unip – SP) Uma partícula descreve uma trajetória circular


com movimento retardado. Em um instante t, a partícula passa
pelo ponto A e sua velocidade vetorial está representada na
figura. A aceleração vetorial da partícula, no instante t, tem
orientação mais bem representada por:

28. (PUC – PR) Um ônibus percorre em 30 minutos as ruas de


um bairro, de A até B, como mostra a figura. Considerando a
distância entre duas ruas paralelas e consecutivas igual a
100 m, analise as afirmações:

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
I. A velocidade vetorial média nesse percurso tem
módulo 1 km/h;
II. O ônibus percorre 1 500 m entre os pontos A e B;
III. O módulo do vetor deslocamento é 500 m;
IV. A velocidade vetorial média do ônibus entre A e B tem
módulo 3 km/h.
Estão corretas:
a) I e III. b) I e IV. c) III e IV.
d) I e II. e) II e III.

29. (CESESP – PE) Num plano horizontal qualquer ponto pode


ser representado por suas coordenadas (x,y). Um corpo Figura 1
inicialmente em repouso no ponto A (–2,3), desloca-se
sucessivamente para os pontos B (3,3) e C (1,7), onde todas as
coordenadas estão dadas em metros. Qual o módulo do vetor
deslocamento total do corpo, em metros?

30. (Unicamp – SP) A figura abaixo representa um mapa da


cidade de Vectoria, o qual indica a direção das mãos do tráfego.
Devido ao congestionamento, os veículos trafegam com
velocidade escalar média de 18 km/h. Cada quadra desta
cidade mede 200 m por 200 m (do centro de uma rua ao centro
de outra rua). Uma ambulância localizada em A precisa pegar
um doente localizado bem no meio da quadra em B, sem andar Figura 2
na contramão.
a) I. b) II. c) III.
d) IV. e) V.

33. (UFPI) Na figura ao lado, A e


B são cidades, situadas numa
planície e ligadas por cinco
diferentes caminhos, numerados
de 1 a 5. Cinco atletas
corredores, também numerados
de 1 a 5, partem de A para B,
cada um seguindo o caminho
correspondente a seu próprio
número. Todos os atletas
a) Qual o menor tempo gasto (em minutos) no percurso de A completam o percurso em um mesmo tempo. Assinale a opção
para B? correta.
b) Qual é o módulo do vetor velocidade média (em km/h) entre a) Todos os atletas foram, em média, igualmente rápidos.
os pontos A e B? b) O atleta de número 5 foi o mais rápido.
c) O vetor velocidade média foi o mesmo para todos os atletas.
31. No instante t = 0 , uma partícula encontra-se no ponto A da d) O módulo do vetor velocidade média variou, em ordem
trajetória indicada na figura. Após 2,0 s encontra-se no ponto B. decrescente, entre o atleta 1 e o atleta 5.
Se a velocidade apresenta módulo constante de 10 m/s, e) O módulo do vetor velocidade média variou, em ordem
determine o módulo da aceleração vetorial média entre esses crescente, entre o atleta 1 e o atleta 5.
dois instantes.
34. (UFMG) Um automóvel está sendo testado em uma pista
circular de 200 m de raio. Qual será a intensidade do vetor
deslocamento do automóvel após ele ter completado meia
volta?

35. (UESPI) Uma partícula P sobre um plano horizontal só se


desloca em direções paralelas aos eixos ortogonais de
referência x e y. Partindo da origem, ela se desloca 8 unidades
de espaço no sentido positivo do eixo y. Faz então uma curva
de 90° e se move 2 unidades no sentido negativo da direção x.
De sua nova posição, ela parte paralelamente ao eixo y e
32. (U. E. Sudoeste – BA) Os vetores posição P1 e P2 de uma percorre 4 unidades no sentido negativo. Finalmente, a partícula
partícula, respectivamente, nos instantes 0,30 s e 0,50 s, estão realiza um percurso de 5 unidades no sentido positivo de x. O
representados na figura 1. Na figura 2, o vetor que melhor comprimento do vetor deslocamento total da partícula é:
representa a velocidade vetorial média no intervalo de 0,30 s a a) 4 unidades. d) 13 unidades.
0,5 s é: b) 5 unidades. e) 19 unidades.
c) 7 unidades.

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
36. (Fiube – MG) Na figura está representada a trajetória de um 39. (OBF/2006) Os quadriculados representam canteiros de um
móvel que vai do ponto P ao ponto Q em 5 s. O módulo de sua jardim. O módulo do vetor deslocamento de uma pessoa, para ir
velocidade vetorial média, em metros por segundo nesse de A até B, sem pisar nas plantas de nenhum canteiro é igual a:
intervalo de tempo, é igual a:

a) a 2 + 2 ab + b 2 .
b) a b . c) a 2 + b 2 .
d) (a + b ) 2 + (a + b ) . e) 2 a + 2b .

a) 1. b) 2. c) 3. 40. (Uneb – BA) Um jogador de golfe necessita de quatro


d) 4. e) 5. tacadas para colocar a bola no buraco. Os quatro
deslocamentos estão representados na figura. Sendo d1 = 15 m,
37. (PUCC – SP) Num bairro, onde todos os quarteirões são d2 = 6,0 m, d3 = 3,0 m e d4 = 1,0 m, a distância inicial da bola ao
quadrados e as ruas paralelas distam 100 m uma da outra, um buraco era, em metros, igual a:
transeunte faz o percurso de P a Q pela trajetória representada
no esquema. a) 5,0. b) 11.
c) 13. d) 17.
e) 25.

O deslocamento vetorial desse transeunte tem módulo, em


metros, igual a
a) 700. b) 500.
c) 400.
d) 350. e) 300.

38. (ITA – SP) Uma partícula 41. Uma partícula realiza um movimento circular uniforme, no
descreve um movimento sentido anti-horário, com velocidade escalar 8 m/s. Veja a figura
circular de raio R, partindo do ao lado.
repouso no instante t = 0 e Ao passar pelo ponto P1 ao ponto P2, decorre um intervalo de
com aceleração tangencial tempo de 4 s. É correto afirmar que o módulo da aceleração
at de módulo constante. vetorial média entre as posições P1 e P2 é igual a:
a) 2 2 m / s2 .
Sendo t o tempo e acp a 2 2
b) 2 m/s . c) 1 m/s .
aceleração centrípeta no
instante t, podemos afirmar d) 2 m / s2 . e) zero.

acp
42. A figura ao lado representa os deslocamentos de um móvel
que é igual a:
em várias etapas. Cada vetor tem módulo igual a 20 m. A
at
distância percorrida pelo móvel e o módulo do vetor
deslocamento são, respectivamente:
at2 ⋅ t R a) 20 5 m e 20 5 m.
a) . b) .
R at ⋅ t 2
b) 40 m e 40 5 m. c) 100 m e 20 5 m.
2
v d) 20 5 m e 40 m. e) 100 m e 40 5 m.
c) .
R
43. (Ucsal – BA) Uma partícula percorreu a trajetória MNPQ,
at ⋅ t at ⋅ t2
d) . e) . representada na figura abaixo. Os instantes de passagem pelos
R R diferentes pontos estão anotados (em segundos). A velocidade
escalar média da partícula durante os 2 s de movimento foi, em
cm/s, igual a:

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)

a) 6,0.
b) 5,5. c) 4,5.
d) 2,5. e) 2,0. a) 0 m/s. b) 5,0 m/s. c) 34 m/s.
d) 38 m/s. e) maior que 38 m/s.
44. (Ucsal – BA) Com relação à questão
anterior, a velocidade vetorial média da 49. (Unisinos – RS) Numa pista atlética retangular de lados
partícula durante todo o percurso tem a = 160 m e b = 60 m, um atleta corre com velocidade de
módulo, em cm/s, igual a: módulo constante v = 5 m/s, no sentido horário, conforme
mostrado na figura. Em t = 0 s, o atleta encontra-se no ponto A.
a) 6,0. O módulo do vetor deslocamento do atleta, após 60 s de
b) 2,5. c) 5,5. corrida, em m, é:
d) 2,0. e) 4,5. a) 100. d)10 000.
b) 220. e) 18 000.
45. Uma partícula percorre uma c) 300.
circunferência de 1,5 m de raio no
sentido horário, como está 50. (UFCE) Uma partícula descreve
representado na figura. No trajetória circular, de raio r = 1,0 m,
instante to, a velocidade vetorial com velocidade variável. A figura
ao lado mostra a partícula em um
da partícula é v e a aceleração dado instante de tempo em que
vetorial é a. Sabendo que sua aceleração tem módulo,
2
a = 32 m/s , e aponta na direção e
| v |= 3,0 m / s , calcule: sentido indicados. Nesse instante, o módulo da velocidade da
partícula é:
a) o módulo da aceleração a) 2,0 m/s. d) 8,0 m/s.
centrípeta; b) 4,0 m/s. e) 10,0 m/s.
b) o módulo da aceleração tangencial. c) 6,0 m/s.

51. (Fac. Medicina de Catanduva) Em uma nave espacial há


um compartimento semelhante a uma caixa de sapatos e cujas
dimensões são iguais a 4 m×3 m×2 m. Sabendo que a mesma
46. (FESP) Um móvel se desloca sobre uma circunferência de se encontra em repouso em relação a três estrelas fixas e livre
3 m de raio com velocidade escalar constante de 2 m/s, A da ação de campos gravitacionais, quer se saber qual será a
2
aceleração tangencial do móvel é, em m/s , igual a: intensidade do vetor-deslocamento devido à movimentação de
a)
2
. b)
4
.
3
c) . um astronauta de um dos cantos do compartimento para o
3 3 2 outro, diametralmente oposto, em busca de uma ferramenta.
3 a) 63 m . b) 29 m .
d) 0. e) .
4
c) 3 ,8 m . d) Faltam dados para o cálculo.
47. (UFV – MG) Um motorista, ao percorrer uma curva de e) Nenhuma das respostas anteriores.
2 2
1,0×10 m de raio, acelera 2 m/s com o propósito de garantir a
estabilidade do veículo. Determine o módulo da aceleração 52. (FEI – SP) O vetor velocidade de uma partícula, em função
resultante no instante em que a velocidade do veículo é de do tempo, está representado na figura. Calcule as acelerações
20 m/s. médias nos intervalos de tempo 1 s→2 s e 5 s→6 s, indicando
também a sua direção e sentido.
48. (FOC – SP) A trajetória aproximada de um veículo
teleguiado está representada na figura abaixo, em escala. Os
números colocados nos vértices representam os instantes em
segundos. Considerando os dados da figura, o módulo da
velocidade vetorial média desse veiculo, no intervalo de tempo
entre t1 = 0 s e t2 = 8 s, é:

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)

a) 1. c) 3. e) 5.
b) 2. d) 4.
53. (FUC – MT) Um corpo descreve uma trajetória circular de
diâmetro de 20 cm, com velocidade escalar de 5 m/s, constante. 58. (Mackenzie – SP) Um pequeno corpo descreve a trajetória
Nestas condições, a aceleração à qual fica submetido vale: ABCDE com velocidade escalar constante. O trecho BCD é um
2
a) 250 m/s . b) 250 cm/s .
2 2
c) 50 m/s . arco de circunferência de raio 0,50 m e o trecho retilíneo AB, de
2
d) 50 cm/s .
2
e) 2,5 m/s . 1,80 m de comprimento, é percorrido pelo corpo em
0,50 minuto. Sabendo que a massa desse corpo é de 50 g, o
54. (FEI – SP) Uma partícula descreve uma circunferência de módulo da sua aceleração centrípeta no ponto C é:
1
raio 20 cm, percorrendo da mesma em 8 s. Qual é, em cm/s,
6
o módulo do vetor velocidade média da partícula no referido
intervalo de tempo?
a) 1,8. c) 2,5. e) 3,5.
b) 2,0. d) 2,8.
2 2
a) 72 m/s . b) 36 m/s .
55. (Mackenzie – SP) Duas partículas, A e B, descrevem –2 2 –2 2
c) 2,0×10 m/s . d) 1,44×10 m/s .
movimentos circulares uniformes com velocidades escalares –3 2
respectivamente iguais a v e 2v. O raio da trajetória descrita por e) 7,2×10 m/s .
A é o dobro do raio daquela descrita por B. A relação entre os
módulos de suas acelerações centrípetas é: 59. (Mackenzie – SP) Em uma certa experiência em laboratório,
–27
1 1 uma partícula de massa 6,70×10 kg é abandonada do
a) a cpA = a cpB . b) a cpA = a cpB repouso no ponto A da trajetória ilustrada abaixo. Após ser
8 4 acelerada constantemente no trecho AB, à razão de
1 11 2
c) a cpA = a cpB . d) a cpA = a cpB . 2,00×10 m/s , descreve a trajetória circular BCD, com
2 velocidade escalar constante, e “sai” pelo ponto D. O módulo da
e) a cpA = 2 ⋅ a cpB . aceleração centrípeta da partícula no ponto C:

56. (PUC – SP) Para calcular a aceleração tangencial média de


um corpo em movimento circular cujo raio de curvatura é π m,
você dispõe de uma tabela que relaciona, a partir do repouso e
do instante t = 0, o número de voltas completas e o respectivo
intervalo de tempo.
Número de voltas Intervalo de
completas tempo
–17 2
1ª tomada de dados 20 1s a) independe do ângulo α e vale 1,64×10 m/s .
2ª tomada de dados 80 2s –16 2
b) independe do ângulo α e vale 2,68×10 m/s .
3ª tomada de dados 180 3s 10 2
c) independe do ângulo α e vale 4,00×10 m/s .
O valor da aceleração tangencial média sofrida pelo corpo 9 2
d) independe do ângulo α e vale 2,00×10 m/s .
durante essa experiência é: e) depende do ângulo α.
2 2
a) 20 m/s . d) 80 voltas/s .
2 2
b) 40 m/s . e) 100 voltas/s . 60. (ITA – SP) A figura mostra uma pista de corrida ABCDEF,
2
c) 40 voltas/s . com seus trechos retilíneos e circulares percorridos por um
atleta desde o ponto A, de onde parte do repouso, até a
57. (UFSE) Uma partícula descreve um movimento circular chegada em F, onde pára. Os trechos BC, CD e DE são
uniformemente acelerado, no sentido horário, como percorridos com a mesma velocidade de módulo constante.
representado na figura.
Na posição indicada pelo ponto P, o vetor que melhor
representa a aceleração da partícula é o:

Considere as seguintes afirmações:


I. O movimento do atleta é acelerado nos trechos AB, BC, DE
e EF.

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
II. O sentido da aceleração vetorial média do movimento do
atleta é o mesmo nos trechos AB e EF.
III. O sentido da aceleração vetorial média do movimento do
atleta é para sudeste no trecho BC, e, para sudoeste, no
DE.
Então, está(ão) correta(s)
a) apenas a I. b) apenas a I e II.
c) apenas a I e III. d) apenas a II e III.
e) todas.

01. Letra E 21. Letra A 44. Letra B


2
02. Letra D 22. Letra D 45. a) 6,0 m/s
03. Letra B 23. Letra B b) 6 ,0 3 m / s 2
04. Letra D 24. Letra C 46. Letra D
05. Letra A 25. Letra E 47. 2 5 m / s 2
06. Letra C 26. I–C; II–D 48. Letra B
07. Letra A III–A; IV–B; V–E 49. Letra A
08. Letra A 27. Letra A 50. Letra B
09. Letra C 28. Letra A 51. Letra B
10. Letra B 29. 05 52.
11. Letra B 30. 3 min
12. a) 18 m b) 10 km/h
2
b) 2 3 m / s2 31. 10 m/s
2
13. a) 10 m/s 32. Letra A
2
b) 24 m/s 33. Letra C 53. Letra A
c) 24 m/s 34. 400 m 54. Letra C
d) 24 m 35. Letra B 55. Letra A
2
14. 5 m/s 36. Letra A 56. Letra C
15. 72 km/h 37. Letra B 57. Letra C
2
16. α = 2,0 m/s 38. Letra E 58. Letra E
5 3
R= m 39. Letra C 59. Letra C
3
17. Letra C 40. Letra C 60. Letra D
18. Letra D 41. Letra A
19. 90 42. Letra C
20. Letra A 43. Letra B

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)

01. No instante t = 0, uma partícula é lançada horizontalmente,


com velocidade cujo módulo é Vo = 60 m/s, de um ponto O a) O instante em que a abscissa da partícula é igual a 100 m;
situado a 100 m acima do solo (suposto horizontal e plano), numa b) O instante em que a velocidade da partícula tem módulo igual
região em que a aceleração da gravidade tem intensidade a. 10 41 m / s .
g = 10 m/s2. Desprezando os efeitos do ar e adotando um sistema
de coordenadas de origem O como mostra a figura, pede-se: 05. Um avião voa a uma altura de 720 m, com velocidade
constante e horizontal, cujo módulo á Vo = 100 m/s, numa região
em que a aceleração da gravidade tem módulo g = 10 m/s2. Num
determinado instante, uma bomba é solta do avião. Desprezando
os efeitos do ar e supondo o chão horizontal, responda:
a) Depois de quanto tempo, após ser solta, a bomba atinge o solo?
b) Qual o alcance horizontal da bomba?
c) Qual o módulo da velocidade da bomba no momento em que a
mesma atinge o solo?
a) As equações horárias da abscissa x e da ordenada y da partícula; d) Qual a trajetória da bomba para um observador fixo no solo?
b) A equação horária da componente vertical da velocidade da e) Qual a trajetória da bomba para um observador no avião?
partícula;
c) As coordenadas da partícula no instante t = 4,0 s; 06. (Med. Catanduva – SP) Uma bola cai de uma mesa
d) O módulo da velocidade da partícula no instante t = 4,0 s horizontal de 80 cm de altura, atingindo o chão a uma distância
horizontal de 1,6 m de aresta do ponto da mesa. Sua velocidade
02. Uma partícula é lançada horizontalmente, com velocidade cujo (horizontal), ao abandonar a mesa, era de: Dado: g = 10 m/s2.
módulo é Vo = 60 m/s, de um ponto situado a 320 m acima do A) Zero.
solo, numa região em que a aceleração da gravidade tem módulo B) 4,0 m/s. D) 10 m/s.
g = 10 m/s2. C) 16 m/s. E) nenhuma dessas respostas.
a) Depois de quanto tempo a partícula atinge o solo?
b) Qual o alcance horizontal da partícula? 07. (CESCEM – SP) Um avião voa à altura de 2000 m,
c) Qual o módulo da velocidade da partícula, no instante em que paralelamente ao solo horizontal, com velocidade constante. Deixa
atinge o solo? cair uma bomba que atinge o solo à distância de 1000 m da vertical
inicial da bomba. Desprezando-se a resistência do ar, a velocidade
03. No instante t = 0, uma partícula é lançada horizontalmente do avião é um valor mais próximo de:
com velocidade cujo módulo é Vo = 40 m/s, de um ponto O A) 50 m/s.
situado a 180 m acima do solo, numa região em que a aceleração B) 150 m/s. D) 250 m/s.
da gravidade tem módulo g = 10 m/s2. Adotando um sistema de C) 2000 m/s. E) 4000 m/s.
coordenadas com origem no ponto O, como mostra a figura,
pede-se: 08. Numa das margens de um rio, cuja largura é 850 m, foi
instalado um canhão de modo que sua boca esteja a 45 m acima
do solo (vide figura). Os projéteis disparados pelo canhão
abandonam sua boca com velocidade Vo. Para que valores de Vo,
os projéteis atingem a outra margem?

a) O instante em que a partícula atinge o solo;


b) O alcance horizontal da partícula;
c) A equação da trajetória.

04. No instante t = 0, uma partícula é lançada horizontalmente


com velocidade cujo módulo é Vo = 50 m/s, de um ponto O
situado a 200 m de altura, num local em que a aceleração da 09. Uma partícula é lançada com velocidade inicial Vo = 25 m/s,
gravidade tem módulo g = 10 m/s2. Adotando um sistema de de um ponto O situado a 125 m acima do solo, numa região em
coordenadas como mostra a figura, pede-se: que a aceleração da gravidade (g) vale 10 m/s2. A partícula atinge
um muro vertical situado a 100 m do ponto O. Determine a altura
h do ponto B onde a partícula atinge o muro. (Despreze os efeitos
do ar).

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
13. (UFPE/2000 – Fís. 2) Um pequeno bloco é arremessado do
alto de uma escada que tem 99 degraus, com uma velocidade
v = 6,0 m/s, conforme a figura. Cada degrau da escada possui
25 cm de altura e 25 cm de largura. Determine o número do
primeiro degrau a ser atingido pelo bloco.

10. Uma senhora joga, pela janela de seu apartamento, a chave da


porta para seu filho, que aguarda no solo. A chave é lançada
horizontalmente com velocidade de 3,0 m/s, de um ponto situado
a 22 m acima do solo (vide figura). No exato instante em que a
chave é lançada, o filho começa a movimentar-se com velocidade
constante de 5,0 m/s em direção ao prédio. Com isso, consegue
apanhar a chave em um ponto situado a 2 m acima do solo. Sendo
g = 10 m/s2 e desprezando a resistência do ar, determine a 14. (UFPE/95 – Fís. 1) Um jogador de tênis quer sacar a bola de
distância d entre o filho e o prédio, no momento em que a chave tal forma que ela caia na parte adversária da quadra, a 6 metros da
foi lançada. rede. Qual o inteiro mais próximo que representa a menor
velocidade, em m/s, para que isto aconteça? Considere que a bola
é lançada horizontalmente do início da quadra, a 2,5 m do chão, e
que o comprimento total da quadra é 28 m, sendo dividida ao
meio por uma rede. Despreze a resistência do ar e as dimensões da
bola. A altura da rede é 1 m.

11. (Fuvest – SP) Um motociclista de motocross move-se com


velocidade v = 10 m/s, sobre uma superfície plana, até atingir uma
rampa (em A), inclinada 45° com a horizontal, como indicado na
figura. 15. (UEM – PR) Em uma cena de filme, um policial em
perseguição a um bandido salta com uma moto do topo de um
prédio a outro. Considere que ambos os prédios têm o topo
quadrado com uma área de 900 m2 e que o policial motorizado se
lança horizontalmente com uma velocidade de 72 km/h.
Considere ainda que a distância entre os prédios é de 20 m e que o
topo do segundo prédio está 10 m abaixo do topo do primeiro.
Nessas condições pode-se afirmar que essa cena poderia ser real?
(Considere a aceleração gravitacional igual a 10 m/s2. Despreze a
resistência do ar)
A trajetória do motociclista deverá atingir novamente a rampa a A) Sim, pois o policial alcançaria o topo do segundo prédio
uma distância horizontal D(D = H), do ponto A, aproximadamente 8 m após a primeira borda do prédio.
aproximadamente igual a: B) Não, pois com essa velocidade inicial, o policial ultrapassaria o
A) 20 m. topo do segundo prédio.
B) 7,5 m. D) 15 m. C) Não, pois o policial cairia entre os prédios em queda livre.
C) 5,0 m. E) 10 m. D) Não, pois o policial atingiria a parede lateral do prédio em
alguma altura do edifício.
12. (Fameca – SP) De um avião descrevendo uma trajetória E) Não, pois o policial alcançaria o topo do segundo prédio a
paralela ao solo, com velocidade v, é abandonada uma bomba de aproximadamente 0,5 m da segunda borda do prédio, sem espaço
uma altura de 2 000 m do solo, exatamente na vertical que passa suficiente para parar a moto.
por um observador colocado no solo. O observador ouve o 16. (Unifesp – SP) Uma pequena esfera maciça é lançada de uma
“estouro” da bomba no solo depois de 23 segundos do altura de 0,6 m na direção horizontal, com velocidade inicial de
lançamento da mesma. São dados: aceleração da gravidade g = 10 2,0 m/s. Ao chegar ao chão, somente pela ação da gravidade,
m/s2; velocidade do som no ar: 340 m/s. A velocidade do avião colide elasticamente com o piso e é lançada novamente para o
no instante do lançamento da bomba era, em quilômetros por alto. Considerando g = 10,0 m/s2, o módulo da velocidade e o
hora, um valor mais próximo de: ângulo de lançamento do solo, em relação à direção horizontal,
A) 200. imediatamente após a colisão, são respectivamente dados por:
B) 300. D) 210. A) 4,0 m/s e 30o. B) 3,0 m/s e 30o. C) 4,0 m/s e 60o.
C) 150. E) 180. D) 6,0 m/s e 45o. E) 6,0 m/s e 60o.

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
17. (Unifesp – SP) Em um acidente de trânsito, uma testemunha representar as posições aproximadas do avião e dos pacotes, em
deu o seguinte depoimento: um mesmo instante, é
“A moto vinha em alta velocidade, mas o semáforo estava vermelho para ela.
O carro que vinha pela rua transversal parou quando viu a moto, mas já era
tarde; a moto bateu violentamente na lateral do carro. A traseira da moto
levantou e seu piloto foi lançado por cima do carro.”
A perícia supôs, pelas características do choque, que o motociclista
foi lançado horizontalmente de uma altura de 1,25 m e caiu no
solo a 5,0 m do ponto de lançamento, medidos na horizontal. As
marcas de pneu no asfalto plano e horizontal mostraram que o
motociclista acionou bruscamente os freios da moto, travando as A) B) C) D) E)
rodas, 12,5 m antes da batida. Após análise das informações
coletadas, a perícia concluiu que a moto deveria ter atingido o 21. (UFPB) Uma partícula é abandonada de uma altura h em
carro a uma velocidade de 54 km/h (15 m/s). Considerando relação ao solo. Durante a queda, além da aceleração da gravidade,
g = 10 m/s2 e o coeficiente de atrito entre o asfalto e os pneus 0,7; essa partícula fica sujeita a uma aceleração horizontal constante
determine: devido a uma força horizontal que atua sobre a mesma. Nessas
a) a velocidade de lançamento do motociclista, em m/s; condições, a trajetória da partícula está melhor representada no
b) a velocidade da moto antes de começar a frear. gráfico:

18. (UFSE) Um bloco desliza sobre o tampo horizontal de uma


mesa com velocidade constante de 20 cm/s, a 1,0 m de altura em
relação ao solo. Ao final do tampo da mesa, o bloco se projeta no
ar até atingir o solo. Considere g = 10 m/s2.
Analise as afirmações a seguir.
0 – 0 Sobre o tampo da mesa, o bloco poderia percorrer 1,0 m
em 5,0 s.
1 – 1 Enquanto desliza sobre o tampo da mesa, a força
resultante que age no bloco é nula.
2 – 2 Enquanto desliza sobre o tampo da mesa, a aceleração do
bloco é 10 m/s2.
3 – 3 Ao cair do tampo da mesa, o bloco executa uma trajetória
retilínea inclinada, atingindo o solo a uma certa distância
da mesa.
4 – 4 A distância horizontal entre o ponto em que o bloco
atinge o solo e a mesa é maior que 1,0 m.

19. (UFPI) Um garoto lança, com velocidade de módulo 2⋅⋅v, uma 22. (UFMS) O gráfico ao lado representa o deslocamento
bola de tênis contra a parte traseira de um caminhão que anda com horizontal (x) de um jato de líquido que se escoa através de um
velocidade de módulo v. A bola toca o caminhão pequeno furo feito a uma profundidade (h) na lateral de um
perpendicularmente à sua traseira, e tem velocidade inicial no
tanque de altura (12 m), que permanece sempre cheio devido a um
mesmo sentido da velocidade do caminhão, conforme figura processo automático de reposição.
abaixo

Considere o choque perfeitamente elástico e a massa da bola


muito menor que a do caminhão. Analise as afirmativas e
classifique-as como V (verdadeira) ou F (falsa).
1. ( ) A bola, após tocar o caminhão, retorna com velocidade 2⋅⋅v
na direção perpendicular à superfície da traseira do caminhão.
2. ( ) A bola, após tocar o caminhão, retorna com velocidade v Considere as afirmativas:
na direção perpendicular à superfície da traseira do caminhão. I. O valor máximo de (x) ocorre quando o furo é feito na
3. ( ) A bola, após tocar o caminhão, retorna com velocidade metade da altura do tanque.
v/2 na direção perpendicular à superfície da traseira do caminhão. II. O valor máximo de (x) obtido é de 6 m.
4. ( ) A bola toca o caminhão e cai perpendicularmente ao chão. III. Dois furos cuja soma das profundidades é 12 m
proporcionam o mesmo alcance (x).
20. (Fuvest – SP) Em decorrência de fortes chuvas, uma cidade IV. Dois furos cuja soma das profundidades é 12 m
do interior paulista ficou isolada. Um avião sobrevoou a cidade, proporcionam a mesma velocidade de escoamento.
com velocidade horizontal constante, largando 4 pacotes de V. Dois furos cuja soma das profundidades é 12 m
alimentos, em intervalos de tempos iguais. No caso ideal, em que a proporcionam o mesmo tempo de queda.
resistência do ar pode ser desprezada, a figura que melhor poderia É correto afirmar que

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
A) apenas a afirmativa (I) é correta. passa por um fiscal de trânsito, parado no início de um trecho reto
B) apenas as afirmativas (I) e (III) são corretas. da pista. O fiscal, observando que o objeto cai a 32 m de distância,
C) todas as afirmativas são corretas. registra a velocidade do ônibus como sendo 144 km/h. A
D) todas as afirmativas são falsas. aceleração da gravidade vale 10 m/s2. De que altura, em
E) apenas a afirmativa (IV) é falsa. decímetros, o objeto foi largado pelo passageiro?

23. (UFPR) Uma bola rola sobre uma mesa horizontal de 1,225 m 28. Um avião, voando com velocidade v a uma altura h do solo,
de altura e vai cair num ponto do solo situado à distância de 2,5 m, sendo ambos valores constantes, “larga” uma bomba que atinge o
medida horizontalmente a partir da beirada da mesa. Qual a solo com uma velocidade u que forma um ângulo α com a
velocidade da bola, em m/s, no instante em que ela abandonou a vertical:
mesa? (Dado: g = 9,8 m/s2)

24. Um projétil é disparado contra um alvo vertical, de modo a


atingi-lo formando um ângulo de 90o. Sendo Vo a velocidade
inicial do projétil, L a distância entre o alvo e o ponto de disparo e
g a aceleração da gravidade local, qual o ângulo de elevação do
disparo?

25. (FCC – SP) Se um pequeno furo horizontal for feito na


parede vertical de um reservatório que contenha um líquido ideal Desprezando a resistência do ar e considerando a aceleração da
(sem viscosidade), um filete de líquido escoará pelo furo, e sua gravidade g, constante, determine uma expressão para o ângulo α.
velocidade inicial terá intensidade v = 2gh , onde g é o módulo
29. (AFA) Duas esteiras mantêm movimentos uniformes e
da aceleração da gravidade. Considere o movimento do fluido sincronizados de forma que bolinhas sucessivamente abandonadas
como o de um projétil lançado no vácuo, a partir do furo, com em uma delas atingem ordenadamente recipientes conduzidos pela
velocidade v. Podemos afirmar que o valor de L é: outra. Cada bolinha atinge o recipiente no instante em que a
seguinte é abandonada. Sabe-se que a velocidade da esteira
superior é v e que o espaçamento das bolinhas é a metade da
distância d, entre os recipientes. Sendo g a aceleração da gravidade
local, a altura h, entre as esteiras, pode ser calculada por:

A)
(H − h )v .
g

B) 2vg . D)
(H − h )v . 2
2g g d  d
A)   . C) g ⋅
8 v  v
4(H − h )
C) − 4h 2 + 4Hh . E) 2
v g d  g d
B)   . D) ⋅ .
2 v  2 v
26. (OBF/2007) Dois pequenos orifícios de áreas iguais são
feitos, um acima do outro, em uma garrafa PET cheia de água,
30. (AFA) Considere uma partícula M lançada verticalmente para
como pode ser observado na figura 2. Sabe-se que a distância
cima com uma velocidade de 30 m/s. No mesmo instante, uma
entre o orifício superior e a superfície da água é h, e que a distância
outra partícula N é lançada horizontalmente de um ponto situado
entre os orifícios é D. Estabelecendo o sistema de coordenadas
a 120 m do solo. Sabe-se que elas irão se chocar em um ponto Q,
Oxy no furo inferior, determine as coordenadas (xe, ye), do local de
conforme a figura. Desprezando os efeitos do ar, a altura do ponto
intersecção entre os dois fluxos de água. Despreze todos os efeitos
Q é:
dissipativos e de turbulência da água. Considere também que o
fluxo de água é tão lento que a altura h não varia durante o tempo
de observação.

27. (UFPB) Um passageiro, viajando num ônibus desenvolvendo A) 80 m. C) 40 m.


excessiva velocidade, decide denunciar o motorista. Deixa, então, B) 60 m. D) 15 m.
cair da janela do ônibus um objeto, no exato momento em que

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
31. (Vunesp – SP) Uma pequena esfera é lançada 37. (UFPE/2002 – Fís. 2) Um projétil é lançado do solo,
horizontalmente do alto de um edifício com velocidade Vo. A segundo um ângulo de 15° com a horizontal. Ele atinge um alvo
figura mostra a velocidade V da esfera no ponto P da trajetória, t no solo, que se encontra a uma distância igual ao alcance máximo
segundos após o lançamento, e a escala utilizada para representar que o projétil teria se fosse lançado com uma velocidade inicial de
esse vetor (as linhas verticais do quadriculado são paralelas à 15 m/s e ângulo de lançamento de 45°. Qual foi a velocidade de
direção do vetor aceleração da gravidade g ) lançamento do projétil, em m/s? Despreze a resistência do ar.

38. (UFPE/2002 – Fís. 2) Uma brincadeira de tiro ao alvo


consiste em acertar, a partir do ponto O, uma pequena esfera de
ferro presa por um ímã, em P, como mostra a figura. No instante
em que é feito um disparo, a esfera se desprende, sendo
eventualmente atingida durante a queda. Se um projétil é disparado
a 200 m/s e acerta o alvo, após quanto tempo, em unidades de
centésimos de segundos (10–2 s), o alvo é atingido? Despreze a
resistência do ar.

Considerando g = 10 m / s 2 e desprezando a resistência oferecida


pelo ar, determine, a partir da figura:
a) o módulo de V o .
b) o instante em que a esfera passa pelo ponto P.

32. (UTAM) Um índio lança uma flecha para atingir uma


tartaruga que se encontra na outra margem de um lago. Qual será 39. (UFPE/2002 – Fís. 3) Uma brincadeira de tiro ao alvo
o ângulo de elevação desse lançamento, sabendo que a tartaruga consiste em acertar, a partir do ponto O, uma pequena esfera de
está a 300 m de distância horizontal do ponto de lançamento e que ferro presa por um ímã, em P, como mostra a figura. No instante
o tempo total do percurso da flecha é 30 s? em que é feito um disparo, a esfera se desprende, sendo
A) tan α = 15 . eventualmente atingida durante a queda. Se um projétil é disparado
a 100 m/s e acerta o alvo, qual é a distância percorrida pelo alvo,
B) tan α = 30 . D) sen α = 30 .
em cm, antes que ele seja atingido? Despreze a resistência do ar.
C) sen α = 10 . E) cos α = 10 .

33. (UCS – RS) Uma ginasta numa apresentação solo corre para
tomar impulso e executar uma série de movimentos no ar.
Consegue sair do chão com uma velocidade inicial de 10 m/s e faz
um ângulo de 60o em relação ao solo.Supondo que um movimento
no ar demore 0,4 segundos, quantos movimentos, no máximo, a
ginasta conseguirá executar durante o salto, ou seja, no tempo 40. (UFPE/2000) Um jogador chuta a bola em um jogo de
total em que estiver no ar? futebol. Desprezando-se a resistência do ar, a figura que melhor
Considere a aceleração da gravidade como 10 m/s2 e representa a(s) força(s) que atua(m) sobre a bola em sua trajetória
sen 60 o = 0,87 . é:

34. (Vunesp – SP) Em uma partida de futebol, a bola é chutada a


partir do solo descrevendo uma trajetória parabólica cuja altura
máxima e o alcance atingido são, respectivamente, h e s.
Desprezando o efeito do atrito do ar, a rotação da bola e sabendo
que o ângulo de lançamento foi de 45o em relação ao solo
horizontal, calcule a razão s/h.
2
Dado: sen 45o = cos 45o = .
2
35. (UFPE/2004 – Fís. 2) Um projétil é lançado obliquamente
no ar, com velocidade inicial vo = 20 m/s, a partir do solo. No
ponto mais alto de sua trajetória, verifica-se que ele tem velocidade
41. (UFPE/2000 – Fís. 2) O salto (parabólico) de um gafanhoto
igual à metade de sua velocidade inicial. Qual a altura máxima, em
tem um alcance de 0,9 m. Considere que o ângulo de inclinação
metros, atingida pelo projétil? (Despreze a resistência do ar.)
do vetor velocidade inicial do gafanhoto seja de 45o em relação ao
solo. Qual o módulo dessa velocidade inicial em m/s?
36. (UFPE/2002 – Fís. 1) Numa partida de futebol, uma falta é
cobrada de modo que a bola é lançada segundo um ângulo de 30°
42. (UFPE/98) Os gráficos abaixo representam os sucessivos
com o gramado. A bola alcança uma altura máxima de 5,0 m. Qual
valores (expressos em metros) das distâncias horizontal x(t) e
é o módulo da velocidade inicial da bola em km/h? Despreze a vertical y(t) percorridas por uma bala disparada por um canhão. Se
resistência do ar.

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
no instante t = 5 s a distância, em metros, da bala para o canhão 46. (UFPE/93 – Fís. 1) Numa das modalidades de saque de
vale R, qual o valor numérico de seu quadrado, R2? voleibol (viagem ao fundo do mar), o jogador lança a bola de uma
das extremidades da quadra, a uma altura de 3,2 m e com
velocidade horizontal. Sabendo que a quadra tem 16 m de
comprimento, calcule a máxima velocidade, em m/s, que o
jogador pode imprimir à bola para que ela não ultrapasse os limites
da quadra.

47. (UFPE/91) Um garoto está sentado na poltrona de um trem


que se move em linha reta. Num certo instante, ele joga uma bola
verticalmente para cima. Pode-se afirmar que a bola:
A) cairá nas mãos do garoto apenas se o trem mantiver a
A) 1,0×104. velocidade constante enquanto ela estiver no ar.
B) 4,0×104. D) 2,0×104. B) cairá nas mãos do garoto apenas se o trem reduzir sua
velocidade enquanto ela estiver no ar.
C) 5,0×104. E) 3,0×104.
C) sempre cairá atrás do garoto.
D) sempre retornará às mãos do garoto.
43. (UFPE/97 – Fís. 2) Um gafanhoto adulto pode saltar até
E) sempre cairá à frente do garoto.
0,80 m com um ângulo de lançamento de 45o. Desprezando a
resistência do ar e a força de sustentação aerodinâmica sobre o
48. (UPE/2007 – Fís. 2) Um projétil é disparado com velocidade
gafanhoto, calcule quantos décimos de segundo ele permanecerá
escalar inicial Vo = 20,0 m/s, num terreno plano, em um alvo que
em vôo.
está no chão, a uma distância R = 20,0 m, conforme mostrado na
44. (UFPE/95) Uma pedra é lançada do topo de um edifício, figura. Considere g = 10,0 m/s2.

com velocidade inicial v o formando um ângulo de 45o com a


horizontal, conforme a figura abaixo. Despreze a resistência do ar
e indique a afirmativa errada.

O menor e o maior ângulo de lançamento que permitirão ao


projétil atingir o alvo são, respectivamente,
A) 15°, 45°.
B) 30°, 60°. D) 15°, 75°.
C) 40°, 80°. E) 75°, 30°
A) A velocidade da pedra ao passar pelo ponto D é v o 2 + 2gh .
49. (UPE/2007 – Fís. 1) A figura abaixo mostra três trajetórias
B) O tempo gasto pela pedra no percurso BC é menor que o possíveis para uma bola de futebol chutada a partir do chão.
tempo gasto no percurso CD. Ignorando os efeitos do ar, os tempos de vôo para cada uma das
C) O tempo gasto pela pedra no percurso BCD é 2 vezes maior três trajetórias são, respectivamente, t1, t2 e t3.
que o tempo gasto no percurso BC.
D) No ponto C os módulos das componentes vertical e horizontal
da velocidade são iguais.
E) Se o tempo gasto pela pedra no percurso ABC é 2 segundos, h
é 5 metros.

45. (UFPE/95 – Fís. 2 e 3) Uma bola de tênis é arremessada do


início de uma quadra de 30 m de comprimento total, dividida ao
meio por uma rede. Qual o inteiro mais próximo que representa o Qual das opções abaixo corresponde corretamente à relação entre
estes tempos?
maior ângulo θ abaixo da horizontal, em unidades de 10–1 rd, para
A) t3 > t2 > t1.
que a bola atinja o lado adversário? Assuma que a altura da rede é
B) t1 > t2 > t3. D) t1 = t2 > t3.
1 m e que a bola é lançada a 2,5 m do chão. Despreze a resistência
do ar e as dimensões da bola, e considere que não há limitações C) t1 = t2 = t3. E) t3 = 2⋅t2 = 3⋅t1.
quanto à velocidade inicial da bola.
50. (UPE/2004 – Fís. 2) Um atleta de tênis rebate uma bola,
imprimindo uma velocidade inicial na mesma de 20 m/s e fazendo
um ângulo de 4° com a horizontal. De acordo com o
posicionamento da bola na quadra (5 m de afastamento horizontal
da rede, 1 m de altura de lançamento), como mostra a figura, é
correto afirmar que (Dados: sen 4° = 0,07 e cos 4° = 1,0; altura da
rede = 0,9 m).

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
2–2 O tempo gasto até o retorno ao solo é o dobro do tempo
de subida.
3–3 O módulo da velocidade no ponto mais alto é de 20 m/s.
4–4 Ao atingir o solo, o módulo da velocidade é de 20 m/s.

54. (UFPI) Dois projéteis são lançados de uma mesma posição,


com velocidades iniciais de mesmo módulo vo e diferentes ângulos
de lançamento. As trajetórias dos projéteis estão mostradas na
figura ao lado. Sobre os módulos das velocidades e das acelerações
A) a bola não consegue chegar à rede antes de quicar no saibro. dos projéteis nos pontos 1 e 2 podemos afirmar corretamente que:
B) a bola bate diretamente na rede, não a ultrapassando.
C) a bola ultrapassa a rede, mas quica no saibro antes da rede.
D) a bola quica duas vezes no saibro antes de bater na rede.
E) a bola ultrapassa a rede de primeira.

51. (UPE/2003 – Fís. 2) Determinada jogada tem sido observada


com freqüência nos jogos recentes de futebol: o arremesso lateral
funcionando como um lançamento na grande área. Na copa do
mundo, foi um lance muito usado para criar chances de gol.
Consideremos que os jogadores são de mesma altura de modo que
os pontos de lançamento e recepção estão no mesmo nível. As A) v1 > v2 e a1 = a2.
considerações seguintes referem-se à física envolvida nessa jogada. B) v1 = v2 e a1 = a2. D) v1 = v2 e a1 > a2.
C) v1 < v2 e a1 = a2. E) v1 < v2 e a1 > a2.

55. (Mackenzie – SP) Um jogador de basquete, parado, lança


obliquamente a bola da altura de 1,70 m com velocidade de
10 m/s, formando um ângulo α (sen α = 0,8; cos α = 0,6) acima
da horizontal, para outro jogador situado a 9 m dele. Adote
g = 10 m/s2 e despreze a resistência do ar. A altura, em relação ao
solo, a que esse jogador deve colocar a mão, com o braço na
vertical, para apanhar a bola é:
A) 0,75 m.
Identifique a correta.
B) 1,70 m. D) 2,25 m.
A) A velocidade da bola, quando esta toca na cabeça do atacante, é C) 2,65 m. E) 2,45 m.
menor do que a velocidade de lançamento.
B) O ângulo de lançamento não influi no alcance. Tudo depende
56. (UFPB) Em uma partida de futebol, o goleiro bate um tiro de
da força do arremessador.
meta com a bola no nível do gramado. Tal chute dá à bola uma
C) Se o ângulo de lançamento for de 45º, a bola chegará ao velocidade inicial de módulo 20 m/s e um ângulo de lançamento
atacante com velocidade maior que a do lançamento.
de 45°. Nessas condições, a distância mínima que um jogador deve
D) O arremessador afasta-se da linha lateral e corre antes do
estar do ponto de lançamento da bola, para recebê-la no seu
lançamento com o objetivo exclusivo de conseguir maior
primeiro contato com o solo, é:
componente vertical da velocidade. A) 30 m.
E) A corrida antes do lançamento não tem qualquer influência,
B) 20 m. D) 5 m.
pois o jogador tem de estar parado na hora do arremesso.
C) 40 m. E) 10m.
52. (Unicap – PE) Um goleiro, ao bater um tiro de meta, chuta a
bola com uma velocidade de módulo 90 km/h, formando um 57. (UFPB) Num fim de tarde, enquanto aguava as plantas de seu
ângulo de 30o com a horizontal. Despreze a resistência do ar.
jardim com uma mangueira, uma estudante concluiu que podia
I – II
aplicar ao movimento das gotas de água as leis de movimento que
0–0 A componente vertical da velocidade inicial tem módulo
havia aprendido em suas aulas de física no colégio. Anotou então
igual a 45 km/h. as seguintes conclusões, para poder verificar, posteriormente, sua
1–1 Quando a bola atinge a altura máxima, sua velocidade é
veracidade.
horizontal e de módulo igual a 45 km/h.
I. Os movimentos de cada gota de água, na horizontal e na
2–2 A altura máxima que a bola atinge é 9,0 m.
vertical, são independentes; na vertical, o movimento é
3–3 O tempo que a bola gasta para atingir a altura máxima é uniformemente variado e, na horizontal, o movimento é
de 2,5 s.
uniforme.
4–4 O alcance da bola é de 125 m.
II. Além da força gravitacional, existe uma outra força que
empurra as gotas de água para a frente.
53. (UFSE) Um projétil é lançado, a partir do solo, com III. A trajetória das gotas de água é parabólica.
velocidade inicial de 20 m/s, formando 37° com a horizontal.
Dessas afirmações, está(ão) correta(s) apenas:
Despreze a resistência do ar e considere 10 m/s2 a aceleração local
A) I.
da gravidade, sen 37°= 0,60 e cos 37 = 0,80.
B) II. D) III.
Analise as afirmativas. C) I e II. E) I e III.
0 – 0 O tempo de subida do projétil é de 1,2 s.
1 – 1 A altura máxima atingida desde o solo é de 24 m.

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
58. (UFES) Um foguete sobe inclinado, fazendo com a vertical permitiram reproduzir a trajetória do centro de gravidade de
um ângulo de 60o. A uma altura de 1 000 m do solo, quando sua Daiane na direção vertical (em metros), assim como o tempo de
velocidade é de 1 440 km/h, uma de suas partes de desprende. A duração do salto. De acordo com o gráfico ao lado, determine:
aceleração da gravidade ao longo de toda a trajetória é constante e
vale g = 10 m/s2. A altura máxima, em relação ao solo, atingira
pela parte que se desprendeu é:
A) 1 000 m.
B) 1 1440 m. D) 3 000 m.
C) 2 400 m. E) 7 000 m.

59. (UFC) Uma partícula pontual é lançada de um plano inclinado


conforme esquematizado na figura abaixo. O plano tem um
ângulo de inclinação θ em relação à horizontal, e a partícula é
lançada, com velocidade de módulo v, numa direção que forma
um ângulo de inclinação α em relação ao plano inclinado.
Despreze qualquer efeito da resistência do ar. Considere que a
aceleração da gravidade local é constante (módulo igual a g, a) A altura máxima atingida pelo centro de gravidade de Daiane.
direção vertical, sentido para baixo). b) A velocidade média horizontal do salto, sabendo-se que a
distância percorrida nessa direção é de 1,3 m.
c) A velocidade vertical de saída do solo.

62. (Unicamp – SP) Uma bola de tênis rebatida numa das


extremidades da quadra descreve a trajetória representada na
figura abaixo, atingindo o chão na outra extremidade da quadra. O
comprimento da quadra é de 24 m.
a) Considerando o eixo x na horizontal, o eixo y na vertical e a
origem do sistema de coordenadas cartesianas no ponto de
lançamento, determine as equações horárias das coordenadas da
partícula, assumindo que o tempo é contado a partir do instante de
lançamento.
b) Determine a equação da trajetória da partícula no sistema de
coordenadas definido no item (a).
c) Determine a distância, ao longo do plano inclinado, entre o a) Calcule o tempo de vôo da bola, antes de atingir o chão.
ponto de lançamento (ponto A) e o ponto no qual a partícula toca Desconsidere a resistência do ar nesse caso.
π π b) Qual é a velocidade horizontal da bola no caso acima?
o plano inclinado (ponto B). Considere α = eθ= .
2 4 c) Quando a bola é rebatida com efeito, aparece uma força, FE,
vertical, de cima para baixo e igual a 3 vezes o peso da bola. Qual
60. (Fuvest – SP) Durante um jogo de futebol, um chute forte, a será a velocidade horizontal da bola, rebatida com efeito para uma
partir do chão, lança a bola contra uma parede próxima. Com trajetória idêntica à da figura?
auxílio de uma câmera digital, foi possível reconstituir a trajetória
da bola, desde o ponto em que ela atingiu sua altura máxima 63. Um projétil é lançado a um ângulo α de um penhasco de altura
(ponto A) até o ponto em que bateu na parede (ponto B). As h acima do nível do mar. Se ele cair no mar a uma distância D da
posições de A e B estão representadas na figura. Após o choque, base do penhasco, prove que sua máxima altura acima do nível do
que é elástico, a bola retorna ao chão e o jogo prossegue. mar é:
D 2 tan 2 α
H =h+
4 ⋅ (h + D tan α )

a) Estime o intervalo de tempo t1, em segundos, que a bola levou


para ir do ponto A ao ponto B.
b) Estime o intervalo de tempo t2, em segundos, durante o qual a
bola permaneceu no ar, do instante do chute até atingir o chão
após o choque. 64. (Cesgranrio – RJ) Uma pedra é lançada do ponto O com
velocidade inicial v o . O ponto M é o ponto médio do segmento
61. (Unicamp – SP) O famoso salto duplo twist carpado de
OP . No instante em que a pedra cruza a reta vertical r, a distância
Daiane dos Santos foi analisado durante um dia de treinamento no
Centro Olímpico em Curitiba, através de sensores e filmagens que MM ' é igual a 2,0 metros. Desprezando a resistência do ar,

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
quando a pedra cruzar a reta vertical s, qual o valor da distância Sendo α = 30 o e g = 10 m / s 2 , pede-se:
PP ' ?

a) a maior altura que a partícula atinge em relação ao solo.


b) a distância horizontal percorrida até atingir o solo.
65. (Fesp – SP) Um rapaz de 1,5 m de altura, que está parado, em
70. Uma arma dispara de um mesmo ponto O dois projéteis com
pé a uma distância de 15 m em frente a um muro de 6,5 m de
a mesma velocidade inicial V0, sob dois ângulos distintos: θ e θ ' .
altura, lança uma pedra com um ângulo de 45o com a horizontal.
Com que velocidade mínima deve lançar a pedra para que ela Sendo dada a aceleração local da gravidade g, pede-se o intervalo
passe por cima do muro? Despreze a resistência do ar. Adote de tempo que deve haver entre os dois tiros para os projéteis
g = 10 m/s2. colidirem no ar.
A) 11 m/s.
B) 14 m/s. D) 16 m/s.
C) 15 m/s. E) 17 m/s.

66. Demonstrar que com um canhão pode-se atingir um mesmo


ponto do terreno com um ângulo de elevação de 60o e com outro
de 30o sendo que a flecha da trajetória (altura máxima do projétil)
é no primeiro caso três vezes maior que no segundo.

67. (UFPI) Um projétil é lançado de uma altura de 2,2 metros


acima do solo, com uma velocidade inicial que faz um ângulo de
60o com a horizontal. O valor da aceleração da gravidade no local
é igual a 10 m/s2 e o projétil atinge o solo com uma velocidade de
12 m/s. Podemos afirmar corretamente que sua velocidade no
ponto mais alto de sua trajetória tem módulo igual a:
A) 6,0 m/s.
B) 5,0 m/s. D) 3,0 m/s.
C) 4,0 m/s. E) 2,0 m/s.

68. Um jogador de basquete profissional está 4,0 m à frente de


uma parede vertical e lança uma bola (veja a figura).

A bola deixa a mão do jogador, a uma altura de 2,0 m do chão,


com velocidade inicial V0 = 10 2 m / s , cuja direção forma um
ângulo de 45o com a horizontal. Quando a bola bate na parede a
componente horizontal do vetor velocidade troca de sinal e a
componente vertical permanece inalterada. Onde a bola atinge o
solo?

69. Uma roda de raio 50 cm gira sem escorregar sobre o solo


horizontal em relação ao qual o seu eixo tem uma velocidade
constante de 10 m/s. Em determinado instante uma partícula
aderente à superfície da roda destaca-se da mesma no ponto P
indicado na figura abaixo.

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
b) 1,5 s
32. Letra A
33. 4 movimentos
s
2
34. =4
01. a) y = 5 t ; x = 60 t 36. 72 h
b) Vy = 10 t 37. 21 35. 15
c) y = 80 m e x = 240 m 38. 05
d) 20 3 m / s 39. 05
02. a) 8,0 s 40. Letra C
b) 480 m 41. 03
c) 100 m/s 42. Letra D
03. a) 6,0 s 43. 04
b) 240 m 44. Letra C
x2
c) y = (S.I .) 45. 01
320
04. a) 2,0 s 46. 20
b) 40 s 47. Letra A
05. a) 12 s 48. Letra D
b) 1200 m 49. Letra C
c) 20 61 m / s 50. Letra E
d) parábola 51. Letra A
e) linha reta 52. VFFFF
06. Letra B 53. VFVFV
07. Letra A 54. Letra B
50
08. m / s < v < 300 m / s 55. Letra E
3
09. 40 m 56. Letra C
10. 16 m 57. Letra E
11. Letra A 58. Letra D
12. Letra E
59. a) x = v cos (α + θ ) ⋅ t
g ⋅t2
y = v sen (α + θ ) ⋅ t −
2
 g  2
b) y = tan (α + θ ) ⋅ x −  ⋅x
 2 2 
 2 v cos (α + θ ) 
c)
13. 29 60. a) 0,4 s
14. 28 b) 2,0 s
15. Letra A 61. a) 1,5125 m
16. Letra C b) 13/11 m/s
17. a) 10 m/s c) 5,5 m/s
b) 20 m/s 62. a) 0,75 s
18. VVFFF b) 32 m/s
19. FFFV c) 64 m/s
20. Letra B 63. demonstração
21. Letra C 64. 8,0 m
22. Letra B 65. Letra C
23. 5,0 m/s 66. demonstração
L⋅g
24. sen 2θ = 67. Letra B
Vo2
25. Letra C 68. a 18 m da parede
(
26. ( X e ; Ye ) = 2 h(D + h ); − h ) 69. a) 4,5 m
27. 32 b)
v V0  cos θ − cos θ ' 
28. tan α = 70. 2  
2gh g  sen (θ + θ ' ) 
29. Letra A
30. Letra C
31. a) 10 m/s

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
veículo, seja iluminada duas vezes consecutivas é, aproximadamente,
igual a:
a) 0,50 s. b) 1,2 s c) 1,8 s.
01. (Vunesp – SP) Sejam ω1 e ω 2 as velocidades angulares dos d) 2,0 s. e) 2,5 s.
ponteiros das horas de um relógio da torre de uma igreja e de um
relógio de pulso, respectivamente, e v1 e v 2 as velocidades 07. (FEI – SP) A aceleração centrípeta de um ponto material diminui
de 1,5 m/s2 quando aumentamos em 4 m o raio da pista onde se
escalares das extremidades desses ponteiros. Se os dois relógios encontra. Sabendo que o ponto material move-se com velocidade
fornecem a hora certa, podemos afirmar que: constante de 6 m/s, o raio da pista, em metros, valia, inicialmente:
a) ω1 = ω2 e v1 = v 2 . b) ω1 = ω2 e v1 > v 2 .
a) 8,0. b) 2 23 . c) 9,2.
c) ω1 > ω2 e v1 = v 2 . d) ω1 > ω2 e v 1 > v 2 . d) 92,0. e) 12,0.
e) ω1 < ω2 e v 1 < v 2 .
08. (Mackenzie – SP) Um disco inicia um movimento uniformemente
02. (Ulbra – RS) O eixo de um motor realiza 3 000 giros em 2 minutos. acelerado a partir do repouso e, depois de 10 revoluções, a sua
Podemos afirmar que a freqüência de rotação do eixo , em hertz, é: velocidade angular é de 20 rad/s. Podemos concluir que a aceleração
a) 25. b) 30. c) 40. angular da roda em rad/s2 é aproximadamente igual a:
d) 50. e) 60. a) 3,5. b) 3,2. c) 3,0.
d) 3,8. e) n.d.a.

03. (AFA) Observe os pontos A e B 09. (Vunesp – SP) Um farol marítimo projeta um facho de luz
marcados nas pás de um ventilador contínuo, enquanto gira em torno do seu eixo à razão de 10 rpm. Um
que gira com freqüência constante, navio, com o costado perpendicular ao facho, está parado a 6,0 km do
conforme a figura ao lado. farol. Com que velocidade um raio luminoso varre o costado do
É INCORRETO afirmar que em A: navio?(Adote π = 3,14)
a) a velocidade escalar é maior que em
B. 10. (UFRS) Determine a velocidade de um projétil disparado contra um
b) a velocidade angular é a mesma é a mesma que em B. alvo rotativo disposto a 15 m de distância, sabendo-se que o alvo
c) o período é o mesmo que em B. executa 300 revoluções por minuto e o arco medido entre o ponto
d) a aceleração é menor que em B. visado no momento do disparo e o ponto de impacto do projétil no alvo
e) a freqüência é a mesma que em B. é de 18o.

04. (UEL – PR) Um móvel M parte de um ponto P percorrendo, no 11. (UFPR –PR) Um ventilador gira à razão de 900 rpm. Ao ser
sentido horário, uma trajetória circular de raio r igual a 2,0 metros, desligado, seu movimento passa a ser uniformemente retardado até
como representa a figura abaixo. A velocidade escalar do móvel é parar, após 75 voltas. O tempo transcorrido desde o momento em que
constante e igual a 3,0 π m/s. é desligado até a sua parada completa vale:
a) 1,0 s. b) 10 s. c) 100 s.
d) 1 000 s. e) 0,1 s.

12. (Universidade de Medicina de Santos – SP) No instante em que


o relógio bate 12 horas, os três ponteiros estão sobrepostos. Calcular
quanto tempo após esse instante pela primeira vez um dos ponteiros
forma ângulos iguais com os outros dois.
a) Qual é o intervalo de tempo, em segundos, gasto pelo móvel M para a) 59,18 s. b) 60,59 s. c) 61,89 s.
percorrer o trecho P e Q? d) 58,08 s. e) Nenhuma das respostas anteriores.
b) Qual é o valor da velocidade angular do móvel M, em radianos por
segundos? 13. (CESCEA) A velocidade angular de uma roda diminui
uniformemente de 40 rad/s a 20 rad/s em 5 s. Pode-se dizer que a
05. (FEI – SP) Um móvel em trajetória circular, de raio r = 5 m, parte aceleração angular neste intervalo de tempo é:
do repouso com aceleração angular constante de 10 rad/s2. Quantas a) nula. b) – 0,25 rad/s2. c) – 4,0 rad/s2.
voltas ele percorre nos dez primeiros segundos? d) 14 rad/s .
2 e) uniformemente variada.
250
a) 500. b) . c) 100 π . 14. (Faculdade de Engenharia de Lorena – PR) A velocidade
π
500 angular de um motor que gira a 900 rpm decresce uniformemente até
d) . e) 500 π . 300 rpm, efetuando 50 revoluções. Qual o módulo da aceleração
π
angular do motor?
06. (PUC – MG) As ambulâncias usam, em geral, um dispositivo de a) 2π rad/s2. b) 4π rad/s2. c) 2 rad/s2.
sinalização luminoso que consiste em uma lanterna que gira, com d) 3 rad/s2. e) n.d.a.
velocidade constante, em torno de um eixo. Um desses objetos possui
diâmetro de 16 cm e gira com velocidade de 0,40 m/s. O intervalo de
tempo necessário para que uma pessoa, distante alguns metros do

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
15. (UCPR) Dois móveis 20. (Faculdade de Agronomia Luiz Meneghel) O gráfico abaixo
A e B partem de um mostra a variação da velocidade angular de um móvel em função do
mesmo ponto x com tempo. O deslocamento angular do móvel, no intervalo de 0 s a 20 s, é
velocidades 20 m/s e de:
50 m/s, respectivamente.
O móvel A percorre uma
semi-circunferência, enquanto o móvel B percorre trajetória reta.
Sabendo-se que a distância OX é de 1 000 m, para que os dois
móveis cheguem juntos ao ponto y, o intervalo de tempo entre suas
partidas deverá ser de: (Use: π = 3,14 )
a) 95 s; b) 117 s; c) 135 s;
d) 157 s; e) 274 s.

16. (ITA – SP) Acima de um disco horizontal de centro O que gira em a) 400 rad. b) 625 rad. c) 1 000 rad.
torno de seu eixo, no vácuo, dando 50,0 voltas por minuto, estão d) 800 rad. e) 600 rad.
suspensas duas pequenas esferas M e N. A primeira está 2,00 m
acima do disco e a segunda 4,50 m acima do disco, ambas numa 21. (UF – UBERABA / MG) Uma fita cassete em funcionamento,
mesma vertical. Elas são abandonadas simultaneamente e, ao chocar- apresenta num dado instante, uma das polias, com diâmetro de
se com o disco, deixam sobre ele pequenas marcas M` e N` tais que o 2,0 cm, girando com freqüência de 0,5 Hz. Sabendo-se que a outra

ângulo M' O N' é igual a 95,5º Podemos concluir que a aceleração da polia, naquele mesmo instante, está com 5,0 cm de diâmetro, qual a
gravidade local vale: sua freqüência em Hz?
a) 10,1 m/s2. b) 49,3 m/s2. c) 9,86 m/s2.
d) 11,1 m/s2. e) 3,14 m/s2. 22. (Faap) A equação horária sob a forma angular do movimento
circular de uma partícula é ϕ = t 2 + 6 , com o ângulo ϕ em radianos
17. Num certo instante, um ponto material parte de A com MCU de e o tempo em segundos. Sabendo-se que a intensidade da aceleração
período igual a 30 segundos, em sentido anti-horário. Um segundo total da partícula é 10 m/s2, no instante t = 1 s, determinar o raio da
depois, parte de B outro ponto material com MCU de período igual a trajetória circular.
120 segundos, em sentido horário. Determine quanto tempo depois da
partida de A os pontos se encontrarão pela primeira vez. 23. (Fuvest – SP) Uma cinta funciona solidária com dois cilindros de
raios r1 = 10 cm e r2 = 50 cm. Supondo que o cilindro maior tenha uma
18. (UNIRIO – RJ) Na figura, um sistema mecânico é formado por uma freqüência de rotação f2 = 60 rpm, calcule:
roda R, uma haste H e um êmbolo E, que desliza entre as guias G1 e
G2. As extremidades da haste H são articuladas em P e P´, o que
permite que o movimento circular da roda R produza um movimento
de vai-e-vem de P´, entre os pontos A e B, marcados no eixo x.

a) A freqüência de rotação f1 do cilindro menor.


b) A velocidade linear da cinta.

24. (FCC – SP) Dois discos giram, sem deslizamento entre si, como
mostra a figura abaixo. A velocidade escalar do ponto X é 2,0 cm/s.
Considerando-se que a roda R descreve 240 rotações por minuto, o Qual a velocidade escalar do ponto Y, em cm/s?
menor intervalo de tempo necessário para que o ponto P´ se desloque
de A até B é:
1
a) 2 s. b) 1 s. c) s.
4
1 1
d) s. e) s.
8 16

1
19. (Unicamp – SP) Um toca-discos está tocando em 33 rpm um 25. (U. E. Ponta Grossa – PR) Um móvel, saindo do ponto A no
3
instante t = π s em movimento uniforme, deve percorrer a trajetória
concerto de rock gravado numa única faixa de um LP. A largura da
indicada na figura, até chegar ao ponto B. Sendo a velocidade
faixa ocupa toda a face útil do LP, tendo raio interno igual a 7,0 cm e
tangencial do móvel de 2 m/s, ele deverá chegar ao ponto B no
raio externo igual a 15,0 cm. A faixa é tocada em 24 minutos.
instante:
a) Qual é a distância média entre dois sulcos consecutivos do disco?
b) Qual é a velocidade tangencial de um ponto do disco que está
embaixo da agulha no final da execução da faixa?

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
a) a velocidade angular dos carrinhos A e B;
b) seus períodos;
c) suas velocidades lineares; sendo 20 cm e 40 cm os raios das pistas.

30. (Faculdade de Engenharia de Mauá) A roda da frente de um


triciclo tem raio R1 = 0,20 m e as duas rodas traseiras têm raios
R2 = 0,40 m cada. O triciclo está se movimentando num plano
horizontal sem derrapar, em movimento uniformemente acelerado,
a) 4,5 π s . b) 3,5 π s . c) 6,0 π s . com aceleração a = 2,5 m/s2. No instante da observação, sua
velocidade é v = 18 km/h. Determine a velocidade e a aceleração
d) 7,0 π s . e) n.d.a. angulares de cada roda, em relação ao seu respectivo eixo.

26. (UFES) Um limpador de pára-brisa, quando acionado, passa 80 31. (UFPE/2004) O relógio da Estação
vezes por minuto na posição central A indicada na figura. O período Ferroviária Central do Brasil, no Rio de
desse movimento, em segundos, é: Janeiro, tem ponteiros de minutos e de
2 3 horas que medem, respectivamente,
a) . b) .
3 4 7,5 m e 5,0 m de comprimento. Qual a
4 3 razão VA /VB, entre as velocidades
c) . d) .
3 2 lineares dos pontos extremos dos
e) 2. ponteiros de minutos e de horas?

27. (Vunesp – SP) Um disco horizontal de raio R = 0,50 m , gira em


torno do seu eixo com velocidade angular ω = 2 π rad / s . Um projétil
é lançado de fora no mesmo plano do disco e rasante a ele, sem tocá-
lo, com velocidade Vo (figura), passando pelo ponto P. O projétil sai do
disco no ponto Q, no instante em que o ponto P está passando por aí
pela primeira vez. Qual é a velocidade Vo?
a) 10. b) 12. c) 18.
d) 24. e) 30.

32. (UFPE/2003 – Fís. 1) Um satélite artificial geoestacionário orbita


em torno da Terra, de modo que sua trajetória permanece no plano do
Equador terrestre, e sua posição aparente para um observador situado
na Terra não muda. Qual deve ser a velocidade linear orbital, em
unidades de 103 km/h, deste satélite cuja órbita circular tem raio de
42×
×103 km?

28. (UFRN) Duas partículas percorrem uma mesma trajetória em 33. (UFPE/2002) Qual a ordem de grandeza, em km/h, da velocidade
movimentos circulares uniformes, uma em sentido horário e a outra orbital da Terra em torno do Sol? A distância média da Terra ao Sol é
1 1,5×
×108 km.
em sentido anti-horário. A primeira efetua rpm e a segunda
3 a) 106. b) 105. c) 104.
1 d) 10 .
3 e) 10 .
2
rpm . Sabendo que partiram do mesmo ponto, em uma hora
4
encontrar-se-ão: 34. (UFPE/2002 – Fís. 1) Dois atletas percorrem uma pista circular,
a) 45 vezes. b) 35 vezes. c) 25 vezes. com períodos iguais a 1,0 min e 1,1 min. Supondo que eles
d) 15 vezes. e) 7 vezes. mantenham suas velocidades constantes, após quanto tempo, em
minutos, o atleta mais rápido terá dado uma volta a mais que o outro?
29. São feitas duas experiências com dois carrinhos A e B em pistas
concêntricas de um autorama, sendo o carrinho A mais rápido que o 35. (UFPE/2002 – Fís. 2) O ponteiro de segundos de um relógio
carrinho B. Na primeira experiência, partindo da situação defeituoso completa uma volta em 1,02 min. Após quantos minutos,
esquematizada e movendo-se no mesmo sentido, o carrinho A passa marcados em um relógio que trabalha corretamente, o relógio
novamente por B após 40 s. Na segunda experiência, partindo da defeituoso estará marcando um minuto a menos? Suponha que o
situação esquematizada e movendo-se em sentidos opostos, o período do relógio defeituoso é constante.
carrinho A cruza novamente com o B após 8 s. Determine:
36. (UFPE/2002 – Fís. 3) O eixo de um motor que gira a
3600 rotações por minuto é frenado, desacelerando uniformemente
a 20 π rad/s2, até parar completamente. Calcule quanto tempo foi
necessário, em s, para o motor parar completamente.

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
37. (UFPE/2001) A polia A' de raio r'A = 12 cm é concêntrica à polia A, distância percorrida, em metros, por esta bicicleta num intervalo de
de raio rA = 30 cm, e está rigidamente presa a ela. A polia A é 10 segundos?
acoplada a uma terceira polia B de raio rB = 20 cm pela correia C,
conforme indicado na figura. Qual deve ser o raio da polia B', 43. (UFPE/98 – Fís. 2) Um corpo descreve uma trajetória circular com
concêntrica a B e rigidamente presa a ela, de modo que A' e B' 1 m de raio e velocidade escalar igual a 12π
π m/s. Qual o número de
possam ser conectadas por uma outra correia C', sem que ocorra voltas realizadas pelo corpo a cada segundo?
deslizamento das correias?
44. (UFPE/97 – Fís. 3) A parte mais externa de um disco, com 0,25 m
de raio, gira com uma velocidade linear de 15 m/s. O disco começa
então desacelerar uniformemente até parar, em um tempo de 0,5 min.
Qual é o módulo da aceleração angular do disco em rad/s2?

45. (UFPE/96 – Fís. 1) Qual o período, em segundos, do movimento


a) 12 cm. b) 10 cm. c) 8,0 cm. de um disco que gira 20 rotações por minuto?
d) 6,0 cm. e) 4,0 cm.
46. (UFPE/95 – Fís. 2 e 3) A figura abaixo mostra um tipo de
38. (UFPE/2000 – Fís. 1) Uma arma dispara 30 balas/minuto. Estas brinquedo de um parque de diversões. As rodas menores giram com
balas atingem um disco girante sempre no mesmo ponto atravessando uma velocidade angular de π/5 rad/s, independentemente da roda
um orifício. Qual a velocidade angular do disco, em rotações por maior que gira a π/300 rad/s. Qual o número de voltas completas da
minuto? roda pequena que terá dado o ocupante da cadeira hachurada,
inicialmente no ponto mais baixo, quando o centro da roda pequena,
na qual ele se encontra, atinge o ponto mais alto da roda maior? (Esse
tipo de roda gigante permite trocar os ocupantes de uma roda menor,
enquanto os demais se divertem!)

39. (UFPE/2000 – Fís. 3) Dois carros, A e B, percorrem uma pista oval


de 10,0 km de perímetro, no mesmo sentido, com velocidades
constantes. No instante t = 0, eles cruzam o ponto de partida. O carro
A é mais rápido e após 40 min tem uma volta de vantagem em
relação a B. Se vB = 250 km/h, determine a diferença vA – vB em
km/h.

47. (UFPE/93 – Fís. 2) Uma nave espacial de formato cilíndrico,


inicialmente apenas em movimento retilíneo uniforme, é posta a girar
em torno de seu eixo de modo a proporcionar gravidade artificial aos
seus ocupantes. Se o raio da nave é igual a 5,0 m e sua aceleração
angular é de 0,05 rad/s2, em quanto tempo, em segundos, a nave
40. (UFPE/99 – Fís. 2) Um ciclista desce uma ladeira a partir do topo, atinge velocidade angular suficiente para simular uma gravidade de
descrevendo um movimento retilíneo. Os pneus da bicicleta rodam g
sem deslizar. Cada pneu tem raio igual a 0,5 m, e um deles tem um nos pontos de sua superfície lateral?
2
chiclete grudado. Se a ladeira tem comprimento igual a 157 metros,
quantas voltas em torno do eixo do pneu terá dado o chiclete no fim da
ladeira? 48. (UFPE/92 – Fís. 1) Dois corredores disputam uma prova em uma
pista circular. O corredor A usa a pista interna cujo raio é 20 m,
enquanto que o corredor B usa a pista externa, cujo raio é 22 m. Se os
dois corredores dão o mesmo número de voltas por minuto, quanto,
em porcentagem, a velocidade tangencial do corredor B é maior do
que a do corredor A?

49. (UFPE/92 – Fís. 2) Um carro de Fórmula 1 dá uma volta completa


num percurso de 2π π km em 100 segundos. Se cada pneu desse
carro tem 25 cm de raio, determine o número médio de voltas que
41. (UFPE/98) O ponteiro dos segundos de um relógio tem 1 cm de cada roda do automóvel dá, por segundo, neste percurso.
comprimento. Qual a velocidade média da ponta deste ponteiro?
a) 2π m/s. c) 3π cm/s. e) 2π cm/min. 50. (UFPE/91 – Fís. 1) A partir de um mesmo ponto, dois garotos
π saem correndo em sentidos opostos ao longo de uma pista circular e
b) π cm/s. d) cm/min.
2 3π
raio R = 50 m, com velocidades V1 = π m/s e V2 = m/s,
2
42. (UFPE/98 – Fís. 1) As rodas de uma bicicleta possuem raio igual a respectivamente. Determine o tempo, em segundos, que levarão para
0,5 m e giram com velocidade angular igual a 5,0 rad/s. Qual a se encontrar pela primeira vez, após a partida.

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)

51. (UFPE/91 – Fís. 2) A figura abaixo descreve a Terra em seu


movimento de rotação. Um ponto E do Equador tem aceleração
centrípeta aE. Outro ponto, S, localizado 60º ao Sul do Equador,
conforme representado na figura, tem aceleração centrípeta aS. Qual a
razão aE /aS?

Assinale a alternativa correta.


a) O disco de maior velocidade tangencial na primeira
faixa é o LP.
52. (UFPE) A velocidade de um automóvel pode ser medida facilmente b) O disco de menor velocidade tangencial na última faixa
através de um dispositivo que registra o número de rotações efetuadas é o ANTIGO.
por uma de suas rodas, desde que se conheça o seu diâmetro. c) O disco de maior velocidade tangencial na primeira faixa
Considere, por exemplo, um pneu cujo diâmetro é de 0,50 m. Se o é o ANTIGO.
pneu executa 480 rotações em cada minuto, pode-se afirmar que a
d) O disco de maior velocidade tangencial na última faixa é
velocidade do automóvel, em m/s, é:
a) 4 π; b) 8 π; c) 12 π; o LP.
d) 16 π; e) 20 π. e) O disco de maior velocidade tangencial na primeira
faixa é o COMPACTO.
53. (UPE/2006 – Fís. 1) A Terra gira uniformemente em torno de seu
eixo com velocidade angular ω . Qual a aceleração de um ponto na 55. (UPE/2002 – modificada) As fotos ao lado mostram um portão
superfície da Terra, em função da latitude θ e do raio da Terra R? corrediço e o detalhe do seu tracionamento. A engrenagem de 10 cm
de raio está fixada ao eixo do motor (30 rpm) e arrasta a cremalheira
que está presa ao portão. Se a passagem tem 6 m, qual o tempo (em
segundos) para a abertura completa do portão? Use π ≅ 3 .

a) a = ω R senθ . b) a = ω R cos θ .
2
c) a = ω R sen θ . d) a = ω 2 R cos θ . a) 10. b) 20. c) 30.
2 d) 40. e) 50.
e) a = ω R senθ .

54. (UPE/2005 – Fís. 2) Nos antigos “passa-discos”, a gravação dos 56. (Mackenzie-SP) Ao observarmos um relógio convencional, vemos
sons era feita por irregularidades impressas em relevo, nas pistas que pouco tempo depois das 6,50 h o ponteiro dos minutos esta
espirais que começavam na parte mais externa. Ao pousar no disco, a exatamente sobre os das horas. O intervalo de tempo mínimo,
agulha era guiada por uma espiral externa lisa (sem irregularidades), necessário pra que ocorra um novo encontro, é:
para entrar na área gravada, no ponto de início da primeira faixa. Nos a) 1,00 h
intervalos entre as faixas, o mesmo artifício era usado. A agulha b) 1,05 h
vibrava em contato com as irregularidades e transmitia tais vibrações c) 1,055 h
ao “cabeçote” que as convertia em impulsos elétricos. Ao longo da d) 12 h
história de utilização dos discos de vinil, três velocidades foram 11
utilizadas. Seus valores e os diâmetros correspondentes estão na e)
24
h
tabela abaixo. 21

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
57. (UPE/2001) Consideremos o movimento normal da roda gigante. fechada, de raio 40 m, com velocidade de 36 km/h, a diferença das
Imagine que, no ponto (I), t = 0; que de I até II, o tempo do movimento velocidades dos passageiros é, aproximadamente, em metros por
é 10 segundos e que o sentido anti-horário é positivo. segundo,

a) 0,1. b) 0,2. c) 0,5.


d) 1,0. e) 1,5.

61. (Unimep – SP) Uma partícula percorre uma trajetória circular de


raio 10 m com velocidade constante em módulo, gastando 4,0 s num
percurso de 80 m. Assim sendo, o período e a aceleração desse
movimento serão, respectivamente, iguais a:
π π
O que podemos concluir? a) s e zero. b) s e 40 m/s2.
I II 2 3
0 0 A roda gigante dá 3 voltas por minuto. π
c) π s e 20 m/s2. d) s e zero.
1 1 O gráfico (B) está correto para a relação entre o ângulo e o 3
tempo. e) π s e 40 m/s2.
2 2 O gráfico (A) está correto para a relação entre o ângulo e o
tempo. Utilize os dados a seguir para resolver as questões de números
3 3 O gráfico (C) está correto para a relação entre a velocidade 62 e 63.
angular e o tempo.
4 4 O gráfico (D) está correto para a relação entre a velocidade Uma das atrações típicas do circo é o equilibrista sobre monociclo. O
angular e o tempo. raio da roda do monociclo utilizado é igual a 20 cm, e o movimento do
equilibrista é retilíneo. O equilibrista percorre, no início de sua
58. (UPE/2000) As fotografias, a seguir, são de uma roda gigante apresentação, uma distância de 24⋅π metros.
armada no parque de diversão no Sítio da Trindade e seu movimento
é circular e uniforme.

Detalhamos, a seguir, o processo usado para transmitir o movimento à 62. (UERJ) Determine o número de pedaladas, por segundo,
roda gigante: Um motor elétrico faz girar as rodinhas e estas necessárias para que ele percorra essa distância em 30 s,
transmitem ao aro uma velocidade tangencial. Sabemos que o raio do considerando o movimento uniforme.
aro é de 8 m e que dá uma volta a cada 5 segundos e que o raio
externo da roda é igual a 10 m no ponto em que são fixadas as 63. (UERJ) Em outro momento, o monociclo começa a se mover a
cadeiras. A velocidade angular, em rotações por minuto (rpm) no raio partir do repouso com aceleração constante de 0,50 m/s2. Calcule a
externo, tem valor igual a: velocidade média do equilibrista no trajeto percorrido nos primeiros 6,0
a) 5; b) 10; c) 8; s.
d) 3; e) 12.
64. (Fuvest – SP) Uma criança montada em um velocípede se
59. (UPE/99) Uma bicicleta, cujo raio da roda é 0,50 m, desloca-se desloca em trajetória retilínea, com velocidade constante em relação
com a velocidade de 4,0 m/s. ao chão. A roda dianteira descreve uma volta completa em um
I II segundo. O raio da roda dianteira vale 24 cm e o das traseiras 16 cm.
0 0 O valor da aceleração centrípeta em um ponto da periferia é Podemos afirmar que as rodas traseiras do velocípede completam
constante e vale 32 m/s2. uma volta em, aproximadamente:
1 1 A velocidade angular de um ponto da periferia vale 8,0 rad/s. 1 2
a) s. b) s. c) 1 s.
2 2 A roda faz duas voltas por 2 3
segundo. 3
d) s . e) 2 s.
3 3 A velocidade angular de 2
um ponto à meia
distância, entre o eixo e o 65. (Fuvest – SP) Um disco de raio r gira com velocidade angular
aro da roda, 4,0 rad/s. constante. Na borda do disco, está presa uma placa fina de material
4 4 A velocidade linear de um facilmente perfurável. Um projétil é disparado com velocidade v em
ponto à meia distância, direção ao eixo do disco, conforme mostra a figura, e fura a placa no
entre o eixo e o aro da roda, é 2,0 m/s. ponto A. Enquanto o projétil prossegue sua trajetória sobre o disco, a
placa gira meia circunferência, de forma que o projétil atravessa mais
60. (Puccamp – SP) Na última fila de poltronas de um ônibus, dois uma vez o mesmo orifício que havia perfurado. Considere a
passageiros estão distando 2 m entre si. Se o ônibus faz uma curva

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
velocidade do projétil constante e sua trajetória retilínea. O módulo da 69. (Unesp – SP) Uma técnica secular utilizada para aproveitamento
velocidade v do projétil é: da água como fonte de energia consiste em fazer uma roda,
ωr 2ω r ωr conhecida como roda d’água, girar sob ação da água em uma cascata
a) . b) . c) .
π π 2π ou em correntezas de pequenos riachos. O trabalho realizado para
πω girar a roda é aproveitado em outras formas de energia. A figura
d) ω r . e) . mostra um projeto com o qual uma pessoa poderia, nos dias atuais,
r
aproveitar-se do recurso hídrico de um riacho, utilizando um pequeno
66. (Unicamp – SP) Em 1885, Michaux lançou o biciclo com uma roda gerador e uma roda d’água, para obter energia elétrica destinada à
dianteira diretamente acionada por pedais (Fig. A). Através do realização de pequenas tarefas em seu sítio.
emprego da roda dentada, que já tinha sido concebida por Leonardo
da Vinci, obteve-se melhor aproveitamento da força nos pedais (Fig.
B). Considere que um ciclista consiga pedalar 40 voltas por minuto em
ambas as bicicletas.Use π ≅ 3,0 .

Duas roldanas, uma fixada ao eixo da roda e a outra ao eixo do


gerador, são ligadas por uma correia. O raio da roldana do gerador é
2,5 cm e o da roldana da roda d’água é R. Para que o gerador trabalhe
com eficiência aceitável, a velocidade angular de sua roldana deve ser
5 rotações por segundo, conforme instruções no manual do usuário.
Considerando que a velocidade angular da roda é 1 rotação por
a) Qual a velocidade de translação do biciclo de Michaux para um segundo, e que não varia ao acionar o gerador, o valor do raio R da
diâmetro da roda de 1,20 m? roldana da roda d’água deve ser
b) Qual a velocidade de translação para a bicicleta padrão aro 60 (Fig. a) 0,5 cm. d) 5,0 cm.
B)? b) 2,0 cm. e) 12,5 cm.
c) 2,5 cm.
67. (Unicamp – SP) O quadro (a), abaixo, refere-se à imagem de
televisão de um carro parado, em que podemos distinguir claramente 70. (Unesp – SP) Satélites de órbita polar giram numa órbita que
a marca do pneu (“PNU”). Quando o carro está em movimento, a passa sobre os pólos terrestres e que permanece sempre em um
imagem da marca aparece como um borrão em volta de toda a roda, plano fixo em relação às estrelas. Pesquisadores de estações
como ilustrado em (b). A marca do pneu volta a ser nítida, mesmo com oceanográficas, preocupados com os efeitos do aquecimento global,
o carro em movimento, quando este atinge uma determinada utilizam satélites desse tipo para detectar regularmente pequenas
velocidade. Essa ilusão de movimento na imagem gravada é devido à variações de temperatura e medir o espectro da radiação térmica de
freqüência de gravação de 30 quadros por segundo (30 Hz). diferentes regiões do planeta. Considere o satélite a 5 298 km acima
Considerando que o diâmetro do pneu é igual a 0,6 m e π = 3,0, da superfície da Terra, deslocando-se com velocidade de 5 849 m/s
responda: em uma órbita circular. Estime quantas passagens o satélite fará pela
linha do equador em cada período de 24 horas. Utilize a aproximação
π = 3,0 e suponha a Terra esférica, com raio de 6 400 km.

1
71. (UFRJ) O olho humano retém durante de segundo as
24
a) Quantas voltas o pneu completa em um segundo, quando a marca imagens que se formam na retina. Essa memória visual permitiu a
filmada pela câmara aparece parada na imagem, mesmo estando o invenção do cinema. A filmadora bate 24 fotografias (fotogramas) por
carro em movimento? segundo. Uma vez revelado, o filme é projetado à razão de 24
b) Qual a menor freqüência angular ω do pneu em movimento, fotogramas por segundo. Assim, o fotograma seguinte é projetado no
quando a marca aparece parada? exato instante em que o fotograma anterior está desaparecendo de
c) Qual a menor velocidade linear (em m/s) que o carro pode ter na nossa memória visual, o que nos dá a sensação de continuidade.
figura (c)? Filma-se um ventilador cujas pás estão girando no sentido horário. O
ventilador possui quatro pás simetricamente dispostas, uma das quais
68. (Unicamp – SP) A velocidade linear de leitura de um CD é pintadas de cor diferente, como ilustra a figura.
1,2 m/s.
a) Um CD de música toca durante 70 minutos, qual é o comprimento
da trilha gravada?
b) Um CD também pode ser usado para gravar dados. Nesse caso, as
marcações que representam um caracter (letra, número ou espaço em
branco) têm 8 µ m de comprimento. Se essa prova de Física fosse
gravada em um CD, quanto tempo seria necessário para ler o item a) Ao projetarmos o filme, os fotogramas aparecem na tela na seguinte
seqüência, o que nos dá a sensação de que as pás estão girando no
desta questão? 1µ m = 10 −6 m . sentido anti-horário.

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
a) Qual a velocidade angular ω do ponteiro do velocímetro durante a
aceleração do carro?
b) Qual o valor do módulo da aceleração do carro nesses 15
segundos?
c) Qual a componente horizontal da força que a pista aplica ao carro
Calcule quantas rotações por segundo, no mínimo, as pás devem
durante a sua aceleração?
efetuar para que isso ocorra.
75. (Mackenzie – SP) Quatro polias, solidárias duas a duas, podem
72. (Unicamp – SP) O gráfico abaixo representa, em função do
ser acopladas por meio de uma única correia, conforme as
tempo, a altura em relação ao chão de um ponto localizado na borda
possibilidades abaixo ilustradas.
de uma das rodas de um automóvel em movimento. Aproxime
π ≅ 3,1 . Considere uma volta completa da roda e determine:

a) a velocidade angular da roda; Os raios das polias A, B, C e D são, respectivamente, 4,0 cm, 6,0 cm,
b) a componente vertical da velocidade média do ponto em relação ao 8,0 cm e 10 cm. Sabendo que a freqüência do eixo do conjunto CD é
chão; 4 800 rpm, a maior freqüência obtida para o eixo do conjunto AB,
c) a componente horizontal da velocidade média do ponto em relação dentre as combinações citadas, é:
ao chão. a) 400 Hz. b) 200 Hz.
c) 160 Hz. d) 133 Hz.
73. (Fuvest – SP) É conhecido o processo utilizado por povos e) 107 Hz.
primitivos para fazer fogo. Um jovem, tentando imitar parcialmente tal
processo, mantém entre suas mãos um lápis de forma cilíndrica e com 76. (Mackenzie – SP) Um automóvel, cujos pneus têm diâmetro
raio igual a 0,40 cm de tal forma que, quando movimenta a mão externo de 52 cm, percorre, com velocidade constante, 483,6 m em
esquerda para a frente e a direita para trás, em direção horizontal, 1 minuto. Desprezando sua deformação, o período do movimento de
imprime ao lápis um rápido movimento de rotação. O lápis gira, rotação desses pneus é: (adote: π = 3,1)
mantendo seu eixo fixo na direção vertical, como mostra a figura ao a) 0,1 s. b) 0,2 s. c) 0,3 s.
lado. Realizando diversos deslocamentos sucessivos e medindo o d) 0,4 s. e) 0,5 s.
tempo necessário para executá-los, o jovem conclui que pode deslocar
a ponta dos dedos de sua mão direita de uma distância L = 15 cm, 77. (Mackenzie – SP) Num relógio convencional, às 3 h pontualmente,
com velocidade constante, em aproximadamente 0,30 s. Podemos vemos que o ângulo formado entre o ponteiro dos minutos e o das
afirmar que, enquanto gira num sentido, o número de rotações por horas mede 90°. A partir desse instante, o menor intervalo de tempo,
segundo executadas pelo lápis é aproximadamente igual a: necessário para que esses ponteiros fiquem exatamente um sobre o
a) 5. b) 8. c) 10. outro, é:
d) 12. e) 20. a) 15 minutos. b) 16 minutos.
180 360
c) minutos. d) minutos.
11 21
e) 17,5 minutos.

78. (Mackenzie – SP) O período do movimento do ponteiro das horas


de um certo relógio é 732 minutos. Se esse relógio for acertado
pontualmente ao meio-dia, segundo o horário oficial local, quando
forem oficialmente 18 h desse mesmo dia, ele assinalará:
a) 17 h 48 min. b) 17 h 54 min.
c) 18 h. d) 18 h 06 min.
e) 18 h 12 min.

79. (Mackenzie – SP) Ao observarmos um relógio convencional,


vemos que pouco tempo depois das 6,50 h o ponteiro dos minutos se
74. (Fuvest – SP) Um carro de corrida, com massa total m = 800 kg, encontra exatamente sobre o das horas. O
parte do repouso e, com aceleração constante, atinge, após 15 intervalo de tempo mínimo, necessário para
segundos, a velocidade de 270 km/h (ou seja, 75 m/s). A figura que ocorra um novo encontro, é:
representa o velocímetro, que indica a velocidade instantânea do a) 1,00 h. b) 1,05 h. c) 1,055 h.
carro. Despreze as perdas por atrito e as energias cinéticas de rotação 12 24
(como as das rodas do carro). Suponha que o movimento ocorre numa d) h . e) h.
11 21
trajetória retilínea e horizontal.

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
80. (Unicamp – SP) Um vagão de trem parte do repouso, com b) Quanto vale a velocidade tangencial da engrenagem A, em
aceleração escalar de 2,0 m/s2, sobre trilhos horizontais de modo que dentes/min?
as rodas rolam sem escorregar. Sabendo que as rodas do vagão têm c) Qual é a freqüência (em rpm) da engrenagem B?
raio igual a 0,40 cm, calcule a velocidade angular das rodas no
instante t = 10 s. 84. A figura abaixo representa três engrenagens: A (16 dentes), B (12
dentes) e C (8 dentes). Elas giram vinculadas, conforme indicado,
81. (F.M. Pouso Alegre – MG) A figura mostra um sistema de sendo que B gira no sentido horário.
engrenagens com três discos acoplados, cada um girando em torno de
um eixo fixo. Os dentes dos discos são de mesmo tamanho e o
número deles ao longo de sua circunferência é o seguinte:
X = 30 dentes, Y = 10 dentes, Z = 40 dentes. Se o disco X dá 12
voltas, o disco Z dará:

a) Em que sentido giram as engrenagens A e C?


b) Qual das engrenagens terá maior velocidade angular?
c) Quantas voltas a engrenagem C efetua para cada volta que A
completa?

85. (OBF/2001) Uma haste fina e retilínea tem uma de suas


extremidades pivotada em um suporte montado sobre uma superfície
horizontal, como ilustrado na figura a seguir. A haste encontra-se
a) 1. b) 4. c) 9. inicialmente em repouso, com o seu comprimento ao longo da direção
d) 16. e) 144. vertical. No instante t = 0, a haste tomba em direção à superfície,
atingindo-a após t = 1,5 s.
82. (OBF/2000) Uma esteira, movimenta-se entre dois cilindros
idênticos de raio 5 cm, numa freqüência de 10 Hz. Calcule:

a) Calcule o valor da velocidade angular média da haste durante sua


queda até a superfície.
b) Estime o comprimento da haste, sabendo que a sua extremidade
a) A velocidade que uma pessoa π
livre cai com velocidade escalar média de m/s .
deve ter, sobre a esteira, para “não 12
sair” do local onde se encontra. (vide
figura) 86. (Fuvest – SP) Um sistema binário isolado é formado por duas
b) Colocando um pacote de 20 kg estrelas A e B que giram ao redor de um centro em comum C, em
sobre esta esteira e supondo o órbitas circulares de raios rA e rB, respectivamente, animadas de
coeficiente de atrito estático entre velocidade de translação vA e vB, conforme mostra a figura. A relação
ambos de 0,6, qual pode ser a vA
vale:
aceleração angular máxima da esteira imprimida para o pacote não vB
derrapar.
2
83. (Unicamp – SP) Considere as três engrenagens acopladas rB rA  rB 
a) . b) . c)   .

simbolizadas na figura abaixo. A engrenagem A tem 50 dentes e gira rA rB  rA 
no sentido horário, indicado na figura, com velocidade angular de 100 3 2
 rA   rA 
rpm (rotações por minuto). A engrenagem B tem 100 dentes e a C, 20 d)   .
 e)   .

dentes.  rB   rB 

a) Qual é o sentido da rotação da engrenagem C?

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
87. (PUC – SP) Numa polia igual a 10,0 cm, gire com uma freqüência fA igual a 2,0 Hz e transmita
diferencial, ligados por cordas esse movimento à engrenagem menor por meio de uma corrente. A
inextensíveis que distam engrenagem menor, por sua vez, tem raio RB de 4,0 cm e é solidária e
respectivamente 10 cm e 6 cm do concêntrica ao eixo da roda traseira, que tem raio R de 30,0 cm.
eixo da polia, estão suspensos Dadas essas condições, determine: (adote: π = 3,0)
dois corpos A e B. Num certo a) a freqüência de rotação fB da engrenagem menor;
instante, o corpo A tem b) a velocidade de translação v da bicicleta.
aceleração constante de 10 cm/s2
e velocidade 15 cm/s, subindo em 93. (OBF/2003) O carrossel de um parque de diversões realiza uma
movimento acelerado. Nesse volta completa a cada 20 s. Determine:
instante, a velocidade e a a) a velocidade angular do carrossel;
aceleração de B têm valores b) as velocidades linear e angular de uma pessoa que está a 3,0 m do
respectivamente iguais a: eixo de rotação do carrossel;
a) 25 cm/s e 6 cm/s2. b) 25 cm/s e 10 cm/s2. c) o tempo gasto por uma pessoa que está a 6,0 m do eixo para
c) 9 cm/s e 6 cm/s2. d) 9 cm/s e 10 cm/s2. completar uma rotação.
e) 15 cm/s e 5 cm/s2.
94. Na figura, temos duas polias coaxiais A e B de raios RA = 20 cm e
88. Às 12 horas, o ponteiro das horas e o ponteiro dos minutos de um RB = 10 cm e uma outra polia C de raio RC = 50 cm.
relógio se sobrepõem. Depois de quanto tempo ocorre a próxima
sobreposição?

89. Duas partículas numa mesma trajetória circular, com movimentos


uniformes de mesmo sentido. Sendo as freqüências dos movimentos
dessas partículas iguais a 4 rpm e 6 rpm e sabendo-se que em t = 0
elas estão na mesma posição, determinar quantas vezes elas se
encontram no intervalo de t = 0 a t = 1,0 h.
O bloco X, que parte do repouso em t = 0, desce com aceleração
escalar constante e igual a 4 m/s2. Não há deslizamento entre as
90. Num certo instante, um ponto polias. Calcular a velocidade angular da polia C num instante genérico
material parte de A com MCU de t.
período igual a 30 s, em sentido
anti-horário. Um segundo depois, 95. (OBF/2001) A equação horária para a posição angular ϕ (em
parte de B outro ponto material radianos) em função do tempo t (em segundos) de uma partícula que
com MCU de período igual a executa um movimento circular, de raio igual a 1 m, é dada por:
120 s, em sentido horário. ϕ (t ) = 1 − 2t + t 2
No instante t = 1 s calcule:
Determinar quanto tempo depois da partida de A os pontos se
a) o módulo da aceleração centrípeta da partícula;
encontrarão pela primeira vez.
b) o módulo da aceleração tangencial da partícula.
91. (Fuvest – SP) Um disco tem seu centro fixo no ponto O do eixo X
96. (OBF/2001) Uma partícula inicialmente em repouso executa um
da figura, e possui uma marca no ponto A de sua periferia. O disco
movimento circular uniformemente variado ao longo de uma
gira com velocidade angular constante ω em relação ao eixo. Uma
circunferência de raio R. Após uma volta completa, o módulo de sua
pequena esfera é lançada do ponto B do eixo em direção ao centro do
velocidade é igual a v. Nesse instante, o módulo de sua aceleração
disco, no momento em que o ponto A passa por B. A esfera desloca-
total vale:
se sem atrito, passa pelo centro do disco e após 6 s atinge sua
periferia exatamente na marca A, no instante em que essa passa pelo v2 v2
a) . b) 2.
ponto C do eixo X. Se o tempo gasto pela esfera para percorrer o R R
segmento BC é superior ao necessário para que o disco dê uma volta, v2 1 v2
mas é inferior ao tempo necessário para que o disco dê duas voltas, o c) 4 ⋅ . d) 1 + ⋅ .
R 4π R
período de rotação do disco é de:
1 v2
e) 1 + 2

16π R

a) 2 s. b) 3 s. c) 4 s.
d) 5 s. e) 6 s.

92. (OBF/2006) Um ciclista pedala sua bicicleta fazendo com que a


engrenagem maior, concêntrica ao eixo do pedal e tendo um raio RA

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html
FÍSICA CINEMÁTICA VETORIAL, LANÇAMENTO OBLIQUO E HORIZONTAL, MOVIMENTO CIRCULAR
José Ranulfo (joranulfo@hotmail.com) e Marcelo Correia (marcelo_correia_fisica@yahoo.com.br)
43. 06 88. ≅1 h 5 min 27 s
44. 02 89. 120 vezes
45. 03 90. 14,2 s
01. Letra B 56. Letra D
46. 30 91. Letra C
02. Letra A 57. VFVVF
47. 20 92. a) 5,0 Hz
03. Letra D 58. Letra B
48. 10 b) 9 m/s
04. a) 1,0 s 59. VVFFV
π
3π 49. 40 93. a) rad / s
b) rad / s 60. Letra C 10
2
3π π
05. Letra B 61. Letra E 50. 40 b) v = m/s; ω = rad / s
06. Letra E 62. 2 pedaladas/s 10 10
07. Letra A 63. 1,5 m/s 51. 04 c) 20 s
08. Letra B 64. Letra B 52. Letra B 94. ω (t ) = 16 ⋅ t (rad / s)
09. 6 280 m/s 65. Letra B 53. Letra D 95. a) zero
10. 1500 m/s 66. a) 2,4 m/s 54. Letra C b) 2,0 m/s2
11. Letra B b) 3,0 m/s 55. Letra B 96. Letra E
12. Letra A 67. a) um múltiplo de 30⋅voltas.
13. Letra C b) 180 rad/s
14. Letra B c) 54 m/s
15. Letra B 68. a) 5040 m
16. Letra C b) 5,5×10–4 s
17. 24,2 s 69. Letra E
18. Letra D 70. 14 ou 15 vezes
19. a) 0,01 cm 71. 18
b) ≅ 24,4 cm/s 72. a) 62 rad/s
20. Letra E b) zero
21. 0,2 Hz c) 18,6 m/s
22. 5 m 73. Letra E
3
23. a) 300 rpm 74. a) π rad / s
4
b) π m/s b) 5,0 m/s2
24. 2,0 cm/s c) 4000 N
25. Letra A 75. Letra B
26. Letra D 76. Letra B
3 3
27. m/s 77. Letra C
2
28. Letra B 78. Letra B

29. a) ωA = rad / s ; 79. Letra D
20
π
ωB = rad / s 80. 5 000 rad/s
10
40
b) TA = s ; TB = 20 s . 81. Letra C
3
c) v A = 6π cm / s ; ωA = 2π cm / s .
30. Roda dianteira: ω = 2,5 rad / s ; γ = 12,5 rad / s 2 .
Rodas traseiras: ω = 12,5 rad / s ; γ = 6,25 rad / s 2 .
31. Letra C 82. a) 3,14 m/s
32. 11 b) 120 rad/s2
33. Letra B 83. a) horário
34. 11 b) 5000 dentes/min
35. 51 c) 50 rpm
36. 06 84. a) anti-horário
37. Letra C b) a engrenagem C
38. 30 c) 2 voltas
π
39. 15 85. a) rad / s
3
40. 50 b) 25 cm
41. Letra E 86. Letra B
42. 25 87. Letra C

http://geocities.yahoo.com.br/fisica_ranulfo/fisica_marcelo.html