P. 1
Manual Rele Siemens

Manual Rele Siemens

|Views: 2.830|Likes:
Publicado porDivanil Marins

More info:

Published by: Divanil Marins on Oct 11, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/27/2013

pdf

text

original

Prefácio Conteúdo

SIPROTEC Relé de Sobrecorrente Temporizada 7SJ80
V4.6

Introdução Funções Montagem e Comissionamento Dados Técnicos Apêndice Literatura

1 2 3 4 A

Manual

Glossário Índice

E50417-G1179-C343-A1

Nota Por razões de segurança, favor observar as instruções e advertências no prefácio.

Isenção de Responsabilidade Verificamos o conteúdo deste manual quanto ao hardware e software aqui descritos. Entretanto, desvios de descrição não podem ser totalmente eliminados, assim, não nos responsabilizamos por erros ou omissões contidos nas informações fornecidas. As informações fornecidas neste documento são regularmente revisadas e quaisquer correções necessárias serão incluidas nas edições subsequentes. Apreciamos sugestões para melhorias. Reservamo-nos ao direito de executar melhoramentos técnicos sem prévio aviso. Versão do documento V04.00.02 Data de publicação 05.2009

Copyright Copyright © Siemens AG 2009. Todos os direitos reservados. A disseminação ou reprodução deste documento ou avaliação e comunicação de de seu conteúdo, não está autorizada, exceto se expressamente permitido. Violações são passíveis de ressarcimento por danos. Todos os direitos reservados, particularmente para propósitos de aplicação de patentes ou marca registrada. Marcas Registradas SIPROTEC, SINAUT, SICAM e DIGSI são marcas registradas da Siemens AG. Outras designações neste manual podem ser marcas registradas cujo uso por terceiros para propósitos próprios pode infringir direitos do proprietário.

Siemens Aktiengesellschaft

Número de pedido: E50417-G1179-C343-A1

Prefácio
Propósito deste Manual Este manual descreve as funções, operação, instalação e comissionamento dos dispositivos 7SJ80. Particularmente você encontrará: • Informações com respeito à configuração do escopo do dispositivo e uma descrição das funções e ajustes do dispositivo → Capítulo 2; • Instruções para Instalação e Comissionamento → Capítulo 3; • Compilação de Dados Técnicos → Capítulo 4; • Bem como uma compilação dos dados mais significativos para usuários avançados → Apêndice A. Informações gerais com respeito ao projeto, configuração e operação dos dispositivos SIPROTEC 4 são fornecidas no SIPROTEC 4 System Description /1/(Descrição do Sistema SIPROTEC 4). Público Alvo Engenheiros de proteção, engenheiros de comissionamento, pessoal envolvido com verificação, ajustes e serviço em equipamento de proteção seletivo, instalações de controle e automação e pessoal de instalações elétricas e usinas de energia. Aplicabilidade deste Manual Este manual é válido para Dispositivos de Proteção Multifunção SIPROTEC 4 7SJ80 ; Versão de Firmware V4.6 Indicações de Conformidade Este produto atende às normas do Council of the European Communities quanto à legislação dos Estados Membros com relação à compatibilidade eletromagnética (EMC Council Directive 2004/108/EC) e relativos a equipamento elétrico para uso dentro dos limites de tensão especificados (Norma da Baixa Tensão 2006/95 EC)Low-voltage Directive 2006/95 EC). Essa conformidade foi estabelecida por meio de testes conduzidos pela Siemens AG de acordo com o Council Directive (Conselho Normativo), em concordância com os padrões genéricos EN 61000-6-2 e EN 61000-6-4 para norma EMC, e com o padrão EN 60255-27 para norma de baixa-tensão. O dispositivo foi projetado e produzido para uso industrial. Este produto atende aos padrões internacionais das séries IEC 60255 e padrões da Alemanha VDE 0435.

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

3

Prefácio

Padrões Adicionais

IEEE Std C37.90-* (veja Capítulo 4 (Dados Técnicos)

Aprovação UL conforme padrão UL 508 está pendente Suporte Adicional Se forem desejadas mais informações sobre o Sistema SIPROTEC 4 ou se problemas particulares surgirem que não tenham sido suficientemente cobertos para os propósitos do comprador, o assunto deverá ser encaminhado para seu representantre Siemens local. Nosso centro de atendimento ao consumidor (Customer Support Center) fornece um serviço de 24 horas. Fone: +49 (180) 524-7000 Fax: +49 (180) 524-2471 e-mail: support.energy@siemens.com Cursos de Treinamento Solicitações de cursos de treinamento individuais devem ser endereçadas ao nosso Centro de Treinamento: Siemens AG Siemens Power Academy TD Humboldt Strasse 59 90459 Nuremberg Telefone: +49 (911) 433-7005 Fax: +49 (911) 433-7929 Internet: www.ptd-training.de

4

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Prefácio

Informações de Segurança Este manual não constitui um índice completo de todas as medidas de segurança necessárias para operação do equipamento (módulo, dispositivo), uma vez que condições especiais de operação podem vir a necessitar de medidas adicionais. Entretanto, ele compreende informações importantes que deverão ser observadas para propósitos de segurança pessoal, bem como para evitar danos ao equipamento. Informações destacadas com um triângulo de advertência conforme o grau de periculosidade estão ilustradas a seguir.

PERIGO!
Perigo indica que morte, severos danos físicos ou substanciais danos materiais serão resultantes se não forem observadas as medidas de precauções.

ADVERTÊNCIA!
indica que morte, severos danos físicos ou substanciais danos materiais podem resultar se as medidas de precauções não forem observadas.

Cuidado!
Indica que riscos pessoais menores ou danos à propriedade podem ocorrer se as precauções adequadas não forem tomadas. Esta particularidade aplica-se a danos para ou no próprio dispositivo.

Nota indica informações do dispositivo, manuseio do dispositivo ou parte respectiva do manual de instruções, importantes de serem observadas.

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

5

Prefácio

ADVERTÊNCIA

Pessoal Qualificado O comissionamento e operação do equipamento (módulo, dispositivo) como descrito neste manual só pode ser executado por pessoal qualificado. Pessoal qualificado em termos de informações de segurança aqui descritas, são pessoas que estão autorizadas a comissionar, ativar, aterrar e designar dispositivos, sistemas e circuitos elétricos de acordo com os padrões de segurança. Use como prescrito O equipamento operacional (dispositivo, módulo) só pode ser usado para as aplicações expostas no catálogo e na descrição técnica e somente em combinação com equipamentos de terceiros recomendados ou aprovados pela Siemens. A operação segura e bem sucedida do dispositivo depende do manuseio adequado, armazenamento, instalação, operação e manutenção. Ao operar um equipamento elétrico, certas partes do dispositivo estão inevitavelmente sujeitas a tensões perigosas. Severos riscos pessoais ou danos à propriedade podem resultar se o dispositivo não for adequadamente manuseado. Antes de efetuar qualquer conexão, o dispositivo deve ser aterrado ao terminal à terra. Todos componentes de circuito conectados à fonte de alimentação podem estar sujeitos a tensões perigosas. Perigosas tensões podem estar presentes no dispositivo mesmo após ter sido removida a tensão da fonte de alimentação (capacitores ainda podem estar carregados). Equipamento operacional com circuitos de transformadores de corrente expostos não devem ser operados. Os valores limite como especificados neste manual ou nas instruções de operação não devem ser excedidos. Este aspecto deve também ser observado durante teste e comissionamento.

6

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Prefácio

Convenções Tipográficas e Símbolos Os seguintes formatos de textos são usados quando informações literais do dispositivo ou para o dispositivo aparecem no curso do texto: Nomes de Parâmetros Designadores de parâmetros de configuração ou de função que podem aparecer palavra por palavra no display do dispositivo ou na tela de um computador pessoal (com software de operação DIGSI), estão marcados em negrito em estilo tipo monoespaço. O mesmo se aplica para os títulos dos menus. 1234A Endereços de parâmetros tem o mesmo estilo de carctere que os nomes dos parâmetros. Endereços de parâmetros contém o sufixo A nas tabelas de visualização se o parâmetro só puder ser ajustado em DIGSI pela opção Display additional settings (Mostrar ajustes adicionais). Opções de Parâmetros Possíveis ajustes de parâmetros de textos, que podem aparecer palavra por palavra no display do dispositivo ou na tela de um computador pessoal (com software de operação DIGSI), são, adicionalmente, escritos em itálico. O mesmo se aplica para as opções dos menus. „Mensagens“ Designadores para informações, que podem ser emitidas pelo relé ou solicitados de outros dispositivos ou dos equipamentos de chaveamento, estão marcados no estilo monoespaço entre aspas. Desvios podem ser permitidos nos desenhos e tabelas quando o tipo de designador pode ser obviamente derivado da ilustração. Os seguintes símbolos são usados nos desenhos: Sinal de entrada lógica interno do dispositivo Sinal de saída lógica interno do dispositivo Sinal de entrada interno de uma grandeza analógica Sinal de entrada binária externo com número (entrada binária, indicação de entrada) Sinal de entrada binária externo com número (exemplo de uma indicação de valor) Sinal de saída binária externo com número (indicação do dispositivo) usado como sinal de entrada Exemplo de uma chave de parâmetro designada FUNÇÃO com endereço 1234 e os ajustes possíveis ON e OFF

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

7

Prefácio

Além desses, símbolos gráficos são usados de acordo com IEC 60617-12 e IEC 60617-13 ou similar. Alguns dos mais freqüentes estão listados abaixo:

Sinal de entrada de grandeza analógica

Porta AND de operação de valores de entrada

Porta OR de operação de valores de entrada Porta OR exclusiva (antivalência): saída está ativa, somente se uma das entradas está ativa Porta de coincidência (eqüivalência):saída está ativa, se ambas entradas estão ativas ou inativas ao mesmo tempo Entradas dinâmicas (com borda de disparo) acima com borda positiva, abaixo com borda negativa Formação de um sinal de saída analógica de um número de sinais de entrada analógica

Estágio limite com endereço de ajuste e designador de parâmetro (nome)

Temporizador (temporização de pickup T, exemplo ajustável) com endereço de ajuste e designador de parâmetro (nome)

Temporizador (relé de dropout T, exemplo não ajustável)

Temporizador T de pulso de disparo dinâmico (monoflop) Memória estática (RS-flipflop) com entrada de ajuste (S), entrada de reset (R), saída (Q) e saída invertida (Q) ■

8

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Conteúdo
1 Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17 1.1 1.2 1.3 2 Visão Geral da Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .18 Escopo da Aplicação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .21 Características. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .23

Funções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .29 2.1 2.1.1 2.1.1.1 2.1.1.2 2.1.1.3 2.1.2 2.1.2.1 2.1.2.2 2.1.2.3 2.1.2.4 2.1.3 2.1.3.1 2.1.3.2 2.1.3.3 2.1.3.4 2.1.4 2.1.4.1 2.1.4.2 2.1.4.3 2.1.4.4 2.1.5 2.1.5.1 2.1.5.2 2.1.5.3 2.1.5.4 2.1.6 2.1.6.1 2.1.6.2 2.1.6.3 2.1.6.4 2.1.7 2.1.7.1 2.1.7.2 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .30 Escopo Funcional. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .30 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .30 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .30 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .32 Dispositivo, Ajustes Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .34 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .34 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .35 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .35 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .36 Dados do Sistema de Potência 1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .37 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .37 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .37 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .48 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .51 Registros Gráficos de Faltas (oscilografias) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .51 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .52 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .53 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .53 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .54 Grupos de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .54 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .54 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .54 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .55 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .55 Dados do Sistema de Potência 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .55 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .55 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .56 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .59 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .61 Módulo EN100 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .62 Descrição Funcional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .62 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .62

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

9

Conteúdo

2.2 2.2.1 2.2.2 2.2.3 2.2.4 2.2.5 2.2.6 2.2.7 2.2.8 2.2.9 2.2.10 2.2.11 2.2.12 2.3 2.3.1 2.3.2 2.3.3 2.3.4 2.3.5 2.3.6 2.3.7 2.3.8 2.3.9 2.3.10 2.3.11 2.3.12 2.4 2.4.1 2.4.2 2.4.3 2.4.4 2.5 2.5.1 2.5.2 2.5.3 2.5.4 2.5.5 2.5.6

Proteção de Sobrecorrente 50, 51, 50N, 51N. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63 Elementos de Corrente Alta de Tempo Definido 50-3, 50-2, 50N-3, 50N-2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64 Elementos de Sobrecorrente de tempo Definido 50-1, 50N-1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67 Elementos de Sobrecorrente de Tempo Inverso 51, 51N . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 70 Função de Pickup de Carga Fria Dinâmico. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73 Restrição de inrush . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73 Lógica de Pickup e Lógica de Trip . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 76 Proteção de Sobrecorrente Temporizada Bifásica (somente não direcional) . . . . . . . . . . . . . . . . . 77 Proteção de Barramento Rápida Usando Intertravamento Reverso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 77 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 78 Ajustes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88 Proteção de Sobrecorrente Direcional 67, 67N . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 90 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 90 Elementos de Corrente Alta Direcional, Tempo Definido 67-2, 67N-2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 92 Elementos de Sobrecorrente Direcional, Tempo Definido 67-1, 67N-1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 94 Elementos de Sobrecorrente Direcional, Tempo Inverso 67-TOC, 67N-TOC . . . . . . . . . . . . . . . . . 96 Interação com Monitoramento de Falha do Fusível (FFM) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 98 Pickup de Carga Fria Dinâmico. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 98 Restrição de Inrush . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 98 Determinação da Direção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 98 Intertravamento Reverso para Linhas Alimentadas pelas Duas Extremidades . . . . . . . . . . . . . . 103 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 105 Ajustes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 112 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 114 Pickup de Carga Fria Dinâmico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 116 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 116 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 120 Ajustes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 121 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 123 Proteção de Sobrecorrente Monofásica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 124 Descrição Funcional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 124 Proteção de Unidade de Falta à Terra de Alta Impedância. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 125 Proteção de Vazamento de Tanque . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 128 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 128 Ajustes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 133 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 133

10

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

. . . . . . . . . . . . . . . . .169 Monitoramento dos Circuitos do Transformador . . . . . . . . . . . . .167 Monitoramento de Software . . . . . . . . . . . . . . . .163 Ajustes . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2. . .7 2. . . . . . . . . .157 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8. . . . .3 2. . . . . . . . . . . .4 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .186 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . .182 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . .10. . . . .10 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10. . . . . . .8. . . . .1. . . . . . . . . . .6. . . . . .6 2. . . . . . . .134 Proteção de Sobretensão 59 . . . . . . . .10. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .186 Lista de Informações . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .186 Respostas ao Mal Funcionamento das Funções de monitoramento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .187 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . .8. . . . . . .136 Proteção de Subtensão 27. .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9. . . .2 2. .10. . . . . . .1 2. . . . . . . . . . . . .167 Supervisão de Medição . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6. . . . .1 2. . . . . . . . . . . . . . . . . .7. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Publicação 05. . . . . . . . . . . . . . . . . .1 Proteção de Tensão 27. . . . . .4 2. . . . . . . . . . . .5 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8. . . . . . . . . . . . . . . . . .3 2. . . . . . . . . . . . . 59 . . . . . . . . . . . . .4 2. . . . . . . . . . . . .148 Notas de Ajustes . . .2 2. . . . . . .9 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .172 Monitoramento de Fio Interrompido para Circuitos do Transformador de Potencial . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . .4 2. . .10. . . . . . . . .10.146 Proteção de Sequência Negativa 46 . . . . . . .7. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .165 Lista de Informações . . . . . . . . . . . .187 SIPROTEC. . . . .6. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .160 Notas de Ajustes . . . .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .141 Ajustes . . . . .8 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4 2. . . . . . . . . . . . . . . .6 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . . .10. . . . . . . . . . . . . . . . .5 2. . . . . . . . .160 Descrição . . . . . . . .158 Lista de Informações . Manual E50417-G1179-C343-A1. . . . .1 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2.1. . . . .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . .167 Monitramento de Hardware . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .180 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . .134 Princípio de Medição . . . . . . . . . . . . . . . . .7. . . . . . . . . . . . . . . . . .10. . . . . . . .167 Geral. .10. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .145 Lista de Informações . . . . .147 Característica de Tempo Inverso 46-TOC . . . . . . . .170 Detecção de Falha da Tensão de Medição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10. . . . . . . . . .166 Funções de Monitoramento . . . . . . . . . . . . .7. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . 7SJ80. .2. .10. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . . . . . . . . .7 2. .2 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . .7. .9. . . . . . . . . . . . . . .1 2.1. . . . . . . . . . . . . . . . . . .9 2. . . . . . . . . . . . .155 Notas de Ajustes .10. . . . . . . . . . . . . . . .Conteúdo 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . .177 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .182 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .179 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .151 Ajustes . . .2009 11 . . . . . .10. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6. . . . . . . . . .1. . .181 Supervisão do Circuito de Trip 74TC . .2 2. . . . . . . . . . . . . . . .137 Notas de Ajustes . . . . . . . .9. . . . .10. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .159 Proteção de Sobrecarga Térmica 49. . .10. . . . . . . .147 Característica de Tempo Definido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 2. . . . . . . .154 Proteção de Frequência 81 O/U . . .154 Lista de Informações . . . . . .6. . . . . . . . . . . . .10. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .155 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 276 Comando Direto/Bloqueio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .15. Manual E50417-G1179-C343-A1. . . . . . . . . . . .13 2. . . . . .5 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 273 Sequência Funcional. . . . . 268 Configurando a Proteção de Potência Reversa no DIGSI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 256 Ajustes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 251 Descrição . . . . . . . . . . . . 221 Controlando Elementos de Proteção . . . . 213 Sistema de Religamento Automático 79 . 265 Implementação da Proteção de Potência Reversa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . . . . . . . . . . 50N(s). . . . . . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17. . . .11. . .17. . . . . . . . 208 Lista de Informações . . . . . 223 Sequênciamento de Zona (não disponível para os modelos 7SJ8***-**A**-) . . . . . .3 2. . . .4 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51N(s) . . . . . . . . . . . . . . .17. . . . . . .12. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . 264 Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função de Proteção Flexível . . .4 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 284 Lista de Informações . . . . . . .7 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67N(s). . . . . . . . . . . . . .13. . . . . . . 201 Ajustes. 285 12 SIPROTEC. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7SJ80. . . . . . . . . . . . . . . . . . .17. . . . . . . . . . . .12. . . . . . . .17. . . . . . . .1 2. . . . . . . . . . . . . .16 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 250 Funções de Proteção Flexíveis. . . . . . . . . . . .16. . . . . . . . . . . 275 Chaveamento Desenergizado. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . .4 2. . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . .15.12. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 250 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . .6 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 215 Bloqueio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 219 Reconhecimento do Satus e Monitoramento do Disjuntor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12. . . . . . . . . . . . 251 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7 2. . . . . .2 2. 262 Lista de Informações .11. . . . . . . . . . 245 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 278 Notas de Ajustes .4 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17 2. . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11. . . . . . . . . . 265 Descrição . . . . . .5 2. . . . . . . . . . .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 244 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF . . . . .1 2. . . 200 Notas de Ajustes . . . . . .1 2. . . . . . . . . . . .15. . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . 189 Detecção de Falta à Terra para Medição de U0/I0-ϕ . . . . . . . .12. . .16. . . . . . . . . . 226 Ajustes. . . . . . . . . . . . . . . . 249 Ajustes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 195 Localização de Falta à Terra . . .14. . . . . . . .4 2. . . . . . . . . . . .14. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .16. . . . . . . . . . . . . . 239 Localizador de Falta . . . .17. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6 2. . . . . . . . . . . .12. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12 2. . .8 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .13. . . . . . . . . .3 2. . . . . .11. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8 Proteção de Falta à Terra 64. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .13. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 243 Ajustes. . . . . . . . . . . . . .13. .11 2. . . . . . .14. . . 241 Descrição . . . . 214 Execução do Programa. . . . . . . . . . . . . 277 Interação com controle. . . . . . . . . 189 Detecção de Falta à Terra para Medição de cos-ϕ– / sin-ϕ (Método Padrão) . . . . 270 SYNCHROCHECK . . . . . . . . . 225 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 234 Lista de Informações . . . . . . . . . .14 2. . . . . . . . . .6 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .15 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .14. . . 241 Notas de Ajustes . . . . 280 Ajustes. . .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . .2009 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Publicação 05. . .4 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 273 Geral . Religamento Automático e Controle Externo . . . . . . . . . .11. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 245 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .17. . . . . . . .3 2. . . . . 244 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Conteúdo 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .15. . . . . .3 2. . . . . . .

. . . . . . . . . . . . .2. . . . . . . . . . . . . . . . . .2. . . . . . . .289 Notas de Ajustes . . . . . . . .1 2. . . . . . . . . . .8. . . . . . . . . . . .3 2. . . . . . .19. . . . . . . .20. . . . . . . . . . .20. . . . .4. . . . . . . . . . . . . . . . . . .2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 2. . . . . . . .3 2.2 2. . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . .291 Processamento de Mensagem . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . . .8. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7 2. . . . . . . . . . . . .1 2. . . . . . . . . . . . . .289 Lógica de Trip de Todo o Dispositivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 2. .303 Medição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3. . .20. . . . . . . .288 Lógica de Função . .8. . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .310 Notas de Ajustes . . . . . . .314 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .18 2. . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8 2. .1 2. . .309 Ajuste de medição Min/Max . . . .315 Descrição . . . . . . . . .2 2. . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Manual E50417-G1179-C343-A1. . .4. . . . . .308 Descrição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .292 Informação para um Centro de Controle . . . . .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7SJ80. . . . . . . . . . . .294 Descrição .2 2. . . . . . .4 2. . . . . . . . . . . . . .314 Ajudas de Comissionamento . .20. . . . . . . . . .304 Transmitindo Valores Medidos . . . . . . . . . . . .307 Medições de Médias . . . . . . . . . . . . . . . . .313 Descrição . . . . . . . .9 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 311 Set Points para Valores Medidos . . . . . . . . . . . . . .6. . . . . . . . .6 2. . . . . . . . . . .310 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . .313 Medição de Energia . . .20.287 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . .3. . . . . . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . .20 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5. . . . . . . . . . . . .4 2. . . . . .314 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . .310 Descrição . . . . . . . .291 Informação Via Campo de Display ou PC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . .313 Notas de Ajustes . . Publicação 05. .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Conteúdo 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .308 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 Rotação de Fase Reversa . . . . . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . .18. . . . . . . . .5 2. . . . . . . . . . .18. . . . . . .290 Funções Auxiliares . . . . . . . . . .2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .20. . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .294 Manutenção do Disjuntor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .308 Ajustes . . . . . . . .8. . . . . . . . .309 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9.4 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .310 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . . . . . . .313 Lista de Informações . . . . . .20. . . . .5. .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .295 Notas de Ajustes . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .291 LEDs e Saídas binárias (Relés de Saída) . .19. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2009 13 . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . .19 2.20. . . . . . . . .304 Display de Valores Medidos . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .306 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . .315 SIPROTEC. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2.3 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . . .287 Descrição . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . .5. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .20.289 Lógica de Pickup de Todo o Dispositivo. . . . . .4 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4. .20. . . . . . . . . . . .20. . . . .312 Notas de Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .20. .313 Set Points para Estatística . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .314 Lista de Informações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3. . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . .1 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . .1 2. . . . . .314 Ajustes . . . . .7. . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .293 Estatísticas. . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . .19. . . .301 Lista de Informações . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . .20. . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 2. .20. . . .20. . .4. . . . . . . .20. . . . . . .

. . . . . . . . .3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 370 Verificação de Polaridade para Entrada de Tensão V3 . . . . . . . . .3. . . .5 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7 3. . . . . . . 363 Testes para proteção de Falha do Disjuntor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .21. . . . . . .1 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 343 Módulos Interface . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 320 Descrição. . . . . . . .3. 349 Montagem Sobreposta em Painel .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . .11 3. . . . .21. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 346 Instalação . . . . . . . . . . . . 351 Verificação de Conexões de Dados das Interfaces. . . .1. . . . . . . . 320 Registrando Comando . . . . . . . . . . 359 Verificação do Satus das Entradas e Saídas Binárias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 318 Descrição. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 357 Configurando Módulos de Comunicação . . . . . .3. . . . . . . . . . . . 369 Testando o Esquema de Intertravamento Reverso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Publicação 05. . . .1. . . . . . . . . . .3. .21. . . . . . .3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 368 Teste para Proteção de Alta Impedância. .1 3. . . . . . 351 Verificação das Conexões do Sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 373 Verificação de Polaridade para Entrada de Corrente IN . . . .1 2. . . . 376 Criação de Registros Gráficos (Oscilografias) para Testes. . . . . . . . . . . 339 Conexões dos Terminais de Corrente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5 3. . 328 Descrição. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 3. . . . . . . . . . . . . .8 3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10 3. . . . . . . . . . . . . 317 Lista de Informações . . . . . . . . . . . .1 3. . 319 Intertravamento . . . . . . . . .2 2. .1. . . . . . . . . . . . . .3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 347 Montagem Semi-embutida em Painel . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .12 3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 371 Verificação de Falta à Terra. .2. . . . . . . . . .6 3.22 2. . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 330 Montagem e Comissionamento . . . . .1. . . . . . . . . . . Tensão e Rotação de Fase . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 2. 330 Operação Diferente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 3. . . . . . . . . . . . . 344 Remontagem . . . . . .3 3. . . . . . . . . 319 Descrição. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 3. . . . . . . . .21. . 339 Desmontagem . . . . . . . . . . . . . 374 Testes de Trip/Fechamento para os Dispositivos em Operação Configurados . . . . . . . . . . . . . . . .2. 357 Teste da Interface do Sistema (na Porta B) . . . . . . . . . . . . . . 334 Modificações do Hardware . . . . . .4 3. . . . . . .3 3. . . . . . . . . . . . . .21. . . . . . . . . . . . . . .3. . . . . . . . . 317 Descrição. .1 3. . . . . . . . . . . . . . . . . 354 Comissionamento . . .3. . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . .3. . . . . . . . . . . . . .3. . . . . .1 3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5. .3. . .1 2. . . . . . . . .1 3 Controle do Disjuntor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 347 Geral . . . . . . . . . . . . . .15 Montagem e Conexões . . . . . . . . . . . .1. . . . . .2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 3. . 356 Modo de Teste e Bloqueio de Transmissão . . . . . . . . . . . . .21. . . . . . . . .21. . . . . . . 318 Tipos de Comandos . . . . . . . . . . . . . . . .21. . . . . . . . . . . .2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 334 Informações de Configuração . . . . . . . . . . . . . . . .3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .21. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 377 14 SIPROTEC. . . . . . . . . . . .2 3. . . . . . . . . . . 348 Montagem em Cubículo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . 7SJ80. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 3. . . . . . . . . . . . . . . . . . .2009 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 2. . . . . . . . . . . . . . . 317 Dispositivo de Controle . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 350 Verficação de Conexões . . . . . . . . . . . . . . .2. .3. . . . . . . .2. .1 2. . . . .3. . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . .3. . . . . . . . .4. . . 369 Verificação de Direção com Corrente de Carga . . . .4 3. . . . . . . . . . 329 Notas na Operação do Dispositivo . . . . . . . .3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3. .3 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4 3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5 3. . . . . Manual E50417-G1179-C343-A1. . . . 333 3. . . . . . . . . .3. .22.9 3. . . 367 Teste de Corrente. . . . . . . . . . . .3 3. . . . . . . . .1 3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . .21 2. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 318 Sequência de Comando . . . . .21. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 366 Testando Funções Definidas pelo Usuário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 3. . . . . . . .Conteúdo 2. . . . . . .2 3. . .13 3. . . . . . . . . . . . . . . . . .14 3. . . . . . . . . . . . 342 Conexões dos Terminais de Tensão . . . . . . . . . . . . . .4 2. .21. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . .2 4. . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .407 Proteção de Sobrecorrente Direcional Temporizada 67. . . . . . . . .1 4.3 4. . .381 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .379 Dados Técnicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8 4. . . . . . . . .1 4. . . . .429 Proteção de Sequência Negativa 46-1. . . . . . . . . . .421 Proteção de Falta à Terra 64. . . . . . . . . . . . . . . . . . .422 . . . . . . . . . . . .1 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Manual E50417-G1179-C343-A1. . . .388 Testes de Fadiga Mecânica . . . . . . .449 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5 4. . . . . .7 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .19 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 4. . . . 59 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 4. . . . . . . . . . . 411 Proteção de Tensão 27. . . . . . . . . 67N Restrição de Inrush . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4 4. . . . . .4 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .450 Informações de Pedidos . . . . . . . . . . . . . .409 Pickup de Carga Fria Dinâmico . . . . . . . . .20 4. . . . . . . .6 4. . .415 . . . . . . .3 4.1. . . .382 Entradas Analógicas . .414 . . . . . . . . . . . . . . . . . . .21 4. . . . . . . . . . . . .12 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .392 Proteção de Sobrecorrente de Tempo Definido 50(N) Proteção de Sobrecorrente de Tempo Inverso 51(N) . . . . . . . . . . . . . . . .412 . . . . . . .1. . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .9 4. . . . . . . . . . . . . . . .391 Condições de Serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. .410 Proteção de Sobrecorrente Monofásica . .2009 15 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6 . . . . . . . . . . . . . . 67N(s). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . .7 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . .22. . . . . 51N(s) Localizador de Falta . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .424 . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . .390 Testes de Fadiga Climática . . . . . . . . . . . . . . .1. . . .395 . . . . . . . . . . . . .4 4 Preparação Final do Dispositivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .447 Varistor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46-2 Proteção de Sequência Negativa 46-TOC Proteção de Frequência 81 O/U Proteção de Sobrecarga Térmica 49 Sistema de Religamento Automático 79 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .446 Montagem Semi-embutida e em Cubículo (Tamanho da Caixa 1/6) . .Conteúdo 3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 4. . . . . . . . . . . . . . . . .6 4. . . . . . . . . . . . . . . . .13 4. . . . . . . . . . . . . .428 Funções de Proteção Flexíveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .16 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .435 Funções Adicionais . . . . .5 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .440 Controle do Disjuntor . . . . . . . . . . . Publicação 05. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 Informações de Pedidos e Acessórios . . . . . . .454 SIPROTEC. . . . . . . . . . . . . . . . . . 7SJ80. . . . . . . . .427 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .430 Synchrocheck 25 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50N(s). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .447 Vista Inferior . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . .1 A. .1 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . .450 7SJ80 V4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8 4. . . . . . . . . . . . . . . . .433 Funções Definidas pelo Usuário (CFC) . . .18 4. .382 Tensão Auxiliar . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .448 A Apêndice . . . . . . . . . . . . . . . . . .9 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11 4. . .17 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4 Dados Gerais do Dispositivo . . . . . . . . . . . . . . . .450 Acessórios . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .445 Dimensões. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1.446 Montagem Sobreposta de Painel (Tamanho da Caixa 1/6) . . . . . .385 Testes Elétricos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .391 Projeto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .22. . . . . . . . . .15 4. . . . . . . . . . . . .22. . . . .383 Entradas e Saídas Binárias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .384 Interfaces de Comunicação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .393 . . . . . . . . . . . . . . . . . .14 4. .2 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 456 7SJ80 — Caixa para montagem semi-embutida em painel e em cubículo e para montagem de painel sobreposto . . . . . 531 Índice. . . . . . . . . . . 476 LEDs . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .6 A. . . . . . .Conteúdo A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8 A. . . . . . . .5 A. . . . 476 Entrada Binária . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 503 Grupo de Alarmes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 479 Teclas de Funções . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 526 A. 475 Necessidades . . . . . . . . . . . . . . .3 A. . . . . 543 16 SIPROTEC. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 475 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 486 Lista de Informações. . . . . . . . . . . . . 456 Exemplos de Conexões . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 A. .3 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 473 Fator de Limitação de Precisão Nominal e Efetivo . . .9 A. . . 475 Precisão de Classe . . . . . . . . . . . . . . . .4. . . . . . . .5. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 483 Escopo Funcional . . . . . . . . . . . . . . .2 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 484 Ajustes . 479 Display padrão. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 473 Conversão de Classe . . . . . . . . . . . . . . . . . .4. 478 Saída Binária. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 473 Fatores de limitação de precisão. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 460 Necessidades do Transformador de Corrente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 525 Valores Medidos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .7 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .11 Literatura. .4 A.2 A. . . . . . . . Manual E50417-G1179-C343-A1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2009 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 Designações de Terminais . . . . 474 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Publicação 05. . . . . . . . . . . . . 7SJ80. . . . . . . . . .2. 473 Exemplo de Cálculo conforme IEC 60044–1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 475 Ajustes Padrão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 529 Glossário. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 A. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 474 Cabo de Transformador de Corrente de Núcleo Balanceado . . . . . . . . .5. . . . 480 Funções Dependentes de Protocolo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

7SJ80.3 Operação Geral Escopo da Aplicação Características 18 21 23 SIPROTEC.2009 17 . Manual E50417-G1179-C343-A1. propriedades e funções. Publicação 05. 1 1.1 1.2 1.Introdução Este capítulo apresenta o SIPROTEC 4 7SJ80 e fornece uma visão geral da aplicação do dispositivo.

Publicação 05. É possível também.1 Operação Geral O dispositivo digital SIPROTEC 7SJ80 de proteção de sobrecorrente está equipado com um poderoso microprocessador.dependendo do modelo Figura 1-1 Estrutura de hardware do relé de proteção digital multi função 7SJ80 Os transformadores de potencial opcionais podem também ser usados para entrada de 3 tensões à terra ou 2 tensões fase-fase e a tensão residual (tensão delta aberto) ou quaisquer outras tensões.Introdução 1. 7SJ80. Ele permite processar digitalmente todas as tarefas desde a aquisição de grandezas medidas até o envio de comandos aos disjuntores. O dispositivo fornece 4 transformadores de corrente e .adicionalmente 3 transformadores de potencial. 18 SIPROTEC.1 Operação Geral 1. Três entradas de corrente servem para entrada das correntes de fase. Manual E50417-G1179-C343-A1.dependendo do modelo. conectar duas tensões fase-fase em conexão V. A Figura 1-1 mostra a estrutura básica do 7SJ80.2009 . outra entrada de corrente (IN) pode ser usada para medição da corrente de falta à terra IN (ponto estrela do transformador de corrente) ou para um transformador de corrente à terra separado (para detecção de falta sensitiva à terra INs e determinação de direcionalidade para faltas à terra) . Entradas Analógicas As entradas de medições (MI) convertem as correntes e tensões vindas dos transformadores de medição e as adaptam ao nível adequado para o processamento interno do dispositivo.

a porta B pode também ser usada para transmitir todos os dados do dispositivo para um avaliador central ou centro de controle. • As informações são distribuidas via amplificadores de saída (OA). Essa interface pode ser fornecida com vários protocolos e esquemas de transmissão física para adequar-se a uma aplicação particular. Elas incluem especialmente: • Filtragem e preparação de grandezas medidas • Monitoramento contínuo das grandezas medidas • Monitoramento das condições de pickup para as funções de proteção individuais • Interrogação dos valores limite e seqüências no tempo • Controle de sinais para as funções lógicas • Saída de comandos de controle para dispositivos de chaveamento • Gravação de mensagen.Ele consiste de filtros que estão otimizados para processamento de valor medido com respeito à largura de banda e velocidade de processamento. o que permite manusear confortavelmente todas as funções do dispositivo. SIPROTEC. Sistema Microcomputador Além do processamento dos valores medidos. valores medidos e status funcional do dispositivo são visualizadas pelos diodos emissores de luz (LEDs) e uma tela de display (LCD) no painel frontal. Através desses elementos. em particular. Saídas são. Controle integrado e teclas numéricas em conjunto com o LCD habilitam a interação com o dispositivo remoto. comandos de bloqueio).relógio em tempo real. estados. O grupo transformador analógico -digital (AD) consiste de um conversor analógico-digital e componentes de memória para a transmissão de dados para o microcomputador. Manual E50417-G1179-C343-A1. operação e mensagens de faltas e valores medidos podem ser acessadas. Painel Frontal Informações como mensagens relacionadas a eventos. Os parâmetros de ajustes podem ser mudados da mesma maneira. Entradas e Saídas Binárias Entradas e saídas binárias para e do sistema computador são retransmitidas via módulos de entrada/saída. o controle dos disjuntores e outros equipamentos é possível pelo painel frontal do dispositivo.2009 19 . comunicações. Em adição. todas as informações do dispositivo como configuração e ajuste de parâmetros. Em adição à comunicação com o dispositivo via DIGSI. Interfaces A comunicação com um PC pode ser implementada via interface USB DIGSI usando o software DIGSI. dados de faltas e valores de faltas para análises • Gerenciamento do sistema de operação e funções associadas tais como gravação de dados.1 Operação Geral As grandezas de entrada analógica passam pelos amplificadores de entrada (IA). reset remoto) ou equipamento externo (por exemplo. o sistema microcomputador (μC) também executa a proteção real e funções de controle.Introdução 1. 7SJ80. etc. interfaces. comandos para as unidades de chaveamento e anunciações para sinalização remota de eventos e status importantes. O sistema computador obtém a informação do sistema (por exemplo. O elemento amplificador de entrada IA fornece uma terminação de alta resistência para as grandezas de entrada. A comunicação com um PC também é possível via porta A (Interface Ethernet) e porta B (Interface de Sistema EN 100) usando DIGSI. Publicação 05.

Publicação 05.Introdução 1. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. Uma bateria de buffer está localizada sob a aleta na parte inferior da cobertura frontal. Quedas de tensão podem ocorrer se o sistema de alimentação de tensão (bateria da subestação) for curto-circuitada. Usualmente são desviadas por um capacitor (veja também Dados Técnicos). 20 SIPROTEC.1 Operação Geral Fonte de Alimentação Uma unidade de fonte de alimentação (Vaux ou PS) libera potência para as unidades funcionais em diferentes níveis de tensão.2009 .

Para assegurar a rápida detecção da localização da falta após um curto circuito. proteção de falha do disjuntor e proteção de falta à terra. proteção de sobrecarga. Antes do religamento. porta B. várias características de diferentes padrões são fornecidas. com ou sem solicitação de senha). Para os Elementos de tempo inverso. Dependendo do equipamento primário controlado.usando um PC e o software DIGSI . entradas binárias e . Manual E50417-G1179-C343-A1. uma entrada binária (indicação de ponto simples) ou duas entradas binárias ( indicação de ponto dupla) podem ser usadas para esse processo. uma Curva definida pelo usuário pode ser usada para detecção de falta sensitiva à terra. O dispositivo inclui funções que são usualmente necessárias para proteção. Para proteção de linha. aterramento de baixa resistência. monitoramento das posições do disjuntor e controle dos disjuntores em barramentos simples e duplo. Outras funções de proteção incluidas são a proteção de seqüência negativa.2009 21 . proteção de subtensão e de sobretensão e proteção de falta à terra para faltas à terra de altaresistência (direcional ou não direcional). A proteção de sobrecorrente pode. unidade de controle e monitoramento para alimentadores de barramento. estrutura de ponto estrela compensado ou isolado.via interface frontal. O número de equipamentos a serem chaveados é limitado pelas entradas e saídas binárias disponíveis no dispositivo ou entradas e saídas binárias alocadas para as indicações de posicionamento da chave. O status do equipamento primário pode ser transmitido para o dispositivo via contatos auxiliares conectados às entradas binárias.2 Escopo da Aplicação A proteção de sobrecorrente digital SIPROTEC 4 7SJ80 é usada como uma proteção. ser suplementada por uma proteção de sobrecorrente direcional. tais como proteção de freqüência. redes em loop aberto ou fechado e para linhas com fontes em ambos os terminais.Introdução 1. A função de check de sincronismo também pode ser controlada externamente. Funções de Proteção Proteção de sobrecorrente não direcional (50. O dispositivo fornece excelente proteção de backup de esquemas de proteção diferencial de qualquer tipo para linhas. o dispositivo está equipado com um localizador de falta. Além das funções de proteção de curto circuito acima mencionadas. sendo assim. existem outras funções de proteção possíveis como variantes encomendadas. Um sistema de religamento automático externo pode também ser conectado. 51N) é a função básica do dispositivo.2 Escopo da Aplicação 1. Uma função de religamento automático com a qual são possíveis vários ciclos de religamento diferentes para linhas aéreas. o dispositivo pode verificar a validade do religamento via uma verificação da tensão e/ou um check de sincronismo. outras funções de proteção estão incluidas. após um trip tripolar. Dependendo da variante encomendada. Alternativamente. O status presente (ou posição) do equipamento primário pode ser mostrado no dispositivo e usado para intertravamento ou monitoramento de plausibilidade. transformadores e barramentos de todas as séries eletromotrizes. É adequada para redes que são radiais e alimentadas de uma única fonte. Funções de Controle O dispositivo fornece uma função de controle que pode ser conseguida pela ativação e desativação da subestação ou equipamentos de chaveamento via botões operadores. 51. Publicação 05. o dispositivo pode ser universalmente empregado. A capacidade de comutação do equipamento primário pode ser restringida por um ajuste associado com a autoridade de chaveamento (Remota ou Local) e pelo modo de operação (intertravado/não intertravado. Existem três elementos de tempo definido e um de tempo inverso para as correntes de fase e corrente à terra. por exemplo. 7SJ80. SIPROTEC. 50N. o dispositivo pode ser usado em redes com aterramento.

Manual E50417-G1179-C343-A1. Gravação de Evento e Dados de Falta As indicações operacionais fornecem informações sobre as condições no sistema de potência e dispositivo. configuráveis pelo usuário. DNP3. todas as tarefas operacionais e de avaliação podem ser executadas via essa interface de operação. Por meio do Software de operação DIGSI® do SIPROTEC® 4 . de acordo com IEC 60870-5-103.2009 . leitura de mensagens de falta e operacionais. Grandezas e valores medidos que são calculados podem ser mostrados localmente e comunicados por meio de interfaces seriais. leitura e display de gravações de faltas. A integração dos dispositivos nos sistemas de automação SINAUT LSA e SICAM podem também ser implementada com esse perfil. questionamento das condições do dispositivo e valores medidos. Comunicação Estão disponíveis as seguintes interfaces para comunicação com operação externa. Elas servem para estabelecer extensa comunicação com outros componentes de memória controle e operação digital: Porta A serve para comunicação diretamente com DIGSI no dispositivo ou via rede. Mensagens do dispositivo podem ser designadas para um número de LEDs na cobertura frontal (alocáveis). valores medidos. Publicação 05.0 e MODBUS. configuração de funções lógicas específicas do usuário. Valores de falta instantâneos também são salvos e podem ser analizados posteriormente. com emissão de comandos de controle. existem outras opções de acoplamento possíveis comprotocolos PROFIBUS DP. 22 SIPROTEC. Se estiver disponível um módulo EN100. Alternativamente. A interface DIGSI USB na parte frontal serve para comunicação local com um PC. assim como a especificação ou modificação de parâmetros de configuração e ajustes. 7SJ80. Ela pode ser operada via linha de dados ou cabos de fibra ótica. Mensagens e Valores Medidos. ligadas com funções de lógica definida pelo usuário e/ou emitidas via interfaces seriais.2 Escopo da Aplicação O processamento de condições de intertravamento para chaveamento (por exemplo. Porta B serve para comunicação central entre o dispositivo e um centro de controle. Dependendo da variante encomendada. controle e sistemas de memória. também é possível usar o protocolo IEC61850. intertravamento da subestação) pode ser estabelecido com a ajuda de funções lógicas integradas.Introdução 1. Para transferência de dados. existem protocolos padrão disponíveis. podem ser processadas externamente via contatos de saída (alocáveis). Durante uma falta (falta no sistema) eventos importantes e mudanças nas condições são salvas nos protocolos de falta (Registro de Evento ou Registro de Trip). interfaces adicionais estão localizadas na parte inferior do dispositivo.

SIPROTEC. 50N.3 Características 1. • Comunicação com SCADA ou equipamento controlador da subestação via interfaces seriais através da escolha de cabo de dados. motores e barramentos. alimentadores. • Possível trip instantâneo por qualquer Elemento de sobrecorrente no chaveamento para falta.3 Características Características Gerais • Poderoso sistema microprocessador de 32-bit. • Restrição de inrush com oscilação do segundo harmônico. • Cálculo contínuo e display de valores medidos na frente do dispositivo. • Ajudas de comissionamento tais como verificações de conexão e direção. indicação de status de todas as entradas e saídas binárias. • Monitoramento constante das grandezas medidas. • Capacidade de bloqueio. • Gravações de mensagens de faltas para as últimas 8 interferências no sistema (faltas do sistema) com informações em tempo real assim como valores instantâneos para gravação de falta para uma faixa de tempo máxima de aproximadamente 18 s. 51N • Três elementos de proteção de sobrecorrente de tempo definido e um elemento de proteção de sobrecorrente de tempo inverso para corrente de fase e corrente à terra IN ou corrente de soma 3I0. Manual E50417-G1179-C343-A1. via DIGSI. • Armazenamento de valores medidos min/max (função apontadora escrava)e armazenamento de valores médios de longo-prazo. 51. IC).2009 23 .desde a amostragem das grandezas de entrada analógica até a inicialização de saída. • Para proteção de sobrecorrente de tempo inverso a seleção de várias características de diferentes padrões é possível. para intertravamento reverso com qualquer Elemento. • Facilidade de operação do dispositivo através de um painel de operação integrado ou por meio de um computador pessoal conectado. facilidade de teste da porta B e influência das informações na porta B durante operação de teste. 7SJ80. Proteção de Sobrecorrente Temporizada 50. • Processamento e controle digital completo de valores medidos. trip ou fechamento de disjuntores ou outros dispositivos de chaveamento. controle e circuito de alimentação DC do sistema devido ao projeto das entradas e saídas binárias e os conversores DC ou AC. modem ou fibras óticas. • Possibilidade de operação da proteção de sobrecorrente temporizada bifásica (IA. por exemplo. bem como contínuo auto-diagnóstico do hardware e do software.Introdução 1. • Estatísticas de chaveamento: Gravação do número de sinais de trip provocados pelo dispositivo e registro de correntes desligadas pelo dispositivo bem como correntes de curto-circuito acumuladas de cada polo do disjuntor. • Relógio com bateria de buffer que pode ser sincronizado via um sinal de sincronização na entrada binária ou por um protocolo. por exemplo. Publicação 05. • Conjunto completo de funções necessárias para a adequada proteção de linhas. • Contador de Horas Operacionais: Acompanhamento das horas de operação do equipamento que está sendo protegido. • Separação elétrica total entre os estágios de processamento internos do dispositivo e o transformnador externo.

• Detecção da condição de carga fria via posição do disjuntor ou limite de corrente. Proteção de Sequência Negativa 46 • Avaliação do componente de sequência negativa das correntes. • Para proteção de sobrecorrente de tempo inverso. Proteção de Sobrecorrente Monofásica • Avaliação da corrente medida via transformador de corrente à terra sensitiva. Proteção de Sobrecorrente Temporizada Direcional 67. Manual E50417-G1179-C343-A1. 24 SIPROTEC. 50NC. 67N • Dois elementos de tempo inverso e um elemento de tempo definido para a fase operar em paralelo aos elementos de sobrecorrente não direcionais. • Trip instantâneo possível por qualquer Elemento de sobrecorrente chaveado para falta. 67C. 51N • Três Elementos de proteção de sobrecorrente de tempo definido e um elemento de sobrecorrente de tempo inverso para faltas à terra de alta resistência em sistemas aterrados.3 Características Proteção de Falta à Terra 50N. • Detecção de sobretensão separada de dois elementos das tensões mais altas aplicadas ou detecção do componente de sequência positiva ou negativa das tensões. seleção de várias características de diferentes padrões. Seus valores de pickup e temporizações podem ser ajustados independentemente desses elementos.2009 . • Relação de dropout ajustável para todos os elementos da proteção de sobretensão e de subtensão. • Adequado como proteção diferencial que inclua corrente de ponto neutro em um lado do transformador. • A direção de falta é calculada fase seletivamente e separadamente para faltas de fase.Introdução 1. 51C. 59 • Detecção de dois elementos de subtensão via sistema de sequência positiva das tensões. Sensitividade de direção ilimitada dinâmicamente. 7SJ80. tensões fasefase ou fase-terra. • Direção de falta com tensões polarizadas cruzadas e memória de tensão. quando as condições de carga à frio são esperadas. • Dois elementos de tempo definido 46-1 e 46-2 e um elemento de tempo inverso 46-TOC. 67NC • Mudança dinâmica dos ajustes da proteção de sobrecorrente temporizada. por exemplo. 51NC. Função de Pickup de Carga Fria Dinâmico 50C. • Escolha de supervisão de corrente para 27-1 e 27-2. um lado do gerador ou um lado do motor ou para um conjunto reator aterrado. faltas à terra e corrente de soma. • Restrição de inrush com oscilação de segundo harmônico. Proteção de Tensão 27. • Como proteção de vazamento de tanque contra correntes de vazamento não permitidos entre a carcaça do transformador e terra. curvas de padrão comum estão disponíveis para 46-TOC. • Possível partida também por entrada binária. • Possível ativação via religamento automático (AR). Publicação 05.

• Verificação de rotação de fase. • Qualquer Elemento pode ser ajustado como direcional ou não direcional — direcional no sentido para frente ou reverso no sentido direcional. real. • Determinação da fase defeituosa em redes aterradas ou não aterrada.Introdução 1. 59N/64 • Tensão residual é medida ou calculada das três tensões de fase. • Insensitividade a harmônicos e mudanças abruptas de ângulo de fase. • Determinação da direção com grandezas de sequência zero (I0. • Monitoramento de falha do fusível com bloqueio da função de proteção. Publicação 05. 7SJ80.s. determinação de direção de falta à terra wattmétrica. • Uma característica de setor pode ser ajustada como característica direcional.m. • Opcionalmente aplicável como proteção de falta à terra adicional. • Dois Elementos de Detecção de Falta à Terra: Elemento ajustado em alta 50Ns-2 e elemento de sobrecorrente 50Ns-1. Proteção de Sobrecarga Térmica 49 • Perfil térmico de perdas de energia (proteção de sobrecarga tem capacidade de memória total). • Monitoramento do circuito de trip. • Alta sensitividade (cerca de 1 mA). SIPROTEC. V0). Manual E50417-G1179-C343-A1. • Cálculo de r. • Monitoramento dos circuitos secundários dos transformadores de corrente e de potencial usando monitoramento de soma e de simetria com bloqueio opcional da função de proteção.2009 25 . Funções de Monitoramento • Confiabilidade do dispositivo é muito aumentada devido ao auto-monitoramento dos circuitos de medição internos assim como do hardware e software. • Nível de alarme ajustável baseado na magnitude de corrente. • Para proteção de sobrecorrente de tempo inverso.3 Características Proteção de Frequência 81 O/U • Monitoramento no subalcance (f<) e/ou sobrealcance (f>) com 4 limites de frequência e temporizações que são ajustáveis independentemente. • Limite de subtensão ajustável. • Nível de alarme térmico ajustável. • Elemento de sobrecorrente com tempo definido ou temporização inversa. Detecção de Falta à Terra 50N(s). uma característica definida pelo usuário está disponível. 67N(s). 51N(s).

Manual E50417-G1179-C343-A1. • Elementos de proteção que iniciam religamento automático são selecionáveis.2009 .3 Características Religamento Automático 79 • Disparo simples ou multi-disparo. • Verificação das condições síncronas ou estado desenergizado também possível antes do fechamento manual do disjuntor. • Lógica de proteção padrão com uma curva característica constante (isto é. • Medição também possível via transformador sem transformador casador intermediário externo. • Alternativamente. • Medição rápida da diferença de tensão ΔV. Podem ser bloqueados em dependência do ciclo de religamento ou liberados instantâneamente. com valores limite separados. 26 SIPROTEC. ser avaliado. Localização da Falta • Inicialização por comando de trip. comando externo ou dropout do pickup. • Textos de mensagens modificáveis Synchrocheck • Verificação das condições de sincronismo antes do religamento após trip tripolar. Proteção de Falha do Disjuntor 50 BF • Verificando fluxo de corrente e/ou avaliando os contatos auxiliares do disjuntor. • Configuração de até três seções de linha é possível. e diferença do ângulo de fase Δϕ e diferença de frequência Δf. • Qualquer valor calculado ou medido diretamente pode em princípio. Publicação 05. • A distância da falta é calculada e a localização da falta fornecida em ohms (primário e secundário) e em kilometros ou milhas. • Programas diferentes para faltas de fase e à terra. • Tensões de medição opcionalmente fase-fase ou fase-terra. • Com tempos mortos separados para os primeiros três e todos os disparos sucessivos. • Iniciada pelo trip de qualquer elemento de proteção integrado que forneça trip ao disjuntor. A escolha pode ser diferente para faltas de fase e faltas à terra. Funções de Proteção Flexíveis • Até 20 funções de proteção que podem ser ajustadas individualmente para operar no modo trifásico ou monofásico. independente). verificação do estado desenergizado antes do religamento.Introdução 1. • Tensão mínima e máxima ajustável. 7SJ80. • É possível religamento sincronizado em combinação com a função de check de sincronismo integrada. • Interação ao elemento de proteção de sobrecorrente temporizada e elementos de falta à terra. • Temporização de dropout e de pickup configurável e interna. • Possível inicialização via entrada binária de um dispositivo de proteção externo.

por SICAM® ou LSA). etc). OR. 7SJ80. Publicação 05. • Monitoramento de plausibilidade da posição do disjuntor e verificação de condições de intertravamento. Manutenção do Disjuntor • Métodos estatísticos para ajudar a manutenção dos intervalos de ajustes para os contatos do disjuntor de acordo com seu desgaste real. Controle do Disjuntor • Disjuntores podem ser abertos ou fechados manualmente via teclas de controle específicas. NOT. procedimento ΣIx . NÃO. • Aquisição e condicionamento de valores medidos para todas as subfunções operam em fase seletiva usando um limite de procedimento específico por subfunção. etc.) (E. Manual E50417-G1179-C343-A1. Funções Definidas pelo Usuário • Sinais internos e externos podem ser combinados logicamente para estabelecer funções de lógica definida pelo usuário.Introdução 1. • Processamento de valores medidos. porta B (por exemplo. adicionando uma curva joelho para uma entrada de transdutor e monitoramento de zero vivo (live-zero). ■ SIPROTEC. incluindo supressão de zero.2009 27 .3 Características Rotação de Fase • Selecionável ABC ou ACB pelo ajuste (estático) ou entrada binária (dinâmico). • Disjuntores são monitorados via contatos auxiliares do disjuntor. OU. Exclusivo OU. • Interrogação de temporizações e valor limite. Exclusive OR. procedimento 2P e procedimento I2t ). ou via interface do operador (usando um PC e o software DIGSI®). • Várias subfunções independentes foram implementadas (procedimento ΣI . • Todas as operações Booleanas comuns estão disponíveis para programação (AND. teclas de funções programáveis.

3 Características 28 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1.Introdução 1. Publicação 05.2009 . 7SJ80.

22 Geral Proteção de Sobrecorrente 50.21 2.1 2.15 2. pode-se também determinar quais das funções fornecidas serão usadas. 7SJ80. Baseado nas seguintes informações.2009 29 .2 2.16 2.9 2.8 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. 50N(s).6 2.18 2.19 2. 51.3 2.17 2.4 2. Mostra os ajustes possíveis para cada função na configuração máxima. 51N(s) Sistema de Religamento Automático 79 Localizador de Falta Proteção de Falha do Disjuntor 50BF Funções Flexíveis de Proteção Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função Flexível de Proteção Grupo 1 de Função SYNC Rotação de Fase Reversa Lógica de Função Funções Auxiliares Controle do Disjuntor Notas na Operação do Dispositivo 30 63 90 116 124 134 147 155 160 167 189 214 241 245 251 265 273 287 289 291 317 330 SIPROTEC. 67N Pickup Dinâmico de Carga Fria Proteção Monofásica de Sobrecorrente Proteção de Tensão 27.Funções 2 Este capítulo descreve as numerosas funções disponíveis no dispositivo SIPROTEC 4 7SJ80.5 2. são também apresentadas. Publicação 05. quando necessárias.11 2. bem como fórmulas. 50N.10 2.13 2.20 2.14 2. 51N Proteção direcional de sobrecorrente 67.12 2. 59 Proteção de Sequência Negativa 46 Proteção de Frequência 81 O/U Proteção de Sobrecarga Térmica 49 Funções de Monitoramento Proteção de Falta à Terra 64. 67N(s).7 2. 2. Informações com respeito à determinação de valores de ajustes.

1. A operação via DIGSI está explicada em Descrição do Sistema SIPROTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description). O hardware e o firmware são projetados para esse escopo de funções. limites) não são solicitadas durante a configuração. As funções de proteção disponíveis e as funções adicionais podem ser configuradas como Enabled(Ativadas) ou Disabled(Desativadas). 2.1.2009 .Funções 2. Conecte seu computador pessoal ou na porta USB da frente do dispositivo ou na porta A ou porta B na parte inferior do dispositivo dependendo da versão do dispositivo (código de pedido). 2. 7 (para ajuste de parâmetro) para mudança de parâmetros de configuração no dispositivo. É necessária a senha no. Não existem mensagens emitidas e as funções de ajustes correspondentes (funções.1 para detalhes). as funções de controle podem ser casadas com as necessidades do sistema. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.1 Geral 2. Sem esta senha. Para algumas funções. O procedimento é demonstrado em detalhes em SIPROTEC System Description /1/(Descrição do Sistema SIPROTEC/1/). Como o religamento automático só é necessário para linhas aéreas.1. a função de religamento automático está desativada para os relés que protegem cabos subterrâneos. Nota Funções disponíveis e ajustes padrão dependem da variante encomendada do relé (veja A. Adicionalmente. Funções individuais podem ser ativadas ou desativadas durante o procedimento de configuração ou a interação de funções pode ser modificada.1. como descrito abaixo.1 Descrição Ajustando o Escopo das Funções Exemplo para a configuração do escopo de funções: Um sistema consiste de linhas aéreas e cabos subterrâneos. os ajustes só podem ser lidos mas não editados e transmitidos ao dispositivo. Alguns parâmetros também podem ser mudados usando os controles do painel frontal do dispositivo. 2. A caixa de diálogo Device Configuration permite que você ajuste seu dispositivo às condições predominantes do sistema.1 Escopo Funcional O relé 7SJ80 compreende funções de proteção e funções adicionais. Funções configuradas como Disabled(Desativadas) não são processadas no 7SJ80. existe uma escolha entre várias alternativas possíveis. 30 SIPROTEC. em conjunto com um computador pessoal.1.2 Notas de Ajustes Ajustando o Escopo Funcional Seu dispositivo de proteção é configurado usando o software DIGSI. 7SJ80.1 Geral Os ajustes associados com as várias funções do dispositivo podem ser mudados usando a interface de operação ou de serviço em DIGSI.

WEAR MONIT. Outras informações com respeito aos procedimentos individuais da manutenção do disjuntor são fornecidas na Seção 2.1 Geral Recursos Especiais A maioria dos ajustes é auto-explicativa. Para proteção de carga desbalanceada. O Procedimento 2P ( 2P Procedure) calcula continuamente a vida útil remanescente do disjuntor. Neste caso.F. toda a função é desabilitada. Você pode selecionar entre cos ϕ / sin ϕ e V0/I0 ϕ mea. Ela não requer nenhuma outra configuração e inclui as correntes de trip dos trips iniciados pelas funções de proteção. várias características de trip podem ser selecionadas nos endereços 112 Charac. várias opções estão disponíveis no endereço 172 52 B. e a proteção de sobrecorrente temporizada pode ser desabilitada completamente. Para os elementos associados com a proteção de sobrecorrente não-direcional 50(N).O comportamento de dropout das curvas IEC e ANSI está especificado no endereço 1210 ou 1310 ao configurar a proteção de sobrecorrente temporizada. Somente um grupo de ajuste pode ser usado ao selecionar a opção Disabled (Desabilitada). Se você quer usar a função de mudança de grupo de ajuste. ajuste para Disabled. A função sincronização é ativada no endereço 161 25 Function 1 pelo ajuste de SYNCHROCHECK ou é ajustada para Disabled. No endereço 181 você pode parametrizar quantas seções de linha (três no máximo) forem consideradas pelo localizador de falta. a soma da potência de todas as correntes de trip é formada e é mostrada como valor de referência. Se for desejada apenas uma Curva. Phase e 113 Charac. No ambient temp ou é ajustada para Disabled. Você pode selecionar entre Definite Time (Tempo Definido).Dir. O ajuste V0/I0 ϕ mea. fornece uma característica de tempo definido. Gnd Fault. Se configurado cos ϕ / sin ϕ como procedimento de medição. Alternativamente. a funcionalidade básica da formação de corrente de soma (procedimentoΣI) está sempre ativa. Ground. Se essa função não for necessária. você pode selecionar entre curvas de tempo inverso conforme o padrão IEC (TOC IEC) ou padrão ANSI (TOC ANSI). Aqui. você pode selecionar entre uma curva de tempo definido (Definite Time) e uma Definida pelo Usuário (User Defined) PU no endereço 131 Sens.2. Sem levar isso em consideração. Os casos especiais são descritos a seguir. Ajuste para Disabled (Desabilitada). No endereço 170 você pode ajustar a proteção de falha do disjuntor para Habilitada ou Desabilitada (Enabled ou Disabled). Você pode. TOC ANSI ou TOC IEC. selecione Definite Time (Tempo Definido).2009 31 .20. 7SJ80. A opção de ajuste enabled w/ 3I0> sujeita a corrente à terra e a corrente de sequência negativa a uma verificação de plausibilidade. Publicação 05. A proteção direcional de sobrecorrente 67(N) é ajustada no endereço 115 67/67-TOC e 116 67N/67N-TOC. também. Manual E50417-G1179-C343-A1. Para funções de manutenção do disjuntor. O procedimento cos ϕ / sin ϕ (via detecção de corrente wattmétrica residual) está ajustado como padrão (default). SIPROTEC. A proteção de sobrecarga é ativada no endereço 142 49 pela seleção do ajuste sem temperatura ambiente. o endereço 140 46 permite que você especifique qual característica de trip a ser usada. as mesmas opções estão disponíveis assim como para a proteção não-direcional de sobrecorrente (exceto o elemento 50-3). Para detecção de falta à terra (sensitiva) o endereço 130 S. Com o I2t Procedure as integrais do quadrado da corrente de falta são formados pelo tempo de arco e é mostrado como valor de referência. desabilitar essa função pelo ajuste para Disabled.Funções 2. então ajuste o endereço 103 Grp Chge OPTION para Enabled (Habilitada). Ao ajustar para Disabled. você pode selecionar até quatro grupos diferentes de parâmetros de funções entre os quais você mudar rapidamente e convenientemente durante a operação.Ch permite que voce especifique a característica direcional da detecção de falta à terra sensitiva. como procedimento de medição.Gnd. 51(N) (fase e terra). Ao selecionar ΣIx-Procedure.

1. todos os ajustes e configurações préviamente executados serão perdidos. 2. 67-TOC 116 67N/67N-TOC Definite Time 67N. 103 104 112 Parâmetro Grp Chge OPTION OSC. Volt. Publicação 05. T103 significa que o dispositivo está conectado a uma instalação de proteção e controle via porta serial. Após re-selecionar a função.Gnd. todos os ajustes e configurações estarão em ajuste padrão (default). Ajuste Padrão Disabled Enabled Definite Time Comentários Opção de Mudança de Grupo de Ajuste Registro Gráfico de Falta (Oscilografia) 50/51 113 Charac. você tem que especificar a capacitância da bucha. Phase Opções de Ajustes Disabled Enabled Disabled Enabled Disabled Definite Time TOC IEC TOC ANSI Disabled Definite Time TOC IEC TOC ANSI Disabled Definite Time TOC IEC TOC ANSI Disabled Definite Time TOC IEC TOC ANSI Disabled Enabled Disabled Enabled Disabled Enabled cos ϕ / sin ϕ V0/I0 ϕ mea. ou se a função é configurada para Disabled.2009 . 67N-TOC 117 122 127 130 Coldload Pickup InrushRestraint 50 1Ph S.2 para mais informações sobre este assunto.3 Ajustes End.1.2). „Additional Functions“ e „Settings“.Dir. Com medição de tensão capacitiva várias funções não estão disponíveis ou apenas parcialmente.Funções 2.F. você pode especificar se você quer empregar medição de tensão capacitiva.3. A configuração é feita . FAULT REC.1 Geral No endereço 182 74 Trip Ct Supv pode ser selecionado se a supervisão do circuito de trip trabalha com duas (2Binary Imput) ou somente uma entrada binária (1 Binary Imput). O ajuste da função flexível é feito em DIGSI em „Settings“. Ground Definite Time 50N/51N 115 67/67-TOC Definite Time 67.Ch Disabled Disabled Disabled cos ϕ / sin ϕ Pickup de Carga Fria Restrição de 2º Harmônico de Inrush 50 1Ph (sens.3. Manual E50417-G1179-C343-A1. em „Settings“ e „Masking I/O (Configuration Matrix)“. As funções de proteção flexíveis podem ser configuradas via parâmetro FLEXIBLE FUNC. No endereço 192 Cap. como usual. 7SJ80. No endereço 617 ServiProt (CM) você pode especificar para que propósito a porta B é usada.16). DIGSI significa que você está usando a porta conectada ao DIGSI ou você não está usando a porta B (Disabled)(Desativada). Charac.. Você pode criar até 20 funções flexíveis ajustando uma marca de verificação à frente da função desejada (um exemplo é fornecido na seção 2. a linha e capacitância de interferência para os divisores de tensão capacitiva nas entradas de tensão nos endereços 241 a 246 (veja 2. Veja a tabela 2-2 na seção 2.) Característica Direcional de Falta à Terra 32 SIPROTEC.1.1. Se a marca de verificação da função é removida.Meas. Ao selecionar YES.

Volt. 52 B. Gnd Fault Opções de Ajustes Disabled Definite Time User Defined PU Disabled TOC ANSI TOC IEC Definite Time Disabled No ambient temp Disabled Enabled Disabled Enabled Disabled SYNCHROCHECK Disabled Enabled enabled w/ 3I0> Disabled Enabled Disabled Ix-Method 2P-Method I2t-Method Disabled Enabled 1 Section 2 Sections 3 Sections Disabled 2 Binary Inputs 1 Binary Input NO YES Ajuste Padrão Disabled Comentários (Sensitiva) Falta à Terra 140 46 Disabled Proteção de Seqüência Negativa 46 142 150 154 161 170 49 27/59 81 O/U 25 Function 1 50BF No ambient temp Disabled Disabled Disabled Disabled Proteção de Sobrecarga Térmica 49 Proteção de Sobre/Subtensão 27.2009 33 .WEAR MONIT Disabled Disabled 180 181 Fault Locator L-sections FL Disabled 1 Section Localizador de Falta Seções de Linha para Localizador de Falta Supervisão do Circuito de Trip 74TC Medição de Tensão Capacitiva 182 74 Trip Ct Supv Disabled 192 Cap. 131 Parâmetro Sens. 7SJ80.1 Geral End.Meas. 59 Proteção de Sobre/ Subfreqüência 81 Grupo 1 de Função 25 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF Função de Auto-Religamento 79 Monitoramento de Desgaste do Disjuntor 52 171 172 79 Auto Recl. Publicação 05.Funções 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. NO SIPROTEC.

1.1 Geral End. Publicação 05. 20 Please select Funções Flexíveis 2.2009 . Isso pode ser. condições estacionárias (display de falta Target on PU / Target on TRIP.. Essa informação não é emitida.Funções 2. 617 Parâmetro ServiProt (CM) Opções de Ajustes Disabled T103 DIGSI Flexible Function 01 Flexible Function 02 Flexible Function 03 Flexible Function 04 Flexible Function 05 Flexible Function 06 Flexible Function 07 Flexible Function 08 Flexible Function 09 Flexible Function 10 Flexible Function 11 Flexible Function 12 Flexible Function 13 Flexible Function 14 Flexible Function 15 Flexible Function 16 Flexible Function 17 Flexible Function 19 Flexible Function 20 Ajuste Padrão T103 Comentários Uso da Porta B - FLEXIBLE FCT. resultado da falta não ter sido eliminada por um dispositivo diferente (por exemplo. 2. por exemplo. mas sem trip pelo relé 7SJ80.1 Descrição Mensagens Dependentes de Comando "No Trip – No Flag" A indicação de mensagens endereçadas para os LEDs e a provisão de mensagens espontâneas pode ser feita na dependência do dispositivo ter emitido sinal de trip. 7SJ80. se durante o distúrbio do sistema.1. A figura a seguir ilustra a criação de comando de reset para mensagens armazenadas Quando ocorre dropoff do relé.2 Dispositivo. Manual E50417-G1179-C343-A1. Essas mensagens estão assim limitadas à faltas na linha a ser protegida. o tipo de anunciação a ser emitido no evento de ocorrer uma falta no sistema de potência.2. em uma outra linha). Figura 2-1 Criação do comando de reset para o LED travado e mensagens no Display 34 SIPROTEC. uma ou mais funções de proteção tenham gerado pickup. Ajustes Gerais O dispositivo requer algumas informações gerais.1. Trip / No Trip) decidem se uma nova falta será armazenada ou resetada.

2. 610 611 640 Parameter FltDisp. Publicação 05.1. As páginas disponíveis para cada versão do dispositivo estão listadas no Apêndice A. para especificar se deve ou não aparecer mensagem de falta espontânea automaticamente no display (YES) ou (NO).2009 35 .2.1. FltDisp. Manual E50417-G1179-C343-A1.LED/LCD Spont.3 Ajustes End. FltDisp. Target on PU e Target on TRIP ("No trip – no flag") podem ser selecionadas. aparecem sobre o novo pickup ou se somente após ser emitido um novo sinal de trip. No endereço 610 FltDisp. Start image DD Opções de Ajustes Target on PU Target on TRIP YES NO image 1 image 2 image 3 image 4 image 5 image 6 Ajuste Padrão Target on PU NO image 1 Comentários Display de Falta no LED / LCD Display Espontâneo de Anunciações de Faltas Imagem Inicial de Display Padrão SIPROTEC. Pode ser selecionado se o LED armazenado se mostra e as indicações de falta espontâneas no display. Seleção do Display Padrão A página inicial do display padrão que aparece após a partida do dispositivo pode ser selecionada nos dados do dispositivo pelo parâmetro 640 Start image DD.1 Geral Mensagens Espontâneas no Display Você pode determinar ou não se os dados mais importantes de um evento de falta é automaticamente mostrado após a falta ter ocorrido (veja também a Subseção "Mensagens de Faltas" na Seção "Funções Auxiliares") 2. selecione o submenu Device no menu SETTINGS.2 Notas de Ajustes Display de Falta Um novo pickup pelo elemento de proteção geralmente apaga qualquer LED previamente aceso. 2. 7SJ80.Funções 2.5. de forma que somente a última falta é mostrada. Para selecionar o modo de display desejado.LED/LCD as duas alternativas. Use o parâmetro 611 Spont.

Warn Mem. Error Offset Alarm NO calibr Error neutralCT Pow. Oper.1 Geral 2.CFC Not configured Non Existent >Time Synch >Reset LED >Test mode >DataStop Device OK ProtActive Reset Device Initial Start Resume Clock SyncError DayLightSavTime Settings Calc. Settings Check Level-2 change Local change Event Lost Flag Lost Chatter ON Error Sum Alarm Alarm Sum Event Fail Battery I/O-Board error Error A/D-conv.Sys. Para. Data Warn Mem.Flt. Warn Mem. 7SJ80. New Informação Tipo de Info.2. SP IntSP IntSP IntSP IntSP IntSP IntSP IntSP_Ev OUT SP SP SP_Ev SP SP SP OUT IntSP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT_Ev OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT >Luz de Fundo Acesa LED Reset Parada de Transmissão de Dados Modo de Teste Alimentador ATERRADO Disjuntor ABERTO Modo de Teste do Hardware Sincronização de Relógio Disturbio CFC Nenhuma Função Configurada Função Não Disponível >Sincronizar Relógio em Tempo Real Interno >LED Reset >Modo de Teste >Parada de Transmissão de Dados Dispositivo está Operacional e Protegendo Pelo Menos 1 Função de proteção está Ativa Reset do Dispositivo Partida do Dispositivo Retomar Erro de Sincronização do Relógio Horário de Verão Calculo de ajuste em andamento Verificação de Ajustes Mudança Nível-2 Mudança de ajuste local Perda de Evento Perda de Sinalização Vibrador ON Erro com resumo de alarme Evento com resumo de alarme Falha: Bateria Descarregada Erro de Placa I/O Erro: Conversor A/D Erro: Offset Alarme: Dados de calibração NÃO disponíveis Erro: TC Neutro Diferente de MLFB Falta no Sistema de Potência Evento de Falta Falta à Terra Sensitiva Aviso: Excedido Limite de Dados de Memória Aviso: Excedido Limite de Parâmetros de Memória Aviso: Excedido Limite da Operação da Memória Aviso: Excedido Limite da Nova Memória Comentários 36 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1.Funções 2.1.4 Lista de Informações No. Publicação 05.2009 . 1 2 3 5 15 16 51 52 55 56 67 68 69 70 71 72 73 110 113 125 140 160 177 178 181 191 193 194 301 302 303 320 321 322 323 >Light on Reset LED DataStop Test mode Feeder gnd Brk OPENED HWTestMod SynchClock Distur. Fault Event sens Gnd flt Warn Mem.

As descrições seguintes estão portanto estruturadas de acordo com essas separações. o parâmetro 214 é pré-ajustado para 60 Hz.System Data 1 onde parâmetros individuais podem ser configurados. Freqüência Nominal (Sistema de Potência) A freqüência nominal do sistema é ajustada no endereço 214 Rated Frequency. é usado para mudar o padrão de seqüência de fase (A B C para rotação horária) se o seu sistema de potência tem permanentemente uma seqüência de fase anti-horária (A C B).Funções 2. isto é. polaridade e conexão das grandezas medidas. SIPROTEC. SP SP VI VI OUT OUT OUT OUT Drop Out do Relé Comentários FECHAMENTO Geral do Relé Tempo do Pickup ao Drop Out Tempo do Pickup ao TRIP Extensão de erro I/O Erro da Ethernet Erro de Terminal de Corrente Erro Básico I/O 2. não associados com uma função de proteção específica.1 Descrição O dispositivo necessita de certos dados com respeito à rede e subestação de forma que ele possa adaptar suas funções a esses dados dependendo da aplicação. Manual E50417-G1179-C343-A1. Ao fazer isso.18. de controle ou de monitoramento. dados nominais da subestação e transformadores de medição.1.System Data 1(Dados do Sistema de Potência 1) podem ser diretamente parametrizados no dispositivo.3. etc. por exemplo. uma caixa de diálogo com separações irá abrir como P. Pode ser. 2.2009 37 . Consulte a seção 2. clique duas vezes em Settings para abrir a caixa de diálogo correspondente. posição 10= C). propriedades do disjuntor (quando aplicáveis).2 Notas de Ajustes Geral Alguns P.3 Dados do Sistema de Potência 1 2. No DIGSI. 7SJ80.1. Rotação de Fase (Sistema de Potência) O endereço 209 PHASE SEQ.22 para mais informações quanto a este assunto. Existem também ceros parâmetros que são comuns a todas as funções.1. Nas versões Americanas do dispositivo (US)( dado de pedido.2).1 Geral No.3. Publicação 05. O pré-ajuste de fábrica de acordo com o modelo só necessita modificação se o dispositivo for empregado para outro propósito que não aquele para o qual havia sido planejado quando da ocasião do pedido. Uma rotação reversa temporária também é possível usando entradas binárias (consulte a Seção 2. A seção a seguir discute esses dados. 502 510 545 546 10080 10081 10082 10083 Informação Relay Drop Out Relay CLOSE PU Time TRIP Time Error Ext I/O Error Ethernet Error Terminal Error Basic I/O Tipo de Info.

Conexão de Corrente (Sistema de Potência) Via parâmetro 251 CT Connect. B. A mudança desse parâmetro também resulta em uma polaridade reversa das entradas de corrente à terra IN ou INS. Esse ajuste afeta exclusivamente a função „Monitoramento de Soma de Corrente“ (veja Seção 2. Figura A-5). Figura 2-2 Polaridade dos transformadores de corrente Conexão de Corrente I4 (Sistema de Potência) Aqui. C. (Gnd). 7SJ80. Ela só pode ser mudada se o dispositivo for ajustado para medir uma ou mais correntes à terra via duas entradas de corrente. Em todos os outros casos. for Σi é ajustado para YES. o parâmetro 280 Holmgr.Funções 2.10. o dispositivo é informado se a corrente à terra do ponto estrela do transformador de corrente está conectada à quarta entrada de corrente (I4). Manual E50417-G1179-C343-A1.3. A ilustração seguinte mostra uma conexão especial. Neste caso. exemplo de conexão no Apêndice A. o ajuste NO tem que ser feito. A conexão padrão tem que ser usada em todos os outros casos. a polaridade dos transformadores de corrente e. uma conexão especial dos transformadores de corrente pode ser determinada. ligação estrela é especificada (a figura seguinte aplica-se de acordo com dois transformadores de corrente). Isso corresponde com a conexão Holmgreen. mesmo se a corrente à terra da própria linha é medida via um transformador de corrente à terra separado. (veja. Publicação 05.1 Geral Polaridade dos Transformadores de Corrente (Dados da Rede) No endereço 201 CT Starpoint.2009 . Este ajuste determina a direção de medição do dispositivo (para frente = direção da linha). A conexão padrão é A.1). 38 SIPROTEC.

2009 39 . SIPROTEC. O ajuste deve ser selecionado de acordo com as necessidades do sistema. Uma segunda corrente à terra. G2->B. F6) A corrente à terra IN ou INS é conectada à quarta entrada (terminais F7. F8) como usual. neste caso. de A. No caso. 7SJ80. Publicação 05. Este ajuste só é possível para dispositivos com transformador de corrente à terra sensitiva.G.C.C. G->B ou A. a corrente de fase IB é determinada pelas correntes de fase IA e IC e pela corrente à terra medida IN2 na segunda entrada de corrente.G2. F2) e ao terceiro (terminais F5. Os ajustes diferem somente no cálculo de IB. A corrente à terra sensitiva na quarta entrada de corrente referese a INS. F4). G2->B são usados aqui.C. a corrente IN2 na segunda entrada de corrente refere-se a IN nas funções de proteção flexíveis e nos valores operacionais medidos.G2.Funções 2.1 Geral Figura 2-3 Medição de duas correntes à terra. a corrente de fase IB é determinada pelas correntes de fase IA e IC e pela corrente à terra medida IN ou INS na quarta entrada de corrente. Manual E50417-G1179-C343-A1.C. a corrente à terra da linha. Além disso. A tabela seguinte fornece uma visão geral de como as funções de proteção estão designadas às entradas de corrente à terra para a conexão especial. F4). neste caso. Ambos definem a conexão de uma corrente à terra IN2 à segunda entrada de corrente (terminais F3. No caso de A.G2. Os ajustes A.G. exemplo As correntes de fase IA e IC devem ser conectadas à primeira entrada (terminais F1.G.G. a corrente do ponto estrela do transformador. é conectada à segunda entrada de corrente IN2 (terminais F3.G2. G->B.

A função deve ser desativada.11) Proteção de Sobrecorrente Temporizada Monofásica (Capítulo 2. VT Connect. para avaliação das correntes de fase só são efetivos se o endereço 250 50/51 2-ph prot for ajustado para OFF. 50N(s). Publicação 05. 7SJ80. 3ph = Van. O terceiro transformador de potencial do dispositivo não é usado.1 Geral Função Entrada 2 de corrente (IN2) x x Entrada 4 de corrente (IN ou INs) Terra da proteção de sobrecorrente temporizada 50N/51N (Seção 2.3) Detecção de falta à terra 64. Os ajustes para o endereço 251 só são possíveis com DIGSI em Display Additional Settings(Display de Ajustes Adicionais). Vbc. 67N(s). Vbc. Nota Os ajustes no endereço 251 CT Connect.2009 . VSyn significa que duas tensões fase-fase (Conexão V) e a tensão de referência para VSYN estão conectadas. Vbc significa que duas tensões fase-fase (conexão V) estão conectadas. 40 SIPROTEC. VSyn é usada se a função de sincronização do dispositivo é usada e somente tensões fase-terra estão disponíveis para o objeto protegido a ser sincronizado.3. 3ph = Vph-g.Figura A-16.2) Terra da proteção de sobrecorrente temporizada direcional 67N (seção 2. Vx significa que duas tensões fase-fase (conexão V) estão conectadas. As tensões nominais do transformador para Vx são ajustadas no endereço 232 e 233. VT Connect. Uma dessas tensões é conectada ao primeiro transformador de potencial. Vcn significa que as três tensões de fase estão conectadas em estrela.Funções 2. Conexão de Tensão (Sistema de Potência) O endereço 213 especifica como os transformadores de potencial estão conectados. uma terceira tensão Vx está conectada e que é usada exclusivamente para funções de proteção flexíveis. 3ph = Vab. VT Connect. 51N(s) (Seção 2. Aqui. a tensão de referência VSYN é conectada ao terceiro transformador de potencial. VT Connect. Uma conexão na qual a função pode ser habilitada está ilustrada no Apêndice A. Vbc. 3ph = Vab.5) Display de Valores Medidos Operacionais Trilha na gravação de distúrbio 1) x x IN IN INs INs Importante! A função „Proteção de Sobrecorrente Temporizada Direcional à Terra 67N“ só pode ser habilitada se a corrente à terra da linha protegida é medida via IN2. Vbn. a corrente à terra da linha protegida é medida via IN. 3ph = Vab. isto é. VT Connect. O Apêndice fornece alguns exemplos de conexão em A. VT Connect. 3ph = Vab. Manual E50417-G1179-C343-A1.3. as três tensões fase-terra são medidas. Este não é o caso do exemplo mostrado na Figura2-3. Este ajuste é habilitado se a função de sincronização do dispositivo é usada. Além disso. VGnd significa que duas tensões fase-fase (conexão V) e a tensão residual VGND estão conectadas.

Vbc or Vab. Vbc. Vbc.falta à terra sencorrente de Fase corrente à Terra sitiva 50Ns. A tabela fornece uma visão geral das funções que podem ser ativadas para o tipo de conexão correspondente (depende também da MLFB).. VSyn 1) Sincronização Localizador de falta Monitoramento de falha do fusível sim sim não não não não sim sim sim sim sim não sim sim sim1) sim1) não não sim sim sim2) sim2) sim2) sim2) não não não não sim sim sim sim não não não não 2) Determinação da direção só é possível pela avaliação do sistema de seqüência negativa (caso contrário.1 Geral A seleção da conexão do transformador de potencial afeta todas as funções do dispositivo que requerem entrada de tensão. VGnd Vab.cional de sobre. Cap. Publicação 05. Vx ou Vab. Volt.capacitâncias de bucha. as assim chamadas . A Tabela 2-2 fornece informações sobre este tópico. Volt.Meas. Vbc Vab. Vbn. Se a conexão do objeto protegido é capacitiva (endereço 192.Funções 2.2009 41 .Meas. Vbc. 67/67-TOC 67N/67N-TOC 51Ns. A medição de tensão capacitiva sempre mede as tensões fase-terra do dispositivo de proteção. VSyn Vph-g. Os ajustes Vab. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80. 67Ns Van. VSyn ou Vph-g. Os transformadores de potencial primários usuais não são relevantes neste caso. VSyn não permitem determinar a tensão de seqüência zero. selecione sistema de seqüência zero ou sistema de seqüência negativa). As funções que não estão mostradas estão disponíveis para todos os tipos de conexão. Vbn. Vbc.As funções de proteção associadas estão inativas neste caso. Vcn). os elementos de tensão não trabalham. Vx Vab. a tensão será medida via. Tabela 2-1 Tipo de Conexão Tipos de Conexão dos Transformadores de Potencial Funções Proteção direProteção direDetecção de cional de sobre. Com este tipo de conexão de transformador de potencial os elementos de corrente operam somente nãodirecional. o parâmetro 213 não é mostrado.3. SIPROTEC. Yes. O dispositivo assumirá neste caso que as três tensões fase-terra estão conectadas (ajuste Van. Vbc. O Apêndice fornece alguns exemplos de conexão para todos os tipos de conexão em A. Vcn Vab. Com conexão de tensão capacitiva. A figura seguinte mostra este tipo de conexão. Medição de Tensão Capacitiva Ao selecionar medição de tensão capacitiva na Configuração do Dispositivo no endereço 192 Cap. algumas funções não estão disponíveis.

trans. as capacitâncias de linha e de interferência também afetam a tensão medida alimentada para o dispositivo de proteção.1 Geral Figura 2-4 Conexão para a medição da tensão capacitiva em princípio Em adição às capacitâncias de bucha.0 MΩ. • O segundo valor a ser configurado é a soma das capacitâncias da linha e de interferência (CS.C = CS.B = CS.A + 2200 pF = CD. elas não são consideradas como um valor fixado internamente mas elas tem que ser configuradas (veja também o cabeçalho „Otimização de Valores de capacitância Configurados“).Lx) a capacitância de entrada (2200 pF).C:C1 246 Volt. As tensões de entrada do dispositivo tem como recurso uma capacitância de entrada de 2.Funções 2.Lx).trans.B:C2 245 Volt.C + 2200 pF 42 SIPROTEC.2009 . Manual E50417-G1179-C343-A1. Como as capacitâncias de entrada podem ter uma tolerância de ±20%.trans.B:C1 244 Volt. As capacitâncias são configuradas como segue: Fase A Fase B Fase C 241 Volt. Dois valores de capacitância devem ser configurados para cada uma das três entradas de tensão ao usar medição de tensão capacitiva.A:C2 243 Volt.B + 2200 pF = CD.2nF e um componente ôhmico de 2.trans.trans. 7SJ80. Essas capacitâncias são primariamente determinadas pelo tipo e extensão da linha de conexão.C:C2 = CD.trans.A:C1 242 Volt. • O primeiro valor a ser configurado é a capacitância de bucha (CD. Publicação 05.A = CS.

x Tensão primária da fase x Vsec. O eixo x mostra o valor da capacitância de bucha. valores mais altos do que 1800 pF são aqui recomendados.LX + 2200 pF. x Tensão na entrada de tensão do dispositivo de proteção CD.Lx Valor das capacitâncias de linha e de interferência para a fase x exec. O eixo y mostra a relação resultante da tensão secundária para a tensão primária.Lx Valor da capacitância de bucha para a fase x CS. Como a capacitância de entrada de 2200 pF pode ter uma tolerância de ±20 %. Essas tensões podem assumir diferentes valores pra três entradas de tensão. a relação da tensão secundária para a primária é de cerca de 20 % mais alta do que os valores deste exemplo. capacitâncias no sistema de potência e impedâncias das entradas de tensão que são consideradas. varia na faixa de 2200 pF a 10. Publicação 05. x para fase x pode ser determinada usando a seguinte fórmula: com Vprim.000 pF em incrementos de 500 pF.Funções 2. Figura 2-5 Medição da tensão capacitiva SIPROTEC. o valor C S. A tensão Vsecondary. Com uma freqüência de 60 Hz. que é a soma da capacitância da linha.1 Geral Condições de Fronteira para Medição da Tensão Capacitiva As tensões nas entradas dos dispositivos de proteção são o resultado da tensão nominal primária. Como parâmetro adicional. A freqüência é de 50 Hz. 7SJ80. Freqüência do sistema (50 Hz ou 60 Hz) A figura seguinte representa graficamente a equação acima. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 43 . capacitância de interferência e capacitância de entrada.

O valor da capacitância de bucha configurada deverá aumentar pelo percentual em que a tensão fase-terra seja muito grande ou será reduzido pelo percentual em que seja muito menor a tensão fase-terra mostrada.Par. etc. o valor configurado tem que ser reduzido correspondentemente.“ após a partida.Funções 2. O valor configurado deve ser corrigido por 4 % por grau de erro de ângulo (ângulo real menos ângulo desejado). Se a tensão primária for conhecida. Isto baseia-se no fato de que uma configuração incorreta da capacitância de bucha afeta usualmente o valor da tensão secundária e não somente o ângulo de fase.2009 . se o erro de ângulo for negativo tem que ser correspondentemente aumentado. Se essa condição não for satisfeita para pelo menos uma das três entradas de tensão.). Beneficiamo-nos dos erros de fase pela comparação dos ângulos de fase (ϕ A. As tensões medidas são normalizadas pelo dispositivo de forma que as três tensões fase-terra ainda poderão estar ligadas por cálculo ( por exemplo. O ajuste do parâmetro 203 Vnom SECONDARY deverá ser grosseiramente equivalente à tensão nos terminais do dispositivo de proteção na tensão nominal primária. o valor da capacitância de bucha (CD. Publicação 05. Podemos então concluir que tensões idênticas no lado primário são mapeadas de forma diferente das tensões de entrada. 7SJ80. a função do dispositivo será bloqueada. Essa normalização tem o efeito de que a tensão nominal primária no dispositivo conduz a valores de tensão que correspondem à tensão nominal secundária configurada (parâmetro 203 Vnom SECONDARY) apesar das tensões reais nos terminais de entrada serem diferentes.Fail. uma faixa de ajuste de 34 V a 140 V será suficiente para esse parâmetro. x) a ser configurado pode ainda ser otimizado posteriormente. Normalização Interna das Tensões Medidas Os valores de capacitância para as três entradas de tensão não serão usualmente absolutamente idênticas. Se o ângulo de fase da tensão primária para a corrente primária for conhecido. os valores exatos para a capacitância de bucha e para as capacitâncias de linha e de interferência serão desconhecidas.x) e capacitância de entrada pode ainda ser otimizado posteriormente. Beneficiamo-nos do erro de amplitude pela comparação das tensões primárias fase-terra nos valores operacionais medidos com seus valores de setpoint. Além disso.1 Geral O dispositivo pode funcionar completamente somente se a tensão secundária que resulta da tensão nominal no lado primário permanecer dentro de uma certa faixa. a capacitância das entradas de tensão têm uma tolerância de ±20 %. para calcular as tensões fase-fase do sistema de seqüência positiva e do sistema de seqüência negativa. Se a tensão nominal primária nas entradas de tensão causam uma tensão muito pequena ou muito alta. 44 SIPROTEC. Isto está baseado no fato de que essas capacitâncias geralmente afetam o ângulo de fase da tensão secundária e não apenas a amplitude. Essa verificação de plausibilidade ocorre sempre que o dispositivo é iniciado baseado nos valores do parâmetro configurado para a tensão nominal primária e valores de capacitância configurados. ϕ B e ϕ C) nos valores operacionais medidos com seus valores de setpoint. a faixa operacional para as tensões de entrada é por conseqüência 34 V / √3 a 140 V / √3 . Manual E50417-G1179-C343-A1. O pré-requisito para o ângulo de fase entre a tensão fase-terra e a corrente de fase a ser mostrado é de que a corrente atinja pelo menos 10% do valor nominal. Se o erro de ângulo for positivo. Nota Os ajustes para a tensão nominal primária e os ajustes para os valores de capacitância devem levar a uma tensão entre 34 V e 140 V no lado secundário (entradas de tensão do dispositivo) com a tensão nominal do lado primário . Essas incertezas podem causar erros de amplitude e de fase da tensão medida. o dispositivo irá gerar as mensagens „Device Failure“(Falha do Dispositivo) e 10036 „Capac. Otimização dos Valores de Capacitância Configurados Em muitos casos. Se selecionada a medição de tensão capacitiva. o valor de ajuste para a soma da capacitância da linha e capacitância de interferência (CS. Como as tensões de entrada são tensões fase-terra.

É importante assegurar que a corrente nominal secundária do transformador de corrente case com a corrente nominal do dispositivo. são parametrizadas informações com respeito aos nominais primários e secundários em ampéres dos transformadores de corrente. Os elementos de corrente sempre operam não direcionais. No caso de uma conexão normal ( corrente do ponto estrela conectada ao transformador IN). Publicação 05. ATEX100 (Sistema de Potência) O parâmetro 235 ATEX100 habilita o encontro das necessidades para proteção de motores protegidos de explosão para réplicas térmicas. Nas versões Americanas do dispositivo (US)( dado de pedido. operacional não operacional Modos operacionais que usam a potência não estão disponíveis. Eles devem ser reparametrizados nos respectivos endereços. para resetar os valores de sobretemperatura calculados de todas as réplicas térmicas para zero se a fonte de alimentação falhar. 7SJ80. Ajuste este parâmetro para YES para salvar todas as réplicas térmicas dos dispositivos 7SJ80 no caso de uma falha da fonte de alimentação. Ajuste o parâmetro para NO. 217 Ignd-CT PRIM e 204 CT PRIMARY devem ser ajustados para o mesmo valor. Influência da Medição de Tensão Capacitiva A tabela seguinte mostra como a medição da tensão capacitiva afeta as funções do dispositivo dependentes de tensão. Se o dispositivo possuir o recurso de entrada de corrente à terra sensitiva. esse parâmetro passa a não ter importância. não operacional não operacional Potência e Energia não disponíveis Função Proteção de Sobrecorrente Temporizada Direcional 67.2009 45 .Funções 2. o parâmetro 218 Ignd-CT SEC é ajustado para 1 A. A mudança da unidade de distância não implica na conversão automática dos valores de ajustes que são dependentes da unidade de distância. 67Ns Proteção de Freqüência 81 O/U Synchrocheck Funções de Proteção Flexíveis Localizador de falta Monitoramento de Falha do Fusível Valores Operacionais Medidos Unidade de Distância (Sistema de Potência) O endereço 215 Distance Unit permite que voce especifique a unidade de (km ou Milhas) para o localizador de falta. caso contrário. Valores Nominais de Transformadores de Corrente (TCs) Nos endereços 204 CT PRIMARY e 205 CT SECONDARY são parametrizadas informações com respeito aos amperes nominais primário e secundário dos transformadores de corrente. as réplicas térmicas terminarão a operação usando os valores armazenados. Na ausência de um localizador de falta ou se essa função tiver sido removida. SIPROTEC. o dispositivo calculará dados primários incorretos. 59 Detecção de Falta à Terra 64. Os elementos de tensão não estão disponíveis.1 Geral Os estágios de otimização para as capacitâncias a serem configuradas para cada canal de tensão podem ter de ser repetidos até que a precisão desejada tenha sido alcançada. Tabela 2-2 Influência da Medição de Tensão capacitiva Efeito operacional operacional Favor observar os aumentos de tolerâncias da tensão medida. Manual E50417-G1179-C343-A1. posição 10= C). Após restabelecida a tensão de alimentação. Nos endereços 217 Ignd-CT PRIM e 218 Ignd-CT SEC. 67N Proteção de Tensão 27. 50Ns. os parâmetros 205 e 218 são ajustados para 5A.

mesmo se a tensão V0 não está conectada. Duração de Comando de Trip e Close (Disjuntor) No endereço 210 é ajustada a duração de comando de trip mínima TMin TRIP CMD. para o valor medido operacional VN e monitoramento variável medido. 46 SIPROTEC. 7SJ80. tiver sido ajustado de forma que as correntes à terra sejam medidas por duas entradas (Opções de Ajustes A. Aplica-se à função de religamento integrada. G2->B). Manual E50417-G1179-C343-A1. Vbc. Deve ser ajustada suficientemente longa para assegurar que o disjuntor feche com segurança.G. são parametrizadas informações com respeito à tensão nominal primária e secundária (fase-fase) dos transformadores de potencial conectados. Esse ajuste aplica-se a todas as funções de proteção que podem dar inicio a trip.G. Assim.2009 . e no endereço 239 Ignd2-CT SEC. isso deve ser especificado em concordância no endereço 213 (veja cabeçalho de margem “Conexão de Tensão”). Para outras relações de transformação. Vbn. isto é.endereço 206 Vph / Vdelta) deve ser ajustado para 3/ √3 = √3 = 1. Com o tipo de conexão de tensão Van.G2. o parâmetro Vph / Vdelta é usado para calcular as tensões fase-terra e dessa forma importante para a função de proteção.73 que deve ser usado se a tensão VN estiver conectada. esse parâmetro só é usado para calcular o valor medido operacional da “tensão secundária VN“.G2. o endereço 206 tem um impacto no valor medido operacional secundário VN. Se for selecionado Vab. Como a relação do transformador de potencial é normalmente a seguir: O fator Vph/VN (tensão secundária.C.1 Geral Se o endereço 251 CT Connect.Funções 2. Essa informação é relevante para o processamento de faltas à terra (em sistemas aterrados e sistemas não-aterrados). Favor considerar que também a tensão secundária calculada V0 é dividida pelo valor ajustado no endereço 206. Publicação 05. a corrente nominal secundária do segundo transformador de corrente à terra conectado a IN2. Para o cálculo correto da corrente de fase IB. o fator deve ser corrigido correspondentemente. Valores Nominais dos Transformadores de Potencial (TPs) Nos endereços 202 Vnom PRIMARY e 203 Vnom SECONDARY. Vcn. deve ser mais baixa do que a corrente nominal primária do transformador de corrente de fase (endereço 204). Relação de Transformação dos Transformadores de Potencial (TPs) O endereço 206 Vph / Vdelta informa o dispositivo sobre o fator de ajuste entre a tensão de fase e a tensão residual. que é usado para o cálculo de IB (endereço 217 ou endereço 238). G->B or A. Se o conjunto de transformadores de potencial está com enrolamento em delta aberto e se esses enrolamentos estão conectados ao dispositivo. No endereço 211 é ajustada a duração do comando CLOSE máxima TMax CLOSE CMD. você deve entrar com a corrente nominal primária no endereço 238 Ignd2-CT PRIM. a formação da tensão residual via um conjunto de transformadores interconectado. Uma duração excessiva não causa problema pois o comando de fechamento é interrompido no caso de um outro trip ser iniciado pela função de proteção. a corrente nominal primária do transformador de corrente à terra.C. VGnd como tipo de conexão de tensão.

14. a grandeza medida na quarta entrada de corrente é avaliada. Se o parâmetro for ajustado para ON. Via parâmetro 250 50/51 2-ph prot a proteção de sobrecorrente temporizada pode ser configurada para operação bifásica ou trifásica.1 Geral Monitoramento de Fluxo de Corrente (Disjuntor) O endereço BkrClosed I MIN corresponde ao valor limite do sistema de monitoramento de fluxo de corrente integrado.) calculados das três correntes de fase. QUANTITY 59 e 615 OP. o harmônico fundamental da maior das três tensões fase-fase (Vphph) ou tensões fase-Terra (Vph-n) ou a tensão de seqüência positiva (V1) ou a tensão de seqüência negativa (V2) é fornecido para os elementos de proteção de sobretensão. Neste caso. w. uma comparação direta das grandezas medidas com o valor limite é efetuado e a parametrização da substituição da grandeza característica é ignorada. Os parâmetros e os diferentes procedimentos estão explicados nas Notas de Ajustes dessa função (veja Seção 2. contudo. No primeiro caso. BI 88V ou Thresh. w. proteção de sobrecarga e manutenção do disjuntor). Se o limite de corrente ajustado é excedido. Todas as outras funções.20. a proteção de subtensão permanece tanto na tensão de seqüência positiva (V1) ou na menor das tensões fase-fase (Vphph) ou nas tensões faseTerra (Vph-n). Manual E50417-G1179-C343-A1. Com transformadores de tensão monofásicos.Funções 2. O ajuste de valor limite aplica-se às três fases e devem ser levadas em consideração todas as funções de proteção que estiverem em uso. BI 19V . Isso é configurado pelo ajuste do valor do parâmetro no endereço 614 OP. proteção de tensão com critério de corrente. permite que você especifique se a proteção de falha do disjuntor ou o monitoramento de falha do fusível usarão os valores medidos Ignd (medido) ou os valores 3I0 (calcul. a corrente de soma é calculada das entradas de corrente trifásicas. Thresh.2).2009 47 . Na conexão trifásica. a proteção de falta à terra sempre usa a variável calculada 3I0. Esse parâmetro é usado por várias funções de proteção (por exemplo. Proteção de Falta à Terra (Grandezas de Operação de Proteção) O parâmetro 613 Gnd O/Cprot. o disjuntor é considerado fechado e o sistema de potência é considerado em operação.o valor 0 A ao invés do valor medido para IB é usado permanentemente para a comparação de limite de forma que nenhum pickup seja possível na fase B. Proteção de Tensão (Grandezas de Operação de Proteção) Em uma conexão trifásica. QUANTITY 27. Limites de Pickup das Entradas Binárias (Limites BI) No endereço 220 Threshold BI 1 a 226 Threshold BI 7 você pode ajustar os limites de pickup das entradas binárias do dispositivo. operam no modo trifásico. Se o dispositivo possuir o recurso de entrada de corrente à terra sensitiva (faixa de medição inicia em 1 mA). Publicação 05. não está disponível.2). SIPROTEC. O limite de pickup para a proteção de falha do disjuntor é ajustado separadamente (veja 2. No último caso. BI 176V. Proteção de Sobrecorrente Temporizada Bifásica (Grandezas de Operação de Proteção) A funcionalidade da proteção de sobrecorrente temporizada bifásica é usada em sistemas isolados ou ressonantes-aterrados onde a interação dos dispositivos trifásicos com equipamentos de proteção bifásicos existentes se faz necessária. 7SJ80. São possíveis os ajustes Thresh. Manutenção do Disjuntor (Interrupção) Os parâmetros 260 ao 267 estão designados para manutenção do disjuntor. o parâmetro 613 Gnd O/Cprot.

1.20 . VSyn ou Vab..00 sec 212 BkrClosed I MIN 1A 5A 0..04 .20 A Van. Vbc. A coluna C (Configuração) indica a corrente nominal secundária correspondente do transformador de corrente. A tabela indica ajustes padrão específicos de região. 5.00 . Publicação 05. TMin TRIP CMD TMax CLOSE CMD ABC ACB 0. Vcn Vab.Funções 2.. Vbc or Vab. VSyn Vab.00 A Van..1.00 Ajuste Padrão towards Line 20. 3ph é ajustado para Vph-g. a opção de ajuste Vph-n para o parâmetro 614 e 615 não está disponível.00 sec ABC 0. VSyn Vab.01 .00 sec 0. em "Display Additional Settings"(Mostrar Ajustes Adicionais). VGnd Vab.3.00 A 0.3 Ajustes Endereços que possuem um "A" só podem ser mudados com DIGSI. 50000 A 1A 5A 1. Manual E50417-G1179-C343-A1. 3. Vbc Vph-g. a tensão medida pelo transformador de potencial 1 é sempre usada para a proteção de tensão.2009 . Vbn. Vbn. Vbc. Nota Se o parâmetro 213 VT Connect. 800. os parâmetros 614 e 615 não estão disponíveis. Vbc.04 A 0. 3ph é ajustado para Vab.10 . 2. 7SJ80. 32. 225 V 10 .00 kV 100 V 400 A 1A 1..00 kV 34 . 201 202 203 204 205 206A Parâmetro CT Starpoint Vnom PRIMARY Vnom SECONDARY CT PRIMARY CT SECONDARY Vph / Vdelta C Opções de Ajustes towards Line towards Busbar 0.15 sec 1. Vx 0. Vbc. 32. Vx.. Então. Vbc... End. VSyn. Vcn 213 VT Connect.1 Geral Nota Se o parâmetro 213 VT Connect. trifásica 209 210A 211A PHASE SEQ.01 .73 Comentários Ponto estrela do TC Tensão Primária Nominal Tensão Secundária Nominal (L-L) Corrente Primária Nominal do TC Corrente Secundária Nominal do TC Relação de Casamento Fase-TV para Delta Aberto TV Seqüência de Fase Duração Mínima de Comando de TRIP Duração Máxima de Comando de FECHAMENTO Limite de Corrente Mínimo para Disjuntor Fechado Conexão TP. 3ph 48 SIPROTEC.

400 A 239 241 242 243 Ignd2-CT SEC. BI 88V Thresh.trans.0 pF 250 . BI 88V Thresh. BI 19V Thresh. BI 88V Thresh.Funções 2.2009 49 . 800.00 kV 100 V YES 238 Ignd2-CT PRIM. 50000 A Ajuste Padrão 50 Hz km 60 A 1A Thresh. 100. BI 19V 0.0 . BI 176V Thresh. BI 176V 226 Threshold BI 7 Thresh.. BI 176V Thresh.00 kV 100 .0 pF 2200 pF 10. BI 19V Thresh. BI 176V Thresh. 100. BI 176V 232 233 235A VXnom PRIMARY VXnom SECONDARY ATEX100 20. Volt. BI 176V 223 Threshold BI 4 Thresh. 50000 A 1A 5A Thresh.. BI 88V Thresh. Publicação 05.. BI 176V 224 Threshold BI 5 Thresh.0 . BI 19V Thresh. 225 V NO YES 1 . BI 19V Thresh. BI 88V Thresh.trans. BI 176V Thresh. BI 176V Thresh..B:C1 1A 5A 1. BI 19V Thresh.trans.0 pF SIPROTEC. BI 88V Thresh.. 10000 pF 1.A:C1 Volt. 214 215 217 218 220 Parâmetro Rated Frequency Distance Unit Ignd-CT PRIM Ignd-CT SEC Threshold BI 1 C Opções de Ajustes 50 Hz 60 Hz km Miles 1 . BI 176V 225 Threshold BI 6 Thresh. BI 176V Thresh. BI 88V Thresh. BI 19V Thresh. BI 176V Comentários Freqüência Nominal Unidade de Medição de Distância Corrente primária nominal do TC Ignd Corrente secundária nominal do TC Ignd Limite para Entrada Binária 1 Limite para Entrada Binária2 Limite para Entrada Binária 3 Limite para Entrada Binária 4 Limite para Entrada Binária5 Limite para Entrada Binária6 Limite para Entrada Binária 7 Tensão Primária Nominal X Tensão Secundária Nominal X Armazenamento de nº de Réplicas sem Fonte de Alimentação Corrente primária nominal do TC Ignd2 (conexão a I2) Corrente secundária nominal do TC Ignd2 (I2) Transdutor de tensão A: Capacidade C1 Transdutor de tensão A: Capacidade C2 Transdutor de tensão B: Capacidade C1 221 Threshold BI 2 Thresh.1 Geral End.. BI 176V Thresh.A:C2 Volt.0 pF 1A 10. BI 176V 222 Threshold BI 3 Thresh. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1..10 .

2009 . 262 263 Isc-52 OP.1 Geral End. w.. C.G2.) Vphph Vph-n V1 V2 V1 Vphph Vph-n 2. (Gnd) A.. 10000 pF 1. 500 ms NO YES Ignd (measured) 3I0 (calcul. 244 245 246 250A Parâmetro Volt.trans. QUANTITY 59 Ignd (measured) Vphph 615A OP. A.Funções 2... 10000 pF OFF ON A.B:C2 Volt.C. 51 com proteção bifásica Conexão TC 251A CT Connect.G. B.0 pF 2200 pF OFF Comentários Transdutor de tensão B: Capacidade C2 Transdutor de tensão C: Capacidade C1 Transdutor de tensão C: Capacidade C2 Sobrecorrente Temporizada 50.via control 1.trans. 3.C:C2 50/51 2-ph prot C Opções de Ajustes 250 .C:C1 Volt. G->B A. for Σi 80 ms 65 ms NO 613A 614A Gnd O/Cprot. 1000000 Ajuste Padrão 2200 pF 10..trans. 7SJ80.0 ..C. QUANTITY 27 V1 50 SIPROTEC. Grandeza Operacional para Proteção de Subtensão 27. 50000 A 100 .0 pF 250 . OP.. B. 600 ms 1 .0 (Opções de Ajustes depend on configuration) 1 ..0 . C. 1000 25000 A 50 264 265 Ix EXPONENT Cmd. 100.CYCLES AT Ir 125 A 10000 Corrente Normal Nominal (Disjuntor 52) Ciclos de Chaveamento na Corrente Normal Nominal Corrente Nominal de Interrupção de Curto-Circuito Ciclos de Chaveamento na Corrente Nominal de Curto-Circuito Expoente para o método Ix 52 Desgaste do Disjuntor: Cmd aberto via Dispositivo de Controle Tempo de Interrupção (Disjuntor 52) Tempo de Abertura (Disjuntor 52) Conexão Holmgreen (para monitoramento rápido de corrente de soma) Proteção de Sobrecorrente à Terra com Grandeza Operacional para Proteção de Sobretensão 59.. G2->B 10 . Publicação 05.CYCLES Isc 10 . Manual E50417-G1179-C343-A1.0 None 266 267 280 T 52 BREAKTIME T 52 OPENING Holmgr.G2..G. (Gnd) 260 261 Ir-52 OP. 100000 A 1 .

VC. VA2. Até 8 eventos de faltas podem ser gravados nesse buffer. A memória de gravação de falta é automáticamente atualizada com cada nova falta de forma que não exista reconhecimento das faltas previamente gravadas. iB.4 Lista de Informações No.Par.Capacidades do divisor Comentários >Rotação de Fase Reversa 2. Vph-n. 7SJ80. Tipo de Info. Publicação 05. No caso de uma falta.1.1. VB3. VN. o dado é armazenado por um período determinado. VSYN (tensões dependem da conexão) são amostrados em intervalos de 1.Funções 2. SP OUT OUT OUT Rotação de Fase ABC Rotação de Fase ACB Erro de Parametrização de Tensão. VX. Os valores instantâneos dos valores medidos iA. SIPROTEC.2009 51 . iNs e VA. Manual E50417-G1179-C343-A1. iN. Rotation ABC Rotation ACB Capac. VC1.3. a gravação dos dados do evento da falta também pode ser iniciada por uma entrada binária ou por uma interface serial. mas não por mais de 5 segundos. Em adição à proteção de pickup.4 Registros Gráficos de Faltas (Oscilografias) A Proteção Multifunção com Controle 7SJ80 está equipada com memória de gravação de falta. iC.Fail. 5145 5147 5148 10036 Informação >Reverse Rot.1 Geral 2.0 ms (a 50 Hz) e armazenados em buffer (20 valores amostrados por ciclo). VB.

Correntes e tensões são preparadas para uma representação gráfica.G. os seguintes valores medidos são gravados na gravação de falta: Conexão de tensão Van.C. por exemplo. "trip". Se a porta B do dispositivo tiver sido configurada correspondentemente. A recuperação dos dados de falta pelo controlador central é automaticamente executada tanto após cada pickup da proteção como após trip.2009 . Vbn. Correntes e tensões podem ser representadas tanto como valores primários como secundários.Funções 2.C.G2. VSyn sim sim sim Vph-g. Vcn VAB VBC VCA VA VB VC V V0 VSYN Vx Nota Os sinais usados para as trilhas binárias podem ser alocados no DIGSI. VGnd sim sim sim sim sim sim sim Vab.1.. 52 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. por exemplo. Vbc. 7SJ80. sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim sim Vab.4. Dependendo do tipo de conexão selecionado dos transformadores de potencial (endereço 213 VT Connect. G2->B tiver sido selecionado via parâmetro 251 CT Connect. G->B ou A. Vx sim sim sim Vab. SIGRA 4 represneta graficamente os dados gravados durante um evento de falta e também calcula informações adicionais a partir dos valores medidos.G2.G. Vbc. A corrente à terra detectada pelo quarto transformador de corrente é indicadea na trilha INs. VSyn Nota Se um dos tipos de conexão do transformador de corrente A. Publicação 05. Vbc.1 Geral 2. "pickup". Vbc sim sim sim Vab. 3ph). Os sinais são adicionalmente gravados como trilhas binárias (marcas). Os sinais são adicionalmente gravados como trilhas binárias (marcas). "trip".1 Descrição Os dados de um evento de falta podem ser lidos via interface do dispositivo e avaliados com a ajuda do software analizador gráfico SIGRA 4. "pickup". a corrente à terra IN2 medida com o segundo transformador de corrente é indicada na trilha IN. o dado de gravação de falta pode ser importado por um controlador central por meio dessa interface e avaliado.

Pickup) como o trip do dispositivo (Save w. O tempo real de armazenamento acompanha o tempo de pré-falta PRE.00 sec. O critério para salvar pode ser tanto o pickup do dispositivo (Save w. a extensão da gravação iguala o tempo em que a entrada binária é ativada (estático). se necessárias — que pode ser gravada até que a falta seja eliminada (endereço 402 WAVEFORM DATA = Pow. endereço 403). mas também consome capacidade de armazenamento durante o tempo(s) morto(s) do religamento automático. TRIP Fault event Pow.00 sec 0. 0.Flt. TRIP Start w. o disparo é o pickup de um elemento de proteção. neste caso.1 Geral 2. Se for realizado o religamento automático.30 . 5. A duração máxima de gravação de cada falta (MAX.10 sec 0. TIME POST REC. A extensão da gravação da falta é ajustada no endereço 406 BinIn CAPT. tempo de gravação normal e tempo pós-falta POST REC. Outros ajustes pertinentes à gravação de falta (captura de forma de onda) são encontrados no submenu Osc. 2. TRIP). TRIP). Fault Rec. Contudo. TRIG. isto é.Funções 2.. Se o tempo da entrada binária está ajustado para ∞. Um evento de falta inicia com o pickup por qualquer função de proteção e finaliza quando ocorra dropout do último pickup de uma função de proteção. Normalmente.4. LENGTH PRE..00 sec 0. Isso facilita a representação do histórico da falta de todo o sistema. 0.50 sec 0.50 sec 0. Usualmente.50 sec Escopo de Dados de Forma de Onda Extensão Máxima da Gravação de Captura de Forma de Onda Forma de Onda Capturada Antes do Disparo Forma de Onda Capturada depois do Evento Tempo de Captura via Entrada Binária SIPROTEC. 5. O armazenamento é então disparado dinamicamente.Flt. OSC.05 . mas não maior do que MAX. a extensão total de tempo de todas as gravações de faltas no buffer não deve exceder 18 segundos. o tempo 0 é definido como o instante do primeiro pickup da função de proteção. Manual E50417-G1179-C343-A1. TIME (endereço 405) após reset do critério de armazenamento..Um comando de trip emitido pelo dispositivo também pode ser usado como instante do disparo (Start w. A gravação por falta não deve exceder 5 segundos.05 .4. Publicação 05. Pickup Comentários Captura de Forma de Onda 402 403 404 405 406 Fault event 2.1.Sys.1. TIME (endereço 404) além do instante de referência. FAULT REC. LENGTH (endereço 403). falta de todo o sistema — com várias tentativas de religamento. LENGTH) é parametrizada no endereço 403..2009 53 . 0. 401 Parâmetro WAVEFORMTRIGGE R WAVEFORM DATA MAX. Uma gravação oscilográfica pode ser disparada por uma mudança de status de uma entrada binária ou por um PC via interface do operador. TRIG.25 sec 0. LENGTH.2 Notas de Ajustes Especificações Gravação de falta (captura de forma de onda) somente ocorrerá se o endereço 104 OSC. Tempos de pré e pós falta serão adicionados a isso. é também a extensão de uma gravação de falta (endereço 402 WAVEFORM DATA = Fault event).Sys. for ajustado para Enabled (Habilitado). ∞ Ajuste Padrão Save w. do menu SETTINGS.TIME Opções de Ajustes Save w.).3 Ajustes End. é também o critério para salvar. Um total de 8 gravações pode ser salvo.TIME (mas não mais do que MAX.10 . Captura de forma de onda faz uma distinção entre o instante do disparo para uma gravação oscilográfica e o critério para salvar a gravação (endereço 401 WAVEFORMTRIGGER). FAULT REC. 7SJ80. Pickup Save w. TIME BinIn CAPT.

2.1. interface de serviço usando um computador pessoal ou via interface do sistema. Enquanto os valores de ajustes podem variar. Para o ajuste dos parâmetros da função. Se a opção de mudança for desejada.5 Grupos de Ajustes Até quatro grupos de ajuste diferentes podem ser criados para estabelecimento dos ajustes de funções do dispositivo. Um grupo de ajuste inclui os valores de ajustes para todas as funções que tenham sido selecionadas como Enabled(Habilitadas) durante a configuração (consulte a Seção 2. 4 203 30053 FltRecSta >Trig.1. A subseção 3.1.1. cada um dos grupos de ajuste requeridos A a D (um máximo de quatro) deve ser configurado em seqüência. Por razões de segurança não é possível mudar entre grupos de ajuste durante uma falta do sistema de potência. A Descrição do Sistema SIPROTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description) fornece mais informações em como copiar grupos de ajuste ou resetá-los a seus status de despacho de fábrica e também como mudar de um grupo de ajuste para outro.1 Geral 2.Funções 2.4.5.Cap. Publicação 05.1 Descrição Mudando Grupos de Ajuste Durante a operação o usuário pode alternar para frente e para tras localmente os grupos de ajuste via painel operador.1.4 Lista de Informações No. as funções selecionadas de cada grupo de ajuste permanecem as mesmas. O restante deste parágrafo não tem então relevância.1 deste manual informa a você como mudar entre vários grupos de ajuste externamente por meio de entradas binárias.Wave.2 Notas de Ajustes Geral Se você não precisa da opção de mudança de grupo de ajuste use o grupo padrão A. Informação Tipo de Info. 54 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 . run. 7SJ80. Wave. IntSP SP OUT_Ev OUT Comentários Inicia Gravação de Falta >Dispara Captura de Forma de Onda Deletados Dados de Forma de Onda Gravação de Falta está em andamento 2.2). Nos relés 7SJ80. quatro grupos de ajustes independentes (A a D) estão disponíveis. 2. deleted Fault rec.1. a mudança de grupo deve ser ajustada para Grp Chge OPTION = Enabled (endereço 103) quando a extensão da função for configurada.5. entradas binárias (se assim configurado) .

Funções 2..2009 55 . Ao contrário do P.5.1 Descrição Os dados de proteção geral (P.6. isto é. não associadas com uma proteção específica ou função de monitoramento. SIPROTEC.5. Manual E50417-G1179-C343-A1.System Data 2) incluem parâmetros comuns a todas as funções. 7 8 Information P-GrpA act P-GrpB act P-GrpC act P-GrpD act >Set Group Bit0 >Set Group Bit1 Tipo de Info. como já discutido.System Data 1.6 Aplicações Dados do Sistema de Potência 2 • Se a tensão de referência primária e a corrente de referência primária do objeto protegido estão ajustadas. Publicação 05.1.1. 7SJ80.3 Ajustes End.1 Geral 2.1. o dispositivo está apto a calcular e emitir os valores medidos operacionais em porcentagem 2. 302 Parâmetro CHANGE Opções de Ajustes Group A Group B Group C Group D Binary Input Protocol Ajuste Padrão Group A Comentários Mudar para Outro Grupo de Ajuste 2. podem ser mudados com o grupo de parâmetros. IntSP IntSP IntSP IntSP SP SP Comentários Grupo de Ajuste A está ativo Grupo de Ajuste B está ativo Grupo de Ajuste C está ativo Grupo de Ajuste D está ativo >Seleção de Grupo de Ajuste Bit 0 >Seleção de Grupo de Ajuste Bit1 2.4 Lista de Informações No.1.

poderá ser aplicado o seguinte: • para seção de linha 1.26 Ω/km R1/s = 0. A relação de resistência RE/RL e relação de reatância XE/XL são calculadas formalmente e não correspondem aos componentes reais e imaginários de ZE/ZL. Exemplo de cálculo: 20 kV de linha livre de 120 mm2 com os seguintes dados: R0/s = 0.6. Relações de Impedância à Terra (somente para Localização de Falta) A regulagem da relação de impedância à terra só é importante para a utilização da função de localização de falta na linha.1 Geral 2.24 Ω/km X1/s = 0.2 Notas de Ajustes Valores Nominais do Sistema Nos endereços 1101 FullScaleVolt. endereços 6021 e 6022. endereços 6011 e 6012 • para seção de linha 3.2).1.3.2009 . São geralmente usados para mostrar valores referenciados à escala completa. 7SJ80. parametrizando a relação de resistência RE/RL e a relação de reatância XE/XL.88 Ω /km X0/s = 1. uma vez que os quocientes são independentes da distância. eles correspondem aos ajustes nos endereços 202 e 204 (Seção 2. Publicação 05. e 1102 FullScaleCurr.34 Ω/km Resistência de seqüência zero Reatância de seqüência zero Resistencia de seqüência positiva Reatância de seqüência positiva 56 SIPROTEC.Funções 2. Nenhum cálculo complexo é necessário! As relações podem ser obtidas dos dados da linha usando a fórmula seguinte: onde: R0 X0 R1 X1 –Resistência de seqüência zero da linha – Reatância de seqüência zero da linha – Resistência de seqüência positiva da linha – Reatância de seqüência positiva da linha Esses dados podem ser usados para a linha inteira ou para seção dela. ou como valores relacionados à distância.1. Se esses valores de referência casarem com os valores nominais primários dos TPs e TCs. Se forem ajustadas várias seções da linha. Manual E50417-G1179-C343-A1. endereços 6001 e 6002 • para seção de linha 2. a tensão de referência primária (fasefase) e a corrente de referencia (fases) do equipamento protegido são parametrizadas. Isso é feito. Os valores nos endereços 1103 e 1104 aplicam-se quando somente uma seção da linha está disponível e para faltas que ocorram fora das seções de linha definidas.

Se. em Ω/milha se ajustado para a unidade de distância Milhas (endereço 215.3. O ajuste da reatância habilita o relé de proteção a indicar a localização da falta em termos de distância.1 Geral Para relações de impedância à terra.2 em "Unidade de Distância") ou em Ω/km se ajustado para a unidade de distância km. Nesse caso. Quando ajustar os parâmetros com DIGSI. aplica-se o seguinte: • para seção de linha 1. Os valores no endereço 1106 (km) ou 1105 (Milhas) aplicam-se quando somente uma seção da linha está disponível e para todas as faltas que ocorram fora das seções de linha definidas.1. endereços 6014(km) ou 6013 (Milhas) • para seção de linha 3. a reatância por unidade de comprimento deve ser reconfigurada de acordo com a nova unidade de distância. a seguinte conversão para valores secundários não é necessária. 7SJ80. endereços 6024 (km) ou 6023 (Milhas). veja Seção 2. Para a conversão de valores primários para valores secundários aplica-se em geral. resulta o seguinte: Reatância por Unidade de Comprimento (apenas para Localização de Falta) O ajuste da reatância por unidade de comprimento só é importante para a utilização da função de localização de falta na linha. endereços 6004(km) ou 6003 (Milhas) • para seção de linha 2. Se forem ajustadas várias seções de linha. aplica-se o seguinte para reatância por unidade de comprimento de uma linha: com NCTR NVTR — Relação de transformação do transformador de corrente – Relação de transformação do transformador de potencial SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. O valor de reatância X' é parametrizado como valor de referência x'. isto é.2009 57 . após ter parametrizado a reatância por unidade de comprimento.Funções 2. Publicação 05. o seguinte: Da mesma forma. os valores podem também ser parametrizados como valores primários. a unidade de distância é mudada no endereço 215.

endereço 6025 Esses dados podem ser usados para a linha inteira ou para seção de linha. RL sendo a resistência ôhmica e XL sendo a reatância da linha. Os valores no endereço 1109 só se aplicam se uma seção da linha está disponível e para faltas que ocorram fora das seções de linha definidas. Exemplo de cálculo: 110 kV de linha livre de 150 mm2 com os seguintes dados: R'1 = 0. ou como valores relacionados à distância.31 Ω/km X'1 = 0. O ângulo de linha pode ser derivado das constantes da linha. Também é irrelevante se os quocientes derivarem de valores primários ou secundários. Aplica-se o seguinte: com. 58 SIPROTEC. uma vez que os quocientes são independentes da distância.1 Geral Exemplo de cálculo: A seguir. endereço 6015 • para seção de linha 3. endereço 6005 • para seção de linha 2. Se forem ajustadas várias seções de linha o seguinte se aplicará: • para seção de linha 1.69 Ω/km O ângulo de linha é calculado como a seguir: O endereço respectivo deve ser ajustado para Line angle = 66°. Publicação 05.Funções 2.2009 .1 kV A reatância secundária por unidade de comprimento é calculada como a seguir: Ângulo de Linha ( só para Localização de Falta) O ajuste do ângulo de linha só é importante para utilização da função de localização de falta na linha. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80. a mesma linha ilustrada no exemplo para relações de impedância à terra (acima) e dados adicionais dos transformadores de potencial serão usados: Transformadores de Corrente Transformadores de Potencial 500 A/5 A 20 kV / 0.

endereço 201).. Um desvio de no máximo 10% é admissível. etc.00 kV Ajuste Padrão 20. Isso necessita que a polaridade da conexão para todo o dispositivo seja configurada em correspondência no P. ao usar várias seções de linha.6. para as funções de proteção. a direção positiva para potência.. endereços 6006 (km) ou 6007 (Milhas) • para seção de linha 2. trabalho e médias min/max relacionados e valores de setpoint). End. 10 . por exemplo.. (padrão). 1101 Parâmetro FullScaleVolt. 7. Inversão de Valores de Potência Medidos / Valores Medidos Os valores direcionais (potência.1 Geral Comprimento da Linha ( só para Localização de Falta) O ajuste para o comprimento da linha só é importante para a utilização da função de localização de falta. corresponde à direção “para frente”. 800. também é possível fazer ajustes diferentes para a direção “para frente” para as funções de proteção e a direção positiva para a potência. Os valores no endereço 1110 (km) ou 1111 (Milhas) só se aplicam se uma seção da linha está disponível e para faltas que ocorram fora das seções de linha definidas.00 1. C Opções de Ajustes 0.10 .. O comprimento da linha é necesário de forma que a localização da falta pode ser fornecida comno um valor de referência (em %). fator de potência.2009 59 .System Data 1(Dados do Sistema de Potência 1) (compare também "Polaridade dos Transformadores de Corrente". Se o ajuste está not reversed (não reverso). Mas. o comprimento respectivo das seções individuais é definido. para ter fonte de alimentação ativa (da linha para o barramento) mostrada positivamente. calculados nos valores medidos operacionais. etc. 50000 A 400 A 1103 1104 RE/RL XE/XL -0.3 Ajustes A tabela indica ajustes padrão específicos de região. Faixa de Operação da Proteção de Sobrecarga O limite de corrente parametrizado no endereço 1107 I MOTOR START limita a faixa de operação da proteção de sobrecarga para valores de corrente maiores. Se forem ajustadas várias seções de linha o seguinte se aplicará: • para seção de linha 1. A seção 4 fornece uma lista detalhada dos valores em questão.00 1.Q sign para reversed(reverso). A réplica térmica é mantida constante enquanto esse limite é excedido. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. 2. endereços 6026 (km) ou 6027 (Milhas) O ajuste do comprimento para a linha inteira deve corresponder à soma dos comprimentos configurados para as seções da linha. 7SJ80.Funções 2..33 .33 .00 SIPROTEC. ajuste o endereço 1108 P.. endereços 6016 (km) ou 6017 (Milhas) • para seção de linha 3.00 -0. A coluna “C” (configuração) indica as correntes nominais secundárias do transformador de corrente. 7. são usualmente definidos como positivo na direção do objeto protegido. Além disso.00 kV Comentários Medição:Tensão em Escala Completa (Nominal do Equipamento) Medição:Corrente em Escala Completa (Nominal do Equipamento) Fator de compensação de seqüência zero RE/RL Fator de compensação de seqüência zero XE/XL 1102 FullScaleCurr. Para fazer isso.1.

1 Miles 100.0010 . Partida 48) Sinal de valores medidos operacionais de P e Q Ângulo de Linha Comprimento da linha em Quilometros Comprimento da linha em milhas S1: Fator de compensação de seqüência zero RE/RL S1: Fator de compensação de seqüência zero XE/XL S1: reatância do alimentador por milha: x' S1: reatância do alimentador por quilometro: x' S1: Ângulo de linha S1: Comprimento da linha em milhas S1: Comprimento da linha em Quilometros S2: Fator de compensação de seqüência zero RE/RL S2: Fator de compensação de seqüência zero XE/XL S2: reatância do alimentador por milha: x' S2: reatância do alimentador por quilometro: x' S2: Ângulo de linha S2: Comprimento da linha em milhas S2: Comprimento da linha em Quilometros 1106 x' 1A 5A 1107 I MOTOR START 1A 5A 1108 1109 1110 1111 6001 P.0000 Ω/mi 0. 9. 650..00 6013 S2: x' 1A 5A 0.33 ..0484 Ω/mi 0. 1.0 Miles 0. 89 ° 0.0010 ..00 1.1500 Ω/km 0. 1105 x' Parâmetro C 1A 5A Opções de Ajustes 0. 9. 15..0000 Ω/mi 0. 15.. 1000.9000 Ω/km 0.00 A 2..0000 Ω/mi 0... 1.0050 ..2420 Ω/mi 0.2420 Ω/mi 0...00 6004 S1: x' 1A 5A 6005 6006 6007 6011 S1: Line angle S1: Line length S1: Line length S2: RE/RL 6012 S2: XE/XL -0. 3..0010 . 3.2420 Ω/mi 0.00 Comentários reatância do alimentador por milha: x' reatância do alimentador por km: x' Corrente de Partida do Motor (Bloqueio 49.33 .0300 Ω/km 85 ° 62. 89 ° 0.0300 Ω/km 85 ° 62.0050 ..0 km 62. 1000. 3. Manual E50417-G1179-C343-A1.0000 Ω/mi 0.. 7..50 A not reversed 85 ° 100.33 .0050 . 1..9000 Ω/km 10 .50 A 12... 7.Q sign Line angle Line length Line length S1: RE/RL 6002 S1: XE/XL -0.1 .0484 Ω/mi 0.0484 Ω/mi 0.0 km 6014 S2: x' 1A 5A 6015 6016 6017 S2: Line angle S2: Line length S2: Line length 60 SIPROTEC...0010 . 7SJ80.0050 . 7.9000 Ω/km 10 .0050 . 50..0 km -0.00 0.0300 Ω/km 2.0 km 0.1 Geral End.Funções 2.00 1.5000 Ω/km 0. 15.1500 Ω/km 0...0000 Ω/mi 0.0010 .00 .0010 .1 .1 ..1 Miles 100.40 . 89 ° 0..33 .5000 Ω/km 0.0 km 0.1 .. 650.0 Miles 0.1 .1 Miles 1.5000 Ω/km 0.2009 .. 650. 7.1 .0 Miles -0.0050 .0000 Ω/mi 0. 10.00 6003 S1: x' 1A 5A 0.1500 Ω/km 0.00 A not reversed reversed 10 . 9. Publicação 05.0 km 1. 1000.00 Ajuste Padrão 0.

blk n PErr Tipo de Info. 650.00 Comentários S3: Fator de compensação de seqüência zero RE/RL S3: Fator de compensação de seqüência zero XE/XL S3: reatância do alimentador por milha: x' S3: reatância do alimentador por quilometro: x' S3: Ângulo de linha S3: Comprimento da linha em milhas S3: Comprimento da linha em quilometros 6022 S3: XE/XL -0..Funções 2.00 6023 S3: x' 1A 5A 0.33 ...fail 52WL.6.2009 61 .0000 Ω/mi 0. 6021 Parâmetro S3: RE/RL C Opções de Ajustes -0.0050 .1 Geral End..1.0300 Ω/km 85 ° 62.0010 .0 km 6024 S3: x' 1A 5A 6025 6026 6027 S3: Line angle S3: Line length S3: Line length 2. 89 ° 0.Ir SIPROTEC.1500 Ω/km 0.Detect >Enable ANSI#-2 >52-a >52-b >52 Wear start 52 WearSet. 9. se o disjuntor está aberto) >Contato 52-b (ABERTO.00 1.. 1000. 7. 7.0000 Ω/mi 0.0010 .4 Lista de Informações No..Clos. IntSP SP OUT OUT VI VI VI OUT SP SP SP SP OUT OUT OUT Comentários Proteção ON/OFF (via porta do sistema) >Sinal de Fechamento Manual PICKUP do Relé Comando de TRIP GERAL do relé Corrente primária de falta Ia Corrente primária de falta Ib Corrente primária de falta Ic Detectado sinal de fechamento manual >Habilitada 50/67-(N)-2 (sobrepõe 79 blk) >Contato 52-a (ABERTO.0484 Ω/mi 0. se o disjuntor está fechado) >Critério de Partida de Desgaste do Disjuntor 52 Bloqueado Desgaste 52 pela Falha de Ajuste do Tempo Lógica de Desgaste do Disjuntor 52 blk Ir-CB>=Isc-CB Lógica de Desgaste do Disjuntor 52 blk SwCyc..9000 Ω/km 10 . Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80. 3.0050 .2420 Ω/mi 0. Publicação 05.blk I PErr 52WL.Isc>=SwCyc.0 km 0.33 . 1.1 Miles 100.1 .00 Ajuste Padrão 1.1 . 126 356 501 511 533 534 535 561 2720 4601 4602 16019 16020 16027 16028 Informação ProtON/OFF >Manual Close Relay PICKUP Relay TRIP Ia = Ib = Ic = Man.0 Miles 0... 15.5000 Ω/km 0.

Informação Tipo de Info.2009 . 7SJ80. 2. essa interface também pode ser usada para comunicação com DIGSI e e para comunicação inter-relé via GOOSE.1.7 Módulo EN100 2. Mesmo quando instalado em ambientes heterogêneos. os relés SIPROTEC 4 são fornecidos para operação aberta e com interoperabilidade. IntSP IntSP IntSP Comentários Falha do Módulo EN100 Falha do Canal 1 de Link EN100 (Ch1) Falha do Canal 2 de Link EN100 (Ch2) 009.7. Publicação 05. Em paralelo à integração de controle do processo do dispositivo.0102 Fail Ch2 62 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1.2 Lista de Informações No.7.Funções 2.0101 Fail Ch1 009.1 Geral 2.1.1 Descrição Funcional O Módulo EN100 habilita a integração do 7SJ80 nas redes de comunicação de 100-Mbit nos sistemas de automação e controle com os protocolos de acordo com o padrão IEC 61850.0100 Failure Modul 009.1. Esse padrão permite comunicação uniforme dos dispositivos sem gateways e conversores de protocolo.

contudo. para proteção de backup de esquemas de proteção diferenciais de todos os tipos de linhas.1. 50N-2. e do tipo de conexão selecionado dos transformadores de corrente. A função de religamento automático 79 pode também iniciar trip imediato para a sobrecorrente e elementos ajustados em alta dependendo do ciclo Pickup dos elementos de tempo definido pode ser estabilizado pelo ajuste dos tempos de dropout. A tabela seguinte fornece uma visão geral da interconexão a outras funções do 7SJ80. Todos os elementos são independentes entre si e podem ser combinados como desejado. 50-3. Trip pelos elementos 50-1 e 51 (nas fases). O sinal de Fechamento Manual é uma exceção. 51. Podem ser encontradas informações sobre isso no Capítulo 2. Se for desejado em sistemas isolados ou ressonante-aterrados aqueles dispositivos trifásicos deverão operar juntos com o equipamento de proteção bifásico.2. SIPROTEC. Esse pulso é extendido por pelo menos 300 ms.2). 51.3. ele pode ser reaberto imediatamente. 50-2. 50N. Para sobrecorrente ou Elementos ajustados em alta a temporização pode ser “bypassada” via pulso de Fechamento Manual. 2.2 Proteção de Sobrecorrente 50.3. Ajustes de pickup e temporizações podem ser rapidamente adaptadas às necessidades do sistema via mudança de ajustes dinâmicos (veja Seção 2. em trip de alta velocidade. ela permite diferentes respostas de dropout a serem ajustadas e a implementação de uma graduação de tempo de relés eletromecânicos e digitais. Essa proteção é utilizada em sistemas onde ocorrem faltas intermitentes. 7SJ80. depende do ajuste do parâmetro 613 Gnd O/Cprot. Aplicações • A proteção de sobrecorrente não direcional é adequada para redes que são radiais e alimentadas de uma única fonte ou redes em loop aberto. a proteção de sobrecorrente pode ser configurada de forma que permita operação bifásica além do modo trifásico (Consulte o Capítulo 2.3. exemplos de conexões no Apêndice A. geralmente usam a grandeza calculada 3IO. geradores e barramentos. elementos 50N-1 e 51N (na elemento de terra) podem ser bloqueados para condições de inrush pela utilização do recurso de restrição a inrush.2 Proteção de Sobrecorrente 50. 51N A proteção de sobrecorrente é fornecida com um total de quatro elementos. 50N.1 Geral A proteção de sobrecorrente para corrente à terra pode ser operada tanto com valores medidos IN quanto com grandezas 3I0 calculadas das três correntes de fase.4). 50N-3 bem como os elementos de sobrecorrente 50-1 e 50N-1 sempre operam com um tempo de trip definido. transformadores . cada um para correntes de fase e corrente à terra. Os elementos ajustados em alta. Combinado com relés eletromecânicos.Funções 2.2.2009 63 . Todos os Elementos de sobrecorrente habilitados no dispositivo podem ser bloqueados por meio da função de religamento automático (dependendo do ciclo) ou via um sinal externo às entradas binárias do dispositivo. Manual E50417-G1179-C343-A1. w.1. Publicação 05. os elementos 51 e 51N sempre com um tempo de trip inverso. A remoção do bloqueio durante pickup reiniciará as temporizações. Quais os valores usados. Dispositivos que tenham uma entrada de corrente à terra sensitiva. 51N 2. resultando assim. Se um disjuntor é fechado manualmente sob uma falta.

Pickup pode ser estabilizado pelo ajuste de tempos de dropout 1215 50 T DROP-OUT ou 1315 50N T DROPOUT. O valor de dropout é grosseiramente igual a 95% do valor de pickup para correntes > 0.2009 . Além disso. A temporização de trip 50-3 DELAY. Se o valor de pickup respectivo for excedido. 50-3 para correntes de fase e Elementos 50N-2. 502 DELAY ou 50N-3 DELAY. Os valores de pickup para cada Elemento 50-2. Publicação 05.2 Elementos de Alta Corrente de Tempo Definido 50-3. Se o valor de limite for excedido após ter expirado.2. Cada corrente de fase e à terra são comparadas separadamente pelo Elemento com valores de pickup comuns 50-3 PICKUP. os valores Instantaneous também podem ser medidos. 50-2. 50-2 DELAY ou 50N3 DELAY. são emitidos sinais de trip que estão disponíveis para cada Elemento. o pickup é reportado como OFF e a temporização de trip é ressetada a menos que o limite 50-3 PICKUP. a função não fornece dropout em alta velocidade. isso é sinalizado. 50N-2 PICKUP tenha sido novamente excedido. 7SJ80. 50N-2 Para cada elemento. 50N-2 DELAY continua funcionando nesse meio tempo. 50N-2 DELAY terminarem. 50-2 PICKUP ou 50N-3 PICKUP. Após as temporizações definidas pelo usuário 50-3 DELAY. 50N-3. A temporização de trip 50-3 DELAY. 50-2 PICKUP ou 50N-3 PICKUP.Funções Aplicações Tabela 2-3 Interconexão a outras funções Conexão a FECHAMENTO Manual • • • • • • • • Pickup de Carga Fria Dinâmico • • • • • • • • • • • Restrição a Inrush Elementos de Sobrecorrente 50-1 50-2 50-3 51 50N-1 50N-2 50N-3 51N • • • • • • • • • 2. além de Fundamental e True RMS. 64 SIPROTEC. o comando de trip é imediatamente emitido. Manual E50417-G1179-C343-A1. 50N2 PICKUP é ajustado. Se o valor de limite não for excedido nesse período. não há reação. ocorre trip imediatamente. Se o limite é novamente excedido durante a temporização de dropout. Para 50-3 PICKUP e 50N-3 PICKUP. 50N-3 para corrente à terra e o elemento específico de temporização podem ser ajustados individualmente. Após terminar a temporização de dropout. 50N-2 PICKUP. Esses elementos podem ser bloqueados pelo recurso de religamento automático (79 AR). o tempo é cancelado. a relação de dropout atinge 90 %. Esse tempo é iniciado e mantém a condição de pickup se a corrente cair abaixo do limite. um valor individual de pickup 50-3 PICKUP. Se a medição dos valores instantâneos tiver sido configurada para o Elemento 50-3 ou 50N-3. 50N-2 DELAY continua funcionando nesse meio tempo. Se o valor limite é excedido novamente após ter expirado a temporização do comando de trip. 50-2 DELAY ou 50N-3 DELAY. 50-2 PICKUP ou 50N-3 PICKUP. enquanto a temporização de dropout ainda estiver presente.3 INom.

um pickup causa trip instantâneo mesmo se o Elemento é bloqueado via entrada binária. O mesmo se aplica para 79 AR 50-2 inst. e é usada a detecção de fechamento manual. SIPROTEC. Publicação 05. ou 79 AR 50-3 inst. Também se aplicam analogamente para os elementos ajustados em alta 50-3 e 50N-3.Funções Aplicações As figuras seguintes mostram os diagramas lógicos para os elementos ajustados em alta 50-2 e 50N-2 como um exemplo. Manual E50417-G1179-C343-A1. ou 50-3 instant. 7SJ80. Figura 2-6 Diagrama Lógico para elemento 50-2 para fases Se o parâmetro 1213 MANUAL CLOSE é ajustado para 50-2 instant.2009 65 .

ou 50N -3 instant. Publicação 05.2009 . O mesmo se aplica para 79 AR 50N-2 inst. um pickup causa trip instantâneo mesmo se o Elemento for bloqueado por uma entrada binária. ou 79 AR 50N-3 inst.Funções Aplicações Figura 2-7 Diagrama lógico para o elemento ajustado em alta 50N-2 Se o parâmetro 1313 MANUAL CLOSE é ajustado para 50N -2 instant. 66 SIPROTEC. e é usada detecção de fechamento manual. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1.

Se o recurso de restrição a inrush (veja abaixo) for aplicado.2. o Fundamental e o True RMS também podem ser medidos.2009 67 . Se o limite for excedido novamente durante a temporização de dropout. Os valores de pickup para cada Elemento 50-1 para correntes de fase e Elemento 50N-1 para corrente à terra e as temporizações específicas do elemento podem ser ajustadas individualmente. Manual E50417-G1179-C343-A1. não ocorre trip mas é gravada uma mensagem e mostrada indicando quando terminou a temporização do elemento de sobrecorrente. Assim. um valor individual de pickup 50-1 PICKUP ou 50N-1 PICKUP é ajustado. Publicação 05. a temporização do comando de trip 50-1 DELAY or 50N-1 DELAY continua em andamento. enquanto a temporização de dropout ainda está em andamento. Após terminada a temporização de dropout o pickup é reportado como OFF e a temporização de trip é resetada a menos que o limite 50-1 ou 50N-1 tenha sido excedido novamente. Pickup pode ser estabilizado pelo ajuste dos tempos de dropout 1215 50 T DROP-OUT ou 1315 50N T DROP-OUT. tanto sinais de pickup normal quanto os correspondentes sinais de inrush são emitidos enquanto a corrente de inrush for detectada. a função não fornece dropout em alta velocidade. o tempo é cancelado. Se o recurso de restrição a inrush estiver habilitado e existir uma condição de inrush. O valor de dropout é de aproximadamente 95% do valor de pickup para correntes > 0. Se o valor respectivo for excedido. Após terem terminado as temporizações configuradas pelo usuário 50-1 DELAY or 50N-1 DELAY um sinal de trip é emitido se não for detectada corrente de inrush ou se a restrição a inrush estiver desabilitada. isso é sinalizado.3 INom. As figuras seguintes mostram diagramas lógicos para os elementos de corrente 50-1 e 50N-1. Esses elementos podem ser bloqueados pelo recurso do religamento automático (79 AR). A estabilização de pickup dos elementos de sobrecorrente 50-1 ou 50N-1 por meio do tempo de dropout ajustável é desativado se um pickup de inrush estiver presente desde que um inrush não represente uma falta intermitente. Sinais de trip e sinais de término da temporização estão disponíveis separadamente para cada Elemento. Se o valor limite é excedido após ter expirado.Funções Aplicações 2.3 Elementos de Sobrecorrente de Tempo Definido 50-1. Se o valor limite é excedido novamente após expirar a temporização do comando de trip. SIPROTEC. A temporização de comando de trip 50-1 DELAY ou 50N1 DELAY continua em andamento nesse meio tempo. 50N-1 Para cada Elemento. não há reação. 7SJ80. Esse tempo é iniciado e mantém a condição de pickup se a corrente cair abaixo do limite. Contudo. o comando de trip é emitido imediatamente. ocorre trip imediatamente. Cada corrente de fase e à terra é compara separadamente com o valor de ajuste 50-1 ou 50N-1 para cada Elemento. Se o valor limite não é excedido nesse período. Além disso.

Manual E50417-G1179-C343-A1. A temporização de dropout só opera se não for detectado inrush. um pickup causa trip instantâneo mesmo se o Elemento for bloqueado via uma entrada binária. Publicação 05. 7SJ80. O mesmo se aplica para 79 AR 50-1 inst. Figura 2-9 Diagrama lógico da temporização de dropout para 50-1 68 SIPROTEC.2009 . e usada a detecção de fechamento manual. Um inrush resetará uma temporização de dropout em andamento.Funções Aplicações Figura 2-8 Diagrama Lógico para o elemento de corrente 50-1 para fases Se o parâmetro 1213 MANUAL CLOSE é ajustado para 50 -1 instant.

um pickup causa trip instantâneo mesmo se o Elemento for bloqueado via uma entrada binária. Publicação 05. Os valores de pickup de cada Elemento 50-1.2009 69 . Figura 2-11 Diagrama lógico da temporização de dropout para 50N-1 SIPROTEC. 7SJ80. A temporização de dropout só funciona se não for detectado inrush. e usada a detecção de fechamento manual.Funções Aplicações Figura 2-10 Diagrama lógico para o elemento de corrente 50N-1 Se o parâmetro 1313 MANUAL CLOSE ´é ajustado para 50N-1 instant. O mesmo se aplica para 79 AR 50N-1 inst. Um inrush resetará uma temporização de dropout em andamento. 50N-2 para corrente à terra e as temporizações válidas para cada elemento podem ser ajustadas individualmente. 50-2 para as correntes de fase e Elemento 50N-1. Manual E50417-G1179-C343-A1.

Além do Fundamental. O tempo de trip calculado depende da curva de trip selecionada.4 Elementos de Sobrecorrente de Tempo Inverso 51. o True RMS também pode ser medido. Se o Elemento 51 fornece pick up. tanto sinais de pickup normal quanto sinais de inrush correspondentes são emitidos enquanto a corrente de inrush for detectada.Funções Aplicações 2. 7SJ80. As características e fórmulas associadas são fornecidas nos Dados Técnicos. Cada corrente de fase e terra é comparada separadamente com o valor de ajuste 51 ou 51N por Elemento. Elas sempre operam com uma Curva de tempo inverso de acordo com os padrões IEC ou ANSI. 50N-3" e "Elementos de Sobrecorrente de Tempo Definido 50-1. Publicação 05. Comportamento de Pickup Para cada Elemento um valor de pickup individual 51 PICKUP ou 51N PICKUP é ajustado. Uma vez expirado esse tempo. Durante a configuração das características de tempo inverso. 50-2 e 50-3 estão também habilitados (veja Seções "Elementos Ajustados em Alta deTempo Definido 50-2.1 vezes o valor de ajuste. 50N-2. mas uma mensagem é gravada e mostrada indicando quando expirou a temporização do elemento de sobrecorrente. é emitido um sinal de trip desde que não seja detectada corrente de inrush ou a restrição a inrush esteja desabilitada. 50N-1"). Manual E50417-G1179-C343-A1. o Elemento correspondente fornece pickup e é sinalizado individualmente. Se uma corrente exceder 1. 51N Elementos de sobrecorrente de tempo inverso são dependentes da variante encomendada. não ocorre trip. Para o elemento de terra 51N a Curva pode ser selecionada independentemente da Curva usada para correntes de fase.2. os elementos do relé de tempo definido 50-1.2009 . 70 SIPROTEC. Valores de pickup dos elementos 51 (correntes de fase) e 51N (corrente à terra) e os multiplicadores de tempo relevantes podem ser ajustados individualmente. Se o recurso de restrição a inrush está habilitado e existe uma condição de inrush. 50-3. Se o recurso de restrição a inrush é usado. o tempo de trip é calculado pelo fluxo de corrente real da falta usando um método de integração de medição. Esses elementos podem ser bloqueados pelo recurso de religamento automático (79 AR).

Publicação 05. e se usada a detecção de fechamento manual. O mesmo se aplica para 79 AR 51 inst. Se o parâmetro 1213 MANUAL CLOSE está ajustado para 51 instant. Figura 2-12 Diagrama lógico para os elementos de proteção de sobrecorrente de tempo inverso para fases Se configurada uma Curva ANSI.Funções Aplicações As duas figuras seguintes mostram os diagramas lógicos para a proteção de sobrecorrente de tempo inverso. o parâmetro 1209 51 TIME DIAL é usado ao invés do parâmetro 1208 51 TIME DIAL. Manual E50417-G1179-C343-A1. SIPROTEC.2009 71 . 7SJ80. um pickup ocasiona trip instantâneo mesmo se o Elemento é bloqueado por uma entrada binária.

Publicação 05. “Instantâneamente” significa que o pickup fornecerá dropout quando o valor cair abaixo de aproximadamente 95 % do valor de pickup. pode ser determinado se o dropout de um Elemento ocorrerá instantâneamente após o limite ter sido atingido ou se o dropout será executado por meio de emulação de disco. e se usada a detecção de fechamento manual. Se o parâmetro 1313 MANUAL CLOSE está ajustado para 51N instant.Funções Aplicações Figura 2-13 Diagrama lógico para o elemento de proteção de sobrecorrente de tempo inverso para Terra Se configurada uma Curva ANSI. Comportamento de Dropout Ao usar curvas ANSI e IEC. O mesmo se aplica para 79 AR 51N inst.2009 . 7SJ80. 72 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. Para um novo pickup o temporizador é reiniciado. um pickup ocasiona trip instantâneo mesmo se o Elemento é bloqueado via uma entrada binária. o parâmetro 1309 51N TIME DIAL é usado ao invés do parâmetro 1308 51N TIME DIAL.

O 7SJ80 possui uma função de restrição de inrush.5 Função de Pickup de Carga Fria Dinâmico Pode ser necessário aumentar dinamicamente os valores de pickup da proteção de sobrecorrente se. os processos de incrementação e diminuição estão em estado inativo. mas o trip de sobrecorrente é bloqueado (veja também os diagramas lógicos dos elementos de sobrecorrente. 2. uma vez que dependendo do tamanho e projeto do transformador. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.Timeout. • as correntes não excedam um valor limite superior 2205 I Max. sistemas de ar condicionado. Então.4. para proteger um transformador de potência. a corrente de inrush também compreende um grande componente do fundamental. na partida. sinais de inrush especiais são gerados. No caso de ocorrência de várias faltas em sucessão. A emulação de disco oferece uma vantagem quando os elementos do relé de sobrecorrente devem estar coordenados com relés de sobrecorrente eletromecânicos convencionais localizados na direção da fonte.2.Funções Aplicações A emulação de disco ocasiona um processo de dropout (o contador de tempo está diminuindo) o qual inicia após a desenergização.instalações de aquecimento). Na faixa entre o valor de dropout (95 % do valor de pickup) e 90 % do valor de ajuste. Apesar do pickup dos elementos do relé basear-se somente no componente harmônico fundamental das correntes medidas. Esses sinais também iniciam anunciações de faltas e temporização de trip associado.025 * INom.6 Restrição a Inrush Quando o relé de proteção multi função com controle local 7SJ80 é instalado. uma mensagem correspondente („. A corrente de inrush é reconhecida se as seguintes condições forem preenchidas ao mesmo tempo: • O conteúdo harmônico for maior do que o valor de ajuste 2202 2nd HARMONIC (mínimo 0. A restrição a inrush está baseada na avaliação do 2º harmônico presente na corrente de inrush. Ela previne o pickup “normal” dos elementos 50-1 ou 51 do relé (não 50-2 e 50-3) nos elementos de fases e terra de todos os elementos do relé de sobrecorrente direcional e não direcional.sec).. Essas correntes de inrush podem ser de muitas vezes a corrente nominal do transformador e dependendo do tamanho do transformador e de seu projeto. Os valores alternativos de pickup podem ser individualmente ajustados para cada Elemento da proteção de sobrecorrente. um aumento geral dos limites de pickup pode ser evitado considerando tais condições de partida. por exemplo. Figuras 2-8 a 2-13). Esse processo corresponde ao reset do disco de Ferraris )explicando sua denominação de “emulação de disco”). • um excedente de um valor limite via uma restrição de inrush do Elemento bloqueado ocorrer. podem permanecer desde várias dezenas de milisegundos até segundos. grandes correntes magnetizantes de inrush fluirão quando o transformador for energizado. Após a detecção das correntes de inrush acima de um valor de pickup.2009 73 . o falso pickup do dispositivo devido a inrush é ainda um problema em potencial. certos componentes do sistema mostrarem um consumo de potência aumentado após um longo período de tensão zero (por exemplo. Para análises de frequência.2. O reset inicia assim que 90% do valor de ajuste é alcançado. O mesmo acontece para os limites de pickup alternativos da função de pickup de carga fria dinâmico.. 2.“) é emitida. são usados filtros digitais para conduzir uma análise de Fourier das três correntes de fase e corrente à terra. Essa mudança de valor de pickup dinâmica é comum para todos os elementos de sobrecorrente e está descrita na Seção 2. a “história” é levada em consideração devido à inércia do disco de Ferraris e o tempo de resposta é adaptado.Se as condições de inrush ainda estiverem presentes após a temporização de trip ter expírado. 7SJ80.. de acordo com a curva de dropout da característica selecionada. SIPROTEC. A corrente de inrush contém um componente de segundo harmônico relativamente grande (duas vezes a frequência nominal) que é quase ausente durante uma corrente de falta.

Publicação 05. 7SJ80. Sendo asim. O bloqueio cruzado é resetado se não existir inrush em qualquer fase. (via parâmetro ajustável 2205 I Max) é suprimido o bloqueio da corrente desde que. assumindo o recurso de restrição a inrush habilitado. Se ocorrer dropout do bloqueio de inrush após ter expirada a temporização. Uma vez que análise quantitativa dos componentes harmônicos não podem ser completadas até que tenha sido medido um período da linha completa. Favor considerar que correntes de inrush fluindo pelo elemento de terra não efetuarão bloqueio cruzado de trip pelos elementos de fase. a proteção é ideal onde um transformador de potência é energizado sob uma falta monofásica e as correntes de inrush são detectadas em uma fase saudável diferente. assumida uma falta de alta corrente. Assim. nesse caso. Por outro lado. veja Figura 2-14) e seu bloqueio sendo efetuado. um inrush na fase afetada é reconhecido (anunciações 1840 a 1842 e 7558 „InRush Gnd Det“. a temporização associada será resetada. Contudo.Funções Aplicações Neste caso. a função de bloqueio cruzado pode também ser limitada a um intervalo de tempo particular (endereço 2204 CROSS BLK TIMER). o pickup geralmente será então bloqueado. As temporizações continuam em andamento com a presença de correntes de inrush. Se ocorrer dropout de um elemento do relé durante o bloqueio de inrush. mesmo se a corrente de inrush ainda estiver presente. temporizações de trip do recurso da proteção de sobrecorrente temporizada são iniciadas imediatamente mesmo com a restrição de inrush habilitada.2009 . 74 SIPROTEC. Bloqueio Cruzado Como a restrição a inrush opera individualmente para cada fase. uma mensagem de pickup será temporizada por um período completo da linha se nenhum processo de fechamento estiver presente. o recurso da proteção pode ser configurado para permitir que não somente esse elemento de fase mas também os elementos remanescentes (incluindo terra) sejam bloqueados (a função assim chamada de CROSS BLOCK (BLOQUEIO CRUZADO) endereço 2203) se o componente harmônico permissível da corrente for excedido para apenas uma fase. ocorrerá trip imediatamente. A figura seguinte mostra a influência da restrição a inrush nos elementos de sobrecorrente temporizada incluindo bloqueio cruzado. Além disso. Manual E50417-G1179-C343-A1. Após expirar esse intervalo de tempo a função de bloqueio cruzado será desabilitada. A restrição a inrush tem um limite superior: Acima dele. a utilização do recurso de restrição de inrush não resultará em qualquer temporização de trip adicional.

7SJ80. Publicação 05.2009 75 . Manual E50417-G1179-C343-A1.Funções Aplicações Figura 2-14 Diagrama lógico para restrição a inrush SIPROTEC.

2009 . o Elemento que iniciou o trip é também indicado. Publicação 05.7 Lógica de Pickup e Lógica de Trip As anunciações de pickup para as fases individuais (ou Terra) e os elementos individuais estão combinadas entre si de forma que sejam emitidas informações da fase e Elemento que tenha fornecido pickup: Tabela 2-4 50-3 A PU 50-2 A PU 50-1 A PU 51 A PU 50-3 B PU 50-2 B PU 50-1 B PU 51 B PU 50-3 C PU 50-2 C PU 50-1 C PU 51 C PU 50N-3 PU 50N-2 PU 50N-1 PU 51N PU 50-3 A PU 50-3 B PU 50-3 C PU 50N-3 PU 50-2 A PU 50-2 B PU 50-2 C PU 50N-2 PU 50-1 A PU 50-1 B PU 50-1 C PU 50N-1 PU 51 A PU 51 B PU 51 C PU 51N PU 2-6 2-6 2-6 2-7 2-8 2-8 2-8 2-7 2-12 2-12 2-12 2-13 Anunciações de pickup da proteção de sobrecorrente Figura 2-6 2-8 2-12 2-6 2-8 2-12 2-6 2-8 2-12 2-7 2-10 2-13 Anunciação de saída „50/51 Ph A PU“ FNo. Manual E50417-G1179-C343-A1.2. 7SJ80. 1762 Anunciação interna „50/51 Ph B PU“ 1763 „50/51 Ph C PU“ 1764 „50N/51NPickedup“ „50-3 picked up“ 1765 1767 „50-2 picked up“ 1800 „50-1 picked up“ 1810 „51 picked up“ 1820 (All pickups) „50(N)/51(N) PU“ 1761 Nos sinais de trip. 76 SIPROTEC.Funções Aplicações 2.

utilizando “intertravamento reverso”. Isso permite. Esse princípio é frequentemente usado. 2. Para assegurar seletividade da proteção nessa seção do sistema. Somente então. bloqueie a proteção de barramento (Figura 2-15). sistemas auxiliares de usinas de energia e da mesma forma. Uma medição bifásica é suficiente para esse propósito. em sistemas de distribuição. Isso leva ao pickup e após expirar a temporização. Um parâmetro de ajuste determina se a entrada binária opera no modo normalmente aberto (isto é.System Data 1) está ajustado para ON. Nota Com reconhecimento de inrush ativado somente em B. Se 250 50/51 2-ph prot (a ser ajustado em P. 7SJ80. por exemplo. se inrush com bloqueio cruzado for ativado.2. uma falta dupla à terra é assumida. não ocorre trip. Por outro lado.2. atuado quando desenergizado).Funções Aplicações 2. Elementos de temporização T 50-1 ou T51 ainda são efetivos como elemento de backup.8 Proteção de Sobrecorrente Temporizada Bifásica (somente não direcional) A funcionalidade da proteção de sobrecorrente temporizada bifásica é usada em sistemas compensados aterrados onde a interação com o equipamento de proteção bifásico existente é necessária. IB não é usada para comparação de valor limite. Sinais de pickup emitidos pelo relé de proteção do lado da carga são usados como mensagem de entrada„>BLOCK 50-2“ via uma entrada binária no relé de proteção do lado do alimentador.2009 77 . O elemento de proteção mais próximo da falta sempre fornecerá trip com temporização curta desde que esse elemento não possa ser bloqueado pelo elemento de proteção localizado atrás da falta. não ocorrerá qualquer bloqueio cruzado nas outras fases. Como um sistema ressonante aterrado ou isolado permanece operacional com uma falta à terra monofásica. O princípio de intertravamento reverso está baseado no seguinte: A proteção de sobrecorrente temporizada do alimentador do barramento fornece trip com uma temporização curta T 50-2 independente dos tempos de graduação dos alimentadores. onde um transformador de alimentação alimentado pela rede de transmissão serve cargas internas na estação geradora por meio de um barramento de média tensão com múltiplos alimentadores (Figura 2-15). a não ser que o pickup do elemento de proteção de sobrecorrente do lado próximo à carga. SIPROTEC. o alimentador respectivo deve ser desligado. Se a falta é uma falta à terra simples em B. em A ou C.9 Proteção Rápida de Barramento Usando Intertravamento Reverso Exemplo de Aplicação Cada um dos elementos de sobrecorrente pode ser bloqueado via entradas binárias do relé. por exemplo. essa proteção serve ao propósito de detectar faltas duplas à terra com correntes de falta à terra altas. Somente no caso de um trip em A ou C. Publicação 05. ao trip. que a proteção de barramento tenha efeito imediato em sistemas estrela ou sistemas em loop que estão abertos de um lado. atuado quando energizado) ou normalmente fechado (isto é. B também será bloqueada. Manual E50417-G1179-C343-A1. somente as fases A e C são monitoradas.

a proteção de sobrecorrente à terra podem ser chaveadas para ON ou OFF. 7SJ80. o dispositivo também pode ser usado em constelações de sistema específico com respeito às conexões de tensão e corrente. Sob o endereço 1201 FCT 50/51. Os elementos de corrente alta superpostos 50-2. a proteção de sobrecorrente para fases e sob o endereço 1301 FCT 50N/51N. aparece uma caixa de diálogo com várias barras para ajuste de parâmetros individuais. Outras informações podem ser encontradas na Seção 2. Dependendo do ajuste dos parâmetros 251 CT Connect.1.3.2009 . temporizações e curvas características associadas com a proteção de fase. Valores de pickup. O parâmetro 250 50/51 2-ph prot também pode ser ajustado para ativar a proteção de sobrecorrente bifásica. A seleção de TOC IEC ou TOC ANSI torna disponível características inversas adicionais. Ground foi ajustado para Definite Time. 78 SIPROTEC. Publicação 05. sob os endereços 112 Charac. Manual E50417-G1179-C343-A1.. ou Charac. temporizações e curvas para proteção à terra são ajustadas separadamente dos valores de pickup. a coordenação do relé para faltas à terra é independente da coordenação do relé para faltas de fase e ajustes mais sensitivos podem frequentemente ser aplicados para proteção à terra direcional.2.2 .Funções Aplicações Figura 2-15 Esquema de proteção de intertravamento reverso 2.10 Geral Notas de Ajustes Ao selecionar a proteção de sobrecorrente temporizada no DIGSI. então. „Conexões de Corrente“. Ground o número de barras pode variar. Dependendo do escopo funcional especificado durante a configuração das funções de proteção. Por isso. somente os ajustes para os elementos de tempo definido estão disponíveis. Se o endereço FCT 50/51 foi ajustado para Definite Time. 50N-3 estão disponíveis em todos esses casos. 50-3 ou 50N-2. Phase e 113 Charac.

Com esse método de medição.Funções Aplicações Métodos de Medição Os valores de comparação a serem usados para o elemento respectivo podem ser ajustados nas folhas de ajustes para os elementos. Endereço 1321 50N-1 measurem. Endereço 1320 50N-2 measurem. 50-3 (Fases) As correntes de pickup dos elementos ajustados em alta 50-2 PICKUP ou 50-3 PICKUP podem ser ajustadas tanto no endereço 1202 quanto 1217.m. Exemplo do elemento de corrente ajustado em alta 50-2 PICKUP: Transformador usado para alimentação de barramento com os seguintes dados: Potência nominal do transformador Impedância do transformador Tensão nominal primária Tensão nominal secundária Grupos vetores Ponto estrela Potência da falta no lado 110 kV SNomT = 16 MVA ZTX = 10 % VNom1 = 110 kV VNom2 = 20 kV Dy 5 Grounded 1 GVA SIPROTEC. Elementos de Alta Corrente 50-2. Ele não executa um cálculo de valor médio e é assim sensitivo com respeito a perturbações.s. em bancos capacitores).m. • Medição de valor r. Endereço 1220 50-2 measurem. Endereço 1221 50-1 measurem. • Medição com valores instantâneos Esse método compara os valores instantâneos para o limite de ajuste.m.s. Especificadas de tal maneira que oferecem pickup de faltas para essa impedância. A temporização correspondente 50-2 DELAY ou 50-3 DELAY pode ser configurada no endereço 1203 ou 1218. O tipo de valores de comparação pode ser ajustado nos seguintes endereços: Elemento 50-3 Elemento 50-2 Elemento 50-1 Elemento 51 Elemento 50N-3 Elemento 50N-2 Elemento 50N-1 Elemento 51N Endereço 1219 50-3 measurem. real A amplitude de corrente é derivada dos valores amostrados de acordo com a equação de definição do valor r. Esse método de medição deverá ser selecionado quando harmônicos mais elevados são considerados pela função (por exemplo. Endereço 1319 50N-3 measurem. real. É usualmente usado para propósitos de graduação de corrente pretendidas para grandes impedâncias que estão prevalescentes em transformadores ou geradores. Endereço 1322 51N measurem. Manual E50417-G1179-C343-A1.s. reais ou harmônicos fundamentais (veja “Dados Técnicos”). o tempo de operação do elemento é reduzido comparado com a medição de valores r.2009 79 . de forma que os harmônicos mais altos ou correntes de pico transientes permanecem desprezadas. Endereço 1222 51 measurem. 7SJ80. • Medição do harmônico fundamental (método padrão): Esse método de medição processa os valores amostrados da corrente e filtra em órdem numérica o harmônico fundamental. Esse método de medição só deverá ser selecionado se um tempo de pickup especialmente curto do elemento for necessário. Publicação 05.

tempo de dropout). A temporização pode também ser ajustada para ∞. o Elemento não oferecerá trip após pickup. O tempo selecionado é uma temporização adicional e não inclui o tempo operacional (tempo de medição. 80 SIPROTEC.Funções Aplicações Baseado nos dados acima. 20 = 462 A (Lado de Baixa Tensão) 100 A / 1 A 500 A / 1 A em 110 kV = 5250 A em 20 kV = 3928 A em 110 kV = 714 A o seguinte ajuste aplica-se para o dispositivo de proteção: O elemento de alta corrente 50-2 deve ser ajustado mais elevado do que a máxima corrente de falta que é detectada durante uma falta do lado de baixa no lado de alta. o pickup será sinalizado. o limite de pickup 50-2 ou 50-3 é ajustado para ∞. 100 ms). Manual E50417-G1179-C343-A1. Para faltas nos alimentadores de saídas. 110 = 84 A (Lado de Alta Tensão) Transformador de Corrente (Lado de Alta Tensão) Transformador de Corrente (Lado de Baixa Tensão) Devido à seguinte definição: INomT. O princípio do “intertravamento reverso” utiliza a função de multi-elemento da proteção de sobrecorrente temporizada: O Elemento 50-2 PICKUP é aplicado como uma proteção de barramento rápida com uma temporização de segurança mais curta 50-2 DELAY (por exemplo. isto é. Se o Elemento 50-2 ou 50-3 não for requerido. o seguinte ajuste é selecionado em valores primários: 50-2 /INom = 10. 50-2 = 1000 A. Neste caso.2009 . O mesmo se aplica analogamente ao usar o elemento ajustado em alta 50-3. o elemento 50-2 é bloqueado. as seguintes correntes de falta são calculadas: Corrente de Falta Trifásica do Lado de Alta Tensão Corrente de Falta Trifásica do Lado de Baixa Tensão Fluindo no Lado de Alta Tensão A corrente nominal do transformador é: INomT. Contudo. 7SJ80. se seu componente fundamental excede o valor de ajuste. Publicação 05. Os valores de pickup de ambos os elementos (50-1 PICKUP ou 51 PICKUP e 50-2 PICKUP) são ajustados por igual. Correntes de inrush aumentadas. Esse ajuste previne trip e a geração de mensagem de pickup. Para reduzir a probabilidade de falta tanto quanto possível mesmo quando varia a potência da falta. A temporização 50-1 DELAY ou 51 TIME DIAL é ajustada de tal forma que ela sobrepassa à temporização para os alimentadores de saídas. Ambos elementos 50-1 ou 51 servem como proteção de backup. são consideradas inofensivas pelas temporizações (endereço 1203 50-2 DELAY ou 1218 50-3 DELAY).

Se o Elemento 50N-1 não for requerido. o Elemento não oferecerá trip após pickup. 50N-3 (Terra) As correntes de pickup dos elementos ajustados em alta 50N-2 PICKUP or 50N-3 PICKUP são ajustadas no endereço 1302 ou 1317. O tempo selecionado é uma temporização adicional e não inclui o tempo operacional ( tempo de medição. A temporização ajustável (endereço 1205 501 DELAY) resulta do mapa de coordenação da graduação definido para o sistema. tempo de dropout). pickup será sinalizado. Contudo.. o Elemento não oferecerá trip após pickup. Contudo. Pickup Stabilization (Definite Time) Os tempos configuráveis de dropout 1215 50 T DROP-OUT or 1315 50N T DROP-OUT podem ser ajustados para implementar uma atuação uniforme de dropout ao usar relés eletromecânicos. pickup será sinalizado. Nesse caso. Nesse caso. Para correntes à terra em um sistema aterrado. Elemento 50-1 (fases) Para ajuste do elemento 50-1. SIPROTEC. Esse ajuste previne trip e a geração de uma mensagem de pickup. tempo de dropout).Funções Aplicações Elementos de Alta Corrente 50N-2. são possíveis temporizações mais curtas em um gráfico de coordenação separado. Por isso. Elemento 50N-1 (Terra) Para ajustar o elemento 50N-1.2009 81 . 7SJ80. Esse ajuste previne trip e a geração de uma mensagem de pickup. a máxima corrente de carga esperada é que deve acima de tudo. Isto é necessário para uma graduação de tempo. Esse ajuste previne trip e a geração de uma mensagem de pickup. Ele pode ser ativado ou desativado tanto para a corrente de fase como para a corrente à terra no endereço 2201 INRUSH REST. A temporização correspondente 50N-2 DELAY ou 50N-3 DELAY pode ser configurada no endereço 1303 ou 1318. A temporização pode também ser ajustada para ∞. Manual E50417-G1179-C343-A1. o Elemento não oferecerá trip após pickup. o limite de pickup 50N-2 ou 50N-3 deverá ser ajustado para ∞. Nesse caso. então o limite de pickup 50N-1 PICKUP deverá ser ajustado para ∞. A mesma consideração se aplica para esses ajustes como para as correntes de fase já discutidos. Se o Elemento 50-1 não for requerido. Se o Elemento 50N-2 ou 50N-3 não é requerido. Publicação 05. então o limite de pickup 50-1 deverá ser ajustado para ∞. O tempo selecionado é uma temporização adicional e não inclui o tempo operacional (tempo de medição. Contudo. ser considerada. pickup será sinalizado. O tempo selecionado é uma temporização adicional e não inclui o tempo operacional (tempo de medição. Os valores da característica da restrição a inrush estão listados na Subseção “Restrição a Inrush”. A temporização pode ser também ajustada para ∞. o recurso de restrição a inrush do 7SJ80 pode ser usado para o elemento 50N-1 do relé. A temporização pode também ser ajustada para ∞. Se o relé for usado para proteger transformadores ou motores com grandes correntes de inrush. Subtraia o tempo de dropout do dispositivo (veja Dados Técnicos) desse valor e insira o resultado nos parâmetros. tempo de dropout). deve ser considerada a mínima corrente esperada de falta à terra. um ajuste igual a 20% do pico de carga esperado é recomendado para proteção de linha e um ajuste igual a 40% é recomendado para transformadores e motores. O tempo de dropout do relé eletromecânico deve ser conhecido para essa finalidade. Pickup devido a sobrecarga nunca deverá ocorrer uma vez que nesse modo o dispositivo opera como proteção de falta com tempos de trip correspondentemente mais curtos e não como proteção de sobrecarga. A temporização ajustável (endereço 1305 50N-1 DELAY) resulta do gráfico de coordenação da graduação definida para o sistema.

. Inversa Longa.1. Phase = TOC IEC ou TOC ANSI ao configurar as funções de proteção (Seção 2. Publicação 05.1 vezes o valor de ajuste estiver presente. Se o endereço 113 Charac. Isto deve ser coordenado com o gráfico de coordenação de graduação da rede. Inversa. Ground foi ajustado para TOC ANSI. Phase foi ajustado para TOC IEC. 7SJ80. os parâmetros das características inversas também estarão disponíveis. O ajuste é principalmente determinado pela máxima corrente de operação esperada.1. Inverse. você pode selecionar a Curva ANSI desejada (Very Inverse.2009 . Elemento 51N (Terra) com Característica IEC ou ANSI Tendo ajustado o endereço 113 Charac. para uma curva ANSI. Short Inverse. Se o endereço 112 Charac. 82 SIPROTEC. Long Inverse. você pode selecionar a Curva IEC desejada (Normal Inverse. Moderately Inv. or Definite Inv. Extremamente Inversa ou Inversa Longa). o Elemento não emitirá trip após pickup. Short Inverse. pickup será sinalizado. Extremely Inv. o endereço 112 Charac. Se o endereço 112 Charac. deve-se observar que um fator de segurança de cerca de 1. or Long Inverse) (Inversa Normal. ocorrerá um reset de acordo com a curva de reset descrita anteriormente. Extremamente Inversa ou Inversa Definida) no endereço 1312 51N ANSI CURVE. deve-se observar que um fator de segurança de cerca de 1. O valor da corrente é ajustado no endereço 1207 51 PICKUP. O multiplicador de tempo correspondente para uma Curva IEC é ajustado no endereço 1308 51N TIME DIAL e o endereço 1309 51N TIME DIAL para uma curva ANSI. O multiplicador de tempo correspondente para uma Curva IEC é ajustado no endereço 1208 51 TIME DIAL e no endereço 1209 51 TIME DIAL. Very Inverse. Inverse. Contudo. Isto significa que um pickup somente ocorrerá se uma corrente de cerca de 1.) (Muito Inversa. ocorrerá reset de acordo com a curva de reset descrita anteriormente.1 já foi incluído entre o valor de pickup e o valor de ajuste. Moderadamente Inversa. Phase foi ajustado para TOC ANSI. Moderadamente Inversa. O valor da corrente é ajustado no endereço 1307 51N PICKUP. Se a característica de trip de tempo inverso é selecionada..1. O multiplicador de tempo também pode ser ajustado para ∞.1. você pode frequentemente ajustar um gráfico de coordenação de graduação separado com temporizações mais curtas. Phase deve ser ajustado para Definite Time (Tempo Definido) durante a configuração da função de proteção (veja Seção 2. Ground = TOC IEC ao configurar as funções de proteção (Seção 2. Pickup devido a sobrecarga não deve ocorrer pois neste modo o dispositivo opera como proteção de falta com tempos curtos correspondentes de trip e não como proteção de sobrecarga. O ajuste é principalmente determinado pela mínima corrente de falta à terra esperada. Muito Inversa. Very Inverse. Se Disk Emulation (Emulação de Disco) foi selecionado no endereço 1210 51 Drop-out. or Definite Inv. Para corrente à terra com redes aterradas.2). Inversa Curta. Inversa Longa. Extremamente Inversa ou Inversa Definida) no endereço 1212 51 ANSI CURVE. Muito Inversa.) (Muito Inversa.1 já foi incluído entre o valor de pickup e o valor de ajuste.1). Extremely Inv. Especifique no endereço 1311 51N IEC CURVE a Curva IEC desejada (Normal Inverse. Extremamente Inversa ou Inversa Longa) no endereço 1211 51 IEC CURVE.Funções Aplicações Elemento 51(fases) com características IEC ou ANSI Tendo ajustado o endereço 112 Charac. Se a característica de trip de tempo inverso é selecionada. Extremely Inv. Extremely Inv. você pode selecionar a Curva ANSI desejada (Very Inverse.2). Isto significa que um pickup somente ocorrerá se uma corrente de cerca de 1.1 vezes o valor de ajuste estiver presente. Ele deve ser coordenado com o gráfico de coordenação de graduação do sistema. Se Disk Emulation (Emulação de Disco) foi selecionado no endereço 1310 51 Drop-out.1. os parâmetros das características inversas também estarão disponíveis. or Long Inverse) (Inversa Normal. Neste caso. Manual E50417-G1179-C343-A1. Se o Elemento 51 não for necessário. Inversa. Moderately Inv. Inversa Curta. Long Inverse.

Comando de Controle Externo Se o sinal de fechamento manual não é enviado pelo dispositivo 7SJ80. Correspondentemente. A alternativa Inactive (Inativo) significa que todos os elementos operam segundo a configuração.2009 83 . Publicação 05. o elemento não emitirá trip após pickup. a função é alternada entre ON ou OFF (LIGADO ou DESLIGADO) para os Elementos de sobrecorrente 50-1 PICKUP. A restrição a inrush só estará efetiva e acessível se o endereço 122 InrushRestraint (Restrição a Inrush) for ajustado para Enabled (Ativado). nenhuma restrição ocorrerá no 2º harmônico. Sem consideração do parâmetro 2202 2nd HARMONIC. Deste modo. mesmo com fechamento manual e não necessitam de tratamento especial. o 7SJ80 pode utilizar a função de restrição a inrush para os elementos 50-1. Para sobrecorrente ou Elemento de alto ajuste. um bloqueio de inrush somente ocorrerá se o valor absoluto do 2º harmônico for no mínimo de 0. Contudo. nem pela interface incorporada do operador e nem através da interface serial. Ground deve ser ajustado para Definite Time (Tempo Definido) durante a configuração das funções de proteção (veja Seção 2. um valor menor. 50N-1 PICKUP e 51N PICKUP. Se a função não for necessária. onde altas correntes de inrush são esperadas. de terra e de fase. Este pulso é prolongado por no mínimo 300 ms. de 12 % por exemplo. a temporização pode ser “bypassada” através de um pulso de Fechamento Manual.1). O valor de ajuste é idêntico para todas as fases e terra. SIPROTEC. isto é. Para fornecer mais restrição em casos excepcionais. INRUSH REST.51 PICKUP.51. 7SJ80. consequentemente resultando em trip instantâneo.Funções Aplicações O multiplicador de tempo também pode ser ajustado para ∞. este ajuste não precisa ser alterado.Terra) Quando um disjuntor é fechado em uma linha defeituosa. ajuste para Disabled (Desativado). O ajuste de fábrica da relação I2f/If é de15%. pode ser ajustado nos endereços mencionados. Se a corrente exceder o valor ajustado no endereço 2205 I Max. Manual E50417-G1179-C343-A1. Neste caso.025 * INom. mas diretamente de uma chave de controle.50N-151N de sobrecorrente e IEp. Restrição a Inrush Quando aplicar o dispositivo de proteção em transformadores. pickup será sinalizado. Modo de Fechamento Manual (fases. este sinal deve ser enviado para uma entrada binária do 7SJ80 e configurada de acordo („>Manual Close“). Contudo. onde as condições de energização são particularmente desfavoráveis. A restrição a inrush é baseada na avaliação do 2º harmônico presente na corrente de inrush. o endereço 113 Charac. No endereço 2201. o usuário determina para ambos os elementos. A duração efetiva do bloqueio cruzado 2203 CROSS BLK TIMER pode ser ajustada em um valor entre 0 s (restrição harmônica ativa para cada fase individualmente) e um máximo de 180 s (restrição harmônica de uma fase também bloqueia as outras fases na duração específica). Se o Elemento 51N-TOC não for necessário. um trip de alta velocidade do disjuntor é normalmente desejado.1. o componente necessário para restrição pode ser ajustado para as condições do sistema no endereço 2202 2nd HARMONIC. para que o Elemento selecionado para MANUAL CLOSE (FECHAMENTO MANUAL) possa ser efetivado. Sob circunstâncias normais. que valor de pickup está ativo com determinada temporização. Para habilitar o dispositivo a reagir adequadamente na ocorrência de uma falta nos elementos de fase. quando o disjuntor é fechado manualmente.sec. o endereço 1213 MANUAL CLOSE deve ser ajustado de acordo. o endereço 1313 MANUAL CLOSE é considerado para os endereços dos elementos de terra.

12). os elementos 50N-2 ou 50N-3 serão bloqueados. Interação com a Função de Religamento Automático (fases) Quando ocorre religamento. sem serem afetados pelo religamento automático com a temporização ajustada. O parâmetro with 79 active significa que os elementos 50-2 ou 50-3 somente serão liberados se o religamento automático não estiver bloqueado.6). O endereço with 79 active (com 79 ativo) determina que os elementos 50N-2 ou 50N-3 somente operarão se o religamento automático não for bloqueado.12). Se a falta ainda existir após o primeiro religamento. se trip ou bloqueio devem ser efetuados instantaneamente. uma conexão interna de informação tem de ser estabelecida via CFC (nível de tarefa de intertravamento-”interlocking task level”) usando o bloco de informação CMD(CMD information block)(veja a Figura 2-30). A função de religamento automático integrada do 7SJ80. No endereço 1214 50-2 active ou 1216 50-3 active pode ser especificado se os elementos 50-2 ou 50-3 devem ser influenciados pelo status de um sistema de religamento automático interno ou externo. Interação com a Função de Religamento Automático (Terra) Quando ocorre religamento. Figura 2-16 Exemplo de geração de um sinal de fechamento manual usando a função de controle interna Nota Para uma interação entre a função de religamento automático (79 AR) e a função de controle. A função de religamento automático integrada do 7SJ80. 84 SIPROTEC. Se isto não for desejado. Se isto não for desejável. sem serem afetados pelo religamento automático com a temporização ajustada (veja a Seção 2. é desejável que se tenha uma proteção de alta velocidade contra faltas com 50N-2 ou 50N-3. Veja o cabeçalho de margem “Comando de Fechamento: Diretamente ou via Controle” em Notas de Ajustes da função de religamento automático (Seção 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. isto é. 7SJ80. (veja a Seção 2. Nos endereços 1314 50N-2 active ou 1316 50N-3 active pode ser especificado se os elementos 50N-2 ou 50N-3 devem ser ser influenciados pelo status de um sistema de religamento automático interno ou externo. os elementos 50N-1 ou 51N serão iniciados com tempos de trip graduados. é desejável que se tenha proteção de alta velocidade contra faltas com 50-2 ou 50-3. é necessária uma lógica CFC ampliada. isto é. Se a falta persistir após o primeiro religamento. selecione o ajuste Always (Sempre) para que os elementos 50N-2 ou 50N-3 sempre operem.2009 . também proporciona a opção de determinar individualmente para cada elemento de sobrecorrente. escolha o ajuste Always (Sempre) para que os elementos 50-2 ou 50-3 estejam sempre ativos. se trip e bloqueio devem ser feitos instantaneamente. Publicação 05. os elementos 50-2 ou 50-3 serão bloqueados. também proporciona a opção de determinar individualmente para cada elemento de sobrecorrente.12.Funções Aplicações Função de Controle Interna Se o sinal de fechamento manual é enviado através da função de controle interna do dispositivo. os elementos 50-1 ou 51 serão iniciados com tempos de trip graduados. como configurado.

51 instant.00 sec 50-2 ativo Temporização de Dropout 50 50-3 ativo Pickup 50-3 1.50 .00 sec Always ∞A ∞A 0.00 .05 .50 . 4.00 sec Always with 79 active 1208 1209 1210 1211 51 TIME DIAL 51 TIME DIAL 51 Drop-out 51 IEC CURVE Dial de Tempo 51 Dial de Tempo 51 Característica de Drop-out Curva IEC 1212 51 ANSI CURVE Very Inverse Curva ANSI 1213A MANUAL CLOSE 50-2 instant. A Coluna C (configuração) indica a corrente nominal secundária correspondente do transformador de corrente.00 .10 . End.00 .10 . ∞ 0.00 A. ∞ 1205 1207 50-1 DELAY 51 PICKUP 1A 5A Temporização 50-1 Pickup 51 0.00 A 0..2..00 Disk Emulation Normal Inverse Comentários Sobrecorrente de Fase 50.....00 A 0. 50 -1 instant. ∞ 0.. Extremely Inv.. A tabela indica os ajustes padrão de região específica.50 ..00 sec. 50-3 instant. 50-2 instant. ∞ 0. Modo de Fechamento Manual 1214A 1215A 1216A 1217 50-2 active 50 T DROP-OUT 50-3 active 50-3 PICKUP 1A 5A Always 0. ∞ 0. 7SJ80.00 A 5. 60.00 A. ∞ 5.00 sec 1.00 A. 3.00 A.50 . 1201 1202 Parâmetro FCT 50/51 50-2 PICKUP C Opções de Ajuste ON OFF Ajuste Padrão ON 4. ∞ Instantaneous Disk Emulation Normal Inverse Very Inverse Extremely Inv.00 . 20.20 sec. 60.00 A.00 sec. Manual E50417-G1179-C343-A1.00 sec. Inactive Always with 79 active 0.. Long Inverse Very Inverse Inverse Short Inverse Long Inverse Moderately Inv.. ∞ 0. 175. 175. ∞ 0.. 175. em "Display Additional Settings".00 A 20.00 . ∞ 1218 50-3 DELAY Temporização 50-3 SIPROTEC. 35. Publicação 05.00 . Definite Inv..11 Ajustes Endereços com um "A" só podem ser alterados com DIGSI.00 A.2009 85 .00 .10 .. 35.00 A 0.50 sec 5. 51 Pickup 50-2 1A 5A 0.00 A 0.00 A 5. 60.Funções Aplicações 2.00 A 0. 60.50 sec 1. ∞ 1203 1204 50-2 DELAY 50-1 PICKUP 1A 5A Temporização 50-2 Pickup 50-1 0. 35. 15.

10 sec 0.00 A 0. FCT 50N/51N 50N-2 PICKUP 1A 5A Fundamental Fundamental Fundamental ON 0. 50-1 measurem.05 . 175. ∞ 0. C Opções de Ajuste Fundamental True RMS Instantaneous Fundamental True RMS Fundamental True RMS Fundamental True RMS ON OFF Ajuste Padrão Fundamental Comentários 50-3 medição de 1220A 1221A 1222A 1301 1302 50-2 measurem.00 ..00 . ∞ 1305 1307 50N-1 DELAY 51N PICKUP 1A 5A Temporização 50N-1 Pickup 51N 0.00 . 51N instant. Long Inverse Very Inverse Inverse Short Inverse Long Inverse Moderately Inv.Funções Aplicações End. 51N Pickup 50N-2 0. ∞ Instantaneous Disk Emulation Normal Inverse Very Inverse Extremely Inv. 1219A Parâmetro 50-3 measurem. Inactive Always With 79 Active 0.05 . 35. 35. 15.00 . ∞ 0.00 A 0... Definite Inv. ∞ 0.00 A 0.. ∞ 1308 1309 1310 1311 51N TIME DIAL 51N TIME DIAL 51N Drop-out 51N IEC CURVE Dial de Tempo 51N Dial de Tempo 51N Característica de Dropout Curva IEC 1312 51N ANSI CURVE Very Inverse Curva ANSI 1313A MANUAL CLOSE 50N-2 instant.20 sec. 175.05 .00 Disk Emulation Normal Inverse 50-2 medição de 50-1 medição de 51 medição de Sobrecorrente à terra 50N.05 . ∞ 0. Manual E50417-G1179-C343-A1. Modo de Fechamento Manual 1314A 1315A 1316A 1317 50N-2 active 50N T DROP-OUT 50N-3 active 50N-3 PICKUP Always 0.20 A 1.25 . 20.00 A. 35..00 sec Always ∞A 50N-2 ativo Temporização de Dropout 50N 50N-3 ativo Pickup 50N-3 86 SIPROTEC.. Publicação 05. 60.00 A..00 A. 60..50 A 2.50 A 0. 50N-3 instant.20 A 1.. Extremely Inv.00 sec. 51 measurem.00 sec. ∞ 1303 1304 50N-2 DELAY 50N-1 PICKUP 1A 5A Temporização 50N-2 Pickup 50N-1 0.2009 .25 . 50N-2 instant. ∞ 0.20 sec 5.00 sec Always with 79 active 0. 60.50 sec 0. 4..25 . 50N-1 instant...25 .00 A. 7SJ80.50 . 3.00 A.00 A 0.

50 . 60.00 sec 7.50 A 50N-2 medição de 50N-1 medição de 51N medição de Restrição de Inrush 2º harmônico em % de fundamental Bloqueio Cruzado Tempo de Bloqueio Cruzado Corrente máxima para Restrição de Inrush 0.Funções Aplicações End. 2nd HARMONIC CROSS BLOCK CROSS BLK TIMER I Max 1A 5A Fundamental Fundamental Fundamental OFF 15 % NO 0. Manual E50417-G1179-C343-A1.30 . C Opções de Ajuste 0.. 7SJ80..00 .. 45 % NO YES 0.. ∞ Fundamental True RMS Instantaneous Fundamental True RMS Fundamental True RMS Fundamental True RMS OFF ON 10 . INRUSH REST.2009 87 .00 .00 A SIPROTEC. 1318 1319A Parâmetro 50N-3 DELAY 50N-3 measurem.05 sec Fundamental Comentários Temporização 50N-3 50N-3 medição de 1320A 1321A 1322A 2201 2202 2203 2204 2205 50N-2 measurem.00 A 1.00 sec Ajuste Padrão 0. 25. 180.00 sec. 50N-1 measurem. Publicação 05.50 A 37.. 51N measurem. 125.

2009 .Funções Aplicações 2. Publicação 05. 1704 1714 1718 1719 1721 1722 1723 1724 1725 1726 1751 1752 1753 1756 1757 1758 1761 1762 1763 1764 1765 1767 1768 1769 1770 1787 1788 1791 1800 1804 1805 1810 1814 1815 1820 1824 1825 1831 1832 1833 1834 1835 1836 1837 Lista de Informação Informação >BLK 50/51 >BLK 50N/51N >BLOCK 50-3 >BLOCK 50N-3 >BLOCK 50-2 >BLOCK 50-1 >BLOCK 51 >BLOCK 50N-2 >BLOCK 50N-1 >BLOCK 51N 50/51 PH OFF 50/51 PH BLK 50/51 PH ACT 50N/51N OFF 50N/51N BLK 50N/51N ACT 50(N)/51(N) PU 50/51 Ph A PU 50/51 Ph B PU 50/51 Ph C PU 50N/51NPickedup 50-3 picked up 50N-3 picked up 50-3 TRIP 50N-3 TRIP 50-3 TimeOut 50N-3 TimeOut 50(N)/51(N)TRIP 50-2 picked up 50-2 TimeOut 50-2 TRIP 50-1 picked up 50-1 TimeOut 50-1 TRIP 51 picked up 51 Time Out 51 TRIP 50N-2 picked up 50N-2 TimeOut 50N-2 TRIP 50N-1 picked up 50N-1 TimeOut 50N-1 TRIP 51N picked up Tipo de Info. SP SP SP SP SP SP SP SP SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT >BLOQUEAR 50/51 >BLOQUEAR 50N/51N >BLOQUEAR 50-3 >BLOQUEAR 50N-3 >BLOQUEAR 50-2 >BLOQUEAR 50-1 >BLOQUEAR 51 >BLOQUEAR 50N-2 >BLOQUEAR 50N-1 >BLOQUEAR 51N Sobrecorrente 50/51 DESLIGADO Sobrecorrente 50/51 está BLOQUEADO Sobrecorrente 50/51 está ATIVO 50N/51N está DESLIGADO 50N/51N está BLOQUEADO 50N/51N está ATIVO PICKUP Sobrecorrente 50(N)/51(N) Pickup da Fase A 50/51 Pickup da Fase B 50/51 Pickup da Fase C 50/51 Pickup 50N/51N Pickup 50-3 Pickup 50N-3 TRIP 50-3 TRIP 50N-3 Tempo esgotado 50-3 Tempo esgotado 50N-3 TRIP 50(N)/51(N) Pickup 50-2 Tempo esgotado 50-2 TRIP 50-2 Pickup 50-1 Tempo esgotado 50-1 TRIP 50-1 Pickup 51 Tempo esgotado 51 TRIP 51 50N-2 picked up 50N-2 Time Out 50N-2 TRIP Pickup 50N-1 Tempo esgotado 50N-1 TRIP 50N-1 Pickup 51N Comentários 88 SIPROTEC.2. 7SJ80.12 No. Manual E50417-G1179-C343-A1.

Manual E50417-G1179-C343-A1. temporizada) >BLOQUEAR InRush Pickup Terra InRush Pickup Inrush Fase A Pickup Inrush Fase B Pickup Inrush Fase C BLOQUEADO 50-3 BLOQUEADO 50N-3 SIPROTEC. 1838 1839 1840 1841 1842 1843 1851 1852 1853 1854 1855 1856 1866 1867 7551 7552 7553 7554 7556 7557 7558 7559 7560 7561 7562 7563 7564 7565 7566 7567 10034 10035 Informação 51N TimeOut 51N TRIP PhA InrushDet PhB InrushDet PhC InrushDet INRUSH X-BLK 50-1 BLOCKED 50-2 BLOCKED 50N-1 BLOCKED 50N-2 BLOCKED 51 BLOCKED 51N BLOCKED 51 Disk Pickup 51N Disk Pickup 50-1 InRushPU 50N-1 InRushPU 51 InRushPU 51N InRushPU InRush OFF InRush BLK InRush Gnd Det 67-1 InRushPU 67N-1 InRushPU 67-TOC InRushPU 67N-TOCInRushPU >BLOCK InRush Gnd InRush PU Ia InRush PU Ib InRush PU Ic InRush PU 50-3 BLOCKED 50N-3 BLOCKED Tipo de Info. temporizada) Pickup Inrush 67N-TOC(sobrecorr. OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT Tempo esgotado 51N TRIP 51N Comentários Detecção de inrush da Fase A Detecção de inrush da Fase B Detecção de inrush da Fase C Bloqueio cruzado: PhX bloqueou PhY BLOQUEADO 50-1 BLOQUEADO 50-2 BLOQUEADO 50N-1 BLOQUEADO 50N-2 BLOQUEADO 51 BLOQUEADO 51N Pickup emulação de disco 51 Pickup emulação de disco 51N Pickup Inrush 50-1 Pickup Inrush 50N-1 Pickup Inrush 51 Pickup Inrush 51N InRush DESLIGADO InRush BLOQUEADO Detectado InRush Terra Pickup Inrush 67-1 Pickup Inrush 67N-1 Pickup Inrush 67-TOC (sobrecorr.Funções Aplicações No. Publicação 05.2009 89 . 7SJ80.

• A proteção de sobrecorrente não-direcional descrita na Seção 2.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. 67N 2. Certifique-se de que a direção “para frente” (forward) do elemento de proteção esteja na direção da linha (ou objeto a ser protegido). 7SJ80. 2. se o trip do disjuntor no alimentador paralelo não for prevenido por um elemento de medição direcional (em B). como mostra a Figura 2-17. elementos individuais (por exemplo. 67-2 e/ou 67N-2) podem ser interconectados com a proteção direcional de sobrecorrente. Todos os elementos são independentes uns dos outros e podem ser combinados como desejado.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. 67N A proteção direcional de sobrecorrente consiste de três elementos para correntes de fase e corrente à terra que pode operar de forma direcional ou não-direcional. • Para linhas paralelas ou transformadores alimentados por uma única fonte.1 Geral Para linhas paralelas ou transformadores alimentados por uma única fonte (Figura 2-17). a proteção de sobrecorrente tem de ser suplementada pelo critério direcional. O elemento de alta corrente 67-2 e o elemento de sobrecorrente 67-1 sempre operam com um tempo de trip definido. é aplicada a proteção direcional de sobrecorrente no local indicado por uma seta (Figura 2-17). Aplicações • A proteção direcional de sobrecorrente permite a aplicação de dispositivos de proteção multifuncionais 7SJ80 também em sistemas onde a coordenação de proteção depende do conhecimento da magnitude da corrente de falta e da direção do fluxo de potência no local da falta. Publicação 05. somente a proteção direcional de sobrecorrente permite detecção seletiva de falta. o terceiro elemento 67-TOC sempre opera com tempo de trip inverso. • Para seções de linha alimentadas por duas fontes ou linhas operadas em anel. Isto não é necessariamente idêntico à direção do fluxo normal de carga.3. Manual E50417-G1179-C343-A1.Funções 2.2009 . o segundo alimentador (II) é aberto na ocorrência de uma falta no primeiro alimentador (I). 90 SIPROTEC. Portanto.2. Adicionalmente. pode operar como uma proteção sobreposta de backup ou pode ser desativada.

dispositivos que apresentam uma entrada de corrente à terra sensível. Figura 2-18 Linhas de transmissão com fontes em ambos os lados Dependendo do ajuste do parâmetro 613 Gnd O/Cprot. a proteção de sobrecorrente tem de ser suplementada pelo critério direcional. usam a grandeza calculada 3I0.2009 91 .Funções 2. Contudo. SIPROTEC. w.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. o elemento de corrente à terra pode operar com valores medidos IN ou com os valores 3I0 calculados a partir das correntes trifásicas. 7SJ80. 67N Figura 2-17 Proteção de sobrecorrente para transformadores paralelos Para seções de linha alimentadas por duas fontes ou em linhas operadas em anel.. A Figura 2-18 mostra um sistema em anel onde ambas as fontes de energia são fundidas em uma única fonte.

Se o valor limite não é excedido nesse momento. 67N-1. O Fechamento Manual é uma exceção. Utilizando o recurso de restrição a inrush. Correntes de fase e de terra são comparadas separadamente com os valores dos elementos de relé 67-2 PICKUP e 67N-2 PICKUP. sinais de trip são emitidos e são disponibilizados para cada elemento. Correntes acima dos valores ajustados são sinalizadas separadamente. 7SJ80. a função não desliga em alta velocidade. A temporização do comando de trip 50-2 DELAY ou 50N-2 DELAY. A temporização do comando de trip 50-2 DELAY ou 50N-2 DELAY. Portanto. enquanto a temporização de dropout ainda está em curso. a não ser que o limite 50-2 PICKUP ou 50N-2 PICKUP tenha sido excedido novamente. pode ser iniciado um trip imediato em conjunto com a função de religamento automático (dependente de ciclo). quando a direção da falta é igual à direção configurada. Pickup pode ser estabilizado ajustando-se os tempos de dropout 1518 67 T DROP-OUT ou 1618 67N T DROP-OUT. o tempo é cancelado.2 Tempo Definido. Publicação 05. 67N O tempo pode ser bloqueado para cada elemento via entrada binária ou religamento automático (dependente de ciclo). que pode ser medido como Fundamental ou True RMS. Manual E50417-G1179-C343-A1. A estabilização de pickup para os elementos 67/67N da proteção direcional de sobrecorrente pode ser completada através de tempos ajustáveis de dropout. Esta proteção é usada em sistemas onde ocorrem faltas intermitentes. ele pode ser reaberto imediatamente.3. entretanto. 67-TOC. 67N-2 DELAY. e 67N-TOC no elemento das fases e de terra onde a corrente de inrush é detectada. a temporização pode ser “bypassada” por um pulso de Fechamento Manual. Elementos Direcionais de Alto Ajuste 67-2. Se um disjuntor é manualmente fechado em uma falta. entretanto. Se o valor limite é excedido novamente após a expiração da temporização do comando de trip. Para elementos de sobrecorrente ou elementos de alto ajuste. Excedido o valor limite após sua expiração. ela permite o ajuste de diferentes respostas de dropout e a implementação de uma graduação de tempo em relés digitais e eletromecânicos. Este tempo é iniciado e mantém a condição de pickup se a corrente cair abaixo do limite. 92 SIPROTEC. O valor de dropout é de aproximadamente 95% do valor de pickup para correntes > 0. Se o limite é excedido novamente durante a temporização de dropout. continua. 67N-2 Para cada elemento um valor individual de pickup 67-1 PICKUP or 67N-1 PICKUP é ajustado. Após decorridas as temporizações adequadas 67-2 DELAY. Além disso. através de troca dinâmica de ajuste (veja a Seção 2. não haverá reação. Parâmetros de pickup e de temporização podem ser rapidamente ajustados às necessidades do sistema. o comando de trip é emitido imediatamente. resultando deste modo em um trip de alta velocidade. Cada um desses elementos pode ser direcional ou não-direcional. Após decorrida a temporização de dropout . Em combinação com relés eletromecânicos. ocorre trip imediatamente. eliminando deste modo o comando de trip. trip pode ser bloqueado pelos elementos 67-1.2009 .4). é informado o desligamento de pickup e a temporização de trip é resetada. continua. Remoção ou bloqueio durante pickup reiniciará temporizações. Tabela 2-5 Interconexão com outras funções Conexão com Religamento Automático • • • • • • FECHAMENTO Manual • • • • • • Pickup Dinâmico de Restrição a Inrush Carga Fria • • • • • • • • • • Elementos Direcionais de Proteção de Sobrecorrente 67-1 67-2 67-TOC 67N-1 67N-2 67N-TOC 2. A tabela seguinte fornece uma visão geral das interconexões com outras funções do 7SJ80.3 INom.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67.Funções 2.

7SJ80. Figura 2-19 Diagrama lógico do elemento de alto ajuste 67-2 para fases Se o parâmetro 1513 MANUAL CLOSE é ajustado para 67-2 instant. O mesmo se aplica a 79 AR 67-2.2009 93 . e utilizada a detecção de fechamento manual. 67N Esses elementos podem ser bloqueados pelo recurso de religamento automático (AR). Publicação 05. trip é iniciado assim que surjam as condições de pickup. mesmo se o elemento estiver bloqueado por uma entrada binária. Manual E50417-G1179-C343-A1.Funções 2.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. A figura seguinte exemplifica o diagrama lógico do elemento de alto ajuste 67-2. SIPROTEC.

Se o valor limite é excedido novamente após a expiração da temporização do comando de trip. que pode ser medido como Fundamental ou True RMS. continua.Funções 2. Sinais de trip e sinais da expiração das temporizações. após pickup sem identificação de inrush. O valor de dropout é de aproximadamente 95% do valor de pickup para correntes > 0. Publicação 05. Se o recurso de restrição a inrush está ativado e existe a condição de inrush. Esses elementos podem ser bloqueados pelo recurso de religamento automático (AR). ocorre trip imediatamente. Correntes acima dos valores de ajuste são sinalizadas separadamente quando a direção da falta é igual à direção configurada. Excedido o valor limite após sua expiração. Se o recurso de restrição a inrush é usado. não ocorre trip.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. Se o limite é excedido novamente durante a temporização de dropout.3. 94 SIPROTEC. 7SJ80. enquanto a temporização de dropout ainda está em curso. entretanto.3 INom. Quando. mesmo os sinais normais de pickup ou sinais de inrush correspondentes são emitidos enquanto for detectada corrente de inrush. A figura seguinte mostra por meio de um exemplo. Consequentemente. a não ser que o limite 50-1 PICKUP ou 50N-1 PICKUP tenha sido excedido novamente. 67N 2. a função entra em dropout com alta velocidade. são disponibilizados separadamente para cada elemento. o tempo é cancelado. porque a ocorrência de um inrush não constitui uma falta intermitente. A temporização do comando de trip 50-1 DELAY or 50N-1 DELAY. é relatado o desligamento de pickup e a temporização de trip é resetada. não haverá reação. Correntes de fase ou de terra são comparadas separadamente com o valor de ajuste comum 67-1 PICKUP ou 67N-1 PICKUP. mas uma mensagem é gravada e exibida. houver expiração das temporizações relevantes 67-1 DELAY. Este tempo é iniciado e mantém a condição de pickup se a corrente cair abaixo do limite. continua. 67N-1 Para cada elemento um valor individual de pickup 67-1 PICKUP or 67N-1 PICKUP é ajustado. Elementos Direcionais de Sobrecorrente 67-1. se ocorrer um pickup de inrush. um comando de trip é emitido. A restrição a inrush dos elementos de sobrecorrente 50-1 PICKUP ou 50N-1 PICKUP é desativada através de tempos configuráveis de dropout. indicando quando a temporização do elemento de sobrecorrente expirou. A temporização do comando de trip 50-1 DELAY ou 50N-1 DELAY entretanto. Se o valor limite não é excedido neste momento. 67N-1 DELAY. é emitido o comando de trip imediatamente. Cada um desses elementos pode ser direcional ou não-direcional.2009 .3 Tempo Definido. Pickup pode ser estabilizado ajustando-se o tempo de dropout 1518 67 T DROP-OUT ou 1618 67N T DROPOUT. Após a temporização de dropout ter decorrido. Manual E50417-G1179-C343-A1. o diagrama lógico do elemento direcional 67-1 de sobrecorrente.

3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. e utilizada a detecção de fechamento manual.2009 95 . 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. 67N Figura 2-20 Diagrama lógico do elemento direcional de relé 67-1 para fases Se o parâmetro 1513 MANUAL CLOSE é ajustado para 67-1 instant. trip é iniciado tão logo surjam as condições de pickup.Funções 2. O mesmo se aplica a 79 AR 67-1. mesmo se o elemento é bloqueado através de uma entrada binária. SIPROTEC.

tanto os sinais normais de pickup quanto os sinais correspondentes de inrush. Comportamento de Dropout Quando usar uma curva IEC ou ANSI . mas uma mensagem é gravada e exibida indicando quando a temporização do elemento de sobrecorrente expirou. assumindo que nenhuma corrente de inrush foi detectada ou que a restrição a inrush está desativada. que pode ser medido como Fundamental ou True RMS.Funções 2.4 Tempo Inverso. a Curva pode ser selecionada independentemente da Curva usada para correntes de fase. Comportamento de Pickup Para cada elemento 67-TOC PICKUP ou 67N-TOC PICKUP é ajustado um valor individual de pickup. 67N A temporização de dropout só funciona se não for detectado inrush. Se o elemento 67-TOC emite pickup. Para um novo pickup o contador de tempo inicia em zero. 67N-TOC Os elementos de tempo inverso dependem da versão do dispositivo que foi solicitada. As características e fórmulas associadas são idênticas as da proteção de sobrecorrente não-direcional e estão ilustradas na Seção Dados Técnicos. Figura 2-21 Lógica da temporização de dropout para 67-1 2. os elementos de tempo definido 67-2 e 67-1 estão em funcionamento. Cada corrente de fase e de terra é comparada separadamente com o valor comum de pickup 67-TOC PICKUP ou 67N-TOC PICKUP de cada elemento. A aproximação de um inrush reseta uma temporização de dropout já em curso. não ocorre trip. Se o recurso de restrição a inrush está ativado e existe uma condição de inrush. "Instantaneamente" significa que pickup é desligado quando o valor de aproximadamente 95% do valor ajustado de pickup é atingido. a temporização do sinal de trip é calculada usando um esquema de medição integrada. Se o recurso de restrição a inrush é usado. Quando um valor de corrente excede o valor de ajuste correspondente por um fator de 1. Manual E50417-G1179-C343-A1. Os valores de pickup dos elementos 67-TOC (fases). Quando as curvas de tempo inverso são configuradas.1. defina se o dropout de um elemento deve ocorrer instantaneamente após o limite ter sido atingido ou se deve ser executado através de emulação de disco. assumindo que a direção da falta é igual à direção configurada. a fase correspondente emite pickup e uma mensagem é sinalizada seletivamente por fase. 67N-TOC (corrente à terra) e dos multiplicadores de tempo associados. Decorrida a temporização um sinal de trip é emitido. Elementos Direcionais de Sobrecorrente 67-TOC. podem ser ajustados individualmente. 96 SIPROTEC. A temporização calculada é dependente do fluxo da corrente de falta presente e da curva de trip selecionada.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. são emitidos enquanto a corrente de inrush é detectada.3. Eles operam de acordo com ambos os padrões IEC e ANSI. Publicação 05. Para o elemento de corrente à terra 67N-TOC.2009 . 7SJ80.

7SJ80. localizados na direção da fonte. Figura 2-22 Diagrama lógico da proteção direcional de sobrecorrente: elemento do relé 67-TOC SIPROTEC.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. o processo de acréscimo e decréscimo está inativo. Na faixa entre o valor de dropout (95% do valor de pickup) e 90% do valor ajustado. Manual E50417-G1179-C343-A1. Este processo corresponde ao reset de um disco de Ferraris (explicando sua denominação "emulação de disco").2009 97 . de acordo com a curva de dropout da característica selecionada. Em caso de várias faltas ocorrerem sucessivamente. o diagrama lógico do elemento do relé 67-TOC da proteção de sobrecorrente de tempo inverso direcional das correntes de fase. O reset é iniciado assim que 90% do valor de ajuste é atingido. A emulação de disco oferece vantagens. quando os elementos do relé de sobrecorrente precisam ser coordenados com os relés de sobrecorrente eletromecânicos convencionais. A figura seguinte mostra através de um exemplo.Funções 2. 67N A emulação de disco inicia um processo de dropout (o contador de tempo é decrescido) que se inicia após a desenergização. a "história" é levada em consideração devido à inércia do disco de Ferraris e a resposta de tempo é adaptada. Publicação 05.

um aumento geral dos limites de pickup pode ser evitado.5 Interação com Monitoramento de Falha de Fusível (FFM) Um trip indevido pode ser causado por falha de tensão de medição devido a curto-circuito. Neste caso. Manual E50417-G1179-C343-A1. Basicamente. mas não nos elementos de alto ajuste. Se as condições de inrush ainda estiverem presentes após a decorrência da temporização de trip. 2.6 Pickup de Carga Fria Dinâmico Pode ser necessário aumentar dinamicamente os valores de pickup da proteção direcional de sobrecorrente se. Publicação 05. circuito interrompido no sistema secundário do transformador de potencial.3.10. ou pickup do fusível do transformador de potencial. veja a seção 2. sinais especiais de inrush são gerados.8 Determinação de Direção A determinação da direção de falta do elemento direcional de fase e do elemento direcional de terra. uma mensagem correspondente (". Estes sinais também iniciam anunciações de falta e iniciam a temporização de trip associada. individualmente.TimeOut ") é emitida. sistemas de ar-condicionado. A falha da tensão de medição em um ou dois polos pode ser detectada e os elementos direcionais de sobrecorrente (Fase e Terra) podem ser bloqueados (veja diagramas lógicos).7 Restrição de Inrush O 7SJ80 desempenha uma função de restrição de inrush integrada.2). A proteção de subtensão.3. A função do pickup de carga fria dinâmico é comum a todos os elementos de sobrecorrente e é descrito na Seção 2. 67N 2. instalações de aquecimento.. 98 SIPROTEC. é efetuada independentemente.3.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. Após a detecção de correntes de inrush acima de um valor de pickup. 2. a determinação da direção é executada pela determinação do ângulo de fase entre a corrente de falta e uma tensão de referência. 2.4. 7SJ80.. Os valores alternativos de pickup podem ser ajustados. motores). certos elementos do sistema mostram um consumo elevado de energia após um longo período de tensão zero (por exemplo.. Para informação adicional na operação de monitoramento de falha de fusível. para cada elemento da proteção direcional e não-direcional de sobrecorrente. Ela previne o pickup "normal" de todos os elementos direcionais ou não-direcionais do relé de sobrecorrente nos elementos de terra e fases. mas o trip de sobrecorrente é bloqueado (para informações adicionais veja "Restrição de Inrush" na Seção 2. a detecção de falta à terra sensível e a sincronização são igualmente bloqueadas neste caso. O mesmo se aplica aos limites alternativos de pickup da função de pickup de carga fria dinâmico.2009 .1 Supervisão de Valores Medidos. na partida. levando-se em consideração tais condições de partida.Funções 2.3.

se as tensões de medição não forem suficientes. são usadas como tensão de referência. Em conexões de tensão fase-terra. Para cada elemento direcional de terra há duas possibilidades para a determinação da direção: Determinação de Direção com Sistema de Sequência Zero ou Grandezas de Terra Para elementos direcionais de falta à terra. No elemento de tensão. Em uma conexão de tensões bifásicas e VN. Na trajetória da corrente. a terceira tensão fase-fase também é calculada. estão conectados. se conectada. Por outro lado. Publicação 05. Quando os transformadores de potencial estão conectados em V. Da mesma forma como são usadas as grandezas de sequência zero. Quando no fechamento em uma falta não existirem valores de tensão armazenados no buffer. Manual E50417-G1179-C343-A1. o elemento do relé emitirá trip. 7SJ80. Se a medição do sistema de sequência zero não é possível porque somente dois transformadores de corrente. são calculadas as tensões fase-fase. a corrente de sequência negativa e a tensão de sequência negativa são usados para determinar a direção. a direção é indefinida.2009 99 . a direção permanecerá indeterminada. a direção pode ser determinada a partir das grandezas do sistema de sequência zero. a determinação da direção é sempre baseada nas grandezas de sequência negativa. Tensões de Referência de Polarização Cruzada para Determinação de Direção A direção de um elemento direcional de fase é detectado por meio de uma tensão polarizada cruzada. a direção detectada é salva enquanto não estiver disponível suficiente tensão de medição. Isto é vantajoso se a sequência zero é influenciada por uma linha paralela ou se a tensão zero se torna muito pequena devido a impedâncias zero desfavoráveis. a tensão polarizada cruzada (tensão de referência) está 90° fora de fase com as tensões de falta (veja a Figura 2-23). 67N Método de Medição Direcional Para o elemento direcional de fase. Se a magnitude de V0 ou 3 · V0 não é suficiente para determinar a direção. Após a expiração do período de armazenamento (2 s). o ângulo entre as tensões polarizadas cruzadas (tensões de referência) e as tensões de falta. O sistema de sequência negativa é calculado a partir de tensões e correntes individuais.Funções 2. Com faltas fase-fase. Então o elemento direcional de terra não iniciará um sinal de trip. De outra forma. a tensão de sequência zero 3 · V0 a partir da soma das tensões trifásicas. quando a corrente de neutro do transformador é conectada ao dispositivo. SIPROTEC.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. o dispositivo calcula como tensão de referência. Determinação de Direção com Grandezas de Sequência Negativa Aqui. Em todos os outros casos. o elemento direcional de terra tampouco operará. Em uma falta fase-terra. a magnitude da tensão será suficiente para determinar a direção. a direção só é determinada se os valores necessários para a determinação da direção excederem um certo limite mínimo. a corrente IN é válida. A tensão sem falta também permite uma determinação definida da direção. a tensão residual VN é usada como tensão de referência. por exemplo. o dispositivo calcula a corrente à terra a partir da soma das correntes trifásicas. a corrente de falta da fase correspondente e a tensão fase-fase sem falta. pode estar entre 90° (falta remota) e 60° (falta local). Caso contrário. valores de tensão armazenados são usados para determinar claramente a direção. mesmo que a tensão de falta tenha cessado completamente (falta de linha curta). Com faltas em linhas trifásicas curtas. dependendo do grau da queda das tensões de falta.

A with IC=IA C.VB VB . A with IC>IA C.2009 .VC VC . C with IA>(IB.VA VC .1. B with IA<IB B. A with IC<IA A. IC) A. B.VA VA .VB Tensão alocada Para informação sobre as possíveis conexões de transformador de potencial e seu impacto na proteção direcional de sobrecorrente.2. B. C with IB>(IA. veja 2. 7SJ80. B with IA>IB A. 100 SIPROTEC. IC) A. IB) IA IB IC IA IA IB IB IB IC IC IA IA IA IB IC Corrente selecionada VB . B with IA=IB A.VC VB . A tabela seguinte mostra a alocação de valores medidos para a determinação da direção de falta para vários tipos de pickups para o elemento de fase. a fase com o menor número é escolhida (IA antes de IB antes de IC).Funções 2.VC VC . Tabela 2-6 Valores de Tensão e Corrente para a Determinação da Direção de Falta em um Elemento de Fase Pickup A B C A. Publicação 05. B. 67N Figura 2-23 Tensões polarizadas cruzadas para determinação da direção A fase que transporta a corrente mais alta é selecionada para a decisão da direção.VC VB .VB VB . C with IB<IC C.VC VB . Manual E50417-G1179-C343-A1.VC VC . C with IB>IC B.VB VA . C with IC>(IA.3.VA VA . Com níveis de corrente iguais.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67.VA VA . C with IB=IC B.VA VC .

Na área reversa. a determinação da direção é efetuada pela definição do ângulo de fase entre a corrente de falta e a tensão de referência. Manual E50417-G1179-C343-A1. veja Figura 2-25. Na área intermediária.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67.2009 101 . é rotacionada pelo valor de ajuste 1519 ROTATION ANGLE. A tensão de referência. a tensão de referência pode ser rotacionada por um ângulo ajustável. o resultado da direção é indefinido. Publicação 05. o dispositivo detecta a direção da potência para frente. Deste modo. A Figura 2-24 mostra claramente a conexão do elemento direcional de fase baseada em uma falta à terra monopolar na Fase A. o dispositivo detecta a direção oposta. SIPROTEC. neste caso VBC para o elemento A direcional de fase. A corrente de falta IscA segue a tensão de falta pelo ângulo de falta ϕsc.rot . Figura 2-24 Rotação da tensão de referência. uma rotação de +45°. A área dianteira é uma faixa de ±86° ao redor da tensão de referência rotacionada Vref. positivamente anti-horário. No intuito de satisfazer diferentes condições e aplicações da rede. Se o vetor da corrente de falta está nessa área. para proporcionar o melhor resultado possível na determinação da direção. o vetor da tensão de referência rotacionada pode ser rigorosamente ajustado com o vetor da corrente de falta.Funções 2. 67N Determinação de Direção de Elementos Direcionais de Fase Como já mencionado. elemento direcional de fase A tensão de referência rotacionada define a área dianteira e a oposta. Neste caso. 7SJ80.

elemento direcional de terra com valores de sequência zero A área dianteira é também uma faixa de ±86° ao redor da tensão de referência rotacionada Vref.Funções 2. o dispositivo detecta a direção para frente. também baseado em uma falta à terra monopolar na Fase A. A corrente de falta -3I0 é defasada da fase por 180° para a corrente de falta IscA e segue a tensão de falta 3V0 pelo ângulo de falta ϕsc.2009 . 67N Figura 2-25 Característica de Avanço da função direcional. esta é a tensão 3V0 (como mostrada na Figura 2-26) ou VN. Dependendo da conexão do transformador de potencial. uma rotação de -45°. 7SJ80.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. elemento direcional de fase Determinação de Direção do Elemento Direcional de Terra com Valores de Terra A Figura 2-26 mostra o tratamento da tensão de referência para o elemento direcional de terra. Neste caso. Figura 2-26 Rotação da tensão de referência. 102 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. rot. Se o vetor da corrente de falta -3I0 (or IN) está nessa área. a própria tensão de falta é o potencial de referência para o elemento direcional de terra. A tensão de referência é rotacionada através do valor de ajuste 1619 ROTATION ANGLE. Contrário aos elementos direcionais de fase que trabalham com tensão sem falta como tensão de referência. Publicação 05.

Manual E50417-G1179-C343-A1. o dispositivo detecta a direção para frente. usando o elemento de relé 67-1. bloqueará um dos elementos não-direcionais da sobrecorrente (50-1. Ele é projetado para isolar seletivamente uma seção de linha defeituosa (seções de aneis.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. Durante uma falta na linha. isto é. perturbações na linha de comunicação são detectadas e sinalizadas com temporização. mensagens "para frente" são transmitidas ao dispositivo situado na direção oposta. 67N Determinação de Direção via Elemento de Terra usando Valores de Sequência Negativa A Figura 2-27 mostra o tratamento da tensão de referência para o elemento direcional de terra. (Seção 2. Quando implementado em uma conexão de circuito fechado. O sistema local exige um fio de intertravamento local do barramento. é usada a tensão do sistema de sequência negativa. baseados em uma falta à terra monopolar na Fase A. SIPROTEC. elemento direcional de terra com valores de sequência negativa A área para a frente está em uma faixa de ±86° ao redor da tensão de referência Vref. Como tensão de referência. usando os valores de sequência negativa. Publicação 05. para facilitar a transmissão de sinal em cada direção. uma rotação de -45°.3. Neste caso. rot.9 Intertravamento Reverso para Linhas com Alimentação nas Duas Extremidades Exemplo de Aplicação O recurso de direcionalidade da proteção direcional de sobrecorrente habilita o usuário a também executar intertravamento reverso em linha com alimentação nas duas extremidades. A corrente de falta 3I2 está em fase oposta à corrente de falta IscA e segue a tensão 3V2 pelo ângulo de falta ϕsc. graduações de tempo longas.Funções 2. não tornarão o processo mais lento. Em adição. 50-TOC) dos dispositivos na direção oposta (no mesmo barramento) uma vez que eles não devem emitir trip (Figura 2-28).2). por exemplo) em alta velocidade. como corrente para a determinação da direção. similar ao descrito na Subseção "Proteção de Intertravamento Reverso do Barramento" para a proteção direcional de sobrecorrente. A tensão de referência é rotacionada através do valor de ajuste 1619 ROTATION ANGLE. Mensagens "para frente" são emitidas quando o limite atual do elemento direcional 67-1 do relé for excedido e a determinação da direção da linha é feita. Para cada linha é necessário um caminho separado para a transferência de dados. através de um loop de tensão auxiliar. Figura 2-27 Rotação da tensão de referência. 2. Subsequentemente.2009 103 . o dispositivo que detecta faltas no sentido para frente (da linha) usando o elemento direcional 67-1 do relé. uma mensagem é gerada referente ao sentido da falta. Este esquema é viável quando a distância entre os relés de proteção não é muito grande e quando fios piloto estão disponíveis para transferência de sinal. a corrente do sistema de sequência negativa na qual a corrente de falta é exibida. 7SJ80. Se o vetor da corrente do sistema de sequência negativa -3I2 está nesta área.

Em adição. opera como uma proteção seletiva de backup.2009 .3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. 7SJ80. 50TOC) de dispositivos no terminal oposto do mesmo alimentador. bloqueará um dos elementos não-direcionais de sobrecorrente (50-1. Figura 2-28 Intertravamento reverso usando elementos direcionais O elemento direcional de sobrecorrente. Manual E50417-G1179-C343-A1. Figura 2-29 Diagrama lógico da geração de sinais de direção de falta 104 SIPROTEC. fornecendo uma graduação normal de tempo. A figura seguinte mostra o diagrama lógico da geração de sinais de direção de falta.Funções 2. usando o elemento direcional 67-1 do relé. uma mensagem "Reversa" é gerada e transmitida pelo de tensão auxiliar para o relé situado no terminal oposto da linha. Publicação 05. 67N Durante uma falta no barramento. o dispositivo que detecta faltas na direção reversa (barramento).

A amplitude da corrente é derivada do valor amostrado. • Medição do Valor True r. Endereço 1522 67-TOC MEASUR.s.m. Endereço 1620 67N-2 MEASUREM. Os elementos direcionais sobrepostos 67-2 e 67-1 ou 67N-2 e 67N-1 aplicam-se em todos esses casos. as características inversas também estarão disponíveis.3. Os tipos de valores de comparação podem ser ajustados nos seguintes endereços: Elemento 67-2 Elemento 67-1 Elemento 67-TOC Elemento 67N-2 Elemento 67N-1 Elemento 67N-TOC Característica Direcional A característica da direção. Endereço 1622 67N-TOC MEASUR. isto é. independentemente da proteção direcional de sobrecorrente de fase. Dependendo do escopo funcional especificado durante a configuração das funções de proteção nos endereços 115 67/67-TOC e 116 67N/67N-TOC. numa faixa de 30° a 60°. temporizações e Curvas.1. Endereço 1521 67-1 MEASUREM.Funções 2. então somente estarão disponíveis os ajustes para os elementos definidos de tempo. Endereço 1621 67N-1 MEASUREM. a posição das faixas “para frente“ e “reversa“ é ajustada para os elementos direcionais de fase no endereço 1519 ROTATION ANGLE e para o elemento direcional de terra. Por isso.m. podem ser ajustados nas folhas de ajustes dos elementos.. w. Este método de medição deve ser selecionado. no endereço 1601 FCT 67N/67N-TOC.s. são ajustados separadamente para a proteção de fase e para a proteção de terra. Portanto. Isto Endereço 1520 67-2 MEASUREM. 7SJ80. no endereço 1619 ROTATION ANGLE. Métodos de Medição Os valores de comparação a serem usados com os elementos respectivos. calculados a partir das correntes trifásicas. 67N 2. o dispositivo pode operar usando valores medidos IN ou as grandezas 3I0. Se 67/67-TOC ou 67N/67N-TOC = Definite Time for selecionado. Dispositivos caracterizando uma entrada de corrente sensível à terra. A orientação direcional da função é influenciada pelo parâmetro 201 CT Starpoint (veja Capítulo 2. Dependendo do parâmetro 613 Gnd O/Cprot. Valores de pickup values. a proteção direcional de sobrecorrente à terra pode ser ligada (ON) ou desligada (OFF). No endereço 1501 FCT 67/67-TOC.10 Geral Notas de Ajustes Quando selecionar a proteção direcional de sobrecorrente em DIGSI.2009 105 . quando altos harmônicos devem ser considerados pela função (banco capacitor. O ângulo de curto-cicuito é geralmente indutivo. o número de indicações pode variar. Manual E50417-G1179-C343-A1. por exemplo). aparece uma caixa de diálogo com várias indicações para o ajuste dos parâmetros associados. a coordenação do relé para faltas à terra é independente da coordenação do relé para faltas de fase e ajustes mais sensíveis podem ser aplicados frequentemente na proteção direcional à terra. • Medição do Harmônico Fundamental (método padrão): Este método de medição processa os valores amostrados da corrente e filtra o harmônico fundamental em ordem numérica. Se TOC IEC ou TOC ANSI for selecionado. Publicação 05. geralmente usam a grandeza calculada 3I0. a proteção direcional de sobrecorrente de fase pode ser ligada (ON) ou desligada (OFF).3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. de acordo com a equação de definição do valor true r. de forma que altos harmônicos ou correntes transientes de pico são desconsiderados na maior parte das vezes. SIPROTEC.3).

a tensão de referência é a própria tensão de curto-circuito. = -ϕk Elemento direcional de terra (falta fase-terra). da tensão de ref.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. a tensão de referência (tensão livre de falta) para faltas fase-terra é vertical na tensão de curto-circuito. todavia. 106 SIPROTEC.30° → 45° –30° 30° Faixa 60°. Também deve ser observado nos elementos direcionais de fase. 7SJ80. Com o elemento direcional de terra. portanto: Ângulo de rot. O ajuste resultante do ângulo de rotação é.ϕk -15° Elemento direcional de fase (falta fase-fase).3. Table 2-7 Exemplos de ajustes Aplicação ϕsc típico Ajuste Elemento Direcional de Fase ÂNGULO DE ROTAÇÃO 1519 60° Faixa 30°.0° → 15° Ajuste Elemento Direcional de Terra ÂNGULO DE ROTAÇÃO 1619 –60° 30° Faixa 60°. Publicação 05. da tensão de ref.0. são mostrados alguns exemplos de ajuste para aplicações especiais (Tabela 2-7). Por esta razão.2009 ..8): Ângulo de rot..30° → 45° –30° 1) 2) Direção do fluxo de potência Assumindo-se que estas são linhas com cabo Orientação Direcional A orientação direcional pode ser alterada para os elementos direcionais de fase no endereço 1516 67 Direction e para os elementos direcionais de terra no endereço 1616 67N Direction e também para Forward ou Reverse ou Non-Directional. por garantirem um resultado seguro da direção. etc.ϕk Elemento direcional de fase (falta fase-terra). Manual E50417-G1179-C343-A1. podem ser mantidos para o ajuste da tensão de referência. que com faltas fase-fase a tensão de referência é rotacionada entre 0° (falta remota) e 30° (falta próxima) dependendo da queda da tensão defeituosa. = 90 . da tensão de ref.. O seguinte deve ser observado: Com os elementos direcionais de fase.. o ajuste resultante do ângulo de rotação é (veja também a Seção 2.). A seguir. transformador. Isto pode se considerado como um valor médio de 15°: Ângulo de rot.= 90 .. 67N significa que usualmente os ajustes padrão de +45° para os elementos direcionais de fase e de -45° para o elemento direcional de terra..Funções 2. A proteção direcional de sobrecorrente opera normalmente na direção do objeto protegido (linha.

são geradas as mensagens direcionais “forward“ ou “reverse“ específicas de fase. Este ajuste evita trip e a geração de uma mensagem de pickup. 3ph é ajustado para Vab. O tempo selecionado é somente uma temporização adicional e não inclui o tempo de operação (medição. a tensão de sequência zero (VN ou 3V0) não está disponível. Se o Elemento 67N-2 não for necessário. Manual E50417-G1179-C343-A1. Para estes tipos de conexão de tensão. será sinalizado. Pickup. 67N Nota Quando o Elemento 67-1 ou o Elemento 67N-1 emite pickup. o Elemento então não emitirá trip. Publicação 05. Elemento Direcional de Alta Corrente (Fases) 67-2 Pickup e temporização do elemento 67-2 são configurados nos endereços 1502 e 1503. será sinalizado. pode ser ajustado para especificar se a determinação de direção é efetuada a partir de grandezas de sequência zero ou grandezas de terra (with VN and IN). SIPROTEC.10. A temporização pode ser ajustada para ∞. então o valor de pickup 67-2 PICKUP deve ser ajustado para ∞. Elemento 67N-2 e Elemento 67-TOC é feito na faixa da direção ajustada sem mensagem de direção. A temporização pode ser ajustada para ∞. Elemento Direcional de Alta Corrente (Terra) 67N-2 Pickup e temporização do elemento 67N-2 são configurados nos endereços 1602 e 1603.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. Seleção das variáveis para a determinação de direção dos elementos direcionais de terra O parâmetro 1617 67N POLARIZAT. na Seção 2. aplicamse as mesmas considerações estabelecidas para a proteção não-direcional de sobrecorrente. então o valor de pickup 67N-2 PICKUP deve se ajustado para ∞. as linhas são ajustadas aproximadamente 20% acima da (sobre) carga máxima esperada e transformadores e motores. Pickup devido a sobrecarga não deve ocorrer. devido à impedância zero desfavorável ou se uma linha paralela influenciar o sistema zero. A primeira opção é o ajuste preferencial. discutidas anteriormente. Por esta razão. Vbc ou Vab. Após pickup. uma vez que neste modo o dispositivo opera como proteção de falta.Funções 2. (mensagens 2628 a 2636). Se o Elemento 67-2 não for necessário. com tempos correspondentemente curtos de trip e não como proteção de sobrecarga. Aplicam-se para estes ajustes. Nota Se o parâmetro 213 VT Connect. Vx. O Pickup do Elemento 67-2. Se o relé é usado para proteger transformadores ou motores com amplas correntes de inrush. ou a partir de grandezas de sequência negativa (with V2 and I2). VSyn ou Vab. contudo. Após pickup. dropout). o recurso de restrição a inrush do 7SJ80 pode ser usado para o elemento 67-1 do relé (para mais informações. Este ajuste não gera sinal para pickup e nem para trip. Pickup. as mesmas considerações feitas para correntes de fase. veja o cabeçalho de margem “Restrição a Inrush”). O tempo selecionado é somente uma temporização adicional e não inclui o tempo de operação (medição.2. a direção é sempre determinada usando-se os valores de sequência negativa V2/I2. Elemento Direcional de Sobrecorrente (Fases) 67-1 O valor de pickup do elemento 67-1 (67-1 PICKUP) endereço1504. Vbc. 40% aproximadamente. o Elemento então não emitirá trip. a última deve ser selecionada se a tensão zero for muito pequena. Vbc. 7SJ80. dropout). Para ajuste.2009 107 . contudo. deve ser ajustado acima da máxima corrente de carga esperada.

67N A temporização dos Elementos direcionais (endereço 1505 67-1 DELAY) é usualmente mais curta do que a temporização dos Elementos não-direcionais (endereço 1205). então. será sinalizado. A temporização pode ser ajustada para ∞. Este ajuste previne trip e a geração de uma mensagem de pickup. Para transformadores paralelos supridos por uma única fonte (veja "Aplicações"). Publicação 05.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. Após pickup. o elemento não emitirá trip. dropout). Ela deve ser baseada nas exigências de coordenação do sistema para trip direcional. contudo. o valor de pickup 67-1 PICKUP deve ser ajustado para ∞. Se o Elemento 67-1 não é mais necessário.Funções 2. 7SJ80.2009 . a temporização de elementos 67-1 DELAY situados no lado da carga dos transformadores. Pickup. 108 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. uma vez que os Elementos não-direcionais sobrepõem os Elementos direcionais como proteção de backup. podem ser ajustados em 0 sem provocar impactos negativos na seletividade. O tempo selecionado é apenas uma temporização adicional e não inclui o tempo de operação (medição.

Extremamente Inversa. Ele precisa ser coordenado com a graduação de tempo da rede. uma vez que o dispositivo neste modo de operação opera como proteção de falta. Se o relé é usado para proteger transformadores ou motores com grandes correntes de inrush. Manual E50417-G1179-C343-A1.1 vezes o valor de ajuste estiver presente. o Elemento não emitirá trip. o valor de pickup 67N-1 PICKUP deve ser ajustado para ∞. se uma corrente de cerca de 1. Moderately Inv. Se o elemento 67N-1 não for mais necessário. contudo. Após pickup.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. Inversa Longa. Long Inverse. O ajuste é principalmente determinado pela máxima corrente de operação. é frequentemente usado. Extremely Inv.1). Este ajuste previne trip e a geração de uma mensagem de pickup. or Definite Inv. o recurso de restrição a inrush do 7SJ80 pode ser usado para o elemento 67N-1 do relé (para mais informações veja o cabeçalho de margem "Restrição a Inrush"). Pickup devido a sobrecarga não deve ocorrer.ANSI CURVE. Inversa Curta.1. neste caso.IEC CURVE. durante a configuração da função de proteção (veja Seção 2. Após pickup. neste caso. pickup será sinalizado. é ajustado no endereço 1508 67 TIME DIAL e no endereço 1509 67 TIME DIAL para uma Curva ANSI. veja o cabeçalho de margem "Restrição a Inrush"). Pickup. O multiplicador de tempo também pode ser ajustado para ∞. Isto significa que um pickup somente ocorrerá. Short Inverse. ou Inversa Definida) no endereço 1512 67. Se o Elemento 67-TOC não for necessário. O tempo selecionado é somente uma temporização adicional e não inclui o tempo de operação (medição.1. Inverse. Inversa. O valor da corrente é ajustado no endereço 1507 67-TOC PICKUP. com tempos correspondentemente curtos de trip e não como proteção de sobrecarga. Se o endereço 115 67/67-TOC = TOC IEC. um gráfico de coordenação separado com temporizações curtas. Elemento de Sobrecorrente para Curvas IEC ou ANSI (Fases de Tempo Inverso) 67-TOC Tendo ajustado os endereços 115 67/67-TOC = TOC IEC ou TOC ANSI ao configurar as funções de proteção (Seção 2. Extremely Inv. Para correntes de terra em um sistema aterrado. deve-se notar que um fator de segurança de cerca de 1. Se o relé é usado para proteger transformadores ou motores com grandes correntes de inrush.2009 109 . A temporização é ajustada no endereço 1605 67N-1 DELAY e deve ser baseada nas exigências de coordenação do sistema para trip direcional. Extremamente Inversa ou Inversa Longa) no endereço 1511 67. nos endereço 1518 67 T DROP-OUT ou 1618 67N T DROP-OUT.1). 7SJ80. SIPROTEC. o elemento não emitirá trip. Se o endereço 115 67/67-TOC = TOC ANSI você pode especificar a Curva ANSI desejada (Very Inverse. or Long Inverse) (Inversa Normal.1 já foi incluído entre o valor de pickup e o valor de ajuste. Publicação 05. será sinalizado. 67N Elemento Direcional de Sobrecorrente (Terra) 67N-1 O valor de pickup do elemento 67N-1 do relé deve ser ajustado abaixo da mínima corrente de falta à terra esperada. Estabilização de Pickup (67/67N Direcional) Os pickups também podem ser estabilizados via tempos parametrizáveis de dropout. Muito Inversa. Very Inverse. O fator de multiplicação de tempo do elemento correspondente para uma Curva IEC. contudo. Moderadamente Inversa. A temporização pode ser ajustada para ∞. o recurso de restrição a inrush do 7SJ80 pode ser usado para o elemento 67-TOC do relé (para mais informações. os parâmetros para as características inversas também estarão disponíveis.) (Muito Inversa.. dropout). você pode especificar a Curva IEC desejada (Normal Inverse. Se a característica de trip de tempo inverso é selecionada.Funções 2. o endereço 115 67/67-TOC deve ser ajustado para Definite Time.

or Long Inverse) (Inversa Normal. após fechamento manual. na maioria das vezes. Inversa Longa. (na opção de ajustes da proteção não-direcional (non-directional) de sobrecorrente). Isto significa que não ocorrerá pickup se uma corrente de aproximadamente 1.Funções 2. o endereço 1613 MANUAL CLOSE destina-se também ao ajuste do elemento de terra.1). qual valor de pickup está ativo com determinada temporização. já foram listados na Seção 2. não ocorrerá trip do Elemento. contudo. ou Inversa Definida) no endereço 1612 67N-TOC ANSI. geralmente é desejada a geração de um trip de alta velocidade pelo disjuntor. quando o disjuntor é fechado manualmente. o endereço 1513 MANUAL CLOSE deve ser ajustado de acordo. onde são esperadas altas correntes de inrush. veja o cabeçalho de margem “Restrição a Inrush”. Manual E50417-G1179-C343-A1. Se o elemento 67N-TOC não for necessário. Este pulso é prolongado por no mínimo 300 ms. Extremamente Inversa ou Inversa Longa). deve-se observar que um fator de cerca de 1. Long Inverse. Se Disk Emulation (Emulação de Disco) foi selecionado no endereço 1610 67N-TOC DropOut.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. após pickup. Para Elementos de sobrecorrente ou de alto-ajuste. Extremely Inv. o 7SJ80 pode utilizar a função de restrição de inrush para os elementos direcionais de sobrecorrente 67-1. será sinalizado. você pode especificar a Curva ANSI desejada (Very Inverse. a temporização pode ser contornada por um pulso de Fechamento Manual. Se o relé é usado para proteger transformadores ou motores com grandes correntes de inrush. 67N Elemento de Sobrecorrente para Curvas IEC ou ANSI (Terra de Tempo Inverso) 67N-TOC Tendo ajustado 116 67N/67N-TOC = TOC IEC ao configurar as funções de proteção (Seção 2. Especifique a Curva IEC desejada no endereço 1611 67N-TOC IEC (Normal Inverse. Então. O fator correspondente de multiplicação de tempo do elemento para uma Curva IEC é ajustado no endereço 1608 67N-TOC T-DIAL e no endereço 1609 67N-TOC T-DIAL para uma Curva ANSI. or Definite Inv. os parâmetros para as características inversas também estarão disponíveis.1 vezes o valor de ajuste estiver presente. um gráfico separado de coordenação de graduação com temporizações mais curtas. Deste modo. 7SJ80. Consequentemente.2. Inversa Curta. neste caso resultando em trip instantâneo. Extremely Inv. A mínima manifestação de uma corrente de falta à terra é muito relevante para este ajuste. para trip direcional. 67TOC. Short Inverse.1. Moderately Inv. Muito Inversa. 67N-1 e 67N-TOC assim como os elementos não-direcionais de sobrecorrente. Inversa. Extremamente Inversa. Modo de Fechamento Manual (Fases. O valor da corrente é ajustado no endereço 1607 67N-TOC PICKUP. Restrição de Inrush Ao aplicar o dispositivo de proteção em transformadores. A opção de restrição de inrush é ativada ou desativada em 2201 INRUSH REST. Publicação 05. 110 SIPROTEC.2009 . Para habilitar o dispositivo a reagir adequadamente na ocorrência de uma falta nos elementos de fase. Pickup.3. Moderadamente Inversa. descrita na Seção 2.10).. Se for selecionada a característica de trip de tempo inverso. Se o endereço 116 67N/67N-TOC = TOC ANSI.1 já foi incluído entre o valor de pickup e o valor de ajuste 67N-TOC PICKUP. o recurso de Restrição a Inrush do 7SJ80 pode ser usado para o elemento 67N-TOC do relé (para mais informações.1. ocorrerá reset de acordo com a curva de reset para a proteção de sobrecorrente não-direcional presente. o endereço 116 67N/67N-TOC deve ser ajustado para Definite Time (Tempo Definido) durante a configuração da função de proteção (veja Seção 2. o usuário determina para ambos os elementos de fase e terra. Os valores da característica da restrição de inrush. Very Inverse.) (Muito Inversa. Inverse.1). O multiplicador de tempo também pode ser ajustado para ∞. Para correntes de terra com redes aterradas você pode estabelecer. Terra) Quando um disjuntor é fechado em uma linha defeituosa. Isto deve ser coordenado com o gráfico de coordenação de graduação do sistema.

67N Chave de Controle Externa Se o sinal de fechamento manual não é gerado pelo 7SJ80. Se isto não for desejado. A função de religamento automático integrada do 7SJ80.12. Veja cabeçalho de margem “Comando de Fechamento: Diretamente ou via Controle” em Notas de Ajustes da função de religamento automático (Seção 2. (veja a Seção 2. os elementos 67-2 consequentemente serão bloqueados. O ajuste with 79 active significa que os elementos 67-2 são liberados somente se a função de religamento automático não estiver bloqueada. este sinal deve ser passado para uma entrada binária do 7SJ80 e configurada de acordo (“>Manual Close“) para que o Elemento selecionado em MANUAL CLOSE se torne efetivo.2009 111 . Manual E50417-G1179-C343-A1. se um trip de temporização normal não deve ser afetado pelo religamento automático ou se deve ser bloqueado. ou não.Funções 2. mas diretamente por uma chave externa de controle. como configurado. Publicação 05.12). Interação com a Função de Religamento Automático (fases) Quando ocorre religamento. os elementos 67N-2 serão bloqueados. mesmo com fechamento manual.6). Inactive (Inativo) significa que todos os Elementos operam com os tempos de trip configurados. é desejável ter uma proteção de alta velocidade contra faltas com o elemento 67N-2.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. Figura 2-30 Exemplo de geração de sinal de fechamento manual usando a função interna de controle Nota Para uma interação entre a função de religamento automático (79 AR) e a função de controle. No endereço 1514 67-2 active pode ser especificado se os elementos 67-2 deverão ser influenciados pelo status de um dispositivo de religamento automático externo ou interno. isto é. se um trip instantâneo. o ajuste always (sempre) é selecionado para que os elementos 67N-2 estejam sempre ativos. Função Interna de Controle A informação de fechamento manual precisa se alocada via CFC (nível de tarefa de intertravamento (“interlocking task level”)) usando o bloco CMD_de informação(CMD Information Block). como configurados. os elementos 67-1 ou 67-2 serão iniciados com tempos graduados de trip. é desejavel ter proteção de alta velocidade contra faltas com 67-2. os elementos 67N-1 ou 67N-TOC precisam operar com tempos de trip graduados. No parâmetro 1614 67N-2 active pode ser especificado se os elementos 67N-2 devem ser influenciados pelo status de um dispositivo de religamento interno ou externo. O ajuste with 79 active significa que os elementos 67N-2 são liberados somente se a função de religamento automático não estiver bloqueada. isto é. se a função interna de controle é usada. Se a falta ainda existir após o primeiro religamento. SIPROTEC. Interação com a Função de Religamento Automático (Terra) Quando ocorre um religamento. não é enviado pela interface de operação integrada e nem pela porta serial. Se isto não for desejado. o parâmetro always é selecionado para que os elementos 67-2 estejam sempre ativos. é necessária uma lógica estendida de CFC. isto é. ou não. também proporciona a opção de determinar individualmente para cada elemento de sobrecorrente. isto é. Se a falta ainda existir após o primeiro religamento. 7SJ80.

20. Publicação 05.3. 67-1 instant.10 ..00 A 5. Inactive with 79 active always Forward Reverse Non-Directional 1508 1509 1510 1511 67 TIME DIAL 67 TIME DIAL 67-TOC Drop-out 67.00 sec. 35. ∞ 0.IEC CURVE Dial de tempo 67-TOC Dial de tempo 67-TOC Característica de Dropout Curva IEC 1512 67. 175.50 . 67-TOC Pickup 67-2 1A 5A 0. A coluna C (configuração) indica a corrente nominal secundária do transformador de corrente..00 A 0.12).00 . Modo de Fechamento Manual 1514A 1516 67-2 active 67 Direction always Forward 67-2 ativo Direcionalidade de Fase 112 SIPROTEC..20 sec.00 .10 sec 1. isto é.50 sec 5.Funções 2.00 A 10. ∞ 0. ∞ 0.00 .00 A 0. Extremely Inv. Manual E50417-G1179-C343-A1. ∞ 1505 1507 67-1 DELAY 67-TOC PICKUP 1A 5A Temporização 67-1 Pickup 67-TOC 0.00 A.00 sec.11 Ajustes Endereços com um "A" só podem ser alterados com DIGSI. A tabela indica ajustes padrão de região específica. 4.2009 . Definite Inv.. ∞ 0. 67-2 instant.00 A.. 67-TOC instant.05 ..50 sec 1.00 Disk Emulation Normal Inverse Comentários Sobrecorrente de fase 67.. 60.50 . 1501 1502 Parâmetro FCT 67/67-TOC 67-2 PICKUP C Opções de Ajustes OFF ON Ajuste Padrão OFF 2. 7SJ80.10 .00 A 5.00 A.00 A 0. 15.. 35. ∞ 1503 1504 67-2 DELAY 67-1 PICKUP 1A 5A Temporização 67-2 67-1 Pickup 0. 67N A função de religamento automático integrada do 7SJ80 também proporciona a opção de determinar individualmente para cada elemento de sobrecorrente.. ∞ Instantaneous Disk Emulation Normal Inverse Very Inverse Extremely Inv. ∞ 0.50 .00 A 0.ANSI CURVE Very Inverse Curva ANSI 1513A MANUAL CLOSE 67-2 instant.00 A.50 . 2.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. 175. 3. em "Display Additional Settings”. 60. se trip instantâneo.. Long Inverse Very Inverse Inverse Short Inverse Long Inverse Moderately Inv. End. se um trip de temporização normal não deve ser afetado pelo religamento automático ou se deve ser bloqueado (veja Seção 2.10 .00 A 0.

. 15.01 .00 sec 45 ° Fundamental Fundamental Fundamental Comentários Temporização Dropout 67 Ângulo de Rotação da Tensão de Referência 67-2 medição de 67-1 medição de 67-TOC medição de 67 Múltiplo de Pickup <-> T/Tp OFF 0.00 TD OFF ON Ajuste Padrão 0.01 ..00 A. 175.00 .05 . ∞ 0. Publicação 05.00 A.50 A 0.. Modo de Fechamento Manual 1614A 67N-2 active always 67N-2 ativo SIPROTEC. 7SJ80.Funções 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. 175. ∞ 1603 1604 67N-2 DELAY 67N-1 PICKUP 1A 5A Temporização 67N-2 Pickup 67N-1 0.. Definite Inv.50 A 2. 67N-TOC Pickup 67N-2 1A 5A 0.00 sec. 999.20 sec 5. ∞ 0.. 0. 4.00 .00 sec.. 35.00 Disk Emulation Normal Inverse Sobrecorrente à terra 67N. 67N-1 instant.00 . 60. 35.00 .00 A.00 A 0. ∞ 0... 3..00 A 0.25 . 20. Extremely Inv.05 . 60. ∞ 0.00 .20 sec.2009 113 ... 60. 999.00 sec -180 ..05 .00 A. ∞ Instantaneous Disk Emulation Normal Inverse Very Inverse Extremely Inv. 67N-TOC instant Inactive always with 79 active 1608 1609 1610 1611 67N-TOC T-DIAL 67N-TOC T-DIAL 67N-TOC DropOut 67N-TOC IEC Dial de Tempo 67N-TOC Dial de Tempo 67N-TOC Característica de Dropout Curva IEC 1612 67N-TOC ANSI Very Inverse Curva ANSI 1613A MANUAL CLOSE 67N-2 instant. 1518A 1519A 1520A 1521A 1522A 1530 1531 1601 1602 Parâmetro 67 T DROP-OUT ROTATION ANGLE 67-2 MEASUREM.00 TD 0.05 .50 .00 A 0..20 A 1.25 .20 A 1.10 sec 0. 180 ° Fundamental True RMS Fundamental True RMS Fundamental True RMS 1. 67-1 MEASUREM.50 sec 0. ∞ 0.95 I/Ip. 67 MofPU Res T/Tp FCT 67N/67N-TOC 67N-2 PICKUP C Opções de Ajustes 0. ∞ 0. 67N-2 instant. ∞ 0. 67N End.05 ..00 I/Ip..3 Proteção direcional de sobrecorrente 67.00 A 0.. ∞ 1605 1607 67N-1 DELAY 67N-TOC PICKUP 1A 5A Temporização 67N-1 Pickup 67N-TOC 0.25 . Long Inverse Very Inverse Inverse Short Inverse Long Inverse Moderately Inv. 67-TOC MEASUR. 20.

7SJ80.01 . M.00 sec -45 ° Fundamental Fundamental Fundamental Polarização de Terra Temporização Dropout 67N Ângulo de rotação da Tensão de Referência 67N-2 medição de 67N-1 medição de 67N-TOC medição de Múltiplos de PU Dial de Tempo 67N TOC 2. 20.05 . 999..12 No.95 I/Ip. 67N End.2009 . 180 ° Fundamental True RMS Fundamental True RMS Fundamental True RMS 1. 67N-TOC MEASUR.. 1616 Parâmetro 67N Direction C Opções de Ajustes Forward Reverse Non-Directional with VN and IN with V2 and I2 0.00 TD 0..3. 67N-1 MEASUREM. Publicação 05. 0.of PU TD I/IEp Rf T/TEp with VN and IN 0. 67N T DROP-OUT ROTATION ANGLE 67N-2 MEASUREM.00 I/Ip..3 Proteção direcional de sobrecorrente 67.01 . ∞ 0. SP SP SP SP SP SP SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT Comentários >BLOQUEAR 67/67-TOC >BLOQUEAR 67N/67N-TOC >BLOQUEAR 67-2 >BLOQUEAR 67N-2 >BLOQUEAR 67-1 >BLOQUEAR 67-TOC >BLOQUEAR 67N-1 >BLOQUEAR 67N-TOC Fase A para frente Fase B para frente Fase C para frente Fase A reversa Fase B reversa Fase C reversa Terra para frente Terra reversa 67-1 está BLOQUEADO Pickup de 67-2 Pickup de 67N-2 67-2 expirou 67N-2 expirou TRIP de 67-2 114 SIPROTEC.00 .Funções 2.00 sec -180 .. ∞ 0.00 TD Ajuste Padrão Forward Comentários Direção de Terra 1617 1618A 1619A 1620A 1621A 1622A 1630 1631 67N POLARIZAT.00 . 2604 2614 2615 2616 2621 2622 2623 2624 2628 2629 2630 2632 2633 2634 2635 2636 2637 2642 2646 2647 2648 2649 Lista de Informação Informação >BLK 67/67-TOC >BLK 67N/67NTOC >BLOCK 67-2 >BLOCK 67N-2 >BLOCK 67-1 >BLOCK 67-TOC >BLOCK 67N-1 >BLOCK 67N-TOC Phase A forward Phase B forward Phase C forward Phase A reverse Phase B reverse Phase C reverse Ground forward Ground reverse 67-1 BLOCKED 67-2 picked up 67N-2 picked up 67-2 Time Out 67N-2 Time Out 67-2 TRIP Tipo de Info. 60. Manual E50417-G1179-C343-A1.. 999.

2009 115 . Manual E50417-G1179-C343-A1. OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT Comentários 67/67-TOC está DESLIGADO 67/67-TOC está BLOQUEADO 67/67-TOC está ATIVO 67-2 está BLOQUEADO 67N/67N-TOC está DESLIGADO 67N/67N-TOC está BLOQUEADO 67N/67N-TOC está ATIVO 67N-1 está BLOQUEADO Pickup de 67-1 67-1 expirou TRIP de 67-1 67N-2 está BLOQUEADO 67-TOC está BLOQUEADO Pickup de 67-TOC 67-TOC expirou TRIP de 67-TOC Emulação de disco de 67-TOC está ATIVA 67N-TOC está BLOQUEADO TRIP de 67N-2 Pickup de 67N-1 67N-1 expirou TRIP de 67N-1 Pickup de 67N-TOC 67N-TOC expirou TRIP de 67N-TOC Emulação de disco de 67N-TOC está ATIVA Pickup de 67/67N Pickup da Fase A de 67/67-TOC Pickup da Fase B de 67/67-TOC Pickup da Fase C de 67/67-TOC Pickup de 67N/67N-TOC TRIP de 67/67N SIPROTEC.Funções 2. 67N No.3 Proteção direcional de sobrecorrente 67. 7SJ80. Publicação 05. 2651 2652 2653 2655 2656 2657 2658 2659 2660 2664 2665 2668 2669 2670 2674 2675 2676 2677 2679 2681 2682 2683 2684 2685 2686 2687 2691 2692 2693 2694 2695 2696 Informação 67/67-TOC OFF 67 BLOCKED 67 ACTIVE 67-2 BLOCKED 67N OFF 67N BLOCKED 67N ACTIVE 67N-1 BLOCKED 67-1 picked up 67-1 Time Out 67-1 TRIP 67N-2 BLOCKED 67-TOC BLOCKED 67-TOC pickedup 67-TOC Time Out 67-TOC TRIP 67-TOC DiskPU 67N-TOC BLOCKED 67N-2 TRIP 67N-1 picked up 67N-1 Time Out 67N-1 TRIP 67N-TOCPickedup 67N-TOC TimeOut 67N-TOC TRIP 67N-TOC Disk PU 67/67N pickedup 67 A picked up 67 B picked up 67 C picked up 67N picked up 67/67N TRIP Tipo de Info.

a mudança entre parâmetros pode ser efetuada por mais dois eventos: • pelo sinal "79M Auto Reclosing ready" da função interna de religamento automático (endereço 1702 Start Condition = 79 ready).4. É um recurso adicional.12). a liberação de pickup de carga fria sempre pode ser selecionada pela entrada binária “>ACTIVATE CLP“. Aplicações • Pode ser necessário aumentar dinamicamente os valores de pickup. por exemplo). CB Open Time. um limite de corrente é atingido abaixo do valor estipulado (endereço 1702 Start Condition = No Current). o dispositivo é informado sobre a posição do disjuntor (endereço 1702 Start Condition = Breaker Contact).4 Pickup Dinâmico de Carga Fria Com a função de pickup de carga fria. • Independente do ajuste do parâmetro 1702 Start Condition. após um tempo morto prolongado (arcondicionado. 116 SIPROTEC. aquecimento. Manual E50417-G1179-C343-A1. • Como um critério. se ela estiver pronta para operar. um tempo. se partes da instalação consumirem temporariamente mais energia quando são energizadas novamente.Funções 2.1 Efeito Descrição Há dois métodos pelos quais o dispositivo pode determinar se o equipamento protegido está desenergizado: • Via entradas binárias. Deste modo. Pré-requisitos Nota: O pickup dinâmico de carga fria não deve ser confundido com a opção de comutação dos 4 grupos de ajuste (A a D). Adicionalmente. levando-se em consideração tal condição de partida. os limites de pickup podem ser modificados por uma função de religamento automático. • Como outra opção. Desta forma. Publicação 05. os ajustes de pickup e temporização da proteção de sobrecorrente direcional e não-direcional podem ser alterados dinamicamente. A Figura 2-32 mostra o diagrama lógico da função de pickup dinâmico de carga fria. 2.4 Pickup Dinâmico de Carga Fria 2.2009 . Se o dispositivo determina que o equipamento protegido seja desenergizado por um dos métodos acima. é iniciado e após sua expiração os limites incrementados entram em vigor. 7SJ80. É possível alterar limites de pickup e temporizações. um aumento geral dos limites de pickup pode ser evitado. os limites de proteção e os tempos de trip podem ser alterados se o religamento automático estiver pronto para operar (veja também a Seção 2.

Funções 2. Se ocorre bloqueio durante uma falta em andamento com funções habilitadas de pickup de carga fria. SIPROTEC. não é feita comparação com os limites “normais”. 7SJ80. os valores de pickup dos elementos do relé retornam aos seus ajustes normais. Durante a ligação de um relé de proteção com um disjuntor aberto. é feito de uma combinação OR das condições configuradas de dropout de todos os elementos não-direcionais de sobrecorrente. Portanto. efetivam-se os ajustes “normais”. Quando o equipamento protegido é energizado novamente (o dispositivo recebe esta informação via entradas binárias ou quando o limite BkrClosed I MIN é excedido). e é processada usando os ajustes “normais”. isto é. quando o disjuntor é fechado. a falta geralmente predomina. se aplicado. Uma vez decorrida. A condição de partida de tempo rápido de reset. os limites maiores são permitidos. Publicação 05. que o disjuntor está aberto. após o disjuntor ter sido fechado. A Figura 2-32 mostra o diagrama lógico do recurso de pickup dinâmico de carga fria. Tão logo ele tenha expirado.4 Pickup Dinâmico de Carga Fria Se for detectado pelo contato auxiliar ou pelo critério de corrente que o sistema está desenergizado. uma segunda temporização reportada como Active Time é iniciada. A Figura 2-31 ilustra a sequência de tempo. Somente então é que os parâmetros voltam ao “normal”. Este tempo pode ser reduzido quando os valores em vigor caem abaixo de todos os valores normais de pickup para um Stop Time ajustado após a partida. Se a entrada binária “>BLOCK CLP“ é habilitada. Se os valores dinâmicos de ajuste foram ativados pela entrada binária “>ACTIVATE CLP“ ou pelo sinal "79M Auto Reclosing ready" e isto causa dropout. todos os ajustes “normais” são imediatamente restaurados.2009 117 . Se os elementos de sobrecorrente estão em pickup enquanto a temporização Active Time está em andamento. até o dropout do pickup usando-se os ajustes dinâmicos. Quando Stop Time é ajustado para ∞ ou quando a entrada binária “>BLK CLP stpTim“ está ativa. isto é. a temporização CB Open Time é iniciada. é iniciado CB Open Time. mesmo que isso resulte em pickup. Manual E50417-G1179-C343-A1. os temporizadores de todos os elementos não-direcionais de sobrecorrente do relé são interrompidos e podem então ser reiniciados com base em sua duração normal. é restaurado. A função fica inativa e o tempo rápido de reset. todos os temporizadores disparados são resetados e como consequência. os ajustes “normais” são restaurados imediatamente.

2009 .4 Pickup Dinâmico de Carga Fria Figura 2-31 Gráficos de tempo da função de pickup dinâmico de carga fria 118 SIPROTEC.Funções 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. 7SJ80.

Funções 2. 67Nc) SIPROTEC. 7SJ80. 51Nc. 67c. 50Nc. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.2009 119 . 51c.4 Pickup Dinâmico de Carga Fria Figura 2-32 Diagrama lógico da função de pickup dinâmico de carga fria (50c.

): Os endereços 1901 50Nc-2 PICKUP e 1902 50Nc-2 DELAY ou 1908 50Nc-3 PICKUP e 1909 50Nc-3 DELAY definem os parâmetros dinâmicos para os elementos de alta corrente. são ajustados no bloco de endereço 20 (g67C. de pelo menos uma entrada binária.. associados com a proteção não-direcional de sobrecorrente. são ajustados no bloco de endereço 19 (50NC.. Proteção Não-Direcional de Sobrecorrente (50N. 7SJ80.Funções 2. 120 SIPROTEC. Breaker Contact ou para 79 ready. esta função deve ser ajustada para Disabled (Desabilitado).. Se não for necessária. a função de religamento automático fornece o sinal interno "79M Auto Reclosing ready". ativado.. Dependendo da condição que deve iniciar a função de pickup dinâmico de carga fria.. Terra Os valores dinâmicos de pickup e temporizações. Manual E50417-G1179-C343-A1... Para iniciar o pickup de carga fria. Ele está sempre ativo quando o religamento automático está disponível. Fases (50/51) Os valores dinâmicos de pickup e temporizações.): Os endereços 2001 67c-2 PICKUP e 2002 67c-2 DELAY definem os parâmetros dinâmicos para o elemento 67-2. 2003 67c-1 PICKUP e 2004 67c-1 DELAY para o elemento 67-1 e 2005 67c-TOC PICKUP juntamente com 2006 67c-TOC T-DIAL (para curvas IEC) ou 2007 67c-TOC T-DIAL (para curvas ANSI) para o elemento 67-TOC. Estas temporizações precisam se basear nas características específicas de carga do equipamento que está sendo protegido e devem ser ajustadas para permitir breves sobrecargas. o endereço 1702 Start Condition é ajustado para No Current. desbloqueado e pronto para um novo ciclo (veja também o cabeçalho de margem "Controlando os Elemento Direcionais/Não.Direcionais de Proteção de Sobrecorrente via Pickup de Carga Fria” na Seção 2. Publicação 05. associadas com condições dinâmicas de carga fria. Proteção Não-Direcional de Sobrecorrente. são ajustados no bloco de endereço 18 (50C. Proteção Direcional de Sobrecorrente.12.2 Geral Notas de Ajustes A função de pickup dinâmico de carga fria só pode se habilitada se o endereço 117 Coldload Pickup foi ajustado para Enabled (Habilitado) durante a configuração das funções de proteção. 1903 50Nc-1 PICKUP e 1904 50Nc-1 DELAY para o elemento 50N de sobrecorrente e 1905 51Nc PICKUP juntamente com 1906 51Nc T-DIAL (para curvas IEC) ou 1907 51Nc T-DIAL (para curvas ANSI) para o elemento 51N de sobrecorrente. associados com a proteção directional de sobrecorrente de fase./51NC. 1803 50c-1 PICKUP e 1804 50c-1 DELAY para o elemento 50 de sobrecorrente 1805 51c PICKUP juntamente com 1806 51c TIME DIAL (para curvas IEC) ou 1807 51c TIME DIAL (ou curvas ANSI) para o elemento 51 de sobrecorrente.. associados com a proteção não-direcional de sobrecorrente à terra. Naturalmente.2009 .. 67-TOC) Os valores dinâmicos de pickup e temporizações. A opção 79 ready modifica dinamicamente os limites de pickup da proteção de sobrecorrente direcional e nâo-direcional quando o recurso de religamento automático está pronto.) para correntes de fase: Os endereços 1801 50c-2 PICKUP e 1802 50c-2 DELAY ou 1808 50c-3 PICKUP e 1809 50c-3 DELAY definem os parâmetros dinâmicos dos elementos de alta corrente.4./51C. Fases (67. a opção Breaker Contact só pode ser selecionada se o dispositivo receber informação referente ao estado de comutação do disjuntor. Temporizações Não há procedimentos específicos para o ajuste de temporizações nos endereços 1703 CB Open Time.4 Pickup Dinâmico de Carga Fria 2. A função também pode ser ligada (ON) ou desligada (OFF ) no endereço 1701 Coldload Pickup. 1704 Active Time e 1705 Stop Time..6). 51N).

00 A.00 A 10.50 . A coluna C (configuração) indica a corrente nominal secundária correspondente do transformador de corrente.00 .00 A. 21600 sec 0 . associados com a proteção directional de sobrecorrente à terra.05 . 7SJ80.. ∞ Ajuste Padrão OFF No Current Comentários Função de Pickup de Carga Fria Condição de Partida 1703 1704 1705 1801 CB Open Time Active Time Stop Time 50c-2 PICKUP 1A 5A 3600 sec 3600 sec 600 sec 10.. End.Funções 2.): Os endereços 2101 67Nc-2 PICKUP e 2102 67Nc-2 DELAY definem os parâmetros dinâmicos para o elemento 67-2.00 A. ∞ 0. ∞ 0.00 A 0.00 A 0.00 ... ∞ 0..00 A 0. Manual E50417-G1179-C343-A1. 15.00 sec.. 60.00 sec.10 . ∞ 1904 50Nc-1 DELAY Temporização de 50Nc-1 SIPROTEC.00 A.50 .00 .00 A.3 Ajustes A tabela indica ajustes padrão de região específica.00 ..00 sec 7. ∞ 0.00 ∞A ∞A 0. 4./67Nc-TOC. 35. ∞ 1809 1901 50c-3 DELAY 50Nc-2 PICKUP 1A 5A Temporização de 50c-3 Pickup de 50Nc-2 0... 35. Publicação 05.00 A.00 A.50 . ∞ 1802 1803 50c-2 DELAY 50c-1 PICKUP 1A 5A Temporização de 50c-2 Pickup de 50c-1 0. ∞ 1806 1807 1808 51c TIME DIAL 51c TIME DIAL 50c-3 PICKUP 1A 5A Dial de tempo 51c Dial de tempo 51c Pickup de 50c-3 1.00 A 0. 175.. ∞ 1804 1805 50c-1 DELAY 51c PICKUP 1A 5A Temporização de 50c-1 Pickup de 51c 0...00 A.. ∞ 0. 60.00 A 35.00 .00 .4.20 sec. 60.4 Pickup Dinâmico de Carga Fria Proteção Direcional de Sobrecorrente. 3. ∞ 5.50 sec 5. 175. ∞ 0.. Terra (67N. 67N-TOC) Os valores dinâmicos de pickup e temporizações.00 .. 20. 60. 35.00 sec 2.50 A 7.00 sec. ∞ 0.50 A 0.2009 121 . ∞ 1902 1903 50Nc-2 DELAY 50Nc-1 PICKUP 1A 5A Temporização de 50Nc-2 Pickup de 50Nc-1 0.10 . são ajustados no bloco de endereço 21 (g67Nc.00 .50 A 7. 35.00 sec.30 sec Tempo de Abertura do Disjuntor Tempo Ativo Tempo de Parada Pickup de 50c-2 0.25 .30 sec 1.. ∞ 0.50 A 0. 21600 sec 1 ... 2..05 . 600 sec.. 175.. 175. 2103 67Nc-1 PICKUP e 2104 67Nc-1 DELAY para o elemento 67-1 e 2105 67Nc-TOC PICKUP juntamente com 2106 67Nc-TOC T-DIAL (para curvas IEC) ou 2107 67Nc-TOC T-DIAL (para curvas ANSI) para o elemento 67-TOC.00 sec 1.50 .05 . 60. 35.00 A.00 A 50.10 . 1701 1702 Parâmetro COLDLOAD PICKUP Start Condition C Opções de Ajustes OFF ON No Current Breaker Contact 79 ready 0 .. 175.00 A 0.... ∞ 0.. ∞ 0.00 A.00 sec.25 .

∞ 0. 15.50 A 0. 15.50 ..00 A 0. 3..00 .05 .00 A.50 ..05 .. ∞ 2004 2005 67c-1 DELAY 67c-TOC PICKUP 1A 5A Temporização de 67c-1 Pickup de 67c 0.30 sec 1. ∞ 0. ∞ 2006 2007 2101 67c-TOC T-DIAL 67c-TOC T-DIAL 67Nc-2 PICKUP 1A 5A Dial de tempo 67c Dial de tempo 67c Pickup de 67Nc-2 0...10 . ∞ 0.00 A 0.20 sec.50 A 7..00 ..25 .00 sec 10. ∞ 0.00 A 0. 35. 175. ∞ 2106 2107 67Nc-TOC T-DIAL 67Nc-TOC T-DIAL Dial de tempo 67Nc-TOC Dial de tempo 67Nc-TOC 122 SIPROTEC.2009 ..00 A.00 .00 A 5. 3.05 . 4.00 ..00 A 0.. 60.. 7SJ80. 4.00 A 0.00 A 5.00 A 0. ∞ 0.05 . Manual E50417-G1179-C343-A1. ∞ 2104 2105 67Nc-1 DELAY 67Nc-TOC PICKUP 1A 5A Temporização de 67Nc-1 Pickup de 67Nc-TOC 0. 3... ∞ 2002 2003 67c-2 DELAY 67c-1 PICKUP 1A 5A Temporização de 67c-2 Pickup de 67c-1 0. ∞ Ajuste Padrão 1..05 . 20.00 A. 35..50 .00 sec. 35. 175.50 A 7.50 .00 sec. ∞ 0.10 . 175.00 A 0.25 ..30 sec 1.20 sec.10 ..00 sec 2.00 .00 A.00 A 35.. 175.00 .00 A 0.00 A 0.25 .00 sec.20 sec.25 . 20.00 A.50 sec 5.00 A.. 15.00 A 0.00 .50 ..05 .00 A.00 A 50.00 A.00 sec 1.00 sec. 60.00 sec.Funções 2.. ∞ 0. 60.. 60. Publicação 05. ∞ 0.50 .05 ..50 A 0. ∞ 0.00 . ∞ 0.. ∞ 2102 2103 67Nc-2 DELAY 67Nc-1 PICKUP 1A 5A Temporização de 67Nc-2 Pickup de 67Nc-1 0.00 A.00 A 10. 60. 1905 Parâmetro 51Nc PICKUP C 1A 5A Opções de Ajustes 0.4 Pickup Dinâmico de Carga Fria End.00 Comentários Pickup de 51Nc 1906 1907 1908 1909 2001 51Nc T-DIAL 51Nc T-DIAL 50Nc-3 PICKUP 50Nc-3 DELAY 67c-2 PICKUP 1A 5A Dial de tempo 51Nc Dial de tempo 51Nc Pickup de 50Nc-3 Temporização de 50Nc-3 Pickup de 67c-2 0. 4. ∞ 0.50 sec 5.05 .00 A 0.. ∞ 0. 35. 20.00 ∞A 0. ∞ 0.50 sec 5. 35.00 7.

4 Pickup Dinâmico de Carga Fria 2. 7SJ80.4 No. Publicação 05.4. 1730 1731 1732 1994 1995 1996 1997 Lista de Informação Informação >BLOCK CLP >BLK CLP stpTim >ACTIVATE CLP CLP OFF CLP BLOCKED CLP running Dyn set. ACTIVE Tipo de Info.2009 123 . SP SP SP OUT OUT OUT OUT Comentários >BLOQUEAR Pickup de Carga Fria >BLOQUEAR Temporizador de Parada de Pickup de Carga Fria >ACTIVAR Pickup de Carga Fria Pickup de Carga Fria está DESLIGADO Pickup de Carga Fria está BLOQUEADO Pickup de Carga Fria está em ANDAMENTO Ajustes dinâmicos estão ATIVOS SIPROTEC.Funções 2. Manual E50417-G1179-C343-A1.

Após a expiração da temporização respectiva 50 1Ph1 DELAY ou 50 1Ph-2 DELAY. 2. A corrente a ser medida é filtrada por algorítmos numéricos.5.3 · INom.5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente 2. Os limites de pickup em vigor e as temporizações podem ser ajustados. 124 SIPROTEC.5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente A proteção monofásica de sobrecorrente avalia a corrente que é medida pela entrada sensível INS. A corrente detectada é comparada com o valor de pickup 50 1Ph-1 PICKUP ou 50 1Ph-2 PICKUP e reportado se isso for violado. Aplicação • Proteção simples de falta à terra em um transformador de potência. O filtro da corrente é bypassado se as correntes forem extremamente altas. Manual E50417-G1179-C343-A1. é usado um filtro de banda particularmente estreita. o comando de trip é emitido. • Proteção precisa contra vazamento de tanque. 7SJ80. a fim de alcançar um tempo curto de trip. Figura 2-33 Característica de dois estágios da proteção monofásica de sobrecorrente A figura seguinte mostra o diagrama lógico da função de proteção monofásica de sobrecorrente.2009 .Funções 2. é ilustrada pelas características de trip como mostrada na Figura 2-33. Devido à alta sensibilidade. tão logo os valores instantâneos da corrente tenham excedido o valor de ajuste do elemento por um fator de pelo menos 2 · √2. Publicação 05. Isto ocorre automaticamente. Os dois elementos juntos formam uma proteção de dois estágios.1 Descrição Funcional A proteção monofásica de tempo definido de sobrecorrente à terra. O valor de dropout é de aproximadamente 95% do valor de pickup para correntes maiores do que I > 0.

5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente Figura 2-34 Diagrama lógico da proteção monofásica de sobrecorrente 2. o princípio de alta impedância é especialmente adequado para a detecção de faltas à terra em transformadores. motores e reatores shunt em sistemas aterrados. onde assume-se que a ligação à terra do sistema esteja em outro lugar.5. Com o 7SJ80. SIPROTEC. Os TCs precisam ter o mesmo projeto e apresentar pelo menos um núcleo separado para proteção contra alta impedância. 7SJ80. Publicação 05. cuja tensão é medida.2009 125 . paralela a um resistor R comum de resistência relativamente alta. Particularmente. todos os transformadores de corrente operam nos limites da zona protegida. Manual E50417-G1179-C343-A1.2 Proteção Unitária de Falta à Terra de Alta Impedância Exemplos de Aplicação No procedimento de alta impedância. A Figura 2-35 (lado esquerdo) ilustra um exemplo de aplicação para um enrolamento de transformador ou gerador aterrados. eles precisam ter as mesmas relações de transformação e tensões de ponto joelho aproximadamente idênticas. geradores.Funções 2. O exemplo no lado direito mostra um enrolamento de transformador ou um gerador não aterrados.

Funções 2.5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente

Figura 2-35

Proteção de falta à terra de acordo com o princípio de alta impedância

Função do Princípio de Alta Impedância O princípio de alta impedância é explicado com base em um enrolamento de transformador aterrado. Nenhuma corrente de sequência zero fluirá durante operação normal, isto é, a corrente de ponto estrela é ISP = 0 e as correntes de fase são 3 I0 = IA + IB + IC = 0. Em caso de uma falta à terra externa (à esquerda na Figura 2-36), cuja corrente de falta é alimentada pelo ponto estrela aterrado, a mesma corrente flui através do ponto estrela do transformador e das fases. As correntes secundárias correspondentes (todos os transformadores de corrente têm a mesma relação de transformação) se compensam, elas estão conectadas em série. Somente uma pequena tensão é gerada através do resistor R. Ela se origina da resistência interna dos transformadores e dos cabos de conexão dos transformadores. Mesmo que algum transformador de corrente sofra uma saturação parcial, ele se tornará de baixa resistência pelo período de saturação e criará um shunt de baixa resistência para o Resistor R alto ôhmico. Portanto, a alta resistência do resistor também tem um efeito estabilizador (a chamada estabilização de resistência).

Figura 2-36

Princípio da proteção de falta à terra de acordo com o princípio de alta impedância

Quando ocorre uma falta à terra na zona protegida (Fig. 2-36 à direita), há sempre uma corrente de ponto estrela ISP. As condições de aterramento no resto da rede determinam qual é a força da corrente de sequência zero do sistema. Uma corrente secundária que é igual à corrente total de falta, tenta passar pelo resistor R. Uma vez que este tem alta resistência, imediatamente surge uma alta tensão. Em consequência disso, os transformadores de corrente ficam saturados. A tensão RMS através do resistor corresponde, aproximadamente, à tensão de ponto joelho dos transformadores de corrente.

126

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Funções 2.5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente

A resistência R está dimensionada de tal forma que mesmo com a mais baixa corrente de falta à terra a ser detectada, ela gera uma tensão secundária, que é igual à metade da tensão de saturação dos transformadores de corrente (veja também notas em “Dimensionamento” na Subseção 2.5.4). Proteção de Alta Impedância Com o 7SJ80 é usada a entrada de medição sensível INS para proteção de alta impedância. Como esta é uma entrada de corrente, a proteção detecta corrente ao invés de detectar tensão através do resistor R. A Figura 2-37 ilustra o diagrama de conexão. O dispositivo de proteção é conectado em série ao resistor R e mede sua corrente. O varistor B limita a tensão quando ocorre uma falta interna. Picos de alta tensão que surgem com a saturação do transformador são cortadas pelo varistor. Ao mesmo tempo, a tensão é suavizada sem redução do valor médio.

Figura 2-37

Esquema de conexão da proteção diferencial de falta à terra, de acordo com o princípio de alta impedância

Para proteção contra sobretensões é também importante que o dispositivo esteja diretamente conectado ao lado terra dos transformadores de corrente, de forma que a alta tensão no resistor seja mantida afastada do dispositivo. A proteção diferencial de alta impedância pode ser analogamente usada para geradores e reatores de shunt. Todos os transformadores de corrente do lado da sobretensão, o lado da sobretensão e o transformador de corrente no ponto estrela, devem ser conectados em paralelo ao usar auto-transformadores. Em princípio, este procedimento pode ser aplicado para todo objeto protegido. Quando aplicado como proteção de barramento, por exemplo, o dispositivo é conectado à conexão paralela de todos os transformadores de corrente via resistor.

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

127

Funções 2.5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente

2.5.3

Proteção Contra Vazamento de Tanque

Exemplo de Aplicação A proteção contra vazamento de tanque tem a tarefa de detectar vazamento à terra — mesmo de alta resistência — entre a fase e o tanque do transformador. O tanque deve estar isolado da terra. Um condutor faz a ligação do tanque à terra e a corrente através desse condutor alimenta uma entrada de corrente do dispositivo de proteção. Quando ocorre vazamento de tanque, uma corrente de falta (corrente de vazamento de tanque) fluirá através do condutor de terra, à terra. Essa corrente de vazamento de tanque é detectada pela proteção de sobrecorrente monofásica como uma sobrecorrente, é emitido um comando de trip temporizado ou instantâneo, de forma a desconectar todos os lados do transformador. Normalmente é usada uma entrada de corrente monofásica sensível para a proteção contra vazamento de tanque.

Figura 2-38

Princípio de proteção do tanque

2.5.4
Geral

Notas de Ajustes

A proteção de sobrecorrente temporizada monofásica pode ser ajustada para ON ou OFF no endereço 2701 50 1Ph. Os ajustes estão baseados na aplicação particular. O valor de pickup para 50 1Ph-2 PICKUP é ajustado no endereço 2703, o valor de pickup para 50 1Ph-1 PICKUP no endereço 2706. Se apenas um elemento for requerido, ajuste aquele não necessário, para ∞. Uma temporização de trip pode ser ajustada no endereço 2704 50 1Ph-2 DELAY para o elemento 50-2 e para o elemento 50-1, no endereço 2707 50 1Ph-1 DELAY. Ajustando para 0 s nenhuma temporização ocorre. Os tempos selecionados são temporizações adicionais e não incluem o tempo de operação (tempo de medição,etc.) dos elementos. A temporização também pode ser ajustada para ∞; e então o elemento correspondente não oferecerá trip após pickup, mas o pickup é reportado. São fornecidas a seguir, notas especiais para o uso como proteção da unidade a alta impedância e proteção de vazamento de tanque.

128

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Funções 2.5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente

Uso como Proteção de Alta Impedância O uso como proteção de alta impedância necessita que a detecção da corrente do ponto estrela seja possível no sistema em adição à detecção da corrente de fase (veja exemplo na Figura 2-37). Além disso, um transformador de entrada sensitiva deve estar disponível na entrada INs do dispositivo. Nesse caso, somente o valor de pickup para proteção de sobrecorrente monofásica é ajustado no dispositivo 7SJ80 para a corrente na entrada INS. A função completa da proteção de alta impedância, entretanto, depende da interação das características do transformador de corrente, resistor externo R e tensão através de R. A seção a seguir, fornece informações sobre esse assunto. Dados do Transformador de Corrente para Proteção de Alta Impedância Todos os transformadores de corrente devem ter uma relação de transformação idêntica e aproximadamente igual tensão no ponto joelho. Este é geralmente o caso, quando se tratam de projeto igual e idênticos dados nominais. A tensão do ponto joelho pode ser aproximadamente calculada pelos dados nominais do TC como a seguir:

VKPV RI PNom INom ALF

Tensão no ponto joelho Demanda interna do TC Carga interna (burden) do TC Corrente nominal secundária do TC Fator limite de precisão nominal do TC

A corrente nominal , potência nominal e fator limite de precisão são normalmente estabelecidos na placa de identificação dos valores nominais do transformador de corrente, por exemplo, Transformador de corrente 800/5; 5P10; 30 VA Que significa INom ALF PNom = 5 A (de 800/5) = 10 (de 5P10) = 30 VA

A carga interna (burden) é normalmente estabelecida no relatório de teste do transformador de corrente. Caso contrário, ela pode ser derivada de uma medição DC no enrolamento secundário. Exemplo de Cálculo: TC 800/5; 5P10; 30 VA com Ri = 0.3 Ω

ou TC 800/1; 5P10; 30 VA com Ri = 5 Ω

Além dos dados do TC, a resistência do condutor mais longo entre os TCs e o dispositivo deve ser conhecida.

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

129

Funções 2.5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente

Estabilidade com Proteção de Alta Impedância A condição de estabilidade está baseada no seguinte conceito simplificado: Se existir uma falta externa, um dos transformadores de corrente torna-se totalmente saturado. Os outros, continuarão transmitindo suas correntes (parciais). Na teoria, esse é o caso mais desfavorável. Como, na prática, é também o transformador saturado que fornece corrente, uma margem de segurança automática está garantida. A Figura 2-39 mostra um circuito equivalente simplificado. TC1 e TC2 são assumidos como transformadores ideais com suas resistências internas R i1 e R i2. Ra são as resistências dos cabos de conexão entre os transformadores de corrente e o resistor R. Estão multiplicados por 2, como possuem uma linha para frente e uma de retorno. Ra2 é a resistência do cabo de conexão mais longo. TC1 transmite a corrente I1. TC2 poderá estar saturado. Devido à saturação, o transformador representa um shunt de baixa resistência que está ilustrado por uma linha pontilhada de curto-circuito. R >> (2Ra2 + Ri2) é um outro pré-requisito.

Bild 2-39

Circuito equivalente simplificado de um sistema de circulação de corrente para a proteção de alta-impedância

A tensão atraves de R é então: VR = I1 · ( 2Ra2 + Ri2 ) Fica assumido que o valor de pickup do 7SJ80 corresponde à metade da tensão do ponto joelho dos transformadores de corrente. No caso balanceado, resulta: VR = VKPV / 2 Isso resulta em um limite de estabilidade ISL , isto é, a máxima corrente atraves da falta abaixo da qual o esquema permanece estável:

Exemplo de Cálculo: Para o TC de 5 A como acima com VKPV = 75 V e Ri = 0.3 Ω a mais longa conexão do TC chega a 22 m (24.06 yd) com 4 mm2 de seção transversal; isso corresponde a Ra = 0.1 Ω

ou seja, 15 × a corrente nominal ou 12 kA primária.

130

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Funções 2.5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente

Para o TC de 1 A como acima com VKPV = 350 V e Ri = 5 Ω a mais longa conexão do TC chega a 107 m (117.02 yd) com 2.5 mm2 de seção transversal, resulta em Ra = 0.75 Ω

ou seja, 27 × a corrente nominal ou 21.6 kA primária. Consideração de Sensitividade para Proteção Diferencial de Alta-Impedância A tensão presente no conjunto de TCs vai para o relé de proteção atraves do resistor em série R como corrente proporcional para avaliação. As seguintes considerações são relevantes para dimensionamento do resistor: Como já mencionado, é desjado que ao pickup da proteção de alta-impedância ocorra à metade da tensão do ponto joelho dos TCs. O resistor R pode ser calculado nessa base. Como o dispositivo mede o fluxo de corrente através do resistor, a entrada de medição do dispositivo e o resistor devem ser conectados em série. Uma vez que, além disso, a resistência deverá ser alta-resistência (condição: R >> 2Ra2 + Ri2, como acima mencionado), a resistência inerente da entrada de medição pode ser desprezada. A resistência é então calculada pela corrente de pickup Ipu e metade da tensão do ponto joelho:

Exemplo de Cálculo: Para o TC de 5 A como acima valor de pickup desejado Ipu = 0.1 A (equivalente a 16 A primária)

Para o TC de 1 A como acima valor desejado de pickup Ipu = 0.05 A (equivale a 40 A primária)

A potência de curto têrmo requerida do resistor é derivada da tensão do ponto joelho e da resistência:

Como essa potência só aparece durante faltas à terra por um curto período de tempo, a potência nominal pode ser diminuida por um fator aproximado de 5. Favor ter em mente que ao escolher um valor de pickup mais alto Ipu, a resitência deve decrescer e assim, a perda de potência aumentará significativamente. O varistor B (veja a Figura a seguir) deve ser dimensionado de forma que permaneça como alto-resistivo até alcançar a tensão do ponto joelho, por exemplo. aprox. 100 V para TC de 5A, aprox. 500 V para TC de 1A.

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

131

Funções 2.5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente

Figura 2-40

Esquema de conexão da proteção diferencial de falta à terra conforme o princípio da altaimpedância

Mesmo com um circuito externo desfavorável, o pico máximo de tensão não deverá exceder 2 kV por razões de segurança. Se o desempenho fizer necessário chavear muitos varistores em paralelo, a preferência deve ser dada para os tipos com características planas para evitar carregamento assimétrico. Sendo assim, são recomendados os seguintes tipos, da METROSIL: 600A/S1/S256 (k = 450, β = 0.25) 600A/S1/S1088 (k = 900, β = 0.25) O valor de pickup (0.1 A ou 0.05 A no exemplo) é ajustado no endereço 2706 50 1Ph-1 PICKUP no dispositivo. O elemento 50-2 não é necessário (endereço 2703 50 1Ph-2 PICKUP = ∞ ). O comando de trip da proteção pode ser temporizado via endereço 2707 50 1Ph-1 DELAY. Normalmente, essa temporização é ajustada para 0. Se um número mais elevado deTCs estiver conectado em paralelo, por exemplo, como proteção de barramento com vários alimentadores, as correntes magnetizantes dos transformadores conectados em paralelo não podem mais serem desprezadas. Neste caso, as correntes magnetizantes na metade da tensão do ponto joelho (corresponde ao valor de ajuste) precisam ser somadas. Essas correntes magnetizantes reduzem a corrente através do resistor R. Sendo assim, o valor real de pickup será correspondentemente mais alto. Uso como Proteção contra Vazamento de Tanque O uso como proteção contra vazamento de tanque, requer que esteja disponível um transformador de entrada sensitiva na entrada INs do dispositivo. Neste caso, somente o valor de pickup para proteção de sobrecorrente monofásica é ajustado no dispositivo 7SJ80 para a corrente na entrada INS. A proteção contra vazamento de tanque detecta o vazamento de corrente entre o tanque isolado do transformador e a terra. Sua sensitividade é ajustada no endereço 2706 50 1Ph-1 PICKUP. O elemento 50-2 não é requerido (endereço 2703 50 1Ph-2 PICKUP = ∞ ). O comando de trip do elemento pode ser temporizado no endereço 2707 50 1Ph-1 DELAY. É normalmente ajustado para 0.

132

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Funções 2.5 Proteção Monofásica de Sobrecorrente

2.5.5

Ajustes
A tabela indica ajustes padrão para regiões específicas. A coluna C (Configuração) indica a corrente nominal secundária correspondente do transformador de corrente.

End. 2701 2703

Parâmetro 50 1Ph 50 1Ph-2 PICKUP

C

Opções de Ajustes OFF ON

Ajuste Padrão OFF 0.300 A 1.500 A 0.10 sec 0.100 A 0.500 A 0.50 sec

Comentários 50 1Ph Pickup de 50 1Ph-2

1A 5A

0.001 .. 1.600 A; ∞ 0.005 .. 8.000 A; ∞ 0.00 .. 60.00 sec; ∞

2704 2706

50 1Ph-2 DELAY 50 1Ph-1 PICKUP 1A 5A

Temporização de 50 1Ph-2 Pickup de 50 1Ph-1

0.001 .. 1.600 A; ∞ 0.005 .. 8.000 A; ∞ 0.00 .. 60.00 sec; ∞

2707

50 1Ph-1 DELAY

Temporização de 50 1Ph-1

2.5.6
No. 5951 5952 5953 5961 5962 5963 5966 5967 5971 5972 5974 5975 5977 5979 5980

Lista de informações
Informação >BLK 50 1Ph >BLK 50 1Ph-1 >BLK 50 1Ph-2 50 1Ph OFF 50 1Ph BLOCKED 50 1Ph ACTIVE 50 1Ph-1 BLK 50 1Ph-2 BLK 50 1Ph Pickup 50 1Ph TRIP 50 1Ph-1 PU 50 1Ph-1 TRIP 50 1Ph-2 PU 50 1Ph-2 TRIP 50 1Ph I: Tipo de info. SP SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT VI >BLOQUEAR 50 1Ph >BLOQUEAR 50 1Ph-1 >BLOQUEAR 50 1Ph-2 50 1Ph está OFF 50 1Ph está BLOQUEADO 50 1Ph iestá ATIVO 50 1Ph-1 está BLOQUEADO 50 1Ph-2 iestá BLOQUEADO Pickup de 50 1Ph TRIP de 50 1Ph Pickup de 50 1Ph-1 TRIP de 50 1Ph-1 Pickup de 50 1Ph-2 TRIP de 50 1Ph-2 50 1Ph: I em pick up Comentários

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

133

Funções 2.6 Proteção de Tensão 27, 59

2.6

Proteção de Tensão 27, 59
A proteção de tensão tem a tarefa de proteger equipamento elétrico contra subtensão e sobretensão. Ambos estados operacionais são desfavoráveis uma vez que a sobretensão pode ocasionar, por exemplo, problemas de isolação e a subtensão pode causar problemas de estabilidade. Existem dois elementos, cada um disponível para proteção de sobretensão e proteção de subtensão.

Aplicações • Tensões anormalmente altas ocorrem frequentemente, por exemplo, em linhas de transmissão de longas distancias de caraga baixa, em sistemas ilhados quando falha a regulagem de tensão do gerador ou após desconexão de um gerador à carga completa do sistema. • A função de proteção de subtensão detecta colapsos de tensão em linhas de transmissão e máquinas elétricas e previne estados operacionais inadmissíveis e a possível perda de estabilidade.

2.6.1

Princípio de Medição

Conexão / Valores Medidos As tensões fornecidas ao dispositivo, podem corresponder às três tensões fase-terra VA-N, VB-N, VC-N ou a duas tensões fase-terra (VA-B, VB-C) e uma tensão residual (tensão à terra VN), ou - no caso de uma conexão monofásica - qualquer tensão fase-terra. O tipo de conexão foi especificado durante a configuração no parâmetro 213 VT Connect. 3ph (veja 2.1.3.2). Atabela seguinte indica quais tensões podem ser avaliadas pela função. Os ajustes para isso, são efetuados no P.System Data 1(Dados do Sistema de Potência 1) (veja Seção 2.1.3.2). Além disso, é indicado qual valor de limite deve ser ajustado. Todas as tensões são valores de frequência fundamental.

134

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Funções 2.6 Proteção de Tensão 27, 59

Tabela 2-8

Proteção de tensão, tensões selecionáveis Conexão Trifásica (parâmetro 213) Van, Vbn, Vcn Tensão selecionável (paâmetro 614 / 615) Vphph (maior tensão fase- fase) Vph-n (maior tensão fase-terra) V1 (tensão de sequência positiva) Limite a ser ajustado como tensão fase-fase tensão fase-terra Tensão de sequência positiva calculada da tensão fase-terra ou tensão fase-fase / √3 Tensão de sequência negativa Tensão fase-fase voltage Tensão de sequência positiva Tensão de sequência negativa Valor de tensão direta Tensão fase-fase Tensão fase-terra Tensão de sequência positiva · √3 Tensão fase-fase Tensão de sequência positiva · √3

Função Sobretensão

V2 (tensão de sequência negativa) Vab, Vbc, VGnd Vab, Vbc Vab, Vbc, VSyn Vab, Vbc, Vx Vph-g, VSyn Subtensão Van, Vbn, Vcn Vphph (maior tensão fase-fase) V1 (tensão de sequência positiva) V2 (tensão de sequência negativa) Nenhuma (avaliação direta da tensão conectada à entrada de tensão 1) Vphph (menor tensão fase-fase) Vph-n (menor tensão fase-terra) V1 (tensão de sequência positiva) Vab, Vbc, VGnd Vab, Vbc Vab, Vbc, VSyn Vab, Vbc, Vx Vph-g, VSyn Vphph (menor tensão fase-fase) V1 (tensão de sequência positiva)

Nenhuma (avaliação direta da tensão co- Valor de tensão direta nectada à entrada da tensão 1)

As tensões de sequência positiva e negativa estabelecidas na Tabela são calculadas das tensões fase-terra. Nota Para conexões de tensão capacitiva, são usados os mesmos valores que os do tipo de conexão Van, Vbn, Vcn .

Critério de Corrente Dependendo do sistema, os transformadores de tensão primária estão dispostos tanto no lado da fonte, quanto do lado de carga do disjuntor associado. Essas disposições diferentes levam a comportamento diferente da função de proteção de tensão quando ocorre uma falta. Quando é emitido um comando de trip e um disjuntor é aberto, permanece tensão total no lado da fonte, enquanto que a tensão do lado da carga se torna zero. Quando a tensão da fonte é retirada, a proteção de subtensão, por exemplo, permanecerá em pickup. Se não houver dropout do pickup, a corrente pode ser usada como um critério adicional para o pickup da proteção de subtensão (supervisão de corrente CS). Pickup de subtensão só pode ser mantido quando satisfeito o critério de subtensão e um nível de corrente mínimo ajustável (BkrClosed I MIN) é excedido. Aqui, é usada a maior corrente das três fases. Quando a corrente diminuir abaixo do mínimo ajuste de corrente após a abertura do disjuntor, há dropout da proteção de subtensão.

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

135

2009 . Quando é excedido um dos ajustes reguláveis. 136 SIPROTEC. Pode ser ajustada a relação de dropout para os dois elementos de sobretensão (= Vdropout value/Vpickup value). é acionado o desligamento por trip com uma temporização curta. 2. Publicação 05.6. enquanto que no caso de sobretensões menos severas. há pickup do elemento 59 e trip após uma temporização ajustável ter expirado. o desligamento é efetuado com temporização mais longa. A temporização não é dependente da magnitude da sobretensão. for ajustado para desabilitado no endereço 5120. Isso inicia o reset do pickup e a configuração do dispositivo pode ser reiniciada. Aplique tensão de medição ou bloqueie a proteção de tensão para continuar a configuração.6 Proteção de Tensão 27. A Figura seguinte mostra o diagrama lógico da função de proteção de sobretensão.2 Função Proteção de Sobretensão 59 A proteção de sobretensão tem dois elementos. há imediato pickup do dispositivo sem tensão de medição e função de proteção de subtensão em pickup. Além disso. 59 Nota Se o parâmetro CURRENT SUPERV.Funções 2. 7SJ80. No caso de alta sobretensão. Manual E50417-G1179-C343-A1. voce tem a opção de ajustar um indicador via operação do dispositivo para bloqueio da proteção de tensão.

dependendo da intensidade das quedas de tensão. A relação de dropout para os dois elementos de subtensão (= Vdropout value/Vpickup value) pode ser ajustada. Publicação 05. Consequentemente.s. do componente de tensão positiva é considerado muito pequeno quando o desvio de frequência é considerável.2009 137 .m. Como as outras funções de proteção.3 Função Proteção de Subtensão 27 A proteção de subtensão consiste de dois elementos de tempo definido (27-1 PICKUP e 27-2 PICKUP). Isto assegura que a função de proteção seja mantida até para a proteção de. Os limites de tensão e as temporizações podem ser ajustados individualmente para ambos os elementos. desaceleração de motores. por exemplo. SIPROTEC. o valor r. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. 59 Figura 2-41 Diagrama lógico da proteção de sobretensão 2. a proteção de subtensão opera em uma faixa de frequência estendida. de forma que o dispositivo tenderá a um funcionamento excessivo.6.6 Proteção de Tensão 27. Contudo.Funções 2. pode ser feita uma graduação de tempo de trip.

2009 . a tensão vai a zero e o pickup de subtensão é mantido. Graças à combinação AND de tensão e ao critério de corrente. Figura 2-42 Perfil típico de falta na conexão do lado da fonte do transformador de potencial (sem supervisão de corrente) A Figura 2-43 mostra um perfil de falta na conexão do lado da carga dos transformadores de potencial. Após a tensão ter caído abaixo do valor ajustado de pickup. Como consequência. Quando o disjuntor abre. assim que o limite de liberação (BkrClosed I MIN) é excedido. o pickup da função de proteção é resetado. a tensão desaparece (a tensão permanece abaixo do ajuste de pickup) e a supervisão de corrente é usada. Após a tensão ter caído abaixo do ajuste de pickup. 59 A Figura 2-42 mostra um perfil típico da tensão durante uma falta na conexão do caso da fonte. para assegurar que pickup entre em dropout após a abertura do disjuntor (BkrClosed I MIN).Funções 2. Somente após a eliminação da falta. isto é.6 Proteção de Tensão 27. a supervisão de corrente CS descrita acima não é necessária. O valor de corrente também cai a zero e o critério de corrente é resetado. 7SJ80. o elemento entra em dropout e permite o religamento do disjuntor. o religamento é bloqueado. Devido à presença de tensão total após a abertura do disjuntor. 138 SIPROTEC. Enquanto a tensão permanecer abaixo do valor ajustado de dropout. Quando o disjuntor é aberto. é iniciado trip após a temporização 27-1 DELAY. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. dos transformadores de potencial. trip é iniciado após a temporização 27-1 DELAY. a energização é admitida novamente quando o tempo mínimo de comando expirar. quando a tensão sobe acima do nível de dropout.

Funções 2.6 Proteção de Tensão 27. não é criada nenhuma gravação de falta quando a proteção de tensão é ativada em um sistema saudável. o pickup desejado do elemento será temporizado por 60 ms. 59 Figura 2-43 Perfil típico de falta de falta no lado da conexão de carga dos transformadores de tensão (com supervisão de corrente) No fechamento do disjuntor. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. Se o critério de corrente entra em dropout durante este período de tempo (cerca de 60 ms). Publicação 05. Contudo.2009 139 . o critério de corrente é atrasado por um curto período de tempo. SIPROTEC. é importante saber que se existe uma condição de baixa tensão na carga após o fechamento do disjuntor (diferente da Figura 2-43). Desse modo. a função de proteção não emite pickup.

7SJ80.2009 . Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. 59 A figura seguinte mostra o diagrama lógico da função de proteção de subtensão.6 Proteção de Tensão 27. Figura 2-44 Diagrama lógico da proteção de subtensão 140 SIPROTEC.Funções 2.

59 2. os valores limite da proteção de sobretensão devem ser ajustados nos parâmetros 5019 59-1 PICKUP V1 ou 5020 59-2 PICKUP V1. e deverão ser selecionados de tal forma que permitam breves picos de tensão gerados durante operações de chaveamento e também habilitam a eliminação de sobretensões estacionárias no devido tempo. ou ajustada para Alarm Only(Somente alarme) no endereço 5001 FCT 59. QUANTITY 59 para V1. então ajuste para Disabled.6. Tabela 2-8). Manual E50417-G1179-C343-A1. 5003 591 PICKUP permanece geralmente entre 110 % e 115 % da tensão nominal e o valor de ajuste 5005 .Funções 2. A proteção de sobretensão tem dois elementos. SIPROTEC. 7SJ80. As temporizações dos elementos de sobretensão são parametrizados nos endereços 5004 59-1 DELAY e 5007 59-2 DELAY. dependendo das tensões fase-fase ou fase -terra pode ser designado com temporização mais longa (endereço 5004. o sistema de sequência positiva pode ser avaliado quanto à proteção de sobretensão por meio da configuração do parâmetro 614 OP. 59-1 DELAY) e o limite superior do Elemento (endereço 5005 ou 5006. Não existem procedimentos específicos em como os valores de pickup são ajustados. A escolha entre tensão fase-terra e tensão fase-fase permite que assimetrias de tensões (por exemplo.Sistema V1 de Sequência Positiva Em uma conexão de transformador de potencial trifásica. Tabela 2-8). trip. A proteção de sobretensão pode ser chaveada para ON ou OFF. Proteção de Sobretensão com Tensões Fase-Fase ou Fase-Terra A maior das tensões aplicadas é avaliada para a proteção de sobretensão fase-fase ou fase-terra. Neste caso. Com o ajuste para Alarm Only(Somente Alarme) nenhum comando de trip é fornecido. 592 PICKUP) uma temporização mais curta (endereço 5007. Proteção de Sobretensão .4 Geral Notas de Ajustes Proteção de tensão só está afetiva e acessível se o endereço 150 27/59 foi ajustado para Enabled durante a configuração das funções de proteção.6 Proteção de Tensão 27.2009 141 . O valor de pickup do limite mais baixo (endereço 5002 ou 5003. o valor limite 5002 . como a função é principalmente usada para prevenção de altos danos de isolação aos componentes do sistema e usuários. Os valores limite são ajustados no valor a ser avaliado (veja o Capítulo 2. 59-1 PICKUP. A proteção de subtensão pode ser chaveada para ON ou OFF ou ajustada para Alarm Only(Somente Alarme) no endereço 5101 FCT 27. A tensão a ser avaliada é selecionada em Power System Data 1(Dados do Sistema de Potência 1) (veja o Capítulo 2. nenhuma falta é gravada e nenhuma anunciação espontânea de falta é mostrada no display. Entretanto. 59-2 DELAY). Com as funções de proteção ativadas (ON).6. Se essa função não for requerida.6. Publicação 05. a abertura de uma falta e a gravação da falta são iniciadas quando os limites são excedidos e as temporizações tenham expirado. 5006 59-2 PICKUP em aproximadamente 130 %. causadas por uma falta à terra) sejam consideradas (fase-terra) ou permaneçam desconsideradas (fase-fase) durante a avaliação.

Não existe claros procedimentos de como ajustar os valores de pickup 59-1 PICKUP V2 ou 59-2 PICKUP V2 já que estes dependem da configuração da respectiva instalação. e deverão ser selecionadas de forma que permitam breves picos de tensão gerados durante operações de chaveamento e também habilitar a eliminação de sobretensões estacionárias no devido tempo. No que concerne aos valores de pickup. o valor RMS calculado da tensão é calculado muito baixo e o dispositivo pode assim tender a funcionar acima de sua capacidade. Aplicam-se as seguintes condições marginais para r: r · (limite de pickup configurado) ≤ 150 V com conexão de tensões fase-fase e fase-terra ou r · (limite de pickup configurado) ≤ 260 V com cálculo dos valores medidos das tensões conectadas (por exemplo. Proteção de Subtensão . 59-1 DELAY) pode ser designada para o Elemento mais baixo (endereço 5015. a referência para a tensão nominal. De forma a obter um limite de pickup da proteção de sobrecorrente temporizada que é tão sensível quanto possível. 27-2 PICKUP (dependendo da conexão do transformador de potencial ser fasefase ou fase-terra). apenas levemente acima das correntes de carga. 142 SIPROTEC. a temporização deverá ser longa o suficiente para evitar trip em quedas de tensões de curto prazo. enquanto que a temporização é ajustada no endereço 5112. Na proteção de backup de transformadores ou geradores. as correntes de falta permanecem. Assim. Limite de Dropout da Proteção de Sobretensão Os limites de dropout do Elemento 59-1 e Elemento 59-2 podem ser configurados via relação de dropout r= VDropout/VPickup nos endereços 5017 59-1 DOUT RATIO ou 5018 59-2 DOUT RATIO. O valor de pickup do Elemento superior é ajustado no endereço 5102 ou 5103. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. realizando assim. permite-se que a função de proteção de subtensão siga muito de perto o comportamento de estabilidade do sistema. não existem notas específicas em como ajustá-lo. 27-1 DELAY (uma temporização um pouco mais longa). devido a função de proteção de subtensão ser primariamente destinada para a proteção de máquinas indutivas de quedas de tensão e para prevenir problemas de estabilidade. sua estabilização via proteção de tensão é necessária para evitar falso trip. 59-1 PICKUP V2 e uma temporização mais curta (endereço 5007. com a configuração do sistema de sequência negativa. 27-2 DELAY (temporização curta).Sistema V2 de Sequência Negativa Em uma conexão de transformador trifásica.6 V. Favor observar que no caso de desvios de frequência > 5 Hz. tensões fase-fase calculadas das tensões fase-terra conectadas). sua aquisição é vantajosa devido ao sistema de sequência positiva ser relevante para o limite da transmissão de energia estavel. o parâmetro 614 OP. enquanto que a temporização é ajustada no endereço 5106. 27-1 PICKUP.Sistema V1 de Sequência Positiva O componente de sequência positiva (V1) pode ser avaliado para a proteção de subtensão.Ajustando esses elementos dessa forma.Funções 2.2009 . Especialmente no caso de problemas de estabilidade. 59-2 PICKUP V2). os valores de pickup estão normalmente entre 60% e 85% da tensão nominal.6 Proteção de Tensão 27. A proteção de sobretensão compreende dois elementos. 59 Proteção de Sobretensão . O valor limite é multiplicado como tensão de sequência positiva e ajustado para √3. em alguns casos. Os ajustes de tempo deverão ser selecionados de forma que ocorra trip em resposta a quedas de tensões que levem à condições de operação instáveis. Entretanto. 59-2 DELAY) pode ser designada para o Elemento superior (endereço 5016. O valor de pickup do limite mais baixo é ajustado no endereço 5110 ou 5111. A histerese mínima é 0. A proteção de subtensão compreende dois elementos. uma temporização mais longa (endereço 5004. QUANTITY 59 pode determinar que o sistema V2 de sequência negativa possa ser avaliado como um valor medido para a proteção de sobretensão. O sistema de sequência negativa detecta desequilibrio de tensão e pode ser usado para a estabilização da proteção de sobrecorrente temporizada. Por outro lado. As temporizações dos elementos de sobretensão são parametrizadas nos endereços 5004 59-1 DELAY e 5007 59-2 DELAY. 7SJ80.

Limite de Dropout da Proteção de Subtensão Os limites de dropout do Elemento 27-1 e Elemento 27-2 podem ser configurados via relação de dropout r = VDropout/VPickup nos endereços 5113 27-1 DOUT RATIO ou 5114 27-2 DOUT RATIO. 27-2 PICKUP (dependendo da conexão do transformador de potencial.2009 143 . você pode determinar para a proteção de subtensão em conexão trifásica. Além disso. A proteção de subtensão compreende dois elementos. a temporização deve ser longa o suficiente para evitar trip em quedas de tensão de curto prazo. O valor de pickup do Elemento mais alto é ajustado no endereço 5102 ou 5103. pode ser conseguido que o pickup da proteção de subtensão forneça dropout quando a linha é desconectada da tensão de alimentação. 27-2 DELAY (temporização curta). enquanto que a temporização é ajustada no endereço 5112. Não ocorre mensagem de erro. ao invés daquela do sistema V1 de sequência positiva.6 V.6 Proteção de Tensão 27. 7SJ80. Os ajustes de temporização devem ser selecionados de tal forma que ocorra trip em resposta a quedas de tensão que conduzem a condições de operação instáveis. endereço 212) deve estar presente para assegurar o pickup dessa função de proteção. enquanto que a temporização é ajustada no endereço 5106. tabela 2-8). QUANTITY 27. A histerese mínima é 0. Nota Se um ajuste é acidentalmente selecionado de forma que o limite de dropout (= limite de pickup · relação de dropout) resultse em um valor maior do que 130 V/225 V. a menor tensão fase-fase Vphph ou a menor tensão fase-terra Vph-n seja configurada como grandeza medida. ele será automaticamente limitado. Por outro lado. Critério de Corrente da Proteção de Subtensão O Elemento 27-1 e o Elemento 27-2 pode ser supervisionado pelo ajuste do monitoramento do fluxo de corrente.Funções 2.6. fase-terra ou fase-fase). a condição de liberação do critério de corrente deve ser preenchido em adição à condição de subtensão correspondente. Aplicam-se a r. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. esse recurso previne um pickup geral imediato do dispositivo quando este é ligado sem que esteja presente tensão de medição. O valor de pickup do limite inferior é ajustado no endereço 5110 ou 5111. SIPROTEC. as seguintes condições marginais: r · (limite de pickup configurado ≤ 130 V das tensões medidas instantâneamente) tensões fase-fase ou tensões fase-terra ou r · (limite de pickup configurado ≤ 225 V para avaliação dos valores calculados das tensões medidas) (por exemplo. Ajustar esses elementos dessa forma permite que a função de proteção de subtensão acompanhe rigorosamente o comportamento da estabilidade do sistema. Se CURRENT SUPERV. está chaveado para ON no endereço 5120 (ajuste de fábrica). que significa que uma mínima corrente configurada (BkrClosed I MIN. 59 Proteção de Subtensão com Tensões Fase-Fase ou Fase-Terra No parâmetro 615 OP. tensões fase-fase calculadas das tensões fase-terra conectadas). Os valores limite são ajustados na grandeza a ser avaliada (veja Seção 2. 27-1 DELAY (uma temporização um pouco mais longa). Assim. 27-1 PICKUP.

7SJ80. Publicação 05. O último pode ser iniciado via operação do dispositivo em DIGSI e via comunicação do centro de controle por meio de um comando de identificação para bloqueio da proteção de tensão. a configuração pode ser executada pelo pickup da tensão do circuito de medição ou bloqueio da proteção de tensão. Favor observar que o limite de pickup BkrClosed I MIN (endereço 212) afeta também a proteção de sobrecarga. Isso ocasiona o dropout do pickup e a parametrização pode ser reiniciada.6 Proteção de Tensão 27. 59 Nota Se o parâmetro CURRENT SUPERV. Além disso. está ajustado para desabilitado no endereço 5120.Funções 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. 144 SIPROTEC. a função de pickup de carga fria e a manutenção do Disjuntor.2009 . há pickup do dispositivo imediatamente se falhar a tensão do circuito de medição e a proteção de subtensão estiver habilitada.

120 V 0. 100. ∞ 10 . Publicação 05.... 150 V 2 .00 OFF ON Ajuste Padrão OFF Comentários Proteção de Sobretensão 59 5002 5003 5004 5005 5006 5007 5015 5016 5017A 5018A 5019 5020 5101 59-1 PICKUP 59-1 PICKUP 59-1 DELAY 59-2 PICKUP 59-2 PICKUP 59-2 DELAY 59-1 PICKUP V2 59-2 PICKUP V2 59-1 DOUT RATIO 59-2 DOUT RATIO 59-1 PICKUP V1 59-2 PICKUP V1 FCT 27 110 V 110 V 0.00 1. 150 V 0... 100. 210 V 10 . 0. 150 V 0.50 sec 70 V 70 V 0.. 59 2. 210 V 10 .20 ON Pickup de 27-1 Pickup de 27-1 Temporização de 27-1 Pickup de 27-2 Pickup de 27-2 Temporização de 27-2 Relação de dropout 27-1 Relação de dropout 27-2 Supervisão de Corrente SIPROTEC. 260 V 20 ..01 .Funções 2.. 3.90 .00 . 3. 75 V 75 V 1. 260 V 20 ..50 sec 120 V 120 V 0. 100.50 sec 1. só podem ser alterados com DIGSI em "Display Additional Settings"(Mostrar Ajustes Adicionais).99 0. 0. 150 V 0.01 ....95 0. 150 V 20 . ∞ 2 . 100. 150 V OFF ON Alarm Only 10 ..90 .. Manual E50417-G1179-C343-A1. End.99 20 .00 sec. 120 V 0.00 sec.. ∞ 20 .00 sec.00 ....00 .. ∞ 1.6.00 sec. 7SJ80.00 .50 sec 30 V 50 V 0.2009 145 ..20 1.5 Ajustes Endereços que possuam um “A” anexo.. 5001 Parâmetro FCT 59 Opções de Ajustes OFF ON Alarm Only 20 .6 Proteção de Tensão 27.95 110 V 120 V OFF Pickup de 59-1 Pickup de 59-1 Temporização de 59-1 Pickup de 59-2 Pickup de 59-2 Temporização de 59-2 Pickup V2 de 59-1 Pickup V2 de 59-2 Relação de dropout 59-1 Relação de dropout 59-2 Pickup V1 de 59-1 Pickup V1 de 59-2 Proteção de Subtensão 27 5102 5103 5106 5110 5111 5112 5113A 5114A 5120A 27-1 PICKUP 27-1 PICKUP 27-1 DELAY 27-2 PICKUP 27-2 PICKUP 27-2 DELAY 27-1 DOUT RATIO 27-2 DOUT RATIO CURRENT SUPERV.

Publicação 05.Supervisão de corrente chaveada em ON >BLOQUEAR 27-1 Proteção de subtensão >BLOQUEAR 27-2 Proteção de Subtensão >BLOQUEAR 59 Proteção de Sobretensão 27 Proteção de subtensão em OFF 27 Proteção de subtensão está BLOQUEADA 27 Proteção de subtensão está ATIVA 27-1 Pickup da Subtensão 27-1 PICKUP da subtensão com supervisão de corrente 27-2 Pickup da subtensão 27-2 PICKUP da subtensão com supervisão de corrente 27-1 TRIP da subtensão 27-2 TRIP da subtensão 59-Proteção de sobretensão em OFF 59-Proteção de sobretensão está BLOQUEADA 59-Proteção de sobretensão está ATIVA 59-1 Pickup de Sobretensão V> 59-1 TRIP de sobretensão V> 59-2 Pickup de sobretensão V>> 59-2 TRIP de sobretensão V>> 234. Lista de Informações Informação Tipo de Info.Funções 2. 59 blk 6503 6505 6506 6508 6513 6530 6531 6532 6533 6534 6537 6538 6539 6540 6565 6566 6567 6568 6570 6571 6573 >BLOCK 27 >27 I SUPRVSN >BLOCK 27-1 >BLOCK 27-2 >BLOCK 59 27 OFF 27 BLOCKED 27 ACTIVE 27-1 picked up 27-1 PU CS 27-2 picked up 27-2 PU CS 27-1 TRIP 27-2 TRIP 59 OFF 59 BLOCKED 59 ACTIVE 59-1 picked up 59-1 TRIP 59-2 picked up 59-2 TRIP 146 SIPROTEC.6 No. 59 Bloqueado via operação >BLOQUEAR 27 Proteção de subtensão >27. IntSP SP SP SP SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT Comentários 27.6.2009 . 59 2.2100 27.6 Proteção de Tensão 27. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80.

Quando o segundo Elemento 46-2 PICKUP é iniciado. Publicação 05. uma outra mensagem é emitida e o elemento de tempo 46-2 DELAY é iniciado.7 Proteção de Sequência Negativa 46 A proteção de sequência negativa detecta cargas desbalanceadas no sistema. Figura 2-45 Característica de tempo definido para proteção de sequência negativa Tempos de Dropout Ajustáveis A estabilização de pickup para a característica de trip de tempo definido 46-1. 2. Aplicações • Esta função de proteção pode ser usada para detectar interrupções.1 x INom e todas as correntes de fase são menores do que 10 x INom. Assim que é alcançado o primeiro limite ajustável 46-1 PICKUP . permite que diferentes respostas de dropout sejam ajustadas e a graduação de tempo de relés digitais e eletromecânicos seja implementada. Usada em conjunto com relés eletromecânicos.2009 147 . 46-2 pode ser acompanhada por meio de tempos de dropout ajustáveis. Uma vez expirada a temporização. Essa facilidade é usada em sistemas de potência com possíveis faltas intermitentes. uma mensagem de pickup é emitida e o elemento de tempo 46-1 DELAY é iniciado. 7SJ80.1 Característica de Tempo Definido A característica de tempo definido consiste de dois elementos. Manual E50417-G1179-C343-A1. SIPROTEC. curto-circuitos e problemas de polaridade nas conexões para os transformadores de corrente. • Ela é também útil na detecção de faltas mofásicas e bifásicas com correntes de falta menores do que a corrente de carga máxima. é iniciado um sinal de trip.7.7 Proteção de Sequência Negativa 46 2.Funções 2. Pré-requisitos A proteção de carga desbalanceada se torna efetiva quando: uma corrente de fase mínima é maior do que 0.

Funções 2.7 Proteção de Sequência Negativa 46 2.7.2009 . é gerada uma anunciação de pickup. Pickup e Trip A corrente de sequência negativa I2 é comparada com o valor de ajuste 46-TOC PICKUP. Quando a corrente de sequência negativa excede 1. A curva característica está ilustrada na figura seguinte. é emitido um comando de trip. O tempo de trip é calculado da corrente de sequência negativa conforme a Curva selecionada. Ele opera com curvas características de trip IEC ou ANSI. As curvas e fórmulas associadas são fornecidas nos Dados Técnicos. Após expirar o período de tempo. Figura 2-46 Característica de tempo inverso para proteção de sequência negativa 148 SIPROTEC. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80.2 Característica de Tempo Inverso 46-TOC O Elemento de tempo inverso depende da versão solicitada do dispositivo.1 vezes o valor de ajuste. Ao programar a Curva de tempo inverso. ficam também disponíveis os elementos de tempo definido 46-2 PICKUP e 46-1 PICKUP (veja parágrafo adiante).

Esse processo corresponde ao reset do disco de Ferraris (explicando assim sua denominação de emulação de disco) No caso da ocorrência de várias faltas sucessivas a “história” é levada em consideração devido à inércia do disco de FerrarisI e a resposta de tempo é adaptada. Isso assegura uma simulação adequada do aumento da temperatura do objeto protegido mesmo para valores de carga desbalanceada extremamente flutuantes.Funções 2. A temporização reseta imediatamente em antecipação a um novo pickup. A emulação de disco provoca um processo de dropout (contador de tempo diminuindo) que inicia após a desenergização. 7SJ80. O reset inicia assim que é alcançado 90 % do valor de ajuste. A emulação de disco oferece vantagem quando o comportamento da proteção de sequência negativa precisa ser coordenado com outros relés no sistema baseado em princípios de medição eletromagnéticos. Na faixa entre o valor de dropout (95 % do valor de pickup) e 90 % do valor de ajuste. Para um novo pickup a temporização inicia em zero. SIPROTEC. o processo de aumento e diminuição está em estado inativo.7 Proteção de Sequência Negativa 46 Dropout para Curvas IEC Há dropout do elemento quando a corrente de sequência negativa diminuir para cerca de 95% do ajuste de pickup.2009 149 . "Instantâneo" significa que o pickup entra em dropout quando o valor de pickup de cerca de 95 % é atingido. de acordo com a curva de dropout da característica selecionada. Dropout para Curvas ANSI Ao usar uma curva ANSI. Manual E50417-G1179-C343-A1. selecione se o dropout após pickup é instantâneo ou com emulação de disco. Publicação 05.

(isto é. Quando o critério de proteção de sequência negativa não é mais satisfeito. Isso reseta o pickup e os elementos de tempo e elimina valores medidos.Funções 2. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. Figura 2-47 Diagrama lógico da proteção de carga desbalanceada 150 SIPROTEC. todos os pickups emitidos pela função de proteção de sequência negativa são resetados.1 x INom ou pelo menos uma corrente de fase é maior do que 10 x INom). todas as correntes de fase abaixo de 0.2009 .7 Proteção de Sequência Negativa 46 Lógica A figura seguinte mostra o diagrama lógico para a função de proteção de sequência negativa. A proteção pode ser bloqueada por entrada binária. 7SJ80.

Por outro lado. A temporização de comando de trip continua em andamento. ocorre trip imediatamente. Publicação 05. o tempo é cancelado. Se essa função não for requerida. o pickup é reportado como OFF e a temporização de trip é resetada. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80. trip é sempre executado com a Curva térmica. Selecionando 46 = TOC IEC ou TOC ANSI no endereço 140. A temporização do comando de trip continua em andamento. o Elemento superior (endereço 4004 46-2 PICKUP) pode ser ajustado para uma temporização curta (endereço 4005 46-2 DELAY) e o Elemento inferior (endereço 4002 46-1 PICKUP)pode ser ajustado para uma temporização um pouco mais longa (endereço 4003 46-1 DELAY). aplica-se o seguinte para a corrente inversa: Exemplos: Ao proteger alimentador ou sistemas com cabo. enquanto que o Elemento superior cortará a Curva inversa assim que se apresentarem altas correntes inversas.7. Após ter expirada a temporização de dropout. Os ajustes padrão de pickup e temporizações são geralmente suficientes para a maioria das aplicações. não haverá reação. nesse período. então ajuste para Disabled . Se o valor limite for novamente excedido após ter expirado a temporização do comando de trip.7 Proteção de Sequência Negativa 46 O pickup da proteção de sobrecorrente de tempo definido pode ser estabilizado pelo tempo de dropout configurado 4012 46 T DROP-OUT.1. a emulação de disco é usada com relés eletromecânicos. por exemplo.1. com mais de 60 % de carga desbalanceada. Os tempos de dropout configurados não influenciam os tempos de trip dos elementos de tempo inverso já que esses dependem dinamicamente do valor de corrente medido. 2. a função não fornece dropout em alta velocidade. Se 46-2 PICKUP é ajustado para cerca de 60%. A função pode ser chaveada para ON ou OFF no endereço 4001 FCT 46. a menos que o limite tenha sido novamente excedido. Se o limite é novamente excedido durante a temporização de dropout. Para propósitos de coordenação de dropout. o endereço 46 deverá ser ajustado para Definite Time.2009 151 . isso adicionalmente fará todos os parâmetros disponíveis que forem relevantes para as curvas de tempo inverso. o comando de trip é emitido imediatamente. Se o valor limite. Elementos de Tempo Definido A função de proteção de carga desbalanceada compreende dois elementos. SIPROTEC. como um alarme. o usuário assumirá uma falta fase-fase. Sendo assim. não for excedido. Se o valor limite for excedido após ter expirado. A temporização 46-2 DELAY deve ser coordenada com a graduação do sistema para faltas fase-fase.Funções 2. Se forem desejados somente os elementos de tempo definido.Esse tempo é iniciado e mantém a condição de pickup se a corrente cair abaixo do limite.3 Geral Notas de Ajustes O tipo de função foi especificado durante a configuração das funções de proteção (Seções 2. Isso permite agir o Elemento inferior.2. endereço 140 46). Sendo assim. a proteção de carga desbalanceada pode servir para identificar faltas assimétricas de baixa magnitude abaixo dos valores de pickup dos elementos de sobrecorrente direcional e não direcional. Se fornecida fonte de alimentação com corrente I via somente duas fases. enquanto a temporização de dropout ainda estiver em progresso.

com mais de 60% de carga desbalanceada. Para um transformador de potência. então a corrente de falta de I = 3 TRV · TRI · 46-1 PICKUP = 3 · 110/20 · 100 · 0. essa aplicação é bem adequada para transformadores delta-estrela onde faltas fase-terra no lado de baixa não geram correntes de sequência zero do lado de alta (por exemplo. a relação entre as correntes de sequência negativa e a corrente total de falta para faltas fase-fase e fase-terra são válidas para o transformador enquanto as relações "CTR" forem consideradas. a proteção de carga desbalanceada pode ser usada como proteção sensitiva para faltas fase-fase e fase-terra de baixa magnitude.1. A temporização 46-2 DELAY deve ser coordenada com a graduação do sistema de faltas fase-fase.1 A = 165 A para faltas monofásicas e √3 · TRV · TRI ·46-1 PICKUP = 95 A pode ser detectado para faltas bifásicas no lado de baixa. Manual E50417-G1179-C343-A1. É importante observar que a corrente de carga não foi levada em consideração neste exemplo simplificado. uma falta fase-fase pode ser assumida. Esse tempo de dropout é ajustado em 4012 46 T DROP-OUT. Em particular. Estabilização de Pickup (Tempo Definido) Pickup dos elementos de tempo definido pode ser estabilizado por meio de um tempo de dropout configurável. Como não pode ser confiavelmente reconhecido em que lado a falta assim detectada está localizada.Funções 2.2009 . 7SJ80. deve ser observado o seguinte: Uma falta fase-terra com corrente I corresponde à seguinte corrente de sequência negativa: Por outro lado.7 Proteção de Sequência Negativa 46 Aqui. Como os transformadores transformam correntes simétricas de acordo com a relação de transformação"CTR". a temporização 46-1 DELAY deve estar coordenada com outros relés que fazem parte do sistema. Isso corresponde a 36% e 20% da corrente nominal do transformador respectivamente. 152 SIPROTEC. grupo vetorial Dy). Publicação 05. Considere um transformador com os seguintes dados: Base Nominal do Transformador Tensão Nominal primária Tensão Nominal Secundária Grupos Vetoriais Lado alto do TC SNomT = 16 MVA VNom = 110 kV VNom = 20 kV Dy5 100 A / 1 A (CTI = 100) (TRV = 110/20) As seguintes correntes de falta podem ser detectadas no lado de baixa: Se 46-1 PICKUP no lado alto do dispositivo é ajustado para = 0.

O multiplicador de tempo associado é especificado no endereço 4010.1. 7SJ80.1 vezes tenha sido incluido entre o valor de pickup e o valor de ajuste quando uma Curva de tempo inverso é selecionada. o endereço 140 46 deverá ser ajustado para Definite Time durante a configuração das funções de proteção (Seção 2. Após pickup o Elemento então não fornecerá trip. Ao selecionar a curva ANSI no endereço 401146-TOC RESET um dropout de Emulação de Disco. Isso significa que um pickup somente ocorrerá se uma carga desbalanceada de cerca de 1. será sinalizado. 46-TOC TIMEDIAL ou endereço 400946-TOC TIMEDIAL.2). será executada de acordo com a curva de dropout como explicado na descrição da função. Manual E50417-G1179-C343-A1. Elas são selecionadas no endereço 4006 46 IEC CURVE ou no endereço 4007 46 ANSI CURVE.1 vezes o valor de ajuste 46-TOC PICKUP está presente (endereço 4008).1. O pickup.7 Proteção de Sequência Negativa 46 Curva de Trip de Tempo Inverso Várias curvas IEC e ANSI estão disponíveis se o seu equipamento operacional requer o uso de características de trip dependentes de uma curva. Ocorre dropout assim que o valor cai abaixo de 95 % do valor de pickup. entretanto. SIPROTEC.Funções 2. Deve ser observado que um fator de segurança de cerca de 1. Se o Elemento de tempo inverso não for requerido. O multiplicador de tempo pode também ser ajustado para ∞.2009 153 . Publicação 05.

Manual E50417-G1179-C343-A1. SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT >BLOQUEAR 46 DESLIGADO 46 (OFF) 46 está BLOQUEADO 46 está ATIVO Pickup de 46-2 Pickup de 46-1 Pickup de 46-TOC TRIP de 46 Pickup de emulação de disco 46 Comentários 154 SIPROTEC.90 A 4.00 0. Comentários 46 Proteção de Sequência Negativa Pickup de 46-1 1A 5A 0. ∞ Normal Inverse Very Inverse Extremely Inv. 3...7.50 .. 7SJ80. Extremely Inv.Funções 2.4 Ajustes Endereços que possuem um “A” anexo só podem ser alterados com DIGSI em "Display Additional Settings". 2. 4001 4002 Parâmetro FCT 46 46-1 PICKUP C Opções de Ajuste OFF ON Ajuste Padrão OFF 0.50 .20 sec. 60.00 .5 No.50 A 2.50 A 5.00 A 0.00 ..05 .10 . 15. Inverse Moderately Inv.00 sec Pickup de 46-TOC 4009 4010 4011 4012A 46-TOC TIMEDIAL 46-TOC TIMEDIAL 46-TOC RESET 46 T DROP-OUT Dial de Tempo 46-TOC Dial de Tempo 46-TOC DROPOUT 46-TOC Temporização de Dropout 2. ∞ 0. End. indica a corrente nominal secundária correspondente do transformador de corrente.50 sec Instantaneous 0. 10. 60.2009 . A coluna “C” (Configuração).50 sec Extremely Inv. ∞ 4003 4004 46-1 DELAY 46-2 PICKUP 1A 5A Temporização de 46-1 Pickup de 46-2 0..50 .. 60.00 A 0.50 .00 sec.00 A 0..00 .10 A 0. ∞ Instantaneous Disk Emulation 0. Curva ANSI 4008 46-TOC PICKUP 1A 5A 0.00 A 0.00 sec.00 A 0.00 sec 0. (Mostrar Ajustes Adicionais). A tabela indica ajustes padrão para regiões específicas..7. 15..10 . 3.10 .50 A 1.50 sec 0.00 ... 5143 5151 5152 5153 5159 5165 5166 5170 5171 Lista de Informações Informações >BLOCK 46 46 OFF 46 BLOCKED 46 ACTIVE 46-2 picked up 46-1 picked up 46-TOC pickedup 46 TRIP 46 Dsk pickedup Tipo de Info. 3.7 Proteção de Sequência Negativa 46 2.50 A 1. Publicação 05.00 A 0. Very Inverse 4005 4006 46-2 DELAY 46 IEC CURVE Temporização de 46-2 Curva IEC 4007 46 ANSI CURVE Extremely Inv. 15.

são iniciadas ações adequadas tais como descarte de carga ou a desconexão de um gerador do sistema. O gerador pode ser desconectado do sistema de potência por meio da proteção de diminuição de frequência.1 Descrição Detecção de Frequência A frequência é preferivelmente detectada pela tensão de sequência positiva. Temporizações / Lógica Cada elemento de frequência tem uma temporização ajustável associada. 2. Faixa Operacional A frequência pode ser determinada desde que em uma conexão do sistema de sequência positiva das tensões de transformador de potencial trifásico ou alternativamente. O uso de filtros e medições repetidas tornam a medição virtualmente inedependente de influências harmônicas e consegue-se excelente precisão.8. Publicação 05. Cada um dos quatro elementos de frequência podem ser bloqueados individualmente via entradas binárias. Aplicações • ocorre diminuição na frequência do sistema quando o sistema experimenta um aumento na demanda da potência real ou quando ocorre um mau funcionamento com um gerador principal ou sistema de controle gerador automático (AGC). uma das outras tensões fase-fase é usada em seu lugar. • ocorre aumento na frequência do sistema. Se a tensão medida cair abaixo de um valor ajustado Vmin.8 Proteção de Frequência 81 O/U 2. esses elementos podem ser usados alternativamente para diminuição ou aumento da frequência separadamente e podem ser ajustados independentemente para executar diferentes funções de controle. A função de proteção de frequência é também usada para geradores que operam (por um certo período) em uma rede ilhada. Se a frequência permanecer fora da faixa permissível.8 Proteção de Frequência 81 O/U A função de proteção de frequência detecta frequências anormalmente altas e baixas no sistema ou em máquinas elétricas. Manual E50417-G1179-C343-A1. SIPROTEC. Se a amplitude dessa tensão é muito pequena.2009 155 . em uma conexão de transformador de potencial monofásico. Isso acentua o risco de auto-excitação para geradores que alimentam longas linhas sob condições sem carga. quando grandes blocos de carga (rede ilhada) são desconectados do sistema. o comando de trip é imediatamente executado. Se essa tensão é muito baixa. porque não podem ser calculados valores precisos de frequência do sinal.Funções 2. é gerado um sinal de trip. mas não antes de ter expirada a duração mínima do comando. A figura seguinte mostra o diagrama lógico para a função de proteção de frequência. é usada a tensão fase-fase VA-B no dispositivo. Quando há dropout de um elemento de frequência. a proteção de frequência é bloqueada. Para tornar a proteção flexível para diferentes condições do sistema de potência. 7SJ80. Isso é devido ao fato de que a proteção de potência não pode operar no caso de uma falha de potência motriz. Quando a temporização expira. tensão respectiva esteja presente e de magnitude suficiente. ou novamente quando ocorre mau funcionamento com um gerador principal. Aumento e Diminuição de Frequência A proteção de frequência consiste de quatro elementos. por exemplo.

Manual E50417-G1179-C343-A1.8 Proteção de Frequência 81 O/U Figura 2-48 Diagrama lógico da proteção de frequência 156 SIPROTEC.2009 . Publicação 05.Funções 2. 7SJ80.

SIPROTEC. em torno de 48 Hz (for fN = 50 Hz) ou 58 Hz (for fN = 60 Hz). Tensão Mínima A mínima tensão. os turbogeradores podem. A função pode ser chaveada ON ou OFF sob o endereço 5401 FCT 81 O/U. Se a função não for requerida. por exemplo. o limite é ajustado como tensão de fase. Um elemento também pode funcionar. ser usada como uma proteção contra velocidade excessiva. Existem outros exemplos de aplicação no campo das usinas.02 Hz pode permanecer. Publicação 05. como um elemento de sobrefrequência se o seu valor limite é ajustado abaixo da frequência nominal e vice-versa. desconectando-a do sistema de energia a tempo. Contudo. Desta maneira. se forem esperadas flutuações inferiores de frequência constantes. a proteção contra o aumento da frequência pode. operar continuamente até 95% abaixo da frequência nominal. Pelo ajuste dos parâmetros 5421 a 5424. a função de cada um dos elementos 81-1 PICKUP a 81-4 PICKUP é individualmente ajustada como proteção de subfrequência ou sobrefrequência ou ajustado para OFF. portanto. Manual E50417-G1179-C343-A1. os valores de ajuste dependem das condições reais do sistema de energia. A proteção de subfrequência salvaguarda a própria demanda da estação. Normalmente. como também põe em risco a estabilidade da operação. Com uma conexão fase-terra monofásica. para consumidores indutivos. Consequentemente. Supondo-se que a potência aparente seja reduzida na mesma proporção. 7SJ80. em uma rede ilhada).8. Contudo. Um aumento de frequência pode. por exemplo. Se a proteção de frequência é usada com o propósito de descarte de carga. Aqui também os valores de frequência a serem ajustados dependem principalmente das especificações do sistema de energia/operadora. só é permissível uma redução de curto prazo da frequência. ocorrer devido a um escoamento de carga ou mau funcionamento do ajuste de velocidade (por exemplo. O turboregulador regula o grupo de máquinas na velocidade nominal. que leve em conta a importância dos consumidores ou de grupos de consumidores. abaixo da qual a proteção de frequência é bloqueada é parametrizada no endereço 5402 Vmin. Por esta razão. Limites de Dropout O limite de dropout é definido no endereço de diferença ajustável de dropout 5415 DO differential.2 Geral Notas de Ajustes A proteção de frequência só está efetiva e acessível se o endereço 154 81 O/U foi ajustado para Enabled durante a configuração das funções de proteção. independe da parametrização dos valores limite do respectivo elemento. as próprias demandas da estação podem ser continuamente supridas na frequência nominal. a redução da frequência não só significa um aumento da entrada de corrente.2009 157 . Valores de Pickup O ajuste do elemento como sobre ou subfrequência. este valor deve ser aumentado. O valor limite tem que ser ajustado como grandeza fase-fase se a conexão for trifásica. Ele pode. o valor padrão de 0. como regra. Usualmente. por exemplo.Funções 2. é ajustada para Disabled. é necessário um descarte seletivo de carga. A diferença de dropout é a diferença do valor absoluto entre o limite de pickup e o valor de dropout.8 Proteção de Frequência 81 O/U 2. se o elemento não for requerido. ser ajustado de acordo com as condições da rede.

150 V 40.50 Hz 3.02 ..00 sec. Manual E50417-G1179-C343-A1..00 . ∞ 40. 1.00 .00 . 70.00 Hz 0.00 .00 .8 Proteção de Frequência 81 O/U Temporizações As temporizações 81-1 DELAY a 81-4 DELAY (endereços 5405. 60.00 . 5408..50 Hz 59.00 .. 60.00 ..00 Hz OFF ON f> ON f< OFF ON f> ON f< OFF ON f> ON f< OFF ON f> ON f< Ajuste Padrão OFF 65 V 35 V 49.3 Ajustes Endereços com um "A" só podem ser alterados com DIGSI.00 sec 49.00 Hz 50.. para equipamento de descarte de carga.00 Hz 30. 70. ∞ 40. 150 V 20 ..00 sec. dropout) da função de proteção...00 sec..00 Hz 59.02 Hz OFF Comentários Proteção de Sobre/ Subfrequência 81 Tensão mínima exigida para operação Tensão mínima exigida para operação Pickup de 81-1 Pickup de 81-1 Temporização de 81-1 Pickup de 81-2 Pickup de 81-2 Temporização de 81-2 Pickup de 81-3 Pickup de 81-3 Temporização de 81-3 Pickup de 81-4 Pickup de 81-4 Temporização de 81-4 Diferencial de Dropout Proteção de Sobre/ Subfrequência 81-1 Proteção de Sobre/ Subfrequência 81-2 Proteção de Sobre/ Subfrequência 81-3 Proteção de Sobre/ Subfrequência 81-4 5422 FCT 81-2 O/U OFF 5423 FCT 81-3 O/U OFF 5424 FCT 81-4 O/U OFF 158 SIPROTEC.00 sec 47. 100.00 Hz 30.50 Hz 57.00 sec 51.00 .00 Hz 0. 5411 e 5414) permitem a graduação dos elementos de frequência.00 Hz 50. 2.00 Hz 61. Os tempos de ajuste são temporizações adicionais e não incluem os tempos de operação (medição. 70.00 Hz 50. 100..00 sec. 5401 5402 5402 5403 5404 5405 5406 5407 5408 5409 5410 5411 5412 5413 5414 5415A 5421 Parâmetro FCT 81 O/U Vmin Vmin 81-1 PICKUP 81-1 PICKUP 81-1 DELAY 81-2 PICKUP 81-2 PICKUP 81-2 DELAY 81-3 PICKUP 81-3 PICKUP 81-3 DELAY 81-4 PICKUP 81-4 PICKUP 81-4 DELAY DO differential FCT 81-1 O/U Opções de Ajustes OFF ON 10 .50 Hz 60..00 .00 Hz 0. por exemplo. 100. 7SJ80. 100. em "Display Additional Settings” (Mostrar Ajustes Adicionais).00 Hz 50.8. 60..00 Hz 0. 70. End. ∞ 0.00 . ∞ 40.00 ...Funções 2. 60. Publicação 05.00 sec 0.2009 .

Publicação 05.4 No.2009 159 .Funções 2. 5203 5206 5207 5208 5209 5211 5212 5213 5214 5232 5233 5234 5235 5236 5237 5238 5239 Lista de Informações Informação >BLOCK 81O/U >BLOCK 81-1 >BLOCK 81-2 >BLOCK 81-3 >BLOCK 81-4 81 OFF 81 BLOCKED 81 ACTIVE 81 Under V Blk 81-1 picked up 81-2 picked up 81-3 picked up 81-4 picked up 81-1 TRIP 81-2 TRIP 81-3 TRIP 81-4 TRIP Tipo de Info. 7SJ80. SP SP SP SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT >BLOQUEAR 81O/U >BLOQUEAR 81-1 >BLOQUEAR 81-2 >BLOQUEAR 81-3 >BLOQUEAR 81-4 81 DESLIGADO 81 BLOQUEADO 81 ATIVO Bloqueio de Subtensão 81 Pickup de 81-1 Pickup de 81-2 Pickup de 81-3 Pickup de 81-4 TRIP de 81-1 TRIP de 81-2 TRIP de 81-3 TRIP de 81-4 Comentários SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1.8 Proteção de Frequência 81 O/U 2.8.

A função de proteção representa uma réplica térmica do equipamento a ser protegido (proteção de sobrecarga com capacidade de memória). Quando a sobretemperatura calculada alcança o segundo limite.2009 . ou seja. é usada como critério. baseado na seguinte equação diferencial: com Θ τth I k INom Obj. particularmente de geradores e motores. A máxima corrente contínua permissível termicamente Imax é descrita como um multiplicador da corrente nominal INom Obj. Uma vez que o 7SJ80 não oferece opção de conexão com uma RTD box. do objeto: Imax = k · INom Obj. É levado em conta o histórico de uma sobrecarga anterior e a perda de calor no meio-ambiente. 160 SIPROTEC. Sobretemperatura presente referente à sobretemperatura final na máxima corrente de fase permissível k · INom Obj Constante térmica de tempo de aquecimento do objeto protegido Valor true r. Aplicações • A condição térmica.9 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 A proteção de sobrecarga térmica é projetada para prevenir que sobrecargas térmicas danifiquem o equipamento protegido. Quando a sobretemperatura calculada alcança o primeiro limite ajustável 49 Θ ALARM.1 Descrição Réplica Térmica O dispositivo calcula a sobretemperatura de acordo com a réplica térmica de um único corpo. calculada a partir das correntes trifásicas. a temperatura atual Θ é sempre igual a zero. 7SJ80. A sobretemperatura mais alta.s. Em adição ao fator k (parâmetro 49 K-FACTOR).9.m. o equipamento protegido pode ser desconectado do sistema.Funções 2. a TIME CONSTANT τth (Constante de Tempo) e o alarme de temperatura 49 Θ ALARM (em porcentagem da temperatura de trip ΘTRIP) precisam ser especificados. referente à corrente nominal do objeto protegido Corrente nominal do objeto protegido A função de proteção proporciona uma réplica térmica do objeto protegido (proteção de sobrecarga com capacidade de memória). real presente da corrente de fase Fator k indicando a máxima corrente constante de fase permissível. um alarme de anunciação é emitido. O histórico de uma sobrecarga é levado em consideração. Publicação 05. para permitir um tempo para que as medições de redução de carga sejam feitas. pode ser monitorada dessa forma. Manual E50417-G1179-C343-A1. 2.9 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 2.

Extensão das Constantes de Tempo Ao usar o dispositivo para proteger motores. nesse caso. 7SJ80. Quando as máquinas necessitam ser operadas além da máxima sobretemperatura permissível. A entrada binária afeta somente o comando de trip.9 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 A proteção de sobrecarga também dispõe de um recurso de elemento de aviso de corrente (I ALARM) em adição ao elemento de advertência de temperatura.3).1. a variação da resposta térmica associada com máquinas estacionárias ou em rotação.3. no evento de falha da tensão de alimentação auxiliar. o 7SJ80 aumenta a constante de tempo τth por um fator de extensão configurável (kτ factor). A primeira opção é o ajuste padrão. O mesmo se faz via entrada binária („>BLOCK 49 O/L“). O elemento de advertência de corrente pode reportar uma sobrecarga de corrente prematuramente. a função de proteção tem o recurso de um intervalo de tempo de andamento programável (T EMERGENCY) o qual se inicia quando a entrada binária fornece dropout e continua suprimindo o sinal de trip. No último caso. pode ser avaliada corretamente. mesmo se a temperatura de operação calculada ainda não atingiu advertência ou níveis de trip. Para máquinas resfriadas externamente. Bloqueio A memória térmica pode ser resetada via entrada binária („>RES 49 Image“) e o valor de sobretemperatura relativo à corrente é então resetado. quanto ciclicamente armazenada em uma memória não volátil (ATEX100 = YES) de forma que seja mantida.2009 161 . Para um motor que foi desligado. Comportamento no Caso de Falha da Fonte de Alimentação Dependendo do ajuste no endereço 235 ATEX100 do “Dados do Sistema de Potência1” ( Power System Data 1 )(veja Seção 2. SIPROTEC. (partida de emergência).1.2) o valor da réplica térmica tanto é resetado (ATEX100 = NO) se falhar a tensão da fonte de alimentação. incluindo o elemento de advertência de corrente. cabos ou transformadores o fator (Kτ-FACTOR) é 1. O motor é considerado desligado quando as correntes do motor caem abaixo de um valor de corrente mínimo ajustando BkrClosed I MIN (consulte "Monitoramento de Fluxo de Corrente" na Seção 2. quando a fonte de alimentação é restaurada. toda a proteção de sobrecarga é completamente bloqueada. a réplica térmica utiliza o valor armazenado para o cálculo e o adapta às condições de operação.Funções 2.um motor. Para mais detalhes consulte /5/. O trip via proteção de sobrecarga é suprimido até que esse intervalo de tempo tenha expirado. Como a réplica térmica pode ter excedido a temperatura de trip após inicio e o dropout da entrada binária ter acontecido. sem perdas de resfriamento externas aquece mais lentamente e uma constante de tempo térmica mais longa deve ser usada para o cálculo. o sinal de trip por si só pode ser bloqueado via uma entrada binária („>EmergencyStart“). Manual E50417-G1179-C343-A1. Na desaceleração ou parada. Publicação 05. Não existe efeito no registro do trip nem no reset da réplica térmica.

9 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 Figura 2-49 Diagrama lógico da proteção de sobrecarga 162 SIPROTEC. Publicação 05. 7SJ80.Funções 2. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 .

9. selecione 1. Se não hover especificação disponível. nenhum comando de trip é enviado.2009 163 . são possíveis trip. contudo. Os relés de proteção 7SJ80 desempenham uma função de proteção de sobrecarga térmica com uma curva térmica de trip. SIPROTEC. registro de trip e gravação de falta. Normalmente não há especificações para linhas aéreas. Publicação 05. nenhum registro de trip é iniciado e nenhuma anunciação espontânea de falta é exibida no display. Overload Parameter k-factor A proteção de sobrecarga é ajustada em valores de referência.9 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 2. Se a função não for necessária. mas aqui nós também podemos assumir uma sobrecarga admissível de 10%. Sobrecargas não são e nem podem ser detectadas pela proteção de falta. Uma vez que o 7SJ80 não oferece uma opção de conexão com uma RTD box. é geralmente obtida através das especificações dos fabricantes. Se a proteção estiver ligada (ON). não permitem medições para descartar um equipamento sobrecarregado e também não permitem que se tire vantagem de sua (limitada) capacidade de sobrecarga. projeto e da distribuição do cabo. selecione Disabled. O modelo térmico é congelado (se mantém constante). A proteção de sobrecorrente deve ter um ajuste alto o suficiente para somente detectar faltas. A proteção de sobrecarga se destina à proteção de linhas e cabos contra sobrecarga térmica. Transformadores e cabos são propensos a danos causados por sobrecargas. Manual E50417-G1179-C343-A1.1 vezes a corrente nominal. Quando ajustar Alarm Only. material de isolamento. que pode ser adaptada à tolerância de sobrecarga do equipamento protegido (proteção de sobrecarga com capacidade de memória). Para cabos. Nota Alterar parâmetros da função reseta a réplica térmica. A proteção de sobrecarga pode ser ligada (ON) ou desligada (OFF) ou ajustada para Alarm Only (Só Alarme) no endereço 4201 FCT 49. uma vez que estas precisam ser eliminadas em um tempo curto. a corrente contínua permissível depende da seção transversal. Temporizações curtas. do objeto protegido (cabo) é usada como corrente básica para a detecção de sobrecarga. A corrente nominal INom Obj. assim que a corrente exceder o valor de ajuste 1107 I MOTOR START. 7SJ80. O fator kprim pode ser calculado através de uma corrente térmica Imax consequentemente permissível: A corrente contínua termicamente admissível para o equipamento a ser protegido.2 Geral Notas de Ajustes A proteção de sobrecarga só se torna efetiva se o endereço 142 49 é ajustado para No ambient temp durante a configuração. Ela pode ser obtida através de tabelas pertinentes ou especificada pelo fabricante do cabo. entre outras coisas.Funções 2. que duram um período prolongado de tempo. a temperatura atual Θ é sempre igual a zero.

A corrente 1-sec. é importante notar que quanto mais longa for a duração efetiva. a corrente máxima tolerável por um período de tempo de 1 segundo. 150 mm2: Corrente contínua permissível Corrente nominal com fator k 1. não resulte em tempos de trip extremamente curtos.75 min Limite da Corrente Para assegurar que a proteção de sobrecarga. endereço 4203. somente a constante térmica de tempo é decisiva para alcançar o limite de aumento da temperatura. o modelo térmico é congelado (se mantém constante) assim que a corrente exceder o valor limite 1107 I MOTOR START. o parâmetro TIME CONSTANT.1 Imax = 322 A INom Obj. na ocorrência de altas correntes de falta (e com pequenas constantes de tempo). usando-se a seguinte fórmula: Se a capacidade de curto prazo da carga é determinada por um intervalo que não seja de 1 segundo. a corrente de curto prazo correspondente é usada na fórmula acima.Funções 2. se a taxação da corrente de 0. Manual E50417-G1179-C343-A1. menos preciso será o resultado.5-segundo é conhecida: Contudo.2009 . 164 SIPROTEC.49 kA Valor de ajuste da constante térmica de tempo = 33. desta forma talvez afetando a graduação de tempo da proteção de falta. Exemplo: Cabo e transformador de corrente com os seguintes dados: Corrente contínua permissível Corrente máxima por 1 s Disto resulta: Imax = 322 A at θu = 40 °C I1s = 45 · Imax = 14. é frequentemente conhecida ou está disponível em tabelas. Para proteção de cabo. ao invés da corrente de 1 segundo e o resultado é multiplicado pela duração determinada. = 293 A Constante de Tempo τ Em linhas e cabos. Por exemplo. é determinado pelas especificações e pelo ambiente do cabo.9 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 Exemplo: Cabo blindado 10 kV. A constante de tempo pode entâo ser calculada. ela pode ser determinada a partir da capacidade de curto prazo da carga do cabo. Publicação 05. 7SJ80. Se não houver especificações disponíveis sobre a constante de tempo. ou seja.

00 A 5.0 100 sec 0.10 . 100 % Ajuste Padrão OFF Comentários Proteção de sobrecarga térmica 49 Fator K 49 Constante de Tempo Estágio de Alarme Térmico 49 Setpoint do Alarme de Sobrecarga de Corrente FATOR Kt quando o motor para Tempo de emergência 4202 4203 4204 4205 49 K-FACTOR TIME CONSTANT 49 Θ ALARM I ALARM 1A 5A 1. o que desta forma o desabilita virtualmente.. 10.. Somente quando este limite é atingido é que o comando de trip é resetado e o equipamento protegido pode ser religado.2009 165 .00 A 1. ajustando-se este elemento em 100 %. uma mensagem de advertência pode ser emitida antes de se atingir a temperatura de trip. 4.00 A 0.50 .. Uma vez que ela é ativada por uma mensagem de entrada binária.3 Ajustes Endereços com um "A" só podem ser alterados com DIGSI. O nível do elemento térmico é fornecido em % da sobretemperatura de trip. 15000 sec 4207A 4208A Kτ-FACTOR T EMERGENCY SIPROTEC..9 min 50 .0 10 . Publicação 05. End. 4201 Parâmetro FCT 49 C Opções de Ajustes OFF ON Alarm Only 0.10 100. O ajuste é feito em amperes secundários e deve ser igual ou ligeiramente menos do que a corrente k permissível IN sec ..00 A 1.00 1. em "Display Additional Settings” (Mostrar ajustes adicionais)". A tabela indica ajustes padrão de região específica. Ele pode ser usado ao invés do elemento térmico de advertência. 999. um trip pode ser evitado pelo início antecipado de medidas de redução de carga.. 7SJ80. Este elemento de alarme representa simultaneamente o nível de dropout para o sinal de trip. Um nível de advertência de corrente também está disponível (parâmetro 4205 I ALARM).0 . 2.0 min 90 % 1. Tempo de Dropout após Partida de Emergência Esta função não é necessária para proteção de linhas e cabos.10 . 20.9 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 Elementos de Advertência Ajustando-se o elemento térmico de advertência 49 Θ ALARM (endereço 4204). 4. Dessa forma.Funções 2. A coluna C (configuração) indica a corrente nominal secundária correspondente do transformador de corrente.0 . o parâmetro T EMERGENCY (endereço 4208) não vigora.9. Manual E50417-G1179-C343-A1. O ajuste de fábrica pode ser mantido..

Funções 2. SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT SP OUT Comentários >BLOQUEAR Proteção de Sobrecarga 49 >Partida de emergência de motores Proteção de Sobrecarga 49 está DESLIGADA Proteção de Sobrecarga 49 está BLOQUEADA Proteção de Sobrecarga 49 está ATIVA Alarme Sobrecarga de Corrente 49 (alarme I) Alarme de Sobrecarga 49! Trip Térmico próximo Sobrecarga de Enrolamento 49 TRIP Sobrecarga Térmica 49 >Reset de Imagem Sobrecarga Térmica 49 Reset de Imagem Sobrecarga Térmica 49 166 SIPROTEC.9 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80.9.4 No.2009 . Tipo de Info. Publicação 05. 1503 1507 1511 1512 1513 1515 1516 1517 1521 1580 1581 Lista de Informações Informação >BLOCK 49 O/L >EmergencyStart 49 O / L OFF 49 O/L BLOCK 49 O/L ACTIVE 49 O/L I Alarm 49 O/L Θ Alarm 49 Winding O/L 49 Th O/L TRIP >RES 49 Image 49 Image res.

a soma cruzada é formada ciclicamente e comparada com a soma cruzada armazenada do programa. O monitoramento de hardware e de software descrito a seguir está continuamente habilitado. 2. Durante operação. Componentes de Memória Todas as memórias de operação (RAM) são verificadas durante a inicialização do sistema. uma anunciação é emitida por um contato normalmente fechado. Breves interrupções de tensão auxiliar menores do que 50 ms. Se um mau funcionamento acontece. Os ajustes (incluindo a possibilidade de ativar e desativar a função de monitoramento) referem-se ao monitoramento dos circuitos externos do transformador.1. a sequência de inicialização é interrompida e um LED pisca. a soma cruzada é formada ciclicamente e comparada com a soma cruzada recém gerada cada vez que o processo de ajuste é efetuado.1 Geral O monitoramento do dispositivo se estende das entradas de medição às saídas binárias. Amostragem Amostragem e sincronismo entre os componentes internos do buffer são monitorados constantemente. Se quaisquer desvios ocorridos não puderem ser removidos pela sincronização repetida. desta forma os circuitos dos transformadores de corrente e de tensão são amplamente incluídos no sistema de monitoramento.2 Monitoramento de Hardware Tensões Falha ou desligamento da tensão de alimentação. não perturbam a prontidão do dispositivo (para tensão nominal auxiliar > DC 110 V). 7SJ80. Se ocorrer um mau funcionamento durante isso. Bateria de Buffer O status da carga da bateria de buffer . 2.2009 167 .10. Os valores medidos também são continuamente verificados quanto à plausibilidade. Publicação 05. se houver falha da tensão auxiliar .10 Funcões de Monitoramento 2. O monitoramento verifica se há desarranjos ou condições não permissíveis no hardware.Funções 2.1 Supervisão de Medição 2. é emitida a anunciação “Fail Battery“. Para a memória de ajustes.10. Para a memória do programa. Manual E50417-G1179-C343-A1.é periodicamente verificado.1. SIPROTEC. o sistema do processador é reiniciado. Se houver uma tensão menor do que a mínima permitida. o sistema do processador é reiniciado. as memórias são verificadas com o auxílio de suas somas de teste. desliga o dispositivo.que assegura a operação do relógio interno e a armazenagem de contadores e anunciações.10 Funcões de Monitoramento O dispositivo desempenha funções abrangentes de monitoramento que cobrem tanto o hardware quanto o software.10.

Figura 2-50 Monitoramento de soma de corrente Um erro na soma de corrente resulta na mensagem „Failure Σ I“ (No.2). O monitoramento pode ser desligado. pode ser efetuado através do monitoramento da soma de corrente.a fim de eliminar um pickup na saturação do transformador – esta função só está disponível em uma conexão Holmgreen (veja também 2. (Gnd)) • A corrente à terra do ponto estrela do transformador de corrente está conectada à quarta entrada de corrente (I4) (Conexão . O componente Σ I FACTOR · Imax leva em consideração os erros da relação proporcional de corrente permissíveis do transformador de entrada que são particularmente prevalescentes durante grandes correntes de curto-circuito (Figura 2-50). A relação de dropout é de cerca de 97%.Holmgreen).aquisição interna de valor medido das correntes. No caso de um tipo de transformador sensitivo. • Os ajustes CT PRIMARY (endereço 204) e Ignd-CT PRIM (endereço 217) devem ser os mesmos. Por essa razão . Além disso. Isso é comunicado ao dispositivo no Power System Data 1(Dados do Sistema de Potência 1) via endereço 280 YES. esse monitoramento não está disponível. O monitoramento está disponível sujeito às seguintes condições: • As correntes trifásicas estão conectadas ao dispositivo (endereço 251 A. Manual E50417-G1179-C343-A1. Se as correntes trifásicas e a corrente à terra do ponto estrela do transformador de corrente estão conectados com o dispositivo. Publicação 05. • A quarta entrada de corrente é normalmente projetada para um I4–transformador. C. 7SJ80.1.2009 . Isto também se aplica no evento de uma possível saturação do transformador.3.Funções 2. é iniciado um registro da falta por um período de 100 ms. 168 SIPROTEC.10 Funcões de Monitoramento Aquisição de Valor de Medição – Correntes O monitoramento do dispositivo . • Os ajustes CT SECONDARY (endereço 205) e Ignd-CT SEC (endereço 218) devem ser os mesmos. 162) e no bloqueio da função de proteção. Até quatro correntes de entrada são medidas pelo dispositivo. a soma das quatro correntes digitalizadas deve ser zero. B. Faltas nos circuitos de corrente são reconhecidas se: IF = | iA + iB + iC + iN | > Σ I THRESHOLD + Σ I FACTOR · Imax Σ I THRESHOLD (endereço 8106) e Σ I FACTOR (endereço 8107) são ajustes programáveis.

G. Se tal mau funcionamento não for eliminado pela reinicialização.G2. Um software adicional. Isso também reinicializa o sistema processador.10 Funcões de Monitoramento Figura 2-51 Diagrama lógico do monitoramento da soma rápida de corrente Nota Se a entrada de corrente IN está configurada como um transformador sensitivo ou se o modo de conexão A. Além disso.G2.10. G->B ou A.G. A prontidão do relé cai e indica “ dispositivo em mau funcionamento”.2009 169 . o monitoramento da soma de corrente não é possível. Após três reinicializações mau sucedidas dentro do intervalo de tempo de 30 segundos.Funções 2. o dispositivo automaticamente remove-se do serviço e acende o LED vermelho „Error“. assegura que maus funcionamentos durante o processamento de programas são descobertos. tem início uma tentativa adicional de reinicialização. A proteção é bloqueada. Monitoramento de Transformador AD Os valores amostrados digitalizados são monitorados quanto à sua plausibilidade.1. 7SJ80.C. prevenindo assim..C. Se o resultado não for plausível. com seu contato normalmente fechado. G2->B foi ajustado para os transformadores de corrente no parâmetro 251 CT Connect. é gerada uma gravação de falta para gravação da falta interna. SIPROTEC. 2. operação indesejada.3 Monitoramento do Software Watchdog Para contínuo monitoramento das sequências do programa. a mensagem 181 „Error A/D-conv. é fornecido um monitoramento de tempo no hardware (hardware watchdog) que expira sobre a falha do processador ou um programa interno e causa a reinicialização completa do sistema processador.“ é emitida. Manual E50417-G1179-C343-A1. watchdog. Publicação 05.

FACTOR I (endereço 8105) representa a assimetria permissível das correntes de fase. Figura 2-52 Monitoramento de simetria de corrente 170 SIPROTEC. Assimetria é detectada se | Imin | / | Imax | < BAL.1. FACTOR I contanto que Imax / INom > BALANCE I LIMIT / INom. Como valores aumentados afetam a confiabilidade das medidas tomadas. consequentemente. são detectados e reportados pelo dispositivo. uma certa simetria é esperada entre as correntes de entrada. Publicação 05. O monitoramento dos valores medidos no dispositivo verifica esse equilíbrio. A menor corrente de fase é comparada com a maior corrente de fase. Se esse limite é excedido. Desse modo. Manual E50417-G1179-C343-A1. situada abaixo da curva para todos os valores e é reportada como “Fail I balance“. Ambos os parâmetros podem ser ajustados.Funções 2. enquanto o valor limite 8105 (endereço 8104) é o valor limite mais baixo da faixa de operação deste monitoramento (veja a Figura 2-52). O fator de simetria BAL. Imax é a maior das correntes trifásicas e Imin a menor. A relação de dropout é de aproximadamente 97%.10. Simetria de Corrente Durante operação normal do sistema.4 Monitoramento dos Circuitos do Transformador Interrupções ou curtos-circuitos nos circuitos secundários dos transformadores de corrente e de potencial.10 Funcões de Monitoramento Monitoramento de Compensação (offset) Essa função de monitoramento verifica todos os canais do anel de buffer quanto a repetição corrompida de compensações (offset) de transformadores analogicos/digitais e as rotas de entrada analógica usando filtros de offset. 7SJ80. Para esse propósito. recomendamos enviar o dispositivo para a fábrica para ação corretiva se essa advertência ocorrer continuamente. Esta falha está. as grandezas medidas são verificadas ciclicamente em paralelo.2009 . contanto que nenhuma falta do sistema esteja presente. é emitida uma anunciação (191 „Error Offset“) que é parte do grupo de anunciações de advertência (anunciação 160). Quaisquer possíveis erros de offset são detectados usando filtros de tensão DC e as amostras são corrigidas até um limite específico. 2. assim como faltas nas conexões (importante para comissionamento!).

Dependendo do modo de conexão são usadas tanto grandezas medidas.2009 171 . A relação de dropout é de aproximadamente 97%. Manual E50417-G1179-C343-A1. assume-se uma determinada simetria entre as tensões. Ambos os parâmetros podem ser ajustados.10 Funcões de Monitoramento Simetria da Tensão Durante operação sem falta do sistema. enquanto o valor limite BALANCE V-LIMIT (endereço 8102) é o limite mais baixo da faixa de operação deste monitoramento (veja a Figura 2-53). quanto tensões fase-fase calculadas. Uma vez que as tensões fase-fase não são sensíveis a faltas à terra. A partir das tensões fase-fase. o monitoramento da simetria da tensão não é possível. os valores médios retificados são gerados e verificados quanto à simetria de seus valores absolutos. VSyn foi ajustado para os transformadores de potencial no parâmetro 213 VT Connect. esta falha está localizada abaixo da curva para todos os valores e é reportada como “Fail V balance“. É reconhecida assimetria se: | Vmin | / | Vmax | < BAL. A menor tensão de fase é comparada com a maior tensão de fase. Figura 2-53 Monitoramento de simetria de tensão Nota Se o modo de conexão Vph-g. SIPROTEC.Funções 2. Onde Vmax é a mais alta das três tensões e Vmin a menor. 7SJ80. Consequentemente. O fator de simetria BAL. FACTOR V (endereço 8103) representa a assimetria permissível das tensões do condutor. 3ph. elas são usadas para o monitoramento de simetria. FACTOR V contanto que | Vmax | > BALANCE V-LIMIT. Publicação 05.

Para aplicações onde uma sequência oposta de fase é esperada. VGnd seja configurado. juntamente com a mensagem “Fail Ph. O bloqueio dessa função pelo FFM é configurável. a proteção de sobrecorrente direcional e a proteção de subtensão podem dessa forma adquirir resultados incorretos de medição. Com todos os outros modos de conexão de transformador de potencial. assumem uma sequência de fase "abc".5 Detecção de Falha de Medição de Tensão Necessidades A função de detecção de falha de medição de tensão . Manual E50417-G1179-C343-A1. A medição da direção com tensões normais. o monitoramento de sequência de fase usa as tensões fase-fase VAB. Vbn. Seq. Vcn ou Vab. (endereço 209).10.Funções 2. são verificadas pelo monitoramento da sequência de transições idênticas de polaridade zero das tensões. 172 SIPROTEC. Tarefas do Monitoramento da Falha de Fusível No caso de uma falha da medição de tensão ocasionada por um curto-circuito ou condutor rompido no sistema do transformador de potencial secundário. Vbc. Seq. Publicação 05. |VCA| > 40 V. uma tensão zero pode ser simulada para loops de medição individuais. I“. Para sequência anormais de fase.18. |IB|. Seq. |IC| > 0. 3ph estiver ajustado para Van.5 INom. VBC. 2. 7SJ80. A verificação da rotação da tensão de fase é feita quando cada tensão medida é pelo menos: |VAB|. A verificação da rotação de corrente de fase é feita quando cada corrente medida é pelo menos: |IA|. estão trocadas (veja também a Seção 2. as fases B e C internas do relé estão trocadas e as correntes de sequência positiva e negativa. O FFM pode tornar-se efetivo tanto em sistemas isolados como aterrados desde que o modo de conexão Van.“. Vcn ou Vab. V“ ou “Fail Ph.2009 . |VBC|. O elemento de tensão residual da detecção de falta à terra (sensitiva). VGnd. a sequência de fase das tensões fase-fase medidas e as correntes de fase.reportada como Monitoramento de Falha do Fusível (FFM) . Tensões: VAB antes de VBC antes de VCA e Correntes: IA antes de IB antes de IC.10 Funcões de Monitoramento Sequência de Fase de Tensão e Corrente Para detectar conexões conexões de fase trocadas nos circuitos de entrada de tensão e de corrente. o mini. o relé de proteção deve ser ajustado através de uma entrada binária ou pelo respectivo parâmetro PHASE SEQ. a seleção do elemento para localização de falta e a detecção de sequência negativa. FFM não opera. É claro que.disjuntor e o FFM podem ser usados para a detecção de uma falha de medição de tensão ao mesmo tempo. As mensagens relacionadas à fase. Com uma conexão de tensão capacitiva. Vbn. deste modo. VCA. A rotação de fase de grandezas de medição é controlada pela verificação de sequências de fase. Se a sequência de fase é trocada no relé. são emitidas as mensagens “Fail Ph.2). o FFM e o monitoramento de fio interrompido dos circuitos do transformador de tensão não estão disponíveis.1. Para esse propósito. valores de mau funcionamento e valores medidos não são afetado por isso.só opera se o parâmetro 213 VT Connect. Vbc.

isso sugere uma falta assimétrica no circuito secundário do transformador de potencial. Para a prevenção do funcionamento de FFM indevidamente.gnd. dessa forma.Funções 2. o FFM opera com valores medidos ou calculados VN ou IN. o bloqueio fica permanentemente ativo. entretanto./isol. correntes de fase são também verificadas. transformadores de alimentação não aterrados). Enquanto que. se estiver presente o critério de falha de tensão por mais de cerca de 10 seconds. o bloqueio é automaticamente resetado. Ocorre pickup nos valores configurados. Manual E50417-G1179-C343-A1. for ajustado para YES.“ para o modo de operação em um sistema isolado está ilustrado na Figura 2-55. a proteção assume um curto-circuito e remove o bloqueio pelo FFM pela duração da falta. No caso de uma falta de baixa corrente assimétrica em um sistema com fonte fraca (weak infeed).2009 173 . Solid grounded. causar um mau funcionamento da proteção de alimentador uma vez que todas as funções de proteção que usam sinais de tensão seriam bloqueadas. Somente 10 segundos após o critério de tensão ter sido removido por correção da falha do ciruito secundário. a proteção de sobrecorrente direcional (função fase e terra) e a proteção de subtensão são bloqueadas se o parâmetro 5310 BLOCK PROT. as funções de proteção.. Após expirar esse tempo. 7SJ80. SIPROTEC. Uma histerese para o dropout de 105% é integrada para IN ou 95% para VN. Há pickup do FFM se a tensão à terra VN for maior do que o valor limite ajustado em at 5302 FUSE FAIL 3Vo e se a corrente à terra IN for menor do que o valor limite ajustado em 5303 FUSE FAIL RESID. Se pelo menos uma corrente de fase permanecer acima do limite de pickup de 5303 FUSE FAIL RESID. Nota Nos sistemas onde a corrente de falta à terra é muito pequena ou ausente (por exemplo. liberando. Publicação 05. aplica-se o seguinte:Se uma corrente à terra IN maior do que o limite de pickup de 5303FUSE FAIL RESID for detectada dentro de 10 seconds após o reconhecimento do critério de falha do fusível. O diagrama lógico do modo de operação em um sistema aterrado está ilustrado na Figura 2-54. o monitoramento de falha do fusível deve ser desabilitado ou ajustado para Coil. O elemento de tensão residual da detecção de falta à terra (sensitiva. Dependendo da configuração e MLFB. Um funcionamento indevido da FFM pode. pode ser assumido que a corrente zero criada por um curto-circuito excede igualmente esse limite.10 Funcões de Monitoramento Modo de Operação . a corrente à terra causada pela falta poderia permanecer abaixo do limite de pickup de FFM. Se ocorrer uma tensão de sequência zero sem que uma corrente de falta à terra tenha sido simultaneamente registrada. N. A geração do sinal interno „Alarm FFM isol.Sistema Aterrado O dispositivo é informado sobre a aplicação do FFM em sistema aterrado via endereço 5301 FUSE FAIL MON. Para detectar imediatamente uma falta existente após conexão. pode ser assumido que uma falha de fusível tenha realmente ocorrido.

2009 .10 Funcões de Monitoramento Figura 2-54 Diagrama lógico do monitoramento de falha do fusível para redes aterradas 174 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.Funções 2. 7SJ80.

Figura 2-55 Diagrama lógico do Monitorameno de Falha do Fusível para redes não aterradas SIPROTEC. „Alarm FFM isol. O seguinte. 7SJ80.2009 175 . Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. O diagrama lógico no modo de operação em um sistema isolado está ilustrado na Figura 2-55.Funções 2. o restante do processamento é indicado na Figura 2-54. o sinal interno. O dispositivo é informado disso via endereço 5301 FUSE FAIL MON. Se essa parte da lógica FFM fornece pickup. N.“ é gerado.Sistema Isolado O FFM pode também operar em sistemas isolados e compensados (ressonante-aterrado) onde somente baixas correntes de à terra são esperadas.10 Funcões de Monitoramento Modo de Operação . trata-se de uma descrição dos princípios para faltas mono-bi e tripolares no sistema secundário de transformador de potencial..

aplicam-se as seguintes regras para a Falha Monopolar: Se uma falta ocorre no sistema secundário de transformador de potencial.2009 .10 Funcões de Monitoramento Faltas Mono e Bipolares nos Circuitos de Transformador de Potencial A detecção de falha da tensão de medição está baseada no fato de que um sistema de sequência negativa significante é formado na tensão durante uma falha de tensão mono ou bipolar sem influenciar a corrente. 7SJ80. Publicação 05. aplicam-se as seguintes regras para a Falha Bipolar: No caso de falha de uma ou duas fases do sistema primário. Se uma queda de tensão para quase zero ocorrer. a corrente também mostra um sistema de sequência negativa de 0. Manual E50417-G1179-C343-A1. Se o sistema de sequência negativa está relacionado com o sistema de sequência positiva. Consequentemente.1 INom).5 ou 1. Isso permite uma nítida distinção entre assimetrias provocadas pelo sistema de potência. O monitoramento do progresso da corrente e tensão com respeito ao tempo é aqui necessário. (ou se a tensão é zero).1 VNom) e corrente (I1 < 0. uma vez que nenhuma falta no transformador de potencial se faz presente. e a corrente permanece imutável. Faltas Tripolares em Circuitos de Transformador de Tensão Uma falha tripolar no sistema secundário de transformador de potencial não pode ser detectada via sistema de sequência positiva e negativa como acima descrito. O excedente de um limite de sobrecorrente (parâmetro 5307 I> BLOCK) é aqui utilizado. uma falha tripolar no sistema secundário de transformador de potencial pode ser concluida. a função é bloqueada abaixo do limite mínimo dos sistemas de sequência positiva de tensão (V1 < 0. Essa função também é bloqueada se um pickup (sobrecorrente) por uma função de proteção já tiver ocorrido.Funções 2. Esse valor limite deverá ser idêntico ao da proteção de sobrecorrente de tempo definido. aplicam-se as seguintes regras para Caso Livre de Falta: Se uma falta ocorre no sistema secundário do transformador de potencial. Para evitar a ocorrência de um funcionamento indevido da detecção de falha da tensão de medição devido a imprecisão. Se o valor limite for excedido. 176 SIPROTEC. o monitoramento da tensão não responde. o circuito de medição do monitoramento de falha de tensão é bloqueado.

Tarefa A função de condutor interrompido monitora os circuitos do transformador de potencial do sistema secundário quanto a falhas.2009 177 . a medição das tensões trifásicas-terra (Van. O monitoramento de condutor interrompido está também ativo durante a falta. É feita uma distinção entre falhas monopolares. Modo de Operação / Lógica Os valores requeridos para o respectivo critério são calculados da tensão residual e assim tomada a decisão.Funções 2.10 Funcões de Monitoramento 2.6 Monitoramento de Condutor Interrompido dos Circuitos de Transformador de Potencial Requerimentos Essa função só está disponível na versão “World” do dispositivo (Informações de pedido Pos. Vcn) é um requerimento. Manual E50417-G1179-C343-A1. A função pode ser habilitada ou desabilitada. Além disso. Vbn. 10 = B) uma vez que só é usada em certas regiões. Um bloqueio das funções de proteção não é.1. efetivado. não será possível avaliar dois dos critérios requeridos. Se somente duas tensões fase-fase forem medidas. Isso é executado pela detecção de falha da tensão de medição. entretanto.10. Publicação 05. bipolares e tripolares. 7SJ80. A mensagem de alarme resultante pode ser temporizada. SIPROTEC.

Publicação 05. 7SJ80.Funções 2.10 Funcões de Monitoramento O seguinte diagrama lógico mostra as funções de monitoramento de condutor interrompido. Figura 2-56 Diagrama lógico do monitoramento de condutor interrompido 178 SIPROTEC.2009 . Manual E50417-G1179-C343-A1.

abaixo da menor corrente de falta). é ajustado no endereço 8107 Σ I FACTOR. 5303 e 5307. Monitor de Falha de Fusível (FFM) No endereço 5301 FUSE FAIL MON. ou seja. a quarta entrada de corrente (IN) não pode ser sensível. o parâmetro 5307 é importante. são pré-ajustados. Em um sistema aterrado/isolado. faça os ajustes necessários no sistema aterrado através dos parâmetros 5302. O endereço 8105 BAL. Dependendo disso. Se a tensão afunda abaixo do valor limite sem uma mudança no valor da corrente. O valor limite deve ser idêntico ao da proteção de tempo definido de sobrecorrente. Publicação 05.1.10 Funcões de Monitoramento 2. O endereço 5303 FUSE FAIL RESID precisa ser ajustado tão sensível quanto necessário (com faltas à terra. SIPROTEC. a inclinação da curva característica de simetria. Manual E50417-G1179-C343-A1. A porção relativa (relativa à máxima corrente do condutor) para ativação do monitoramento da soma de corrente. acima da qual o monitoramento da simetria de corrente é efetivo. você pode selecionar sob que condições o FFM deve operar. FACTOR I é o fator de simetria associado. A fim de detectar uma falha tripolar. Valores padrão que são suficientes para a maioria dos casos. O monitoramento de valor medido pode ser ligado (ON) ou desligado (OFF) no endereço 8101 MEASURE. quando a corrente residual da linha protegida é conectada à quarta entrada de corrente (IN) do relé (veja Dados do Sistema de Potência 1). a inclinação da curva característica de simetria. FACTOR V é o fator de simetria associado. o progresso em tempo de corrente e tensão é monitorado. ou seja. 7SJ80. Se. especialmente altas assimetrias operacionais nas correntes e/ou tensões são esperadas durante a operação. O endereço 8106 Σ I THRESHOLD determina a corrente limite acima da qual o monitoramento da soma de corrente é ativado (porção absoluta. O endereço 8104 BALANCE I LIMIT determina a corrente limite. Esses ajustes precisam estar corretos para que o monitoramento de valores medidos possa funcionar adequadamente. então o ajuste deverá ser menos sensível.Funções 2. Nota O monitoramento de soma de corrente só pode operar adequadamente.10. uma falha tripolar é detectada. Além disso. Nota As conexões dos elementos de terra e seus fatores de adaptação foram ajustados ao configurar Dados do Sistema de Potência geral.7 Notas de Ajustes Monitoramento de Valor Medido A sensitividade de monitoramento do valor medido pode ser modificada. O endereço 8102 BALANCE V-LIMIT determina a tensão limite (fase-fase) acima da qual o monitoramento de simetria de tensão é efetivo. Os ajustes para o monitor de falha de fusível devem ser selecionados. relativa apenas a INom). O FFM emite pickup se a tensão à terra VN for mais alta do que o valor limite ajustado no endereço 5302 FUSE FAIL 3Vo e se a corrente à terra IN cair abaixo do valor limite ajustado no endereço 5303 FUSE FAIL RESID. mas que uma falsa ativação não ocorra durante faltas à terra em uma rede aterrada. O endereço 8103 BAL. Este valor de limite do elemento de corrente deve ser ajustado no endereço 5307 I> BLOCK. SUPERV. ou se tornam visíveis durante a operação que certas funções de monitoramento são ativadas esporadicamente. de forma que ocorra uma ativação segura se uma tensão de fase falhar.2009 179 .

00 A. quando forem feitos testes assimétricos. 5..00 .0 .20 .00 A 0..0 V 16. 100.8 Ajustes A tabela indica ajustes padrão de região específica. 5201 5202 5203 5204 5205 5206 Parâmetro VT BROKEN WIRE Σ V> Vph-ph max< Vph-ph min< Vph-ph max-min> I min> 1A 5A 5208 5301 T DELAY ALARM FUSE FAIL MON. End. Um bloqueio separado pode ser selecionado para aquele propósito. SUPERV BALANCE V-LIMIT BAL.0 V 0.00 sec OFF Solid grounded Coil. MEASURE.25 sec OFF Temporização de alarme Monitor de Falha de Fusível Tensão de Sequência Zero Corrente Residual Comentários Supervisão de circuito interrompido do TP Limite da soma de tensão Tensão fase-fase máxima Tensão fase-fase mínima Tensões fase-fase de simetria Corrente mínima de linha 5302 5303 FUSE FAIL 3Vo FUSE FAIL RESID 30 V 0.00 A Ajuste Padrão OFF 8. 5.50 A 2./isol.. 2.00 A YES ON 50 V 0.00 A 5.00 A. 32.58 .0 V 16.. Nota O ajuste no endereço 5310 BLOCK PROT.50 . 1.. 100.0 V 0.04 A 0..10 A 0. 1.10. 5.2009 . 35.. 100 V 1A 5A 5307 I> BLOCK 1A 5A 5310 8101 8102 8103 8104 BLOCK PROT. 100 V 0.1.00 A 0.. 0. pode ser determinado se as funções de proteção devem ser bloqueadas no evento de pickup pelo FFM. ∞ NO YES OFF ON 10 ..Funções 2.10 . não tem efeito nas funções de proteção flexíveis. C Opções de Ajustes ON OFF 1. Manual E50417-G1179-C343-A1.0 .0 V 1.0 V 16...50 .75 0..04 .20 A 1. 1.50 A 1. Publicação 05..0 .0 . 10 .10 Funcões de Monitoramento No endereço 5310 BLOCK PROT. 7SJ80. A função pode ser desativada no endereço 5301 FUSE FAIL MON..00 A 0.50 A I> Pickup para bloqueio de FFM Bloqueio de proteção por FFM Supervisão de Medição Limite de Tensão para Monitoramento de Equilíbrio Fator de Equilíbrio p/ Monitor de Tensão Limite de Corrente p/ Monitoramento de Equilíbrio 180 SIPROTEC.00 A 0. ∞ 0. 200.90 0...0 V 10..10 . 175. por exemplo.0 V 1. A Coluna C (configuração) indica a corrente nominal secundária correspondente do transformador de corrente.gnd.00 A 0. 100. FACTOR V BALANCE I LIMIT 1A 5A 0.10 .50 .

00 A.00 A.10 ON Comentários Fator de Equilíbrio para Monitor de corrente Limite de Monitoramento de Corrente Somada Fator de Monitoramento de corrente somada Monitoramento de corrente rápida somada 1A 5A 0.w.90 Ajuste Padrão 0. Seq. 0. ∞ 0. Publicação 05.10 Funcões de Monitoramento End.2009 181 .05 . 10. Seq. Seq.w.50 0.10. Failure Σ I Fail I balance Fail V balance VT FuseFail>10s VT FuseFail Fail Ph. 7SJ80.10 A 0.1. 2 pole VT b. 161 162 163 167 169 170 171 175 176 197 253 255 256 257 258 6509 6510 Informação Fail I Superv. 8105 8106 Parâmetro BAL. wire Fail VT circuit VT b. Manual E50417-G1179-C343-A1.Funções 2. 0. ∞ 0. FACTOR I Σ I THRESHOLD C Opções de Ajustes 0.50 A 0. 3 pole >FAIL:FEEDER VT >FAIL: BUS VT Tipo de Info.95 OFF ON 8107 8109 Σ I FACTOR FAST Σ i MONIT 2. V MeasSup OFF VT brk. 1 pole VT b.00 . I Fail Ph... 2. Fail Ph.10 .. OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT SP SP Comentários Falha: Supervisão Geral de Corrente Falha: Soma de Corrente Falha: Equilíbrio de Corrente Falha: Equilíbrio de Tensão Falha de Fusível TP (alarme >10s) Falha de Fusível TP (alarme instantâneo) Falha: Sequência de Fase Falha: Sequência de Fase de Corrente Falha: Sequência de Fase de Tensâo Supervisão de Medição está DESLIGADA Falha circuito interrompido no circuito do TP Falha circuito do TP Falha circuito do TP: condutor interrompido monopolar Falha circuito do TP: condutor interrompido bipolar Falha circuito do TP: condutor interrompido tripolar >Falha: Alimentador TP >Falha: Barramento TP SIPROTEC.w..9 Lista de Informações No.25 .

2. o monitor só pode ser usado com uma tensão de controle do sistema em torno de 38 V. 7SJ80.10.1 Descrição Supervisão com Duas Entradas Binárias Quando usar duas entradas binárias elas são conectadas de acordo com a Figura 2-57. Publicação 05. é gerada uma mensagem („74TC ProgFail“). Figura 2-57 Princípio da supervisão do circuito de trip com duas entradas binárias 182 SIPROTEC.10 Funcões de Monitoramento 2. mau funcionamentono próprio disjuntor não podem ser detectados. Uma vez que são necessários pelo menos 19 V para a entrada binária. Se a alocação das entradas binárias necessárias não casar com o tipo de supervisão selecionado. Dependendo do número disponível de entradas binárias (não conectadas a um potencial comum). 2. mau funcionamento no circuito de trip podem ser detectados sob todas as condições do disjuntor. Aplicações • Quando usar duas entradas binárias.2 Supervisão do Circuito de Trip 74TC O 7SJ80 está equipado com uma supervisão integrada de circuito de trip. Pré-requisitos Uma exigência para o uso da supervisão do circuito de trip é que a tensão de controle do disjuntor seja de (Vct > 2 · VBImin).Funções 2.10. supervisão com uma ou duas entradas binárias pode ser selecionada. • Quando somente uma entrada binária é usada. Manual E50417-G1179-C343-A1. paralelas ao contato de trip associado em um lado e paralelas aos contatos auxiliares do disjuntor no outro.2009 .

7SJ80. é reportada uma anunciação (veja a Figura 2-58). Publicação 05. As medições repetidas determinam o atraso de uma mensagem de alarme e evitam que um alarme seja emitido durante curtos períodos de transição. as entradas binárias estão ativadas (condição lógica “H” na Tabela 2-9) ou não ativadas 2-9 (condição lógica "L"). Manual E50417-G1179-C343-A1. ela também supervisiona a resposta do disjuntor usando a posição de seus contatos auxiliares. Em circuitos de trip saudáveis. existir um curto-circuito no circuito de trip. aproximadamente. Tabela 2-9 No. Um estado contínuo dessa condição só é possível.Funções 2.10 Funcões de Monitoramento A supervisão com duas entradas binárias não detecta somente interrupções no circuito de trip e a perda da tensão de controle.8 s). quando o circuito de trip tiver sido interrompido. Figura 2-58 Diagrama lógico da supervisão do circuito de trip com duas entradas binárias SIPROTEC.2009 183 . 1 2 3 4 Tabela de condição para entradas binárias. a condição é usada como um critério de supervisão. Se três verificações condicionais consecutivas detectarem uma anormalidade (após 1. dependendo da posição do contato de trip e da posição do disjuntor: Disjuntor Fechado Aberto Fechado Aberto Contato 52a Fechado Aberto Fechado Aberto Contato 52b Aberto Fechado Aberto Fechado BI 1 H H L L BI 2 L H L H Aberto Aberto Fechado Fechado Contato de Trip As condições das duas entradas binárias são verificadas periodicamente. a anunciação de falta é resetada automaticamente após o mesmo período de tempo. Dependendo da posição do contato de trip e do disjuntor. ocorrer uma perda de tensão da bateria ou ocorrer mau funcionamento no mecanismo do disjuntor. Uma verificação ocorre a cada 600 ms. a condição em que ambas as entradas binárias não são acionadas (”L") só é possível durante um curto período de transição (o contato de trip está fechado mas o disjuntor ainda não foi aberto). Após a solução do mau funcionamento no circuito de trip. Além disso.

Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. em paralelo com o contato de trip associado do relé de proteção.Funções 2. Figura 2-59 A supervisão do circuito de trip com uma entrada binária 184 SIPROTEC.2009 . 7SJ80.10 Funcões de Monitoramento Supervisão com Uma Entrada Binária A entrada binária é conectada de acordo com a figura seguinte. O contato auxiliar do disjuntor é conectado com um resistor R de by-pass.

Uma mensagem só é liberada após a expiração desse tempo. contatos de trip de outros dispositivos operarem em paralelo com o circuito de trip. Figura 2-61 Lógica de mensagem para a supervisão do circuito de trip SIPROTEC. dependendo dos ajustes de controle e das entradas binárias.2009 185 . Como a supervisão do circuito de trip não opera durante faltas do sistema.10 Funcões de Monitoramento Durante operação normal. Somente enquanto o contato de trip estiver fechado é que a entrada binária é curto-circuitada e consequentemente desativada (condição lógica "L"). porque o circuito de monitoração é fechado pelo contato auxiliar do disjuntor 52a (se o disjuntor está fechado) ou através do resistor R de by-pass. Se. Se a entrada binária for continuamente desativada durante a operação. a mensagem de falta é automaticamente resetada. a entrada binária é ativada (condição lógica "H") quando o contato de trip está aberto e o circuito de trip está intacto.Funções 2. Após a eliminação da falta no circuito de trip. Manual E50417-G1179-C343-A1. o contato fechado de trip não induz a uma mensagem de falta. A temporização pode ser ajustada via parâmetro 8202 Alarm Delay. Figura 2-60 Diagrama lógico da supervisão do circuito de trip com uma entrada binária A figura seguinte mostra o diagrama lógico para a mensagem que pode ser gerada pelo monitoramento do circuito de trip. então a mensagem de falta deve ser temporizada (veja também a Figura 2-60). Publicação 05. isto leva à conclusão de que há uma interrupção no circuito de trip ou de que há perda na tensão de controle. todavia. pelo contato auxiliar do disjuntor 52b. 7SJ80.

são detectadas em geral.2. Se a alocação das entradas binárias necessárias não combinar com o tipo de supervisão selecionado. A temporização é feita no endereço 8202 Alarm Delay.2. mau funcionamento. Publicação 05. como por exemplo. 2. Com um resistor de tamanho adequado e dependendo das condições do sistema. SP SP SP OUT OUT OUT OUT OUT >BLOQUEAR 74TC >Supervisão do circuito de trip 74TC.2.. Informação sobre o dimensionamento do resistor R é fornecida no Capítulo "Instalação e Comissionamento" em Notas de Configuração na Seção "Supervisão do Circuito de Trip".1. ao invés da segunda entrada binária ausente.10 Funcões de Monitoramento 2. 8201 8202 Parâmetro FCT 74TC Alarm Delay Opções de Ajustes ON OFF 1 . mas falhas do circuito de trip enquanto um comando de trip está ativo. Isto é assegurado pelo número fixo de repetições de medição e o tempo entre as verificações de estado. 30 sec Ajuste Padrão ON 2 sec Comentários Supervisão do Circuito de Trip 74TC Temporização de alarme 2. Portanto.2) tiver sido ajustado para 2 Binary Inputs ou 1 Binary Input durante a configuração. Para assegurar-se de que a duração mais longa possível de um comando de trip possa estar confiavelmente superada e de que uma indicação seja gerada em caso de uma falta real no circuito de trip.10. Quando usar somente uma entrada binária. Tipo de Info.2 Notas de Ajustes Geral A função só tem efeito e acessibilidade se o endereço 182 (Seção 2. uma interrupção no circuito de trip ou perda de tensão de bateria.4 Lista de Informações No. então Disabled é ajustado no endereço 182. Se o monitoamento do circuito de trip não for usado. 6851 6852 6853 6861 6862 6863 6864 6865 Informação >BLOCK 74TC >74TC trip rel. Manual E50417-G1179-C343-A1. é gerada uma mensagem (“74TC ProgFail“).Funções 2. um resistor R é inserido no circuito no lado do sistema. Entrada binária não está ajustada Falha do Circuito de Trip74TC Comentários 186 SIPROTEC.3 Ajustes End.10. a medição deve acontecer durante um período de tempo que supere a duração mais longa possível de um contato fechado de trip. Supervisão com Uma Entrada Binária Nota: Quando usar somente uma entrada binária (BI) para o monitor de circuito de trip. 7SJ80. uma tensão de controle mais baixa é suficiente na maioria das vezes. >74TC brk rel. se o número apropriado de entradas binárias tiver sido configurado de acordo com esse propósito e se a função FCT 74TC estiver ligada (ON ) no endereço 8201.2009 . a indicação referente à interrupção do circuito de trip é temporizada.1.10. 74TC OFF 74TC BLOCKED 74TC ACTIVE 74TC ProgFail 74TC Trip cir. não podem ser detectadas.: relé de trip >Supervisão do circuito de trip 74TC: relé bkr Supervisão do circuito de trip 74TC está DESLIGADA Supervisão do circuito de trip 74TC está BLOQUEADA Supervisão do circuito de trip 74TC está ATIVA 74TC bloqueado.

3. "ERROR" LED „Error Offset“ (191) „Failure Σ I“ (162) DOK2) drops out DOK2) drops out DOK2) drops out DOK2) drops out Como alocada Monitor de compensação (offset) Interna (hardware) Soma de corrente Interna (aquisição de valor medido) Simetria de Corrente Externa Anunciação (sistema ou transformador de corrente) „Fail I balance“ (163) Como alocada SIPROTEC.3 Respostas ao Mau Funcionamento das Funções de Monitoramento As respostas ao mau funcionamento do equipamento de supervisão são resumidas a seguir. Se a tensão auxiliar interna também falhar.2009 187 . é enviada uma anunciação.1 Descrição Respostas para Mau Funcionamento Dependendo do tipo de mau funcionamento descoberto.) Todos LEDs apagados Saída DOK2) drops out Monitoramento Falha de Tensão Auxiliar Bateria de Buffer Hardware de supervisão (watchdog) Software de supervisão (watchdog) Memória ROM de trabalho Anunciação Desligamento do dispositivo 1) Tentativa de reinício 1) „Fail Battery“ (177) "ERROR" LED "ERROR" LED DOK2) drops out DOK2) drops out DOK2) drops out DOK2) drops out Aborto de reinício. O relé de prontidão (watch-dog) abre e indica com seu contato NC que o dispositivo está com mau funcionamento. LED pisca desligamento do dispositivo Durante sequência de "ERROR" LED boot Durante operação: "ERROR" LED tentativa de reinício 1) Memória RAM de programa Memória de parâmetro Frequência de amostragem Erro na placa I/O Interna (hardware) Interna (hardware) Interna (hardware) Tentativa de reinício 1) Desligamento do dispositivo Desligamento do dispositivo Desligamento do dispositivo Anunciação "ERROR" LED "ERROR" LED „I/O-Board error“ (178). A tabela 2-10 mostra um resumo das funções de monitoramento e as respostas ao mau funcionamento do dispositivo.Funções 2. Tabela 2-10 Resumo das respostas para o mau funcionamento do dispositivo Causas Possíveis Externa (tensão auxiliar) Interna (conversor) Interna (bateria de buffer) Interna (falha de processador) Interna (falha de processador) Interna (hardware) Interna (hardware) Resposta ao Mau Funcionamento Fechamento do dispositivo Anunciação (No. Além disso. nenhum LED se acende. o dispositivo também é desligado. o LED vermelho "ERROR" (“ERRO”) se acende na tampa dianteira e o LED verde "RUN" (“EM FUNCIONAMENTO”) se apaga. Após três tentativas malsucedidas de reinício.10. o sistema do processador é reiniciado ou o dispositivo é desligado. 2.10 Funcões de Monitoramento 2. 7SJ80.10. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1.

Fail.10 Funcões de Monitoramento Monitoramento Simetria de Potencial Causas Possíveis Resposta ao Mau Funcionamento Anunciação (No. DOK = "Device okay" = relé de prontidão fornece dropout e as funções de proteção e controle são bloqueadas. Neste contexto. deve ser observado que a anunciação 160 “Alarm Sum Event“ só é emitida quando as funções de monitoramento de valor medido (8101 MEASURE.2009 . estão determinadas no Apêndice A. o dispositivo é desligado.“ (10036) „Alarm NO calibr“ (193) Como alocada Como alocada 1) 2) Após três tentativas insatisfatórias de reinício. SUPERV) são ativadas. Seq.10. do circuito secundário do transformador de potencial Externa Anunciação (interrupção do circuito do transformador de potencial) Configuração errada Interna (hardware) Anunciação Anunciação Como alocada Medição de tensão capacitiva Erro de ajuste de dados „Capac.Par. Estas anunciações de grupo e suas composições. Publicação 05. 7SJ80. Seq. I“ (175) Como alocada „VT FuseFail>10s“ (169) „VT FuseFail“ (170) „74TC Trip cir. Anunciações de Grupo Determinadas anunciações das funções de monitoramento já estão combinadas com anunciações de grupo.Funções 2.“ (6865) "VT brk. 188 SIPROTEC. V“ 176) Saída Como alocada Anunciação Externa (sistema ou transformador de potencial) Externa (sistema ou conexão) Externa (sistema ou conexão) Externa (transformador de potencial) Externa (circuito de trip ou tensão de controle) Anunciação Anunciação Anunciação Sequência de fase de tensão Sequência de fase de corrente Monitoramento de falha de fusível Supervisão de circuito de Trip Como alocada „Fail Ph. wire" (253) Como alocada Anunciação Como alocada Monit.) „Fail V balance“ (167) „Fail Ph. Manual E50417-G1179-C343-A1.

Ela realmente não é adequada para a detecção de falta à terra com amplas correntes de terra. Portanto. Para este procedimento. 50N(s). O procedimento padrão. Se a tensão residual é calculada. Se o dispositivo só está suprido com tensões fase-fase.11 Proteção de Falta à Terra 64. uma vez que a faixa linear é transcedida com cerca de 1. 67N(s). A função pode operar de dois modos. Ao ajustar Van. correntes maiores também podem ser detectadas corretamente. então: 3 · V0 = VA + VB + VC Se a tensão residual é aplicada diretamente no dispositivo. SIPROTEC. para possibilitar a gravação de grandezas estáveis de medição.2009 189 . avalia a parte da corrente à terra perpendicular à característica direcional ajustável. 2. A tensão residual é usada tanto para detectar uma falta à terra. a detecção sensível de falta à terra é usada para detectar faltas à terra de alta impedância. a direção não pode ser deteminada.11 Proteção de Falta à Terra 64.6 A nos terminais do relé de detecção sensível de falta à terra. 50N(s). Isso não é afetado pelo parâmetro Vph / Vdelta (endereço 206). a fase com falta é determinada. A temporização pode ser configurada (T-DELAY Pickup) e seu ajuste de fábrica é de 1 s. 51N(s) Dependendo da versão. as três entradas de tensão devem ser conectadas com os transformadores de potencial em uma configuração de estrela aterrada. Quando ocorre pickup do elemento de tensão. Aplicações • A detecção sensível de falta à terra pode ser usada em sistemas isolados ou compensados para detectar faltas à terra. Publicação 05. 67N(s).3). 51N(s) 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. podem ser ajustadas duas características direcionais diferentes. O elemento de tensão não está disponível quando se usar a medição de tensão capacitiva. Ao ajustar Vab. Se o relé está equipado com um transformador padrão para correntes de 1/5 A. calcula o ângulo entre a corrente à terra e a tensão residual. as três tensões fase-terra de ambas as tensões fase-fase conectadas e a tensão residual conectada. não é possível calcular uma tensão residual a partir delas. • Esta função também pode ser usada como uma proteção suplementar de falta à terra. a “medição U0/I0-ϕ∀. Adicionalmente.1. O segundo procedimento. a “medição cos-ϕ– / sin-ϕ”. No primeiro caso. Vcn. 7SJ80. uma temporização pré-ajustada deve expirar antes que a detecção da tensão residual seja reportada. o cálculo da tensão de soma 3 · V0 é baseado nas três tensões fase-terra. a função de proteção é designada para detecção de falta à terra em sistemas isolados ou compensados devido à sua alta sensibilidade. então V0 é a tensão nos terminais do dispositivo. quanto com um transformador padrão para 1/5 A. A tensão residual V0 pode ser aplicada diretamente no dispositivo ou a tensão de soma 3 · V0 pode ser calculada de acordo com o tipo de conexão do transformador de tensão (veja também o Parâmetro 213 VT Connect. para determinar fases afetadas por faltas à terra e para especificar a direção de faltas à terra. quanto para determinar direção. • Em sistemas solidamente aterrados ou em sistemas aterrados de baixa resistência. 3ph na Seção 2.1 Detecção de Falta à Terra para Medição cos-ϕ– / sin-ϕ (Método Padrão) Elemento de Tensão O elemento de tensão conta com um pickup iniciado pela tensão residual V0 ou 3 · V0. Neste caso. Vbn. VGnd. são calculadas. Vbc.11. a quarta entrada de corrente do relé de proteção multifuncional 7SJ80 é equipada tanto com um transformador de entrada sensível. Pickup efetuado pela tensão residual pode ser temporizado (64-1 DELAY) para trip.Funções 2.

independentemente do tipo de conexão dos transformadores de potencial. consiste do tempo de medição da tensão residual (cerca de 50 ms). A proteção de corrente à terra é mais usada como proteção de backup para falta à terra de alta resistência em sistemas solidamente aterrados ou de baixa resistência quando não há pickup da principal proteção de falta. 67N(s). Para detecção de corrente à terra podem ser ajustadas duas Curvas de corrente/tempo. quando. os elementos de corrente operam não-direcional somente se um ângulo de medição exato não está assegurado ao usar a tensão V0. contanto que as tensões remanescentes fase-terra excedam o limite de ajuste VPH MAX. no caso de uma falta à terra na rede a maquina fornece apenas uma corrente de falta à terra desprezível através do local de medição. Cada um desses elementos pode ser direcional ou não-direcional. É sensato empregá-los somente onde a magnitude da corrente à terra pode ser usada para especificar a falta à terra. Figura 2-62 Determinação de Fase Aterrada Elementos de Corrente Os elementos de corrente para faltas à terra. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 . o estágio de alta corrente é designado como 50Ns-2 PICKUP e 50Ns-2 DELAY e é fornecido com uma característica de tempo definido.11 Proteção de Falta à Terra 64. 7SJ80. enquanto que no caso de uma falta à terra na máquina a mais alta corrente de falta à terra produzida pela totalidade da rede está disponível.Funções 2. Este pode ser o caso de sistemas aterrados (sólidos ou de baixa resistência) ou de máquinas elétricas que estão diretamente conectadas com o barramento de um sistema isolado de energia. se possível. aquela fase é detectada como uma fase aterrada. mais a temporização de pickup T-DELAY Pickup e mais o retardamento de trip 64-1 DELAY. a fase aterrada é identificada. Para este propósito as tensões individuais fase-terra são medidas ou calculadas. Publicação 05. 51N(s) É importante notar que o tempo total de trip neste caso. Da mesma forma que para proteção de sobrecorrente. As características desses elementos de corrente podem ser configuradas. O elemento de sobrecorrente pode ser operado tanto com temporização de tempo definido (50Ns-1 PICKUP e 50Ns-1 DELAY) quanto com uma Curva definida pelo usuário (51Ns PICKUP e 51NsTIME DIAL). Se a magnitude da tensão para qualquer fase fornecida cair abaixo do limite de ajuste VPH MIN. No casso de medição de tensão capacitiva. 50N(s). 190 SIPROTEC. o qual deve estar situado entre os terminais da máquina e a rede. Após pickup do elemento de tensão devido à detecção de uma tensão residual. operam com as magnitudes da corrente à terra.

11 Proteção de Falta à Terra 64.Funções 2. 67N(s).2009 191 . Publicação 05. 51N(s) O pickup da proteção de sobrecorrente de tempo definido pode ser estabilizada pela temporização de dropout configurada (endereço 3121 50Ns T DROP-OUT). SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. Determinação da Direção Ao determinar a direção da falta à terra sensitiva. As linhas de limite direcional são perpendiculares ao eixo 3I0real. por exemplo. O exemplo é dessa forma adequado para direção de falta à terra em sistemas aterrados onde a grandeza 3I0 · cos ϕ é relevante. Como um prérequisito para determinação da direção. mas a parte da corrente que é perpendicular a uma característica direcional ajustável (eixo de simetria). é possível. não é o valor da corrente que é crucial. A parte ativa 3I0real da corrente 3I0 é calculada com referência à tensão residual V0 e comparada com o valor de ajuste RELEASE DIRECT. em sistemas aterrados. Além disso. ou no caso de máquinas elétricas em conexão de barramento na faixa resistiva-capacitiva com uma rotação de +45° (consulte a Figura seguinte).. Dessa forma. 7SJ80. 50N(s). Figura 2-63 Característica direcional para medição de cos–ϕ As linhas de limite direcional podem ser rotacionadas por um ângulo de correção (endereço PHI CORRECTION) até em ± 45°. a tensão residual V0 deve ser excedida assim como a parte da corrente configurável influenciando a direção (componente ativo ou reativo). A figura seguinte ilustra um exemplo usando um diagrama vetorial complexo no qual a tensão residual V0 é a magnitude de referência do eixo real. as linhas de limite direcional podem ser rotacionadas por 90° para determinar faltas à terra e sua direção em sistemas aterrados. aumentar a sensitividade na faixa de resistiva-indutiva com uma rotação de –45°.

Funções 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. se P0 < 0 e 3I0 reativa > valor de ajuste (RELEASE DIRECT. 51N(s) Figura 2-64 Característica direcional para medição de cos–ϕ A direção da falta é calculada com os valores de sequência zero da corrente à terra 3I0 e tensão residual V0 ou 3 · V0. a gravação da falta é finalizada (veja diagrams lógicos 2-66 e 2-67). Se ajustado para ON. • Falta à terra (direção reversa).). 192 SIPROTEC. O modo operacional da detecção de falta à terra pode ser ajustado no endereço 3101. Se PHI CORRECTION é diferente de 0°. se Q0 > 0 e 3I0reativa > valor de ajuste (RELEASE DIRECT.são relevantes para pickup.que estão frequentemente presentes nas correntes de sequência zero) A determinação da direção baseia-se no sinal da potência ativa e reativa. Como os componentes ativo e reativo da corrente . o trip não é possível e somente um registro de falta à terra é gerado.). Com essas grandezas a potência ativa à terra e a potência reativa à terra são calculadas. Para medições de sin ϕ (para sistemas isolados) aplica-se o seguinte: • Falta à terra (direção para frente).). Publicação 05. Lógica A figura seguinte ilustra o critério de ativação da proteção de falta à terra sensitiva. • Falta à terra (direção reversa).). Como o pickup do elemento V0 fornece dropout. Se ajustado para Alarm Only.2009 . os componentes de corrente são calculados dos componentes de potência.11 Proteção de Falta à Terra 64. se Q0 < 0 e 3I0retiva > valor de ajuste (RELEASE DIRECT.não a potência . o trip é possível e o registro da falta é gerado. Ao determinar a direção de falta à terra os componentes ativo e reativo da corrente à terra em referência à tensão residual assim como a direção da potência ativa e reativa são avaliados. o ângulo das linhas de limite direcional são calculadas adicionando componentes de potência ativa e reativa. 50N(s). Para medições de cos ϕ (para sistemas aterrados) aplica-se o seguinte • Falta à terra (direção para frente). O pickup do elemento de tensão residual V0 inicia a gravação da falta à terra. O algoritmo de cálculo usado filtra os valores medidos de forma que seja altamente preciso e insensível a harmônicos mais elevados (particularmente o 3º e 5º harmônicos. se P0 > 0 e 3I0reativa > valor de ajuste (RELEASE DIRECT. 7SJ80. 67N(s).

• o Monitoramento da Falha de Fusível ou pickup do disjuntor da proteção do transformador de potencial e o parâmetro 3130 PU CRITERIA é ajustado para Vgnd OR INs. temporizações e mensagens de pickup são resetadas. Entretanto. e ambos elementos de corrente estão no modo operacional direcional. o ajuste do parâmetro PU CRITERIA é Vgnd AND INs.2009 193 . para ambos elementos de corrente. depende da seleção da direção para cada elemento e do ajuste dos parâmetros 3130 PU CRITERIA. 7SJ80. Dessa forma. deve ocorrer pickup do elemento de corrente e os resultados da determinação da direção devem estar presentes para gerar uma mensagem. uma condição válida para determinação da direção é de que ocorra o pickup do Elemento de tensão V0. uma mensagem de pickup é gerada assim que o limite de corrente é excedido. Se. 67N(s). O primeiro pode ser vantajoso se o ajuste de pickup do elemento de tensão residual V0 foi escolhido muito baixo. Outra vez.Funções 2. 50N(s). Figura 2-65 Ativação da detecção de falta à terra sensitiva para medição de cos-ϕ -/sin-ϕ A geração de uma mensagem de pickup. Se o elemento for ajustado para NonDirectional e o parâmetro PU CRITERIA = Vgnd OR INs. o pickup. SIPROTEC. Nesse caso. se possível.11 Proteção de Falta à Terra 64. Publicação 05. O parâmetro PU CRITERIA especifica se uma falta é gerada por meio de função AND ou combinação OR da tensão residual e pickup da corrente à terra.sem considerar o status do Elemento V0. a direção e a fase aterrada ainda serão reportadas. 51N(s) A função completa pode ser bloqueada sob as seguintes condições: • Uma entrada binária é ajustada. entretanto. se a direção está programada. entretanto. • o Monitoramento de Falha do Fusível ou pickup do disjuntor da proteção do transformador de potencial e o parâmetro 3130 PU CRITERIA é ajustado para Vgnd AND INs. Manual E50417-G1179-C343-A1. O desligamento ou bloqueio significa que a medição está desativada. não ocorre trip uma vez que os elementos de tempo estão bloqueados. precisa ter ocorrido pickup do Elemento V0 também para o modo não-direcional. Todos elementos podem ser bloqueados individualmente via entradas binária.

2009 . 50N(s). 67N(s).11 Proteção de Falta à Terra 64. 51N(s) Figura 2-66 Diagrama lógico do elemento VN> para medição de cos-ϕ /sin-ϕ 194 SIPROTEC.Funções 2. Publicação 05. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1.

Manual E50417-G1179-C343-A1. VGnd.1. 3ph na Seção 2. Vbn. estarem conectadas aos transformadores de potencial em uma configuração estrela aterrada. a direção não pode ser determinada. 51N(s) Figura 2-67 Diagrama lógico dos elementos INs durante medição de cos ϕ/sin ϕ 2. Neste caso. Adicionalmente. o cálculo da tensão de soma 3 · V0 é baseado nas três tensões fase-terra. As três entradas de tensão devem dessa forma. não é possível calcular a tensão residual a partir delas. Vbc. Ao ajustar Van. Vcn.3). Ao ajustar Vab.11 Proteção de Falta à Terra 64. 67N(s). ou a tensão de soma 3 · V0 pode ser calculada de acordo com o tipo de conexão do transformador de potencial (veja também o parâmetro 213 VT Connect. 50N(s).2 Detecção de Falta à Terra para Medição de U0/I0-ϕ Elemento de Tensão O elemento de tensão baseia-se em um pickup iniciado pela tensão residual V0 ou 3 · V0. 7SJ80. Publicação 05. as três tensões fase-terra tanto das tensões fase-fase conectadas como da tensão residual conectada são calculadas Se o dispositivo é fornecido somente com tensões fase-fase. a fase com falta é determinada. SIPROTEC.Funções 2.2009 195 .11. A tensão residual V0 pode ser aplicada diretamente ao dispositivo.

Ambos elementos são fornecidos com uma característica de tempo definido. Figura 2-68 Determinação da fase c/ falta-terra Elementos de corrente Estão disponíveis dois elementos de corrente. 67N(s). Dois elementos corrente/tempo são usados para proteção de falta à terra. Se a magnitude da tensão para qualquer dada fase cair abaixo do limite ajustado VPH MIN. a fase aterrada é identificada se possível. Manual E50417-G1179-C343-A1. É importante observar que o tempo total de comando de trip consiste então do tempo de medição da tensão residual (cerca de 50 ms) mais a temporização de pickup 64-1 DELAY. O elemento de tensão não está disponível ao usar medição de tensão capacitiva.2009 . desde que as zonas de trip sejam ajustadas individualmente para cada elemento (veja cabeçalho de margem „Área de Trip“). O pickup da proteção de sobrecorrente de tempo definido pode ser estabilizado pela temporização de dropout configurada (endereço 3121 50Ns T DROP-OUT).Funções 2. No caso de medição de tensão capacitiva. aquela fase é detectada como fase aterrada enquanto as tensões faseterra remanescentes excederem o limite ajustado VPH MAX. Publicação 05. 50N(s). então: 3 · V0 = VA + VB + VC Se a tensão residual é diretamente aplicada ao dispositivo. 51N(s) Se a tensão residual é calculada. 196 SIPROTEC.11 Proteção de Falta à Terra 64. as tensões individuais fase-terra são medidas ou calculadas. Ambos operam direcionalmente. Não é afetada pelo parâmetro Vph / Vdelta (endereço 206). 7SJ80. Da mesma forma que para a função de proteção de sobrecorrente o elemento de sobrecorrente é denominado 50Ns-1 PICKUP e 50Ns-1 DELAY e o elemento ajustado em alta 50Ns-2 PICKUP e 50Ns-2 DELAY. O pickup executado pela tensão residual pode ser temporizado (64-1 DELAY) para trip. sem considerar o tipo de conexão dos transformadores de potencial. então V0 é a tensão nos terminais do dispositivo. Para esse propósito. os elementos de corrente operam não-direcional somente desde que um ângulo de medição exato não tenha sido atribuido ao usar a tensão V0. Após pickup do elemento de tensão devido à detecção de uma tensão residual.

A zona é ainda limitada na inclinação pelos valores mínimos da tensão residual e corrente à terra. Se ajustado para Alarm Only. o centro da zona com referência à tensão residual V0 é ajustado.2009 197 . Se ajustado para ON. a zona é ampliada em ambos os lados do centro. Esse setor ccorresponde à área de trip.Funções 2. o trip é possível e um registro de falta é gerado. há pickup da função. Manual E50417-G1179-C343-A1. o trip não é possível e somente um registro de falta à terra é gerado. Figura 2-69 Faixa de trip da característica V0/I0-ϕ Lógica A figura seguinte ilustra o critério de ativação da proteção de falta à terra sensitiva. corrente à terra indutiva comparada com a tensão à terra. O modo operacional da detecção de falta à terra pode ser ajustado no endereço 3101. a gravação de falta é finalizada (veja diagramas lógicos 2-71 e 2-72). Se ajustado para ON with GF log. 67N(s). Como o pickup do Elemento fornece dropout. isto é. Via ângulo Δϕ (parâmetro 3155 50Ns-1 DeltaPhi ou 3152 50Ns-2 DeltaPhi). O pickup da tensão residual V0 ou pickup do elemento 50Ns-2 ou pickup do elemento 50Ns-1 ou 51Ns inicia a gravação da falta à terra. 50N(s). Esse limites de valores ajustáveis devem ser excedidos para que haja pickup. A área de trip é definida via vários parâmetros: Via ângulo ϕ (parâmetro 3154 50Ns-1 Phi ou 3151 50Ns2 Phi).11 Proteção de Falta à Terra 64. Publicação 05. Ajustes de ângulo negativos mudam a área de trip na direção „indutiva“. SIPROTEC. 51N(s) Faixa de Trip A característica V0/I0-ϕ está ilustrada como um setor no diagrama de fasores V0/I0 (veja Figura 2-69). Se o cursor da corrente à terra está nesse setor. 7SJ80. o trip é possível e um registro de falta e um registro de falta à terra são gerados.

11 Proteção de Falta à Terra 64. 7SJ80. 51N(s) A função completa pode ser bloqueada sob as seguintes condições: • Uma entrada binária é ajustada. • o Monitoramento de Falha do Fusível ou o pickup do disjuntor da proteção do transformador de potencial. direção e fase aterrada ainda serão reportadas. entretanto. pickup e. não ocorre trip uma vez que os elementos de tempo estão bloqueados. 50N(s). temporizações e mensagens de pickup são resetadas. Desligamento ou bloqueio significa que a medição está desativada. Nesse caso. Figura 2-70 Ativação da detecção de falta à terra sensitiva para medição de V0/I0-ϕ 198 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. Todos os elementos podem ser bloqueados individualmente via entradas binárias.2009 . se possível. Dessa forma.Funções 2. 67N(s).

51N(s) Figura 2-71 Diagrama lógico durante medição de V0/I0 ϕ .Funções 2. 7SJ80. Publicação 05.2009 199 . 67N(s). Manual E50417-G1179-C343-A1. parte 1 SIPROTEC.11 Proteção de Falta à Terra 64. 50N(s).

Em sistemas radiais. a linha com falta pode ser claramente determinada. Em sistema nãoaterrado ela é a corrente wattmétrica residual da bobina de Petersen que flui via ponto de medição.11. Como todos os alimentadores de um barramento comum (Figura 2-73) liberam uma corrente de carregamento capacitiva. nos cabos com falta uma clara decisão “para frente” é tomada.Funções 2. 7SJ80. Dessa forma.11 Proteção de Falta à Terra 64.2009 . 67N(s). a localização da falta à terra é relativamente simples. 51N(s) Figura 2-72 Diagrama lógico para medição de U0-/I0 -ϕ. Figura 2-73 Localização de faltas à terra em uma rede radial 200 SIPROTEC. parte 2 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. aproximadamente a corrente de falta à terra total do sistema está disponível no ponto de medição da linha com falta no sistema aterrado. enquanto que em outros alimentadores tanto a direção “reversa” é enviada de volta quanto nenhuma medição é efetuada no caso da corrente à terra ser muito baixa. Publicação 05. Definitivamente. 50N(s).3 Localização de Falta à Terra Exemplo de Aplicação A determinação direcional pode frequentemente ser usada para localizar faltas à terra.

7SJ80.4 Notas de Ajustes Ajustes Gerais Durante a configuração da função de proteção (Seção 2. tiver sido selecionada no endereço 130 S. Se o endereço Sens. As características do usuário só estão disponíveis se o procedimento de medição padrão cos ϕ / sin ϕ tiver sido ajustado no endereço 130. 51N(s) Em sistemas em malha ou em loop. Gnd Fault = Definite Time é selecionado.Funções 2.Dir. é sinalizada a direção “para frente” em ambos terminais (Figura 2-74). SIPROTEC. Se forem aplicados os ajustes ON e ON with GF log. Figura 2-74 Determinação da localização de falta à terra baseada nos indicadores direcionais em um sistema em malha 2. Gnd Fault. O ajuste ON with GF log só está disponível se a característica V0/I0 ϕ mea. então ajuste para Disabled . somente nessa linha .Ch. os pontos de medição da linha com falta também recebem a máxima corrente de falta à terra (corrente residual).11 Proteção de Falta à Terra 64.Gnd.Ch. Publicação 05. A falta à terra é detectada e reportada quando a tensão residual for sustentada por determinado tempo T-DELAY Pickup).Gnd. algumas indicações podem não ser fornecidas quando a corrente à terra é muito baixa. Gnd Fault = User Defined PU .F. É opcional selecionar ambos os métodos padrão de medição cos ϕ / sin ϕ ou V0/I0 ϕ mea. O elemento de alta corrente sobreposto 50Ns-2 está disponível em todos esses casos. 50N(s). 67N(s).11. Se essa função não é requerida. com uma característica de setor. Entretanto. A característica para determinar a direção é ajustada no endereço 130 S.Dir.1. Gnd Fault foi determinado quais parãmetros estão funcionando para detecção de falta à terra. uma Curva especificada pelo usuário pode ser usada para os elementos de sobrecorrente 50Ns-1 ou 51Ns. trip também é possível. Um registro de falta à terra é criado para ON with GF log e Alarm Only. No endereço 3101 Sens. Se é selecionado Sens. O restante das indicações de direção no sistema podem também ser úteis para detecção de falta à terra. a função LIGAR (ON) ou DESLIGAR (OFF) pode ser ajustada para ON with GF log ou Alarm Only.2009 201 . no endereço 131 Sens. Manual E50417-G1179-C343-A1.F. então os parâmetros de tempo definido estão disponíveis. Os parâmetros 3111 T-DELAY Pickup e 3130 PU CRITERIA só estarão visíveis se o método de medição padrão cos ϕ / sin ϕ tiver sido selecionado ao ajustar a característica de direção. O endereço 3130 PU CRITERIA especifica se a detecção de falta à terra está habilitada somente para pickups de VN e INS (Vgnd E INs) ou se logo que ocorrer pickup de um dos dois (Vgnd OU INs).1. caso contrário é criado um registro de falta.

Ch). deve ser notado que há um fator de segurança de aproximadamente 1. Vcn ou Vab. recomenda-se que esses endereços sejam inicialmente ajustados em 1. 202 SIPROTEC.Gnd. Manual E50417-G1179-C343-A1. deve ser ajustada nos endereços 217 e 218. 7SJ80. se necessário.1 vezes o valor de ajuste circular. 67N(s). a corrente nominal primária e secundária no elemento de terra. Estes elementos operam com as grandezas da corrente à terra.Funções 2. possa ser usada para especificar a falta à terra. Este pode ser o caso de sistemas aterrados (sólidos ou de baixa resistência) ou de máquinas elétricas conectadas ao barramento de um sistema de energia não aterrado. e. que deve estar situada entre os terminais da máquina e a rede. 50N(s). 51N(s) O pickup pode ser estabilizado para proteção de falta à terra com curva de tempo definido. os ajustes nos endereços 3119 e/ou 3120 podem ser modificados. Publicação 05. eles não estão disponíveis — e não ocorrerá pickup ou trip das funções de proteção. Se não for necessária nenhuma coordenação.00 por razões elementares. Este recurso é usado em sistemas de potência com faltas intermitentes. deve ser corretamente regulado no endereço 206. VGnd deve ser ajustado.Dir. Portanto. por uma temporização ajustável de dropout (endereço 3121 50Ns T DROP-OUT). quando em caso de uma falta à terra da rede a máquina fornecer somente uma corrente de falta à terra insignificante através do local de medição.1 entre o valor de pickup e o valor de ajuste que é padrão para curvas inversas. Os pares de valores (corrente e tempo) são inseridas como múltiplos dos valores nos endereços 3119 51Ns PICKUP e20 3120 51NsTIME DIAL. Elementos de Tempo Definido/Tempo Inverso de Sobrecorrente Uma Curva de dois elementos corrente/tempo.2009 .F. se necessário. então. Adicionalmente. Consequentemente eles são úteis apenas onde a magnitude da corrente à terra e talvez sua direção.11 Proteção de Falta à Terra 64. o valor pré-ajustado (zero = sem temporização de dropout) permanece. permite respostas diferentes para ajustes de dropout e graduação de tempo na implementação de relés digitais e eletromagnéticos. deve ser ajustada nos endereços 238 e 239. Uma vez que a curva foi introduzida. O uso conjunto com relés eletromecânicos. Os ajustes dependem da temporização de dropout do relé eletromagnético. a corrente nominal primária e secundária do segundo transformador de corrente à terra. O padrão de ajuste dos valores de corrente é ∞. Vbn. Curva Definida pelo Usuário(Tempo Inverso) Características definidas pelo usuário são usadas somente para o método padrão de medição cos ϕ / sin ϕ (endereço 130 S.of PU O dispositivo. Durante a configuração de uma Curva definida pelo usuário. o fator de ajuste Vph / Vdelta para a tensão residual. Vbc. pode ser ajustada nos endereços 3113 a 3120. aproxima a Curva. Isto significa que pickup será iniciado somente quando uma corrente de 1. Nota Observe que no endereço 213 VT Connect. 3ph o tipo de conexão do transformador de potencial Van. TD. Até 20 pares de valores (corrente e tempo) podem ser introduzidos no endereço 3131 M. a corrente de falta à terra total produzida por toda a rede está disponível. Dependendo do tipo de conexão do transformador de corrente. visto que em caso de uma falta à terra da máquina. Portanto. usando interpolação linear.

00 15. paralelo aos eixos da corrente.00 20.00 9. Se desejado.00 4. deve ser invalidado ajustando seu limite para “∞”! O usuário deve se assegurar de que os pares de valor produzam uma Curva clara e constante.31 1.25 2.75 MofPU = 5 a 7. 51N(s) O seguinte deve ser observado: • Os pares de valores devem ser introduzidos em sequência ascendente.06 1.00 7.00 2.00 16.11 Proteção de Falta à Terra 64.50 6.00 17. em conjunto com os tempos de combinação. Publicação 05. A curva de pickup (veja a Figura 2-75) continua. 67N(s).94 1.25 6.25 3.94 MofPU = 1 a 1.75 2.00 1.75 6.63 1.00 13. não conduzirá a uma extensão do tempo de trip. cerca de 10 pares são suficientes para definir a Curva precisamente.25 7. Manual E50417-G1179-C343-A1.44 Figura 2-75 Uso de Curva definida pelo usuário SIPROTEC.25 5. Especificadas pelo Usuário MofPU = 2 a 4.19 1.00 18.75 5. Tabela 2-11 Valores Preferenciais de Correntes Padronizadas para Curvas de Trip.50 3.75 7.2009 203 .50 5. contudo.75 1.75 MofPU p = 8 a 20 8.50 1. não será indicado.50 2.00 11. A curva de pickup (veja a Figura 2-75) continua.00 19.25 1.13 1. não resultará em uma redução do tempo de trip.00 14.00 3.00 12.00 5. podem ser introduzidos menos de 20 pares.88 1.75 4. 50N(s). A corrente abaixo do valor de corrente do menor ponto da curva.00 6.50 4.56 1.00 10. Circulação de corrente maior do que o maior valor de corrente inserido.50 7. Tempos de desvio I/Ip são arredondados.Funções 2.69 1. Na maioria dos casos.25 4.81 1. 7SJ80. Os valores de corrente emitidos devem ser aqueles da tabela 2-11.75 3. Um par de valores que não será usado. Isto. a partir do menor ponto da corrente.38 1. paralelo ao eixo da corrente. a partir do maior ponto da corrente.00 1.

mas menor do que a mínima tensão de operação fase-fase esperada. Para o display do parâmetro 3110 em valores primários. 67N(s). 7SJ80.Funções 2.. a seguinte fórmula de conversão se aplica: Se as três tensões fase-terra estão conectadas ao dispositivo a tensão residual 3 · V0 é calculada dos valores momentâneos das tensões fase-terra e o endereço 3110 é onde o limite é ajustado. a tensão residual medida é diretamente usada para reconhecimento de falta à terra. Publicação 05. Observe que com a tensão residual V0-. Exemplo: Parâmetro 202 Parâmetro 203 Parâmetro 206 Parâmetro 213 Parâmetro 3109 Vnom PRIMARIO Vnom SECUNDÁRIO Vph / Vdelta TV Conectado. O limite para V0 é ajustado no endereço 3109 64-1 VGND. 75 V é um ajuste típico aproximado. se o dispositivo estiver equipado com três transformadores de potencial conectados em estrela em uma configuração aterrada ou se as tensões fase-terra forem calculadas.73 = Vab.11 Proteção de Falta à Terra 64.3. Se a característica de direção está ajustada como V0/I0 ϕ mea. então seus valores primários diferem pelo valor de ajuste Vph / Vdelta.2009 . Dependendo da configuração no endereço 213 VT Connect. A fase em que a tensão estiver abaixo do ajuste VPH MIN (endereço 3106) é identificada como fase faltosa. o elemento de tensão residual é totalmente independente dos elementos de corrente. se duas tensões fase-fase e a tensão residual V0 são fornecidas ao dispositivo. Estes ajustes nada significam em um sistema aterrado. endereço 3109 64-1 VGND ou 3110 641 VGND está acessível. O ajuste VPH MIN deve ser regulado abaixo da mínima tensão de operação fase-terra esperada. Manual E50417-G1179-C343-A1. contanto que as outras duas tensões de fase excedam simultaneamente o ajuste VPH MAX (endereço 3107). 3ph 64-1 VGND = 12 kV = 100 V = 1. O ajuste de VPH MAX precisa ser maior do que a máxima tensão de operação fase-terra esperada. Para VNom = 100 V. é usado o fator (em caso normal = 1. 50N(s). somente o valor limite aplicável. pode ser feito. Um ajuste típico para esse endereço seria 40 V.1. onde um ajuste mais sensível do que o cálculo da tensão residual.73. Isso significa que. Elemento VN de Tensão Residual A tensão residual 64-1 VGND (endereço 3109) ou 64-1 VGND (endereço 3110) é o pickup da detecção de falta à terra e uma condição de liberação para a determinação de direção (quando ajustar a característica de direção para cos ϕ / sin ϕ). Para exibição dos parâmetros 3109 64-1 VGND em valores primários. Vbc. 3ph. 51N(s) Determinação de uma Fase com Falta à Terra A fase conectada à terra pode ser identificada em um sistema não-aterrado ou aterrado. VGnd = 40 V O seguinte se aplica ao mudar para valores primários: 204 SIPROTEC.2) especificado com o parâmetro 206 Vph / Vdelta. aplica-se o seguinte: Se os valores secundários dos (por exemplo) parâmetros 3109 e 3110 são ajustados igualmente. veja também a Seção 2.

isto é. endereços 3119 ff). O pickup apenas do elemento de tensão pode iniciar trip temporizado assumindo que a detecção de falta à terra esteja configurada para executar trip (endereço 3101 Sens. Manual E50417-G1179-C343-A1. 50N(s). ou 51Ns PICKUP. um valor de pickup mais sensível (mais baixo) pode ser ajustado. Para evitar vibração (intermitente)dessa mensagem resultante da extrema variação de correntes de conexão à terra. endereço 3123) deve ser ajustada o mais alto possível para evitar falso pickup do dispositivo provocado por correntes assimétricas no sistema e pelos transformadores de corrente (especialmente em conexão Holmgreen).. O endereço 3115 67Ns-2 DIRECT determina a direção do elemento de corrente definido ajustado em alta 50Ns-2 e pode ser ajustado tanto para Forward(Para frente) quanto para Reverse(Reverso) ou NonDirectional(Não-Direcional). que seja mais baixo ou igual ao valor de pickup acima. Os elementos operam não-direcionais para medição de tensão capacitiva e para tipos de conexão de tensão onde a medição ou cálculo de VN ou 3V0 não é possível. Vbn. Publicação 05. Vcn = 40 V o seguinte se aplica ao mudar para valores primários: Com respeito a uma falta à terra em um sistema não -aterrado ou ressonante-aterrado.2009 205 . endereços 3117 ff. A temporização de trip é então ajustada no endereço 3112 64-1 DELAY. Grandes resistências de falta podem requerer maior sensitividade (isto é.2 fornece informações sobre esse assunto. Gnd Fault = ON ou ON with GF log) e ainda o endereço 3130 PU CRITERIA esteja configurado Vgnd OR INs. (endereço 3123) é o limite de liberação para a determinação direcional. um ajuste de pickup mais baixo).1.. A direção do elemento de corrente 50Ns-1 ou 51Ns pode ser ajustado para Forward ou Reverse ou Non-Directional. 67N(s). Determinação de Direção para cos-ϕ/ sin-ϕ Os endereços 3115 a 3126 são importantes para a determinação de direção. SIPROTEC. é sensível selecionar um valor para o endereço RELEASE DIRECT.11 Proteção de Falta à Terra 64. Está baseado nos componentes de corrente que são perpendiculares às linhas de limite direcional. 3ph 64-1 VGND = Van. Aplica-se o seguinte para a determinação da direção durante faltas à terra: A corrente de pickup 3I0 DIR. para ambas as direções. É importante observar que o tempo total de trip consiste do tempo de medição da tensão residual (cerca de 50 ms) mais a temporização de pickup (endereço 3111 T-DELAY Pickup) mais a temporização de trip (endereço 3112 64-1 DELAY). A Seção 2. Com respeito a sistema aterrado. 7SJ80. uma temporização de dropout RESET DELAY. para frente ou indefinida) é emitida sobre a determinação da direção. para ambas as direções. mas ele precisa estar acima da máxima tensão residual esperada durante operação normal do sistema (nãobalanceado). A própria posição das linhas de limite direcional estão baseadas nos ajustes parametrizados nos endereços 3124 e 3125. quase toda a tensão residual aparece nos terminais do dispositivo. Uma mensagem correspondente (reversa. O valor de corrente RELEASE DIRECT. isto é.3. no endereço 3122 67Ns-1 DIRECT. Se a determinação da direção for usada em conjunto com um dos elementos de corrente acima discutidos (50Ns-1 PICKUP. parametrizada no endereço 3126.Funções 2. (=RELEASE DIRECT. 51N(s) Com a seguinte configuração Parâmetro 213 Parâmetro 3110 TV Connectado. e dessa forma o ajuste de pickup não é crítico e permanece tipicamente entre 30 V e 60 V (para 64-1 VGND com um conector padrão V0) ou 50 V e 100 V (para 64-1 VGND). é iniciada quando há dropout da determinação da direção e a mensagem é mantida por esse período de tempo.

206 SIPROTEC. METHOD = SIN ϕ o componente reativo (capacitivo) da corrente à terra com respeito à tensão residual é o mais relevante para o valor de corrente RELEASE DIRECT. O ângulo deverá ser ajustado para 180° de forma que o elemento funcione não-direcionalmente.0°. (3I0 DIR. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.) (Figura 2-76). 7SJ80.Funções 2. A tensão mínima 50Ns-1 Vmin do elemento de alta corrente 50Ns-1 é ajustda no endereço 3153. corrente à terra capacitiva comparada com tensão à terra.). a corrente de pickup 50Ns-1 PICKUP em 3117. isto é. endereço 3113. 50N(s). endereço 3150 e o nível de corrente de pickup 50Ns-2 PICKUP. com respeito a isso.11 Proteção de Falta à Terra 64. Ajustes de ângulo positivos (endereço 3151 e 3154) mudam a área de trip na direção “capacitiva”. A temporização de trip é ajustada no endereço 3114 50Ns-2 DELAY. Os ajustes reais estão baseados na aplicação respectiva. endereço 3152.A Figura 2-64 "Características Direcional para medição de for cos-ϕ" na descrição funcional da detecção de falta à terra sensitiva fornece um exemplo observando esse assunto. Determinação da Direção para Medição de V0/I0 ϕ Com a mínima tensão 50Ns-2 Vmin. A temporização de trip é ajustada no endereço 3118 50Ns-1 DELAY. Os limites de faixa de trip com respeito à tensão residual são ajustados por meio do casamento do ângulo de fase 50Ns-2 Phi. METHOD = COS ϕ o componente resistivo da corrente à terra com respeito à tensão residual é o mais relevante para o valor de corrente RELEASE DIRECT. endereço 3151 e ângulo 50Ns-2 DeltaPhi. isto é. o limite inferior do elemento de segmento de circuito 50Ns-2 é ajustado. o ângulo 50Ns-1 DeltaPhi é parametrizado no endereço 3155. Figura 2-76 Característica direcional para medição de sin–ϕ • No endereço 3124 PHI CORRECTION a linha direcional. Ajustes de ângulo negativos mudam a área de trip na direção “indutiva”. corrente à terra indutiva comparada com a tensão à terra. MEAS. pode ser rotacionada dentro da faixa de ± 45°. 51N(s) Quando o endereço 3124 PHI CORRECTION é ajustado para 0. (3I0 DIR. 67N(s).2009 . no endereço 3125 significa o seguinte: • MEAS. O ângulo de fase respectivo 50Ns-1 Phi é ajustado no endereço 3154.

não via ponto de medição). 7SJ80. Publicação 05.Aqui. o dispositivo não deve ser ajustado para operar tão sensitivo. Além disso. entretanto. 51N(s) Compensação de Erro Angular (Transformador I) O componente reativo alto em um sistema ressonante aterrado e o inevitável escape de ar do transformador de corrente toroidal frequentemente requerem que o erro de ângulo do transformador de corrente toroidal seja compensado. a determinação direcional da ocorrência de uma falta à terra é mais dificil. F2/CT Err. uma vez que a corrente à terra capacitiva é aqui mais relevante.2009 207 . 67N(s). I1 assim como um outro ponto operacional CT Err.11 Proteção de Falta à Terra 64. 50N(s). Um ajuste igual a cerca da metade da corrente à terra deve ser selecionado. o método de medição COS ϕ é usado uma vez que a corrente wattmétrica residual é mais relevante. Aqui aplica-se a seguinte regra: Ajuste valores de pickup para cerca da metade da corrente medida esperada. exceto para a corrente à terra gerada no cabo aterrado. assim considerando somente a corrente wattmétrica residual. Sistema Não-Aterrado Em um sistema não-aterrado com uma falta à terra em um cabo. Em sistemas não-aterrados ou aterrados o ângulo de compensação não é necessário. SIPROTEC. correntes à terra capacitivas do sistema galvânico conectado fluem via ponto de medição. uma determinação de direção confiável só pode ser conseguida quando os transformadores de corrente toroidais estão conectados. INs cos ϕ. ou seja. aproxima a característica de transformação do transformador com precisão considerável. Nos endereços 3102 a 3105 o erro de ângulo máximo CT Err. Manual E50417-G1179-C343-A1. já que a corrente wattmétrica residual para medição é usualmente diminuida por uma corrente reativa (seja ela indutiva ou capacitiva) que é muito maior. A corrente wattmétrica residual deriva predominantemente de perdas da bobina de Petersen. O relé. O método de medição deverá ser SIN ϕ. O dispositivo assim. uma vez que a corrente mencionada acima fluirá diretamente para o local da falta (isto é. I2 são ajustados para a demanda real conectada. a corrente à terra total fornecida ao dispositivo pode variar consideravelmente em seus valores no que diz respeito à magnitude e ângulo de fase. F1 e a corrente secundária associada CT Err. Sendo assim. Ao aplicar essa função em sistemas ressonantes aterrado.Funções 2. particularmente com respeito à medição do ângulo de fase de todos os transformadores de instrumentação. dependendo da configuração do sistema e da posição da bobina de compensação de arco. Sistema Ressonante-Aterrado Em sistemas ressonates-aterrados. Isso requer precisão extremamente alta. deve avaliar somente o componente ativo da corrente de falta à terra.

encorajado a parametrizar ajustes para detecção de falta à terra sensitiva em valores secundários. uma vez que a corrente de falta à terra é tipicamente indutiva-resistiva (seção da direita da Figura 2-64 "Curva Direcional para medição de cos-ϕ" na decrição funcional da detecção de falta à terra sensitiva).. 8.0 ° 1.600 A 0..00 A 0. End. I1 1A 5A 0. 175.00 A 50. Entretanto.Funções 2..0 .000 A 0. um valor é ajustado abaixo da mínima corrente de falta à terra esperada. I2 1A 5A 0.05 . É importante observar que 3I0 DIR (valor de corrente RELEASE DIRECT..25 . 67N(s).0 . Máquinas Elétricas Pode ser ajustado o valor COS ϕ para o método de medição e usado um ângulo de correção de +45° para motores elétricos alimentados por um barramento em um sistema não-aterrado. 7SJ80. Informações na Configuração do Limite de Corrente Com dispositivos com entrada de falta à terra sensitiva. 5.000 A 0.250 A 1. geralmente os ajustes podem ser parametrizados em valores primários com consideração à relação do transformador de corrente aplicável. uma vez que a corrente à terra é frequentemente composta de uma sobreposição da corrente à terra capacitiva do sistema e corrente resistiva da resistência de carga (parte da esquerda da Figura "Característica direcional para medição de cos-ϕ" na descrição funcional da detecção de falta à terra sensitiva).) detecta somente os componentes de corrente que são perpendiculares às linhas de limite direcional definidas nos endereços 3124 e 3125. F1 CT Err.05 ... A coluna “C” (Configuração) indica a corrente nominal secundária correspondente do transformador de corrente. A tabela indica ajustes padrão para regiões específicas. 5. COS ϕ é o método de medição usado e o ângulo de correção é ajustado para –45°.001 . 8.5 Ajustes Endereços que possuam um “A” anexo só podem ser alterados com DIGSI em "Display Additional Settings"(Mostrar Ajustes Adicionais).0 ° 0. 2.00 A 0. I1 1A 5A 3103 3104 CT Err.050 A 0.000 A 10.. 1.005 . 35. O usuário é dessa forma. I2 1A 5A 3105 CT Err. 1.005 .. 51N(s) Sistema Aterrado Em sistemas aterrados.00 A 0. Manual E50417-G1179-C343-A1. 35.11.00 A 0.0 ° Corrente I1 para ângulo de Erro do TC Corrente I1 para ângulo de Erro do TC Erro de ângulo do TC em I1 Corrente I2 para ângulo de Erro do TC Corrente I2 para ângulo de Erro do TC Erro de ângulo do TC em I2 3102 CT Err.00 A 5. 175.600 A 0..11 Proteção de Falta à Terra 64. Gnd Fault C Opções de Ajustes OFF ON ON with GF log Alarm Only Ajuste padrão OFF Comentários Falta à Terra (Sensitiva) 3102 CT Err.. problemas relacionados com a resolução das correntes de pickup podem ocorrer quando ajustes muito pequenos e correntes primárias nominais estão envolvidas.000 A 5.00 A 0. F2 208 SIPROTEC. 3101 Parâmero Sens. Publicação 05.0 ° 3104 CT Err. 50N(s).00 A 0.25 .2009 .001 .

05 .25 . 67N(s).400 A 0.00 sec 0. 7SJ80.00 sec. 1. METHOD RESET DELAY SIPROTEC.200 A 0. 8... 50N(s).001 ..010 A 0.00 A 0.100 A 0.050 A 0.0 ° COS ϕ SIN ϕ 0 . 320.50 A 0.. ∞ Ajuste padrão 40 V 75 V 40.. 225.005 .50 A 2.10 . 175.00 A -45.500 A 2.000 A 0. 1A 5A 3124 3125 3126 PHI CORRECTION MEAS. 1.005 ... 45. ∞ 0..2009 209 . 100 V 10 . ∞ 10.00 .00 sec.00 A 0..10 .. 1. 20.25 .00 A 0.. 35.00 A 0.0 .00 A 1. 7...00 A 0..00 sec Forward Pickup de 50Ns-1 3117 50Ns-1 PICKUP 1A 5A Pickup de 50Ns-1 3118 3119 50Ns-1 DELAY 51Ns PICKUP 1A 5A Temporização de 50Ns-1 Pickup de 51Ns 0. Publicação 05.. ∞ Forward Reverse Non-Directional 3113 50Ns-2 PICKUP 1A 5A Pickup de 50Ns-2 3114 3115 50Ns-2 DELAY 67Ns-2 DIRECT Tmeporização de 50Ns-2 Direção de 67Ns-2 3117 50Ns-1 PICKUP 1A 5A 0.0 V. 35.00 A 1.05 . Dial de Tempo 51Nsl Temporização de dropout de 50Ns Direção de 67Ns-1 3123 RELEASE DIRECT... 6. 60 sec 0.04 . Manual E50417-G1179-C343-A1. 200.00 sec 0.00 .00 A 2.00 sec.00 . ∞ 0.100 A 0.. 150..00 sec 0...Funções 2.00 A 10..00 A 0.001 .000 A 0. ∞ 0. 320.25 .00 sec..05 .000 A 0.000 A 0.. 1. 100 V 1.500 A 1.00 A 50. 60.0 .... 3106 3107 3109 3110 3111 3112 3113 Parâmero VPH MIN VPH MAX 64-1 VGND 64-1 VGND T-DELAY Pickup 64-1 DELAY 50Ns-2 PICKUP C Opções de Ajustes 10 .300 A 1.00 sec Forward Comentários Tensão L-Gnd da Fase com Falta Vph Min Tensão L-Gnd da Fase sem Falta Vph Max 64-1Tensão Residual à Terra 64-1 Tensão Residual à Terra Temporização de Pickup 64-1 Temporização Pickup de 50Ns-2 1A 5A 0. 4.600 A 0.. 4.0 V 70.11 Proteção de Falta à Terra 64.00 sec. 320.005 .001 . 40000.8 .0 V 1. 175.25 .500 A 10. 1A 5A 0.05 .00 A 5. 8.001 .0 ° COS ϕ 1 sec Liberação de Elemento Direcional Liberação de Elemento Direcional Ângulo de Correção para Determinação de Direção Método de Medição para Direção Reset de Temporização 3123 RELEASE DIRECT.005 .00 sec Forward Reverse Non-Directional 3119 51Ns PICKUP 1A 5A Pickup de 51Ns 3120 3121A 3122 51NsTIME DIAL 50Ns T DROP-OUT 67Ns-1 DIRECT. 51N(s) End. 30. ∞ 0.600 A 0.00 sec 10.00 A 0.0 V.

30.05 .200 A 0. ∞ Forward Reverse Non-Directional 3113 50Ns-2 PICKUP 1A 5A Pickup de 50Ns-2 3114 3115 50Ns-2 DELAY 67Ns-2 DIRECT Tmeporização de 50Ns-2 Direção de 67Ns-2 3117 50Ns-1 PICKUP 1A 5A 0.001 . 1A 5A 0.050 A 0...00 A 1.500 A 1.00 A 0.00 A 0. 20.. ∞ 0...05 . Dial de Tempo 51Nsl Temporização de dropout de 50Ns Direção de 67Ns-1 3123 RELEASE DIRECT.. METHOD RESET DELAY 210 SIPROTEC. 1.0 V 1.8 .001 .00 A 0. 320. 3106 3107 3109 3110 3111 3112 3113 Parâmero VPH MIN VPH MAX 64-1 VGND 64-1 VGND T-DELAY Pickup 64-1 DELAY 50Ns-2 PICKUP C Opções de Ajustes 10 .0 ° COS ϕ SIN ϕ 0 .. 1.000 A 0.00 .100 A 0.00 sec.00 . ∞ 0.25 .. 7.00 A 0..001 . ∞ 10.00 sec. 1.001 .100 A 0.. 45.. 7SJ80.2009 .0 ° COS ϕ 1 sec Liberação de Elemento Direcional Liberação de Elemento Direcional Ângulo de Correção para Determinação de Direção Método de Medição para Direção Reset de Temporização 3123 RELEASE DIRECT.. 4.500 A 2.005 . 35.. 200. 320.000 A 0. 8.05 .25 . 1A 5A 3124 3125 3126 PHI CORRECTION MEAS.11 Proteção de Falta à Terra 64.0 .10 .00 sec Forward Reverse Non-Directional 3119 51Ns PICKUP 1A 5A Pickup de 51Ns 3120 3121A 3122 51NsTIME DIAL 50Ns T DROP-OUT 67Ns-1 DIRECT..010 A 0.0 V 70..500 A 10.005 . 1. 100 V 10 .00 sec Forward Comentários Tensão L-Gnd da Fase com Falta Vph Min Tensão L-Gnd da Fase sem Falta Vph Max 64-1Tensão Residual à Terra 64-1 Tensão Residual à Terra Temporização de Pickup 64-1 Temporização Pickup de 50Ns-2 1A 5A 0. ∞ Ajuste padrão 40 V 75 V 40.600 A 0. Publicação 05. 100 V 1.00 A -45.25 .. 4.00 .400 A 0.00 A 0.00 sec.005 .00 sec... 35.00 A 10..005 . 175.00 A 50.000 A 0.600 A 0. ∞ 0.05 .Funções 2. 150..00 sec 10.00 sec Forward Pickup de 50Ns-1 3117 50Ns-1 PICKUP 1A 5A Pickup de 50Ns-1 3118 3119 50Ns-1 DELAY 51Ns PICKUP 1A 5A Temporização de 50Ns-1 Pickup de 51Ns 0.. 8.00 sec 0.00 sec 0. 6..00 A 5. 51N(s) End. ∞ 0.10 .. Manual E50417-G1179-C343-A1.0 . 50N(s)... 175.300 A 1.04 .00 A 0..000 A 0.00 A 1.0 V.0 V. 67N(s)..00 sec.00 A 0. 225. 60. 40000.50 A 0.50 A 2. 60 sec 0. 320.00 sec 0.00 A 2..25 .

0 V 70. 200. 7.0 ° COS ϕ SIN ϕ 0 . 7SJ80.00 A 1. 320. ∞ Forward Reverse Non-Directional 3113 50Ns-2 PICKUP 1A 5A Pickup de 50Ns-2 3114 3115 50Ns-2 DELAY 67Ns-2 DIRECT Tmeporização de 50Ns-2 Direção de 67Ns-2 3117 50Ns-1 PICKUP 1A 5A 0...100 A 0.00 A 50. 67N(s).600 A 0.0 V.00 sec. ∞ 0.300 A 1.00 sec.500 A 1.050 A 0. 4..2009 211 . 320. METHOD RESET DELAY SIPROTEC. ∞ Ajuste padrão 40 V 75 V 40.100 A 0.00 A 10.11 Proteção de Falta à Terra 64. 6. 8.005 .500 A 2. 50N(s).200 A 0.00 sec.25 . 1. 1A 5A 3124 3125 3126 PHI CORRECTION MEAS.Funções 2...10 ..25 .00 A -45. 30. 1.04 . 225.00 A 1.00 sec.. 100 V 10 . ∞ 0. 51N(s) End.25 .00 sec Forward Pickup de 50Ns-1 3117 50Ns-1 PICKUP 1A 5A Pickup de 50Ns-1 3118 3119 50Ns-1 DELAY 51Ns PICKUP 1A 5A Temporização de 50Ns-1 Pickup de 51Ns 0.05 . 1..8 . 60 sec 0.400 A 0. 8.10 . 4. 100 V 1..05 .00 sec 0.0 ..0 ° COS ϕ 1 sec Liberação de Elemento Direcional Liberação de Elemento Direcional Ângulo de Correção para Determinação de Direção Método de Medição para Direção Reset de Temporização 3123 RELEASE DIRECT. 175.001 .00 sec 0.001 .00 ...00 A 0.00 sec Forward Comentários Tensão L-Gnd da Fase com Falta Vph Min Tensão L-Gnd da Fase sem Falta Vph Max 64-1Tensão Residual à Terra 64-1 Tensão Residual à Terra Temporização de Pickup 64-1 Temporização Pickup de 50Ns-2 1A 5A 0.600 A 0. ∞ 10.. Dial de Tempo 51Nsl Temporização de dropout de 50Ns Direção de 67Ns-1 3123 RELEASE DIRECT.05 .00 A 0. 45..0 V 1.0 .000 A 0.00 A 0. Publicação 05... Manual E50417-G1179-C343-A1. 35...000 A 0.001 .05 . 20..0 V.005 .00 sec Forward Reverse Non-Directional 3119 51Ns PICKUP 1A 5A Pickup de 51Ns 3120 3121A 3122 51NsTIME DIAL 50Ns T DROP-OUT 67Ns-1 DIRECT.. 3106 3107 3109 3110 3111 3112 3113 Parâmero VPH MIN VPH MAX 64-1 VGND 64-1 VGND T-DELAY Pickup 64-1 DELAY 50Ns-2 PICKUP C Opções de Ajustes 10 . ∞ 0.00 . 40000.00 A 0.00 A 0.. ∞ 0.500 A 10.00 sec.. 1.000 A 0.00 sec 10.00 A 2.00 . 1A 5A 0... 175..50 A 0.00 A 0.. 35. 60. 150..000 A 0.010 A 0.005 .00 sec 0.. 320.25 .50 A 2.005 .00 A 0.001 .00 A 5.

0 V 10.0 .0 ° 30..0 V -180. 20. 50N(s).. 67N(s). 50.0 ° Ajuste padrão Vgnd OR INs Comentários Critério de PICKUP de Falta à Terra Sensitiva Múltiplos de PU Dial de Tempo 2.0 . 999.0 V -90.00 MofPU...2009 .00 TD 0.. Publicação 05.. 180. 180.0 .. 7SJ80. 3130 3131 3150 3150 3151 3152 3153 3153 3154 3155 Parâmero PU CRITERIA M.0 ° 0.0 . 90.0 V -160.0 ° 0.0 V 10.0 ° 0.01 . Manual E50417-G1179-C343-A1. 180.0 .0 V -180. 180.4 . ∞ 0.0 .0 V 10.11 Proteção de Falta à Terra 64. 90. 51N(s) End.0 V 15.of PU TD 50Ns-2 Vmin 50Ns-2 Vmin 50Ns-2 Phi 50Ns-2 DeltaPhi 50Ns-1 Vmin 50Ns-1 Vmin 50Ns-1 Phi 50Ns-1 DeltaPhi C Opções de Ajustes Vgnd OR INs Vgnd AND INs 1.. 50.0 ° Tensão mínima de 50Ns-2 Tensão mínima de 50Ns-2 ângulo phi de 50Ns-2 ângulo delta phi de 50Ns-2 Tensão mínima de 50Ns-1 Tensão mínima de 50Ns-1 ângulo phi de 50Ns-1 ângulo delta phi de 50Ns-1 212 SIPROTEC.Funções 2.4 ..0 ° 100.00 .0 ° 6..

Gnd block IEEa = IEEr = IEE = VGND. 67N(s). Gnd Ph C SensGnd Forward SensGnd Reverse SensGnd undef. Manual E50417-G1179-C343-A1. 51Ns BLK PaErr ϕ(3Vo. 51N(s) 2.2009 213 . 3Vo Pickup de Falta à Terra Sensitiva Pickup na Fase A de Falta à Terra Sensitiva Pickup na Fase B de Falta à Terra Sensitiva Pickup na Fase C de Falta à Terra Sensitiva Direção Para Frente na Falta à Terra Sensitiva Direção Reversa na Falta à Terra Sensitiva Direção Indefinida na Falta à Terra Sensitiva Falta à Terra Sensitiva Erro de Ajuste de 51Ns BLOQUEADO Ângulo entre 3Vo e INsens. Comentários SIPROTEC.11.6 No. Gnd Ph B Sens.11 Proteção de Falta à Terra 64. 1201 1202 1203 1204 1207 1211 1212 1215 1217 1221 1223 1224 1226 1227 1229 1230 1264 1265 1266 1267 1271 1272 1273 1274 1276 1277 1278 16029 16030 Lista de Informações Informação >BLOCK 64 >BLOCK 50Ns-2 >BLOCK 50Ns-1 >BLOCK 51Ns >BLK 50Ns/67Ns 50Ns/67Ns OFF 50Ns/67Ns ACT 64 Pickup 64 TRIP 50Ns-2 Pickup 50Ns-2 TRIP 50Ns-1 Pickup 50Ns-1 TRIP 51Ns Pickup 51Ns TRIP Sens. corrente à Terra Reativa Corrente à terra. corrente à Terra Resistiva Corr.INs) = Tipo de Info. 3Vo Sens. Valor absoluto Tensão Residual VGND. 50N(s). Gnd Ph A Sens. 7SJ80. Publicação 05.Funções 2. SP SP SP SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT VI VI VI VI OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT VI >BLOQUEAR 64 >BLOQUEAR 50Ns-2 >BLOQUEAR 50Ns-1 >BLOQUEAR 51Ns >BLOQUEAR 50Ns/67Ns 50Ns/67Ns está OFF (DESLIGADO) 50Ns/67Ns está ATIVO Pickup da tensão residual 64 TRIP do elemento de tensão residual 64 Pickup de 50Ns-2 TRIP de 50Ns-2 Pickup de 50Ns-1 TRIP de 50Ns-1 Pickup de 51Ns TRIP de 51Ns Detecção de falta à terra sensitiva BLOQUEADA Corr.Gnd Pickup Sens.

Para essa aplicação.. Se a falta ainda existir após o religamento automático ( o arco não desapareceu. Manual E50417-G1179-C343-A1. reatores e etc. proteção de backup).12 Sistema de Religamento Automático 79 Pela experiência. cerca de 85 % de faltas de isolação associadas com linhas aéreas são curto-circuitos de arco que são temporários na natureza e desaparecem quando a proteção tem efeito. Em alguns sistemas várias tentativas de religamento são executadas. A reconexão é conseguida. • Também é possível permitir o trabalho do relé 7SJ80 em conjunto com um dispositivo de religamento externo.2009 . Aplicações • O sistema de religamento automático integrado no 7SJ80 pode também ser controlado via um dispositivo de proteção externo (por exemplo. uma troca de sinal deve ocorrer entre o 7SJ80 e o dispositivo de proteção externo via entradas e saídas binárias. • O sistema de religamento automático pode também operar em interação com a função de sincronização integrada ou com um syncrocheck externo. transformadores. após um tempo morto. pelo sistema de religamento automático. 214 SIPROTEC. 7SJ80.Funções 2. • Como a função de religamento automático não é aplicada quando o 7SJ80 é usado para proteger geradores.cabos. existe uma falta metálica).12 Sistema de Religamento Automático 79 2. ela deve ser desabilitada para essas aplicações. então. Publicação 05. os elementos de proteção farão novamente trip do disjuntor (re-trip). Isso significa que a linha pode ser novamente conectada.

7SJ80. de disparo simples e múltiplo (AR) A Figura 2-77 mostra um exemplo de um diagrama de tempo para um segundo religamento bem sucedido. segundo ciclo bem sucedido A figura seguinte é exemplo de um diagrama de tempo mostrado para dois disparos mau sucedidos de religamento sem o religamento automático adicional do disjuntor.12. O número de comandos de religamento iniciado pela função de religamento automático é contado.12 Sistema de Religamento Automático 79 2. Figura 2-77 Diagrama de tempo mostrando dois disparos de religamento. Manual E50417-G1179-C343-A1. Um contador estatístico para esse propósito está disponível para o primeiro e todos os subsequentes comandos de religamento. primeiro ciclo sem sucesso.Funções 2.1 Execução do Programa O 7SJ80 está equipado com um religamento automático integrado tripolar.2009 215 . Publicação 05. SIPROTEC.

O sistema de religamento automático pode ser de tal forma programado que qualquer dos elementos da Tabela 2-12 podem iniciar (Starts 79). pickup de proteção) se o endereço 7164 BINARY INPUT for ajustado para Starts 79. ser iniciado via qualquer mensagem (por exemplo. a função de religamento automático é informada de que um comando de trip foi emitido e o respectivo programa de religamento está agora sendo executado. Manual E50417-G1179-C343-A1. não iniciar (No influence). ou bloquear o religamento (Stops 79): Tabela 2-12 Iniciando religamento automático Partida direcional 67-1 67N-1 67-2 67N-2 67-TOC 67N-TOC Outra partida FALTA Á TERRA SENSITIVA (50Ns.Funções 2.2009 . 216 SIPROTEC. O religamento automático pode. As mensagens de entrada binária 2715 „>Start 79 Gnd“ e 2716 „>Start 79 Ph“ para iniciar o programa de religamento automático pode também ser ativadas via CFC (Processamento de tarefa PLC rápida). 51Ns) 46 ENTRADA BINÁRIA 50-1 50N-1 50-2 50-3 50N-2 50N-3 51 51N Partida não-direcional Na inicialização. 7SJ80. dessa forma. Publicação 05.12 Sistema de Religamento Automático 79 Figura 2-78 Diagrama de tempo mostrando dois disparos de religamentos mau sucedidos Início O início da função de religamento automático pode ser causada pelas funções de proteção internas ou externamente por meio de entradas binárias.

O quinto e procedentes religamentos automáticos correspoderão ao quarto tempo morto. SIPROTEC. A temporização do início de tempo morto pode ser monitorada pelo parâmetro 7118 T DEAD DELAY. Se o tempo expira e a entrada binária ainda está ativa. se todas as funções de proteção de falta que iniciam o religamento automático. o início do tempo morto pode ser temporizado pelo pickup da mensagem da entrada binária 2754 “>79 DT St. o Sistema de Religamento Automático 79 (Automatic Reclosing System 79) muda o status do bloqueio dinâmico via (2785 “79 DynBlock“). o programa de religamento de falta à terra só é executado quando os elementos associados com uma fase em particular oferecem pickup até que o disjuntor seja aberto. Temporização de Início de Tempo Morto Após a partida da função de religamento automático. quando elementos associados com duas ou mais fases provocam pickup. O programa de religamento avalia somente elementos durante pickup como elementos que em dropout podem corromper o resultado se ocorrerem dropouts desses elementos em tempos diferentes quando da abertura do disjuntor. Se o programa de religamento automático interage com um dispositivo externo de proteção. As seguintes condições devem ser aplicadas: só uma fase. o qual é configurado como fonte do programa de religamento automático. • O programa de religamento de falta multifásico (falta de fase) se aplica em todos os outros casos.Funções 2.2009 217 . o programa de religamento automático é iniciado. Comandos de trip das funções de proteção que não estão configurados como partida. só uma fase e terra ou só terra tem pickup. o seguinte se aplica: • Um programa de religamento de falta monofásico (falta à terra) é aplicado. é comunicado ao programa de religamento automático via entrada binária 2711 “>79 Start“. As primeiras quatro tentativas podem ser ajustadas diferentemente para cada um dos dois programas de religamento.“. O tempo de ação é iniciado quando um pickup de qualquer função é detectado. causam o bloqueio dinâmico do programa de religamento automático. até 9 tentativas de religamento podem ser programadas separadamente. Assim. Programas de Religamento Dependendo do tipo de falta. não afetam o tempo de ação. podem ser usados dois tipos diferentes de programas. o pickup geral do dispositivo para início do tempo de operação. configurada como função de partida. Aqui. ocorrendo no tempo entre a expiração do tempo de ação e o dropout de pickup do dispositivo. Este programa também pode ser iniciado por uma entrada binária. Os comandos de trip de uma função de proteção configurada como função de partida. O tempo morto não é iniciado enquanto a entrada binária estiver ativa. 7SJ80. Publicação 05. A temporização máxima do início de tempo morto é registrada pela mensagem 2753 “79 DT delay ex. Esse programa pode ser iniciado também via entrada binária. A partida só ocorre com entrada binária desativada. Isto é. todos as outras condições iniciarão o programa de falta de fase. Para cada um dos programas. detectaram uma falta fase-terra. não disparam o tempo de ação.12 Sistema de Religamento Automático 79 Tempo de Ação O tempo de ação (endereço 7117) monitora o tempo entre um pickup do dispositivo e o comando de trip de uma função de proteção. As funções de proteção que estão configuradas como Alarm Only ou que em princípio não devem iniciar um programa de religamento. Se a função de proteção configurada como partida inicia um comando de trip durante o tempo de ação.Delay“. Manual E50417-G1179-C343-A1. tais como elementos de sequência negativa. com ou sem o pickup dos Elementos de terra.

Se a falta é eliminada (tentativa bem sucedida de religamento). serão iguais ao intervalo de tempo morto que precede a quarta tentativa de religamento. Dentro deste tempo de restrição é verificado se o religamento automático foi conduzido satisfatoriamente. isto é. Os intervalos de tempo morto que precedem a quinta tentativa de religamento.tempo. a proteção fornece trip com temporização conforme o mapa de coordenação de graduação do sistema. então um sinal final de trip é iniciado por um ou mais elementos de proteção. Se nenhuma das tentativas de religamento for bem sucedida. Religamento com Disparo Único Quando um sinal de trip é programado para iniciar o religamento automático. um sinal de fechamento é emitido para religar o disjuntor. então ocorre um trip final do disjuntor (de acordo com o gráfico de coordenação graduada). causando o trip final do disjuntor. O número pode ser distintamente ajustado para o programa de religamento de falta de fase e para o programa de religamento de falta à terra. A falta é eliminada. podem ser ajustados diferentemente para cada um dos dois programas de religamento. isto não resulta em um trip final. Religamento com Múltiplos Disparos O 7SJ80 permite até 9 religamentos. Se uma nova falta ocorrer antes da expiração do tempo de restrição. igual ao do religamento automático de disparo único. Todas as tentativas de religamento foram mal sucedidas. Se a falta não tiver sido eliminada (tentativa mal sucedida de religamento). Um intervalo de tempo de bloqueio TIME RESTRAINT é iniciado ao mesmo tempo.o mais curto possível . faltas em qualquer parte da linha devem ser eliminadas do terminal(is) da linha de alimentação com o mesmo . Manual E50417-G1179-C343-A1. Consulte também as informações no cabeçalho lateral de página sobre “Interação com a Função de Religamento Automático” nas Notas de Ajustes das funções de proteção de sobrecorrente temporizada. Extinções rápidas de faltas tem então prioridade quanto aos aspectos de seletividade uma vez que a ação de religamento tem como meta a manutenção normal da operação do sistema. Quando o intervalo de tempo tiver expirado. Após trip final do disjuntor. Se a primeira tentativa de religamento é mal sucedida. o tempo de bloqueio expira e o religamento automático é resetado em antecipação a uma falta futura. uma vez que a seletividadetem prioridade nesse caso. em princípio. um intervalo de tempo morto de acordo com o tipo de falta é iniciado (veja também o cabeçalho de margem “Programs de Religamento”). o sistema de religamento automático é dinamicamente bloqueado. se a falta desapareceu após o religamento. A falta é eliminada. O tempo morto pode ser ajustado individualmente para cada um dos dois programas de religamento. Para esse propósito todas as funções de proteção que possam iniciar a função de religamento automático são ajustadas de tal maneira que elas possam fornecer trip instantâneamente ou com uma temporização muito pequena antes do auto religamento. 218 SIPROTEC.Funções 2. após a última tentativa permitida de religamento ter sido efetuada pela função de proteção.2009 . o tempo de restrição expira e o sistema de religamento automático é resetado. isto é. dessa forma. Os intervalos de tempo morto que precedem as primeiras quatro tentativas de religamento. 7SJ80. é executado o programa de religamento automático apropriado. mas no reset do intervalo do tempo de restrição e início do próximo ciclo de religamento. Os contatos auxiliares do disjuntor também podem ser um critério para abertura do disjuntor. Publicação 05. O primeiro ciclo de religamento é. seja alcançado. com o próximo tempo morto. nenhum religamento automático deve ser esperado. Quando ocorre trip final. o dropout do pickup geral do dispositivo.12 Sistema de Religamento Automático 79 Religamento Antes da Seletividade Para que a sequência de religamento automático seja bem sucedida. ou ainda. se os contatos auxiliares não estiverem configurados. Se uma das tentativas de religamento é bem sucedida. o sistema de religamento automático é dinamicamente bloqueado (veja abaixo). Uma vez aberto o disjuntor. um elemento de proteção instantânea é ajustado para operar antes de um religamento automático. Isto pode ser repetido até que o número ajustado de tentativas de religamento para o programa de religamento correspondente. Usualmente.

o bloqueio dinâmico será resetado. não está pronto para iniciar um religamento e que não pode iniciá-lo enquanto o sinal de bloqueio estiver presente. A temporização 211 TMax CLOSE CMD define o tempo máximo durante o qual um comando de fechamento pode ser aplicado. • A função de proteção detectou uma falta trifásica e o dispositivo está programado para não religar após faltas trifásicas. a condição de bloqueio não mais se mantiver após o tempo de bloqueio. 2784) é gerada. Bloqueio Dinâmico O bloqueio dinâmico do programa de religamento automático. Se a condição de bloqueio ainda está presente ou se uma nova condição de bloqueio é cumprida.Funções 2. Se um comando de trip ocorre agora. Bloqueio dinâmico é iniciado se: • O número máximo de tentativas de religamento foi atingido. o dispositivo verifica se a condição de bloqueio pode ou não ser resetada. 2730) indica que o disjuntor desaparece via entrada binária. No. O bloqueio dinâmico é sinalizado pela mensagem “79 DynBlock“. que deve ocorrer durante esse tempo! 2. Publicação 05. se o sistema de religamento automático não é iniciado (mensagem associada: “>CB Ready“).2703) está presente em uma entrada binária. acima). se as seguintes condições forem cumpridas.2 Bloqueio Bloqueio Estático Bloqueio estático significa que o sistema de religamento automático. O tempo de bloqueio é usualmente iniciado por uma condição de bloqueio que tenha sido cumprida. (indicado por “79 Max. • Nenhuma função de proteção (parâmetros 7150 a 7163) ou entrada binária está ajustada para iniciar o sistema de religamento automático (mensagem associada: “79 no starter“). O bloqueio dinâmico está associado com o tempo de bloqueio configurável SAFETY 79 ready. ocorre em casos em que o programa de religamento está ativo e uma das condições para bloqueio é cumprida. Se o ajuste da temporização TMax CLOSE CMD for mais longo do que o tempo de restrição TIME RESTRAINT. dentro do tempo de bloqueio dinâmico. para bloquear elementos de proteção que são apenas supostos a operar quando o religamento está ativo (veja também “Religamento Antes da Seletividade”. pelos contatos auxiliares do disjuntor. Uma mensagem correspondente “79 is NOT ready“ (FNo.u. • O sinal “>CB Ready“ (FNo. Após o tempo de bloqueio ter expirado.“).12.2009 219 . após expirar! Um pickup de uma função de proteção que é ajustado para iniciar o sistema de religamento automático. • O número permitido de tentativas de religamento ajustado para ambos os programas de religamento. o comando de fechamento será abortado. SIPROTEC. Cyc“). (indicado por “79 BLK:3ph p. o tempo de bloqueio é reiniciado. é zero (mensagem associada: “79 no cycle“). O sinal de bloqueio estático também é usado internamente. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. também levará a um prolongamento do tempo de bloqueio.12 Sistema de Religamento Automático 79 Tempo de Bloqueio A função de tempo de bloqueio já foi descrita na seção "Religamento com Disparo Único/Múltiplos”. o programa de religamento automático será bloqueado dinamicamente. todavia. o tempo de restrição será prolongado até o restante da duração do comando de fechamento. O tempo de bloqueio pode ser prolongado. Isto leva a crer que o 7SJ80 é informado sobre a posição do disjuntor. Se. Se um novo comando de trip ocorre antes desse tempo ter decorrido. • A posição do disjuntor é reportada como “open” (aberta) e nenhum comando de trip é aplicado (mensagem associada: “79 BLK: CB open“). enquanto o sistema de religamento automático não é iniciado (mensagem associada: “>BLOCK 79“). O sistema de religamento automático é estaticamente bloqueado se: • O sinal “>BLOCK 79“ FNo.

Funções 2. Se o bloqueio ocorrer enquanto o religador automático estiver em estado normal. Se a entrada binária não estiver mais ativa. Ao expirar. 220 SIPROTEC. desde que aquela verificação do disjuntor tenha sido ativada (endereço 7113 CHECK CB? = Chk each cycle. • O disjuntor não está pronto após ter expirado o tempo de monitoramento do disjuntor. 2703 „>BLOCK 79“). levando à conclusão de que o disjuntor tenha falhado. indicado por “79 T-CBreadyExp“). O tempo de prolongamento é iniciado quando o tempo morto regular tiver expirado. • Ocorre trip da função de proteção que deve bloquear a função de religamento automático (como configurado). indicado por “79 T-Start Exp“). O bloqueio finaliza imediatamente quando a entrada binária tiver sido eliminada e a função de religamento automático entender estado normal. O sistema de religamento automático entende estado normal quando o tempo de bloqueio tiver expirado e novas condições de bloqueio não se apliquem (indicado por „79 TdeadMax Exp“) .2009 . Neste caso a ativação da entrada binária inicia o tempo de bloqueio dinâmico SAFETY 79 ready. o prolongamento do tempo morto é monitorado. sem que a entrada binária “>79 DT St. o programa de religamento automático muda de bloqueio dinâmico para bloqueio estático. o dispositivo verifica de a entrada binária ainda está ativa. Se a função de religamento automático estiver em progresso quando chega o bloqueio. • Caso tiver sido detectado (externamente) e o parâmetro BLOCK MC Dur. Para prevenir o sistema de religamento automático de assumir um estado indefinido. • Via uma entrada binária correspondentemente configurada (FNo. sem restrição ao status do sistema de religamento automático (iniciado / não iniciado). O monitoramento de falha do disjuntor previne religamento inesperado após o disjuntor ter sido reconectado. (O monitoramento de falha do disjuntor é primariamente utilizado para propósitos de comissionamento. • O disjuntor não está pronto após o máximo prolongamento do tempo morto Max. ocorre o bloqueio dinâmico („79 DynBlock“). Verificações de segurança de comissionamento são frequentemente conduzidas com o disjuntor desconectado. • O tempo de ação expirou sem a emissão de um comando de TRIP.12 Sistema de Religamento Automático 79 • Se o período máximo de espera T DEAD DELAY para a temporização da iniciação de tempo morto pelas entradas binárias expira. 7SJ80. quando expirar o tempo e se não se aplicarem novas condições de bloqueio.Delay“ tenha sido desativada durante este período de tempo. • Não há trip do disjuntor dentro do tempo configurado T-Start MONITOR após ter sido emitido o comando de trip. Publicação 05. Isto se aplica. DEAD EXT. o sistema de religamento automático entende estado normal. Se esse for o caso. este último será bloqueado estaticamente („79 is NOT ready“). • A função de falha do disjuntor é iniciada. O monitoramento do status do disjuntor e o syncrocheck pode causar um prolongamento indesejado do tempo morto. iniciará um bloqueio dinâmico (indicado por “79 Tact expired“). a função de religamento automático é dinamicamente bloqueada e o tempo de bloqueio disparado. Depois de ter expirado. se ocorre um comando de TRIP de um elemento de bloqueio (indicado por “79 BLK by trip“). Manual E50417-G1179-C343-A1. Cada comando de TRIP que ocorre após a expiração do tempo de ação e antes da queda dos elementos que tiveram pickup.. (T = 0) tiver sido ajustado de tal forma que o sistema de religamento automático responda ao fechamento manual.

Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. O monitoramento para "52-b sem TRIP" e iniciando o tempo morto na dependência do feedback do disjuntor. 7SJ80. todos os comandos de trip do dispositivo são levados em consideração independente da função agir como elemento de partida ou bloqueio em benefício do programa de religamento automático. fechado ou em posição intermediária.2009 221 . o sistema de religamento automático será controlado exclusivamente via comandos de pickups e trip. Uma posição intermediária do disjuntor não pode ser detectada para esse tipo de alocação. o bloqueio será do tipo estático. O tempo morto é iniciado se a entrada binária tornar-se inativa seguindo-se comando de trip de um elemento de partida 4601 „>52-a“ = inativa). Se o sistema de religamento automático está em estado normal.3 Reconhecimento de Status e Monitoramento do Disjuntor Status do Disjuntor A detecção do status real do disjuntor é necessária para a funcionalidade correta da função de auto-religamento. o programa de religamento automático não pode detectar a posição do disjuntor. o tempo morto é iniciado. Se a entrada binária tornar-se ativa enquanto nenhum comando de trip de qualquer função se aplicar. Neste caso. ele será bloqueado estaticamente. aplica-se o seguinte: • Se a entrada binária 4601 „>52-a“ e a entrada binária 4602 „>52-b“ são usadas. o sistema de religamento automático será bloqueado. a função de religamento automático pode detectar se o disjuntor está aberto. Caso contrário. a função de religamento automático é dinamicamente bloqueada se estiver já em progresso. • Se nem a entrada binária 4602 „>52-b“ nem a 4601 „>52-a“ são alocadas. SIPROTEC. não é possível neste caso.12. Quando se verificar se um comando de trip se aplica. O bloqueio será de natureza estática se o sistema de religamento automático estiver em estado normal nesse momento. Uma posição intermediária do disjuntor não pode ser detectada para esse tipo de alocação. Se a entrada binária tornar-se inativa enquanto nenhum comando de trip de qualquer função se aplica. • Se apenas a entrada binária 4602 „>52-b“está alocada. Se o sistema de religamento automático estiver já em progresso. o disjuntor é considerado aberto enquanto a entrada binária está ativa. O status do disjuntor é detectado pelos contatos auxiliares do disjuntor e é comunicado ao dispositivo via entradas binárias 4602 „>52-b“ e 4601 „>52-a“ . o bloqueio será do tipo dinâmico. O tempo morto é iniciado se a entrada binária tornar-se ativa seguindo-se comando de trip de um elemento de partida. o disjuntor é considerado aberto enquanto a entrada binária não está ativa.Funções 2.12 Sistema de Religamento Automático 79 2. • Se apenas entrada binária 4601 „>52-a“ está alocada. Se ambos contatos auxiliares detectam que o disjuntor está aberto. Se o disjuntor está aberto ou na posição intermediária sem um comando de trip presente. o sistema de religamento automático será dinamicamente bloqueado desde que já esteja em progresso. Aqui.

No caso desse sinal do disjuntor não estar disponível. este último será prolongado em correspondência. o inicio do monitoramento é desabilitado. 7SJ80. a função de religamento automático será dinamicamente bloqueada. Se o tempo expirar antes da verificação do sincronismo reagir. Publicação 05. • O tempo necessário para o disjuntor voltar a ganhar o estado de prontidão pode ser monitorado pelo 7SJ80. esse tempo será cancelado e o processo de religamento seguirá. 2730). A interação com a verificação de sincronismo pode causar prolongamento inadmissível do tempo morto. a tentativa de religamento permanecerá bloqueada.Funções 2. O tempo de monitoramento Max. é a de que o disjuntor esteja pronto para pelo menos um ciclo TRIP-FECHAMENTO-TRIP. O tempo 7114 T-Start MONITOR serve para monitoramento da resposta da função de religamento automático para uma falha do disjuntor. seguindo comando de trip iniciado por um elemento do relé de proteção e a subsequente iniciação da função de religamento automático. Falha do disjuntor é detectada: Uma pré-condição para uma tentativa de religamento. o dispositivo assume uma falha do disjuntor e a função de religamento automático é bloqueada dinamicamente. Significando que como a entrada binária „>CB Ready“ é desativada. Manual E50417-G1179-C343-A1. Para prevenir a função de religamento automático de permanecer em um estado indefinido. o tempo de monitoramento será paralizado e gerado o comando de fechamento. o prolongamento do tempo morto é monitorado. Uma tentativa de religamento será bloqueada até que a entrada binária indique que o disjuntor está pronto para completar outro ciclo FECHAMENTO-TRIP. o tempo de monitoramento CB TIME OUT é iniciado. o recurso de monitoramento do disjuntor deverá estar desabilitado.. • Especiallmente quando estão programadas múltiplas tentativas de religamento. A prontidão para o disjuntor é monitorada pelo dispositivo usando uma entrada binária „>CB Ready“. O tempo de monitoramento CB TIME OUT expira enquanto o disjuntor não indicar que está pronto via entrada binária „>CB Ready“ (FNo. caso contrário. Ele é ativado por um comando de trip chegando antes ou durante a operação de religamento e marca o tempo que passa entre o trip e a abertura do disjuntor. O prolongamento máximo do tempo morto pode ser ajustado em Max. é iniciado quando o tempo morto regular tiver expirado. a função de religamento automático será bloqueada dinamicamente. Se o tempo de monitoramento expirar antes do disjuntor sinalizar sua prontidão. Se a verificação de sincronismo responder antes do tempo ter expirado.2009 . DEAD EXT. 222 SIPROTEC. DEAD EXT. Se o tempo expirar. é uma boa idéia monitorar o disjuntor não somente antes da primeira mas também em cada tentativa de religamento. Se o parâmetro T-Start MONITOR é ajustado para ∞. Se o tempo de monitoramento for mais longo do que o tempo morto. Se a entrada binária retornar antes de ter expirado o tempo de monitoramento. Favor assegurar-se de que o tempo acima mencionado não seja menor do que o tempo de monitoramento CB TIME OUT.12 Sistema de Religamento Automático 79 Monitoramento do Disjuntor O tempo necessário para o disjuntor executar um ciclo completo de religamento pode ser monitorado pelo 7SJ80.

Seguindo um religamento bem sucedido (tempo de bloqueio expirado) ou após o retorno do bloqueio. 3. Elementos de sobrecorrente temporizada podem fornecer trip instantâneamente dependendo do ciclo de religamento automático (T = 0).12 Sistema de Religamento Automático 79 2. Controle Cíclico O controle dos elementos de proteção de sobrecorrente temporizada tem efeito pela liberação do ciclo marcado pelo parâmetro correspondente. Para outras informações consulte o título lateral "Controle Cíclico". 7SJ80. Se o sistema de religamento está em estado normal.CycZoneRel“. O controle da proteção é novamente assumido pelos parâmetros para o ciclo inicial. Os estados de religamento automático "Auto Religamento pronto"(ready) e "Auto Religamento não pronto" (not ready).CycZoneRel“ a „79 4.4) com respeito a limites e temporizações de trip.4 Controle de Elementos de Proteção Dependendo do ciclo de religamento. O parâmetro de proteção de sobrecorrente temnporizada 1X14A 50(N)-2 ACTIVE ou 1X16A 50(N)-3 ACTIVE define se os elementos 50(N)-2 ou 50(N)-3 operam sempre ou somente quando com "79M Auto Reclosing ready"(veja Seção 2. A figura seguinte ilustra o controle dos elementos da proteção 50-2 e 50N-2. Publicação 05. eles podem permanecer não afetados pela função de auto-religamento AR (T = T) ou podem ser bloqueados (T = ∞).12.6 e Seção 2.Funções 2. Os ajustes são liberados para cada ciclo seguinte emitindo comando de fechamento e iniciando o tempo de bloqueio. Manual E50417-G1179-C343-A1.2).12. Existem três mecanismos: 1. SIPROTEC. 2. Esses ajustes sempre têm efeito quando o sistema de religamento automático assume estado normal. a função de auto-religamento vai para estado normal. os ajustes para o inicio do ciclo se aplicam. A liberação da zona do ciclo é indicada pelas mensagens „79 1. podem ativar ou desativar a função de pickup de carga fria dinâmico. Essa função é deignada para influenciar estágios de sobrecorrente (veja também a Seção 2. é possível controlar elementos da proteção de sobrecorrente direcional e não-direcional por meio do sistema de religamento automático (Controle de Elementos de Proteção).2009 223 .

224 SIPROTEC. para assegurar que os elementos 50-2 e 50N-2 sejam bloqueados quando se aplicar o segundo religamento. Se a falta prevalesce.1. entretanto. os elementos 50-2 ou 50N-2 devem ser bloqueados assim a falta pode ser eliminada pela aplicação dos elementos 50-1 ou 50N-1 conforme o gráfico de coordenação de graduação do sistema dando prioridade para os aspectos de seletividade.Cy:50N-2 são ajustados para instant.3.Cy:50-2 e 7227 bef. Após o segundo religamenteo. Manual E50417-G1179-C343-A1. T=0 para habilitar os elementos após o primeiro religamento.Cy:50N-2 e 7215 bef.Cy:50N-2.3. 7SJ80. O término rápido de falta tem assim prioridade sobre aspectos de seletividade pois a ação de religamento almeja a manutenção da operação normal do sistema.Cy:50-2. entretanto. as faltas devem ser rapidamente eliminadas pelos elementos 50-2 ou 50N-2. 7213.Cy:50-2.12 Sistema de Religamento Automático 79 Figura 2-79 Controle dos elementos de proteção para duplicar auto-religamento bem sucedido Exemplo: Antes do primeiro religamento. Os elementos de backup.1. 7212.Funções 2. 50-1 e 50N-1.2009 . 7203 bef. 7224 e 7225). 7214 bef. por exemplo. um segundo trip deve ocorrer instantâneamente e subsequentemente um segundo religamento. Publicação 05. Os endereços 7202 bef.2. Os endereços 7226 bef. são ajustados para blocked T=∞.2. 7201. devem obviamente não estar bloqueados (endereços 7200.

Como um recurso especial. a coordenação da sequência de zona deve estar desligada: Quando há dropout do pickup dos elementos 50-1 ou 50N-1.4 segundos. por exemplo.2009 225 . o elemento 50-2 também tem que ser bloqueado para dar preferência ao relé do alimentador (elemento 50-1 com 0. O sequenciamento de zona habilita o usuário a ajustar período de tempo relativamente curto para os elementos 50-2. todas as funções são resetadas após um tempo de restrição ter expirado e a falta finalizada. O fusível é também dessa forma protegido. No caso de múltiplos religamentos. o qual. Isso é implementado pelo controle dos elementos de proteção (veja cabeçalho de margem (“Controlando Elementos de Proteção"). A figura seguinte mostra um exemplo de um religamento de grupo no alimentador 3. somente o elemento 50-1 continua ativo no Alimentador 3. Se a falta ainda persistir. os grupos podem também estar em disposição aninhada e outros fusíveis de alta-tensão podem ser sobre ou sub graduados. um segundo ciclo de religamento é executado da mesma maneira. 2. executar operações de religamento em grupo em sistemas radiais. a coordenação da sequência de zona provoca também a contagem das tentativas de religamento.Funções 2. Se a falta ainda permanecer. é possível especificar novamente outras condições para um terceiro religamento. Manual E50417-G1179-C343-A1. o dispositivo tem que “conhecer” que aquelas duas tentativas de religamento já tenham sido executadas. O Elemento 50-2 só é usado como proteção de backup.9 segundos. entretanto. Está assumido que o religamento é executado duas vezes.4 s. Para o segundo religamento. uma vez que está programado para trip dos elementos 50-2 e também dos fusíveis. O elemento de alta velocidade 50-2 está agora sendo bloqueado no relé de proteção do Alimentador 3. no barramento terá eliminado a falta em 0. há pickup nos dispositivos de proteção da entrada e do alimentador 3. Para a falta F2 do barramento. Publicação 05.9 s). SIPROTEC. após o segundo religamento. Se o sequenciamento de zona não for aplicado o Elemento 50-1 será usado somente com seu período relativamente longo (0. Sequenciamento de zona funciona por meio do bloqueio de certas funções de proteção dependendo do ciclo de religamento. Se a falta é eliminada. Com a falta F1 no alimentador 5. Após o fusível operar para eliminar a falta. Neste dispositivo. os dispositivos conectados em série fornecem dropout. Se a falta continuar a existir.12. A temporização do elemento 50-2 na proteção do alimentador 3 é ajustada de tal forma que o disjuntor do alimentador 3 eliminará a falta antes de dano ao fusível do alimentador 5. a mudança de um ciclo de religamento para o próximo é possível sem comando de trip somente via pickup/dropout de 50-1 ou 50N-1. então o elemento 50-1 protegendo o Alimentador 3 operará como proteção de backup. É uma função complementar ao programa de religamento automático e permite. servirá como proteção de backup. o elemento 50-2.4 s).12 Sistema de Religamento Automático 79 O bloqueio só se aplica após o religamento conforme o ajuste do endereço.5 Sequenciamento de Zona (não disponível para os modelos 7SJ8***-**A**-) É a tarefa da coordenação da sequência de zona para harmonizar a função de religamento automático desse dispositivo com aquela de um outro dispositivo que forma parte do mesmo sistema de potência. veja também cabeçalho de margem “Sequenciamento de Zona”). o elemento 50-1 que espera 0. sobrepassa o fusível com uma temporização de 0. 7SJ80. Se o fusível falha para eliminar a falta. O elemento 50-2 no relé do barramento é ajustado com uma temporização de 0.4 segundos. As condições de bloqueio também são válidas para a coordenação da sequência de zona desde que esteja disponível e ativada (endereço 7140. Para esse propósito. Então.

Se desnecessária. cabos. a função de religamento automático é desativada. portanto. esta função é ajustada para Disabled (Desativado). as funções de religamento consequentemente permanecem bloqueadas. etc. Manual E50417-G1179-C343-A1. Se o ajuste é 0. Se um bloqueio dinâmico do sistema de religamento automático foi iniciado. A função de religamento automático. até que a causa do bloqueio tenha sido eliminada. veja o cabeçalho de margem “Bloqueio Dinâmico”.). A função pode ser ligada (ON) ou desligada (OFF) no endereço 7101 FCT 79.2009 . 7SJ80. antes que a função de religamento automático seja resetada. Em áreas com trovoadas frequentes ou tempestades. Duração de Bloqueio para Detecção de Fechamento Manual O parâmetro 7103 BLOCK MC Dur. for ajustado para Enabled (Ativado) durante a configuração. não haverá mensagens associadas e as entradas binárias para a função serão ignoradas.12 Sistema de Religamento Automático 79 Figura 2-80 Sequenciamento de zona com uma falta ocorrendo na Derivação de Linha 5 e no barramento 2. 226 SIPROTEC. Se não for feito nenhum religamento automático no alimentador usado pelo 7SJ80 (por exemplo. O parâmetro pode ser ajustado para especificar por quanto tempo a função de religamento será bloqueada dinamicamente. um tempo de bloqueio mais curto pode ser necessário para evitar o travamento do alimentador. Neste caso. Se uma função de proteção configurada para iniciar a função de religamento automático provocar um novo trip antes da expiração desse tempo. o sistema de religamento manual não responderá a um sinal de fechamento manual. isto é. define o tempo que deve expirar após uma tentativa bem sucedida de religamento. pela falta de contatos auxiliares e de informação sobre o status de prontidão do disjuntor). devido a raios sequenciais ou centelhas. Um tempo de restrição mais longo deve ser escolhido. transformadores. Publicação 05.Funções 2. Tempo de Restrição e Bloqueio Automático O tempo de bloqueio TIME RESTRAINT (endereço 7105). Todos os parâmetros do bloco 71 estarão inacessíveis e serão irrelevantes. se não houver possibilidade de monitorar o disjuntor (veja abaixo) durante múltiplos religamentos (por exemplo. motores.6 Notas de Ajustes Ajustes Gerais O sistema de religamento automático interno só estará efetivo e acessível se o endereço 171 79 Auto Recl. Se nenhum outro religamento for permitido.12. Em geral. em caso de múltiplos religamentos. o tempo de restrição deve ser mais longo do que o tempo necessário para a prontidão do mecanismo do disjuntor. não terá nenhum efeito. quando um sinal de fechamento manual é detectado. o último religamento será classificado como mal sucedido. o próximo ciclo de religamento é iniciado. A descrição da função fornece mais informações sobre este tópico. poucos segundos são suficientes. define a reação da função de religamento automático. em caso de um comando externo de fechamento manual ser detectado pela entrada (356 „>Manual Close“).

• É possível verificar o status do disjuntor antes de cada religamento. O tempo de trip das características inversas de trip. Se o disjuntor não deve fornecer tal aviso. o dispositivo assume uma falha do disjuntor e bloqueia o religamento automático dinamicamente. com longo tempo de trip. CHECK CB?): CHECK CB? = No check. Publicação 05. deve ser ajustada para um valor ≥ CB TIME OUT.. CHECK CB? = Chk each cycle. Um comando de trip emitido por uma função de proteção configurada como função de partida. é iniciado após a expiração do tempo morto configurado. não afetam o tempo de ação. através de uma entrada binária “>CB Ready“ (FNo. Tempo de Ação O tempo de ação monitora o tempo entre um pickup do dispositivo e um comando de trip de uma função de proteção configurada como função de partida. você pode desativar a verificação do disjuntor no endereço 7113 CHECK CB? (No check). Mas o tempo de monitoramento deve ser geralmente mais longo do que a duração máxima do processo de sincronização (parâmetro 6112). SIPROTEC. 2730). o religamento automático é bloqueado. é consideravelmente determinado pela localização ou pela resistência da falta. o tempo de bloqueio dinâmico é iniciado por uma condição de bloqueio que tenha tido pickup. Uma vez que a sincronização é usada como verificação de sincronismo. Quando usar o tempo de monitoramento CB TIME OUT. DEAD EXT. que se segue ao religamento.2009 227 . presume-se que o disjuntor esteja pronto para pelo menos um ciclo TRIP-FECHAMENTO-TRIP. O tempo de monitoramento Max. Monitoramento do Disjuntor Em um religamento após eliminação de falta. Este tempo é iniciado cada vez que ocorre uma operação de trip. Quando o tempo se esgotar. Consequentemente. Manual E50417-G1179-C343-A1. Usualmente. o religamento é omitido e um bloqueio dinâmico é iniciado. 7SJ80. verifica o status do disjuntor antes de cada comando de religamento. poucos segundos por exemplo. DEAD EXT. serve para monitorar o prolongamento do tempo morto. a temporização Max. iniciará a função de religamento automático. Este tempo é ajustado levemente mais alto do que o tempo máximo de recuperação do disjuntor. O tempo de monitoramento do disjuntor 7114 T-Start MONITOR determina o tempo entre trip (fechar o contato de trip) e a abertura do disjuntor (verificação posterior dos contatos auxiliares do disjuntor ou desaparecimento de pickup do dispositivo. caso contrário o religamento automático seria impossível. desativa a verificação do disjuntor. A temporização Max. enquanto o sistema de religamento automático está pronto mas ainda não está em funcionamento.Funções 2. o sistema de religamento automático será bloqueado dinamicamente.12 Sistema de Religamento Automático 79 O bloqueio dinâmico está associado com o tempo de bloqueio configurável SAFETY 79 ready. Se o disjuntor não estiver pronto após o tempo ter expirado. se a verificação do disjuntor foi ativada no endereço 7113. ocorrendo dentro do tempo de ação. A extensão pode ser iniciada pelo tempo de monitoramento do disjuntor CB TIME OUT no endereço 7115 e pela função de sincronização. Esse tempo não deve ser mais curto do que CB TIME OUT. no início de um comando de trip): A prontidão do disjuntor é monitorada pelo dispositivo. na hora em que a função de religamento é iniciada (isto é. se nenhum contato auxiliar estiver alocado). não serão. no endereço 7116. O tempo de ação previne religamento em caso de faltas remotas distantes ou de alta resistência. DEAD EXT. A função de sincronização simplesmente verifica o sincronismo dos sistemas de potência. A verificação do status do disjuntor é usualmente recomendada. Os comandos de trip das funções de proteção que não estão configuradas como funções de partida. ou desativar essa opção (endereço 7113. do contrário. a configuração do tempo de monitoramento pode ser curta. O tempo de monitoramento de status CB TIME OUT pode ser configurado no endereço 7115. Se esse tempo difere do valor de ajuste de T-ACTION (endereço 7117). eles são conectados instantaneamente. Se é detectado sincronismo.

Manual E50417-G1179-C343-A1. O tempo máximo para isso pode ser parametrizado em 7118 T DEAD DELAY. Figura 2-81 Lógica CFC para FECHAMENTO MANUAL com religamento automático via controle 228 SIPROTEC. 7SJ80. Número de Tentativas de Religamento O número de tentativas de religamento pode ser ajustado separadamente para o “programa de fase” (endereço 7136 # OF RECL. As anunciações ajustam o flipflop e suspendem o sinal manual até que o AR tenha terminado com as tentativas de religamento. A sequência exata está descrita na descrição da função. O fechamento manual é iniciado se um comando CLOSE originar da função de controle. O flipflop é resetado via combinação OR das anunciações 2784 „79 is NOT ready“. A definição exata dos programas está relatada na descrição da função.12 Sistema de Religamento Automático 79 Temporização de Início de Tempo Morto O início de tempo morto pode ser temporizado pelo pickup da mensagem da entrada binaria 2754 “>79 DT St. no cabeçalho de margem “Temporização de Início de Tempo Morto”.Delay“. o comando de Fechamento Manual deve ser suprimido durante um comando de religamento automático. PH) e para o "Programa de Terra” (endereço 7135 # OF RECL. tem de ser ampliado neste caso (veja a Figura 2-81).Funções 2. Publicação 05. Se o sistema de religamento automático deve ser fechado através da função de controle. A mensagem da entrada binária deve ser desativada dentro desse tempo para iniciar o tempo morto. Comando de Fechamento: Direto ou via Controle O endereço 7137 Cmd.via control pode ser ajustado para gerar diretamente o comando de fechamento através da função de religamento automático (ajuste Cmd. GND). 2785 „79 DynBlock“ e 2862 „79 Successful“. cabeçalho de margem “Programas de Religamento”.via control = none) ou ter o fechamento iniciado pela função de controle.2.2009 . As mensagens 2878 “79 L-N Sequence“ e 2879 “79 LL Sequence“ indicam que o religamento automático foi iniciado e que o AR foi iniciado e quer conduzir um religamento após o tempo morto. O exemplo na seção 2.10 de um FECHAMENTO MANUAL para comandos através da função de controle integrada.

pode ser ajustado para determinar que a função de religamento automático opere com sincronismo externo. Eles constituem a interconexão entre os elementos de proteção e a função de religametno automático. Assim. Adicionalmente. Cada endereço designa uma função de proteção com seu código ANSI. aplicam-se as propriedades definidas para o componente de chaveamento.release“. é possível que o comando de fechamento não seja efetuado devido a uma condição aplicada de intertravamento. contudo. Se não for desejada nenhuma interação com a função interna de sincronização. um bloqueio dinâmico é iniciado. Conexão com o Synchrocheck (Verificação de Sincronismo) interno A função de religamento automático pode interagir com a função de sincronização do dispositivo.2009 229 . SIPROTEC. a função de auto-religamento também pode gerar o comando de fechamento „79 Close“ diretamente. normalmente o disjuntor „52Breaker“. 50-2 para o elemento de alto ajuste da proteção não-direcional de sobrecorrente (endereço 7152). O Gráfico CFC como na Figura 2-81 não é necessário. Nota: A função de religamento automático não pode ser conectada com a função synchrochek interna e externa ao mesmo tempo! Início e Bloqueio de Religamento Automático pelos Elementos de Proteção (configuração) Nos endereços 7150 a 7167.Request“ e com a entrada binária “>Sync. 7SJ80. ser iniciado por outras funções. Uma sincronização externa é possível se o parâmetro é ajustado para YES (SIM) e o dispositivo é conectado com a verificação externa de sincronização.Funções 2. Se esse comportamento não for desejado. Se um dos componentes de chaveamento é selecionado. nesse caso. Então. o religamento é efetuado via controle. Ela segue para o controle que então efetua o chaveamento. Publicação 05. Um religamento sincronizado através do comando de fechamento “79 Close“. Se desejado e se a função de Religamento Manual for usada. Este ajuste define a sincronização selecionada para o religamento automático. O componente de chaveamento a ser usado é definido no grupo selecionado de sincronização (normalmente o disjuntor “52Breaker“). não é possível. Stops 79 o elemento de proteção bloqueia o religamento automático. a função de religamento automático não cria um comando de fechamento mas emite uma solicitação de fechamento. ele pode. Neste caso. o religamento pode ser iniciado ou bloqueado para vários tipos de funções de proteção.via control precisam ser idênticos. o grupo 1 de condições de sincronização deve ser selecionado via parâmetro 7138 Internal SYNC. Manual E50417-G1179-C343-A1.12 Sistema de Religamento Automático 79 A lista de seleção para o parâmetro 7137 é criada dinamicamente dependendo dos componentes de chaveamento alocados. As opções de ajuste têm os seguintes significados: • Starts 79 O elemento de proteção inicia o religamento automático através de seu comando de trip. O componente de chaveamento aqui definido e o especificado em 7137 Cmd. uma vez que a função de sincronização interage com a função de controle. o qual deve ser alocado para o contato associado. o gráfico CFC mostrado na Figura 2-81 não é necessário e o parâmetro 7138 has deve ser ajustado para none. ele não pode ser iniciado por outras funções. o gráfico CFC ilustrado na Figura 2-81 é obrigatório. pela indicação 2865 “79 Sync. Religamento Automático com Verificação Externa de Sincronismo O parâmetro 7139 External SYNC. por exemplo. No influence o elemento de proteção não inicia o religamento automático. tais como intertravamento e tempos de comando.

instant. somente tempos mortos curtos são permitidos. Tempos mortos mais longos são permitidos em sistemas radiais. são ajustados no endereço 7127 DEADTIME 1: PH. a função de religamento automático não afeta este Elemento.5 s normalmente). para o programa “Terra” de religamento. Em linhas mais longas. é iniciado quando o disjuntor abre (se contatos auxiliares estiverem alocados) ou quando pickup é desligado após um comando de trip de um acionador de partida. Os valores padronizados são de 0. 230 SIPROTEC.12 Sistema de Religamento Automático 79 Tempos Mortos (1st AR) Os endereços 7127 e 7128 são usados para determinar a duração dos tempos mortos do primeiro ciclo. eles devem ser suficientemente extensos para assegurar o desaparecimento do arco de falta e para que o ar ao seu redor seja desionizado. designados para operar instantaneamente ou de acordo com as temporizações configuradas. pela Função de Religamento Automático Os endereços 7200 a 7211. a expiração do elemento é bloqueada por esse ajuste.Funções 2. A duração dos tempos mortos deve estar relacionada com o tipo de aplicação. Uma vez que uma linha desenergizada não pode transferir energia sincronizada. 7SJ80. Ocorre pickup do elemento.6 s. isto é. 7248 e 7249 permitem um controle cíclico das várias funções de proteção. contudo.3 s a 0.2009 . A definição exata dos programas está descrita no cabeçalho de margem “Programas de Religamento”. no endereço 7128 DEADTIME 1: G. pela função de religamento automático. permitindo um religamento automático satisfatório (de 0. As seguintes opções estão disponíveis: • Set value T=T O elemento de proteção está temporizado de acordo com a configuração. Controle Cíclico de Funções de Proteção. T=0 O elemento de proteção se torna instantâneo se a função de religamento automático estiver pronta para efetuar o ciclo mencionado. a estabilidade total do sistema tem prioridade. Os tempos mortos antes do primeiro religamento automático para o programa de religamento “Fase”. blocked T=∞ O elemento de proteção é bloqueado se a função de religamento automático alcançar o ciclo definido no parâmetro. Portanto. os elementos de proteção podem ser bloqueados seletivamente. O tempo definido por este parâmetro. Publicação 05.9 s a 1. Para linhas supridas por mais de um lado. Manual E50417-G1179-C343-A1.

12 Sistema de Religamento Automático 79 Tempos Mortos (2º ao 4º AR) Se foi ajustado mais de um ciclo de religamento. Publicação 05. 7251 Para o 3º ciclo: Endereço 7131 Endereço 7132 Endereços 7224 a 7235 e 7252. SIPROTEC. 7255 DEADTIME 4: PH DEADTIME 4: G Tempo morto para a 4ª tentativa de religamento fase Tempo morto para a 4ª tentativa de religamento Terra Controle cíclico das várias funções de proteção antes da 4ª tentativa de religamento DEADTIME 3: PH DEADTIME 3: G Tempo morto para a 3ª tentativa de religamento fase Tempo morto para a 3ª tentativa de religamento Terra Controle cíclico das várias funções de proteção antes da 3ª tentativa de religamento DEADTIME 2: PH DEADTIME 2: G Tempo morto para a 2ª tentativa de religamento fase Tempo morto para a 2ª tentativa de religamento Terra Controle cíclico das várias funções de proteção antes da 2ª tentativa de religamento Quinta à Nona Tentativa de Religamento Se estiverem configurados mais do que quatro ciclos. é o critério solicitado.Funções 2. O pickup das três fases para um elemento específico de sobrecorrente.PICKUP BLK). 7253 Para o 4º ciclo: Endereço 7133 Endereço 7134 Endereços 7236 a 7247 e 7254. As mesmas opções estão disponíveis como para o primeiro ciclo. Bloqueio de Faltas Trifásicas A despeito de qual programa de religamento é executado. do 2º ao 4º ciclo. os tempos mortos ajustados para o quarto ciclo também se aplicam do quinto ao nono ciclo. Manual E50417-G1179-C343-A1. você agora pode configurar os ajustes individuais de religamento. 7SJ80. o religamento automático pode ser bloqueado por trips que seguem faltas trifásicas (endereço 7165 3Pol.2009 231 . Para o 2º ciclo: Endereço 7129 Endereço 7130 Endereços 7212 a 7223 e 7250.

Os parâmetros nos endereços 7200 a 7247 (veja parágrafos abaixo em “ Iniciação e Bloqueio do Religamento por Funções de Proteção”. um contador adicional de sequência. Além disso. e “Controlando Elementos de Proteção de Sobrecorrente Direcional e Não-Direcional via Pickup de carga Fria”) podem então determinar quais elementos de proteção estão ativos ou bloqueados durante quais ciclos de tempo morto (para múltiplas tentativas de religamento efetuadas por relés no lado da carga). Manual E50417-G1179-C343-A1. o sequenciamento de zona foi aplicado no relé do barramento.12 Sistema de Religamento Automático 79 Bloqueio de Religamento Automático via Controle Interno A função de religamento automático pode ser bloqueada. Publicação 05. também registra religamentos automáticos que (em sistemas radiais) são feitos por relés conectados com o lado da carga. Com a função de sequenciamento de zona ligada. se comandos de controle são emitidos por um função integrada de controle do dispositivo. A informação precisa ser encaminhada via CFC (nível de tarefa de intertravamento . No exemplo mostrado na Figura “Sequenciamento de Zona com uma falta ocorrendo na Derivação de Linha 5 e o barramento” (veja Figura 2-80) na descrição funcional. os elementos 50-2 (também aplicável aos elementos 50-3) devem estar bloqueados. Isso pressupõe que há dropout do pickup dos elementos 50-1/50N-1 sem que um comando de trip seja emitido por uma função de proteção iniciando a função de auto-religamento. analogamente se aplicam aos elementos 50N-2 e 50N-3. Se múltiplas operações de religamento são efetuadas e a função de sequenciamento de zona estiver desativada. 7SJ80. isto é.COORD. assim como para o segundo religamento. Além do mais.Funções 2. deve ser assegurado que os elementos 50-2 iniciem a função de religamento automático: Ajuste o endereço 7152 50-2 para Starts 79.2. Todos os ajustes dos elementos 50-2 e 50-3. o recurso de zona consecutiva pode ser ligado (ON) ou desligado (OFF).Cy:50-2 deve ser ajustado para blocked T=∞. somente aqueles ciclos de religamento que o dispositivo conduziu após um comando de trip são contados. o endereço 7214 bef. O sequenciamento de zona dos relés alimentadores é desligado mas os elementos 502 devem também ser bloqueados após a segunda tentativa de religamento.interlocking task level) usando o bloco de função CMD Information (veja a figura seguinte). 232 SIPROTEC..2009 . Figura 2-82 Bloqueio de função de religamento automático usando a função interna de controle Sequênciamento de Zona Não disponível nos modelos 7SJ8***-**A**No endereço 7140 ZONE SEQ.

o controle de auto-religamento cíclico tem a prioridade e assim sobrepõe-se à liberação da função de pickup de carga fria dinâmico. Publicação 05.4). SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80. Como o controle via pickup de carga fria dinâmico e controle cíclico via sistema de auto-religamento podem progredir simultaneamente. desbloqueado e pronto para outro ciclo. bloqueio) não tem efeito sobre os elementos que já estão em progresso. Neste contexto. Essa função contém o parâmetro 1702 Start Condition Ele determina as condições de partida para os valores ajustados aumentados da corrente e tempo do pickup de carga fria dinâmico que deve ser aplicado para proteção de sobrecorrente direcional e não-direcional. mudar as variáveis de controle (por exemplo. Se o parâmetro 1702 Start Condition está ajustado para 79 ready.2009 233 . Se os elementos de proteção são controlados via função de religamento automático. a proteção de sobrecorrente direcional e não-direcional deve coordenar os valores de entrada das duas interfaces.via control são geradas dinamicamente conforme a configuração corrente. Os elementos em questão tem continuidade.12 Sistema de Religamento Automático 79 Controlando Elementos de Proteção de Sobrecorrente Direcional e Não-Direcional via Pickup de Carga Fria Dinâmico A função de pickup de carga fria dinâmico fornece uma outra alternativa para controlar a proteção via sistema de religamento automático (veja também a Seção 2.Funções 2. O sinal 79 ready está sempre ativo se o sistema de auto-religamento está disponível. Nota Sobre Lista de Ajustes para Função de Religamento Automático As opções de ajustes do endereço 7137 Cmd. a proteção de sobrecorrente direcional e não-direcional sempre emprega os valores de ajuste aumentados se o sistema de auto-religamento está pronto. O controle via função de pickup de carga fria dinâmico é não-cíclico. ativo. A função de auto-religamento fornece o sinal 79 ready para controle do pickup de carga fria dinâmico.

.00 sec 0.12 Sistema de Religamento Automático 79 2.50 sec 1 1 None None NO OFF No influence Comentários Função de Auto-Religamento 79 Duração do bloqueio de AR após fechamento manual Tempo de reset de AutoReligamento 79 Tempo de Segurança até 79 estar pronta Verificar Disjuntor antes do AR? Tempo de monitoramento do sinal de partida de AR Tempo de Supervisão do Disjuntor (CB) Prolongamento máximo do tempo morto Tempo de ação Temporização Máxima do Tempo Morto de partida Tempo Morto 1: Falta de Fase Tempo Morto 1: Falta à Terra Tempo Morto 2: Falta de Fase Tempo Morto 2: Falta à Terra Tempo Morto 3: Falta de Fase Tempo Morto 3: Falta à Terra Tempo Morto 4: Falta de Fase Tempo Morto 4: Falta à Terra Número de Ciclos de Religamento à Terra Número de Ciclos de Religamento de Fase Comando de fechamento via dispositivo de controle Syncronização interna 25 Sincronização externa 25 ZSC .50 sec 0.00 sec 0.. 0 0. 320.01 .00 sec.00 sec 0.0 sec..00 sec 0.Coordenação de Sequência de Zona 50-1 234 SIPROTEC.12.00 sec 0.00 sec. 1800.01 .00 sec 3.7 End.00 sec 0 .. DEAD EXT. 7101 7103 7105 7108 7113 7114 7115 7116 7117 7118 7127 7128 7129 7130 7131 7132 7133 7134 7135 7136 7137 7138 7139 7140 7150 Ajustes Parâmetro FCT 79 BLOCK MC Dur..50 sec 0... 320.00 sec No check Chk each cycle 0.00 sec. 9 (Setting options depend on configuration) (Setting options depend on configuration) YES NO OFF ON No influence Starts 79 Stops 79 Ajuste Padrão OFF 1.50 sec 3.01 . 320. T-ACTION T DEAD DELAY DEADTIME 1: PH DEADTIME 1: G DEADTIME 2: PH DEADTIME 2: G DEADTIME 3: PH DEADTIME 3: G DEADTIME 4: PH DEADTIME 4: G # OF RECL. 320. 7SJ80. 320. 320.00 sec 100.COORD.50 sec 0. TIME RESTRAINT SAFETY 79 ready CHECK CB? T-Start MONITOR CB TIME OUT Max. 50-1 Opções de Ajuste OFF ON 0.0 . 320..01 .50 .. 320. 1800. ∞ 0..0 sec 0. 320..50 sec No check 0. ∞ 0.01 .50 sec 0.50 sec 0..00 sec 0.via control Internal SYNC External SYNC ZONE SEQ..00 sec 0..01 . 320. 320.50 sec 0..50 .01 .Funções 2.10 .00 sec 0.50 .01 . 320.50 sec 0. ∞ 0..01 . Publicação 05. 320.01 ..01 .2009 .00 sec 0.00 sec ∞ sec 1. Manual E50417-G1179-C343-A1.. GND # OF RECL.00 sec. 9 0 . ∞ 0.00 sec 0. PH Cmd. 320.

PICKUP BLK 50-3 NO No influence Pickup Tripolar Bloqueia 79 50-3 7167 50N-3 No influence 50N-3 SIPROTEC.12 Sistema de Religamento Automático 79 End. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 235 .Funções 2. Publicação 05. 7SJ80. 7151 Parâmetro 50N-1 Opções de Ajuste No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 YES NO No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 Ajuste Padrão No influence 50N-1 Comentários 7152 50-2 No influence 50-2 7153 50N-2 No influence 50N-2 7154 51 No influence 51 7155 51N No influence 51N 7156 67-1 No influence 67-1 7157 67N-1 No influence 67N-1 7158 67-2 No influence 67-2 7159 67N-2 No influence 67N-2 7160 67 TOC No influence 67 TOC 7161 67N TOC No influence 67N TOC 7162 sens Ground Flt No influence Falta à Terra (sensitiva) 7163 46 No influence 46 7164 BINARY INPUT No influence Entrada Binária 7165 7166 3Pol.

Cy:67 TOC Set value T=T antes do 1º Ciclo: 67 TOC 7211 bef.12 Sistema de Religamento Automático 79 End.1.Cy:50N-1 Set value T=T antes do 2º Ciclo: 50N-1 7214 bef.1. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.1.Cy:50-2 Set value T=T antes do 1º Ciclo: 50-2 7203 bef.2.1.1. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2.Cy:50-1 Opções de Ajuste Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2.1. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. 7200 Parâmetro bef.Cy:50-1 Set value T=T antes do 2º Ciclo: 50-1 7213 bef.Cy:67-2 Set value T=T antes do 1º Ciclo: 67-2 7209 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Publicação 05.1.1. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.1. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2009 . 7SJ80.Cy:67-1 Set value T=T antes do 1º Ciclo: 67-1 7207 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Ajuste Padrão Set value T=T Comentários antes do 1º Ciclo: 50-1 7201 bef.1.2.Funções 2.Cy:50N-2 Set value T=T antes do 2º Ciclo: 50N-2 236 SIPROTEC.Cy:51 Set value T=T antes do 1º Ciclo: 51 7205 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:50-2 Set value T=T antes do 2º Ciclo: 50-2 7215 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:67NTOC Set value T=T antes do 1º Ciclo: 67N TOC 7212 bef.Cy:51N Set value T=T antes do 1º Ciclo: 51N 7206 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:67N-2 Set value T=T antes do 1º Ciclo: 67N-2 7210 bef.1.Cy:67N-1 Set value T=T antes do 1º Ciclo: 67N-1 7208 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.1. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Manual E50417-G1179-C343-A1.Cy:50N-1 Set value T=T antes do 1º Ciclo: 50N-1 7202 bef.Cy:50N-2 Set value T=T antes do 1º Ciclo: 50N-2 7204 bef.

Cy:67 TOC Set value T=T antes do 2º Ciclo: 67 TOC 7223 bef.12 Sistema de Religamento Automático 79 End.Cy:67N-2 Set value T=T antes do 2º Ciclo: 67N-2 7222 bef.2009 237 .2.Cy:51 Opções de Ajuste Set value T=T instant. 7SJ80.3.Cy:50-1 Set value T=T antes do 3º Ciclo: 50-1 7225 bef.Cy:67-1 Set value T=T antes do 2º Ciclo: 67-1 7219 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:50-2 Set value T=T antes do 3º Ciclo: 50-2 7227 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Funções 2. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Ajuste Padrão Set value T=T Comentários antes do 2º Ciclo: 51 7217 bef.Cy:51 Set value T=T antes do 3º Ciclo: 51 7229 bef.3.Cy:67-2 Set value T=T antes do 2º Ciclo: 67-2 7221 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.Cy:51N Set value T=T antes do 2º Ciclo: 51N 7218 bef.Cy:50N-2 Set value T=T antes do 3º Ciclo: 50N-2 7228 bef.Cy:67N-1 Set value T=T antes do 2º Ciclo: 67N-1 7220 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:51N Set value T=T antes do 3º Ciclo: 51N 7230 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:67N-1 Set value T=T antes do 3º Ciclo: 67N-1 SIPROTEC.3.2.2.Cy:67-1 Set value T=T antes do 3º Ciclo: 67-1 7231 bef.2. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.3. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2.3. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2.2.Cy:50N-1 Set value T=T antes do 3º Ciclo: 50N-1 7226 bef.3. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.3. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.3. 7216 Parâmetro bef.Cy:67NTOC Set value T=T antes do 2º Ciclo: 67N TOC 7224 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.

4. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:67NTOC Set value T=T antes do 3º Ciclo: 67N TOC 7236 bef. T=0 blocked T=∞ Ajuste Padrão Set value T=T Comentários antes do 3º Ciclo: 67-2 7233 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:67 TOC Set value T=T antes do 3º Ciclo: 67 TOC 7235 bef.Cy:50N-2 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 50N-2 7240 bef.Cy:67N-2 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 67N-2 7246 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. 7232 Parâmetro bef.Cy:50-2 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 50-2 7239 bef.4.4.4.4.Cy:50-1 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 50-1 7237 bef.4. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 .3.4. Publicação 05. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.3. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Funções 2.Cy:67N-2 Set value T=T antes do 3º Ciclo: 67N-2 7234 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.4.Cy:67-2 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 67-2 7245 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.4.Cy:67-2 Opções de Ajuste Set value T=T instant.12 Sistema de Religamento Automático 79 End.Cy:67-1 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 67-1 7243 bef. 7SJ80.3. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:51N Set value T=T antes do 4º Ciclo: 51N 7242 bef.4. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:67NTOC Set value T=T antes do 4º Ciclo: 67N TOC 238 SIPROTEC.4.4. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:67 TOC Set value T=T antes do 4º Ciclo: 67 TOC 7247 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:67N-1 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 67N-1 7244 bef.Cy:50N-1 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 50N-1 7238 bef.3. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:51 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 51 7241 bef.

T=0 blocked T=∞ Ajuste Padrão Set value T=T Comentários antes do 1º Ciclo: 50-3 7249 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. 7SJ80. IntSP SP SP SP SP SP SP SP SP SP SP OUT SP OUT IntSP OUT >79 ON >79 OFF >BLOQUEAR 79 >79 Partida Externa do AR Interno >Iniciar 79 programa à terra >Iniciar 79 programa de fase >Chaveamento da coordenação do sequenciamento de zona ligado (ON) >Chaveamento da coordenação do sequenciamento de zona desligado (OFF) >Disjuntor PRONTO pra religamento >79: Sincronismo liberado por sync-check externo 79: Expirada temporização de partida de tempo morto máximo >79: Temporização de partida de Tempo Morto 79 Auto religador está DESLIGADO 79 Auto religador está LIGADO 79 Auto religador não está PRONTO Comentários 79 ON/OFF (via porta do sistema) SIPROTEC. 127 2701 2702 2703 2711 2715 2716 2722 2723 2730 2731 2753 2754 2781 2782 2784 Lista de Informações Informação 79 ON/OFF >79 ON >79 OFF >BLOCK 79 >79 Start >Start 79 Gnd >Start 79 Ph >ZSC ON >ZSC OFF >CB Ready >Sync.release 79 DT delay ex.Cy:50-3 Set value T=T antes do 3º Ciclo: 50-3 7253 bef.Cy:50-3 Opções de Ajuste Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Manual E50417-G1179-C343-A1.Cy:50-3 Set value T=T antes do 2º Ciclo: 50-3 7251 bef. Publicação 05.3.1.2009 239 . T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.12 Sistema de Religamento Automático 79 End.8 No.3.Funções 2.Cy:50N-3 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 50N-3 2. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.4.Cy:50N-3 Set value T=T antes do 1º Ciclo: 50N-3 7250 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Delay 79 OFF 79 ON 79 is NOT ready Tipo de Info.2. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:50N-3 Set value T=T antes do 3º Ciclo: 50N-3 7254 bef.Cy:50N-3 Set value T=T antes do 2º Ciclo: 50N-3 7252 bef.4.Cy:50-3 Set value T=T antes do 4º Ciclo: 50-3 7255 bef.2.12.1. >79 DT St. 7248 Parâmetro bef.

run. 79 Tact expired 79 Max.CycZoneRel 79 2.Travamento 79: Solicitação de Synchro-check 79-Sequência de religamento A/R monofásico 79-Sequência de religamento A/R polifásico Sequenciamento de zona está ativo Coordenação de sequenciamento de zona LIGADO Coordenação de sequenciamento de zona DESLIGADO 79 Liberação de prolongamento de zona do 1º ciclo 79 Liberação do prolongamento de zona do 2º ciclo 79 Liberação do prolongamento de zona do 3º ciclo 79 Liberação do prolongamento de zona do 4º ciclo 79: Solicitação de fechamento pela Função de Controle 240 SIPROTEC. 2785 2788 2801 2808 2809 2810 2823 2824 2827 2828 2829 2830 2844 2845 2846 2847 2851 2862 2863 2865 2878 2879 2883 2884 2885 2889 2890 2891 2892 2899 Informação 79 DynBlock 79 T-CBreadyExp 79 in progress 79 BLK: CB open 79 T-Start Exp 79 TdeadMax Exp 79 no starter 79 no cycle 79 BLK by trip 79 BLK:3ph p.CycZoneRel 79 4. run.em progresso 79: Disjuntor aberto sem trip 79:Expirado tempo de monitoramento de sinal de partida 79: Expirado máximo tempo morto 79: iniciador não configurado 79: sem ciclo configurado 79: bloqueio devido a trip 79: bloqueio devido a pickup trifásico 79: tempo de ação expirado antes do trip 79: excedido número máximo de ciclos 79 1º ciclo em progresso 79 2º ciclo em progresso 79 3º ciclo em progresso 79 4º ou ciclo mais alto em progresso 79 . run. 79 3rdCyc.CycZoneRel 79 CloseRequest Tipo de Info. No. Publicação 05. run. 7SJ80.Funções 2. 79 4thCyc. Manual E50417-G1179-C343-A1.CycZoneRel 79 3.Comando de fechamento 79 .ciclo bem sucedido 79 .Auto-religamento está dinamicamente BLOQUEADO 79: Expirada janela de monitoramento de prontidão do disjuntor 79 . 79 Close 79 Successful 79 Lockout 79 Sync.u. OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT Comentários 79 . 79 2ndCyc.2009 . Cyc 79 1stCyc.Request 79 L-N Sequence 79 L-L Sequence ZSC active ZSC ON ZSC OFF 79 1.12 Sistema de Religamento Automático 79 No.

mesmo com disjuntores muito rápidos. Entretanto.invalid“.1 Geral Descrição O localizador de falta é uma função autônoma e independente que usa parâmetros da linha e do sistema de potência ajustados em outras funções.13 Localizador de Falta A medição da distância para uma falta de curto-circuito é um suplemento das funções de proteção. voce pode configurar cada seção individualmente. é um pré-requisito que seja executado o pickup da proteção de sobrecorrente temporizada ao mesmo tempo (direcional ou não-direcional).2009 241 . os cálculos de localização da falta são possíveis. O localizador de falta pode ser disparado pelo comando de trip da proteção de sobrecorrente temporizada direcional e não-direcional ou pela detecção de cada falta. Para faltas que não são localizadas dentro das seções configuradas. Em tais objetos protegidos. 7SJ80.13 Localizador de Falta 2. Sem essa informação. o localizador de falta é desabilitado. Pares de valores amostrados de corrente e tensão de curto-circuito são armazenados em um buffer (a uma taxa de amostragem de 1/20 ciclos) logo após o comando de trip. O objeto protegido pode. Nota Dependendo do tipo de conexão de tensão (veja Tabela 2-1) e no caso de medição de tensão capacitiva.Loc. A transmissão de potência dentro do sistema pode ser aumentada quando a falta é localizada e rapidamente eliminada. Até então. A filtragem de valores medidos e o número de cálculos de impedâncias são automaticamente ajustados ao número de pares na janela de dados determinada.2). mesmo que outro relé de proteção tenha eliminado a falta. faltas reversas e faltas que estão localizadas atrás das seções configuradas. ser uma linha não homogênea. 2. o localizador de falta pode ser iniciado via uma entrada binária.13.Funções 2. O localizador de faltas avalia os loops de curto-circuito e usa os loops com a impedância da falta mais baixa (veja cabeçalho de margem „Seleção de Loop“). Determinação de Localização da Falta O princípio de medição do localizador de falta está baseado no cálculo de impedâncias. Adicionalmente. a linha pode ser dividida em diferentes seções.1. No último caso. SIPROTEC. o localizador de falta usa os dados gerais da linha. um cabo curto seguido de uma linha aérea. O localizador de falta calcula também faltas à terra duplas com pontos de base diferentes. Se não existirem janelas de dados suficientes com valores confiáveis que poderiam ser determinados para a localização da falta. o localizador de falta usa os dados gerais da linha (veja Seção 2. por exemplo. Manual E50417-G1179-C343-A1. é emitida a mensagem „Flt. ela é acionada pelas funções de proteção fornecidas no dispositivo 7SJ80. nenhum erro nos valores medidos ocorreu no procedimento de desligamento. por exemplo. Publicação 05. Para propósitos de cálculo.No evento de uma falta.6.

7SJ80. C-N A-N B-N C-N impedância mais baixa A-N B-N C-N A-B A-C B-C impedância mais baixa impedância mais baixa impedância mais baixa impedância mais baixa impedância mais baixa Designação de Pickup . C-A. A-N. convertida com base no ajuste da reatância da linha por unidade de comprimento da linha. Se.13 Localizador de Falta Seleção de Loop Usando o pickup da proteção de sobrecorrente temporizada (direcional ou não-direcional). Manual E50417-G1179-C343-A1. C-A A-B. favor observar que diferentes tabulações para ajuste das seções da linha somente serão mostrados se mais de uma seção de linha tiver sido configurada no escopo funcional (endereço 181). Seções de Linha O tipo de linha é determinado pelos ajustes de seção da linha. O sistema pode distinguir entre até três tipos diferentes de linha. C-N A-B. calculada com base na reatância ajustada por unidade de comprimento e do ajuste do comprimento da linha. 242 SIPROTEC. • a resistência da falta R em Ω primário e Ω secundário. os loops de medição válidos para o cálculo da impedância da falta são selecionados.Funções 2. C-N A-N B-N C-N A-B A-C B-C A-B. Ao configurar esses dados da linha. B-N C-A. B-C. duas seções diferentes devem ser configuradas. B-N. por exemplo. • a distância da falta d em % de comprimento da linha. • a distância da falta d em quilometros ou milhas da linha proporcional à reatância. Parâmetros para uma seção de linha são parametrizados na tabulação de Ajustes. B-C. A-N. B-N. Tabela 2-13 Pickup por A x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x B C N A B C N A-N B-N C-N A-B A-C B-C A-B-N A-C-N B-C-N A-B-C A-B-C-N A-N B-N C-N A-N. B-N B-C.Loops avaliados tipo de falta loop medido loop sinalizado Saída da Localização da Falta As seguintes informações são emitidas como resultado da localização da falta: • o loop de curto-circuito do qual a reatância da falta foi determinada. A-N.2009 . a linha incluir um cabo e uma linha aérea. Publicação 05. • a reatância da falta X em Ω primário e Ω secundário. B-N. A Tabela 2-13 mostra a designação dos loops avaliados para possível cenário de pickup dos elementos de proteção.

Esses parâmetros já foram ajustados nos Dados do Sistema de Potência 2 (Power System Data 2) para um máximo de três seções de linha (veja Seção 2. o qual é requerido para a descrição precisa da linha.13 Localizador de Falta 2. quando outro elemento de proteção elimina a falta. aparecem outras planilhas de ajustes no Power System Data 2(Dados do Sistema de Potência 2) no DIGSI. Apesar desse fato.13. Além disso.Funções 2. Se o número for ajustado para 2 Sections(2 seções) ou 3 Sections (3 seções). o comprimento da linha em quilometros ou milhas. Dados da Linha Para calcular a distância da falta em quilometros ou milhas. 7SJ80.2 Geral Notas de Ajustes A localização de falta só está habilitada se o endereço 180 foi ajustado para Enabled durante a confiuração da extensão da função. o ângulo da impedância da linha. Entretanto. 1106 „>Start Flt. Loc“) desde que tenha havido pickup do dispositivo.6.1. Publicação 05. por exemplo.2 em ”Relações de Impedância à Terra” e “Reatância por Unidade de Comprimento”). e as relações de resistência e reatância são requeridos. SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. o cálculo da localização da falta pode ser disparado externamente via uma entrada binária (FNo. ele pode também ser iniciado quando há dropout de pickup (endereço 8001 START = Pickup). No endereço 181 L-sections FL o número de seções de linha deve ser selecionado.2009 243 . Inicio de Medição Normalmente o cálculo de localização da falta é iniciado quando uma proteção de sobrecorrente temporizada direcional ou não-direcional inicia um sinal de trip (endereço 8001 START = TRIP). o dispositivo necessita da reatância por distância da linha em Ω/quilometro ou Ω/milha. O ajuste padrão é 1 Section(1 seção).

4 No. Loc Rpri = Xpri = Rsec = Xsec = dist = d[%] = dist = FL Loop AG FL Loop BG FL Loop CG FL Loop AB FL Loop BC FL Loop CA Flt. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. 8001 Ajustes Parâmetro START Opções de Ajuste Pickup TRIP Ajuste Padrão Pickup Comentários Partida do Localizador de Falta com 2. 7SJ80.13 Localizador de Falta 2. 1106 1114 1115 1117 1118 1119 1120 1122 1123 1124 1125 1126 1127 1128 1132 Lista de Informações Information >Start Flt.invalid Tipo de Info.2009 .Loc.Funções 2.13.13. SP VI VI VI VI VI VI VI OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT Comentários >Partida do Localizador de Falta Localizador de Falta: RESISTÊNCIA primária Localizador de Falta: REATÂNCIA primária Localizador de Falta: RESISTÊNCIA secundária Localizador de Falta: REATÂNCIA secundária Localizador de Falta: Distância à Falta Localizador de Falta: Distância [%] à Falta Localizador de Falta: Distância à Falta Loop AG do Localizador de Falta Loop BG do Localizador de Falta Loop CG do Localizador de Falta Loop AB do Localizador de Falta Loop BC do Localizador de Falta Loop CA do Localizador de Falta Inválida Localização de Falta 244 SIPROTEC.3 End.

• Avaliar os contatos auxiliares do disjuntor. Os valores de ajuste de limite de corrente e temporização aplicam-se para ambas as fontes. • Sinais externos de trip via entradas binárias („>50BF ext SRC“).2009 245 . SIPROTEC. 7SJ80.14 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF A função de proteção de falha do disjuntor monitora o adequado desligamento do disjuntor relevante.14. Critério Existem dois critérios para detecção da falha do disjuntor: • Verificar se o fluxo de corrente desapareceu efetivamente após a emissão de um comando de trip. uma única mensagem de pickup é gerada.14 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF 2. Para cada uma das duas fontes. Manual E50417-G1179-C343-A1. uma única temporização é iniciada e um único sinal de trip é gerado.1 Geral Descrição Se após uma temporização programável o disjuntor não abrir. a proteção de falha do disjuntor emite um sinal de trip via um disjuntor acima localizado (veja exemplo na figura abaixo). Figura 2-83 Princípio de funcionamento da proteção de falha do disjuntor Inicio A função de proteção de falha do disjuntor pode ser iniciada por duas fontes diferentes: • Sinais de trip das funções de proteção internas do 7SJ80. Publicação 05. 2.Funções 2.

o fluxo de corrente é um critério preferencial. A corrente à terra IN (3·I0) é preferivelmente usada como corrente de plausibilidade. Manual E50417-G1179-C343-A1. veja a Figura 2-84. é dado prioridade. As correntes são filtradas através de filtros numéricos para avaliar o harmônico fundamental. No trip. Figura 2-84 Monitoramento do fluxo de corrente 246 SIPROTEC. Em proteção que funciona baseada na medição de correntes (incluindo todas as funções de proteção de curto-circuito). dois outros limites de corrente são fornecidos de forma a permitir verificar a plausibilidade. isto é. Monitoramento do Fluxo de Corrente O endereço 170 50BF pode ser ajustado de maneira que tanto o critério de corrente já tenha sido encontrado por uma corrente monofásica (ajustando Enabled) quanto que outra corrente tenha sido levada em consideração de forma a verificar a plausibilidade (ajustando enabled w/ 3I0>). é selecionável e também depende da função de proteção que iniciou a função de falha do disjuntor. uma configuração de um valor limite separado pode ser aplicada correspondentemente (veja Figura 2-84). Para propósitos de verificar a plausibilidade. Via parâmetros 613 . Publicação 05. sem corrente de falta.14 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF O critério usado para determinar se o disjuntor operou. nenhum aumento de correntes à terra/correntes residuais estão fluindo e sendo assim. a proteção de falha do disjuntor fornece trip mesmo que o critério auxiliar indique “Disjuntor Aberto”. Além das correntes trifásicas. em oposição aos contatos auxiliares. Se a corrente fluir acima do limite ajustado os limites (enabled w/ 3I0>) são detectados. via proteção de tensão. No caso de faltas do sistema que não envolvam correntes à terra. o pickup depende exclusivamente do critério de contato auxiliar. 7SJ80. Em tal caso. Elas são monitoradas e comparadas com o limite ajustado. você decide se os valores medidos (Ignd (measured)) ou os calculados (3I0 (calcul.2009 .Funções 2. a corrente de sequência negativa tripla calculada 3·I2 ou uma segunda corrente de fase é usada como corrente de plausibilidade. por exemplo.)) serão usados. a corrente abaixo do limite 50BF PICKUP não é indicação confiável do funcionamento adequado do disjuntor.

é gerada uma mensagem de alarme e iniciada uma temporização ajustável. Figura 2-85 Diagrama lógico para proteção de falha do disjuntor. SIPROTEC. • somente o contato auxiliar para o disjuntor “fechado” está configurado (4601 „>52-a“). há o dropout desse pickup e nenhum sinal de trip é emitido pela função de proteção de falha do disjuntor. Sendo assim. Para proteger do incomodo de trip devido a excessivos “bounces” do contato. A figura seguinte mostra o diagrama lógico para a função de proteção de falha do disjuntor. A função de proteção de falha do disjuntor completa pode ser chaveada para ON ou OFF ou pode ser bloqueada dinamicamente via entradas binárias. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. o critério para pickup ainda é encontrado. caso contrário. • somente o contato auxiliar para o disjuntor “aberto” está configurado(4602 „>52-b“). Após ter sido emitido um comando de trip ele é a meta para detectar – se possível – por meio do feedback dos contatos auxiliares do disjuntor se o disjuntor está aberto ou em posição intermediária. Se. um sinal de trip é emitido para um disjuntor acima localizado. O diagrama lógico ilustra o monitoramento dos contatos auxiliares do disjuntor. o sinal de trip emitido pela proteção de falha do disjuntor está configurada para um dos relés de saída. Publicação 05. monitoramento dos contatos auxiliares do disjuntor Lógica Se a proteção de falha do disjuntor é iniciada.2009 247 . dependendo da alocação das entradas binárias e dos contatos auxiliares. Se válida.Funções 2. Esse sinal externo deve estar presente durante todo o período da temporização. uma vez expirada a temporização. uma estabilização das entradas binárias para sinais de trip externos passa a ocorrer.14 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF Monitoramento dos Contatos Auxiliares do Disjuntor A avaliação dos contatos auxiliares do disjuntor depende do tipo de contatos e como estão conectados às entradas binárias: • os contatos auxiliares para o disjuntor "aberto" (4602 „>52-b“) e "fechado" (4601 „>52-a“) estão configurados. Se o critério que conduziu o pickup não é mais encontrado quando a temporização tiver expirado. o temporizador é resetado e enenhum sinal de trip é emitido. • nenhum dos dois contatos auxiliares está configurado. A informação de feedback do status auxiliar do disjuntor é avaliado. essa informação pode ser usada para a iniciação adequada da função de proteção de falha do disjuntor.

7SJ80. Publicação 05.Funções 2. Manual E50417-G1179-C343-A1.14 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF Figura 2-86 Diagrama lógico da proteção de falha do disjuntor 248 SIPROTEC.2009 .

Critério O endereço 7004 Chk BRK CONTACT estabelece se serão ou não usados os contatos auxiliares do disjuntor conectados via entradas binárias como critério para pickup. A Figura 2-87 ilustra as sequências de tempo. Esse ajuste deve ser selecionado se a proteção de falha do disjuntor está iniciada por funções. Manual E50417-G1179-C343-A1. que podem conduzir à extensão dos tempos de dropout se correntes extremamente altas são desligadas. proteção de tensão. existe o risco de transientes no circuito secundário do transformador de corrente. por exemplo.2009 249 . e o valor de pickup do monitoramento de corrente à terra no endereço 7007 50BF PICKUP IE>.Funções 2. Os valores limite devem ser ajustados em um nível abaixo da mínima corrente de falta para a qual o monitoramento da corrente total deve operar. Ajustando Enabled considere as correntes trifásicas para monitoramento da corrente total. 7SJ80. Ajustando enabled w/ 3I0> adicionalmente avalia a corrente à terra ou o sistema de sequência negativa quando só uma corrente de fase ocorre. então o critério de corrente e/ou do contato auxiliar se aplica. Se essa função não é requerida. Este ajuste deverá basear-se no tempo máximo de operação do disjuntor mais o tempo de dropout do elemento de monitoramento de fluxo de corrente mais uma margem de segurança que leva em consideração a tolerância da temporização. Publicação 05. Se esse endereço for ajustado para ON. uma vez que caso contrário. A função pode ser ajustada para ON ou OFF no endereço 7001 FCT 50BF. as quais nem sempre tem um certo critério para detecção de um disjuntor aberto. Figura 2-87 Exemplo de sequência de tempo para total eliminação de uma falta e com falha do disjuntor Valores de Pickup O valor de pickup do monitoramento do fluxo de corrente é ajustado no endereço 7006 50BF PICKUP.14. O valor de pickup não deverá ser ajustado muito baixo.2 Geral Notas de Ajustes A proteção de falha do disjuntor só é efetiva e acessível se o endereço 170 50BF iestá ajustado para Enabled ou enabled w/ 3I0>. então é ajustado Disabled. SIPROTEC. Um ajuste de 10% abaixo da mínima corrente de falta para a qual a proteção deve operar é o recomendado. Temporização A temporização é parametrizada no endereço 7005 TRIP-Timer.14 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF 2.

4 No. SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT >BLOQUEAR 50BF >50BF iniciada externamente 50BF está DESLIGADA 50BF está BLOQUEADA 50BF está ATIVA PICKUP interno de 50BF PICKUP externo de 50BF TRIP de 50BF TRIP (interno) de 50BF TRIP (externo) de 50BF Comentários 250 SIPROTEC.14.14 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF 2.. 100. Publicação 05. 20.10 A 0. 100.25 . 7SJ80.10 A 0..05 . A coluna C (Configuração) indica a correspondente corrente nominal secundária do transformador de corrente.50 A 0..00 A 7007 50BF PICKUP IE> 1A 5A 2. ∞ Ajuste Padrão OFF OFF 0. Manual E50417-G1179-C343-A1.Funções 2.3 Ajustes A tabela indica ajustes padrão para regiões específicas..14.25 .. 20. End.00 A 0.2009 . 1403 1431 1451 1452 1453 1456 1457 1471 1480 1481 Lista de Informações Information >BLOCK 50BF >50BF ext SRC 50BF OFF 50BF BLOCK 50BF ACTIVE 50BF int Pickup 50BF ext Pickup 50BF TRIP 50BF int TRIP 50BF ext TRIP Tipo de Info.50 A Comentários Proteção de Falha do Disjuntor 50BF Verificação de contatos do disjuntor TRIP-Temporizador Limite de corrente de pickup 50BF Limite de corrente à terra de pickup de 50BF 1A 5A 0.00 sec.00 A 0.06 .25 sec 0.05 .00 A 0. 7001 7004 7005 7006 Parâmetro FCT 50BF Chk BRK CONTACT TRIP-Timer 50BF PICKUP C Opções de Ajuste OFF ON OFF ON 0. 60.

59G 27. Um máximo de 20 funções de proteção flexíveis podem ser criadas.1 Geral Descrição A função está baseada na conexão de uma lógica de proteção padrão com uma variável (valor medido ou valor derivado) que pode ser selecionada via um parâmetro.s.s. Cada função pode ser aplicada como uma função de proteção independente.2009 251 . 2.Funções 2. 50G Monitoramento de 37 Subcorrente Proteção de Sobrecorrente 50. tarefas de monitoramento.15. Publicação 05. 7SJ80.15 Funções de Proteção Flexíveis 2.) Proteção de sobrecorrente 50. 50G Proteção de Sobrecarga 49 Térmica Monitoramento de 37 Subcorrente Proteção de sobrecorrente 50N temporizada. 59G 59N 27. Manual E50417-G1179-C343-A1. Modo de Operação Trifásico Valor RMS do componente fundamental True RMS (valor r. Favor observar que os valores de potência não estão disponíveis ao usar medição de tensão capacitiva. As variáveis indicadas na Tabela 2-14 e as funções de proteção que são delas derivadas estão disponíveis. 59.m. 59 47 sem referência de fase X X X X X X X SIPROTEC.15 Funções de Proteção Flexíveis A função de proteção flexível é uma função geralmente válida. por exemplo.) Sistema de sequência zero Componente de sequência positiva Componente de sequência negativa X X Proteção de sequência negativa 46 X X Proteção de frequência Proteção de mudança de frequência Proteção de tensão Tensão residual Proteção de tensão Tensão residual Tensão residual Proteção de tensão Assimetria de tensão 81U/O 81R 27. como um elemento de proteção adicional de uma função de proteção já existente ou uma lógica universal. terra X Monofásico X Irms X X 3I0 I1 I2 I2/I1 Frequência f df/dt Tensão V Vrms 3V0 V1 V2 Sistema de sequência zero Componente de sequência positiva Componente de sequência negativa Relação de componente de sequência positiva/negativa Frequência Mudança de frequência Valor RMS do componente fundamental True RMS (valor r. 59. cuja aplicação depende da configuração de princípios de proteção diferentes.m. Tabela 2-14 Grupo Característico Corrente I Funções de Proteção Possíveis Característica/Grandeza Medida Função de Proteção ANSI No.

Funções 2.by Vol.03· IN. Publicação 05. A seguinte descrição de uma função também se aplica para todas as funções flexíveis adicionais. não é possível. Bloqueio de Função A função pode ser bloqueada via entrada binária (Fno. Isso é indicado pela mensagem (Fno. o bloqueio é efetivado sobre correntes mais baixas do que 0. são resetados. 32. O estado Alarm Only pode também ser habilitado.16 um exemplo de aplicação para a função “Proteção de Potência Reversa” está ilustrado.Loss só está disponível se a variável estiver baseada em uma medição de tensão. Isso será consequentemente detectado tanto pela função interna „Reconhecimento de Falha da Tensão Medida“ (Fno. Enquanto a função está bloqueada.10. 6509 „>FAIL:FEEDER VT“ e Fno. Assim. O parâmetro respectivo BLK. O bloqueio via operação local pode ser importante se a função é contínua nominal. pode ocorrer que a sequência das funções não seja corretamente configurada.2009 .set“). 7SJ80. 252 SIPROTEC. a função pode ser bloqueada se uma tensão medida falhar.2110 „>BLOCK $00“) ou operação local („Control“ -> „Marking“ -> „Set“)(Controle->Marcação->Ajuste). O diagrama lógico na Figura 2-88 ilustra a descrição. Modo de Operação Trifásico Monofásico X Potência real Proteção de potência reversa Proteção de potência Proteção de potência Fator de potência Acoplamento direto 32R. Se a função operar como proteção de potência ou monitoramento de potência.1) quanto pelos contatos auxiliares do disjuntor para transformadores de potencial (Fno. Nesse estado o pickup não resultará em uma falta e a temporização do comando de trip não é iniciada. a unidade de medição inteira da função assim como os tempos de andamento e as mensagens. Manual E50417-G1179-C343-A1. 37 X Q cos ϕ Entrada binária – Potência reativa Fator de potência Entrada binária 32 55 X X X X sem referência de fase No Capítulo 2. 170 „VT FuseFail“. 235. o trip. „$00 inval. Essa função não está ativa nesse caso e a configuração da função deve ser ajustada. Controle de Função A função pode ser chaveada para ON ou OFF. o que torna impossível a reconfiguração. veja Capítulo 2. Se forem efetivadas mudanças nos Dados do Sistema de Potência 1(Power System Data 1) após a configuração das funções flexívei. As funções de proteção (no máximo 20) operam independentemente. 6510 „>FAIL: BUS VT“).15 Funções de Proteção Flexíveis Grupo Característico Potência P Característica/Grandeza Medida Função de Proteção ANSI No. Se as tensões estão baseadas em variáveis. Esse mecanismo de bloqueio pode ser chaveado para On ou OFF por meio de um parâmetro.

é determinado pelo parâmetro PICKUP WITH se a função deverá disparar ao exceder (Elemento>) ou anteceder (Elemento <) os valores limite. Isso significa que o processamento da avaliação do valor limite. Via parâmetro OPERRAT. MEAS.Funções 2. MODE pode ser determinado se a função opera 3-fases. isto é. No caso de um método de operação monofásico. a temporização não é influenciada pelo valor medido. sem referência (fixa) de fase.m. todas as três fases são avaliadas simultâneamente. MEAS. a corrente da fse Ib é avaliada). Além disso. Esse é o método de operação típico de uma proteção de sobrecorrente temporizada trifásica. METHOD e PICKUP WITH.s. é efetuada fase-seletivamente e simultâneamente.s. Procedimentos de Medição O alinhamento da função flexível com uma função de proteção específica para uma aplicação específica é executada via parâmetros OPERRAT. Valores Medidos.m. a função opera tanto com o valor medido de uma fase que deve ser explicitamente definida (por exemplo. MEAS. que avalia também harmônicos mais altos. Publicação 05. do componente fundamental..s. O MEAS. Manual E50417-G1179-C343-A1. 1-fase ou sem referência. ou com o valor true r. Se a variável está baseada na frequência ou se a função de acoplamento direto é usada. METHOD determina para os valores medidos de corrente e tensão. se a função opera com o valor do componente fundamental r. QUANTITY assim como MEAS. No caso de um método de operação trifásico. Todas as outras variáveis operam com o valor r.m. SIPROTEC. isto é. METHOD para ser aplicado são determinados via parâmetros adicionais. 7SJ80. Curva Característica A curva característica da função é sempre “independente”.15 Funções de Proteção Flexíveis Modo de Operação. QUANTITY. MODE.2009 253 . o método de operação não tem referência de fase (fixada). com a corrente à terra medida In quanto com a tensão residual medida Vn.

Manual E50417-G1179-C343-A1. as mensagens específicas de fase são omitidas.2009 . No caso de um método de operação monofásico ou sem referência de fase. Publicação 05.15 Funções de Proteção Flexíveis Lógica Funcional A Figura 2-88 mostra o diagrama lógico para uma função operando trifásica. Figura 2-88 Diagrama lógico das funções de proteção flexíveis 254 SIPROTEC. 7SJ80.Funções 2. a seletividade de fase e assim.

235. Se os valores limite continuarem a ser excedidos após expirar a temporização do comando de trip. Publicação 05. Se o pickup continuar e a entrada binária estiver ativada.Funções 2. Se essa função está habilitada.2113 „>$00 BLK. 235. Ao expirar essa temporização e com o os valores limites excedendo. 2715 „>Start 79 Gnd“. 235. é gerado o comando de trip 235. O bloqueio do comando de trip fase-seletivo é requerido para interação com a restrição a inrush (veja “Interação com Outras Funções”). é iniciada a temporização de pickup após a ativação. Se o disparo da temporização está ajustado para zero. Interação com Outras Funções As funções flexíveis interagem com diferentes outras funções.2111 „>$00 instant. há dropout do pickup. o valor limite de ajuste é monitorado quanto a ser excedido ou não atingido.2112 „>$00 Dir. 2711 „>79 Start“.A relação de dropout da função pode ser configurada. As funções lógicas ilustradas na Figura 2-88. Se o tempo de operação é usado. ocorrerá um comando de trip gerado somente se o valor limite for excedido nesse momento. isso não ocorre. o pickup da função flexível deve estar ligado adicionalmente com a entrada binária Fno. 7SJ80. 2716 „>Start 79 Ph“ ou Fno. Se o ajuste está para "Message only"(“Somente Mensagem”). Entretanto. o tempo é iniciado. o limite mínimo ajustado de corrente 7006 50BF PICKUP é excedido. • com o Monitoramento de Falha do Fusível (veja „Bloqueio da Função”. Se o tempo for configurado para zero ocorre dropout imediatamente ao ser atingido o valor limite. Excedendo o valor limite (Elemento >)é iniciada a temporização de disparo configurada.2121 „$00 picked up“) são reportados. Expirando a temporização do comando de trip enquanto a temporização de dropout ainda está em progresso. • com a Função de Religamento Automático (AR): Iniciação de AR não pode ocorrer diretamente. ocorre pickup junto com o reconhecimento dos valores limites excedidos. o comando de trip da função flexível deve estar ligado via CFC com a entrada binária Fno. o tempo não é iniciado. Se ajustada para zero. Enquanto a entrada binária estiver ativa.2125 „$00 Time Out“). SIPROTEC. Fno. assim como a gravação da falta é iniciada no pickup. assim o trip não pode ocorrer. o pickup é imediatamente reportado e iniciada a temporização do comando de trip. Atingido o valor de dropout ajustado.2126 „$00 TRIP“).TripA“) e (Fno. por exemplo: • com a Proteção de Falha do Disjuntor: A proteção de falha do disjuntor é automaticamente iniciada se a função gerar um comando de trip. 235. A finalização da temporização do comando de trip pode ser bloqueada via entrada binária (Fno.15 Funções de Proteção Flexíveis Dependendo da configuração. para descrição).2114 „>$00 BLK.No dropout da entrada binária e pickup contínuo. o trip só ocorrerá se o critério de corrente for preenchido ao mesmo tempo. A finalização da temporização pode ser contornada (by-passed) pela ativação da entrada binária (Fno.TRIP“) está ativada. 235.2009 255 . Para interação com AR. há pickup da fase (por exemplo. Somente depois de expirar a temporização de dropout. isto é. O tempo expirado é reportado via (Fno. então. isto é.“).2115 „>$00 BL.TDly“). O envio do comando de trip pode ser bloqueado pelas entradas binárias (Fno. Quando a entrada binária para o acoplamento direto (Fno. a temporização do comando de trip. 235. 235. após pickup (Elemento >). Acoplamento Direto O acoplamento direto não está explicitamente mostrado no diagrama lógico já que a funcionalidade é análoga. Pickup é ainda mantido durante esse tempo e uma temporização de comando de trip iniciada continua em progresso. ocorrerá trip imediatamente. 235. isso é tratado como se excedendo o valor limite. Manual E50417-G1179-C343-A1.2122 „$00 pickup A“) assim como a função disparada (Fno.TRIP“). é iniciada a temporização de dropout.

a função flexível faz provisão para três entradas binárias para o bloqueio do comando de trip fase-seletivo (Fno.1). Se for implementado um bloqueio cruzado. Os comandos de trip pela função de proteção flexível são mantidos após reset do pickup. pode ser ajustado para OFF. Todas as funcionalidades ligadas à detecção de falta geral e trip geral. Manual E50417-G1179-C343-A1. Geral Na caixa de diálogo do DIGSI “Geral”. Sendo assim. É importante também notar que a função flexível deve ser temporizada por pelo menos 20 ms de forma que possa ocorrer pickup da restrição à inrush com segurança antes da função flexível. IN ou IN2 ). também se aplicam às funções flexíveis.2009 .2 Notas de Ajustes O ajuste do escopo funcional determina o número de funções de proteção flexíveis a serem usadas (veja Capítulo 2. ON ou Alarm Only(Somente Alarme). VB) ou Vx ou um valor à terra (VN. as mensagens de inrush fase-seletivas são de lógica OR e devem estar ligadas à entrada binária para bloqueio da função de comando de trip (Fno. nenhum comando de trip é emitido e nem a proteção de falha do disjuntor será afetada.Funções 2. isso resultará na perda de todos os ajustes e configurações dessa função ou seus ajustes serão resetados a seus valores padrão.2114 „>$00 BLK.TRIP“). o parâmetro FLEXIBLE FUNC.1. por pelo menos a duração mínima do comando de trip configurada 210 T TRIPCOM MIN. Um exemplo típico é a proteção de sobrecorrente temporizada trifásica. Pode ser um valor de fase individual (por exemplo.19). esse bloqueio deve ser conduzido via CFC. isto é. 2. independente de uma conexão monofásica ou trifásica de corrente e tensão.15 Funções de Proteção Flexíveis • com a Restrição a Inrush: Uma interação direta com a restrição a inrush não é possível. Se a função está habilitada no modo operacional Alarm Only. 7SJ80. pode ser configurado OPERRAT. Single-phase (monofásico) – funções avaliam somente o valor medido individual. 1840 a 1842).2115 a 235. Se uma função flexível for bloqueada pela restrição à inrush. 235. Publicação 05. Devem estar ligadas às mensagens fase-seletivas para reconhecimento das correntes de inrush (Fno. nenhuma indicação “Efetiva” é gerada. 235. Para um método de operação fase-seletivo.15. Além disso. 256 SIPROTEC. • com a Lógica Geral do Dispositivo: A mensagem de pickup da função flexível está incluida na detecção de falta geral e no trip geral (veja Capítulo 2. A Tabela 2-14 fornece uma visão geral de quais variáveis podem ser usadas em que modo de operação. nenhuma falta é gravada.2117). esse modo operacional é preferido quando a função flexível não é requerida para operar como função de proteção. Ajustando para no reference (sem referência) determina a avaliação das variáveis medidas. Se uma função flexível no escopo funcional está desabilitada (pela remoção da marca de indicação-check). MODE : 3-phase (trifásico) – funções avaliam o sistema de medição trifásico. todas as três fases são processadas simultâneamente.

Vbc ou Vab. MODE (veja a Tabela seguinte). VSyn como tipo de conexão para os transformadores de potencial no endereço 213 VT Connect. tensão e potência. que podem ser uma variável calculada ou diretamente medida.15 Funções de Proteção Flexíveis Valores Medidos Na caixa de diálogo de ajuste “Measured Values” (Valores Medidos). Tabela 2-15 Parâmetro “Modo de Operação” e “Grandeza Medida” Parâmetro MEAS. Método de Medição Os procedimentos de medição. As dependências dos procedimentos de medição disponíveis dos modos de operação configuráveis e a variável medida também estão indicados. 7SJ80. As opções de ajuste que podem ser selecionadas dependem do modo de processamento do valor medido. 3ph. Vbc.Funções 2. Publicação 05. como pré-definido no parâmetro OPERRAT.corrente. QUANTITY Opções de Ajuste Current (Corrente) Voltage (Tensão) P forward (para frente) P reverse (reversa) Q forward (para frente) Q reverse (reversa) Power factor (Fator de Potência) Parâmetro OPERRAT. as variáveis medidas para serem avaliadas pelas funções de proteção flexíveis podem ser selecionadas. Three-fase (Trifásico) Without Reference (Sem Referência) Frequency (Frequência) df/dt rising (subindo) df/dt falling (caindo) Binary Input (Entrada Binária) Os valores de potência não estão disponíveis se você selecionou o ajuste Vab. SIPROTEC. MODE Ajustado para Single-fase (Monofásico). podem ser configurados para as variáveis medidas . VSyn ou Vab. Manual E50417-G1179-C343-A1. como ajustados na tabela seguinte.2009 257 . Vx ou Vph-g. Vbc.

Importante: O valor limite de tensão é sempre parametrizado como tensão fase-fase. visto que altos harmônicos contribuem para um aquecimento térmico. Importante: O valor limite de tensão é sempre parametrizado como tensão fase-fase. Sistema de sequência negativa. Tensão Opções de Ajustes do Parâmetro MEAS. Sistema de sequência zero A fim de implementar certas aplicações.2009 . Corrente Tensão Relação de I2/I1 Parâmetro VOLTAGE SYSTEM Opções de Ajuste Fase-Fase Fase-Terra Se você configurou o endereço 213 VT Connect. altos harmônicos são avaliados. 3ph para Van. A relação da corrente de sequência positiva/negativa é avaliada. independentemente do parâmetro VOLTAGE SYSTEM. Exemplos: . Ao selecionar fase-fase. a tensão fase-terra afetada é zero. habilita corrente de sequência zero adicional ou funções de tensão de sequência zero a serem implementadas. 7SJ80. que são medidas diretamente pelos transformadores. Vbn. METHOD Harmônico Fundamental Somente o harmônico fundamental é avaliado. Publicação 05. Vbc. estas variáveis são derivadas das tensões fase-terra. harmônicos mais altos são suprimidos. isto é. que operam independentemente das variáveis de terra IN e VN. Sistema de sequência positiva.I2 (sistema de monitoramento de trip) . Vcn or Vab. O valor “verdadeiro” de RMS é determinado. o parâmetro está oculto. Importante: O valor limite de tensão é sempre parametrizado de acordo com a definição dos componentes simétricos. se uma proteção simples de sobrecarga for aplicada com base na medição de uma corrente. Este é o procedimento padrão de medição das funções de proteção. você pode selecionar se uma função de função trifásica avaliará a tensão fase-terra ou as tensões fase-fase. Para conexões de tensão fase-fase. por exemplo. importante para faltas monopolares. VGnd. Manual E50417-G1179-C343-A1.15 Funções de Proteção Flexíveis Tabela 2-16 Parâmetro no Diálogo de Ajustes “Procedimentos de Medição”. Notas Modo de Operação Trifase True RMS 258 SIPROTEC. Este procedimento é utilizado. A seleção é.V2 (assimetria de tensão) Escolher a seleção de sistema de sequência zero.Funções 2. Modo de Operação trifásico Variável Medida Corrente. independentemente do parâmetro VOLTAGE SYSTEM. o sistema de sequência positiva ou o sistema de sequência negativa podem ser configurados como procedimento de medição. Se a tensão com falta cai a zero. visto que as tensões fase-fase afetadas caem na dimensão de uma tensão fase-terra. por exemplo. independentemente do parâmetro VOLTAGE SYSTEM.

a tensão VAB cai a tal grau que seu valor limite seja atingido. SIPROTEC. por exemplo. Publicação 05. a tensão VA cai a tal grau em que as tensões VAB e VCA atinjam seu valor limite.15 Funções de Proteção Flexíveis Nota Quanto à mensagens de pickup de fase seletiva.Funções 2. porque a mensagem de pickup de fase seletiva "Flx01 Pickup Lx" está alocada no respectivo canal de valor medido “Lx”.2009 259 . o dispositivo indica pickups “Flx01 Pickup A” e “Flx01 Pickup C”. por exemplo. porque isso foi detectado no primeiro e no terceiro canais de valores medidos. Manual E50417-G1179-C343-A1. é observado um comportamento especial na proteção de tensão trifásica com variáveis de fase-fase. 7SJ80. o dispositivo indica então pickup "Flx01 Pickup A". porque isso foi detectado no primeiro canal de valor medido. Falta monopolares: Se. Faltas bipolares: Se.

True RMS O valor de RMS “Verdadeiro“ é determinado.G. O ajuste IN ou INS refere-se à corrente à terra sensitiva ou altamente sensitiva na quarta entrada de corrente.quando selecionada uma variável fase-terra como tensão fase-terra. tensão Opções de Ajustes Parâmeto MEAS. uma vez que altos harmônicos contribuem para um aquecimento térmico. Este é o procedimento de medição padrão das funções de proteção. G->B. por exemplo. Este procedimento é aplicado. INS (entrada de corrente à terra sensitiva) ou IN2 (segunda corrente à terra conectada ao disposiitivo).C. A extensão dos textos de ajustes depende da conexão do transformador de potencial (veja endereço 213 VT Connect. 3ph). Vbc. Q para frente Q reversa Parâmetro POWER Seleção de Ajuste IA VAN IB VBN IC VCN É determinado qual canal de medição de potência (corrente e tensão) é avaliado pela função.15 Funções de Proteção Flexíveis Tabela 2-17 Modo de Operação Monofasica Parâmetro no Diálogo de Ajuste "Procedimento de Medição". as tensões fase-terra serão calculadas se configurada fase-terra. Publicação 05. Modo de Operação Monofásico Variável Medida Corrente.Funções 2. Notas Corrente Seleção de AJuste Parâmetro CURRENT IA IB IC IN INS IN2 É determinado o canal de medição de corrente que será avaliado pela função. o ajuste IN refere-se à corrente na segunda entrada de corrente (IN2). o valor limite deve ser ajustado como valor fase-fase. Tensão Parâmetro VOLTAGE Seleção de Ajuste VAB VBC VCA VAN VBN VCN VN Vx É determinado qual canal de medição de tensão é avaliado pela função.G2. Ao selecionar Vab. Se o parâmetro 251 é ajustado para A. são avaliados altos harmônicos. Altos harmônicos são suprimidos. o ajuste IN2 refere-se à corrente na segunda entrada de corrente (IN2). Ao selecionar tensão fase-fase. VGnd. isto é. 7SJ80. 260 SIPROTEC. G2->B.2009 .G. Dependendo da versão do dispositivo. podem ser selecionados os canais IN (entrada de corrente à terra normal sensitiva).C. A extensão dos textos de ajustes depende da conexão do transformador de potencial (veja endereço 213 VT Connect. se uma proteção simples de sobrecarga é implementada com base na medição de uma corrente. METHOD Fundamental Harmonic Somente o harmônico fundamental é avaliado. 3ph). Manual E50417-G1179-C343-A1.G2. P para frente P reversa. O ajuste INS refere-se à corrente de terra sensitiva na quarta entrada de corrente. Ao selecionar fase-fase as tensões fase-fase conectadas são usadas e VCA é calculada de VAB e VBC. Se o parâmetro 251 é ajustado para A.

by Vol. Ao usar a temporização de dropout é recomendado ajustá-la para um tempo mais curto do que da temporização do comando OFF de forma a evitar a “disputa” de ambos esses tempos. O parâmetro (1108 P. VSyn em VT Connect. Via parâmetro PICKUP WITH é determinado se a função deve ser disparada ao exceder ou atingir o valor limite ajustado. pode ser apropriado se um registro de trip não for desejado iniciar sobre cada limite de pickup de curto prazo excedido.Funções 2.Q sign) para inversão de sinal do display de potência nos valores medidos operacionais é ignorado pelas funções flexíveis. Usualmente. deverão ser bloqueadas no caso de falha da tensão medida (ajuste para YES) ou não (ajuste para NO). A temporização de comando OFF é ajustada via parâmetro T TRIP DELAY. uma relação de dropout de pelo menos 0. porque uma função de proteção deve fornecer pickup o mais rápido possível.Loss determina se uma função cuja variável medida está baseada na medição de tensão (grandezas medidas de tensão. O dropout do pickup pode ser temporizado via parâmetro T DROPOUT DELAY. P reversa. O cálculo da potência é bloqueado para correntes mais baixas. Ao ajustar os valores de limite de potência é importante levar em consideração que a corrente mínima de . temporizações e relações de dropout da função de proteção flexível são ajustados na caixa de diálogo “Settings” (Ajustes) em DIGSI. pode ser requerido se o dispositivo for utilizado junto com dispositivos eletromagnéticos com relações de dropout consideravelmente mais longas do que do dispositivo de proteção digital (veja Capítulo 2. O limite de pickup da função é configurado via parâmetro P. Q para frente. Um desvio de zero. Esse ajuste também é ajustado para zero por padrão (ajuste padrão).03 IN é requerida para o cálculo da potência. Ajustes Os valores de pickup. Manual E50417-G1179-C343-A1. Se a função é usada como proteção de potência. 3ph.02 Hz pode ser mantido. Q reversa) é a direção da linha. Q reversa e fator de potência). P para frente.U.95 (ajuste padrão). o ajuste padrão de 0. O elemento de mudança de frequência (df/dt) opera com um diferencial de dropout fixo. Ambos valores de ajuste devem ser selecionados de acordo com a aplicação requerida. Publicação 05.9 deverá ser ajustada. por exemplo. O parâmetro BLK. do ajuste. O mesmo se aplica para a utilização dos componentes simétricos da corrente e tensão. com proteção de potência quando uma função não é usada como proteção mas sim como função de monitoramento. A diferença de dropout dos elementos de frequência é ajustada no parâmetro DO differential). A relação padrão de dropout das funções de proteção é 0. Se a relação de dropout é diminuida. a tensão conectada fase-terra pode ser processada. essa tensão conectada é usada automaticamente. 7SJ80. ela seria sensível para teste de pickup da função com respeito a possível “intermitência”.2009 261 . A relação de dropout da função pode ser selecionada no parâmetro DROPOUT RATIO. A direção para frente da potência (P para frente. do ajuste. THRESHOLD. Um desvio de zero. Este parâmetro é usualmente ajustado para zero (ajuste padrão) nas aplicações de proteção.2 para mais informações). O pickup pode ser temporizado via parâmetro T PICKUP DELAY. Uma diferença de dropout mais alta deverá ser ajustada em sistemas fracos com grandes flutuações de frequência de curto prazo para evitar intermitência da mensagem.15 Funções de Proteção Flexíveis Nota Se você tiver selecionado Vph-g. SIPROTEC. Se você selecionar VOLTAGE como grandeza medida.

ou ajustá-los de acordo com os requerimentos. Zero sequence Ratio I2/I1 Exceeding Dropping below Ajuste Padrão OFF Comentários Função Flexível 0 OPERRAT. Outras Informações A seguinte instrução deve ser observada: • Como o fator de potência não faz diferença entre capacitivo e indutivo.15. Manual E50417-G1179-C343-A1. Verificando Configurações Após a parametrização de uma função flexível.2009 . Publicação 05. 0 Parâmetro FLEXIBLE FUNC. 7SJ80.3 Ajustes Endereços com um “A” anexo só podem ser mudados com DIGSI em "Display Additional Settings" (Mostrar Ajustes Adicionais). • Verificar configurações nos contatos e na operação e buffer de falta. End. devem ser observados os seguintes passos: • Abertura de matriz no DIGSI • Renomear os textos de mensagens neutras de acordo com a aplicação. 2.15 Funções de Proteção Flexíveis Renomeando Mensagens. C Opções de Ajuste OFF ON Alarm Only 3-phase 1-phase no reference Please select Current Voltage P forward P reverse Q forward Q reverse Power factor Frequency df/dt rising df/dt falling Binray Input Fundamental True RMS Positive seq. QUANTITY Please select Seleção de Grandeza Medida 0 MEAS. A coluna “C” (Configuração) indica a corrente nominal secundária correspondente do transformador de corrente. MODE 3-phase Modo de Operação 0 MEAS. METHOD Fundamental Seleção de Método de medição 0 PICKUP WITH Exceeding Pickup com 262 SIPROTEC. Negative seq.Funções 2. o sinal da potência reativa pode ser usado com ajuda CFC como um critério adicional. A tabela indica ajustes padrão para regiões específicas.

THRESHOLD P. 260..00 sec YES 0. 40. 28800.by Vol.0 W 0..00 A 10.U.500 A 110.00 Hz 0 0 0 0 0A 0 0A 0A 0A 0A 0 P.00 Hz/s 200.00 Hz 5.00 Hz 61.U.00 .00 sec NO YES 0.U.00 sec 0. THRESHOLD P. THRESHOLD 1A 5A Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup 2..99 15 .00 A 0.25 .2009 263 .00 Hz 50.01 . 260.00 .0 V 51.U..U.00 Hz/s 0 P.U.00 .U.0 V 40.0 . 70. 10000.00 sec 0.0 W -0.00 sec 0.05 0.00 Hz 0.0 V 2. THRESHOLD P.00 sec 0.00 .Funções 2.99 1.15 Funções de Proteção Flexíveis End.0 ... THRESHOLD P. 100 % 2. 40. Publicação 05. THRESHOLD T TRIP DELAY T PICKUP DELAY T PICKUP DELAY T DROPOUT DELAY BLK.U.00 0. THRESHOLD P.00 .U.03 Hz Sistema de Tensão Limite de Pickup Limite de Pickup 0...00 . 0 Parâmetro CURRENT C Opções de Ajuste Ia Ib Ic In In sensitive In2 Please select Va-n Vb-n Vc-n Va-b Vb-c Vc-a Vn Vx Ia Va-n Ib Vb-n Ic Vc-n Phase-Phase Phase-Ground 0. 200.005 .0 .Loss DROPOUT RATIO DROPOUT RATIO DO differential Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Temporização de TRIP Temporização de pickup Temporização de pickup Temporização de dropout Bloqueio no caso de perda de tensão de medição Relação de Dropout Relação de Dropout Diferencial de Dropout SIPROTEC. 1. THRESHOLD 1A 5A Limite de Pickup 0 0 0 0 0 0 P. THRESHOLD P..10 .00 sec 0. 0.U.. THRESHOLD 1A 5A Phase-Phase 2.. 60..0 V 0.05 .. 3600..00 A 0.95 1.0 V 1. 20.500 A 2...U.500 A 0.. 0.001 . Manual E50417-G1179-C343-A1. 7.0 .05 . THRESHOLD P. 7SJ80.0 V 110.00 A Ia Ajuste Padrão Comentários Corrente 0 VOLTAGE Please select Tensão 0 POWER Ia Va-n Potência 0 0 0 VOLTAGE SYSTEM P.00 sec 0...0 W 10 .50 20 % 110.0 W 1000.100 A 0.00 A 0.02 .99 .U... 200. 60..70 . 50000. THRESHOLD P. 3. 1.00 A 2. 60.

2115 >$00 BL.2123 $00 pickup B 235. Flex.2122 $00 pickup A 235.2119 $00 OFF 235.2126 $00 TRIP 235. Lista de Informações Informações Tipo de Info.2120 $00 ACTIVE 235.15 Funções de Proteção Flexíveis 2.TDly 235.4 No.2125 $00 Time Out 235.2116 >$00 BL.2127 BLK.2121 $00 picked up 235.Funções 2.set 235.Fct. Publicação 05. 235. 264 SIPROTEC.15. Manual E50417-G1179-C343-A1.3000 $00 Fail I2/I1 236.2110 >BLOCK $00 235.2118 $00 BLOCKED 235.2009 .2124 $00 pickup C 235.TripB 235.TripC 235.2113 >$00 BLK.TRIP 235.2111 >$00 instant.2128 $00 inval. 7SJ80.TripA 235.TRIP 235.2112 >$00 Dir.2117 >$00 BL. SP SP SP SP SP SP SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT IntSP Comentários >BLOQUEAR Função $00 >TRIP instantâneo da Função $00 >TRIP direto da função $00 >Temporização de BLOQUEIO de TRIP da Função $00 >BLOQUEAR TRIP da Função $00 >BLOQUEAR TRIP da Fase A da Função $00 >BLOQUEAR TRIP da Fase B da Função $00 >BLOQUEAR TRIP da Fase C da Função $00 Função $00 está BLOQUEADA Função $00 está DESLIGADA (OFF) Função $00 está ATIVA Pickup da Função $00 Pickup da Fase A da Função $00 Pickup da Fase B da Função $00 Pickup da Fase C da Função $00 Temporização de TRIP da Função $00 Expirou TRIP da Função $00 Função $00 tem ajustes inválidos Falha da Função $00 : Relação I2/I1 BLOQUEAR Função Flexível 235.2114 >$00 BLK.

O pickup dos elementos de proteção pode ocorrer ao excederem ou cairem abaixo de um limite. Dependendo da opção escolhida. Os alimentadores 1 e 2 abastecem os consumidores do cliente. Publicação 05. Todas as linhas ilustradas e o barramento são trifásicos (com exceção das conexões à terra e da conexão da medição de tensão no gerador). O exemplo ilustra como uma proteção de potência reversa é implementada por meio das funções flexíveis de proteção.16 Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função Flexível de Proteção 2.2009 265 . a tensão exceder ou cair abaixo de um valor ajustado. O gerador funciona sincronizadamente. a potência para frente reativa ou a potência reativa reversa.2% de desvio da frequência nominal). o cliente industrial recebe sua corrente da companhia de energia elétrica. ou a potência ativa do gerador é realimentada no sistema da companhia de energia elétrica. linhas) Desconexão de um banco capacitor Os seguintes exemplos descrevem uma aplicação típica. SIPROTEC. a subestação será desconectada do sistema da companhia de energia elétrica assim que a frequência sair da faixa nominal (por exemplo. estão descritas nas Seções 2. Se a companhia de fornecimento de energia não puder mais garantir a energia necessária.8 e 2. onde as funções flexíveis agem como proteção de potência reversa. 7SJ80. a potência reversa ativa. A proteção de frequência e a proteção de tensão.6. linhas) motores em marcha lenta reversa Proteção de rede industrial local contra realimentação na rede de fornecimento de energia Detecção de realimentação de motores 2. Manual E50417-G1179-C343-A1.16 Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função Flexível de Proteção Descrição Através das funções flexíveis de proteção.Funções 2. os elementos podem avaliar a potência para frente ativa. a subestação deve separar-se do sistema da companhia de fornecimento de energia e assumir o próprio fornecimento.16. Neste exemplo. Cada elemento de potência reversa pode ser operado em mono ou trifase. linhas) Conexão de um banco capacitor para compensação de potência reativa reversa Monitoramento dos limites de potência reativa de equipamento de operação (transformadores. As possíveis aplicações da proteção contra potência reversa estão descritos na Tabela 2-18. Dependendo da filosofia do usuário. alguns desses critérios podem ser combinados. 1 . pode ser realizada uma proteção de potência reversa de um único ou de múltiplos elementos. Tabela 2-18 Visão geral das aplicações da proteção contra potência reversa Tipo de avaliação Direção P Excedendo Caindo abaixo para frente Monitoramento dos limites da potência para frente do equipamento de Detecção de operação (transformadores. Normalmente. como valor medido.1 Q para frente Monitoramento dos limites de potência reativa de equipamento de operação (transformadores. Isto seria realizado via CFC. Facilidade de Desconexão A Figura 2-89 exemplifica uma subestação industrial com alimentação própria através do gerador ilustrado. sem energia de alimentação.

O transformador com uma relação de transformação de 10:1 altera o nível da tensão para 11 kV. o gerador e dois alimentadores são ligados por um barramento. 266 SIPROTEC. O disjuntor CB1 é parte do sistema da concessionária de energia elétrica.16 Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função Flexível de Proteção Figura 2-89 Exemplo de uma subestação com gerador de alimentação própria Layout da Subestação No lado da alta tensão. o transformador. Publicação 05. No lado da baixa tensão.Funções 2.2009 . 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. a subestação é ligada ao sistema da concessionária de energia elétrica por uma linha de 110 kV. Os disjuntores CB2 a CB5 separam os consumidores e o equipamento de operação do barramento. A desconexão da subestação do sistema da concessionária de fornecimento de energia é efetuada por uma seccionadora.

para as correntes fase-fase. f>. a subestação é desconectada do gerador por ocasião de sua realimentação dentro do sistema da concessionária de fornecimento de energia (função de proteção P reverse>). 7SJ80. Esta função é implementada por meio de uma função flexível de proteção.Funções 2. Funções de proteção de sobrecorrente protegem os alimentadores 1 e 2 contra curtos-circuitos e sobrecarga causados pelos consumidores conectados.2009 267 . SIPROTEC. A proteção recebe os valores medidos através de uma corrente trifásica e de um grupo de transformadores de potencial. 67N-1 PICKUPdir. No evento de uma falta..prim = 11 kV VNom.).sec = 100 V Potência Nominal do Gerador Potência Nominal doTransformador Tensão nominal no lado da alta tensão Tensão nominal no lado do barramento Corrente nominal primária do TC no lado do barramento Corrente nominal secundária do TC no lado do barramento Tensão nominal primária do TP no lado do barramento Tensão nominal secundária do TP no lado do barramento Funcionalidade de Proteção Com o dispositivo de proteção 7SJ80.prim = 2000 A INom. o barramento poderia ser equipado com o relé 7UT635 de proteção diferencial. a desconexão é efetuada no caso de flutuações de frequência ou de tensão no sistema da concessionária de fornecimento de energia (funções de proteção f<. V<. o disjuntor CB2 é ativado.1 MVA SNom. Publicação 05. Em adição. As correntes fase-fase e as correntes zero dos alimentadores podem ser protegidas por elementos de proteção de tempo definido e de tempo inverso de sobrecorrente. Adicionalmente. O transformador é protegido por uma proteção diferencial ou funções de proteção de tempo definido ou inverso de sobrecorrente. Manual E50417-G1179-C343-A1. para múltiplas finalidades. 59-1 PICKUP. Em adição.Gen = 38. Os transformadores necessários para isso. Em caso de uma desconexão.Transf = 38. já estão incluídos na Figura 2-89. 67-1 PICKUPdir.16 Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função Flexível de Proteção Tabela 2-19 Dados do sistema para o exemplo de aplicação Dados do Sistema SNom. o disjuntor CB1 no sistema da companhia de fornecimento de energia é ativado por uma ligação remota. os disjuntores CB4 e CB5 são ativados.sec = 1 A VNom. No evento de uma falta.1 MVA VNom = 110 kV VNom = 11 kV INom. o disjuntor CB2 é disparado.

268 SIPROTEC. O valor calculado da potência ativa corresponde à potência ativa total. ocorre a partir do barramento de alta tensão (não mostrado) via transformador para o barramento de baixa tensão.16. Os nomes dos parâmentros são fixos. Determinação da Potência Reversa A proteção de potência reversa avalia a potência ativa dos componentes simétricos dos harmônicos fundamentais das tensões e correntes. A conexão no exemplo ilustra medição positiva de potência. 7SJ80. A avaliação dos sistemas de sequência positiva induz a determinação da potência reversa a ser independente das assimetrias nas correntes e tensões.Funções 2. na direção que se entende do barramento ao transformador do dispositivo.2009 . Manual E50417-G1179-C343-A1. e reflete a carga real do terminal de condução.2 Geral Implementação da Proteção de Potência Reversa Os nomes de mensagens podem ser editados em DIGSI e ajustados de acordo com este exemplo. Direção da Potência A Figura 2-90 mostra a ligação elétrica do dispositivo para a proteção de potência reversa. O fluxo da energia na direção positiva ou para frente. Figura 2-90 Diagrama de ligações para um 7SJ80 como proteção de potência revesa 2.16 Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função Flexível de Proteção Diagrama de Ligações. Publicação 05.

Isto permite um limite secundário de dropout de Psec. Se a condição de pickup não desaparece durante a contagem regressiva da temporização de trip. antes que ocorra trip da função de proteção. 50% da potência nominal) e temporizações mais curtas. pickup. Valor de Pickup. a relação de dropout deve ser igualmente reduzida para aproximadamente 0. Temporização de Pickup.6 W. Dropout e Trip A proteção de potência reversa não necessita de tempos curtos de trip como proteção contra realimentação indesejada de potência.7. Publicação 05. a potência reversa deve exceder o limite de pickup e ambos os tempos devem expirar. Os elementos em pickup entram em dropout quando o valor cai abaixo do limite de dropout. A relação de dropout é ajustada para 0. dropout = 15. Manual E50417-G1179-C343-A1. Temporizar pickup irá minimizar o número de registros de faltas que são abertos quando a potência reversa oscila bem próxima do limite. Neste exemplo.PU é gerada e a temporização de trip é iniciada. block bloqueia toda a função. na ocorrência de faltas. Após o bloqueio ter sido liberado. isto é.5 W.9. 7SJ80. rev.rev.5 s e trip por aproximadamente 1s. a indicação de trip P. do sistema da concessionária de fornecimento de energia. timeout são geradas. o valor de ajuste está configurado como potência secundária em watts. os valores de pickup são calculados considerando P prim = 3.Funções 2. No presente exemplo. trip e tempos de funcionamento são resetados. é util selecionar um valor mais alto de pickup (por exemplo. a mensagem de pickup P. Relação de Dropout O valor de pickup da proteção de potência reversa é ajustado para 10% da saída nominal do gerador.2009 269 . TRIP e a indicação de tempo esgotado P. Se a condição de pickup persiste durante a temporização igualmente configurável de pickup. A entrada de bloqueio >P rev. é conveniente temporizar pickup e dropout por cerca de 0.16 Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função Flexível de Proteção Lógica da Função O seguinte diagrama descreve a lógica da função da proteção de potência reversa Figura 2-91 Diagrama lógico da determinação de potência reversa com função flexível de proteção Ocorre pickup da proteção de potência reversa quando o limite configurado de pickup for excedido.81 MW (10% de 38. Existe a seguinte relação entre a potência primária e a secundária: Com base nos dados indicados. Se o limite de pickup é reduzido a um valor próximo do limite inferior de ajuste de 0.1 MW) no nível primário para no nível secundário. rev. SIPROTEC. Quando usar a proteção de potência reversa para desconectar rapidamente a subestação.

uma função flexível de proteção (função flexível 01) é configurada para o seguinte exemplo: Figura 2-92 Configuração da função flexível de proteção Selecione “Additional Functions“ no menu “Parameters“ para visualizar a função flexível. dependem principalmente dos ajustes feitos em Dados do Sistema de Potência 1 (Power System Data 1) para a conexão dos transformadores de potencial e de corrente (endereços 213 e 251). 7SJ80. No escopo de funções.16.16 Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função Flexível de Proteção 2. As opções de seleção de parâmetro para as funções flexíveis de proteção.3 Configurando a Proteção de Potência Reversa em DIGSI Primeiro crie e abra um dispositivo 7SJ80 no DIGSI manager.Funções 2.2009 . Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. 270 SIPROTEC.

Como a direção da potência não pode ser determinada em caso de uma falha de tensão de medição. Manual E50417-G1179-C343-A1. Method“. Publicação 05. Quantity“ e “Meas. 7SJ80.2009 271 .Funções 2. Se a caixa “Display additional settings“ está ativada no item “Settings“ do menu. um bloqueio de proteção é sensato neste caso. Figura 2-94 Seleção do modo de operação trifásico No menu os ítens “Meas. temporização de pickup e temporização de dropout podem ser configurados.16 Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função Flexível de Proteção Figura 2-93 Configuração de uma função flexível de proteção Primeiro ative a função em “Customize --> General“ e selecione o modo de operação “Three-Phase“. “Active Power reverse“ ou “Exceeding“ devem ser ajustados. limite de pickup. SIPROTEC.

Figura 2-97 Mensagens da função flexível – aplicação orientada.16 Aplicação de Proteção de Potência Reversa com Função Flexível de Proteção Figura 2-95 Opções de ajuste para a função flexível Alocação da Proteção de Potência Reversa A matriz de configuração de DIGSI inicialmente mostra as seguintes indicações (após ter selecionado ”Indications and commands only“ e “No filter“): Figura 2-96 Informação da função flexível – ajuste padrão Clicar os textos permite editar textos curtos e longos. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. 272 SIPROTEC.Funções 2. de acordo com a solicitação da aplicação. Publicação 05. exemplo As indicaçoes são alocadas da mesma forma que as indicações de outras funções de proteção.2009 .

Antes da conexão convém cerificar se as condições são síncronas ou não.17 SYNCHROCHECK Quando conectar duas seções de um sistema de potência. 7SJ80.2009 273 . Para comparação de duas tensões das seções do sistema de potência a ser sincronizado a função usa a tensão de referência V1 e uma tensão adicional a ser conectada V2. Se as condições são síncronas. a função syncrocheck verifica que o chaveamento não coloca em perigo a estabilidade do sistema de potência. Aplicações • Aplicações típicas são por exemplo. o sistema é energizado. O tempo de operação do disjuntor não é levado em consideração. seu grupo vetorial pode ser adaptado no relé 7SJ80 de forma que não sejam requeridos adaptadores externos. a sincronização de um alimentador e um barramento ou a sincronização de dois barramentos via acoplamento cruzado. como mostrado no exemplo da Figura 2-98. se elas são assíncronas. Manual E50417-G1179-C343-A1. Figura 2-98 Alimentação SIPROTEC. Publicação 05.Funções 2.17.1 Geral Sistemas de potência síncronos mostram pequenas diferenças quanto a valores de frequência e tensão. 2. não. Se um transformador está conectado entre os dois transformadores de potencial. A função synchrocheck é ativada via endereço 161 SYNCHROCHECK.17 SYNCHROCHECK 2.

Tabela2-1. é possível também. Publicação 05. VSyn. Para aplicações especiais. Para a tensão a ser sincronizada V2.1. Também é possível configurar critério diferente de liberação para religamento automático ou fechamento de controle. Para conexão multifásica ajuste o Dados do Sistema de Potência 1 ( P.2009 . A conexão síncrona é sempre executada via controle integrado. Manual E50417-G1179-C343-A1. Notas sobre os efeitos da conexão do transformador de corrente podem ser encontradas no Capítulo 2. ser ativada via uma entrada binária („>25 synchr. nenhuma tensão zero pode ser determinada.System Data 1) em 213 Vab. Tabela 2-1. A função „Proteção de Sobrecorrente Direcional à Terra“ trabalha então com os valores do sistema de sequência negativa. A configuração determina se a função synchrocheck deve ser conduzida apenas no caso de religamento automático ou no caso de controle do disjuntor ou em ambos os casos. Conexão Multifásica Para comparação das duas tensões. Neste caso. O comando de liberação sob condições de sincronismo satisfatórias pode ser desativado via parâmetro 6113 25 Synchron.3. deve ser observado que no caso de uma conexão V. endereço213 Vph-g. a liberação de fechamento desativada pode. 274 SIPROTEC. VSyn. Vbc.Funções 2. empregar um sistema de religamento automático externo. a mesma tensão como para V1 tem que ser conectada.2.2.3. a troca de sinal entre os dispositivos deve ser executada via entradas e saídas binárias. 7SJ80. as funções „Detecção de Falta à Terra Direcional“ e „Monitoramento de Falha do Fusível (FFM)“ deve ser oculta ou desativada. Contudo. a função synchrocheck usa a tensão de referência V1 e uma tensão adicional a ser conectada V2. o dispositivo é conectado como uma conexão V e as tensões fase-fase VAB e VBC são usadas como tensão de referência V1. Conexão Monofásica Se existir apenas uma tensão fase-terra disponível para a tensão de referência V1.17 SYNCHROCHECK Figura 2-99 Acoplamento cruzado A função synchrocheck do 7SJ80 usualmente coopera com o sistema de religamento automático integrado e a função de controle. A tensão a ser sincronizada V2 está designada para conexão monofásica e pode ser qualquer tensão fase-fase. Também nesse caso. entretanto.System Data 1). a função synchrocheck pode ser aplicada completamente. Nesse caso. Além disso.1. Com uma tensão de conexão capacitiva a função synchrocheck não está disponível. Favor observar que algumas das funções de proteção estão restritas ou não operam completamente com esta espécie de conexão.“) (veja „Chaveamento Desenergizado“). Com este ajuste. o dispositivo pode ser informado desse fato via Dados do Sistema de Potência 1( P. A tensão conectada é ajustada no endereço 6123. Notas sobre os efeitos da conexão do transformador de corrente podem ser encontradas no Capítulo 2.

„25 V2<V1“). Além disso. Vbc. Antes da liberação para fechamento ser garantida. V2 energizado) é menor do que o endereço 6103 (limite inferior de tensão Vmin).2009 275 . a mensagem „25 Set-Error“ é emitida. Esse sinal de liberação só está disponível para a duração configurada do comando CLOSE e é processada pela função de controle do dispositivo como comando CLOSE para o disjuntor (veja também cabeçalho de margem „Interação e Controle“). a mensagem de erro „25 Set-Error“ é emitida adicionalmente. Se as condições são encontradas. a função de religamento automático ou externamente via uma entrada binária. Essa solicitação pode ser emitida pela função de controle interno. „25 f2<f1“) ou diferença de ângulos (mensagens „25 α2>α1“. a mensagem „25 Synchron“ é aplicada enquanto as condições de sincronismo são encontradas. VSyn ou Vph-g. as seguintes condições são verificadas: • A tensão de referência V1 está acima do valor de ajuste Vmin mas abaixo da máxima tensão Vmax? • A tensão V2 a ser sincronizada está acima do valor de ajuste Vmin mas abaixo da máxima tensão Vmax? • A diferença de tensão V2 – V1 está dentro do limite permissível dV SYNCHK V2>V1? • A diferença de tensão V1 – V2 está dentro do limite permissível dV SYNCHK V2<V1? • As duas frequências de referência f1 e f2 estão dentro da faixa de operação permissível fN ± 3 Hz? • A diferença de frequência f2 – f1 está dentro do limite permissível df SYNCHK f2>f1? • A diferença de frequência f1 – f2 está dentro do limite permissível df SYNCHK f2<f1? • A diferença de ângulo α2 – α1 está dentro do limite permissível dα SYNCHK α2>α1? • A diferença de ângulo α1 – α2 está dentro do limite permissível dα SYNCHK α2<α1? Se existir uma condição não plausível a mensagem „25 Sync. Neste caso. Se após uma solicitação de medição existir uma condição não plausível. a função synchrocheck emite um sinal de liberação para fechamento do relé („25 CloseRelease“). Liberação A função synchrocheck só opera se receber uma solicitação de medição. Se existir uma condição que não seja plausível. Se as condições são plausíveis. „25 fdiff ok“. Error“ é emitida. „25 α2<α1“) estão fora dos valores limite.Se existir uma falta. Cada condição encontrada é indicada explicitamente (mensagens „25 Vdiff ok“. que o endereço 6106 (limite V1. diferença de frequências (mensagens „25 f2>f1“. Manual E50417-G1179-C343-A1. Error“ é emitida e a medição não é iniciada. também é verificado se o parâmetro da subestação 213 está ajustado para Vab. por exemplo. Publicação 05. então. quando a diferença de tensão (mensagens „25 V2>V1“. neste caso. por exemplo.17.Funções 2. não é iniciada. A mensagem „25 Sync. a sincronização pode ser controlada diretamente via uma entrada binária. limites específicos e ajustes do grupo da função são verificados. 7SJ80. de um sistema de religamento automático externo.17 SYNCHROCHECK 2. „25 αdiff ok“).“) e as condições de liberação configuradas são verificadas. Entretanto. VSyn. Quanto à configuração. SIPROTEC. Error“ é emitida.2 Sequência Funcional Verificação de Plausibilidade da Configuração Já durante a partida do dispositivo. uma verificação de plausibilidade da configuração é efetuada. Condições que não são encontradas também são indicadas explicitamente. Erro SYNC A sincronização não é iniciada se for comunicada falha de um transformador de potencial (trip do mini disjuntor) para o dispositivo via entrada binária 6509 „>FAIL:FEEDER VT“ ou 6510 „>FAIL: BUS VT“. A pré-condição para essas mensagens é de que ambas as tensões estejam dentro da faixa de operação da função de synchrocheck (veja “Faixa Operacional“). A função synchrocheck não pode ser controlada via entrada binária. a mensagem „25 Sync. Favor assegurar. A medição. a medição é iniciada (mensagem „25-1 meas.

isso é indicado pelas mensagens correspondentes („25 f1>>“. ou se uma das tensões deixa a faixa de operação.17 SYNCHROCHECK A medição das condições de sincronismo pode estar confinada ao tempo máximo de monitoramento T-SYN. a liberação é cancelada (mensagem „25 MonTimeExc“). Por essa razão. é claro. combinações também são possíveis (por exemplo.3 Chaveamento Desenergizado Também é possível conectar dois componentes de um sistema de potência. Os valores medidos são exibidos e atualizados somente se função synchrocheck for requisitada. a conexão só é permitida quando não há tensão no lado da carga. as seguintes condições adicionais de liberação podem ser selecionadas para a verificação: SYNC V1>V2< = SYNC V1<V2> = SYNC V1<V2< = Liberar na condição de que o componente V1 esteja energizado e o componente V2 esteja desenergizado Liberar na condição de que o componente V1 esteja desenergizado e o componente V2 esteja energizado. Valores Medidos Os valores medidos da função synchrocheck são exibidas em janelas separadas para valores medidos primários. frequência e ângulo. „25 V1>>“. secundários e percentuais. Se as condições não são encontradas dentro de T-SYN. Uma nova sincronização só pode ser executada se for recebida uma nova solicitação de medição.Funções 2. 7SJ80. É exibido o seguinte: • Valor da tensão de referência V1 • Valor da tensão a ser sincronizada V2 • Valores de frequência f1 e f2 • Diferenças de tensão. todas as tensões conectadas devem ter um valor mais alto do que o limite V> de forma que o lado V1 é considerado como se estivesse sendo energizado. Com uma conexão multifásica no lado V1. DURATION. Faixa Operacional A faixa operacional da função synchrocheck é definida pelos limites de configuração de tensão Vmin e Vmax assim como a faixa de frequência fixa fNom ± 3 Hz. se pelo menos um deles estiver desenergizado e se a tensão medida for maior do que o limite 6106 V>. Publicação 05. a sincronização com o uso do parâmetro adicional 6113 25 Synchron (configurado para NO).17. 2. „25 V1<<“). release if SYNC V1>V2< ou SYNC V1<V2> are fulfilled). Se a medição é iniciada e uma das duas tensões está fora da faixa de operação. „25 f1<<“. Liberar na condição de que o componente V1 e o componente V2 estejam desenergizados. só a tensão única tem de exceder o valor limite. Cada uma dessas condições pode ser ativada ou desativada individualmente via parâmetros ou entradas binárias. Além da liberação sob condições síncronas. também pode ser usado para a conexão de um eletrodo à terra. Manual E50417-G1179-C343-A1. 276 SIPROTEC. Nesse caso. Com uma conexão monofásica. DURATION.2009 .

a medição é finalizada e a função completa é resetada. Neste caso. A mensagem sinalizando essa condição é emitida via „25-1 BLOCK“. Com uma conexão monofásica. um componente do sistema de potência é considerado como se estivesse sendo energizado. as condições a serem cumpridas correspondem àquelas estabelecidas acima. somente a tensão única tem de exceder o valor limite.17. Via entrada binária „>25direct CO“. são as seguintes: “25 V1> V2<“. Uma nova medição só pode ser executada com uma nova solicitação de medição. Se a tensão medida exceder o limites V>. O parâmetro TSUP VOLTAGE (endereço 6111) pode ser ajustado para configurar um tempo de monitoramento necessário para que as condições adicionais de liberação estabelecidas acima. Se a função synchrocheck falha. as seguintes condições são verificadas: • A tensão de referência V1 está acima do valor limite Vmin e V> mas abaixo da tensão máxima Vmax? • A tensão a ser sincronizada V2 está abaixo do valor de ajusteV<? • A frequência f1 está dentro da faixa de operação permitida fNom ± 3 Hz? Após a conclusão bem sucedida das verificações. O bloqueio completo da função synchrocheck é possível via entrada binária „>BLK 25-1“. Quando o bloqueio está ativo. Com o bloqueio. essa liberação pode ser garantida externamente. todas as tensões conectadas devem ter um valor mais alto do que o limite V> de forma que o lado V1 é considerado como se estivesse sendo energizado. dependendo do tipo de falha (veja também "Verificação de Plausibilidade" e „Erro SYNC“). Via entrada binária „>BLK 25 CLOSE“ é possível bloquear somente o sinal de liberação para fechamento („25 CloseRelease“). “25 V1< V2>“ e “25 V1< V2<“. Com uma conexão multifásica no lado V1. Para conectar o componente desenergizado 1 ao componente energizado 2. “>25 V1<V2>“ e “>25 V1<V2<“.2009 277 . é claro. estejam presentes para desenergizar uma conexão. Publicação 05. ou o componente desenergizado 1 ao componente desenergizado 2. SIPROTEC. Quando o bloqueio é resetado e as condições de liberação ainda estão preenchidas. Através das entradas binárias “>25 V1>V2<“. é definido pelo parâmetro V<. a liberação é permitida. desde que a sincronização seja controlada externamente. As mensagens associadas indicando a liberação pela condição correspondente. 7SJ80. a medição continua.4 Comando Direto / Bloqueio O parâmetro 6110 Direct CO pode ser ajustado para permitir uma liberação sem efetuar nenhuma verificação. Obviamente. não é razoável combinar Direct CO com outras condições de liberação. 2. Antes de permitir uma liberação para conectar o componente energizado V1 e o componente desenergizado V2. antes que a conexão seja permitida. Manual E50417-G1179-C343-A1. as condições de liberação também podem ser emitidas externamente.Funções 2.17 SYNCHROCHECK O limite abaixo do qual um componente do sistema de potência é considerado como se estivesse sendo desenergizado. O bloqueio é indicado pela mensagem „25 CLOSE BLK“. pode ou não ser emitido um comando direto. a conexão é permitida imediatamente ao iniciar a função synchrocheck. o sinal de liberação para fechamento é emitido.

O controle envia uma solicitação de medição („25 Measu. A seleção é feita via configuração no religamento automático e função synchrocheck. Publicação 05. o ajuste do grupo de função SYNC será sobrescrito ao AR. Se.5 Interação com Controle. Da mesma forma.“) para a função synchrocheck a qual é então iniciada.17. o disjuntor QO está configurado como objeto a ser chaveado síncronamente. Manual E50417-G1179-C343-A1. Figura 2-100 Interação do controle e função synchrocheck Com Religamento Automático A função religamento automático (AR) também pode interagir com a função synchrocheck. o controle lança a função synchrocheck e aguarda liberação. O componente de chaveamento a ser sincronizado é selecionado via um parâmetro. Se seus ajustes diferirem. a função synchrocheck interage com o dispositivo de controle. Tendo completado a verificação. Religamento Automático e Controle Externo Com Controle Basicamente. Se as condições configuradas do grupo de função SYNC são preenchidas. o comando CLOSE „79 Close“ (mensagem 2851) permite somente chaveamento assíncrono.17 SYNCHROCHECK 2. Como esse disjuntor requer sincronização. o comando de fechamento da função AR é conduzido assíncronamente via componente de chaveamento indicado nos parâmetros de AR. Se não for parametrizado nenhum grupo de função SYNC nos parâmetros de AR. Os parâmetros de AR (7138 Internal SYNC) determinam operar com o grupo 1 da função SYNC ou no caso de sincronização externa. o controle leva em consideração que o componente de chaveamento requer sincronização. req. a liberação é garantida e o controle emite um comando CLOSE.sem o grupo de função SYNC. Elas estão ligadas pelo controle do dispositivo. Se for emitido um comando CLOSE. O componente de chaveamento indicado nos parâmetros de AR (7137 Cmd. 7SJ80. 278 SIPROTEC. A chave a ser usada é definida no grupo 1 de função. por exemplo.2009 .via control) e o grupo de função SYNC deverão ser idênticos. um comando CLOSE da função de AR irá endereçar esse disjuntor e designá-lo um comando CLOSE que será processado pelo controle.Funções 2. a função synchrocheck emite uma mensagem de liberação („25 CloseRelease“) para que o controle responda pela finalização da operação de chaveamento positiva ou negativamente.

“ ou sinais de inicio e parada tipo pulsos “>25 Start“. Publicação 05. a função synchrocheck emite a mensagem de liberação („25 CloseRelease“) (veja Figura ).2009 279 . Manual E50417-G1179-C343-A1.17 SYNCHROCHECK Figura 2-101 Conexão da função de religamento automático para a função synchrocheck Com Controle Externo Como outra opção. Neste caso. Tendo completado a verificação. A função synchrocheck pode ser iniciada por uma entrada binária usando solicitação de medição („>25 Sync requ. a função synchrocheck pode ser ativada via solicitações de medição externas. „>25 Stop“). Figura 2-102 Interação da função synchrocheck e controle externo SIPROTEC. A medição é finalizada assim que a solicitação de medição é resetada via entrada binária. não há necessidade de configurar um dispositivo de controle a ser sincronizado.Funções 2. 7SJ80.

VSyn é usado se duas tensões fase-fase estão conectadas em V ao dispositivo. Ao ajustar os dados do sistema de potência 1 (Power System Data 1).Funções 2.2. A faixa de operação da função de sincronização (fNom ± 3 Hz) refere-se à frequência nominal do sistema de potência. são desabilitadas nesse caso. 213 VT Connect. VSyn se somente estão disponíveis tensões fase-terra. Isso diz respeito aos seguintes parâmetros: 202 Vnom PRIMARY tensão nominal primária dos transformadores de potencial V1 (fase-fase) em kV. Os endereços 6103 Vmin e 6104 Vmax ajustam os limites superior e inferior para a faixa de operação de tensão para V1 ou V2 e determina assim a faixa operacional para a função de sincronização. o synchrocheck não veriica as condições de sincronização e a liberação não é garantida.6 Geral Notas de Ajustes A função de sincronização só pode operar se 25 Function 1 com SYNCHROCHECK foi habilitado no endereço 161 durante a configuração do escopo funcional (veja Seção 2.2 fornece informações sobre as consequências dos diferentes tipos de conexão de tensão. Ele será então disparado via mensagens de entrada binária. Valores fora dessa faixa serão sinalizados. O endereço 6105 V< indica o limite de tensão abaixo do qual o alimentador e o barramento podem ser considerados desligados com segurança (para verificação de um alimentador ou barramento desenergizado). 203 Vnom SECONDARY tensão nominal secundária dos transformadores de potencial V1 (fase-fase) em V. então ajuste para Disabled. Vbc. Se você tiver ajustado Vab. “Proteção de Sobrecorrente Temporizada Direcional à Terra“ e “Monitoramento de Falha do Fusível (FFM)“.1. a tensão de referência VSYN é conectada ao terceiro transformador de potencial. A Tabela 2-1 no Capítulo 2. Uma dessa tensões é conectada ao primeiro transformador de potencial. A mensagem correspondente do grupo de função SYNC está pré-alocada para IEC 60870–5–103 (VDEW). para o qual os ajustes da sincronização serão aplicados. O endereço 6101 Synchronizing permite a você chavear o grupo de função SYNC completo para ON ou OFF.1. Selecione a opção none para usar a função como recurso de sincronização externo. Exemplos de conexões são fornecidos no cabeçalho de margem „Conexões de Tensão“ e no Apêndice A. Vbc. Se chaveado para off. veja Seção 2. Publicação 05.1. 7SJ80. VSyn. Manual E50417-G1179-C343-A1. Você pode usar qualquer tensão fase-fase como tensão de referência VSYN.3. a tensão de sequência zero não pode ser determinada. endereço 214 Rated Frequency. Deve ser ajustado abaixo da subtensão operacional esperada.2009 . Geral Os limites gerais para a função de sincronização são ajustados nos endereços 6101 a 6112.3. é aberta uma caixa de diálogo com tabelas onde os parâmetros individuais para sincronização podem ser ajustados.17. VSyn or Vph-g. Use o ajuste Vph-g. 3ph especifica como os transformadores de potencial estão conectados. Se essa função não for requerida.3. As funções “Detecção de Falta à Terra Direcional“. o dispositivo já foi suprido com dados relevantes para os valores medidos e com o princípio de operação da função de sincronização. Selecionando o grupo de função SYNC no DIGSI.1.17 SYNCHROCHECK 2. 280 SIPROTEC. Quando usar a função de sincronização o ajuste Vab.2). VA no primeiro transformador de potencial e VB no terceiro transformador de potencial devem pertencer ao mesmo tipo de tensão (VAN ou VBN ou VCN). O parâmetro 6102 SyncCB é usado para selecionar o componente de chaveamento. O endereço 6106 V> indica o limite de tensão acima do qual o alimentador e o barramento podem ser considerados energizados com segurança (para verificação de um alimentador ou barramento energizado).

Funções 2. O valor pré-ajustado de 0. Se esse tempo for ajustado para ∞. de forma que nenhuma medida externa de ajuste seja necessária. barra morta). Quando usar DIGSI para configuração. 7SJ80. DURATION (endereço 6112). não está garantida a liberação e a função synchronizing é finalizada. O parâmetro Balancing V1/V2 (endereço 6121) pode ser ajustado para diferentes relações de TP das duas partes do sistema de potência (veja exemplo na Figura). As condições de liberação possíveis são independentes entre si e podem ser combinadas. barra morta / linha morta). Dados do Sistema de Potência Os dados do sistema reportados para a função de sincronização são ajustados nos endereços 6121 a 6125. isto é. as condições serão verificadas até que sejam preenchidas. seu grupo vetorial pode responder pelo ajuste de ângulo.17 SYNCHROCHECK O ajuste para os valores mencionados de tensão é feito em volts secundários. o ângulo de ajuste é 5 x 30° (de acordo com o grupo vetorial). Para aplicações especiais (por exemplo. SIPROTEC. 6110 Direct CO = conexão liberda sem verificações. componente V2 deve estar energizado (conexão quando a referência está desenergizada. Publicação 05. Onde: 6107 SYNC V1<V2> = componente V1 deve estar desenergizado.2009 281 . Se um transformador estiver situado entre as partes a serem sincronizadas do sistema. Os endereços 6107 a 6110 são ajustados para especificar as condições de liberação para a verificação de tensão. os transformadores de potencial de referência (V1) são aqueles do lado alto do transformador. componente V2 deve estar desenergizado (conexão quando o alimentador está desenergizado. 6109 SYNC V1<V2< = componente V1 e componente V2 devem ambos estar desenergizados (conexão quando a referência e alimentador estão desenergizados. O ângulo de fase de V1 a V2 é avaliado positivamente. Dependendo da conexão das tensões poderão ser tensões fase-fase ou tensões fase-terra. conectando um chaveamento à terra) o parâmetro 6113 25 Synchron permite habilitar/desabilitar a liberação da conexão quando as condições de sincronismo forem satisfeitas. Caso contrário. 6108 SYNC V1>V2< = componente V1 deve estar energizado. 110 V secundários 400 kV/220 kV. No exemplo.1 s considera respostas transientes e pode ser aplicado sem modificação. que é 150°: Endereço 6122 ANGLE ADJUSTM. O parâmetro ANGLE ADJUSTM. As condições configuradas devem ser preenchidas dentro desse período de tempo. (endereço 6122) é usado para este fim. = 150°. esses valores podem também ser parametrizados como valores primários. 100 V secundários 220 kV primários. A liberação via synchrocheck pode ser limitada ao tempo de monitoramento síncrono configurável T-SYN. Exemplo: (veja também a Figura): Barramento Alimentador Transformador 400 kV primários. Não é recomendável combinar Direct CO com outra condição de liberação. O parâmetro TSUP VOLTAGE (endereço 6111) pode ser ajustado para configurar um tempo de monitoramento que requer acima das condições de liberação estabelecidas estar presente por pelo menos o chaveamento desenergizado antes da conexão ser permitida. Manual E50417-G1179-C343-A1. grupo vetorial Dy(n)5 O grupo vetorial do transformador é definido a partir do lado alto para o lado baixo. linha morta).

Figura 2-103 Tensão de barramento medida através do transformador Conexões de Tensão O 7SJ80 fornece duas entradas de tensão para conectar a tensão V1 e uma entrada de tensão para conectar a tensão V2 (veja os exemplos seguintes).2009 . se um transformador estiver situado entre as partes do sistema a serem sincronizadas. 282 SIPROTEC. Para o dispositivo efetuar a conversão interna para valores primários. uma tensão fasefase precisa ser conectada e configurada para a tensão adicional V2 a ser sincronizada. primary. o dispositivo precisa saber qual o tipo de conexão da tensão V2. Para comparar corretamente a tensão V1 fase-fase de referência com a tensão adicional V2 .Funções 2. Publicação 05.91. Se duas tensões fase-fase estão conectadas em V no lado de V1 como tensão de referência.17 SYNCHROCHECK Os transformadores de potencial de referência fornecem 100 V secundários para a operação primária em valor nominal. a tensão nominal primária do transformador da grandeza medida V2 precisa ser informada via parâmetro 6125 VT Vn2. Esta é a tarefa do parâmetro CONNECTIONof V2 (parâmetro 6123). enquanto o transformador do alimentador fornece 110 V secundários. esta diferença precisa ser equilibrada: Endereço 6121 Balancing V1/V2 = 100 V/110 V = 0. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80. Portanto.

Figura 2-105 Conexão de tensão fase-terra SIPROTEC.17 SYNCHROCHECK Figura 2-104 Conexão de tensão fase-fase (Conexão V) Se só estiverem disponíveis tensões fase-terra. a tensão V1 é conectada ao primeiro transformador de potencial e a tensão adicional V2 . Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.2009 283 . 7SJ80.Funções 2. ao terceiro transformador de potencial.

. 60 V 20 . End. 2.V2< Duração Máxima de Sincronização Chaveamento em condição síncrona Fator de equilíbrio V1/V2 Ajuste de ângulo (transformador) Conexão de V2 6125 6150 6151 6152 VT Vn2. 125 V 20 .7 Ajustes Endereços com um "A" só podem ser alterados com DIGSI. primary dV SYNCHK V2>V1 dV SYNCHK V2<V1 df SYNCHK f2>f1 20. A disponibilidade de dois parâmetros habilita o ajuste T de uma liberação assimétrica..17 SYNCHROCHECK Diferença de Tensão Os parâmetros 6150 dV SYNCHK V2>V1 e 6151 dV SYNCHK V2<V1 podem ser configurados para ajustar as diferenças permitidas de tensão assimetricamente.01 .2009 . 50.Funções 2. primária Diferença máxima de tensão V2>V1 Diferença máxima de tensão V2<V1 Diferença máxima de frequência f2>f1 284 SIPROTEC.. V2 sem tensão Limite V1.0 V 0. 140 V YES NO YES NO YES NO YES NO 0. DURATION 25 Synchron Balancing V1/V2 ANGLE ADJUSTM. 2.00 .0 V 0.00 0° A-B Comentários Função de Sincronização Disjuntor Sincronizável Limite mínimo de tensão: Vmin Limite máximo de tensão: Vmax Limite V1. V2 com tensão Comando LIGADO em V1< e V2> Comando LIGADO em V1> e V2< Comando LIGADO em V1< e V2< Comando LIGADO Direto Tempo de Supervisão de V1>.. CONNECTIONof V2 Opções de Ajustes ON OFF (Setting options depend on configuration) 20 .00 sec.0 V 0.. Manual E50417-G1179-C343-A1.01 . 6101 6102 6103 6104 6105 6106 6107 6108 6109 6110A 6111A 6112 6113A 6121 6122A 6123 Parâmetro Synchronizing SyncCB Vmin Vmax V< V> SYNC V1<V2> SYNC V1>V2< SYNC V1<V2< Direct CO TSUP VOLTAGE T-SYN.50 . Publicação 05.00 sec 0.10 .. 7SJ80. 360 ° A-B B-C C-A 0..10 Hz Tensão nominal V2 do TP.5 .V2> ou V1<. em Display Additional Settings (Mostrar Ajustes Adicionais)...5 .. 1200.17.00 0 .00 kV 0. 60..00 sec YES 1. 2..10 sec 30. 800.0 V 5. 140 V 1 . 50.00 kV 5.00 Hz Ajuste Padrão OFF None 90 V 110 V 5V 80 V NO NO NO NO 0. ∞ YES NO 0.

2013 >25 V1>V2< 170. 170.2030 25 Vdiff ok 170.2051 f1 = 170.17.2025 25 MonTimeExc 170. Error 170.2034 25 f1<< 170.0049 25 CloseRelease 170.2031 25 fdiff ok 170. 80 ° 2 .2015 >25 V1<V2< 170.2014 >25 V1<V2> 170. Publicação 05.2012 >25 Stop 170. 6153 6154 6155 Parâmetro df SYNCHK f2<f1 dα SYNCHK α2>α1 dα SYNCHK α2<α1 Opções de Ajustes 0. Manual E50417-G1179-C343-A1. 25-group 1: medição em progresso 25 Tempo de monitoramento excedido 25 Condições de sincronização okay 25 Condição V1>V2< cumprida 25 Condição V1<V2> cumprida 25 Condição V1<V2< cumprida 25 Diferença de tensão (Vdiff) okay 25 Diferença de Frequência (fdiff) okay 25 Diferença de Ângulo (alphadiff) okay 25 Frequência f1 > fmax permitida 25 Frequência f1 < fmin permitida 25 Frequência f2 > fmax permitida 25 Frequência f2 < fmin permitida 25 Tensão V1 > Vmax permitida 25 Tensão V1 < Vmin permitida 25 Tensão V2 > Vmax permitida 25 Tensão V2 < Vmin permitida V1 = f1 = V2 = Comentários 170.2032 25 αdiff ok 170.2037 25 V1>> 170.. do Comando CLOSE (FECHAR) 25 Erro de sincronização 25-grupo 1 está BLOQUEADO 25 Solicitação de medição de sincr. 170.0001 >25-1 act 170.00 Hz 2 . req.2011 >25 Start 170.0043 >25 Sync requ.2052 V2 = SIPROTEC.2039 25 V2>> 170.2038 25 V1<< 170.2026 25 Synchron 170.2050 V1 = 170.2028 25 V1< V2> 170. 170.0050 25 Sync. de Controle >BLOQUEAR 25-group 1 >25 Saída Comando Direto >25 Início da sincronização >25 Parada da sincronização >25 Comutar para V1> e V2< >25 Comutar para V1< e V2> >25 Comutar para V1< e V2< >25 Comutar para Sincr.2009 >25direct CO 170. SP SP OUT OUT OUT SP SP SP SP SP SP SP SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT MV MV MV >25-ativar grupo 1 >25 Solicitação de sincronização 25 Liberação de sincr.2016 >25 synchr.2036 25 f2<< 170.2040 25 V2<< 170.2029 25 V1< V2< 170.0051 25-1 BLOCK 170.2008 >BLK 25-1 170. Lista de Informações Informação Tipo de Info.8 No.Funções 2.01 . 2.17 SYNCHROCHECK End. 7SJ80. 80 ° Ajuste Padrão 0. 170.2007 25 Measu.2009 285 ..10 Hz 10 ° 10 ° Comentários Diferença máxima de frequência f2<f1 Diferença máxima de ângulo alpha2>alpha1 Diferença máxima de ângulo alpha2<alpha1 2..2022 25-1 meas.2033 25 f1>> 170.2035 25 f2>> 170.2027 25 V1> V2< 170.

Publicação 05.2091 25 V2<V1 170.2095 25 α2<α1 Informação Tipo de Info. 7SJ80.2053 f2 = 170. MV MV MV MV OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT SP OUT f2 = dV = df = dalpha = Comentários 25 diferença de V muito grande (V2>V1) 25 diferença de V muito grande (V2<V1) 25 diferença de f muito grande (f2>f1) 25 diferença de f muito grande (f2<f1) 25 diferença de alpha muito grande (a2>a1) 25 diferença de alpha muito grande (a2<a1) 25 Seleção múltipla de grupos de função 25 Erro de ajuste Grupo 1 Sincr.17 SYNCHROCHECK No.2101 25-1 OFF 170.2094 25 α2>α1 170.2055 df = 170. está DESLIGADO >BLOQUEAR 25 Comando CLOSE (FECHAR) 25 Comando CLOSE está BLOQUEADO 170.2096 25 FG-Error 170.2093 25 f2<f1 170.Funções 2. 170.2092 25 f2>f1 170.2056 dα = 170.2103 25 CLOSE BLK 286 SIPROTEC.2097 25 Set-Error 170. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 .2054 dV = 170.2090 25 V2>V1 170.2102 >BLK 25 CLOSE 170.

Como determinado acima.1 Geral Descrição Várias funções do 7SJ80 só operam corretamente.18 Reversão de Rotação de Fase Uma reversão de rotação de fase é implementada no 7SJ80.18.2009 287 . um sinal de reversão na entrada binária configurada para este propósito. a função de proteção direcional de sobrecorrente.“ inverte o sentido da rotação de fase aplicada com ajuste. esta função é essencial se mensagens de detecção de fase. a entrada binária “>Reverse Rot. e Supervisão de Valor Medido. 7SJ80. Portanto. valores de falta e valores de operação de medição não estiverem corretos. (Dados do Sistema de Potência).18 Reversão de Rotação de Fase 2. bem como as tensões fase-fase. pela subtração de uma tensão fase-terra de uma outra e vice-versa. Aplicações • A rotação de fase assegura que todas as funções de proteção e de monitoramento operem corretamente. Publicação 05. o ajuste apropriado é feito durante configuração de Dados do Sistema de Potência. mesmo com rotação anti-horária. se a rotação de fase de tensões e correntes for conhecida. Através da porta OR exclusiva. usando-se entradas binárias e parâmetros. Proteção Direcional de Sobrecorrente (direção com tensões transversais polarizadas). Entre essas funções estão a Proteção de Carga Desequilibrada. Figura 2-106 Lógica de mensagem da reversão de rotação de fase Influência nas Funções de Proteção e Monitoramento A troca de fases causa um impacto direto no cálculo das grandezas de sequência positiva e negativa. é suficiente para informar o dispositivo de proteção sobre a reversão da sequência de fase. sem a necessidade de duas fases serem invertidas. Manual E50417-G1179-C343-A1. que emitem mensagens se as rotações de fase definidas e calculadas não casarem. Proteção de Subtensão (baseada em tensões de sequência positiva). SIPROTEC. Lógica A rotação de fase é estabelecida permanentemente no endereço 209 PHASE SEQ.Funções 2. Se a rotação de fase pode mudar durante a uma operação. as funções flexíveis de proteção e algumas funções de monitoramento. 2. esta função influencia a função de proteção de sequência negativa. Se uma rotação de fase "acb" é normal. a função de proteção de tensão.

1. então isto é comunicado ao dispositivo de proteção.18. a rotação de fase for revertida temporariamente. Se. no lado do sistema.“ (5145). Publicação 05.2009 .3).2 Notas de Ajustes Ajustando o Parâmetro de Função A sequência normal de fase é ajustada em 209 (veja a Seção 2.18 Reversão de Rotação de Fase 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80.Funções 2. 288 SIPROTEC. usando-se a entrada binária “>Reverse Rot.

algumas funções de proteção também podem ser ajustadas para Alarm Only (Só Alarme). Exceção: Além dos ajustes ON (LIGAR) ou OFF (DESLIGAR). Os comandos de trip podem ser concluídos antes do dropout da última função de proteção E da expiração da duração mínima do sinal de trip.19 Lógica da Função 2. todas as mensagens de falta dão entrada no registro de trip (trip log).. como as mensagens individuais de trip. Com o ajuste Alarm Only.Funções 2. Esta mensagem pode ser configurada para um LED ou saída binária. SIPROTEC. Publicação 05. O pickup geral é um pré-requisito para um número funções internas e externas consequentes. ela processa as decisões resultantes e a informação recebida pelo sistema. ele é gravado como mensagem “Relay TRIP“ (veja a Figura 2-107). 7SJ80. • Partida de dispositivos adicionais ou similares.2 Trip Geral Lógica de Trip para Todo o Dispositivo Os sinais de trip para todas as funções de proteção são conectadas por OR e geram a mensagem 511 “Relay TRIP“.19. Isto inclui em particular: – Detecção de Falta / Lógica de Pickup – Lógica do Processo de Trip 2. mesmo se a função que emitiu o sinal de trip for desligada rapidamente. Exemplos: • Dispositivos de religamento automático. Término do Sinal de Trip Uma vez emitido um comando de trip pela função de proteção. Ela é iniciada pela primeira função para pickup e dropout. As funções externas podem ser controladas por um contato de saída. Ao mesmo tempo é iniciada a duração mínima de comando de trip TMin TRIP CMD. Como consequência. Isto assegura que o comando seja transmitido ao disjuntor por tempo suficiente. não é criado um registro de trip.1 Lógica de Pickup de Todo o Dispositivo Pickup Geral do Dispositivo Os sinais de pickup para todas as funções no dispositivo. 2. dependendo do pickup geral do dispositivo.19 Lógica da Função A lógica da função coordena a execução de funções auxiliares e de proteção. quando há dropout da última função. são conectados por uma lógica OR e conduzem ao pickup geral do dispositivo. • Início de Gravações Oscilográficas: A armazenagem e a manutenção dos valores oscilográficos também podem ser feitos. não é emitido comando de trip.19.2009 289 . gravação de falta não é iniciada e não são exibidas anunciações espontâneas de faltas no display. Manual E50417-G1179-C343-A1. O seguinte está entre as funções internas controladas pelo pickup geral do dispositivo: • Início de um registro de trip: Do pickup geral até o dropout geral do dispositivo. a seguinte mensagem é reportada: 501 “Relay PICKUP“.

O reset ocorre tanto pressionando tecla de reset do LED quanto pela ativação de uma entrada binária apropriadamente alocada („>Reset LED“). 290 SIPROTEC.Funções 2. é claro. é a de que a bobina de fechamento do disjuntor .3.19 Lógica da Função Finalmente.permaneça bloqueada enquanto o sinal de trip estiver presente e que a corrente da bobina de trip seja interrompida pelo contato auxiliar do disjuntor. Manual E50417-G1179-C343-A1.19. Figura 2-107 Finalização do Sinal de Trip 2.2009 . é possível selar o sinal de trip até que ele seja resetado manualmente (função de bloqueio).1. Isso permite que o disjuntor seja bloqueado contra religamento até que a causa da falta tenha sido eliminada e o travamento tenha sido manualmente resetado. Este ajuste aplicase a todas as funções de proteção que iniciam trip.como usual . Uma pré-condição. 7SJ80. Publicação 05.3 Notas de Ajustes Duração do Sinal de Trip A duração mínima de um comando de trip TMin TRIP CMD já foi descrita na Seção 2.

configuradas diferentemente da configuração de entrega pela fábrica. Isso se aplica. Aplicações • LEDs e Saídas Binárias • Informação via Campo de Display do Dispositivo ou via PC • Informação para um Centro de Controle Pré-requisitos A Descrição do Sistema SIPROTEC 4 fornece uma descrição detalhada do procedimento de configuração (veja /1/). para mensagens de funções de monitoramento ou similares. Mensagens de condições não devem ser seladas. 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. por exemplo. então o LED vermelho ("ERROR") acende e o relé é bloqueado.20.1 Processamento de Mensagens Após a ocorrência de uma falta no sistema.2009 291 . 7SJ80. Um LED verde indica prontidão operacional do relé ("RUN"). 2. • via uma das interfaces seriais. Uma função de processamento de informações no dispositivo toma conta disso. não pode ser resetada.1 LEDs e Saídas Binárias (Relés de Saída) Eventos e condições importantes são indicados via LEDs na cobertura frontal. O Apêndice deste manual lida em detalhes com a configuração de entrega e as opções de alocações.as informações com respeito à resposta do relé de proteção e os valores medidos são importantes para uma análise detalhada.1. SIPROTEC. As condições seladas estão protegidas contra perdas de tensão auxiliar. Elas são resetadas: • localmente pressionando a tecla do LED no relé. Os relés de saída e os LEDs podem ser operados no modo selado (latched) ou não selado (unlatched). Ela desaparece se o recurso de auto verificação do microprocessador reconhecer uma ocorrência anormal ou se for perdida a tensão auxiliar. Quando a tensão auxiliar está presente mas o relé tem um mau funcionamento interno. • remotamente usando uma entrada binária configurada para esse propósito. o dispositivo tem relés de saída para sinalização remota. (cada um pode ser individualmente ajustado).20. Publicação 05.Funções 2. O procedimento para alocação de informações está descrito no SIPROTEC 4 System Description (Descrição do Sistema SIPROTEC 4). isto é. A maioria das mensagens e indicações podem ser alocadas.20 Funções Auxiliares As funções gerais do dispositivo estão descritas no Capítulo Funções Auxiliares. Elas também não podem ser resetadas até que o critério reportado seja cancelado. Além disso.20 Funções Auxiliares 2. • automaticmente no início de novo pickup.

Essas mensagens podem ser emitidas no campo do display a qualquer tempo via teclado ou transferidas para um PC via interface de operação. para o qual as informações podem ser enviadas. 292 SIPROTEC. elas incluem um contador para os comandos de trip iniciados pelo dispositivo..2 Informações via Campo de Display ou PC Usando a interface frontal ou a porta B na parte inferior. Há também uma indicação de onde cada mensagem pode ser enviada. o mais importante dado da falta é emitido automáticamente no display do dispositivo. então as indicações associadas não podem aparecer. Classificação das Mensagens As mensagens estão categorizadas da seguinte forma: • Mensagens operacionais (registro de evento). informações importantes sobre a progressão da falta pode ser gravada. dados medidos. Manual E50417-G1179-C343-A1. Até 200 mensagens operacionais estão gravadas em ordem cronológica no dispositivo. O início da falta é o tempo estampado com o tempo absoluto do relógio do sistema interno. etc. É mostrado após um pickup geral do dispositivo na sequência mostrada na Figura 2-108. Se a memória for utilizada até o fim. mensagens geradas enquanto o dispositivo está em operação: informações com respeito ao status das funções do dispositivo. pode ser comandos de religamento assim como valores de correntes interrompidas e correntes de falta acumuladas. Mensagens de Falta (Buffer: Registro de Trip) Após uma falta no sistema. de forma que a duração da falta até o trip e até reset do comando de trip pode ser determinado. um computador pessoal pode ser conectado. Publicação 05.Funções 2. Uma lista completa de mensagens e funções de saída que podem ser geradas pelo dispositivo com o máximo escopo funcional podem ser encontradas no Apêndice. dados do sistema de potência. estatísticas do disjuntor e etc. • Mensagens de faltas (registro de trip): mensagens das últimas 8 faltas da rede que foram processadas pelo dispositivo. • Mensagens de “estatísticas”. Se as funções não estiverem presentes na versão totalmente equipada do dispositivo. registros de comandos de controle. O progresso do distúrbio é emitido com um tempo relativo referente ao instante da detecção da falta. O relé está equipado com vários buffers de eventos para mensagens operacionais. por exemplo. Mensagens Operacionais (Buffer: Registro de Eventos) As mensagens operacionais contém informações que o dispositivo gera durante a operação e sobre as condições da operação. então a mensagem mais antiga sai da lista para a entrada da nova mensagem. • Mensagens de faltas à terra (quando o dispositivo tem detecção de falta à terra sensitiva). Novas mensagens estão anexadas no final da lista.20 Funções Auxiliares 2. tal como pickup de um elemento de proteção ou a iniciação de um sinal de trip. estão configuradas para Disabled.20. Todas as funções estão associadas a um número de informação (FNo).1. 7SJ80.2009 . Mensagens Espontâneas na Frente do Dispositivo Após a ocorrência de uma falta. que são protegidas contra perdas de tensão auxiliar por uma bateria de buffer. sem quaisquer outras ações operacionais. A resolução da informação do tempo é de 1 ms. A leitura das mensagens durante a operação está descrita em detalhe no SIPROTEC 4 System Description (Descrição do Sistema SIPROTEC 4).

Manual E50417-G1179-C343-A1. o que significa após religamento bem sucedido ou bloqueio. Mensagens de Falta à Terra Nos dispositivos com detecção de falta à terra sensitiva.Gnd Pickup“ (aparecendo) é emitida e finalizada no desaparecimento dessa mensagem. também há trip. Cada nova mensagem que chega. 600 indicações podem ser gravadas. incluindo todos os disparos de religamento ocupa somente um buffer de registro de trip. Até 45 mensagens de falta à terra podem ser gravadas para as 3 últimas faltas à terra.20. Para medições de cos-ϕ / sin-ϕ. Esses registros são completados se a detecção de falta à terra não está ajustada para trip mas sim para Somente Alarme (endereço 3101 = Alarm Only) ou o ajuste ON with GF log tem que ser selecionado. registros de falta à terra separados são fornecidos para a gravação de falta à terra.3 Informações para Um Centro de Controle Informações armazenadas podem. Sendo assim.2009 293 . No total. cada evento de falta representa uma falta da rede.Funções 2. todo o processo de eliminação. 2. A definição de uma falta na rede é tal que o período de tempo da detecção da falta até a eliminação final do distúrbio é considerado como sendo uma falta da rede. Com esse ajuste. (Informações detalhadas estão fornecidas nos diagramas lógicos para detecção de falta à terra. Todas as mensagens que requerem interrogação geral são mostradas com seu valor presente. Seção 2. além da abertura do registro de falta à terra. Para „U0/I0-ϕ measurements“ o registro de falta à terra é aberto assim que o elemento VN> tiver respondido e a condição do ângulo preenchida. um critério para a abertura do registro de falta à terra é o pickup do elemento VN>-. habilita o status atual do dispositivo SIPROTEC 4 à leitura. Os dados mais antigos são apagados para novos dados quando o buffer está cheio. Se mais mensagens de falta à terra forem geradas. a mais antiga será deletada consecutivamente. Mensagens Espontâneas As mensagens espontâneas mostradas usando DIGSI refletem o status atual das informações que chegam.11). o usuário não tem que esperar por uma atualização ou mesmo dar início a uma atualização. serem transferidas para um controle central e dispositivo de armazenamento se o relé estiver conectado a tal dispositivo via porta B. Dentro de uma falta da rede.1. então a falta da rede finaliza após o último disparo de religamento. Assim que há dropout do pickup.20 Funções Auxiliares Figura 2-108 Display de mensagens espontâneas na IHM Mensagens Recuperáveis As mensagens para as últimas 8 faltas da rede podem ser recuperadas e lidas. adicionalemnte. isto é. A transmissão é possível via vários protocolos de transmissão. podem ocorrer várias mensagens de falta (do primeiro pickup de uma função de proteção até o último dropout de uma função de proteção). aparece imediatamente. SIPROTEC. Interrogação Geral A interrogação geral que pode ser recuperada via DIGSI. Publicação 05. 7SJ80. O registro de falta à terra é aberto assim que a mensagem 1271 „Sens. Se ocorrer o auto-religamento. Sem auto-religamento. a gravação da falta é finalizada.

7SJ80.20. Publicação 05. 2. são contados.Funções 2.20. Durante a primeira partida do dispositivo de proteção os valores estatísticos são pré-definidos em zero.assim. O medidor pode ser resetado. O medidor de horas universal está ligado a uma entrada binária respectiva e conta se a entrada binária estiver ativa. “Disjuntor Aberto” similarmente à operação do medidor de horas. atingindo o valor do parâmetro 212 BkrClosed I MIN pode ser usado como um critério para iniciar o medidor. O valor de contagem de pulsos "Number of TRIPs CB" pode ser encontrado no grupo “Estatísticas” se a opção "Sómente Valores Medidos” (*Measured and Metered Values Only") foi habilitada na matriz de configuração.2 Estatísticas O número de trips iniciados pelo 7SJ80. Alternativamente. Medidor de Horas do “Disjuntor Aberto" Um medidor pode ser estabelecido como uma aplicação CFC se ele adicionar o número de horas no estado. Um exemplo de aplicação CFC para tal medidor. O contador e os níveis de memória são protegidos contra perdas de tensão auxiliar. o número de comandos de fechamento iniciados pelo AR e as horas de operação sob carga. Manual E50417-G1179-C343-A1. Número de Comandos de Religamento Automático O número de comandos de religamento iniciado pela função de religamento automático é somado até em contadores separados para o 1º e ≥ 2º ciclos. é necessário que o contador de pulsos interno esteja alocado na matriz para uma entrada binária que seja controlada pela posição OPEN (ABERTO) do disjuntor.20 Funções Auxiliares 2.2009 . Horas Operacionais As horas operacionais sob carga também são armazenadas (= o valor de corrente em pelo menos uma fase é maior do que o valor limite BkrClosed I MIN ajustado no endereço 212). está disponível na Internet (Área de download SIPROTEC). Outros dados estatísticos podem ser tomados para otimizar os intervalos para manutenção do disjuntor.2. 294 SIPROTEC.1 Descrição Número de Trips Para contar o número de trips do 7SJ80. o relé tem que ser informado da posição dos contatos auxiliares do disjuntor via entradas binárias. Um contador adicional permite determinar o número de horas nas quais o disjuntor está posicionado na condição “aberto”.

A lógica do critério de início e fim está ilustrada na Figura 2-110. 2P e I2t) podem ser selecionados através de um parâmetro comum de configuração. os outros procedimentos (ΣIx. Cada um dos três resultados é avaliado usando-se um limite que é específico para cada procedimento (veja a Figura 2-109). Contudo.20. permitem intervalos na manutenção dos polos do disjuntor. A manutenção geral do disjuntor acumula as correntes de trip. Manual E50417-G1179-C343-A1. 2P e I2t usam o mesmo critério para esse propósito.2009 295 . quando seu grau de uso tornar o procedimento necessário. incluindo a eliminação de arco.2. Como a carga no disjuntor depende da amplitude da corrente e da duração da ação de chaveamento.Funções 2. SIPROTEC. dos trips iniciados pelas funções de proteção e abrange as quatro seguintes subfunções autônomas: • Soma da corrente de trip (procedimento ΣI) • Soma das potências de trip (procedimento ΣIx) • Procedimento de dois-contatos para calcular a vida útil remanescente (procedimento 2P) • Soma de todas as Integrais dos Quadrados da Corrente de Falta (procedimento I2t). Publicação 05. é um dos principais benefícios que este recurso oferece.20 Funções Auxiliares 2. Figura 2-109 Diagrama de procedimentos de manutenção do Disjuntor O procedimento ΣI está sempre presente e ativo como uma função básica. A operação de aquisição de valor medido e preparação é executada seletivamente por fase. em todas as quatro subfunções.2 Manutenção do Disjuntor Geral Os procedimentos que auxiliam na conservação do disjuntor. Os procedimentos ΣIx. A redução de custos com manutenção e assistência técnica. a determinação do critério de início e fim é de grande importância. 7SJ80.

os métodos de cálculo e avaliação dos respectivos procedimentos são iniciados. fornecido pelo fabricante do disjuntor. se a mensagem “>52 Wear start“ for simultaneamente enviada por uma entrada binária. é determinado por outro parâmetro fixado (tempo de trip do disjuntor). Assim que o critério de início for preenchido. Para prevenir um procedimento incorreto de cálculo em caso de falha do disjuntor. Manual E50417-G1179-C343-A1. incluindo a eliminação de arco. Após estas ações terem sido completadas. “52WL. somente se o procedimento 2P estiver configurado. iniciado pela indicação de grupo "device TRIP" (“TRIP do dispositivo”). são considerados para a manutenção do disjuntor se o comando respectivo for indicado pelo parâmetro 265 Cmd.2. que a manutenção do disjuntor será bloqueada se ajustes de parâmetros estiverem incorretos.6. Publicação 05. Esta condição é indicada pela mensagem “52 WearSet. As duas últimas indicações serão efetivadas. Dessa forma. Trips iniciados pela função interna de controle. 7SJ80. Quando a liberação da lógica de fase seletiva é efetuada pelo critério de corrente.20 Funções Auxiliares O critério de início é executado por um trip interno de proteção. Observe por favor. O término do procedimento de trip.Funções 2. pois sinaliza que o mecanismo do disjuntor foi colocado em movimento para separar os contatos. O limite da mensagem enviada “>52-a“ também pode ser usado como um critério adicional.blk I PErr“ (veja a Seção 2. “Dados do Sistema de Potência 2“). Um comando de trip iniciado externamente pode ser considerado.2009 . o critério de término da manutenção do disjuntor está cumprido e pronto para um novo início.blk n PErr“ ou “52WL.fail“. 296 SIPROTEC.1. o critério de corrente 212 BkrClosed I MIN verifica se a corrente realmente retornou a zero após dois ciclos adicionais. o tempo parametrizado de abertura do disjuntor é iniciado. o tempo de início da separação dos contatos do disjuntor é determinado.via control.

2009 297 . Manual E50417-G1179-C343-A1.Funções 2. 7SJ80.20 Funções Auxiliares Figura 2-110 Lógica do critério de início e fim SIPROTEC. Publicação 05.

se o trip ocorrer quando a corrente atingir a corrente nominal operacional. o resultado é um número aproximado de operações de interrupção. Os valores exibidos podem ser interpretados como o número de trips em uma corrente nominal de operação do disjuntor. Os valores medidos são indicados em termos primários. 7SJ80. Se a soma da corrente exceder o limite.m. Os diagramas de ciclo operacional de duplo registro dos fabricantes do disjuntor formam a base das correntes de falta medidas no momento da separação do contato. os valores r. uma mensagem correspondente será emitida. Se o critério de partida for satisfeito (como descrito na Seção “Geral”). Forma o “limite inferior”. é iniciada a comparação de limite usando o limite „ΣI^x>“ assim como a saída das potências de corrente de trip de soma relacionadas.s. uma mensagem correspondente será emitida. são somadas em cada fase. Procedimento Σ Ix Enquanto o procedimento ΣI está sempre habilitado e ativo. as correntes de trip primárias recentes (Ib) são envolvidas e relacionadas com a corrente operacional nominal exponenciada do disjuntor. através de uma operação OR. são verificados para cada fase quanto a cumprirem o critério de corrente. que forem relevantes após expirar o tempo de abertura. usando CFC é possível implementar um limite. Publicação 05. As diferenças referem-se à complexidade das correntes de trip e sua referência à corrente exponencial de operação nominal do disjuntor. A determinação das correntes de falta é efetivada de acordo com o método já descrito acima na seção do procedimento ΣIx. Estas correntes de trip são valores r. Subsequentemente. o uso do procedimento ΣIx depende da configuração da manutenção do disjuntor.2009 . Se um dos valores trifásicos cair abaixo do limite. a mensagem „Threshold ΣI^x>“ é gerada. Se um dos valores estatísticos permanecer acima do limite. que está marcado pelo critério de partida. Este procedimento opera de forma semelhante ao procedimento ΣI. Os resultados representam o número de trips ainda possíveis. O método ΣI não efetua avaliação integrada de limite. Se o critério de corrente garantir a liberação lógica após o tempo de abertura ter expirado. um limite combina logicamente os três “resultados de vida útil remanescente” via uma operação OR e faz a avaliação. Porém. Os três resultados da vida útil remanescente calculada são representados como valor estatístico. uma concreta resolução pode ser feita com respeito aos ainda possíveis ciclos de operação.Funções 2. para o cálculo. Se um dos valores não satisfizer o critério. satisfizer o critério até o predecessor do ponto de partida. desde que a vida útil remanescente esteja diminuindo a cada trip pelo número correspondente de ciclos de operação. do harmônico fundamental. seu predecessor será usado ao invés. Os dados fornecidos pelo fabricante do disjuntor são transformados de tal forma que. Devido à referência a Irx. Se nenhum valor r. um trip terá lugar. e somada com os valores de corrente de falta previamente armazenados nos contadores de estatística. Manual E50417-G1179-C343-A1. são um resultado dos valores rms do harmônico fundamental. Eles podem ser exibidos nos valores estatísticos sem unidade e com duas casas decimais.s. é determinada para cada sinal de trip. A corrente interrompida de falta é indicada nas mensagens de falta. depende da configuração CMD.20 Funções Auxiliares Procedimento Σ I Sendo uma função básica. que logicamente combina e avalia as três correntes de soma. Assim como nos outros procedimentos. o procedimento ΣI não é afetado pela configuração e não requer nenhum ajuste específico.m. 298 SIPROTEC. Eles são mostrados sem unidades e sem decimais.s. por meio da medição das correntes de falta. que é recalculado a cada ciclo. Procedimento 2P A aplicação do procedimento de dois pontos para o cálculo da longevidade remanescente. o qual só afeta a vida útil mecânica do disjuntor e consequentemente não detectado por esse procedimento. As correntes de trip usadas para cálculo. especificado pelo fabricante do disjuntor. Esses valores são então adicionados aos valores estatísticos existentes do procedimento ΣIx.m. Todas as correntes de trip que ocorrem 1½ período após um trip de proteção. A corrente interrompida em cada polo.

Esse diagrama permite que o número de trips ainda possíveis seja determinado para trip com corrente de trip igual). Publicação 05.Funções 2. Manual E50417-G1179-C343-A1. aproximadamente 1000 trips podem ainda ser efetuados na corrente de trip de 10 kA. A equação de linha geral para a representação logaritmica dupla pode ser derivada da função exponencial e conduz aos coeficientes b e m. Os quatro valores associados podem ser configurados. a linha reta entre P1 e P2 pode ser expressa pela seguinte função exponencial: n = b·Ibm onde n é o número de ciclos operacionais. Ib a corrente de trip. SIPROTEC. e m o coeficiente direcional. A característica é determinada pelos dois vértices e sua linha de conexão.2009 299 . b os ciclos operacionais em Ib = 1A.20 Funções Auxiliares Um diagrama duplo-logaritmico fornecido pelo fabricante do disjuntor ilustra a relação dos ciclos operacionais e a corrente de trip ( veja exemplo na Figura 2-111). 7SJ80.Conforme o exemplo. Figura 2-111 Diagrama de ciclos de operação para o procedimento 2P Como a Figura 2-111 ilustra um diagrama de duplo registro. O ponto P1 é determinado pelo número de ciclos operacionais permitidos na corrente operacional nominal Ir. o ponto P2 pelo número máximo de ciclos operacionais na corrente de trip falta nominal Isc.

300 SIPROTEC. Três valores estatísticos fase-seletivos adicionais são fornecidos para determinar a porção de trips puramente mecânicos entre os resultados da vida útil remanescente (por exemplo. Atuam como contadores que só contam os trips cujas correntes de trip estejam abaixo do valor do critério de corrente. Figura 2-112 Limitação de valor do coeficiente direcional Se o critério de corrente descrito na Seção „Geral“ garantir a liberação lógica fase-seletiva. 7SJ80. Se um dos novos valores permanecer acima do limite.TRIP A=“). Elas são compensadas contra a vida útil remanescente permitindo que os valores estatísticos presentes sejam mostrados e a avaliação iniciada usando o limite especificado. mas pode teóricamente ser o resultado de ajustes incorretos.<“ é gerada.2009 .Endu. a função exponencial no diagrama de ciclos operacionais é desativada. como resultado de cálculo para o atual número de ciclos operacionais .Funções 2. para fase A: „mechan. Manual E50417-G1179-C343-A1. veja Figura 2-112.R. Publicação 05. O número máximo de ciclos operacionais com Isc (263 OP.CYCLES Isc) é usado ao invés. uma mensagem „Thresh. Se um coeficiente for menor do que -4. ele está limitado a -4. o número presente de ciclos operacionais é calculado com base nas correntes de trip determinadas quando o tempo operacional do disjuntor tiver expirado.20 Funções Auxiliares Nota Como o coeficiente direcional de m< -4 é tecnicamente irrelevante.

procedimento I2t ou Disabled. A integral é derivada do quadrado dos valores instantâneos das correntes ocorrendo durante o tempo de arco do disjuntor.3 Notas de Ajustes Lendo/Ajustando/Resetando Contadores A Descrição do Sistema SIPROTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description) fornece uma descrição de como fazer a leitura dos contadores estatísticos via painel frontal do dispositivo ou DIGSI. e os novos valores estatísticos são emitidos.1. O Tempo de Trip do Disjuntor é um valor característico fornecido pelo fabricante. Todos os parâmetros relevantes para essa função estão disponíveis no bloco de parâmetros P.System Data 1 (Dados do Sistema de Potência !) na Seção 2.20. As três somas das integrais calculadas são representadas como valores estatísticos referentes ao quadrado da corrente nominal do dispositivo (Inom2). Publicação 05.WEAR MONIT pode ser ajustada uma das alternativas de procedimento ΣIx.2009 301 . O diagrama seguinte ilustra a relação entre os tempos do disjuntor. Manutenção do Disjuntor No endereço 172 52 B. Os seguintes valores de ajuste são importantes valores de entrada requeridos pelas subfunções de forma a operarem corretamente. não são requeridas medidas para comissionamento. se o dispositivo de proteção for mudado (por exemplo. Isso resulta em: T CB arc = (parâmetro 266 T 52 BREAKTIME) – (parâmetro 267 T 52 OPENING). É parametrizado no endereço 267 T 52 OPENING. O Tempo de Operação do Disjuntor T 52 OPENING é da mesma forma. SIPROTEC.3 ). Manual E50417-G1179-C343-A1.Funções 2. O quadrado das integrais da corrente de trip são adicionados aos valores estatísticos existentes. a comparação de limite é iniciada usando o limite „ΣI^2t>“. Ajuste e reset desses contadores estatísticos é feito no ítem de menu MESSAGES —> STATISTICS.20 Funções Auxiliares Procedimento I2t Durante o procedimento I2t o quadrado da integral da corrente de falta ocorrendo por trip é adicionado faseseletivamente. Como nos outros procedimentos. Subsequentemente. Comissionamento Usualmente. Entretanto. Ele cobre o processo de trip completo desde o comando de trip ( aplicando potência auxiliar ao elemento de trip do disjuntor) até a extinsão do arco em todos os polos.2. procedimento 2P. 2. sobrescrevendo os valores mostrados no contador. Ele cobre o tempo gasto entre o comando de trip (aplicando potência auxiliar ao elemento de trip do disjuntor) e a separação dos contatos do disjuntor em todos os polos. um limite combina logicamente as três somas via uma operação OR e as avalia. os valores iniciais do limite respectivo ou valores estatísticos devem ser determinados via estatísticas de chaveamento do respectivo disjuntor. 7SJ80. ΣI^2t>“ é gerada. Se um dos valores permanecer acima do limite. disjuntor velho e novo dispositivo de proteção). uma mensagem „Thresh. um valor característico do disjuntor. Esse tempo é ajustado no endereço 266 T 52 BREAKTIME.

A fim de facilitar a avaliação da soma de todas as potências de corrente de trip.System Data 1) e pode ser ajustado como valor primário. O expoente para o envolvimento da corrente nominal de operação e das correntes de trip.20 Funções Auxiliares Figura 2-113 Ilustração dos tempos do disjuntor O monitoramento de fluxo de corrente 212 BkrClosed I MIN. o procedimento ΣI está sempre ativo e não requer ajustes adicionais. 302 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. corresponda ao número máximo de operações de interrupção (make-break). Para o procedimento operar corretamente. o número máximo de operações de interrupções pode ser inserido diretamente como limite. Para um disjuntor cujos contatos ainda não foram desgastados. Procedimento Σ Ix O parâmetro 172 52 B. Este valor é indicado nos dados do disjuntor. é ajustado no endereço 264 Ix EXPONENT. Para atender as demandas de diferentes consumidores.0. Procedimento Σ I Sendo a função básica de formação de soma de corrente.0 (ajuste padrão = 2.3. Ele deve ser ajustado de acordo com as funções do dispositivo usadas efetivamente.1. no endereço 260 Ir-52 em Dados do Sistema de Potência 1 (P. utilizado por algumas funções de proteção para detectar um disjuntor fechado. 7SJ80. Esta referência permite que o limite do procedimento ΣIx. os valores são atribuidos à corrente de operação nominal do disjuntor envolvido. Publicação 05.Funções 2. Isso independe da configuração no endereço 172 52 B. Os valores somados podem ser interpretados como o número de operações de trip na corrente nominal de operação do disjuntor. que pode ser implementada pelo uso de CFC. Eles são exibidos nos valores estatísticos sem unidade e com duas casas decimais.0) a 3.2009 . é usado como o critério de corrente zero.WEAR MONIT pode ser ajustado para ativar o procedimento ΣIx.WEAR MONIT. este expoente 264 Ix EXPONENT pode ser incrementado de 1. Este método não oferece avaliação integrada de limite. o tempo de resposta do disjuntor deve ser especificado nos parâmetros 266 T 52 BREAKTIME e 267 T 52 OPENING.2. (veja também o cabeçalho de margem “Monitoramento de Fluxo de Corrente (Disjuntor) na Seção 2.

20 Funções Auxiliares Procedimento 2P O parâmetro 172 52 B. para a corrente nominal de operação Ir (parâmetro 260 Ir-52) Ponto P2 é determinado pelo número máximo de operações de interrupção (make-break) (parâmetro 263 OP. Para determinação de tempo do arco.CYCLES Isc). Procedimento I2t O procedimento I2t é ativado através da configuração do parâmetro 172 52 B. 409 1020 1021 1022 1023 2896 2898 16001 16002 16003 16006 16007 16008 16011 16012 16013 16014 16015 16016 Informação #of TRIPs= >BLOCK Op Count Op. tripolar Nº mais alto ciclo AR de comandos de Fechamento.TRIP A= mechan. é necessário o critério “Corrente-zero“.20.4 Lista de Informações No. Publicação 05. tripolar Exponenciação Soma de Corrente Fase A para Ir^x Exponenciação Soma de Corrente Fase B to Ir^x Exponenciação Soma de Corrente Fase C to Ir^x Duração Residual Fase A Duração Residual Fase B Duração Residual Fase C Número de Trips mecânicos Trips Fase A Número de Trips mecânicos Fase B Número de Trips mecânicos Fase C Integral da Soma do Quadrado da Corrente Fase A Integral da Soma do Quadrado da Corrente Fase B Integral da Soma do Quadrado da Corrente Fase C Comentários SIPROTEC. para a corrente nominal de falta de trip Isc (parâmetro 262 Isc-52).Endu.2. A= Resid. 2. Para o procedimento operar corretamente./3p= ΣI^x A= ΣI^x B= ΣI^x C= Resid.TRIP B= mechan. mostra a relação entre operações de interrupção (make-break) e a corrente de trip. o dispositivo precisa ser informado sobre o tempo de trip do disjuntor T 52 BREAKTIME e sobre o tempo de abertura do disjuntor T 52 OPENING.WEAR MONIT. As integrais do quadrado da corrente de falta são atribuidas ao quadrado da corrente nominal do dispositivo.TRIP C= ΣI^2t A= ΣI^2t B= ΣI^2t C= Tipo de Informações PMV SP VI VI VI VI VI VI VI VI VI VI VI VI VI VI VI VI VI VI Número de TRIPs= >BLOQUEAR Contador Op Contador de horas de operação Acúmulo de corrente interrompida Ph A Acúmulo de corrente interrompida Ph B Acúmulo de corrente interrompida Ph C Nº do 1º ciclo AR de comandos de Fechamento. 7SJ80. Um diagrama de operação de ciclos (veja exemplo de diagrama na descrição de função do procedimento 2P)./3p= 79 #Close2. fornecido pelo fabricante. Para reconhecimento do último cruzamento zero (eliminação de arco) das correntes após trip.Funções 2. C= mechan. B= Resid.WEAR MONIT pode ser ajustado para ativar o procedimento 2P.Hours= Σ Ia = Σ Ib = Σ Ic = 79 #Close1.Endu.Endu. são decisivos para o ajuste do endereço 260 ao 263: Ponto P1 é determinado pelo número permitido de operações de interrupção (make-break) (parâmetro 261 OP.2009 303 . o tempo de resposta do disjuntor deve ser espedificado nos parâmetros 266 T 52 BREAKTIME e 267 T 52 OPENING. Manual E50417-G1179-C343-A1.CYCLES AT Ir). Os dois vértices desta característica em uma escala logarítmica dupla.

Funções 2.3. assim como relações de transformação de tensão e corrente nos elementos à terra ao configurar o dispositivo.2009 . I2 IN = 3 ·I0 (calculada) IN = valor medido da entrada IN INs (INs_rms. Ao usar conexão de tensão capacitiva. Q. 304 SIPROTEC.3 Medição Uma série de valores medidos e valores derivados deles estão constantemente disponíveis para visualização local ou transferência de dados.20 Funções Auxiliares 2. 7SJ80. Uma pré-condição correta de mostrar os valores primários e porcentagens é a correta e completa parametrização dos valores nominais para os transformadores de instrumentos e equipamento protegido. A tabela seguinte mostra as fórmulas que são a base para a conversão de valores secundários em valores primários e porcentagens. primários e percentuais Primário % IN sec. fator de potência. INs sec. INsreativa) IN2 = valor medido da entrada IN2 VA. Aplicações • Informações sobre o status real do sistema • Conversão de valores secundários para primários e porcentagens.1 Display de Valores Medidos Tabela 2-20 Valores Medidos IA. Vsyn Secundário Isec. Vph-n sec. não estão disponíveis. Publicação 05. V1. S. energia e valores derivados. o dispositivo está apto a indicar os valores primários e porcentagens dos valores medidos. tais como valores médios. VC–A Vph-ph sec. V2. V0. P. VB–C. VC. Formula de conversão entre valores secundários. INsativa. VA–B. VB.20. 2. IN sec. IC.20. IN2 sec. I1. Manual E50417-G1179-C343-A1. IB. etc. os valores medidos para potência. Pré-requisitos Exceto para valores secundários.

Publicação 05. P. ou são calculadas a partir das tensões fase-fase VA–B e VB–C e da tensão residual VN. 217 218 238 239 1101 1102 Endereço Vnom PRIMARY Vnom SECONDARY CT PRIMARY CT SECONDARY Vph / Vdelta VXnom PRIMARY VXnom SECONDARY Dependendo do tipo de dispositivo solicitado e de suas conexões. se as entradas de tensão estiverem em conexão fase-terra. S (P e Q Nenhum valor secundário medido fase-segregada) Fator de Potên.Funções 2. Q.20 Funções Auxiliares Valores Medidos VN Secundário VN sec. A tensão residual VN é medida diretamente ou calculada a partir de tensões fase-terra: Por favor observe que o valor V0 está indicado em valores operacionais medidos. Primário % Vx Vx sec. alguns dos valores de operação medidos listados abaixo. FullScaleCurr. A corrente à terra IN é medida diretamente ou calculada a partir das correntes condutor. FullScaleVolt. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80. As tensões fase-terra são medidas diretamente. podem não estar disponíveis.2009 305 . SIPROTEC.cos ϕ cia (fase-segregada) Frequência f em Hz cos ϕ cos ϕ · 100 em % f em Hz Tabela 2-21 Legenda para fórmula de conversão Parâmetro Endereço 202 203 204 205 206 232 233 Parâmetro Ignd-CT PRIM Ignd-CT SEC Ignd2-CT PRIM. Ignd2-CT SEC.

3. O mesmo se aplica ao fator de potência cosϕ. Publicação 05. formato 0 a 240 % do valor medido. é em princípio gerado automaticamente pelos valores nominais selecionados de corrente e tensão. 7SJ80. É ocasionalmente desejado definir o traçado da potência a partir da linha (por exemplo. Para mais detalhes. O formato unitário dos valores medidos no lado do dispositivo. são detalhados no manual PIXIT 7SJ. assim como seu formato unitário. depende do protocolo e. Os valores primários de operação medidos são transmitidos. como visto pelo consumidor) positivamente. se necessário.3 s e < 1 s. O formato unitário da corrente pode ser determinado em DIGSI ou no dispositivo. O cálculo dos valores operacionais medidos também é efetuado enquanto uma falta está em andamento. Protocolo IEC 60870–5–103 IEC 61850 Faixa transmissível de medição. Os valores são atualizados em intervalos de > 0.0 306 SIPROTEC. 2. Isto resultará na respectiva faixa de medição transmissível. e componentes indutivos reativos na direção da linha. DNP 3. Os valores medidos.20. por favor leia as descrições e perfis dos protocolos.20 Funções Auxiliares Na entrega do dispositivo.Funções 2. secundário ou percentual) devem ser transmitidos. via Menu Valores Operacionais.Q sign. Os valores medidos são transmitidos no formato “Flutuante“. com os dados do sistema. PROFIBUS. incluindo sinal (faixa ± 32768). A faixa de medição em que estes valores são transmitidos. Usando o parâmetro 1108 P. Os valores medidos são sempre transmitidos como valores de 16-bit. também são positivos. O usuário pode definir a escala do valor operacional medido a ser transmitido. Modbus. A faixa de medição transmitida não é limitada e corresponde à medição operacional. Componentes ativos na direção da linha. a potência e os valores de operação estão ajustados de forma que a potência na direção da linha é positiva. O usuário pode selecionar através de DIGSI.2 Valores de Transmissão Medidos Valores medidos podem ser transferidos para um controle central e dispositivo de armazenagem via porta B. os sinais para esses componentes pode ser invertidos. quais valores operacionais medidos (primário.2009 . Manual E50417-G1179-C343-A1. de ajustes adicionais.

Publicação 05.3. fase A) Qb (potência reativa. MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV MV Ia Ib Ic In I1 (sequência positiva) I2 (sequência negativa) Va Vb Vc Va-b Vb-c Vc-a VN V1 (sequência positiva) V2 (sequência negativa) Vsync (sincronismo) P (potência ativa) Q (potência reativa) Frequência S (potência aparente) Ângulo Va-Ia Ângulo Vb-Ib Ângulo Vc-Ic Corrente resistiva à terra em sistemas isolados Corrente reativa à terra em sistemas isolados Sobrecarga Térmica INs Corrente Sensível de Falta à terra 3Io (sequência zero) Vo (sequência zero) Fator de Potência Ângulo entre 3Vo e INsens.3 Lista de Informações No.2009 307 . fase B) Pc (potência ativa.INs) = Pa = Pb = Pc = Qa = Qb = Qc = PFa = PFb = PFc = VX = Vph-n = Informação Tipo de Info.20. fase A Fator de Potência. fase C) Fator de Potência. Manual E50417-G1179-C343-A1. fase A) Pb (potência ativa. fase B) Qc (potência reativa.20 Funções Auxiliares 2. 601 602 603 604 605 606 621 622 623 624 625 626 627 629 630 632 641 642 644 645 680 681 682 701 702 807 830 831 832 901 16031 30701 30702 30703 30704 30705 30706 30707 30708 30709 30800 30801 Ia = Ib = Ic = In = I1 = I2 = Va = Vb = Vc = Va-b= Vb-c= Vc-a= VN = V1 = V2 = Vsync = P = Q = Freq= S = Phi A = Phi B = Phi C = INs Real INs Reac Θ/Θtrip INs = 3Io = Vo = PF = ϕ(3Vo. Pa (potência ativa. fase C Tensão VX Tensão fase-neutra Comentários SIPROTEC. fase B Fator de Potência.Funções 2. fase C) Qa (potência reativa. 7SJ80.

a extensão da janela de tempo para cálculo da média e a frequência na qual é atualizada. A saída é atualizada cada 15/3 = 5 minutos. 15 Min. 3 Subs.1 Descrição Médias de Longo Prazo As médias de longo prazo das correntes trifásicas Ix. 7SJ80. Esse ajuste especifica se a janela deverá iniciar na hora (On The Hour) ou 15 minutos após (15 After Hour) ou 30 minutos / 45 minutos depois da hora (30 After Hour. o tempo de início da janela de cálculo da média ajustado no endereço 8301 é determinado. 2.2 Notas de Ajustes Cálculo da Média A seleção do período de tempo para cálculo da média do valor medido. então os valores medidos armazenados no buffer são deletados e novos resultados para cálculo da média só estarão disponíveis após ter passado o período de tempo ajustado.20.Funções 2. significa: Média de tempo é gerada para todos os valores medidos com uma janela de 15 minutos. a potência real P.20. Para as médias de longo prazo acima mencionadas.4. Publicação 05. 2. são calculados dentro de um período ajustado de tempo e indicados em valores primários.20. por exemplo.2009 . podem ser ajustadas. 45 After Hour). Com o endereço 8302 DMD Sync. os componentes de sequência positiva I1 para as correntes trifásicas. O primeiro número especifica a janela de tempo de cálculo da média em minutos.4. Se os ajustes para cálculo da média são mudados.20 Funções Auxiliares 2.4 Média de Medições As médias de longo prazo são calculadas e emitidas pelo 7SJ80. enquanto que o segundo número fornece a frequência de atualizações dentro dessa janela de tempo.Time. Manual E50417-G1179-C343-A1. 308 SIPROTEC. potência reativa Q e potência aparente S. é ajustada com o parâmetro 8301 DMD Interval no grupo de ajuste correspondente de A a D em MEASUREMENT(MEDIÇÃO)..

Funções 2.. Publicação 05..15 Subs 30 Min. 1 Sub 60 Min... 833 834 835 836 963 964 965 I1 dmd= P dmd = Q dmd = S dmd = Ia dmd= Ib dmd= Ic dmd= Informação Tipo de Info.4..Time On The Hour Tempo de Sincronização da Demanda 2. 8301 Parâmetro DMD Interval Opções de Ajuste 15 Min. 1 Sub Comentários Intervalos de Cálculo da Demanda 8302 DMD Sync. 1 Sub 15 Min. 1 Sub 60 Min..4.20.4 Lista de Informações No.10 Subs 5 Min. Manual E50417-G1179-C343-A1.3 Ajustes End. 5 Subs On The Hour 15 After Hour 30 After Hour 45 After Hour Ajuste Padrão 60 Min.. MV MV MV MV MV MV MV Comentários Demanda de I1 (sequência positiva) Demanda de Potência Ativa Demanda de potência Reativa Demanda de Potência Aparente Demanda de I A Demanda de I B Demanda de I C SIPROTEC.20..2009 309 .20 Funções Auxiliares 2. 7SJ80. 3 Subs 15 Min.

20. Os valores mínimo e máximo podem ser resetados via entradas binárias. 2. a potência ativa P. o componente de sequência positiva I1 e V1.20. Em adição. Para selecionar esse recurso.5.3 Ajustes End. Os valores máximo e mínimo das médias de longo prazo listados na seção anterior também são calculados.20 Funções Auxiliares 2.20. O ciclo de reset em dias é parametrizado no endereço 8313 MiMa RESETCYCLE.2 Notas de Ajustes Valores Mínimos e Máximos O rastreamento dos valores mínimos e máximos podem ser automaticamente resetados em um ponto programável no tempo. 365 Days 1 .START Opções de Ajuste NO YES 0 . a frequência e o fator de potência ϕ. as tensões fasefase Vxy. 2.START.5.Funções 2. são formados incluindo data e hora em que foram atualizados pela última vez. potência reativa Q e potência aparente S. e a data de inicio do processo cíclico. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. via DIGSI ou via painel de controle integrado a qualquer momento.1 Descrição Valores Mínimos e Máximos Os valores mínimo e máximo para as três correntes de fase Ix. 2.5.20. 8311 8312 8313 8314 Parâmetro MinMax cycRESET MiMa RESET TIME MiMa RESETCYCLE MinMaxRES. desde o tempo do procedimento de ajuste (em dias) é parametrizado no endereço 8314 MinMaxRES... Hora e data da última atualização dos valores pode ser também lida.. valores primários. e tensão VN. 1439 min 1 . iniciando um ponto pré-selecionado no tempo.2009 .5 Ajuste de Medição Min/Max Os valores mínimos e máximos são calculados pelo 7SJ80. 7SJ80. as três tensões de fase Vx-N. o reset também pode ser efetuado ciclicamente. o endereço 8311 MinMax cycRESET deverá ser ajustado para YES. 365 Days Ajuste Padrão YES 0 min 7 Days 1 Days Comentários Função de Reset Cíclico Automático Temporizador de Reset Mínimo /Máximo Período de Ciclo de Reset MinMax Inicio do Ciclo de Reset MinMax em 310 SIPROTEC. O ponto no tempo em que o reset ocorre ( o minuto do dia em que o reset ocorrerá) é ajustado no endereço 8312 MiMa RESET TIME.

MIN/MAX Reset de Buffer de>Fator de Potência MIN/MAX Reset de Buffer de>Theta MIN/MAX Mínima Demanda de I A Demanda Máxima de I A Mínima Demanda de I B Demanda Máxima de I B Mínima Demanda de I C Demanda Máxima de I C Demanda Mínima de I1 (sequência positiva) Demanda Máxima de I1 (sequência positiva) Demanda Mínima de Potência Ativa Demanda Máxima de potência Ativa Mínima Potência Reativa Máxima Potência Reativa Mínima Potência Aparente Máxima Potência Aparente Ia Min Ia Max Ib Min Ib Max Ic Min Ic Max Mínima I1 (sequência positiva) Máxima I1 (sequência positiva) Va-n Min Va-n Max Vb-n Min Vb-n Max Vc-n Min Vc-n Max SIPROTEC.4 Lista de Informações No.20. Manual E50417-G1179-C343-A1.5.Funções 2. 395 396 397 398 399 400 401 402 403 404 405 406 407 408 412 837 838 839 840 841 842 843 844 845 846 847 848 849 850 851 852 853 854 855 856 857 858 859 860 861 862 863 864 Informações ResMinMax >I MinMax Reset >I1 MiMaReset >V MiMaReset >VphphMiMaRes >V1 MiMa Reset >P MiMa Reset >S MiMa Reset >Q MiMa Reset >Idmd MiMaReset >Pdmd MiMaReset >Qdmd MiMaReset >Sdmd MiMaReset >Frq MiMa Reset >PF MiMaReset > Θ MiMa Reset IAdmdMin IAdmdMax IBdmdMin IBdmdMax ICdmdMin ICdmdMax I1dmdMin I1dmdMax PdMin= PdMax= QdMin= QdMax= SdMin= SdMax= Ia Min= Ia Max= Ib Min= Ib Max= Ic Min= Ic Max= I1 Min= I1 Max= Va-nMin= Va-nMax= Vb-nMin= Vb-nMax= Vc-nMin= Vc-nMax= Tipo de Info. IntSP_Ev SP SP SP SP SP SP SP SP SP SP SP SP SP SP SP MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT Comentários Reset Minimo e Máximo do Contador Reset de Buffer de >I MIN/MAX Reset de Buferr de >I1 MIN/MAX Reset de Buffer de >V MIN/MAX Reset de Buffer de >Vphph MIN/MAX Reset de Buffer de >V1 MIN/MAX Reset de Buffer de >P MIN/MAX Reset de Buffer de >S MIN/MAX Reset de Buffer de>Q MIN/MAX Reset de Buffer de>Idmd MIN/MAX Reset de Buffer de>Pdmd MIN/MAX Reset de Buffer de>Qdmd MIN/MAX Reset de Buffer de>Sdmd MIN/MAX Reset de Buffer de>Frq.20 Funções Auxiliares 2.2009 311 . Publicação 05. 7SJ80.

20. Publicação 05. Aplicações • Esse programa de monitoramento trabalha com repetições de medições múltiplas e uma prioridade mais baixa do que as funções de proteção. MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT MVT Va-b Min Va-b Max Vb-c Min Vb-c Max Vc-a Min Vc-a Max V neutra Min V neutra Max Comentários Mínima Tensão V1 (sequência positiva) Máxima Tensão V1 (sequência positiva) Mínima Potência Ativa Máxima Potência Ativa Mínima Potência Reativa Máxima Potência Reativa Mínima Potência Aparente Máxima Potência Aparente Mínima Frequência Máxima Frequência MáximoFator de Potência Mínimo Fator de Potência Máxima Medida de Sobrecarga Mínima Medida de Sobrecarga Θ/ΘTrpMax= Θ/ΘTrpMin= 2. o dispositivo emite um alarme que é indicado na forma de uma mensagem operacional. antes de ocorrer o pickup ou trip da função de proteção. 865 867 868 869 870 871 872 873 874 875 876 877 878 879 880 881 882 883 884 885 1058 1059 Va-bMin= Va-bMax= Vb-cMin= Vb-cMax= Vc-aMin= Vc-aMax= Vn Min = Vn Max = V1 Min = V1 Max = Pmin= Pmax= Qmin= Qmax= Smin= Smax= fmin= fmax= PF Max= PF Min= Informações Tipo de Info. Esse programa de monitoramento é dessa forma absolutamente inadequado para bloqueio das funções de proteção. Manual E50417-G1179-C343-A1. Os valores limite podem ser configurados via DIGSI CFC e alocados matriz DIGSI do dispositivo.2009 . 312 SIPROTEC.20 Funções Auxiliares No. transferidas via interfaces e ligadas no DIGSI CFC. Isso pode estar alocado para LEDs e/ou entradas e saídas binárias. excedido ou cair abaixo durante a operação. Sendo assim. 7SJ80. pode não ocorrer pickup se os valores medidos forem mudados espontâneamente no evento de uma falta. Se algum desses limites é atingido.6 Set Points para Valores Medidos Os dispositivos SIPROTEC facilitam o ajuste de valores limite para alguns valores medidos.Funções 2.

Funções 2.20 Funções Auxiliares

2.20.6.1 Notas de Ajustes
Setpoints para Valores Medidos Ajustes são executados na Matriz de configuração do DIGSI em Settings, Masking I/O (Configuration Matrix). Aplique o filtro "Measured and Metered Values Only" (Medidas e Valores Medidos Apenas) e selecione o grupo de configuração "Set Points (MV)". Aqui você pode inserir novos valores de limites via Catálogo de Informações que estão subsequentemente ligadas ao valor medido a ser monitorado usando CFC. Essa visão também permite que você mude os ajustes padrão dos valores limite em Properties (Propriedades). Os ajustes para valores limite devem ser em porcentagem e usualmente referem-se a valores nominais do dispositivo. Para mais detalhes, consulte SIPROTEC 4 System Description (Descrição do Sistema SIPROTEC 4) e o DIGSI CFC Manual(Manual CFC DIGSI).

2.20.7

Set Points para Estatística

2.20.7.1 Descrição
Para os contadores estatísticos, os valores limite podem ser parametrizados de forma que uma mensagem seja gerada assim que sejam atingidos. Essas mensagens podem ser alocadas para ambos, relés de saída e LEDs.

2.20.7.2 Notas de Ajustes
Valores Limite para o Contador Estatístico Os valores limite para os contadores estatísticos podem ser ajustados em DIGSI em Annunciation → Statistic no sub-menu Statistics. Clique duas vezes para mostrar os conteúdos correspondentes na nova janela. Sobrescrevendo o valor anterior, um novo valor pode ser parametrizado (veja também Descrição do Sistema SIPROTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description).

2.20.7.3 Lista de Informações
No. 272 16004 16005 16009 16010 16017 16018 OpHour> SP. Op Hours> ΣI^x> Threshold ΣI^x> Resid.Endu. < Thresh.R.Endu.< ΣI^2t> Thresh. ΣI^2t> Informações Tipo de Informações LV OUT LV OUT LV OUT LV OUT Comentários Horas Operacionais Maior do que Set Point de Horas Operacionais Limite da Exponenciação da Soma da Corrente Excedido Limite da Exponenciação da Soma da Corrente Limite Inferior da Duração Residual do Disjuntor Duração Residual do Disjuntor Caiu Abaixo do Limite Limite da Integral do Quadrado da Corrente de Soma Excedido Limite da Integral do Quadrado da Corrente de Soma

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

313

Funções 2.20 Funções Auxiliares

2.20.8

Medição de Energia
Valores medidos para energia ativa e reativa são determinados pelo dispositivo. Eles podem ser emitidos via display do dispositivo, lidos com DIGSI via interface do operador ou transmitidos para um centro de controle via porta B.

2.20.8.1 Descrição
Valores Medidos para Energia Ativa e Reativa Valores medidos da potência real Wp e potência reativa (Wq) são adquiridos em kilowatt, megawatt ou gigawatt horas primpários ou em kVARh, MVARh ou GVARh primários, separadamente conforme a entrada (+) e a saída (–), ou capacitivo e indutivo. A resolução do valor medido pode ser configurada. Os sinais dos valores medidos aparecem como configurados no endereço 1108 P,Q sign (veja Seção „Display de Valores Medidos“).

2.20.8.2 Notas de Ajustes
Ajuste de Parâmetros para Resolução de Medição O parâmetro 8315 MeterResolution pode ser usado para maximizar a resolução dos valores de energia medidos pelo (Fator 10) Factor 10 ou (Fator 100)Factor 100 comparado ao ajuste padrão Standard.

2.20.8.3 Ajustes
End. 8315 Parâmetro MeterResolution Opções de Ajustes Standard Factor 10 Factor 100 Ajuste Padrão Standard Comentários Resolução do Medidor

2.20.8.4 Lista de Informações
No. 888 889 916 917 924 925 928 929 Meter res Wp(puls) Wq(puls) WpΔ= WqΔ= WpForward WqForward WpReverse WqReverse Informações Tipo de Info. IntSP_Ev PMV PMV MVMV MVMV MVMV MVMV reset do medidor Energia Pulsada Wp (ativa) Energia Pulsada Wq (reativa) Incremento de energia ativa Incremento de energia reativa Wp Para Frente Wq Para Frente Wp Reversa Wq Reversa Comentários

314

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Funções 2.20 Funções Auxiliares

2.20.9

Ajudas de Comissionamento
No modo de teste ou durante o comissionamento, as informações do dispositivo transmitidas para uma central ou dispositivo de armazenamento podem ser influenciadas. Existem ferramentas disponíveis para teste da interface do sistema (porta B) e entradas e saídas binárias do dispositivo.

Aplicações • Modo de Teste • Comissionamento Pré-requisitos Para estar apto a usar as ajudas de comissionamento descritas a seguir, o dispositivo deve estar conectado a um centro de controle via porta B.

2.20.9.1 Descrição
Influência de Informações para o Centro de Controle Durante o Modo de Teste Alguns dos protocolos disponíveis permitem a identificação de todas as mensagens e valores medidos transmitidos para o centro de controle com o “modo de teste” como causa da mensagem enquanto o dispositivo é testado no local. Essa identificação previne a mensagem de ser interpretada incorretamente como resultante de uma falta real. Além disso, o bloqueio da transmissão pode ser ajustado durante o teste, de forma que nenhuma mensagem seja transferida ao centro de controle. Isso pode ser implementado via entradas binárias, usando a interface na frente do dispositivo e um PC. A Descrição do Sistema SIPROTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description) estabelece em detalhes como ativar e desativar o modo de teste e bloquear a transmissão de dados. Testando a Conexão com um Centro de Controle Via DIGSI o controle do dispositivo pode ser testado quanto à transmissão correta das mensagens. Uma caixa de diálogo mostra os textos do display que foram alocados à interface do sistema (porta B) na matriz do DIGSI. Em uma outra coluna da caixa de diálogo, pode ser definido um valor para a mensagem a ser testada (por exemplo, mensagem ON / mensagem OFF). Após entrar com a senha no. 6 (para menus de teste do hardware), a mensagem correspondente é emitida e pode ser lida no registro de eventos do dispositivo SIPROTEC 4 e no centro de controle da subestação. O procedimento está descrito em detalhes no Capítulo "Montagem e Comissionamento".

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

315

Funções 2.20 Funções Auxiliares

Verificando as Entradas e Saídas Binárias As entradas e saídas binárias e LEDs de um dispositivo SIPROTEC 4 podem ser ajustados individualmente e controlados com precisão no DIGSI. Esse recurso pode ser usado, por exemplo, para verificar o controle das ligações do dispositivo ao equipamento da subestação (verificações operacionais) durante a partida. Uma caixa de diálogo mostra todas as entradas e saídas binárias assim como os LEDs do dispositivo com seus status atuais. O equipamento de operação, comandos ou mensagens que estão configuradas (endereçadas) nos componentes do hardware também são mostradas. Após ter entrado com a senha no. 6 (para menus de teste do hardware), é possível comutar para o status oposto em outra coluna da caixa de diálogo. Então, você pode energizar cada único relé de saída para verificar a ligação entre o dispositivo protegido e o sistema sem ter que criar o alarme alocado para tanto. O procedimento está descrito em detalhes no Capítulo “Montagem e Comissionamento”. Criando Gravações Oscilográficas para Testes Durante o comissionamento, sequências de energização deverão ser executadas para testar a estabilidade da proteção também durante operações de fechamento. Gravações de eventos oscilográficos contém a máxima informação do comportamento da proteção. Em conjunto com a capacidade de armazenamento de gravações de falta via pickup da função de proteção,o 7SJ80 tem também a capacidade de capturar os mesmos dados quando são fornecidos comandos ao dispositivo via programa de operação DIGSI, interface serial ou uma entrada binária. Para a última, o evento “>Trig.Wave.Cap.“, deve ser alocado a uma entrada binária. Ocorre, então, o disparo para a gravação oscilográfica, por exemplo, via entrada binária quando o objeto de proteção está energizado. Uma gravação oscilográfica disparada externamente (isto é, sem pickup do elemento de proteção) é processada pelo dispositivo como gravação de falta normal. Para cada gravação oscilográfica é criada uma gravação da falta a qual é dado seu número individual para assegurar que a designação seja feita adequadamente. Entretanto, essas gravações oscilográficas não são mostradas no buffer de registro de falta no display, pois não são eventos de falta da rede. O procedimento está descrito em detalhes no Capítulo “Montagem e Comissionamento”.

316

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Funções 2.21 Controle do Disjuntor

2.21

Controle do Disjuntor
Uma função de comando de controle está integrada no SIPROTEC 4 7SJ80 para coordenar a operação dos disjuntores e outro equipamento no sistema de potência. Os comandos de controle podem ser originários de quatro fontes de comando: • Controle local no painel de operação do dispositivo • Operação usando DIGSI • Controle remoto via centro de controle da rede ou controlador da subestação (por exemplo, SICAM) • Funções automáticas (por exemplo, via entrada binária) São suportadas subestações com barramentos simples e múltiplos. O número de dispositivos de chaveamento a ser controlado está limitado somente pelo número de entradas e saídas binárias. Verificações de intertravamento asseguram alta segurança contra operações mau executadas e uma infinidade de tipos de chaves e modos operacionais estão disponíveis.

2.21.1

Dispositivo de Controle
A subestação também pode ser controlada via painel de operação do dispositivo, DIGSI ou uma conexão com o equipamento de controle da subestação.

Aplicações • Subestações com barramentos simples e duplos Pré-requisitos O número de dispositivos de chaveamento a ser controlado está limitado por: – entradas binárias existentes – saídas binárias existentes.

2.21.1.1 Descrição
Operação Usando O Painel de Operação do Dispositivo Para controle do dispositivo, existem duas teclas coloridas independentes localizadas abaixo do display gráfico. Se você se encontra em algum local do menu fora do sub-menu de controle, você pode retornar ao modo de controle por meio de uma dessas teclas. A seguir, selecione o equipamento de chaveamento a ser operado com a ajuda das teclas de navegação. A direção do chaveamento é determinada pela operação dos botões I ou O. A direção de chaveamento selecionada é mostrada piscando na linha inferior do “prompt” de segurança. Prompts de senha e segurança previnem operações de chaveamento não pretendidas. Com ENTER é confirmada a entrada. O cancelamento é possível a qualquer momento antes da emissão do comando de controle ou durante a seleção de chaveamento via tecla Esc. Finalização do comando, feedback ou qualquer violação das condições de intertravamento são indicadas. Para outras informações sobre a operação do dispositivo favor consultar o Capítulo 2.22.

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

317

Funções 2.21 Controle do Disjuntor

Operação usando DIGSI® O dispositivo de chaveamento pode ser controlado via interface de controle do operador com um PC usando o software DIGSI. O procedimento para isso está descrito na Descrição do Sistema SIPROTEC 4, Controle de Chaveamento (SIPROTEC 4 System Description, Control of Switchgear). Operação usando a Interface do Sistema O dispositivo de chaveamento pode ser controlado via interface serial do sistema e uma conexão com o equipamento de controle da subestação. Para tanto é necessário que o periférico requerido exista fisicamente no dispositivo assim como na subestação. Além disso, certos ajustes para a inteface serial precisam ser feitos no dispositivo, veja a Descrição do Sistema SIPROTEC4 (SIPROTEC 4 System Description).

2.21.1.2 Lista de Informações
No. 31000 31001 31008 Informações 52Breaker 52Breaker Disc.Swit. Disc.Swit. GndSwit. GndSwit. Q0 OpCnt= Q1 OpCnt= Q8 OpCnt= Tipo de Info. CF_D12 DP CF_D2 DP CF_D2 DP VI VI VI 52 Disjuntor 52 Disjuntor Chave seccionadora Chave seccionadora Chave Terra Chave Terra Q0 contador de operações= Q1 contador de operações= Q8 contador de operações= Comentários

2.21.2

Tipos de Comando
Em conjunto com o controle do sistema de potência vários tipos de comandos podem ser mencionados para o dispositivo:

2.21.2.1 Descrição
Comandos para o Processo Estes são comandos que são diretamente emitidos para o chaveamento para a mudança de seu estado de processo: • Comandos de chaveamento para controle dos disjuntores (não sincronizado), secionadoras e eletrodos à terra • Comandos de estágios, por exemplo, aumentando ou diminuindo LTCs de transformador • Comandos de set-points com ajustes de tempo configuráveis, por exemplo, para controle das bobinas de Petersen

318

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Funções 2.21 Controle do Disjuntor

Pseudo Comandos / Internos Não operam saídas binárias diretamente. Servem para iniciar funções interna, simular mudanças de estado ou para reconhecer mudanças de estado. • Comandos dominantes manuais para atualizar informações manualmente em objetos dependentes do processo tais como anunciações e estados de chaveamento, por exemplo, se a comunicação com o proceso é interrompida. Objetos dominantes manualmente são indicados da mesma forma que no status da informação e podem ser mostrados correspondentemente. • Comandos de identificação são emitidos para estabelecer ajustes interno, por exemplo, deletando / pré-ajustando a autoridade de chaveamento (remota versus local), uma mudança de ajuste de parâmetro, bloqueio de transmissão de dados à interface SCADA e setpoints de valores medidos. • Reconhecimento e reset de comandos para ajuste e reset de buffers internos ou estado de dados. • Comando de status da informação para ajustar/resetar informações adicionais ao “status de informação” de um objeto em processo, tais como: – Bloqueio de entrada – Bloqueio de saída

2.21.3

Sequência de Comando
Mecanismos de segurança na sequência de comandos assegura que um comando só pode ser liberado após uma completa verificação do critério de pré-ajuste ter sido concluido com sucesso. Verificações de intertravamento padrão são fornecidas para cada comando de controle individual. Adicionalmente, condições de intertravamento definidas pelo usuário podem ser programadas separadamente para cada comando. A execução real do comando também é monitorada. O procedimento geral da tarefa de comando está descrito na lista seguinte:

2.21.3.1 Descrição
Sequência de Verificação Favor observar o seguinte:: • Entrada de Comando, por exemplo, usando o teclado na interface do usuário local do dispositivo – Verificação de Senha → Direitos de Acesso – Verificação do Modo de Chaveamento (intertravamento ativado / desativado) → Seleção do Reconhecimento do Intertravamento Desativado. • Verificações de intertravamento configuráveis pelo usuário – Autoridade de Chaveamento – Verificação da Posição do Dispositivo (ajuste versus comparação real) – Intertravamento, Zona Controlada (lógica usando CFC) – Intertravamento do Sistema (centralmente, usando sistema SCADA ou controlador da subestação)

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

319

Funções 2.21 Controle do Disjuntor

– Operação Dupla (intertravamento contra operação paralela de chaveamento) – Bloqueio da Proteção (bloqueio de operações de chaveamento pelas funções de proteção). • Verificações de Comandos Fixos – Tempo de Processo Interno (software watch dog que verifica o tempo para processamento da ação de controle entre a inicialização do controle e o fechamento final do contato do relé) – Modificação de Ajuste em Andamento (se a modificação do ajuste está em processo, os comandos são recusados ou temporizados) – Equipamento operacional habilitado como saída (se um componente do equipamento de operação foi configurado, mas não configurado para uma entrada binária, o comando é recusado) – Bloqueio de Saída (se um bloqueio de saída foi programado para o disjuntor e está ativo no momento em que o comando é processado,então o comando é recusado) – Erro na Placa do Hardware – Comando em Progresso (só um comando pode ser procesado de cada vez para um equipamento operante, Bloqueio de Operação Duplo relacionado ao objeto) – 1-de-n-verificações (para esquemas com múltiplas designações, tais como contatos de relés dividindo um terminal comum, uma verificação é feita se o comando já está ativo para esse ajuste dos relés de saída). Monitoramento da Execução de Comando É monitorado o seguinte: • Interrupção de um comando devido ao Comando de Cancelamento • Monitoramento do Tempo em Progresso (mensagem de feedback do tempo de monitoramento)

2.21.4

Intertravamento
O intertravamento do sistema é executado pela lógica definida pelo usuário (CFC).

2.21.4.1 Descrição
Verificações de intertravamento em um sistema SICAM/SIPROTEC 4 estão normalmente divididas nos seguintes grupos: • O intertravamento do sistema permanece na base de dados do sistema na subestação ou sistema de controle central. • Intertravamento de bay permanece na base de dados do objeto (feedbacks) da unidade de bay. • Intertravamento de bay cruzado via mensagens GOOSE diretamente entre as unidades de bay e relés de proteção (comunicação inter relé com GOOSE é executada via módulo EN100). A extensão das verificações de intertravamento é determinada pela configuração do relé. Para obter mais informações sobre GOOSE, favor consultar a Descrição do Sistema SIPROTEC/1/( SIPROTEC System Description /1/. Objetos de chaveamento que requerem intertravamento de sistema em um sistema de controle central estão designados a um parâmetro específico dentro da unidade de bay (via matriz de configuração).

320

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Funções 2.21 Controle do Disjuntor

Para todos os comandos, a operação com intertravamento (modo normal) ou sem intertravamento (Intertravamento OFF) pode ser selecionada: • Para comandos locais pela reprogramação de ajustes com prompt de senha • Para comandos automático, via processamento de comando pelo CFC e reconhecimento de intertravamento desativado. • Para comandos local / remoto, usando um comando adicional desabilitado de intertravamento, via Profibus. Chaveamento Intertravado / Não-Intertravado As verificações de comando configuráveis nos dispositivos SIPROTEC 4 são também chamadas de “intertravamento padrão’. Essas verificações podem ser ativadas via DIGSI (chaveamento / identificação intertravada) ou desativadas (não-intertravada). Chaveamento de intertravamento desativado significa que condições de intertravamento configuradas não são verificadas no relé. Chaveamento intertravado significa que todas as condições de intertravamento configuradas são verificadas dentro do processamento do comando. Se uma condição não é preenchida, o comando será rejeitado por uma mensagem com um sinal menos (-) adicionado a ele (por exemplo, "„CO–“"), imediatamente seguido pela mensagem. A tabela seguinte mostra os tipos possíveis de comandos em um dispositivo de chaveamento e suas anunciações correspondentes. Para o dispositivo, as mensagens designadas com * são mostradas nos registros de evento, para DIGSI elas aparecem nas mensagens espontâneas. Tipo de Comando Controle emitido - (Control issued) Identificação Manual (positiva / negativa) - (Manual tagging [positive / negative]) Comando Chaveamento (Switching) Identificação Manual - (Manual tagging) CO MT Causa Mensagem CO+/– MT+/–

Comando de estado da informação, bloqueio de Bloqueio de entrada ST entrada - (Information state command, input blocking) - (Input blocking) Comando de estado da informação, bloqueio de saída Bloqueio de saída - ST - (Information state command, output blocking) (Output blocking) Comando cancelar - (Cancel command) Cancelar - (Cancel) CA

ST+/– *) ST+/– *) CA+/–

O sinal (+) aparecendo na mensagem é uma confirmação da execução do comando. A execução do comando foi como esperado, ou em outras palavras, positivo. O sinal menos (-) significa uma confirmação negativa, o comando foi rejeitado. Feedbacks de comando possíveis e suas causas são expressas na Descrição do Sistema SIPROTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description). A figura seguinte mostra indicações operacionais relacionadas à execução do comando e informação de resposta da operação para o chaveamento bem sucedido do disjuntor. A verificação de intertravamento pode ser programada separadamente para todos os dispositivos de chaveamento e tags que foram ajustados com um comando de tag. Outros comandos internos tais como entrada manual ou cancelamento não são verificados, isto é, efetuados independente do intertravamento.

Figura 2-114

Exemplo de uma anunciação operacional para chaveamento do disjuntor 52 (Q0)

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

321

Funções 2.21 Controle do Disjuntor

Intertravamento Padrão (default) Os intertravamentos padrão contém os seguites testes programados fixos para cada dispositivo de chaveamento, que pode ser individualmente habilitado ou desabilitado usando parâmetros: • Verificação de Status do Dispositivo (ajuste = real): O comando de chaveamento é rejeitado e uma indicação de erro é mostrada se o disjuntor já está na posição de ajuste. (Se essa verificação está habilitada, então ela trabalha se o intertravamento estiver ativado ou desativado, por exemplo, zona controlada). Essa condição é verificada em ambos os modos de status intertravado ou não-intertravado. • Intertravamento do sistema: Para verificar o intertravameto do sistema de potência, um comando local é transmitido para a unidade central com Autoridade de Chaveamento = LOCAL. Um dispositivo de chaveamento que está sujeito ao intertravamento do sistema não pode ser chaveado por DIGSI. • Controle de Zona: Links de lógica específica do usuário criados com CFC são interrogados e considerados durante chaveamento intertravado. • Bloqueio pela Proteção: Comandos Switch-ON são rejeitados com chaves intertravadas assim que uma das funções de proteção da unidade tenha aberto um caso de falta. Entretanto, comandos de trip sempre podem ser executados. Favor ter cuidado, a ativação de elementos de proteção de sobrecarga térmica ou detecção de falta à terra sensitiva podem criar e manter o status de condição de falta e podem dessa forma bloquear comandos CLOSE. • Bloqueio de Operação Dupla:Operações de chaveamento paralelo são intertravadas umas contra outras, enquanto um comando é processado, um segundo não pode ser efetuado. • Autoridade de Chaveamento LOCAL: Um comando de chave do controle local (comando com fonte LOCAL) só é permitido se o controle local está habilitado no dispositivo (pela configuração). • Autoridade de Chaveamento DIGSI: Comandos de chaveamento que são emitidos local ou remotamente via DIGSI (comando com fonte DIGSI) só são permitidos se o controle remoto está habilitado no dispositivo (pela configuração). Se um computador com DIGSI ligar-se ao dispositivo, ele deixa um Número do Dispositivo Virtual (VD). Somente comandos com esse VD (quando a Autoridade de Chaveamento = REMOTA) serão aceitos pelo dispositivo. Comandos de chaveamento remoto serão rejeitados. • Autoridade de Chaveamento REMOTA: Um comando de chaveamento remoto (comando com fonte REMOTA) só é permitido se o controle remoto está habilitado no dispositivo (pela configuração).

322

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Publicação 05.2009 323 .21 Controle do Disjuntor Figura 2-115 Intertravamentos Padrão A figura seguinte mostra a configuração de condições de intertravamento usando DIGSI. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80. SIPROTEC.Funções 2.

2009 . Publicação 05. Elas estão marcadas por letras explicadas pela tabela seguinte. objeto "52 Close" e "52 Open" com os valores de dados: ON / OFF).Funções 2. Manual E50417-G1179-C343-A1.(Switching Authority) Intertravamento do Sistema .(Protection blocking) Lógica de Controle Usando CFC Para o intertravamento de bay uma lógica de controle pode ser estruturada via CFC. Tabela 2-22 Tipos de comandos e mensagens correspondentes Abrev. Via condições de liberação específicas as informações “released” (“liberado”) ou “bay interlocked” (“bay intertravado”) estão disponíveis (por exemplo. 7SJ80.(System interlocking) Zona controlada .21 Controle do Disjuntor Figura 2-116 Caixa de diálogo DIGSI para o ajuste das condições de intertravamento Causas do intertravamento configurado estão mostradas no display do dispositivo. 324 SIPROTEC. L S Z P B Display L A Z P B Comandos de Intertravamento Autoridade de Chaveamento .(Zone controlled) Ajuste = REAL (verificação da direção da chave) (SET = ACTUAL (switch direction check) Bloqueio da Proteção .

Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 325 . Quando um PC (remoto ou ocal) com DIGSI conecta o dispositivo ele entra com seu número de dispositvo virtual (VD). Somente comandos com esse VD (quando a autoridade de chaveamento está = OFF ou REMOTA) são aceitos pelo dispositivo.21 Controle do Disjuntor Autoridade de Chaveamento A condição de intertravamento "Autoridade de Chaveamento" serve para a determinação da autoridade do chaveamento.Funções 2. Com um 7SJ80. equipamento de chaveamento) Dispositivo específico (por exemplo. a autoridade de chaveamento pode ser mudada entre "REMOTA" e "LOCAL" no painel operador após ter dado entrada à senha ou por meio de CFC também via entradas binárias e tecla de função. Comandos são verificados quanto à sua fonte CS e os ajustes do dispositivo e comparados com o status real nos objetos "Autoridade de Chaveamento" e "Autoridade de Chaveamento DIGSI". 7SJ80. Ela permite ao usuário selecionar a fonte de comando autorizada. Publicação 05. Isso permite conexões DIGSI remota ou local. Quando o PC DIGSI desconecta novamente. O objeto “Autoridade de Chaveamento DIGSI” é usado para intertravamento ou habilitação da operação via DIGSI. Configuração Autoridade de Chaveamento disponível Autoridade de Chaveamento DIGSI disponível: Dispositivo específico (por exemplo. equipamento de chaveamento) y/n (cria objeto adequado) y/n (cria objeto adequado) Autoridade de chaveamento LOCAL (verifica o status LOCAL): y/n Autoridade de chaveamento REMOTA(verifica o status LOCAL. As seguintes faixas de autoridade de chaveamento estão definidas na seguinte sequência de prioridade: • LOCAL • DIGSI • REMOTA O objeto “Autoridade de Chaveamento” serve para intertravamento ou habilitação de controle LOCAL mas não REMOTO ou comandos DIGSI. REMOTO ou comandos DIGSI): y/n SIPROTEC. o VD é cancelado.

"Switching authority LOCAL") Habilitado (Enabled) Intertravado 1) "Autoridade de Chaveamento REMOTO" (Interlocked 1) "Switching authority REMOTE") Intertravado 1) "Autoridade de Chaveamento DIGSI" (Intertravado 1) "Autoridade de Chaveamento DIGSI) Intertravado 2) "Autoridade de Chaveamento DIGSI" (Interlocked 2) ."Switching authority LOCAL") Habilitado (Enabled) Intertravado 2) "Autoridade de Chaveamento LOCAL" (Interlocked 2) . Os seguintes modos de chaveamento (Local) estão definidos: • Para comandos LOCAL (CS = LOCAL) – travado (normal) ou – chaveamento destravado (não selado) Com um 7SJ80."Autoridade de Chaveamento LOCAL" (Interlocked 2) "Switching authority LOCAL") Intertravado .21 Controle do Disjuntor Tabela 2-23 Lógica de intertravamento Autoridade de Chaveamento DIGSI Não registrado Comando emitido com CS3)=LOCAL Habilitado (Enabled) Intertravado 2) "Autoridade de Chaveamento LOCAL" (Interlocked 2) . o modo de chaveamento pode ser selecionado entre "travado" (locked) e "destravado" (unlocked) no painel de operação. configuradas no momento da operação de chaveamento. 7SJ80. Modo de Chaveamento O modo de chaveamento serve para ativação ou desativação das condições de intertravamento. Manual E50417-G1179-C343-A1."DIGSI Não registrado" (Interlocked ."Switching authority DIGSI") Intertravado .2009 . REMOTO ou comandos DIGSI commands): n" CS = fonte do comando CS = Auto: Comandos que são iniciados internamente (processamento de comando no CFC) não estão sujeitos à autoridade de chaveamento e estão dessa forma."DIGSI not registered") Intertravado 2) . sempre habilitados."DIGSI Não registrado" (Interlocked . também via entradas binárias e uma tecla de função. 326 SIPROTEC.Funções 2. após ter dado entrada na senha ou por meio de CFC."DIGSI not registered") Comando emitido com CS=LOCAL ou REMOTo Comando emitido com CS=DIGSI Status de Autoridade de Chaveamento Real LOCAL (ON) LOCAL (ON) Registrado REMOTO (OFF) Não registrado REMOTO (OFF) Registrado Habilitado (Enabled) 1) 2) 3) também "Habilitado" para: "Autoridade de Chaveamento LOCAL (verificação para status LOCAL): n" também "Habilitado" para: "Autoridade de Chaveamento REMOTO (verificação para LOCAL. Publicação 05.

[ON]) pode ser ajustada: • diretamente. todos os objetos de comando sujeitos ao intertravamento são analisados para verificar se um comando está sendo processado. As condições de intertravamento podem ser programadas separadamente. assim como a verificação do estado de outros intertravamentos mecânicos no bay da subestação (por exemplo. Bloqueio de Ativação Dupla Operações paralelas de chaveamento são intertravadas. Os elementos de proteção são configurados separadamente para cada componente de chaveamento.2009 327 . As operações de chaveamento em progresso. Publicação 05. bloqueia as operações de chaveamento. serão imediatamente abortadas pelo pickup de um elemento de proteção.ou habilitado . para os controles CLOSE (FECHAR) e OPEN (ABRIR) do dispositivo. somente chave à terra se não houver tensão aplicada). enquanto que "Block TRIP commands" bloqueia os sinais de TRIP. o status real é escaneado ciclicamente. por exemplo) inclui a verificação de que as condições pré-determinadas da posição da chave são satisfatórias. REMOTO ou DIGSI) – travado ou – chaveamento destravado (não selado). – Para comandos de CFC (CS = Auto). Quando um comando de chaveamento é iniciado. A ativação da informação com os dados "switching device is interlocked (OFF/NV/FLT) or enabled (ON)" (“equipamento de chaveameto está intertravado [OFF/NV/FLT] . a desativação do intertravamento é conduzida via um comando de destravamento separado. Aqui. Zona Controlada / Intertravamento de Campo Zona controlada/ intertravamento de campo (via CFC. Assim que chega um comando. usando uma indicação de ponto-simples ou de ponto-duplo ou mensagem interna (tagging). ou • através de uma lógica de controle via CFC. para bloquear comandos específicos de chaveamento enviados na direção de CLOSE e de TRIP. Quando ativado. 7SJ80. "Block CLOSE commands" bloqueia os comandos CLOSE. favor observar as notas no manual CFC (componente: BOOL para comando). portas de compartimentos de alta tensão). Enquanto o comando está sendo executado. o intertravamento é permitido para outros comandos. SIPROTEC. chave à terra. para cada dispositivo de chaveamento.21 Controle do Disjuntor Os seguintes modos de chaveamento (REMOTO) são definidos: • Para REMOTO ou comandos DIGSI (CS = LOCAL. Uma atribuição é feita via "Release object CLOSE/OPEN". secionadora vs. prevenindo erros de chaveamento (por exemplo. Manual E50417-G1179-C343-A1.Funções 2. Bloqueio pela Proteção O pickup dos elementos de proteção. Intertravamento de Sistema O Controlador de Subestação (Intertravamento de Sistema) envolve condições de outros bays da subestação avaliados por um sistema central de controle.

após inserir a senha. o comando será recusado com a mensagem de operação "set condition equals actual condition" (“condição determinada igual à condição real”). ocorre internamente no dispositivo através do reconhecimento de intertravamento na tarefa de comando. Com a alocação correspondente (configuração) essas mensagens dão entrada na lista de eventos. 328 SIPROTEC.21 Controle do Disjuntor Verificação do Status do Dispositivo (determinada = real) Em comandos de chaveamento.2009 . servindo assim como relatório. ON – Ordem de serviço: comando de chaveamento para "Dispositivo de chaveamento" • Comando derivado via CFC (comando automático. consequentemente esta verificação não será efetuada. – Ordem de serviço: comando para objeto "Modo de chaveamento REMOTO". Isto significa que se um disjuntor já está na posição FECHADA e é feita uma tentativa de emissão de um comando de fechamento. via entrada binária e tecla de função.21.5 Registro de Comando Durante o processo dos comandos. Pré-requisitos Uma listagem de possíveis mensagens operacionais e seu significado assim como os tipos de comandos necessários para trip e fechamento dos equipamentos de chaveamento ou para o aumento ou diminuição dos taps de transformador estão descritas na Descrição do Sistema SIPOTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description). • REMOTO e DIGSI – Comandos emitidos por SICAM ou DIGSI são destravados por um modo REMOTO de chaveamento global. independente de aparecimento e processamento de outras mensagen. O destravamento só se aplica a uma operação de chaveamento e para comandos causados pela mesma fonte. 7SJ80. • SC=LOCAL – O usuário pode chavear entre os modos “interlocked“ (“intertravado”) ou “non-interlocked“(“não-intertravado”) (bypassado) no painel do operador. comandos e informações de feedback do processo são enviadas para um centro de processamento de mensagens. ou usando CFC.Funções 2. Essas mensagens tem informações sobre causas. Publicação 05. 2. SC=Auto SICAM): – comportamento configurado no bloco CFC ("BOOL para comando"). Manual E50417-G1179-C343-A1. Se o disjuntor/dispositivo de chaveamento estiver na posição intermediária. Para destravar deve ser enviada uma solicitação separada. ou globalmente pelos modos de chaveamento. é verificado se o dispositivo de chaveamento selecionado já está na posição determinada/desejada (ajustada/comparação real). “Bypassando” Intertravamento Bypassar os intertravamentos configurados no momento da ação de chaveamento.

O tempo de monitoramento é paralisado assim que chega a informação de feedback. Ao mesmo tempo em que o comando é enviado.21 Controle do Disjuntor 2. Se não chegar nenhuma informação de feedback. Comandos e informações de feedback são também gravados na lista de eventos. Esse tempo controla se o dispositivo atinge o resultado final requerido dentro do tempo de monitoramento. uma resposta “ Tempo de Monitoramento de Comando Expirado” (“Timeout Command Monitoring Tme” ) aparece e o processo é finalizado.5. Monitoramento das Informações de Feedback Os comandos de processamento monitoram a execução do comando e o tempo da informação de feedback para todos os comandos.Funções 2. o reconhecimento de comandos não é executado por uma indicação de resposta como é feito com o comando local. Saída de Comandos e Relés de Chaveamento Os tipos de comandos necessários para trip e fechamento de equipamento de chaveamento ou para o aumento ou diminuição de taps do transformador estão descritos na seção de configuração na “Descrição do Sistema SIPROTEC 4 /1/ ( SIPROTEC 4 System Description /1/) . 7SJ80.21. O comando foi como esperado. o tempo de monitoramento é iniciado (monitoramento da execução do comando). ou em outras palavras. no caso de comandos sem processo de informação de feedback. Normalmente a execução de comando é finalizada assim que chega a informação de feedback (FB+) da chave relevante ou. são transformadas em uma resposta correspondente e exibidas no display do dispositivo. é reenviada ao ponto inicial. positivo. independente do encaminhamento (configuração da interface serial digital). O sinal "menos" é uma confirmação negativa e significa que o comando não foi executado como esperado. Manual E50417-G1179-C343-A1. SIPROTEC. a saída de comando reseta e uma mensagem é emitida.1 Descrição Reconhecimento de Comandos no Frontal do Dispositivo Todas as mensagens com a fonte de comando LOCAL.2009 329 . O sinal "mais" aparecendo em uma informação de feedback confirma que o comando foi bem sucedido. Publicação 05. Portanto. mas sim por um comando simples e pela gravação de retorno da informação. Reconhecimento de Comandos para Local / Remoto / Digsi O reconhecimento de mensagens com fonte de comando Local/ Remoto/DIGSI.

Teclas combinadas com teclas numéricas para uma navegação mais rápida (por exemplo. uma segunda página é mostrada para a designação quando for necessário percorrê-las. As diferenças básicas do dispositivo com respeito à representação são as seguintes: A seleção atual é indicada pela representação inversa (não pelo prefixo >) 330 SIPROTEC. mantenha a tecla pressionada por cerca de 5 segundos. pressione repetidamente). Publicação 05.22 Notas na Operação do Dispositivo 2. Para ajuste do contraste.Funções 2. porém com 6 linhas. Essas diferenças são descritas a seguir. Sendo assim. O 7SJ80 usa as saídas do display gráfico. Fn + 1 mensagens operacionais) Navegação para o menu principal com Fn em combinação com a tecla numérica 0. descartando entradas Testando os LEDs Resetando a memória de LED e saídas binárias Tecla de função Fn para mostrar a designação das teclas de funções. um sinal negativo pode ser parametrizado para eles. Manual E50417-G1179-C343-A1. para cima: mais contraste). 2. Informações gerais quanto à operação e configuração dos dispositivos SIPROTEC 4 estão descritas na Descrição do Sistema SIPROTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description). Se um sinal negativo for permitido. navegando para trás nos menus. O sinal pode ser determinado via teclas de rolagem: para baixo = sinal negativo. Display A Descição do Sistema SIPROTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description) aplica-se para dispositivos com um display ASCII de 4 linhas. o prompt -/+ --> v/^ aparece na linha inferior quando da mudança do parâmetro. Ajuste o contraste no menu com as teclas de rolagem (para baixo: menos contraste. a representação poderia ser diferente das representações na Descrição do Sistema. Entada de Sinais Negativos Somente alguns parâmetros podem atingir um valor negativo.1 Operação Diferente Teclas dos Painéis de Controle Teclas Função/Significado Confirmando entradas e navegando para frente nos menus Navegando pelo menu principal (onde for necessário. Além disso.22. isto é. existem dispositivos com um display gráfico e tamanho de 30 linhas.22 Notas na Operação do Dispositivo A operação do dispositivo 7SJ80 difere levemente dos outros dispositivos SIPROTEC 4. Se várias teclas de função forem designadas. para cima = sinal positivo. 7SJ80.2009 .

2009 331 . o grupo de parâmetro ativo. por exemplo.22 Notas na Operação do Dispositivo Figura 2-117 Representação inversa da seleção atual Em parte. a sexta linha é usada para representação. Publicação 05. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. Figura 2-118 Representação do grupo de parâmetro ativo (linha 6) ■ SIPROTEC.Funções 2.

Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 .22 Notas na Operação do Dispositivo 332 SIPROTEC.Funções 2. 7SJ80.

3 3. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80.2 3. 3. transformador.Montagem e Comissionamento 3 Este capítulo é destinado para pessoal de comissionamento com experiência.4 Montagem e Conexões Verificação de Conexões Comisionamento Preparação Final do Dispositivo 334 351 356 379 SIPROTEC. gerenciamento de sistemas de potência e com as regras e normas de segurança.2009 333 . Devem estar familiarizados com o comissionamento de sistemas de controle e proteção.1 3. Os testes primários requerem que o objeto protegido (linha. Ajustes do hardware para os dados do sistema de potência podem ser necessários. Publicação 05. etc) esteja sob carga.

3ph = Van. IEC. estão decritas na Descrição do Sistema SIPROTEC 4. As conexões à instalação são dependentes dessa configuração. 3. Vbn. o endereço 213 deve ser ajustado para Vab.3.2. A conexão normal é ajustada no endereço 213 VT Connect. isto é. Um outro exemplo mostra o modo de conexão 213 = Vab. Manual E50417-G1179-C343-A1. É de particular importância a instalação geral e as normas de segurança para trabalho em ambiente de altatensão (por exemplo. o endereço 213 VT Connect.1 Geral Montagem e Conexões ADVERTÊNCIA! Advertência com o transporte. Exemplos de Conexão de Tensão Exemplos de conexão para transformadores de potencial estão fornecidos no Apêndice A. o procedimento para a adaptação individual às condições da instalação. Ao conectar ligação delta aberto do ajuste do transformador de potencial. riscos pessoais ou sérios danos materiais.1 Informações de Configuração Pré-requisitos Para a instalação e conexões as seguintes condições devem ser atingidas: Os dados nominais do dispositivo foram verificados como recomendado na Descrição do Sistema SIPROTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description). EN. A tensão conectada para o terceiro transformador Vx. 334 SIPROTEC.2009 . Favor verificar também se as tiras de identificação (rótulos) no painel frontal. existem exemplos para os modos de conexão Vab. Além disso. Vbc.1 Montagem e Conexões 3. O uso seguro e isento de problemas desse dispositivo depende do transporte. ou outras nacionais e internacionais). Vx. 7SJ80. 3ph deve estar ajustado para Vab.2) correspondem com as conexões. de acordo com as advertências deste manual.1. VSyn. Para a função synchrocheck. correspondem às mensagens de funções configuradas. Vbc. instalação ou montagem inadequada do dispositivo.1. Essas normas devem ser observadas. VGnd.3.3. Vbc e Vph-g. armazenamento. DIN. VSyn or Vph-g. Foi verificado que esses dados estão de acordo com os dados do sistema de potência. Vbc. Entradas e Saídas Binárias As opções de configuração das entradas e saídas binárias. Os pré-ajustes do dispositivo estão listados no Apêndice A. instalação e montagem do dispositivo. armazenamento. Deve ser verificado se a configuração do “Dados do Sistema de Potência 1” ( Power System Data 1) (Seção 2. Exemplos de conexões para os circuitos transformadores de corrente e potencial são fornecidos no Apêndice A. Diagramas Gerais Diagramas de bloco para a designação dos terminais do 7SJ80 estão mostrados no Apêndice A. normas ANSI.Montagem e Comissionamento 3.5. VSyn. A falha na observação dessas precauções pode resultar em morte. Publicação 05. Vcn. só é usada pelas funções de proteção flexíveis.

Onde: não = sim = Tabela 3-1 não energizado ou não conectado energiza Mudança de grupos de ajuste usando entradas binárias Entrada Binária >Bit 0 de Grupo de >Bit 1 de Grupo de Ajuste Ajuste Não Sim Não Sim Não Não Sim Sim Grupo A Grupo B Grupo C Grupo D Grupo Ativo Figura 3-1 Diagrama de conexão (exemplo) troca de grupo de ajuste. quando quatro grupos tiverem de ser trocados.2009 335 . Uma entrada binária deve ser ajustada para “>Set Group Bit0“.Montagem e Comissionamento 3. • Para o controle de 2 grupos de ajuste. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. está ilustrado na figura seguinte. A tabela seguinte mostra a alocação das entradas binárias para os grupos de ajuste A a D. uma entrada binária é suficiente. Se uma destas funções de entrada não estiver designada.1 Montagem e Conexões Função de Mudança de Grupo de Ajuste Se forem usadas entradas binárias para mudar os grupos de ajuste. 7SJ80. por favor observe o seguinte: • Duas entradas binárias devem ser dedicadas ao propósito de mudar de grupos de ajuste. e um diagrama simplificado de conexão para as duas entradas binárias. já que a entrada binária não designada “>Set Group Bit1“ é então considerada como não conectada. A figura mostra um exemplo no qual ambos os Bits 0 e 1 do Grupo de Ajuste estão configurados para serem controlados (acionados). usando entradas binárias SIPROTEC. de forma que o grupo de ajuste selecionado esteja e permaneça ativo. então ela é considerada como não controlada. • Os sinais de controle devem estar permanentemente ativos. a outra entrada para “>Set Group Bit1“. “>Set Group Bit0“. quando a entrada binária associada está energizada (alta). isto é.

Manual E50417-G1179-C343-A1. um resistor R de bypass deve ser usado (veja a figura seguinte).Montagem e Comissionamento 3.1 Montagem e Conexões Supervisão do Circuito de Trip 74TC Por favor observe que duas entradas binárias ou uma entrada binária e um resistor R de bypass devem ser conectados em série. Se for usada uma entrada binária. O valor desse resistor deve ser tal que na condição de disjuntor aberto (sendo asim. permanecer substancialmente abaixo da metade da tensão DC nominal de controle. Aux1 está aberto e Aux2 está fechado) a bobina de trip do disjuntor (TC) não esteja mais energizada e a entrada binária (EB1) esteja ainda energizada se o contato do relé de comando está aberto. Publicação 05. O resistor R é inserido no circuito do contato Aux2 auxiliar do disjuntor para facilitar a detecção de um mau funcionamento e também quando o contato Aux1 auxiliar do disjuntor tenha fornecido dropout. Figura 3-2 Supervisão do circuito de trip com uma entrada binária 336 SIPROTEC.2009 . portanto. 7SJ80. O limite de pick-up das entradas binárias deve.

BI 19V são possíveis.1 Montagem e Conexões Isso resulta em um limite superior para dimensionar a resistência. BI 88V.2009 337 . Rmax. Rmax é derivado como: Assim. Thresh. Thresh. a resistência: SIPROTEC. e um limite inferior Rmin. BI 176V. Rmin é derivada como: IBI (ALTA) VBI min Corrente constante com BI ativada ( = 0. 7SJ80.25 mA) Mínima tensão de controle para BI (= 19 V em ajuste de fábrica para tensões nominais de 24 V/ 48 V.Montagem e Comissionamento 3. a bobina de trip do disjuntor não permanece energizda no caso acima. do qual o valor ótimo da média aritmética R deverá ser selecionado: Para que a tensão mínima para controlar a entrada binária seja assegurada. Esse limite é determinado via parâmetros 220 Threshold BI 1 a 226 Threshold BI 7 Os ajustes Thresh. Para o consumo de potência. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. o cálculo deve ser repetido com o mais próximo menor limite VBI min. 88 V em ajuste de fábrica para tensões nominais de 60 V/ 110 V/ 125 V/ 220 V/ 250 V) Tensão de controle para circuito de trip Resistência Ôhmica para a bobina do disjuntor Tensão máxima na bobina do disjuntor que não conduz ao trip VCTR RCBTC VCBTC (BAIXA) Se o cálculo tem resultado Rmax < Rmin.

aplica-se o seguinte para a potência: 338 SIPROTEC.25 mA (do SIPROTEC® 4 7SJ80) 19 V no ajuste de fábrica para tensões nominais de 24 V/ 48 V. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 . Publicação 05.Montagem e Comissionamento 3. 88 V no ajuste de fábrica para tensões nominais de 60 V/ 110 V/ 125 V/ 220 V/ 250 V) 110 V (do sistema / circuito de trip) 500 Ω (do sistema / circuito de trip) 2 V (do sistema / circuito de trip) O mais próximo valor padrão 200 kΩ é selecionado.1 Montagem e Conexões Exemplo IBI (ALTA) VBI min VCTR RCBTC VCBTC (BAIXA) 0. 7SJ80.

7SJ80. Se isso não for observado.). • um soquete de 5 mm (0. uma carga eletrostática poderá ser descarregada pelo toque em partes de metal aterradas.20 pol) ou chave de boca. • uma chave Philips tamanho 1. Adicionalmente. roupa adequada ESD. Nota Além dos módulos de comunicação e do fusível. SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1.20-0. remova-o primeiramente da instalação da subestação. não existem outros componentes para serem configurados ou operados pelo usuário dentro do dispositivo.1 Montagem e Conexões 3. Publicação 05. Nota Para uso do dispositivo todos os blocos de terminais devem estar plugados.1. Cuidado! Tenha em mente as descargas eletrostáticas! A falha quanto a essas precuções pode resultar em riscos físicos ou danos materiais. Recomendamos equipamento de proteção ESD (Cinta de aterramento.24 pol). Quaisquer atividades de serviço excedendo à instalação ou troca dos módulos de comunicação só devem ser executadas pelo pessoal da Siemens. etc. Para desmontar o dispositivo. as linhas de comunicação e/ou o dispositivo podem ser destruidos. Para preparação da área de trabalho. Nota O seguinte deve ser rigorosamente observado: Desconecte as conexões de comunicação na parte inferior do dispostivo (portas A e B). são necessárias as seguintes ferramentas: • uma chave de fenda com lâmina ampla de 5 a 6 mm (0. sapatos de aterramento condutivo. execute as instruções estabelecidas nas Seções Montagem Semi-embutida em Painel.1 Desmontagem Trabalho nas Placas de Circuito Impresso Nota Antes da execução dos passos seguintes assegure que o dispositivo não está em operação.2. uma manta adequada para dispositivos sensíveis à eletrostática (ESD) é requerida. Devem ser evitadas quaisquer descargas eletrostáticas ao trabalhar nos blocos eletrônicos.Montagem e Comissionamento 3. Para fazer isso.2009 339 .2 Modificações do Harware 3. Montagem Sobreposta em Painel ou Montagem em Cubículo na ordem reversa.1. Caso contrário.

Assim. superior e inferior. Nota Se você não tiver removido os blocos terminais do painel traseiro. abra as presilhas elásticas dos blocos terminais aos pares com uma chave de fenda plana e remova os blocos terminais para a parte traseira. solte também os quatro parafusos embutidos que fixam a cobertura do módulo na parte inferior do dispositivo. Somente agora. Solte todos os parafusos existentes que fixam os módulos de comunicação na cobertura do módulo na parte inferior do dispositivo. Montagem Sobreposta em Painel ou Montagem em Cubículo). 7SJ80. desparafuse os dois parafusos da parte superior e inferior da cobertura e cuidadosamente remova o bloco eletrônico da caixa (Figura 3-3). recomendamos remover os blocos terminais antes da remoção do bloco eletrônico. será necessário muito mais força para remover e reinstalar o bloco eletrônico. remova completamente os blocos terminais conectados do dispositivo. completamente soltos. Remova a cobertura do módulo do dispositivo cuidadosa e completamente. o que pode causar danos ao equipamento. insira de volta os blocos terminais no dispositivo como terminais montados (Seções Montagem Semi-Embutida em Painel.2009 . tornam-se acessíveis cada um dos parafusos na parte superior e na parte inferior. Figura 3-3 Bloco eletrônico sem a caixa 340 SIPROTEC. Primeiramente. Desparafuse os três parafusos escareados em ambos os lados da cobertura frontal.Montagem e Comissionamento 3. Sendo assim.1 Montagem e Conexões Nota Para minimizar custos de reconexão do dispositivo. Para fazer isso. Manual E50417-G1179-C343-A1. somente desaperte o parafuso inferior até que sua extremidade não mais apareça na rosca da presilha de montagem (os parafusos são cativos. eles permanecem na cobertura frontal mesmo quando desparafusados). Então. Publicação 05. Para instalar ou trocar os módulos de comunicação ou para substituir o fusível proceda como a seguir: Remova as duas tampas. Quando reinstalar o dispositivo.

Montagem e Comissionamento 3.79 pol) fusível de segurança Característica T Corrente nominal de 2. Figura 3-4 Colocando o fusível Remova o fusível defeituoso. Manual E50417-G1179-C343-A1. SIPROTEC. Esses dados se aplicam a todos os tipos de dispositivos (24/48 V e 60 V – 250 V). Se houver novo trip do fusível após a reconexão do dispositivo. Publicação 05. O dispositivo pode agora ser montado novamente (veja Seção Remontagem).2009 341 . abstenha-se de quaisquer outros reparos e envie o dispositivo para reparos pela Siemens.0 A Tensão nominal de 250 V Capacidade de comutação 1500 A / DC 300 V Só devem ser usados fusíveis com aprovação UL.20*0. Assegure-se de que o fusível com defeito não tenha ocasionado qualquer dano óbvio ao dispositivo.1 Montagem e Conexões Substituindo o Fusível O fusível está localizado na borda da placa básica I/O próximo à conexão da fonte de alimentação. Insira o novo fusível com os seguintes dados técnicos na caixa de fusível: 5 mm x 20 mm (0. 7SJ80.

Manual E50417-G1179-C343-A1. Eles tem uma liga resistente à fadiga. Publicação 05. PZ2 é recomendada. Recomendamos olhal com as seguintes dimensões: Figura 3-5 Olhal Para satisfazer as distâncias de isolação requeridas. devem ser usados olhais isolados. Recomendamos olhais da linha PIDG da Tyco Electronics.1. puxando a isolação do fio encolhida sobre essa zona).20 x 0. Somente fios de cobre podem ser usados.2.0 mm / 0.039 in) ou uma chave de fenda crosstip (PZ2).1 Montagem e Conexões 3. 7SJ80. quebra e corrosão.Montagem e Comissionamento 3. Figura 3-6 Conexão de transformador de corrente 342 SIPROTEC.2009 .2 Conexões dos Terminais de Corrente Elementos de Fixação Os elementos de fixação para a conexão do transformador são parte do terminal de corrente (lado da caixa).5 x 1. Terminais de Cabos e Seções Transversais de Fiação Existem duas opções de conexões de fios simples e conexão com olhal. Dois olhais podem ser montados por conexão. a zona em que o fio é prensado tem que estar isolada com meios correspondentes (por exemplo. A forma da cabeça do terminal permite o uso de chave de fenda plana (5. Caso contrário.

Alternativamente.2009 343 . Para a conexão de dois fios simples recomendamos o uso de conectores gêmeos. Com pontos terminais dispostos verticalmente.5-2.2. Quando conectar fios simples. PZ1 é recomendada. SIPROTEC. Bornes do Cabo e Seções Transversais dos Fios O modo de conexão disponível é a conexão como fio simples. Publicação 05.1.3 Conexões dos Terminais de Tensão Elementos de Fixação Os elementos de fixação para a conexão do transformador de potencial são parte do terminal de tensão (lado da caixa).031 in) ou de uma chave de fenda crosstip (PZ1). o torque de pressão máximo é de 2 Nm 80 N baseado em IEC 60947-1 (VDE 660.8 / 0.5 mm2) 12 mm (0.59 pol) Somente fios de cobre podem ser usados. quebra e corrosão.0-4.0 x 0. podem ser usados.Montagem e Comissionamento 3. Recomendamos conectores gêmeos da linha PN 966 144 da Tyco Electronics. condutores simples e links de curto-circuito (Nº de pedido C73334A-1C-94-1) podem ser conectados em conjunto. Quando conectar ligações simples. Parte100) 3. Até duas ligações simples com seções transversais idênticas podem ser usadas por conexão. condutores sólidos assim como conectores podem ser usados.47 pol) Somente fios de cobre podem ser usados. Requerimentos Mecânicos Os elementos de fixação e os componentes conectados estão designados para os seguintes requerimentos mecânicos: Toque de pressão permissível no terminal parafusado Tração permissível por condutor conectado 2. 7SJ80. são permitidas as seguintes seções transversais: Seção transversal do fio: Comprimento do descascado: (quando usado sem conector) AWG 14-10 (2.7 Nm. somente olhais são permitidos. Assegure-se de que os links de curto-circuito estejam conectados em lados alternados. Manual E50417-G1179-C343-A1. links de curto-circuito (Nº de Pedido C73334A-1C-93-1) podem ser usados para pontos terminais dispostos verticalmente. Eles têm uma liga resistente à fadiga. Como fios simples. condutores sólidos assim como condutores blindados com ou sem conectores.16 x 0.0 mm2) 15 mm (0. A forma da cabeça do parafuso terminal permite o uso de chave de fenda plana (4.1 Montagem e Conexões Como ligações simples. as seguintes seções transversais são permitidas: Seções Transversais dos Fios: Comprimento do descascado: (quando usado sem conector) AWG 20-14 (0. Se as ligações de curto-circuito forem usadas. com condutores sólidos.

2. ligação de jumpers) .2009 .1 Montagem e Conexões Requerimentos Mecânicos Os elementos de fixação e os componentes conectados estão designados para os seguintes requerimentos mecânicos: Torque de pressão permissível no terminal parafusado Tração permissível por condutor conector 1.4 Módulos de Interface Geral O relé 7SJ80 é fornecido com interfaces pré-configuradas de acordo com MLFB. exceto para instalação ou substituição de módulos de comunicação. Este parâmetro só está visível se o dígito 11º do MLFB foi selecionado para 1 para RS232.0 Nm 50 N baseado em IEC 60947-1 (VDE 660.Montagem e Comissionamento 3. RS485 e óticos pode ser definido via parâmetro 617 ServiProt. Você não precisa fazer qualquer adaptação ao hardware (por exemplo. este terá de ser removido antes da instalação do módulo interface Ethernet (veja abaixo). Instalação e Substituição do Módulo Interface Ethernet O seguinte requerimento deve ser preenchido: Não há módulo de comunicação SIPROTEC 4 já montado. Publicação 05. O módulo pode agora ser inserido verticalmente até que pare a tração. Parte 100) 3. 7SJ80. O módulo interface Ethernet está inserido no slot respectivo. isto é. levemente inclinado em relação à placa básica I/O. a placa de suporte é pressionada na área de travamento do engate até que a borda superior da placa de circuito impresso do módulo interface Ethernet prenda na fenda de travamento. 2 para RS485 ou 3 para ótica. acima da parte traseira da caixa da bateria. O módulo está anexado ao conector de plugue de 50 polos do módulo da CPU. Em seguida.1. mais adequado pela abertura inferior. A placa de suporte está levemente tracionada nessa área. Caso contrário. Manual E50417-G1179-C343-A1. Figura 3-7 Instalação da interface Ethernet 344 SIPROTEC. O uso dos módulos interface RS232.

Assim. O terminal oposto do módulo é inserido com a mesma orientação na abertura da janela. A direção da inserção não é arbitrária. Publicação 05. o dispositivo pode ser novamente montado (veja Seção Remontagem).Montagem e Comissionamento 3. O alinhamento deve ser verificado via abertura na parte inferior do rack. Caso contrário. Manual E50417-G1179-C343-A1.1 Montagem e Conexões Agora. Instalação ou Substituição de um Módulo de Comunicação SIPROTEC 4 A descrição seguinte assume uma caixa normal em que um módulo de comunicação SIPROTEC 4 que ainda não esteja presente seja instalado. Figura 3-8 Installação de um módulo de comunicação SIPROTEC 4 O dispositivo pode agora ser remontado (veja Seção Remontagem). O módulo é preso por sua presilha de montagem. O módulo de comunicação SIPROTEC 4 é inserido via a ampla janela na placa de suporte plástica. SIPROTEC. Assim. 7SJ80. mesmo o elemento de conexão mais longo do módulo de comunicação pode ser movido nesse espaço entre a parte do reforço inferior da placa de suporte e a fenda de travamento na direção do módulo transformador.2009 345 . Nota A instalação só pode ser executada exclusivamente ou após a instalação do módulo Ethernet. sob a placa de suporte e qualquer extensão I/O existente. A presilha de montagem do módulo é agora alinhada até parar na direção do reforço da placa de suporte mais baixa. A presilha do módulo está voltada para a fenda de travamento do módulo Ethernet na placa de suporte. Se um módulo de comunicação SIPROTEC 4 tiver de ser removido ou substituido os passos deverão ser executados na ordem inversa. o módulo de comunicação SIPROTEC 4 pode ser instalado (veja Seção Instalação ou Substituição de um Módulo de Comunicação SIPROTEC 4). o plug conector de 60 polos no módulo e a placa básica I/O estão alinhadas no topo de cada uma.

Favor observar o seguinte: As conexões dos módulos de comunicação apontam para a parte inferior da caixa. 7SJ80. Essas conexões estão localizadas no lado da placa de circuito impresso apontando para a parte inferior do dispositivo.39 pol).5 Remontagem A remontagem do dispositivo é executada nos seguintes passos: Insira cuidadosamente o bloco eletrônico na caixa. Se não existir módulo de comunicação. Agora instale o dispositivo de acordo com as Seções Montagem Semi-embutida em Painel. Publicação 05.1 Montagem e Conexões 3. Manual E50417-G1179-C343-A1. Montagem Sobreposta em Painel ou Montagem em Cubículo. As duas coberturas podem ser novamente inseridas tanto agora. a cobertura frontal deve deslizar na caixa de tal forma que as molas de contato dentro da cobertura se apoiem contra o tubo da caixa e a cobertura plástica envolva o tubo da caixa pelo lado exterior.2. Fixe a cobertura frontal à caixa com dois parafusos médios no topo e na parte de baixo da cobertura frontal.1. oriente a si mesmo para as conexões para o terminal de corrente. No último bit (cerca de 1 cm / 0.Montagem e Comissionamento 3. Nota Insira os blocos terminais de corrente e tensão novamente e trave-os no lugar! 346 SIPROTEC. quanto após a reinstalação do dispositivo.2009 .

3 Instalação 3.3. Figura 3-9 Caixa com tampas Figura 3-10 Caixa com furos de fixação (sem tampas) SIPROTEC.1.1 Montagem e Conexões 3. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. 7SJ80.2009 347 .1 Geral O relé 7SJ80 tem uma caixa tamanho 1/6.Montagem e Comissionamento 3.(veja Figura 3-9 e Figura 3-10). A caixa tem 2 coberturas e 4 furos de fixação no topo e na parte de baixo.1.

2009 .Montagem e Comissionamento 3. conforme a Descrição do Sistema do SIPROTEC 4. Deste modo. devem ser rigorosamente observados. de acordo com o diagrama de circuito. deve corresponder à seção transversal máxima conectada. na parte traseira do dispositivo. e os detalhes da técnica de conexão dos terminais de tensão.3. • Recoloque as 2 tampas. Os detalhes da técnica de conexão dos módulos de comunicação na parte inferior do dispositivo (porta A e porta B).1. • As conexões devem ser estabilizadas pelos terminais olhal. 7SJ80. 4 furos alongados no suporte de montagem são revelados e podem ser acessados.22.5 mm2. na parte de baixo do dispositivo. • Insira o dispositivo no corte do painel e prenda-o com quatro parafusos.1 Montagem e Conexões 3. Publicação 05. na parte traseira do dispositivo nas Seções “Conexões de Terminais de Corrente” e “Conexões dos Terminais de Tensão”. • Conecte um sólido aterramento baixo-ôhmico para proteção e operação.2 Montagem Semi-Embutida em Painel A caixa (tamanho 1/6) tem duas tampas e 4 furos de fixação. • Remova as 2 tampas de cima e de baixo da cobertura frontal. mas deve ser no mínimo de 2. Figura 3-11 Montagem embutida em painel de um 7SJ80 348 SIPROTEC. Veja desenhos dimensionais na Seção 4. Manual E50417-G1179-C343-A1. A seção transversal do cabo usado.

Montagem e Comissionamento 3. Os códigos de pedido estão determinados no Apêndice.3 Montagem em Cubículo Para instalar o dispositivo em um rack ou cubículo. conforme a Descrição do Sistema do SIPROTEC 4.2009 349 . • Prenda o dispositivo nos trilhos angulares com 4 parafusos. na parte traseira do dispositivo nas Seções “Conexões de Terminais de Corrente” e “Conexões dos Terminais de Tensão”. mas deve ser no mínimo de 2. são necessários dois suportes de montagem. A seção transversal do cabo usado. no painel traseiro do dispositivo. • Parafuse levemente os dois trilhos angulares no rack ou cubículo com 4 parafusos cada. Figura 3-12 Exemplo de uma instalação de um 7SJ80 em um rack ou cubículo SIPROTEC. e os detalhes da técnica de conexão dos terminais de tensão. Publicação 05. • Monte as 2 tampas novamente. de acordo com o diagrama de circuito. devem ser rigorosamente observados. • As conexões devem ser estabilizadas pelos terminais olhal.1. na parte de baixo do dispositivo.5 mm2. • Aperte os 8 parafusos dos trilhos angulares no rack ou cubículo. Seção A. revelam-se 4 furos alongados no suporte de montagem que podem ser acessados. Os detalhes da técnica de conexão dos módulos de comunicação na parte inferior do dispositivo (porta A e porta B). 7SJ80. A caixa (tamanho 1/6) tem 2 tampas e 4 furos de fixação. • Remova as 2 tampas da parte de cima e de baixo da cobertura frontal. • Conecte um sólido aterramento baixo-ôhmico para proteção e operação.1. Deste modo. Manual E50417-G1179-C343-A1.1 Montagem e Conexões 3. deve corresponder à seção transversal máxima conectada.3.

Figura 3-13 Trilhos de montagem para a montagem sobreposta em painel 350 SIPROTEC.4 Montagem Sobreposta em Painel Quando solicitado um dispositivo com caixa para montagem sobreposta. mas deve ser no mínimo de 2. no painel traseiro do dispositivo. na parte traseira do dispositivo nas Seções “Conexões de Terminais de Corrente” e “Conexões dos Terminais de Tensão”. Os detalhes da técnica de conexão dos módulos de comunicação na parte inferior do dispositivo (porta A e porta B). • Conecte um sólido aterramento de baixa resistência de proteção e operação no terminal aterrado do dispositivo. conforme a Descrição do Sistema do SIPROTEC 4. devem ser rigorosamente observados. Seção 4. o quadro de montagem mostrado abaixo é escopo da entrega: Para instalação.2009 . de acordo com o diagrama de circuito. Veja desenhos dimensionais em Dados Técnicos. (9º dígito do MLFB = B).1. instale os fios dos blocos terminais e então prenda-os novamente.22. • Afrouxe os blocos terminais para a ligação elétrica. destina-se à conexão do cabo e pode ser apontado para cima ou para baixo. proceda da seguinte forma: • Faça os furos no painel de controle. • Aperte o quadro de montagem com 4 parafusos no painel de controle (o lado aberto contínuo do quadro de montagem. • Insira o dispositivo no quadro de montagem (certifique-se de que não haja cabos comprimidos). A seção transversal do cabo usado deve corresponder à seção transversal máxima conectada.3. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. de acordo com a especificação do cliente). • Prenda o dispositivo no quadro de montagem com 4 parafusos.5 mm2. • As conexões devem ser estabelecidas pelos terminais olhal. e os detalhes da técnica de conexão dos terminais de tensão.1 Montagem e Conexões 3. 7SJ80. para o quadro de montagem.Montagem e Comissionamento 3.

2 3. 7SJ80.2 Verificação de Conexões 3. Manual E50417-G1179-C343-A1. A posição das conexões pode ser vista nas figuras seguintes: Figura 3-14 Interface USB frontal Figura 3-15 Conexões Ethernet na parte inferior do dispositivo Figura 3-16 Interface serial na parte inferior do dispositivo SIPROTEC. Publicação 05.Montagem e Comissionamento 3.2009 351 .2.1 Verificação de Conexões Verificação de Conexões de Dados das Interfaces Designação de Pinos As tabelas seguintes mostram a designação de pinos das várias interfaces.

352 SIPROTEC. É importante verificar visualmente a designação dos canais de transmissão e de recepção.Montagem e Comissionamento 3. 7SJ80. Para a comunicação. é usado o driver USB Windows da Microsoft que é instalado junto com DIGSI (conforme a Versão V4. cada conexão é dedicada a uma direção de transmissão. Manual E50417-G1179-C343-A1. A interface é instalada como uma porta serial COM virtual.82).2009 . Com as interfaces RS232 e de fibra ótica. Tabela 3-3 1 2 3 4 5 6 7 8 Designação do soquete da porta A Pino No. as conexões de dados devem ser verificadas.2 Verificação de Conexões Interface USB A interface USB pode ser usada para estabelecer uma conexão entre o dispositivo de proteção e o seu PC. Tabela 3-2 Pino No. Por essa razão. os dados de saída de um dispositivo devem ser conectados com as entradas de dados do outro dispositivo e vice-versa. a conexão de dados deve ser verificada. Recomendamos o uso de cabos USB padrão com um comprimento máximo de 5 m / 16 ft. Publicação 05. USB Designação do soquete USB 1 VBUS (não usado) D2 D+ 3 GND 4 Carcaça Blindada Conexões na porta A Se a interface for usada para comunicação com o dispositivo. Tx+ TxRx+ — — Rx— — Interface Ethernet Conexões na porta B Quando uma interface serial do dispositivo é conectada com um centro de controle.

não são afetados por interferência. use o programa de operação DIGSI. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 1) Designação dos soquetes da porta B RS232 RS485 Profibus DP. as conexões são designadas de acordo com DIN 66020 e ISO 2110: • TxD = Saída de dados • RxD = Entrada de dados • RTS = Solicitação para enviar • CTS = Livre para enviar • GND = Sinal/Terra do Chassi A blindagem do cabo deve ser aterrada nas duas extremidades. As fibras garantem isolação elétrica entre as conexões. SIPROTEC. A conexão GND pode ser ligada por um par de fios separados blindados individualmente.2009 353 . quando operado como interface RS485.Montagem e Comissionamento 3.0 RS485 Blindado (conectado eletricamente encoberto com blindagem) RxD TxD – GND – RTS CTS – – A/A’ (RxD/TxDN) – C/C' (GND) – – 1) B/B’ (RxD/TxDP) – – B/B’ (RxD/TxD-P) CNTR-A (TTL) C/C' (GND) +5 V (carga máxima <100 mA) – A/A’ (RxD/TxD-N) – – A RTS (nível TTL) GND1 VCC1 – B – Ethernet EN 100 Tx+ Tx– Rx+ — — Rx– — — indisponível IEC 60870–5–103 redundante B/B’ (RxD/TxD-P) A/A’ (RxD/TxD-N) – – – – – – indisponível O Pino 7 também conduz o sinal RTS com o nível de RS232. para aumentar a imunidade contra interferência. RS485 Modbus RS485 DNP3. O Pino 7 não deve. ser conectado! Com cabos de dados. Cabos de Fibra Óptica ADVERTÊNCIA! Radiação de Laser! Não olhe diretamente nos elementos de fibra-ótica! Os sinais transmitidos por fibras óticas. Se o estado de caráter inativo tiver que ser alterado. portanto. As conexões de transmissão e recepção são representadas por símbolos. conforme definição na Descrição do Sistema SIPROTEC 4. O ajuste padrão do estado de caráter inativo para a interface de fibra ótica é “Light off“(Luz Apagada). 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.2 Verificação de Conexões Tabela 3-4 Pino No.

isto é. As conexões são verificadas com o dispositivo em sua localização final. Isso pode ser executado pela operação. Se a proteção de subtensão está configurada e habilitada no dispositivo e se. Para tornar o dispositivo configurável.2 Verificação de Conexões 3. somente pessoas qualificadas e familiarizadas com os procedimentos de segurança e medidas de precaução.Montagem e Comissionamento 3. Cuidado! Cuidado ao operar o dispositivo sem bateria em um carregador de bateria! A inobservância das seguintes medidas pode conduzir a tensões extraordinariamente altas e consequentemente. Proceda como segue para verificação das conexões do sistema: • Os disjuntores e fonte de alimentação auxiliar e tensão de medição devem estar abertos. Publicação 05. Seção 4. há pickup do dispositivo assim que a tensão auxiliar tiver sido conectada. Portanto. por exemplo. o pickup tem que ser parado. à destruição do dispositivo. a tensão de medição é conectada ou a proteção de tensão é bloqueada. desligada e aterrada.2 Verificação das Conexões do Sistema ADVERTÊNCIA! Advertência de tensões perigosas! A inobservância das seguintes medidas pode resultar em morte. 7SJ80. INs está correta (se usada)? – A polaridade da entrada de tensão V3 está correta (se usada.2. • Verifique a continuidade de todas as conexões de transformador de potencial e corrente do sistema e os diagramas de conexões: – Os transformadores de corrente estão aterrados adequadamente? – As polaridades das conexões dos transformadores de corrente são as mesmas? – A designação de fase dos transformadores de corrente está correta? – Os transformadores de potencial estão aterrados adequadamente? – As polaridades das conexões dos transformadores de potencial são as mesmas e estão corretas? – A designação de fase dos transformadores de potencial está correta? – A polaridade da entrada de corrente IN. (para valores limite veja também Dados Técnicos. para ligação delta aberto ou tensão de barramento)? 354 SIPROTEC. A instalação deve estar antes de tudo. ao mesmo tempo. Não opere o dispositivo em um carregador de bateria sem uma bateria conectada. devem executar os passos de inspeção. o critério de corrente está desabilitado. para minimizar unidade e evitar condensação. Manual E50417-G1179-C343-A1. ferimentos ou danos substânciais à propriedade. Antes do dispositivo ser energizado pela primeira vez.1). ele deverá estar no ambiente de operação final por pelo menos 2 horas para equalizar a temperatura.2009 . uma vez que nenhuma tensão de medição está disponível.

Se as tensões fase-seletivas no lado primário são conhecidas (usualmente a tensão nominal do sistema dividida por √3). Essa capacitância de entrada pode ser estimada em 2200 pF.A:C1 a 246 Volt. 7SJ80. SIPROTEC.trans. • Verifique as conexões de sinalização.„ “Medição de Tensão Capacitiva“). Valores de capacitância configuradas não exatos resultarão em desvios durante a medição da amplitude da tensão e ângulo de fase da tensão. suas funções também devem ser verificadas.1. Esses valores de capacitância são configurados via endereços de parâmetros 241 Volt. • Remova a tensão da fonte de alimentação abrindo as chaves de proteção. No caso de uma medição de tensão via capacitâncias através da alimentação (feedtrough).2.3. os valores para as capacitâncias C1 podem ser otimizados. a capacitância através da alimentação para o 7SJ80 deve estar exclusivamente disponível.2 Verificação de Conexões • Se a tensão de medição é conduzida via capacitâncias através da alimentação (feedtrough). • Abra as chaves de proteção dos transformadores de potencial e fonte de alimentação.3. o valor da capacitância da entrada de tensão tem que ser adicionado. estabeleça as conexões normais da fonte de alimentação. • Feche as chaves de proteção para os transformadores de potencial. • Verifique o trip e circuitos de fechamento dos disjuntores do sistema de potência. • Se usadas as chaves de teste pra o teste secundário do dispositivo. Uma explicação do procedimento para otimização das capacitâncias de entrada pode ser encontrada na Seção 2.Montagem e Comissionamento 3. • Desconecte o equipamento de teste de medição. por exemplo. • Ligue novamente o mini-disjuntor. o valor individual das capa-citâncias C1 e C2 para as três fases deve ser aproximadamente conhecida (veja também a Seção 2.2. se aplicável. O movimento transiente do amperímetro apenas indica a corrente de carga dos capacitores. CAPDIS não são permitidas. Os valores para as capacitâncias da linha (C2) -incluindo também a capacitância residual . O valor para as capacitâncias através da alimentação (C1) estão usualmente na faixa de 5 pF a 10 pF. • Aplique tensão à fonte de alimentação. em particular aquela em que a posição „Check“(“Verificar”) das linhas secundárias do transformador de corrente estão automaticamente curto-circuitadas. • A entrada de corrente deverá corresponder à entrada de potência na posição de neutro do dispositivo.dependem basicamente do tipo de cabo usado e comprimento do cabo para a conexão da tensão de medição. Os valores configurados de C2 também podem ser otimizados se os ângulos de fase entre as tensões fase-terra e as correntes de fase são conhecidos.1.5 A a 5 A para o medidor é a adequada. tais como. • Conecte um amperímetro no circuito de alimentação da fonte de alimentação.„Medição de Tensão Capacitiva“. Conexões paralelas. A corrente de estado estacionário medida deverá ser insignificante. • Verifique que a rotação de fase da tensão nos terminais do dispositivo esteja correta. Uma faixa de cerca de 2.C:C2 nos Dados do Sistema de Potência 1. a polaridade da tensão nos terminais do dispositivo ou nos módulos de conexão. verifique o nível de tensão e. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.2009 355 .trans. • Verifique se a ligação de controle para e de outros dispositivos está correta. • Ligue o mini-disjuntor para tensão auxiliar (proteção de alimentação. Ao entrar com o parâmetro para C2.

Manual E50417-G1179-C343-A1. estejam desconectadas do dispositivo. Elas devem estar completamente familiarizadas com todos os avisos e notificações de segurança deste manual de instrução. Curto-circuite os circuitos secundários do transformador de corrente. 7SJ80. a verificações de operação. Após o desligamento da tensão auxiliar.).Montagem e Comissionamento 3. Tensões perigosas podem existir em todos os componentes de chaveamento. ADVERTÊNCIA! Aviso de evolução de riscos causados por testes primários impróprios A inobservância das seguintes medidas pode resultar em morte. mesmo após a remoção da tensão de alimentação de energia (capacitores podem estar carregados ainda). Antes de fazer quaisquer conexões. Ao testar o dispositivo com equipamento de teste secundário. ferimentos ou danos substanciais à propriedade. Os valores limite fornecidos em Dados Técnicos (Capítulo 4). antes que as conexões de corrente para o dispositivo sejam abertas. certifique-se de que nenhuma outra grandeza de medição esteja conectada e que os circuitos de trip e de fechamento para o disjuntor e outras chaves primárias. com a operação da aparelhagem. Só é permitida a condução de testes primários por pessoal qualificado.2009 . Eles não se destinam. é que estas operações de chaveamento sejam executadas sem perigo. Tensões perigosas podem estar presentes no dispositivo. para que condições estáveis possam ser estabelecidas. PERIGO! Tensões perigosas durante interrupções em circuitos secundários de transformadores de corrente A inobservância das medidas seguintes resultará em morte.3 Comissionamento 3. Um pré-requisito para os testes determinados. riscos pessoais ou danos substanciais à propriedade.3 Comissionamento ADVERTÊNCIA! Advertência de tensões perigosas ao operar um dispositivo elétrico A inobservância das medidas seguintes pode resultar em morte. regras de segurança e medidas de precaução. Somente pessoas qualificadas deverão trabalhar próximas a este dispositivo. 356 SIPROTEC. que esteja familiarizado com o comissionamento de sistemas de proteção. portanto. com as normas de segurança e regulamentos (chaveamento. e também com as medidas de segurança apropriadas. Operações de chaveamento devem ser conduzidas durante o comissionamento. aterramento. etc. não podem ser excedidos nem durante testes e nem durante comissionamento. ferimentos severos ou danos substânciais à propriedade. o dispositivo deve ser aterrado no terminal condutor de proteção. conectados à alimentação de energia e aos circuitos de medição e de teste. Publicação 05. aguarde no mínimo 10 segundos antes de reconectar esta tensão.

Não os inspecione.1 Modo de Teste e Bloqueio de Transmissão Ativação e Desativação Se o dispositivo estiver conectado a uma central ou a um sistema principal de computador pela interface SCADA. tais como. a operação de DIGSI do dispositivo pode ser usada para testar se mensagens são transmitidas corretamente. que é usada para a comunicação com um centro de controle. 7SJ80. Por favor observe que quando DIGSI está sendo usado para edição do dispositivo. Equipamentos usados para permitir chaveamento.3 Comissionamento 3. SIPROTEC. só devem ser inspecionados durante comissionamento. Desse modo. durante o modo de teste. sob nenhuma circunstância. no modo de operação Online: • Abra o diretório Online com um duplo clique. esta opção de teste não deve.2009 357 .2 Teste da Interface do Sistema (na Porta B) Observações Preliminares Se o dispositivo apresenta uma interface de sistema. para que nenhuma anunciação seja transmitida pela interface do sistema. então a informação que é transmitida pode ser influenciada. ferimentos graves ou danos substanciais à propriedade. Nota Após o término do teste da interface do sistema. todos os buffers de anunciações serão apagados. Publicação 05. o programa deve estar no modo online para utilizar o recurso de teste. Além disso. o dispositivo irá recarregar. as mensagens enviadas por um dispositivo SIPROTEC 4 ao sistema principal. através da função de teste durante operação real. disjuntores ou secionadoras. ser usada enquanto o dispositivo está em serviço ou em um sistema ativo.3. Se o modo de teste está ligado. secionadoras. Se necessário. transmitindo ou recebendo mensagens pela interface do sistema.3. têm um bit adicional de teste. • Clique em Test. a seleção da função aparece na metade direita da tela. Manual E50417-G1179-C343-A1. Isto só é possível com alguns dos protocolos disponíveis (veja a Tabela “Funções dependentes de protocolo”. estes buffers devem ser extraidos com DIGSI. antes do teste. ele pode ser determinado pela ativação do bloqueio de transmissão. as funções de operação para o dispositivo aparecem. por exemplo). definitivamente. A caixa de diálogo Generate Indications abre (veja a figura seguinte). • Clique duas vezes em Generate Indications na visualização da lista.Montagem e Comissionamento 3. O Manual do Sistema SIPROTEC 4 descreve em detalhes como ativar e desativar o modo de teste e bloquear a transmissão de dados. através da função de teste A inobservância da medida seguinte resultará em morte. Porém. Este bit permite que as mensagens sejam reconhecidas como não resultantes de faltas reais.6). no Apêndice A. O teste de interface é conduzido usando DIGSI. 3. PERIGO! Evolução de perigo ao operar o equipamento (disjuntores.

A função da própria entrada binária é testada separadamente. 358 SIPROTEC. Dependendo do tipo de anunciação. podem ser iniciadas anunciações individuais.Montagem e Comissionamento 3.exemplo Mudando o Estado de Operação. Figura 3-17 Teste da interface com caixa de diálogo de criação de mensagens . Enquanto a janela permanecer aberta outros testes podem ser executados. os textos de apresentação de todas as indicações são exibidos. teste as opções na lista que aparece em SETPOINT Status: • Tenha certeza de que cada processo de inspeção seja conduzido cuidadosamente. sem causar nenhum perigo (veja acima em PERIGO!) • Clique em Send na função a ser testada e verifique se a informação transmitida alcança a estação central e apresenta a reação desejada. Publicação 05. quanto no sistema de controle da subestação. o usuário tem de definir o valor das mensagens a serem testadas. Ao clicar em um dos botões na coluna Action pela primeira vez.2009 . Saindo do Modo de Teste Para finalizar o Teste de Interface do Sistema. clique em Close. Na coluna SETPOINT Status. Manual E50417-G1179-C343-A1. A mensagem correspondente é emitida e pode ser lida tanto no registro de evento do dispositivo SIPROTEC 4. Dados que são normalmente ligados pelas entradas binárias (primeiro caractere “>“). são igualmente indicados para o sistema central de potência com este procedimento. mensagem “ON“ / mensagem “OFF“). você pode selecionar o valor desejado no menu. O dispositivo sai brevemente de serviço enquanto a rotina de inicialização é executada.3 Comissionamento Estrutura da Caixa de Diálogo de Teste Na coluna Indication. 7SJ80. clique no botão Send na linha correspondente. será solicitada a senha nº 6 (para menus de teste de hardware). os quais foram alocados na interface do sistema na matriz. são oferecidos vários campos de entrada (por exemplo. Após a entrada correta da senha. Teste na Direção de Mensagem Para toda informação que é transmitida para a estação central. Para isso. A caixa de diálogo fecha. Clicando em um dos campos.

pode ser mantido. uma interface deve ser selecionada para „11. Assim."Object properties.". o número de pedido (MFLB) não necessita ser mudado. 7SJ80.3: Seleção de protocolo Profibus DP (exemplo) SIPROTEC. porta A" (inferior frontal do dispositivo) via botão.0. deve ser estabelecido na caixa de diálogo "Additional information" a qual pode ser alcançada via tecla "L: . Manual E50417-G1179-C343-A1..Montagem e Comissionamento 3. O tipo de módulo de comunicação para a porta B.3. Verifique se a reação está correta! 3. Figura 3-18 DIGSI 4. todos os parâmetros previamente ajustados permanecem válidos para o dispositivo. port B" (inferior traseira do dispositivo) ou para „12. Na barra de propriedades "Communication modules".3 Configurando Módulos de Comunicação Ajustes Requeridos em DIGSI® 4 Em geral.2009 359 ..SIPROTEC 4 device" (veja Figura 3-18). No DIGSI 4 Manager." para abrir a caixa de diálogo "Properties . aplica-se o seguinte: No caso de uma primeira instalação ou substituição de um módulo de comunicação. Mudanças no DIGSI Manager Para que o dispositivo de proteção tenha acesso ao novo módulo de comunicação. addition L" deve ser selecionada para Profibus DP. a entrada "Additional protocols. Publicação 05. s. uma mudança tem de ser efetuada no ajuste do parâmetro dentro do Gerenciador DIGSI. selecione dispositivo SIPROTEC® em seu projeto e selecione o menu "Edit" .3 Comissionamento Teste na Direção de Comando A informação transmitida na direção do comando deve ser indicada pela estação central... Modbus ou DNP3.

Manual E50417-G1179-C343-A1.0 e VDEW Redundant.2009 .Montagem e Comissionamento 3.3 Comissionamento Arquivo de Mapeamento Para Profibus DP. um mapeamento de barramento adequado tem de ser selecionado. Modbus. A caixa de diálogo "Interface parameters" oferece os seguintes elementos de diálogo na barra de propriedades "Additional protocols on the device"(Protocolos Adicionais no Dispositivo) • Display do módulo de comunicação selecionado • A caixa de seleção "Mapping file" lista todos os arquivos de mapeamento Profibus DP. Após ter selecionado um novo arquivo de mapeamento. 7SJ80. Modbus. Publicação 05. favor verificar as alocações para “Interface do sistema alvo”(target system interface) ou "Interface do sistema fonte"(source system interface) na matriz de alocação DIGSI. com seus nomes e referência ao correspondente documento de mapeamento do barramento.3: Seleção de um arquivo de mapeamento e ajuste de parâmetros específicos do barramento Nota Se a designação do arquivo de mapeamento para um dispositivo SIPROTEC® tiver sido mudada. 360 SIPROTEC. favor abrir o dispositivo SIPROTEC® no DISGI e em “Parameter" selecione a função "Interfaces" (veja Figura 3-19). DNP3. Para seleção do arquivo de mapeamento.0 e VDEW Redundante disponíveis para o respectivo tipo de dispositivo. • Edite o campo "Module-specific settings”(Ajustes Específicos do Módulo) para mudança dos parãmetros específicos do barramento. DNP3. isso está usualmente ligado a uma mudança das alocações dos objetos SIPROTEC® à interface do sistema. Figura 3-19 DIGSI 4.

Publicação 05.com na área de download). A documentação dos mapeamentos de barramento individuais está disponível na Internet (www.specific settings) Edite o campo "Module-specific settings". Após ter selecionado o mapeamento de barramento. Favor executar somente as mudanças descritas na janela de ajustes e confirmar suas entradas com “OK”.siprotec. Favor selecionar o mapeamento de barramento correspondente para seus requerimentos. O tipo desse ajuste depende do protocolo usado e está descrito na documentação do protocolo. aparece na janela (Veja Figura 3-20). transfira os dados para o dispositivo de proteção (veja a figura seguinte). Manual E50417-G1179-C343-A1.Montagem e Comissionamento 3. SIPROTEC. 7SJ80. a área do arquivo de mapeamento na qual você pode fazer ajustes específicos do dispositivo. para mudanças só dos números nas linhas que não iniciam com "//" e observe o ponto e vírgula no fim das linhas. Figura 3-20 Ajustes específicos do módulo Então.2009 361 . Outras mudanças no campo edit podem conduzir a uma mensagem de erro.3 Comissionamento Campo de Edição "Ajustes Específicos do Módulo"(Module. quando fechar a caixa de diálogo "Interface parameters"(Parâmetros da Interface).

255./ Communication parameters / System interface [Ethernet]). portanto.xx.0.64..0. A interface Ethernet está pré-fixada com o seguinte endereço IP.0.168.168.3 Comissionamento Figura 3-21 Transmissão de dados Teste de Terminal A interface do sistema (EN 100) está pré-fixada com um valor padrão zero e o módulo.168.xx não está disponível Para subnet mask: 255.255.10 Máscara de rede: 255. a banda IP 1192.0 As seguintes restrições devem ser observadas: Para subnet mask: 255. a banda IP 192.xx não está disponível.0. 362 SIPROTEC.255.xx não está disponível Para subnet mask 255.255. está determinado no modo DHCP. 7SJ80. a banda IP 192.Montagem e Comissionamento 3.0. Manual E50417-G1179-C343-A1.168. Publicação 05.1.255.255.xx.xx não está disponível Para subnet mask: 255. e pode ser alterada a qualquer momento no dispositivo (DIGSI device processing / Parameters / Interfaces / Ethernet Service): Endereço IP: 192.2009 .xx.255. a banda IP 192.0.100.. O endereço IP pode ser designado no DIGSI Manager (Object properties.0.

saídas e LEDs de um dispositivo SIPROTEC 4. todos o buffers de anunciação serão apagados. com DIGSI. 7SJ80. Esta opção de teste. A caixa de diálogo de mesmo nome abre (veja a figura seguinte). disjuntores. O oposto do estado de cada elemento é mostrado na coluna Scheduled. podem ser controlados individualmente e de forma precisa. Nota Após o término dos testes de hardware. O equipamento usado para permitir chaveamento. contudo. Desse modo. estes buffers podem ser lidos com DIGSI e salvos antes do teste. • Duplo clique na lista em Hardware Test. durante uma operação real. Este recurso é usado para verificar fiação de controle. REL para relés de saída e LED para diodos emissores de luz. do dispositivo ao equipamento da instalação (verificações de operação) durante o comissionamento. transmitindo ou recebendo mensagens pela interface do sistema.4 Verificando o Status de Entradas e Saídas Binárias Observações Preliminares As entradas binárias. deve ser verificado somente durante o comissionamento.3. À esquerda de cada um desses grupos está um botão rotulado correspondente Com um duplo clique no botão. como disjuntores ou chaves seccionadoras.2009 363 . Os estados reais físicos das entradas e saídas binárias são indicados por uma símbolo de chave aberta ou fechada. A indicação é feita por meio de símbolos. ferimentos graves ou danos substanciais à propriedade. • Clique em Test. definitivamente. o dispositivo reiniciará. chaves seccionadoras) por meio da função de teste A inobservância da seguinte medida. Publicação 05. SIPROTEC. no modo de operação Online: • Abra o diretório Online com dois cliques. Estrutura da Caixa de Diálogo Teste A caixa de diálogo está classificada em três grupos: BI para entradas binárias. Na coluna Status o estado atual (físico) do componente do hardware é mostrado. a seleção da função aparece na metade direita da tela. os LEDs por um símbolo de LED iluminado ou apagado. informações com respeito ao grupo associado podem ser mostradas ou ocultadas. Se necessário. PERIGO! Evolução de perigo ao operar equipamento (por exemplo.3 Comissionamento 3. Sob nenhuma circunstância inspecione-o através da função de teste. resultará em morte.Montagem e Comissionamento 3. A coluna mais à direita indica os comandos ou mensagens que estão configuradas (configurados na matriz) para os componentes do hardware. enquanto o dispositivo estiver em operação “real”. O teste de hardware pode ser conduzido usando DIGSI. Manual E50417-G1179-C343-A1. O display é feito em texto completo. as funções de operação para o dispositivo aparecem. não deve ser usada.

”Saindo do Modo de Teste“). Isso significa. Manual E50417-G1179-C343-A1. • Cada relé de saída deve ser testado via célula correspondente Scheduled na caixa de diálogo. A senha No. Publicação 05. de forma que durante outros testes não seja iniciado nenhum chaveamento indesejável. todos os relés de saída são separados das funções internas do dispositivo e só podem operar pela função de teste do hardware. • Termine o teste (veja cabeçalho de margem abaixo . Proceda como segue para verificar o relé de saída : • Assegure-se de que o chaveamento do relé de saída possa ser executado sem perigo (veja acima em PERIGO!). 7SJ80. Assim que a primeira mudança de estado para qualquer dos relés de saída é iniciada.2009 . 6 (se ativada durante a configuração) será solicitada antes de permitida a primeira modificação no hardware.3 Comissionamento Figura 3-22 Testando as entradas e saídas Mudança do Estado Operacional A mudança de estado de um componente do hardware é feita com um clique no botão associado na coluna Scheduled. sem ter que gerar uma mensagem designada para tanto. Teste dos Relés de Saída Cada relé de saída individual pode ser energizado para verificação da conexão entre o relé de saída do 7SJ80 e a subestação. que um comando de chaveamento proveniente de uma função de proteção ou um comando de controle do painel de operação para um relé de saída não pode ser executado. 364 SIPROTEC. por exemplo.Montagem e Comissionamento 3. Após dar entrada com a senha correta a mudança será executada. Outras mudanças de estado permanecem possíveis enquanto a caixa de diálogo estiver aberta.

se o campo (Atualização Automática) Automatic Update (20sec) for marcado. Uma atualização é feita: • para cada componente do hardware. Manual E50417-G1179-C343-A1. Isso significa que nenhum LED será iluminado por uma função de proteção ou pela pressão da tecla de reset do LED. imediatamente após essa situação. a caixa de diálogo deve ser atualizada. todos os componentes do hardware retornam às condições operacionais determinadas pelos ajustes da fábrica. • para todos os componentes do hardware com atualização cíclica (o tempo de ciclo é de 20 segundos). o efeito de uma entrada binária deve ser verificado sem efetuar qualquer chaveamento na instalação. e só podem ser controlados via função de teste do hardware.Montagem e Comissionamento 3. Em seguida. O dispositivo se torna indisponível por um breve período de partida. Se. Assim que é disparada a primeira mudança de estado de qualquer LED. Assim que a primeira mudança de estado de qualquer entrada binária é disparada e a senha Nº 6 for inserida. Publicação 05. A caixa de diálogo é fechada. os estados operacionais dos componentes do hardware que estão presentes nesse momento são lidos e mostrados. a condição na subestação que inicia a entrada binária deve ser gerada e a resposta do dispositivo verificada. SIPROTEC.2009 365 . podem ser testados de forma similar. • Verifique a reação na coluna Status da caixa de diálogo. Saindo do Modo de Teste Para finalizar o teste de hardware. Proceda da seguinte forma para verificar as entradas binárias: • Ative cada função no sistema que cause pickup de uma entrada binária. a caixa de diálogo Hardware Test (Teste de Hardware) deve ser aberta novamente para visualizar o estado físico das entradas binárias. • para todos os componentes do hardware. contudo. se um comando para mudar as condições é executado com sucesso.3 Comissionamento Teste das Entradas Binárias Para testar a conexão entre a subestação e as entradas binárias do 7SJ80. Teste dos LEDs Os LEDs dos outros componentes de entradas/saídas binárias. todos os LEDs são separados pela funcionalidade interna do dispositivo. Atualização do Display Assim que abre o diálogo Hardware Test (Teste de Hardware). Para isso. Para fazer isso. • Termine o teste (veja o cabeçalho de margem abaixo “Saindo do Modo de Teste“). se o botão de (Atualização) Update for clicado. As opções podem ser encontradas no cabeçalho de margem abaixo. 7SJ80. é possível disparar entradas binárias individuais com a função de teste do hardware. “Atualizando o Display“. A senha ainda não é necessária. todas as entradas binárias da instalação são separadas e só podem ser ativadas via função de teste do hardware. clique em Close.

• Após expirar a Temporização de TRIP(TRIP. via fase monitorada. para que o comando de trip só possa ser iniciado pela proteção do disjuntor. Desligue a corrente de teste. pela interrupção de tensões correspondentes de pickup. elas também podem conter detalhes que não foram mencionados na presente aplicação.3 Comissionamento 3. 366 SIPROTEC.5 Geral Testes para a Proteção de Falha do Disjuntor Se o dispositivo está munido com uma proteção de falha de disjuntor e se ela é usada. pode ser emitido para o barramento. A inobservância da seguinte medida pode resultar em ferimentos leves ou danos à propriedade. Publicação 05.2009 . Pode ser uma corrente injetada secundária. isto é. um comando de trip para os disjuntores adjacentes. • Após cada partida. a integração desta função de proteção no sistema deve ser testada em condições práticas. a mensagem „50BF ext Pickup“ (FNo 1457) deve aparecer nas anunciações espontâneas ou de faltas. Antes que o disjuntor seja finalmente fechado para operação normal. • Partida pelo comando de trip da proteção externa: funções de entrada binária „>50BF ext SRC“ (FNo 1431) (nas anunciações espontâneas ou de falta). Antes de iniciar os testes do disjuntor é recomendado isolá-lo do alimentador testado em ambos os terminais. de forma que o disjuntor possa ser operado sem risco. Tenha certeza de que a designação correta tenha sido verificada. o comando de trip da proteção do alimentador direcionado para o disjuntor deve ser desconectado. isoladores de linha e isoladores de barramento ser abertos. não é possível fazer uma descrição detalhada dos testes necessários. Portanto. Condições de Iniciação Externas Se a proteção de falha do disjuntor puder ser iniciada por dispositivos externos de proteção as condições de partida externa devem ser verificadas.Montagem e Comissionamento 3. Contatos Auxiliares do Disjuntor O(s) contato(s) auxiliar do disjuntor formam uma parte essencial do sistema de proteção de falha do disjuntor no caso de terem sido conectados ao dispositivo. primeiramente é recomendada a interrupção de comandos de trip para os disjuntores adjacentes (barramento).Timer)(endereço 7005): comando de trip da proteção de falha do disjuntor. É importante observar as condições locais. proteção e desenhos do sistema. por exemplo. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80.3. Embora as listas seguintes não tenham a pretensão de estar completas. Cuidado! Também para testes no disjuntor local do alimentador. Devido à variedade de opções de aplicação e às configurações disponíveis no sistema. uma corrente deve fluir pelo menos. Para ser iniciada a proteção de falha do disjuntor.

Manual E50417-G1179-C343-A1. Aqui. Após expirar a Temporização de TRIP(TRIP -Timer)(endereço 7005): comando de trip da proteção de falha do disjuntor Abra novamente o disjuntor. a lógica de distribuição de trip para os disjuntores adjacentes deve ser verificada. com múltuplos barramentos. Os disjuntores adjacentes são aqueles de todos os alimentadores que devem fornecer trip para assegurar interrupção da corrente de falta na falha do disjuntor local. Um guia de teste geral detalhado não pode ser especificado porque o layout dos disjuntores adjacentes dependem muito da topologia do sistema.3. SIPROTEC. A configuração dessas funções e as condições alvo devem ser realmente conhecidas previamente e testadas. Publicação 05. Finalização Todas as medidas temporárias tomadas para teste devem ser desfeitas. os disjuntores de todos os alimentadores que alimentam o barramento ou seção do barramento para o qual o alimentador com a falta está conectado. especialmente com a lógica CFC.Montagem e Comissionamento 3. chaves de terra) são de particular importância. como o alimentador do disjuntor que está sendo observado.2009 367 . por exemplo. e não outros disjuntores. Em particular.3 Comissionamento Se for possível partida sem fluxo de corrente: • Fechando o disjuntor a ser monitorado em ambos os lados com as chaves seccionadoras abertas. 7SJ80. Trip do Barramento Para teste da distribuição dos comandos de trip na subestação no caso de falhas do disjuntor. Claro que. é importante verificar que os comandos de trip para os disjuntores adjacentes estejam corretos. comandos de trip interrompidos. especialmente os estados de chaveamento. Qualquer função especial ou lógica adicionada ao dispositivo deve ser verificada. 3. procedimentos de teste gerais não podem ser fornecidos. mudanças para valores de ajuste ou funções de proteção individualmente desligadas. • Partida pelo comando de trip da proteção externa: Funções de entrada binária „>50BF ext SRC“ (FNo 1431) (em anunciações espontâneas ou de falta).6 Testando Funções Definidas pelo Usuário Lógica CFC O dispositivo tem uma ampla capacidade para permitir funções a serem definidas pelo usuário. chaves seccionadoras. tenham fornecido trip. Devem ser observadas e testadas. Possíveis condições de intertravamento dos dispositivos de chaveamento (disjuntores. ela deve ser verificada para cada seção do barramento em que todos os disjuntores que estão conectados à mesma seção do barramento. • Após cada partida. a mensagem „50BF ext Pickup“ (FNo 1457) deve aparecer nas anunciações espontâneas ou de falta. São além disso.

Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. as funções de monitoramento correspondentes deverão ser tornadas menos sensitivas.2. isso deve ter sido considerado por ocasião do ajuste dos dados do sistema de potência (endereço 209 PHASE SEQ. como grandezas primárias ou secundárias.7 Teste de Corrente. ≥ 10 % de Corrente de Carga As conexões dos transformadores de potencial e corrente são testadas usando grandezas primárias. Se os valores medidos não forem plausíveis. o alarme „Fail Ph. então verifique os fatores de combinação. Elas podem ser comparadas às grandezas medidas por uma fonte independente. Mensagens do monitoramento da simetria podem ocorrer devido existência de condições assimétricas na rede. Se essas condições assimétricas forem condições normais de serviço.). se necessário. Corrente de carga secundária de pelo menos 10 % da corrente nominal do dispositivo é necessária. Seq. Tensão e Rotação de Fase Observações Preliminares Nota O teste de tensão e rotação de fase só é relevante para dispositivos com transformadores de potencial. após a linha ter sido isolada e os transformadores de corrente terem sido curto-circuitados. Nota Se a medição de tensão é efetuada via capacitâncias através da alimentação. Se a rotação de fase está incorreta. A medição pode então ser repetida.3.Montagem e Comissionamento 3. A linha é energizada e permanecerá nesse estado durante as medições. a conexão deve ser verificada e corrigida após a linha ter sido isolada e os circuitos transformadores de corrente terem sido curto-circuitados.3. „Medição de Tensão Capacitiva“.“ (FNo 171) é gerado. Rotação de Fase A rotação de fase deve corresponder à rotação de fase configurada. a causa que provocou o problema deve ser vista no Registro de Eventos. A alocação do valor de fase medido deve ser verificado e corrigido. Geralmente rotação de fase no sentido horário.1. Se um elemento detectar um problema. Uma explicação do procedimento para otimização das capacitâncias de entrada pode ser encontrada na Seção 2. Valores de Corrente e Tensão Correntes e tensões podem ser vistas no campo do display no painel do dispositivo ou inteface do operador via um PC. Se ocorrerem erros de soma de tensão ou corrente. o display dos valores das tensões fase-terra e o ângulo de fase entre as tensões fase-terra e as correntes de fase pode ser usado para otimizar os valores de capacitância configurados e para conseguir uma melhoria na precisão da medição. 368 SIPROTEC. As medições poderão então ser repetidas. 7SJ80. Com conexões adequadas dos circuitos de medição. Se o sistema tiver uma rotação de fase no sentido anti-horário . nenhum dos elementos de supervisão de valores de medição no dispositivo devem fornecer pickup.3 Comissionamento 3.2009 .

a corrente corresponde à corrente de falta do objeto de proteção. Correntes fluentes são usadas para isso. Manual E50417-G1179-C343-A1. Testes podem ser realizados com correntes de fase ou à terra. Posteriormente.3 Comissionamento Mini-Disjuntor do Transformador de Potencial (TP mcb) O TP mcb do alimentador (se usado) deve estar aberto.Montagem e Comissionamento 3. nenhuma tensão auxiliar é alimentada para o sistema de intertravamento reverso. o tipo de contato (H–ativo ou L–ativo) deve ser verificado e remediado. No inicio.8 Teste para Proteção de Alta-Impedância Polaridade dos Transformadores Quando usar a proteção de alta-impedância. A corrente em INs nunca deve exceder a metade do valor de pickup de uma proteção de sobrecorrente monofásica. isto é.3. 3. Favor observar que a função de bloqueio tanto pode ser configurada para corrente de pickup conectada (sistema de circuito aberto) quanto corrente de pickup desconsiderada (sistema de circuito fechado). a conexão e alocação desses sinais deve ser verificada.1). 7SJ80.3. Se um dos eventos não aparecer. Publicação 05. Previamente tem que ser assegurado que a posição do TP mcb seja de conexão ao dispositivo via uma entrada binária. Para corrente à terra aplicam-se os ajustes correspondentes de corrente à terra.2009 369 . há trip da função de proteção após a 50-2 DELAY. É essencial que nesse caso. Uma corrente de teste superior àquela de valores de pickup de 50-2 PICKUP e 50-1 PICKUP ou 51 PICKUP é ajustada. pré-ajuste da entrada binária BI1 „>BLOCK 50-2“ e „>BLOCK 50N-2“ para sistema de circuito aberto). o dispositivo tem que esfriar! SIPROTEC. Cada um dos transformadores de corrente tem que ser incluidos na medição.9 Testando o Esquema de intertravamento Reverso (somente se usado) O teste de intertravamento reverso está disponível se pelo menos uma das entradas binárias disponíveis estiver configurada para esse propósito (por exemplo. Seção 4. Como resultado do sinal de bloqueio faltante. Para sistema de circuito aberto os seguintes testes são executados: Os relés de proteção do alimentador de todos os alimentadores associados devem estar em operação. Verifique nas anunciações espontâneas que o trip do TP mcb tenha sido parametrizado (anunciação „>FAIL:FEEDER VT“ „ON“ nas anunciações espontâneas). Feche novamente o TP mcb: As mensagens acima aparecem nas mensagens espontâneas como „OFF“. Execute o teste somente por um curto tempo (veja Dados Técnicos. Cuidado! Teste com correntes contínuas acima de 20 A causam sobrecarga dos circuitos de entrada. „>FAIL:FEEDER VT“ „OFF“. Se o estado „ON“ e o estado „OFF“ estão invertidos. 3. todos os transformadores de corrente que alimentam o resistor cuja corrente é medida em INs tenham a mesma polaridade. As tensões medidas nos valores medidos operacionais aparecem com um valor próximo de zero (tensões pequenas de medição não têm consequências).

é simulado um pickup. se a potência ativa flui para a linha. Para esse propósito. para cada um dos dispositivos de proteção dos alimentadores. Publicação 05.2009 . se a potência ativa flui na direção do barramento. é assumida a situação normal por meio da qual a direção para frente (direção de medição) se extende do barramento em direção à linha. Q positiva. Esses testes verificam também o funcionamento adequado das conexões para o intertravamento reverso. O trip é executado dentro da temporização 50-1 DELAY (período de tempo mais longo) (com proteção de sobrecorrente de tempo definido) ou de acordo com a Curva (com proteção de sobrecorrente de tempo inverso). a correlação da direção de carga medida com a direção real do fluxo de carga é verificada. Manual E50417-G1179-C343-A1. Enquanto isso. A corrente de carga que a linha conduz deve ser pelo menos de 0. P positiva. P negativa. Q negativa. A direção pode ser derivada diretamente dos valores medidos operacionais. Neste caso.3. Inicialmente. 7SJ80. a rede ou os anéis de loop devem ser abertos. Se existir alguma dúvida. A linha permanece energizada durante o teste. Subsequentemente. 3.10 Verificação da Direção com Corrente de Carga Observações Preliminares Nota A verificação da direção só é relevante para dispositivos com transformadores de potencial. se a potência reativa flui para a linha. Figura 3-23 Potência de Carga Aparente 370 SIPROTEC. A corrente de carga deve estar em fase ou em atraso com a tensão (carga resistiva ou resistivaindutiva).1 · INom.Montagem e Comissionamento 3. conecte a linha.3 Comissionamento A tensão direta para intertravamento reverso é agora ligada na linha. A direção da corrente de carga deve ser conhecida. se a potência reativa flui na direção do barramento. o resultado deverá ser o mesmo. ≥ 10 % de Corrente de Carga A conexão correta dos transformadores de corrente e potencial é testada via linha protegida usando a corrente de carga. é simulada uma outra falta para a função de proteção do alimentador como descrito anteriormente. O teste precedente é repetido.

Tenha cuidado de que a direção „Forward“(Para frente) do elemento de proteção esteja na direção da linha (ou objeto a ser protegido). Entretanto. SIPROTEC. as mensagens direcionais deverão ser geradas por meio da proteção de sobrecorrente direcional. os limites de pickup devem ser reduzidos de forma que a corrente de carga disponível ocasione um pickup contínuo do elemento. Se nenhuma tensão de medição está conectada a essa entrada. Se ambas as potências. 7SJ80. a polaridade de acordo com o endereço 201 CT Starpoint deve ser verificada e corrigida.2009 371 . A função synchrocheck deve ser ativada no endereço 6101 Synchronizing = ON.3 Comissionamento Todos os sinais de potência podem ser invertidos deliberadamente. ativa e reativa têm sinal errado e 1108 P. Isso não é necessáriamente idêndtico com a direção do fluxo de potência normal. deve ser observado o seguinte: • A tensão monofásica V2 a ser sincronizada deve estar conectada à entrada V3. sua rotação de fase deve ser levada em consideração. A tensão V2 a ser sincronizada deve ser ajustada corretamente no endereço 6123 CONNECTIONof V2. Se todas as direções diferirem entre si. as fases individuais nas conexões de transformadortes de corrente e potencial estão trocadas. Publicação 05. Um exemplo é mostrado na Seção 2. VGnd). a polaridade é verificada junto com a entrada de corrente IN/INs (veja mais abaixo). Finalmente. Se a entrada V3 é usada para a medição da tensão residual VN (Dados do Sistema de Potência 1 endereço 213 VT Connect. a própria medição de potência não está apta a detectar todos os erros de conexão. VSyn). As medições devem ser então repetidas. • A polaridade correta deve ser verificada como a seguir usando a função synchrocheck: O dispositivo deve fornecer a função synchrocheck que deve estar configurada no endereço 161 = 25 Function 1 = SYNCHROCHECK. 3. essa seção é irrelevante. Se a entrada V3 é usada para medição de uma tensão para synchrocheck (Dados do Sistema de Potência 1. tais como. endereço 213 VT Connect.3. Após isolação da linha e e curto-circuitando os transformadores de corrente as conexões devem ser verificadas e corrigidas. os sianis para potência ativa e reativa também estão invertidos.. 3ph = Vab. Verifique se a polaridade está invertida no endereço 1108 P. A medição da potência fornece uma indicação inicial dos valores medidos terem polaridade correta. na direção do barramento visto do alimentador. Para todas as três fases. não conectadas adequadamente ou a designação de fase está incorreta. Para esse propósito. Por essa razão. Se um transformador está localizado entre os pontos de medição da tensão de referência V1 e a tensão a ser sincronizada V2. uma verificação de polaridade pode ser necesária. Manual E50417-G1179-C343-A1. Se necessário relações de transformação diferentes no barramento e no alimentador podem ser consideradas no endereço Balancing V1/V2. A direção reportada nas mensagens. 3ph = Vab. Nesse caso. (não reverso). Vbc. Vbc.Montagem e Comissionamento 3. um ângulo coresponente é parametrizado no endereço 6122 ANGLE ADJUSTM. „Phase A forward“ ou „Phase A reverse“ devem corresponder ao fluxo e potência real. Nota Reset os valores de pickup mudados para verificação para os valores válidos.Q sign nos Dados do Sistema de Potência 2. VSyn or Vph-g. desligue a linha de potência protegida.Q sign está ajustado para not reversed.11 Verificação de Polaridade para a Entrada de Tensão V3 Dependendo da aplicação da entrada de medição de tensão V3 de um 7SJ80.17. Sendo assim. as mensagens direcionais para o fluxo de potência devem ser reportadas corretamente.

o endereço 6122 ANGLE ADJUSTM. Verifique se esse é o estado requerido.2009 . também deve ser verificado.1. • Feche o mini-disjuntor do TP da tensão de barramento novamente. o programa Direct CO é ajustado para YES (endereço 6110). o mini-disjuntor do TP da tensão de barramento não está alocado. os outros programas (endereços 6107 a 6109) são ajustados para NO. 372 SIPROTEC. • Feche o mini-disjuntor do TP da tensão do barramento novamente.17). • Para a synchrocheck.“) é parametrizada uma solicitação de medição.“) é parametrizada uma solicitação de medição. Verifique o endereço 6121 Balancing V1/V2 e calcule novamente o fator de adaptação. o programa SYNC V1>V2< é ajustado para YES (endereço 6108) • Abra o mini-disjuntor do TP da tensão do barramento . A synchrocheck deve liberar fechamento (mensagem „25 CloseRelease“. Se este estiver correto. Quando medindo via um transformador.17.“) é parametrizada uma solicitação de medição. Se houver. 170.2094 „25 α2>α1“ ou 170. verifique primeiro se uma das mensagens emitidas a seguir 170. Não há liberação de fechamento. Publicação 05.0049).0043 „>25 Sync requ. „25 CloseRelease“). há provavelmente uma polaridade reversa dos terminais do transformador de potencial para V1.0049). • Abra o mini-disjuntor do TP da tensão do alimentador. 170. verifique novamente todos os parâmetros relevantes (synchrocheck configurada e habilitada corretamente.2090 „25 V2>V1“ ou 170. A mensagem „25 V2>V1“ or „25 V2<V1“ indica que a adaptação de magnitude está incorreta.2090 „25 V2>V1“.0043 „>25 Sync requ. • Via uma entrada binária (170. • Para a synchrocheck. veja Seções 2. Se a alocação dos LEDs ou relés de sinais foi mudada para teste. A mensagem „25 α2>α1“ or „25 α2<α1“ indica que a rotação de fase da tensão do barramento não casa com o ajuste do endereço CONNECTIONof V2 (veja Seção2.0043 „>25 Sync requ. Assim. alternativamente verifique a entada binária „>FAIL: BUS VT“ (6510).2091 „25 V2<V1“. O alimentador está desenergizado. • caso contrário. Se não. isso deve adaptar o grupo vetorial. isso também deve ser restaurado. A synchrocheck deve liberar fechamento (mensagem „25 CloseRelease“. • Abra o disjuntor. verifique todas as conexões de tensão e os parâmetros correspondentes novamente conforme o descrito na Seção 2. Nenhuma liberação de fechamento é fornecida. • Via uma entrada binária (170. • Em seguida.3 Comissionamento Uma outra ajuda para verificação das conexões são as mensagens 170. Os disjuntores de ambos os circuitos transformadores de potencial devem estar fechados. ambos os transformadores de potencial recebem a mesma tensão.0043 „>25 Sync requ. • Via uma entrada binária (170.2095 „25 α2<α1“ nas mensagens espontâneas.2095 „25 α2<α1“ está disponível nas mensagens espontâneas. • Via uma entrada binária (170.2091 „25 V2<V1“ ou 170. 170.“) é parametrizada uma solicitação de medição.0049. A synchrocheck deve liberar fechamento (mensagem 170. 170. Manual E50417-G1179-C343-A1. o disjuntor é fechado enquanto o isolador da linha é aberto (veja Figura 3-24).Montagem e Comissionamento 3. 7SJ80.0043 „>25 Sync requ. o programa 25 Function 1 é ajustado para SYNCHROCHECK (endereço 161) • Via uma entrada binária (170. • Para synchrocheck.2094 „25 α2>α1“ e 170. • Ajuste o endereço 6110 Direct CO para NO.17). Caso contrário. • Para a synchrocheck.“) é parametrizada uma solicitação de medição. o programa SYNC V1<V2> é ajustado para YES (endereço 6107) e SYNC V1>V2< é ajustado para NO (endereço 6108). • Disjuntor está aberto. Os endereços 6107 a 6110 devem ser restaurados já que foram mudados para o teste.1 e 2.

12 Verificação de Falta à Terra Sistemas Não-Aterrados A verificação de falta à terra só é necessária se o dispositivo está conectado a um sistema isolado ou ressonante-aterrado e a detecção de falta à terra está aplicada. Medições primárias só devem ser realizadas em equipamento desconectado e aterrado do sistema de potência! Usando o método de falta à terra primária um resultado de teste mais confiável é garantido. PERIGO! Equipamento do sistema de potência energizado! Tensões capacitivas acopladas no equipamento desconectado do sistema de potência! A inobservância da medida seguinte resultará em morte. „SensGnd Forward“ (FNo 1276) deve ser indicada no protocolo de falta à terra. Gnd Fault = Enabled (endereço 131). A detecção de direção de falta à terra só trabalha com dispositivos nos quais o 15º dígito do MLFB é B ou C. Em todos os outros casos. Manual E50417-G1179-C343-A1. se alocado) • A fase com falta (FNo 1272 para A ou 1273 para B ou 1274 para C) e a direção da linha. severos riscos pessoais ou substanciais danos à propriedade. esta seção é irrelevante. ter sido pré-ajustado durante a configuração das funções do dispositivo para Sens. • Remova o aterramento de proteção da linha • Conecte um disjuntor ao terminal da linha que deve ser testada • verifique a indicação de direção (LED. A verificação primária serve para descobrir a polaridade correta das conexões do transformador para a determinação da direção de falta à terra. deve estar localizada atrás dos transformadores de corrente (olhando do barramento do alimentador a ser verificado). • Faça uma conexão de teste entre uma fase simples e a terra. Durante todo o procedimento de teste a linha deve estar aberta no terminal remoto. SIPROTEC. isto é. Publicação 05. Cabos são aterrados no terminal remoto (terminal selado). 7SJ80.3.Montagem e Comissionamento 3. O dispositivo deve assim. entretanto. proceda como a seguir: • Isole a linha e aterre em ambos os terminais.2009 373 .3 Comissionamento Figura 3-24 Tensões de medição para synchrocheck 3. Em linhas aéreas a conexão pode ser feita em qualquer lugar. Dessa forma.

Somente a corrente do transformador que não está fornecido com tensão em seu elemento de tensão é alimentado no elemento corrente. 7SJ80.3). PERIGO! Tensões perigosas durante interrupções nos circuitos secundários dos transformadores de corrente A inobservância da medida seguinte resultará em morte. Se necessário o limite de pickup deve ser reduzido. A corrente reativa „INs Real“. a verificação é descrita usando a função de „proteção de falta à terra direcional“ (endereço 116) como no exemplo. O teste está então terminado. Se. a corrente à terra pode ser muito baixa. 701) é a mais relevante para sistemas isolados.3 Comissionamento • Os componentes ativo e reativo da corrente à terra também são indicados („INs Reac“.Montagem e Comissionamento 3. Isso deve entretanto. a fase correspondente é desconectada no lado secundário (veja Figura 3-26). a proteção está sujeita às mesmas condições que existiam durante uma falta à terra na direção da linha. Se o dispositivo tem o recurso de entrada de corrente sensitiva para IN e se usado em um sistema isolado ou ressonante-aterrado. o teste é feito com um circuito de trip desconectado e corrente de carga primária. entretanto. Para gerar uma tensão residual.3. Caso contrário. A seguir. o enrolamento e–n de uma fase no conjunto transformador de potencial (por exemplo. então a polaridade correta do elemento de corrente à terra usualmente ocorre automaticamente. Se nenhuma conexão nos enrolamentos e–n do transformador de potencial é fornecida. Se a mensagem „SensGnd undef. Seu limite de pickup deve estar abaixo da corrente de carga da linha. Teste Direcional para Sistemas Aterrados A verificação tanto pode ser executada com a função „proteção de falta à terra direcional“ (endereço 116) quanto com a função „detecção de falta à terra“ (endereço 131). Deve ser observado que durante todas as simulações que não correspondam exatamente às situações que possam ocorrer na prática. FNo. 3. tanto os terminais do transformador de potencial como de corrente estão trocados no elemento do neutro. FNo. A) é “by-passado” (veja Figura 3-25).“ (FNo 1278) aparece. Se a linha conduz carga resistiva-indutiva. Manual E50417-G1179-C343-A1. ser ignorado durante estes testes. A proteção de falta à terra direcional deve ser configurada para habilitar e ativar (endereço 116 ou 131). severos riscos pessoais ou substanciais danos à propriedade.3).13 Geral Verificação de Polaridade para Entrada de Corrente IN Se a conexão padrão do dispositivo é usada com entrada de corrente IN conectada no ponto estrela do conjunto de transformadores de corrente (veja também a conexão no diagrama do circuiton Apêndice A. Publicação 05. que pode ser operada como proteção de falta adicional. a corrente IN deriva de um TC somador separado (veja. Se o display mostra a mensagem „SensGnd Reverse“ (FNo. • Desenergize e aterre a linha. a assimetria dos valores medidos pode ocasionar pickup do monitoramento do valor medido. Curto-circuite os circuitos secundários do transformador de corrente antes das conexões de corrente ao dispositivo serem abertas. 702). Os parâmetros que tiverem sido mudados devem ser anotados. Então essa seção é irrelevante. um diagrama de circuito de conexão no Apêndice A. 1277).2009 . 374 SIPROTEC. por exemplo. uma verificação de direção adicional com essa corrente se faz necessária. a verificação de polaridade para IN já foi executada com a verificação de falta à terra de acordo com a seção anterior.

2009 375 . Se o pickup direcional não está presente. a conexão deve ser re-estabelecida após a linha ter sido isolada e os transformadores de corrente curto-circuitados. Se a mensagem de pickup não aparecer. Manual E50417-G1179-C343-A1. a corrente à terra medida (residual) ou a tensão residual que emerge podem ser muito baixas .enrolamento e-n) SIPROTEC. No último caso. Se indicada direção errada.3 Comissionamento Após ligar a linha (ON) e desligar novamente (OFF). tanto a direção do fluxo de carga é da linha para o barramento quanto o elemento de corrente à terra tem polaridade trocada. Isso pode ser verificado via valores medidos operacionais. Publicação 05. a indicação da direção deve ser verificada: No registro de falta.Montagem e Comissionamento 3. presentes. tanto a conexão de corrente à terra quanto a conexão da tensão residual etão incorretas. Importante! Se os parâmetros foram mudados para este teste . 7SJ80. as mensagens „67N picked up“ e „Ground forward“ devem estar. eles devem retornar a seu estado original após terminar o teste! Figura 3-25 Teste de polaridade para IN. pelo menos. exemplo com transformadores de corrente configurados em uma conexão Holmgreen (TPs com conexão delta aberto.

O modo de chaveamento pode ser selecionado pelo chaveamento em intertravado e não-intertravado. Favor observar que o chaveamento não-intertravado pode ser um risco de segurança. severos riscos pessoais ou substanciais danos à propriedade. Controle pelas Funções de Proteção Para comandos OPEN enviados ao disjuntor. PERIGO! Um ciclo de teste iniciado com sucesso pela função de religamento automático pode conduzir ao fechamento do disjuntor! A inobservância ao estabelecido a seguir resultará em morte. o equipamento configurado deve ser ligado (ON) e desligado (OFF) do dispositivo pelo elemento de controle integrado. A autoridade de chaveamento deve ser ajustada de acordo com a fonte de comando usada. 7SJ80.2009 . As informações de feedback da posição do disjuntor injetadas pela entrada binária podem ser lidas no dispositivo e comparadas com a posição real do disjuntor. Esteja completamente seguro de que os comandos OPEN enviados ao disjuntor possam resultar em um evento de trip-fechamento-trip do disjuntor em um dispositivo externo de religamento. Manual E50417-G1179-C343-A1.Montagem e Comissionamento 3. 376 SIPROTEC. exemplo com transformadores de corrente configurados em uma conexão Holmgreen (TPs conectados em estrela) 3. favor levar em consideração que se se a função de religamento automático interna ou externa for usada é iniciado um ciclo de teste de TRIP-CLOSE(TRIP-FECHAMENTO).3.14 Testes de Trip/Fechamento para os Dispositivos Operacionais Configurados Controle pelo Comando Local Se o equipamento configurado não foi suficientemente chaveado no teste de hardware já descrito. O procedimento de chaveamento está descrito na Descrição do Sistema SIPROTEC 4. Publicação 05.3 Comissionamento Figura 3-26 Teste de polaridade para IN.

Requerimentos Para estar apto ao trip de uma gravação de falta de teste.15 Geral Criando Gravações Oscilográficas para Testes Para estar apto a testar a estabilidade da proteção durante procedimentos de ligação (ON). o parâmetro Osc Fault Rec. 7SJ80.2009 377 . O disparo para a gravação oscilográfica ocorre então. Favor levar em consideração também que a autoridade de chaveamento é ajustada em correspondência com a fonte de comando usada. Para a última. a interface serial e entrada binária. Para cada gravação oscilográfica é criada uma gravação de falta à qual é dado um número individual para assegurar que a designação pode ser feita adequadamente. SIPROTEC. sem pickup do elemento de proteção) são processadas pelo dispositivo como uma gravação oscilográfica normal. o 7SJ80 também permite a iniciação de gravação de valor medido via programa de operação DIGSI. Entretanto. deve ser configurado no Escopo Funcional. os testes de chaveamento correspondentes podem também ser verificados da subestação. Manual E50417-G1179-C343-A1. Gravações oscilográficas obtém a máxima informação sobre o comportamento da proteção. a informação „>Trig. via entrada binária quando o objeto de proteção está energizado. também tentativas de chaveamento para (ON) podem ser conduzidas . Publicação 05.Wave. por exemplo. 3. Aquelas que são disparadas externamente (quer dizer.3. Além da opção para armazenar gravações de faltas via pickup da função de proteção.“ deve ter sido alocada para uma entrada binária.Montagem e Comissionamento 3.3 Comissionamento Controle de um Centro de Controle Remoto Se o dispositivo está conectado a uma subestação remota via interface do sistema. essas gravações não são mostradas no buffer de indicação de falta já que não se tratam de eventos de falta.Cap.

Manual E50417-G1179-C343-A1. é fornecido um relatório na parte esquerda da barra de status. clique em Test na parte esquerda da janela. Figura 3-27 Tela para iniciar a gravação de falta de teste no DIGSI® Gravação oscilográfica é imediatamente iniciada. O programa SIGRA ou o Comtrade Viewer é necessário para ver e analizar os dados oscilográficos.2009 . Publicação 05. Segmentos de barra indicam adicionalmente o progresso do procedimento.3 Comissionamento Disparando Gravação Oscilográfica Para disparar a gravação de medição de teste com DIGSI. 7SJ80. 378 SIPROTEC. Clique duas vezes e entre em Test Wave Form na lista da janela. Durante a gravação.Montagem e Comissionamento 3.

O dispositivo agora está pronto para operação.os LEDs alocáveis no painel frontal acendem. assim. sendo assim isso também serve como um teste de LEDs. então devem estar na posição de operação. ■ SIPROTEC.4 Preparação Final do Dispositivo 3. Manual E50417-G1179-C343-A1.1.4 Preparação Final do Dispositivo Aperte firmemente todos os parafusos dos terminais incluindo aqueles que não serão usados. Se estiverem disponíveis chaves de tese. Os Leds indicando condições presentes permanecem acesos. Escopo Funcional) e todas as funções desejadas estão ajustadas para ON.2009 379 . Neste contexto. Reset o contador dos valores medidos operacionais (por exemplo. 7SJ80. O relógio interno do dispositivo deverá ser verificado e ajustado. Os contadores nas estatísticas de chaveamento deverão ser resetados para os valores que existiam antes do teste (veja também Descrição do Sistema SIPROTEC 4). Cuidado! Torque de aperto inadmissíveis A não observância das medidas seguintes pode resultar em riscos pessoais ou danos à propriedade. controle. também os relés de saída provavelmente memorizados são resetados. Os torques de apertos não devem ser excedidos ou as roscas e camara de terminais poderá ser danificada! Os ajustes deverão ser novamente verificados. O LED verde „RUN“ deve acender. Verifique se todas as funções de proteção. se necessário. contador de operação. aquela informação futura somente será aplicada para eventos e estados reais (veja também Descrição do Sistema SIPROTEC 4). O display padrão aparece na caixa do display (por exemplo. Pressione a tecla ESC (várias vezes. auxiliares a serem encontradas com os parâmetros de configuração estão corretamente ajustadas. Enquanto pressionar a tecla LED. Feche as chaves de proteção. Publicação 05. se eles foram modificados durante os testes.1. é claro. se necessário) para retornar ao display padrão. Os buffers de anunciações são deletados em MAIN MENU → Annunciations → Set/Reset. Mantenha uma cópia de todos os valores de ajuste em um PC. o display de valores operacionais medidos).Montagem e Comissionamento 3. enquanto que o vermelho „ERROR“ não deve acender. (Seção 2. se disponível) em MAIN MENU → Measured Values → Reset (veja também Descrição do Sistema SIPROTEC 4). Reset os LEDs no painel frontal do dispositivo pressionando as teclas LED de forma que eles venham a apresentar somente eventos e estados reais no futuro.

2009 . 7SJ80.4 Preparação Final do Dispositivo 380 SIPROTEC.Montagem e Comissionamento 3. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.

17 4. 4.Dados Técnicos 4 Este capítulo fornece dados técnicos do dispositivo SIPROTEC 7SJ80 e de suas funções individuais.8 4.3 4. incluindo valores de limite que não podem ser excedidos sob nenhuma circunstância.19 4.9 4.22 Dados Gerais do Dispositivo Proteção de Tempo Definido de Sobrecorrente 50(N) Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N) Proteção Direcional de Sobrecorrente 67.7 4.4 4.21 4.2009 381 .12 4.16 4.20 4.2 4. Publicação 05. 59 Proteção de Sequência Negativa 46-1. Os dados elétricos e funcionais para o máximo escopo funcional.5 4.14 4. 7SJ80. 67N(s).18 4. 67N Restrição à Inrush Pickup Dinâmico de Carga Fria Proteção Monofásica de Sobrecorrente Proteção de Tensão 27.1 4.15 4. 46-2 Proteção de Sequência Negativa 46-TOC Proteção de Frequência 81 O/U Proteção de Sobrecarga Térmica 49 Proteção de Falta à Terra 64. são acompanhados pelas especificações mecânicas com desenhos com as dimensões. Manual E50417-G1179-C343-A1.11 4. 50N(s). 51N(s) Sistema de Religamento Automático 79 Localizador de Falta Proteção de Falha do Disjuntor 50BF Funções Flexíveis de Proteção Synchrocheck 25 Funções Definidas pelo Usuário (CFC) Funções Adicionais Controle de Disjuntor Dimensões 382 393 395 407 409 410 411 412 414 415 421 422 424 427 428 429 430 433 435 440 445 446 SIPROTEC.13 4.10 4.6 4.

005 VA 230 V contínua Faixa de Medição Demanda – térmica (rms) Capacidade de Sobrecarga no elemento de tensão 382 SIPROTEC. 7SJ80.1) Entradas de Tensão Tensão Nominal 34 V – 220 V (ajustável) para conexão de tensões fase-terra 34 V – 200 V (ajustável) para conexão de tensões fase-fase 0 V a 200 V em 100 V aprox.3 VA ≤ 0.dinâmica (valor de pico) 1) somente nos modelos com entrada para detecção de falta à terra sensitiva (veja dados de pedido no Apêndice A.Dados Técnicos 4.térmica (rms) Entrada de capacidade de carga para detecção de falta à terra sensitiva INs 1) .6· INom faixa linear 1) ≤ 0.dinâmica (valor de pico) .1 4. Publicação 05. 0.05 VA ≤ 0.em INom = 1 A .para detecção de falta à terra sensitiva em 1 A Elemento de corrente de capacidade de carga .1 Dados Gerais do Dispositivo Entradas Analógicas Entradas de Corrente Frequência Nominal Corrente Nominal Corrente à Terra.2009 .1 Dados Gerais do Dispositivo 4. sensitiva fN INom INs 50 Hz or 60 Hz 1 A ou 5 A ≤ 1.térmica (rms) .1.em INom = 5 A . Manual E50417-G1179-C343-A1.05 VA 500 A para 1 s 150 A para 10 s 20 A contínua 1250 A (meio ciclo) 300 A para 1 s 100 A para 10 s 15 A contínua 750 A (meio ciclo) (ajustável) Demanda por fase e elemento à terra .

Manual E50417-G1179-C343-A1. IEC 60255-27 Tensão AC de “ripple”.2009 383 . 12 VA ≥ 10 ms em V= 115 V / 230 V SIPROTEC.Dados Técnicos 4. pico a pico. 7SJ80. Publicação 05.1 Dados Gerais do Dispositivo 4.1. IEC 60255–11 24 V a 48 V 19 V a 60 V III 15 % da tensão auxiliar Quiescente aprox. IEC 60255-27 Entrada de potência 7SJ80 Tempo de ponte (Bridging) para falha / curto circuito.2 Tensão DC Tensão Auxiliar Alimentação de tensão via um conversor integrado Tensão DC Auxiliar Nominal VAux Faixas de tensão DC permissíveis Categoria de sobretensão. 12 W 60 V a 250 V 48 V a 300 V Tensão AC Alimentação de tensão via um conversor integrado Tensão AC Auxiliar Nominal VAux Faixas de tensão permissíveis Entrada de potência (at 115 V / 230 V) 7SJ80 Tempo de ponte (Bridging) para falha / curto circuito 115 V 92 V a 132 V Quiescente aprox. 5 VA 230 V 184 V a 265 V Energizada aprox. 5 W ≥ 50 ms em V ≥ 110 V ≥ 10 ms em V < 110 V Energizada aprox.

4· 106 Ω ± 20 % 1.4 mA tensão de controle) Tempo de Pickup Tempo de Dropout Limites de chaveamento seguros para tensões nominais para tensões nominais para tensões nominais Tensão Permissível Máxima Supressão de interferência de entrada aprox. 7SJ80.2009 . 250 V. 3 ms aprox.3 Entradas e Saídas Binárias Entradas Binárias Variante 7SJ801/803 7SJ802/804 Faixa de Tensão Direta Nominal Quantidade 3 (configurável) 7 (configurável) 24 V a 250 V Entrada de corrente. energizada (independente da aprox. 0. cerâmico 50 Hz 60 Hz dependendo da variante pedida (alocável) Contato NA (MAKE) Selecionável NA/NF (MAKE BREAK) 3 6 2 (+ 1 contato de supervisão não alocável) 2 (+ 1 contato de supervisão não alocável) 1000 W / 1000 VA 40 W ou 30 VA em L/R ≤ 40 ms 250 V 5A 30 A para 1s (Contato NA) Impedância 1. Relé de Alarme) Grandeza e Dados Variante de Pedido 7SJ801/803 7SJ802/804 Capacidade de Chaveamento MAKE Capacidade de Chaveamento BREAK Tensão de chaveamento AC e DC Corrente permissível por contato (contínua) Corrente permissível por contato (fechado e selado) (close and hold) Protetor do condensador nas saídas dos relés Frequência 2.1 Dados Gerais do Dispositivo 4. Publicação 05.2· 106 Ω ± 20 % 384 SIPROTEC.1.Dados Técnicos 4. 4 ms (ajustável) 24 V a 125 V 110 V a 250 V 220 V e 250 V 300 V 220 V através de 220 nF em um tempo de recuperação entre duas operações de chaveamento â ≥ 60 ms V alta > 19 V V baixa < 10 V V alta > 88 V V baixa < 44 V V alta > 176 V V baixa < 88 V Relé de Saída Sinal/Relé de Comando. Manual E50417-G1179-C343-A1.2 nF.

Dados Técnicos 4. 1200 Bd.0 velocidade total Com DIGSI Até 12 Mbit/s max.82 via USB 2. ajuste de fábrica 9600 Bd 15 m RS232/RS485/FO dependendo do código de pedido interface isolada para transferência de dados a um centro de controle SIPROTEC. soquete RJ45 100BaseT conforme IEEE802. 5m Operação Velocidade de Transmissão Alcance Porta A Ethernet elétrica para DIGSI Operação Terminal Com DIGSI Parte frontal inferior. 1 km Parte traseira. Manual E50417-G1179-C343-A1. não isolada.4 Interfaces de Comunicação Interface de Operação Terminal Parte frontal. Publicação 05. 50 Hz 10/100 Mbit/s 20 m (66 ft) Tensão de teste Velocidade de Transmissão Alcance Porta B IEC 60870-5-103 simples RS232 Terminal Tensão de teste Velocidade de Transmissão Alcance RS485 Terminal Tensão de teste Velocidade de Transmissão Alcance Parte traseira.3 LED amarelo: 10/100 Mbit/s (on/off) LED verde: conexão/sem conexão (on/off) 500 V. ajuste de fábrica 9600 Bd max. inferior.1. localização de montagem "B". inferior. soquete de 9-pinos DSUB 500 V. 50 Hz min. 115 000 Bd.1 Dados Gerais do Dispositivo 4. soquete de 9-pinos DSUB 500 V. 50 Hz min. 7SJ80. localização de montagem "A". max. 115 000 Bd. localização de montagem "B".2009 385 . max. conector tipo USB para conexão com computador pessoal Operação de DIGSI V4. 1200 Bd.

50 Hz min. 50 Hz Até 1. soquete de 9 pinos 9-pin DSUB 500 V.5/125 µm max. inferior. soquete de 9 pinos DSUB 500 V. localização de montagem "B" λ = 820 nm Ao usar fibra de vidro 50/125 μm ou fibra de vidro 62. 1 km Profibus RS485 (DP) Terminal Tensão de teste Velocidade de Transmissão Alcance Profibus FO (DP) Tipo de conector FO Terminal Velocidade de Transmissão Recomendado: Comprimento de Onda Ótica Laser Classe 1 conforme EN 60825-1/-2 Atenuação de sinal ótico permissível Alcance DNP3. localização de montagem "B" Até 1. com fibra de vidro 62. localização de montagem "B". 50 Hz Até 19 200 Bd max. Publicação 05. localização de montagem "B".5 km Configurável. inferior. inferior. inferior. com fibra de vidro 62. ajuste de fábrica „Light off“ Iinterface isolada para transferência de dados a um centro de controle Terminal Tensão de teste Velocidade de Transmissão Alcance Parte traseira.5 MBd 1000 m (3300 ft) at ≤ 93.5 MBd Conector ST Anel duplo Parte traseira. 8 dB. soquete RJ45 500 V. 1. localização de montagem "B".75 kBd 500 m (1600 ft) at ≤ 187. max. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80.5 MBd > 500 kBd com empacotamento normal λ = 820 nm Ao usar fibra de vidro 50/125 μm ou fibra de vidro 62.2009 . 1 km Parte traseira. 2400 Bd.5 kBd 200 m (660 ft) at ≤ 1.Dados Técnicos 4. ajuste de fábrica 19 200 Bd max.5/125 µm max.1 Dados Gerais do Dispositivo Cabo de fibra ótica (FO) Tipo de conector FO Terminal Comprimento de Onda Ótica Laser Classe 1 conforme EN 60825-1/-2 Atenuação de sinal ótico permissível Alcance Carater de estado inativo IEC 60870-5-103 redundante RS485 Conector ST Parte traseira. 57 600 Bd. 2 km Parte traseira.0 /MODBUS RS485 Terminal Tensão de teste Velocidade de Transmissão Alcance 386 SIPROTEC.5/125 µm max. inferior.5/125 µm max. 8 dB.

inferior. 8 dB.Dados Técnicos 4. com fibra de vidro 62. Manual E50417-G1179-C343-A1.3 Tensão de teste (com respeito 500 V. Conector ST 100BaseF conforme IEEE802.2009 387 . localização de montagem "B "B". 1.1 Dados Gerais do Dispositivo DNP3. 2 soquetes RJ45 100BaseT conforme IEEE802.0 /MODBUS FO Tipo de conector FO Terminal Velocidade de Transmissão Comprimento de Onda Ótica Laser Classe 1 conforme EN 60825-1/-2 Atenuação de sinal ótico permissível Alcance Ethernet elétrica (EN 100) para IEC61850 e DIGSI Terminal Conector ST transmissor/receptor Parte traseira.3 100 MBit/s 1300 nm max.5/125 µm max. inferior. localização de montagem "B. 7SJ80. inferior. localização de montagem "B Até 19 200 Bd λ = 820 nm Ao usar fibra de vidro 50/125 μm ou fibra de vidro 62.5/125 µm max. 50 Hz ao soquete) Velocidade de Transmissão Alcance Ethernet ótica (EN 100) para IEC61850 e DIGSI Terminal 100 MBit/s 20 m Parte traseira.5 km Parte traseira. 2 km Velocidade de Transmissão Comprimento de Onda Ótica Alcance SIPROTEC. Publicação 05.

Todos 6 kV (valor de pico). Publicação 05. comunicação) contra os eletrônicos internos 3 impulsos positivos e 3 negativos em intervalos de 1 s Teste de Tensão de Impulso (teste de tipo).5 J. e IEC 60870-2-1 Teste de Alta-Tensão (teste de rotina) Todos os 2. 50 Hz circuitos exceto fonte de alimentação. 7SJ80.90 veja funções individuais VDE 0435 para mais padrões veja também funções individuais Teste de Isolação Padrões: IEC 60255-27.5 J.2/50 µs. Manual E50417-G1179-C343-A1. 0.1 Dados Gerais do Dispositivo 4.Dados Técnicos 4. 0. Tensão auxiliar e entradas binárias Teste de Alta-Tensão (teste de rotina) Somente interfaces de comunicação isoladas (A e B) DC: 3. 50 Hz Teste de Tensão de Impulso (teste de tipo).2009 .5 kV 500 V. interface de comunicação e interfaces de sincronização de tempo Teste de Alta-Tensão (teste de rotina). Todos 5 kV (valor de pico). comunicação) contra si próprio e contra terminal 3 impulsos positivos e 3 negativos em intervalos de 1 s condutor produtivo Classe III 388 SIPROTEC. os circuitos do processo (exceto interfaces de 1.1.5 Padrões Testes Elétricos Padrões: IEC 60255 ANSI/IEEE Std C37.2/50 µs. os circuitos do processo (exceto interfaces de 1.5 kV. entradas binárias.

150 pF. 2 Ω. IEC 60255-22-6. 100 kHz. Manual E50417-G1179-C343-A1. 300 A/m para 3s. IEC 6100-4-18. ambas polaridades: Ri = 50 Ω. Amplitude modulada. 0. 9 µF Modo Diferencial:1 kV. IEC 61000-4-3. IEC 6100-4-6 Campo magnético de frequência do sistema de potência IEC 6100-4-8. IEC 61000-4-5 Tensão auxiliar Modo comum: 4 kV. 42 Ω. Classe III . Classe IV Interferência Eletromagnética Radiada ANSI/IEEE Std C37. 1 kHz 4 kV.Dados Técnicos 4. 80 MHz a 2. Ri = 200 Ω 8 kV de descarga de contato. e IEC 61000-4-2. 7SJ80.5 kV (Pico). 0. Campo eletromagnético de rádio frequência. taxa de repetição 300 ms. Publicação 05.5 µF e relés de saídas Modo Diferencial: 1 kV. IEEE C37. 42 Ω. (padrões de produto) IEC/EN 61000-6-2 VDE 0435 para mais padrões veja funções individuais 2.1 Dados Gerais do Dispositivo Testes EMC para Imunidade (Testes de Tipo) Padrões: IEC 60255-6 and -22. somente tensão auxiliar IEC-CISPR 11 Força de campo de interferência IEC-CISPR 11 Correntes harmônicas na rede conduzidas em AC 230 V IEC 61000-3-2 IEC/EN 61000-6-4 Limite de 150 kHz a 30 MHz Classe A Limite de 30 MHz a 1 000 MHz Classe A Dispositivo a ser designado Classe D (só se aplica para dispositivos com consumo de potência > 50 VA) Flutuações de tensão e flicker no condutor da rede Valores de limite são mantidos em 2 AC 30 V IEC 61000-3-3 SIPROTEC.2/50 µ IEC 60255-22-5. IEEEE C37. Variáveis de distúrbios transientes rápidos / ruptura.2 Oscilações Amortecidas IEC 61000-4-18 10 V: 150 kHz a 80 MHz: 80 % AM: 1 kHz 30 A/m duração. Classe III IEC 60255-22-1. 80 % AM. 12 Ω. 5/50 ns.1 Descarga eletrostática Classe IV IEC 60255-22-2. 40 pulsos por seg. Duração do teste 2 s.90.90.duração do teste 1 min Verificação de 1 MHz .5 µF HF em linhas. Ri = 330 Ω 10 V/m. ambas polaridades.90. Installação Classe 3 Impulso: 1.2009 389 . τ = 15 µs. Classe IV IEC 60255-22-4 e IEC 61000-4-4.5 kV (valor de pico). Ri = 200 Ω Teste EMC para Emissão de Ruído (Teste de Tipo) Padrão: Tensão de ruído de rádio para linhas.7 GHz.1 Tensões de surto de alta energia (SURTO). 1 kHz 2. Duração do Teste 2 s. IEC 60255 -22-3. 400 Surtos por seg. 5 kHz. 18 µF Entradas de medição. entradas binárias Modo comum: 4 kV. 1 MHz. 20 V/m: 80MHz a 1 GHz: 80 % AM. 15 kV de descarga aérea. extensão de ruptura = 15 ms. amplitude-modulada Classe III.

7 Hz a 150 Hz: 1 g aceleração varredura de frequência 1 oitavo/min 20 ciclos em 3 eixo ortogonais Semi-senoidal 15 g aceleração. Semi-senoidal 5 g aceleração. IEC 60068-2-6 IEC 60255-21 e IEC 60068 Senoidal 10 Hz a 60 Hz: ± 0.Dados Técnicos 4. IEC 60068-2-27 Choque contínuo IEC 60255-21-2. duração 11 ms. Classe II.075 mm amplitude. cada 1000 choques (em ambas as direções dos 3 eixos) Choque IEC 60255-21-2.5 mm amplitude (eixo vertical) 8 Hz a 35 Hz: 2 g aceleração (eixo horizontal) 8 Hz a 35 Hz: 1 g aceleração (eixo vertical) varredura de frequência 1 oitavo/min 1 ciclo em 3 eixos ortogonais Choque IEC 60255-21-2.5 mm amplitude (eixo horizontal) 1 Hz a 8 Hz: ±3. Publicação 05. IEC 60068-3-3 Vibração e Fadiga ao Choque Durante Transporte Padrões: Oscilação IEC 60255-21-1. Classe II. Classe I. IEC 60068-2-27 Vibração Sísmica IEC 60255-21-3.2009 . Manual E50417-G1179-C343-A1. duration 16 ms.1. Classe I. Classe I. 7SJ80. cada 3 choques em ambas as direções dos 3 eixos Senoidal 1 Hz a 8 Hz: ±7. 60 Hz a 150 Hz: 1g aceleração taxa de varredura de frequência 1 oitavo/min 20 ciclos em 3 eixos ortogonais. IEC 60068-2-6 IEC 60255-21 e IEC 60068 Senoidal 5 Hz a 7 Hz: ± 5 mm amplitude.6 Testes de Fadiga Mecânica Vibração e Fadiga ao Choque Durante Operação Estacionária Padrões : Oscilação IEC 60255-21-1. IEC 60068-2-29 390 SIPROTEC. duração 11 ms.1 Dados Gerais do Dispositivo 4. cada 3 choques (em ambas as direções dos 3 eixos) Semi-senoidal 10 g aceleração. Classe II.

Dados Técnicos 4.1 Dados Gerais do Dispositivo

4.1.7

Testes de Fadiga Climática

Temperaturas1) Padrões: Teste de tipo (de acordo com IEC 60086-2-1 e -2, Teste Bd para 16 h) Temperatura de operação temporária permissível (testado por 96 h) Recomendado para operação permanente (de acordo com IEC 60255-6) Limites de temperatura para armazenamento Limites de temperatura para transporte IEC 60255-6 –25 °C a +85 °C ou –13 °F a +158 °F –20 °C a +70 °C ou –4 °F a +158 °F (nitidez do display pode ser prejudicada a partir de +55 °C ou +131 °F) –5 °C a +55 °C ou +23 °F a +131 °F –25 °C a +55 °C ou –13 °F a +131 °F –25 °C a +70 °C ou –13 °F a +158 °F

Armazenamento e transporte na embalagem de fábrica

Umidade Umidade permissível Valor médio por ano ≤ 75 % de umidade relativa; em 56 dias do ano até 93 % de umidade relativa, a condensação deve ser evitada!

Siemens recomenda que todos os dispositivos sejam instalados de forma que não fiquem expostos à luz solar direta nem sujeitos a amplas flutuações de temperatura que possam causar ocorrência de condensação.

4.1.8

Condições de Serviço
O dispositivo de proteção está designado para uso em ambiente industrial em ambiente de utilidades elétricas. Os procedimentos adequados de instalação devem ser seguidos para assegurar compatibilidade eletromagnética (EMC). Em adição, é recomendado o seguinte: • Todos os contatos e relés que operam no mesmo cubículo, cabine ou painel de relés como os dispositivos de proteção numéricos devem, como regra, estar equipados com componentes de supressão de surtos adequados. • Para subestações com tensões de operação de 100 kV e acima, todos os cabos externos deverão ser blindados com a blindagem aterrada em ambos os terminais. para subestações com tensões de operação mais baixas não são necessárias medidas especiais. • Não retire ou insira módulos individuais ou placas enquanto o dispositivo estiver energizado. Na condição de retirada, alguns componentes são eletrostaticamente perigosos; durante o manuseio os padrões ESD para Dispositivos Sensitivos à Eletrostática (Electrostatic Sensitive Devices) devem ser observados. Não estão em perigo quando estão inseridos na caixa.

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

391

Dados Técnicos 4.1 Dados Gerais do Dispositivo

4.1.9

Design
Caixa Dimensões Dispositivo 7SJ80**-*B 7SJ80**-*E 7XP20 veja desenhos dimensionais, Seção 4.22 Caixa para montagem sobreposta de painel para montagem semi-embutida de painel Tamanho
1

Peso 4,5 kg 4 kg

/6

1/ 6

Tipo de Proteção de acordo com IEC 60529 Para equipamento em caixa de montagem sobreposta Para equipamento em caixa de montagem semiembutida para proteção do operador Grau de Poluição, IEC 60255-27 IP 50 Frente IP 51 Traseira IP50 IP 2x para terminal de corrente IP 1x para terminal de tensão 2

392

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Dados Técnicos 4.2 Proteção de Tempo Definido de Sobrecorrente 50(N)

4.2

Proteção de Tempo Definido de Sobrecorrente 50(N)

Modos de Operação Trifásico Bifásico Padrão Fases A e C

Método de Medição Todos elementos 51Ns-3 Primeiro harmônico, valor r.m.s. (True RMS) Valores instantâneos adicionais

Faixas de Ajuste / Incrementos Corrente de pickup 50–1, 50–2 (fases) paraINom 0,10 A a 35,00 A ou ∞ (desabilitado) =1A para INom 0,50 A a 175,00 A ou ∞ (desabilitado) =5A Corrente de pickup 50–3 (fases) para INom 1,0 A a 35,00 A ou ∞ (desabilitado) =1A para INom 5,0 A a 175,00 A ou ∞ (desabilitado) =5A Corrente de pickup 50N–1, 50N–2 (terra) para INom 0,05 A a 35,00 A ou ∞ (desabilitado) =1A para INom 0,25 A a 175,00 A or ∞ (desabilitado) =5A Corrente de pickup 50N–3 (terra) para INom 0,25 A a 35,00 A ou ∞ (desabilitado) =1A para INom 1,25 A a 175,00 A ou ∞ (desabilitado) =5A Temporizações T Temporizações de dropout 50 T DROP-OUT, 50N T DROP-OUT 0,00 s a 60,00 s ou ∞ (desabilitado) 0,00 s a 60,00 s incremento 0,01 s incremento 0,01 s incremento 0,01 A incremento 0,01 A

Tempos tempos de pickup (sem restrição à Inrush, com restrição + período) Primeiro harmônico, valor rms - para 2 x valor de ajuste - para 10 x valor de ajuste Valor Instantâneo - para 2 x valor de ajuste - para 10 x valor de ajuste Tempos de Dropout Primeiro harmônico, valor rms Valor instantâneo aprox. 30 ms aprox. 20 ms aprox. 16 ms aprox. 16 ms aprox. 30 ms aprox. 40 ms

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

393

Dados Técnicos 4.2 Proteção de Tempo Definido de Sobrecorrente 50(N)

Relação de Dropout Relação de Dropout para - primeiro harmônico, valor rms - valor instantâneo

aprox. 0,95 para I/INom ≥ 0,3 aprox. 0,90 para I/INom ≥ 0,3

Tolerâncias Tempos de pickup Temporizações T 3 % do valor de ajuste ou 15 mA para INom = 1 A or 75 mA em INom = 5 A 1 % ou 10 ms

Variáveis de Influência para Pickup e Dropout Tensão auxiliar DC na faixa de 0,8 ≤ VAux/VAuxNom ≤ 1,15 Temperatura na faixa de –5 °C ≤ Θamb ≤ 55 °C Frequência na faixa de 0,95 ≤ f/fNom ≤ 1,05 Frequência fora da faixa 0,95 ≤ f/fNom ≤ 1,05 1% 0,5 %/10 K 1% Tolerâncias aumentadas

Harmônicos - Até 10 % 3º harmônico 1% - Até 10 % 5º harmônico 1% em valores instantâneos de elementos 50-3/50N3 Tolerâncias aumentadas Reação excessiva transiente para τ > 100 ms (com deslocamento total) <5 %

394

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

4.3

Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Modos de Operação Trifásico Bifásico independente de tensão, controlado pela tensão, dependente de tensão Padrão Fases A e C

Técnica de Medição Todos os elementos Primeiro harmônico, valor rms (true rms)

Faixas de Ajuste / Incrementos Correntes de pickup 51 (fases) para INom 0,10 A a 4,00 A =1A para INom 0,50 A a 20,00 A =5A Correntes de pickup 51N (terra) para INom 0,05 A a 4,00 A =1A para INom 0,25 A a 20,00 A =5A Multiplicador de tempo T para 51, 51N para características IEC Multiplicador de tempo T para 51, 51N para características ANSI 0,05 s a 3,20 s ou ∞ (desabilitado) 0,50 s a 15,00 s ou ∞ (desabilitado) incremento 0,01 s incremento 0,01 s incremento 0,01 A incremento 0,01 A

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

395

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Curvas de Tempo de Trip de acordo com IEC Conforme IEC 60255-3 ou BS 142, Seção 3.5.2 (veja também a Figura 4-1 e 4-2)

Os tempos de trip para I/Ip ≥ 20 são idênticos àqueles para I/Ip = 20 Para corrente de sequência zero leia 3I0p ao invés de Ip e T3I0p ao invés de Tp; para falta à terra leia IEp ao invés de Ip e TIEp ao invés de Tp Limite de pickup aprox. 1,10 · Ip

Características de Tempo de Dropout com Emulação de Disco conforme IEC Conforme IEC 60255-3 ou BS 142, Seção 3.5.2 (veja também as Figuras 4-1 e 4-2)

As curvas de tempo de dropout se aplicam para (I/Ip) ≤ 0,90 Para corrente de sequência zero leia 3I0p ao invés de Ip e T3I0p ao invés de Tp; para falta à terra leia IEp ao invés de Ip e TIEp ao invés de Tp

396

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Ajuste de Dropout IEC sem Emulação de Disco IEC com Emulação de Disco aprox. 1,05 · do valor de ajuste Ip para Ip/IN ≥ 0,3, isso corresponde a aprox. 0,95 · do valor de pickup aprox. 0,90 · Ip do valor de ajuste

Tolerâncias Limites de pickup/dropout de Ip, IEp Tempo de TRIP para 2 ≤ I/Ip ≤ 20 tempo de dropout para I/Ip ≤ 0,90 3 % do valor de ajuste ou 15 mA para INom = 1 A, ou 75 mA para INom = 5 A 5 % do valor de referência (calculado) +2 % da tolerância de corrente, ou 30 ms 5 % do valor de referência (calculado) +2 % da tolerância de corrente , ou 30 ms

Variáveis de Influência para Pickup e Dropout Tensão direta da fonte de alimentação dentro da faixa de 0,8 ≤ VPS/VPSNom ≤ 1,15 Temperatura dentro da faixa de –5 °C (41 °F) ≤ Θamb ≤ 55 °C (131 °F) Frequência na faixa de 0,95 ≤ f/fNom ≤ 1,05 Harmônicos - Até 10 % 3º harmônico - Até 10 % 5º harmônico 1% 0,5 %/10 K 1% 1% 1%

Reação excessiva transiente durante procedimento de medição do harmônico fundamental <5 % para τ > 100 ms (com deslocamento total)

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

397

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Figura 4-1

Curvas de tempo de dropout e de trip, da proteção de tempo inverso de sobrecorrente, de acordo com IEC

398

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Figura 4-2

Curvas de tempo de dropout e de trip, da proteção de tempo inverso de sobrecorrente, de acordo com IEC

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

399

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Curvas de Tempo de Trip de acordo com ANSI De acordo com ANSI/IEEE (veja também as Figuras 4-3 a 4-6)

Os tempos de trip para I/Ip ≥ 20 são idênticos aos de I/Ip = 20 Para corrente de sequência zero leia 3I0p ao invés de Ip e T3I0p ao invés de Tp; para falta à terra leia IEp ao invés de Ip e TIEp ao invés de Tp Limite de Pickup aprox. 1,10 · Ip

400

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Características de Tempo de Dropout com Emulação de Disco, de acordo com ANSI/IEEE De acordo com ANSI/IEEE (veja também as Figuras 4-3 a 4-6)

As curvas de tempo de dropout aplicam-se para (I/Ip) ≤ 0,90 Para corrente de sequência zero leia 3I0p ao invés de Ip e T3I0p ao invés de Tp; Para corrente de falta à terra leia IEp ao invés de Ip e TIEp ao invés de Tp Ajuste de Dropout ANSI sem Emulação de Disco ANSI com Emulação de Disco aprox. 1,05 · do valor de ajuste Ip para Ip/IN ≥ 0,3; isto corresponde a 0,95 ·do valor de pickup, aproximadamente aprox. 0,90 · Ip do valor de ajuste

Tolerâncias Limites de Pickup/dropout Ip, IEp Tempo de Trip para 2 ≤ I/Ip ≤ 20 Tempo de Dropout para I/Ip ≤ 0,90 3 % do valor de ajuste ou 15 mA para IN = 1 A, ou 75 mA para IN = 5 A 5 % do valor de referência (calculado) +2 % de tolerância de corrente, ou 30 ms 5 % do valor de referência (calculado) +2 % de tolerância de corrente, ou 30 ms

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

401

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Variáveis de Influência para Pickup e Dropout Tensão direta da fonte de alimentação dentro da faixa de 0,8 ≤ VPS/VPSNom ≤ 1,15 Temperatura dentro da faixa de –5 °C (41 °F) ≤ Θamb ≤ 55 °C (131 °F) Frequência na faixa de 0,95 ≤ f/fNom ≤ 1,05 Harmônicos - Até 10 % 3º harmônico - Até 10 % 5º harmônico 1% 0,5 %/10 K 1% 1% 1%

Reação excessiva transiente durante procedimento de medição do harmônico fundamental <5 % para τ > 100 ms (com deslocamento total)

402

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Figura 4-3

Curvas de tempo de dropout e de trip da proteção de tempo inverso de sobrecorrente, de acordo com ANSI/IEEE

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

403

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Figura 4-4

Curvas de tempo de dropout e de trip da proteção de tempo inverso de sobrecorrente, de acordo com ANSI/IEEE

404

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N)

Figura 4-5

Curvas de tempo de dropout e de trip da proteção de tempo inverso de sobrecorrente, de acordo com ANSI/IEEE

SIPROTEC, 7SJ80, Manual E50417-G1179-C343-A1, Publicação 05.2009

405

Dados Técnicos 4.3 Proteção de Tempo Inverso de Sobrecorrente 51(N) Figura 4-6 Curvas de tempo de dropout e de trip da proteção de tempo inverso de sobrecorrente. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 . 7SJ80. Publicação 05. de acordo com ANSI/IEEE 406 SIPROTEC.

Determination de Direção Além disso. negativa com INom = 1 A 3I2 ≈ 225 mA corrente de seq. os dados seguintes aplicam-se para a determinação de direção: Para Faltas de Fase Tipo Com tensões com polarização cruzada.rot ± 86° –180° to +180° Incremento 1° 3° 3V2 ≈ 5 V tensão de sequência negativa 3I2 ≈ 45 mA corrente de seq.2009 407 .5 V tensão residual. 3I0 Vref. negativa com INom = 5 A Polarização Faixa para frente Rotação da tensão de referência Vref.rot Diferença de Dropout Sensibilidade Direcional c/ grandezas de sequência zero 3V0. 67N 4. com memória de tensão (profundidade de memória 2 segundos) p/ tensões de medição que são muito pequenas Vref.rot Diferença de Dropout Sensibilidade Direcional SIPROTEC. 3I2 Vref. ilimitadas dinamicamente. 67N Elementos de Sobrecorrente As mesmas especificações e características aplicam-se como para a proteção não-direcional de sobrecorrente.rot ± 86° –180° a +180° Incremento 1° 3° VN ≈ 2. medida 3V0 ≈ 5 V tensão residual.4 Proteção Direcional de Sobrecorrente 67. Manual E50417-G1179-C343-A1. (veja Seção anterior).4 Proteção Direcional de Sobrecorrente 67. estado estacionário 7V fase-fase Faixa para frente Rotação da tensão de referência Vref. Publicação 05.rot ± 86° -180° a +180° Incremento 1° 3° Ilimitada para faltas mono e bifásicas Para faltas trifásicas. calculada c/ grandezas de sequência negativa 3V2.rot Diferença de Dropout Sensibilidade Direcional Para Faltas à Terra Polarização Faixa para frente Rotação da tensão de referência Vref.Dados Técnicos 4. 7SJ80.

Dados Técnicos 4. 67N Tempos Tempos de Pickup (sem restrição a Inrush. 50-2.para 2 x valor de ajuste . 50N-2 aprox.4 Proteção Direcional de Sobrecorrente 67.1° na faixa de 0. Publicação 05.05 408 SIPROTEC. 50-2.95 < f/fNom < 1. 50N-1. com restrição adicionar 1 período) 50-1. Manual E50417-G1179-C343-A1. 40 ms Tolerâncias Faltas de ângulo para faltas de fase e terra ±3° elétrico Variáveis de Influência Influência de frequência – Sem memória de tensão aprox.para 10 x valor de ajuste Tempos de Dropout 50-1. 7SJ80.2009 . 50N-1. 45 ms aprox. 40 ms aprox. 50N-2 .

configurável para INom = 1 A para INom = 5 A Bloqueio cruzado Bloqueio cruzado IA. 51N. 7SJ80.00 A 1.5 Restrição a Inrush Funções Controladas Elementos de sobrecorrente 50-1.30 A a 25. Manual E50417-G1179-C343-A1. 67N-1 Faixas de Ajuste / Incrementos Fator de estabilização I2f/I Limites de Função Limite inferior da função.2009 409 .00 A Incremento 0. IC ON/OFF SIPROTEC. 67-1. terra para INom = 1 A para INom = 5 A Limite superior da função. IB.5 Restrição a Inrush 4.50 A a 125. fases para INom = 1 A para INom = 5 A no mínimo uma corrente de fase (50 Hz e 100 Hz) ≥ 50 mA no mínimo uma corrente de fase (50 Hz e 100 Hz) ≥ 125 mA Corrente à terra (50 Hz e 100 Hz) ≥ 50 mA Corrente à terra (50 Hz e 100 Hz) ≥ 125 mA 0.01 A Incremento 0.Dados Técnicos 4. Publicação 05. 50N-1. 51.01 A 10 % a 45 % Incremento 1 % Limite inferior da função.

6 Pickup Dinâmico de Carga Fria Comutação Programada de Ajustes Funções controladas Critério de início Proteção direcional e não-direcional de sobrecorrente (separada de acordo com fases e terra) Critério de corrente "BkrClosed I MIN" Interrogação da posição do disjuntor Prontidão da função de religamento automático Entrada binária Controle de tempo Controle de corrente 3 elementos de tempo (TCB Open. TStop) Limite de corrente "BkrClosed I MIN" (reset da corrente que cai abaixo do limite: monitoramento com temporizador) Faixas de Ajuste / Incrementos Controle de Corrente p/ INom = 1 A 0. TActive.2009 ..6 Pickup Dinâmico de Carga Fria 4.00 A Tempo até mudança para Ajustes Dinâmicos 0 s a 21 600 s (= 6 h) TCB OPEN Período em que Ajustes Dinâmicos estão efetivos após um Religamento TActive Tempo de Reset Rápido TStop 1 s a 21 600 s (= 6 h) 1 s a 600 s (= 10 min) ou ∞ (reset rápido inativo) Incremento 0.Dados Técnicos 4.01 A Incremento 1 s Incremento 1 s Incremento 1 s Ajustes Dinâmicos de Correntes de Pickup e Ajustáveis dentro da mesma faixa e com os mesmos Temporizações ou Multiplicadores de Tempo incrementos da proteção direcional e da proteção nãodirecional de sobrecorrente 410 SIPROTEC. Publicação 05.00 A p/ INom = 5 A 0.20 A a 5. Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80.04 A a 1.

6 A ou ∞ (elemento desativado) p/ INom = 1 A 0.01 s Tempos de Operação Tempos de Pickup/Dropout Tempo de Frequência de Pickup mínimo máximo Tempo de Dropout aprox. 50 Hz 14 ms ≤ 35 ms 25 ms 60 Hz 13 ms ≤ 35 ms 22 ms Relação de Dropouts Elementos de Corrente aprox. Manual E50417-G1179-C343-A1.Até 10 % 3º harmônico .00 s a 60.15 Temperatura na faixa de –5 °C (41 °F) ≤ Θamb ≤ 55 °C (131 °F) Frequência na faixa de 0.6 A ou ∞ (elemento desativado) p/ INom = 1 A 0.00 s ou ∞ (sem trip) Incremento 0.00 s ou ∞ (sem trip) 0.8 ≤ VAux/VAuxNom ≤ 1.005 A a 8 A or ∞ (elemento desativado) p/ INom = 5 A 0.05 Frequência fora da faixa 0. 7SJ80.001 A to 1.01 s Incremento 0.95 para I/INom ≥ 0.00 s a 60.95 ≤ f/fNom ≤ 1.95 ≤ f/fNom ≤ 1.05 Harmônicos .001 A T50-1 Incremento 0. 0.001 A a 1.Dados Técnicos 4.Até 10 % 5º harmônico 1% 0.005 A to 8 A ou ∞ (elemento desativado) p/ INom = 5 A 0.2009 411 .5 %/10 K 1% Tolerâncias aumentadas 1% 1% SIPROTEC.5 Tolerâncias Correntes Tempos 5 % do valor de ajuste para 1 mA 1 % do valor de ajuste para 10 ms Variáveis de Influência para Valores de Pickup Tensão auxiliar DC na faixa de 0.7 Proteção de Sobrecorrente Monofásica 4.7 Proteção de Sobrecorrente Monofásica Elementos de Corrente Elementos de alto ajuste de corrente 50-2 0. Publicação 05.001 A T50-2 Elemento de tempo definido de corrente 50-1 Incremento 0.

Menor tensão fase-terra Tensão conectada monofásica fase-terra 10 V a 120 V 10 V a 210 V 10 V a 210 V 10 V a 120 V 10 V a 120 V 1.Avaliação de sistema de sequência positiva Conexão de tensões fase-fase Conexão: Monofásica Relação de Dropout para 27-1. Publicação 05.01 s Incremento 0.Maior tensão fase-terra Tensão conectada monofásica fase-terra Grandeza medida usada Com conexão monofásica Conexão de tensões fase-terra: .01 A Temporizações T 27-1. 27-2 Grandeza medida usada Com conexão trifásica: Grandeza medida usada Com conexão monofásica Conexão de tensões fase-terra: . 260 V para tensão fase-terra Histerese mínima 0.20 A a 5.Avaliação de sistema de sequência positiva .8 Proteção de Tensão 27. T 27-2 Critério de Corrente "BkrClosed I MIN" p/ INom = 1 A 0.Avaliação de tensões fase-fase .6 V 0.Dados Técnicos 4.00 s ou ∞ (desativado) Incremento 0. 27-2 1) Limite de Dropout para (r· 27-1) ou (r· 27-2) .Sistema de sequência negativa das tensões .Avaliação de sistema de sequência positiva .Menor tensão fase-fase .00 Incremento 1 V Incremento 1 V Incremento 1 V Incremento 1 V Incremento 1 V Incremento 0. 225 V para tensão fase-terra Histerese mínima 0.Sistema de sequência positiva das tensões .01 V Limite de Dropout para (r· 59-1) ou (r· 59-2) max.Avaliação de tensões fase-terra . 27-2 1) 20 V a 150 V 20 V a 260 V 20 V a 150 V 2 V a 150 V 20 V a 150 V 20 V a 150 V 2 V a 150 V 20 V a 150 V 0.00 s a 100. 59 4.01 a 3.2009 . 130 V para tensão fase-fase max. 59-2 Grandeza medida usada Com conexão trifásica: . Manual E50417-G1179-C343-A1. 7SJ80.00 s a 100.Maior tensão fase-fase .99 Incremento 1 V Incremento 1 V Incremento 1 V Incremento 1 V incremento 1 V Incremento 1 V Incremento 1 V Incremento 1 V Incremento 0.90 a 0.6 V 0.00 A p/ INom = 5 A 0.8 Proteção de Tensão 27. T 59-2 1) r = Vdropout/Vpickup 412 SIPROTEC. 59 Faixas de Ajuste / Incrementos Subtensões 27-1.04 A a 1.01 max.00 s ou ∞ (desativado) Incremento 0.Avaliação de tensões fase-terra .Avaliação de sistema de sequência negativa Conexão: Monofásica Relação de Dropout para 27-1.Avaliação de sistema de sequência negativa Conexão de tensões fase-fase: .Avaliação de tensões fase-fase .Sistema de sequência positiva das tensões .Avaliação de tensões fase-fase .00 A Sobretensões 59-1.01 s Temporização T 59-1. 150 V para tensão fase-fase max.

Subtensão 27-1. 59-2 . 59-2 V2 Tempos de Dropout .Até 10 % 3º harmônico .Sobretensão 59-1. 7SJ80.Dados Técnicos 4. 59-1 V2 .Subtensão 27-1.95 ≤ f/fNom ≤ 1.Sobretensão 59-1 V1.5 %/10 K (131 °F) Frequência na faixa de 0. 27-1 V1. 50 ms aprox.Sobretensão 59-1. 59-2 V1. 50 ms aprox.2009 413 .15 1% Temperatura na faixa de –5 °C (41 °F) ≤ Θamb ≤ 55 °C 0. 59 Tempos Tempos de Pickup . 27-2 V1 . 50 ms aprox. 27-2.05 Frequência fora da faixa de 0. 60 ms Variáveis de Influência Tensão auxiliar DC na faixa 0.Até 10 % 5º harmônico 1% Tolerâncias aumentadas 1% 1% SIPROTEC. 59-2 V1. 50 ms aprox.95 ≤ f/fNom ≤ 1.8 ≤ VAux/VAuxNom ≤ 1.8 Proteção de Tensão 27. 27-2 V1 . 59-2 V2 Tolerâncias Limites de Tensão de Pickup Temporizações T 3 % do valor de ajuste ou 1 V 1 % do valor de ajuste ou 10 ms aprox. Publicação 05. 27-1 V1.Sobretensão 59-1 V1.05 Harmônicos . 59-1 V2 . 27-2. Manual E50417-G1179-C343-A1. 60 ms aprox. 59-2 .

Até 10 % 3º harmônico .9 Proteção de Sequência Negativa 46-1. 46-2 aprox. 46-2 4.3 Tolerâncias Valores de Pickup 46-1. 0.05 Harmônicos .00 A ou ∞ (desativado) p/ INom = 5 A 0. 46-2 Temporizações 3 % do valor de ajuste ou 15 mA para INom = 1 A ou 75 mA para INom = 5 A 1 % ou 10 ms Variáveis de Influência para Valores de Pickup Tensão Auxiliar DC na faixa de 0.00 s a 60.00 s Incremento 0.9 Proteção de Sequência Negativa 46-1.Até 10 % 5º harmônico Reação excessiva transiente para τ > 100 ms (com deslocamento total) 1% 0.46-2 Temporizações 46-1.50 A a 15.00 s a 60.00 s ou ∞ (desativado) 0. 35 ms Relação de Dropout Característica 46-1. 7SJ80. 46-2 Temporizações de Dropout 46 T DROP-OUT p/ INom = 1 A 0.95 ≤ f/fNom ≤ 1.05 Frequência fora da faixa de 0.01 s Limte Funcional Limite Funcional p/ INom = 1 A todas correntes de fase ≤ 10 A p/ INom = 5 A todas correntes de fase ≤ 50 A Tempos Tempos de Pickup Tempos de Dropout aprox.95 para I2/INom ≥ 0. 35 ms aprox.Dados Técnicos 4.15 Temperatura na faixa de –5 °C (41 °F) ≤ Θamb ≤ 55 °C (131 °F) Frequência in range 0. Publicação 05.8 ≤ VAux/VAuxNom ≤ 1.10 A a 3.5 %/10 K 1% tolerâncias aumentadas 1% 1% <5 % 414 SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1.01 A Incremento 0.95 ≤ f/fNom ≤ 1.00 A ou ∞ (desativado) 0.01 s Incremento 0. 46-2 Faixas de Ajuste / Incrementos Elemento de trip de carga desbalanceada 46-1.2009 .

00 A 0.10 Proteção de Sequência Negativa 46-TOC 4.10 Proteção de Sequência Negativa 46-TOC Faixas de Ajuste / Incrementos Valor de Pickup 46-TOC (I2p) Multiplicador de Tempo TI2p (IEC) Multiplicador de Tempo DI2p (ANSI) Limite Funcional Limite Funcional p/ INom = 1 A todas correntes de fase ≤ 10 A p/ INom = 5 A todas correntes de fase ≤ 50 A Curvas de Tempo de Trip de acordo com IEC Veja tamném a Figura 4-7 p/ INom = 1 A 0.00 s ou ∞ (desativado) incremento 0.10· I2p SIPROTEC.01 s incremento 0. Publicação 05.01 s incremento 0. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1.Dados Técnicos 4.01 A Os tempos de trip para I2/I2p ≥ 20 são idênticos àqueles para I2/I2p = 20 Limite de Pickup aprox.50 s a 15.2009 415 . 1.00 A p/ INom = 5 A 0.20 s ou ∞ (desativado) 0.05 s a 3.50 A a 10.10 A a 2.

Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 . Publicação 05.10· I2p Tolerâncias Limite de Pickup I2p Tempo para 2 ≤ I/I2p ≤ 20 3 % do valor de ajuste ou 15 mA para INom = 1 A ou 75 mA com INom = 5 A 5 % do valor de referência (calculado) + 2 % da tolerância de corrente. 7SJ80. respectivamente 30 ms 416 SIPROTEC.10 Proteção de Sequência Negativa 46-TOC Curvas de Tempo de Trip de acordo com ANSI Pode ser selecionado uma dascurvas características de tempo de trip representadas nas Figuras 4-8 e 4-9 cada uma no lado direito da figura. 1. Os tempos de trip para I2/I2p ≥ 20 são idênticos àqueles para I2/I2p = 20 Limite de Pickup aprox.Dados Técnicos 4.

95 ≤ f/fNom ≤ 1.10 Proteção de Sequência Negativa 46-TOC Curvas de Tempo de Dropout com Emulação de Disco de acordo com ANSI Representação das possíveis curvas de tempo de dropout. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. veja figuras 4-8 e 4-9 cada uma do lado esquerdo da figura As constantes de tempo de dropout aplicam-se para (I2/I2p) ≤ 0.2009 417 .Até 10 % 5º harmônico Reação excessiva transiente para τ > 100 ms (com deslocamento total) 1% 0.Dados Técnicos 4. 1.15 Temperatura na faixa de 23.05 Harmônicos . 0.8 ≤ VPS/VPSNom ≤ 1.Até 10 % 3º harmônico . ou 30 ms Variáveis de Influência para Valores de Pickup Tensão direta da fonte de alimentação na faixa de 0.5 %/10 K 1% 1% 1% <5 % SIPROTEC.90 3 % do valor de ajuste ou 15 mA para INom = 1 A ou 75 mA para INom = 5 A 5 % do valor de referência (calculado) +2 % da tolerância de corrente.95 · do limite de pickup I2 aprox. 7SJ80.90 Valor de Dropout IEC e ANSI (sem Emulação de Disco) ANSI com Emulação de Disco aprox.00 °F (-5 °C) ≤ Θamb ≤ 131.00 °F (55 °C) Frequência na faixa de 0.90 · I2p do valor de ajuste Tolerâncias Valor de Dropout I2p Tempo para I2/I2p ≤ 0.05 · I2p do valor de ajuste. que é de aproximadamente 0.

de acordo com IEC 418 SIPROTEC. 7SJ80.10 Proteção de Sequência Negativa 46-TOC Figura 4-7 Características de tempo de trip do elemento de sequência negativa de tempo inverso 46-TOC. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.2009 .Dados Técnicos 4.

Dados Técnicos 4. 7SJ80.10 Proteção de Sequência Negativa 46-TOC Figura 4-8 Características de tempo de trip e tempo de dropout do estágio de carga desbalanceada de tempo inverso. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.2009 419 . de acordo com ANSI SIPROTEC.

Manual E50417-G1179-C343-A1. de acordo com ANSI 420 SIPROTEC. 7SJ80. Publicação 05.10 Proteção de Sequência Negativa 46-TOC Figura 4-9 Características de tempo de trip e tempo de dropout do estágio de carga desbalanceada de tempo inverso.Dados Técnicos 4.2009 .

valor de dropout I 0.00 °F (-5 °C) ≤ Θamb ≤ 131.00 Hz 0.05 Tolerâncias Frequências de Pickup 81/O ou 81U Bloqueio de Subtensão Temporizações 81/O ou 81/U 15 mHz (com V = VNom. Manual E50417-G1179-C343-A1.5 %/10 K 1% 1% SIPROTEC.00 s a 100.00 Hz a 70. Vsyn"): tensão monofásica phase-terra Tempos Tempos de pickup f>. 80 ms em fNom = 60 Hz aprox.2009 421 .00 °F (55 °C) Harmônicos . Publicação 05. 100 ms em fNom = 50 Hz aprox.01 Hz incremento 0.01 Hz incremento 0.00 Hz 0. f = fNom ± 5 Hz) 3 % do valor de ajuste ou 1 V 1 % do valor de ajuste ou 10 ms Variáveis de Influência Tensão direta da fonte de alimentação na faixa de 0.cada um pode ser ajustado para f> ou f< 40.15 Temperatura na faixa de 23.00 Hz 50.8 ≤ VPS/VPSNom ≤ 1.01 Hz incremento 0. 7SJ80. 80 ms em fNom = 60 Hz Diferença de Dropout Δf = I valor de pickup . f< aprox.00 s ou ∞ (desativada) incremento 0.02 Hz a 1 Hz Relação de Dropout Relação de Dropout para Bloqueio de Subtensão aprox.11 Proteção de Frequência 81 O/U Faixas de Ajuste / Incrementos Número de elementos de frequência Valores de Pickup f> ou f< for fNom = 50 Hz Valores de Pickup f> ou f< for fNom = 60 Hz Limite de dropout = |limite de pickup . f< Tempos de dropout f>. 1. 100 ms em fNom = 50 Hz aprox.Até 10 % 3º harmônico .limite de dropout Temporizações T 4.Dados Técnicos 4.01 s incremento 1 V 10 V a 150 V Bloqueio de subtensão com conexão trifásica: Componente V1 de sequência positiva com conexão monofásica (conexão do tipo "Vph-n.11 Proteção de Frequência 81 O/U 4.Até 10 % 5º harmônico 1% 0.02 Hz a 1.00 Hz a 60.

0.0 relativa à constante de tempo para a máquina em movimento incremento 0.0 a 10.2009 .10 A a 4.5 %/10 K 1% Tolerâncias aumentadas 422 SIPROTEC. ou 75 mA for INom = 5 A.1 incremento 0.12 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 4. Classe 2 % de acordo com IEC 60255-8 3 % ou 1 s para I/(k ·INom) > 1.0 min a 999. Manual E50417-G1179-C343-A1. 0.9 min 0.) TEmergency 10 s a 15 000 s Característica de Trip incremento 1 s Relação de Dropouts Θ/ΘTrip Θ/ΘAlarm I/IAlarm Tolerâncias Referente a k · INom Referente a Tempo de Trip 3 % ou 15 mA para INom = 1 A.15 Temperatura na faixa de –5 °C (41 °F) ≤ Θamb ≤ 55 °C (131 °F) Frequência na faixa de 0.95 ≤ f/fNom ≤ 1.05 1% 0.05 Frequência fora da faixa de 0.50 A a 20.00 A 0.Dados Técnicos 4.99 aprox. Publicação 05.8 ≤ VAux/VAuxNom ≤ 1.95 ≤ f/fNom ≤ 1.10 a 4.97 Variáveis de Influência Relativas a k · INom tensão auxiliar DC na faixa de 0.1 min incremento 0. Classe 3 % de acordo com IEC 60255-8 Ocorre dropout com ΘAlarm aprox. 7SJ80.01 incremento 0.12 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 Faixas de Ajuste / Incrementos Fator k de acordo com IEC 60255-8 Constante de tempo τth Elemento de alarme de corrente IAlarm p/ INom = 1A p/ INom = 5A Extensão do fator kτ com a máquina em repouso 0.00 1.00 A 1.01 A Tempo de dropout (partida de emerg.25.

12 Proteção de Sobrecarga Térmica 49 Figura 4-10 Curvas de tempo de trip para proteção de sobrecarga térmica (49) SIPROTEC.Dados Técnicos 4. Publicação 05. 7SJ80.2009 423 . Manual E50417-G1179-C343-A1.

calculada Temporização de pickup T-DELAY Pickup Temporização de trip adicional 64-1 DELAY Tempo de operação Valor de dropout Tolerância de medição V0 > (medida) 3V0 > (calculada) Tolerâncias de tempo de operação V0 > 1. ou 5 mA para INom = 5 A para valores de ajuste < 10 mA aprox.Dados Técnicos 4.95 ou (valor de pickup – 0.01 s aprox.01 A incremento 0.01 s incremento 0. Manual E50417-G1179-C343-A1. 50N(s). ou 75 mA para INom = 5 A 1 % do valor de ajuste ou 10 ms não-sensitiva Tolerância do tempo de operação 424 SIPROTEC.0 V 0.6 V) 3 % do valor de ajuste ou 0. 51N(s) Elemento de Tensão Residual para Todos os Tipos de Faltas à Terra Tensão residual.95 para 50Ns > 50 mA 3% do valor de ajuste ou 1 mA para INom = 1 A.13 Proteção de Falta à Terra 64.00 A 0.00 s a 60. Publicação 05. 7SJ80. 50 ms 0.8 V a 200.1 V incremento 0.00 s ≤ 50 ms (não-direcional) ≤ 50 ms (direcional) incremento 0.13 Proteção de Falta à Terra 64. 67N(s).0 V a 225.005 A a 8.000 A 0.25 A a 175.005 A incremento 0.04 s a 320.00 s a 320. 67N(s). 0.05 A incremento 0. 50Ns-1 DELAY temporização de dropout 50Ns T DROP-OUT Tempo de operação Relação de Dropout Tolerância de medição sensitiva 0.1 V incremento 0.001 A incremento 0. medida Tensão residual .001 A a 1. 51N(s) 4.00 s ou ∞ 0.01 s incremento 0.3 V 3 % do valor de ajuste ou 3 V 1 % do valor de ajuste ou 10 ms incremento 0.0 V 3V0 > 10.00 s ou ∞ (desativada) aprox. Parte 303 Medição de tensão ( fase-terra) 10 V a 100 V 10 V a 100 V 3 % do valor de ajuste ou 1 V incremento 1V incremento 1V Pickup de Falta à Terra para Todos os Tipos de Faltas à Terra (Característica de Tempo Definido) Corrente de pickup 50Ns-2 PICKUP.2009 . 50Ns-1 PICKUP para transformador sensitivo de 1 A para transformador sensitivo de 5 A para transformador normal de 1 A para transformador normal de 5 A temporização 50Ns-2 DELAY. 50N(s).00 s ou ∞ (disabled) 0.600 A 0.01 s Detecção de Fase para Faltas à Terra em Sistema Não-Aterrado Princípio de Medição VPHASE MIN (Fase Falta Terra) VPHASE MAX (Fase sem Falta) Tolerância de medição de acordo com VDE 0435.00 A 0.10 s a 40 000. 20 % 3% do valor de ajuste ou 15 mA para INom = 1 A.05 A a 35.

Manual E50417-G1179-C343-A1.00 A incremento 0.95 ≤ f/fNom ≤ 1. dependendo do parâmetro 205 CT SECONDARY.005 A a 8.01 A incremento 0. A função é. Publicação 05. SIPROTEC.01 s Multiplicador de Tempo T51Ns Limite de Pickup Relação de Dropout Tolerância de medição 0.Até 10 % 3º harmônico .10 s a 4. 67N(s).000 A 0. 1.05 A incremento 0.10 · I51Ns aprox. ou 70 ms Variáveis de Influência Tensão auxiliar DC na faixa de 0.6 A ou 0.0 A.001 A a 1.95 ≤ f/fNom ≤ 1.001 A a 1. 1. a faixa linear da entrada de medição para detecção de falta à terra sensitiva é de 0.8 ≤ VAux/VAuxNom ≤ 1.5 %/10 K 1% tolerâncias aumentadas 1% 1% Nota: Quando usar transformador sensitivo.005 A a 7. entretanto.Dados Técnicos 4. ainda preservada para correntes maiores.Até 10 % 5º harmônico 1% 0.25 A a 20.005 A incremento 0.05 Harmônicos .00 s ou ∞ (desativado) aprox.00 A 0.13 Proteção de Falta à Terra 64. 7SJ80.2009 425 .001 A incremento 0. 50N(s).400 A 0.05 · I51Ns para I51Ns > 50 mA 3 % do valor de ajuste ou 1 mA Tolerância de tempo de medição na faixa linear 7 % do valor de referência (calculado) para 2 ≤ I/I51Ns ≤ 20 + 2 % tolerãncia de corrente. 51N(s) Pickup de Falta à Terra para Todos os Tipos de Faltas à Terra (Característica de Tempo Inverso) Característica definida pelo usuário (definida por um máximo de 20 pares de valores de corrente e temporização no método de medição de direção "cos phi e sen phi") Corrente de Pickup 51Ns para transformador sensitivo de 1 A para transformador sensitivo de 5 A para transformador normal de 1 A para transformador normal de 5 A 0.05 A a 4.05 Frequência fora da faixa de 0.15 Temperatura na faixa de –5 °C (41 °F) ≤ Θamb ≤ 55 °C (131 °F) Frequência na faixa de 0.

00 A aprox. 0.000 A 0. 50N(s).600 A 0.1 V incremento 1 V incremento 1° incremento 1° 0. a faixa linear da entrada de medição INom com transformador de entrada sensitiva integrado é de 0.4 V a 50 V 10 V a 90 V .1° incremento 1 s Determinação da Direção para Todos os Tipos de Faltas à Terra com Medição V0 ϕ / I0 ϕ Medição da direção Princípio de medição Elemento 50Ns-1 Tensão mínima 50Ns-1 Vmin V0 medida 3V0 calculada Ângulo de fase 50Ns-1 Phi Ângulo de fase Delta 50Ns-1 DeltaPhi Elemento 50Ns-2 Tensão mínima 50Ns-2 Vmin V0 medida 3V0 calculada Ângulo de fase 50Ns-2 Phi Ângulo de fase Delta 50Ns-2 DeltaPhi 0. 7SJ80. Para correntes maiores do que 1.05 A a 35. I2 para correção de ângulo para transformador sensitivo de 1 A para transformador sensitivo de 5 A para transformador normal de 1 A para transformador normal de 5 A Tolerância de medição Tolerância de ângulo 0.6 · INom.600 A 0. a determinação da direção correta não pode ser garantida.IN e VN medida .001 · INom a 1. F2 (para sistema ressonante-aterrado) Valores de corrente I1.00 A 3 % do valor de ajuste ou 1 mA 3° incremento 0.180° a 180° 0° a 180° incremento 0.3I0 e 3V0 calculada medição da potência ativa/reativa Incrementos 0. Manual E50417-G1179-C343-A1.05 A a 35.25 A tao 175. (componente de corrente perpendicular (90º) à linha de limite direcional) para transformador sensitivo de 1 A para transformador sensitivo de 5 A para transformador normal de 1 A para transformador normal de 5 A Relação de Dropout Método de medição linha de limite direcional PHI CORRECTION temporização de Dropout RESET DELAY .001 A incremento 0.01 A incremento 0.005 A 0.05 A incremento 0.001 A 0. 51N(s) Determinação da Direção para Todos os Tipos de Faltas à Terra com Medição de cos ϕ / sin ϕ Medição da direção Princípio de medição liberação da medição RELEASE DIRECT. 67N(s). Publicação 05.1° 0.000 A 0.6 · INom.00 A 0.2009 .005 A a 8.IN e VN medida .13 Proteção de Falta à Terra 64.3I0 e 3V0 calculada medição de ângulo de fase U0 / I0 Correção de Ângulo Correção de ângulo para conversor de cabo em dois pontos de operação F1/I1 e F2/I2: Correção de ângulo F1. 426 SIPROTEC.0° a +45.4 V a 50 V 10 V a 90 V .25 A a 175.80 cos ϕ e sin ϕ -45.00 A 0.005 A incremento 0.05 A Nota: Devido à alta sensitividade.0° a 5.001 A a 1.005 A a 8.01 A 0.180° a 180° 0° a 180° incremento 0.0° 1 s a 60 s 0.001 A a 1.1 V incremento 1 V incremento 1° incremento 1° .0° incremento 0.Dados Técnicos 4.

influenciadas pela função de religamento 50N-3.00 s ou ∞ 0. 50-3.Dados Técnicos 4.01 s a 320.01 s incremento 0.01 s 0.01 s incremento 1. 67N-1. 67N-1. 7SJ80.01 s Usando entrada binária com monitoramento do tempo 0. 51.14 Sistema de Religamento Automático 79 Número de religamentos 0 a 9 (separadamente para fase e terra) Ciclos 1 a 4 podem ser ajustados individualmente As seguintes funções de proteção iniciam 79 AR 50-1.01 s incremento 0. 50-3.01 s a 320.00 s ou ∞ As seguintes funções de proteção podem ser 50-1.10 s a 320.50 s a 320.01 s a 320. Manual E50417-G1179-C343-A1.01 s Usando entrada binária com monitoramento do tempo Máxima temporização de partida do tempo morto 0. entrada binária Bloqueio de 79 AR por Pickup das funções de proteção para as quais o bloqueio de 79 AR está ajustado (veja acima) Pickup trifásico (opcional) Entrada binária Último comando de trip após ter sido completado o ciclo de religamento (religamento mal sucedido) Comando de trip da proteção de falha do disjuntor Abertura do disjuntor sem partida de 79 AR Comando CLOSE Externo Monitoramento de falha do disjuntor Tempos mortos TDead (separatdamente para fase e terra e individualmente para ciclos 1 a 4) Extensão do tempo morto Duração de bloqueio para detecção manual de CLOSE TBlk Manual Close Duração de bloqueio após religamento TBlk Time Duração de bloqueio após bloqueio dinâmico TBlk Dyn Tempo de monitoramento do sinal de partida TStart Monitor Tempo de monitoramento do disjuntor TCB Monitor Extensão máxima do tempo morto TDead Exten Temporização de partida do tempo morto 0.0 s a 1800. 67-1.14 Sistema de Religamento Automático 79 4. 67N-TOC automático individualmente para os ciclos 1 a 4 (valor de ajuste T=T/ instantâneo T=0/ bloqueado T=infinito): Funções adicionais trip final Monitoramento do disjuntor pela avaliação dos contatos auxiliares Fechamento síncrono (opcionalmente com syncrocheck integrada ou externa) SIPROTEC. 50-2.00 s 0. 50N-1.0 s ou ∞ TDead Delay Tempo de operação TOperat 0. 50-2.01 s incremento 0. 67-TOC.01 s incremento 0. carga desbalanceada. 50N-1. detecção de falta à terra sensitiva. 50N-2.00 s 0.00 s incremento 0. 51N. 67N-TOC. 67N-2. 50N-2.2009 427 . Publicação 05. 51. 67N-2. 67-1.0 s incremento 0.50 s a 320. 67-2.00 s 0. 67-2.00 s ou ∞ incremento 0.01 s a 320. (sem partida 79 / partida 79 / bloqueada 79) 50N-3.00 s ou ∞ incremento 0.50 s a 320. 67-TOC. 51N.

5000 Ω/km 0.Dados Técnicos 4.0010 a 1.0001 incremento 0. milhas ou %. são assumidas quando a distância da falta é fornecida em km.15 Localizador de Falta Unidades de Medição de Distância em Ω primário e secudário em km ou milhas de extensão da linha ou em % da extensão da linha 1) Comando de trip.0001 incremento 0.2009 .0050 a 15. Tolerância de medição de acordo com VDE 0435.5% da localização da falta (sem alimentação 303 para Grandezas de Medição Senoidal intermediária) 30° ≤ ϕK ≤ 90° e VK/VNom ≥ 0. Dropout de um Elemento ou Comando externo via entrada binária p/ INom = 1 A 0.0000 Ω/milha p/ INom = 5 A 0.0010 a 3.9000 Ω/km 0. 7SJ80. Ao configurar linhas mistas.0 1) Linhas homogêneas ou seções de linha configuradas corretamente.0001 incremento 0. Publicação 05.0050 a 9.0001 Disparo Ajuste de Reatância (secundária) para os parâmetros remanescentes consulte os Dados do Sistema de Potência 2 (Power System Data 2). 428 SIPROTEC. o valor de reatância deve ser ajustado para cada seção da linha (A1 a A3). Parte 2.15 Localizador de Falta 4.0000 Ω/milha incremento 0.1 e IK/INom ≥ 1. Manual E50417-G1179-C343-A1.

00 A 0.para partida interna .95 ≤ f/fNom ≤ 1. 7SJ80. Publicação 05. ou 15 mA para INom = 1 A ou 75 mA para INom = 5 A 1 % ou 20 ms Temporização 50 BF temporizador de trip Variáveis de Influência para Valores de Pickup Tensão auxiliar DC na faixa de 0. SIPROTEC.8 ≤ VAux/VAuxNom ≤ 1.Até 10 % 3º harmônico . 50N-1 BF 3 % do valor de ajuste.01 A incremento 0. 25 ms 1) Tolerâncias Limite de Pickup 50-1 BF.01 A Tempos Tempos de Pickup .00 A 0.00 A 0.16 Proteção de Falha de Disjuntor 50BF 4.5 %/10 K 1% 1% 1% Uma outra temporização para a corrente pode ser causada por uma compensação no circuito secundário do TC.2009 429 .01 s incremento 0. Manual E50417-G1179-C343-A1.25 A a 100.25 A a 100.Dados Técnicos 4.00 A 0.06 s a 60.para partida externa Tempo de Dropout incluídos na temporização incluídos na temporização aprox.16 Proteção de Falha de Disjuntor 50BF Faixas de Ajuste / Incrementos Limite de Pickup 50-1 BF Limite de Pickup 50N-1 BF p/ INom = 1 A p/ INom = 5 A p/ INom = 1 A p/ INom = 5 A Temporização 50 BF temporizador de trip 0.Até 10 % 5º harmônico 1) 1% 0.15 Temperatura na faixa de –5 °C (41 °F) ≤ Θamb ≤ 55 °C (131 °F) Frequência na faixa de 0.05 A a 20.05 A a 20.05 Harmônicos .00 s or ∞ incremento 0.

17 Funções Flexíveis de Proteção 4. IN. V.01 Hz/s incremento 0. P para frente.01 Hz incremento 0. IN Relação I2/I1 Corrente sensitiva à terra INS Tensão V.IN2. sistema de sequência positiva.01 A Limites de Função Medição de potência trifásica Medição de potência monofásica Relação de medição I2/I1 p/ INom = 1 A p/ INom = 5 A p/ INom = 1 A p/ INom = 5 A p/ INom = 1 A p/ INom = 5 A Corrente de sistema de seq.1 V Incremento 0. df/dt.0 V 2. INS.00 A 0.001 A incremento 0.Dados Técnicos 4. cosϕ f.01 Hz incremento 0. 3I0.0 Hz a 70.500 A 2. P reversa.01 s incremento 0. ou neg> 0. I2. Q reversa cosϕ I. Q reversa.00 s 0.70 a 0.1 A Corrente de sist.01 s incremento 0.00 s incremento 0.99 40.0 Hz a 60. de seq.25 A a 200.Vx.99 0. valor r.5 A 430 SIPROTEC.00 Hz/s 1. Q para frente. V Fundamental.03 A Corrente de fase > 0. de seq. I2/I1.0 W a 10 000 W 10 W a 50 000 W -0.17 Funções Flexíveis de Proteção Valores Medidos/Modos de Operação Trifásico I. V. 3V0 Tensão residual VN Potência P. sistema de sequência negativa.01 s incremento 0.02 Hz a 1. V2. Q para frente. 3I0.001 A a 1. entrada binária Monofásico Sem referência fixa de fase Método de medição para I. I2.01 incremento 0.01 s incremento 1% incremento 0.10 Hz/s a 20.00 Hz 0.00 s 0.01 Hz incremento 0.00 0.05 A a 40.1 W incremento 0. pos.00 A 15% a 100% 0. P reversa. P para frente.0 V a 200. ou neg > 0.00 s 0. Publicação 05.01 a 3.0 V 2.1 V incremento 0. Q Fator de potência cosϕ Frequência Mudança de Frequência df/dt Relação de Dropout > elemento Relação de Dropout < elemento Diferença de Dropout f Temporização de Pickup (padrão) Temporização de Pickup para I2/I1 Temporização de comando Temporização de Dropout for fNom = 50 Hz for fNom = 60 Hz for IN = 1 A for IN = 5 A p/ IN = 1 A p/ IN = 5 A 0.00 s a 60.s. sistema de sequência zero exceção do valor limite ou queda abaixo do valor limite Pickup na Faixas de Ajuste / Incrementos Limites de Pickup: Corrente I. (True RMS). pos.15 A Corrente de sist. 7SJ80.15 A Corrente de fase > 0.0 V a 260.0 Hz 50. V2. positiva > 0.00 s a 3 600.2009 .03 A Corrente de sistema de seq. I1. V1.01 incremento 0.0 Hz 0.99 a +0. VN. V1.00 s a 28 800.00 s a 60. I1. Manual E50417-G1179-C343-A1.01 incremento 0.m. 3V0. positiva > 0.

120 ms aprox. tensão (grandezas de fase) Corrente. 30 ms aprox.05 Hz/s 1% do valor de ajuste ou 10 ms SIPROTEC.2 V 3% do valor de ajuste ou 0.2009 431 .2 V 4% do valor de ajuste ou 0.5 W (para valores nominais) 3° 15 mHz 5% do valor de ajuste ou 0. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. 30 ms aprox. 20 ms aprox. tensão (componentes simétricos) para 2 vezes o valor de ajuste para 10 vezes o valor de ajuste Potência típica máxima (sinais pequenos e valores limite) Fator de potência Frequência Entrada binária Tempos de Dropout: Corrente.25 vezes o valor de ajuste aprox. tensão (componentes simétricos) Potência típica máxima Fator de potência Frequência Mudança de frequência Entrada binária < 20 ms < 30 ms < 50 ms < 350 ms < 300 ms < 100 ms < 200 ms < 10 ms aprox. 40 ms aprox. tensão (grandezas de fase) para 2 vezes o valor de ajuste para 10 vezes o valor de ajuste Corrente.17 Funções Flexíveis de Proteção Tempos Tempos de Pickup: Corrente. 20 ms Mudança de frequência para 1. 100 ms aprox.Dados Técnicos 4. 220 ms Tolerâncias Limites de Pickup: Corrente para INom = 1 A para INom = 5 A Corrente (componentes simétricos) para INom = 1 A para INom = 5 A Corrente (I2/I1) Tensão Tensão (componentes simétricos) Potência Fator de potência Frequência Mudança de frequência Tempos 3% do valor de ajuste ou 15 mA 3% do valor de ajuste ou 75 mA 4% do valor de ajuste ou 20 mA 4% do valor de ajuste ou 100 mA 4% do valor de ajuste 3% do valor de ajuste ou 0. 350 ms 300 to 600 ms aprox.

7SJ80.Até 10 % 3º harmônico .8 ≤ VAux/VAuxNom ≤ 1.Até 10 % 5º harmônico 1% 0.95 ≤ f/fNom ≤ 1.17 Funções Flexíveis de Proteção Variáveis de Influência para Valores de Pickup Tensão auxiliar DC na faixa de 0.Dados Técnicos 4.05 Harmônicos . Publicação 05.95 ≤ f/fNom ≤ 1.05 Frequência fora da faixa de 0.5 %/10 K 1% Tolerâncias aumentadas 1% 1% 432 SIPROTEC.2009 .15 Temperatura na faixa de –5 °C (41 °F) ≤ Θamb ≤ 55 °C (131 °F) Frequência na faixa de 0. Manual E50417-G1179-C343-A1.

V2<V1 Tolerância Diferença de frequência f2>f1.01 Tempos Tempo de medição mínimo Duração Máxima TSYN DURATION Tempo de Monitoramento TSUP VOLTAGE Tolerância de todos os tempos aprox.00 s a 60. .01 s SIPROTEC. 7SJ80.00 Hz 30 mHz 2° a 80° 2° 5° para Δf ≤ 1 Hz 10° para Δf ≤ 1 Hz incremento 0.00 s 1% do valor de ajuste ou 10 ms incremento 0. f2<f1 Tolerância Diferenças de ângulo α2 > α1. .1 V incremento 0.Dados Técnicos 4.00 kV 2 % do valor de pickup ou 2 V aprox.Barra viva / linha morta.01 kV Diferenças Permitidas Diferenças de Tensão V2>V1.00 s ou ∞ (desativado) 0.01 Hz incremento 1° Casamento Casamento de grupo vetorial via ângulo Transformador de potencial diferente V1/V2 0° a 360° 0.1 (V<) incremento 1 V incremento 1 V incremento 1 V incremento 1 V incremento 0. α2 < α1 Tolerância Erro de ângulo máximo 0.10 kV a 800.18 Synchrocheck 25 Modos de Operação .00 incremento 1° Incremento 0. 80 ms 0.0 V (fase-fase) 1V 0.01 s a 1200.18 Synchrocheck 25 4.9 (V>) ou 1.Bypassando Tensões Tensão máxima de operação Vmax Tensão mínima de operação Vmin V< para linha inativa V> para linha ativa Tensão nominal primária do transformador V2N Tolerâncias Relação de Dropouts 20 V a 140 V (fase-fase) 20 V a 125 V (fase-fase) 1 V a 60 V (fase-fase) 20 V a 140 V (fase-fase) 0.01 s incremento 0. 0.01 Hz a 2.Synchrocheck Condições Adicionais de Liberação .5 V a 50.Barra morta / linha viva.2009 433 . Manual E50417-G1179-C343-A1.Barra morta e linha morta . Publicação 05.50 a 2.

ou 0.2009 .Tolerância 1) Tensão a ser sincronizada V2 .Faixa . ou 0.5 % de VNom in mHz fNom ± 3 Hz 30 mHz em ° 0 a 180° 1° na frequência nominal 434 SIPROTEC.Faixa . em V secundária ou em % de VNom 10 % a 120 % deVNom ≤ 1 % do valor medido.5 % de VNom em kV primário.Tolerância 1) Diferença de Ângulo α2 .Dados Técnicos 4.Faixa . Manual E50417-G1179-C343-A1.Faixa .Tolerância 1) Diferença de tensão V2-V1 .α1 .Faixa . em V secundária ou em % de VNom 10 % a 120 % de VNom ≤ 1 % do valor medido. 7SJ80.Tolerância 1) Diferença de frequência f2-f1 .5 % de VNom f1 em Hz 25 Hz ≤ f ≤ 70 Hz 20 mHz f2 em Hz 25 Hz ≤ f ≤ 70 Hz 20 mHz em kV primário. em V secundária ou em % de VNom 10 % a 120 % de VNom ≤ 1 % do valor medido.Tolerância 1) 1) em kV primário.Faixa . ou 0.18 Synchrocheck 25 Valores Medidos da Função Synchrocheck (Verificação de Sincronismo) Tensão de referência V1 .Faixa .Tolerância 1) Frequência da tensão V1 .Tolerância 1) Frequência da tensão V2 . Publicação 05.

19 Funções definidas pelo Usuário (CFC) Módulos de Função e Possíveis Designações para Níveis de Tarefa Módulo de Função Explicação MW_ BEARB ABSVALUE ADD ALARM AND FLASH BOOL_TO_CO BOOL_TO_DI BOOL_TO_IC BUILD_DI CMD_CANCEL CMD_CHAIN CMD_INF COMPARE CONNECT COUNTER DI_GET_STATUS DI_SET_STATUS D_FF D_FF_MEMO DI_TO_BOOL DINT_TO_REAL DIST_DECODE Cálculo de Magnitude Adição Relógio de Alarme Porta AND Bloco intermitente Booleano para Controle (conversão) Booleano para Ponto Duplo (conversão) Booleano p/ SI Interno.Dados Técnicos 4. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 435 . 7SJ80. Publicação 05. curva não linear X X X X X — — — — X — — X — X X X — X — X X Nível de Tarefa PLC1_ BEARB — X X X X X X X X X X — X X X X X X X X X X PLC_ BEARB — X X X X X X X X X X — X X X X X X X X X X SFS_ BEARB — X X X X — X X X X — X X X X X X X X X X X DIV DM_DECODE DYN_OR INT_TO_REAL LIVE_ZERO X X X X X X X X X — X X X X — X X X X — SIPROTEC.19 Funções definidas pelo Usuário (CFC) 4.Flipflop Memória de Status para Reinício Ponto Duplo para Booleano (Conversão) Adaptador Conversão de indicação de ponto duplo c/ status para quatro indicações de ponto simples c/ status Divisão Decodificar Ponto Duplo OR Dinâmico Conversão Zero vivo. Conversão Anunciação de Ponto Duplo Comando cancelado Sequência de Chaveamento Informação de Comando Comparação de valor medido Conexão Contador Decodificar indicação de ponto duplo Gerar indicação de ponto duplo c/ status D.

Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 . 7SJ80.Flipflop SR.1193h) Loop de Feedback Limite inferior Multiplicação Decodificar status de um valor Determinar status de um valor Porta NAND Negador Porta NOR Porta OR Adaptador Conversão Conversão Detector de elevação RS. Publicação 05.Flipflop RS.Flipflop com memória de estado Extrator de Raiz SR.Dados Técnicos 4.19 Funções definidas pelo Usuário (CFC) Módulo de Função Explicação MW_ BEARB Nível de Tarefa PLC1_ BEARB X X — X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X — X — PLC_ BEARB X — — X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X — X — SFS_ BEARB X X — X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X — — X — X — LONG_TIMER LOOP LOWER_SETPOINT MUL MV_GET_STATUS MV_SET_STATUS NAND NEG NOR OR REAL_TO_DINT REAL_TO_INT REAL_TO_UINT RISE_DETECT RS_FF RS_FF_MEMO SQUARE_ROOT SR_FF SR_FF_MEMO ST_AND ST_NOT ST_OR SUB TIMER TIMER_SHORT UINT_TO_REAL UPPER_SETPOINT X_OR ZERO_POINT Temporizador (max.Flipflop com memória de estado Porta AND c/ status Inversor com status Porta OR c/ status Subtração Temporizador Temporizador Simples Conversão Limite Superior Porta XOR Supressão Zero X X X X X X X X X X X X X X — — X — — X X X X — — X X X X 436 SIPROTEC.

o dispositivo é colocado no modo de monitoramento. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 437 . restaura o último ajuste válido de parâmetro e o utiliza para reiniciar Quando o limite é excedido. 7SJ80. consequentemente compartilham os recursos disponíveis do temporizador dentro do quadro desta inequação. A seguinte condição é aplicada para o nº máximo de temporizadores: (2 · número de TIMER + número de TIMER_SHORT) < 30.Dados Técnicos 4. o dispositivo rejeita o ajuste de parâmetro. Quando o limite é excedido. Consequentemente. uma mensagem de erro é emitida pelo dispositivo. A seleção dos valores de tempo para os blocos TIMER e TIMER_SHORT. SIPROTEC. Quando o limite é excedido. Número máximo de flipflops resistentes a reset D_FF_MEMO 350 Limites específicos do Dispositivo Descrição Limite Comentários Quando o limite é excedido. Consequentemente. então. uma mensagem de erro é emitida pelo dispositivo. Número máximo de mudanças síncro.165 nas de entradas de gráfico por nível de tarefa Número máximo de saídas de gráfico 150 por nível de tarefa Limites Adicionais Limites Adicionais1) para os seguintes blocos de CFC: Nível de tempo de Funcionamento TIMER2) 3) MW_BEARB PLC1_BEARB PLC_BEARB SFS_BEARB 1) Número Máximo de Módulos nos Níveis de Tarefa TIMER_SHORT2) 3) — 15 — — 30 — 2) 3) Quando o limite é excedido. O LED vermelho de ERRO acende. pois os blocos. O limite não é aplicado para LONG_TIMER. Consequentemente. Número máximo de todos os gráficos 32 CFC. O LED vermelho de ERRO acende. o dispositivo inicia o monitoramento. o dispositivo inicia o monitoramento. uma mensagem de erro é emitida pelo dispositivo. exibindo uma mensagem de erro. O LED vermelho de ERRO acende. o dispositivo inicia o monitoramento. uma mensagem de erro é emitida pelo dispositivo. Publicação 05. Consequentemente. TIMER e TIMER_SHORT. não deve ser mais curta do que a resolução de tempo do dispositivo. O LED vermelho de ERRO acende.19 Funções definidas pelo Usuário (CFC) Limites Gerais Descrição Limite Comentários Quando o limite é excedido. uma mensagem de erro é emitida pelo dispositivo. o dispositivo inicia o monitoramento. considerando um nível de tarefa Número máximo de todas as entradas 400 de CFC considerando todos os gráficos. considerando todos os níveis de tarefa Número máximo de todos os gráficos 16 CFC. O LED vermelho de ERRO acende. não iniciarão com o pulso de partida. Consequentemente.

requisição básica Cada entrada mais do que 3 entradas para módulos genéricos Conexão com um sinal de entrada Conexão com um sinal de saída Adicional para cada gráfico Aritmético ABS_VALUE ADD SUB MUL DIV SQUARE_ROOT Lógica básica AND CONNECT DYN_OR NAND NEG NOR OR RISE_DETECT X_OR Status de informação SI_GET_STATUS CV_GET_STATUS DI_GET_STATUS MV_GET_STATUS SI_SET_STATUS DI_SET_STATUS MV_SET_STATUS ST_AND ST_OR ST_NOT Número de TICKS 5 1 6 7 1 5 26 26 26 54 83 5 4 6 5 4 5 5 4 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5 5 438 SIPROTEC. 7SJ80. uma mensagem de erro é emitida no CFC.Dados Técnicos 4.19 Funções definidas pelo Usuário (CFC) Número Máximo de TICKS nos Níveis de Tarefa Nível de Tarefa MW_BEARB (processamento de valor medido) PLC1_BEARB (processamento lento PLC) PLC_BEARB (processamento rápido PLC) SFS_BEARB (intertravamento) 1) Limite em TICKS 1) 10 000 2000 400 10 000 Quando a soma de TICKS de todos os blocos exceder os limites mencionados anteriormente. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 . Tempos de Processamento em TICKS Requisitados pelos Elementos Individuais Elemento Individual Bloco.

19 Funções definidas pelo Usuário (CFC) Elemento Individual Memória D_FF D_FF_MEMO RS_FF RS_FF_MEMO SR_FF SR_FF_MEMO Comandos de controle BOOL_TO_CO BOOL_TO_IC CMD_INF CMD_CHAIN CMD_CANCEL LOOP Conversor de tipo BOOL_TO_DI BUILD_DI DI_TO_BOOL DM_DECODE DINT_TO_REAL DIST_DECODE UINT_TO_REAL REAL_TO_DINT REAL_TO_UINT Comparação COMPARE LOWER_SETPOINT UPPER_SETPOINT LIVE_ZERO ZERO_POINT Valor medido Pulso de tempo e relógio COUNTER TIMER TIMER_LONG TIMER_SHORT ALARM FLASH Número de TICKS 5 6 4 4 4 4 5 5 4 34 3 8 5 5 5 8 5 8 5 10 10 12 5 5 5 5 6 5 5 8 21 11 Configurável na Matriz Em adição às pré-determinações definidas. 7SJ80. SIPROTEC. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. pré-configurações podem ser removidas. indicações e valores medidos podem ser configurados livremente para buffers.2009 439 .Dados Técnicos 4.

707 a 1 com SNom =√3 · VNom · INom total e fase segregada -1 a +1 3 % para | cos ϕ | ≥ 0. ativa. VC-N Tensões (fase-fase) VA-B. potência aparente Faixa Tolerância 1) P.Dados Técnicos 4. Vph-N. IB.5 % do valor medido.5° in Hz fN = 5 Hz 20 mHz em % 0 % a 400 % Classe de precisão 5% de acordo com IEC 60255-8 em A (kA) primário e em mA secundário Q.20 Funções Adicionais 4. Vx or V0 Componente de sequência positiva V1 Componente de sequência negativa V2 Faixa Tolerância 1) S. total e fase segregada em kW (MW ou GW) primário e em % SNom 0 % a 120 % de SNom 2 % de SNom para V/VNom e I/INom = 50 a 120% e | cos ϕ | = 0. Fator de potência2) Faixa Tolerância 1) Ângulo ϕA. INs active. potência ativa Faixa Tolerância 1) em A (kA) primário e em A secundário ou em % de INom 10 % a 150 % IN 1. VB-C. ou 0.5 % de SNom para V/VNom e I/INom = 50 a 120% com sinal.707 em graus ( ° ) 0 a 180° 0.5 % de VNom em kVAR (MVAR ou GVAR) primário e em % de SNom 0 % a 120 % de SNom 1. VSYN VN. VB-N. Faixa Tolerância 1) Frequência f Faixa Tolerância 1) Proteção de temperatura de sobrecarga Θ /ΘTrip Faixa Tolerância 1) Correntes de detecção sensível de falta à terra (corrente total. ϕC. potência reativa Faixa Tolerância 1) cos ϕ.2009 .707 a 1 com SNom =√3 · VNom · INom com sinal. ou 1 % INom e de 151 % a 200 % INom 3 % do valor medido em kV primário. Manual E50417-G1179-C343-A1. e reativa) INs. INs reactive 440 SIPROTEC. em V secundária ou em % de VNom 10 % a 120 % de VNom 1. total e fase segregada em kVAR (MVAR or GVAR) primário e em % de SNom 0 % a 120 % de SNom 2 % de SNom para V/VNom e I/INom = 50 a 120% e | sin ϕ | = 0. VC-A.20 Funções Adicionais Valores Operacionais Medidos Correntes IA. IC Componente de sequência positiva I1 Componente de sequência negativa I2 IN ou 3I0 Faixa Tolerância 1) Tensões (fase-terra) VA-N. ϕB.5 % do valor medido. Publicação 05. 7SJ80.

I1dmd em A (kA) Pdmd em W (kW. Frequência Θ/ΘTrip IAdmd.5 A . Q.5 A . I1 (componente de sequência positiva) VA-N. de Sobrecarga Valores Max/Min para Valores Médios Monitoramento de Falha de Fusível Faixa de ajuste de tensão residual 3U0 acima da 10 V . 0 a 1439 min) Quadro de tempo e tempo de início ajustáveis (e dias.100 V qual falha de tensão é detectada Faixa de ajuste de corrente à terra acima da qual 0. IBdmd. cos ϕ. VC-N. P.1 A para IBdmd = 1 A nenhuma falha de tensão é assumida 0. IBdmd. MW) Qdmd em VAr (kVAr. somente para conexão de tensões fase-terra SIPROTEC. ICdmd. ICdmd. 7SJ80.1 A . 30 ou 60 minutos ajustável Relatório Max/Min Armazenagem de Valores Medidos Reset Automático Reset Manual com data e hora Hora do dia ajustável (em minutos. VB-C.1 A . VB-N. Publicação 05.35 A para IBdmd = 1 A 0.2009 441 . V1 (componente de sequência positiva). IC. VA-B. IB. I1 (componente de sequência positiva). MVAr) 5. Qdmd Valores Max/Min para Corrente Valores Max/Min para Tensões Valores Max/Min para Potência Valores Max/Min para Prot. bipolar ou tripolar de circuitos de transformador de potencial.5 A para IBdmd = 5A Faixa de ajuste de limite de pickup I> acima da qual nenhuma falha de tensão é assumida Monitoramento de medição de tensão 0. VC-A S.20 Funções Adicionais Faixa Tolerância 1) Função Synchrocheck 1) 2) 0 mA a 1600 mA ou 0 A a 8 A para INom = 5 A 3 % do valor medido ou 1 mA veja Seção (Synchrocheck) na Frequência Nominal Display de cos ϕ como I/INom e V/VNom maior do que 10% Médias de Longo Prazo Janela de Tempo Frequência de Atualizações Médias de Longo Prazo de Correntes de Potência Real de Potência Reativa de Potência Aparente IAdmd. Manual E50417-G1179-C343-A1. 15.175 A para IBdmd = 5A depende de MLFB e configuração com valores medidos e calculados VN e IN Supervisão de Circuito Interrompido dos Circuitos do Transformador de Potencial Indicado para detecção de circuito interrompido monopolar. 1 a 365 dias. MVAr) Sdmd em VAr (kVAr.Dados Técnicos 4. Pdmd. e ∞) Usando entrada binária Usando teclado Via comunicação IA. Sdmd.

num total de até 18 s em 50 Hz (max.Dados Técnicos 4. Publicação 05. 15 s em 60 Hz) 1 valor instantâneo cada por 1. Tempo de gravação Intervalos em 50 Hz Intervalos em 60 Hz 5 s por gravação de falta. memória mantida pela bateria de buffer. 7SJ80. para I > Ilimit Vmax/Vmin > fator de simetria. Manual E50417-G1179-C343-A1.83 ms 442 SIPROTEC.2009 .01 % Bateria de lítio 3 V/1 Ah. em caso de falha de tensão auxiliar.20 Funções Adicionais Monitoramento de Valor Medido Local Assimetria de corrente Assimetria de tensão Soma de corrente Imax/Imin > fator de simetria.0 ms 1 valor instantâneo cada por 0. com Sequência de fase de corrente Sequência de fase de tensão Monitoramento de valor limite Horário (ABC) / anti-horário (ACB) Horário (ABC) / anti-horário (ACB) IA > valor limite IAdmd> IB > valor limite IBdmd> IC > valor limite ICdmd> I1 > valor limite I1dmd> IL< valor limite IL< cos ϕ < valor de limite mais baixo | cos ϕ |< P > valor limite de potência real |Pdmd | > Q > valor limite de potência reativa | Qdmd | > S > valor limite de potência aparente Sdmd > Gravação de Evento de Falta Gravação de indicações das 8 últimas faltas do sistema de potência Gravação de indicações das 3 últimas faltas à terra do sistema de potência Alocação de Tempo Resolução para Registro de Evento (Anunciações de Operação) Resolução para Registro de Trip (Anunciações de Falta) Desvio Máximo de Tempo (Relógio Interno) Bateria 1 ms 1 ms 0. tipo CR 1/2 AA Mensagem “Battery Fault“ p/ carga insuficiente de bateria Gravação de Falta Máximo de 8 gravações salvas de falta. para V > Vlimit | iA + iB + iC + kI · iN | > valor limite.

com base no valor instantâneo: I2t fase-seletiva um valor limite para cada subfunção Até 13 casas decimais Monitoramento do Circuito de Trip Com uma ou duas entradas binárias.s. 7SJ80.2009 443 .1 VNom and | cos ϕ | ≥ 0.Criação de um relatório de falta de teste .Valores de operação medidos .Criação de mensagens SIPROTEC. Publicação 05. V > 0.707 Tolerância 1) 1) na Frequência Nominal Estatísticas Número Salvo de Trips Número de Comandos de Religamento Automático (discriminados de acordo com o 1º e ≥ ο 2º ciclos) Corrente Acumulada Interrompida (discriminada de acordo com o polo) Até 9 digitos Até 9 digitos Até 4 digitos Contador de Horas Operacionais Alcance do Display Critério Até 7 dígitos Ultrapassagem de um limite ajustável de corrente (elemento 50-1.: ΣI. Ajudas de Comissionamento . Wq (energia real e reativa) Faixa em kWh (MWh or GWh) e em kVARh (MVARh ou GVARh) 28 bit ou 0 a 2 68 435 455 decimal para IEC 60870-5-103 (protocolo VDEW ) 31 bit ou 0 a 2 147 483 647 decimal para outros protocolos (outros que não VDEW) ≤ 2 % para I > 0.Teste do disjuntor por meio da função de controle . ΣIx.m.1 INom.teste de rotação de fase . BkrClosed I MIN) Monitoramento do Disjuntor Método de cálculo Aquisição de valor medido/processamento Avaliação Número salvo de valores estatísticos com base no valor r. 2P.Dados Técnicos 4. Manual E50417-G1179-C343-A1.20 Funções Adicionais Contador de Energia Valores Medidos para Energia Wp.

1 2 3 4 5 Modo de operação Interno IEC 60870-5-103 Pulso via entrada binária Explicações Sincronização interna usando RTC (pré-ajuste) Sincronização externa usando porta B (IEC 60870-5-103) Sincronização externa com pulso via entrada binária Entrada binária Comunicação Barramento de campo (DNP. Sincronização externa usando barramento de campo VDEW Redundante) NTP (IEC 61850) Sincronização externa usando porta B (IEC 61850) Grupo de Mudança de Parâmetros da Função Número de grupos de ajuste disponíveis A comutação pode ser efetuada via 4 (grupo de parâmetro A. Modbus. 7SJ80. B.Dados Técnicos 4.2009 . Manual E50417-G1179-C343-A1. GOOSE geralmente não está qualificado para aplicações relevantes de proteção. C e D) teclado no dispositivo DIGSI usando a interface do operador protocolo usando porta B entrada binária IEC 61850 GOOSE (Comunicação Inter-relé) O serviço de comunicação GOOSE de IEC 61850 está qualificado para intertravamento da subestação. 444 SIPROTEC. Publicação 05.20 Funções Adicionais Relógio Sincronização de Tempo Modos de operação para rastreamento de tempo No. A aplicação de proteção deve ser verificada quanto ao tempo necessário de transmissão e esclarecida com o fabricante. Uma vez que o tempo de transmissão de mensagens de GOOSE depende tanto do número de clientes de IEC 61850 quanto da condição de pickup do relé.

21 Controle do Disjuntor Número de Dispositivos de Chaveamento Dependo do número de entradas e saídas binárias disponíveis controlados Intertravamento Mensagens Comandos de Controle Controlador lógico programável Controle Local Controle Remoto Intertravamento livremente programável Mensagens de feedback.Dados Técnicos 4. Publicação 05.2009 445 .e 2 polos SIPROTEC.21 Controle do Disjuntor 4. por exemplo) Comando de Chaveamento para Disjuntor 1-. 7SJ80. por exemplo) Usando DIGSI (via Modem. Manual E50417-G1179-C343-A1. posição intermediária Comando simples / comando duplo Lógica PLC. fechado. ferramenta gráfica de entrada Controle via menu de controle designação de teclas de função Usando Interfaces de Comunicação Usando automação de subestação e sistema de controle (SICAM. 1½ . aberto.

22 4. Publicação 05.2009 . 446 SIPROTEC. é necessário modificar os suportes de montagem. Usando a interface Ethernet. Manual E50417-G1179-C343-A1.Dados Técnicos 4. 7SJ80.22 Dimensões 4.22.1 Dimensões Montagem Semi-Embutida em painel e Cubículo (Tamanho da Caixa 1/6) Figura 4-11 Desenho dimensional de um 7SJ80 para montagem embutida ou em cubículo (tamanho da caixa 1/6) Nota: São necessários 2 suportes de montagem (Pedido nº: C73165-A63-C200-4) para instalar o dispositivo em um rack.

2 Montagem Sobreposta em Painel (Tamanho da Caixa 1/6) Figura 4-12 Desenho dimensional de um 7SJ80 para montagem sobreposta em painel (tamanho da caixa 1/6) 4. Manual E50417-G1179-C343-A1.Dados Técnicos 4. 7SJ80.3 Vista Inferior Figura 4-13 Vista Inferior de um 7SJ80 (tamanho da caixa 1/6) SIPROTEC.2009 447 .22.22 Dimensões 4.22. Publicação 05.

22.4 Varistor Figura 4-14 Desenho dimensional do varistor para limitação de tensão na proteção diferencial de altaimpedância ■ 448 SIPROTEC.22 Dimensões 4.Dados Técnicos 4. Publicação 05. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 .

6 A. uma referência para o usuário com experiência.5 A. Diagramas de conexões indicando os terminais de conexões dos modelos deste dispositivo estão também incluidos.10 A.2 A. Publicação 05. Seguindo aos diagramas gerais estão diagramas que mostram as conexões adequadas dos dispositivos a equipamento primário em várias configurações típicas de sistema de potência.2009 449 . Esta seção fornece informações de pedido para os modelos deste dispositivo. A.3 A.9 A.Apêndice A Este apêndice é antes de mais nada. Ajustes padrão também são fornecidos.7 A. 7SJ80.1 A.8 A.4 A.11 Informações de Pedidos e Acessórios Designações de Terminais Exemplos de Conexões Requerimentos do Transformador de Corrente Ajustes Padrão Funções Dependentes de Protocolo Escopo Funcional Ajustes Lista de Informações Grupo de Alarmes Valores Medidos 450 456 460 473 476 483 484 486 503 525 526 SIPROTEC. Tabelas com todos os ajustes e todas as informações disponíveis neste dispositivo equipado com todas as opções são fornecidas. Manual E50417-G1179-C343-A1.

Publicação 05.Apêndice A. 7 BI. lingua Alemã (lingua pode ser mudada). painel frontal padrão Região RUS.1 7SJ80 V4. lingua Inglês-USA (lingua pode ser mudada).6 A / 0.1.1 Informações de Pedidos e Acessórios Informações de Pedidos A. 6 Pos. 3 BI. Ins (sensitiva) = 0. 5 BO (2 contatos de reversíveis). 11 0 1 2 3 9 450 SIPROTEC. 1 contato de status (watchdog) Caixa 1/6 19” 4 x I. painel frontal padrão Região US. 3x V.1 Informações de Pedidos e Acessórios A.1. 8 BO (2 contatos de reversíveis). 5 BO (2 contatos reversíveis). terminais tipo olhal Ajustes padrão de regiões específicas / versões de funções e ajustes padrão de idioma Região DE. 1 contato de status (watchdog) Caixa 1/6 19” 4 x I. IEC/ANSI. lingua Russa (lingua pode ser mudada). AC 230 V Construção Caixa de montagem sobreposta. ANSI. IEC/ANSI. IEC/ANSI. In = 1 A / 5 A Iph = 1 A. lingua Inglêsa (lingua pode ser mudada). 3 BI. terminais tipo olhal Caixa de montagem semi-embutida em painel. lingua Francêsa French (lingua pode ser mudada). 3 x V. painel frontal padrão Região mundo. RS232 elétrica IEC60870-5-103 ou DIGSI4/Modem. 1 contato de status (watchdog) Caixa 1/6 19” 4 x I. 8 Pos. AC115 V. 7 BI. ótico 820nm. Manual E50417-G1179-C343-A1. traseiro) não equipado IEC60870-5-103 ou DIGSI4/Modem. lingua Espanhola (lingua pode ser mudada).2009 . 10 A B C D E F G Pos.005 a 8 A Tensão auxiliar fonte de alimentação. RS 485 elétrica IEC60870-5-103 ou DIGSI4/Modem.001 a 1. painel frontal padrão Região world. IEC. tensão piloto) DC 24/48 V DC 60 V/ 110 V/ 125 V/ 220 V/ 250V.1 A. 7 Pos. IEC/ANSI. 1 contato de status (watchdog) Entradas de medição (4 x I) Iph = 1 A. painel frontal padrão Região world. painel frontal padrão Porta B (parte inferior do dispositivo. IEC/ANSI.1. 9 Pos.6 Dispositivo de Proteção Multifunção com controle 6 7 S J 8 0 7 – 8 9 10 11 12 – 13 14 15 16 F + Suplementar Número de entradas e saídas binárias Caixa 1/6 19” 4 x I. 7SJ80. lingua Italiana (lingua pode ser mudada). conector ST Para outras opções de interface veja Informações Adicionais a seguir B E 1 5 1 2 1 2 3 4 Pos. painel frontal US Região FR. 8 BO (2 contatos de reversíveis).

820 nm. uma fonte de alimentação adicional 7XV5810–0BA00 é necessária. traseiro. conector ST DNP3. Manual E50417-G1179-C343-A1. conector ST Conversor SIEMENS OLM1) SIEMENS OLM1) 1) Suplementar +L0A +L0B +L0D +L0E +L0G +L0H +L0P +L0R +L0S Número de Pedido 6GK1502–2CB10 6GK1502–3CB10 Uso para anel simples para anel duplo O conversor requer uma tensão de operação de 24 V DC. RS485 elétrica Modbus. 13 1 3 SIPROTEC.0. conector RJ45 IEC 61850. ótica de anel duplo. não IEC61850). ótica 820 nm. 100Mbit Ethernet ótica. Porta A (parte inferior do dispositivo. RS485 elétrica. conector RJ45 Medição / Gravação de Falta Com gravação de falta Com gravação de falta.1 Informações de Pedidos e Acessórios Informações para portas adicionais (parte inferior do dispositivo. porta B) Profibus DP Escrava. Publicação 05.2009 451 . valores médios.Apêndice A. conector ST Protocolo IEC 60870-5-103. 7SJ80. 12 0 6 Pos. valores min/max Pos. dupla. 100Mbit Ethernet elétrica.0. redundante. ótical 820 nm. frente) não equipado com porta Ethernet (porta DIGSI. RS485 elétrica DNP3. dupla. conector RJ45 IEC 61850. RS485 elétrica Profibus DP Escrava. Se a tensão de operação disponível for > 24 V DC. conector ST Modbus.

50-1. 67N-TOC Proteção de falta à terra direcional 67Ns-1. 67N-2. Proteção de Sobrecorrente Temporizada à Terra 50N-1. 50-2. Publicação 05.2009 .f> Sequência de fase Funções de proteção flexíveis (parâmetros de corrente e tensão):Tensão. 50Ns-2. 51. 50N-2. 51Ns 1) Proteção Diferencial de Falta à Terra de Alta Impedância (87N (REF) só disponível com entrada de corrente à terra sensitiva 7 = 2)) 1) Proteção de sobrecarga térmica Supervisão do circuito de trip Proteção de carga desbalanceada Proteção de falha do disjuntor Monitoramento de subcorrente Bloqueio Pickup de carga fria (mudanças de ajustes dinâmico) Funções de monitoramento Controle do disjuntor Funções de proteção flexíveis (parâmetros de corrente): Restrição à Inrush Proteção de falta à terra direcional 67N-1. 27-1. 67-TOC Proteção de falta à terra direcional 67N-1. fator de potência. fator de potência.Apêndice A. potência. 67Ns-TOC 1) Tensão residual Subtensão / sobretensão 59-1.f> Sequência de fase Funções de proteção flexíveis (parâmetros de corrente e tensão):Tensão.1 Informações de Pedidos e Acessórios Funções Designação Função básica (incluido em todas as versões) 2) ANSI No. 67-2. 50-3. — 50/51 50N/51N 50N(s)/ 51N(s) 87N Descrição Controle Proteção de Sobrecorrente Temporizada de Fase. potência. 67Ns-TOC 1) Tensão residual Subtensão / sobretensão 59-1. f< . 27-1. 59-2. 15 A 49 74TC 46 50BF 37 86 — Versão básica 3) + detecção de falta à terra direcional + proteção de tensão + proteção de frequência 67N 67N(s) 64/59N 27/59 81 U/O 47 32/55/81R B Versão básica 3) + detecção de falta à terra direcional + fase de suplemento direcional + proteção de tensão + proteção de frequência 67 67N 67N(s) 64/59N 27/59 81 U/O 47 32/55/81R C 452 SIPROTEC. 67Ns-2. proteção de mudança de frequência Determinação da direção para sobrecorrente de fase 67-1. 7SJ80. f< . 59-2. 50N-3. 51N Proteção de Falta à Terra 50Ns-1. 27-2 Subfrequência / sobrefrequência. proteção de mudança de frequência Pos. Manual E50417-G1179-C343-A1. 67Ns-2. 27-2 Subfrequência / sobrefrequência. 67N-TOC Proteção de falta à terra direcional 67Ns-1. 67N-2.

potência. 67-TOC Subtensão / sobretensão (phase-to-phase) Subfrequência / sobrefrequência.f> Sequência de fase Synchrocheck Funções de proteção flexíveis (parâmetros de corrente e tensão):Tensão.2009 453 . 7SJ80.Apêndice A. quanto como proteção de falta à terra (entrada normal IN ). com localizador de falta 1) Somente entregue em conexão com 6º dígito = 3 ou 4 (3 x V). 2) 3) Função de Religamento Automático 79AR / Localizador de Falta 21FL Sem 79. sem localizador de falta 79 21FL 79.1 Informações de Pedidos e Acessórios Funções Versão básica + fase de suplemento direcional + proteção de tensão + proteção de frequência + Synchrocheck 3) Pos. 15 Q 67 27/59 81 U/O 47 25 32/55/81R Determinação da direção para sobrecorrente de fase 67-1. fator de potência. Publicação 05. 67-2. a função opera tanto como proteção de falta à terra (entrada sensitiva). 16 0 1 2 3 Com 79 Com localizador de falta 1) Com AR. Somente entregue em conexão com 6º dígito = 3 ou 4 (3 x V). Manual E50417-G1179-C343-A1. Somente entregue em conexão com 6º dígito = 1 ou 2. SIPROTEC. 21FL 1) Pos. proteção de mudança de frequência 1) Dependendo da entrada de corrente à terra na posição 7. f< .

tipo CR 1/2 AA Nº de Pedido VARTA 6127 101 501 454 SIPROTEC. C73165-A63-C200-4 Bateria Bateria de Lítio 3 V/1 Ah. com conector ST Nº de Pedido.2 Acessórios Módulos intercambiáveis de interface Nome RS232 RS485 FO 820 nm Profibus DP RS485 Profibus DP anel duplo Modbus RS485 Modbus 820 nm DNP 3.Apêndice A. Publicação 05. 7SJ80. Conector FC 820 nm.0 820 nm Ethernet elétrica (EN 100) Ethernet ótica (EN 100) Protocolo IEC 60870-5-103 . Manual E50417-G1179-C343-A1.1 Informações de Pedidos e Acessórios A. C53207-A351-D641-1 C53207-A351-D642-1 C53207-A351-D643-1 C53207-A351-D611-1 C53207-A351-D613-1 C53207-A351-D621-1 C53207-A351-D623-1 C53207-A351-D631-1 C53207-A351-D633-1 C53207–A351-D675-2 C53207–A351-D676–1 C53207–A351-D644–1 C53207-A351-D151-1 Conversor de Fibra Ótica RS485 Conversor de fibra ótica RS485 820 nm. redundante RS485 Ethernet porta elétrica na porta A Nº de Pedido. 7XV5650–0AA00 7XV5650–0BA00 Trilho de montagem para Racks de 19" Nome Fita de ângulo (Trilho de Montagem) Nº de Pedido.1.0 RS 485 DNP 3.2009 .

Apêndice A. 7SJ80. completo CC GS Terminal de corrente 3xI. 1S/S256 240 Veff. 600 A. completo 2x7P GS (bloco C. completo 2x7P GS. 1S/S1088 Número de Pedido C53207-A401-D76-1 C53207-A401-D77-1 SIPROTEC.2009 455 . impressão inversa (bloco D) Terminal de corrente 4xI.1 Informações de Pedidos e Acessórios Terminais Terminal de tensão. 600 A. Manual E50417-G1179-C343-A1. completo CC GS Terminal de corrente de links de curto-circuito (3 peças) Terminal de tensão de links de curto-circuito (6 peças) C53207-A406-D181-1 C53207-A406-D182-1 C53207-A406-D185-1 C53207-A406-D186-1 C53207-A406-D193-1 C53207-A406-D194-1 Varistor Resistor de limitação de tensão para proteção diferencial de alta-impedância Nome 125 Veff. E) Terminal de tensão. Publicação 05. 1xINs.

Apêndice A. Publicação 05. 7SJ80.2009 .2.2 Designações de Terminais A.2 A. Manual E50417-G1179-C343-A1.1 Designações de Terminais 7SJ80 — Caixa para montagem semi-embutida e instalação em cubículo para montagem sobreposta em painel 7SJ801* Figura A-1 Diagrama de bloco 7SJ801* 456 SIPROTEC.

7SJ80.2 Designações de Terminais 7SJ802* Figura A-2 Diagrama de bloco 7SJ802* SIPROTEC.Apêndice A. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 457 . Publicação 05.

2009 . Manual E50417-G1179-C343-A1.Apêndice A. Publicação 05.2 Designações de Terminais 7SJ803* Figura A-3 Diagrama de bloco 7SJ803* 458 SIPROTEC. 7SJ80.

7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 459 . Publicação 05.Apêndice A.2 Designações de Terminais 7SJ804* Figura A-4 Diagrama de bloco 7SJ804* SIPROTEC.

2009 . Manual E50417-G1179-C343-A1.3 Exemplos de Conexões A.Apêndice A. 7SJ80. Publicação 05.3 Exemplos de Conexões Figura A-5 Conexões de transformador de corrente para três transformadores de corrente e corrente de ponto estrela (corrente à terra) (conexãoHolmgreen) – apropriado para todas as redes Figura A-6 Conexões de transformador de corrente para dois transformadores de corrente – só para redes isoladas ou ressonantes-aterradas 460 SIPROTEC.

3 Exemplos de Conexões Figura A-7 Conexões de transformador de corrente para três transformadores de corrente.2009 461 .corrente à terra de transformador de corrente somador adicional – preferivelmente para redes efetivamente aterradas ou com baixa resistência O aterramento da blindagem do cabo deve ser efetivado no lado do cabo Importante: Nota: A mudança da polaridade de corrente (endereço 201) reverte também a polaridade da entrada de corrente IN! Figura A-8 Conexões de transformador de corrente para dois transformadores de corrente transformador de corrente adicional.Apêndice A. para detecção de Falta Sensitiva à Terra só para redes isoladas ou ressonante-aterradas O aterramento da blindagem do cabo deve ser efetivado no lado do cabo Importante: Nota: A mudança da polaridade de corrente (endereço 201) reverte também a polaridade da entrada de corrente INs! SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05. 7SJ80. tipo cabo.

para detecção de Falta Sensitiva à Terra O aterramento da blindagem do cabo deve ser efetivado no lado do cabo A mudança da polaridade de corrente (endereço 201) reverte também a polaridade da entrada de corrente INs! Figura A-10 Conexões de transformador para três transformadores de corrente e três transformadores de potencial (tensões fase-terra).apropriado para todas as redes 462 SIPROTEC.Apêndice A. 7SJ80. Publicação 05.transformador de corrente adicional. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 .3 Exemplos de Conexões Figura A-9 Importante: Nota: Conexões de transformador de corrente para três transformadores de corrente . tipo cabo. layout de circuito normal .

2009 463 . Publicação 05.Apêndice A.capacitiva - SIPROTEC.3 Exemplos de Conexões Figura A-11 Conexões de transformador para três transformadores de corrente e três transformadores de potencial . 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1.

3 Exemplos de Conexões Figura A-12 Conexões de transformador para três transformadores de corrente. dois transformadores de potencial (tensões fase-fase) e ligação delta aberto (da-dn) – apropriado para todas as redes 464 SIPROTEC. Publicação 05.2009 .Apêndice A. 7SJ80. Manual E50417-G1179-C343-A1.

2009 465 .Apêndice A. dois transformadores de potencial em conexão V. sem proteção à terra direcional. Publicação 05. quando não se faz necessária a proteção à terra direcional Figura A-14 Conexões de transformador de corrente para três transformadores de corrente. 7SJ80. só para redes isoladas ou ressonantes-aterradas. uma vez que a tensão residual não pode ser calculada SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1.3 Exemplos de Conexões Figura A-13 Conexões de transformador de corrente para dois transformadores de corrente e transformador de potencial em conexão V .para redes isoladas ou ressonantes-aterradas.

Apêndice A.3 Exemplos de Conexões Figura A-15 Importante: Conexões de transformador para três transformadores de corrente. Publicação 05. transformador de corrente tipo cabo e ligação delta aberto. a conexão de k e I em F8 e F7 deve ser trocada. Manual E50417-G1179-C343-A1. a polaridade da corrente do dispositivo é mudada via endereço 0201.2009 . Isso reverte também a polaridade da entrada de corrente IN/INs. máxima precisão para detecção de Falta Sensitiva à Terra O aterramento da blindagem do cabo deve ser efetivado no lado do cabo Para o aterramento do lado do barramento dos transformadores de corrente. Quando usar um transformador de corrente tipo cabo. 7SJ80. 466 SIPROTEC.

3 Exemplos de Conexões Figura A-16 Conexões de transformador de corrente para dois transformadores de corrente de fase e um transformador de corrente à terra.Apêndice A.2009 467 . Importante! O aterramento da blindagem do cabo deve ser efetivado no lado do cabo. Para o aterramento do lado do barramento dos transformadores de corrente. Isso reverte também a polaridade da entrada de corrente IN/INs. Manual E50417-G1179-C343-A1. a conexão de k e I em F8 e F7 deve ser trocada. a corrente à terra é tomada via entrada à terra sensitiva e altamente sensitiva. Publicação 05. 7SJ80. Quando usar um transformador de corrente tipo-cabo. SIPROTEC. a polaridade da corrente do dispositivo é mudada via endereço 0201.

Quando usar um transformador de corrente tipo cabo. Isso reverte também a polaridade da entrada de corrente IN/INs. Para o aterramento do lado do barramento dos transformadores de corrente. a polaridade da corrente do dispositivo é mudada via endereço 0201. Figura A-18 Proteção diferencial de alta-impedância para um enrolamento de transformador aterrado (a ilustração mostra uma conexão parcial para proteção diferencial de alta-impedância) 468 SIPROTEC. a conexão de k e I em F8 e F7 deve ser trocada. Manual E50417-G1179-C343-A1.2009 . 7SJ80.Apêndice A.3 Exemplos de Conexões Figura A-17 Importante! Conexões de transformador de corrente para duas correntes de fase e duas correntes à terra IN/INs – corrente à terra da linha. IN2 – corrente à terra do ponto estrela do transformador O aterramento da blindagem do cabo deve ser efetivado no lado do cabo. Publicação 05.

3 Exemplos de Conexões Figura A-19 Exemplo para conexão do tipo "VAN.Apêndice A. 7SJ80. VBN.2009 469 . Publicação 05. VCN" conexão de tensão lado-carga Figura A-20 Conexões de transformador de potencial para dois transformadores de potencial (tensões fase-fase) e ligação delta aberto (da-dn) – apropriado para todas as redes SIPROTEC. Manual E50417-G1179-C343-A1.

Publicação 05. VCN" conexão de tensão lado-barramento Figura A-22 Exemplo para conexão do tipo "Vph-n. Manual E50417-G1179-C343-A1. A fase deve ser a mesma para Vphn e Vsyn 470 SIPROTEC.Apêndice A. 7SJ80.3 Exemplos de Conexões Figura A-21 Exemplo para conexão do tipo "VAN. VBN. Vsyn" A conexão pode ser estabelecida em qualquer uma das três fases.2009 .

2009 471 . VBC. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.3 Exemplos de Conexões Figura A-23 Exemplo para conexão do tipo "VAB. VBC" SIPROTEC.Apêndice A. Vx" Figura A-24 Exemplo para conexão do tipo "VAB. 7SJ80.

VSYN" Figura A-27 Exemplo para conexão do tipo "VAB.Apêndice A. VSYN" com conexão de tensão de fase como conexão V 472 SIPROTEC. VBC. VBC" com conexão de tensão de fase como conexão V Figura A-26 Exemplo para conexão do tipo "VAB. Manual E50417-G1179-C343-A1.3 Exemplos de Conexões Figura A-25 Exemplo para conexão do tipo "VAB.2009 . 7SJ80. VBC. Publicação 05.

1 Fatores de Limitação da precisão Fator de Limitação da Precisão Nominal e Efetivo Fator de limitação da precisão efetiva mínima necessária mas pelo menos 20 com KALF' 50-2PU IpNom Fator de limitação de precisão nominal resultante com KALF RBC RBN RCt Fator de limitação de precisão nominal Resistência da carga (burden) conectada (dispositivo e cabos) Resistência da carga (burden) nominal Resistência da carga (burden) interna do transformador Fator de limitação de precisão efetiva mínimo Valor de pickup primário do elemento de altacorrente Corrente nominal primária do transformador Exemplo de Cálculo de acordo com IEC 60044–1 IsNom = 1 A KALF' = 20 RBC = 0.Apêndice A.13 são mencionados para conversão do requerimento em tensão de ponto joelho e outras classes de transformadores. As recomendações são fornecidas de acordo com o padrão IEC 60044-1.6 Ω (dispositivo e cabos) RCt = 3 Ω RBN = 5 Ω (5 VA) com IsNom = corrente nominal do transformador secundário KALF ajustado para 10. de forma que: 5P10. 5 VA SIPROTEC. existe um requerimento mínimo baseado na experiência. BS 3938 e ANSI/IEEE C 57. Paralelamente.4 Requerimentos do Transformador de Corrente A.4 Requerimentos do Transformador de Corrente Os requerimentos para transformadores de corrente de fase são usualmente determinados pela proteção de sobrecorrente temporizada.2009 473 .4. Manual E50417-G1179-C343-A1. Os padrões IEC 60044-6. particularmente pelos ajustes dos elementos de alta-corrente. 7SJ80. Publicação 05. A.

Apêndice A.max Val K KSSC TP tensão ponto joelho Resistência da carga (burden) interna resistência da carga (burden) nominal corrente nominal secundária do transformador Fato de limitação da precisão nominal tensão terminal secundária em 20 IpNom tensão limite de magnetização secundária Fator de dimensionamento Fator de simetria.2 Conversão de Classe Tabela A-1 Conversão para outras classes Padrão Britânico BS 3938 ANSI/IEEE C 57. 7SJ80.4 Requerimentos do Transformador de Corrente A. classe TPS K≈ 1 KSSC≈ KALF Classes TPX.1 Fatores de Limitação da precisão com : KSSC≈ n TP dependendo do sistema de potência e sequência de fechamento especificada com Vk RCt RBN IsNom KALF Vs. TPY.t.4. Veja Capítulo A. Corrente de falta nominal Constante de tempo primária 474 SIPROTEC. TPZ Cálculo.13. Manual E50417-G1179-C343-A1. classe C IsNom = 5 A (valor típico) IEC 60044-6 (resposta transiente).2009 . Publicação 05.4.

para atender um sistema de potência específico e.2 Ω) ≤ 0. são determinados pela função de “detecção de Falta Sensitiva à Terra“. Publicação 05. típica Pode ser necessário selecionar uma relação de transformação diferente. pode ser necessário corrigir o ângulo no dispositivo (veja a descrição da função de “Detecção sensitiva de falta à terra”). 7SJ80. consequentemente. Requerimentos Relação de transformação.4 Ω) Classe de Precisão Tabela A-2 A classe de precisão mínima necessária. SIPROTEC.4 Requerimentos do Transformador de Corrente A.3 Geral Transformador de Corrente Toroidal Os requerimentos para o transformador de corrente toroidal.4. Fator de precisão de limite Potência mínima Carga máxima conectada – Para valores secundários de limite de corrente ≥ 20 mA – Para valores secundários de limite de corrente < 20 mA 60 / 1 FS = 10 1.Apêndice A.2009 475 .2 VA ≤ 1. Manual E50417-G1179-C343-A1. As recomendações são fornecidas de acordo com o padrão IEC 60044-1.2 VA (≤ 1.4 VA (≤ 0. depende de aterramento neutro e do princípio da função de operação isolado Classe 1 Classe 3 ressonante-aterrado Classe 1 Classe 1 aterramento de alta resistência Classe 1 Classe 3 Ponto Estrela Função direcional Função não-direcional Para faltas à terra extremamente pequenas. o total da máxima corrente de falta à terra.

I Not configured Brk OPENED 7SJ802* Função Padrão Relay TRIP 50/51 Ph A PU 50/51 Ph B PU 50/51 Ph C PU 50N/51NPickedup Failure Σ I Fail I balance Fail Ph. A. entradas e saídas binária e teclas de função já estão pré-ajustadas.Apêndice A.5. 7SJ80. Seq.1 LEDs Tabela A-3 LEDs LED1 LED2 LED3 LED4 LED5 LED6 7SJ801* Função Padrão Relay TRIP 50/51 Ph A PU 50/51 Ph B PU 50/51 Ph C PU 50N/51NPickedup Failure Σ I Fail I balance Fail Ph. Elas estão resumidas na tabela seguinte.5 Ajustes Padrão Quando o dispositivo deixa a fábrica. 511 1762 1763 1764 1765 162 163 175 1 Descrição Comando de TRIP GERAL do relé Pickup da Fase A 50/51 Pickup da Fase B 50/51 Pickup da Fase C 50/51 Pickup de 50N/51N Falha: Soma de Corrente Falha: Equilíbrio de Corrente Falha: Corrente de Sequência de Fase Nenhuma Função configurada Disjuntor ABERTO LED7 LED8 Tabela A-4 LEDs LED1 LED2 LED3 LED4 LED5 LED6 LED7 LED8 476 SIPROTEC. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1. 511 1762 1763 1764 1765 162 163 175 1 Descrição Comando de TRIP GERAL do relé Pickup da Fase A 50/51 Pickup da Fase B 50/51 Pickup da Fase C 50/51 Pickup de 50N/51N Falha: Soma de Corrente Falha: Equilíbrio de Corrente Falha: Corrente de Sequência de Fase Nenhuma Função configurada Disjuntor ABERTO Função No. Seq.2009 . I Not configured Brk OPENED Função No. muitas indicações de LEDs.5 Ajustes Padrão A.

V VT b.w 3 pole Função No.Apêndice A. V VT b.2009 477 .5 Ajustes Padrão Tabela A-5 LEDs LED1 LED2 LED3 LED4 LED5 LED6 7SJ803* Função Padrão Relay TRIP 50/51 Ph A PU 67 A picked up 50/51 Ph B PU 67 B picked up 50/51 Ph C PU 67 C picked up 50N/51NPickedup Failure Σ I Fail I balance Fail V balance Fail Ph. Seq. 7SJ80. I Fail Ph. 511 1762 2692 1763 2693 1764 2694 1765 162 163 167 175 176 253 1 Descrição Comando de TRIP GERAL do relé Pickup da Fase A 50/51 Pickup da Fase A 67/67-TOC Pickup da Fase B 50/51 Pickup da Fase B 67/67-TOC Pickup da Fase C 50/51 Pickup da Fase C 67/67-TOC Pickup de 50N/51N Falha: Soma de Corrente Falha: Equilíbrio de Corrente Falha: Equilíbrio de Tensão Falha: Corrente de Sequência de Fase Falha: Tensão de Sequência de Fase Falha do circuito do TP: ligação tripolar Nenhuma Função configurada Disjuntor ABERTO LED7 LED8 Tabela A-6 LEDs LED1 LED2 LED3 LED4 LED5 LED6 Not configured Brk OPENED 7SJ804* Função Padrão Relay TRIP 50/51 Ph A PU 67 A picked up 50/51 Ph B PU 67 B picked up 50/51 Ph C PU 67 C picked up 50N/51NPickedup 67N picked up Failure Σ I Fail I balance Fail V balance Fail Ph. Manual E50417-G1179-C343-A1. I Fail Ph. Seq.w 3 pole Função No. Seq. Seq. Publicação 05. 511 1762 2692 1763 2693 1764 2694 1765 2695 162 163 167 175 176 253 1 LED7 LED8 Not configured Brk OPENED Descrição Comando de TRIP GERAL do relé Pickup da Fase A 50/51 Pickup da Fase A 67/67-TOC Pickup da Fase B 50/51 Pickup da Fase B 67/67-TOC Pickup da Fase C 50/51 Pickup da Fase C 67/67-TOC Pickup de 50N/51N Pickup de 67N/67N-TOC Falha: Soma de Corrente Falha: Equilíbrio de Corrente Falha: Equilíbrio de Tensão Falha: Corrente de Sequência de Fase Falha: Tensão de Sequência de Fase Falha do circuito do TP: ligação tripolar Nenhuma Função configurada Disjuntor ABERTO SIPROTEC.

se o disjuntor está aberto) Disjuntor 52 BI3 4601 Outros pré-ajustes de entradas binárias para o 7SJ802* ou 7SJ804* Função Padrão não pré-designada não pré-designada não pré-designada não pré-designada Função No.2 Entrada Binária Tabela A-7 Binary Input BI1 BI2 Pré-ajustes de entradas binárias para todos os dispositivos e variantes de pedido Função Padrão >BLOCK 50-2 >BLOCK 50N-2 >52-b 52Breaker >52-a 52Breaker Tabela A-8 Entrada Binária BI4 BI5 BI6 BI7 Função No.2009 . Descrição 478 SIPROTEC. 1721 1724 4602 Descrição >BLOQUEAR 50-2 >BLOQUEAR 50N-2 >contato 52-b (ABERTO.5 Ajustes Padrão A. Manual E50417-G1179-C343-A1. Publicação 05.5.Apêndice A. 7SJ80. se o disjuntor está fechado) DIsjuntor 52 >contato 52-a (ABERTO.

Apêndice A.2009 479 . Publicação 05. Seq.5. Descrição Saída Binária Função Padrão BO6 não pré-designada BO7 não pré-designada BO8 não pré-designada A.5 Ajustes Padrão A.3 Saída Binária Tabela A-9 Pré-ajustes de relé de saída para Todos os Dispositivos e Variantes de Pedido Função No. Seq.4 Teclas de Função Tabela A-11 Teclas de Função F1 F2 F3 F4 F5 F6 F7 F8 F9 Aplica-se para todos os Dispositivos e Variantes de Pedido Função padrão Display de indicações operacionais Display de valores medidos operacionais primários Display da última falta no buffer de registro não pré-designada não pré-designada não pré-designada não pré-designada não pré-designada não pré-designada SIPROTEC. 7SJ80.w 3 pole BO5 Tabela A-10 Relay PICKUP 2851 2851 162 163 167 175 176 253 501 Outros pré-ajustes de relé de saída para o 7SJ802* ou 7SJ804* Função No.5. Manual E50417-G1179-C343-A1. I Fail Ph. V VT b. 511 Descrição Comando de TRIP GERAL do relé Disjuntor 52 Disjuntor 52 Comando de fechamento 79 Disjuntor 52 Comando de fechamento 79 Falha: Soma de Corrente Falha: Equilíbrio de Corrente Falha: Equilíbrio de Tensão Falha: Corrente de Sequência de Fase Falha: Tensão de Sequência de Fase Falha do circuito do TP: ligação tripolar PICKUP do relé Saída Binária Função Padrão BO1 Relay TRIP 52Breaker BO2 52Breaker 79 Close BO3 52Breaker 79 Close BO4 Failure Σ I Fail I balance Fail V balance Fail Ph.

Apêndice A. a corrente à terra medida IN2 é mostrada em N e a corrente à terra IN ou INs em Ns. 480 SIPROTEC.5 Display Padrão Um número de páginas de valores medidos pré-definidos está disponível dependendo do tipo do dispositivo. Manual E50417-G1179-C343-A1. Para o Display de 6 linhas do 7SJ80 Figura A-28 Display padrão do 7SJ80 para modelos com V sem valores medidos prolongados com a medição V0/IO ϕ.5 Ajustes Padrão A.2009 . Publicação 05.5. 7SJ80. A página inicial do display padrão aparecendo após a partida do dispositivo pode ser selecionada nos dados do dispositivo via parâmetro 640 Start image DD.

Manual E50417-G1179-C343-A1.5 Ajustes Padrão Figura A-29 Display padrão do 7SJ80 para modelos com V com valores medidos prolongados Figura A-30 Display padrão do 7SJ80 para modelos sem V e valores medidos prolongados SIPROTEC.Apêndice A.2009 481 . Publicação 05. 7SJ80.

os dados mais importantes da falta são mostrados automaticamente após pickup geral do dispositivo na forma mostrada na ilustração abaixo. Publicação 05.5 Ajustes Padrão Figura A-31 Display padrão do 7SJ80 para modelos sem V com valores medidos prolongados Display de Falta Espontânea Após ter ocorrido uma falta.Apêndice A. Manual E50417-G1179-C343-A1. Figura A-32 Representação de mensagens espontâneas no display do dispositivo 482 SIPROTEC.2009 . 7SJ80.

0 Modbus ASCII/RTU Sim Sim Não Não Sim Sim Sim Não Não Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Auxílios de comissionamento Parada de transmissão Sim de dados Criação de mensagens Sim de teste Modo Físico Modo de transmissão Assíncrono cíclico/evento Sim Sim Sim Sim Não Não Não Não Assíncrono cíclico/evento Síncrono cíclico/evento Assíncrono cíclico Assíncrono cíclico/evento (DNP) cíclico (Modbus) Baud rate Tipo 1.400 a 57. simples Sim Sim Sim Não Sim IEC 60870– 5103.Apêndice A.200 a 115.2009 483 . 7SJ80. Publicação 05.000 – RS232 – RS485 – Cabos de fibra ótica 2.600 Até 100 MBaud Até 1.6 Funções Dependentes de Protocolo A. Manual E50417-G1179-C343-A1. redundante Sim Sim Sim Sim Sim IEC 61850 Ethernet (EN 100) Sim Sim Sim Sim Sim Profibus DP DNP3.6 Funções Dependentes de Protocolo Protocolo → Função ↓ Valores operacionais medidos Valores medidos Gravação de falta Ajuste remoto de proteção Indicações definidas pelo usuário e objetos de chaveamento Sincronização de tempo Mensagens com carimbo IEC 60870– 5103.5 MBaud 2400 a 19200 – RS485 Ethernet TP – RS485 – RS485 – Cabos de – Cabos de fibra fibra ótica (anel ótica duplo) SIPROTEC.

Charac.Ch Sens. FAULT REC. 7SJ80.Dir. Disabled Definite Time User Defined PU Disabled TOC ANSI TOC IEC Definite Time Disabled No ambient temp Disabled Enabled Disabled Enabled Disabled SYNCHROCHECK Disabled Enabled enabled w/ 3I0> Disabled Enabled Ajuste Padrão Disabled Enabled Definite Time Comentários Opção de mudança de Grupo de Ajuste Gravações de faltas oscilográficas 50/51 113 Charac. Manual E50417-G1179-C343-A1.7 Escopo Funcional A. Disabled 484 SIPROTEC.Gnd.2009 .F. 59 Proteção de Sub/Sobrecorrente 81 Proteção de Sobre/Subfrequência 25 Grupo de função 1 50BF Proteção de Falha de Disjuntor 79 Função de Religamento Automático 171 79 Auto Recl.7 End. Ground Definite Time 50N/51N 115 67/67-TOC Definite Time 67. 67N-TOC 117 122 127 130 131 Coldload Pickup InrushRestraint 50 1Ph S. Publicação 05. 103 104 112 Escopo Funcional Parâmetro Grp Chge OPTION OSC. Phase Opções de Ajustes Disabled Enabled Disabled Enabled Disabled Definite Time TOC IEC TOC ANSI Disabled Definite Time TOC IEC TOC ANSI Disabled Definite Time TOC IEC TOC ANSI Disabled Definite Time TOC IEC TOC ANSI Disabled Enabled Disabled Enabled Disabled Enabled cos ϕ / sin ϕ V0/I0 ϕ mea. Gnd Fault Disabled Disabled Disabled cos ϕ / sin ϕ Disabled Pickup de Carga Fria Restrição a Inrush 2º harmônico 50 1Ph Característica direcional falta à terra (sens. 67-TOC 116 67N/67N-TOC Definite Time 67N.) Falta à terra (sensitiva) 140 46 Disabled 46 Proteção de Sequência Negativa 142 150 154 161 170 49 27/59 81 O/U 25 Function 1 50BF No ambient temp Disabled Disabled Disabled Disabled 49 Proteção de Sobrecarga Térmica 27.Apêndice A.

Apêndice A. 7SJ80.WEAR MONIT Opções de Ajustes Disabled Ix-Method 2P-Method I2t-Method Disabled Enabled 1 Section 2 Sections 3 Sections Disabled 2 Binary Inputs 1 Binary Input NO Sim Disabled T103 DIGSI Flexible Function 01 Flexible Function 02 Flexible Function 03 Flexible Function 04 Flexible Function 05 Flexible Function 06 Flexible Function 07 Flexible Function 08 Flexible Function 09 Flexible Function 10 Flexible Function 11 Flexible Function 12 Flexible Function 13 Flexible Function 14 Flexible Function 15 Flexible Function 16 Flexible Function 17 Flexible Function 19 Flexible Function 20 Ajuste Padrão Disabled Comentários 52 Monitoramento de Desgaste do Disjuntor 180 181 Fault Locator L-sections FL Disabled 1 Section Localizador de Falta Seções de linha para localizador de falta 74TC Supervisão de Circuito de Trip Medição de tensão capacitiva Uso da Porta B 182 74 Trip Ct Supv Disabled 192 617 Cap.Meas. ServiProt (CM) NO T103 - FLEXIBLE FCT.7 Escopo Funcional End. Publicação 05. 172 Parâmetro 52 B.2009 485 . Manual E50417-G1179-C343-A1. 1. 20 Please select Funções Flexíveis SIPROTEC. Volt..

001 .8 Ajustes Endereços com um "A" só podem ser alterados com DIGSI. 200.10 .50 Sistema de Tensão Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup Limite de Pickup 0. End.. 1... 20. A coluna C (configuração)..U. THRESHOLD P. 40. THRESHOLD P.00 A 0.00 A OFF Ajuste Padrão Comentários Função Flx 0 OPERRAT.0 W -0. THRESHOLD P.0 W 1000.U.00 A 0..0 W 0.99 486 SIPROTEC..U. Manual E50417-G1179-C343-A1.00 Hz/s 2.0 . Publicação 05. Flx Função C Opções de Ajustes OFF ON Alarm Only 3-phase 1-phase no reference Please select Current Voltage P forward P reverse Q forward Q reverse Power factor Frequency df/dt rising df/dt falling Binary Input Fundamental True RMS Positive seq.U.25 .. em "Mostrar Ajustes Adicionais”. THRESHOLD P..U.U.0 V 51. 0 Parâmetro FLEXIBLE FUNC. 40. 60. THRESHOLD P. MODE Flx 3-phase Modo de Operação 0 MEAS.100 A 0.00 Hz/s 200. METHOD Flx Fundamental Seleção de Método de Medição 0 0 PICKUP WITH CURRENT Flx Flx Exceeding Ia Pickup com Corrente 0 VOLTAGE Flx Please select Tensão 0 POWER Flx Ia Va-n Potência 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 VOLTAGE SYSTEM P. THRESHOLD Flx Flx Flx Flx Flx Flx Flx Flx Flx Flx Flx 1A 5A 1A 5A 1A 5A Phase-Phase 2.0 V 2.05 .U.U. THRESHOLD P.2009 .0 .00 Hz 0. 0. THRESHOLD P.00 Hz 5.05 .8 Ajustes A. Negative seq. THRESHOLD P..0 .005 .00 Hz 61.0 V 40.00 A 2.00 A 10. 7SJ80. 50000. A tabela indica ajustes padrão de região específica.. 10000.0 V 110.0 W 10 . 70.00 Hz 50.U.500 A 2.500 A 110...00 . 260.99 . 7. indica a corrente nominal secundária correspondente do transformador de corrente.500 A 0.00 A 0.U.Apêndice A. Zero sequence Ratio I2/I1 Exceeding Dropping below Ia Ib Ic In In sensitive In2 Please select Va-n Vb-n Vc-n Va-b Vb-c Vc-a Vn Vx Ia Va-n Ib Vb-n Ic Vc-n Phase-Phase Phase-Ground 0. 200. QUANTITY Flx Please select Seleção de Grandeza Medida 0 MEAS.00 . THRESHOLD P..

.System Data 1 Thresh. Vbc. BI 176V Thresh.System Data 1 Thresh. Vbn.. 260.System Data 1 1A 5A 0. Vbc Vph-g.. TMin TRIP CMD TMax CLOSE CMD BkrClosed I MIN VT Connect.00 sec 0... Manual E50417-G1179-C343-A1. BI 88V Thresh. BI 176V Frequência Nominal Unidade de medição de distância Corrente nominal primária do TP Ignd Corrente nominal secundária do TC Ignd Limite p/ Entrada Binária 1 221 Threshold BI 2 P. BI 19V Thresh. BI 176V Limite p/ Entrada Binária 6 226 Threshold BI 7 P. BI 19V Thresh. BI 19V 214 215 217 218 220 Rated Frequency Distance Unit Ignd-CT PRIM Ignd-CT SEC Threshold BI 1 P. 0. BI 88V Thresh.00 sec YES 0.8 Ajustes End..System Data 1 P. BI 88V Thresh.02 . BI 88V Thresh. Vbn.System Data 1 P. 32.System Data 1 P. 800. BI 176V Limite p/ Entrada Binária 7 SIPROTEC.00 sec 0. BI 19V Thresh. Publicação 05. 0 0 0 0A 0 0A 0A 0A 0A 0 201 202 203 204 205 206A 209 210A 211A 212 213 Parâmetro P. BI 176V Thresh. BI 176V Thresh.System Data 1 P. 5.System Data 1 P.00 sec 20 % Ajuste Padrão 110. BI 19V Thresh. 28800.System Data 1 50 Hz km 60 A 1A Thresh.73 ABC 0. BI 176V Thresh.00 A Van.20 A Van. 60. BI 176V Limite p/ Entrada Binária 4 224 Threshold BI 5 P. 7SJ80.System Data 1 P. Vx 50 Hz 60 Hz km Miles 1 .00 0.00 sec c NO YES 0. 50000 A 1A 5A Thresh. 60.00 kV 100 V 400 A 1A 1.00 sec 0.U.System Data 1 P.. 3. 3ph Flx Flx Flx Flx Flx Flx Flx Flx Flx Flx Função C Opções de Ajustes 15 ..System Data 1 Thresh..00 kV 34 .70 .99 1. 1.01 .System Data 1 P.System Data 1 Thresh. Vbc. 100 % 2. VSyn Vab. Vcn Comentários Limite de Pickup Limite de Pickup Temporização de Trip Temporização de Pickup Temporização de Pickup Temporização de Dropout Bloqueio em caso de perda de tensão de medição Relação de Dropout Relação de Dropout Diferencial de Dropout Ponto estrela do TC Tensão Nominal Primária Tensão Nominal Secundária (L. 50000 A 1A 5A 1. VSyn Vab.. 225 V 10 . THRESHOLD T TRIP DELAY T PICKUP DELAY T PICKUP DELAY T DROPOUT DELAY BLK.L) Corrente Nominal Primária TC Corrente Nom. BI 176V Limite p/ Entrada Binária 2 222 Threshold BI 3 P. BI 176V Limite p/ Entrada Binária 3 223 Threshold BI 4 P.01 .System Data 1 Thresh... 3600.00 ABC ACB 0.. 1.00 A 0.System Data 1 P. Vcn Vab.00 sec 0.00 sec 0. BI 88V Thresh.10 ..03 Hz towards Line 20.System Data 1 P.01 .15 sec 1.00 .Loss DROPOUT RATIO DROPOUT RATIO DO differential CT Starpoint Vnom PRIMARY Vnom SECONDARY CT PRIMARY CT SECONDARY Vph / Vdelta PHASE SEQ.00 . BI 19V Thresh.00 Hz towards Line towards Busbar 0. 32. 3.0 V 1.System Data 1 Thresh.04 A 0. BI 19V Thresh.U. Secundária TC Relação de casamento TP-Fase para TP delta aberto Sequência de Fase Duração Mínima Comando de TRIP Duração Máxima Comando de Fechamento Limite mínimo de corrente de disjuntor fechado Conexão do TP. BI 88V Thresh.System Data 1 P.04 .00 ..by Vol.Apêndice A..System Data 1 P. Vbc. THRESHOLD P.0 V 0..95 1.05 0.00 .00 sec 0. BI 176V Thresh. BI 176V Thresh.20 . trifásica P. VGnd Vab. BI 88V Thresh.00 sec 0.00 . BI 176V Limite p/ Entrada Binária 5 225 Threshold BI 6 P.System Data 1 P.00 sec 0.2009 487 . BI 176V Thresh.0 ..System Data 1 P.

0 (Setting options depend on configuration) 1 . Fault.System Data 1 P..00 sec 0.System Data 1 P. Rec.G2.System Data 1 P..00 kV 100 . Rec.. Rec.System Data 1 P. TIME POST REC. G->B A.System Data 1 P. 1000 1.C.System Data 1 P. Sys.System Data 1 P..05 . C. G2->B 10 . 100. 100000 A 1 . 0. LENGTH PRE.8 Ajustes End.0 pF 250 . Fault. 3.trans.G2.50 sec Target on PU Escopo de Dados de Forma de Onda Duração máxima de Gravação de Captura de Forma de Onda Forma de Onda Capturada antes do Disparo Forma de Onda Capturada após Evento Tempo de Captura via Entrada Binária Exibição de falta em LED / LCD 488 SIPROTEC. 51 Sobrecorrente com proteção bifásica Conexão de TC 260 261 262 263 264 265 Ir-52 OP... Device.trans. 232 233 235A 238 239 241 242 243 244 245 246 250A 251A Parâmetro VXnom PRIMARY VXnom SECONDARY ATEX100 Ignd2-CT PRIM.trans.CYCLES Isc Ix EXPONENT Cmd.Apêndice A. Osc.System Data 1 125 A 10000 25000 A 50 2. 10000 pF 1. ∞ Target on PU Target on TRIP Ajuste Padrão 20.05 .0 .. 100.0 pF 2200 pF 10.A:C2 Volt.0 . Rec. Osc. Osc. 0.0 . 600 ms 1 . Publicação 05.0 None Corrente Nominal Normal (52 Disjuntor) Ciclos de Chaveamento em Corrente Nominal Normal Corrente Nominal de interrupção de curto-circuito Ciclos de chaveamento na Corrente Nominal de Curto-Circuito Expoente para o Método Ix Comando ABRIR Desgaste do disjuntor via Dispositivo de Controle 52 Tempo de Interrupção (52 Disjuntor) Tempo de Abertura (52 Disjuntor) Conexão Holmgreen (p/ monitoramento rápido da soma de corrente) Mudar para Outro Grupo de Ajuste 266 267 280 T 52 BREAKTIME T 52 OPENING Holmgr. 5.00 sec 0. Flt.. 5.0 pF 2200 pF OFF A.. 50000 A 100 .B:C1 Volt.50 sec 0.A:C1 Volt. Função P.via control P..System Data 1 P. 500 ms NO YES Group A Group B Group C Group D Binary Input Protocol Save w.G..00 sec.G. 225 V NO YES 1 . 7SJ80.TIME FltDisp. (Gnd) Comentários Tensão X Nominal Primária Tensão X Nominal Secundária Armazenagem de réplicas térmicas sem fonte de energia Corrente nominal primária do TC Ignd2 (conectada a I2) Corrente nominal secundária do TC Ignd2 (I2) Transdutor de tensão A: Capacidade C1 Transdutor de tensão A: Capacidade C2 Transdutor de tensão B: Capacidade C1 Transdutor de tensão B: Capacidade C2 Transdutor de tensão C: Capacidade C1 Transdutor de tensão C: Capacidade C2 50.System Data 1 P.C:C2 50/51 2-ph prot CT Connect.. 100.. TRIP Start w.0 pF 250 . for Σi P.10 .B:C2 Volt.System Data 1 P.trans.C:C1 Volt.. C..10 sec 0. Fault.. B. Rec. Fault.System Data 1 P.System Data 1 P.System Data 1 80 ms 65 ms NO 302 CHANGE Change Group Group A 401 WAVEFORMTRIGGER Osc. Pickup Save w..System Data 1 P.System Data 1 P.30 .CYCLES AT Ir Isc-52 OP. TRIP Fault Event Pow. 50000 A 1A 5A 1.0 pF 2200 pF 10. Volt. (Gnd) A. Pickup Captura de Forma de Onda 402 403 404 405 406 610 WAVEFORM DATA MAX. TRIG.10 .25 sec 0.. 10000 pF OFF ON A.. Save w. Rec. 0. Osc. Fault.0 pF 250 . 800.System Data 1 C Opções de Ajustes 0. Fault. Manual E50417-G1179-C343-A1.50 sec 0. 10000 pF 1. 1000000 10 .trans.General Fault Event 2.0 .trans.2009 .C.System Data 1 P.00 kV 100 V YES 400 A 1A 10.LED/LCD Osc.. TIME BinIn CAPT. Ignd2-CT SEC.System Data 1 P. B.System Data 1 P.System Data 1 P.System Data 1 P.

5000 Ω/km 0.9000 Ω/km 0.1 .20 sec.00 A 0. 9.00 A 5.Q de valores de operação medidos Ângulo de linha Comprimento da linha em quilômetro Comprimento da linha em milhas Sobrecorrente de Fase 50.System Data 2 P.System Data 2 P.00 .00 .8 Ajustes End. 175. ∞ 0.10 .00 A not reversed reversed 10 . 3. RE/RL XE/XL x' x' I MOTOR START P. 35.00 A.00 A 0.Apêndice A. 1. 15.0 km 0.System Data 2 P. 50/51 Overcur 50/51 Overcur.50 A 12.System Data 2 P.00 NO Ajuste Padrão Comentários Exibição expontânea de anunciações de falta Proteção de Sobrecorrente à terra com Grandeza de Operação para Proteção de Sobretensão de 59 Ignd (medida) Vphph 615A OP.33 . General P.1 Miles ON 4.. ∞ 0. 800.50 A not reversed 85 ° 100.05 .2009 489 .00 -0.00 0. 89 ° 0.. ∞ 0..00 sec.10 . 50000 A -0.00 kV 400 A 1. 50/51 Overcur 50/51 Overcur.System Data 2 P. General image 1 1101 1102 1103 1104 1105 1106 1107 1108 1109 1110 1111 1201 1202 1203 1204 1205 1207 1208 1209 1210 1211 FullScaleVolt. 51 Pickup de 50-2 Temporização de 50-2 Pickup de 50-1 Temporização de 50-1 Pickup de 51 Multiplicador de Tempo de 51 Multiplicador de Tempo de 51 Característica de Dropout Curva IEC 0. ∞ 0. FullScaleCurr.Q sign Line angle Line length Line length FCT 50/51 50-2 PICKUP 50-2 DELAY 50-1 PICKUP 50-1 DELAY 51 PICKUP 51 TIME DIAL 51 TIME DIAL 51 Drop-out 51 IEC CURVE P. 4.00 A 0.33 .00 sec. OP.00 Disk Emulation Normal Inverse Medição: Escala total de tensão (Nominal de equipamento) Medição: Escala total de corrente (Nominal de equipamento) Fator de compensação de seq.50 sec 5.0010 .System Data 2 P.0010 .System Data 2 P. 7.. Iniciar 48) Sinal P.00 sec 1.00 A.00 ..00 A. 60. 35. 20. QUANTITY 27 P.00 1.00 A 5. Manual E50417-G1179-C343-A1..System Data 1 P. FltDisp. 7.0 Miles ON OFF 0.1500 Ω/km 0.System Data 1 C Opções de Ajustes YES NO Ignd (measured) 3I0 (calcul.00 A. ∞ Instantaneous Disk Emulation Normal Inverse Very Inverse Extremely Inverse Long Inverse 1212 51 ANSI CURVE 50/51 Overcur..0000 Ω/mi 0.) Vphph Vph-n V1 V2 V1 Vphph Vph-n image 1 image 2 image 3 image 4 image 5 image 6 0.50 sec 1.00 ...50 .0050 . 650. 50/51 Overcur 50/51 Overcur 1A 5A 1A 5A 1A 5A 1A 5A 1A 5A 1A 5A 20.0000 Ω/mi 0. 1000. ∞ 0. 611 613A 614A Parâmetro Spont. 50/51 Overcur 50/51 Overcur.0484 Ω/mi 0. ∞ 0.00 A 2...System Data 2 P.System Data 2 P.. 50. Gnd O/Cprot. 10.... 3.10 .0 km 62..00 A 20.2420 Ω/mi 0. 7SJ80.System Data 2 50/51 Overcur.System Data 2 P.00 kV 10 . zero XE/XL Reatância do alimentador por milha: x' Reatância do alimentador por km: x' Corrente de Partida de Motor (Bloquear 49.40 .10 ..System Data 2 P.0300 Ω/km 2. zero RE/RL Fator de compensação de seq.System Data 1 V1 Grandeza de Operação para Proteção de Subtensão de 27 Início Display Padrão de imagem 640 Start Imagem DD Device. 175.50 .50 . 60....System Data 2 P.00 A 0.00 A 0.1 .System Data 2 P. Publicação 05.. QUANTITY 59 Função Device.50 .. 15.. ∞ 0.0050 . Very Inverse Inverse Short Inverse Long Inverse Moderately Inverse Extremely Inverse Defini te Inverse Very Inverse Curva ANSI SIPROTEC. w.

00 sec Always ∞A 0. 1A 5A Always 0. 4.25 .25 ..00 A 0.00 A.00 .. ∞ 0.00 . Manual E50417-G1179-C343-A1.20 A 1. 50/51 Overcur.00 . 175. Publicação 05. 60.25 . 50/51 Overcur. 50-2 Comentários Modo de Fechamento Manual 1214A 1215A 1216A 1217 1218 1219A 50-2 active 50 T DROP-OUT 50-3 active 50-3 PICKUP 50-3 DELAY 50-3 measurem. 50/51 Overcur.05 . 50/51 Overcur. 50/51 Overcur.00 A. 50/51 Overcur. 50/51 Overcur. ∞ 0. 60. 50/51 Overcur. Very Inverse Curva ANSI 1313A MANUAL CLOSE 50/51 Overcur. 50/51 Overcur. 60.. 50N-1 Instant. ∞ 0. 20. ∞ 0. 50-2 instant. 50/51 Overcur. FCT 50N/51N 50N-2 PICKUP 50N-2 DELAY 50N-1 PICKUP 50N-1 DELAY 51N PICKUP 51N TIME DIAL 51N TIME DIAL 51N Drop-out 51N IEC CURVE 50/51 Overcur.00 sec Fundamental 50-2 ativo Temporização de Dropout de 50 50-3 ativo Pickup de 50-3 Temporização de 50-3 medição de 50-3 1.00 A.05 sec Fundamental 50N-2 ativo Temporização de Dropout de 50N 50N-3 ativo Pickup de 50N-3 Temporização de 50N-3 Medição de 50N-3 1320A 50N-2 measurem.00 sec. 50/51 Overcur.00 A.00 . ∞ 0.50 .50 sec 0.. ∞ Fundamental True RMS Instantaneous Fundamental True RMS Fundamental True RMS Fundamental True RMS ON OFF 1220A 1221A 1222A 1301 1302 1303 1304 1305 1307 1308 1309 1310 1311 50-2 measurem. 50N-2 Instant. ∞ Fundamental True RMS Instantaneous Fundamental True RMS Instant.00 A 0. 50-3 instant. 50/51 Overcur. ∞ 0.00 sec. 50/51 Overcur..00 Disk Emulation Normal Inverse medição de 50-2 medição de 50-1 medição de 51 Sobrecorrente à Terra de 50N. 15.. 50/51 Overcur. 7SJ80.00 . 50/51 Overcur.8 Ajustes End. ∞ 0. 50/51 Overcur.20 sec. 3. 50/51 Overcur.50 A 0. 35. C Opções de Ajustes instant.00 . 51N Inactive Always With 79 Active 0. 51 Inactive Always with 79 active 0. 35..00 A 0.00 . ∞ 5. Always 0.00 A 0.05 . 175.25 . 35.. ∞ 0.00 sec Always with 79 active Ajuste Padrão instant.05 . 50N-2 Modo de Fechamento Manual 1314A 1315A 1316A 1317 1318 1319A 50N-2 active 50N T DROP-OUT 50N-3 active 50N-3 PICKUP 50N-3 DELAY 50N-3 measurem. 50/51 Overcur.00 sec Always With 79 Active 0.. 50/51 Overcur. 50-1 measurem. 175. 60.50 A 2. 50/51 Overcur. 60.00 . 50/51 Overcur. Instant.20 sec 5. ∞ 0.00 sec. ∞ Instantaneous Disk Emulation Normal Inverse Very Inverse Extremely Inverse Long Inverse Very Inverse Inverse Short Inverse Long Inverse Moderately Inverse Extremely Inverse Definite Inverse 1312 51N ANSI CURVE 50/51 Overcur..00 A..20 A 1. 50/51 Overcur. 50 -1 instant.. Fundamental Medição de 50N-2 490 SIPROTEC.. 50/51 Overcur. 35. 51N Pickup de 50N-2 Temporização de 50N-2 Pickup de 50N-1 Temporização de 50N-1 Pickup de 51N Multiplicador de Tempo de 51N Multiplicador de Tempo de 51N Característica de Dropout Curva IEC 0. 51 measurem.05 ...00 A..10 sec 0.. 1A 5A 1A 5A 1A 5A Fundamental Fundamental Fundamental ON 0.00 sec Always ∞A ∞A 0.00 sec. 50N-3 Instant. 1213A Parâmetro MANUAL CLOSE Função 50/51 Overcur.2009 .Apêndice A. 50/51 Overcur. 50/51 Overcur. 50/51 Overcur.00 A. 60. 50/51 Overcur.00 .

. O/C 67 Direct. O/C 67 Direct. ∞ 0...10 .00 TD OFF ON 0. 175.8 Ajustes End.00 A 10.00 DisK Emulation Normal Inverse Comentários Medição de 50N-1 Medição de 51N Sobrecorrente de Fase de 67. 175.00 A 0.. O/C 67 Direct. O/C 67 Direct. 35.. 999.. 999. 60.50 sec 5.10 .50 A 0.20 A 1.01 .05 .. O/C C Opções de Ajustes Fundamental True RMS Fundamental True RMS OFF ON Ajuste Padrão Fundamental Fundamental OFF 2.2009 491 .50 . O/C 67 Direct. Sobrecorrente de 67N Pickup de 67N-2 Temporização de 67N-2 Pickup de 67N-1 Temporização de 67N-1 Pickup de Sobrecorrente de 67N SIPROTEC. 20. ∞ 0.10 sec 1. O/C 67 Direct.00 A. 7SJ80... 4.00 TD 0.00 . O/C 1A 5A 67 Direct. 60.. 1321A 1322A 1501 1502 1503 1504 1505 1507 1508 1509 1510 1511 Parâmetro 50N-1 measurem.95 I/Ip..50 sec 0. ∞ 0..00 A.00 . ∞ 0.00 A. O/C 67N-2 DELAY 67N-1 PICKUP 67N-1 DELAY 67N-TOC PICKUP 67 Direct.. O/C 1A 5A 1A 5A 67 Direct. O/C 67 Direct.00 . O/C 67 Direct. 35. ∞ 0..00 A 5..00 A.10 .01 . ∞ 0.. O/C 67 Direct. 15.00 sec.10 sec 0.. 35. ∞ 0. 20.50 A 2.ANSI CURVE Very Inverse Curva ANSI 1513A MANUAL CLOSE 67 Direct. 67-TOC Pickup de 67-2 Temporização de 67-2 Pickup de 67-1 Temporização de 67 Pickup de 67-TOC Multiplicador de Tempo de Sobrecorrente de 67 Multiplicador de Tempo de Sobrecorrente de 67 Característica de Dropout Curva IEC 1A 5A 1A 5A 1A 5A 0. 67-1 MEASUREM. 67-2 Modo de Fechamento Manual 1514A 1516 67-2 active 67 Direction 67 Direct.50 sec 1. 3.05 . 4. 20.50 .. 175.IEC CURVE Função 50/51 Overcur. O/C 67 Direct. ∞ 0.Apêndice A. ∞ 0..50 . ∞ Instantaneous DisK Emulation Normal Inverse Very Inverse Extremely Inverse Long Inverse Very Inverse Inverse Short Inverse Long Inverse Moderately Inverse Extremely Inverse Definite Inverse 1512 67. 60..00 A.00 A 0. ∞ 0. 67-TOC MEASUR.00 sec.00 sec -180 . 67-1 Instant.50 . ∞ 0..25 .00 A. 0. Publicação 05. 67-TOC Inativo With 79 active Always Forward Reverse Non-Directional 0.00 A 0.25 .00 A 0.00 A 0.00 A. Manual E50417-G1179-C343-A1. O/C 67 Direct. O/C 67 Direct.00 . ∞ 0. 51N measurem. ∞ 0. 60.00 sec.. O/C Always Forward 67-2 ativo Direção de Fase 1518A 1519A 1520A 1521A 1522A 1530 1531 1601 1602 1603 1604 1605 1607 67 T DROP-OUT ROTATION ANGLE 67-2 MEASUREM. ∞ 0.00 .00 sec.05 . 60.05 . O/C 67 Direct. 50/51 Overcur.25 . O/C Instant. 67 MofPU Res T/Tp FCT 67N/67N-TOC 67N-2 PICKUP 67 Direct.. O/C 67 Direct.00 I/Ip.00 A OFF 0.00 A 0.00 A. 35. FCT 67/67-TOC 67-2 PICKUP 67-2 DELAY 67-1 PICKUP 67-1 DELAY 67-TOC PICKUP 67 TIME DIAL 67 TIME DIAL 67-TOC Drop-out 67.00 sec 45 ° Fundamental Fundamental Fundamental Temporização de Dropout de 67 Ângulo de rotação de Tensão de Referência Medição de 67-2 Medição de 67-1 Medição de Sobrecorrente Temporizada de 67 67 Pickup múltiplo <-> T/Tp 1.00 A 5. 67 Direct.00 A Sobrecorrente à Terra de 67N. O/C 0. O/C 67 Direct.00 . O/C 67 Direct. 180 ° Fundamental True RMS Fundamental True RMS Fundamental True RMS Instant.20 sec.00 A 0. 175.00 . 67-2 Instant. ∞ 0.20 A 1..05 . O/C 67 Direct.

10 . 35.05 . ∞ 0.. ∞ 0. O/C 67 Direct.. ∞ 0.95 I/Ip.00 .8 Ajustes End. ∞ 0.. ∞ 0.10 . M..00 I/Ip. Publicação 05.00 .. 60.. 35.01 . 20.50 .of PU TD I/IEp Rf T/TEp COLDLOAD PICKUP Start Condition 67 Direct. Manual E50417-G1179-C343-A1. 60. ∞ OFF Ajuste Padrão 0.05 . 180 ° Fundamental True RMS Fundamental True RMS Fundamental True RMS 1.00 A. ∞ 1..Tempo Sobrecorrente temporizada 67N TOC Função de Pickup de Carga Fria Condição de Partida No Current 1703 1704 1705 1801 1802 1803 1804 1805 1806 1807 1808 1809 CB Open Time Active Time Stop Time 50c-2 PICKUP 50c-2 DELAY 50c-1 PICKUP 50c-1 DELAY 51c PICKUP 51c TIME DIAL 51c TIME DIAL 50c-3 PICKUP 50c-3 DELAY Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup 1A 5A 1A 5A 1A 5A 1A 5A 3600 sec 3600 sec 600 sec 10. 21600 sec 1 . O/C Always Forward 67N-2 ativo Direção à Terra 1617 1618A 1619A 1620A 1621A 1622A 1630 1631 1701 1702 67N POLARIZAT. ∞ 0. O/C 67 Direct.. 175.00 .01 . 3..00 sec -180 . ∞ 0. 175.20 sec 5.00 A.00 . O/C 67 Direct. 999. O/C 67 Direct.00 sec. 175.00 sec 2.00 A 10.00 A.00 A 0. 60. 0...00 ∞A ∞A 0.00 TD OFF ON No Current Breaker Contact 79 ready 0 . 3. 60. O/C 67 Direct.50 .50 . ∞ Instantaneous Disk Emulation Normal Inverse Very Inverse Extremely Inverse Long Inverse Very Inverse Inverse Short Inverse Long Inverse Moderately Inverse Extremely Inverse Definite Inverse Instant 67N-2 Instant 67N-1 Instant 67N-TOC Inativo Always with 79 active Forward Reverse Non-Directional with VN and IN with V2 and I2 0.00 A 50..20 sec...00 sec. ∞ 0.00 . 67N-TOC MEASUR.00 . 999.00 Disk Emulation Normal Inverse Comentários Multiplicador de Tempo de Sobrecorrente de 67N Multiplicador de Tempo de Sobrecorrente de 67N Característica de Dropout Curva IEC 1612 67N-TOC ANSI 67 Direct.00 .00 A.. ∞ 0. ∞ 0.. 67N T DROP-OUT ROTATION ANGLE 67N-2 MEASUREM.Apêndice A.50 A 7. O/C 67 Direct.00 . 21600 sec 0 .50 . O/C 67 Direct. 20. O/C Cold Load Pickup Cold Load Pickup with VN and IN 0.. 35. 15..00 sec -45 ° Fundamental Fundamental Fundamental Polarização à Terra Temporização de Dropout de 67N Ângulo de Rotação de Tensão de Referência Medição de 67N-2 Medição de 67N-1 Medição de sobrecorrente temporizada 67N Múltiplos PU Ind. 7SJ80. O/C 67 Direct.00 TD 0. 15..50 A 0.50 .30 sec 1.00 .00 A 0.. O/C 67 Direct.2009 . ∞ 0. O/C 67 Direct.50 sec 5. O/C C Opções de Ajustes 0. ∞ 492 SIPROTEC.. 4.00 A 0. 600 sec.00 sec. 67N-1 MEASUREM... ∞ 5. O/C 67 Direct. 1608 1609 1610 1611 Parâmetro 67N-TOC T-DIAL 67N-TOC T-DIAL 67N-TOC DropOut 67N-TOC IEC Função 67 Direct.20 sec.00 A. O/C Instant 67N-2 Modo de Fechamento Manual 1614A 1616 67N-2 active 67N Direction 67 Direct.00 A..10 .00 sec Tempo de ABERTURA do Disjuntor Tempo Ativo Tempo de Parada Pickup de 50c-2 Temporização 50c-2 Pickup de 50c-1 Temporização de 50c-1 Pickup de 51c Multiplicador de Tempo de 51c Multiplicador de Tempo de 51c Pickup de 50c-3 Temporização de 50c-3 0.05 .00 A 0. O/C Very Inverse Curva ANSI 1613A MANUAL CLOSE 67 Direct.

00 sec.00 A.00 A 0.00 A.000 A 0. ∞ 0.005 . 1. ∞ 0.00 A 50.00 sec.00 A.00 A OFF ON 1A 5A 1A 5A 0.001 . 175.....50 . 60. ∞ 0. 8. 60.. ∞ 0.30 sec 1.05 .50 A 0.25 .300 A 1.00 A. ∞ 0.00 A 0.00 .10 sec 0..00 sec. ∞ 0.10 .. 35..00 A.50 A 7.000 A.005 ..30 .05 ..05 .50 ..50 A 0.00 sec 1A 5A 0.00 sec 1.00 A 0.00 A 1. ∞ OFF ON 10 .00 A 0. 15... 2nd HARMONIC CROSS BLOCK CROSS BLK TIMER I Max 50 1Ph 50 1Ph-2 PICKUP 50 1Ph-2 DELAY 50 1Ph-1 PICKUP 50 1Ph-1 DELAY Sens.. 60.. ∞ 0.. 60..50 A 7.00 A 10.05 ...00 A 0.00 sec.00 A 35.00 A 5.00 A.00 sec.00 . 175. Gnd Fault 1A 5A 0. 8. 35...50 . ∞ 0. 4.50 A 37. 20.00 sec 2.30 sec 1.50 ..00 A 0.001 . 35.10 ..00 . ∞ 0. 7SJ80. 35.05 . ∞ 0.20 sec. ∞ 0.. 50/51 Overcur. ∞ 0.250 A Corrente I1 para Erro de Ângulo de TC SIPROTEC.00 A 0.00 A.50 A 0.25 .00 A 0.. 60.00 A 5.00 .. Manual E50417-G1179-C343-A1..600 A 0.00 sec.00 sec 10. ∞ Ajuste Padrão 7.2009 493 . 175.050 A 0..00 .00 sec.000 A.600 A.00 A. 4.05 .00 A.50 A OFF 0.00 A 0..50 .00 ... 180. ∞ 0.00 A. ∞ 0. ∞ OFF ON ON with GF log Alarm Only 3102 CT Err.50 .00 sec 7.50 sec 5.50 . ∞ 0. 35.00 .25 .50 sec OFF Comentários Pickup de 50Nc-2 Temporização de 50Nc-2 Pickup de 50Nc-1 Temporização de 50Nc-1 Pickup de 51Nc Multiplicador de Tempo de 51Nc Multiplicador de Tempo de 51Nc Pickup de 50Nc-3 Temporização de 50Nc-3 Pickup de 67c-2 Temporização de 67c-2 Pickup de 67c-1 Temporização de 67c-1 Pickup de 67c Multiplicador de tempo de 67c Multiplicador de Tempo de 67c Pickup de 67Nc-2 Temporização de 67Nc-2 Pickup de 67Nc-1 67Nc-1 Temporização Pickup de Sobrecorrente de 67Nc-TOC Multiplicador de Tempo de Sobrecorrente de 67Nc Multiplicador de Tempo de Sobrecorrente de 67Nc Restrição a Inrush 2º harmônico em % de fundamental Bloqueio Cruzado Tempo de Bloqueio Cruzado Corrente Máxima para Restrição a Inrush 1 fase 50 1 Fase 50 Pickup Fase 2 50 1Fase-2 Temporização 50 1Fase-1 Pickup 50 1Fase-1 Temporização Falta à Terra (Sensitiva) 1A 5A 1A 5A 1A 5A 0.00 ∞A 0. 1. 20.25 . 50/51 Overcur.001 .00 OFF 15 % NO 0.00 A.600 A. ∞ 0..Apêndice A.05 . 4.50 sec 5.00 .005 . 1901 1902 1903 1904 1905 1906 1907 1908 1909 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2101 2102 2103 2104 2105 2106 2107 2201 2202 2203 2204 2205 2701 2703 2704 2706 2707 3101 Parâmetro 50Nc-2 PICKUP 50Nc-2 DELAY 50Nc-1 PICKUP 50Nc-1 DELAY 51Nc PICKUP 51Nc T-DIAL 51Nc T-DIAL 50Nc-3 PICKUP 50Nc-3 DELAY 67c-2 PICKUP 67c-2 DELAY 67c-1 PICKUP 67c-1 DELAY 67c-TOC PICKUP 67c-TOC T-DIAL 67c-TOC T-DIAL 67Nc-2 PICKUP 67Nc-2 DELAY 67Nc-1 PICKUP 67Nc-1 DELAY 67Nc-TOC PICKUP 67Nc-TOC T-DIAL 67Nc-TOC T-DIAL INRUSH REST.00 .05 .05 .00 A 0. 50 1Ph 50 1Ph 50 1Ph 50 1Ph 50 1Ph Sens. ∞ 0. ∞ 0.00 . 45 % NO Sim 0.500 A 0. ∞ 0.00 A 35. 15. ∞ 0.. 175. ∞ 0. Gnd Fault C 1A 5A 1A 5A 1A 5A Opções de Ajustes 0. 3. 35. 175. 60.8 Ajustes End. 175.10 .20 sec. 3..500 A 0..50 A 7.00 A. 35.30 sec 1.20 sec.25 . 8. 60.00 A 0.25 ...00 sec 1. 1.100 A 0. 50/51 Overcur..00 7.00 sec. I1 Sens. 60.00 A.00 sec.. 3. 60..50 sec 5. ∞ 0.00 . ∞ 0. 50/51 Overcur. 15. ∞ 1A 5A 1A 5A 1A 5A 0. Gnd Fault Função Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup Cold Load Pickup 50/51 Overcur.. ∞ 0. ∞ 0. 20. 125.00 A 0.00 .. ∞ 0. ∞ 0.00 . 25. ∞ 0.05 . Publicação 05...

5.10 .00 A 0..0 ° 40 V 75 V 40.00 seg 10.0 V 70. 20..00 A 0.25 . 175..001 .00 A 1. ∞ 0.00 A 50.10 .005 . 175.00 seg Forward Comentários Corrente I1 para Erro de Ângulo de TC Erro de Ângulo de TC em I1 Corrente I2 para Erro de Ângulo de TC Corrente I2 para Erro de Ângulo Erro de Ângulo de TC em I2 Tensão L-Gnd de Fase com Falta Vph Mínima Tensão L-Gnd de Fase com Falta Vph Máxima Tensão Residual à Terra 64-1 Tensão Residual à Terra 64-1 TEMPORIZAÇÃO de Pickup TEMPORIZAÇÃO de 64-1 Pickup de 50Ns-2 Pickup de 50Ns-2 Temporização de 50Ns-2 Direção de 67Ns-2 Sens.0 ° 0.0 V -180.04 .001 . Gnd Fault Sens..0 ° 1.000 A 0. 35.200 A 0.00 sec Forward Reverse Non-Directional 5A 1A 5A 3117 3117 3118 3119 3119 3120 3121A 3122 50Ns-1 PICKUP Sens..00 sec.. ∞ 1A 5A 1A 5A 0. Gnd Fault Sens. 50. Gnd Fault Sens.0 ° 0. 1. 320. 7SJ80... 8..000 A 0. 1. ∞ Ajuste Padrão 1. Gnd Fault 50Ns-1 PICKUP Sens. 90.0 .25 . 6.00 A 0. PHI CORRECTION MEAS..00 A 0.00 A 5.00 sec Forward Pickup de 50Ns-1 Pickup de de 50Ns-1 Temporização de 50Ns-1 Pickup de 51Ns Pickup de 51Ns Multiplicador de Tempo de 51Ns Temporização de Dropout de 50Ns Direção de 67Ns-1 3123 3123 3124 3125 3126 3130 3131 3150 3150 3151 3152 3153 3153 RELEASE DIRECT..0 ° COS ϕ SIN ϕ 0 .8 .00 A 0.. 320.500 A 2.0 .25 .0 V.00 A 0. 1. Gnd Fault C 1A 5A 1A 5A 1A 5A Opções de Ajustes 0. 35.600 A 0. RELEASE DIRECT.25 .600 A 0. I1 CT Err.0 V 1.005 . Manual E50417-G1179-C343-A1. 5..000 A 0.00 A 0. 999. 1. Gnd Fault Sens.05 .100 A 0..0 ...00 A 0. 40000. 60. Gnd Fault Sens.0 V 10.0 V 10.4 .50 A 2..2009 . ∞ Forward Reverse Non-Directional 1A 0.25 .0 . Gnd Fault Sens..0 V 10..25 . Gnd Fault 0. 180.400 A 0.0 V 15.0 ° 0.0 ° 30. Gnd Fault Sens. Sens.500 A 10. Gnd Fault 50Ns-1 DELAY 51Ns PICKUP 51Ns PICKUP 51NsTIME DIAL 50Ns T DROP-OUT 67Ns-1 DIRECT. Gnd Fault Sens. 180..00 .010 A 0. Gnd Fault 1A 5A 1A 5A 10. 175. Gnd Fault Sens.. I2 CT Err..0 ° 10 .05 . 1... 45. Gnd Fault Sens..05 .0 .. 100 V 1. Gnd Fault Sens. Gnd Fault Sens. Gnd Fault Sens. 35. 35.01 .00 seg. ∞ 0. 4. ∞ 0.00 A 5...00 seg 0.00 sec 0.001 .00 .05 . Gnd Fault Sens. Gnd Fault Sens.005 . 20. Gnd Fault Sens.00 seg.0 .0 .00 MofPU.000 A 0..00 A 0. I2 CT Err.0 V Tensão mínima de 50Ns-2 Tensão mínima de 50Ns-2 ângulo fi 50Ns-2 ângulo delta fi 50Ns-2 Tensão mínima de 50Ns-1 Tensão mínima de 50Ns-1 494 SIPROTEC.00 TD 0.600 A 0. Gnd Fault Sens. Gnd Fault Sens... Publicação 05..001 . Gnd Fault Sens.00 seg.00 A -45.005 . 100 V 10 ...0 V -90.00 A 2.00 A 0. 3102 3103 3104 3104 3105 3106 3107 3109 3110 3111 3112 3113 3113 3114 3115 Parâmetro CT Err.Apêndice A.0 ° 6. Gnd Fault Sens.4 . 7.00 sec 0. 200. Gnd Fault Sens. 150.300 A 1.005 . 8..00 A 1.100 A 0. 90.00 A 0. Gnd Fault Sens.50 A 0..000 A 5. Gnd Fault Sens.00 sec...00 .05 . ∞ 0.00 .0 . 60 sec Vgnd OR INs Vgnd AND INs 1.001 .0 ° COS ϕ 1 sec Vgnd OR INs Liberação de elemento direcional Liberação de elemento direcional Ângulo de correção para Determinação de Direção Método de Medição p/ Direção Temporização de Reset Critério de Pickup p/ falta sensitiva à terra Múltiplos de PU Multiplicador de tempo 2.05 .0 V 0.00 A 50.500 A 1. F1 CT Err. Gnd Fault Sens. Gnd Fault Sens.. Gnd Fault 1A 5A 1A 5A 0.00 A 0.000 A 10. METHOD RESET DELAY PU CRITERIA M. 320.. 175..00 A 0..00 A 10. 30.of PU TD 50Ns-2 Vmin 50Ns-2 Vmin 50Ns-2 Phi 50Ns-2 DeltaPhi 50Ns-1 Vmin 50Ns-1 Vmin Sens.0 V.. Gnd Fault Sens. Gnd Fault Sens. 50. 8.. 4.000 A 0.050 A 0. ∞ 0.8 Ajustes End. F2 VPH MIN VPH MAX 64-1 VGND 64-1 VGND T-DELAY Pickup 64-1 DELAY 50Ns-2 PICKUP 50Ns-2 PICKUP 50Ns-2 DELAY 67Ns-2 DIRECT Função Sens. 225. Gnd Fault Sens.

Publicação 05.10 . 15000 sec OFF ON Alarm Only 20 .0 ° 100. 3154 3155 4001 4002 4003 4004 4005 4006 Parâmetro 50Ns-1 Phi 50Ns-1 DeltaPhi FCT 46 46-1 PICKUP 46-1 DELAY 46-2 PICKUP 46-2 DELAY 46 IEC CURVE Função Sens.05 .... 110 V 110 V 0. 150 V 0.00 . 260 V 20 . 27/59 O/U Volt.. 10.. 15.Overload 49 Th... 150 V 0. 27/59 O/U Volt.50 sec 70 V 70 V Pickup de 27-1 Pickup de 27-1 Temporização de 27-1 Pickup de 27-2 Pickup de 27-2 SIPROTEC.90 A 4. 27/59 O/U Volt..50 A 5. ∞ 2 .. 27/59 O/U Volt.. 3. ∞ 10 .Overload 49 Th. 27/59 O/U Volt.. 75 V 75 V 1. ∞ 20 .00 A 1.. 20..Overload 49 Th.50 . 0. Extremely Inverse Inverse Moderately Inv. 60.50 .10 .0 10 .. 27/59 O/U Volt.50 A 1.0 100 sec OFF 0.00 sec.00 sec OFF Pickup de Sobrecorrente de 46 Multiplicador de Tempo de Sobrecorrente de 46 Multiplicador de Tempo de Sobrecorrente de 46 Dropout de Sobrecorrente de 46 Temporização de Dropout de 46 Proteção de Sobrecarga Térmica de 49 Fator K de 49 Constante de Tempo Estágio de Alarme Térmico de 49 Setpoint da Corrente de Alarme de Sobrecarga FATOR Kt quando o motor pára Tempo de emergência Proteção de sobretensão 59 4202 4203 4204 4205 4207A 4208A 5001 49 K-FACTOR TIME CONSTANT 49 Θ ALARM I ALARM Kτ-FACTOR T EMERGENCY FCT 59 49 Th..8 Ajustes End.00 A 0.50 sec 120 V 120 V 0.00 A 1.. 150 V OFF ON Alarm Only 10 . 3.99 20 .00 . 27/59 O/U Volt. 27/59 O/U Volt. 27/59 O/U Volt... 150 V 20 . 27/59 O/U Volt.10 A 0. 7SJ80. 4. 210 V 10 .50 A 2.00 sec OFF ON Alarm Only 0.50 sec 0.Overload 49 Th.00 sec.0 .0 . 210 V 10 . 4.Apêndice A.00 A 5. 27/59 O/U Volt.50 .0 ° OFF 0. Manual E50417-G1179-C343-A1. ∞ Instantaneous Disk Emulation 0..10 100.2009 495 ...50 sec Instantaneous 0. 60. 100. 999..50 .0 min 90 % 1. 10. 2. 0..0 ° 0.50 sec 30 V 50 V 0. 120 V 0.9 min 50 .50 A 1.20 sec.00 sec.. 150 V 2 .00 sec..90 . 100.00 A 0.10 . 150 V 0. Gnd Fault 46 Negative Seq 46 Negative Seq 46 Negative Seq 46 Negative Seq 46 Negative Seq 46 Negative Seq C Opções de Ajustes -180.00 A 0.00 . 27/59 O/U Volt. ∞ Normal Inverse Very Inverse Extremely Inv..00 ...00 sec..00 A 0. 100.00 . 1A 5A 1. 15.10 . 27/59 O/U Volt.00 A 0. 15.Overload 49 Th.Overload 1A 5A 0. ∞ 0.. 180... 27/59 O/U Volt. 3.0 .00 0.00 A 0...00 . ∞ 0.00 .95 110 V 120 V OFF Pickup de 59-1 Pickup de 59-1 Temporização de 59-1 Pickup de 59-2 Pickup de 59-2 Temporização de 59-2 Pickup de V2 59-1 Pickup de V2 59-2 Relação de Dropout de 59-1 Relação de Dropout de 59-2 Pickup de V1 59-1 Pickup deV1 59-2 Proteção de Subtensão 27 5102 5103 5106 5110 5111 27-1 PICKUP 27-1 PICKUP 27-1 DELAY 27-2 PICKUP 27-2 PICKUP 27/59 O/U Volt.. 27/59 O/U Volt. 120 V 5002 5003 5004 5005 5006 5007 5015 5016 5017A 5018A 5019 5020 5101 59-1 PICKUP 59-1 PICKUP 59-1 DELAY 59-2 PICKUP 59-2 PICKUP 59-2 DELAY 59-1 PICKUP V2 59-2 PICKUP V2 59-1 DOUT RATIO 59-2 DOUT RATIO 59-1 PICKUP V1 59-2 PICKUP V1 FCT 27 27/59 O/U Volt. Gnd Fault Sens. 100 % 0. 27/59 O/U Volt.50 .99 0.0 .Overload 27/59 O/U Volt.90 ..00 A 0.0 ° OFF ON Ajuste Padrão -160.. 180. Very Inverse 4007 46 ANSI CURVE 46 Negative Seq Extremely Inverse Curva ANSI 4008 4009 4010 4011 4012A 4201 46-TOC PICKUP 46-TOC TIMEDIAL 46-TOC TIMEDIAL 46-TOC RESET 46 T DROP-OUT FCT 49 46 Negative Seq 46 Negative Seq 46 Negative Seq 46 Negative Seq 46 Negative Seq 49 Th.50 sec Extremely Inverse Comentários ângulo fi 50Ns-1 ângulo delta fi 50Ns-1 Proteção de Sequência Negativa de 46 Pickup de 46-1 Temporização de 46-1 Pickup de 46-2 Temporização de 46-2 Curva IEC 1A 5A 1A 5A 0. 60.10 .95 0. 260 V 20 ..00 1.

.00 .00 1. 81 O/U Freq. OFF 6001 6002 S1: RE/RL S1: XE/XL P. VT BROKEN WIRE Σ V> Vph-ph max< Vph-ph min< Vph-ph max-min> I min> T DELAY ALARM FUSE FAIL MON. 81 O/U Freq.00 A 0. 35.. ∞ NÃO YES OFF ON 10 .Superv Measurem.00 A. 5.50 Hz 60.01 . 175. 7SJ80.20 1. 100.00 sec. 70.2009 . OFF 5423 FCT 81-3 O/U 81 O/U Freq. 7. ∞ 0. 100. 100..50 ..0 .00 Hz 0... 81 O/U Freq.00 . 7.. 70. 81 O/U Freq. 81 O/U Freq.. ∞ 40..00 A 0..00 sec OFF Solid grounded Coil.00 Hz 50.Superv C Opções de Ajustes 0.8 Ajustes End.00 Hz 50.20 .01 ..Superv Measurem...00 A.00 .20 ON OFF Ajuste Padrão 0.00 . 70.Superv Measurem../isol.Apêndice A. 100. 200...00 1.00 sec.10 .00 5422 FCT 81-2 O/U 81 O/U Freq.00 Hz 0. 60.System Data 2 P.Superv Measurem. 60.System Data 2 1. 1.00 Hz 30.0 .00 Hz OFF ON f> ON f< OFF ON f> ON f< OFF ON f> ON f< OFF ON f> ON f< -0.00 . 70.00 Hz 30.00 .00 Hz 59. 150 V 20 .50 Hz 3.Superv Measurem..00 . 27/59 O/U Volt. Manual E50417-G1179-C343-A1. 100. FCT 81 O/U Vmin Vmin 81-1 PICKUP 81-1 PICKUP 81-1 DELAY 81-2 PICKUP 81-2 PICKUP 81-2 DELAY 81-3 PICKUP 81-3 PICKUP 81-3 DELAY 81-4 PICKUP 81-4 PICKUP 81-4 DELAY DO differential FCT 81-1 O/U Measurem.00 Hz 0.0 .00 .50 Hz 59.gnd. 10 . ∞ 1.0 V 10.00 sec 47.00 .25 sec OFF 1A 5A 0. 27/59 O/U Volt..50 .Superv Measurem. Função 27/59 O/U Volt. 81 O/U Freq. 100. 81 O/U Freq.10 . 150 V 40.0 V 0.00 A 0.02 .00 sec 51.00 .Superv Measurem. 81 O/U Freq. Measurem. 60.00 .00 A 5.00 A 0..50 A 1.50 sec Comentários Temporização de 27-2 Relação de dropout de 27-1 Relação de dropout 27-2 Supervisão de Corrente Supervisão de circuito interrompido do TP Limite de soma de tensão Máxima tensão fase-fase Mínima tensão fase-fase Simetria de tensões fase-fase Mínima corrente de linha Temporização de alarme Monitoramento de Falha de Fusível Tensão de Sequência Zero Corrente Residual I> Pickup para bloqueio de monitoramento de falha de fusível Bloqueio da Proteção pelo Monitoramento de falha de fusível Proteção de Sobre/ Subfrequência 81 Tensão mínima requerida para operação Tensão mínima requerida para operação Pickup de 81-1 Pickup de 81-1 Temporização de 81-1 Pickup de 81-2 Pickup de 81-2 Temporização de 81-2 Pickup de 81-3 Pickup de 81-3 Temporização de 81-3 Pickup de 81-4 Pickup de 81-4 Temporização de 81-4 Diferencial de dropout Proteção de Sobre/ Subfrequência 81-1 Proteção de Sobre/ Subfrequência 81-2 Proteção de Sobre/ Subfrequência 81-3 Proteção de Sobre/ Subfrequência 81-4 S1: Fator RE/RL de compensação de sequência zero S1: Fator XE/XL de compensação de sequência zero 8.00 A Sim OFF 65 V 35 V 49.. 32. ∞ 40. 60.Superv Measurem..04 A 0.00 . 81 O/U Freq.Superv Measurem.00 sec. ∞ 40. 100.Superv Measurem.00 Hz 50.00 OFF ON ON OFF 1.0 V 16.04 . OFF 5424 FCT 81-4 O/U 81 O/U Freq. 5112 5113A 5114A 5120A 5201 5202 5203 5204 5205 5206 5208 5301 Parâmetro 27-2 DELAY 27-1 DOUT RATIO 27-2 DOUT RATIO CURRENT SUPERV. 100 V 5302 5303 5307 5310 5401 5402 5402 5403 5404 5405 5406 5407 5408 5409 5410 5411 5412 5413 5414 5415A 5421 FUSE FAIL 3Vo FUSE FAIL RESID I> BLOCK BLOCK PROT. ∞ 0.00 sec 0. 81 O/U Freq.. 100.00 sec 49.00 -0.Superv Measurem.00 sec... 3.Superv 81 O/U Freq. 81 O/U Freq..Superv Measurem.00 496 SIPROTEC.00 .10 A 0.0 V 16. 27/59 O/U Volt.0 V 1.00 Hz 61. 5. 81 O/U Freq. 81 O/U Freq.00 sec. 3.Superv Measurem..0 V 16.0 .. 1A 5A 1A 5A 30 V 0.33 . 1.00 .20 A 1. Publicação 05.... 1. 81 O/U Freq.50 Hz 57.0 V 1.0 V 1.00 Hz 50. 81 O/U Freq.33 ... 81 O/U Freq.00 Hz 0.02 Hz OFF 0.

.0 km ON OFF (Setting options depend on configuration) 20 .1 Miles 100.0000 Ω/mi 0.5000 Ω/km 0. 1.System Data 2 P. 15.0 Miles 0. primary SYNC function 1 20..33 . 89 ° 0.1 .System Data 2 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 C 1A 5A 1A 5A Opções de Ajustes 0.0000 Ω/mi 0. 650.System Data 2 P.. 1.00 0.10 .Apêndice A.. 7. 7. 1000. 7. 6003 6004 6005 6006 6007 6011 6012 6013 6014 6015 6016 6017 6021 6022 6023 6024 6025 6026 6027 6101 6102 6103 6104 6105 6106 6107 6108 6109 6110A 6111A 6112 6113A 6121 6122A 6123 S1: x' S1: x' Parâmetro Função P.5000 Ω/km 0.System Data 2 P.System Data 2 P.System Data 2 P.0484 Ω/mi 0.0 km 1.. 140 V YES NO YES NÃO YES NO YES NO 0. primário SIPROTEC.0 Miles 0.0000 Ω/mi 0.0050 .0300 Ω/km 85 ° 62..00 sec 0.System Data 2 P. 7.1 ..00 0.System Data 2 P. 9. 15.0050 .. 3.0050 .System Data 2 P.. 140 V 1 .1 ...33 .00 Ajuste Padrão 0.V2< Duração Máxima de Sincronização Chaveamento para condição síncrona Fator de balanceamento V1/V2 Ajuste de ângulo (transformador) Conexão de V2 S1: Line angle S1: Line length S1: Line length S2: RE/RL S2: XE/XL S2: x' S2: x' S2: Line angle S2: Line length S2: Line length S3: RE/RL S3: XE/XL S3: x' S3: x' S3: Line angle S3: Line length S3: Line length Synchronizing SyncCB Vmin Vmax V< V> SYNC V1<V2> SYNC V1>V2< SYNC V1<V2< Direct CO TSUP VOLTAGE T-SYN.2420 Ω/mi 0.00 sec.1500 Ω/km 0.0050 . 360 ° A-B B-C C-A 0. Manual E50417-G1179-C343-A1. 89 ° 0. 800. Publicação 05.2420 Ω/mi 0.0050 ...0 km OFF None 90 V 110 V 5V 80 V NO NO NO NO 0. 60.00 -0.1 . V2 sem tensão Limite V1. CONNECTIONof V2 1A 5A 1A 5A 0..1 ..00 0 . DURATION 25 Synchron Balancing V1/V2 ANGLE ADJUSTM.33 .5000 Ω/km 0.0010 .0010 .2420 Ω/mi 0...0000 Ω/mi 0.System Data 2 P.System Data 2 P.00 1A 5A 1A 5A 0.. 9..0000 Ω/mi 0.1 Miles 100. 650.System Data 2 P.9000 Ω/km 10 .System Data 2 P.1500 Ω/km 0. 650.0010 .0484 Ω/mi 0.0 km -0.System Data 2 P.. 15.10 sec 30.0484 Ω/mi 0.1 Miles 100..System Data 2 P...1 . 1000.0300 Ω/km 85 ° 62.00 1.0 km 1.1500 Ω/km 0. V2 com tensão Comando ON em V1< e V2> Comando ON em V1> e V2< Comando ON em V1< e V2< Comando Direto ON Tempo de Supervisão de V1>. 3.System Data 2 P. 7SJ80. 125 V 20 .System Data 2 P. 2. 60 V 20 .. 9. ∞ YES NO 0.00 kV 6125 VT Vn2..9000 Ω/km 10 .00 sec YES 1. 1. 1000.01 .8 Ajustes End...System Data 2 P.0 km -0.50 .00 -0. 89 ° 0.0300 Ω/km 85 ° 62..0010 .0 Miles 0.2009 497 ... 1200.33 ..00 ..V2> or V1<.0010 ..System Data 2 P.00 1.0050 .00 kV Tensão nominal V2 do TP.9000 Ω/km 10 .0010 .00 0° A-B Comentários S1: reatância do alimentador por milha: x' S1:reatância do alimentador por km: x' S1: Ângulo da linha S1: Extensão da linha em milhas S1: Extensão da linha em kilometros S2: Fator RE/RL de compensação de sequência zero S2: Fator XE/XL de compensação de sequência zero S2: reatância do alimentador por milha: x' S3: reatância do alimentoador por km: x' S2: Ângulo da linha S2: Extensão da linha em milhas S2: Extensão da linha em quilometros S3: Fator RE/RL de compensação de sequência zero S3: Fator XE/XL de compensação de sequência zero S3: reatância do alimentador por milha: x' S3: reatância do alimentador por km: x' S3: Ângulo da linha S3: Extensão da linha em milhas S3: Extensão da linha em quilometros Função Sincronização Disjuntor sincronizável Limite de tensão mínima: Vmin Limite de tensão máxima: Vmax Limite V1.. 3.0000 Ω/mi 0.

79M Auto Recl. 79M Auto Recl.50 sec 0. 320. 79M Auto Recl...50 sec 0. 79M Auto Recl...00 sec. 79M Auto Recl.00 sec.01 . 50-1 Função SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 50BF BkrFailure 50BF BkrFailure C Opções de Ajustes 0. 79M Auto Recl.05 .0 V 0.00 sec 0. 320.06 ..0 sec.10 ..01 ..00 sec ∞ sec 1.10 Hz 0.01 .5 .05 . 100.00 sec 0. 320.00 sec 3.00 Hz 0.00 sec 0.. PH Cmd.00 sec 0.50 sec 3.0 V 0.8 Ajustes End. 79M Auto Recl.00 sec 0..50 sec 1 1 None None NO OFF No influence Comentários Diferença de Tensão Máxima V2>V1 Diferença de Tensão Máxima V2<V1 Diferença de frequência máxima f2>f1 Diferença de frequência máxima f2<f1 Diferença máxima de ângulo alpha2>alpha1 Diferença máxima de ângulo alpha2<alpha1 Proteção de Falha do Disjuntor 50BF Verificação dos contatos do disjuntor Temporizador de TRIP Limite de corrente de pickup de 50BF Limite de corrente à terra do pickup de 50BF Função de Auto-religamento 79 Duração de bloqueio de AR após fechamento manual Tempo de reset de auto-religamento 79 Tempo de segurança até prontidão de 79 Verificação do disjuntor antes de AR? Tempo de monitoramento do sinal de partida do AR Tempo de Supervisão do Disjuntor (CB) Extensão máxima de tempo morto Tempo de ação Temporização máxima do início do tempo morto Tempo Morto 1: Falta de Fase Tempo Morto 1: Falta à Terra Tempo Morto 2: Falta de Fase Tempo Morto 2: Falta à Terra Tempo Morto 3: Falta de Fase Tempo Morto 3: Falta à Terra Tempo Morto 4: Falta de Fase Tempo Morto 4: Falta à Terra Número de ciclos de religamento à Terra Número de ciclos de religamento de fase Comando de fechamento via dispositivo de controle Sincronização interna 25 Sincronização externa 25 Coordenação de Sequência de Zona ZSC 50-1 50BF BkrFailure 50BF BkrFailure 79M Auto Recl.00 sec 0.00 Hz 2 . TIME RESTRAINT SAFETY 79 ready CHECK CB? T-Start MONITOR CB TIME OUT Max. 320.10 A 0. 2. 50.01 ...50 sec 0. GND # OF RECL.50 . 2.50 ..00 A 0. 79M Auto Recl. 20.00 sec 100. 1A 5A 1A 5A 0. 79M Auto Recl.00 sec.01 .. 6150 6151 6152 6153 6154 6155 7001 7004 7005 7006 7007 7101 7103 7105 7108 7113 7114 7115 7116 7117 7118 7127 7128 7129 7130 7131 7132 7133 7134 7135 7136 7137 7138 7139 7140 7150 Parâmetro dV SYNCHK V2>V1 dV SYNCHK V2<V1 df SYNCHK f2>f1 df SYNCHK f2<f1 dα SYNCHK α2>α1 dα SYNCHK α2<α1 FCT 50BF Chk BRK CONTACT TRIP-Timer 50BF PICKUP 50BF PICKUP IE> FCT 79 BLOCK MC Dur.01 .via control Internal SYNC External SYNC ZONE SEQ.0 V 5..5 . 50.. 100. 79M Auto Recl. 320. 79M Auto Recl. 79M Auto Recl.. 79M Auto Recl. 20. 9 (Setting options depend on configuration) (Setting options depend on configuration) YES NO OFF ON No influence Starts 79 Stops 79 498 SIPROTEC.50 sec 0. 79M Auto Recl. 0 0.01 ..01 . 79M Auto Recl. 320.. 320.0 sec 0.00 sec. ∞ 0.01 ... 320.01 . 79M Auto Recl.0 V 0.25 sec 0.00 sec 0. 79M Auto Recl. 320. ∞ 0.00 sec 0 . 1800.. 1800.. 79M Auto Recl.00 sec.50 sec No check 0.00 sec No check Chk each cycle 0. 79M Auto Recl. 80 ° OFF ON OFF ON 0. 60. 7SJ80.50 sec 0.25 . 320. 320. T-ACTION T DEAD DELAY DEADTIME 1: PH DEADTIME 1: G DEADTIME 2: PH DEADTIME 2: G DEADTIME 3: PH DEADTIME 3: G DEADTIME 4: PH DEADTIME 4: G # OF RECL. 320.00 sec 0.10 A 0. ∞ 0.25 .00 sec 0.Apêndice A. Manual E50417-G1179-C343-A1.. 79M Auto Recl.. 79M Auto Recl.0 . DEAD EXT.50 . ∞ Ajuste Padrão 5. 79M Auto Recl.2009 . ∞ 0.01 ..00 sec 0.... 320. 79M Auto Recl.10 Hz 10 ° 10 ° OFF OFF 0.COORD.50 sec 0. Publicação 05.50 sec 0.01 . 80 ° 2 . 9 0 .00 A 0. 320.50 A 0.50 A OFF 1.00 A 0.01 .. 79M Auto Recl.00 A OFF ON 0.

T=0 blocked T=∞ Ajuste Padrão No influence 50N-1 Comentários 7152 50-2 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. No influence 50N-3 7200 bef.1.Cy:51N 79M Auto Recl. No influence 67-2 7159 67N-2 79M Auto Recl. No influence 50-2 7153 50N-2 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 1º ciclo: 50N-1 7202 bef.Cy:50N-1 79M Auto Recl. 7SJ80.Cy:50N-2 79M Auto Recl.1. Manual E50417-G1179-C343-A1. No influence 46 7164 BINARY INPUT 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 1º ciclo: 50-2 7203 bef.1. No influence 67 TOC 7161 67N TOC 79M Auto Recl. NO No influence Pickup tripolar bloqueia 79 50-3 7167 50N-3 79M Auto Recl.2009 499 .Cy:50-2 79M Auto Recl. No influence Entrada Binária 7165 7166 3Pol. Set value T=T antes do 1º ciclo: 51 7205 bef. 7151 50N-1 Parâmetro Função 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. No influence Falta à Terra (sensitiva) 7163 46 79M Auto Recl.Apêndice A. Set value T=T antes do 1º ciclo: 50-1 7201 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. No influence 67-1 7157 67N-1 79M Auto Recl.1.Cy:51 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Publicação 05. No influence 67N-1 7158 67-2 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. No influence 67N-2 7160 67 TOC 79M Auto Recl.8 Ajustes End. C Opções de Ajustes No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 YES NO No influence Starts 79 Stops 79 No influence Starts 79 Stops 79 Set value T=T instant. No influence 51N 7156 67-1 79M Auto Recl. No influence 67N TOC 7162 sens Ground Flt 79M Auto Recl. No influence 50N-2 7154 51 79M Auto Recl.1. No influence 51 7155 51N 79M Auto Recl.PICKUP BLK 50-3 79M Auto Recl.1.Cy:50-1 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 1º ciclo: 51N SIPROTEC. 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 1º ciclo: 50N-2 7204 bef.

2009 .Apêndice A. Manual E50417-G1179-C343-A1.Cy:67-1 Função 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 2º ciclo: 67N TOC 7224 bef. Set value T=T antes do 2º ciclo: 67-2 7221 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2.Cy:67N-1 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:50-2 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 2º ciclo: 67N-1 7220 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:50N-1 79M Auto Recl.Cy:67-1 79M Auto Recl.Cy:50-1 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.1. Set value T=T antes do 1º ciclo: 67N-1 7208 bef.1. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Set value T=T antes do 1º ciclo: 67-2 7209 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2.2.Cy:51N 79M Auto Recl.1.Cy:51 79M Auto Recl.Cy:50N-1 79M Auto Recl.Cy:67NTOC 79M Auto Recl.Cy:67NTOC 79M Auto Recl.2.1. T=0 blocked T=∞ Ajuste Padrão Set value T=T Comentários antes do 1º ciclo: 67-1 7207 bef.Cy:67N-2 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2.3.2.Cy:67N-2 79M Auto Recl.2.Cy:50-2 79M Auto Recl.3.Cy:51 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Set value T=T antes do 2º ciclo: 51N 7218 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. 7SJ80. Set value T=T antes do 2º ciclo: 67-1 7219 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.1.Cy:67N-1 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 2º ciclo: 51 7217 bef. C Opções de Ajustes Set value T=T instant. Set value T=T antes do 3º ciclo: 50N-2 7228 bef. Publicação 05. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:50-1 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 2º ciclo: 50-1 7213 bef.8 Ajustes End.3.Cy:67 TOC 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 3º ciclo: 50-2 7227 bef. Set value T=T antes do 2º ciclo: 67N-2 7222 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. 7206 Parâmetro bef.3. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Set value T=T antes do 1º ciclo: 67N-2 7210 bef.2. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Set value T=T antes do 3º ciclo: 51 500 SIPROTEC.2.Cy:67-2 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:50N-2 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 1º ciclo: 67N TOC 7212 bef. Set value T=T antes do 3º ciclo: 50-1 7225 bef.1. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.2. Set value T=T antes do 2º ciclo: 67 TOC 7223 bef. Set value T=T antes do 1º ciclo: 67 TOC 7211 bef.2. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Set value T=T antes do 3º ciclo: 50N-1 7226 bef. Set value T=T antes do 2º ciclo: 50N-1 7214 bef.Cy:67 TOC 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 2º ciclo: 50N-2 7216 bef.Cy:67-2 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 2º ciclo: 50-2 7215 bef.3.Cy:50N-2 79M Auto Recl.

Cy:50-2 79M Auto Recl.Cy:50-1 79M Auto Recl.4.Cy:67-2 79M Auto Recl.Cy:67N-1 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 3º ciclo: 67N TOC 7236 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:67N-1 79M Auto Recl.Cy:67N-2 79M Auto Recl.Cy:67-1 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 4º ciclo: 67N-1 7244 bef.Apêndice A.Cy:67N-2 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 4º ciclo: 50N-2 7240 bef.Cy:50N-3 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 1º Ciclo: 50-3 7249 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Set value T=T antes do 1º Ciclo: 50N-3 7250 bef. Set value T=T antes do 2º Ciclo: 50N-3 SIPROTEC.2009 501 .3. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.1. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.4. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. 7SJ80. C Opções de Ajustes Set value T=T instant.Cy:67-1 79M Auto Recl.4. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Set value T=T antes do 4º ciclo: 67N-2 7246 bef.Cy:50-3 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.4. Set value T=T antes do 4º ciclo: 51N 7242 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.4. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:67NTOC 79M Auto Recl.2. Set value T=T antes do 4º ciclo: 67 TOC 7247 bef.3. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Set value T=T antes do 3º ciclo: 67 TOC 7235 bef. Set value T=T antes do 4º ciclo: 67-2 7245 bef. Set value T=T antes do 4º ciclo: 50-2 7239 bef.3. Set value T=T antes do 3º ciclo: 67-2 7233 bef.Cy:67-2 79M Auto Recl.Cy:67 TOC 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Set value T=T antes do 4º ciclo: 50N-1 7238 bef. Manual E50417-G1179-C343-A1. Set value T=T antes do 4º ciclo: 50-1 7237 bef.3.Cy:50N-1 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 3º ciclo: 67-1 7231 bef.Cy:50N-2 79M Auto Recl.8 Ajustes End. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Publicação 05.4.4. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:51 79M Auto Recl.4.2. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. Set value T=T antes do 4º ciclo: 67N TOC 7248 bef.Cy:67NTOC 79M Auto Recl.Cy:50N-3 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 4º ciclo: 67-1 7243 bef. 7229 Parâmetro bef.3.Cy:67 TOC 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.4. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.Cy:51N 79M Auto Recl.3.1.Cy:51N Função 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Ajuste Padrão Set value T=T Comentários antes do 3º ciclo: 51N 7230 bef. Set value T=T antes do 2º Ciclo: 50-3 7251 bef.3.Cy:50-3 79M Auto Recl.4. Set value T=T antes do 4º ciclo: 51 7241 bef. Set value T=T antes do 3º ciclo: 67N-1 7232 bef. Set value T=T antes do 3º ciclo: 67N-2 7234 bef. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.4.4.

50 0. 1 Sub 60 Min.10 ON ON 2 sec 60 Min. Set value T=T antes do 4º Ciclo: 50-3 7255 bef..3.50 A 0.Cy:50-3 Função 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant..Superv Measurem. 0.2009 . FACTOR I Σ I THRESHOLD Σ I FACTOR FAST Σ i MONIT Fault Locator Measurem.Superv Measurem. 30 sec 15 Min.START MeterResolution Min/Max meter Min/Max meter Min/Max meter Min/Max meter Energy YES 0 min 7 Days 1 Day Standard Função de Reset Cíclico Automático Temporizador de Reset MinMax Período MinMax de Ciclo de Reset Ciclo de Reset de Partida MinMax em Resolução de medidor 502 SIPROTEC. C Opções de Ajustes Set value T=T instant...50 A 2..Superv Measurem..25 . ∞ 0.. 0. 10. Publicação 05. 1 Sub 60 Min..00 A 0. ∞ 0..Cy:50-3 79M Auto Recl. Set value T=T antes do 3º Ciclo: 50N-3 7254 bef..8 Ajustes End.00 A..Superv Measurem. Set value T=T antes do 4º Ciclo: 50N-3 8001 8101 8102 8103 8104 8105 8106 8107 8109 8201 8202 8301 START MEASURE.15 Subs 30 Min. 1439 min 1 .3.00 .Superv Measurem.Cy:50N-3 79M Auto Recl. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.. 1. FACTOR V BALANCE I LIMIT BAL.00 A 0. T=0 blocked T=∞ Pickup TRIP OFF ON 10 . Manual E50417-G1179-C343-A1. 5 Subs On The Hour 15 After Hour 30 After Hour 45 After Hour NO YES 0 .90 0. 7252 Parâmetro bef.. 74TC TripCirc.95 OFF ON ON OFF 1 .. 2.4. SUPERV BALANCE V-LIMIT BAL.90 Ajuste Padrão Set value T=T Comentários antes do 3º Ciclo: 50-3 7253 bef..00 A..Superv Measurem.10 .Time Demand meter On The Hour Tempo de Sincronização da Demanda 8311 8312 8313 8314 8315 MinMax cycRESET MiMa RESET TIME MiMa RESETCYCLE MinMaxRES.Superv Measurem.Apêndice A. 1 Sub Inicio do Localizador de Falta com Supervisão de Medição Limite de Tensão para monitoramento de Equilíbrio Fator de Equilíbrio para Monitoramento de Tensão Limite de Corrente para Monitoramento de Equilíbrio Fator de Equilíbrio para Monitoramento de Corrente Limite de Monitoramento da Corrente de Soma Fator de Monitoramento da Corrente de Soma Monitoramento Rápido da Corrente de Soma Supervisão do Circuito de TRIP 74TC Temporização para alarme Intervalos de Cálculo da Demanda 0.Cy:50N-3 79M Auto Recl. 3 Subs 15 Min..Superv Measurem. 100 V 0. T=0 blocked T=∞ Set value T=T instant.. 0..10 .10 A 0.50 A 0. 1 Sub 15 Min.4.75 0.Superv 74TC TripCirc. 365 Days 1 . 7SJ80.Superv Measurem. 5.05 .50 .. 365 Days Standard Factor 10 Factor 100 FCT 74TC Alarm Delay DMD Interval 8302 DMD Sync. Demand meter 1A 5A 1A 5A Pickup ON 50 V 0.10 Subs 5 Min.58 .

Apêndice A.CFC) Início de Gravação de Falta (FltRecSta) Grupo de Ajuste A está ativo (P-GrpA act) Grupo de Ajuste B está ativo (P-GrpB act) Device.são ajustadas para ON / OFF e sujeitas à interrogação geral se o tipo de informação não for um evento espontâneo („. Manual E50417-G1179-C343-A1. General Device.9 Lista de Informações A. alocável nem pré-ajustado. nem alocável Na coluna „Marcado em Gravação Oscilográfica“ aplica-se o seguinte: NOTAÇÃO EM CAIXA ALTA “M”: definitivamente ajustado. Novas indicações definidas pelo usuário ou aquelas alocadas para IEC 60 870-5-103 . General Osc. Buffers de Registros Marcada em Gravação Oscilográfica Registro de Falta à Terra ON/OFF Registro de (Falta) Trip ON/OFF Configurável na Matriz IEC 60870-5-103 Registro de Eventos ON/OFF Supressão de Vibração Número da Informação - >Luz de fundo acesa (>Light on) Reset de LED (Reset LED) Transmissão de Dados Paralisada (DataStop) Modo de Teste (Test mode) Alimentador ATERRADO (Feeder gnd) Dusjuntor ABERTO (Brk OPENED) Modo de Teste do Harware (HWTestMod) Sincronização de Relógio (SynchClock) Distúrbio CFC (Distur. General Device. Caso contrário são reportadas apenas como ON._Ev“). Nas colunas „Registro de Eventos“. alocável nem pré-ajustado. Outras informações sobre as indicações são ajustadas na Descrição do Sistema SIPROTEC 4 (SIPROTEC 4 System Description) Nº de pedido E50417-H1100-C151. General Device. Descrição não pré-ajustado. 7SJ80.9 Lista de Informações Indicações para IEC 60 870-5-103 são sempre reportadas ON / OFF se sujeitas à interrogação geral para IEC 60 870-5-103. Fault Rec. alocável *: <em branco>: No. Change Group Change Group SP IntSP IntSP IntSP IntSP IntSP IntSP IntSP _Ev OUT IntSP IntSP IntSP On Off on On Off On Off * * On Off * On Off On Off On Off On Off * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * LED BI LED LED LED LED LED LED BO BO BO BO BO BO BO 160 160 160 19 20 21 1 1 1 Não Sim Sim LED m * * LED LED LED BO BO BO BO 160 160 23 24 1 1 Sim Sim SIPROTEC. General Device.. „Registro de Trip“ e „Registro de Falta à Terra“ aplica-se o seguinte: NOTAÇÃO EM CAIXA ALTA “ON/OFF”: definitIivamente ajustado. General Device. não alocável notação em caixa baixa “on/off”: pré-ajuste. General Device. não alocável notação em caixa baixa “on/off”: pré-ajuste. Publicação 05. General Device. General Device.2009 Interrogação Geral Unidade de Dados Entrada Binária Função Chave Relé Tipo LED 503 . nem alocável Função Tipo de Info. alocável *: <em branco>: não pré-ajustado.

9 Lista de Informações No.Apêndice A.Cntrl Authority deREMOTE) Autoridade de Controle (Cntrl Auth) Modo de Controle LOCAL (ModeLOCAL) Disjuntor 52 (52Breaker) Disjuntor 52 (52Breaker) Cntrl Authority Cntrl Authority Control Device Control Device 101 101 240 240 240 240 240 240 85 86 160 160 161 161 164 164 1 1 20 1 20 1 20 1 Chave Seccionadora (Disc.Protocol sIntErr.) >Disjuntor pronto Mola está carregada (>CB ready) >Porta fechada (>DoorClose) >Porta da cabine aberta (>Door open) Control Device Control Device Process Data Process Data Process Data * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI 101 101 160 240 240 240 240 240 240 1 2 38 181 182 183 184 185 186 1 1 1 1 1 1 1 1 1 >Disjuntor aguardando pela Mola Process Data carregada (>CB wait) >Sem Tensão (Fusível Queimado) (>No Volt. Descrição Função Registro de Eventos ON/OFF Info.Swit.) Control Device Chave à Terra (GndSwit. General 504 SIPROTEC. 7SJ80. Marcada em Gravação Oscilográfica Tipo de Buffers de Registros Registro de Falta à Terra ON/OFF Registro de (Falta) Trip ON/OFF Configurável na Matriz IEC 60870-5-103 Supressão de Vibração Número da Informação 1 Grupo de Ajuste C está ativo (P-GrpC act) Grupo de Ajuste D está ativo (P-GrpD act) Change Group Change Group IntSP IntSP IntSP IntSP IntSP CF_D 12 DP CF_D 2 DP CF_D 2 DP SP SP SP SP SP SP SP SP SP SP SP IntSP _Ev IntSP _Ev IntSP IntSP SP On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off * * On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off ON ON On Off On Off * * * * * * * * LED LED LED LED LED LED BI LED BI LED BI BO BO BO BO BO BO CB BO CB BO CB BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO CB CB CB CB CB CB CB CB CB CB CB 160 160 25 26 1 1 Modo de Controle REMOTO (Mo.2009 Interrogação Geral Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Unidade de Dados Entrada Binária Função Chave Relé Tipo LED .) Valor de Limite 1 (ThreshVal1) Nenhuma Função configurada (Not configured) Thresh.) Chave à Terra (GndSwit.-Switch Device. Publicação 05.) >Perigo do Transformador (>Tx Danger) Reset Mínimo e Máximo do Contador (ResMinMax) Reset do medidor (Meter res) Process Data Process Data Process Data Process Data Process Data Process Data Process Data Min/Max meter Energy BI * * LED LED * FC TN BO BO CB Erro da Interface de Sistema (Sy.) Control Device Chave Seccionadora (Disc.) >Erroda Tensão do Motor (>Err Mot V) >Erro da Tensão de Controle (>ErrCntrlV) >Perda SF6 (>SF6-Loss) >Erro do Medidor (>Err Meter) >Temperatura do Transformador (>Tx Temp.Swit. Manual E50417-G1179-C343-A1.

) Verificação de ajustes (Settings Check) Mudança Nível 2 (Level-2 change) Mudança de ajuste local (Local change) Perda de Evento (Event Lost) Perda de Indicação (Flag Lost) Vibrador ON (Chatter ON) Proteção ON/OFF (via porta do sistema) (ProtON/OFF) 79 ON/OFF (via porta do sistema) (79 ON/OFF) Device. General * * * * On Off On Off On Off * * On Off On Off on on on On Off On Off On Off * On Off * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * m * * * * * * * * * * * * * * * * * * * LED BI LED BI LED BI LED BI LED LED LED LED BI LED BI LED LED BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO 135 135 135 135 49 50 51 52 1 1 1 1 135 135 135 160 160 53 54 81 18 4 5 1 1 1 1 1 1 LED LED LED LED LED LED LED BO BO BO BO BO BO BO 160 Erro de Sincronização do Relógio Device. General Device.Cap.Wave. General Change Group Change Group EN100-Modul 1 EN100-Modul 1 EN100-Modul 1 Device. General Device. Marcada em Gravação Oscilográfica Tipo de Buffers de Registros Registro de Falta à Terra ON/OFF Registro de (Falta) Trip ON/OFF Configurável na Matriz IEC 60870-5-103 Supressão de Vibração Número da Informação 2 3 Função não disponível (Non Existent) >Sincronização do relógio Interno de Tempo Real (>Time Synch) >Disparo de Captura de Forma de Onda(>Trig.Apêndice A. General Device.0100 009.System Data 2 79M Auto Recl. General Device. Manual E50417-G1179-C343-A1. General Device. Device. Fault Rec. Publicação 05. General Device. General Device. General Device. 160 22 1 OUT_ on Ev OUT OUT IntSP IntSP on On Off On Off On Off LED m * * * LED LED LED LED BO BO BO BO BO 135 135 135 130 136 145 1 1 1 SIPROTEC. General Device.) >Reset LED (>Reset LED) >Seleção de grupo de ajuste de Bit 0 (>Set Group Bit0) >Seleção de grupo de ajuste de Bit 1 (>Set Group Bit1) Falha do Módulo EN100 (Failure Modul) Failha do Canal 1 de Link do Módulo EN100 (Ch1) (Fail Ch1) Failha do Canal 2 de Link do Módulo EN100 (Ch2) (Fail Ch2) >Modo de Teste (>Test mode) >Transmissão de Dados Paralisada (>DataStop) Dispositivo está operacional e protegendo (Device OK) Pelo menos 1 Função de Proteção etá ativa (ProtActive) Reset do Dispositivo (Reset Device) Partida Inicial do Dispositivo (Initial Start) Resumo (Resume) Device.0101 009. General Device. General Device. Descrição Função Registro de Eventos ON/OFF Info.0102 15 16 51 52 55 56 67 68 69 70 71 72 73 110 113 125 126 127 Osc. General P.9 Lista de Informações No. General SP SP_E v SP SP SP SP IntSP IntSP IntSP SP SP OUT IntSP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT * * * * LED BI BO 135 48 1 Sim 4 5 7 8 009. General Device. 7SJ80.2009 Interrogação Geral Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Não Não Sim Não Sim Sim Unidade de Dados Entrada Binária Função Chave Relé Tipo LED 505 . General (Clock SyncError) Tempo Horário de Verão (DayLightSavTime) Cálculo de ajuste em progresso (Settings Calc. General Device. General Device.

Apêndice A.Superv >25-groupo 1 ativado (>25-1 act) SYNC function 1 >25 Solicitação de Sincronização SYNC function 1 (>25 Sync requ.2009 170. General Device.Superv OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT SP SP OUT On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off * * * * * * * * * * * * * * * * * * * LED LED LED LED LED LED LED LED LED BI LED BI LED BO BO BO BO BO BO BO BO 160 160 160 135 135 135 135 47 46 32 182 183 186 188 1 1 1 1 1 1 1 Falha: Soma de Corrente (Failure Measurem.Superv Measurem.Superv Measurem.0043 170. Publicação 05.2013 170.2014 170. Marcada em Gravação Oscilográfica Tipo de Buffers de Registros Registro de Falta à Terra ON/OFF Registro de (Falta) Trip ON/OFF Configurável na Matriz IEC 60870-5-103 Supressão de Vibração Número da Informação 140 160 161 162 163 167 169 170 170.2012 170.SYNC function 1 mento (25 MonTimeExc) 25 Condições de Sincronização OK (25 Synchron) SYNC function 1 506 SIPROTEC.) 25-grupo 1: medição em andamento (25-1 meas.0049 Erro com resumo do alarme (Error Sum Alarm) Evento de Resumo de Alarme (Alarm Sum Event) Falha: Supervisão Geral de Corrente (Fail I Superv.0051 170.2009 Interrogação Geral Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Sim Unidade de Dados Entrada Binária Função Chave Relé Tipo LED .2025 170. req.) Device.) SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 170.Superv Measurem.0050 170.9 Lista de Informações No.2016 170.SYNC function 1 dição de sincronismo (25 Measu. 7SJ80.2007 SYNC function 1 SYNC function 1 OUT OUT SP * * * LED LED LED BO BO 41 41 202 204 1 1 25 Controle de solicitação de me.2026 SP SP SP SP SP SP SP SP OUT OUT OUT * * * * * * * * * * * LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED LED LED BO BO BO 41 41 41 203 205 206 1 1 1 Sim Sim Sim 25 Excedido Tempo de Monitora.) 25 Liberação de sincronismo de Comando CLOSE (25 CloseRelease) 25 Erro de Sincronização (25 Sync. Manual E50417-G1179-C343-A1.2011 170.2015 170. Error) 25-grupo 1 está BLOQUEADO (25-1 BLOCK) SYNC function 1 BO 41 201 1 170. General Measurem.Superv Σ I) Falha: Equilíbrio de Corrente (Fail I balance) Falha: Equilíbrio de Tensão (Fail V balance) Falha do Fusível do TP (alarme >10s) (VT FuseFail>10s) Falha do Fusível do TP(alarme instantênea) (VT FuseFail) Measurem.) >BLOQUEAR 25-grupo 1 (>BLK 25-1) >25 Saída de Comando Direto (>25direct CO) >25 Início de Sincronização (>25 Start) >25 Parada da Sincronização (>25 Stop) >25 Chaveado para V1> e V2< (>25 V1>V2<) >25 Chaveado para V1< e V2> (>25 V1<V2>) >25 Chaveado para V1< e V2< (>25 V1<V2<) >25 Chaveado para Sync (>25 synchr.2022 170.2008 170. Descrição Função Registro de Eventos ON/OFF Info.0001 170.

2037 170.2096 170.2040 170.2102 170. Descrição Função Registro de Eventos ON/OFF Info. Marcada em Gravação Oscilográfica Tipo de Buffers de Registros Registro de Falta à Terra ON/OFF Registro de (Falta) Trip ON/OFF Configurável na Matriz IEC 60870-5-103 Supressão de Vibração Número da Informação 170.Superv * * * * LED LED BI LED LED BO BO 41 160 37 35 1 1 SIPROTEC.2035 170.2092 170. Seq.2009 Interrogação Geral Sim Sim Unidade de Dados Entrada Binária Função Chave Relé Tipo LED 507 .2036 170.2038 170.2090 170.2101 170.2031 170.2095 170.2029 170.9 Lista de Informações No.2030 170.2028 170.2027 170.Apêndice A.2093 170.2032 170.2097 170.2034 170.2039 170. Publicação 05. Manual E50417-G1179-C343-A1.2033 170.2103 171 25 Condição V1>V2< preenchida SYNC function 1 (25 V1> V2<) 25 Condição V1<V2> preenchida SYNC function 1 (25 V1< V2>) 25 Condição V1<V2< preenchida SYNC function 1 (25 V1< V2<) 25 Diferença de Tensão OK (Vdiff) (25 Vdiff ok) SYNC function 1 OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT SP OUT OUT On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED LED BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO 41 36 1 Sim 41 41 41 207 208 209 1 1 1 Sim Sim Sim 25 Diferença de Frequência (fdiff) SYNC function 1 OK (25 fdiff ok) 25 Diferença de ângulo (alphadiff) OK (25 αdiff ok) 25 Frequência f1 > fmax permissível (25 f1>>) 25 Frequência f1 < fmin permissível (25 f1<<) 25 Frequência f2 > fmax permissível (25 f2>>) 25 Frequência f2 < fmin permissível (25 f2<<) 25 Tensão V1 > Vmax permissível (25 V1>>) SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 25 Tensão V1 < Vmin permissível SYNC function 1 (25 V1<<) 25 Tensão V2 > Vmax permissível (25 V2>>) SYNC function 1 25 Tensão V2 < Vmin permissível SYNC function 1 (25 V2<<) 25 Vdiff muito grande (V2>V1) (25 V2>V1) 25 Vdiff muito grande (V2<V1) (25 V2<V1) 25 fdiff muito grande (f2>f1) (25 f2>f1) 25 fdiff muito grande (f2<f1) (25 f2<f1) 25 alphadiff muito grande (a2>a1) (25 α2>α1) 25 alphadiff muito grande (a2<a1) (25 α2<α1) 25 Múltipla seleção de grupos funcionais (25 FG-Error) 25 Erro de ajuste (25 Set-Error) Grupo SYNC 1 está OFF (25-1 OFF) >BLOQUEADO 25 comando CLOSE (>BLK 25 CLOSE) 25 Comando CLOSE está BLOQUEADO (25 CLOSE BLK) Falha: Sequência de Fase (Fail Ph.2094 170.) SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 SYNC function 1 Measurem.2091 170. 7SJ80.

TripA) >BLOQUEIO de TRIP da Fase B Flx da Função $00 (>$00 BL.TripC) Função $00 está BLOQUEADA ($00 BLOCKED) Flx SP SP SP SP OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * LED BI LED BI LED BI LED BI LED LED LED LED LED LED LED BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO BO Função $00 está OFF ($00 OFF) Flx Função $00 está ATIVA ($00 ACTIVE) Pickup da Função $00 ($00 picked up) Flx Flx Pickup da Fase A da Função $00 Flx ($00 pickup A) Pickup da Fase B da Função $00($00 pickup B) Pickup da Fase C da Função $00($00 pickup C) Flx Flx 508 SIPROTEC.) >TRIP direto da Função $00 (>$00 Dir.2119 235.Superv OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT OUT On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off * * * * * * * * * * * On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off * * On Off On Off On Off On Off * * * * * * * * * * * LED LED LED LED LED LED LED BO BO BO BO BO BO BO 135 135 191 192 1 1 Falha: Bateria descarregada (Fail Device. General Measurem. Seq.2124 >BLOQUEIO de TRIP da Função Flx $00 (>$00 BLK.2123 235.2100 235.2113 Falha: Corrente de Sequência de Measurem.Superv Osc. V) Measurem.2120 235.TRIP) >BLOQUEIO de TRIP da Fase A Flx da Função $00 (>$00 BL. Descrição Função Registro de Eventos ON/OFF Info. General Device. Publicação 05.2114 235.2111 235. Marcada em Gravação Oscilográfica Tipo de Buffers de Registros Registro de Falta à Terra ON/OFF Registro de (Falta) Trip ON/OFF Configurável na Matriz IEC 60870-5-103 Supressão de Vibração Número da Informação 175 176 177 178 181 191 193 194 197 203 234.2110 235.2112 235.TDly) Device. General Device. General ção disponíveis (Alarm NO calibr) Erro: TC Neutro diferente de MLFB (Error neutralCT) Supervisão de Medição está em OFF (MeasSup OFF) Deletados dados de forma de onda (Wave. 27/59 O/U Volt. Manual E50417-G1179-C343-A1.2117 235.2115 235.2121 235.TRIP) >Temporização de BLOQUEIO de TRIP da Função $00 (>$00 BLK. deleted) 27.2118 235.) Erro: Offset (Error Offset) Device.2116 235. Fault Rec. Flx Flx Flx Flx * LED LED BO BO BO FC TN FC TN FC TN FC TN FC TN FC TN FC TN FC TN BO BO BO BO 135 135 197 203 1 1 OUT_ on Ev IntSP SP SP SP SP On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off * * * * * LED LED BI LED BI LED BI LED BI 235. 59 blk) >BLOQUEAR Função $00 (>BLOCK $00) >TRIP instantâneo da Função $00 (>$00 instant.Apêndice A.TripB) >BLOQUEIO de TRIP da Fase C Flx da Função $00 (>$00 BL. I) Falha: Tensão de Sequência de Fase (Fail Ph. 7SJ80. General Alarme: SEM dados de calibraDevice. 59 bloqueado pela operação (27.2122 235.Superv Fase (Fail Ph.2009 Interrogação Geral Sim Sim Sim Não Unidade de Dados Entrada Binária Função Chave Relé Tipo LED . Seq.9 Lista de Informações No. General Battery) Erro da Placa I/O (I/O-Board error) Erro: Conversor A/D (Error A/D-conv.

2009 Interrogação Geral Unidade de Dados Entrada Binária Função Chave Relé Tipo LED 509 . New) >Sinal de fechamento Manual (>Manual Close) >Reset de Buffer de I MIN/MAX (>I MinMax Reset) Device. 7SJ80.System Data 2 Min/Max meter OUT SP SP SP SP SP SP SP * * * * * * * * * * * * * * * * LED LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI LED BI BO BO BO BO BO BO BO BO 150 6 1 Sim >Reset de Buffer de I1 MIN/MAX Min/Max meter (>I1 MiMaReset) >Reset de Buffer de V MIN/MAX (>V MiMaReset) >Reset de Buffer de Vphph MIN/MAX (>VphphMiMaRes) Min/Max meter Min/Max meter >Reset de Buffer de V1 MIN/MAX Min/Max meter (>V1 MiMa Reset) >Reset de Buffer de P MIN/MAX (>P MiMa Reset) Min/Max meter SIPROTEC. Para.Superv Measurem.2125 235.Superv SetPoint(Start) Device. Descrição Função Registro de Eventos ON/OFF Info. General P. General Measurem. Data) Alerta: Limite de Parâmetro de Memória excedido (Warn Mem.9 Lista de Informações No.Superv 257 258 272 301 302 303 320 Measurem. General flt) Alerta: Limite de Dados de Memória excedido (Warn Mem.2127 253 255 256 Temporização da Função $00 expirada ($00 Time Out) TRIP da Função $00 ($00 TRIP) Flx Flx OUT OUT OUT OUT IntSP OUT OUT OUT On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off On Off * On Off on On Off On Off * * * * * * * * * * * * * * * * * LED LED LED LED LED LED LED LED BO BO BO BO BO BO BO BO Função $00 tem ajustes inválidos Flx ($00 inval.3000 236.) Evento de Falta (Fault Event) Flx Device.) Falha circuito do TP: circuito interrompido (VT brk. General OUT * * LED BO 323 356 395 396 397 398 399 400 Device. Marcada em Gravação Oscilográfica Tipo de Buffers de Registros Registro de Falta à Terra ON/OFF Registro de (Falta) Trip ON/OFF Configurável na Matriz IEC 60870-5-103 Supressão de Vibração Número da Informação 235. Publicação 05. 1 pole) Falha c