Você está na página 1de 4

O FILHO DA VIUVA DE NAIM.doc

2001, Tony Silveira

O FILHO DA VIUVA DE NAIM

LUCAS 7 11* ¶ E aconteceu que, no dia seguinte, ele foi à cidade chamada Naim, e com ele iam muitos dos seus discípulos, e uma grande multidão; 12* E, quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único de sua mãe, que era viúva; e com ela ia uma grande multidão da cidade. 13* E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixão por ela, e disse-lhe: Não chores. 14* E, chegando-se, tocou o esquife (e os que o levavam pararam), e disse: Jovem, a ti te digo: Levanta-te. E o defunto assentou-se, e começou a falar. 15* E entregou-o a sua mãe. 16* E de todos se apoderou o temor, e glorificavam a Deus, dizendo:

Um grande profeta se levantou entre nós, e Deus visitou o seu povo.

INTRODUÇÃO:

Por três vezes nos Evangelhos observamos o Senhor Ressuscitando mortos:

1. A Filha de Jairo

2. Lázaro

3. O Filho da Viuva de Naim

Nesta ocasião Jesus estava entrando na cidade com uma grande multidão que o acompanhava e no sentido contrário estava vindo uma outra multidão em cortejo fúnebre.

Estas duas multidões eram distintas.

1. Os que andavam com Jesus estavam felizes porque o Senhor estava transformando vidas, Salvando, libertando, curando. Esta mulidão estava feliz e satisfeita.

2. A segunda multidão estava em pranto pois íam enterrar o morto.

Uns estão no Caminho da Glória, outros estão a caminho da sepultura. Uma multidão também nos nossos dias está caminhando em vitória com Jesus, mas outra multidão está caminhando para o cemitério.

Não foi a procissão dos mortos que foi a caminho de Jesus, mas Jesus que tudo sabe preparou este encontro no esterior da cidade de Naim.

1

O FILHO DA VIUVA DE NAIM.doc

2001, Tony Silveira

Vamos analizar um pouco acerca destas multidões, Houve 3

Procissões:

1. A PROCISSÃO DA MORTE – Da vúva

12* E, quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único de sua mãe, que era viúva; e com ela ia uma grande multidão da cidade.

Enquanto Jesus se aproximava daquela cidade com a multidão dos que

o seguiam aconteceu um encontro com a MORTE.

A MORTE

É inevitável. Novos e velhos morrem. Homens e mulheres, brancos e

pretos, ricos e pobres. A morte acontece a todos e com todos. A morte

é quase sempre inesperada.

Hebreus 9:27 27* E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo, 28* Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.

Este funeral estava revisto de alguns aspectos bem tristes:

a. Esta mulher era viúva

b. Estava sepultando o seu unico filho

c. Uma viuva naquele tempo estava dependente do sutento, da ajuda e da protecção por parte dos seus filhos, ela ficou desamparada.

d. O funeral de um jovem custa mais a suportar.

Todos temos em nós uma certa ideia de invencibilidade e evitamos sempre pensar na nossa morte ou daqueles que nos são queridos.

2. A PROCISSÃO DA VIDA

Não foi uma coincidência o facto de Jesus passar no mesmo lugar. O Mestre quis não apenas mostrar áquelas multidões que Ele tem poder sobre a morte.

13* E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixão por ela, e disse-lhe: Não chores.

2

O FILHO DA VIUVA DE NAIM.doc

2001, Tony Silveira

Aquela multidão que estava com Jesus sabia que ele podia fazer milagres e estava em grande alegria. Contudo eles pensavam que havia remédio para a morte, mas glória a Deus que Jesus tem poder mesmo sobre a morte!

Quando andamos com Jesus as circunstâncias podem mudar completamente quando menos esperamos.

Jesus não estava muito preocupado com a multidão, mas Ele se preocupou com esta mulher viúva e movido de amor Jesus disse: “Não chores!” Talvez se apenas a fosse consolar, ele diria: “As minhas

condolências! mesmo assim

ou

mesmo poderia dizer: “Sabes mulher ”

temos que morrer um dia

a vida é

todos

Contudo Jesus disse “Não chores!” pois ele quis preparar esta mulher para receber um Milagre.

14* E, chegando-se, tocou o esquife (e os que o levavam pararam), e disse: Jovem, a ti te digo: Levanta-te. E o defunto assentou-se, e começou a falar. 15* E entregou-o a sua mãe.

Jesus parou aquele funeral e falou a sua Palavra áquele morto e ele ressuscitou.

Algumas pessoas pensam que os mortos podem ouvir e é comum nos funerais a família falar para o morto. Os mortos não podem mais ouvir pois eles já não estão no corpo. Também nunca vi nenhum morto

responder

tem poder sobre a morte.

mas

este morto ouviu e saiu da sepultura porque Jesus

3. A PROCISSÃO DA VITÓRIA

Depois deste grande milagre uma terceira Procissão aconteceu. Aquela multidão já não seguiu mais para o Cemitério, mas converteu-se do seu caminho e seguiu Jesus.

Em que multidão estás tu?

Mateus 16:26 26* Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?

3

O FILHO DA VIUVA DE NAIM.doc

2001, Tony Silveira

Podemos ser indiferentes á Palavra de Deus e perder assim a oportunidade de seguir em vitória! Nesta passagem encontramos dois filhos:

1. O primeiro, o filho da viuva estava morto

2. O segundo, o filho de Deus está vivo para sempre!

Será que estás no caminho dos que caminham sem Cristo ou já te converteste do teu caminho?

Jesus quer dar-te a oportunidade de trocares de multidão!

Lucas 9:59 59* E disse a outro: Segue-me. Mas ele respondeu: Senhor, deixa que primeiro eu vá a enterrar meu pai. 60* Mas Jesus lhe observou: Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o reino de Deus.

Este homem estava na multidão daqueles que não entendem que a chamada de Jesus para nós é anunciar o Reino de Deus. Ele queria o seu conforto mas Jesus tem um plano mais elevado.

Para trocares de multidão tens que ser capaz de mudar de vida e de levar outros a efectuarem igualmente mudanças de fundo.

Este homem não tinha aínda o pai morto, mas estava valorizando mais a sua família do que a possibilidade de aprender de Jesus. Devemos dar valor áquilo que Jesus Cristo fez na nossa vida e anunciar o Reino de Deus!

CONCLUSÃO

“Estava lendo uma estatística em que cerca de 150 a 200 pessoas fazem todos os anos um transplante de coração. Cerca de 25% não conseguirão encontrar um coração e irão morrer de doença durante o período de espera. Graças a Deus por aqueles que conseguem viver. As famílias sempre ficam agradecidas aos médicos e existe também a compreensão de que alguém teve que morrer para que o paciente sobreviva. Assim foi também connosco: Cristo teve que morrer para recebermos a Vida Eterna. Receba essa dádiva da Vida que Jesus lhe deu e permita que hoje mesmo lhe seja feito um transplante de coração. Deus vai tirar o coração de pedra e dar-lhe uma nova Vida e um novo coração onde Deus pode habitar pelo seu Espírito.”

4

Tony Silveira