Você está na página 1de 18

Formação Continuada

DIREITOS HUMANOS

TEMA: DIREITOS HUMANOS: A CARTA DE 1948 E SUAS CONSEQUÊNCIAS

Hermínio Kloch Diagramação e Capa Eloisa Amanda Rodrigues Revisão: José Roberto Rodrigues Todos os direitos reservados à Editora Grupo UNIASSELVI .CEP: 89.040. Proibida a reprodução total ou parcial da obra de acordo com a Lei 9.130-000.uniasselvi.Rodovia BR 470. km 71. Bairro Benedito Caixa postal n° 191 .br Direitos Humanos Centro Universitário Leonardo da Vinci Conteudista Thiago Rodrigo da Silva Reitor da UNIASSELVI Prof. n° 1.Uma empresa do Grupo UNIASSELVI Fone/Fax: (47) 3281-9000/ 3281-9090 Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2011.com. Ozinil Martins de Souza Pró-Reitor de Graduação a Distância Prof. lndaial-SC Fone: (0xx47) 3281-9000/3281-9090 Home-page: www.610/98. .

podemos afirmar que o texto trata de questões relativas ao autoaprimoramento humano. Pois. Os primeiros artigos. Aos indivíduos de todo o mundo é garantido o direito de nascer livre. Esta proteção aos seres humanos é a tônica do início da Carta. como o acesso ao descanso. os cidadãos de todo o globo puderam contar com uma carta de direitos básicos. A todo ser humano é facultado o direito de livre locomoção no interior das fronteiras do Estado ao qual faz parte. . Ninguém pode ser sujeito a interferências em sua privacidade. Quando acusado de algum delito. Posteriormente são abordadas questões relativas à defesa de instituições sociais. A proteção dos indivíduos contra os “mandos e desmandos” das coletividades aponta para a preocupação básica do texto: o respeito total das individualidades. nacionais. tônica fundamental de Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. vamos analisar o conteúdo do texto de 1948. religiosas e de gênero. Independente de sua nacionalidade. como a família e o Estado nacional. a prática e culto formados coletivamente ou em expressões individuais. Todos os seres humanos possuem o direito a uma nacionalidade. religião ou cor de pele. antecedido de um preâmbulo no qual são expostas questões básicas da dignidade humana. como as culturais. não podendo ser arbitrariamente preso. étnicas. Por fim. portanto. A noção mais cara é a de individualidade. Assim como o direito à liberdade de pensamento. as pessoas devem ser consideradas inocentes até que se prove a culpabilidade. explicitam a convicção de que as pessoas devem ser protegidas. Caso for vítima de alguma perseguição político-social. econômicas. é cabível o pedido de asilo político em algum país estrangeiro. como o direito à vida e à segurança pessoal. A liberdade de expressão. Todo ser humano tem direito ao acesso à justiça. buscando com ele observar as questões centrais dos direitos da humanidade. Os seres humanos devem ser respeitados como indivíduos.Direitos Humanos: A Carta de 1948 e Suas Consequências 1 1 APRESENTANDO A CARTA A Declaração Universal dos Direitos Humanos é considerada uma grande conquista para toda a humanidade. individual ou em associação. detido ou exilado. sendo vedadas algumas práticas como tortura. Assim como todos possuem o direito de formar uma família. gozar de direitos e deveres. tendo o direito de tomar parte no governo de seu país. Às associações religiosas são garantidos o ensino. Nesta primeira parte. consciência e religião. A proteção às instituições formadas pelos seres humanos é o conteúdo expresso no texto dos artigos 15 ao 23. pela primeira vez no mundo. escravidão e servidão. teria um dispositivo legal que garante sua dignidade enquanto ser humano. do primeiro até o artigo décimo quarto. em tribunais nacionais competentes. A Carta garante o direito à propriedade. Todos os direitos reservados. às artes e à educação nos seus mais diversos níveis. independente das diferenças apresentadas pelas coletividades. O texto da Declaração Universal dos Direitos Humanos é composto por 30 artigos.

ao declarar que todos os homens e mulheres nascem livres e são portadores de direitos ao nascer. às instituições sociais e o direito do indivíduo buscar o seu aprimoramento através da educação e das artes. habitação. cuidados médicos. Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. Entre inúmeras formas de sinteticamente organizar os pontos principais do texto da Declaração Universal dos Direitos Humanos. O acesso à vida cultural de sua comunidade. E o último artigo busca garantir os direitos e liberdades conferidos pela Carta contra quaisquer grupos ou Estados que possam tentar violar os direitos garantidos na declaração. Pois. as questões que tratam sobre o aprimoramento dos seres humanos em vários aspectos foram abordadas. no qual se afirma a importância de ser gratuita nos graus elementares e assegurada a todos. além de férias remuneradas e condições de dignidade do trabalhador e de sua família. dos deveres dos indivíduos para com as suas coletividades. Todos os direitos reservados. . sendo inclusive possível ser punidos caso cometam crimes que violem os direitos e liberdades do próximo. no vestuário. doença. sendo vedada a obrigatoriedade dos homens ou mulheres de tomarem parte de qualquer associação. assim como a propriedade intelectual. Pois tratam da ordem social internacional. escolhemos três em especial destaque: proteção aos indivíduos. sendo o acesso à educação superior baseado no mérito. assim como o direito a um trabalho digno e justamente remunerado. viuvez e velhice. podemos estabelecer que a Declaração Universal dos Direitos Humanos é uma importante conquista para todos os seres humanos. Algumas questões são afirmadas. Assim. além de seguridade social em casos como o desemprego. Os últimos três artigos são uma verdadeira ode ao aprimoramento do convívio social dos homens e mulheres. é acompanhada do direito a livre reunião e associação.2 Direitos Humanos um mundo democrático. A segurança social e realização dos direitos sociais econômicos e culturais indispensáveis à sua dignidade são assegurados. Nos últimos sete artigos. como o direito ao descanso e ao lazer. é um direito. seja na produção artística ou científica. invalidez. se estabeleceu um parâmetro mínimo de igualdade entre as pessoas da comunidade internacional de nações. A educação mereceu todo o Artigo 26.

eram as fornecedoras das matérias-primas e de mão de obra barata. um dos principais motivadores das duas guerras mundiais do século XX. As disputas entre as nações por mercadorias.Direitos Humanos: A Carta de 1948 e Suas Consequências FIGURA 1 – BANDEIRA DA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS 3 FONTE: Disponível em: <http://www. Uma crise iniciada com a Quebra da Bolsa de Valores de Nova York. A Primeira Guerra Mundial. Esta foi uma das maiores barbaridades cometidas pelos seres humanos até então. além do Japão e dos Estados Unidos da América. se expandiram economicamente sobre os países africanos e asiáticos. o mundo ocidental viveu a chamada Era dos Impérios (HOBSBAWN. Nos anos do pós-1ª guerra. a Carta de 1948 é uma das principais consequências da Grande Guerra. grande parte dos países viveu uma década de prosperidade econômica. os povos daqueles continentes se tornaram colônias exploradas pelas metrópoles imperialistas.htm>. Todos os direitos reservados. além de consumidoras dos produtos industrializados. A partir do século XIX. Acesso em: 2 out. . metais preciosos e mercados consumidores coloniais foram as principais causas da Primeira Guerra Mundial. ocorrida entre os anos de 19141918. envolvendo as questões do Imperialismo. as nações europeias. Alemanha). causada Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. De um lado. França.com/geografia/onu. Itália). Do outro. Prosperidade esta que findou com a chamada Crise Mundial de 1929. Com esta expansão. terminou com a assinatura do Tratado de Versalhes (HOBSNAWN. motivada pelas rivalidades imperialistas. 1998).brasilescola. os países da Tríplice Aliança (Áustria-Hungria. 2 CONTEXTUALIZANDO A CARTA A Carta da Declaração Universal dos Direitos Humanos só pode ser compreendida a partir de uma pequena digressão histórica. Estados Unidos. em grande parte. Isto é. 2000). que ocorreu devido a uma forte especulação financeira. Os países centrais enviavam produtos industrializados. Pois. 2012. os países da Tríplice Entente (Inglaterra. e as nações subjugadas.

homossexuais e outros grupos. Pois foi uma guerra total. nos quais milhares de judeus. Tal episódio revelou que a covardia dos governos deveria ser contida. Em grande parte. surgiu uma convicção de que seriam necessários organismos internacionais para limitar as ações de violência. A expansão do imperialismo e da violência por ele gerada foi alvo crítico de algumas instituições que buscavam a melhoria da vida humana. Uma das principais instituições a surgir foi a Cruz Vermelha Internacional. com Salazar. Isto é. são exemplos de governos ditatoriais. 2000). A Declaração Universal dos Direitos Humanos foi uma carta proclamada pela Organização das Nações Unidas em 1948. Fundada por Henri Dunant. ciganos.4 Direitos Humanos pela superprodução industrial. que ocorreu na Alemanha. Durante a Segunda Guerra Mundial. A partir da Grande Depressão. A Itália. o exemplo máximo de governo ditatorial foi o nazismo. Porém. liderada por Adolf Hitler. com Franco. como as Testemunhas de Jeová. esta instituição foi uma das principais a socorrer os feridos das guerras mundiais. como também a população civil (mulheres e crianças) dela participou. como ficou conhecido o problema econômico. . Entre muitos homens e mulheres que não compactuavam com a violência que o imperialismo gerou. em 1863. A sua política racista. o governo dos Estados Unidos da América despejou duas bombas atômicas nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. A Espanha. Todos os direitos reservados. revelam o mais alto grau que pode chegar a intolerância entre os seres humanos. Os 30 artigos são o retrato de um mundo que acabara de sair de uma das mais tristes páginas da história humana: a Segunda Guerra Mundial. Assim. e Portugal. não apenas os militares eram considerados inimigos. como as bombas atômicas e os campos de concentração (HOBSBAWUN. algumas nações passaram a ter governos ditatoriais. Um evento no qual a covardia foi o ponto principal dos combates. Muitos dos alvos militares eram hospitais e cidades. contava com o governo de Benito Mussolini. antes mesmo da Depressão. Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. alguns organismos e instituições anteriores à Organização das Nações Unidas lutaram com o mesmo objetivo. foram presos e exterminados. Os campos de concentração. a Declaração Universal dos Direitos Humanos foi uma tentativa de dispositivo legal visando o fim das barbáries. intolerante e antissemita foi uma das principais barbáries que a humanidade vivenciou.

Em grande parte. Dentre estes 14 pontos. dos Estados Unidos da América. por exemplo. não teve grande respaldo internacional. Com o fim da Primeira Guerra Mundial. o presidente norte-americano destacou a importância da criação de um órgão internacional que viesse a ser um árbitro internacional em questões políticas e jurídicas que envolvessem as nações. Acesso em: 2 out. o estabelecimento de fronteiras nacionais.htm>. como. escreveu uma carta de intenções que ficou conhecida como os 14 pontos de Wilson. com a criação da Liga das Nações. Esta proposição do presidente norte-americano foi posta em prática.Direitos Humanos: A Carta de 1948 e Suas Consequências FIGURA 2 – SÍMBOLO DA CRUZ VERMELHA INTERNACIONAL 5 FONTE: Disponível em: <http://pessoas. .com. Todos os direitos reservados.hsw.uol. 2012. esta instituição.br/comite-internacional-cruzvermelha. o presidente Thomas Woodrow Wilson. Outra instituição internacional sobre questões humanitárias em relação à guerra foi a chamada Convenção de Genebra. que poderia evitar diversos conflitos militares nos anos posteriores à Primeira Guerra. Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. Todavia. porque os Estados Unidos da América resolveram não aderir à mesma. na qual as forças armadas dos países a ela signatários deveriam obedecer convenções internacionais de respeito à vida dos civis e limites na violência entre os militares participantes dos conflitos bélicos.

com/2009/09/20/a-ligadas-nacoes/>. Por isso. O diplomata brasileiro Oswaldo Aranha foi um importante líder da instituição. Pois não havia árbitros internacionais com peso na balança de negociações. todas as nações devem. Eleanor Roosevelt. se comprometer formalmente a cumprir os princípios básicos para assim poderem ser membros do organismo internacional. Sob a liderança de Aranha foi assinada a Declaração Universal dos Direitos Humanos. A principal articuladora para a fundação da Organização das Nações Unidas. Uma instituição internacional que viria a substituir a fracassada Liga das Nações e que teve como principal meta o estabelecimento da paz mundial. foi a esposa do falecido presidente dos Estados Unidos da América.6 FIGURA 3 – SÍMBOLO DA LIGA DAS NAÇÕES Direitos Humanos FONTE: Disponível em: <http://coltecnagrandeguerra. . Todos os direitos reservados. No ano de 1945. Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. o Brasil é sempre o primeiro país a discursar nas assembleias plenárias. fundada em 1945. a esposa do (então já falecido) presidente dos Estados Unidos da América Franklin Roosevelt foi uma das principais articuladoras da criação da Organização das Nações Unidas. para poderem ser signatárias da Organização das Nações Unidas. Esta recusa de um dos principais países mundiais em não participar atrapalhou em grande parte as negociações internacionais nos anos 1920 e 1930.wordpress. Acesso em: 2 out. de forma obrigatória. 2012. Sendo que. até hoje.

. FIGURA 5 – OSWALDO ARANHA FONTE: Disponível em: <http://pt.Direitos Humanos: A Carta de 1948 e Suas Consequências FIGURA 4 – ELEANOR ROOSEVELT 7 FONTE: Disponível em: <http://pt.org/wiki/Osvaldo_Aranha>. Acesso em: 2 out.wikipedia. Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012.wikipedia. 2012. 2012.org/wiki/Eleanor_Roosevelt>. Todos os direitos reservados. Acesso em: 2 out.

p. universal e gratuita foi acompanhada por duas outras novidades na relação dos homens com o Estado: O direito de voto e a obrigação do serviço militar. Somente este órgão possui legitimidade ao recorrer à violência como forma de solucionar conflitos. p. promoveu uma importante transformação no modo como as nações se organizavam. 33). O século XIX. socialistas e liberais. E a educação. Todos os direitos reservados. do Estado moderno definido mediante dois elementos constitutivos: a presença de um aparato administrativo com função de prover a prestação de serviços e o monopólio legítimo da força. de súditos de um monarca absolutista. que viu no processo de formação do Estado moderno um fenômeno de expropriação por parte do poder público dos meios de serviço. Norberto Bobbio (2003. com sucesso. Pois. Weber (1982. com suas distintas ideias nacionalistas. 69). hoje tornada communis opinio.8 Direitos Humanos 3 ESTADO & PODER: OS DIREITOS HUMANOS COMO UM PROCESSO CIVILIZADOR A possibilidade de pensarmos na construção de um ideário de direitos humanos nos revela a importância da noção dos seres humanos como portadores de direitos. intelectual com profundas reflexões sobre a noção de direitos humanos. . A confissão religiosa deixou de ser uma questão pública para se tornar uma opção individual. transformouse em uma questão típica da esfera pública. Weber. Afirmou também este autor ser “o poder toda a possibilidade de se impor uma vontade dentro de uma relação social. fenômeno que caminha lado a lado com o processo de expropriação dos meios de produção possuídos pelos artesãos por parte dos possuidores de capitais. antes uma questão familiar e individual. Podemos afirmar que a reação das pessoas com o Estado foi profundamente alterada. como as armas. autor alemão com profunda influência no pensamento social brasileiro. “O poder é possível enquanto relação entre os homens graças à legitimação Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. 98) afirmou que “é o Estado um órgão que consegue. foram transformados em cidadãos de uma república democrática. afirmou sobre a compreensão da formação dos Estados Modernos que: Quem descreveu com extraordinária lucidez este fenômeno foi Max Weber. mesmo contra resistências” (WEBER. Desta observação deriva a concepção weberiana. p. Max Weber e Norbert Elias foram dois importantes sociólogos que buscaram definir Estado e Poder. obter o monopólio do uso da violência considerada legítima em um território determinado”. A noção de direitos e deveres sociais não baseados em ideias religiosas foi no Ocidente uma novidade pós-iluminista. foi um dos principais estudiosos sobre a formação do Estado Moderno. A educação pública. 1999.

desde o tempo em que o exercício da força era privilégio de um pequeno número de guerreiros rivais. Porém. tenta-se revelar algo dos processos históricos concretos que. Todos os direitos reservados. O recurso ao direito. um indivíduo ou grupo impor sua vontade em relação a outro. como as tradicionais monarquias. Pois a paz é uma característica dos tribunais. como na Idade Média. local onde as disputas e agressões são apenas verbais e não físicas. o problema do “monopólio da força”. 17) escreveu na introdução do seu principal livro. Isto porque a ação de vingança. Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. a tradição e a racionalidade” (WEBER. que: Há. Norbert Elias (1993. que uma das instituições constitutivas exigidas pela organização social que denominamos Estado é o monopólio do exercício da força física. Aqui. Pois o principal progresso não é apenas o conferido pelos números da economia. O poder é possível enquanto relação entre os homens graças à legitimação conquistada por seus detentores. gradualmente. 9 Esta centralização do monopólio da violência possibilitou o que Norbert Elias (1993) denominou de Processos Civilizadores. à justiça como uma forma de se resolver problemas e disputas das mais variadas. Alterações que envolvem desde os procedimentos de higiene e limpeza. é um traço importante do processo civilizador ocidental. O processo civilizador. até a negação do uso da violência como uma possibilidade de progresso. 1982. para citar um único aspecto da história da formação e estrutura do Estado. p. 99). Os locais principais onde podemos notar se temos uma noção de civilidade são aqueles onde ocorrem as relações de poder. O poder em um Estado Democrático é garantido através de um tipo racional de legitimação: o sufrágio universal e periódico. Podemos compreender poder como a possibilidade de se impor vontade dentro de uma relação social. Por processos civilizadores podemos compreender as alterações dos hábitos cotidianos. como também aqueles conferidos pela melhoria da sociabilidade e respeito entre os homens. como ocorrem em geral nas relações de poder existentes nos campos artísticos ou religiosos. cedeu para os tribunais como principal forma de resolução de conflitos. Observou Max Weber. As democracias contemporâneas são formas racionalizadas de manutenção das relações sociais de poder. principalmente por questão de definição. ainda hoje o mundo convive com diversas formas de relações de poder. mesmo contra resistências. baseada em duelos de honra. A legitimação teria per si três tipos ideais: o carisma.Direitos Humanos: A Carta de 1948 e Suas Consequências conquistada por seus detentores. impeliu a sociedade para a centralização e monopolização do uso da violência física e seus instrumentos. e mesmo com formas de lideranças carismáticas. p. Isto é. .

Podemos afirmar os direitos humanos como um processo civilizador. resultem numa significativa melhora nas ideologias da sociedade. ou partidos. Isto é.10 Direitos Humanos O poder político é uma forma específica de poder. a distintos poderes políticos. merecem serem portadores de direitos. A noção de território é fundamental para conseguirmos entender o poder político. Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. como o municipal ou o federal. a palavra ética seria uma reflexão sobre a moral. que ocorre por ação de pessoas. portanto. Esta carta busca civilizar os seres humanos. As distintas esferas de poder nos mostram que a ideia de direitos humanos não compactua com nacionalismos exacerbados ou xenofobias de quaisquer espécies. uma província e um país são unidades territoriais distintas. Por sua vez. a palavra moral. O conceito principal que liga o Direito e o Estado é o de soberania. o poder político é territorial. . em todos os sentidos deste termo. Todos os direitos reservados. nas quais os indivíduos nelas residentes respondem. como cidadãos. Um município. Pelo fato dos seres humanos possuírem capacidade reflexiva. que buscam alcançar a liderança das decisões estatais. pois intenta impedir que práticas violentas e verdadeiramente desumanas. possam novamente povoar o imaginário político ou as práticas sociais nos distintos países ao redor do globo. extrapola as fronteiras estatais. entidades da sociedade civil. significa costumes. podemos observar avanços e recuos na forma como os homens lidam com os mais básicos e complexos temas da vida humana. onde o respeito e a paz entre os homens possam se tornar a meta na relação entre os homens. Um avanço civilizacional permite que novos costumes. em sua etimologia. Isto é. Pois a ideia de que todos os seres humanos são iguais e. Os direitos humanos se apresentaram ao mundo como uma carta de proposições. o Estado é uma entidade autônoma apenas no território delimitado por suas fronteiras. por serem eles uma reflexão ética sobre a moral social. Mesmo no interior das nações.

Acesso em: 2 out. quando do Julgamento de Nuremberg. Casos como o de Pol-Pot na Tailândia.wikipedia. responsável por julgar os crimes de guerra. 4 AS IMPLICAÇÕES INTERNACIONAIS DOS DIREITOS HUMANOS A Declaração Universal dos Direitos Humanos foi uma das principais armas da comunidade internacional na segunda metade do século XX contra diversos governos ditatoriais que assolaram os países durante a chamada guerra fria. . Este se tornou um paradigma. a Guerra na Bósnia-Herzergovina e as punições aos militares latinoamericanos que praticaram torturas durante as ditaduras de segurança ncional. 2012.org/wiki/Segunda_Guerra_Mundial>. Neste célebre julgamento. na Holanda. Muitas atrocidades foram cometidas e também muitos líderes internacionais foram punidos porque permitiram que crimes de guerra acontecessem nos seus respectivos países. muitos dos líderes nazistas foram julgados e condenados à pena de morte em um tribunal internacional. que foi seguido e institucionalizado no Tribunal de Haia. Todos os direitos reservados. Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. Estas situações de punição a líderes responsáveis se iniciaram durante os anos do pós-guerra.Direitos Humanos: A Carta de 1948 e Suas Consequências FIGURA 6 – IMAGENS DO FRONT DA II GUERRA MUNDIAL 11 FONTE: Disponível em: <http://pt.

.org/wiki/Julgamentos_de_Nuremberg>. As implicações internacionais dos direitos humanos também se adequam a questões como a da não proliferação das armas nucleares. As implicações internacionais dos direitos humanos são estendidas às nações em guerra. Acesso em: 2 out.wikipedia. quando os Estados Unidos e a União Soviética eram duas superpotências internacionais que disputavam indiretamente o controle mundial. na defesa das populações civis. na Guerra do Vietnã ou na Guerra do Afeganistão. Pois as armas de destruição em massa podem ser um dos vetores de morte nos conflitos militares. Todos os direitos reservados. existem implicações dos direitos humanos que vão além de questões que ocorreram em continentes ou países distantes. onde os observadores da ONU realizam um corajoso e belo trabalho. Porém. A não utilização de armas nucleares nas diversas guerras dos anos 1950 até a década de 1980. Muitas vezes. a partir do seu nascimento. a exemplo do tsunami que atingiu as cidades litorâneas da Ásia no ano de 2006. esbarramos com desafios éticos ou respeitando direitos Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. portadores do básico direito de permanecerem vivos. A Organização das Nações Unidas foi uma instituição que se fortaleceu durante os anos da Guerra Fria. como na Guerra da Coreia.12 Direitos Humanos FIGURA 7 – IMAGENS DO JULGAMENTO DE NUREMBERG FONTE: Disponível em: <http://pt. Outra motivação da utilização dos organismos internacionais em defesa da vida são as catástrofes naturais. em nosso cotidiano. Esta ação é uma das principais atuações das noções de direitos humanos no direito internacional. 2012. Esta forma de auxílio prestado por um organismo internacional é hoje possível graças à existência de leis que possibilitam a manutenção da vida em situações extremas. se deve em grande parte à existência de uma Carta Internacional de Direitos que afirmava serem todos os seres humanos.

Esta instituição é a Organização das Nações Unidas. “O poder do Estado só pode ser refreado por um organismo internacional que venha a estar acima de interesses nacionalistas ou particularistas” (BOBBIO. em nível global. A Carta de Direitos é um dispositivo de indicações. pois permite aos detentores do poder político e econômico.Direitos Humanos: A Carta de 1948 e Suas Consequências que pertencem a indivíduos ou grupos contrários a nossas ideias ou visões de mundo. Por isso. 135-165). disporem de parâmetros de conduta entre os seres humanos. Todos os direitos reservados. 13 Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. p. se faz necessário um órgão que possa refrear as injustiças. Porém. ele é punido pelo Estado. Pois. quando os Estados são os que cometem os crimes. a Organização das Nações Unidas é um dos principais órgãos a defender o direito dos homens ao redor do mundo. . quando um indivíduo comete um crime. 2003.

Todos os direitos reservados.14 Direitos Humanos AUTOATIVIDADE 1 Qual a relação entre as guerras mundiais do século XX e a fundação da Organização das Nações Unidas? 2 Por que a Declaração Universal dos Direitos Humanos pode ser considerada um processo civilizador? 3 Como podemos definir Estado e Poder? Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. .

São Paulo: EdUNB . Brasília. São Paulo: Ática. 1993. Igreja e o Poder: representações e discursos. RODRIGUES. 1997. II. Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. 2000. São Paulo: Paz e Terra. 16. WERTHEIN. Maria Eurydice Barros. 2003. Direitos Mais Humanos. maio 2008. Maria Eurydice Barros. 1997. 1998. In: ALENCAR. Direitos Mais Humanos. DOYLE. Ensaios de Sociologia. n. HOBSBAWN. Rio de Janeiro: LTC. 1976. Norberto. ______. WEBER. Francisco José Silva.Imprensa Oficial. Todos os direitos reservados. Chico. A vida na Idade Média. RIBEIRO. p. Norbert. Rio de Janeiro. GOMES. São Paulo: Pioneira. Rio de Janeiro: Garamond. 1998. Max. Economia e Sociedade. História Moderna. CARVALHO. José Murilo de. Rio de Janeiro: DIFEL. Os direitos Humanos das Mulheres. CORVISIER. O processo civilizador. Brasília: UBB. 1999. In: ALENCAR. Um marco histórico. Eric. 1982. Jean. DELUMEAU. São Paulo: Cia das Letras. Chico. A era dos Impérios. 1991. A era dos extremos. Sociedade: Para uma teoria geral da política. Graciela S. v. Rio de Janeiro: Zahar.Direitos Humanos: A Carta de 1948 e Suas Consequências 15 REFERÊNCIAS BOBBIO. 32. Brasília: UBB. Nascimento e Afirmação da Reforma. . ELIAS. São Paulo: Cia das Letras. Jorge. O Antigo Regime. 1998. 1989. André. Rio de Janeiro: Garamond. Revista de História da Biblioteca Nacional. In: RIBEIRO. ______. Estado. Wiliam. Governo. A vida na Idade Média. O papel das religiões: como as igrejas influenciaram os movimentos abolicionistas nos Estados Unidos e no Brasil.

pela primeira vez na história humana. existe um corpo de diretrizes a apontar o modo correto do relacionamento entre os homens. pois.: O acadêmico terá de apresentar em sua resposta uma argumentação que aponte as guerras mundiais do século XX como as motivadoras para a construção de organismos internacionais responsáveis pela paz universal. dos mais diferentes Estados Nacionais. Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. E poder sendo definido como a possibilidade de um indivíduo ou grupo social impor sua vontade a outros. a Organização das Nações Unidas possui este papel nas relações internacionais. Assim. 2 Por que a Declaração Universal dos Direitos Humanos pode ser considerada um processo civilizador? R.: O acadêmico terá de apresentar em sua resposta uma argumentação que aponte a Declaração Universal dos Direitos Humanos como uma das principais formas de promoção humana em todo o globo.16 Direitos Humanos GABARITO 1 Qual a relação entre as guerras mundiais do século XX e a fundação da Organização das Nações Unidas? R. sendo um fórum mediador entre os mais distintos corpos diplomáticos.: O acadêmico terá de apresentar em sua resposta uma argumentação que aponte o Estado como um órgão que detém o monopólio do uso da violência (força física) no interior do território delimitado por suas fronteiras. . 3 Como podemos definir Estado e Poder? R. Todos os direitos reservados.