Você está na página 1de 1

Paternidade: Representações Sociais Relacionadas à Infertilidade Masculina.

Washington Ramos Castro. Mestrando da Escola de Enfermagem Anna Nery/UFRJ


washingtoncast@gmail.com
Ana Beatriz Azevedo Queiroz. Orientadora
anabqueiroz@oi.com.br

Trata-se de um projeto de Dissertação de Mestrado em Enfermagem na área da saúde


do homem com ênfase na saúde sexual e reprodutiva, perpassando por questões como
gênero, sexualidade, masculinidade, reprodução humana e infertilidade masculina.
Estudos comprovam que nos grandes centros urbanos houve um aumento em torno de
30 a 40 % da situação de infertilidade, sendo que 35% representam a infertilidade tida
como de causa masculina, ou seja, casos como Varicocele, azoospermia, lesões dos
órgãos genitais e obesidade. No entanto, a infertilidade não pode ser tratada apenas
pelo prisma biológico, visto que é uma situação que envolve aspectos psicossociais
que precisam ser desvelados. Frente a essa problemática, esta investigação tem como
objetivos: descrever as representações sociais de homens inférteis sobre a situação da
infertilidade masculina; analisar os reflexos dessas representações nos conceitos de
paternidade e masculinidade e; Discutir as expectativas desses homens face às
possíveis alternativas de cuidados. A pesquisa será qualitativa, descritiva, na
perspectiva da Teoria das Representações Sociais de Moscivici. Esta decisão foi
tomada por entender ser esta abordagem é a mais adequada aos propósitos do estudo,
uma vez que, permite uma relação sujeito-objeto-pesquisador e apropriada aos
objetivos enfocando os aspectos psicossociais. Os sujeitos serão homens que tenham
como diagnóstico a situação de infertilidade. Optamos investigar dois grupos de
pertença: homens com causa de infertilidade masculina e causa dupla, ou seja, onde
homem e mulheres possuam problemas que dificultem a gravidez. Esta classificação
se deu por acreditar que o pensar e o agir de dos homens com infertilidade diferencia-
se pela causa etiológica do problema, pois na causa dupla a dificuldade é
compartilhada e na causa masculina o problema físico advêm unicamente do homem.
O cenário será um hospital universitário federal especializado em Ginecologia, do Rio
de Janeiro, que é referência para tratamento em reprodução humana. Estimamos 50
sujeitos comporão o nosso universo, essa estimativa baseia-se no número de casais
atendidos no cenário da pesquisa e na necessidade de dados para composição dos
grupos de pertenças. A coleta de dados um questionário para traçar o perfil dos
sujeitos e uma entrevista semi-estruturada, cuja finalidade será permitir aos
participantes discorrerem mais livremente sobre suas experiências, expectativas e , no
relações com o processo de paternalização. (constatação da infertilidade; sentimentos
e expectativas; mudança no hábito de vida pessoal e do casal; busca por redes de
apoio; significados da paternidade e; sobre o tratamento realizado). Como
procedimento de análise, a caracterização dos sujeitos sofrerá uma análise estatística e
as entrevistas serão analisadas através da análise de conteúdo de Bardin. O presente
projeto será submetido ao Comitê de Ética da Pesquisa da Escola de Enfermagem
Anna Nery da UFRJ (CEP/EEAN) e à autorização da direção e do conselho diretor do
hospital onde os dados serão coletados, assim como, serão respeitados os preceitos da
Resolução 196/96 do CNS/MS (Brasil, 1996).

Descritores: Infertilidade Masculina; Paternidade; Enfermagem; Representações


Sociais; Gênero.