Você está na página 1de 11

Geografia

Os Recursos Naturais
A Formação de Portugal
Unidades Data de Tectónica Rochas Formas de
estruturais formação Dominantes Relevo

Maciço 500/600 m.a Hercínios Granito Montanhas


Antigo Era Primaria _________ ___________
(Paleozoica)
Xisto Planicies

Orlas Ocidental Era terceraria Alpinos Sedimentare Existem


(cenozoica) s algumas
65 M.A serras nas
Basalto
zonas de
Areias calcário i
planícies
Calcario nas outras
regiões
planicies

Oriental Era terceraria Alpinos Sedimentare Existem


(cenozoica) s algumas
65 M.A serras nas
Basalto
zonas de
Areias calcário i
planícies
Argila nas outras
regiões
planicies

Bacias 2,5 M.A Calma Rochas Planicies


Sedimenta Sedimentare
Era Orogénica
s
res quaternária
Arenitos
(Antropozoica
) Calcario

Nota: Na era secundaria ou mesozóica há 230 M.A hove


uma calma orogénica, o Maciço Antigo foi desgastado em
consequência dos agentres erosivos, o material resultante
da erosão deposita-se no fundo do mar formando rochas
sedimentares. (arenito, areia).
Recursos Minerais

Minerais metálicos

Cobre - existe nas minas de Aljustrel e é utilizado


essencialmente na indústria eléctrica.

Ferro - existe nas principais reservas do Cercal sendo


utilizado para a indústria de armamento.

Estanho - existe em Neves-Corvo é utilizado para a


indústria de Aço.

Volfrâmio – existe na Panasqueira

Ouro – existe em Jales e Castromil e é utilizado na


orivesaria.

Minerais Não - Metálicos

Quartzo, Feldspato e Areias Feldspáticas – existe


no Norte, Centro e Alentejo. São utilizadas como matéria –
prima para as indústrias de cerâmica e vidro.

Sal – gema – Metacães, Campina de cima e carriço.


Utilizada na industria Quimica, agro-alimentar e rações.

Caulino – Existe no norte, centro, Lisboa e Vale do


Tejo e é utilizada na indústria metálica.

Rochas Industriais
Calcário Sedimentar Comum – Orla Ocidental
(maciço, calcário da Estremadura). É utilizado na
construção civil, indústrias cerâmicas, cimento e cal.

Argilas – Orla Meridional, Ageda, Leiria, Coimbra,


Santarem , Lisboa e Faro

Areias Comuns – Existe ao longo do Litoral e é


utilizado na indústria do vidro, cerâmica e construção civil.

Rochas Ornamentais

Mármore – Alentejo, utilizado na construção civil.

Granito – Norte, Centro e Alentejo, utilizado na


construção civil.

Ardósia e Xisto – Valongo, Barrancos e Foz Côa é


utilizado na construção civil.

Recursos Hidrominerais
Água mineral – São águas com maior concentração de
minerais e que podem conter um ou mais elementos
químicos, estas águas não devem ser consumidas
diariamente.

Agua de nascente – São todas as águas naturais próprias


para consumo.

Agua termal – São águas que podem ter aplicação


medicinal. Estas águas existem em Portugal mais nas
regiões do Norte e Centro porque é nestas regiões que há
mais falhas tectónicas que permitem o maior contacto do
magma coma superfície e que explica as temperaturas
mais elevadas destas águas.

Aquistas – São as pessoas que frequentam as termas com


fins medicinais.

Recurso endógeno – É o recurso que existe no território


nacional.

Recuso renováveis e não renováveis


Tipos de Exemplos Localização Utilização
recursos
Recursos Aguas de Norte- Marão Sector
hidrominerais nascente e serra da empresarial;
penha;
Para
Centro- serra consumo
da estrela e próprio da
caramulo população

Sul- água
S.Sebastião
Aguas Norte- geres, Consumo;
minerais entre-os-rios;
Fins
Centro- luso, terapêuticos;
vimeiro;
indústria
Sul-
monchique
Águas Norte- Vizela, Turistas,
termais entre-os-rios; Tratamento
medicinal;
Centro-
Caldas da
rainha,
monte real
Sul-
Monchique

Importância das regiões do norte e centro existir produção


de aguas de nascente e minerais naturais

As regiões de norte e centro são mais importantes na


produção de água porque é nestas regiões que elas mais se
concentram. Isto deve-se ao facto de serem as regiões mais
pluviosas do país e também por na sua maioria serem
regiões graníticas, ricas em minerais e daí a qualidade
destas águas.

Importância do turismo termal

O turismo termal é importante para muitas regiões de


Portugal porque sendo o recurso endógeno, pode criar
nessas regiões infra-estruturas como vias de comunicação,
hotéis, residências, comercio e serviços que promovem a
criação de emprego e melhoram a qualidade de vida da
população local, podendo ser um pólo de atracção e de
dinamização de toda a região.

Recursos energéticos
Recurso Renovável - é o recurso reposto pela natureza,
que não tem fim e não se esgota.

Ex: sol, vento

Recurso Não – Renovável - é o recurso que não é


reposto pela natureza e por isso tem fim e esgota-se.
Ex: petróleo, gás natural, carvão

Combustíveis Fósseis - resultam da acumulação de


detritos orgânicos que sofrem ao longo dos tempos
alterações químicas.

Ex: petróleo, gás natural, carvão

Energia primarias - é a energia extraída das fontes


naturais como por exemplo o carvão, petróleo, sol, vento.

Energia final - é a energia disponibilizada aos


consumidores e as actividades económicas

Ex: electricidade, combustíveis, gás

Tipos de Exemplo Localização Utilização


recursos s
Recursos Energia Todo o país Sistemas de
energéticos solar aquecimento; energia
principalmente
eléctrica na habitação;
-renováveis no litoral sinalização marítima;
passagens de nível;
telecomunicações

Energia Norte, centro e nos Produção de


eolica arquipélago (parque electricidade
eólico Santa Maria
Açores) existe mais
nas regioes
montanhosas

Energia São Miguel (açores) Produção de energia


geotérmic Lisboa, S.Pedro do Sul,
a chaves
Energia da Localiza-se Exploração agro-
biomassa desigualmente por alimentar; produção de
todo o país. Maior energia;
central é na Mortágua

Energia Zonas costeiras e ilha Produçao de energia


maremotri dos açores
z

Energia Norte e centro. Maior Barragens hídricas:


hídrica nº de barragens no electricidade, rega e
Douro e Alentejo consumo próprio,
(Alqueva) combate a incêndios,
actividades de l,
regularização dos cursos
de água lazer

Não Carvão Bacia do Douro (Pejao, Produção de energia


recováveis – S.Pedro da Cova). eléctrica
Centrais eléctricas –
combustíveis
Sines, Pego. As minas
fosseis estão fechadas e o
carvão é importado

Petróleo Africa, Golfo pérsico; Produção de produtos


Portugal não possui farmacêuticos, fibras
petróleo por isso têxteis, industria,
importa, logo a combustíveis
balança comercial é
negativa

Gás Norte de Africa Produção de energia


natural (angelia); Portugal não nuclear.
possuiu gás natural,
Portugal não dispõe de
por isso, importa, logo
centrais nucleares, logo a
a balança comercial é
produção é para
negativa
exportação

Uranio Beira alta e baixa- Produção de enegia


horta de vilariça Nisa, nuclear.
pinhal do souto
- Portugal não dispõe de
centrais nucleares, logo a
produção é para
exportação

Distribuiçao e consumo de energia

Portugal:

• Grande importador de energia, principalmente de


combustíveis fosseis.
• A importação é elevada, principalmente de petróleo
• Balança comercial negativa

Consumo:

• É maior no litoral, principalmente nas áreas


metropolitanas de Lisboa e Porto
• É maior no sector industrial e nos transportes
• As áreas de maior consumo correspondem ás zonas de
maior desenvolvimento, sendo maior as redes de
distribuição de energia.

Os problemas na exploração dos recursos do subsolo

• Cotações baixas dos minérios


• Encerramento das minas
• Prejuízos
• Pouca competitividade (baixa tecnologia, muita mão-
de-obra, elevado custo de exploração)
• Domínio das multinacionais
• Baixo teor – baixa qualidade, é necessário extrair
muita quantidade para ter pouco minério
• Falta de modernização
• Poluição ambiental
• Problemas de saúde (pele, respiração)
• Escombreiras – montes de detritos das pedreiras
- Impacto ambiental – visuais
- poluição – solos
- águas
• Ocupam espaço
• Impedir exploraçao

Formas de potencialização dos recursos do subsolo

• Escombreiras – podem constituir matéria-prima para


outras utilizações
• Alteração do emprego – formação profissional
• Criação de centros de artesanato e museus
• Criação de comercio e serviços transformar a zona da
mina em pólo de atracção turística

Novas perspectivas da exploraçao dos recursos do subsolo

• Continuar a rentabilização da exploraçao dos recursos


principalmente do cobre
• Apostar nas energias renováveis
• Aumentar a capetação de águas
• Apostar na rentabilização d actividade termal, aliando
actividades desportivas e culturais que as dinamizam
nos períodos baixos

Politicas enegeticas

Politica da união europeia

Principais objectivos:

• Sustentabilidade para lutar contra as alterações


climáticas e promver as energias renováveis
• Competitividade realizando o mercado interno de
energia
• A segurança de aprovisionamento, reservando energia
em segurança para abastecer a população

Politica energética nacional

Objectivos:

• Liberalização do mercado
• Redução da intensidade energética no passado
• Redução da factura energética
• Melhoria da qualidade de serviço
• Segurança no aprovisionamento e do abastecimento
• Diversificação das fontes e aproveitamento dos
recursos endógenos
• Minimização do impacto ambiental
• Contribuição para o reforço da competitividade e da
economia nacional