Você está na página 1de 3

Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural

Competência : Art. 153, VI da CF – União
Legislação
EC N. 42/2003
CTN : Arts. 29 a 31 - normas gerais
Lei : 9393/96 e Decreto 4382/2002 / Instrução Normativa 256/2002 SRF
Lei 11250/05- Normas sobre convênios com Municípios.
Base Econômica : Propriedade Territorial Rural , como tal definida, com o
direito de usar, gozar, e de dispor.
Sujeito Ativo : União
Contribuinte é o proprietário e não o titular de direitos reais que não
revelam riqueza na condição de proprietário.
Responsável : O sucessor a qualquer título do imóvel
Territorial é adjetivo que designa a extensão de terras , então há a
tributação da grandeza dimensionada pela propriedade da terra nua e este
é o critério para a base de cálculo.
A palavra rural designa o que é próprio do campo, em oposição ao urbano,
de cidade e o critério para a distinção é o da localização e não o da
destinação . O STJ submete ao ITR , também o imóvel rural, situado na
cidade , mas que esteja sendo destinado a atividade rural .
O parágrafo 4 do art 153, estabelece os critérios para o ITR e há ainda a
redação da EC 42 /2003.
O imposto será progressivo e terá as alíquotas fixadas de forma a
desestimular a manutenção de propriedades improdutivas. Então é mais
onerado o proprietário que não utiliza de forma econômica o imóvel , que
produza em parte ou com baixo rendimento.
Progressividade da incidência : conjunto de informações demonstra o baixo
rendimento e insuficiência social da exploração .
Regressividade da incidência : elementos indicam melhor uso da
propriedade, no sentido técnico, social e econômico.
Além disso, há regra de imunidade, posto que o imposto não incide sobre
pequenas glebas rurais , quando exploradas pelo proprietário que não
possui outro imóvel. Por pequenas se entende imóveis com 100 hectares
( localizadas Amazônia ocidental ou pantanal) ; 50 hectares (Amazônia
Oriental ou no polígono das secas ) e 30 hectares em qualquer outro
município.
Basta então, não possuir outro imóvel, pois não é exigência explorar com a
família.
O imposto será fiscalizado e cobrado pelos municípios que assim optarem,
desde que não implique em renúncia fiscal ou redução de imposto. Se o
município optar pela fiscalização, lançamento e arrecadação, terá 100% da
receita, do contrário, 50% da repartição com a União.
Fato Gerador
O fato gerador é continuado, que não se consubstancia em uma só situação,
mas uma situação jurídica, basta a propriedade , domínio útil, ou posse de
imóvel situado fora da zona urbana do município.

nível de investimento. não tem implicação com o fato gerador do ITR . a condição de proprietário . De fato onera as propriedades improdutivas. habitação e saneamento. O Aspecto espacial da incidência do ITR é o território Nacional . tal qual ao IR.conjunto de imóveis rurais de um mesmo proprietário . o documento de apuração do ITR ( ressalvados casos de imunidade e isenção ) O próprio contribuinte deve calcular o imposto e pagar e está o ITR sujeito ao Lançamento por Homologação. Para o IPVA importa. O fato de durante o ano ocorrer a descontinuidade da propriedade. relativo a terrenos. Fórmula de Cálculo : ITR = 0. É o valor da extensão da terra. Será lançado de ofício. sem as benfeitorias ( VTNt ) – Valor da Terra Nua Tributável.imóvel rural compreendido em programa oficial de reforma agrária. É o valor declarado pelo proprietário e não impugnado pela repartição fiscal . que é de apuração anual.2% x A x B x C x D x VTN A= Coeficiente de progressividade de dimensão( área total agricultável ) B= Coeficiente de progressividade de localização( zona de localização ) C= Coeficiente de progressividade ou de regressividade de condições sociais ( fator da administração. São isentos do imposto : .Ainda que sejam várias áreas e matrículas. desestimulando a sua manutenção. O Fato Gerador não é a propriedade ou domínio útil pelo prazo de um ano. pois basta ocorrer o furto do veículo que enseja a repetição total ou parcial . Fato gerador é a propriedade ou a posse em primeiro de janeiro de cada ano simplesmente. do território nacional. bem como deve entregar anualmente. caracterizado como assentamento . explorado pela família ou que não possua imóvel urbano . bem de Raiz. ou seja. educação ) D= Coeficiente de progressividade ou regressividade de rendimento econômico( escrituração. pois é imposto de competência da União . surge a obrigação de pagar o ITR. constituem fato gerador do imposto. agrário . imóvel por natureza cuja propriedade ou domínio útil. A base alcança apenas a terra nua. OBS: É Obrigação do contribuinte comunicar as informações cadastrais correspondentes a cada imóvel e alterações ocorridas. No ITR se tributa o que está presente. são consideradas uma só para o ITR. Verificada a propriedade de imóvel situado na zona rural. renda bruta. O grau de utilização é obtido pela relação percentual entre a área efetivamente utilizada e a área aproveitável. Aspecto Quantitativo : A base de cálculo do imposto é o valor fundiário – fundus ( latim ) – fazenda. rendimento agrícola ) VTN = Valor da Terra Nua . quando apurado de modo incorreto ou não apurado. fator de utilização da terra. então importante estabelecer a propriedade ou posse em 1 de janeiro de cada ano. em 1 de janeiro de cada ano. sendo exigido o imposto anualmente. ou por esta determinada por avaliação cadastral .