Você está na página 1de 5

LITERATURA

AS VANGUARDAS ARTÍSTICAS EUROPÉIAS


1. CONTEXTO HISTÓRICO 4. CUBISMO
 Europa (duas primeiras décadas do século O Cubismo desenvolveu-se inicialmente na
XX) - Crise do capitalismo e nascimento da pintura, valorizando as formas geométricas (cones,
democracia de massas. cilindros, esferas etc.) ao revelar o objeto em seus
 A burguesia conscientiza-se do perigo que a múltiplos ângulos. Na literatura, as características
revolução socialista representa para ela. fundamentais do Cubismo são o humor e uma lin-
 A Revolução Científica, que rompeu barrei- guagem mais ou menos caótica.
ras do tempo e do espaço, produz um esta- Os nomes mais importantes da pintura cubista
do geral de euforia e crença no progresso. são Picasso, Braque, Fernand Léger e Mondrian.
 Surgem, no início do século, os seguintes Na literatura, o principal representante dessa
inventos: o telégrafo, o automóvel, a lâm- corrente é o poeta francês Apollinaire, autor de um
pada elétrica, o telefone, o cinema, o avião. manifesto de onde extraímos o seguinte fragmento:
 A máquina se faz presente em todos os “Os grandes poetas e os grandes artistas têm por
momentos da vida e as preocupações fun- função social renovar continuamente a aparência
damentais eram viver confortavelmente e que reveste a natureza aos olhos dos homens. Sem os
aproveitar o presente. poetas, sem os artistas, os homens aborrecer-se-iam
 “Belle époque” foi o nome dado a esse iní- depressa com a monotonia natural.”
cio do século XX. A literatura cubista demonstra preocupação
com a construção do texto, ressaltando a importância
2. MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS
dos espaços em branco e em preto da folha de papel e
A chamada Arte Moderna, surgida no início do da impressão tipográfica. Apollinaire defendia “as
século, reflete a inquietação e as contradições do pe- palavras inventadas” e propunha a destruição da sin-
ríodo. taxe já condenada pelo uso, criando um texto marca-
As primeiras manifestações artísticas do século do por substantivos soltos, jogados aparentemente de
XX caracterizam-se pela ruptura com o passado e pe- forma anárquica, e pelo menosprezo por verbos, adje-
lo intuito de chocar a opinião pública, pregando idéi- tivos e pontuação.
as radicalmente novas. Os movimentos de vanguarda Assim como na pintura, as colagens e o rea-
européia influenciaram de forma incontestável no proveitamento de outros materiais passaram a ser in-
surgimento do Modernismo brasileiro. corporados pelos textos poéticos.
A poesia cubista caracteriza-se, também, pela
3. FUTURISMO utilização do verso livre, a negação da estrofe, da ri-
Foi lançado, em 1909, em Paris, época em que ma e da harmonia.
foi produzido seu primeiro manifesto, assinado pelo 5. EXPRESSIONISMO
escritor italiano Filippo Tommaso Marinetti. Segui-
ram-se mais de trinta manifestos. Este movimento surgiu em 1910, na Alema-
Os futuristas pregavam especialmente a destru- nha, trazendo uma forte herança da arte final do sécu-
ição do passado; nesse sentido, glorificavam o ritmo lo XIX, preocupada com as manifestações do mundo
da vida moderna e exaltavam o futuro. interior e com a forma de expressá-las. Daí, a impor-
A técnica das palavras em liberdade parece ter tância da expressão, ou seja, a materialização, numa
sido o aspecto mais importante da literatura futurista. tela ou numa folha de papel, de imagens nascidas em
Para conseguir tal efeito, os futuristas prega- nosso mundo interior, pouco importando os conceitos
vam, entre outras coisas: então vigentes de belo e feio. Por suas características,
 “É preciso destruir a sintaxe, dispondo os o Expressionismo desenvolveu-se mais na pintura,
substantivos ao acaso, como nascem.” dando continuidade a um trabalho iniciado por Van
 “Deve-se usar o verbo no infinitivo”. Gogh, Cézanne e Gauguin. Van Gogh chegou a afir-
 “Deve-se abolir o adjetivo para que o subs- mar que essa pintura, ao distorcer uma imagem para
tantivo desnudo conserve a sua cor essenci- expressar a visão do artista, assemelhava-se à carica-
al”. tura. Esse julgamento explica o porquê do declínio do
 “Deve-se abolir o advérbio”. Expressionismo a partir de 1933, com a ascensão de
 “A pontuação deve ser abolida”. Hitler na Alemanha: segundo as novas diretrizes,
buscava-se uma arte pura, limpa, que retratasse a su-
perioridade germânica, jamais uma caricatura.

Editora Exato 6
Em 1912, Anita Malfatti, uma jovem paulista tudo o que lhe fosse ditado pela inspiração, sem se
de 16 anos, parte para a Alemanha, já matriculada na preocupar com a ordem e a lógica.
Escola de Belas Artes de Berlim. Lá, entra em conta- A fantasia, os estados de tristeza e melancolia
to com o Expressionismo alemão, retornando, mara- atraem muito os surrealistas, pois eles procuram atin-
vilhada, em 1914, quando realiza sua primeira gir a realidade situada no plano do subconsciente e
exposição, em São Paulo. Sua segunda exposição, em do inconsciente; nesse aspecto, sua maneira de pene-
1917, desencadeou uma série de reações e acabou trar no espírito humano se aproxima da atitude ro-
sendo o fato gerador da mostra de arte moderna que mântica, embora os surrealistas fossem mais radicais.
se concretizaria em 1922.
8. PRINCIPAIS ANTECEDENTES DA SEMA-
Na literatura brasileira, são esporádicas as ma-
nifestações expressionistas; o único caso em que elas NA DE ARTE MODERNA
são mais recorrentes é a poesia de Augusto dos An- 1911 Oswald de Andrade funda a revista de arte “O
jos, pré-modernista que teve suas obras publicadas Pirralho”, cujos princípios eram questionar a
em 1912. arte brasileira.
6. DADAÍSMO 1912 Oswald de Andrade volta de sua primeira vi-
agem à Europa e divulga idéias cubistas e fu-
Em 1916, em plena guerra, quando tudo fazia turistas, entre elas a do verso livre.
supor uma vitória alemã, um grupo de refugiados em 1914 Anita Malfatti, vinda da Alemanha, expõe
Zurique, na Suíça, inicia o mais radical dos movi- seus quadros expressionistas.
mentos de vanguarda européia: o Dadaísmo. Tristan 1917 É o ano marcante na gestão da Semana; al-
Tzara, o líder do movimento, afirma que dadá, pala- guns escritores publicaram textos com tími-
vra que ele encontrou casualmente ao colocar uma das inovações de linguagem: Mário de
espátula dentro de um dicionário fechado, pode signi- Andrade, sob o pseudônimo de Mário Sobral,
ficar: rabo de vaca santa, mãe, certamente; nome de “Há uma gota de sangue em cada poema”,
um cavalo de pau; e ama-de-leite. Mas o próprio Tza- Menotti del Picchia, Manuel Bandeira e Gui-
ra acaba afirmando: lherme de Almeira também publicaram algu-
mas novidades.
“Dadá não significa nada”
Di Cavalcanti faz uma exposição de caricatu-
Os dadaístas não propõem nada, apenas a des-
ras em São Paulo e sugere a realização da
truição, pois lançam-se contra todos os valores cultu-
“Semana de Arte Moderna”.
rais, buscando um mundo mágico, semelhante ao
Neste momento, os modernistas ainda não ti-
mundo infantil. O Dadaísmo é a negação total, a de-
nham um programa ideológico e estético
fesa do absurdo e da incoerência, uma atitude de pro-
pronto, mas iam tomando contato com os is-
testo contra uma civilização que conduziria a
mos europeus através de livros e revistas.
sociedade à guerra.
Improvisação, desordem, ausência de equilí- 9. A REALIZAÇÃO DA SEMANA - PONTOS
brio são as principais características das obras dadaís- MAIS MARCANTES
tas.
Nas noites de 13, 15 e 17 de fevereiro de 1922,
7. SURREALISMO abriu-se ao público o saguão do Teatro Municipal de
Em Paris, 1924, foi lançado por André Breton, São Paulo, onde vários artistas mostravam obras com
um ex-participante do Dadaísmo, o Manifesto do uma linguagem nova, afinada com as correntes esté-
Surrealismo, dando início àquele que seria, cronolo- ticas do começo do século.
gicamente, o último movimento da vanguarda euro- 13/2/1922 Graça Aranha abre o espetáculo com sua
péia dos anos 20. conferência intitulada “A Emoção Esté-
O Surrealismo apresenta ligações com o Dada- tica na Arte Moderna”, acompanhada da
ísmo e o Futurismo. Propondo a elaboração de uma música de Ernani Braga e da poesia de
nova cultura, os surrealistas pregam a destruição da Ronald de Carvalho e de Guilherme de
sociedade em que viviam e a criação de uma outra, a Almeida. Villa-Lobos executou algumas
partir de novas bases. Nesse aspecto, diferenciam-se peças.
dos dadaístas, cujas propostas tinham apenas um ca- 15/2/1922 Ronald de Carvalho declamou o poema
ráter destruidor. “Os sapos” de Manuel Bandeira, ridicu-
Em termos de expressão artística, a grande no- larizando o Parnasianismo. A declama-
vidade apresentada pelo Surrealismo foi a escrita au- ção foi acompanhada pelo público com
tomática, ou seja, um método em que o escritor gritos, miados, latidos e vaias. A grande
deveria deixar-se levar pelo seu impulso, registrando atração da noite foi a pianista Guiomar
Novaes, que apesar de ter protestado
contra os organizadores da Semana, na
Editora Exato 7
noite do dia 13, compareceu e apresen- ESTUDO DIRIGIDO
tou-se.
17/21922 Foi o último dia da Semana. Nesta noite, Leia o texto:
realizou-se o “Terceiro e último grande Ode triunfal
festival” da Semana de Arte Moderna, À dolorosa luz das grandes lâmpadas elétricas
com a apresentação de Villa-Lobos. O da fábrica.
público já não lotava o teatro e compor- Tenho febre e escrevo.
tava-se mais respeitosamente. Exceto Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza
quando o maestro Villa-Lobos entra em disto,
cena de casaca e chinelos, o público in- Para a beleza disto, totalmente desconhecida
terpreta a atitude como futurista e vaia. dos antigos.
Mais tarde, o maestro explicaria que não
se tratava de futurismo e, sim, de um ca- Ó rodas, ó engrenagens, r-r-r-r-r-r eterno!
lo arruinado. Forte espasmo retido dos maquinismos em fú-
ria!
10. DIVULGAÇÕES DAS IDÉIAS DA SE-
Em fúria fora e dentro de mim,
MANA
Por todos os meus nervos dissecados fora,
Revistas Por todas as papilas fora de tudo com que eu
 Klaxon (buzina) - oposição entre o velho e sinto!
o novo - São Paulo. Tenho os lábios secos, ó grandes ruídos mo-
 Estética - Rio de Janeiro dernos,
 Festa - Rio de Janeiro De vos ouvir demasiadamente de perto,
 Terra Roxa e Outras Terras - São Paulo E arde-me a cabeça de vos querer cantar com
 Verde-Amarelo - Minas gerais um excesso
 Revista de Antropofagia - São Paulo De expressão de todas as minhas sensações,
 A Revista - Belo Horizonte Com um excesso contemporâneo de vós, ó
máquinas!
Manifestos Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa
 Manifesto da Poesia Pau-Brasil - poesia de
exportação, poesia primitivista, valorizando 1 Aponte, no texto acima, alguns aspectos fun-
os contrastes da realidade e cultura brasilei- damentais do movimento futurista.
ras. Propunha a criação de uma “língua bra-
sileira”, sem erudição, a contribuição de 2 O poeta explora a força de alguns vocativos,
todos os erros. invocando seres superiores. Destaque três des-
 _Manifesto Antropófago ou Antropofágico ses vocativos.
- propunha a devoração da cultura estran-
geira, acreditando que, assim, assimilariam
esta cultura sem perder a própria identida- 3 O poeta afirma que quer cantar as máquinas
de. Tinha o tamanduá como símbolo. com a força “de todas as minhas sensações”.
 Manifesto Regionalista de 1926 - procurava Destaque os versos que expressam isso.
“desenvolver o sentimento de unidade do
Nordeste” dentro dos novos valores moder-
nistas. Apresentava como proposta “traba- EXERCÍCIOS
lhar em prol dos interesses da região nos
1 Relacione as perguntas apresentadas com os
seus aspectos diversos: sociais, econômicos
movimentos de vanguarda europeus que as
e culturais.”
respondem corretamente:
 Verde-Amarelismo - propunha um naciona-
a) Qual o movimento mais radicalmente niilista?
lismo primitivista, ufanista e idolatria ao
b) Qual o movimento mais voltado para a idéia
Tupi. Elegeu a anta como símbolo nacional.
de velocidade?
c) Qual o movimento mais comprometido com a
criação de um mundo onírico?
d) Qual o movimento mais relacionado com a i-
déia de fragmentação?
e) Qual o movimento que se caracteriza funda-
mentalmente pela deformação da realidade,
ressaltando seus elementos grotescos e bizar-
ros?

Editora Exato 8
( ) o Dadaísmo. 4 (UFRGS-RS)
( ) o Cubismo. "O sapo-tanoeiro,
( ) o Surrealismo. Parnasiano aguado,
( ) o Expressionismo. Diz: -'Meu cancioneiro
( ) o Futurismo. É bem martelado..."'

O poema, “Os sapos", de Manuel Bandeira, per-


2 (UFBA-BA) Analise cada afirmativa e assina- tence ao primeiro momento do Modernismo bra-
le a coluna I, se achar que a afirmativa está sileiro, em que ocorreu uma tomada de posição
correta; assinale a coluna II, se achar que a a- contra:
firmativa está errada. a) a expressão de sentimentos, o culto de temas
Esta questão se refere aos movimentos de van- clássicos, a atitude impessoal e erudita do poe-
guarda. ta.
I II b) a interferência emocional do poeta, a lingua-
São correntes de vanguarda: Futurismo, gem classicizante, as rimas ricas.
Cubismo, Expressionismo, Dadaísmo, Sur- c) o culto de rimas ricas, o metro perfeito, a ex-
realismo. pressão classicizante.
“...Os elementos essenciais de nossa poesia d) a ênfase oratória, as atitudes sentimentais, a
serão a coragem, a audácia e a revolta...” – poesia pessoal.
é exemplo da corrente vanguardista: Dada- e) a poesia de expressão pessoal, a linguagem
ísmo. menos rigorosa, a ausência de rimas.
“...Eu insulto o burguês-funesto! O indi-
gesto feijão com toucinho, dono das tradi-
ções! Fora os que algarismam os amanhãs! 5 (COVEST) Nesta questão, constam informa-
Olha a vida dos nossos setembros!” – é e- ções sobre o Modernismo Brasileiro. Julgue os
xemplo da corrente futurista. itens:
Pré-história 1 Teve várias fases. A primeira, mais marcante,
Mamãe vestida de rendas tem vários pontos comuns com o Parnasianis-
Tocava piano no caos”. mo, sobretudo o respeito à forma.
- é exemplo da corrente surrealista. 2 Na sua 1ª fase, após a Semana de Arte Moder-
“Quando sinto a impulsão lírica escrevo na que o inaugurou, subdividiu-se em vários
sem pensar tudo o que meu inconsciente movimentos: Pau-Brasil, Verde-amarelo, An-
me grita. Penso depois: não só para corri- tropofágico e Movimento da Anta.
gir, como para justificar o que escrevi”. – é 3 A 2ª fase foi a do Romance Regional, iniciado
exemplo da corrente dadaísta. por José Américo e continuado por José Lins
do Rego, Graciliano Ramos, Raquel de Quei-
roz e outros.
3 (CESCEM) A Semana de Arte Moderna re- 4 Érico Veríssimo foi o representante gaúcho do
presentou, no panorama cultural da época: romance regional, autor de “O Tempo e o Ven-
a) a ruptura total com o passado artístico mais re- to” e (muito depois) “Incidente em Antares”. O
cente, no qual nada permitia prevê-la; daí a co- romance regional tinha como protagonistas
moção que causou. gente anônima do interior e trazia a público os
b) o resultado da condensação de aspirações va- problemas sociais como objeto de estudo e re-
gas, ainda informes até então, mas perceptíveis flexão.
nas preferências do público em geral. 5 A Semana de Arte Moderna renovou estetica-
c) a congregação de tendências que, sob formas mente apenas a literatura, não se estendendo às
várias e nas várias artes, se vinham delineando demais artes como a pintura, a escultura e a
desde a década anterior. música, onde despontou a figura de Carlos
d) a reação aos ataques que os últimos parnasia- Gomes.
nos dirigiam contra a obra incipiente dos pri-
meiros modernistas.
e) a decorrência de reelaboração de recursos esti-
lísticos presentes tanto na poesia parnasiana
quanto na simbolista.

Editora Exato 9
6 (UCP-PR) O ano decisivo para o Modernismo
brasileiro é 1917, já que nele aparecem produ-
ções que iriam revolucionar a arte literária bra-
sileira. Da lista abaixo, o que apareceu pela
primeira vez, em 1917, foi:
a) Wilson Martins: O Modernismo e Mário da
Silva Brito: antecedentes da Semana de Arte
Moderna.
b) Monteiro Lobato: Urupês e Manuel Bandeira:
Carnaval.
c) Anita Malfatti: Homem amarelo e Mulher de
cabelos verdes e Di Cavalcanti: Carnaval.
d) Mário de Andrade: Paulicéia desvairada e Gra-
ça Aranha: Canaã.
e) Menotti del Picchia: Juca Mulato e Manuel
Bandeira: A cinza das horas.

7 No ano de 1967, 45 anos depois da Semana,


portanto, intelectuais e artistas (Caetano Velo-
so, Gilberto Gil, Torquato Neto e Rogério Du-
prat, entre outros) lançaram o Tropicalismo,
movimento de renovação musical que ganhou
adeptos na literatura, no cinema e no teatro.
O Tropicalismo tem relação com a Antropofagia,
o mais radical dos manifestos do Modernismo,
publicado em 1928. Uma das novidades do Tro-
picalismo foi a utilização da guitarra elétrica, até
então símbolo da música “de fora”; no acompa-
nhamento da música popular brasileira.
Responda: baseando-se nessa informação, que re-
lação há entre o Tropicalismo e a Antropofagia?

GABARITO

Estudo Dirigido
1 Lâmpadas elétricas de fábrica / desconhecida
dos antigos / ruídos modernos.
2 Ó rodas, ó engrenagens, ó máquinas.
3 Versos 3, 8, 9, 10, 11, 12
Gabarito
1 A, D, C, E, B
2 I, I, I, I, II
3 A
4 C
5 E, C, C, C, E
6 E
7 Os dois movimentos propunham-se a incorpo-
rar, devorar, deglutir a cultura estrangeira e a-
propriar-se dos aspectos positivos dessa
cultura.

Editora Exato 10