Você está na página 1de 271
1
1
Until I Break Até eu quebrar M. Leighton 2
Until I Break Até eu quebrar M. Leighton 2

Until I Break

Até eu quebrar

M. Leighton

2

Uma Nota aos Leitores:

Para aqueles que se perguntam se isso é autobiográfico, a resposta é não. A ideia da história veio a mim como resultado de muitas pessoas me perguntando se a minha vida real tinha ou não material para os meus livros. Eu sei que você está curioso sobre a vida romântica de um romancista. Para a maior parte, não é toda glamourosa. Muitos de nós passamos o nosso dia de pijama (algo como roupas de trabalho), sonhando com belas pessoas imperfeitas.

Mas eu não quero aborrecê-los com a realidade. Eu queria que você lesse um delicioso conto completamente fictício.

Espero que você goste de ler esta história tanto quanto eu gostei de escrevê-la. E se você quiser ler mais sobre como ela surgiu e o que esperar, você pode fazê-lo em meu blog aqui:

http://mleightonbooks.blogspot.com/2013/behind-until-i-break.html

3

Sinopse:

No amor, às vezes o que você mais teme é exatamente o que você precisa. Laura Drake é autora. Ela escreve os romances paranormais mais vendidos que continuam no topo das paradas. Ela é incisiva. Ela está confiante. Ela está no controle. E ela não existe. Samantha Jansen é a mulher por trás da peruca, a mulher que a maior parte do mundo não sabe que existe. Ela é tímida. Ela é insegura. Ela não é nada como sua personagem principal ou seu alter ego. Ela está marcada - profundamente marcada - por um passado que ela não pode deixar ir e um presente com o qual ela não pode fazer as pazes. Os sonhos de Samantha são consumidos por um homem, o herói quebrado de seus livros. Mason Strait é tanto sua maior fantasia quanto seu mais terrível pesadelo. Quando Samantha conhece Alec Brand, um consultor empresarial, é como se Mason voltasse à vida. Alec é bonito ao extremo, tão elegante quanto é arrogante, e mais intenso do que qualquer homem tem o direito de ser. Samantha logo é sugada para um mundo que espelha a ficção que ela escreve. Justo como sua personagem principal, Daire Kirby, Samantha encontra-se incapaz de resistir à atração proibida de Alec. E, assim como Daire, ela também descobre que ela é forçada a dar uma chance a um homem que poderia ou libertá-la ou destruí-la. A balança pende para a destruição quando Samantha descobre que Alec é uma obra de ficção como Mason. E ele tem suas prórpias cicatrizes, cicatrizes que podem arruinar ambos.

Este livro pode ser lido como um autônomo, pois a história de Alec e Samantha chega a uma conclusão neste livro.

4

Capítulo 1

Samantha

Sento-me à mesa no meu quarto de hotel, olhando o cursor piscando na tela. Em minha cabeça, eu sou Daire Kirby, a minha principal personagem, encantada como ela olha nos olhos verdes pálidos de Mason Strait, o homem dos meus sonhos. Literalmente.

Escrever sobre ele sempre me consome.

Embora ele não seja nada mais do que um produto da minha imaginação, ele é tanto a minha fantasia mais louca quanto o meu pesadelo mais terrível.

"É a minha maior paixão", diz ele com sua voz rouca, "educar meninas como você. Assistindo o desejo escurecer seus olhos, ver o suor como pérolas em sua pele, sentindo seu corpo apertar o meu como um punho fechado."

Sinto-me perdida em seus olhos, hipnotizada por suas palavras. Eu sei que eu deveria

fugir. Mas eu não posso. Por mais louco e estúpido que isto pareça, eu tenho que passar por

isso. Esta relação, esta tentação, este

A única coisa que eu sei com certeza é que eu tenho que aproveitar a oportunidade.

homem irá me realizar ou me destruirá completamente.

O alarme soa no meu telefone. Eu suspiro.

Eu prefiro continuar explorando Mason, mas é hora do logon para a minha sessão de

terapia.

"Vamos ver que vagas, intrusivas perguntas que você tem para mim hoje, Dra. Ruth", eu digo para o meu teclado quando eu faço o logon para a rede criptografada que a minha psiquiatra usa.

Minha irmã, Chris, me atormentou para fazer isto. Ela já havia criado tudo quando ela tão gentilmente me notificou sobre a minha primeira consulta.

5

Dra. Buraquinho, ou Dra. B como eu a chamo (Quando não eu não me refiro a ela como Dra. Ruth) faz uma prática incomum de psicoterapia, de uma forma muito pouco ortodoxa - online. Normalmente, ela conhece seus clientes em primeiro lugar e, em seguida, eles continuam suas sessões on-line por um período de tempo, encontrando-se pessoalmente esporadicamente. Mas, comigo, a Dra. B concordou em começar on-line, em parte como deferência à nossa separação geográfica (eu na Carolina do Sul e ela em Washington) e, em parte, em deferência à minha identidade. Ela sabe que está tratando minha personalidade pública, Laura Drake, e que eu quero manter assim por um tempo.

Laura Drake é uma autora. Ela escreve romances paranormais, a maioria especialmente sobre vampiros. Ela teve uma quantidade moderada de sucesso e tem alguns fãs leais que a mantêm ocupada com seu trabalho. Ela é calma, legal, controlada e tem pouca semelhança comigo.

E esse é o jeito que eu gosto.

Samantha Jansen é arredia e insegura e muito profundamente danificada.

bem, ela é danificada. Profundamente,

Eu faço o logon no servidor e abro o chat datado para hoje. A pergunta inicial parece bastante inócua. Mas elas sempre são. É mais tarde que ela vai entrar em todos os tipos de terríveis questões pessoais.

(Dra. Buraquinho): Você disse que nunca conheceu seu pai, como era a sua mãe?

Que pergunta capciosa! Eu penso enquanto eu digito a minha resposta sobre o teclado.

(LauraDrake): Ela era muito parecida com uma adolescente. Ela era divertida e gostava de festa.

A resposta da Dra. B é rápida. Como sempre. Quando era hora de trabalhar, ela estava

sempre armada e pronta.

(Dra. Buraquinho): Descreva um típico dia com ela.

Eu acho que volto para os anos que passei com ela, com tantos dias que se passaram exatamente da mesma maneira.

6

(LauraDrake): Na maioria das vezes, eu levantava cedo para que eu pudesse fazer nosso café da manhã. Eu me esgueirava para o quarto dela para acordá-la sem perturbar quem estivesse na cama com ela. Na maioria das vezes eu conseguia. Ela saia e tomava café da manhã comigo e me desejava um bom dia de escola e, em seguida, voltava para a cama.

Aqui é que os intervalos acontecem. Quando a Dra. B digere a minha resposta, e formula sua próxima pergunta. Às vezes isso pode levar um tempo, o que torna nossas sessões de progresso lento. Mas isso é bom para mim, uma vez que eu só estou realmente fazendo isso para Chris sair do meu pé.

Minha mente voa de volta para Mason enquanto espero a próxima pergunta. Quando ela chega, me irrita. Eu preferia estar escrevendo do que ter a minha cabeça espremida.

(Dra. Buraquinho): E à noite? Depois da escola? Será que você cuidava dela também?

Eu gostaria de escrever um simples "sim", mas eu sei que ela vai me fazer mais perguntas se eu fizer isso. Ela não gosta de respostas monissilábicas. Eu acho que nenhum psiquiatra realmente gosta.

(LauraDrake): Na maioria das vezes, sim.

Ela fazia algumas das coisas que eu não podia fazer, como fazer compras no supermercado e assinar coisas, mas caso contrário, sim. Eu praticamente cuidava de todo o resto.

Depois de alguns minutos, a próxima pergunta aparece, eu sei onde a conversa vai quando eu lhe responder. Faz me muito feliz que eu tenha que terminar a sessão mais cedo hoje, a fim de ir a uma sessão de autógrafos. Isso sinaliza o fim da minha "viagem", o que realmente não é uma viagem absolutamente. Eu ainda estou em casa em Charleston, mas o mundo em geral pensa que Laura Drake vive no Arizona.

Os comprimentos vão para você, Laura Drake, devo dizer ao meu alter ego. Eu fico em hotéis quando estou na área, só por isso não há maneira de rastrear Laura Drake.

(Dra. Buraquinho): Será que ela não trabalhava?

Oh yeah, ela trabalhava bem.

7

(LauraDrake): Sim, ela trabalhava.

(Dra. Buraquinho): O que ela fazia?

(LauraDrake): Ela era uma acompanhante.

Uma pausa longa.

(Dra. Buraquinho): Uma acompanhante? Ou uma prostituta?

(LauraDrake): Depende a quem você perguntar.

Outra pausa.

(Dra. Buraquinho): Como você descreveria o seu trabalho?

Penso que antes de responder.

Algumas noites eram melhores do que outras. Nas boas noites, eu chamava-lhe uma acompanhante. Mas havia algumas noites ruins

Eu não posso evitar o arrepio que estremece a minha alma.

(LauraDrake): Eu realmente não sei.

É uma resposta honesta, não apenas uma que a Dra. B vai gostar.

(Dra. Buraquinho): Quanto você sabe sobre a ocupação de sua mãe?

Mais do que eu deveria. Mais do que eu sempre quis.

Mas essa não é a resposta que eu dou.

(LauraDrake): O suficiente.

O assustadoramente familiar e indesejável aperto em meu peito, assim como sempre

acontecia quando penso o quanto eu sabia sobre o trabalho de minha mãe. E, mesmo que não seja tecnicamente a hora de me transformar em Laura Drake, eu termino a conversa com o Dra.

B.

8

(LauraDrake): Eu tenho certeza que você gostaria de explorar mais isso, mas eu tenho que me preparar para a apresentação desta tarde. Podemos continuar em nossa próxima sessão?

Espero que ela se esqueça, mas eu sei que ela não vai.

(Dra. Buraquinho): Claro. Podemos retomar na quinta-feira.

Por que eu concordei com dois dias por semana?

(LauraDrake): Ótimo. Vejo vocês depois.

Sem esperar por uma resposta, eu sai e fui para o quarto de hotel.

Cruzo as mãos recatadamente no meu colo e aguardo a próxima pergunta. Esta parte do evento é um P & R (Perguntas e Respostas) dos fãs, o que não é tão incomum. Existem cinco outros autores presentes, por isso acabou por ser um negócio bastante longo. O que torna este evento especial mais estressante é que é televisionado.

É estranho, o conforto que sinto com a peruca, óculos e maquiagem pesada. Meu vestuário de Laura Drake é muito mais do que um disfarce, é um escudo - uma barreira protetora que mantém o mundo afastado e a frágil Samantha Jansen (o eu verdadeiro) protegida.

Enquanto meus olhos vagueiam no meio da multidão novamente, eles são atraídos para a parte de trás da sala, para um retardatário. Eu sinto que minha mandíbula cai e, lentamente, a Terra para de girar, paralisa. Por um momento, é como se o mundo inteiro estivesse tão sem fôlego e reverente como eu estou.

Meu primeiro pensamento é que alguém conseguiu encontrar a imagem exata que eu tenho de Mason Strait, a que sempre esteve apenas na minha cabeça e nos meus sonhos mais profundos, e enviou-o aqui como um truque publicitário.

9

Mesmo a essa distância, eu posso ver que seus olhos são de um verde pálido suave. Eles eram emoldurados por espessos cílios negros que combinavam com o cabelo cor de azeviche. Cortado como eu imaginei que seria curto elegante. Estava um pouco despenteado, no momento, como se ele tivesse corrido os dedos através dele algumas vezes, mas isso só faz com que pareça mais como o de Mason.

Seu rosto magro é bronzeado e suas bochechas estão cobertas por uma leve sombra de barba, mesmo que ainda seja começo de tarde. Seus lábios são perfeitamente esculpidos e sua mandíbula é quadrada. Ele ainda tem uma covinha no queixo forte.

Enquanto meus olhos atônitos viajam para longe de seu rosto, eu fico surpresa ao descobrir que ele está até mesmo vestido como Mason se veste quando ele está por aí - casual, inofensivo. Sexy.

Seu peito largo estava coberto com uma camisa branca que parecia ser feita de caro algodão escovado. Suas longas pernas musculosas estavam em calças jeans azul desbotado que pareciam que foram cortadas e costuradas para o seu corpo. E em seus pés? Nada menos do que botas de cowboy empoeiradas.

Isso não pode estar acontecendo!

"Próxima pergunta, por favor."

Temporariamente, a voz de Ari me distrai do belo homem de tirar o fôlego na parte de trás da sala. Eu me sinto um pouco desorientada, como se eu estivesse em transe. Olhei em volta para a pequena multidão de pessoas, tentando me concentrar. Mas, pouco antes minha mente poder voltar para a audiência, o meu olhar é atraído para ele novamente, como se puxado por um ímã.

Mas agora o vão da porta está vazio.

Meu coração afunda, tão forte é a minha decepção. Eu suprimo o desejo de pular do meu assento e correr através da multidão, para fora da porta traseira para ver se consigo vê-lo mais uma vez. Sinto-me desesperada por apenas mais uma olhada no meu Mason.

A voz de Ari me traz de volta para o meu propósito aqui. "Você, senhor", diz ele em sua

10

voz autoritária.

Ari Nelson é meu amigo, assim como meu acessor. Ele tem cabelo loiro e não faz ideia do efeito que ele causa. Ele traz calma ao caos, razão à aleatoriedade, e ele pode argumentar com um bando barulhento como ninguém.

Ele é maravilhoso de mil formas e ele prefere seus homens como eu - fortes e morenos.

"Sra. Drake, a inspiração para suas histórias derivam da experiência pessoal?"

A voz suave provoca arrepios pelos meus braços. Eu procuro o rosto correspondente entre a multidão, principalmente do sexo feminino.

Meus olhos param em um rosto familiar. Seus lábios não estão se movendo, mas eu não tenho nenhuma dúvida que a voz aveludada pertence a este homem meu Mason na vida real.

Existem alguns outros homens presentes, mas sua altura torna fácil detectá-lo. Está centímetros acima de todos ao seu redor. Eu estava tão focada na porta que parecia tê-lo engolido que eu não o vi pairando na borda mais distante da multidão.

Mas agora, eu não consigo ver qualquer outra coisa, ninguém mais.

Seus olhos estão presos nos meus enquanto espera. Eles não estão sorrindo ou

flertando, ou mesmo curiosos, eles são apenas

intensos.

Quando eu não respondo imediatamente, ele faz outra pergunta. "Você é Daire Kirby? "

Enquanto minha mente gira sobre suas palavras, ele me observa. Tenho a sensação de que ele está tentando ver dentro de mim, tentando encontrar a verdade, para encontrar a mais suave, a mais vulnerável parte de mim e expô-la. Assim como Mason faria.

As semelhanças físicas entre este homem e meu protagonista fictício deixa-me sem fôlego. As semelhanças que parecem flutuar sob a superfície me deixam aterrorizada.

As pessoas estão sempre curiosas sobre onde eu encontro minha inspiração, sobre se ela se trata ou não da vida real. E embora eu tenha respondido sua pergunta dezenas de vezes e tenha memorizado a boa lengalenga para enfrentá-la, minha mente fica vazia.

11

É como se a única coisa que eu estou ciente seja o fio invisível que este homem tem, em poucos segundos, amarrado em torno de algumas agredidas partes da minha alma e está puxando-me para ele como um fantoche em um barbante.

Está tranquilo em torno de nós como se os outros na sala esperassem a minha resposta. Quando eu não dou nenhuma, "Mason" avança. Eu assisto, completamente imobilizada, como ele fluidamente tece o seu caminho através dos corpos na multidão até que ele esteja a apenas alguns centímetros de mim.

Ele olha para mim onde eu me sento no palco, seus familiares olhos verdes deixando-me nua na frente de todas essas pessoas, e ele faz uma pergunta que me assusta mais do que qualquer outra coisa. "Você está procurando seu Mason Strait? "

Eu me perguntei a mesma coisa uma e outra vez. Eu quero escapar do meu passado? Para esquecê-lo e seguir em frente como se nunca tivesse acontecido, como se não tivesse me afetado? Ou eu secretamente desejava alguém para me levar de volta para ele, para explorar comigo? Para me libertar por dentro?

"Seu nome, senhor?"

Eu ainda não disse uma palavra quando Ari faz a pergunta, me trazendo de volta

de

qualquer

outro lugar.

Olhos de jade translúcido nunca deixam os meus quando o estranho se inclina para frente, estendendo sua mão. Parece que ele está apresentando-se a mim em vez de responder à pergunta de Ari. O que eu não acho que esse homem percebe é que ele está dando aos meus sonhos, e aos meus pesadelos, um novo nome.

"Brand. Alec Brand ".

12

Capítulo 2

Alec

Eu ando pela sala, misturando-me com o resto da multidão. Eu ainda posso imaginar o olhar que Laura Drake me deu quando ela estava sendo conduzida na plataforma pelo homem que eu presumo ser seu assessor.

Havia algo na expressão dela, no olhar em seus olhos luminosos que pareciam incongruentes com a mulher sexualmente progressista que eu teria imaginado ser Laura Drake. Foi apenas por um segundo, como se ela baixasse a guarda acidentalmente. Ou eu apenas teria imaginado tudo. Talvez eu quero que haja mais nela do que ela parece ser.

Talvez eu quero que ela seja vulnerável, quase

assustada.

Embora eu achasse Laura Drake, a autora, fascinante, eu poderia achar esta Laura Drake, a pessoa, muito mais intrigante.

Ela não seria a mulher pela qual, normalmente, sou atraído, do tipo que eu sou atraído, mas partes dela poderiam ser.

Obviamente, alguma coisa sobre ela é atraente para mim ou eu não estaria ainda pensando nela dessa maneira.

Experiente autora de romances de vampiros, dona de uma mente intrigante e um passado mais intrigante? Ou tímida, uma mulher possivelmente reprimida que vi olhando para mim por trás daqueles óculos?

Qual é a verdadeira Laura Drake? E como posso chegar perto o suficiente para descobrir?

13

Capítulo 3

Samantha

Ari fecha a porta do quarto do hotel atrás de mim e eu caio no sofá. Eu coloco minha cabeça para trás e tomo uma profunda e calmante respiração. Estou exausta.

Eu fecho meus olhos e, em poucos segundos, duas gotas intensas de limão pálido aparecem na parte de trás da minha mente para me insultar. Meu coração acelera. Curiosidade e excitação correm através de mim. E assim faz um bom fio de medo. Ele é tão parecido com Mason

Como ele pode ser real? E ser tanto como alguém que não é?

De repente, inquieta, eu me esforço para levantar e caminho para o quarto para começar a me desfazer de Laura Drake. Eu puxo a peruca de cachos pretos da minha cabeça, então retiro os óculos sem prescrição médica e atiro ambos sobre a cama. Eu estou em frente ao espelho, me avaliando.

O terno preto de duas peças é feito sob medida para caber em minha constituição magra. É cada centímetro Laura Drake - afiada, sofisticada, educada, no controle. Nada como eu. Apenas quando meus olhos atingem minha cabeça eu começo a ver pedaços de Samantha Jansen.

Alguns fios de cabelo vermelho escuro escapavam da meia da peruca. O rosto em forma de coração está pálido, fazendo com que os lábios pareçam rosa escuro. Os olhos cinzentos estão com as pálpebras pesadas e vermelhos pela fadiga.

Neste momento, eu não sou nem Laura Drake nem Samantha Jansen. Ou eu sou ambas? Eu vou a extremos para manter a minha identidade escondida, mas eu às vezes sei quem é meu verdadeiro eu.

14

Quando eu dei um passo para trás, afastando-me do espelho, eu me tornei ciente dos meus sapatos.

Os saltos de tiras são um pouco da persona de frivolidade de Laura Drake.

E eles são a minha âncora para a única pessoa no mundo que me mantém ligada à terra, não importa o que aconteça com Laura - minha irmã, Chris. Ela desenhou os sapatos. Uso-os com orgulho. Eu os uso como um suporte. Mas, principalmente, eu os uso para que nunca me esqueça de quem eu sou, de onde eu vim, e de toda a dor que me trouxe aqui.

"Foi tudo bem", Ari diz quando ele pega a minha peruca e agita-a.

"Que horas é meu vôo? "

"4:20".

Eu olho para o meu relógio. Trinta minutos até que eu tenha que sair. "Vamos sair mais cedo. Nós podemos antes tomar um café no aeroporto. Eu prefiro."

Ari mantém a peruca longe de mim e se curva dramaticamente. "Tudo o que você quiser, senhorita. "

"Tudo o que eu quiser?" Eu ronco e tiro o sedoso pedaço de cabelo preto de seus dedos.

"Onde você estava escondendo esta linda versão de si mesmo? "

Ari se endireita e sorri. "O assessor dominador, louco por controle se mantém a sete chaves ".

"Hum, eu preciso de uma cópia dessa chave. Por que você não é sempre assim? "

"Sim, isso não vai acontecer", ele brinca. "Você seria um desastre se eu te escutasse muito frequentemente."

Eu suspiro. "Mas eu seria um desastre feliz."

"Não, você seria um pobre desastre que passaria seus dias escrevendo com lápis e papel em uma cela acolchoada. "

15

"Eu seria um desastre muito feliz."

Ari balança a cabeça. "Sem valorização."

"Oh, você sabe que eu te amo. Eu estaria perdida sem você e seu jeito dominador. "

"Isso, eu sei."

"E a sua humildade. Não nos esqueçamos isso. "

"Seus óculos, Clark Kent", diz ele, pegando-os da cama e jogando para mim.

Eu escorreguei de volta para o meu alter ego. Depois de ajustar minha peruca e endireitar minha jaqueta, dirijo-me ao espelho. Mais uma vez, Laura Drake está olhando de volta para mim.

Atrás de mim, Ari sorri e leva minha única mala até a porta. Com um suspiro, eu pego minha bolsa e minha bagagem de mão e sigo-o, deixando para trás o hotel que é a apenas seis quarteirões do meu apartamento.

Duas horas mais tarde, depois de uma corrida de táxi para o aeroporto, de um dulce canela latte com Ari no Starbucks do aeroporto e uma rápida mudança de identidade no longe exclusivo da Primeira Classe, estou abrindo a porta do meu apartamento como Samantha Jansen. Ari está no caminho de volta para Nova York e Laura Drake está enfiada na minha bolsa.

Eu não vivo uma vida glamourosa, mas uma coisa que eu tenho é uma excelente vista. Foi o que me atraiu a este condomínio. De quase cada janela neste apartamento, eu posso ver a vista até o Oceano Atlântico.

Essa vista me cumprimenta assim que eu atravesso a porta. Cortinas brancas ondeiam em cada uma das janelas abertas, alinhadas na parede em frente a mim. Eu inspiro a beleza da cena, o ar levemente perfumado, e o reconfortante cheiro de casa, é o mais calmante cocktail no

16

mundo.

Algo toca na minha perna. Eu olho para baixo.

É o meu gato, Jinx.

"Olá, Jinxy!" Eu sussurro, inclinando-me para acariciar seu corpo sedoso quando ele tece em torno de minhas pernas. Seu pelo preto sólido brilha saudável na luz. "Será que Chris cuidou bem de você?" Embora eu só tenha ficado a poucos quarteirões de distância, eu não ousava arriscar voltar aqui.

Ele mia em resposta, olha para mim com seus olhos verdes brilhantes e lambe seus lábios. "Você já está com fome? Você está sempre com fome." Outro miau."Homens!"

Eu rolo minha mala para o quarto e volto para alimentar Jinx. No balcão da cozinha, ancorando um bilhete, está um enorme vaso de flores frescas.

O bilhete diz: Bem-vinda de volta! Eu sei você deve estar EXAUSTA pela LONGA,

LONGA viagem. Eu só quero que você saiba que eu odeio o seu gato. Se eu não te adorasse, eu

o teria jogado pela janela. Te amo!

Eu relincho e reviro os olhos. Chris é tão dramática. Assim, quando estou enchendo a tigela de Jinx com comida de gato que certamente pode ser cheirada a um quarteirão de distância, eu ouço a porta da frente abrir.

O click-clack de saltos na madeira me diz quem é. Sem levantar a minha cabeça para

vê-la, eu sei o instante em que Chris para na porta, e eu sinto o cheiro do perfume dela. É o

cheiro da assinatura dela, doce e caro.

"Enquanto eu viver e respirar, é a Laura Drake! Rápido! Alguém chame o doctah (N.T.- personagem de série de TV). Estou pronta para sucumbir aos vampiros. "

Eu sorrio. Na minha mente, eu posso ver Chris de pé sobre uma ampla varanda usando

um longo vestido esvoaçante e luvas brancas, o dorso da mão pressionada teatralmente na testa

- a essência da Southern Belle.

"Os 'vapors' não teriam tido uma chance com você se você matasse o meu gato", eu

17

respondo com um sotaque igual. Eu coloco a comida de Jinx no chão na frente dele.

Ele cava imediatamente.

"O quê? Ele está vivo, não está?" Eu me endireito e olho para Chris em dúvida.

"Ele provavelmente vai me dar Febre de Gato ou gripe aviária ou algo igualmente horrível, mas eu sofro com isso porque eu sei que você o ama. "Ela olha para baixo para ele e acrescenta com um franzir de seu lábio, "Mesmo que eu não consiga imaginar o porquê."

"Você nunca vai me dizer por que começou a odiar tanto os gatos? Você amava, quando éramos mais jovens."

"Isso foi antes de eu saber quão desagradáveis eles são."

"Eles não são desagradáveis, Chris."

"Sam, eles fazem cocô em uma caixa, em seguida, caminham por ela e em seguida por toda a sua casa. São desagradáveis!"

Eu rio. "Eles não andam no meio de seu cocô."

"Você está me dizendo que ele desvia cada pilha de merda enterrada quando ele entra e sai dessa engenhoca que você chama uma caixa de areia? Que seja! "

"'Enterrada' é a palavra chave, Chris. Mas não se preocupe. Eu só deixo-o em cima da mesa quando eu sei que você está chegando para o jantar. "

"ECA", ela cospe, torcendo o nariz. "Eu nunca vou comer aqui novamente."

"Por mim tudo bem. Você é incrivelmente bagunceira de qualquer maneira. "

"Seja boa para mim ou eu vou embora."

"Hum, eu não me lembro de convidá-la para começo" eu brinco.

Chris mantém as chaves e as balança. "O maior erro que você já fez, foi me dar a chave da sua casa. Basta esperar até que você veja o que eu fiz na sua gaveta de calcinhas. "

18

"Não me faça dizer a Greg todos os seus segredinhos sujos," eu ameaço com falsa seriedade.

"Não me obrigue a dizer ao mundo o seu segredinho sujo. Porque o seu é realmente sujo. Muito sujo ".

Embora eu saiba que é uma ameaça vazia feita apenas em tom de brincadeira, um arrepio de pânico passa através de mim. Ela sabe que esse é um dos meus piores medos.

É hora de mudar de assunto.

"Então," eu começo com um movimento rápido da minha cabeça, "por que você está tão bem vestida?"

O cabelo loiro de Chris está em um coque em cima da cabeça dela. Vários cachos longos estão pendurados soltos escovando seus ombros. Ela está usando um vestido azul royal alguns tons mais escuros do que seus olhos e sapatos de salto combinando. Sem dúvida, eles são de seu design. Seu rosto está com maquiagem para “sair” e diamantes brilham em suas orelhas e pescoço. Isto é definitivamente "uma ocasião".

"Oh," ela diz, olhando para baixo.

"Oh meu deus, eu esqueci de te dizer. Eu vou conhecer os pais de Greg no jantar hoje à noite ", explica ela, sacudindo os dedos ansiosamente. "Eu estou tão nervosa!"

"Por quê? Você está linda, e você e Greg são perfeitos juntos. Eles vão amá-la."

Às vezes eu ainda vislumbro a menina insegura que eu conheci 10 anos atrás, quando o Serviço Social me deixou na porta dos meus pais adotivos. Ela desabrochou um pouco desde então, mas eu aprendi que algumas cicatrizes são profundas.

"Eu não me sinto muito

boa o suficiente. Mas eu espero que você esteja certa."

"Claro que eu estou certa. Quando você já me viu estar errada?"

"Oh Deus!", Diz ela, revirando os olhos.

"Bem, pelo menos eu tenho um encontro para a angariação de fundos amanhã à noite."

19

"Oh merda! Eu esqueci disso. "

"Isso porque, a menos que você esteja usando uma peruca, você é uma cabeça de vento

total. "

"Pelo menos eu me formei na faculdade."

"Sim, e passou a usar, oh vamos ver, nada do que você aprendeu. Apenas uma contadora que você acabou por ser."

"Bom ponto."

"Você sabe como a mamãe vai ficar deprimida se ela vir você aparecer sozinha de

novo".

Ao longo dos anos, os nossos pais adotivos se tornaram tão ligados a nós como Chris e eu nos tornamos a eles. Nós os chamamos mamãe e papai. Tudo começou como uma brincadeira. Então isso virou rotina.

"Eu sei, eu sei. Vou pensar em alguma coisa. "

"Você pode me deixar te apresentar aquele amigo de Greg eu continuo falando sobre

você."

"Eu não vou namorar um cara mais novo, Chris. Nós já conversamos sobre isso. "

"Ele não é muito mais jovem."

"Ele tem a sua idade, Chris. Quatro anos é muito."

"Eu não disse que você tinha que se casar com ele. Saia com o cara. Quem sabe? Você pode se divertir. Além disso, é apenas para uma noite."

Eu rosno. "Deixe-me pensar sobre isso."

"Isso é um 'não'", diz ela, balançando a cabeça e me seguindo quando eu deixo a cozinha.

20

"Isso não é um ‘não’, é um ‘vou pensar sobre isso'."

"Que é a sua versão de um ‘não’. De qualquer forma, eu estou saindo. Só queria parar - Oh! Eu quase me esqueci. Eu vi você na TV naquela coisinha de aparição que você fez, ou o que seja, e Oh meu deus! Sam, eu vi aquele cara que foi até a frente para falar com você. Você realmente precisa encontrá-lo e passar algum tempo se 'inspirando' para o seu próximo livro. Ele era tão quente! E ele estava totalmente na sua. Eu podia ver pela maldita televisão".

Eu sinto um calor vermelho em minhas bochechas.

"Que cara?"

Chris para com a mão na maçaneta da porta e lentamente se vira para mim.

"Você tem que estar brincando comigo! Realmente vai ficar aí e fingir que não sabe de quem estou falando? Que eu não vi você ficar toda confusa?"

Meu rosto fica mais quente. "Foi tão óbvio? "

"Somente para as pessoas que a conhecem, que conhecem a verdadeira você."

Eu penso em Ari. Eu me pergunto se ele percebeu.

"Bem,

isso

não

vai

acontecer,

então

por

que

você

não

se

concentrar

nos

IMPRESSIONANTES pais de Greg e deixa-me cuidar minha vida chata? "

O rosto de Chris cai em um beicinho. "Esse é o ponto. Eu não quero que você tenha uma vida monótona, Sam. Eu quero que você seja feliz. E não apenas no papel. Eu quero que você seja feliz."

"Eu sou feliz, Chris."

Ela parece triste e incomodada. "Não como você deveria ser."

"Você é uma rainha do drama. Agora, caia fora daqui antes que você comece a chorar e estrague sua maquiagem. Eu conheço esse olhar."

Ela sorri, mas ela treme. Eu sei que ela se preocupa comigo. Ela teme que o passado me

21

impeça de ter uma vida normal.

Às vezes, eu me preocupo com isso também.

Capítulo 4

Alec

Eu respiro o ar do mar. Ela enche meus pulmões assim como a antecipação de um novo projeto preenche minha mente.

Eu precisava disso - esta pausa. Nesta altura do ano, especialmente. Estou cheio de velho fantasmas, demônios feios e memórias indesejadas. É o meu Halloween pessoal. Minha temporada de assombração pessoal.

No início, meus mecanismos de enfrentamento eram aceitáveis, tenho certeza. Mas, em seguida, em algum lugar ao longo do caminho, as coisas foram lateralmente. Eu me perdi no processo de cura. De repente, não estava curando mais nada. Era obsessão. E imersão. E controle. Eu escolhi um caminho que me levou em um círculo, constantemente voltando para a dor do passado. Eu ainda estou lutando com isso todo dia.

Exceto, é claro, quando isso leva a melhor e eu apenas cedo.

23

Capítulo 5

Chris e eu esperamos para pedir o nosso café.

"Por que eu concordo com isso?"

Samantha

"Porque todos as outras manhãs nós vamos onde você quer ir. E porque eu tenho que ter algum trabalho feito hoje. Porque você me ama. Amo este lugar. Isso é suficiente? Ou você quer que eu continue? "

Chris revira os olhos e suspira como se eu tivesse lhe pedido um rim. "Você tem sorte de todas essas coisas serem verdadeiras ou estaríamos fora daqui." Ela se inclina para o lado e olha em volta para o cara a nossa frente. "O que está demorando tanto?"

"Shhh", eu digo, olhando ao redor para me certificar de que ninguém está ouvindo sua queixa. Parece que ninguém. Todo mundo está ou brincando com seu telefone ou seu iPod ou folheando o jornal enquanto esperam.

"Acontece que eu gosto deste lugar e preferiria não ser eternamente evitada, porque eu trouxe uma chorona comigo. Perseguição não está no menu."

"Eu acho que eles estariam fazendo um favor se evitassem você", ela sussurra em voz

alta.

Ignorando-a, eu olho à frente no rosto familiar atrás do balcão. Seu nome é Sean e ele é um barista. Ou Baristo. Ou qual seja a versão masculina de um barista. Se houver uma.

Vamos apenas dizer que ele é o cara que faz e me serve o café com muita frequência.

Esta loja é um dos meus lugares favoritos para vir quando eu preciso terminar um trabalho e não quero sentar-me em casa.

Quando finalmente chego ao balcão, Sean me cumprimenta com entusiasmo. "Ei,

24

chica! O que é que vai ser hoje?"

"Oi, Sean. Hum, eu odeio admitir isso, mas eu serei previsível hoje. Isto é como comida de conforto para mim."

"Previsível? Então, você quer o habitual? Um cappuccino grande desnatado doce com canela e creme extra?"

Eu sorrio. "É isso aí!" Olho para Chris. "O que você quer?"

"Umm, eu acho que vou querer o mesmo", ela diz, de repente agradável quando ela se transforma em um sorriso brilhante para Sean.

Eu tenho que me esforçar para segurar meu riso.

Chris está feliz com Greg, mas ela é uma paqueradora incorrigível. O que eu vou ter que dizer a ela mais tarde é que ela estava latindo na árvore tããão errada.

"Vão sentar-se", diz ele. "Eu vou levá-los."

Eu franzi os lábios para ele e ele imitou a ação. Nós dois sorrimos e me viro para pegar guardanapos, e eu e Chris encontramos uma mesa.

Sean é muito bonito. Seu cabelo é escuro e sua pele é dourada, e ele tem um sotaque delicioso. Ele é perceptivelmente latino. Alguns podem pensar que ele está flertando comigo. Eu por acaso sei que ele prefere loiras em vez de cabeças vermelhas. Isso é, homens loiros. Isso não me incomoda em nada, no entanto. É nossa camaradagem que eu amo.

A única mesa vazia está perto da porta. Eu coloco minha bolsa em uma cadeira de madeira e deslizo para outra. Quando Chris senta à minha frente, eu puxo meu notebook e olho ao redor do pequeno café.

As pessoas estão espalhadas por toda a sala - sentadas, em pé, apoiadas - conversando casualmente sobre o vapor nas xícaras de seu café favorito. O cheiro de grãos escuros e adoçantes ricos enchem o ar. Aspiro profundamente, deixando o aroma me acalmar. Este é um dos meus mais queridos lugares no planeta.

25

Eu ouço o som do sino sobre a porta quando ela abre. Eu não penso nada sobre isso até eu ouvir a exclamação de Chris.

"Puta merda! É ele!"

Eu me viro para ver quem a animou. A minha reação, embora não seja audível, é muito mais profunda do que a dela.

Meu coração palpita. Meus pulmões congelam. Meu estômago contrai.

É Mason.

Quero dizer, Alec. Alec Brand.

Eu acho que eu o reconheceria em qualquer lugar, de qualquer ângulo. Ele é tão familiar para mim como o personagem com quem eu vivo a cada minuto todos os dias. Ele é a personificação das minhas esperanças, assim como dos meus medos, dos meus sonhos bem como dos meus pesadelos.

Eu pensei nele nada menos do que uma dúzia de vezes na noite passada. Então, depois de finalmente tê-lo fora da minha mente tempo suficiente para cochilar, eu sonhei com ele, com o Mason Strait da vida real.

Eu acordei pensando nele, também. Mas desde então, eu quase consegui me convencer que era um truque da luz. Eu apenas sabia que não havia nenhuma maneira que eu tivesse me lembrando dele corretamente, que não havia nenhuma maneira dele se parecer tanto com Mason.

Mas hoje mostra que não foi a iluminação.

Ou a minha imaginação. Ou o meu defeito de memória. Ele é tão deslumbrante como eu lembro dele ser, tão deslumbrante como eu sempre imaginei que ele fosse. Como Mason é.

Quando ele caminha em direção à fila de pessoas a espera do pedido, eu vejo que ele se movimenta como Mason. Isso é uma loucura!

Ele para no fim da fila, atrás da última pessoa, e desloca o peso para um pé. As pontas

26

dos dedos estão enfiadas nos bolsos da calça jeans. Ele está usando botas novamente, e uma camiseta azul escuro. Uma bolsa de couro marrom tipo mensageiro está pendurada no ombro. Do canto do meu olho, eu vejo várias cabeças virarem na direção dele. Tenho certeza que ele está atraindo quase todos os olhares na pequena loja. E por que não? Ele é masculino e lindo e carismático como o inferno.

Sua cabeça começa a girar em minha direção. Meu coração pula de emoção e bombeia grandes quantidades de sangue nas minhas bochechas. Eu giro em torno de meu assento, esperando que ele não me veja ou veja a minha reação.

Eu coro com facilidade, me tornando particularmente grata pelas fortes luzes do teto. Elas tendem a lavar qualquer matiz rosada adicional, obscurecendo quaisquer reações físicas como esta.

"É ele, certo? O cara de ontem?"

Concordo com a cabeça.

"Que diabos você está esperando? Vá falar com ele!"

"Shhh," Eu assobio para ela, espreitando disfarçadamente por cima do meu ombro para ter certeza de que ela não está recebendo a atenção dele. "Primeiro de tudo, por favor, não me envergue. Em segundo lugar, ele não tem ideia de quem eu seja, lembra-se?"

Chris vira seus olhos confusos para mim. Assisto seu quebra-cabeça sobre a minha pergunta por um minuto antes da compreensão surgir.

"Certo. Droga. Onde está aquela peruca quando você precisa?"

"Em casa. Exatamente onde deveria estar. Longe de você."

Seus olhos se iluminam. "Ooo, você poderia ter o dobro de diversão! Basta pensar "

nisso. Ele teria ideia

"Pare aí. Eu teria muito problema para manter este ardil. Não há maneira que eu possa fazer algo parecido. Então, não. Nem sequer pense nisso."

27

Chris vira o lábio inferior em um beicinho.

"Prometa-me, Chris," eu exijo. Eu posso ver que ela está tramando. E eu a conheço bem demais para pensar que ela vai desistir disso, a menos que faça a promessa. Eu aprendi isso, pouco depois de ter sido notificada sobre um compromisso com uma inexplicável terapeuta.

"Tudo bem."

"Promete?"

Ela suspira e revira os olhos. "Tudo bem. Prometo."

Eu sorrio, sentindo-me melhor. "Bom. Agora, podemos simplesmente desfrutar do nosso café? "

"Isso seria ótimo se tivéssemos café."

Eu olho para a mesa que está vazia, além do meu notebook. "Oh".

Olho para Chris e ambas começamos a rir.

"Uau, talvez você tenha razão. Talvez seja melhor desistir dele. Ele está fazendo de você uma idiota."

"Sua confiança em mim é tocante", eu disse secamente.

Antes que eu possa sequer pensar duas vezes, eu estou olhando por cima do meu ombro novamente. Eu tento desviar meus olhos exatamente quando ele gira em minha direção.

Eu sei que deveria desviar o olhar. Mas eu não posso.

É como se uma parte de mim fosse compelida a ver aqueles olhos de novo, aqueles assombrosos olhos verdes pálidos, eu fisicamente não posso virar a cabeça.

Quando seu olhar encontra o meu e para, meu estômago despenca. Ele olha, descaradamente, sua expressão curiosamente neutra.

Por alguns segundos, eu estou perdida naqueles olhos. Eles são tão familiares, eles

28

evocam muitas emoções, tanto desejadas quanto indesejadas, que eu encontro-me à espera, sem fôlego, dele fazer ou dizer algo que só Mason faria.

É o surgimento de uma sobrancelha curvada que quebra o feitiço. Mais sangue corre em meu rosto e meus olhos se arregalam em choque antes de girar para longe.

"Oh Deus, oh Deus, oh Deus", eu sussurro, fechando os olhos.

"O quê?" Chris diz, com um sorriso em sua voz. "O que diabos está errado com você? Aquele foi um momento sério apenas entre vocês dois. Vamos comprar algumas calcinhas de seda para seu primeiro encontro."

Eu sei que ela está brincando, mas eu não estou com humor para apreciá-lo.

"E se ele me reconheceu?" eu sussurro, mantendo a minha cabeça abaixada.

"Como? Mesmo eu mal a reconheço em seu traje LD. Não há como um perfeito estranho ser capaz de juntas vocês duas depois de dois minutos olhando para você."

assim

Olho para Chris. Eu sei que ela está certa. As chances são muito pequenas. Mas ainda É o suficiente para me fazer sentir um pouco em pânico.

Uma sombra cai sobre a nossa mesa de atrás do meu ombro. Prendo a respiração, com medo de olhar para trás. Meu coração está batendo.

Uma voz gentil familiar atravessa minha ansiedade.

"Dois cappuccinos grandes desnatados doces com canela e creme extra. "

Eu olho para cima. É Sean. Eu sorrio e suspiro de alívio, pegando um dos copos de colarinho em sua mão estendida.

"Obrigada, Sean".

"Aproveite, chica", diz ele, apontando para mim depois para Chris antes de virar para voltar para o balcão.

Quando eu o vejo ir, eu não posso evitar de piscar os olhos para onde Alec Brand está

29

em pé na fila. Ele é como uma Aurora Boreal - colorido, com luzes fascinantes brilhando na maçante e negra área do meu céu interno - e eu não posso evitar de me fixar nele. Ele chama a minha atenção, os meus pensamentos, e uma parte profunda e trágica da minha alma em direção a ele. Eu sou praticamente impotente para resistir.

O sangue corre em minhas bochechas novamente quando meus olhos se chocam com olhos verdes penetrantes. Por um momento, eu gostaria de estar abrigada na segurança de Laura Drake. Não só porque ela já conhece Alec, mas porque ela saberia exatamente o que dizer, como agir, como cuidar de si mesma nesta situação. Em qualquer situação.

Mas eu não sou Laura Drake. Sem a fachada dela, eu sou uma solitária com cicatrizes que só eu posso ver.

Sentindo o surgimento de inseguranças que são tão familiares para mim como o meu cabelo vermelho escuro, afasto o olhar rapidamente para longe, esperando que Alec não tenha um vislumbre delas. Eu não sei por que ainda me importo, realmente. Não é como se eu fosse vê-lo novamente. Duas vezes já é algum tipo de acaso bizarro. As chances disso acontecer novamente são astronômicas!

Mas ainda assim

não é como eu quero que seja

ele é meu Mason. Se este for o único momento que eu terei com ele,

eu toda inábil e constrangida.

"Da-yum! Vocês dois realmente têm algum tipo de coisa acontecendo, não é? Talvez ele a tenha reconhecido."

Meu coração cai em meus sapatos. "Deus, Chris, não diga uma coisa dessas!"

"Acalme-se, acalme-se. Você sabe que não é nem mesmo uma possibilidade remota. O que eu realmente estou supondo, porém, é o fato de que ele está atraído por ambas. Talvez ele seja o homem que pode ver além a superfície", diz ela, deixando cair sua voz em um tom suave, mística. "Talvez ele possa romper seus limites, curar todas as suas feridas, banir toda as suas inseguranças."

"Pare com isso, sua idiota. Isto não é uma comédia romântica".

"Não, sua vida é definitivamente um drama! Escura, torcida."

30

Eu não digo nada ao seu comentário. Minha mente está ainda firmemente no homem parado em algum lugar atrás de mim. Não até Chris começar a surtar que eu tenho ideia que algo está acontecendo.

"Ohmeudeus, Ohmeudeus, Ohmeudeus", ela sibila por entre os lábios que quase não se movem. "Ele está vindo para cá!"

Eu congelo. Eu não movo um único músculo. Acabei de olhar para os olhos arregalados de Chris quando uma forma aparece à minha direita. Lentamente, eu viro minha cabeça e olho para cima, encarando os olhos mais incríveis que eu já vi na vida real. Eu os vejo na minha cabeça o tempo todo. E eu os vi de longe ontem. Nenhuma quantidade de exposição poderia ter me preparado para a realidade deles de perto.

Eles são como gotas de limão fresco com um toque de creme de leite quente.

Ele olha para além de mim e acena para Chris antes de seus olhos voltarem aos meus. Ele inclina a cabeça ligeiramente para o lado, quando ele me observa. Ainda assim, ele não disse uma palavra. Ainda assim, meu pulso está acelerado fora de controle.

"Podemos ajudá-lo?", diz Chris do outro lado da mesa. Eu posso ouvir o sorriso em sua

voz.

Ele não responde por vários longos segundos.

"Eu conheço você." É uma afirmação, não uma pergunta.

A voz dentro da minha cabeça, que eu só ouço quando estou escrevendo, clama enfaticamente. Sim, sim, sim! Você me conhece por dentro e por fora! Assim como eu conheço você.

Mas eu calo-a. Ele não me conhece. Ele não poderia. E eu não poderia conhecê-lo. Mesmo que ele pareça e, até agora, aja exatamente como o homem que surgiu do núcleo da minha imaginação, dos meus desejos mais sombrios e medos mais profundos, eu não posso me deixar esquecer que ele não é Mason Strait.

"Não", eu respondo.

31

Ele fica em silêncio novamente, sua contínua análise me fazendo ficar sem fôlego. Finalmente seus olhos se estreitam para mim. "Eu quero".

cada vez mais

Eu não sei o que dizer. Eu quero conhecê-lo também. De um modo. Mas de certa forma, fico com a sensação de que um homem como este poderia ser o meu fim, o fim da minha vida como eu conheço. Eu escrevo sobre o amor frustrante todo dia, sobre pessoas que precisam tão profundamente e sentem tão apaixonadamente que o seu mundo desmorona ao seu redor. Eu seria louca de correr o risco com algo parecido.

Mas eu também seria louca se não vivesse isso. Tão certo como estou sentada aqui, eu sei que eu me arrependeria para sempre se eu não dissesse sim a este homem. Pelo menos uma vez.

"Seu silêncio significa por favor faça", Chris gorjeia feliz.

Eu assisto um franzir de testa novamente. Ela transmite tanto quando ele faz isso. É sarcástico. É diabólico. É arrogante. É um desafio.

Ele está me desafiando.

"Você nunca conheceu um homem como eu."

Sua voz é suave, como caramelo rico, derramando sobre a minha pele, escorrendo em cada fenda, invadindo cada célula.

A minha resposta é a mesma. "Não." Eu não o conheço, fora da minha cabeça.

"Talvez você possa dizer à ela tudo sobre isso hoje à noite em uma festa beneficente black-tie em prol das Doenças Neurológicas Infantis" Chris acrescenta. "Oito horas".

Nenhum de nós dois olhou para ela desde que seus olhos voltaram aos meus.

"Você é corajosa o suficiente?", ele pergunta. Diria que ele não sabe o quanto ele me assusta, mas eu acho que ele sabe. Eu também acho que ele sabe o quanto ele me excita. "Dê-me seu telefone."

Com as mãos trêmulas, eu pego a minha bolsa, alcanço o meu telefone.

32

Ele tira de mim, seus dedos escovam os meus, seus olhos vendo através de mim.

Quando ele move a sua atenção para o retângulo preto, eu me sinto um pouco liberada de seu feitiço. Minha mente girando com o mesmo pensamento, uma e mais uma vez.

Isso está realmente acontecendo? Isso está realmente acontecendo?

Eu me sinto como Daire novamente. Estou presa em uma teia de aranha. Eu sinto o calor. Sinto o perigo. Mas, ainda assim, no entanto, eu estou cativada pela aranha.

Depois de alguns segundos, ele me dá o telefone. "Alec Brand", ele disse calmamente. "E você é?"

"Samantha Jansen."

"Eu vou buscá-la às sete, Samantha Jansen."

Ele começa a se mover para fora, mas eu impeço-o.

"Não seria bom se você tivesse o meu endereço?"

"Eu vou encontrá-la", ele responde antes de se virar e ir embora.

33

Capítulo 6

Alec

Mesmo depois de ir para casa me trocar, lutar contra o tráfego e passar um longo dia no escritório, eu ainda estou pensando nela. Eu sei que não deveria ter me aproximado dela esta manhã. Só isso já era como dar vários passos para trás no meu progresso. Eu sei que seria melhor não envolver uma mulher como ela nos destroços da minha vida.

Mas eu não poderia evitar.

Se eu fosse metade do homem que eu deveria ser, eu ficaria longe dela. Eu não apareceria esta noite. Eu não ligaria para ela, eu não a procuraria. Eu apenas desapareceria.

Mas eu não sou o homem que eu deveria ser. Ainda. Minhas fraquezas ainda tiravam o melhor de mim agora e depois. E essa vontade. Eu sei que não há nenhum ponto tentando resistir.

Eu já tenho o cheiro dela. Ela está no meu sangue e eu sei que há apenas um caminho para tirá-la.

Eu sei como isso acontecerá. É doentio eu ter tanto prazer em pensar nisso. Não é a devastação final que me excita. Eu me sinto culpado por não ser capaz de amar e me comprometer com uma mulher como elas querem e precisam. Mas elas sabem como eu sou. Eu nunca enganei nenhuma delas.

Não, é a inocência de uma mulher como Samantha Jansen que me excita.

Apresentá-la a coisas novas, observando seu corpo voltar à vida, mostrando-lhe quão bom eu posso fazê-la se sentir, fazer coisas com as quais ela nunca pensou que iria concordar, e muito menos desejar.

E ela vai ansiar. Assim como eu posso ver a inocência em seus olhos, eu também posso ver a criatura sensual implorando para ser liberada.

34

E eu vou ter certeza que estarei por perto apenas o tempo suficiente para ajudá-la com

isso.

35

Capítulo 7

Samantha

Eu me sinto como uma idiota. Estou em pé na frente do espelho, certificando-me de que tudo parece tão bom como eu posso estar, à espera de um cara que provavelmente nunca aparecerá.

Deixei Chris entrar na minha cabeça. Ela tem uma tendência para explodir as coisas do forma proporcional. Como hoje, por exemplo. Ela fez parecer que havia fogos de artifício saindo sobre nossas cabeças. Com certeza, no momento, parecia que havia. Mas agora, em retrospecto, quando penso nele - Alec Brand - do que um homem como ele, provavelmente, gosta em uma mulher, com o que ele está acostumado, eu acho que Chris e eu estávamos ambas extremamente enganadas. Não há nenhuma maneira de que ele estaria interessado em alguém como eu. Ele deveria estar apenas passando o tempo no café.

Provavelmente ele dá um fora em mulheres impressionadas que ficam sem palavras.

Eu penso comigo mesma que Mason não é assim. Então eu mentalmente bato no meu próprio rosto.

Sai dessa! Ele não é Mason. Mason Strait não é real!

Com um suspiro de resignação, eu verifico meu telefone mais uma vez. Ainda nenhuma palavra. Nenhuma chamada. Nenhum texto. Nada. Ele definitivamente não está chegando.

Respirando fundo, eu corro meus dedos através dos meus cachos soltos e me dou um último olhar avaliador. Meus olhos estão cercados com sombra esfumaçada que combina com

o vestido discreto e macio que estou usando. A cor realça o cinza dos meus olhos e o vermelho

escuro do meu cabelo. Hoje à noite, ele cai em cascatas pelas minhas costas. Abaixo disso está

a pele pálida exposta até a minha cintura.

Eu mordo meu lábio pintado. Eu nunca tinha comprado, muito menos usado um vestido

acessível. Contudo, não

como esse antes. Não é nada que Laura Drake usaria; é muito sexy e

36

é nada que Samantha Jansen usaria também. É corajoso e ousado, colorido e confiante, adjetivos que não se aplicam a mim. Aplicam-se a Chris, no entanto, e eu tenho que agradecê-la pelo vestido.

Agarrando a bolsa combinando de minha penteadeira, coloquei alguns itens essenciais dentro dela, apaguei a luz e fui para a sala de estar. Não adianta adiar o inevitável. Minha mãe vai ter que superar o fato quando eu vou aparecer sozinha.

Novamente.

Eu desvio para a cozinha para me certificar que Jinx tem água antes de eu pegar minhas chaves e caminhar para a porta. Eu a abri, nunca esperando ver Alec Brand do outro lado da mesma.

No entanto, ele estava.

Assustada, eu suspiro.

"Algo errado?", ele pergunta em sua profunda voz, com uma sobrancelha curvando-se novamente.

Eu quero dizer que nada está errado, que nada no mundo inteiro está errado. Que nada nunca esteve mais certo. Mas eu não falo. Em vez disso, eu olho-o. Bebo-o. Ele desce tão suave!

Eles dizem que a roupa faz o homem. Eu posso honestamente dizer que, neste caso, o homem faz as roupas.

Alec está vestindo um smoking. Não é nada especial, mas se transforma facilmente de um terno preto liso e uma camisa branca em algo mais, algo arrojado e jovial. Algo perigoso. Muito, muito perigoso.

"Se você vai olhar para mim desse jeito, talvez seja necessário avisá-la sobre mim", ele diz, dando um passo em minha direção. Instintivamente, eu recuei. Um canto de sua boca subiu em um sorriso irônico. "Ou talvez você já saiba."

"Eu-eu não sei o que quer dizer," eu consigo espremer calmamente sobre as

37

batidas do

meu coração.

"Eu não sou o tipo morno e distorcido, Samantha. Não é minha intenção fazer você sentir amor. Eu não tenho esse tipo de emoção em mim. Mas há outras coisas que eu posso lhe dar, outras coisas que eu posso fazer você sentir. Realmente sentir." Seus olhos estão semicerrados quando ele olha para mim. Dá mais um passo para a frente. Desta vez, eu não me afasto. "Excitação", diz ele. Quando seus olhos encontram os meus, eu sinto que ele está fazendo a mesma coisa comigo me enrolando em torno de seu dedo. "Antecipação. Desejo. Calor. Posso fazer você se sentir muito, muito quente."

Como se só suas palavras pudessem evocar a sensação, sinto sangue quente correr para

a superfície da minha pele e uma umidade na parte mais baixa da minha barriga.

"Você pode até sentir um pouco de medo", ele continua suavemente. "Mesmo que ainda possa ser intoxicante em sua própria maneira."

Estou fascinada por suas palavras, pega de surpresa por sua honestidade. Estou surpresa

e estou com um pouco de medo. Mas eu também estou ligada. Eu senti-o em meus ossos, assim como eu sinto que haverá uma parte de mim que vai viver para se arrepender.

"Mas não hoje à noite", diz ele, afastando-se de mim, dando-me espaço para respirar, como se ele soubesse que eu não estava fazendo isso. Mas, mesmo com mais espaço entre nós,

eu ainda estou sem fôlego. Tenho a sensação de que vai ser sempre assim em sua presença. A questão é: Quanto tempo posso sobreviver sem ar? "Hoje à noite é o seu passe livre. Só sei que

a próxima vez que você olhar para mim dessa maneira, eu vou me sentir obrigado a fazer algo sobre isso." Alec caminha até a porta e abre-a, varrendo seu braço na frente dele, me perguntando casualmente, como se ele não tivesse soltado aquela bomba em mim, “Vamos, Samantha? "

Essa pergunta é cheia de muito mais do que apenas o pedido para segui-lo até a porta ou para a festa. Ele está me convidando para seu mundo, para o lugar que ele descreveu. Um lugar de emoção e antecipação, tanto que eu já posso sentir. E medo. E eu já posso sentir um pouco disso, também.

Eu sei que eu deveria hesitar sobre a minha resposta. Mas eu não hesito. Em vez disso, com as pernas dormentes e com borboletas no estômago, eu caminho em direção a ele.

38

Eu paro na frente dele. Meus olhos se prendem aos dele.

Eu não digo nada. Mas eu realmente não preciso. Eu suponho que minha ação fale mais alto. Alec entende. Sei disso quando ele se inclina para frente apenas o suficiente para sussurrar em meu ouvido: "Eu espero que ainda seja esta a sua resposta amanhã".

Eu não respondo. Eu sei que ele não espera. Eu simplesmente o deixo me levar da sala. Guiar-me. Apesar do risco, eu não posso deixar de ir com ele. Eu não posso deixar de ver, de sentir, de tentar.

Mason toma a mulher, curvando- se sobre ela, sua mão deslizando pelo espaço reluzente entre seus seios. Seus dedos longos afunilam em toda a largura do pescoço, as pontas descansam ao longo de seu queixo. O peito dela sobe e desce com emoção quando ele inclina a cabeça dela para um lado, expondo a artéria pulsante.

E então, enquanto eu vejo através da pequena abertura de seus lábios, ele descobre seus afiados, dentes mortais.

Como Daire, eu vejo as presas. Eu sinto o perigo.

E isso não faz nenhuma diferença.

39

Capítulo 8

Alec

O local onde o evento beneficente está sendo realizado não é longe do condomínio de Samantha. Eu já havia sido convidado para ele, na verdade. Trabalhamos com vários grandes hospitais em toda Georgia e Carolina do Norte. Carolina do Sul também. Não é surpreendente eles me convidarem. Se eu soubesse que alguém como Samantha estaria lá, eu teria feito um

esforço

para ir.

Ou talvez eu tenha encontrado uma boa razão para ficar longe, uma razão melhor do que apenas o fato de que eu deveria.

Ela fica calma todo o caminho até lá. Eu sei o que ela está pensando. Ela está se perguntando por que ela concordou com um pacto com o diabo. Ela pode estar reconsiderando. Mas ela não vai mudar de ideia. Conheço um monte de mulheres como ela. Ela vai com isso até o fim. A curiosidade vai levar a melhor sobre ela. E então, no final, eu levarei.

Eu não deveria estar ansioso por isso. Eu deveria vê-lo como um fracasso. Tem sido um

longo tempo desde que eu estive na minha

predileção.

De certa forma, a culpa é uma coisa boa. Significa que eu ainda estou em recuperação, que eu tenho conseguido colocar algumas coisas em perspectiva. Mas o fato que eu esteja fazendo isso de qualquer maneira significa que eu ainda tenho um longo caminho pela frente.

Talvez depois deste tempo, talvez depois de eu tirá-la do meu sistema, posso fazer mais algum avanço.

Talvez.

40

Capítulo 9

Samantha

O manobrista se afasta do meio-fio com o Range Rover preto e lustroso de Alec, deixando-nos de pé sozinhos na calçada. Chegamos com tempo de sobra. Este evento não começa oficialmente até às oito. Mas a maioria das pessoas chegou cedo para se misturar. Sem dúvida, o interior está cheio.

Meu estômago se contorce em um nó quando Alec me oferece seu braço. Seus olhos fazem furos nos meus. Eu me pergunto se ele é sempre tão intenso. Estendo a mão e enrolo meus dedos em torno de seu bíceps. Ele flexiona sob o meu toque, apertando e me fazendo tremer. Ele está em condição física excelente, como eu sabia que ele estaria. Eu vi todos os centímetros dele na minha cabeça, só que, até agora, eu o chamava de Mason. Eu estaria disposta a apostar que Alec é igualmente bonito. Como um déjà vu, eu me lembro palavras escritas nas páginas de um livro. Meu livro. Só que agora Mason parece muito, muito real.

A pele suave bronzeada de Mason brilha na pouca luz. Através do vidro claro da porta do box do chuveiro, eu posso vê-lo perfeitamente, os músculos formados em seus braços se movem e mudam quando ele arrasta o sabonete sobre seu peito. Eu sou a empregada. Eu não deveria estar olhando-o dessa maneira, mas eu não consigo evitar. Eu não consigo fazer meus pés me levarem para longe da porta.

Esta não é a primeira vez que eu o vi no chuveiro. Ou deitada nu na cama. Ou adorando um corpo de mulher sem nome e sem rosto com seus lábios e com suas mãos e seu corpo. Mais do que nunca, eu queria estar embaixo dele. Mas mais do que nunca, eu sei que ele não deixaria senão destroços em seu rastro. Ele é demais para uma garota como eu.

Ainda assim, se ele virasse aqueles conhecidos olhos verdes para mim em um convite, eu sei qual seria minha resposta.

Mais uma vez, sou forçada a me lembrar que este não é Mason, que não é o Mason real. E isso é provavelmente uma coisa boa. Mason quebra corações. Ele não pode evitar. Isso é o

41

que as pessoas quebradas fazem.

Eu sinto falta de ar e tonturas quando entramos pelas portas para o foyer enfeitado do salão. Meu passo vacila e eu aperto o braço de Alec para manter meu equilíbrio. Ele olha para mim, como se fosse questionar, mas então sua expressão muda.

Ele olha com curiosidade em meus olhos antes de analisar meu rosto. "Você está corando", afirma. Há uma longa pausa antes de ele continuar. "Talvez amanhã você possa me mostrar o que você estava pensando."

Ele continua olhando por alguns segundos mais antes que ele me convide para uma caminhada lenta ao seu lado. "Sorria", diz ele quando nós entramos no salão principal. "Ou as pessoas vão achar que você está fazendo algo que você não deveria."

Eu olho para ele para julgar a sua expressão, mas eu só vejo o perfil dele.

Como ele faz isso?

É como se ele estivesse dentro da minha cabeça.

Bem como sob a minha pele.

Seguindo a sugestão de Alec, eu fixo um sorriso em meu rosto e olho casualmente ao redor da sala. Duvido que alguém aqui ache que eu estou querendo saber como eu cheguei até aqui. E eu não quero dizer "aqui", neste endereço. Eu quero dizer "aqui" envolvida com um homem que acabei de conhecer.

Só que não me sinto como se nós tivéssemos acabado de nos conhecer. Me sinto como se eu o conhecesse a mais tempo, como se eu o conhecesse intimamente.

Fico aliviada quando localizo Chris através do mar de patronos glamurosamente vestidos. Em poucos segundos, ela olha para cima e me vê também. Eu vejo quando ela se desculpa com o casal com quem ela está falando e caminha em nossa direção.

Enquanto ela se aproxima, eu tenho um momento de insegurança por estar disfarçada como algo que eu não sou - uma linda e confiante mulher. Como Chris.

42

Ela é como uma modelo de capa ganhando vida em um invólucro escarlate que realça sua pele dourada e seu cabelo platinado. Ela é exatamente o tipo de acompanhante que se esperaria ver com um homem como Alec Brand. Eu não sou nada mais do que uma impostora. Uma insignificante em um traje adequado. Mas certamente ninguém está sendo enganado. Certamente, eles podem ver o meu verdadeiro eu.

Eu olho para Alec pelo canto do meu olho. Seu rosto não diz nada.

"Você está aqui", diz Chris entusiasticamente quando ela desliza para o meu lado.

"É claro", eu digo, como se não houvesse dúvida, absolutamente.

"Você diz isso como se fosse óbvio que você estaria aqui. "

"Não era?"

Chris revira os olhos. "Será que estamos mesmo falando sobre a mesma pessoa?"

"Onde está a mamãe?" pergunto, redirecionando-a.

Chris ergue seu pescoço, olhando na direção do centro da sala. "Oh, ela está em algum lugar por aqui. Você sabe que ela vai encontrá-la daqui a pouco. Aquela mulher tem um sexto sentido."

"Nem me fale", murmuro.

Chris finalmente se vira de volta para mim, então ela pisca os olhos para Alec. Seu sorriso é brilhante, como se só agora percebesse que ele está comigo. "Sinto muito. Eu sou tão rude! Chris, Chris Wells, a irmã de Sam".

"Chris e Sam?" ele dirige sua pergunta a mim, franzindo a testa novamente. Eu estou começando a amar esse gesto. Diz muito sem ele ter que realmente dizer uma coisa. Ele volta-se para Chris. "Alec Brand", diz ele, inclinando a cabeça ligeiramente. A ação é quase suntuosa. Combina com ele, fazendo-me pensar sobre a sua vida. Eu nem sequer tinha pensado nisso. E não é como se eu não me importasse; eu estou incrivelmente curiosa sobre a vida real de Mason. É que, até agora, o meu cérebro parece ter parado de trabalhar quando ele está ao redor.

43

"Sim, eu me lembro",

Chris responde, ainda com um largo sorriso.

Alec concorda. "Ah, o café. Certo", diz ele, com um sorriso que simplesmente curva seus lábios. Agradável ainda que brando. Eu me sinto um pouco emocionada por ele não estar flertando e não parece estar instantaneamente apaixonado por ela como a maioria dos homens. A maioria deles perdem completamente o juízo quando ela sorri.

Mas não Alec. Na verdade, ele parece quase alheio à sua beleza e charme, um fato que me faz gostar muito mais dele. Também me deixa muito mais intrigada.

Me pergunto por que ele não parece surpreso com a falta de semelhança entre nós. Nossa cor, nossas feições, nossa constituição - nada é meramente semelhante. Nós não poderíamos ser mais diferentes. Ele não parece ter notado, e se o fez, não deve pensar nada sobre isso. Vai ser interessante ver se ele ficará igualmente indiferente sobre as diferenças entre mim e meus pais.

"Uma bebida?" pergunta Alec.

"Sim, por favor. Eu quero rum e Coca-Cola."

Ele acena com a cabeça uma vez e se vira para Chris. "Será que você gostaria de reabastecer? "

"Rum e Coca para mim também, por favor" Chris diz, segurando seu copo meio vazio.

Com outro aceno, ele se afasta em direção ao bar. Eu seguro meu lábio inferior com os dentes, quando eu vejo-o ir.

"O que é isso? O que há de errado?" Chris pergunta. "Você está tentando encontrar uma maneira de sabotar a si mesma, como você sempre faz? "

Faço uma careta para ela. "Eu não me saboto."

"Sim, você faz. Você deixa seu passado estragar seu presente o tempo todo!"

"Não, eu não faço."

Chris balança a cabeça. "Vamos ver."

44

deficiências,

isso não significa que eu esteja deixando meu passado estragar o meu presente. Significa,

simplesmente, que eu posso usar a sabedoria e a discrição."

"Só porque eu prefiro não me sujeitar ou qualquer outra pessoa a certas

"Bem, eu estou contente que, no momento, você está deixando de fora a 'sabedoria e a discrição".

Eu olho para Alec novamente. Ele está caminhando de volta em direção a nós com duas bebidas em uma mão grande e uma na outra.

"Cara, eu sempre faço", eu digo baixinho.

"Bem", Chris começa, pegando uma das bebidas de Alec quando ele estende em direção a ela. "Eu suponho que eu deveria ir resgatar Greg. Ele foi capturado e atualmente está sendo mantido contra sua vontade." Ela inclina a cabeça para indicar um grupo de senhoras idosas de cabelo azul circundando um Greg bonito loiro do outro lado da sala. "Você não sabe que ele tem alguns poderosos feromônios para penetrar nesse tipo de teia de aranha?"

Eu sorrio. Eu já há muito tempo desisti de tentar coibir os comentários coloridos de

Chris.

Ela se vira para Alec. "Foi ótimo vê-lo novamente, Alec."

"O prazer foi meu", diz ele educadamente.

"Espero vê-lo novamente", acrescenta incisivamente. Eu sinto meu rosto em chamas. "Você sabe, Sam aqui é muito irresistível. "

Oh Deus, oh Deus, oh Deus!

Prendo a respiração, esperando que ela pare por aí. Chris tem o péssimo hábito de me envergonhar.

Alec olha para mim, sua expressão insondável. "Eu também penso assim."

O rosto de Chris divide-se em um largo sorriso. Seus olhos piscam para mim e eu sei o que ela está pensando. Eu espero ansiosamente, rezando que ela segure sua língua.

45

"Bem", ela começa. Meu coração para. "Eu vou bancar a heroína." Chris pisca para mim e eu exalo.

Crise evitada.

Quando ela vai embora, Alec se volta para mim. "O que você achava que ela ia dizer?"

"Perdão?"

"Você segurou a respiração. O que você achava que ela ia dizer?"

Eu gaguejo por um momento, um pouco desconcertada com sua perspicácia. Isso me deixa um pouco emocionada por ele estar prestando tanta atenção em mim que ele pode até me ouvir respirar. "Eu, uh, ela, hum. Com Chris, é difícil dizer."

"Você estava com medo que ela divulgasse algum profundo e escuro segredo?"

Eu diria que eu não tenho nenhum, mas eu estaria mentindo. E eu sou uma péssima mentirosa. Em vez disso, eu preferi o silêncio.

"Uma mulher com segredos. Estou ainda mais intrigado", diz ele em voz baixa, com os olhos caindo dos meus olhos para a minha boca. "Talvez eu possa fazer a minha magia nesses seus lábios, fazê-los abrirem um pouco."

Meus lábios formigaram como se ele realmente estivesse tocando-os. Ou beijando-os.

"Alec Brand", chamou uma voz da direita, quebrando o encanto do momento. “Fico feliz que você pode vir."

"Fico feliz que você pode vir?" Ele tinha sido convidado?

Um homem urso de cabelos brancos para diante de nós, apertando uma mão carnuda no ombro de Alec e agarrando sua mão com a outra. O peito do homem é roliço e seu rosto é vermelho como se ele bufasse sem fôlego. Ele se parece com um anúncio de ataque cardíaco.

"Dr. Simmons, é bom ver você. "

Dr. Simmons sorriu e chacoalhou a mão de Alec, seus olhos vagando e parando sobre

46

mim. Eles brilham com malícia.

"Ah, agora eu vejo qual o truque para trazer o esquivo Sr. Brand para a noite. Coloque uma bela mulher em seus braços. "

"O que não faz um homem por uma noite com uma mulher bonita? "Alec disse amigavelmente, sorrindo maliciosamente para o médico.

"Uma boa pergunta, meu filho." O médico ri com vontade, como se Alec tivesse dito uma grande piada.

“Dr. Simmons, conheça a Sra. Samantha Jansen. "

"É um prazer, minha querida."

Eu sorrio educadamente e aceno. "Senhor".

O Dr. Simmons se volta para Alec. "Ajuda com o tédio, estou certo? "Ele bate o cotovelo nas costelas de Alec e ri uma desordenada risada ruidosa novamente. "Eu tenho certeza de que você tem a sua quota destas coisas, com o seu pai estando no ramo".

Alec acena com a cabeça, mas não diz nada. Espero ansiosamente o bom médico para revelar outro boato sobre Alec Brand. Quando ele não faz, eu faço um inquérito, tentando manter-me o mais leve e despreocupada possível.

"Seu pai é médico?" eu pergunto.

Antes de Alec pode responder, Dr. Simmons interrompe. "Oh sim. Um das mentes mais brilhantes no campo".

Concordo

com

a

cabeça,

colocando

o

pequeno

pedaço

de

informações

no

lamentavelmente vazio arquivo mental chamado Alec Brand.

"Foi um prazer vê-lo novamente, Dr. Simmons ", diz Alec abruptamente quando ele coloca a mão na parte baixa das costas dela. "Samantha, vamos?"

Estou intrigada com a sua resposta breve ao Dr. Simmons. Confusa, mas muito curiosa. Será que ele não quer o seu parceiro de negócios dando mais detalhes da sua vida? Será que ele

47

não gosta dele por algum motivo? Por que a partida apressada?

Ao invés de fazer qualquer pergunta, eu aceno com a cabeça e sorrio educadamente para o Dr. Simmons.

"Foi um prazer conhecê-lo, senhor."

"Da mesma forma", diz ele com sua voz rouca, parecendo um pouco mais suave agora. Se tivesse que adivinhar, Dr. Simmons está, provavelmente, acostumado com as pessoas sugando coisas dele. Embora Alec fosse educado, ele certamente não estava indevidamente impressionado ou muito interessado em conversar mais com o médico. Apenas uma outra faceta da personalidade de Alec que me faz lembrar de Mason.

Pare de fazer isso, eu me repreendo quando Alec me guia na direção oposta.

Eu estou distraída com a voz na minha cabeça, portanto, a pergunta sai antes que eu possa pará-la." Então seu pai é médico?"

"Sim", ele responde.

"Estou surpresa que eu não vi você antes então. Meu pai é

neurocirurgião".

Alec nem

sequer olhou

para mim

quando

ele responde.

Ele

apenas

continua

movendo-nos no meio da multidão, suas respostas ainda curtas e recortadas.

"Meu pai está na costa oeste."

"Oh. Então você não é daqui?"

"Não."

"Mas você trabalha aqui agora, né?"

"Eu tenho um escritório aqui, sim."

"Que tipo de escritório?"

"Consultoria".

48

Ele não hesita em dar-me a resposta, então eu não tenho dúvida de que isso é verdade. Mas isso só serve para gerar mais perguntas.

Consultoria? Que tipo de consultoria? Deve haver algo no campo da medicina para ele estar em um evento como esse. Isso ou ele é uma espécie de mega doador rico. Isso não está totalmente fora de questão, considerando que ele veste um smoking sob medida e ele dirige um Range Rover.

As perguntas continuam chegando, mas pelo menos elas ficam dentro da minha cabeça. Tenho a sensação pelo conjunto firme de sua boca que ele não está gostando do meu interrogatório tanto como eu estou.

"Que tip

"

Alec faz de uma parada brusca e vira para mim.

"Isso realmente não é necessário, você sabe."

"O que não é necessário?"

"Saber cada detalhe da vida um do outro. Eu já sei tudo o que preciso saber sobre você, para o que eu tenho em mente. Eu não quero que você fique confusa sobre o que vai acontecer entre nós." Eu estou desapontada que ele não queira me conhecer e não queira que eu saiba mais sobre ele, mas eu não tenho tempo para considerar isso antes que ele dê um passo em minha direção. "As coisas que eu vou fazer com você, as coisas que eu vou mostrar para você não tem nada a ver com o seu trabalho ou sua família ou onde você gasta o seu tempo. É apenas sobre você. E eu. E todo o prazer que podemos dar um ao outro."

Há fogo em seus olhos. E fogo em meu ventre. Não há como negar que ele acende uma reação em mim.

Além da excitação que sinto, no entanto, há medo e desconforto. Ansiedade. Sim, eu sinto um nervosismo sobre entrar no desconhecido, mas também sinto um velho, familiar medo arranhando seu caminho para cima, o medo de que isso vá acabar como todos os outros de maneira ruim.

Mas não é tarde demais. Eu posso parar. Eu posso me poupar da dor e da humilhação,

49

da devastação da minha realidade. Tudo o que tenho a fazer é me afastar desse homem, o que eu vejo em seus olhos.

Parece tão simples. E isso poderia ser. Se fosse qualquer um, fora Mason. Meu Mason, vindo à vida. Se é a decisão certa ou a decisão saudável para mim ainda não se sabe. Talvez isso poderia ser um grande avanço. Talvez isso poderia ser um revés. Eu não tenho nenhuma maneira de saber.

Talvez

essa

seja

uma

pergunta

para

alguém

que

é

pago

para

ver

as

coisas

objetivamente.

Pela primeira vez desde que Chris me importunou com a terapia, eu estou vendo um possível uso para o aconselhamento de um profissional.

"Eu não estou tentando te assustar. Eu só quero que você entre nesta com a impressão certa. Eu vou fazer tudo ao meu alcance para ter certeza que não me arrependo ", diz ele sinceramente quando ele se aproxima até a tomar um cacho do meu ombro. Ele leva para seu nariz e inala antes de ele coloca-lo contra meu peito, as costas dos dedos mal escovando a curva do meu seio. Calafrios abatem em meu braço e meu mamilo se contrai, um voto silencioso em nome do meu corpo. "E acredite em mim quando eu digo, eu sou um homem muito determinado."

Eu tinha quase esquecido o resto da sala quando uma voz familiar chama meu nome em algum lugar sobre o meu ombro esquerdo. Eu volto-me para a mulher que eu considero ser minha verdadeira mãe.

Seu sorriso é rápido e brilhante em seu rosto moreno, e seus olhos castanhos escuros estão amplos, com prazer. "Samantha! Eu sabia que você viria." Eu vejo seus olhos em Alec antes de ela beijar meu rosto e abraçar-me. Ela sussurra em meu ouvido, "Estou tão feliz que você não está sozinha, baby." Quando ela se inclina para trás, ela pisca para mim e, em seguida, volta sua atenção para Alec.

"Quem é seu amigo?"

"Mãe, esse é Alec Brand. Alec, esta é minha mãe, Deandra Johnson."

50

"Minha senhora, é um prazer", diz com Alec com um aceno de cabeça, seu sorriso acolhedor e educado.

"O prazer é todo meu", diz mamãe.

Seu sotaque do Sul é evidente no R arrastado, fazendo com que o som da palavra pareça prazerrr’, e o fato de que cada palavra ter duas vezes o seu comprimento normal.

"Sammy" Papai diz um passo atrás da minha mãe adotiva, interrompendo a conversa. "Aqui está a minha menina."

Ele chega perto para me envolver em seus braços, braços que parecem encolher cada vez que eu o vejo. Eu sinto uma pontada nas proximidades de meu coração. É tão difícil de assistir a idade reclamá-lo.

"Pai, eu gostaria que você conhecesse Alec Brand," eu digo quando ele me libera. "Alec, este é meu pai, Andre Johnson."

Alec estende a mão. "É um prazer conhecê-los", diz Alec, balançando a mão do meu pai e acenando para a minha mãe. "Eu estou familiarizado com o seu trabalho, senhor. Sua reputação precede-o."

Eu vejo como os dois homens discretamente se avaliam. Eu não estou surpresa ao descobrir que Alec está impressionado com o meu pai, a maioria as pessoas fica. O que me surpreende é o seu nível de conforto com ele. Estou começando a achar que Alec nunca se intimida, que ele está acostumado a fazer com que todos se intimidem com ele.

Ao longo dessa linha, o que mais me surpreende é o olhar de respeito e aprovação que vejo no envelhecido rosto marrom escuro do meu pai. Sendo ele sempre um homem extremamente gentil e educado, eu não vejo frequentemente ele realmente impressionado. No entanto, parece que em dois minutos, Alec conseguiu isso. Isso só o faz muito mais atraente, e ele já é perigosamente fascinante para mim.

"O que é que você faz, Sr. Brand?"

Papai pergunta com curiosidade. Parece que Alec pode afundar suas garras em praticamente qualquer pessoa com facilidade.

51

"Eu tenho uma empresa de consultoria em Atlanta com um escritório aqui em Charleston. Trabalhamos com hospitais em toda a Geórgia, bem como na Carolina do Norte e do Sul".

Papai acena em aprovação. "O que é que

"

As luzes se apagam, cortando-lhe a pergunta. Um foco de luz acompanha o guincho de um microfone e todo mundo se volta para o palco colocado na parte da frente da sala.

"Quantos de vocês gostariam de ouvir o nosso convidado de honra?" o cara com o microfone diz. Embora eu tenha visto ele em um ou dois desses eventos, não posso me lembrar do nome dele. Ele é apenas esse tipo de cara - meigo e completamente esquecível.

"Você vai ter que me desculpar. Foi bom conhecê-lo, Sr. Brand", diz meu pai. Eles apertam as mãos novamente e meu pai acena para mamãe e ela o segue para a frente da sala. Ele sempre a menciona de alguma forma em seus discursos, de modo que ele gosta que ela esteja por perto para receber seu devido crédito.

Eu volto meu rosto para o palco, vendo os meus pais quando eles assumem suas posições. Embora a minha atenção pareça focada neles, estou quase inteiramente concentrada em Alec, como tem sido a noite toda. É como se houvesse uma corda invisível esticada entre nós, e cada vez que ele se move ou mesmo se mexe, eu posso sentir um puxão na corda.

Estou super ciente de Alec se movendo para ficar ao meu lado. Seu ombro direito está por trás do meu esquerdo, perto o suficiente para que eu possa sentir o tecido de seu smoking roçar minha pele. Ele traz a mão para as minhas costas.

Eu pretendo ouvir o meu pai, porém, em realidade, tudo em que posso pensar é na mão de Alec traçando a borda do meu vestido ao longo da minha cintura.

Ele para, como se sentisse o meu pensamento. Eu exalo o ar que eu nem sabia que tinha

retido.

Ele se aproxima e enfia o meu cabelo atrás da minha orelha. Seus dedos tocam meu pescoço e ombro, quando ele arrasta sua mão. Calafrios se espalham por todo meu peito e nas minhas costas.

52

"Eu não acho que disse a você o quão bonita você parece hoje à noite", diz ele baixinho na minha orelha. "Mas eu queria." Eu não digo nada. Ele escova as costas dos dedos para baixo na parte superior do meu braço. Eu estou perfeitamente imóvel, com medo de me mover. "Sua pele parece pêssego e creme, e eu estaria disposto a apostar que seu gosto é doce."

O calor flui através de mim com suas palavras. Ele está me seduzindo. Um verdadeiro estranho, está me seduzindo só com palavras. E quero que ele o faça. Eu sei que deveria me opor. Eu deveria me sentir moralmente ofendida, talvez mesmo gravemente insultada. Mas eu não me sinto. Sinto só desejo e expectativa, e uma força inexplicável me puxando para ele.

Eu me viro para Alec. Ele olha para mim, seus olhos procurando os meus.

Labaredas de calor entre nós. O ruído ambiente sumiu atrás do baque forte do meu coração. Minha pele fica avermelhada e úmida. Minhas pernas estão pesadas e fracas.

Neste momento, mais uma vez, sou Daire Kirby. Eu sinto sua luta como se fosse a minha própria. Porque é ele.

Eu sinto seu forte desejo de explorar o que há entre ela e Mason. Eu sinto seu medo do que poderia acontecer se ele descobrir a verdadeira Daire. Eu sinto seu desespero para conhecê-lo, embora exista o risco de que isso possa destruí-la. E mais do que nunca, eu entendo como ela pode estar tão perdida para tudo, exceto para Mason, como ela pode ignorar o bom senso e os sinais de alerta por apenas ficar mais um minuto em sua presença.

Alec está tão perto, eu posso sentir o calor do seu peito irradiando para os meus seios, como o calor do sol. Seus lábios são firmes, sua mandíbula é definida, e, no escuro da sala, seus olhos são lascas cintilantes de ônix.

De todas as coisas que eu espero e suspeito, medo e antecipação, há uma coisa que eu sei com certeza quando olho para os olhos deste homem.

Estou em apuros.

Sérios apuros.

53

Capítulo 10

Alec

Mais tarde, quando eu estou ao lado de Samantha esperando o manobrista, eu tento empurrar para trás o velho, familiar e insistente bom sendo. E decência.

Samantha Jansen é uma boa garota, que é parte do apelo, é claro. Mas conhecer sua família, vendo de onde ela vem, está tornando meu conflito ainda pior. Já me sinto um monstro.

Como o monstro que eu sou quando estou assim.

É óbvio que seus pais não são biológicos. Sua irmã também. Isso significa que algo deve ter acontecido com seus verdadeiros pais. Esta menina tem algum tipo de história dolorosa. A última coisa que ela necessita em sua vida é de um homem como eu. Eu posso dar-lhe momentos maravilhosos em sua vida, com certeza. Mesmo que ela não esteja aberta a ele, eu posso mostrar-lhe por que ela precisa estar.

Mas e depois? Eu sei o que fazer. Eu sei o que acontece. Eu vou perder o interesse e seguir em frente. É por isso que eu não ofereço nenhum tipo de futuro, quando eu começo um

relacionamentos. Independentemente de avisos, porém, eu sei que tipo de devastação

que posso deixar para trás. Isso faz parte de porque eu parei de fazer isso, porque eu aprendi a

controlá-lo.

destes

Até agora. Depois de todo esse tempo, Samantha está me fazendo recuar.

Talvez você devesse parar de se preocupar com as outras pessoas e deixá-las cuidarem de si mesmas. Samantha é adulta. Ela pode fazer suas próprias escolhas. Talvez ela não precise ser salva de você. Talvez ela precise de você para lhe mostrar um pouco de diversão.

Embora eu saiba que a voz é egoísta e com um só objetivo, é tão tentador, como sempre, ouvi-la bloquear o comentário do meu lado melhor. Mas é assim que sempre começa. Eu deixei a besta fora da cadeia por pouco tempo e depois, de repente, eu acordei meses ou anos mais tarde, fora de controle, rodeado por devastação.

54

E agora eu tenho mais a perder. Eu finalmente tenho a minha vida reunida, e isso não faz parte do plano.

Só mais uma vez não vai doer.

Eu pressiono o acelerador, recusando-me a olhar para a mulher que ocupa o banco do passageiro.

Mas quando eu acelero através da luz amarela, apenas uma das duas vozes permanece. E meu zíper está apertado só de pensar o que vem pela frente.

55

Capítulo 11

Samantha

O caminho que Range Rover fez até a minha porta foi o mais longo e tenso da minha vida inteira. Minhas entranhas estão apertadas. Estou mais nervosa do que eu nunca estive antes, mas mais do que isso, meu sangue está circulando com excitação.

Desde aqueles poucos momentos intensos na festa beneficiente, Alec falou muito pouco. Foi educado com todos, manipulando a conversa com uma destreza que sugere que ele está acostumado a estar em torno de pessoas com dinheiro e influência. Isso reafirmou as minhas suspeitas sobre ele.

Apesar da multidão e do local impessoal, nada foi capaz de apagar a química entre nós. O tempo e a indiferença só me dão a ampla oportunidade de antecipar o encerramento da noite.

Ele não pronunciou uma única palavra, até eu abrir minha porta e me voltar para ele, perguntando: "Você gostaria de entrar?"

"Só por um minuto. Eu preciso ir embora. "

Sua resposta me surpreende e decepciona.

Talvez eu estivesse esperando que ele não fosse capaz de manter suas mãos longes de mim. Talvez eu estivesse esperando que seria o caso, mesmo apesar de qualquer coisa que acontecesse hoje à noite ser ao mesmo tempo um erro e uma escolha descontroladamente inadequada da minha parte. Mas a parte racional de mim está aliviada. Temo o resultado inevitável e talvez seja melhor levar as coisas devagar. Talvez eu possa parar esse trem desgovernado antes que isso torne-se um acidente.

Se ao menos eu quisesse. Sinceramente. Eu não quero. O pavor e a realidade da minha situação não são o bastante para sobrecarregar minha atração por ele. É como uma sensação estranha e me sinto um pouco impotente para combatê-la. Mesmo eu sabendo que eu sou louca por considerar ter visto este homem novamente.

56

O cheiro doce de lírios e rosas do Arranjo de flores de Chris me cumprimenta quando

eu abro a porta. Eles nunca tiveram um cheiro mais sedutor.

O sol se pôs, necessitando que eu vire a lâmpada que fica em cima da mesa mais

próxima para a porta. Eu coloco minhas chaves sobre a mesa e viro para Alec. Ele fecha a porta

atrás dele, mas não se move.

"Gostaria de algo para beber?"

Oh meu deus, isto é como uma pornografia brega e está indo tudo tão errado. Tudo o que está faltando é a música bow-chica- wow wow.

Como eles ficaram durante o discurso de seu pai, os olhos de Alec ficaram obscurecidos pela penumbra.

Eles piscam com algo selvagem que enviou uma arrepio deslizando pela minha espinha. É como estar diante de um leão, ou qualquer outro animal que eu não tenha esperança de sobreviver após um encontro com ele.

"Não, obrigado. Eu não estou realmente

com sede. "

A pausa, a inflexão que ele usa, me deixa querendo-o.

"Você não está?"

Ele balança a cabeça e dá um passo em direção a mim.

"Eu estou mais com

"D-de quê?"

fome".

"E você ainda pergunta? Eu pensei que eu tivesse deixado as minhas intenções muito claras. "

Ele dá mais um passo em minha direção.

 

E

ele deixou. E essa era uma das razões para eu estar sem fôlego. "Sim. Mas esta

noite

57

"Sim, esta noite é sua noite livre. Última chance de desistir. Amanhã, eu não vou aceitar um não como resposta. Você entendeu? "

Concordei com a cabeça. "Sim".

"Bom". Ele dá mais um passo em direção a mim.

"Durante toda a noite, eu observei você."

Outro passo mais perto.

"Eu observei o seu jeito de andar e se mover, a forma como o vestido abraçava seus quadris, a forma como ele desenhava os seus seios. "Mais um passo.

"Eu vi você corar quando eu toquei em você. Vi você fingir que não pensou em meus lábios nos seus. "

Ele dá o passo que traz seu corpo em contato com o meu. Seu rosto está a centímetros de distância. As lapelas de sua jaqueta aberta estão escovando meus mamilos. Suas coxas junto as minhas.

“ Foi difícil apenas imaginar como seria sua boca colada a minha. Como seria deslizar minha língua entre os seus lábios e sentir o seu gosto. "

Eu nunca quis tanto ser beijada.

Nunca.

"E hoje a noite, aqui é onde eu vou parar. Mas só esta noite. Você tem a minha palavra".

Eu posso ouvir o fluxo de sangue pelo meu corpo nos meus ouvidos. Meu pulso está batendo rápido, minha pele está pegando fogo. E então sua boca desce.

Ele escovas seus lábios contra os meus, suavemente em primeiro lugar. Para a frente e para trás. Seu corpo balança no mesmo ritmo, balançando contra mim em uma forma inocente e incrivelmente erótica. Uma parte de mim quer que ele me toque. Parte de mim sabe o que vai

58

acontecer se ele o fizer. Mas sabendo que ele não vai aumentar nem sequer o mais insignificante contato.

Eu sinto seus lábios se afastarem. Os meus fazem o mesmo. Ele aumenta a pressão até sua boca descansar firmemente contra a minha. E ainda, seu corpo balança para frente e para trás um pouco mais.

Sua língua desliza ao longo da borda interna do meu lábio inferior. Eu abro mais a boca.

O Sinto escorregar mais para dentro, provocando a ponta da minha língua. Ele a lambe, lentamente, como se ele estivesse saboreando-a. Eu sinto a ação de sua língua no fundo do meu estômago, como se estivesse lambendo-me em outros lugares.

Meu corpo está gritando. Eu sinto a pressão, como se eu fosse explodir. É isso é só de um beijo.

Mas eu sei que eu não vou explodir. Eu nunca faço.

Ele inclina a cabeça e empurra sua língua profundamente dentro da minha boca, enredando com a minha. Eu ouço o seu gemido. Eu sinto isso. O formigamento nos meus lábios e ele vibra através do meu corpo como o som.

Ele puxa de volta. Seu beijo é leve, uma vez mais, provocando, até que esteja terminado. Completamente.

Alec levanta a cabeça e olha para o meu rosto. Seus olhos são piscinas hipnóticas de tinta à luz da luminária.

"Obrigado por uma noite agradável", diz ele em voz baixa. Ele dá um passo para trás e pega a minha mão. Ele vira a palma para cima e escova meus dedos trazendo meu pulso à sua boca e pressionando os lábios contra a minha pele. Por um momento, eu sinto a sua língua contra a carne do interior do meu pulso.

Apenas um lampejo, como se ele estivesse em degustação. Penso em seu comentário anterior sobre o meu gosto.

59

"Boa noite", ele sussurra.

Eu observo enquanto Alec caminha até a porta, abre e, sem olhar para trás, desaparece na noite.

São 03:00 da manhã e estou inquieta.

Eu estou em conflito sobre

tudo. O que parece estar me incomodando mais são os

sentimentos opostos de alívio e decepção.

Alec não fez nenhuma menção de me ver novamente. Pelo menos não de planos específicos de qualquer maneira. E isso está me deixando louca.

Eu deveria estar agradecida. Se ele desaparecesse, isto iria me poupar da dor e do constrangimento. Um pouco de dor e constrangimento, na verdade. E isso é bom. E saudável. E sábio.

Mas parte de mim, não se importa com nada. Parte de mim não se preocupa com o que é inteligente ou o que faz sentido. Parte de mim não quer que ele desapareça.

Contra o meu melhor julgamento, eu quero explorá-lo, para ver o quão gostoso ele realmente é. Para desvendar o irresistível mistério do homem que eu tenho em mente vir para a vida.

Irritada, eu arremesso as cobertas para fora da cama e vou para a cozinha. Jinx se agita e pula arqueando as costas pois ele sabe o que está por vir. Gentilmente, eu esfrego minha mão em suas costas. Ele ronrona em voz alta. O som me lembra o barulho que Alec fez quando ele estava me beijando. Ele quase ronronou. Isso me dá arrepios só de pensar.

Depois que ele saiu, eu tentei escrever, mas eu não poderia me concentrar em nada do

60

que eu escrevia. Daire e Mason são de repente muito reais e a sua história também

Eu achei muito difícil separar o Mason da minha imaginação do Alec no meu mundo real.

factual.

Eu pego o leite e um pacote de chocolate quente e pus-los sobre o balcão. Eu derramo em uma caneca um pouco de leite e a coloco no microondas por dois minutos. Quando está perto de ferver, eu a tiro, rasgo o pacote de chocolate e despejo o conteúdo. Um sopro de pó sobe para provocar meu nariz com o doce aroma de chocolate. Este é o meu cura-tudo para a insônia.

Quando eu mexo a mistura, eu ouço um barulho do meu celular.

É o som de uma mensagem.

"Quem poderia ser, Jinxy?"

Meu pulso pula com a esperança de que seja Alec. Eu tento conter a minha alegria me lembrando da forte possibilidade de que não seja ele, mas ainda assim, eu estou excitada ao atravessar a sala.

Corro para o meu celular, que ainda está esquecido desde que eu o levei para o baile beneficente. Eu devo ser muito mais distraída do que eu pensava esquecendo de que tenho um telefone.

Eu aperto o botão e deslizo o dedo pela tela. Mesmo que eu tentasse me preparar, eu não posso evitar, mas sinto-me decepcionada quando vejo a foto de Chris.

"Você não dorme nunca?" Eu murmuro para o silêncio.

Você e eu. Amanhã. Seabrook Island. Com as Tartarugas.

Eu não me incomodo em responder. No instante em que ela perceber que eu estou acordada, ela vai me ligar com mil perguntas sobre Alec. E agora, eu não tenho respostas.

61

Eu olho para o meu telefone conferindo as horas. 10:46. Eu derramo mais loção na

palma da minha mão e esfrego

sobre as minhas pernas.

Estou impaciente. Chris está vindo para me pegar ao meio-dia. Depois da minha sessão de terapia. Eu suspiro só de pensar nisso. Eu tenho quase que me convencer a pedir à Dra. B um parecer sobre a situação Mason / Alec.

Ontem à noite, muito tempo depois que o meu chocolate com leite quente, que deveria ter funcionado, eu ainda virava na cama, lutando entre a sabedoria de seguir meu desejo louco por Mason ou aquela coisa louca com Alec.

Por um lado, tem um sinal de perigo e mágoa escrito nele. Mas por outro lado e se Chris está certa? E se eu preciso disso?

Depois de uma xícara de café para me revitalizar esta manhã, uma xícara que teve efeito nulo no meu cérebro sonolento, eu ainda não tinha respostas, por isso, tomei um banho. Eu refletia enquanto eu me depilava. O resultado deveria ser uma resposta. Em vez disso, eu saí do chuveiro com tudo, desde tornozelo à axila raspada, lisa como um apito.

Agora, como uma loção suave sobre a minha pele bronzeada, sem pelos, não tenho nenhuma ideia melhor do que fazer com Alec. Se ele mesmo quiser me ver de novo, é isso.

Com um grunhido, eu tento tirar a situação da minha mente, concentrando-me no material que eu tenho para uma manicure e pedicure em casa.

Eu despejo tudo em cima da cama e verifico o horário outra vez. São 10:54.

Meu telefone toca e eu pulo. Mais uma vez, meu primeiro pensamento é que pode ser Alec. Como fez antes, meu coração dispara com esperança e otimismo. Mas também tal como fez antes, meu pulso cai com desapontamento quando vejo que não é.

É só Ari, meu assessor.

Não pode ser um bom sinal que estou agindo como uma menina da escola, louca, estúpida.

62

Deixando de lado os pensamentos de Alec, eu respondo.

"Bom dia."

"Bom dia para você", diz Ari agradavelmente suficiente. "Por que não podemos manter dessa maneira. É só ir em frente e dizer "Sim" e eu não vou desperdiçar seu tempo com mais detalhes. "

"Isso seria bom se eu não fosse um desses detalhes. E se eu não suspeitasse que você tivesse ido e feito algo que não eu não vou gostar. "

Embora eu saiba que eu preciso fazer eventos e contratações para continuar a minha carreira, Ari sabe o quanto eu os temo. Minhas inseguranças ficam muito mais confortáveis com a vida de um eremita.

"Onde está a fé? Quando foi que eu a levei para o caminho errado? "

Eu realmente não estou com disposição para o brincalhão e as suas brincadeiras. "O que está acontecendo?"

"Sua presença foi solicitada em um grande evento de um blogger na noite de ontem. "

Quando ele não continua, eu rapidamente deduzo que esta não é a parte ruim.

"Okay. Qual é o problema? "

Sua pausa me diz que este é a parte má. "É em Portland."

"Portland? Portland, Oregon?".

Eu suspiro alto. Depois de dar-lhe alguns segundos de pensamento, no entanto, eu começo a achar que uma curta viagem pode não ser uma ideia tão ruim. No mínimo, seria uma distração.

"É só isso?"

63

"Bem

"

Oh, meu Deus! Tem mais?

"A-ri," eu digo em advertência.

"Bem, há um grande varejista de livros lá que está planejando uma sessão de autógrafos e faria de tudo para você poder participar”.

Estou prestes a dar um suspiro de alívio quando ele acrescenta:

"Na sexta-feira".

"O quê? Isso é quase uma semana, Ari. Você sabe que não posso fazer isso. "

"Você pode. Você simplesmente não quer. "

"Eu tenho responsabilidades aqui. Você sabe disso. "

"Você quer dizer o gato."

"Sim, o gato. Entre outras coisas. "

Vagamente, espero que ele não peça uma lista. Infelizmente, Jinx é o maior motivo. Realmente, não há mais ninguém na minha vida que teria saudades de mim se eu o deixasse por uma semana. Exceto Chris.

E talvez meus pais. Além deles, a minha vida é extremamente carente de alguém amado

para preenchê-la.

O rosto de Alec pisca em minha mente. Se eu tivesse planos com ele, a minha resposta

seria um não definitivo. Porque ele não ligou. Talvez fosse bom fugir de vez em quando.

Talvez fosse isso que eu precisasse.

Talvez meu julgamento estivesse comprometido por tudo o que tem acontecido ultimamente. Por Alec. E Mason.

64

Impulsivamente, eu concordo. “ Eu vou fazer isso. "

"Você vai?"

A julgar pela sua resposta, Ari realmente não achava que eu faria. É terrível que eu tenha lhe dado um tempo duro sobre as coisas assim, mas eu realmente odeio sair e deixar Jinx com Chris. E Chris odeia também.

Mas desta vez, eu acho que é necessário.

“ Eu o farei. "

"Eu já disse o quanto eu te amo para você? "

"Yeah, yeah, yeah".

Ele me dá os detalhes do meu itinerário, me garantindo que o completo chegará através da minha assistente, Annabelle, com a transmissão das informações via e-mail para mim.

Eu não vou esquecer.

"Muito obrigado por fazer isso. Realmente. Vai ser ótimo para nós. Para você. "

"Mmm hmm, eu gosto de como você me adicionou em 1 segundo. "

"Ei, o que é bom para você é bom para todos nós ".

Eu olho para o relógio. Hora de ir para o logon para a minha sessão.

"Um, Ari, eu tenho de ir. Será que vamos estar voando juntos? Ou eu vou encontrá-lo

lá? "

"Vou encontrá-la lá. Eu vou te encontrar no carrossel de bagagens ".

“Vejo você depois. "

Eu desligo e vou para o site seguro da Dra. B para a minha terapia. Embora ainda esteja

65

alguns minutos adiantada, eu estou surpresa de que desta vez ela não se conectou ainda. Como eu espero, minha mente gira em direção a Alec uma vez mais, mais uma vez. Alec e o dilema que enfrento com ele. Sete minutos se passaram e já era tempo para a Dra. B ter feito o logon. Foi apenas o tempo suficiente para eu me convencer a pedir-lhe uma opinião sobre Alec.

Ela deve ser boa o suficiente em seu trabalho a ponto de ser capaz de me dar bons conselhos, sem conhecer cada detalhe do meu passado, no entanto, certo?

Eu vejo o aviso de que ela está conectada e antes que ela ainda tivesse uma chance de cumprimentar-me com a sua habitual e agradável "conversa fiada" de terapeuta, lanço a minha pergunta.

(LauraDrake): Eu sei que você tem muito o que aprofundar em meu passado, mas eu tenho uma pergunta. Eu preciso do seu conselho sobre uma coisa, se você não se importa.

Há uma breve pausa durante a qual eu me pergunto se será que ela está pensando se ela deve concordar ou manter sua própria dissecação psicológica e metódica.

Estou agradavelmente surpresa e aliviada quando ela concorda.

(Dra. B): Qual é a pergunta?

É a minha vez de fazer uma pausa quando penso a melhor forma de dizer as palavras para ela. E não leva muito tempo para que eu perceba que eu não vou ser capaz de achar a melhor orientação, se eu não for em frente e dizer a ela, pelo menos um pouco do meu problema com Alec.

(LauraDrake): Por razões que ainda não estou pronta para discutir, eu não tenho sido capaz de ter um orgasmo. Tem a ver com algumas coisas que aconteceram comigo quando eu era mais jovem. O problema é que é tudo muito problemático em qualquer relação sexual, mesmo uma tentativa.

Há apenas uma pequena pausa.

(Dra. B): Vá em frente.

66

Então, eu faço.

(LauraDrake): Eu conheci alguém que me faz lembrar de Mason Strait, a minha principal personagem masculino. Eu sei que é, provavelmente, preciso de uma sessão inteira para discutir isso, mas eu preciso de uma ajuda mais imediata.

Eu começo a franzir a testa quando eu leio sua resposta.

(Dra. B): Então, qual é a sua pergunta?

Eu não quero entrar em uma discussão sobre Alec. Eu só quero saber se engajar-me em uma relação sexual com ele poderia me ajudar.

(LauraDrake): Eu estou considerando ter um relacionamento sexual, mas eles sempre acabam mal.

Devastadoramente, na verdade. E faz muitos anos desde que eu mesma tentei. Eu não estava realmente interessada até agora.

Sua próxima pergunta é boa.

(Dra. B): E por que você está considerando um agora? Com este homem?

Eu tenho que tomar meu tempo respondendo, simplesmente porque eu sei que ela provavelmente vai dizer se eu estou sendo franca e honesta.

(LauraDrake): Eu estou muito atraída por ele.

(Dra. B): Por quê?

É por causa do próprio Alec, de quem e como ele é? Ou é porque ele me lembra muito de um homem que vive só dentro da minha da minha cabeça?

Quando eu não respondo, a Dr. B me pergunta novamente.

(Dra. B): Será que é porque ele lembra Mason a você?

67

Ela me lê bem. Mesmo que ele não seja, só porque ele me faz lembrar de Mason tem muito a ver com isso.

(LauraDrake): Sim. Pelo menos em parte, eu penso.

Eu quase posso ouvir a Dra. B limpando a garganta. Pelo menos é assim que eu imagino a sessão indo.

(Dra. B): Você acha que é saudável começar um relacionamento, especialmente um que você já espera ter problemas, com isso?

Quem é o terapeuta aqui? Eu que deveria fazer as perguntas e ela é que deveria respondê-las.

(LauraDrake): Provavelmente não, mas você acha que há uma possibilidade de que isso pode me ajudar de alguma forma? Seja catártico ou de alguma outra forma?

O cursor pisca enquanto espero.

(Dra. B): Bem, primeiro de tudo, eu acho que você gostaria de pensar que ele vai ajudar você, mas eu acredito que você tem suas dúvidas ou não estaria me perguntando. Na minha opinião, o que você está procurando é alguém para concordar com você, para justificar que você vai entrar nesta relação. Em segundo lugar, não podemos saber se ele pode ser catártico se eu não sei a raiz do problema. Existe a possibilidade de que poderia piorar as coisas. Eu posso fazer deduções e suposições, mas isso realmente não vai ajudar.

Vou precisar de mais informações. Mas isso vai levar tempo. E eu não tenho esse tempo agora. Ou eu tenho? Não é como se ele tivesse me ligado ou coisa parecida.

Eu esmago o sentimento de decepção e olho para o relógio, sempre atenta ao tempo. Isso é algo que eu acho estranho sobre a terapia. É como se eu pudesse ouvir o relógio tiquetaqueando os minutos dentro de minha cabeça. E agora eu estou por um fio. 11:58.

Onde foi parar o tempo que passou?

68

Eu me sinto como se eu tivesse chegado a lugar nenhum. Ou eu cheguei? Será que ela apenas respondeu à minha pergunta de uma outra forma?

(LauraDrake): Então você está pensando que eu posso estar tentando justificar e fazer algo que eu suspeito que vai ser prejudicial. E o que você me diz sobre isso?

Espero que não tenha saído tão arrogante como eu me sentia.

(Dra. B): Eu não disse isso. Isso é só um palpite. Parece-me que você quer explorar esta pessoa, por causa de sua semelhança com Mason, mas você está com medo de que isso acabe mal. E, em vez de evitar a dor, você se sente mais confortável, justificando-a com o pensamento de que pode valer a pena como uma ferramenta terapêutica.

Antes que eu pudesse responder, ela continua.

(Dra. B): Sinceramente, sem saber todos os detalhes, pois não há tempo para entrar nisso hoje, eu não posso realmente aconselhá-la ou ajudá-la a chegar a uma conclusão do que é mais saudável para você. A melhor orientação que posso dar é dizer que você deve tentar evitar um íntimo relacionamento até que possamos continuar a discutir o papel de sua mãe em sua infância e qualquer desenvolvimento sexual que você conseguiu durante o seu tempo com ela. Eu estou supondo que alguns de seus dilemas atuais resultam desse período.

Ela é perspicaz, assim como eu esperaria que qualquer terapeuta fosse, valendo o dinheiro que cobra. E ela está certa. E eu já sabia que essa seria a sábia escolha. Ela só reiterou isso.

Isso não me impede de querer chutar algo em um acesso de raiva, no entanto. Eu realmente queria que ela me desse o sinal verde para explorar a minha vida real e Mason. Mas eu sou inteligente o suficiente para perceber que isso poderia vir a ser um desastre.

(LauraDrake): Obrigado, Dra. B. Lamento ter desperdiçado toda a nossa sessão com

isso.

Ela é graciosa, é claro.

69

(Dra B): Se é importante para você, é algo que precisava ser abordado. Nós vamos conversar mais sobre isso na próxima.

Isso me lembra da minha nova agenda para a próxima semana, Oregon. Eu poderia muito bem dizer a ela para que ela não descubra de outra forma e acho que estou evitando ela. O que eu realmente estou. O consultório dela fica em Portland.

(LauraDrake): Eu vou estar em Portland na próxima semana, mas eu ainda vou ser capaz de fazer logon em nossas sessões.

Outra pausa.

(Dra. B): Obrigado por me dizer. Eu gostaria realmente que você considerasse vir até o meu escritório. Eu sei que você pensa não estar pronta, mas você realmente não tem que se esconder de mim. Estou aqui para ajudar você.

Eu suspiro.

(LauraDrake): Eu sei. E eu vou pensar sobre isso.

Pouco antes de eu fazer logoff, eu vejo sua resposta.

(Dra. B): Vejo você na terça-feira.

O aviso aparece quando a Dra. B já estva off. Ela teve a última palavra, que diz que ela espera totalmente me ver em seu escritório na terça-feira.

Vamos ver, eu acho que, não tenho qualquer verdadeira intenção de ir para uma visita.

Eu tento, ineficaz devo acrescentar, tirar todos os pensamentos de terapeutas e homens misteriosos da minha mente enquanto eu sento em minha cama para fazer minhas unhas. A campainha da porta toca. Eu sei exatamente que é ela e que ela não vai ficar feliz quando ver que eu não estou pronta.

Eu ando até a porta e verificar o Olho Mágico só para ter certeza. Eu vejo a minha irmã em pé no corredor, segurando duas xícaras de

70

meu café favorito.

Eu abro a porta.

"Estou quase pronta."

"O que é isso de quase, porcaria? Eu disse que - "

"Eu tive uma sessão de terapia hoje, lembra-se? Terapia que eu nem queria. "

Ela revira os olhos, sabendo que ela não pode dizer uma palavra sobre isso agora.

"Tudo bem. Eu vou tripudiar até que você esteja vestida, então. "

"Tripudiar?" Eu fechei a porta e tomo um copo de café de sua mão. Eu removo a tampa e tomo um gole.

"Pelo menos você veio trazendo presentes. Preciso disso depois de uma noite sem dormir. "

Chris dá um suspiro e eu olho para ela chocada, enquanto ela ainda me olha com uma expressão esperançosa.

"Por favor, me diga que você não dormiu porque você estava presa entre um colchão e um homem duro. "

Balançando a cabeça, eu volto para o meu quarto.

"Nem todo homem quer isso no primeiro encontro, Chris. "

"Sim, eles querem. Eles só não vão admitir isso ", diz ela atrás de mim. "Além disso, eu nunca vi duas pessoas mais prontas para o quarto do que você e Alec. "

Estou feliz que ela não pode ver a minha tristeza. Sento na cama, reunindo o material do meu lado. Eu olho para todos os instrumentos variados e apetrechos. Infelizmente, minha manicure e pedicure só vai ter que ser uma camada de esmalte. Eu não vou ter tempo para mais

71

nada agora.

Eu pego um vidro na cor polonês vermelho e agito vigorosamente.

"Então?", Diz Chris.

"Então o quê?"

"Nenhum comentário?"

Eu dou de ombros.

"Nós dois podemos querer a mesma coisa, mas isso não significa que isso é bom para

mim ".

Levo meu joelho até o peito.

"Aqui, me dá isso", diz Chris, pegando o vidro de mim.

"Você pode fazer suas unhas das mãos. Eu vou fazer os dedos dos pés."

Ela puxa meu pé em seu colo e desenrosca a tampa do vidro. Depois que ela pinta algumas camadas na cor vermelha em minha unha grande, ela sopra suavemente sobre ela antes de falar.

"Eu não vou me intrometer. Eu acho que você vai falar comigo sobre o que aconteceu quando você estiver pronta. Mas, Sam, você precisa disso. Você precisa para voltar para o mundo lá fora. E esse cara é para você. Qual é o problema? "

"Voltar à vida é diferente de saltar para um relacionamento sexual, Chris. "

Eu tento ficar casual enquanto eu pinto uma cor clara clara em minhas unhas.

"Deixe-me dizer uma coisa, Sammy", ela diz, fazendo uma pausa em sua pintura e olhando para cima, para mim.

"Eu nunca vi duas pessoas com mais química. Não é uma questão de se você vai ter sexo, mas quando você vai ter sexo. Eu sei que já faz um tempo, mas é como andar de bicicleta.

72

Confie em mim, não é algo que você esquece como fazer. "

"Eu não estou com medo que eu esqueci. Eu acho que é esse o problema. Eu não posso esquecer. "

Chris não diz nada por um minuto enquanto ela se concentra na limpeza de uma mancha de vermelho fora da minha pele.

"Seja o que for que você se recusa a falar, não será corrigido por evitá-la. Mesmo que você nunca me conte sobre isso, diga a alguém. É por isso que eu queria que você visse a terapeuta sexual. Mesmo as mulheres que foram estupradas-"

"Eu não fui estuprada, Chris," eu interrompo. Não quero que ela vá nessa direção.

"Bem, o que aconteceu, você não pode deixar isso arruinar a sua vida."

"Não está arruinando a minha vida. Eu"

"Sam, quando você está com medo de namorar porque tem medo de sexo, ele está arruinando sua vida. Eu quero que você esteja em paz. "

Eu olho para cima e encontro seus olhos em um momento de honestidade clara.

"Eu não quero ficar sozinha também. "

"Então cuide disso logo. Dê o salto. "

"Eu não sei como fazer."

"É para isso que a terapia serve. E, esperançosamente, isso é para que serve Alec. "

"Eu acho que nós precisamos conversar sobre outra coisa. Eu estou feliz que na sua vida, a sua ambição não era trabalhar em um salão de beleza. Você conseguiu qualquer resultado na minha unha? "

"Oh, pare. Elas não parecem tão ruim, "ela assegura, inclinando a cabeça para um lado como se avaliasse seu trabalho.

73

"Bem, elas vão ter que servir. Eu não tenho tempo para consertá-las.", eu digo com a intenção que ela tome a dica e esqueça esta conversa.

"Sam, me prometa uma coisa."

Chris coloca a mão no meu joelho, sua expressão é séria.

"Por favor, não se afaste do caminho da felicidade. Muitas pessoas têm infâncias menos-que-ideal e "

"Menos que ideal? "

"Ok, horrível. Mas, ainda assim, você não é a única que tem muito a superar ".

Chris está certa. Na verdade, ela é uma dessas pessoas. Ela tem sua própria história

típicos do que os

para contar de momentos duros. Seus problemas apenas são um pouco mais meus.

"Aqui, sopre", eu digo, enfiando o pé no seu rosto quando eu tento aliviar o clima e mudar de assunto.

"Isso é o que ele disse", diz ela inexpressiva, aliviando a tensão e fazendo com que nós duas demos risada.

"Tudo bem", eu digo, realizando manobras para fora da cama.

"Agora, pare de me perseguir e saia daqui. Eu preciso descobrir uma maneira de vestir um vestido sem estragar as unhas. "

"Que tipo de irmã eu seria se eu parasse de perseguir você? "

"Uma muito boa, eu acho."

"Você sabe que eu sou", ela responde rindo, caminhando até a porta que se fechou atrás

dela.

74

Capítulo 12

Alec

Eu estou em minha poltrona preferida, que é coberta por um couro preto e bastante confortável e olho para fora da janela.

A visão é um dos maiores benefícios de trabalhar em casa. O céu é azul, o sol é brilhante e a areia é limpa.

Eu acho que um pouco de passeio a cavalo na praia seria bom.

Depois de um exercício vigoroso e executar a maior parte da minha lista de tarefas da manhã, eu estou me sentindo muito bem comigo mesmo. Eu sei que essas realizações não são as únicas responsáveis, no entanto. Estou me sentindo orgulhoso e no controle, porque não só eu não seduzi Samantha Jansen ontem à noite, que teria sido muito fácil, mas durante a minha noite sem dormir, eu trabalhei a minha mente para ficar longe dela. E hoje, estou me sentindo muito melhor sobre o meu progresso e o nível de decência que eu sou capaz de alcançar.

Houve um tempo em que eu não teria sido capaz de dizer não, quando eu não teria sido capaz de exercer o autocontrole.

Não que eu necessariamente não pudesse. Eu só estava em um momento nos últimos anos que parecia que eu realmente não queria sair de um ciclo destrutivo. É difícil querer parar algo em que você se sente tão bem e que satisfaça você em muitos níveis diferentes.

Não é realmente a atividade que é ruim. É mais o resultado final. Uma vez que eu me encha de uma mulher, eu perco o interesse. Completamente. Eu seduzo, eu domino, eu controlo e eu a abandono. É por isso que eu tento ser honesto sobre isso no início, sobre o que eu quero e o que ela deve esperar. Sobre o que eu sou capaz de dar, emocionalmente.

Mas isso não parece importar. Elas têm uma visão de futuro que até chega a ser

75

divertido, mas então elas ficam devastadas quando acaba. E enquanto isso não é culpa minha (elas foram avisadas, afinal de contas), eu estou cansado de ser aquele cara. Não é saudável para elas e eu tenho começado recentemente a ver que não é realmente saudável para mim. Viver além dos meus vícios.

O meu problema neste momento é duplo.

Número um: onde vou encontrar uma mulher que ocupe o meu interesse, especialmente

longe de minhas predileções

?

Número dois: que tipo de mulher vai amar alguém tão quebrado e torcido como eu sou, mesmo que eu a faça olhar para algo mais?

Em momentos como este, acho que é difícil não ir para os meus caminhos antigos, momentos em que o futuro parece sombrio sem eles.

Mas eu não vou. Eu sou mais forte do que qualquer vício.

76

Capítulo 13

Samantha

"Por quanto tempo ainda vamos caminhar a pé na areia?" Pergunto a Chris.

"Vamos lá, aproveite o passeio. "

Chris não olha para mim. Ela mantém seus olhos na areia. "Paciência, gafanhoto ", sussurra.

Eu reviro os olhos e a acompanho ao seu lado, embora eu não esteja mais olhando para a areia. Meus olhos estão olhando na distância, no forte brilho do sol sobre as ondas e como elas quebram na praia.

A batida rítmica de um cavalo a galope traz a minha atenção de volta à costa. Quando eu olho para frente, vejo a visão deslumbrante de um homem a cavalo. É quase surreal, como uma miragem.

Seus quadris se movem de uma forma fluida que sugere que ele está acostumado a sentar-se em um cavalo. Seu cabelo escuro está soprando ligeiramente com o vento, a camisa branca está aberta e forma ondas atrás dele e seu amplo peito é coberto com nada, apenas a suave pele bronzeada.

Quando ele se aproxima, eu posso ver que seus olhos estão obscurecidos e ele aperta os olhos para o sol. Mas eu não preciso vê-los para o reconhecer. Eu senti o puxão no instante em que eu olhei para cima. Era Alec. E ele está vindo direto para nós.

"Puta merda", ao meu lado Chris respira fundo e coloca para fora a sensação do que está chacoalhando dentro de mim.

77

"Isso é como um daqueles comerciais da TV ".

Chris caminha alguns passos à minha frente.

Foi quando eu percebi que eu parei completamente. Eu estou em pé, olhando para Alec como se ele fosse a chave para a minha sobrevivência.

E, no momento, me sinto muito bem com isso.

Ele vem e para na minha frente. Seus olhos nunca deixam os meus. O seu cavalo está agitado para voltar a correr. Alec está franzindo a testa e ele parece ter prazer em me ver. Eu não digo nada e nem ele.

"Parece que temos uma reunião aqui", diz Chris quando o silêncio e a tensão tornam-se muito fortes.

"Sim", diz Alec, mas não falou mais.

Ainda assim, ele me observa. E ainda assim, eu não me movo.

Chris nunca ficou confortável com o silêncio e tenta novamente. "Estamos, uh, nós estamos aqui procurando as tartarugas marinhas. "

"Hmmm," Alec murmura, seu olhar me queimando todo o caminho para a minha alma.

Muitas coisas estão passando por minha cabeça, em guerra com a visão de Alec em um

cavalo.

Sinto-me sem fôlego quando ele olha para mim desta forma.

Um cara assim é perigoso para o meu coração.

Será que eu me arrependerei, se eu não deixar isso acontecer?

Será que eu me arrependerei, se eu fizer?

Mas ele não me ligou.

Talvez ele mudou de ideia.

78

Talvez ele tenha perdido o interesse.

Por isso faz-me sentir tão sem esperança?

Eu deveria estar feliz. Meu problema está resolvido.

É a coisa certa ficar longe dele. Eu limpo minha garganta e sorrio educadamente.

"Bem, foi bom vê-lo, Alec." Eu volto para Chris. "Vamos olhar mais uma vez no outro

lado. "

A boca de Chris cai aberta e ela me dá um olhar que diz que eu perdi completamente o

juízo. Eu coloco meus dedos ao redor de seu braço e a levo comigo para a outra direção. No início, ela resiste, mas eu dou ao seu braço um aperto e ela obedece a minha vontade.

Eu olho para trás por cima do meu ombro para Alec, ainda sentado em cima de seu cavalo magnífico.

Ele está me observando. Atentamente. Como ele sempre faz.

"Até mais", digo antes de voltar a andar.

Meu coração está batendo loucamente dentro do meu peito. Eu posso quase sentir seus olhos em mim quando eu saio.

Estou pensando em Alec ao invés de olhar para onde eu vou. Eu nem sequer vejo a depressão na areia, até que seja tarde demais.

Eu passo por ela e perco o equilíbrio, indo direto para a água. Meu pé já foi engolido pela areia molhada que me mantém parada, mesmo quando o meu corpo gira. Sinto os músculos ao longo do exterior da minha panturrilha esquerda e eu grito de dor quando eu seguro o meu corpo para evitar mais danos.

"Oh meu Deus, você está bem?" Chris pergunta inclinando-se para o meu lado.

Eu sinto meu rosto queimar de vergonha e recuso-me a olhar para trás, para Alec, que eu sei que ainda está me observando. Eu posso sentir isso.

79

"Sim, eu estou bem. Apenas me ajudar a levantar. "

Chris toma minhas mãos e puxa, trazendo-me para cima. Eu me endireito e mexo meu pé para libertá-lo da areia. Brotos de dor vão até o meu joelho.

"Você não está bem. Você torceu o tornozelo, não é? "

Eu mordo meu lábio e tento cautelosamente mexer o meu pé dolorido para caminhar.

"Parece que sim."

"Você não pode voltar para o carro assim ".

esquerdo. Está muito

"Claro que posso. Só vai demorar um pouco mais e você vai ter que me ajudar. "

"Não seja ridícula", Alec diz com uma profunda voz.

Eu giro para encontrá-lo se aproximando por trás de mim, uma

carranca em seu rosto.

"Eu não estou sendo ridícula", eu digo. "Eu vou ficar bem. "

"Isso não é algo que pode ser ignorado ", ele responde.

"Eu não estou ignorando. Eu só tenho que andar devagar. "

"Às vezes, mesmo indo devagar não evita danos maiores. "

Algo em seus olhos me diz que ele não está falando apenas da situação com o meu tornozelo. É como se ele estivesse falando de tudo o que eu venho lutando. Mas isso é impossível dele saber, não é? A menos que ele esteja lutando também.

Isso não faz qualquer sentido, nem razão. Por que ele precisa ficar longe de mim?

"Eu acho que ele está certo, Sam", Chris diz. Quero virar e olhar para ela, mas eu não

posso.

Eu não consigo desviar o olhar de Alec e das coisas não ditas que eu vejo em seus olhos.

80

"Minha casa não é longe. Deixe-me levá-la para lá e colocar um pouco de gelo sobre

isso. "

"Obrigada, mas eu vou "

"Essa é uma boa ideia", diz Chris. "Sam, ele pode levá-la em seu cavalo para que você não tenha que andar. Eu posso dirigir até lá. "

"Não há necessidade. Eu posso levá-la para casa mais tarde ", Alec resmunga. Ele parece incomodado com a situação, o que me dá uma perversa sensação de prazer. Eu espero que ela seja agravada.

Ele deveria ter apenas me deixado ir.

Eu ignoro a parte de mim que está feliz por ter dito não e a parte de mim que está implorando para passar mais alguns minutos com ele.

"Não tenho um voto?” Eu disse-lhe "Eu começo sem entusiasmo, mas Alec me corta.

"Eu não disse a você que eu não estaria tomando nenhum não como resposta?", ele pergunta rispidamente.

Ele disse. Mas, até agora, parecia que ele tinha esquecido de mim.

"Sim, mas

"

"Nada de mas."

É difícil argumentar eficazmente quando eu realmente quero estar com Alec, mesmo que eu saiba que não é uma boa ideia.

Ele é ruim para mim. Eu acho que não há mais dúvidas, agora. O problema é que, em sua maior parte, não parece certo.

"Eu vou ligar para ver como você está, Sam. "Chris está eufórica, saltando para cima e para baixo com entusiasmo. Eu duvido que Alec possa vê-la, pelo menos eu espero que não. Mas eu posso.

81

Antes que eu possa responder, Alec se curva e varre-me em seus braços.

Reflexivamente, eu me apoio em torno de seu pescoço para me segurar. Eu tento ignorar o quanto é bom ter sua pele quente tocando o meu corpo, meus braços, meu quadril, minhas pernas. Ele olha para baixo para o meu rosto, seus olhos sérios e treinados em mim.” Não precisa. Eu vou cuidar bem dela ".

Mais uma vez, sua expressão implica que há muito mais em seu comentário. Há uma corrente entre nós que eu posso sentir tão claramente quanto eu podia sentir a areia em meus pés. E, tal como a areia, Alec está me puxando para baixo, puxando me abaixo. Sob o seu feitiço.

Eu acho que Chris resmunga alguma coisa, mas eu não posso dizer o que é. Sua voz está

a milhares de quilômetros de distância.

Alec não desvia seu olhar, até que eu esteja em seu cavalo. Eu deixo meus braços caírem em torno dele, preparando-me para quando ele colocará meus pés no estribo. Só que ele não faz. Em vez disso, ele me puxa apertado contra o peito, coloca o pé no estribo e facilmente começa a se movimentar nas costas do cavalo.

tudo. Minha

mãe me deu aulas e me levava uma vez a cada semana para montar, por isso estou familiarizada com o contato próximo da sela que está neste cavalo, bem como o tipo de cavalo que é bastante bonito com sua cor marrom e as grandes manchas brancas ao seu lado.

Eu costumava fazer alguns passeios quando eu era mais jovem, antes de

Mesmo com Alec afastando-se um pouco para trás, não há espaço suficiente para mim na sela. Eu posso ficar em cima do cavalo confortavelmente. Bem, nem tanto confortavelmente com o corpo de Alec pressionado contra minhas costas e bunda. Sinto cada polegada sua por todo o caminho até o meu núcleo.

Estou sentindo falta de ar novamente e procurando alguma distração. "Qual é o nome dele?". Eu pergunto, referindo-me ao cavalo.

"Galen", ele responde. Eu sinto as pernas se movendo contra mim, conforme ele cutuca

o cavalo para uma caminhada lenta.

82

"Que lindo. O que significa isso? "

"Significa curandeiro", explica ele, insistindo com Galen em um trote.

Sem o benefício de uma sela para agarrar, eu sou forçada a agarrar as coxas de Alec como apoio, enquanto eu aperto o cavalo com as pernas. É tudo que posso fazer para não derreter no couro embaixo de mim quando Alec dobra a cabeça para sussurrar em meu ouvido:

"Segure-se. Aqui vamos nós. "

83

Capítulo 14

Alec

Eu forço Galen em um galope pela faixa de areia na praia vazia.

Eu sabia que ia ser um grande dia para montar.

Este não é exatamente um trecho público de frente para o mar de qualquer maneira, mas pertencente a casas particulares.

Agora, com Samantha no meu colo, é ainda mais

estimulante.

Eu sinto os dedos cavando minhas pernas, então eu tomo as rédeas em uma mão e coloco os meus dedos da outra em seu estômago, puxando-a confortavelmente contra mim. Um gesto bastante inocente, apenas destinado a segurá-la no lugar. Por medida de segurança, mesmo. Mas, na realidade, está longe de ser inocente. Com a curva de sua bunda esfregando meu pau em um ritmo perfeito com o cavalo, tudo o que posso pensar é afastar o maiô que eu imagino que ela está usando sob sua saia curta e deslizá-la em cima de mim. O cavalo ia fazer a maior parte do trabalho. Tudo o que ela teria que fazer é se segurar até que seu corpo ficasse mole com exaustão.

Apesar da contração lembro da voz que era tão forte nesta manhã e que me dizia que eu tenho que evitar essa mulher. Por causa dela e por causa de mim.

Mas essa voz está mais baixa a cada minuto. Em pouco tempo, eu vou ser capaz de bloqueá-la completamente.

Mais uma vez, o meu ID (N.T- porção da parte inconsciente responsável pelos desejos e vontades)

está se tornando mais ousado. Só mais uma vez. Só dessa vez. A atração é tão tentadora.

A visão de Samantha no meu controle completo parece irresistível e eu sei que a batalha está perdida. Na verdade, acho que eu sabia que estava perdida o momento em que a vi na praia.

84

Capítulo 15

Samantha

Só quando eu estou recuperando o fôlego e me acostumando com a sobrecarga de estar nos braços de Alec com meu corpo pressionado ao dele, ele retarda Galen e o orienta pela areia fofa para o que parece ser uma fenda em uma duna. não é uma fenda, é um caminho.

Lá, há uma passarela de madeira.

A passarela parece ter um quilômetro de comprimento, uma vez que viaja da areia para a terra mais resistente. À distância, eu posso ver a linda, moderna casa de estilo fazenda em amarelo pálido. De portas e janelas por toda a parte de trás da casa de tamanhos variados e formas. Parece que todas as portas abrem-se para uma das três plataformas ao largo da parte de trás da casa, como um baralho para cada nível.

Tão extravagante como, eu tenho certeza que é o interior. Mas eu duvido que se compare com a incrível vista do ar livre.

Meu primeiro pensamento é que aqui não pode ser o nosso destino. Não há nenhuma maneira de Alec poder ter esse tipo de dinheiro. Mas, então, eu lembro da Range Rover e as coisas sutis que eu aprendi no baile beneficente e eu rapidamente altero esse pensamento.

Quando chegamos ao final da passarela, Alec orienta o cavalo em uma calçada que conduz, através de um verdejante quintal e para no acesso para subir no primeiro nível do deck . Quando ele desmonta e amarra as rédeas de Galen no corrimão, percebo que estamos, de fato em nosso destino.

Alec não oferece nenhuma explicação, mas simplesmente se vira e chega perto de mim.

"Escorregue. Eu seguro você. "

Eu lanço a minha perna sobre o pescoço do cavalo e me inclino para a frente, colocando minhas mãos em seu ombros. Eu tento ignorar a sensação de suas mãos em meus quadris

85

enquanto ele me leva ao chão.

"E o cavalo? Você pode deixá-lo em um sol como este? "

"Ele vai ficar bem por alguns minutos. Javi virá e o levará de volta para o estábulo ".

"Você tem um estábulo? Quantos cavalos você tem? "

"Nós temos um pequeno estábulo, sim. Apenas dois cavalos. Nós não temos espaço suficiente para cuidar e exercitar mais de quatro animais. Eu sou o único que anda, por isso realmente não importa. "

Sem pensar, coloco peso sobre a minha perna esquerda, gritando quando a dor atira para cima em meu joelho.

Alec não diz nada, simplesmente se curva para pegar-me no colo. Eu tento não deixar que sua mandíbula apertada me deixe nervosa. Me lembro que eu não pedi sua ajuda, que ele praticamente me obrigou a isso e que se ele não está mais atraído por mim, é melhor assim.

Só eu não sinto como se isso fosse o melhor.

Em algum nível, eu quero que ele fique mexido e torturado como eu estou pelos mais inocentes contatos.

Sem esforço, ele sobe os degraus, em seguida, me coloca em uma

das quatro

espreguiçadeiras, todas alinhadas de frente, perfeitas para

desfrutar da vista para o mar.

"Esta é sua casa?" Eu finalmente pergunto quando ele puxa outra espreguiçadeira mais próxima daquela que estou e senta-se no final.

Cautelosamente, ele pega meu pé e examina o meu tornozelo.

"Você sempre faz tantas perguntas? ", ele murmura.

Não só eu me sinto como eu tenho muitas perguntas desde que eu o conheço, como me pergunto por que ele é tão avesso a responder mesmo a mais casual das perguntas.

Antes que eu possa formular uma adequada resposta, ele responde: "É uma casa de

86

família. " Eu recuo quando a sondagem de seus dedos atingem um ponto nevrálgico. Ele olha para mim, seus olhos insondáveis.

"Sinto muito. Gestos delicados não são realmente o meu forte

".

"Qual é o seu forte?" Pergunto baixinho.

"Eu diria que algo mais próximo da agressão. "

Meu estômago se aperta em torno de um nó de excitação. Ou é medo? No momento é difícil dizer a diferença.

Alec cortou qualquer resposta que eu poderia ter dado.

"Eu vou pegar um pouco de gelo para seu tornozelo. "Ele desaparece dentro da casa, deixando-me a refletir sobre ele e a mortalha de mistério que o rodeia. Alguns minutos depois, ele retorna com um saco de gelo, uma toalha, um amplo elástico em uma faixa preta e um copo de água.

"Você pode tomar ibuprofeno? "

Concordo com a cabeça e ele me entrega o copo e duas pequenas contra a palma da mão.

pílulas dobradas

Enquanto eu estou engolindo a água, ele está ocupado envolvendo a toalha e o gelo em volta do meu pé e então prendendo-os com o elástico.

"Bem, isso deve evitar que o inchaço fique muito pior ", declara.

Ele é silenciado no que ia dizer por um som. Alec puxa seu telefone

celular para fora do bolso, olha para o visor e franze a testa. "Você pode ficar aqui por alguns minutos? Eu realmente preciso cuidar disso. "

"Eu vou pegar o

"

"Eu vou ficar bem. Leve o seu tempo. "

até que eu

estou fora do alcance de sua voz. Eu inclino a cabeça para trás, apreciando a vista de tirar o fôlego.

Com um aceno de cabeça, Alec caminha de volta para a casa, sem falar

87

Eu não sei quanto tempo Alec ficou ao telefone, mas quando ele retorna, estou completamente relaxada e a dor no meu tornozelo diminuiu dramaticamente.

"Desculpe por isso. Como está o tornozelo? "

"Muito melhor", eu disse, protegendo os olhos para olhar para ele.

"Eu odeio que você se machucou. Eu poderia ter lhe levado para um ninho de tartarugas marinhas ao longo das dunas. Não é o que você disse que você estava procurando? "

Concordo com a cabeça. "Sim, mas podemos voltar outra vez. "

"Se você se sentir bem e quiser andar em Galen um pouco mais, eu poderia levá-la para vê-los antes de eu te levar para casa. "

Eu sei que não deveria sentir a emoção da antecipação que desabrocha em meu estômago. Eu sei que não deveria ser assim tão relutante quanto afim do meu tempo com ele. Ou, pelo menos, eu deveria tentar resistir. Mas eu não vou . Eu não tenho certeza que vou vê-lo novamente depois de hoje. Com isso em mente, não é difícil me convencer que esta viagem curta não vai doer nada.

"Eu gostaria disso."

"Deixe-me dizer a Javi", diz ele, andando de volta para a casa.

Menos de cinco minutos depois, Alec vem caminhando de volta através da porta. Ele caminha até a minha cadeira, mas eu o impeço antes que ele possa se dobrar e me pegar. "Eu posso andar."

Eu provavelmente não posso andar, na verdade. Pelo menos não confortavelmente. Mas eu não quero obrigá-lo a isso, o que é exatamente o que parece acontecer quando ele tem que me carregar.

Ele se endireita e olha para mim, sua sobrancelha direita elevando-se. Eu amo quando ele faz isso. Algo no ar entre nós engrossa. Ele explode com eletricidade. E no espaço de uma

88

respiração curta, sem dizer uma palavra, tudo muda.

"Existe outra posição

que você pode preferir, em que eu segure você? "

O tom de Alec é abertamente sugestivo. Eu posso ver a diferença em seus olhos, a fome

em seu rosto. No grunhido de sua voz. Não estamos mais fingindo que não sentimos isso, que nós não sabemos para onde isso está indo.

E mais uma vez, aqui no convés, sob o sol, nos tornamos duas pessoas que eu conheço

melhor do que ninguém.

Somos Daire e Mason.

"Bem, bem, bem. O que temos aqui? "

Mason pergunta. Assusto-me quando a sua voz cai sobre mim. Eu esqueço que ele pode vir tão forte quanto o sol.

Por um instante, eu estou atordoada. A brisa provoca meu cabelo, o sol bate nos meus ombros nus e a água borbulhante em torno de meus seios nus, deixa meus mamilos em dois pontos duros.

Eu suspiro, instintivamente, inclinando-me para cima e cruzando os braços sobre o peito em modéstia. Eu pensei que ele tinha saído ou eu nunca teria me arriscado a entrar na banheira, sem roupas. No entanto, ele está vestido com nada além de uma toalha, obviamente com a intenção de ter seu próprio mergulho na Jacuzzi.

"Eu

gaguejo, começando a ficar de pé, para ir para dentro da casa, onde eu posso me esconder para

o resto da minha vida, antes que eu pense melhor. Eu não estou exatamente vestida para uma saída digna.

"Eu sinto muito. Eu não

eu pensei

se eu soubesse que você ainda estiva aqui

"Não se desculpe. Eu gosto deste tipo de surpresa."

Seus olhos são quentes e intensos sobre mim.

Se ele sair por apenas um minuto, eu saio de seu caminho.

89

"Por favor, você pode me dar um momento?"

"Não. Eu não acho que eu vou. Eu acho que eu gosto de você assim. "

"Mas eu

"

"Nada de mas. E não finja que assim não é exatamente como você queria estar. "

Como ele faz isso? Ele lê a minha mente? Os meus pensamentos mais profundos e as mais selvagens imaginações?

"Eu não sei o que você quer dizer," eu nego.

"Sim, você sabe. Você sabe exatamente o que quero dizer. Eu sei que você me quer

"

Meu coração está batendo contra minhas costelas e eu penso em todas as vezes que mulheres, no chuveiro ou na cama, foram observadas por ele. E eu sempre me perguntei como seria ter toda a sua atenção focada em mim. Apenas me olhando.

Agora, eu sei.

E eu não acho que eu posso fazê-lo parar antes que eu descubra como é o resto, como é o gosto. O que ele sente.

De volta a realidade, longe de Mason, Alec não espera que eu responda. Ele simplesmente se curva e me leva em seus braços. "Dê-me um tempo", diz ele em voz baixa. "Eu vou lhe mostrar quantas respostas existem para essa pergunta. "

90

Capítulo 16

Alec

Com o deck a poucos passos de nós, Samantha era capaz de montar Galen com pouca assistência minha. Ela se afastou

para eu me sentar na frente dela desta vez. Não era a minha primeira escolha, é claro, mas eu posso esperar a hora certa.

Eu coloquei minha mão em sua bunda para firmá-la enquanto ela montava. Eu sabia que ela ia ficar nervosa. Eu amo essa inocência nela. Eu amo tanto que eu vou gostar de vê-la derreter quando ela conhecer os prazeres que o mundo tem para oferecer. Eu fico duro só de pensar nisso.

Como se sentindo a direção dos meus pensamentos, Samantha aperta os braços em volta da minha cintura. Eu flexionar os dedos

em torno das rédeas, deixando minha mente vagar por um minuto. Eu posso imaginar Samantha com as mãos atadas com estas rédeas, os cabelos se espalhando sobre o travesseiro, os lábios vermelhos e inchados de chupar meu pau. Eu cerro os dentes contra onde a fantasia vai a seguir. Desta vez vai ser mais doce do que nunca. Faz um longo tempo

A viagem até a duna onde eu vi o ninho de tartarugas do mar não leva muito tempo, o que é bom para mim. Este encontro inicial lento, é estritamente para benefício de Samantha. Eu provavelmente deveria avisá-la que não vai durar muito. Eu não tenho a paciência para arrastar esta fase pelo seu tempo normal. Tanto quanto eu gostaria, eu não posso ignorá-lo completamente, no entanto. Deve haver um certo grau de confiança estabelecida, e isso acontece durante este período. Eu sei que isto vem das experiências do passado. Mas eu nunca fiquei tão ansioso antes. Realmente tem sido por um tempo muito longo.

91

Por alguns anos, eu tenho me limitado a apenas assistir quando eu vou para o meu

favorito. Eu achei que isso me mantém na imediata sensação de abstinência.

estabelecimento

Mas ver não é nada como fazer.

Eu puxei Galen e guiei-o mais para o interior, em direção às dunas. Eu o deti quando alcançamos a trilha mal perceptível na

areia. Eu desmontei e soltei as rédeas na base da duna, efetivamente amarrando Galen, antes de ajudar Samantha a desmontar.

"Elas estão aqui?", ela pergunta, colocando as mãos sobre meus ombros e inclinando-se enquanto eu a tirava do cavalo e deixe-a deslizar lentamente pelo meu corpo.

Eu olho para baixo em seu rosto. Isso deve fazê-la ficar nervosa porque ela lambe os lábios. A visão de sua língua cor-de-rosa esgueirando-se para os molgar me faz pensar na minha fantasia anterior. "Você não confia em mim?" Pergunto, sabendo que, não importa que resposta ela dê, ela não confia em mim. Mas o que ela acredita é que eu posso dar-lhe algo que ela nunca teve antes. E é a isso que ela não consegue resistir. Eu sei disso com tanta certeza como estou aqui no sol com ela.

"Claro. Eu não quis dizer

eu só

"

Eu inclino a minha cabeça em direção à trilha na areia. Eu vejo seus olhos piscarem e ampliar. "Isso é o que eu acho que é?"

"Depende do que você pensa que é."

"A trilha da mamãe tartaruga."

"Então, sim, é o que você pensa que é." Seu rosto se ilumina com prazer inocente, fazendo-me desejá-la muito novamente. Eu peguei-a e carreguei-a através da areia, seguindo a trilha quase imperceptível.

"Como você descobriu isso? Será que eles fazem seus ninho aqui todos os anos? "

92

"Eu não sei. Aconteceu de eu notar quando eu montei ontem. "

"Você monta todos os dias?"

"Não. Só quando eu tenho algo sob a minha pele. "

Ela olha para mim. Eu sei que ela gostaria de perguntar o que ou quem, mas ela não o faz. E eu estou feliz. Eu prefiro que ela imagine o que seria. Eu a observo constantemente, até que ela volta sua atenção para a areia enquanto eu continuo para o ninho.

Eu sigo a trilha, feita pelo corpo e nadadeiras da tartaruga do mar, para onde os ovos estão enterrados. "Eu vivi em Charleston a maior parte da minha vida e eu apenas vi um ninho. E eu nunca vi os filhotes correndo para a água ", ela me informa.

"Daqui a cerca de dois meses, você provavelmente poderia pegá-los se você tiver tempo para perseguir o ninho. "

"Você já viu?"

“ Não. Eu estou mais fascinado por outros

fenômenos naturais."

Novamente, ela olha para mim, timidamente, por debaixo de seus cílios. Eu me pergunto se ela se sente como uma presa. Ela deveria. Se ela não o fizer, realmente ela não sabe em que ela está se metendo.

"Eu não estou surpresa. Eu não posso imaginar que você seja do

tipo paciente. "

"Você ficaria surpreso com o quão paciente que eu posso ser, especialmente quando é algo que eu realmente quero. "

"Eu pensei que o seu forte fosse a agressão" , diz ela, referindo-se ao meu comentário anterior.

"Ah é, mas às vezes tem que haver

entra "

preparação para a agressão. Aí é onde a paciência

93

"Os seus esforços nunca são desperdiçados? Você nunca ficou decepcionado? "

Embora ela estivesse tentando escondê-lo, eu posso ver que ela está muito interessada na minha resposta.

Eu encontro os seus olhos de um cinza suave, mantendo o olhar. "Nunca. Eu sempre consigo o que quero. "

Eu a coloquei no chão perto do ninho quando atingimos o fim da trilha. Não há muito para ver neste momento. Apenas alguma areia revolvida e os restos da partida da fêmea. Os próprios ovos estão cobertos. Mas eu não estou interessado nisso de qualquer maneira. Por hora, é Samantha, que tem a minha indivisível atenção.

Há um lugar que eu adoraria levá-la, mas eu sei que ela não está pronta. Isso me faz desejar que eu não tivesse que trabalhar esta noite. Depois de um dia como hoje, eu poderia fazer algum progresso significativo. Movê-la na direção certa. Mas esta noite não pode acontecer, o que significa que eu preciso acrescentar hoje.

"Como está o pé?" Eu pergunto.

"Ele está muito melhor. Eu acho que eu não o machuquei tanto. "

"Nós ainda precisamos tirá-lo dele. Eu deveria levá-lo de volta e levá-lo para casa, onde você pode colocá-lo para cima. "

Ela acena com a cabeça, mas não diz nada.

Tão doce e tímida.

Ela afasta-se do ninho e começou a mancar para a frente. Mais uma vez, eu a peguei e levei-a em meus braços. Carregá-la de volta para o cavalo significava que eu poderia montar o cavalo e colocá-la na minha frente. Justo onde eu a queria.

Então, eu assim eu fiz. Eu levei-a para Galen

anteriormente, colocando-a entre minhas pernas. Ela não discutiu.

e subi

94

nele, assim como eu fiz

Ao rodeá-la com os braços para tomar as rédeas, meu rosto foi diretamente para o emaranhado selvagem de seu cabelo. A massa perfumada agradava o meu olfato.

“Eu já te disse que eu amo o seu cabelo? "eu sussurrei perto da orelha dela enquanto eu facilidade guiava Galen de volta em direção ao trilha na areia perto dos surfistas. Ela não respondeu, então eu continuei "É como incêndio. Quente e indomável. "

Eu sinto sua respiração suspensa. Eu sei como a minha proximidade a afeta e, é claro, eu vou usar isso a meu favor.

"Você nunca quer ser assim? Quente e indomável? Selvagem? Você nunca quis se deixar levar e apenas sentir? "

Seus dedos cavaram minhas coxas onde ela estava segurando e eu imagino líquido borbulhando começando a bolha em seu estômago.

Exorto Galen em uma marcha mais rápida. "Eu quero ver você deixar-se ir assim, ser selvagem. Livre. Eu quero fazer você esquecer o resto do mundo por um tempo. Eu me

pergunto se você me deixaria

".

Ainda assim, ela não disse nada, mas eu sei que ela está ouvindo. Seus lábios se separaram e o rosto dela está ligeiramente voltado para mim, colocando sua orelha mais perto da minha boca para que ela possa me ouvir melhor.

"Uma vez que esta praia é particular, eu me pergunto se você deixe-me colocar minha mão sob a barra de sua saia. Você vai me parar? Ou você me deixaria ir ainda mais longe? Será que você deixa-me afastar seu biquíni para o lado? Você está usando um biquini sob esta saia, não é? " Enquanto eu faço a pergunta, eu passo a minha mão pelo seu estômago, achatando a palma da mão e espalhando os dedos para que o meu dedo mindinho roce no elástico de seu biquíni, confirmando minha suspeita.

Ela acena com a cabeça para responder a minha pergunta. Mas eu não quero que ela a acene. Quero ouvir sua voz. Eu quero saber o quanto eu a deixo sem fôlego, eu quero ouvir de suas calcinhas o quanto ela quer que eu faça coisas más para ela.

95

"Responda:" Eu comando.

"Sim", ela respira, sua voz apenas um pouco acima de um sussurro.

"Você me deixaria fazer isso? Será que você deixa-me empurrá-lo para o lado e colocar os meus dedos dentro de você? Você os montaria ao ritmo de Galen enquanto ele atravessa a areia? Será que você molharia toda a minha mão com o seu doce sumo enquanto você diz meu nome, uma e outra vez? Você deixaria?". Eu desci minha mão um pouco mais para baixo. “Ou você quer que eu foda você?". Eu a senti endurecer. Ela está sob o meu feitiço. Eu sei que ela está. Eu já fiz isso vezes suficiente para saber, o suficiente para ser capaz de ler as mulheres perfeitamente. Mas há algo a impedindo, algo mais que apenas inexperiência.

Eu sei que ela não é virgem. Samantha tem uma consciência sobre si mesma que vem de ter tido relações sexuais antes. Ela sabe de onde eu estou vindo. Mas eu seria capaz de apostar que ela nunca foi muito aventureira, sexualmente falando.

Isso não é raro nas mulheres que eu achei mais adequadas para este tipo

de

não importa o que seja. Vou contorná-lo, e ajudá-la a superá-lo. Na verdade, agora que penso

nisso, o desafio só vai fazer o resultado final ser muito mais doce.

Mas eu acho que há outra coisa acontecendo com Samantha. Realmente

relacionamento.

Eu mantenho a minha mão onde está, não me movendo nem para baixo, nem para cima. Eu não quero pressioná-la ainda, mas eu não vou recuar também. Em vez disso, eu a puxei de encontro a minha virilha. Eu quero que ela sinta cada centímetro de mim. Tocando os lados de Galen, eu o incito para um galope.

Eu sei que ela está pensando em minhas palavras, sobre as minhas mãos em seu corpo,

todo os meus dedos enquanto o

vento está chicoteando seu cabelo e o sol está beijando seu rosto. Eu quero que ela pense nisso agora. E eu quero que ela deseje isso mais tarde.

sobre o ritmo do cavalo e como ele pode sentir-se ao gozar em

E ela vai.

Eu sei que ela vai.

96

Capítulo 17

"Acorde! Acorde! Ovos e pães ".

Samantha

Eu olho para Chris por debaixo do meu braço. Eu nem me preocupo em me virar. "Eu quero que a minha chave de volta. "

"Você poderia repetir isso? Eu não posso compreendê-la com um travesseiro em sua

boca ".

Eu ergo minha cabeça. "Eu quero a minha chave de volta. Você tem usado-a de forma diferente à que devia. Tenho a honra de revogar o seu acesso. Você está dispensaaaaada! "

"Nesse caso".

Silêncio.

Um travesseiro me bate na parte de trás da cabeça.

"Tudo bem, tudo bem! Eu estou levantando. É melhor que você tenha me trazido algo delicioso e cheio de açúcar, isso é tudo o que eu tenho a dizer. "

"É claro que eu trouxe. Eu achava que isso seria uma missão de resgate. Eu te liguei seis mil vezes ontem à noite e nenhuma resposta. Quando você não estava na loja de café esta manhã, eu fiz as contas. Ou teve uma longa noite de satisfação sexual suada, você está de ressaca, ou você está fazendo beicinho. Qual é? ", Ela pergunta. Antes que eu pudesse responder, ela canta baixinho, "Por favor, seja o sexo, por favor, seja o sexo, por favor, seja o sexo ".

"Nenhuma das anteriores".

97

Sua expressão está cai. Duvido que haja outra pessoa no planeta que tenha mais interesse em minha vida sexual do que Chris. Eu incluída.

"O quê? Sem sexo? De nenhum tipo? "Eu sacudi a cabeça. "Esse foi o maior encontro frustrado. "

"Não era um encontro", murmuro.

"Por

isso

está

fazendo

beicinho!

O

que

aconteceu?

Derrame",

ela

ordena,

entregando-me um café, chutando seus sapatos, e dobrando suas pernas embaixo dela.

Eu sabia que ela iria perguntar. É foi exatamente por isso que eu não atendi o telefone ontem à noite. Eu não quero direcionar suas perguntas. Ou minhas preocupações. Eu preciso de tempo para pensar, para descobrir o que fazer.

Eu estou no meu limite e eu sei disso. Mas o que é possivelmente, o pior é que é tudo sobre um cara que começou como a personificação de um personagem fictício. É psicótico!

Só isso já deveria ter sido uma bandeira vermelha.

um aviso suficiente para me parar. E agora é tarde

demais. Estou começando a ver que Alec Brand é muito mais perigoso do que Mason jamais poderia ser. Alec é praticamente idêntico a Méson de várias maneiras. Apenas Alec Brand é real.

Mas não era. Bem, foi, mas não

"Não aconteceu nada. Ele imobilizou meu tornozelo, me deu um pouco de ibuprofeno e, em seguida, levou me para ver um ninho de tartaruga marinha que ele encontrou. "

"Então o quê?"

"Então, nada. Ele me levou de volta para sua casa, entramos em seu Range Rover e ele me trouxe para casa. Fim da história. "

Chris bufou em decepção. "Você vai vê-lo de novo? "

"Eu não sei."

98

palavras quentes no meu ouvido depois que

saímos do alinhamento das dunas isolada, Alec colocou Galen em um galope e não disse mais

nada até que ele me deixou na minha porta. E, até então, foi apenas um adeus educado e um espero-que-você-se-sinta-melhor ou coisa do tipo.

E isso era verdade. Depois de falar com

Eu só não entendo ele. Ele me mantém desalinhada com os seus estímulos quentes - para no minuto seguinte me esfriar com um vibrador. Eu não sei o que pensar ou o que esperar. Como eu posso, planejar ou antecipar quando eu não tenho idéia do que está acontecendo?

A parte racional de mim diz que o único planejamento que eu preciso fazer é sobre

como evitá-lo a todo custo. Isso é o que eu deveria sestar pensando.

Só que eu não estou. Passei a maior parte da minha tarde e uma boa parte da minha noite sem dormir pensando no quanto eu gostei de ser pressionada contra seu o corpo, movendo-me com o ritmo do cavalo, com suas palavras ainda soando em meu ouvido.

Parecia tão natural. O clima foi construído tão perfeitamente. Se eu não estivesse tão destruída, seria muito fácil

Por que, oh por que não posso ser normal?

"Bem, esse cara precisa entrar no jogo ".

"Talvez seja melhor se ele não entrar, Chris."

"Oh, besteira. Este é o cara. Eu posso sentir. Eu posso ver isso em seu rosto. Você só tem que dar uma chance a ele. "

O bom senso me diz que ela não pode saber disso. Mas eu desesperadamente quero

acreditar que ela, e jogar a precaução ao o vento e apenas saltar.

99

"Eu queria que você estivesse certa."

"Eu estou certa."

"Se estiver, então eu estou perdendo um monte de dinheiro com este terapeuta você me forçou a conversar. "

"O que é que isso quer dizer?"

"Ela disse que eu deveria ficar longe dele. De Alec ".

Chris ficou quieta. Tenho certeza de que ela não sabe o que dizer sobre isso. Ela estava convencida de que a Dra. B seria capaz de me ajudar com todos os meus problemas, mandando-me viver depois de um ou dois meses para viver o felizes para sempre com o homem da minha escolha. O que Chris não consegue perceber é que os felizes para sempre são reservados para a ficção. Escrevo-os, mas provavelmente é o mais perto que eu vou conseguir chegar de um.

Ela se recupera depois de um minuto. Eu não fico surpresa. Como regra geral, ela é quase imperturbável. "Para isso eu diria o seguinte: Você pensa demais. Esse sempre foi o seu problema. Eu estava esperando que a Dra. B pudesse ajudá-la a sair dessa, e eu não estou convencida de que ainda não vá acontecer. Talvez isso seja algum tipo de técnica psicanalítica comprovada. O que o inferno eu sei? "

"Engraçado, isso é exatamente o que eu estava pensando" Eu brinco.

"Bem, espertinha, eu vou te dizer exatamente o que o inferno eu sei. Eu sei que você é

inteligente, engraçada, linda e talentosa, e você merece ser mais feliz do que qualquer um que

eu conheça. E, caramba, eu vou te pegar lá se esse for o último filho da pu

."

O meu telefone toca na mesa de cabeceira, fetivamente cortando seu discurso. Eu o

pego e olho para a tela. "É o

Ari ".

100

Com um suspiro, especificamente projetado para me permitir saber o quão deixada de lado ela sente, Chris cede. "Tudo bem. Vá. Vá e dê todo o seu tempo precioso para o seu agente. Veja se eu importo. "

"Eu sei que você se importa, Chris. E eu te amo por isso. E talvez, apenas talvez, há ainda esperança para mim. Não desista. "

"Sem chance de isso acontecer. Eu sou tão tenaz como um pit bull. Você sabe isso. "

"Sim, sim, eu sei que" eu ironizei. "Eu só preciso de tempo. Isto é tudo. Eu não estou quebrada além do que possa ser consertado. "

Isso é mais para o seu benefício do que para o meu.

Eu não estou convencida de que eu possa ser consertada. Nunca. Por qualquer pessoa.

"Nenhum de nós está."

Enquanto eu espero que ela esteja bem, eu tenho as minhas dúvidas.

Eu sorrio. "Nós temos uma questão mais premente no momento, apesar de tudo. "

"O que?"

"Eu tenho que fazer xixi. Muito. E você está nos meus pés. Eu sugiro que você saia antes que nós duas tomemos um banho de mijo dourado. "

"Guarde essa coisa desagradável para seus livros, mulher ", diz ela, apertando o rosto e saindo da cama. "Eu sou uma boa menina ".

Chris empurra o nariz no ar, me dando a sua melhor impressão de um como ela parece uma boa menina. Morri de rir.

"Sim, claro! Você já deve estar feita xixi em mais do que um bolo de urinol. "

101

Brincadeira, ela esmaga meu braço enquanto ela calça os sapatos de volta. "Escove os dentes enquanto você está nisso. Eu vou ter que desenhar minhas sobrancelhas. "

"Ei, ninguém disse para você vir e me arrastar da cama. "

"Na verdade, eu vim para lembrá-la sobre o carnaval esta noite. "

"Ugh!" Eu lamento que eu fracasso para trás em meu travesseiro. "Por que você é um pé no saco?".

"Eu sou sua irmã. É o meu trabalho. Além disso, eu me divirto com esta merda toda". Chris está usando um sorriso de satisfação quando ela sai de lado do meu quarto.

102

Capítulo 18

Alec

Eu sonhei ontem à noite sobre como Samantha pareceria amarrada a uma cama em seda preta, sua pele fina e translúcida brilhando pálida a baixa luz, ressaltando os globos vermelhos em sua bunda perfeita. Quando eu acordei, eu poderia quase sentir a picada da pele dela contra a minha palma da mão. Eu ainda estava duro uma hora depois.

Agora eu desejaria que estivéssemos avançado, até o ponto onde ela fosse receptiva a um noite como essa. Mas as primeiras coisas primeiro. Eu preciso levá-la a esse ponto.

tradicional, aquele que uma vez abominava pessoas

como eu e fetiches como os meus. Na verdade, ele ainda abominava. Não era assim até o acidente em que eu mesmo conhecesse do outro lado da sexualidade, o que eu venho abraçando. Quase contra a minha vontade. Certamente contra uma parte da minha vontade.

Eu ignoro a voz do meu eu mais

Mas é o outro, a outra metade, que adora. E ele é muito difícil de controlar.

103

Capítulo 19

Samantha

O carnaval (N.T.- festa em um parque de diversões tipo uma quermesse com desfile, máscaras

e circo) montado este ano é pelo menos o dobro do que foi no ano passado. Crianças lotaram

os passeios e os brinquedos, tudo de graça esta noite graças aos meus pais. Adultos de todas as idades estavam ao longo das vias pavimentadas, tomando conta de suas crianças e misturando-se com o outro pais adotivos.

Chris e eu somos as "histórias de sucesso" da noite. Meu discurso vai ser curto e direto ao ponto, como foi no ano passado. Ainda assim, eu odeio fazer isso. Estou mais confortável como Laura Drake respondendo a perguntas sobre o prazer de ser levemente mordido do que eu estou em fazer um discurso sobre os efeitos da mudança de vida em uma criança adotada.

Como ferrar com isso?

Estou concentrada, sorrindo como um político, aguardando a minha "hora" quando meu telefone apita com uma mensagem na caixa de entrada.

É de Alec. Meu dedo treme com antecipação quando eu deslizo pela tela para ler a mensagem.

Você está pronta para o próximo passo?

Meu estômago amarra-se em um nó. Não, eu não estou totalmente pronta. Mas eu estou começando a acreditar que dar o próximo passo é tão inevitável quanto a minha incapacidade de orgasmo.

Inevitável.

Quando a palavra passa pela minha mente, um pouco de Mason também passa,

104

obscurecendo mais as linhas entre a vida e a ficção.

Pare de tentar se convencer de que você deve resistir a mim. Nós dois sabemos que você nem quer tentar. Mas só eu sei o porquê. Eu sou a sua inevitabilidade, Daire. Eu sou a única coisa que você não pode evitar.

inevitabilidade. E, no fundo, eu estou

começando a sentir algo mais do meu livro. É a centelha de esperança que Daire nunca perde -

a centelha de esperança que pode haver amor e plenitude para um menina como ela. Como eu. Como nós.

Eu estou começando a sentir esta

esta

Eu respondo.

Não tenho certeza.

Há uma pausa, então, ele responde.

tanto tempo que eu não tenho certeza que ele vai responder. Mas,

Eu vou fazer você ficar pronta. Apenas confie em mim.

Confiar em Alec não é a questão. É confiar em mim mesma, confiar que eu sou capaz. E confiar que eu possa suportar a

rejeição que obrigatoriamente virá depois

Eu espero que você esteja certo.

Outra pausa.

Onde você está?

Em um carnaval. E você onde está?

No caminho para um Carnaval.

Ele não pediu indicações. Depois vê-lo socializar na festa beneficente, eu não tenho

105

dúvidas de que ele está bem conectado e

bem informado. E se ele já não sabe sobre o carnaval, provavelmente

não levará muito tempo para descobrir.

Para me encontrar.

O problema é: Como é que eu vou concentrar-me nesse meio tempo? E se ele aparecer

antes do meu discurso?

Eu lembro quando ele apareceu na terça-feira, quando eu vi pela primeira vez Alec. Eu estava completamente distraída depois que eu o vi no meio da multidão. E isso foi antes de eu realmente o conhecer, antes que eu soubesse o quão parecido com Mason ele realmente é. Eu nunca teria imaginado que as semelhanças fossem além da física, do superficial. Mas vão. Elas vão fundo. Muito profundo, ao que parece.

Sabendo que provavelmente (espero) esteja perto dele chegar, eu vou até a tenda do jogo de atirar a bola para assistir a um trio de jovens meninos tentando jogar sua melhor jogada para ganhar um prêmio . É óbvio que os três são irmãos. Cabelos loiros encaracolados, olhos azul brilhante e sardas em abundância, eles são praticamente idênticos, aq não ser por sua altura em escadinha. Eu acho que eles têm provavelmente dois anos de intervalo, a partir de talvez dez e passando por catorze ou quinze anos.

À minha direita está um casal de idosos, olhando com orgulho. Eles são, sem dúvida, os

pais adotivos, eu aposto. Ao ficar com os três meninos, provavelmente, de modo a não separá-los, e, em seguida, cuidar deles, como tão obviamente fazem, é o que faz o brilho do carnaval. Nem as luzes ou os passeios ou as estrelinhas, mas os pais adotivos que interrompem suas vidas para ajudar uma criança. Ou três. Um aumento de gratidão que nunca está longe do meu coração sobe para a superfície.

Eu sou grata quando vejo minha mãe adotiva vindo em minha direção, chegando e me abraçando.

"Está quase na hora", diz ela, quando ela me encontra.

106

Estou aliviada. Estou contente que eles estão iniciando um pouco mais cedo este ano, especialmente agora que Alec está a caminho.

Nós nos dirigimos para o pequeno pódio centrado no palco - que é só um pouco maior - que foi montado perto do posto de concessão.

Meus nervos estão tensos. Sempre que eu estou de frente ao público, eu me preocupo se alguém vai me reconhecer. Eu racionalizo comigo mesma que é tão provável quanto conhecer um alienígena no supermercado usando calcinhas, mas nunca elimina completamente o medo.

Não é que eu tenha vergonha do meu trabalho. É mais porque eu não quero que as pessoas saibam sobre as cicatrizes que carrego. Eu não quero que elas façam perguntas, façam conexões e deduções inevitáveis. A maioria delas seria errado de qualquer maneira, mas provavelmente um ou dois acertariam em cheio. E eu não quero pessoas perto de mim, tão perto do meu verdadeiro eu. Todo mundo tem o direito de se esconder se eles quiserem.

E eu me escondo.

Alguns minutos mais tarde, depois de seu curto discurso, mamãe me apresenta e eu caminho para ela. Ela dá-me o microfone. Eu olho para a multidão e sorrio.

"Eu também gostaria de agradecer a todos por ter vindo hoje à noite em apoio à promover a iniciativa. Eu sou a prova viva de

como o programa e as pessoas que participam dele são maravilhosas e podem mudar o destino de uma criança. Sem o amor e a orientação de meus pais, eu não sei onde eu estaria hoje. Eu digo a todos que Andre e Deandra Johnson salvaram a minha vida. E é verdade. Eles salvaram. Quando você olha ao redor da multidão esta noite, sabemos que as crianças que você vê aqui um dia crescerão para dizer as mesmas coisas sobre você. Assim em nome deles, e a partir do fundo do meu coração, muito obrigada. "

Eu sorrio novamente e entrego o microfone de volta para minha mãe.

Curto e doce. E pronto!

107

Quando eu me viro para sair do palco, eu quase caio quando vejo Alec de pé à margem da multidão. Ele está me olhando, seus olhos encobertos e misterioso, penetrantes, como sempre.

Hesitante, eu me dirijo para ele. Eu paro um pouco abaixo de onde ele está. Ele não diz nada, mas continua a me olhar. Sua testa se franze quando Chris começa a falar. Por respeito à ela e um desejo de evitar a sondagem do olhar de Alec, eu me volto para ouvi-la.

Sinto Alec se mover atrás de mim. Perto o suficiente para que eu possa sentir o seu calor contra a minha volta, mas ele não me toca.

Eu faço um esforço para focar o testemunho sincero de uma Chris chorosa. Ele sempre faz minhas entranhas doerem ao ouvi-la falar de sua vida antes que mamãe e papai a adotassem. A mãe biológica de Chris morreu quando ela era apenas um bebê, deixando-a sob os cuidados de seu pai. Ao longo dos anos, sua raiva e ressentimento por ter sido deixado com um criança e nenhuma mulher se transformou em violência. Felizmente, o abuso foi descoberto rapidamente, depois de um incidente.

A primeira noite que Chris passou com o Johnsons, seu braço ainda estava enfaixado. Ela não teve um osso quebrado desde então.

Quando Chris fala sobre sua vida agora, ela mencionava como ela não estaria onde ela está, proprietária de um negócio próspero , sem o apoio de seus pais adotivos. Como ela sempre faz, ela me menciona de passagem. Ela me agradece por trabalhar ao seu lado todos os dias, como sua colega de trabalho, seu sistema de apoio, e sua melhor amiga, assim como sua irmã.

Eu sorrio, sem tirar os olhos dela, quando as pessoas olham em minha direção. Eles nos vêem como as histórias de sucesso que estamos representando - eu como uma contadora, ela como uma empresária. É só uma meia verdade, é claro. Eu não sou contadora. Mas desde quando Chris começou seu próprio negócio, inventar uma história sobre eu trabalhar para ela só fez mais sentido.

"Você trabalha com sua irmã?"

Eu me viro para olhar para Alec. Eu engulo e faço meu melhor para não tropeçar na

108

mentira. É o único que eu posso fazer parecer

convincente.

"Sim, eu sou sua contadora."

"Tenho certeza que a maioria das pessoas acham que é tanto

confiável e como apropriada. "

Meu coração gagueja. Não há nenhuma maneira que ele poderia saber. Poderia?

A maioria das pessoas não piscou um olho quando elas ouviram que eu era contadora. Evidentemente se adaptava a minha personalidade à perfeição- sem graça e previsível. Alec Brand não é a maioria das pessoas, no entanto. Temo que ele é a única pessoa no planeta que pode ver minha alma.

"Mas você não acha?"

Alec não respondeu, ele apenas olhou para mim com aqueles olhos de jade afiados. Eu me afasto da percepção que eu vejo neles, esperando que eu não tenha me exposto muito, rezando para que ele não visse através de mim.

Quando mamãe recupera o microfone, ela diz mais algumas palavras, em seguida, apresenta uma mulher dos Serviços Sociais, explicando que ela estará disponível para perguntas no final da noite. Não muito tempo depois, o multidão começa a dispersar, pessoas gradualmente voltando para os jogos e a diversão leve da noite.

Relutantemente, eu giro para trás para Alec. Meus olhos encontram os dele facilmente, como se eles nunca tivessem se afastado, como se eu nunca tivesse virado minha atenção para o palco. Eu não posso evitar e me pergunto se ele teria desviado o olhar se eu não tivesse desviado primeiro. Eu não sei o que ele acha que ele vê ou o que ele está esperando para ver quando ele me olha tão intensamente, mas eu acho isso tanto enervante e emocionante.

Sem dizer uma palavra, Alec alcança a minha mão. Depois de alguns segundos, ele se

109

vira e me leva para longe. Eu não pergunto onde ele está levando-me, eu só o sigo.

Ele me puxa através do pavilhão lotado para o Túnel do Amor. O percurso é curto e se move rapidamente. Sem perder tempo, somos embarcados em um carro pequeno, o último de uma série de muitos, que transporta-nos para um corredor mal iluminado.

Nossos corpos são pressionadas juntos do ombro ao joelho dentro dos limites do compartimento aberto. Estou começando a ficar desconfortável com o prolongado silêncio quando ele finalmente se inclina perto do meu ouvido e fala.

"Você está escondendo alguma coisa", diz ele. "E isso me intriga."

Meu

coração

está

vibrando

loucamente.

Quero

começar

a

dar

desculpas,

racionalizações e negações, mas eu não consigo. Eu seguro a minha língua.

"Eu acho que subestimei você", ele admite. "Eu acho que você pode estar mais pronta do que eu pensava. "

Antes que eu possa me impedir, a pergunta está fora. "Pronta para quê?"

"Pronta para mim."

Eu sinto que cada nervo sob todos os centímetro da minha pele está esperando atenção esperando que ele se mova, esperando por ele me tocar.

"Isso faria você se sentir melhor se eu confessasse algo para você?"

Olho para ele. Apesar da fraca luz vermelha do túnel, seu rosto ainda é o mais bonito

que eu já vi. Seus olhos

Meu Deus, seus olhos!

Eu aceno em resposta.

"Eu penso em fazer as coisas para você. Algumas delas podem te assustar. Mas outras talvez não. "Seus lábios estão tão perto do meu

ouvido, sua respiração move meu cabelo. Ele ângula seu corpo em direção ao meu e deixa cair

110

sua mão na minha perna. "Eu acho que não iria assustá-la, se eu lhe dissesse que eu gostaria de beijá-la novamente. "Quando ele fala, sua dedos estão fazendo círculos na minha coxa nua. "Eu duvido que isso iria assustá-la, se eu disse que gostaria de levá-la diretamente para a grama por trás deste passeio, onde você ainda podia sentir o cheiro da pipoca e ouvir a Merry-Go-Round, e desabotoar suas roupas. "Seus dedos estão subindo até a minha perna, os círculos ficando cada vez maiores. "Eu diria que nem mesmo a assustaria, se eu lhe dissesse que eu gostaria de deslizar sua calcinha para baixo em sua belas pernas, então colocá-las em sua boca para que ninguém pudesse ouvir os seus gemidos. "

Estou sem fôlego. As duas únicas coisas que eu posso ouvir é a voz dele e o som do meu próprio sangue correndo em minhas veias. Meu mundo inteiro está focado em suas palavras. E sua mão, à medida que sobe cada vez mais alto em minha coxa.

Eu sinto as costas dos dedos dele passearem pela borda da minha bermuda. "Você não tem medo, tem? "

Eu não posso responder. Minha boca está muito seca e alguma emoção não identificada fecha a minha garganta. Mas eu posso sacudir a cabeça. Eu faço. Eu balancei minha cabeça em negação do meu medo, mesmo que seja uma mentira. Ele me assusta. Mais do que ele jamais poderia imaginar.

"Então, provavelmente não vai assustá-la quando eu disser a você que eu quero beijar você aqui. " Seus dedos caíram para o interior da minha coxa, onde minhas pernas estavam pressionadas juntas.

Reflexivamente, eu as apertei juntas mais forte. "Mas isso pode assustá-la quando eu

disser lhe que a sua resistência me faz querer

da barra da minha bermuda. Sinto eles traçarem a borda da minha calcinha,

pressioná-la. "Seus dedos deslizaram por baixo

movendo-se cada vez mais perto do meu núcleo. "É me faz querer empurrar suas pernas abertas até que eu a ouça gemer. Isso me faz querer manter seu corpo lutando, enquanto eu coloco minha língua dentro de você. Porque eu sei o que vou provar. Eu vou provar desejo. Eu vou provar o quanto que você quer que eu pressione você. Só um pouquinho. Eu vou provar como o seu corpo doce te trai. Eu vou prová-lo quando ele derramar seus líquidos em meus

111

lábios. Mmmm ", ele ronrona em meu ouvido. "Samantha?"

Quando ele não continua, eu sussurro minha resposta. "Sim?"

"Suas calcinhas estão molhadas."

Lentamente, ele puxa sua mão por baixo dos meus shorts e se endireita na cadeira.

Depois de alguns segundos que ele me soltou, o passeio desacelera e outro carrinho aparece em uma associação de luz no fim do túnel.

Olhei para Alec. Seu rosto era uma máscara.

Quando o passeio termina, Alec me ajuda a sair do carro e coloca a mão nas minhas costas para me guiar na direção da saída.

"Será que você aproveitou o passeio?" O manobrista pergunta quando chegamos a ele.

"Muito", Alec respondeu.

Eu olho para o seu rosto.

E, novamente, eu vejo nada.

112

Capítulo 20

Alec

O emaranhado de lençóis úmidos torcidos em torno de minhas pernas me acorda. Levo

alguns segundos para limpar a minha cabeça do remanescente do sonho. Era tão real, eu encontro-me repetindo mais e mais e mais que foi apenas um sonho. Foi apenas um sonho. Foi apenas um sonho.

Mas parecia tão real. Muito real. Senti-me virando a esquina do prazer erótico ao terror. E parecia então como se fosse verdade.

Fazia um longo tempo desde que eu sonhei assim. E não é um retorno bem-vindo. Eu não tenho certeza do que isso significa, mas eu estaria disposto a apostar que tem tudo a ver com Samantha e como eu estou atraindo-a.

Ou em como ela está me atraindo?

De qualquer forma, eu estou indo por uma estrada que eu sei como evitar. Eu já percorri um longo caminho e voltar agora é loucura. E ainda aqui estou eu, passando por todos os cenários familiares, viajando pelo mesmo caminho novamente.

Eu pensei que eu tinha passado disso. Eu pensei que era melhor do que isso. Que eu estava em um período melhor.

Mas eu acho que algumas feridas nunca cicatrizam.

Não totalmente. Assim como alguns fantasmas nunca param de assombrar.

É uma coisa boa que logo eu estarei deixando.

113

Este lugar é ruim para mim agora.

E assim como é Samantha Jansen.

"Até quando?" Chris gritou.

Capítulo 21

"No próximo sábado. Domingo, o mais tardar."

Samantha

"Doce mãe do inferno, é uma semana de merda!"

"Eu sei, eu sei. E, acredite em mim, se eu pudesse sair fora disso, eu faria. Mas isso faz parte do negócio, Chris. Você sabe disso. E você sabe o quanto eu odeio isso."

Ela rosna para o telefone, mas eu sei que ela vai entender. Embora não tenhamos um vínculo de sangue, nós somos irmãs de todas as formas que contam, inclusive estar em volta uma da outra.

"Tudo bem. Mas você vai ficar me devendo um favor enorme. Tipo um grande primogênito."

"Feito!" Eu grito rapidamente.

"Sim, como se isso um dia fosse acontecer."

Eu sei que Chris está apenas brincando, mas me fez sentir como se ela secretamente se sentisse sem esperança sobre minhas chances de uma vida normal, como eu às vezes me sinto.

"Isso é encorajador."

Há um silêncio absoluto por cerca de dez segundos. Imagino os olhos de Chris escancarados e a boca aberta e as palavras Oh merda! Passando por sua cabeça as voltas.

"Isso não é

Eu não quis dizer

eu não estava

115

"

"Está tudo bem. Eu só estou brincando com você", eu digo levemente, tentando esconder o quanto suas palavras machucam.

"Sam, eu

"

"Hey, antes que me esqueça, eu vou precisar de alguns sapatos incríveis que Laura Drake poderia usar em um evento à noite em Portland. Alguma sugestão?"

Falando de compras, que é a segunda coisa favorita no mundo para Chris (sendo sexo a primeira), é sempre uma maneira segura e eficaz para mudar de assunto.

"Eu realmente tenho os sapatos perfeitos para você, mas eles vão com o vestido perfeito. Pacote de ofertas. Ame-os ou deixe-os."

Hesito. "Nada muito

colorido, eu espero."

"Nada que Laura Drake não possa usar, se é com isso que você está preocupada."

"Sim, eu acho que é."

"Então, não. Você ficará linda."

"Oh, eu acho que não preciso me preocupar com isso."

"Quer parar com isso?" Chris estalou.

"Parar de fazer o quê?"

"Colocar-se para baixo desse jeito."

"Eu não estava. Eu estava apenas fazendo um comentário verdadeiro. Nada mais."

"Não é verdadeiro de forma alguma. Você é linda, se você quer ver isso ou não. Todos os outros veem. De que outra forma você teria chamado a atenção de um gato como Alec Brand? "

"Eu ainda me pergunto exatamente a mesma coisa."

116

"Ouça o que ele não está dizendo. Você vai ser capaz de ouvir o que ele pensa de você alto e claro. Eu ouvi e eu só vi vocês dois juntos num total de, o que, dez minutos?"

"E o que, em nome de Deus, você acha que ouviu?"

"Todas as coisas normais, é claro. Você é sexy, eu quero você, blá blá blá. Mas eu acho que a coisa mais interessante e importante que eu peguei foi que ele acha que você é diferente. Eu acho que ele está tão surpreso com você como você está com ele."

Suas palavras me fazem feliz. Muito feliz. Elas são como uma validação, porque eu também, às vezes, tenho essa sensação. Há algo sobre a maneira como Alec me olha. É como se ele estivesse confuso sobre mim, como se ele não conseguisse me entender. E eu acho que, para um homem como Alec, isso é uma coisa boa.

Sendo muito normal e muito fácil de ler provavelmente lhe aborreceria. Pelo menos eu espero que sim.

"Eu espero que você esteja certa", eu digo simplesmente.

"Claro que eu estou certa. Quando você me viu estar errada?", ela retruca jogando as minhas palavras de volta.

"Oh Deus!" eu digo, revirando os olhos embora ela não possa vê-lo. Ela ri, o que me diz que ela sabe exatamente o que eu fiz.

Chegar como Laura Drake é sempre mais fácil do que partir como Laura Drake.

Com certeza, eu posso ter um pouco mais de cuidado com a minha identidade do que é necessário, mas manter Samantha Jansen e todos os seus segredos longe dos olhos do público é

117

de extrema importância para mim. É com isso em mente que eu enfrento o tráfego do aeroporto no domingo para que eu possa voar um dia mais cedo. Eu vou para a sala de espera da Primeira Classe, assim que eu chego em Portland.

Eu abro minha bolsa de maquiagem sobre o balcão em frente do espelho e começo a aplicar sombra nos olhos. Eu coloco um verde escuro na minha pálpebra e um cinza na linha inferior dos meus cílios, dando-lhes um olhar esfumaçado que eu acho que perpetua a imagem de Laura Drake, uma imagem que não é nada como a jovial e banal de Samantha Jansen.

Um pouco de blush e um pouco de vermelho nos meus lábios e eu estou pronta para o terno sexy e inteligente de Laura. Alguns minutos mais tarde, eu estou de pé mais uma vez em frente do espelho, empurrando fios de cabelo vermelho escuro sob a meia que uso antes da minha peruca. Uma vez que o cabelo preto de seda está no lugar, óculos sem prescrição médica completam o meu visual.

Não há nada de Samantha Jansen olhando de volta para mim. É como se ela deixasse de existir completamente quando Laura Drake está no palco.

Apagando todos os resquícios de Sam com os cosméticos de Laura, eu fecho o zíper em seguida, e jogo a bolsa por cima do meu ombro. Eu estou pronta para enfrentar Portland agora.

Como prometido, Ari está esperando por mim na área de bagagens, com a minha mala de roupas e minha valise a seus pés. Seus pálidos olhos azuis se iluminam quando ele me vê. Ele sempre amou me ver como Laura na íntegra.

Quando eu chego, ele tenta tirar a bolsa do meu ombro. "Não, eu levo. Você tem as mãos cheias", observo, acenando para as duas bagagens que ele pegou para mim.

Ele encolhe os ombros e pega minha mala e valise. "Então", ele começa. "Diga-me o que está acontecendo com você. Sinto cheiro de homem em todo esse medo que você está."

"Eu não estou com medo. Além disso, você sente cheiro de homem em tudo."

Ele sorri para mim. "Eu gostaria".

118

Eu sorrio quando nós nos dirigimos para o táxi esperando ao longo do meio-fio. Uma vez dentro, ele continua como se não tivesse havido uma pausa. "E então?"

Eu suspiro. Eu provavelmente não deveria dizer nada, e eu certamente não deveria dar uma explicação para Ari, mas por alguma razão eu quero falar sobre isso.

"Eu conheci um cara."

Os olhos de Ari acendem e ele se vira em seu assento para me encarar. "Eu quero mais detalhes. Como ele é, ele é um bom beijador, e ele vai ser um bom pai para suas crianças? "

"Deus, mais devagar! Você é tão mau quanto Chris. "

"Ok, então vamos começar com o mais importante. Ele é um bom beijador?"

Eu não posso deixar de rir.

"Na verdade ele é."

"Isso é um bom sinal. E onde é que você encontrou este diamante bruto?"

"Você se lembra do último cara a fazer uma pergunta no

"

Ari nem sequer me dá tempo para terminar.

Ele suspira e dá um tapa no meu braço. "NÃO! Não aquele delicioso pedaço de calça jeans e botas?"

Eu deveria saber que Ari se lembraria de alguém como Alec.

"O único."

“Menina! Eu deveria saber que, quando você finalmente encontrasse alguém, seria um garanhão como ele."

Eu ignoro essa afirmação pelo que é -

a suposição de que a minha vida privada é como

a vida que eu escrevo. É a mesma coisa que a maioria das pessoas pensa.

119

E não poderia ser mais errado.

"Bem, é muito complicado."

"Então, é daí que vem a graça".

"Eu não acho graça."

"Claro. E eu não tenho uma coisa por grandes peitorais".

Novamente, eu ignoro-o. "De qualquer forma

"

"Então, ele sabe quem você é?"

"Não!" essa única palavra é impelida da minha boca com toda a desastrosa ansiedade que ela inspira. "Não, ele não sabe."

"Então, ele só conhece você como Laura?"

"Na verdade, ele só me conhece como Samantha. Ele não sabe que fui eu que ele encontrou na semana passada."

"Oh", diz ele inexpressivo. Essa única palavra é plana e sinistra, como uma sentença de morte. E eu não gosto do som dela.

"O que é que isso quer dizer?"

Os olhos de Ari se ampliam inocentemente. "O que é o que isso quer dizer? Eu não disse qualquer coisa."

"Esse 'oh' foi definitivamente alguma coisa."

Ari dá de ombros. "Não é nada."

“Isso é alguma coisa.”

"É. Eu apenas

"

120

"Você apenas o quê?"

"Eu me preocupo com você. Você sabe disso."

"Mas por que você está preocupado? Dez segundos atrás você estava todo 'me dê os detalhes’."

"Sim, mas isso foi antes."

"Antes do quê?"

"Antes de eu perceber que você não disse a ele."

"Por que isso importa?"

"Eu simplesmente não posso imaginar qualquer relação indo muito longe quando você está mantendo enormes segredos desde o começo".

Eu sinto meus lábios finos com raiva. Quero pular de volta com um comentário sarcástico, mas eu não posso. Não há nada a dizer. Ari está certo. E é isso que me deixa com raiva.

Estou deitada na cama quando o telefone toca. Ainda é cedo em Oregon, mas o meu corpo ainda pensa que está na Carolina do Sul. Essa é outra razão pela qual eu vim mais cedo - para me dar um dia para me ajustar.

Meu coração engasga, essa tornou-se a minha reação habitual desde que conheci Alec. Até que eu vejo que a chamada é de Chris. Em seguida, ele encolhe um pouco.

É ridículo que eu estivesse tão chateada por não ouvir nada de Alec desde sexta-feira.

121

Eu deveria ser grata por ele me tirar de uma situação difícil, uma que eu não poderia ter sido capaz de me livrar, não importa quão autodestrutiva fosse.

No entanto, eu não posso ser grata. Não quando estou me sentindo tão magoada e decepcionada e vazia.

Eu acho que esses altos e baixos irregulares estão realmente me afetando. Quando Alec está ao redor, ele está "ligado". Mas quando ele não está, é como se ele simplesmente desaparecesse por completo. Um rádio em silêncio. Como se nós nunca tivéssemos nos conhecido. Como se eu não existisse.

"Eu pensei que tivesse te deixado no sul?" eu disse, em vez de um cumprimento mais tradicional.

"Hum, você deixou, vadia. Eu estou ligando porque você é uma maluca paranoica que nem sequer dá a sua terapeuta seu número de telefone."

"Isso é chamado de negação plausível. Se não gosto de como as coisas vão, eu posso sempre jurar sobre uma pilha de Bíblias que eu nunca participei de uma sessão de terapia com a Dra. B. Ninguém seria capaz de provar alguma coisa."

"Você realmente assume essa coisa toda de uma forma doentia, você sabe disso, né?"

"Sim, eu sei. Mas você está surpresa? "

Chris suspira. "Eu não acho. Isso faz parte do percurso, eu suponho."

"Certo. Agora, o que você quer? "

"Deus, você é tão mal-humorada! Você realmente precisa transar, Sam. Eu acho que está chegando ao ponto de ser um imperativo".

Eu ignoro o seu comentário.

"Desembucha. Por que você está me ligando?"

122

"Porque o consultório da Dra. B ligou para perguntar se uma visita às onze horas no consultório terça-feira seria aceitável."

"Eu ainda não decidi se vou."

"Bem, você decidiu agora."

"Chris, o que você fez?"

"Eu confirmei sua presença. Você já teve esse tempo bloqueado para sua sessão on-line de qualquer maneira. Uma curta viagem ao centro não vai machucá-la um pouco."

"Eu te odeio. Eu já te disse isso? "

"Sim. Você me odeia tanto quanto eu odeio você."

É a minha vez de suspirar. "Se pelo menos eu não amasse tanto você."

"Um pé no saco, não é?"

"Mais do que você imagina."

Eu ouço uma risadinha e depois um clique. Apenas assim, ela deixa cair uma bomba e desaparece.

Típico.

Agora eu sei que não vou conseguir dormir.

Domingo derrete na segunda-feira, e segunda-feira na terça-feira. A cada dia que passa sem sequer uma única palavra de Alec, meu humor escurece em algo assustadoramente semelhante ao desespero. Antes que eu perceba, estou no caminho para ter uma consulta com uma terapeuta que eu nem queria e nem (tecnicamente) concordei que me atendesse. Isso me

123

faz lembrar de como desesperadamente eu preciso ser mais assertiva.

Talvez se eu escrevesse um livro sobre uma mulher assertiva no controle completo de todos os aspectos de sua vida, eu poderia experimentar algumas dessas coisas na vida real em

vez de

isto.

Por outra lado, se ela pode me fazer soltar-me e falar, ela é passível de se arrepender disso. Estou cheia de problemas hoje!

Meu suspiro é engolido pela música triste que vem do aparelho de som do táxi.

Não parece demorar tempo suficiente antes de ele me deixar na calçada na frente do meu destino.

O edifício é elegante e com fachada de vidro. Parece chique, o que me conforta do

ponto de vista da confidencialidade. Normalmente, com as coisas mais caras, menos provável que você tenha que se preocupar com tagarelas. As pessoas ricas certamente não querem

morder as mãos que os alimentam, de modo que a discrição é uma obrigação.

Deixo meus óculos de sol no lugar até que eu entre no elevador e aperte o botão para o décimo quarto andar. De acordo com a sinalização no lobby, Buraquinho e Associados, ocupam o andar inteiro.

Um ding baixo seguido pela lufada da abertura de portas sinalizam minha chegada. Eu saio para uma área de recepção elegante.

A fria e formal decoração em mármore e cromo do lobby foi substituída por uma paleta

calmante creme, bege e sálvia. Não tenho dúvida de que as cores foram especificamente escolhidas por seu efeito calmante, um efeito que se perde em mim no meu atual estado de

ansiedade.

Eu ando até a mesa em forma de meia-lua e paro. A garota por trás dela, uma linda, finíssima e feminina com cabelos cor de trigo e enormes olhos azuis, olha para cima e sorri. Sinto-me imediatamente inferior, como um palhaço sem graça.

124

"Tenho horário às onze horas com a Dra. Buraquinho."

A menina clica em seu botão do mouse algumas vezes. Ela olha de volta para mim e

sorri, um sorriso brando que diz ou que ela nunca ouviu falar de mim ou que ela é boa fingindo

que não sabe de nada. Não como se eu fosse famosa, nem nada. Apenas paranoica, eu acho. De qualquer maneira, a ambivalência dela me conforta.

Ela limpa a garganta. "Sim, a Sra. Drake. Por favor, sente-se. Estarei de volta em um

minuto." Ela espera até que eu esteja confortável e então pergunta quando passa por mim a

caminho de

algum lugar, "Você gostaria de café? Água?"

"Não, obrigada", eu recuso com um sorriso.

Ela acena com a cabeça e vai embora. Em sua ausência, eu tento me convencer de que este não foi um erro colossal.

Estou apenas me resignando em esperar quando ela retorna.

"Por aqui, Sra. Drake."

Levanto-me para segui-la. Ela me leva por um longo corredor para um conjunto de portas duplas que dominam o final. Eu não estou surpresa que a Dra. B teria essa parte do andar. Tal prestígio vem de ter seu nome antes dos "Associados".

A menina bate uma vez e abre a porta, segurando-a enquanto eu passo, em seguida,

fecha-a silenciosamente atrás de mim. Eu paro apenas para olhar em volta e me orientar.

A cadeira preta de couro, atrás da enorme mesa de mogno que está centrada em frente

da parede de janelas, está vazia.

A lâmpada em um canto está acesa. Isso, juntamente com a luz suave sendo filtrada

através das persianas parcialmente fechadas, dá à sala uma segura sensação de intimidade que

posso realmente apreciar neste momento. O efeito é acentuado pelos aconchegantes móveis de praia coloridos dispostos em um espesso tapete em frente a uma lareira acesa. Eu consigo me ver derramando minhas tripas naquele que sofá.

125

Eu ouço o clique da abertura da porta atrás de mim. Eu não viro, mas espero pela Dra. Buraquinho fazer seu caminho para a mesa. Me assusto quando ouço um estrondo profundo quebrar o silêncio.

"Sra. Drake." Eu me viro em direção à voz, esperando para expressar a minha surpresa pelo Dr. B não ser uma mulher. As palavras morrem em minha língua e na minha cabeça, no entanto, quando meus olhos se chocam com os insondáveis olhos jade que eu não posso parar de pensar. "É um prazer finalmente conhecê-la. "

De pé ao meu lado, com a mão estendida está Alec Brand.

"Eu sou o Dr. Buraquinho."

126

Capítulo 22

Alec

Se ela desviasse o olhar um segundo mais cedo, eu não poderia tê-la reconhecido. Mas ela não fez. Ela segurou a respiração muito tempo, o suficiente para eu reconhecer aqueles suaves olhos cinza, que eu tenho fantasiando.

Apesar de sua hesitação, eu estou chocado com seu mutismo, o que não acontece com muita frequência. Eu me esforço para mascarar a minha surpresa com essa virada interessante dos eventos.

Laura Drake é Samantha Jansen.

Samantha Jansen é Laura Drake.

"Bem, bem, bem. A doce e inocente não é tão doce e inocente afinal de contas," eu murmuro, finalmente, cruzando os meus braços sobre o peito. Isso coloca dá uma guinada incomum sobre as coisas. Adiciona um grau de complicação que eu nunca encontrei, muito menos me preparei.

Socialmente, eu ficava longe de mulheres como Laura Drake. Elas são muito parecidas com Alyssa. Muitas coisas podem dar errado. Essa é a única coisa que eu aprendi, a única coisa que ficou quando nada mais faria. Eu não faço uma exceção para ninguém. Nunca.

No entanto, aqui estou eu, diante de uma exceção que eu nem sabia que eu estava fazendo.

Ela fala lenta e deliberadamente quando ela se move para longe de mim como uma corsa assustada. "O que diabos está acontecendo?"

Embora eu esteja tão chocado quanto ela, eu entro facilmente na calma de meu

127

treinamento. Tem sido o meu refúgio seguro por anos.

"Eu podia te perguntar a mesma coisa. Eu acho que ambos temos algumas explicações a

dar."

"Eu não tenho nenhuma explicação a dar! Você sabe tudo que há para saber. Eu não menti", ela pressiona.

Ela é magnífica em sua raiva. Laura Drake, eu tenho certeza, é muito legal com raiva, Samantha Jansen muito doce e tímida.

No entanto, esta menina

ela é uma colisão das duas. Estou intrigado. Tentado além do

que eu já estive tentado antes. Para conhecê-la, para abri-la. Para quebrá-la.

Isso é o que a torna perigosa para mim. Mas é o que me deixa mais perigoso para ela. Eu já estive nesta situação antes. E jurei nunca mais voltar.

Devo dizer-lhe para ir. Para sair e nunca olhar para trás. Mas, primeiro, eu quero respostas. Eu quero saber. Preciso saber

"Eu não menti também."

"Você me disse que seu nome era Alec Brand. A menos que eu esteja realmente por fora da ortografia, eu acho que é bem diferente de Buraquinho. "

"Buraquinho é o meu nome de família. É muito difícil de pronunciar. "Ela olhou-me

razões para querer me dissociar dele. Não muito diferente da

cética. "Além disso, eu tinha

maneira como você vive sua vida, mantendo algumas áreas isoladas das outras."

"Você me disse que era um consultor."

"Eu sou. Eu tenho uma empresa de consultoria em saúde mental no Sudeste. ABC Consultoria. É perfeitamente legítima. Eu não menti sobre nada. Ao contrário de você. Eu duvido seriamente que você faz a contabilidade dos negócios de sua irmã".

Suas bochechas rosadas, já com raiva, viraram um vermelho brilhante. Eu atingi um

128

nervo. Mas, mais importante, eu estou certo.

"Há razões de segurança, para que eu mantenha Laura Drake separada."

"E eu tenho minhas razões. Eu não estou com raiva e você também não deveria estar. Nós dois temos segredos. Todo mundo tem. Eu não estava tentando enganá-la ou prejudicá-la. Eu só não te contei tudo. Assim como você não me contou tudo." Eu mantenho o meu silêncio enquanto ela processa a minha lógica. Eu observo-a de perto, tão perto que eu vejo quando a raiva começa a desvanecer-se. Eu sei que ela está sendo substituída pelo medo e pela incerteza quando uma carranca enruga sua testa e ela começa a morder o lábio. "Se isso faz você se sentir melhor, pelo menos o meu segredo está vinculado à confidencialidade médico-paciente. Eu poderia perder tudo se eu dissesse quem você é e o que eu sei sobre você. Você, por outro lado

Seus olhos procuraram os meus. Eu seguro o seu olhar firmemente, deixando a verdade das minhas palavras afundar, deixa-las se envolver em torno dela como um casulo de segurança. Ela realmente está em uma posição melhor do que a minha. Mas eu não tenho medo do que ela possa fazer ou dizer. Enquanto ambos temos muito a perder, sua queda seria de uma forma muito pública, enquanto a minha poderia no máximo chegar ao noticiário local. Este é o meu trunfo. É assim que eu vou usar o seu medo para manter isso escondido.

Ela não diz nada, apenas continua olhando-me, mordiscando o lábio ansiosamente.

Eu limpo minha garganta e fico mais longe dela, dando-lhe espaço, tanto físico como emocional.

"Uma vez que você já está aqui", eu digo, me dirigindo para o habilmente escondido bar contra a parede, “você poderia muito bem ter uma bebida."

Há uma pausa antes de ouvir sua afiada resposta.

"São onze horas"

"Sim, são. Mas meu corpo ainda está no horário da costa leste".

129

"São apenas duas horas de diferença."

Eu dou de ombros, enquanto derramo um dedo de uísque envelhecido em cada um dos

copos.

"Você está certa, mas eu acho que nós dois merecemos um pouco de um líquido relaxante, você não acha?" Pergunto, voltando com um copo em cada mão.

Ela ainda está de pé perto da porta, parecendo que vai fugir pelas rachaduras. É incongruente - vê-la reagir desta maneira, quando está vestida como a confiante Laura Drake. É apenas um testemunho de quão dramaticamente eu subestimei Samantha Jansen. Ela é muito mais do que os olhos podem ver!

Eu ando até o sofá, situado diretamente em frente à lareira, e eu estendo um copo para ela. Eu vejo seus olhos irem do meu rosto para o copo e vice-versa. Quando, depois de alguns segundos, ela não se moveu nem falou, eu tento argumentar com ela.

"Você estava pronta para explorar uma relação muito sexual comigo e agora você não vai se sentar em um local profissional e tomar uma bebida?".

"Eu não ia

".

"Não minta, Samantha," eu interrompo acentuadamente. "Isso não lhe cai bem."

Eu coloco o copo em um descanso em uma extremidade da mesa de café e me sento no sofá na extremidade oposta. Cruzo as pernas e jogo o meu braço sobre as costas da almofada de forma não ameaçadora enquanto eu tomo minha bebida. O álcool queima todo o caminho, não muito diferente de toda esta situação.

brincado novamente de qualquer

maneira. Eu deveria ver, por sua vez, este infeliz evento como afortunado. Agora, estamos ambos a salvo de mim.

Eu sei que assim foi melhor. Eu não deveria ter

"Isto não tem que acabar desconfortavelmente. Podemos ser civilizados, bebermos juntos antes de você seguir o seu caminho e eu o meu. Nosso adeus não tem que ser feio."

130

Mas, a julgar pela expressão de seu rosto, isso será assim.

131

Capítulo 23

Samantha

Eu estava bem até que ele acrescentou esta última parte. A palavra "adeus" me abala. Eu não sei por quê. Não é como se isto - o que quer que "isto" signifique - tinha realmente uma chance de se tornar algo mais. Na verdade, uma grande parte disso floresceu dentro da minha cabeça, onde Alec e Mason se tornaram intimamente entrelaçados.

A parte que ferroa é a perda da esperança. A perda da esperança de mais. O fascínio por

isso. Eu nunca admitiria a Chris ou a mim mesma, mas, no fundo, eu tinha começado a concordar com ela em pensar que Alec poderia ser o único a me ajudar a ir além do passado. Apesar da mudança de opinião e da indecisão, finalmente, eu estava esperando que Alec fosse meu Mason - a força destrutiva que poderia ser extremamente cuidada nas mãos certas. Em minhas mãos.

A dor do pensamento de que isso acabou antes mesmo de começar, no entanto, é apenas

uma parte do que impede a minha retirada. A outra motivação é a ideia de conseguir algumas respostas. Eu particularmente não gosto do pensamento de responder as perguntas de Alec, mas eu gosto da ideia de que ele aceite responder algumas das minhas.

Eu não tenho certeza que seja o mais poderoso incentivo, mas algo me incita a caminhar através da sala em direção a Alec e me sento cautelosamente na ponta do sofá, à sua frente. Ele já conhece o meu segredo. Responder mais algumas perguntas certamente não será o fim do mundo. Na verdade, uma pequena parte de mim aguarda que finalmente eu consiga despir a minha alma para alguém, mesmo se eu tiver que usar a desculpa da compensação para fazê-lo.

"Eu começo", eu digo quando me inclino para frente envolvendo meus dedos frios ao redor do copo ainda mais frio.

Alec balança a cabeça, seus olhos nunca deixando os meus.

132

"Ok".

"Qual é seu nome verdadeiro?"

"Alexandre Buraquinho. Meus pais são de ascendência brasileira".

"Por que você usa um nome diferente para fazer seu trabalho na

".

"Eu acredito que seja a minha vez", ele interrompe calmo. Concordo com a cabeça e esperando por sua pergunta.

"Sua mãe envolveu-a no seu

Minha boca cai aberta.

trabalho?"

Eu começo com uma pergunta razoável e ele salta para isso?

"Isso não é

Eu não acho que

".

"Eu respondi a sua pergunta, Samantha" ele aponta indiferente.

"Mas eu

"

"Não é culpa minha que você escolheu

começar com tal banalidade."

Eu sinto a tensão em torno de minha boca quando os meus lábios desenham uma linha reta apertada. Na verdade, eu me sinto banal. Se eu tenho que continuar com isso, eu preciso ser mais inteligente sobre as perguntas que eu faço porque eu não tenho nenhuma intenção de responder a todas as perguntas de Alec sobre minha infância.

Mas esta, eu tenho que responder se eu vou ter qualquer percepção sobre mim mesma. "Não, ela nunca o fez." O que é verdade. Isso ela nunca fez.

Alec acena com a cabeça, seus olhos perfurando minha alma enquanto ele procura alguma coisa.

"Por que você não se apresentou como Dr. B, quando nos encontramos em Charleston?

133

Eu já era sua paciente."

"Eu sabia que você ainda não estava pronta para me enfrentar cara a cara."

"No entanto, você veio me ver de qualquer jeito. Você não acha que isso é pouco profissional?"

Alec encolhe os ombros, completamente despreocupado.

"Talvez. Mas eu queria ver Laura Drake em seu ambiente natural. "

"Por quê?"

"Ela me fascina."

"Por quê?" Pergunto novamente.

"Porque eu sinto como se nós tivéssemos um monte de coisas em comum?"

"Você não sabe nada sobre mim. Você

".

"Oh, eu posso deduzir muito ao ler o seu trabalho."

O entendimento surge, e com ele vem o esmagamento da decepção. Eu sinto um caroço se formar em minha garganta. "Então, eu sou como uma espécie de projeto de trabalho para você? Algum tipo de aberração para observar e dissecar?"

Novamente, ele encolhe os ombros. "Eu tenho um interesse clínico em você, sim." Ouvi-lo dizer isso em voz alta é quase devastador. Acima de todo o resto, sinto-me como uma tola. Eu tomo outro gole do uísque, focando na picada do fluido como gatinho em minha garganta. Eu tenho que sair daqui.

"Bem, eu sinto muito em desapontá-lo, Dr. Buraquinho, mas você não vai entrar na minha cabeça." Meu sorriso é apertado e sarcástico, e minhas mandíbulas doem rangendo meus dentes.

134

Eu deixo o meu copo e deslizo para o borda da almofada, preparando-me para ficar de pé. As palavras de Alec me param. "Mas eu tenho um interesse muito diferente em você como mulher. Como Samantha".

"E qual é?" Pergunto acentuadamente, a raiva subindo como uma tentativa natural para ocultar a dor e a humilhação.

Alec olha para o copo em que ele gira o líquido âmbar no seu interior. "Bem, isso é um pouco mais complicado."

"Isso não é uma resposta."

"Eu acho que é a minha vez de fazer algumas perguntas, não é?"

Eu quero fazer beicinho e me recusar a responder a qualquer uma de suas questões, mas isso me faria parecer uma criança petulante, e não era necessário me fazer uma tola maior do que eu já era.

Relaxo de volta na almofada de uma forma que desmente a tensão que eu sinto por dentro, eu fecho minhas mãos no meu colo e respondo, "acho que sim."

Há uma dúzia de perguntas que eu posso pensar que eu espero e rezo para que ele não faça. Eu prendo a respiração no silêncio antes que ele fale.

"Quando foi o seu último relacionamento?"

Estou tão perplexa e pega de surpresa por sua pergunta. Por alguma razão, eu não estava esperando que ele fosse nesta direção.

"Dois anos e meio atrás."

"Por que terminou?"

Meus músculos se contraem defensivamente. Esta é a ponta de um iceberg que tem assombrado a minha vida adulta inteira. Eu tenho que ter cuidado como respondo. Eu não posso arriscar revelar muito.

135

"É só que

não deu certo." Eu me agarro às minhas calças, sabendo que a minha

resposta é superficial. Espero que ele não cave mais fundo.

"Eu pensei que estávamos sendo honestos aqui, Samantha ".

Há algo sobre a maneira como ele diz meu nome. Mesmo agora, neste consultório, rodeada de tensão, é como uma carícia. Eu sinto-a por todo o caminho até o meu núcleo. Eu tremo em resposta.

"Estou sendo honesta. Foi isso que

".

"Tudo

bem,

então,

deixe-me

ser

mais

específico.

Qual

foi

a

causa

exata

do

rompimento? Será que você terminou com ele ou ele terminou com você?"

"São duas perguntas".

"Pare de desviar".

"Eu não estou

".

"Sim, você está".

Eu quero xingar. Ou bater o meu pé. Mas eu não faço. Felizmente, Laura Drake me ensinou muito sobre a manutenção de uma fachada, mesmo durante tempos difíceis. Ela é uma rocha forte por trás da qual eu posso me esconder. E eu faço isso. Muito frequentemente.

Eu limpo minha garganta. "A 'causa da morte' como você colocou foi o resultado das minhas próprias inseguranças. Sempre é".

"Uma auto sabotagem?"

Eu penso sobre este assunto. "Não, eu não "

relacionamento normal, mas

"Normal? Como você define o normal?"

136

quero nada mais

do

que ter

um

Eu sinto florescer cor nas minhas bochechas. Eu estou totalmente perdida de como responder a ele sem ir demasiado longe, sem dar lhe um vislumbre da minha vergonha.

Eu lembro a mim mesma que eu posso me levantar e sair. Eu não tenho que responder nada. É apenas a minha curiosidade sobre Alec, a minha falta de vontade de deixá-lo ir, que me impulsiona.

"Você pode me dizer, Samantha", diz ele suavemente. "Não há julgamento aqui."

Algo dentro de mim clica, como se fosse um momento no tempo, todas as paredes, as artimanhas e as cicatrizes se deslocam apenas o suficiente para deixar alguém entrar. E tudo isso acontece antes que eu possa fazer um esforço consciente para detê-lo.

"Uma relação sexual normal, onde eu possa

receber prazer, bem como dá-lo".

"Você sente que você não pode receber prazer?"

"Não. Eu tenho prazer em um relacionamento íntimo. Mas alguns dos homens que eu

namorei esperavam

".

"Esperavam?".

"Não é a minha vez de fazer uma pergunta?".

"Depois dessa, sim."

respostas de

mim do que as que vem naturalmente", eu digo vagamente, meu rosto se aquecendo

novamente.