Você está na página 1de 16
FISIOLOGIA CAPILAR 1
FISIOLOGIA CAPILAR
1

APOSTILA EVOLUXE.indd

1

06/06/14

10:14

FISIOLOGIA CAPILAR SISTEMA DE RELAXAMENTO CAPILAR AVANÇADO A EVOLUXE orgulha-se em apresentar seu Sistema de
FISIOLOGIA CAPILAR SISTEMA DE RELAXAMENTO CAPILAR AVANÇADO A EVOLUXE orgulha-se em apresentar seu Sistema de

FISIOLOGIA CAPILAR

SISTEMA DE RELAXAMENTO CAPILAR AVANÇADO

A EVOLUXE orgulha-se em apresentar seu Sistema de Relaxamento Capilar Avançado com Guanidina, destinado para a obtenção de resultados surpreendentes, aliando alto grau de cosmeticidade, segurança e facilidade na aplicação.

Este material técnico foi desenvolvido pelo Departamento Técnico EVOLUXE. Sua reprodução total ou parcial, somente será possível, mediante autorização por escrito da mesma.

(34) 3311-4957 | sac@evoluxe.com.br

ÍNDICE

HASTE DO CABELO Cutícula

 

3

ANÁLISE DO CABELO Identificação Espessura Densidade

 

7

Córtex

 

3

 

7

Medula

 

3

 

7

 

Porosidade

 

8

COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO CABELO Aminoácidos

4

Elasticidade

 

8

 

Água

 

5

RELAXAMENTO A ação do creme relaxador A ação do fixador

 

Queratina

 

5

8

Lipídios

 

5

9

Pigmentos

 

5

AS BASES QUÍMICAS Agentes de Transformação

 

PROCESSO DE APLICAÇÃO Dicas Técnicas

10

5

Teste de Mecha

 

11

 

Mistura para Aplicação Tabela de Controle de Tempo Aplicação Estiramento

12

12

SOBRE O PH

 

13

O que é escala do PH?

 

6

14

O

que significa alcalino?

6

Neutralização Condicione e Penteie

 

14

 

O

que significa ácido?

 

6

 

15

2
2

APOSTILA EVOLUXE.indd

2

06/06/14

10:14

FISIOLOGIA CAPILAR CONSTITUIÇÃO DA HASTE DO CABELO O CABELO POSSUI UMA ESTRUTURA COMPLEXA, COM 03

FISIOLOGIA CAPILAR

FISIOLOGIA CAPILAR CONSTITUIÇÃO DA HASTE DO CABELO O CABELO POSSUI UMA ESTRUTURA COMPLEXA, COM 03 COMPONENTES

CONSTITUIÇÃO DA HASTE DO CABELO

O CABELO POSSUI UMA ESTRUTURA COMPLEXA, COM 03 COMPONENTES PRINCIPAIS:

CÚTICULA, CÓRTEX e a MEDULA.

CUTÍCULA

É a parte externa do fio do cabelo, e é composta em torno de 7 a 13 camadas diversas, transparentes e opacas, é responsável pela proteção da células corticais (células do interior do fio), é a principal barreira a penetração de agentes químicos para o interior da fibra.

AS FILEIRAS QUE COMPÕEM AS CUTÍCULAS DIVIDEM-SE EM 03 PARTES:

EXOCUTÍCULA, EPICUTÍCULA E ENDOCUTÍCULA

alisamento, permanente) e pela ação do intemperismo (sol, mar, piscina e vento).

A degradação da cutícula torna o cabelo

sem brilho, difícil de pentear, áspero ao toque e pode ser percebida quando se passa o dedo pelo fio de cabelo. A remoção total da cutícula causa as pontas duplas.

A cutícula é responsável pelo brilho do

cabelo, e tem ainda influência fundamental no toque na suavidade, na penteabilidade e na formação de carga estática.

CÓRTEX

É o interior do fio de cabelo e compõe cerca de 75 a 90% da massa da fibra capilar. É constituído por células queratinizadas e possui uma estrutura compacta (pouco porosa) que representa parte fundamental da haste capilar. O diâmetro do córtex é determinado pelo número de células do bulbo. No córtex e na medula são encontrados os pigmentos que proporcionam cor ao cabelo. É a estrutura do córtex que dá elasticidade e resistência ao cabelo, é ela que também determina o grau de porosidade dos fios.

A mais importante delas é a Epicutícula, por ser resistente a água (hidrófoba). Essa resistência é atribuída a presença do aminoácido Cistina.

As camadas da cutícula são bem unidas e seladas, permanecem intactas somente alguns milímetros próximos ao couro cabeludo. Sua sensibilização é causada por ação mecânica (escovar, pentear, secar), por ação química (coloração, descoloração, relaxamento,

MEDULA

Pode ser contínua ou fragmentada, ao longo da fibra, e não existe em fios finos. Quando presente no cabelo compõe apenas uma pequena fração de sua massa.

A medula tem textura aberta (porosa). Possui grande número de espaços que são resultantes da síntese de quantidade inadequada de proteínas para preencher as cavidades das células. A medula não tem função conhecida.

3
3

APOSTILA EVOLUXE.indd

3

06/06/14

10:14

FISIOLOGIA CAPILAR COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO CABELO O cabelo é constituído por vários componentes que, por
FISIOLOGIA CAPILAR COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO CABELO O cabelo é constituído por vários componentes que, por

FISIOLOGIA CAPILAR

FISIOLOGIA CAPILAR COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO CABELO O cabelo é constituído por vários componentes que, por sua

COMPOSIÇÃO QUÍMICA DO CABELO

O cabelo é constituído por vários componentes que, por sua vez, são formados por diferentes oligoelementos que podem ser determinados através de um método denominado “Mineralograma”, embora cada um deles possa ser discutido separadamente, deve-se considerar que o cabelo é um sistema pleno, em que muitos ou todos os componentes podem atuar em conjunto.

O cabelo humano é constituído basicamente de uma proteína chamada queratina, ou seja, uma cadeia polipeptídica formada por cerca de 19 aminoácidos diferentes que se repetem e interagem entre si, a deficiência deles leva a diminuição do crescimento e

afinamento dos cabelos, que são eles:

AMINOÁCIDOS

1 - Alanine: 2,8 a 3,5%

2 - Arginine: 8,8 a 9,6%

3 - Aspartic Acid: 5,6 a 6,5 %

4 - Cisteic Acid: vestígios

5 - Cysteine: 14 a 16,5%

6 – Glutamic Acid: 14,3 a 16,5%

7 – Glycine: 3,3 a 3,5%

8 – Histidine: 0,8 a 1,1%

9 – Isoleucine: 2,3 a 2,5%

10 – Leucine: 6,4 a 6,9%

11 – Lysine: 2,6 a 3,1%

12 – Methionine: 0,5 a 0,9%

13 – Phenylalanine: 2,2 a 2,8%

14 – Proline: 7,0 a 7,8%

15 – Serine: 9,6 a 10,8%

16 – Threonine: 6,5 a 7,5%

17 – Tryptophan: 0,8 a 1,2%

18 – Tyrosine: 2,1 a 2,7%

19 – Valine: 5,0 a 5,8%

4
4

APOSTILA EVOLUXE.indd

4

06/06/14

10:14

FISIOLOGIA CAPILAR Abaixo podemos classificar os elementos químicos principais na composição do cabelo: CARBONO C

FISIOLOGIA CAPILAR

FISIOLOGIA CAPILAR Abaixo podemos classificar os elementos químicos principais na composição do cabelo: CARBONO C

Abaixo podemos classificar os elementos químicos principais na composição do cabelo:

CARBONO

C

45%

OXIGÊNIO

O

28%

NITROGÊNIO

N

15%

HIDROGÊNIO

H

6,5%

ENXOFRE

S

5,2%

PIGMENTOS

São partículas dispersas no córtex,

estimada em torno de 3% que dão cor aos cabelos.

AS BASES QUÍMICAS

O teor de minerais como: cobre, ferro e

zinco são baixos, mas também são importantes,

pois sua ausência pode também provocar queda e alterações da cor.

ÁGUA

Fundamental para o cabelo. O cabelo negróide absorve aproximadamente 4% mais água que o cabelo caucasiano porém não a retém. Essa diferença pode ser suficiente para a observação do efeito frizz.

QUERATINA

O CABELO HUMANO POSSUI ELASTICIDADE E RESISTÊNCIA. SUA FORMA PODE SER ALTERADA POR DUAS MANEIRAS:

Elevadas Temperaturas – Ocorre a quebra das ligações de hidrogênio, sem modificação da estrutura dos fios.

Processos Químicos – Ocorre a quebra das ligações dissulfídicas, com modificação da estrutura dos fios.

Proteína que se encontra no principal componente do cabelo, apresentando-se de

02 formas: Dura, só encontrada nos pêlos

e unhas, formando massas compactas e

homogêneas e a Mole, produzida pela epiderme

de toda superfície corporal. Esta se desprende

continuamente em delgadas camadas.

A queratina é muito elástica e flexível

sendo capaz de alongar e retornando logo ao seu estado original. Nesta cadeia estão contidas as cadeias responsáveis pela estrutura química do cabelo. Sua função é conferir ao pêlo propriedades adequadas para a proteção superficial contra agentes ambientais, tornando-o mais resistente.

LIPÍDIOS

O cabelo contém lipídios internos e externos.

Os Lipídios Externos são fornecidos pelo sebo e os

Internos fazem parte da estrutura do cabelo.

Os agentes de transformação utilizados nos processos químicos, rompem as ligações das moléculas do cabelo, deixando-as em uma nova posição e modificando o formato dos fios.

OS AGENTES DE TRANSFORMAÇÃO MAIS UTILIZADOS SÃO:

HIDRÓXIDOS

LÍTIO – POTÁSSIO SÓDIO – GUANIDINA

ALCALINOS

AGENTES

TIOGLICOLATO

REDUTORES

TIOLACTATO

TIOMETACRILATO

ALCALINIZANTES

HIDRÓXIDO DE AMÔNIO NH4OH ou a MONOETANOLAMINA ETALONAMINA

5
5

APOSTILA EVOLUXE.indd

5

06/06/14

10:14

FISIOLOGIA CAPILAR SOBRE O PH O QUE É A ESCALA DO PH? A escala de
FISIOLOGIA CAPILAR SOBRE O PH O QUE É A ESCALA DO PH? A escala de

FISIOLOGIA CAPILAR

SOBRE O PH

O

QUE É A ESCALA DO PH?

A

escala de pH descreve as forças dos ácidos

e

bases. Esta escala é usada para descrever a

concentração de H+, ou o hidrogênio, presente num produto. Esta concentração refere-se ao pH da solução. O alcance da escala de pH é de O a 14, com o 7 no meio representando o neutro. Os produtos que medem acima de 7 são considerados básicos ou alcalinos. Os produtos que medem abaixo de 7 são ácidos.

O QUE SIGNIFICA ALCALINO?

Tudo o que mede mais do que 7 na escala de PH é considerado alcalino. Quanto maior o pH, maior

o grau de alcalinidade. Os alcalinos dissolvem

gorduras, óleos e proteínas. Muitos produtos para tratamento químico, tais como: alisantes são soluções para ondas permanentes são alcalinos. Eles abrem a epiderme, permitindo que o produto penetre. Isto faz com que o cabelo pareça fosco porque impede que a luz reflita uniformemente nas camadas abertas da epiderme, como

acontece quando as camadas estão niveladas pela superfície. Cabelos porosos processam mais rapidamente por causa das camadas que são mais abertas. Um alcalino forte pode causar danos, pois ele entra facilmente no córtex onde pode romper as várias ligações que mantêm a estrutura dos cabelos.

O QUE SIGNIFICA ÁCIDO?

Tudo o que mede menos que 7 na escala de pH. Quanto mais baixo o pH, maior é o grau

de acidez. Os condicionadores são geralmente ácidos. Os ácidos fecham as cutículas dos cabelos, o que aumenta o brilho e reduz a porosidade. As camadas de cutículas bem fechadas são resistentes e não deixam que os produtos químicos passem por elas facilmente

e chegarem até o córtex. As camadas fechadas

estão menos sujeitas a se danificarem no ato de escovar e pentear. Os cabelos e a pele são ácidos por natureza. Eles tem um pH que varia de 4.5 a 5.5. Quando os produtos tem o mesmo PH dos cabelos e pele, eles são ácido-

balanceados. Isto significa que eles não alteram

o pH natural da pele.

ácido- balanceados. Isto significa que eles não alteram o pH natural da pele. 6 APOSTILA EVOLUXE.indd
6
6

APOSTILA EVOLUXE.indd

6

06/06/14

10:14

FISIOLOGIA CAPILAR ANÁLISE DO CABELO 1) IDENTIFICAÇÃO A CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS DE CABELOS QUANTO A

FISIOLOGIA CAPILAR

FISIOLOGIA CAPILAR ANÁLISE DO CABELO 1) IDENTIFICAÇÃO A CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS DE CABELOS QUANTO A SUA

ANÁLISE DO CABELO

1) IDENTIFICAÇÃO

A CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS DE CABELOS QUANTO A SUA CURVATURA, ESTÁ RELACIONADA A UMA MISCIGENAÇÃO DE RAÇAS, HERANÇA GENÉTICA, SÃO ELES:

UMA MISCIGENAÇÃO DE RAÇAS, HERANÇA GENÉTICA, SÃO ELES: 2) ESPESSURA A VARIAÇÃO DA ESPESSURA DO CABELO

2) ESPESSURA

A VARIAÇÃO DA ESPESSURA DO CABELO É DADA PELO DIÂMETRO DE UM ÚNICO FIO. QUANTO À ESPESSURA, O CABELO PODE SER:

FINO: Em geral é macio ao toque. Não retém normalmente o enrolamento tão bem quanto um cabelo mais espesso. Os produtos químicos penetram no cabelo fino rápido e facilmente, o que não significa que o resultado do tratamento seja mais eficiente. O cabelo muito fino é sensível a tratamentos agressivos e muito frequentes.

MÉDIO: Suave ao toque, retém o enrolamento. Os produtos químicos penetram facilmente produzindo bons resultados.

GROSSO: O enrolamento produz ótimo resultado neste tipo de cabelo e dura mais que o feito em cabelo de espessura fina.

3) DENSIDADE

tipo de cabelo e dura mais que o feito em cabelo de espessura fina. 3) DENSIDADE
7
7

APOSTILA EVOLUXE.indd

7

06/06/14

10:14

FISIOLOGIA CAPILAR É a quantidade de fios de cabelo por centímetro quadrado. O cabelo denso
FISIOLOGIA CAPILAR É a quantidade de fios de cabelo por centímetro quadrado. O cabelo denso

FISIOLOGIA CAPILAR

É a quantidade de fios de cabelo por centímetro quadrado. O cabelo denso possui mais fios por centímetro quadrado. A densidade não tem relação com a espessura.

4) POROSIDADE

Refere-se

à

maior

produtos químicos.

ou

menor

capacidade

de

quantidade

de

absorver

e

líquidos

A ANÁLISE DE POROSIDADE É MUITO IMPORTANTE POIS DETERMINARÁ A

QUANTIDADE DE PRODUTO

A SER APLICADA E

O TEMPO DE AÇÃO ADEQUADO.

A POROSIDADE DE

UM CABELO PODE SER CLASSIFICADA DA SEGUINTE MANEIRA:

POUCO POROSO: É resistente à absorção de água e de produtos químicos. Seca rapidamente. No cabelo pouco poroso, os dedos deslizam com facilidade.

MUITO POROSO: É opaco, quando seco, apresenta maior volume; suas pontas resistem a tomar forma e se quebram facilmente. No cabelo muito poroso, a cutícula está danificada por excesso de tempo de processamento químico. E quanto mais a cutícula estiver danificada, maior atrito ocorrerá ao se deslizar os dedos pelos fios.

5) ELASTICIDADE

É a propriedade que um cabelo possui em contrair e esticar sem se romper. A elasticidade está ligada à espessura do fio, quanto mais grosso mais difícil de rompê-lo. A análise da elasticidade ajuda a determinar a intensidade do relaxamento a ser usado e o tempo de processamento necessário.

IMPORTANTE: A ANÁLISE DA POROSIDADE E ELASTICIDADE AJUDA A DETERMINAR A INTENSIDADE DO PRODUTO QUÍMICO A SER USADO E O TEMPO DE PROCESSAMENTO NECESSÁRIO.

RELAXAMENTO

USADO E O TEMPO DE PROCESSAMENTO NECESSÁRIO. RELAXAMENTO O processo químico do relaxamento tem como objetivo

O processo químico do relaxamento

tem como objetivo alterar a curvatura natural

dos cabelos, deixando-os lisos e sem volume. Portanto, é necessário romper as ligações de dissulfetos, e depois fixar a nova forma.

Há duas etapas no processo de relaxa-

mento:

A AÇÃO DO CREME RELAXADOR: que atua quimicamente nas ligações de hidrogênio, salinas e enxofre; e depende dos fatores como

8
8

APOSTILA EVOLUXE.indd

8

06/06/14

10:14

FISIOLOGIA CAPILAR pH, força do produto, técnica de manipulação e efeito desejado (mais liso ou

FISIOLOGIA CAPILAR

FISIOLOGIA CAPILAR pH, força do produto, técnica de manipulação e efeito desejado (mais liso ou menos

pH, força do produto, técnica de manipulação e efeito desejado (mais liso ou menos liso).

A AÇÃO DO FIXADOR: que tem a finalidade de fixar a nova forma, refazendo as ligações em posições diferentes das originais.

As mudanças estruturais são comprovadas pelas alterações nas propriedades mecânicas, isto é, a resistência do cabelo é menor (os fios se rompem com maior facilidade, principalmente quando estão molhados). Há um aumento na porosidade dos fios e, portanto uma maior capacidade de reagir a produtos químicos.

Embora as principais reações ocorram no córtex, a cutícula também é danificada e,

consequentemente, ocorrem perda de brilho, de maciez e um aumento na dificuldade de pentear o cabelo.

Deve-se salientar que as alterações na estrutura do cabelo são acumulativas, isto é, quanto maior o número de processamentos, maiores serão os danos. Como o cabelo não se regenera, a única forma de retirar totalmente as danificações é cortando o cabelo.

Por este motivo os cuidados com o cabelo danificado são de fundamental importância. Esses cuidados podem ser tomados, utilizando- se produtos (shampoos, condicionadores, cremes) desenvolvidos especialmente para o tratamento de cabelos que foram processados quimicamente.

REPRESENTAÇÃO ESQUEMÁTICA DA QUEBRA E REORGANIZAÇÃO DAS LIGAÇÕES DO CABELO DURANTE O ALISAMENTO DE ONDAS:

C

- S - S - C

 

C

- S

S - C

C

- S - C

C

- S - S - C

C

- S

S - C

C

- S - C

 

OH

C

- S - S - C

pH 12

C

- S

S - C

C

- S - C

C

- S - S - C

 

C

- S

S - C

C

- S - C

 

Ligações

Eliminação do Átomo de Enxofre

Formação de

de Dissulfeto

 

Lantionina

9
9

APOSTILA EVOLUXE.indd

9

06/06/14

10:14

PROCESSO FISIOLOGIA DE APLICAÇÃO CAPILAR PARA O PROCESSO DE APLICAÇÃO SÃO NECESSÁRIOS 04 ITENS: •
PROCESSO FISIOLOGIA DE APLICAÇÃO CAPILAR PARA O PROCESSO DE APLICAÇÃO SÃO NECESSÁRIOS 04 ITENS: •

PROCESSO FISIOLOGIA DE APLICAÇÃO CAPILAR

PARA O PROCESSO DE APLICAÇÃO SÃO NECESSÁRIOS 04 ITENS:

• CREME HIDRÓXIDO DE CÁLCIO

• CARBONATO DE GUANIDINA (LÍQUIDO ATIVADOR)

• SHAMPOO NEUTRALIZANTE INDICADOR PH 4,5

• FINALIZANTE SEM ENXÁGUE PH 4,5

o grau de alisamento desejado (definitivo ou progressivo) e portanto, o tempo de pausa, a técnica de aplicação e a força do produto usada.

É muito importante dialogar com a

cliente antes da realização do serviço, já que

a técnica para amaciamento, relaxamento ou

alisamento podem oferecer muitos resultados diferentes. É absolutamente importante explicar

a cliente como ela deverá pentear-se em casa,

e quais produtos deverão ser usados para uma excelente manutenção.

Uma boa dica é pedir à cliente, para que as próximas 4 lavagens após o serviço, os cabelos sejam escovados para garantir uma maior durabilidade do serviço.

DICAS TÉCNICAS

Separe antecipadamente todos os utensílios que serão usados, para não ter que parar durante o serviço.

SERÃO NECESSÁRIOS:

• PENTE DE CABO

• PENTE PARA DESEMBARAÇAR

• PINÇAS NÃO METÁLICAS

• LUVAS

• ESCOVAS

• TIGELAS

• PINCEL

• RELÓGIO

• SECADOR

• PRODUTOS DE ALISAMENTO EVOLUXE

O trabalho inicia-se com um diálogo com a cliente, a fim de determinar o tipo de trabalho que será realizado, em função do desejo dela. Quando estivermos seguros do tipo de resultado esperado, realizamos um diagnóstico e o teste da mecha. O diagnóstico permitirá determinar

Reiteramos a necessidade de observar o diagnóstico e o diálogo com a cliente, pois nem sempre um resultado muito liso é o desejado pela cliente.

Pode-se querer apenas uma leve redução do volume, ou uma diminuição no grau de ondulação, ou ainda querer apenas remover

o arrepiado dos cabelos, portanto lembre-se da

etapa inicial, que é a determinação de sua cliente

quanto ao tipo de serviço que será realizado.

Antes da realização da aplicação é necessário verificar o couro cabeludo. Caso apresente qualquer anormalidade, o serviço não devera ser realizado. Um teste de mecha também deverá ser realizado. Para tal, separe uma pequena mecha da nuca e proceda à realização do serviço, com todas suas etapas. Se nas próximas 24 horas não houver qualquer

10
10

APOSTILA EVOLUXE.indd

10

06/06/14

10:14

PROCESSO DE APLICAÇÃO FISIOLOGIA CAPILAR tipo de reação ou efeito não desejado, podemos proceder ao

PROCESSO DE APLICAÇÃO

FISIOLOGIA CAPILAR

PROCESSO DE APLICAÇÃO FISIOLOGIA CAPILAR tipo de reação ou efeito não desejado, podemos proceder ao trabalho

tipo de reação ou efeito não desejado, podemos proceder ao trabalho normalmente.

MESMO LENDO TODAS AS DICAS A SEGUIR, VOCÊ DEVE SEMPRE AGREGAR O CONHECIMENTO E AS INSTRUÇÕES ADQUIRIDAS NO TREINAMENTO REALIZADO. É IMPORTANTE QUE TENHA EM MENTE QUE O CONHECIMENTO DA FISIOLOGIA- ANATOMIA CAPILAR, CONCEITOS DE QUÍMICA PARA REALIZAÇÃO DE TRANSFORMAÇÕES E COSMETOLOGIA SÃO SEMPRE ESSENCIAIS PARA UM TRABALHO SEGURO, EFICIENTE PARA LHE TRAZER GRANDES RESULTADOS. SUCESSO E UM ÓTIMO TRABALHO!

IMPORTANTE!

seja com as unhas, um pente ou escova, antes, durante e após um relaxamento.

• Não tensione o cabelo durante o relaxamento.

• Não use produtos que não estejam contidos no kit de relaxamento Evoluxe.

• Evite o calor dos secadores após um relaxamento. Aguarde 2 dias para fazer escova ou prancha.

TESTE DE MECHA

Este teste, além de verificar a saúde dos cabelos, pode comprovar a incompatibilidade química do relaxamento Evoluxe com qualquer outro produto que tenha sido aplicado anteriormente. Mesmo que este produto já tenha sido aplicado antes, repita o teste para avaliar a situação atual do cabelo. Faça o teste de mecha também para conferir o efeito final do relaxamento, tempo de pausa e força a ser utilizada. É no teste de mecha que verificamos se e como o desejo de nossa cliente será atingido.

1 - Coloque as luvas.

2

-

Separe,

na

área

frontal

da

cabeça,

uma

pequena

mecha

de

cabelo

seco

e

desembaraçado da raiz às pontas.

3 - Comece a marcar o tempo.

4 - Aplique uma pequena quantidade da mistura

do Creme de Relaxamento (1) + Ativador (2) por toda a mecha, espalhando com os dedos ou um

pente de dentes largos.

• Não use shampoos anti-caspa por pelo

menos 2 semanas relaxamento.

• Não lave o cabelo 72 horas antes de relaxá-lo.

• Faça o teste de mecha ANTES de aplicar o produto.

• Nunca esfregue ou arranhe o couro cabeludo,

do

antes

e

depois

11
11

APOSTILA EVOLUXE.indd

11

06/06/14

10:14

PROCESSO FISIOLOGIA DE APLICAÇÃO CAPILAR 5 - Passados 8 minutos, simule o estiramento alisando a
PROCESSO FISIOLOGIA DE APLICAÇÃO CAPILAR 5 - Passados 8 minutos, simule o estiramento alisando a

PROCESSO FISIOLOGIA DE APLICAÇÃO CAPILAR

5 - Passados 8 minutos, simule o estiramento

alisando a mecha com os dedos até completar

o tempo de aplicação conforme indicado na

tabela por tipo de cabelo (não ultrapasse os

20 minutos, considerando também o tempo de

aplicação).

4 - Mexa bem com a espátula até obter uma mistura cremosa e homogênea, sem manchas brancas ou pelotas.

6 - Durante o estiramento, observe a ação do

creme de relaxamento e a resistência do fio conforme o passar do tempo. Para a aplicação

no restante do cabelo, você poderá optar por um tempo MENOR do que o descrito na tabela se o efeito desejado for conseguido ANTES.

7 - Enxágue com água morna em abundância,

retirando todo o produto. Aplique um pouco do shampoo Neutralizante, fazendo bastante espuma. Enxágue bem e reaplique o shampoo Neutralizante até que a espuma formada fique completamente branca.

8 - Deixe a mecha secar e verifique o resultado quanto à maciez, resistência do fio e efeito de relaxamento.

9 - Estique a mecha gentilmente. Se os fios se partirem com facilidade, NÃO RELAXE O CABELO.

10 - Estando satisfeita(o) com o resultado,repita

o processo de relaxamento por todo o cabelo,

separando a mecha testada. Caso contrário,

entre em contato com nosso Serviço de Atendimento ao Consumidor (34) 3311-4957 para obter maiores informações.

11 - Se ocorrer qualquer irritação ou alergia, não

relaxe os cabelos.

MISTURA PARA APLICAÇÃO

IMPORTANTE:

MANCHAS BRANCAS E PELOTAS NA MISTURA DO CREME DE RELAXAMENTO SIGNIFICA QUE VOCÊ PRECISA CONTINUAR MISTURANDO. UMA MISTURA ADEQUADA DO CREME DE RELAXAMENTO DEVE SER HOMOGÊNEA NA TEXTURA E NA COR.

TABELA DE CONTROLE DO TEMPO

HOMOGÊNEA NA TEXTURA E NA COR. TABELA DE CONTROLE DO TEMPO 1 - Coloque as luvas.
HOMOGÊNEA NA TEXTURA E NA COR. TABELA DE CONTROLE DO TEMPO 1 - Coloque as luvas.
HOMOGÊNEA NA TEXTURA E NA COR. TABELA DE CONTROLE DO TEMPO 1 - Coloque as luvas.
HOMOGÊNEA NA TEXTURA E NA COR. TABELA DE CONTROLE DO TEMPO 1 - Coloque as luvas.
HOMOGÊNEA NA TEXTURA E NA COR. TABELA DE CONTROLE DO TEMPO 1 - Coloque as luvas.
HOMOGÊNEA NA TEXTURA E NA COR. TABELA DE CONTROLE DO TEMPO 1 - Coloque as luvas.
HOMOGÊNEA NA TEXTURA E NA COR. TABELA DE CONTROLE DO TEMPO 1 - Coloque as luvas.
HOMOGÊNEA NA TEXTURA E NA COR. TABELA DE CONTROLE DO TEMPO 1 - Coloque as luvas.

1 - Coloque as luvas.

2 - Faça a medição do CREME DE RELA-

XAMENTO e ATIVADOR em seus respectivos

medidores.

3 - Adicione primeiro o CREME DE RELAXA-

MENTO ao Recipiente para Mistura, em seguida coloque o ATIVADOR.

DE RELAXA- MENTO ao Recipiente para Mistura, em seguida coloque o ATIVADOR. 12 APOSTILA EVOLUXE.indd 12
DE RELAXA- MENTO ao Recipiente para Mistura, em seguida coloque o ATIVADOR. 12 APOSTILA EVOLUXE.indd 12
DE RELAXA- MENTO ao Recipiente para Mistura, em seguida coloque o ATIVADOR. 12 APOSTILA EVOLUXE.indd 12
DE RELAXA- MENTO ao Recipiente para Mistura, em seguida coloque o ATIVADOR. 12 APOSTILA EVOLUXE.indd 12
DE RELAXA- MENTO ao Recipiente para Mistura, em seguida coloque o ATIVADOR. 12 APOSTILA EVOLUXE.indd 12
DE RELAXA- MENTO ao Recipiente para Mistura, em seguida coloque o ATIVADOR. 12 APOSTILA EVOLUXE.indd 12
DE RELAXA- MENTO ao Recipiente para Mistura, em seguida coloque o ATIVADOR. 12 APOSTILA EVOLUXE.indd 12
DE RELAXA- MENTO ao Recipiente para Mistura, em seguida coloque o ATIVADOR. 12 APOSTILA EVOLUXE.indd 12
12
12

APOSTILA EVOLUXE.indd

12

06/06/14

10:14

PROCESSO DE APLICAÇÃO FISIOLOGIA CAPILAR O controle do tempo é fundamental! Siga a indicação de

PROCESSO DE APLICAÇÃO

FISIOLOGIA CAPILAR

PROCESSO DE APLICAÇÃO FISIOLOGIA CAPILAR O controle do tempo é fundamental! Siga a indicação de tempo

O controle do tempo é fundamental! Siga

a indicação de tempo da tabela abaixo de acordo com o tipo de cabelo que será relaxado ou considere um tempo menor conforme a avaliação durante o teste de mecha. O tempo total para aplicação e estiramento não deve exceder o máximo permitido.

APLICAÇÃO

1 - Desembarace os fios delicadamente com

um pente de dentes largos, sem puxar os fios

ou pressionar o couro cabeludo.

4 - Aplique quantidades generosas do creme de relaxamento ativado em pequenas mechas do cabelo de cada vez.

• Evite aplicar diretamente sobre o couro cabeludo, uma distância mínima de 0,5 cm em relação ao creme.

• Comece pelas seções de trás (l e 2), seguindo da sua esquerda para a direita, em direção às partes de cima (3 e 4), conforme ilustrado.

2 - Divida o cabelo em 4 seções: no meio da testa para a nuca, e de orelha a orelha.

aproximadamente 01 cm, de cima para baixo.

Em

cada

seção,

separe

mechas

de

• Use o pincel para depositar o creme relaxante sobre as mechas.

3 - Inicie a contagem do tempo. Você tem 8

minutos para completar a aplicação.

• Espalhe delicadamente o creme sobre toda a extensão do fio para cabelos virgens.

delicadamente o creme sobre toda a extensão do fio para cabelos virgens. 13 APOSTILA EVOLUXE.indd 13
13
13

APOSTILA EVOLUXE.indd

13

06/06/14

10:14

PROCESSO DE APLICAÇÃO FISIOLOGIA CAPILAR • Deixe para espalhar sobre as pontas por último, exceto
PROCESSO DE APLICAÇÃO FISIOLOGIA CAPILAR • Deixe para espalhar sobre as pontas por último, exceto

PROCESSO DE APLICAÇÃO

FISIOLOGIA CAPILAR

• Deixe para espalhar sobre as pontas por

último, exceto nas partes já relaxadas.

•Para retoques, espalhe o creme de maneira uniforme, APENAS sobre o novo crescimento, evitando as áreas relaxadas anteriormente.

Lembre-se:

cabelo até completar o tempo de estiramento indicado na tabela ou até atingir o efeito de relaxamento desejado conforme o teste de mecha.

NUNCA FAÇA O RETOQUE ANTES DE 4 SEMANAS APÓS O ÚLTIMO RELAXAMENTO.

• Após aplicar o produto em uma mecha,

deposite-a por cima do restante do cabelo de forma que cada mecha aplicada vá se sobrepondo à anterior.

• Para passar para as seções de cima (3 e 4), abaixe as mechas já aplicadas.

ESTIRAMENTO

Logo após aplicar o creme de relaxamento em todo o cabelo, comece o estiramento.

1 - Continue atenta (o) ao tempo. Confira o tempo limite pelo tipo do cabelo e de acordo com o teste de mechas.

2 - Use as costas do pente ou os dedos (com as

luvas) para espalhar o creme por todo o cabelo,

ou pelo novo crescimento, alisando suavemente. PARA RETOQUES, LIMITE O ESTIRAMENTO APENAS AO NOVO CRESCIMENTO.

3 - Inicie pela seção l e siga a mesma sequência da aplicação para o estiramento.

4 - Procure obedecer o sentido do crescimento

do cabelo (da raiz às pontas) enquanto alisar cada mecha. Não faça touca nem prenda o cabelos durante o estiramento.

NEUTRALIZAÇÃO

1 - Enxágue bem com água corrente (não use

balde ou bacia), retirando todo o creme de relaxamento do cabelo:

• Quando encerrar o tempo do relaxamento

conforme a tabela, enxágue bem os cabelos com água morna, certificando-se que nenhum traço visível do creme de relaxamento permaneça no cabelo. Quanto mais você enxaguar retirando o produto, melhores serão os resultados.

• Use seus dedos para abrir todo cabelo para que o enxágue seja mais efetivo.

• Não puxe os fios, nem esfregue o couro cabeludo durante o enxágue.

2 - Aplique uma pequena porção do Shampoo

Neutralizante Evoluxe, massageando suavemen- te e fazendo espuma abundante.

5 - Continue espalhando o creme e estirando o

14
14

APOSTILA EVOLUXE.indd

14

06/06/14

10:14

FISIOLOGIA CAPILAR PROCESSO DE APLICAÇÃO 3 - Repita esta operação até que a espuma formada

FISIOLOGIA CAPILAR

PROCESSO DE APLICAÇÃO

FISIOLOGIA CAPILAR PROCESSO DE APLICAÇÃO 3 - Repita esta operação até que a espuma formada fique

3 - Repita esta operação até que a espuma

formada fique completamente branca e não apresente nenhum traço da cor rosa. Espuma rosa indica que ainda existe resíduo do creme de relaxamento no cabelo e no couro cabeludo e que, se não for removido, poderá causar danos por processamento excessivo.

removido, poderá causar danos por processamento excessivo. 4 - Quando o creme de relaxamento tiver sido

4 - Quando o creme de relaxamento tiver sido removido completamente do cabelo, a espuma estará totalmente branca.

CONDICIONE E PENTEIE

1 - Retire o excesso de água do cabelo com

uma toalha e aplique uma quantidade generosa do Condicionador Finalizante Evoluxe.

2 - Penteie suavemente com um pente de dentes largos espalhando o condicionador, até desembaraçar completamente os fios. Não puxe nem force o pente sobre os nós. Reaplique o condicionador sobre os nós e penteie gentilmente com o pente de dentes largos novamente até desembaraçá-los. NÃO ENXÁGUE.

3 - Penteie como desejar, evitando o calor do secador.

4 – O ideal é que se aguarde 2 dias para fazer escova ou prancha.

5 - Feito a escova ou prancha os cabelos estarão relaxados e saudáveis, com um brilho impecável.

15
15

APOSTILA EVOLUXE.indd

15

06/06/14

10:14

FISIOLOGIA CAPILAR 16
FISIOLOGIA CAPILAR
16

APOSTILA EVOLUXE.indd

16

06/06/14

10:14