Você está na página 1de 4

Questões PPDA – Primeiro Ano Médio – Turma 110 – História/Sociologia/Filosofia

1- Quanto aos conflitos entre árabes e israelenses, podemos dizer que:


I - se aceleram com a partilha da Palestina realizada pela ONU em 1947, que deu origem ao Estado
de Israel e de que decorreu a guerra de 1948/49, que terminou com um acordo de cessar fogo em
que ficava estabelecida a divisão de Jerusalém e a fixação das fronteiras entre Israel e os países
árabes.
II - na década de 1960, os conflitos adquirem maior violência em função do aumento dos atos
terroristas palestinos e da aliança militar e política entre Egito, Síria e Jordânia, o que leva ao
bloqueio econômico de Israel e dá Início à Guerra dos Sete Dias.
III - na década de 1970, os conflitos determinam a explosão da Guerra do Yom Kippur, em 1973, de
que resulta a fixação dos limites territoriais no Oriente Médio e o reconhecimento por parte de
Israel, da OLP, comandada por Arafat, como representante legítima dos interesses palestinos.

Assinale a opção que contém a(s) afirmativa(s) correta(s):


a) Apenas I
b) Apenas I e II
c) Apenas II
d) Apenas II e III
e) Apenas III

2- Em 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou um plano de partilha da


Palestina que previa a criação de dois Estados: um judeu e outro palestino. A recusa árabe
em aceitar a decisão conduziu ao primeiro conflito entre Israel e países árabes. A segunda
guerra (Suez, 1956) decorreu da decisão egípcia de nacionalizar o canal, ato que atingia
interesses anglo-franceses e israelenses. Vitorioso, Israel passou a controlar a Península do
Sinai. O terceiro conflito árabe-israelense (1967) ficou conhecido como Guerra dos Seis
Dias, tal a rapidez da vitória de Israel. Em 6 de outubro de 1973, quando os judeus
comemoravam o Yom Kippur (Dia do Perdão), forças egípcias e sírias atacaram de surpresa
Israel, que revidou de forma arrasadora. A intervenção americano-soviética impôs o cessar-
fogo, concluído em 22 de outubro.
A partir do texto acima, assinale a opção correta.
a) A primeira guerra árabe-israelense foi determinada pela ação bélica de tradicionais potências
europeias no Oriente Médio.
b) Na segunda metade dos anos 1960, quando explodiu a terceira guerra árabe-israelense, Israel
obteve rápida vitória.
c) A guerra do Yom Kippur ocorreu no momento em que, a partir de decisão da ONU, foi
oficialmente instalado o Estado de Israel.
d) Apesar das sucessivas vitórias militares, Israel mantém suas dimensões territoriais tal como
estabelecido pela resolução de 1947 aprovada pela ONU

3- Acredito que a maioria dos palestinos não morra de amores por Israel, mas eles aceitam, a
contragosto, que os judeus israelenses não vão sair de lá. Da mesma maneira que os judeus
israelenses – a contragosto – também aceitam que os palestinos estão aqui para ficar. Essa
não é uma base para uma lua de mel, mas talvez para um divórcio justo, como no caso da
República Tcheca e da Eslováquia.
Amós Oz ao jornal alemão Deutsch Welle, publicado no Brasil pela Carta Capital, em 05 de agosto
de 2014.
O texto em questão, do Nobel da Paz Amós Oz, é uma reflexão sobre os atuais conflitos no Oriente
Médio. No contexto do século passado, o principal evento histórico, considerado um marco na
história desse conflito, foi a
a) implementação de um Estado Árabe na região.
b) criação do Estado de Israel pela ONU em 1948.
c) edificação de um muro para separar os dois territórios.
d) frustração dos acordos de cooperação com a Liga Árabe.
e) construção dos assentamentos judeus nas regiões de fronteira.
Iniciado em 1948, o conflito palestino-israelense constituiu, no Oriente Médio, o que se
convencionou chamar de Questão Palestina, e que, ainda hoje, está longe de ser resolvida.

4- A charge a seguir faz referência a esse conflito, apontando para o fato de que nem
israelenses, nem palestinos são donos da razão numa região marcada pela violência.

Assinale a alternativa que indica a razão pela qual se deu o início do conflito palestino-israelense.
a) A exigência, pelos países do Oriente Médio, do cumprimento do Plano da ONU para a região da
Palestina, que criava, em todo o território, o Estado Palestino, no final da Segunda Guerra Mundial.
b) A incapacidade dos países vencedores da Segunda Guerra de garantir a paz no Ocidente nos anos
posteriores ao conflito, provocando uma fuga em massa de judeus para a Palestina.
c) O estabelecimento de uma instabilidade nas relações internacionais, pelo recém-criado Estado de
Israel, que contava com o apoio dos Estados Unidos, da União Soviética e da ONU.
d) A recusa árabe à partilha da Palestina, imposta pela ONU, que submeteu a maior parte do
território ao controle do recém-criado Estado de Israel, sem que se respeitasse a soberania dos
povos dessa região.
e) A extinção oficial do mandato britânico sobre a Palestina, no final da Segunda Guerra, com
reconhecimento imediato, pelos países vencedores, da independência de todos os países do Oriente
Médio.

5- Entre os povos do oriente médio, os hebreus foram os que mais influenciaram a cultura da
civilização ocidental, uma vez que o cristianismo é considerado como uma continuação das
tradições religiosas hebraicas.
A partir do texto anterior, assinale a alternativa incorreta:
a) Originários da Arábia, os hebreus constituíram dois reinos: o de Judá e o de Israel na Palestina.
b) As guerras geraram a unidade política dos hebreus. Essa unidade se firmou primeiro em torno de
juízes e, depois, em volta dos reis.
c) Os profetas surgiram na Palestina por volta dos séculos VIII e VII a.C., quando ocorreu uma onda
de protestos dos trabalhadores contra os comerciantes.
d) A religião hebraica passou por diversas fases, evoluindo do politeísmo ao monoteísmo difundido
pelos profetas.
e) Os hebreus organizaram-se social e economicamente com base na propriedade da terra, o que deu
início à Diáspora.

6- Entre os hebreus da Antiguidade, os profetas eram considerados mensageiros de Deus,


lembrando ao povo as demandas da justiça e da Lei dadas por Javé. Isaías, um dos profetas
dessa época, em nome de Javé proclamou:
Ai dos que decretam leis injustas; dos que escrevem leis de opressão, para negarem justiça aos
pobres, para arrebatarem o direito aos aflitos do meu povo, a fim de despojarem as viúvas e
roubarem os órfãos! (Isaías 10:1-2)
Ai dos que ajuntam casa a casa, reúnem campo a campo, até que não haja mais lugar, e ficam como
únicos moradores no meio da terra! (Isaías 5:8)

Esses pronunciamentos do profeta Isaías estão ligados a uma época da história hebraica em que
ocorreu:
a) a saída dos hebreus do Egito, sob o comando de Moisés, e o estabelecimento em Canaã,
conquistando as terras dos povos que ali habitavam.
b) a imigração para o Egito, quando os hebreus receberam terras férteis no delta do rio Nilo, por
influência de José, que exercia ali o cargo de governador.
c) a formação de uma aristocracia, que enriquecera com o comércio e com a apropriação das terras
dos camponeses endividados.
d) a conquista de Jerusalém por Nabucodonosor, quando os judeus foram despojados de suas terras
e deportados para a Babilônia.
e) O domínio persa, como Ciro, o Grande, que massacrou milhares de camponeses hebreus.

7- O termo semita é comumente usado para referir-se aos hebreus (ou judeus), tal como o termo
antissemita é usado para qualificar o tipo de discurso ou ideia pessoal que tem por objetivo
hostilizar a cultura hebraica. A origem desse termo, segundo a tradição hebraica, remete à figura de:
a) Sem, um profeta obscuro da época dos patriarcas.
b) Sem, um rei babilônico que dominou a Mesopotâmia.
c) Nenhuma das alternativas.
d) Sem, filho de Noé.
e) Sem, isto é, os hebreus seminômades que habitavam a península arábica.

8- Para a filosofia, conhecer significa:


a) Trazer a verdade à luz, mesmo que ela seja limitada.
b) Acreditar em Deus como a única verdade e não procurar outra verdade.
c) Ignorar as descobertas científicas porque elas não provam nada, e aceitar tudo o que dizem os
livros sagrados.
d) É um ato impossível do ser humano. Não somos capazes de conhecer as coisas.

9- Há duas formas de exercitarmos nossa capacidade de domínio sobre os outros


(PODER HUMANO). Das alternativas abaixo, apenas uma revela essas duas formas filosóficas do
poder humano, assinale-a:
a) A desinformação e a pobreza.
b) A posse e o conhecimento.
c) A posse e a desinformação.
d) O conhecimento e a pobreza
10- Não sou racista, disse-me um dia minha avó. Depois acrescentou: Afinal, eles não têm culpa de
serem pretos! (...) Confesso que não tive coragem de lhe explicar, como deveria ter feito, que sua
razão de não ser racista... Era racista. A partir desse relato de André Comte-Sponville, explique por
que o argumento da avó dele era de fato racista.
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________

11- Segundo o pesquisador em genética humana, Sérgio Danilo Pena, existe consenso entre
antropólogos e geneticistas, de que, sob este prisma biológico, raças humanas não existem. Por
outro lado, certamente raças existem como construções sociais e culturais, e o racismo é uma
realidade, por mais perverso e detestável que seja.
Considerando seus conhecimentos e a afirmação acima explique o que entende por racismo e como
devemos agir para mudar esse tipo de pensamento e ações.
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________