Você está na página 1de 11

Introdução

Neste presente trabalho abortaremos os seguintes temas: Radioactividade-ensaio de


rutherford e postulado de Bohr; Lei de Lavosier e Proust¸História de António Lavosier
e Louis Proust.
Radioatividade

Alguns átomos, principalmente os de grande massa, desintegram espontaneamente,


manifestando radioactividade.

Pierre Curie e Marie Curie, o casal Curie estudaram a radioactividade dos sais de
urânio.

Eles verificaram que todos os sais de urânio tinham propriedade de impressionar chapas
fotográficas. Concluíram que o responsável pelas emissões era o urânio (U).

Fizeram muitas experiencias, extraindo e purificando o urânio (U) a partir do mineiro


pechblenda (U3O).

Observaram que as impurezas eram mais radioactiva do que o próprio urânio.

Separaram, em 1898, das impurezas, um novo elemento químico, o polónio (Po) em


homenagem terra natal de Marie Curie, a polónia. O polónio e 400 vezes mais
radioactivo do que urânio.

Mas experimentos foram feitos pelo casal e foi descoberto outro elemento químico, o
rádio (Ra), 900 vezes mais radioactivo do que urânio. Este elemento torna luminescente
(azulado) quando esta no escuro e torna fluorescente algumas substancias como Zns,
BaS, etc.

Os átomos dos elementos radioactivos são muitos instáveis. Por este motivo a
radioactividade se manifesta pela emissão de partículas dos núcleos do átomo ou de
radiação electromagnética.

Desintegração ou decaimento nuclear: processo onde os núcleos instáveis emitem a


partículas e ondas electromagnéticas para conseguir estabilidade.

Só é radioactivo elemento que tem seu núcleo instável. A estabilidade do núcleo


atómico e determinada pelo numero da massa (A), ou seja, quantidade de protões mais
neutrões. A estabilidade só é rompida nos átomos com o numero de massa muito
grande. A partir do polónio (Po-84), todo elemento tem instabilidade.
Há alguns átomos mas leves com núcleos estável, em proporções mínimas. São
chamados isótopos radioactivos ou radioisótopos.

A radioactividade (Aos 1945: radioactividade) (também chamado de radicalidade e um


fenómeno natural ou artificial pelo, qual algumas substancias ou elementos químicos,
chamados radioactiva, são capazes de emitir radiações, as quais tem a propriedade de
impressionar placas fotográfica, ironizar gases, produzir fluorescência, a atravessar
corpo opaco a luz ordinária etc. As radiações emitidas pelas substancias radioactivas são
principalmente partículas alfas, partículas beta e raios gamas. A radioactividade e uma
forma de energia nuclear, usada em medicina (radioterapia), e consiste no facto de
alguns átomos como os de urânios, rádio e tório serem ‘’instáveis’’, perdendo
constantemente partículas alfas, beta e gama (raio-X). O urânio por exemplo tem 92
protões, porem através dos séculos vai perdendo-os na forma de radiação, ate terminar
em chumbo, com 82 protões instáveis que foi observando pela primeira vez pelo francês
Henry Becquerel em 1896 enquanto trabalhava em matérias.

A radioactividade pode ser:

- Radioactividade natural ou espontânea: a que se manifesta nos elementos


radioactivos e nos isótopos que se encontra na natureza e poluem o meio ambiente.

-Radioactividade artificial ou induzida: é aquela que é provocada por transformações


nucleares artificiais.

Ensaio de Rutherford e Postulado de bohr

Em 1919, Ernest Rutherford descobriu que os elementos podem ser transmutados. O


trabalho de Rutherford estipulou as bases para a interpretação da estrutura atómica.

Pouco depois outro Niels Bohr, finalizou a teoria atómica.

Estes e outros avanços criaram muitos ramos distintos na química, que inclui a
bioquímica, química nuclear, engenharia química e química orgânica.

Foi nesta época que a química se desenvolveu como ciência. As ideias de Lavoiser
deram aos químicos a primeira compressão sólida sobre a natureza das reacções
químicas.
Lavoiser impulsionou novos trabalhos, como o de Jhon Dalton sobre a teoria atómica.

O químico italiano Amdeo Avogadro formulou sua própria teoria (a lei do avogadro).

Em 1911, o neozelandês Ernst Rutherford realizou uma importante experiencia.

Ele pegou um pedaço de metal de polónio (Po) que emiti partícula alfa (A) e colocou
numa caixa de chumbo com um pequeno orifício. As partículas alfas atravessavam
outras placas de chumbo através de orifício no seu centro. Depois atravessava uma
lâmina muito fina (10-4mm) de ouro (AO).

Rutherford adaptou um ante – paro móvel com sulfetos de zinco (fluorescente) para
registar o caminho percorrido pelas partículas.

O físico observou que a maioria das partículas alfa atravessava a lâmina de ouro e
apenas algumas desviavam até mesmo retrocediam.

A partir deste resultado, conclui o átomo não era uma esfera positiva com electrões
mergulhados nesta esfera, conclui que:

- O átomo é um enorme vazio;

- O átomo tem um núcleo muito pequeno.

- O átomo tem um núcleo muito positivo (+) já que partícula desviava algumas vezes;

- Os electrões estão ao redor do núcleo (na electrosfera) para equilibrar as cargas


positivas.

O modelo de rutherford surgiu então, com átomos com orbitas circulares dos electrões.
Comparou o átomo com sistema solar onde os electrões seriam os planetas e núcleo
seria o solo.

Modelo ou ensaio de Bohr

O modelo de físico dinamarquês Niels bohr contava dar continuidade ao trabalho feito
por rutherford. Para explicar os erros do modelo anterior bohr sugeriu que o átomo
possui energia quantizadas. Cada electron só pode ter determinada quantidade de
energia, por isso, ele é quantizado.

O modelo de bohr representava os níveis de energia. Cada electron possui a sua energia.
Em comprado as orbitas dos planetas do sistema solar, onde cada elctron possui a
própria orbitas. E com quantidade de energia já determinada. A lei da fisca clássica não
se enquadra neste modelo. Quando um elctron salta de um nível menor para um nível
mais elevado ele absorve energia e quando ele retorna para um nível menor, o electron
emite uma radiação em forma de luz.

Bohr organizou os electrões em camada ou nível de energia. Cada camada possui um


nome deve ter um numero máximo de electrões.

Existem setes camadas ou núcleo de energia ao redor do núcleo: K, L, M, N, O, P, Q.

Observa os nomes das camadas, o seu número quântico e o número máximo de


electrões em cada uma destas camadas:

Número quântico Numero máximo de e


K 1 2
L 2 8
M 3 18
N 4 32
O 5 32
P 6 18
Q 7 2

Lei de Lavoiser e Proust

O químico francês Joséph Louis Proust observou que uma reacção química a relação
entre as massas das substâncias participantes é sempre constante. A lei Proust ou a lei
das proporções definidas diz que dois ou mais elementos ao se combinar para formar
substâncias, conserva entre si proporções definidas.

Observe: a massa de uma molécula de água e de 18 g e resultado das somas das massas
atómicas de hidrogénio e oxigénio.
H2- massa atómica 1→2x1=2g

O- massa atómica = 16→1x16=16g

Então 18g de água tem sempre 16g de oxigénio e 2g de hidrogénio. A molécula agua
esta na proporção 1:8.

As leis de Lavoiser e de Proust são chamadas de leis ponderais porque estão


relacionadas a massa dos elementos químicos nas reacções químicas.

Lei de Lavoiser

António Laurent de Lavoiser (paris, 26 de Agosto de 1743- Paris, 8 de Maio de 1994)


foi um químico francês considerado o pai da química moderna.

E reconhecido por ter anunciado o principio da conservação da matéria apesar do russo


Mikhail Lomonossov tê-lo feito 14 anos antes. Além disso identificou e baptizou o
oxigénio refutou a teoria flogistica e participou da reforma da nomenclatura química.
Celebre seus estudos sobre a conservação da matéria. Mais tarde e mortalizado pela
França popular. António Lavoiser foi o primeiro a observar o oxigénio em contacto com
uma substancia inflamável produz a combustão. Pertence a constatação de que agua e
uma substancia composta formada por hidrogénio e oxigénio. Foi uma comprovação
surpreendente para uma época em que agua era tida e aceita como substancia simples,
ou seja, impossível de se decompor.

História de António Lavoiser e de Joseph Louis Proust

António Laurent de Lavoiser nasceu em paris, em 1743, filho de uma família rica,
recebeu educação esmerada e exerceu vários cargos públicos. Foi membro da academia
de ciência da franca e é considerado um dos fundadores da química moderna. Devido as
suas ligações com o regime politico anterior, Lavoiser foi condenado pela revolução
francês e executado na guilhotina em 1794 aos 51 anos de idade.

Lavoiser afirmava em sua lei que no interior de um recipiente fechado a massa total não
varia, quaisquer que seja as transformações que venham ocorrer. Ou que na natureza,
nada se perde, nada se cria; a matéria apenas se transforma.
Ex: verifica-se que 6g de carbono reage com 8g de oxigénio, produzido 14g de gás
carbónico, (3g+8g→14g), conclui-se que nada perdeu apenas transformou-se.

Joseph Louis Proust

Nasceu em Angers, França, em 1754. Estudou química e farmácia, e foi chefe da


farmácia do hospital de salpretriere, em paris. Em 1789, fugindo da revolução francesa,
mudou-se para Espanha. Em1981 formulou a lei das proporções constantes, que foi
combatida pelos cientistas da época só em 1808 reconheceu-se que a razão estava em
Proust. Sua lei ajudou a fortalecer na química, a ideia do átomo. Morreu em sua cidade
natal, em 1826.

Proust afirmava em sua lei que uma determinada substancia composta e formada por
substâncias mais simples, unidas sempre na mesma proporção em massa.

Ex: C+O2→CO2, as substancias carbono e o gás oxigénio é simples, pois suas


moléculas (representação gráfica) contem apenas um só tipo de elemento químico; o
elemento carbono, C e o elemento oxigénio, O. A substancia CO2, dióxido de carbono
ou gás carbónico é composta, pois sal molécula é formado por dois elementos químicos
diferentes, o carbono e o oxigénio.

Partículas fundamentais dos átomos

Átomos

Os átomos são formados por partículas fundamentais denominadas protões, electrões e


neutrões.

Carga relativa Massa relativa


Proton +1 1
Neutron 0 1
Electron -1 1/1836

 Número atómico (Z): corresponde a carga nuclear isto, é, o número de protões


(P);
 Número de massa (A): corresponde ao total das partículas nucleares, isto é, a
soma dos números de portões (P) e o dos números de neutrões (N).

A=P+N

 O número atómico identifica cada espécie de átomo, pois é uma constante.


 O número de massa pode variar porque o número de neutrões não é constante.

Ions

 É o átomo que perdeu ou ganhou electrões;


 Cation(+): átomo que perdeu electrões.

Ex: átomo: 11Na23 -> cation Na+1+e-.

 Ânion (-): átomo que ganhou electrões.

Ex: átomo: 17CL35+e--> ânion CL-1.

Isóbarros: são átomos de elemento químicos diferentes que possui o mesmo número de
massa. Ex: 20Ca40, 19Ar20.

Isótopos: são átomos com mesmo de numero de protões e diferente numero de massa.

Ex:

1 2 3
1H 1D 1T

Protion Deoterio
Tritio

Isótonos: são átomos de elementos químicos diferentes que possuem o mesmo, número
de neutrões.

Ex: 9F19, 10Ne20.


Isóelectronicos: são átomos ou ions com mesmo número de electrões.

Ex: 7N3- 8O
2-
9F
1- 10
Ne0
1+
11Na

10 electrões 10 electrões 10 electrões 10 electrões 10 electrões


Conclusão

No presente trabalho de pesquisa, com muito prazer concluímos que: a radioactividade é


um fenómeno natural ou artificial, pelo qual algumas substâncias ou elementos
químicos, chamados radioactivos, são capazes de emitir as radiações. E vimos também
as leis de Lavosier e Proust que são:

A lei de Proust que diz uma determinada substancia composta é formada por mais
substâncias simples, unida sempre na mesma proporção em massa. E a lei de Lavosier
refere-se a conservação da matéria durante a transformação física ou química.

História de Lavosier e Proust: Lavosier nasceu em paris em 1743, filho de uma família
rica, recebeu uma educação esmerada e exerceu vários cargos públicos foi membro da
academia de ciência da franca e é considerado como um dos fundadores da química
moderna.

Partículas fundamentais dos átomos: os átomos são formados por partículas


fundamentais denominadas prontons, eletrons e neutrons.
Bibliografia
Fontes:

 Www.wikepedia.org.com/radioactividade
 Www.soquimica.com.br
 Www.mundoeducacao.com.br