Você está na página 1de 8

Análise de circuitos em corrente contínua

Circuito divisor de tensão

Formador: J. Tomaz

Divisor de Tensão

Introdução

Basicamente, um circuito Divisor de Tensão é utilizado quando se deseja obter valores


de tensão inferiores ao da tensão da fonte de alimentação, evitando assim, o uso de outras
fontes, para obter tensões de referência, ou para polarização de transístores.

A tensão que se deseja obter por meio deste tipo de circuito é normalmente designada por
tensão de saída (US) ou (UOUT) e pode ser um valor fixo, ajustável ou variável.

À saída de um Divisor de Tensão pode ser acoplado um outro circuito ou apenas uma
resistência, a qual é designada por resistência de carga (RL).
Divisor de Tensão

Divisor de Tensão com saída fixa.

Este tipo de Divisor de Tensão, não é mais do que um circuito série de resistências.

Em cada uma das resistências podemos obter uma parcela da tensão total da fonte
(tensão de entrada, UIN) como mostra a figura:

Divisor de Tensão

Analisando o circuito, temos:

A resistência equivalente do circuito obtem-se:

Req R1 R2
A corrente no circuito é calculada pela expressão:
U IN U IN
I I
R eq R1 R 2
A tensão de saída UOUT será a tensão na resistência R2. Pela Lei de Ohm:

U OUT R2 I
I na expressão anterior, temos:

R2 U IN
U OUT
R1 R2
Esta expressão pode ser denominada de equação do Divisor de Tensão.
Divisor de Tensão

Outra forma de deduzir a equação do Divisor de Tensão, poderá ser:

A tensão total do circuito é:


U IN U R1 U R 2 U IN ( R 1 I) ( R 2 I) U IN (R 1 R 2 ) I

Como a corrente ( I ), pode ser calculada por:

U R1 U R2
I I
R1 R2
I na expressão anterior, temos:

U R1 U R2
U IN ( R1 R2 ) U IN ( R1 R2 )
R1 R2
Donde, as tensões UR1 e UR2 resultam:

R1 U IN R2 U IN
U R1 U R2
R1 R2 R1 R2
Podendo, uma destas duas equações ser a do Divisor de Tensão. A primeira obtendo a
tensão de saída nos terminais de R1, e a segunda nos terminais de R2.

Divisor de Tensão

A equação do Divisor de Tensão para um qualquer nº de resistências em


série, será:
R1 R2 R3
U R1 U IN U R2 U IN U R3 U IN
R1 R2 R3 R1 R2 R3 R1 R2 R3

Para o circuito acima, a tensão de saída será:


R3
U OUT U IN
R1 R2 R3
Divisor de Tensão

Divisor de Tensão com saída ajustável.

Podemos usar um seletor para se obter na saída um valor de tensão ajustado conforme
necessário. Selecionando desta forma a resistência ou resistências entre os terminais A e
B que escolhemos como terminais de saída.

Por exemplo, se no caso acima, as resistências forem todas do mesmo valor, poderemos
obter na saída quatro valores distintos de tensão. Mais precisamente, 4 parcelas todas
iguais do valor da tensão de entrada. Se a tensão de entrada for de 12V, poderemos ter
na saída: 3V; 6V; 9V e 12V.

Divisor de Tensão

Divisor de Tensão com saída variável.

Através de um potenciómetro, podemos obter um Divisor de Tensão variável. Com este


tipo de divisor de tensão, podemos variar a tensão de saída de zero volts até à tensão
máxima, que será igual à tensão de entrada.

Por exemplo, no caso da imagem acima, se o potenciómetro estiver a 50% do seu curso
máximo, a tensão de saída será 50% do valor da tensão de entrada..
Análise de circuitos em corrente contínua
Circuito Divisor de Corrente

Formador: J. Tomaz

Divisor de Corrente

Introdução

De forma análoga ao circuito Divisor de Tensão, algumas vezes também


necessitamos limitar a corrente num circuito ou apenas em parte dele. Neste
caso, usamos um circuito Divisor de Corrente que, basicamente, é um circuito
de resistências em paralelo, cuja corrente total é dividida pelas várias
resistências.

A equação do circuito Divisor de Corrente também pode ser usada para se


calcular o valor da corrente num ramo de um circuito composto por
resistências em paralelo.
Divisor de Corrente

Divisor de Corrente constante ou fixo.

Vejamos como exemplo um circuito de duas resistências em paralelo.

Em cada uma das resistências podemos obter uma parcela da corrente total fornecida
pela fonte como mostra a figura.

Divisor de Corrente
Analisando o circuito, temos:

A tensão de entrada UIN é igual às quedas de


tensão de R1 e de R2.

U IN U R1 U R 2
Também podemos dizer que UIN é igual ao
produto da resistência equivalente pela
corrente total no circuito,

R1 R2
U IN IT
R1 R2

Como, também podemos dizer que,

U IN R1 I1 ou U IN R2 I 2
Substituindo, fica:
R1 R 2 R2
R 1 I1 IT I1 IT
R1 R 2 R1 R 2
Divisor de Corrente

Chegamos, assim, à fórmula reduzida


para calcular a corrente I1,

R2
I1 IT
R1 R2

Da mesma forma, para calcular I2,

U IN R1 I1 ou U IN R2 I 2

Substituindo, temos:
R1 R2 R1
R2 I 2 IT I2 IT
R1 R2 R1 R2
Obtemos a fórmula reduzida para calcular a corrente I2,

R1
I2 IT
R1 R2

Divisor de Corrente
A equação do Divisor de Corrente para 3 resistências em paralelo, será:

A tensão de entrada UIN é igual às quedas de tensão de R1, R2 e R3,


U IN U R1 U R 2 U R3
Também podemos dizer que,
R2 R3 R2 R3
R1
R2 R3 R2 R3
R1 I1 IT I1 IT
R2 R3 R2 R3
R1 R1
R2 R3 R2 R3
Divisor de Corrente

Chegamos, assim, à fórmula reduzida para calcular I1,

R2 R3
R2 R3
I1 IT
R2 R3
R1
R2 R3

Da mesma forma, para calcular I2 e I3,

R1 R3 R1 R2
R1 R3 R1 R2
I2 IT I3 IT
R1 R3 R1 R2
R2 R3
R1 R3 R1 R2

Divisor de Corrente

Outras formas, abreviadas, de apresentar as fórmulas para calcular as correntes num


divisor de corrente de 3 resistências, podem ser:

R2 || R3
I1 IT
R1 R2 || R3

R1 || R3 R1 || R2
I2 IT I3 IT
R2 R1 || R3 R3 R1 || R2