Você está na página 1de 3

O texto abaixo está embaralhado.

Recorte os parágrafos e coloque-os em ordem para dar sentido ao


texto.

Um dia, quando ela vinha na lambreta com o saco atrás, o fiscal da


alfândega mandou ela parar. A velhinha parou e então o fiscal perguntou
assim para ela:

_ Olha vovozinha, eu sou fiscal da Alfândega com 40 anos de serviço.


Manjo essa coisa de contrabando pra burro. Ninguém me tira da cabeça que
a senhora é contrabandista.

- O senhor promete que não “espaia”? – quis saber a velhinha.


_ Juro – respondeu o fiscal.
_ É lambreta.
Mas o fiscal ficou desconfiado ainda. Talvez a velhinha passasse um dia
com areia e no outro com muamba, dentro daquele maldito saco. No dia
seguinte, quando ela passou na lambreta com o saco atrás, o fiscal mandou
parar outra vez. Perguntou que é que ela levava no saco e ela respondeu que
era areia, uai! O fiscal examinou e era mesmo. Durante um mês seguido o
fiscal interceptou a velhinha e , todas as vezes, o que ela levava no saco era
areia.
_ Escuta aqui, vovozinha, a senhora passa por aqui todo dia, com esse
saco aí atrás. Que diabo a senhora leva nesse saco?

A velhinha sorriu com os poucos dentes que lhe restavam e mais os


outros, que ela adquirira no odontólogo, e respondeu:
_ É areia!
Aí quem sorriu foi o fiscal. Achou que não era areia nenhuma e
mandou a velhinha saltar da lambreta para examinar o saco. A velhinha
saltou, o fiscal esvaziou o saco e dentro só tinha areia. Muito encabulado,
ordenou que a velhinha fosse em frente. Ela montou na lambreta e foi
embora com o saco de areia atrás.
Diz que foi aí que o fiscal se chateou:

_Mas no saco só tem areia! – insistiu a velhinha. E já ia tocar a


lambreta, quando o fiscal propôs:

_Eu prometo à senhora que deixa a senhora passar. Não vou dar parte,
não apreendo, não conto nada a ninguém, mas a senhora vai me dizer: qual é
o contrabando que a senhora está passando por aqui todos os dias?
A velha contrabandista
(Stanislaw Ponte Preta)
Diz que era uma velha que sabia andar de lambreta. Todo dia ela
passava pela fronteira montada na lambreta, com um bruto saco atrás da
lambreta. O pessoal da Alfândega – tudo malandro velho – começou a
desconfiar da velhinha.
. Siga as pistas e ordene o texto corretamente no caderno copiando-o:
Biscoitos
Também comprou um pacote de biscoitos. Então ela achou uma poltrona numa parte reservada do
aeroporto para que pudesse descansar e ler em paz.
Mas que "cara de pau". Se eu estivesse mais disposta, lhe daria um soco no olho para que ele nunca mais
esquecesse.
Certo dia uma moça estava à espera de seu voo na sala de embarque de um aeroporto. Como ela deveria
esperar por muitas horas resolveu comprar um livro para matar o tempo.
Ao lado dela se sentou um homem. Quando ela pegou o primeiro biscoito, o homem também pegou um.
Ela pensou para si:
Ela se sentiu indignada, mas não disse nada
A cada biscoito que ela pegava o homem também pegava um. Aquilo a deixava tão indignada que ela não
conseguia reagir.
Quando sentou confortavelmente em seu assento, para surpresa dela o seu pacote de biscoito estava ainda
intacto, dentro de sua bolsa. Ela sentiu muita vergonha, pois quem estava errada era ela, e já não havia mais
tempo para pedir desculpas.
Restava apenas um biscoito e ela pensou: O que será que o "abusado" vai fazer agora?
Ela pegou o seu livro e as suas coisas e dirigiu-se ao embarque.
O homem dividiu os seus biscoitos sem se sentir indignado, enquanto que ela tinha ficado muito
transtornada.
Então o homem dividiu o biscoito ao meio, deixando a outra metade para ela.
Reflexão:
Transforme-se. Busque mais dar do que receber. Você é capaz dessa mudança. Só podemos transformar o
mundo à nossa volta mudando-nos a partir de nós mesmos
Pense com clareza .Há quem proceda de forma muito diferente da que você gostaria que fosse. Isso tira a
sua calma e dá-lhe a impressão de que ninguém gosta de você.
Não será um desejo de receber, de satisfazer-se, de preencher a si próprio o motivo desse estado de
espírito?
Mas raciocine claramente.

1. O 1º parágrafo inicia com linguagem habitual de narrativas;


2. O 2º parágrafo informa onde se passa a história e inicia com uma conjunção aditiva;
3. O 3º parágrafo possui um numeral ordinal;
4. O 4º parágrafo possui uma conjunção que indica contrariedade;
5. O 5º parágrafo inicia com um pronome pessoal ;
6. O 6º parágrafo inicia com uma conjunção e uma expressão da linguagem popular;
7. O 7º parágrafo possui um verbo transitivo direto, precedido de um substantivo;
8. O 8º parágrafo é composto por um período interrogativo;
9. O 9º parágrafo existe um numeral fracionário;
10. O 10º parágrafo inicia com um pronome pessoal na 3ª pessoa do singular precedido de um verbo transitivo direto.
11. O 11º parágrafo possui um período composto por sete verbos;
12. O 12º parágrafo possui no final da oração uma locução adjetiva;
13. O 13º parágrafo inicia com um verbo imperativo;
14. O 14º parágrafo possui um adjunto adverbial de negação;
15. O 15º parágrafo possui apenas um verbo;
16. O 16º parágrafo inicia com uma expressão negativa e é um período interrogativo;
17. O 17º parágrafo inicia com um verbo transitivo seguido da partícula se.
O texto ordenado esta no site abaixo: