Você está na página 1de 4

Os Tratados Urbanísticos Renascentistas

Renascimento fora da Itália

o Portugal, Inglaterra, Espanha, Alemanha, Países Baixos


o Bélgica, Holanda.

A expansão do Renascimento favoreceu as grandes Navegações (1415)


Marítimas Européias do séc XV (bússola, atrolábio, cartografia, teoria heliocêntrica).
Pioneirismo português: aliança do rei + a burguesia = formação das
monarquias nacionais ou Estados Nacionais  centralização política .
o Portugal – séc XII
o Espanha – séc XV
o França / Inglaterra – séc XV

Povos Pré-Colombianos

Incas = região andina (impérios centralizados)


Astecas = planalto mexicano (impérios centralizados)
Maias = Guatemala e Península Mexicana de Iucatã (cidades estados)

Tratados de Vitrúvio conceito urbano imposto às novas cidades americanas  segue um


padrão uniforme.

Felipe II – Lei dos Índios = consagra a planta ortogonal.

Benévolo = “as cidades coloniais americanas são as realizações + importantes do séc.


XVI”. Objetivo: reorganizar o ambiente construído com os novos princípios da simetria e
da regularidade geométrica, impondo estes princípios, os europeus afirmam seu domínio
em todas as partes do mundo.

Civilizações pré-hispânicas: Maias, Astecas, Incas: artes, arquitetura e cidade

 Expansão marítimo-comercial os europeus conquistaram o mundo atlântico;


 Final da Idade Média: mudança estrutural na sociedade européia;
 Desenvolvimento do capitalismo (XV e XVI);
 Fatores econômicos: busca de novos caminhos para o Oriente; necessidade de novos
mercados; a falta de metais preciosos;
 A formação dos Estados Nacionais;
 A ambição material;
 O progresso tecnológico.

Navegações espanholas-colombo e a conquista da América  atingir o leste


viajando no sentido oeste.
Escola de Berkeley  42 milhões de km2; 88 milhões de habitantes, 20% da
humanidade séc. Xv – América Central e norte da América do Sul.

Povos Pré – Colombianos

o Apache, canaches, sioux e iroqueses – EUA.


o Maias – Honduras, parte do México e Guatemala.
o Astecas – região do México
o Incas – região do Peru
o Tupis, jês e nuaruaques – região do Brasil

Mecanismos de conquista – a espada, a cruz e a fome, utilizado pelos


espanhóis.
A América foi descoberta por acaso, o Brasil não.

Administração Colonial

o Casa de contratação / 1525 – Conselho dos Índias.


o Cabildos (Câmaras Municipais)  Justiça local, impostos.
o Audiências (vice – reinos).

4 Vice – Reinos

a) da Nova Espanha – México, Costa dos Estados Unidos, Peru


b) Nova Granada – atuais Colômbia, Panamá, Equador – regiões de
apresamento indígena para as minas.
c) Do Peru – Peru e Bolívia (veia jugular do Império – grande extração
de prata.
d) Da Prata – Argentina, Paraguai, Uruguai (erva-mate e agropecuária).

Capitanias Gerais.
- Guatemala, Venezuela, Cuba e Chile.

Maias – uso do ferro, da roda, do arado, transporte por animais (não são cavalos e bois).
Construíram templos (de pedra e adobe), pirâmides, observatórios de astronomia,
calendário, pintura mural e a arte cerâmica (motivos de natureza natural e sobrenatural)
sociedade dirigida por poderosos sacerdotes (dominado pelas astecas).

Astecas – comercializavam: tecidos, peles, cerâmicas, sal, ouro e prata. Desconheciam o


uso do ferro, da roda e dos animais de carga; técnica da ourivessaria. Construíram grandes
templos religiosos, escrita primitiva, calendário próprio.

Incas – 20 milhões de habitantes  tecelagem, cerâmica, metalurgia do bronze e do cobre,


trabalharam o ouro e a prata. Construíram palácios, templos, estradas pavimentadas,
aquedutos e canais de irrigação. O Imperador chamava Inca.
Colonização América Latina (séc. XVI, XVII e XVIII) coincidiu com a
criação das primeiras cidades colônias  ponto de apoio para mediar os interesses e
comercializar as mercadorias entre os paises colonizadores.
Cidade do México (antiga Tenochtithan – 1325). Cartagena maior porto e
base naval e comercial-1533.
Salvador – 1534 até 1763 – capital do Brasil.
Pizarro – 1535- Ciudad de Los Reyes; Lima (depois de destruir a capital do
Império Inca, Cuzco).
Buenos Aires (sede Vice Reinado de La Plata – fundada 1536).
Santas Fé de Bogotá (capital futura Colômbia) – 1538.
São Paulo de Piratininga – 1554.
Rio de Janeiro – 1565.

“Principio do ladrilheiro” e o “principio (portugueses) do semeador”


Espanhóis – racionalidade – força das armas, cruz e espada. Erguiam suas
cidades em altiplanos, traçando suas praças e ruas segundo uma grade ou o tabuleiro, com a
praça ao centro, cercada pelos prédios mais reprensentativos (catedral, palácio do governo,
caserna militar).
As demais ruas, avenidas e praças eram traçadas paralela e
perpendicularmente a este quadrado central, formando uma quadriculado (que dá a
perspectiva de passaro) lembrava um chão ladrilhado. Poderíamos dar com o exemplo as
cidades do México, Caracas, Bogotá, Lima, Cuzco, La Paz, Buenos Aires, entre outras.
Milton Santos – “série hispano – americana” se caracteriza pela presença no
plano urbano, da Plaza Mayor (abrigar edifícios públicos  planificação, ordenamento).
Sérgio Buarque de Holanda – espanhóis seguiam a tradição romana de
erguer cidades e fortificações; portugueses orientavam-se por seus antepassados fenícios e
gregos.