Você está na página 1de 8

17/06/2018 OS 5 MINISTÉRIOS DE EFÉSIOS 4.

11 :: IGREJA APOSTÓLICA TEMPLO EM ADORAÇÃO

IGREJA APOSTÓLICA TEMPLO EM ADORAÇÃO


RECONCILIANDO O HOMEM COM DEUS 2 CORINTIOS 5.18-20

Página inicial Mensagens OS 5 MINISTÉRIOS DE EFÉSIOS 4.11

NOVAS REVELAÇÕES

A Bíblia nos leva a ter uma expectativa muito grande sobre a


manifestação da glória de Deus. Nossa esperança não somente é que vejamos acontecer em
nosso meio o que lemos na Bíblia, mas também podermos experimentar milagres que ainda
nunca foram vistos.
Mas, como diz um ditado popular muito conhecido: "se continuarmos a fazer o que temos feito,
continuaremos a alcançar os resultados que temos alcançado". Isto significa que se não
mudarmos o que estamos fazendo não alcançaremos resultados diferentes. Precisamos mudar
o que temos feito para mudarmos os resultados.
Todas as coisas que existem são criadas 2 vezes. Por exemplo: Um edifício é criado primeiro na
imaginação do arquiteto que faz o projeto (esta é a primeira criação). Depois vem a segunda
criação, quando o edifício é construído. Ao fazermos alguma coisa, primeiro pensamos,
imaginamos e planejamos. Depois executamos. A primeira criação sempre acontece no
intangível, no imaginário. A segunda criação acontece na realidade tangível.
No mundo espiritual as coisas também funcionam assim. Primeiro sonhamos e cremos em algo
(primeira criação), depois estas coisas vem a existência (segunda criação). Para
experimentarmos coisas diferentes temos que crer em coisas diferentes e para crermos em
coisas diferentes temos que ter um novo entendimento e revelação dos projetos de Deus para
estes tempos. Isto significa que nestes últimos tempos experimentaremos uma unção de novas
revelações e compreensões da Escritura que nunca tínhamos antes. Estejamos abertos para as
coisas novas que Deus tem para estes tempos.
"Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de
sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele" (Efésios 1:17).

AP. BETO

https://igrejaapostolicatemploemadoracao.webnode.com.br/mensagens/novas%20esta%C3%A7%C3%B5es/ 1/8
17/06/2018 OS 5 MINISTÉRIOS DE EFÉSIOS 4.11 :: IGREJA APOSTÓLICA TEMPLO EM ADORAÇÃO

LEITURA: EFÉSIOS 4.11-14 e 1 CORÍNTIOS 12.28 -ROMANOS 12.3-8,11


.

O MINISTÉRIO DO APÓSTOLO
APÓSTOLO: O nome apóstolo é a transliteração da palavra grega “apóstolos”, que significa literalmente “alguém
enviado” ou “enviado”.
“Apo” significa literalmente “de” e “stolos” (vem de “stello”), que significa “Eu envio”.

O problema é que se confunde “minístérios” com o “governo” da Igreja, ministério com presbistério.

Os presbíteros, eram discípulos de Jesus, das comunidades ou cidades do Novo Testamento, constituídos pelo Espírito
Santo para apascentarem, lideravam a igreja de Deus. Em cada cidade havia um grupo de presbíteros que pastoreava
a Igreja de Deus. O pastoreio segundo o Novo Testamento era sempre exercido coletivamente e não individualmente.
“A razão de tê-lo deixado em Creta foi para que você pusesse em ordem o que ainda faltava e constituísse presbíteros
em cada cidade, como eu o instruí.” (Tito 1:5 NVI)
Pedro reconheceu a si mesmo um presbítero com e entre os outros e não superior a eles. É estranho ao Novo
Testamento a prática de um “presbítero” ser superior aos outros, do mesmo modo que não havia nenhum apóstolo
superior ao outro.
“Portanto, apelo para os presbíteros que há entre vocês, e o faço na qualidade de presbítero como eles... pastoreiem o
rebanho de Deus que está aos seus cuidados. (...) Quando se manifestar o Supremo Pastor, vocês receberão a
imperecível coroa da glória.” (I Pedro 5:4)
O vocábulo “presbyteros” no grego significa literalmente “mais velho”. Era considerado no mundo do Novo Testamento
presbítero um homem acima de quarenta anos de idade.
Portanto, não se pode confundir ministério com presbitério. Não há nenhuma restrição no Novo Testamento de que
mulheres possam exercer seus dons ministeriais conquanto o episcopado seja claramente e exclusivamente destinado
aos homens.
“Fiel é esta palavra: Se alguém aspira ao episcopado, excelente obra deseja. É necessário, pois, que o bispo seja
irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar.” (I Timóteo 3:1-2)

Vale lembrar que no mundo do Novo Testamento haviam presbíteros tanto no mercado, quanto nas praças, nas casas,
nos postos governamentais, etc. como também haviam presbíteros nas igrejas. A palavra presbítero tem a ver com
idade, portanto um jovem (do grego neóteros) não podia pastorear a igreja de Deus porque simplesmente não era
“presbyteros” (mais velho).

E bispo (do grego antigo επίσκοπος, "inspetor", "supervisor") é um título religioso presente em
diversas confissões cristãs,. Antes do Cristianismo, o termo era utilizado para designar todo tipo
de administrador, nos domínios civil, financeiro, militar e judiciário. Uma mulher é
umaepiscopisa.
nem todo o presbítero (homem mais velho) da igreja era constituído "bispo" para pastorear o
rebanho de Deus. Somente aqueles que preenchiam as qualificações bíblicas e eram
escolhidos pelo Espírito de Deus, geralmente estabelecidos pelos apóstolos e nunca foram
escolhidos pelos santos. É desconhecido no Novo Testamento o processo de eleição, onde
crentes votam para escolher seus líderes.
6 – em breve teremos mais uma equipes, a equipe dos 5 ministérios que são apóstolos, profetas,evangelistas,
pastores, e mestres e ai nossa igreja andará em perfeita harmonia na palavra.

Reflexão Com respeito a


título
me muito estranha a rejeição de alguns líderes evangélicos quanto ao uso do nome ou do título
“apóstolo” conquanto não tenham nenhum problema em insistirem com o uso do nome ou título
de “pastor” especialmente no meio das denominações históricas”. Ai se usa sem nenhum
constrangimento o adjetivo “reverendo”, que significa, digno de ser reverenciado.

“E ele lhes disse: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus
https://igrejaapostolicatemploemadoracao.webnode.com.br/mensagens/novas%20esta%C3%A7%C3%B5es/ 2/8
17/06/2018 OS 5 MINISTÉRIOS DE EFÉSIOS 4.11 :: IGREJA APOSTÓLICA TEMPLO EM ADORAÇÃO
conhece os vossos corações; porque o que entre os homens é elevado, perante Deus é
abominação.” (Lucas 16:15)
O uso do título de “apóstolo, profeta, evangelista, pastor ou mestre” é prática desconhecida no
Novo Testamento, embora exista menção no Novo Testamento de apóstolos, profetas,
evangelistas e mestres relacionados a homens e em algumas passagens a mulheres. Todas as
vezes que a palavra, por exemplo, “apóstolo” aparece relacionada a um nome descreve o que a
pessoa é e o ministério que a pessoa exerce. Somente os doze primeiros apóstolos de Jesus
receberam “o nome” de apóstolos.Lucas.6.13

Entretanto, não há nenhuma vez em que a palavra "pastor" no Novo Testamento tenha sido
vinculada a homem ou mulher, senão exclusivamente a Jesus. A única vez em que aparece a
palavra pastor relacionada aos homens ou às mulheres (aos santos) no contexto da Igreja é em
Efésios capítulo 4 e mesmo assim relacionada ao dom ministerial e não a posição e nem a
título. Refere-se a pastor no sentido do pastoreio de ovelhas (animais), como na Parábola das
Cem ovelhas por exemplo.
Alguns exemplos:
“Ora, na igreja em Antioquia havia profetas e mestres, a saber: Barnabé, Simeão, chamado
Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes o tetrarca, e Saulo. (Atos 13:1)
“Quando, porém, os apóstolos Barnabé e Paulo ouviram isto, rasgaram as suas vestes e
saltaram para o meio da multidão, clamando” (Atos 14:14)
“Partindo no dia seguinte, fomos a Cesaréia; e entrando em casa de Felipe, o evangelista, que
era um dos sete, ficamos com ele.” (Atos 21:8)

O muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles estavam os nomes dos doze apóstolos
Cordeiro.” (Apocalipse 21:14)

apóstolos do cordeiro.

“E, chamando a Si os Seus doze discípulos, deu-lhes autoridade sobre os espíritos imundos,
para expulsarem, e para curarem toda sorte de doenças e enfermidades. Ora, os nomes dos
doze apóstolos são estes: primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de
Zebedeu, e João, seu irmão; 3Felipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de
Alfeu, e Tadeu, Simão Cananeu, e Judas Iscariotes, aquele que o traiu.” (Mateus 10:1-4
Importante compreender que primeiro discípulo depois apóstolo ou qualquer outro ministério.
Lucas 6:13 afirma que Jesus chamou Seus discípulos e escolheu doze dentre eles. A estes Ele
deu “o nome” de apóstolos. (foram ao todo 3 anos ensinando a eles.)
Além dos 12 apóstolos, os demais apóstolos é simplesmente alguém que recebeu uma graça de Deus para funcionar
em um dos cinco dons ministeriais dados por Cristo. Efésios 4.11.
Existem biblicamente os apóstolos que foram escolhidos por Jesus antes de Sua ressurreição e os outros apóstolos que
foram dados aos homens por Jesus após a sua ressurreição.
estes são após sua ressurreição.
1) Matias
“Então deitaram sortes a respeito deles e caiu a sorte sobre Matias, e por voto comum foi ele contado com os onze
apóstolos.” (Atos 1:26 )
2) Barnabé
“Quando, porém, os apóstolos Barnabé e Paulo ouviram isto, rasgaram as suas vestes e saltaram para o meio da
multidão, clamando.” (At. 14:14 )
3) Andrônico e Junias
“Saudai a Andrônico e a Júnias, meus parentes e meus companheiros de prisão, os quais são bem conceituados entre
os apóstolos, e que estavam em Cristo antes de mim.” (Romanos 16:7 )
4) Tiago, irmão de Jesus
“Mas não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor.” (Gl.1:19 )
5) Judas e Silas.
“Então pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos com toda a igreja escolher homens dentre eles e enviá-los a Antioquia
com Paulo e Barnabé, a saber: Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens influentes entre os irmãos.
Enviamos portanto Judas e Silas, os quais também por palavra vos anunciarão as mesmas coisas.
Depois Judas e Silas, que também eram profetas, exortaram os irmãos com muitas palavras e os fortaleceram.” (Atos
15:22, 27,32)
6) Silvano e Timóteo
“Paulo, Silvano e Timóteo, à igreja dos tessalonicenses, em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam
dadas.
(...) Nem buscamos glória de homens, quer de vós, quer de outros, embora pudéssemos, como apóstolos de Cristo,
ser-vos pesados; antes nos apresentamos brandos entre vós, qual ama que acaricia seus próprios filhos.” (I
Tessalonicenses 1:1; 2:6-7)
7) Tito e outros dois irmãos
“Mas, graças a Deus, que pôs no coração de Tito a mesma solicitude por vós; pois, com efeito, aceitou a nossa
exortação; mas sendo sobremodo zeloso, foi por sua própria vontade que partiu para vós.
E juntamente com ele enviamos o irmão cujo louvor no evangelho se tem espalhado por todas as igrejas; e não só isto,
mas também foi escolhido pelas igrejas para ser nosso companheiro de viagem no tocante a esta graça que por nós é
ministrada para glória do Senhor e para provar a nossa boa vontade; assim evitando que alguém nos censure com
referência a esta abundância, que por nós é ministrada; pois zelamos o que é honesto, não só diante do Senhor, mas
também diante dos homens.
Com eles enviamos também outro nosso irmão, o qual muitas vezes e em muitas coisas já experimentamos ser zeloso,
mas agora muito mais zeloso ainda pela muita confiança que vós tem.
Quanto a Tito, ele é meu companheiro e cooperador para convosco; quanto a nossos irmãos, são mensageiros das

https://igrejaapostolicatemploemadoracao.webnode.com.br/mensagens/novas%20esta%C3%A7%C3%B5es/ 3/8
17/06/2018 OS 5 MINISTÉRIOS DE EFÉSIOS 4.11 :: IGREJA APOSTÓLICA TEMPLO EM ADORAÇÃO
igrejas (no grego: apóstolos das igrejas), glória de Cristo. (II Coríntios 8:16-23 )
8) Epafrodito (embora seja identificado como apóstolo da igreja em Filipos)
“Julguei, contudo, necessário enviar-vos Epafrodito, meu irmão, e cooperador, e companheiro nas lutas, e vosso
enviado (no grego, o vosso apóstolo) para me socorrer nas minhas necessidades.” (Filipenses 2:2)

Jesus deu dons aos homens e às mulheres


Os dons ministeriais não são exclusivos aos homens. Jesus batiza com o Espírito Santo e usa homens e mulheres
igualmente. São discípulos de Jesus tanto homens quanto mulheres que para realizarem a obra de Deus necessitam
dos dons de Deus.
“E cada vez mais se agregavam crentes ao Senhor em grande número tanto de homens como de mulheres.” (Atos 5:14
)
Lemos nas páginas do Novo Testamento sobre mulheres atuavam no ministério com dons específicos:
“E entrando em casa de Felipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele. Tinha este quatro filhas virgens
que profetizavam.” (Atos 21:8-9 )
“Saudai a Prisca e a Áqüila, meus cooperadores em Cristo Jesus, os quais pela minha vida expuseram as suas
cabeças; o que não só eu lhes agradeço, mas também todas as igrejas dos gentios.” (Romanos 16:2-4 )
“Ora, chegou a Éfeso certo judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, homem eloqüente e poderoso nas Escrituras.
Era ele instruído no caminho do Senhor e, sendo fervoroso de espírito, falava e ensinava com precisão as coisas
concernentes a Jesus, conhecendo entretanto somente o batismo de João. Ele começou a falar ousadamente na
sinagoga: mas quando Priscila e Áqüila o ouviram, levaram-no consigo e lhe expuseram com mais precisão o caminho
de Deus.” (Atos 18:24-26)
“As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam reverentes no seu viver, não caluniadoras, não dadas a muito vinho,
mestras do bem, para que ensinem as mulheres novas a amarem aos seus maridos e filhos.” (Tito 2:3-4 )

controvertido para muitos reconhecer que Júnias seja uma “apóstola”, ou tenha sido destacado seu ministério entre os
apóstolos como tal.
“Saudai a Andrônico e a Júnias, meus parentes e meus companheiros de prisão, os quais são bem conceituados entre
os apóstolos, e que estavam em Cristo antes de mim.” (Romanos 16:7 )
É fato que a palavra "apóstolo" no texto neo-testamentário grego não aparece no feminino, nem profeta, nem
evangelista, etc.
Mas é claro no Novo Testamento o ensino que “em Cristo não há judeu nem grego, nem macho nem fêmea” e no Corpo
todos somos membros uns dos outros.

(Nota Ap. Beto) Existem 2 tipos de Apóstolos de Jesus; os 12 e Paulo, e os da ascensão efésios 4.11 a estes Jesus
levantou para aprimorar o corpo de cristo. Os apóstolos de hoje devem ser homens que receberam um chamado
específico, não necessariamente de ir as nações, pois esta é uma missão especifica e não um chamado especifico há
diferença entre missão e chamado, missão é ir por um tempo determinado e fazer tal coisa, chamado é fazer parte de
tal coisa.

O apóstolo tem um papel-chave no Reino de Deus. Ele é necessariamente um fundador, e não apenas no sentido de
iniciar alguma coisa, mas também no sentido de acompanhar o crescimento seja uma igreja ou projeto que visa o reino
de Deus, cuidando para que não haja deformações e falhas no desenvolvimento dela. O apóstolo luta pelo fundamento
correto e, da mesma maneira, para que os cristãos permaneçam sobre esse fundamento. Essa foi, por exemplo, a luta
de Paulo em favor dos crentes da Galácia (Gálatas 1.6-8; 3.1-3).

Encontramos em Romanos 15.17-21 Paulo falando em não construir sobre alicerces alheio
pensando assim uma vez que um apóstolo traz um novo fundamento devemos respeitar
todas as igrejas só devemos levar fundamento onde não existe ou com pedido das mesmas
não fomos chamados para ensinar as igreja do mundo.
Os apóstolos originais do NT não têm sucessores (1Coríntios 15.8 e Atos 1.21-26 ).
1- DEVER: ITimóteo 3: 1-7 – essa exigências devem se aplicar também aos apóstolos, embora o
texto seja destinado aos pastores. A igreja começa com os apóstolos. e não com os pastores.
Romanos 12:28, primeiramente apóstolos.
2 – Ter
humildade
– Ter
Maturidade
– Preparo – não se remove marcos antigos. Você avança na revelação. Fundamento é
fundamento pra sempre. Pode haver outra aplicação (alegoria, hipérbole, metáfora), mas não
outros fundamentos. A primeira interpretação de um texto bíblico é literal. Jesus falava em
hebraico e não em grego ou aramaico. A revelação é algo muito sério. A revelação precisa vir
de Deus não do homem. II Pedro
1:21.
5 – Fruto Apostólico – laranjeira dá laranja... Apostólico tem que dar fruto. Ministério,
bem-sucedido em tudo o que faz. I Timóteo 4:15, I Cor 9:1-
3.
– Conciliador – II Coríntios 5:11-21. Não devemos criar novas denominações, porque operam
pro mau. A denominação é sectarista: nos os batistas, nos os pentecostais etc... Cuidado para
não se perder a “visitação do Espírito Santo.
O que marca o avivamento é a consciência do inferno. NÃO É UNÇÃO!

O MINISTÉRIO DO PROFETA
https://igrejaapostolicatemploemadoracao.webnode.com.br/mensagens/novas%20esta%C3%A7%C3%B5es/ 4/8
17/06/2018 OS 5 MINISTÉRIOS DE EFÉSIOS 4.11 :: IGREJA APOSTÓLICA TEMPLO EM ADORAÇÃO

PROFETA: no feminino profetisa (do grego: πρoφήτης, prophétes)[1] pode significar a pessoa que é capaz de predizer
acontecimentos futuros (veja Divinação); ou ainda uma pessoa que fala por inspiração divina ou em nome de Deus.
Aos falsos profetas aplicava-se a pena de morte, na Lei Moisaica.

A expressão "filhos dos profetas", designava todos aqueles que se tornavam discípulos e ministros ajudantes (ou seja,
servidores) dos profetas do Antigo Testamento.

PROFETAS E PROFECIAS
1- Profecia e Profeta:

A palavra profecia (oráculo):

em Pv 30.1 segundo algumas versões, representa a palavra hebraica massa, que propriamente significa
“oráculo”; e o nome profeta, em Is 30.10, representa a palavra hebraica chozeh, que propriamente significa
“vidente”, e refere-se àqueles que vêem visões. Mas sempre, em qualquer outro lugar no A.T., a “profecia” é a
tradução de nebu’a; e “profeta” a de nabi. Não é certa a significação original da raiz (NB). A raiz (NB) significa
ferver em cachão, e nabi, portanto, supõe-se querer dizer aquele que ferve com a inspiração ou com a
mensagem divina. Todavia, é mais provável que nabi esteja em conexão com uma raiz assíria ou árabe, que
significa proferir, anunciar uma mensagem. Neste caso o nabi é considerado o orador, a quem foi confiada uma
missão. Isto está em conformidade como que se lê em Ëx 7.1: “Então disse o Senhor a Moisés: Vê que te
constituí como deus sobre Faraó, e Arão, teu irmão, será teu profeta.” Por isso é provável que o nome “profeta”,
como é empregado na Bíblia, signifique aquele que fala como acreditado mensageiro do Altíssimo Deus. Deve-se
observar que no termo, de que se trata, não há coisa alguma que implique previsão de acontecimentos. Pode um
profeta predizer, ou não, o futuro segundo a mensagem que Deus lhe der. Deste modo a palavra
grega prophetes, que se acha na versão dos Setenta, e no N.T., significa aquele que “expõe, fala sobre certo
assunto”. Os substantivos abstratos nebu’a e propheteie (“profecia”) têm uma significação correspondente.
DEUS QUER QUE TODOS PROFETIZEM.
Um estudo sistemático da bíblia deixa claro que o Senhor deseja que o Seu povo profetize.
Cada pessoa pode profetizar, esse é o desejo de Deus. Vamos ver algumas passagens:
"Nos últimos dias diz Deus, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e
as suas filhas profetizarão; os jovens terão visões, os velhos terão sonhos,"(atos 2:17) citação
de Joel 2.28
"Sigam o caminho do amor e busquem com dedicação os dons espirituais, principalmente o de
profetizar."(1 cor.14:1)
"Pois todos vocês podem profetizar, cada um por sua vez...."(1 cor.14:31)
"Portanto, meus irmãos, busquem com dedicação o profetizar..."(1 cor.14:39)
PROFETIZAR NÃO SIGNIFICA SER PROFETA.
Como lemos acima todos podem profetizar, em Efésios Paulo diz que quando Jesus ascendeu
aos céus Ele deu dons aos homens. Isto foi de graça, não precisamos de sacrifícios para
conseguir isto. Existe sim, uma disciplina a ser seguida, a qual se chama fé. Em Romanos
12:6, a palavra declara que aquele que profetiza, faça de acordo com a fé que tem. Então todos
podem profetizar de acordo com a fé, isto é, se eu creio que Jesus subindo aos céus deu dons
aos homens, então consequentemente Deus me deu o dom de profetizar, isto é
meu. Mas isto não me qualifica como
profeta?
é um chamado soberano de Deus para a vida de uma pessoa. O profeta declara a vontade de
Deus, traz luz ao povo de Deus sobre Seu caráter. Sua influencia pode abranger desde a igreja
até mesmo nações. Ele é dado para aperfeiçoamento da Igreja, para que chegue a perfeição.
Ele tem função de aprimorar a igreja no dom profético. A igreja em Antioquia é exemplo de uma
igreja onde profetas tinham uma função definida. Podemos resumir em uma palavra tudo isso, a
diferença é a
influencia. Pa
fala "nem todos são profetas". Profeta é um chamado soberano de Deus para uma pessoa. A
mensagem profética tem foco sobre santidade, justiça e amor. Muitos erros acontecem em
determinadas igrejas quando qualificam aquele que profetiza como profeta. Chega a ser
desastroso, pois é fato que todo ser humano tem sede pelas coisas sobrenaturais (ler Isaias
8:18-23), quando as pessoas focalizam aquele que muito profetiza dando poder a essa pessoa,
isso causa divisões e rachas sérios.
Eu tenho uma opinião de que todos somos seres espirituais, portanto todos temos acesso a
essa realidade invisível. Isso me deixa claro que eu tenho acesso aos céus a hora em que
desejo, posso andar vendo e ouvindo o Senhor. Em Hebreus diz que o sangue me dá livre
acesso ao trono de Deus. Então com ousadia eu vou com inteireza de fé até onde Deus está.
Onde os anjos adoram dia e noite. Eu tenho liberdade para isso. Eu preciso de experiências
sobrenaturais, pois eu sou sobrenatural. Eu sou um homem espiritual antes de ser carnal. Jesus
nos encoraja a pedir, buscar e bater pelo Espírito Santo, ou seja, Ele disse para eu buscar tais
experiências. Então eu quero profetizar, ter sonhos e visões. Ver anjos atuando. Realizar sinais
e maravilhas. Curar os enfermos e expulsar os demônios. "Ele levou cativo o cativeiro, e deu
dons aos homens".

2- O estado dos profetas ao receberem a sua mensagem.

E importantíssima ter uma noção certa das condições espirituais do profeta, afim de que possamos penetrar os
segredos da comunicação do homem com Deus. A concepção pagã da profecia era a de uma condição
absolutamente passiva no profeta, de modo que, quanto mais inconsciente se mostrava, mais apto estava para
receber a mensagem divina. Alguma coisa deste gênero se pode ver na histeria do povo israelita. Aquelas danças
sagradas dos profetas de Baal, durante as quais eles batiam em si furiosamente, cortando-se com canivetes, para
que pudessem receber um sinal visível de aprovação divina, era, na realidade, uma manifestação típica (1 Rs
18.26 a 28); e é provável que em tempos posteriores os falsos profetas tomassem disposições semelhantes, com o
fim de provocarem em si próprios o estado de êxtase para as suas arengas. Mas a idéia pagã de profecia se
apresenta dum modo muito claro em Balaão. A sua vontade e os seus próprios pensamentos são vencidos pela
inspiração divina, proclamando ele a mensagem celestial, contrariamente aos seus particulares desejos (Nm 22 a
https://igrejaapostolicatemploemadoracao.webnode.com.br/mensagens/novas%20esta%C3%A7%C3%B5es/ 5/8
17/06/2018 OS 5 MINISTÉRIOS DE EFÉSIOS 4.11 :: IGREJA APOSTÓLICA TEMPLO EM ADORAÇÃO
24).

No tempo de Samuel já se vê o principio de melhor sistema. Ele reunia em comunidades aqueles que parecia
terem dons especiais da profecia, disciplinando-os, ensinando-lhes a música, e, segundo parece, ministrando-lhes
conhecimentos da história e religião, para que pudessem estar nas melhores condições de receber as palavras de
Deus (1 Sm 10.10 a 13; 19.18 a 20). A respeito da música pode-se compreender que era para aquietar a alma, e
prepará-la para as comunicações com Deus (1 Sm 16. 14 a 23; 2 Rs 3.15). Quanto a serem estas escritas ou não
pelo profeta, isso dependia do caráter particular de cada alocução.

Essas profecias, devemos dizê-lo, são inteiramente apostas ás produzidas no estado de mero êxtase. São escritas
com grande escolha de palavras e frases, revelando a vida anterior dos profetas, os seus interesses e ocupações,
e apresentando em vários graus a cultura e as circunstâncias do tempo em que cada profecia foi revelada. As
profecias de Amós. de Miquéias, de Isaias, e de Jeremias, por exemplo, estão muito longe das de Balaão, tanto na
visão espiritual como nos conscientes pensamentos e deliberado estudo. Os profetas tinham aprendido que Deus
Se servia das próprias faculdades e aptidões deles como instrumento das Suas revelações.

Na verdade, querendo formar a mais alta concepção do estado do profeta, na recepção das comunicações divinas,
temos esse ideal em Jesus Cristo, que estava em comunhão com o Seu Pai, e anunciava aos homens o que dele
ouvia (Jo 8.26 a 40; 15.15; 17.8). Em Jesus não havia o estado de êxtase, mas manifestava-se uma clara
comunicação espiritual, tendo a Sua alma um grandioso poder receptivo e ativo. Na proporção em que os profetas
alcançavam este dom maravilhoso de profecia, podiam eles receber e transmitir perfeitamente a mensagem divina.

3- A função dos profetas.

Examinando as suas palavras num sentido mais lato, e tomando no seu todo a obra dos profetas, observamos que
uma das suas mais importantes funções era a interpretação dos fatos passados e presentes. Estudando eles os
acontecimentos na presença de Deus, puderam vê-los na sua luz divina, e compreendê-los assim no seu
verdadeiro aspecto e significação. Por isso os profetas não eram, realmente, historiadores (como o escritor dos
livros dos Reis), mas foram algumas vezes políticos ativos bem como diretores religiosos. Entre estes podemos
admitir não somente Isaias e Jeremias, mas também Eliseu, visto como este mandou um dos filhos dos proetas
ungir Jeú. efetuando deste modo a destruição da dinastia de Onri, culpada de prestar culto a Baal (2 Rs 9). Além
disso, o fato de eles perceberem a significação dos acontecimentos passados e presentes, habilitava-os a
conhecer os resultados da vida pessoal e nacional, e a proclamar princípios que tinham um alcance muito mais
largo, de muito maior extensão, do que o que eles podiam imaginar. E, deste modo, quando as mesmas forças
operavam em tempos e lugares muitíssimo distantes dos contemplados pelos próprios profetas, as suas palavras
de aviso e conforto achavam cumprimento, não talvez uma vez somente, mas em diversas ocasiões. E a este
poder, inerente a uma previsão verdadeiramente inspirada, que São Pedro provavelmente se refere, quando
escreveu (2 Pe 1.20): “nenhuma profecia da Escritura é de particular elucidação”, querendo dizer que o seu
significado e referência não devem limitar-se a qualquer acontecimento no tempo.

4- O valor das profecias:

a) Os sacerdotes tratavam de coisas rituais, ou melhor, das orações litúrgicas e dos cânticos sagrados. Nos
profetas havia vistas mais largas, e uma realização mais completa da vontade de Deus na vida diária, tanto
particular como nacional. Se quisermos, talvez, dizer em poucas palavras qual o efeito dos ensinamentos dos
profetas sobre os seus contemporâneos, quer se trate de pessoas, quer de nações, afirmaremos que eras
esperança o forte sentimento que consolava a alma israelita, apesar dum passado manchado pelo pecado, e dum
presente sob a ameaça do castigo. Todavia, superior a tudo, estava Deus realizando o Seu plano de misericórdia e
bênçãos. Nenhuma religião, fora do Judaísmo, podia mostrar nos seus ensinamentos tais princípios de
consoladora expectativa. E eis aqui um dos grandes segredos que explicam o grande êxito que só a religião de
Israel alcançou.

b) Se os contemporâneos dos profetas muito ganharam, ou estiveram na situação de ganhar com a obra dos
profetas, maior proveito disso devemos nos ainda tirar. Porquanto estamos agora preparados para ver bem o efeito
das suas doutrinas e predições, e considerar as verdades eternas, em que eles depositavam completa confiança.
Dum modo particular, certamente, podemos apreciar até certo grau as suas exposições acerca do grande
Personagem, por meio do qual havia de vir a redenção de Israel. Não é o nosso fim neste artigo enumerar as
várias profecias com relação a Cristo. A maioria delas é bem conhecida. Basta dizer-se que, embora os profetas
não alcançassem bem o inteiro sentido das suas próprias palavras, esperavam, contudo, um Ente que havia de ser
idealmente perfeito, na sua qualidade de Rei para governar, de Profeta para ensinar, e de Sacerdote para
reconciliar; que havia de ser homem, e mais do que homem, pois seria Ele mesmo Deus; e que havia de sofrer até
á morte, reinando, contudo, para sempre na Glória.

5- Profecia e profetas do Novo Testamento:

Houve uma pausa: por espaço de trezentos anos não tinha Deus falado aos homens. Mas no fim desse tempo,
João, filho de Zacarias, cognominado o Batista, que foi “profeta”, e “mais de que profeta” (Mt 11.9), apareceu,
revelando às multidões a vontade de Deus a respeito delas, e dizendo-lhes que estava chegado o tempo em que
as profecias sobre a vinda do Libertador deviam ser cumpridas. E chegou esse tempo do Profeta ideal, em quem
tiveram realização, no maior grau. as palavras de Moisés (Dt 18.18; At 3.22), revelando Ele nos Seus atos e
palavras o Espírito do Pai celestial. E compreende-se que a atividade profética não tivesse a sua paragem em
Jesus Cristo, continuando duma maneira nova, depois que o Espírito Santo foi derramado no dia de Pentecoste.
Então, as palavras de Joel receberam parte do seu cumprimento: “vossos filhos e as vossas filhas profetizarão” (Jl
2.28; At 2.17); e mais uma vez se acostumaram os crentes a ouvir os profetas, que se lhes dirigiam em nome do
Senhor. Entre estes são mencionados: Ágabo e outros, vindos de Jerusalém (At 11.27,28; 21.10); profetas em
Antioquia (At 13.1); Judas e Silas (At 15.32); as quatro filhas de Filipe, o evangelista (At 21.9). S. Paulo também se
refere a profetas cristãos em 1 Co 12.28 e seguintes: 14.29,32,37; Ef 3.5 e 4.11, compreendendo nós, por essas
passagens, que esses obreiros, tomando parte proeminente nas reuniões cristãs, nos cultos, eram algumas vezes
inclinados a pensar que não podiam restringir o ímpeto da fala. O autor do Apocalipse também se refere freqüentes
vezes aos profetas cristãos, que são considerados como seus irmãos (Ap 22.9; vede também 10.7; 11.10-18; 16.6;
18.20-24; 22.6).

O MINISTÉRIO DO EVANGELISTA

EVANGELISTA: Definição
“O dom ministerial do evangelista é a capacidade dada por Deus a alguns membros do corpo
de Cristo para expor o evangelho de tal forma aos não cristãos, que esses aceitem a Cristo e se
tornem discípulos e membros responsáveis do Corpo de Cristo, e também treinar a igreja para
que ela desenvolva o ministério de reconciliação”.
https://igrejaapostolicatemploemadoracao.webnode.com.br/mensagens/novas%20esta%C3%A7%C3%B5es/ 6/8
17/06/2018 OS 5 MINISTÉRIOS DE EFÉSIOS 4.11 :: IGREJA APOSTÓLICA TEMPLO EM ADORAÇÃO
Explicação. Todo crente verdadeiro é uma testemunha de Jesus Cristo, sem importar se tal
crente possui ou não o dom de evangelismo.
Todo crente precisa estar preparado para compartilhar de sua fé com os incrédulos,
conduzindo-os aos pés de Cristo sempre que se apresente uma oportunidade, esse é o papel
cristão de todos os crentes verdadeiros que correspondem a esse dom. Mas apesar disso, nem
todos os crentes receberam o dom de
evangelista.
Quem tem esse dom tem a habilidade sobrenatural dada por Deus para conduzir pessoas não
crentes a Cristo, pois esse dom é primário na igreja, ele visa o crescimento da igreja.
Referências Bíblicas.
1. Efésios 4.11 – “E ele mesmo deu uns para… evangelistas…”.
2. II Timóteo 4.5 – 3. Atos 8.5-6 – 4. Atos 21.8 – 5. Romanos 10.14-15 –
A palavra grega que é traduzida por “evangelista” nesses versículos é “euaggelistes” que
significa literalmente “um bom mensageiro”, ou “mensageiro do bem”, ou “boas novas”. Desde o
início ela foi usada em referência àqueles que pregavam o evangelho.
Nesse sentido, todos os apóstolos foram também evangelistas. Apesar disso, essa era somente
uma de suas muitas obrigações. Havia aqueles cujos ministérios eram totalmente voltados a
pregar o evangelho para trazer a oportunidade de salvação aos não salvos. Filipe, que foi
nomeado com Estevão como um dos sete diáconos em Jerusalém, é um exemplo que temos
desse ministério no Novo Testamento. Desde Atos oito, o vemos operando, e seu ministério foi
conduzir as pessoas à salvação. Nós então vemos no apogeu desse avivamento na cidade,
Filipe sendo levado a pregar o evangelho a somente um homem no deserto. Isso requereria
uma notável sensibilidade e obediência ao Espírito, assim como uma submissão ao ministério
que Deus havia dado a outros, isto é, aos apóstolos. Filipe obviamente não foi possessivo em
seu trabalho e reconheceu suas próprias limitações.
É digno de nota que estudos mostraram que cerca de 95% daqueles que vêm a salvação o
fazem através do testemunho de um amigo ou parente. Isso significa que menos de 5 por cento
estão vindo a Jesus através de cruzadas, programas de televisão, de rádios, e todas as outras
formas de evangelismo combinadas. Isso nos mostra que o trabalho do evangelista é duplo:
Primeiro.O evangelista foi chamado e capacitado por Deus para trabalhar com os, não crentes,
ganhá-los para Jesus Cristo, trazê-los para a igreja para serem discipulados.
Segundo.O evangelista tem a responsabilidade principal de equipar os santos para fazer o
trabalho do ministério, treinar os crentes para que esses trabalhem testemunhando e ganhando
para Jesus Cristo as pessoas do círculo da sua amizade. Às vezes pensamos que o evangelista
foi dado para trabalhar somente com os perdidos, mas a Bíblia diz que Deus deu ao evangelista
a responsabilidade de falar a igreja. Esse falar a igreja não significa falar de salvação, pois a
igreja já é salva – “E ele mesmo deu uns para… evangelistas…, querendo o aperfeiçoamento
dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo”. (Efésios 4.11-12).
Observe que a Bíblia fala que esse ministério foi dado para capacitar, treinar os crentes para
que esses desempenhem o ministério de cada um. Qual o ministério, ou o serviço de cada
crente que precisa ser capacitado pelos evangelistas? O ministério de reconciliação!
Ministério de Reconciliação. Lembrando que tanto a visão de nossa igreja como a missão é:
RECONCILIAR O HOMEM COM
DEUS. A visão da igreja pode ser aquilo
que seu líder quiser, porém a missão é a mesma ganhar almas; glória deus que tanto nossa
visão como missão é ganhar. O evangelista deve
treinar os crentes para que eles desenvolvam o ministério da reconciliação. (II Coríntios 5.18-
20).
O que é ministério de reconciliação? É o serviço de cada crente em restabelecer a paz entre o
homem e Deus, levar às pessoas a salvação através de Jesus Cristo. Os santos têm que
aprender não só que eles são salvos, mas que eles têm o ministério da reconciliação, que
devem reconciliar o homem pecador com o seu criador.
O evangelista traz uma revelação de Jesus como salvador e inspira os crentes a ganhar as
almas, ele ministra, treina os santos, aperfeiçoa-os para a obra do ministério de reconciliação. O
ministério de evangelista é necessário para aperfeiçoar os santos, é responsável em ajudar os
crentes, o evangelista tem, assim como os outros quatro ministérios o oficio de construtor. Deus
o estabeleceu na igreja e ele é necessário para a construção do templo.
A função especial do evangelista, além de estar envolvido no trabalho de ganhar os perdidos
para Cristo, é compartilhar com a igreja um amor pelo mundo perdido, e uma paixão por
encontrar os perdidos. O fato que 95% daqueles que vem a Cristo o fazem através de
testemunho de crentes individuais está correto, e nos leva a considerar a importância do
trabalho do evangelista com a igreja, também nos mostra que a maior parte dos que se
convertem, 95%, se convertem através de relacionamentos, primeiro se faz um amigo, depois
se faz um irmão – “Em todo o tempo ama o amigo, e na angústia se faz irmão”. (Provérbios
17.17).
Se uma igreja está crescendo em números isso se deve ao testemunho do sucesso dos
evangelistas na igreja hoje, e um dos elementos mais cruciais para fazer evangelismo é uma
igreja encorajada por evangelistas.
Fator Relacionamento.Existe uma palavra grega que define muito bem esse ministério da
reconciliação que Deus deu para todos os crentes, essa palavra define a maneira mais correta
de levar pessoas perdidas a Cristo, pois ela indica o grupo de pessoas mais acessível para o
evangelho, essa palavra é – “OIKOS”. O que significa “OIKOS”? Significa “casa”, se refere à
família direta que a pessoa mora, mas também incluem parentes, amigos, colegas de trabalho,

https://igrejaapostolicatemploemadoracao.webnode.com.br/mensagens/novas%20esta%C3%A7%C3%B5es/ 7/8
17/06/2018 OS 5 MINISTÉRIOS DE EFÉSIOS 4.11 :: IGREJA APOSTÓLICA TEMPLO EM ADORAÇÃO
escola, e descreve a esfera de influência de uma pessoa, a rede de seus
relacionamentos.
A igreja apostólica Deus usou repetidamente “OIKOS”, amigos, familiares, conhecidos para
levar o evangelho às pessoas. Vejamos alguns exemplos:
1. Depois de ter curado um homem possuído de demônios, Jesus disse: “Vá para casa
(OIKOS), para a sua família e an

https://igrejaapostolicatemploemadoracao.webnode.com.br/mensagens/novas%20esta%C3%A7%C3%B5es/ 8/8