Você está na página 1de 34

MARECHAL RONDON

O desbravador do Sertão

“Do Mato Grosso ao Amazonas,


Rondon instalou 2.232
quilômetros de linhas
telegráficas”.
• O ano era 1907.
• O oficial do corpo de engenharia militar, Cândido
Mariano da Silva Rondon, o Marechal Rondon
acabara de ser encarregado pelo Governo
Federal para implantação da linha telegráfica
entre os Estados do Mato Grosso e Amazonas.
• Os pontos extremos eram as cidades de Cuiabá e
Santo Antônio do Rio Madeira, a sete
quilômetros da atual capital, Porto Velho.
• Para cumprir melhor a missão, Rondon, ainda
tenente-coronel do Exército, dividiu os trabalhos
em três etapas e as denominou “expedições”.
• A primeira expedição começou em 02 de
setembro de 1907 e o ponto de partida foi
Diamantino, no Mato Grosso.
• Demorou apenas 74 quilômetros para Rondon e
seus homens encontrarem o que seria o maior
desafio da missão: os índios.
• O militar usou métodos humanitários na
pacificação e fazia toda a tropa expedicionária
ser subordinada ao lema: “morrer se preciso for,
matar nunca”.
• Na primeira parte dos trabalhos de instalação da
linha telegráfica Cândido Mariano da Silva
Rondon abriu 1.781 quilômetros de picadas.
• A segunda expedição ocorreu de 29 de julho a 03
de novembro de 1908.
• Esta seria mais arriscada que a primeira.
• Toda a tropa teria que enfrentar os ferozes índios
Nhambiquaras.
• Muitos homens amedrontados e acovardados
abandonaram a comitiva e foram denominados
por Rondon como “soldados de espírito fraco”.
• Mais uma vez o método de pacificação surtiu
efeito entre os “selvagens”.
• Entre as localidades de Juruema e a Serra do
Norte, ambas no Mato Grosso, a expedição
ergueu 1.653 km de linha telegráfica.
• A mais famosa das expedições, a terceira,
aconteceu em 1909.
• Nesta, Rondon avançou todo o sertão do atual
Estado de Rondônia.
• A travessia durou 237 dias.
• As dificuldades aumentaram na última etapa da
missão.
• Índios fizeram emboscadas e mataram um dos
soldados.
• Em função do perigo, os expedicionários se
detiveram 51 dias e buscaram localizar as
cabeceiras que davam para os rios Guaporé,
Madeira e Tapajós.
• No dia 09 de outubro, os expedicionários
descobriram um rio de 50 metros de largura.
• Rondon o batizou com o nome de Pimenta
Bueno, uma homenagem aos serviços de um
amigo geógrafo. O tenente-coronel chefiava uma
tropa de 28 homens que passavam grandes
dificuldades com a falta de alimentos.
• Mas no dia 25 de dezembro a expedição
chegava, finalmente, ao objetivo, Santo Antônio
do Rio Madeira, com 2.232 km de linha
levantada.
• Entusiasmado Mariano Cândido da Silva Rondon
discursa:
• “Assim findou a nossa peregrinação
de 8 meses,
através dos sertões do nordeste mato-
grossense, a exploração realizada sob os
auspícios do santo amor à Pátria.
Não fôramos mantidos por este sublime
sentimento,
não teríamos energia moral suficiente para
suportar tão grandes choques e das privações
de toda a sorte que nos atormentaram a
travessia”.
• O último poste de linha telegráfica foi
implantado somente em 1915, ano em que foi
esticada a última roldana de fio.
• Outras expedições foram feitas até os rios
Jamary, Anary e Machadinho, rio das Dúvidas,
Ji-paraná ou Machado e Jacy Paraná.
RONDON: O GRANDE CHEFE
Filme
• Sinopse e detalhes Rondon - O Grande Chefe
• Em uma mistura de documentário e ficção, a
série conta a história de Cândido Rondon (Rui
Ricardo Diaz).
• Nascido no Mato Grosso, o Marechal ficou
famoso por ser desbravador do Oeste do país,
sob o lema "morrer, se preciso for; matar,
nunca".
• Líder, idealista e responsável por promover a
convivência pacífica entre os povos indígenas e
os brancos, Rondon teve reconhecimento e foi
indicado ao Prêmio Nobel da Paz em 1957.
Homenagem recusada
• Na tarde do dia 13 de setembro de 1943, era
assinado no Palácio do Catete, o decreto-lei
5.812 de criação do Território que seria
implantado com áreas desmembradas dos
Estados de Mato Grosso e Amazonas.
• Houve corrida pelo nome do Território, até que
por sugestão do ministro de Viação e Obras
Públicas, Mendonça Lima, veio a ideia do nome
Rondônia, em homenagem ao general Cândido
Rondon.
• Ao ter conhecimento da indicação, Rondon,
segundo os historiadores, recusou a homenagem.
• Diante da negativa, outros nomes foram
sugeridos: Minas Novas, Urucumacuan,
Madeira e, finalmente Guaporé.
• Mais tarde o nome Rondônia prevaleceu, pela
Lei 2.731 de 17 de fevereiro de 1956, por
projeto de um deputado amazonense.
• Embora tenha tratado com crueldade os
subordinados, negado prestação de contas da
linha telegráfica e recusado a homenagem do
nome Rondônia, não se pode negar que
Cândido Mariano da Silva Rondon foi um dos
maiores pioneiros deste Estado e grande
personalidade do início do século.
• Nascido em 05 de maio de 1855,
• ele ascendeu,
• ainda jovem,
• aos maiores postos de hierarquia militar por
reais méritos.
• Foi escolhido “Patrono das Comunicações”,
recebeu o título “Civilizador dos Sertões” e,
em 1953,
• foi lançado candidato ao Prêmio Nobel da
Paz.
Vídeo
http://tvescola.mec.gov.br/tve/video/especiais-diversos-rondon-e-os-indios-brasileiros

• Especiais diversos - Rondon e os índios brasileiros


• Duração: 00:53:08
• Série: Especiais diversos
• Nível de ensino: Ensino Médio
• Sinopse
• Dividido em três partes, o programa Rondon e os índios brasileiros
se vale de imagens inéditas de arquivo para traçar a trajetória de
vida do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon. Com 54
minutos de duração, o episódio tem foco nas origens desse
personagem histórico, desde seu nascimento em Mimoso, no
Pantanal norte do Mato Grosso bem como suas experiências pelo
país através do Exército Brasileiro. O programa não deixa de lado,
também, o credo positivista que norteou sua vida, bem como as
expedições pelo interior do Brasil, para mostrar mais sobre esse
brasil.
A origem do nome do atual estado de Rondônia deve-se a
uma homenagem ao sertanista Marechal Cândido Rondon,
personagem importante na ocupação da região. O início das
expedições de Rondon que ampliaram o conhecimento da
região Norte foi motivado pela famosa Comissão Rondon, que
consistia na:

• a) instalação de linhas telegráficas estratégicas pelo interior.

• b) construção da estrada de ferro Madeira-Mamoré.

• c) pesquisa etnológica das populações indígenas locais.

• d) delimitação e fiscalização das fronteiras de Rondônia.

• e) oficialização da extração da borracha pelo interior do território.


A construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré e a Missão
Rondon, ambas do início do século XX, desempenharam

importante papel na ocupação da área hoje pertencente ao
estado de Rondônia. É correto afirmar que:
• a) a ferrovia foi construída na fase inicial da mineração e teve como
objetivo escoar o ouro extraído das minas para outras regiões do país e
para o exterior.

• b) a integração nacional do oeste brasileiro promovida pelo Marechal


Cândido Rondon afetou drasticamente a cultura e a vida dos povos
indígenas da região.

• c) a criação da ferrovia se deu como parte das obrigações firmadas no


Tratado de Petrópolis (1903), entre Brasil e Estados Unidos, que visava ao
escoamento da borracha para este país.

• d) a Missão Rondon integrou o oeste brasileiro às outras regiões do país


por meio de um sistema de telégrafos, que deu novo impulso à colonização.

• e) a construção da Madeira-Mamoré atraiu gente de todo o Brasil e do


exterior, que já naquela época invadiu as cidades de Porto Velho e Guajará
Mirim, nos extremos da ferrovia, em busca do ouro, recém-descoberto.
O estado de Rondônia recebeu tal denominação devido à
importância do Marechal Cândido Rondon, um dos desbravadores
da região nas primeiras décadas do período republicano. O
processo de ocupação das terras entre os estados de Mato
Grosso e do Amazonas, promovido por Cândido Rondon na
• virada do século XIX para o XX acumulou, principalmente, duas
funções:

•  a) instalação de redes de telégrafo / 
incorporação nacional dos povos indígenas.
•  b) aumento da produt ividade da soja / 
implementação do Projeto Calha Norte.
•  c) desenvolvimento dos seringais / defesa 
da territorialidade dos quilombolas.
•  d) construção das grandes hidrelétricas / 
criação do estado de Rondônia.
•  e) defesa das linhas de fronteira / expansão 
da pecuária pelos sulistas.
O Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, cujo nome serviu de 
inspiração para o nome “Rondônia”, destacou-se, entre outros fatos, 
por ser uma personalidade brasileira que
•  a) foi, entre outras coisas, pacificador dos índios Bororo, Botocudo,
Kaingang, Xokleng, Nambikuára, Xavante e Umotina e implementou 
a ligação telegráfica entre Brasil, Paraguai e Bolívia.
•  b) como sanitarista, foi o responsável pelas inúmeras campanhas de 
vacinação empreendidas entre colonos e indígenas, propensos a 
grandes epidemias de malária, varíola e febre amarela.
•  c) fundou as primeiras vilas e cidades, criou um método pioneiro de 
administração em que havia uma participação efetiva dos indígenas 
na administração e nos empreendimentos comerciais em ascensão.
•  d) como diplomata, resolveu as pendências territoriais através do 
“Tratado de Petrópolis”, que anexava a “Amazônia Legal” oficialmente 
ao território brasileiro, incluindo, nesse processo, o subterritório de 
Rondônia.
•  e) foi o grande empreendedor da construção da primeira ferrovia da 
região e da empreitada que transformou em realidade a 
Transamazônica, uma rodovia, hoje, em desuso, mas que cortava 
toda a extensão da floresta.
CEEJA Vilhena
• Montagem Ana Campana
• Pedagoga
• Especialização em Tecnologias na 
Educação
• Disciplina História de RO.