Você está na página 1de 19

ESSE ARQUIVO FOI DESENVOLVIDO A PARTIR DAS NORMAS DA ABNT E JUNTO

COM A BIBLIOTECA DA UFPE PARA EVITAR DEVOLUÇÃO DOS EXEMPLARES E


CONSEQUENTE NÃO COLAÇÃO DE GRAU, por isso, é indicado ao cursista utilizar este
documento na confecção de seus trabalhos acadêmicos (trabalhos das disciplinas, artigos,
monografias, dissertações e teses) para isso basta alterar as informações necessárias para
adaptar este modelo ao caso.

Normas ABNT referentes a trabalho acadêmico da são:


NBR 15287 ABR. 2011 – PROJETO DE PESQUISA - APRESENTAÇÃO
NBR 14724 MAR. 2011 – TRABALHOS ACADÊMICOS – APRESENTAÇÃO
NBR 12225 JUN. 2004 – LOMBADA - APRESENTAÇÃO
NBR 10520 AGO. 2002 -CITAÇÕES EM DOCUMENTOS – APRESENTAÇÃO
NBR 6023 AGO. 2002 – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS – ELABORAÇÃO
NBR 6024 MAR. 2012 – NUMERAÇÃO PROGRESSIVA
NBR 6027 DEZ. 2012 – SUMÁRIO – ELABORAÇÃO
NBR 6028 NOV. 2003 – RESUMO – ELABORAÇÃO
NBR 6034 DEZ. 2004 – ÍNDICE – ELABORAÇÃO

UNIFORMIDADE. Esta é a REGRA imutável de todo trabalho acadêmico. A fonte do texto


pode ser alterada, desde que altere em todo o texto.

OBS: a dissertação ou tese pode ser impressa frente e verso.

Pré-Textuais Capa (obrigatório)


Folha de Rosto (obrigatório)
Folha de Aprovação (obrigatório)
Dedicatória (opcional)
Agradecimentos (opcional)
Epígrafe (opcional)
Resumo no vernáculo (obrigatório)
Resumo em língua estrangeira (obrigatório)
Listas (de ilustrações; de tabelas; de abreviaturas e siglas; de símbolos)
(opcional)
Sumário (obrigatório – último elemento pré-textual)
Textuais Introdução
Desenvolvimento
Conclusão
Pós-Textuais Referências (obrigatório)
Glossário (opcional)
Apêndice (s) (opcional)
Anexo (s) (opcional)
Índice (s) (opcional)

TRABALHOS ACADÊMICOS TÊM OS ELEMENTOS ABAIXO (NBR 14724):


MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO

Nome

TÍTULO
subtítulo

Recife
20xx
Nome

OBS: exige-se para versão final da dissertação ou tese, a ser depositada na Biblioteca Central
da UFPE, a elaboração da Ficha Catalográfica, que deverá vir no verso desta folha de rosto,
na parte inferior, devendo, para isso, o cursista se dirigir à Biblioteca Central para confecção
desta ficha ou falar com a bibliotecária da Faculdade de Direito do Recife UFPE.

TÍTULO: subtítulo

Dissertação (Tese) apresentada para obtenção do


grau de Mestre (Doutor) pelo
Programa de Pós-Graduação em
Direito do Centro de Ciências
Jurídicas da Universidade Federal de
Pernambuco.
Área de Conhecimento:
Concentração:
Linha de Pesquisa:
Orientador(a):
Co-orientador(a):

Recife
20xx
AUTOR
TÍTULO: Subtítulo
Dissertação (Tese)
Para obtenção do grau de Mestre (Doutor)
Programa de Pós-Graduação em Direito do Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Federal de
Pernambuco.
Área de Concentração:
Linha de Pesquisa:
Orientador(a):
Co-orientador(a):

Recife, ____ de ________________ de 20__

A Comissão Examinadora composta pelos professores abaixo, sob a presidência do primeiro,


promoveu a apresentação e avaliação deste trabalho acadêmico e o julgou nos seguintes
termos:

Nonononon nononono no nononon, Dr. UFPE

Julgamento: ____________________________ Assinatura: _________________________

Nonononon nononono no nononon, Dr. UFPB

Julgamento: ________________________________Assinatura: ______________________________

Nonononon nononono no nononon, Dr. UFAL

Julgamento: ________________________________Assinatura: ______________________________

Nonononon no nonono, Dr. UFPE

Julgamento: ________________________________Assinatura: ______________________________

Nonononon nonono no nononon, Dr. UFPE

Julgamento: ________________________________Assinatura: ______________________________

MENÇÃO GERAL: __________________________________________________________


A SSSSSSSSSS
AGRADECIMENTOS

SSSSSSSSSSSS sssssss sssss ssssss ssssssssssss ssss ssssssss sssss sssss sss sss ssss sssss sss
sssssssssssss ssssssssssss sssssssssssss ssssssssss sssssssss sssssss.

SSSSSSSSSSSS sssssss sssss ssssss ssssssssssss ssss ssssssss sssss sssss sss sss ssss sssss sss
sssssssssssss ssssssssssss sssssssssssss ssssssssss sssssssss sssssss.

SSSSSSSSSSSS sssssss sssss ssssss ssssssssssss ssss ssssssss sssss sssss sss sss ssss sssss sss
sssssssssssss ssssssssssss sssssssssssss ssssssssss sssssssss sssssss.

SSSSSSSSSSSS sssssss sssss ssssss ssssssssssss ssss ssssssss sssss sssss sss sss ssss sssss sss
sssssssssssss ssssssssssss sssssssssssss ssssssssss sssssssss sssssss.
RESUMO
Na UFPE, o resumo deve ter uma extensão de até 300 palavras (No Word verificar em:
Revisão / Contar palavras).
O resumo não tem parágrafos. Apenas ponto continuado.

É importante respeitar regras tais como a quantidade de palavras ou caracteres e número de


palavras chaves. Os organizadores do evento, do periódico, da editora ou da instituição
estabelecem as regras do resumo.

NBR 6028
Último SOBRENOME do Autor, Prenome. Título: subtítulo. Ano da publicação. f.
(quantidade de folhas). Dissertação de Mestrado ou Tese de Doutorado – Centro de Ciências
Jurídicas / Faculdade de Direito do Recife, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

O resumo deve conter, no mínimo: objeto (tema), delimitação do objeto, objetivos


(problematização), metodologia, resultados e Conclusão. Significa, o leitor identificar de onde
o autor partiu, por onde andou e até onde chegou.
Palavras-chave: (até 5 - podendo ser expressões que identifiquem o conteúdo. Ex.: acesso à
justiça; jurisdição constitucional).

EXEMPLO:

SILVA, Carlos Amaragil. DISCURSO DA DECISÃO JURÍDICA: a intertextualidade


e a interdiscursividade como pesquisa qualitativa sobre possíveis limites à decisão
jurídica. 2009. 113 f. Dissertação de Mestrado – Centro de Ciências
Jurídicas / Faculdade de Direito do Recife, Universidade Federal de
Pernambuco, Recife.

RESUMO:
A legislação, na modernidade, apresenta-se como o limite à tomada de decisão jurídica, assim o poder está
limitado por meio da objetiva “vontade do texto”. Acontece que a prática jurídica refuta essa hipótese
teórica. Na literatura, para superar a dicotomia arbitrariedade ou subjetividade do intérprete e a
objetividade ou vontade do texto, há a discricionariedade. Para pesquisar o tema, tomamos como corpus
da pesquisa decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a aplicação da liberdade provisória em
casos de narcotráfico. Através do cotejamento dos textos dessas decisões verificamos que limites os
julgadores declarar ter suas decisões, ou seja, qual a intertextualidade e a interdiscursividade são
localizadas. As decisões foram analisadas desde Mikhail Bakhtin e Julia Kristeva. As observações
resultantes da sistematização desses textos decisórios foi que os limites à decisão judicial não se reduzem
à legislação, pois os discursos nas justificativas e os fundamentos oficializados no texto da decisão
judicial são, também, de fontes diversas, que vão desde ideias doutrinárias e jurisprudenciais, até termos
de cunho social, como justiça do caso concreto, para o bem da sociedade etc. Com a intertextualidade
identificamos referências explícitas e implícitas no texto da decisão. Já com a interdiscursividade, ou
intertextualidade constitutiva, verificamos a linguagem identitária e a construção social do discurso,
porque configuram convenções discursivas (por isso sociais), oficializado como decisão judicial. Enfim, a
decisão judicial não pode ser explicada exclusivamente pela ideia de arbitrariedade do julgador, nem pela
ideia de discricionariedade. Contudo, sendo direito texto e texto a língua da sociedade, os discursos e os
argumentos dos ministros indicam a visão de mundo que norteia o direito brasileiro.

Palavras chaves: decisão jurídica; discricionariedade; comunidade jurídica; intertextualidade;


interdiscursividade.
ABSTRACT

Último SOBRENOME do Autor, Prenome. Título: subtítulo. Ano da publicação. f.


(quantidade de folhas). Master Degree ou PhD – Centro de Ciências Jurídicas / Faculdade de
Direito do Recife, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.
Obs: Não se traduz Autor, Instituição e Local
O resumo deve vir traduzido em outro idioma, preferencialmente em inglês, pois este resumo
será disponibilizado no Banco de Teses e Dissertações Digital da UFPE, de visualização
internacional. Admite-se, no PPGD, resumos em Francês, Inglês, Italiano ou Alemão.

Para mestrado basta um resumo em língua estrangeira


Para doutorado são exigidos dois resumos em distintas línguas estrangeiras

Após o texto corrido do Resumo, deverão estar as Keywords.


LISTAS
(quando utilizadas)

Espécies:

Lista de ilustrações
Lista de tabelas
Lista de abreviaturas e siglas
Lista de símbolos
SUMÁRIO
NBR 6027 e NBR 6024

Numeração consecutiva e igualmente margeada.

Conter número da página.

Os títulos e subtítulos das seções do trabalho acadêmico devem refletir o conteúdo nelas
trabalhado.

Recomenda-se que os títulos e subtítulos sejam alinhados pela margem do título do


indicativo mais extenso

PARA CRIAR SUMÁRIO NO WORD


1. Passar o ESTILO dos títulos e subtítulos do trabalho para TÍTULO DO WORD

2. Ir no menu REFERÊNCIAS, opção Sumário (no canto esquerdo)

3. Selecionar SUMÁRIO AUTOMÁTICO 1


4. Personalizar o Sumário
5. Para atualizar o Sumário = selecioná-lo, ele se torna cinza. Na parte superior, selecionar:
Atualizar Sumário. Caso não apareça na parte superior = clicar no botão esquerdo do MOUSE
e escolher a opção ATUALIZAR CAMPO – e a opção Sumário inteiro
Sumário

1. INTRODUÇÃO................................................................................................................................12

2. ELEMENTOS TEXTUAIS..............................................................................................................12

2.1 Formatação.....................................................................................................................................12

2.2 Redação de textos Acadêmicos.......................................................................................................12

2.2.1 Redação do resumo e da introdução............................................................................................12

2.2.3 Desenvolvimento.........................................................................................................................12

2.3 Estilo da redação............................................................................................................................12

2.4 Uso de formatação da fonte:...........................................................................................................13

3 CITAÇÕES........................................................................................................................................13

3.1 Citação e plágio..............................................................................................................................14

3.2 Sistema autor-data..........................................................................................................................14

3.3 Sistema de chamada ou numérico...................................................................................................14

4. CONCLUSÃO.................................................................................................................................15

REFERÊNCIAS...................................................................................................................................16
1. INTRODUÇÃO
A introdução de uma dissertação ou tese segue a lógica de um projeto de pesquisa, ou
seja, deve começar tratando do tema e sua delimitação, seguida da problematização, dos
objetivos e da metodologia. Por fim, conter a APRESENTAÇÃO, que é um exposição simples
e superficial das partes da dissertação ou tese.
É indicado que no terceiro ou quarto parágrafo o leitor já tenha informações
suficientes para saber como o tema foi trabalhado.
A dimensão da introdução deve ter uns 10% do total de páginas da dissertação ou
tese. Não se trata de uma norma, mas uma sugestão.
Sempre que possível, promover a revisão do texto e gramatical por um profissional.
Respeitar a regra da UNIFORMIDADE.
Não se pode usar os dois sistemas de chamada. Ao optar pelo sistema numérico
(rodapé) ou autor-data, este deve ser o aplicado ao longo de todo trabalho.
Não há regra para a fonte dos títulos das seções, este modelo está com TNR 16 e
Negrito.
Observar o emprego das maiúsculas nos títulos e subtítulos, bem como nas citações e
nas referências. Não esquecer a regra da UNIFORMIDADE em seu trabalho.

2. ELEMENTOS TEXTUAIS
São as partes (as seções) da dissertação ou da tese.
Não há regra referente à quantidade de seções que uma dissertação ou tese deve
conter, isso dependerá do tema, dos objetivos e da metodologia.
O importante é que o leitor siga a sua lógica e compreenda de onde você partiu, por
onde andou e até onde chegou com a pesquisa.

2.1 Formatação
CORPO DO TEXTO NOTAS DE RODAPÉ CITAÇÕES com mais de 3 linhas

. Fonte tamanho 12 . Fonte tamanho 10 . Não contém as aspas


. Entre linha 1,5 linha . Entre linha = simples . Recuo 4 cm da margem esquerda
. Parágrafo justificado . Parágrafo justificado . Fonte Tamanho 10
. Entre linhas = simples
. Parágrafo = justificado

Após cada título, são dois (ENTER) antes de iniciar o texto.

2.2 Redação de textos acadêmicos

2.2.1 Redação do resumo e da introdução


A redação da introdução deve ser revista após a redação da conclusão.
2.2.3 Desenvolvimento

2.3 Estilo da redação

1) redigir parágrafos curtos, isso facilita a compreensão e clareza na informação.

2) evitar adjetivos desnecessários


Hans Kelsen, o maior positivista de todos os tempos e autor responsável pela mais
influente teoria do direito já escrita ....
Gilson Adolpho, jurista exemplar cujas decisões jurídicas apontam ao mais perfeito
direito aplicado em todo o país e mesmo no mundo ....
Do ponto de vista de uma exegese rigorosamente literal e indesejada, diga-se de
passagem, não estariam abrangidos por tal proteção, por exemplo, direitos fundamentais de
segunda geração.

3) Em verdade, em verdade vos digo, cuidado ao fazer afirmações, principalmente aquelas de


caráter conclusivo, argumento de autoridade, contundente, categórica, incisiva ou ainda que
pensa não deixar margem para oposição ou mesmo crítica.
A verdade é que as necessidades sociais da dita pós-modernidade, caracterizada,
sobretudo, por sua complexidade sempre crescente.
A realidade atual do mundo do trabalho apresenta mudanças significativas na relação
entre empresas e sindicatos, reflexo de uma conjuntura sócio-econômica marcada pela
reestruturação produtiva e abertura da economia às importações, gerando o acirramento da
competitividade, a flexibilização da produção e do emprego, a persistência de índices
elevados de desemprego, produzindo novos desafios a trabalhadores e empregadores.

4) evitar redundâncias
A terceirização terceiriza o direito do trabalho e, com isso, produz uma flexibilização
em que os elementos típicos da relação de emprego passam a ser flexíveis.

5) evitar texto confuso – ininteligível


A proteção dos direitos fundamentais de segunda geração, como os direitos sociais, os
tradicionais direitos clássicos, como os direitos políticos, e os direitos de nacionalidade requer
eficácia mais que validade jurídicas.
Os direitos fundamentais têm um significado especial num Estado Democrático de
Direito por guardar um nexo de interdependência genético e funcional, já que o Estado de
Direito implica para sê-lo garantir os direitos fundamentais, enquanto que estes exigem e
implicam para a sua realização o Estado de Direito, na feliz observação de Perez Luño.

6) evitar “chute” teórico ou de conteúdo


A norma legal, para certa corrente doutrinária, teria extravasado os limites impostos
pela norma constitucional, sendo, portanto, incompatível com ela.
Há autores que defendem ser o direito limitado à lei.
Diversos questionamentos na mente se lançam à tarefa de estudar mais detidamente a
proteção que a nossa Carta Magna outorga aos direitos fundamentais.

2.4 Uso de formatação da fonte:


Itálico – palavras estrangeiras;
Negrito – para destacar ideias, informações.

3 CITAÇÕES
Pode ser direta ou indireta
Em paráfrases também se faz citação.

3.1 Citação e plágio

3.2 Sistema autor-data


1. Direito como sistema

... a diferenciação do jurídico, na modernidade, com o fenômeno da positivação do


direito, tem por pilares que
direito é o posto por uma vontade humana, a qual exige competência e agir segundo
o procedimento previamente estabelecido, bem como a pretensão de monopólio da
criação do direito pelo Estado (SOARES, 1996, p. 127).

Consequentemente, tem-se por características do direito moderno a inegabilidade dos


pontos de partida “toda argumentação só tem o caráter de jurídica se partir de uma norma
jurídica emanada de poder competente” (FERREIRA, 2000, p. 128) e a proibição do non
liquet, quando se fala na obrigatoriedade de se tomar uma decisão (FERRAZ JR., 2001, p. 36;
SOUTO, 1981, p. 19-21; TREVES, 2001, p. 18). – Opcional – todavia sugerimos lançar as
páginas por ser indicativo de estudo e pesquisa. Quem leu sabe onde está, por isso o trabalho
de lançar a página não significará nenhum sacrifício, mas sim evidencia o esforço de leitura e
estudo.
Notas de Rodapé são utilizadas para explicações necessárias, que não
devem estar no texto para não desviar a atenção do leitor, quanto ao tema
em debate.
3.3 Sistema de chamada ou numérico
O vocábulo segurança envolve uma ideia de “garantia contra o acaso. Tranquilidade
psicológica que resulta da certeza de que não há qualquer perigo a temer ou de que se está
protegido contra as ameaças”1 (citação direta). Tendo por segurança social o “conjunto das
medidas coletivas e legais que têm por objetivo garantir os indivíduos contra riscos”2 (citação
direta), pode-se concluir que a segurança jurídica provém do fenômeno da positivação do
direito, com elaboração de normas jurídicas escritas, postas pelo poder competente 3 (citação
indireta). A segurança4 é, portanto, resultado das normas e instituições jurídicas5 (citação
indireta), ou seja, resultado da forma como vêm funcionando essas normas através das
instituições.
Ainda sobre as possíveis visões sobre o tema, citamos:
Segurança jurídica não pode mais ser vista como perspectiva quanto ao conteúdo da
decisão a ser tomada pelo Poder Judiciário, mas sim a garantia que a sociedade tem
que uma decisão será tomada6 (citação direta).

4. CONCLUSÃO
Concluir não se confunde com resolver a questão, estabelecer um fim da questão.
Conclusão é o espaço para tecer as considerações finais, fazer uma espécie de
balanço de tudo o trabalhado anteriormente, por isso normalmente não cabe lançar novos
temas e abrir novos debates.

1
Al ai n Bi rou. S egurança. Di ci on ári o das Ci ên ci as S oci ai s . Li sboa: Publ i cações Dom
Qui xot e, p. 367-368, 1982.
2
Idem Ibi dem , p. 367.
3
Norbert o B obbi o. O Posi ti vi smo Ju rí d i co . Li ções de F il osofi a do Di rei t o. S ão P aul o:
Ícone, 1995, p. 19.
4
Al ai n Bi rou. S egu ran ça da soci ed ad e . Li sboa: Edi ções 70, p. 14-15, 1996.
5
Al l ai n B i rou, ob. ci t . (not a 1) , p. 25-27.
6
Ni kl as Luhm ann. Si stemi S oci al i . F ondam ent i di una Teori a Gener al e. Bol ogna: Il
Mul i no, 1990, p. 17- 32.
REFERÊNCIAS
UNIFORMIDADE = observar cuidadosamente: os dados necessários; a sequência dos
dados; a pontuação; o uso de letras maiúsculas.

(NBR 6023/2002 + NBR 10.520/2011)


Conter apenas as obras constantes em citações do trabalho.
Observar: ordem alfabética; pontuação; sequência dos dados; letras
maiúsculas; negritos (subtítulo não se negrita).
Formatação: Fonte: TNR, 12; Entre Linhas: simples; Entre Parágrafos (cada
obra): duplo.
Não separar as espécies de textos: livros, artigos, legislação, jurisprudência etc..
Componentes das referências de Livro:
1º) Nome do autor = ÚLTIMO SOBRENOME (em caixa alta = todas as letras maiúsculas).
Seguido de vírgula, nome e demais sobre nomes. Ex. SILVA, José Carlos Oliveira.
A ABNT prevê que o nome deve vir apenas com as iniciais = SILVA, J. C. O.
Porém, costumamos colocar os nomes na íntegra:
SILVA, Joáz Clovis Oliveira e.
Ou
SILVA, Joáz C. Oliveira e.
2º) Após o nome, coloca-se ponto e se inicia o título do livro. O título do livro deve vir com
apenas a primeira letra maiúscula e em negrito para destaque. No caso de haver subtítulo,
usa-se dois pontos e não o subtítulo não é destacado, não colocar negrito no subtítulo. Ex.
SILVA, Joáz C. Oliveira e. Metodologia da pesquisa em direito.
3º) Após o título do livro, coloca-se ponto e seguem os dados, na sequência e pontuação que
segue = Cidade: nome da editora, ano de publicação do livro. Ex.: SILVA, Joáz C. Oliveira e.
Metodologia da pesquisa em direito. Recife: UFPE, 2016.
Observar a pontuação exigida.
Componentes das referências de Artigos
São considerados artigo: textos de periódicos especializados (revistas, anuários, anais
de eventos), coletâneas, capítulos de livros, artigo de jornal.
1º) Nome do autor = ÚLTIMO SOBRENOME (em caixa alta = todas as letras maiúsculas).
Seguido de vírgula, nome e demais sobre nomes. Ex. ALMEIDA, Laralice.
Ver as observações constantes acima sobre o nome vir abreviado ou não.
2º) Após o nome, coloca-se ponto e se inicia o título do artigo. O título do artigo deve vir com
apenas a primeira letra maiúscula e não deve conter qualquer espécie de destaque. Ex.
ALMEIDA, Laralice. Pesquisa sobre pesquisa em direito.
3º) Título do periódico. O título do periódico deve vir com apenas a primeira letra maiúscula.
Usar negrito para destacá-lo. No caso de haver subtítulo, usa-se dois pontos e não o coloca
em itálico. Ex. ALMEIDA, Laralice. Pesquisa sobre pesquisa em direito. Revista Acadêmica,
4º) Após o título do periódico, coloca-se vírgula, entre todos os dados identificadores do
periódico. Em seguida dados, na sequência e pontuação que segue = cidade, nome da editora,
ano de existência da revista, volume (v. ou vol.), número (n. ou no.), periodicidade, páginas de
A a Z do artigo, ano de publicação do artigo. Ex.: ALMEIDA, Laralice. Pesquisa sobre
pesquisa em direito. Revista Acadêmica, Recife, UFPE, ano II, vol. 1, no. 1, jan./jun., p. 123-
146, 2009.
Observar abaixo os exemplos de referências. Todos estão conforme a ABNT.

SOUSA SANTOS, BOAVENTURA. O sul global. In: Epistemologias do sul. Lisboa: p. 31-
56, 2015. (exemplo de parte de livro)

Andrade, Silvio C.. O acesso à justiça no direito brasileiro. Disponível em:


<www.jus.br/doutrina/direito/justiça.html>. Acesso em: 7 maio, p. 1-15, 2000a. (exemplo de
artigo retirado de internet)

______ (são apenas 6 traços quando repete o autor da referência anteiror). Princípios de
direito Processual civil. Disponível em: <www.jus.br/doutrina/direito/justiça.html>. Acesso
em: 7 jun., p. 1-5, 2000b. (internet)

AYDOS, M. A. D.. O juiz-cidadão. In: ARRUDA JR., E. (Org.). Lições de direito


alternativo. São Paulo: Acadêmica, pp. 121-130, 1991. (exemplo de texto de coletânea)

AZEVEDO, P. F. de. Do método jurídico. Reflexões em torno de François Gény. In: Ajuris,
Porto Alegre, Ajuris, ano XVIII, v. 1, no. 51, p. 5-19, mar./jul., 1991. (exemplo de artigo em
revista especializada)

BRASIL. Código civil. Org. Juarez Oliveira. 46 ed. São Paulo: Saraiva, 2002 (exemplo de
legislação obtida em livro).

BRASIL. Congresso. Senado. Resolução no 17, de 1991. Autoriza o desbloqueio de letras


financeiras do tesouro do Estado do Rio Grande do Sul, através de revogação do parágrafo 2o,
do artigo 1o da Resolução 72, de 1990. Coleção de leis da República Federativa do Brasil,
Brasília, DF, v. 183, p. 1156-1157, maio/jun., 1991.

BRASIL. Medida Provisória no 1.569-9, de 11 de dezembro de 1997. Estabelece multa em


operações de importação e dá outras providências. Diário Oficial da União. Poder Executivo,
Brasília, DF, 14 dez.. Seção 1, p. 29514, 1997.

BRASIL. Lei no. 9.887, de 7 de dezembro de 1999. Altera a legislação tributária federal.
Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília – DF, 8 dez. 1999. Disponível
em: <http//www.in.gov.br/mp_leis/leis_texto.asp?Id=LEI%209887>. Acesso em: 22 dez.,
1999.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Habeas Corpus no 181.636-1, da 6a Câmara Cível do


Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Brasília, DF, 6 dez. 1994. Lex: jurisprudência do
STJ e Tribunais Federais. São Paulo, v. 10, n. 103, p. 236-240, mar., 1998.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula n° 14. Não é admissível, por ato administrativo,
restringir, em razão de idade, inscrição em concurso para cargo público. Disponível em:
<www.truenet.com.br/jurisnet/sumusSTF.html>. Acesso em: 31 out., 2002.

JÚNIOR. Tércio Sampaio Ferraz. Ciência do direito. São Paulo: Atlas, 1997.

ILUMINADO de Abril, O. Direção: Wilson Cláudio. Produção: Flávio da Luz. Intérpretes:


Vilma Terra, Cloves Andrade, Débora Campos, Maria Eduarda Campos e outros. Roteiro:
Lúcio Miranda e Arnaldo Silva. Recife: Oficina de Maracatu, 2002. DVD (48 min.),
widescreen, color. (exemplo de referência de filme)

MUSEU DA IMIGRAÇÃO (São Paulo, SP). Museo da Imigração – S. Paulo: catálogo. São
Paulo: 16 p., 1997. (catálogo)

SOUTO, Cláudio e outros. Textos de sociologia do direito. Recife: UFPE, 1988. (exemplo
de citação completa de livro coletivo)

SILVA, Carlos. Acesso à justiça na visão sociológica. Recife: mimeo, 1995. (exemplo de
texto ainda não publicado – tipo aqueles distribuídos em congressos ou que o professor
distribui em sala de aula)

SILVA, Patrícia. Olhar Distante. 2001. 1 fotografia, color, 10 cm x 16 cm. (exemplo de


referência de fotografia)

TAVARES, José Alberto. Propostas de reforma do judiciário. Jornal Recife, Recife, 30 out..
Caderno de Filosofia, p. F13, 2002. (exemplo de artigo publicado em jornal)

VALADARES, Maria F. S. de. Licitações e direito ambiental: o problema da urgência. Recife:


Dissertação de mestrado em direito da UFPE, 1983. (exemplo de referência a dissertação ou
tese)

VIEIRA, Severino de. Reprodução assistida. Direito civil, São Paulo, Saraiva, n.34. 6 CD-
ROM, 2000. (exemplo de referência a CD-ROM)