Você está na página 1de 130

1

04 de setembro de 1913...
Mickey Cohen nasceu no Brooklyn (Na chamada ''Era Branca''), Nova York.
Esta imagem é de Cohen em seu tempo de boxeador.

Em 1976, um dos maiores gangster judeu, Mickey Cohen, morreu serenamente durante o
sono, com a idade de 62 anos. Mickey subiu uma escada de ossos no sub-mundo do crime,
doutorou-se criminalmente nas ruas de Nova York, Cleveland e Chicago (onde conheceu Al
Capone), entretanto Cohen viveu a maior parte de sua vida em Los Angeles.
Antes de se envolver no contrabando de alcool, prostituição, extorsão, corrupção política e
diversas outras atividades ilegais, Cohen foi um boxeador profissional.
Quando sua carreira no boxe terminou, se envolveu no ''sindicato'' trabalhando em vários
ramos, antes de acabar em L.A, com Bugsy Siegel, durante a fundação de Las Vegas pelo
sindicato do crime liderado por Lucky Luciano.
Siegel e Cohen trabalharam em conjunto durante anos, acredita-se que Cohen ficou
perturbado quando soube do assassinato de Siegel, outros acreditam que Cohen teve um
papel na trama...

''O mundo dos negócios é como no Boxe, você deve manter a mente aberta e a guarda
sempre fechada; onde todo dia é um belo dia para revidar.''
(Mickey Cohen)

2
E no fim, qual amor perdurará mais do que o de una mamma? Davvero, existe no inferno um
lugar reservado para os infames que abandonaram suas mães no fim da vida.
Menos atormentador seria caminhar sobre uma montanha de ossos do que ver um asilo
abarrotado...

3
Infatti; o que nos outros chamamos de pecado, para nós é experiência.
Assim como é impossível caminhar com sapatos brancos em um lamaçal sem sujá-los, é
impossível viver no submundo sem remorsos...

4
Davvero;
Assim como uma sólida rocha não é sacudida pelo vento, é o homem destinado a vencer que
não sucumbe ou se abala pelas dificuldades ao seu redor.

5
O tolo nada compreende e o homem de bom siso aos próprios olhos aprende com seus erros,
mas o sábio, este sim, aprende com os erros dos outros... A experiência é a melhor professora
para quem é um bom aluno.

6
O dinheiro, o poder, o respeito, a reputação, o império, a honra, a lealdade e tudo que
conquistar, não passarão do seu leito de morte, mas seus pecados, estes sim, o acompanharão
por toda eternidade...
''Lu rispettu è misuratu, cu lu porta l'avi purtatu'' -Siciliano detto.

7
La verità; nunca existiu dia das crianças para um garoto italobrasiliano que nasceu pobre.
Aos doze já era um homem, ganhando algumas Liras na terra de seus avós. Idioma confuso
aprendido na marra, coloquialismo paulista soterrado pelo dialeto local.
De viale Jonio até via Galermo, sol após sol, chuva após chuva, o trabalho era a única
diversão.
Ma davvero, quando galgara alguns degraus na escadade sangue, o dinheiro trouxe alguns
brinquedos de gente grande, que quando bambino sempre desejou...

Cent'anni.
8
Infatti, maior desonra não há do que aderir à infâmia da qual a alma sempre repugnou.
Ao primeiro olhar é doce e suave como o mais macio cinalli confeitado pelas mãos de um
padeiro palermitano, mas uma vez consumado, é como o ranger de dentes triturando ossos e
cascalho. Eis o castigo do justo que desvia-se da equidade: ser cobrado em dobro por cada
pecado aceitado. E que honra terá depois de quitar-se? Uma vez exaurida, jamais se
recompõe.

Cent'anni.

9
Ascolta amico mio, ma ascolta bene, si?

Não anote nada. Não explique nada. Não pergunte nada. Não ouça nada.
Quando a omertà impera, o que foi dito entre homens permanecerá somente entre os homens
que estavam na conversa.

Como dizem os cataniesi: ''A curiosità è un piccatu, ma è un pinseri livatu.''

10
''Tutti uomini di sangue Romano sono eredi del mondo per diritto.''
Todos os homens de sangue romano são herdeiros do mundo por direito.
(Albert Anastasia)

Cent'anni.

11
Ascolta, amico mio, ma ascolta bene, si?

Batalhe contra seus pensamentos infames, antes que estes o subjuguem ao estado de servo.
Peleje contra seus conflitos internos sem misericórdia, perchè, se os poupas, criarão raízes
em seu coração, frutos podres na sua mente e - credetemi! - estes pensamentos impuros o
dominarão com duros aguilhões, e isto garantirá a sua queda.
Onore, Vendetta e Lealtà!

12
Infatti, você poderá ocultar sua maior fraqueza de seu maior inimigo, mas não conseguirá
escondê-la da sua mulher.
E isto, in fine, o destruirá...

"Ogni 'mpidimentu è giuvamentu"

13
Davvero, em Palermo, se estiver andando pelas ruas e compadecendo-se de um mendigo,
colocar la mano in tasca e retirar vinte euros para entregá-lo, sempre existirá un figlio di
puttana, logo atrás, para censurá-lo e adverti-lo da suposta nocividade do ato.
Dirão com tamanha convicção que não pode ajudar um homem avulso, mas sim, doar seus
trocados a uma instituição de caridade subsidiadamente governamental, mais apta no serviço
de reabilitação social. Por um raciocínio pazzo, afirmam que devemos primeiro enriquecer o
presidente da instituição, o burocrata que a controla, o político que a utiliza na captação de
votos, para então, pelo senso divino de justiça que possuem, escolherem o melhor método
para ajudar aquele, que por ironia, está bem ali na sua frente.
Tal gesto faz com que remoam seus dentes ao dizerem que estes vinte euros serão
convertidos em bebida alcoólica ao invés de ajudá-lo a reabilitar-se. Ma vaffanculo!? A
primeira característica que um homem deve possuir é a liberdade de escolher por si mesmo o
que fará com seu próprio dinheiro, se o gastará com bebidas destiladas ou com cocaína ao
invés de alimentar-se? Me ne frego. Querem torná-lo um cidadão siciliano digno, mas não o
enxergam como um ser racional que pode escolher seu próprio caminho e fazer suas escolhas
como bem entender, ao contrário, asseguram que ele precisa de um patrono assistencialista
chamado Estado para ajudá-lo a ser homem.
Cerceiam sua liberdade na tentativa de torná-lo liberto de sua comiseração, esquecem o
individual para aclamarem um coletivismo que não existe...

14
C'è stato un tempo onde os homens possuíam palle suficientes para suprir uma famiglia.
Assumiam a liderança de um lar e com ela a responsabilidade do sustento.

Sfortunatamente, a vergonha de possuir uma mulher labutando fora do lar não é dela, pois é
necessário fibra para questo, mas sim de seu marido que não é capaz de honrar as velhas
tradições.

No passado, um pai siciliano, do campo, apenasabençoava um matrimônio se seu genro


possuísse ao menos um cavalo avelino e um arado, pois assim sabia que sua filha não
necessitaria ir à Palermo para trabalhar duro nas fábricas de tecelã ou de sapatos.

'A casa senza 'a fimmina 'mpuvirisci.

15
Em uma entrevista ao New York Times, um repórter perguntou a Costello ( também
conhecido como ''Primeiro Ministro do Submundo''):
- Por que a organização da Cosa Nostra Americana é baseada hierarquicamente no velho
império romano?
Frank sorriu e com toda sabedoria respondeu:
-As armas mudaram, nossos soldados não.

16
'As lágrimas jamais trarão o que sangue e suor concedem.'' Este é apenas um dos inúmeros
detti e proverbi Cataniesi.

Davvero, boa parte dos Esteroides Anabolizantes e outros Ergogênicos, tanto os proibidos
quanto os liberados na Itália, pelos órgãos estatais de saúde, que são vendidos pela metade
do preço, são contrabandeados do Leste Europeu, da América Latina e da China direto para a
Sicília, através da Cosa Nostra Siciliana.

Na Sicília, depois da Heroína, Cocaína e Narcóticos sintéticos, o mercado de cigarros


contrabandeados é um dos mais lucrativos e tradicionais explorados pela Cosa Nostra. Então
você diz: ''Ma che cazzo, o que isto tem a ver com Esteroides Anabolizantes?''
Aspetta, amico mio! Aspetta!

A Cosa Nostra possuí diversas conexões pelo mundo, e o cigarro contrabandeado para a
Sicília possuí duas vertentes; o canal do Paraguai e o da ''oriental''.
A sacra organização siciliana atualmente, em sua terceira geração, está completamente
voltada ao capitalismo do submundo, ou seja, mercados não dominados pelo governo ou por
multinacionais privadas são explorados pela Cosa Nostra, não importando o que seja. Os
atuais capi da nova geração, nasceram na era das informações, da internet, da tecnologia, por
isto, modernizaram a si mesmos e consequentemente os negócios.
Observando o exponencial crescimento do esporte Bodybuilding na Sicília (e o grande
consumo de fármacos hormonais) perchè no, explorar esse novo mercado?
Agora entenderá o que cigarros tem a ver com isto...
Aproveitando das conexões de cigarros na China e no Paraguai, os membros da organização
começaram a enviar nos mesmos contêineres de cigarros, pequenos lotes de anabolizantes
esteroides, que seriam vendidos na Sicília por um terço do valor dos mesmos fármacos
importados legalmente.

Atualmente, este mercado tomou projeções enormes, tanto que, separaram os envios e
criaram conexões próprias para esta demanda.
E se não bastasse, mais de meio milhar de ginásios de musculação na Sicília são de
propriedade de membros da Cosa Nostra, usadas para lavagem de dinheiro, já que é fácil
burlar o número verdadeiro de alunos com o real valor das mensalidades, além de
abastecerem seus clientes com seus próprios produtos...

Mercado à parte, é necessário ao homem a prática de exercícios físicos que melhorem seu
desempenho, fortaleça o seu corpo e engrandeça a sua masculinidade.

O uso de fármacos como anabolizantes esteroides não faz milagre, e muito menos pode-se
dar causa ao tamanho e densidade dos músculos de um indivíduo, pelo uso dos mesmos, e
fechar os olhos para a sua dedicação, estudo e tempo investidos no esporte que seu corpo
carrega.

Uma das características primordiais de um membro da Cosa Nostra, é a sua flexibilidade


entre o mundo intrínseco das ruas, dos negócios e das ideias. O mesmo homem que é um
gênio da administração de um império é o mesmo que tem total respeito em sua comuna. Ele
domina o conhecimento teórico do capitalismo aplicado ao submundo ao mesmo tempo que
é forte o suficiente para arrebentar a cara de um imbecil que atravesse o seu caminho.

No negócios ninguém respeita um tolo, e nas ruas, ninguém respeita um fraco.


Daí o pazzo, pela sua preguiça e fraqueza física e mental, diz que uma arma é superior a um
corpo imponente.
Vanffanculo!
A arma deve ser uma ferramenta de justiça para um homem, e não a extensão de sua
covardia, ao se esconder atrás dela e da falsa impressão de poder que ela trás...

Uma mente sã em um corpo são, lhe fará sentar a mesa com os negociadores
intelectualmente superiores de igual forma que lhe ensinará a se portar e defender-se onde
quer que esteja.

Cent'anni.

17
Ascolta bene e nasconde queste parole nel vostro cuore!

Jamais divida a sua glória com aqueles que um dia lhe negaram a mão diante das
dificuldades. Se um dia chegar ao topo, Dio ti aiuti, nunca gaste o seu tempo e seu dinheiro
com mulheres promíscuas, amigos superficiais e toda corja que entranhará seu círculo social
atrás de vantagens. ''Megghiu 'na vota arrussicari chi centu voti aggianniari''

Credetemi! Pois tenho visto imperadores perderem, por causa de uma mulher, seus impérios
e reis afundando um castelo em sua própria tolice. Questa puttana, que nesciamente deseja
oggi, sem ter o mínimo tostão, mal sabe da sua existência, e perchè, quando venceres,
haveria de gastar seu dinheiro com uma cagna?

A maioria dos seus amigos, ainda não lhe traíram ou por falta de oportunidade ou por falta de
apoio. Mas você ainda diz: "Meus amigos são verdadeiros e confio neles". Ma che Cazzo!
"Maldito o homem que confia no homem”, e più maledetto seja aquele que confia
plenamente em seus amigos. Nostro mondo, capitalista e fascinante, não fora feito para os
fracos, inocentes e puros de coração, mas sim, para todo aquele que deseja vencer e está
disposto a ser implacável, com tudo e com todos e até mesmo consigo. Davvero, jamais
acredite cegamente na promessa de um amigo ou no amor de uma mulher.

Guarde seu tempo, seu dinheiro e seu poder para erguer e manter a sua vida, não seja bom ou
mal, seja justo em todas as ocasiões. E justiça é dar a cada um aquilo que lhe deve, aquilo
que lhe é merecedor, castigo ou recompensa, capisce?

Infine, jamais faça como o pazzo. Não troque o que deseja para a vida pelo que intimamente
quer no momento...

Cent'anni a tutti!

18
Sugnu sicilianu e mi nni vantu,
nato nta sta terra diliziusa,
terra d'amuri, terra d’incantu
produttiIva e calurusa,
A biddizza è menza doti...''

(Le poesie Sacra in siciliane)

Buongiorno a tutti!

19
Diferente de Nápoles, em que qualquer banheiro público existem seringas sujas jogadas ao
chão, onde viciados em drogas pesadas as reaproveitam até acabar com seu material
pontiagudo, na Sicília a sujeira, a prostituição e os piores vícios estão lá em cima, na alta
sociedade italiana. Lu rispettu è misuratu, cu lu porta l’havi purtato...
Nos bairros nobres, mansões de vinte e cinco cômodos, com seis ou sete empregados, nos
finais de semana tornam-se mais poluídos do que o pior bordel no centro de Palermo. Filhas
de ricos empresários, netos de banqueiros, algumas celebridades, jogadores de futebol do
Norte, todo tipo de culattone, todos em meio a garrafas de uísque e vodca, jovens que se
embriagam durante a madrugada inteira, prostituição e cocaína há de sobra.
De qualquer forma, alguém é obrigado a fornecê-los. Eles estão sempre dispostos a pagar
bem pela qualidade, digna o bastante para a classe alta siciliana. Para um clã, apenas a venda
para esse público rende de um a cinco milhões de euros por semana, em média.
A Cosa Nostra Siciliana, pelas regras de mercado, é quem supre a demanda. Fa beni e
scordatillu, fa mali e pensaci... Os capi ou membros não mantém contato com essas pessoas,
por mais ricos que sejam, são considerados devassos e imundos até para a organização. O
serviço é terceirizado, quem faz as entregas são imigrantes senegaleses, quem gerencia nas
ruas são os imigrantes da Albânia, e os alheios pagam o pizzo.
Certa vez, um deles afirmou que quando foi até uma dessas festas entregar o pedido, logo na
porta, havia uma garota, filha de um conhecido empresário do ramo têxtil da Sicilia,
transando com outros três, depois de misturar calmante com champanhe e cheirar cocaína até
o nariz sangrar, no outro dia estava com suas joias caras pendurada no pescoço ao dar
entrevista ao jornal regional sobre a crise econômica que abala Palermo.
Nessas entregas em domicílio, os produtos mais pedidos são cocaína, em primeiro lugar, em
sequência o haxixe e heroína.
A polícia siciliana também aproveita o comércio de alto luxo, muitas vezes, três patrulhas de
carabinieri vão até as mansões e prendem todos os envolvidos, a diferença é que ao invés dos
advogados serem acionados, os próprios policiais cobram gordas propinas dos pais ricos,
para soltarem seus filhos, antes de serem entregues ao órgão público.
Diante de tanta esbórnia, drogas e prostituição, sempre que vir por aqui, em um passeio pré-
selecionado pela empresa de turismo, e observar aquela linda modelo siciliana, rica e
famosa, estampada em um outdoor, tenha certeza de que sua magreza não é apenas
ocasionada por um regime alimentar... Mas não se preocupe, será muito bem recepcionado,
la nostra casa n`abbrazza e ni vasa...

Cent'anni...

20
Os Catanesi costumam murmurar que Palermo é a cidade do Pecado, davvero, diferente do
Vaticano, não existe puritanismo nas sarjetas palermitanas.

No coração das vielas, pelas verdadeiras artérias da cidade, onde a noite pulsa prostituição e
crime, não existem guias turísticos, locais históricos, imponentes catedrais, não existe nada
de belo para ser fotografado por visitantes ocidentais.

O único flash é o piscar dos neons de boates e prostíbulos, isso na melhor das hipóteses,
muitas vezes, a unica luz branca incidente sobre seus olhos pode vim acompanhada de um
estardalhar ensurdecedor, aromatizado de pólvora.

Os estabelecimentos da meia-noite são ecléticos, atendem todos os públicos. Com poucos


euros no bolso e uma insaciável vontade de entranhar nicotina, os pequenos mercados são as
melhores opções. No balcão enferrujado, sobre as prateleiras, elásticos cirúrgicos e seringas
envelopadas á vácuo fazem companhia aos cigarros contrabandeados. Tabaco é o veneno
menos nocivo da noite palermitana. A oferta e a demanda Revesam os trocados do pequeno
comércio, o lucro é contabilizado assim que o valor do Pizzo a ser pago para a Organização é
alcançado, dali em diante, o comerciante ganha a vida.

O frio e o silêncio noturno excitam uma aposta, talvez por acreditar que continuar
caminhando por aquelas ruas de pedra polida e ainda estar com vida seja um sinal de sorte.
Algumas prostitutas podem lhe indicar uma jogatina, claro que informações assim, valem
tanto quanto uma volta entre suas pernas. E voltas será algo que dará dezenas de vezes:
''Converse com alguém no final da rua'', outro no ''próximo quarteirão'', ''entre por aqui ou
acolá'', indicações assim são o preludio da sua sorte. Se não parar em um beco com um
desconhecido enfiando um revólver em sua boca, de forma que poderá sentir o gélido do
ferro em sua língua, terá certeza que simpatizaram com a sua cara e logo estará sentado em
uma cadeira preta almofadada, apertando alguns botões e pedindo a Deus que suas notas se
multipliquem, mas quem disse que Ele lhe ouvirá?

As jogatinas são sempre diversificadas, para que um ''importunar'' dos carabinieri, aqueles
que não estão na folha amarela, não prejudique de forma relevante os negócios.''Trevo de
quatro folhas'' é como são chamados as casas de poker e roleta, feitas para os ''mais
sortudos'', daqueles que colocam a mão no bolso, tiram um euro de caridade e soltam sobre
os pés daquelas crianças de rua que vagueiam pelo centro, mas ironicamente, no final da
noite, são os mesmos que queimam milhares com um blefe amador e com uma puttana de
perfume barato e roupa cheirando a Heroína.

A fumaça do dinheiro empenhado na mesa vai direto para o exaustor da Casa; a banca nunca
quebra, nunca dorme, nunca para. Assim é a vida! Não importa como será, perder ou ganhar,
ela sempre continua e não te espera. As cartas das oportunidades são jogadas na sua frente,
querendo ou não, você é o jogador nato!É necessário aprender todas as suas regras para
então, arriscar um Ás na manga.Tudo isto ao seu redor, amico mio, é nada mais que um jogo
sujo, onde existem somente dois tipos de jogadores honestos; os que não sabem trapacear e
os que sabem, mas tem medo de serem pegos. Mas no final, quando a vida lhe desafia, o
resumo é: ''cobre a aposta ou passa...''

21
No cemitério de Riposto, no décimo quarto mausoléu a direita da entrada principal, existe
em uma lápide, banhada a ouro com letras de bronze, a seguinte inscrição: ''O homem vai da
glória ao esquecimento.''

Cent'anni.

22
Perchè não comemoramos ''Colombus Day''?

Amico, ovviamente Cristóvão Colombo era sim italiano, mas do norte, e se há algo que
qualquer pessoa com uma gota de sangue siciliano odeia mais do que um irlandês, é um
compaesano do norte!
Os políticos do norte, oprimem a Sicília. Os juízes do norte julgam com mãos de ferro a
Sicília. Os empresários do norte arrancam as riquezas da Sicília. As famílias do norte não
cumprem seus acordos com a Sicília. Os cidadãos do norte discriminam turistas da Sicília
que visitam suas comunas e regiões.
E ainda assim, comemoraríamos um dia tipicamente do norte com tantos heróis renegados
por serem sicilianos? Lu rialu di la soggira a la nora, rapi la cascia e pigghia `na fava...
Rispetto molto todos os ítalos-brasileiros e ítalo-americanos descendentes de imigrantes do
norte, entretanto sobre Christopher Columbos Day:

Vanffanculo!

23
Ascolta amico mio, ma ascolta bene, si?

Davvero, na imaginação popular, estar envolvido com a máfia, significa morar numa bela
mansão, ter muitos carros e estar cercado de lindas mulheres. ''A biddizza è menza doti.''
Nada pode estar mais longe da verdade, infatti, é isto que esta humilde fanpage há anos
inquire.

La vità de um membro da Nostra Società é muitas vezes desolada e quase monástica. O que
as pessoas não entendem é que mesmo um Capo, vive quase como um animal abastado, che
Dio non voglia!
Precisam esconder sua riqueza, arriscar a própria vida e a vida de seus parentes, cada
pequena palavra e todo simplório gesto é vital.
A maioria, quando são alocados perante os holofotes do Estado, tornam-se fugitivos,
morando em bunkers subterrâneos e minúsculos, de apenas alguns metros quadrados, e
raramente veem a luz do dia e seus entes queridos.
Eles entendem, assim que entram nesse caminho da malavita, que isso só pode terminar de
três jeitos: ou eles acabam na cadeia, ou são mortos pelos inimigos, ou se como todos
almejam, aposentam como hiperindustriais, morando nas Bahamas, Argentina ou Brasil.
Estamos falando especialmente dos membros de oggi, a geração atual de cosanostristas
poderosos, ricos e influentes. Eles vivem na busca de apenas três objetivos: poder, dinheiro e
honra. Ma questo não significa que é isso que eles conseguem imediatamente.

Quando se junta à Cosa Nostra, começa com um salário inicial baixo. Com o título de
picciotto d'onore ("garoto de honra"), provavelmente não vai fazer tanto dinheiro assim,
apesar de ganhar mais do que conseguiria num emprego ''estatalmente legal'' nessas partes do
sul da Itália.
Um iniciante batizado e consagrado, pode tirar de US$ 2.500 a US$ 4 mil por mês no
começo. Quando assume mais responsabilidades (e se conseguir sobreviver), seu soldi sobe
para algo entre US$ 6.500 e US$ 13 mil por mês.
Se trabalhar até se tornar um braço-direito do Capo, pode receber mensalmente de US$ 32
mil a US$ 38 mil. Caso se torne um caporegime, o segundo no comando, os ganhos sobem
para cerca de US$ 130 mil mensais a US$500 mil. E os Capi? Vaffanculo, é impossível
adivinhar quanto eles tiram por mês, e muito menos falaríamos aqui, ''se soubéssemos''... A
curiosità è un piccatu, ma è un pinseri livatu.

No geral, a Cosa Nostra Siciliana têm muitos membros, mas a maioria não ganha tanto
assim, mesmo que seu trabalho seja perigoso, perchè boa parte dos seus rendimentos são
revertidos aos membros do escalão superior, afinal de contas, todos precisam dar lucro para a
pirâmide hierárquica. O mestres de zonas (aqueles que controlam uma "piazza", ou seja, um
território fixo) e os Capi, estes sim, podem angariar quantias significativas.

E cada clã oferece o próprio tipo de seguro. Se um membro tem uma criança deficiente, seu
''salário-base'' sobe. Se (ou quando) morrer, sua família recebe dinheiro para seu enterro e um
"subsídio por morte". O ''responsável'', aquele que endossa o iniciado no livro quando este se
abre, será o incumbido de cuidar dos filhos, pais, esposa e amantes de seu afilhado.
Quando um membro de um clã poderoso é morto, a família pode decidir receber uma soma
que varia de US$ 130 mil a US$ 260 mil ou uma ajuda de custo mensal, que é paga a viúva,
mãe ou namorada (desde que ela seja mãe de seus filhos) do morto. ''A casa senza 'a fimmina
'mpuvirisci''. Existe também subsídios por prisão, mas isto não vem ao caso, omertà, si?.

De muitas maneiras, se juntar a Cosa Nostra atualmente é quase como conseguir um


emprego numa firma de advogados ou em qualquer outra instituição grande: você começa
ganhando uma quantia que mal dá para viver, mas sabe que está pagando suas contas.
As tarefas, no começo, são rotineiras e, às vezes, humilhantes, mas suas atribuições são de
maior prestígio quanto mais rico e importante você se torna.
Os US$ 2.500 que um picciotto ganha oggi podem virar milhões de dólares se ele se tornar
um Capo – um processo que, com sorte,- pode levar apenas alguns anos, entretanto não pode
se tornar um chefe se não tiver talento militar e visão econômica. Se é simplesmente um
soldado ou apenas um trabalhador de colarinho branco, nunca vai se tornar um chefe. Razão
apurada e punhos cerrados fazem um ''homem feito''.

Ocasionalmente, um clã pode ficar sem dinheiro, geralmente porque está sob pressão da
mídia e da polícia. Para lidar com isso, eles levantam o capital extorquindo mais dinheiro dos
donos de negócios.
No ultimo Natal, por exemplo, um clã de Palermo obrigou as lojas a dobrar o preço do
panettone para pagar o bônus de final de ano de seus membros encarcerados.

Em casos extremos, quando o clã está realmente em apuros, ele pode autorizar roubos. Mas
isso é muito raro para a Cosa Nostra, como a prostituição, tal crime é considerado "sujo", ou
seja, desonroso. (Por outro lado, a organização não vê problema em aceitar uma porcentagem
do lucro saído dessas atividades realizadas em seu território por terceiros.)

A primeira coisa que oferecem a seus membros é segurança. Se fizer tudo direito, é
recompensado. Se cometer um erro, bene, morre ou vai para a cadeia por um longo tempo.
Mas alguém vai tomar conta de sua família e alguém vai pagar pelos advogados. Esse tipo de
acordo é bastante raro hoje em dia – muitos trabalhadores não têm como garantir seu
sustento se se machucarem no trabalho. Quantas pessoas trabalham honestamente por
décadas no mesmo emprego sem receber um aumento decente? Se morrer hoje, quem
vingará sua morte? Esse é o verdadeiro poder – e apelo – da Cosa Nostra.

24
Ultimamente os filhos da nova geração da sacra organização, influenciados pela ''Culture of
London'', tem muito se apegado aos movimentos Hooligans e Casual Culture, transpondo sua
juventude em prol de facções da Unione Sportiva Città di Palermo e Calcio Catania, o que
não vem agradando a alta cúpula, onde se já não bastasse os problemas nos negócios
cotidianos ainda tem que se preocupar com seus filhos dando brechas para serem reclusos
pelos carabinieri.
Mas em dualidade, basta caminhar um bocado ao derredor da Catedral de Santa Ágata, sob
as ruas de pedras contrastando com o reflexo dos outdoors eletrônicos, para ver um grupo de
jovens maricas e medíocres, sentados em uma mesa destes Etoile D'or, bebendo algum
refrigerante americano e discutindo sobre as contratações do Real Madri, de como a FIGG
(Federazione Italiana Giuoco Calcio) punirá alguns torcedores mais agressivos, mostrando
uns aos outros as fotos que tiraram no estádio enquanto aplaudiam sentados o gol de seus
ídolos, como se football fosse teatro... Vanffanculo!
Onde está o buon e vecchio Football? Onde estão os antigos torcedores do Catânia, com suas
garrafas gélidas de Birra Moretti, caminhando abraçados rumo á Fontana dell'Elefante, com
sinalizadores na mão, para encontrarem seus antigos rivais Palermitanos?
Attualmente, qualquer tradicionalista sente ânsia de vômito ao observar o tal dito ''Moderne
Football'' na Itália...

25
A verdade é um aguilhão que empurra o mentiroso para o abatedouro... Um homem que não
mente, é um homem que a ninguém teme.

26
Ascolta, amico mio...Ascolta, si?

Se perdeste amigos e mulheres, davvero, perderas nada.


Se perdeste dinheiro e a liberdade, bene, perderas um pouco.
Se perdeste a coragem, o respeito, a família e tudo que conquistaste, infatti, perderas muito.
Mas se perdeste a honra e a lealdade, vaffanculo, perderas tudo...
Buona Domenica a tutti e Cent'anni.

27
Ciao a tutti!

Ascolta:
Submissão... Una parola dura para os ouvidos de mulheres contemporâneas.

Na máfia Siciliana/Americana, tanto nos negócios quanto na família sempre foi natural que o
homem fosse a cabeça do relacionamento, não como um tirano, ma si, como um líder, forte e
implacável, da qual sua mulher teria plena certeza que sempre poderia confiar seu coração
nas mãos de seu marido. Submissão esta, "onde a mulher desempenha o papel de mulher,
honrada, honesta, fiel aos costumes. E o homem desempenha seu papel, honesto, fiel e
implacável".
Em outras culturas di cazzo, onde o homem, relapso e fraco, se abstêm do seu dever (já que a
liderança é um dever e não um direito) em prol de uma igualdade funcional. Logo os
divórcios e traições se tornaram cada vez mais comuns, pois o eixo familiar foi mudado.
Vanffanculo...
Na Sacra Sociedade Cosanostrista, casamentos são considerados eternos, até mesmo para o
companheiro(a) viúvo(a). Mas qual o segredo de casamentos perfeitos em uma sociedade
sub-criminal? Uma vez, amico mio, que deixares que sua mulher desempenhe o seu papel de
HOMEM, ela rapidamente se considerará igual e logo, terá a crença que é melhor do que
você e tenha plena certeza: você se tornará inútil para sua mulher e simplesmente, ela
procurará outro...
Os divórcios, estão sendo a cada dia realizados a revelia, perchè, as novas gerações são
instruídas a descartar seus problemas ao invés de consertá-los.
Homens fracos que escolhem mal e mulheres infames que mandam muito, receita infalível
para o fracasso de um matrimônio.
O berço de uma sociedade se encontra na célula familiar, assim como a fonte de um rio deve
ser pura para que toda a sua extensão o seja, a família deve ser estruturada para que toda a
sociedade não desabe.
Observa-se em todas as culturas e países, da Itália ao Brasil, uma sociedade feminina
contaminada e desmedida por movimentos políticos e ideias subversivas, com uma nova
forma de casamento, escolhido à luz de interesses pessoais. Dinheiro, poder e beleza
tornaram-se o maior atrativo dos relacionamentos, ao passo que as mulheres passaram a dar
maior ênfase ao status masculino e os homens tornaram-se negligentes quanto ao passado
imáculo, a honra e qualidades do lar femininas.
Acreditamos e sempre repetimos, que o mal do mundo é que os homens (que não são isentos
da atual condição) deixaram de seguir as velhas tradições e por fim, as mulheres
abandonaram os bons costumes.
Altri tempi, altri costumi... Como era belo o tempo em que um homem levava ao altar uma
mulher da qual todo o seu coração poderia se descansar e deleitar, quando a mulher sentia
prazer em saber que seu companheiro era um homem de fibra para construir uma sincera
cumplicidade.
Oggi, o passado púbere, promiscuo, desregrado e sem o mínimo de honra ou moral de uma
mulher torna-se irrelevante dado a sua vã beleza. Mulheres, das quais, casam-se tramando o
momento certo de divorciarem hediondamente, levando consigo, dinheiro, pensões e o que
sobrara da hombridade e moral de quem, um dia no altar, prometera dedicação eterna.
Mas a culpa não se encontra nas interesseiras, pelo contrário, todos tem a sua forma de
ganhar o pão, de procurarem seu lugar ao sol, culpado são os pazzi, a quem se deixaram
enganar-se, chi mal fa, mal fine aspetti!
Tão raro nos dias de hoje é encontrar uma que não se entregara à vã vaidade, que exitara em
entregar-se às paixões passageiras desta vida para agregar algum valor em sua personalidade.
Honra e Lealdade deixaram de ser ornamentos de suas características para dar lugar a uma
modernidade da qual putrefaz os antigos valores. Aderiram à ideia de que, viver em prol de
filhos e ao lado de seu marido é uma opressão, e passaram a se entregarem à jornadas de 12
horas de trabalho, realmente sendo oprimidas por um chefe empresarial.
Os relacionamentos, são como o mundo dos negócios, homens são atraídos pelo que veem e
as mulheres pelo que ouvem, por isso "homens" mentem e mulheres usam ornamentos,
maquiagem e todo aparato físico que possam melhorar suas aparências e sensualidade.
Entretanto, na mesma linha de pensamento, quando os negócios são fechados utilizando-se
impulsos emocionais e sentimentais, nada mais do que um enorme prejuízo resultará.
Ninguém faz uma aliança de negócios, visando obter lucro, observando a aparência de seu
parceiro, mas, observa-se a capacidade e competência a quem lhe depositará confiança e
dinheiro. Nos relacionamentos, infatti, aplica-se o mesmo princípio, é necessário observar
em uma mulher fatores realmente importantes, a aparência cativa sim mas, para um homem
sensato e equilibrado, esta é apenas mais uma qualidade se somada a honra, lealdade,
virtuosidade, coragem, força de vontade, submissão, caridade, delicadeza, sensatez, e
diversas qualidades das quais as mulheres deviam ter, as do passado possuíam, as atuais, nem
tanto.
Saiba ter sensatez nas suas escolhas, e mantenha-se firme em seus objetivos, não deixe se
entregar aos novos tempos, seja um homem forte e saiba escolher aquela a quem entregará o
seu bem mais preciso, aquela que cuidará e educará seus filhos, não importa quão em ruínas
a sociedade lá fora esteja, mantenha a sua casa em ordem...

Cent'anni a tutti.

28
La vedova di Palermo (A viúva de Palermo)

Ascolta;

Por volta de 1914, a segunda geração da Cosa Nostra Siciliana vivia um denso período de
incertezas e problemas nos negócios, isto por causa de uma evidente guerra que se
aproximava.
Nos campos ao derredor de Palermo, morava um poderoso e milionário latifundiário. Suas
terras se estendiam por toda a planície, seus filhos estudavam nas melhores escolas de Roma
e sua mulher tinha os luxos de uma esposa de Caesar.
Ao fim de sua propriedade, residia ao lado, em uma pequena choupana, uma recém viúva
que junto aos seus filhos cuidava de arar e colher pequenas levas de trigo, com o qual se
sustentava.
Na pequena plantação de trigo, o rude arado era puxado por um imponente cavalo, da raça
Avelino, que o arrastava cortando a terra enquanto a viúva, junto aos seus filhos, semeava
para a próxima colheita.
Durante uma tempestade, o estábulo feito de pequenas toras de madeira podre rompeu,
derrubando uma de suas partes laterais. O cavalo assustado, disparou atordoado rumo á
propriedade do poderoso fazendeiro.
O animal saltou as cercas e cavalgou durante horas até a chuva e trovões cessarem. Com
fome, começou a mascar as folhas de um enorme cultivo de videira Catarratto, devorando
uma pequena parte das uvas e suas folhas.
No dia seguinte a viúva procurou pelo seu cavalo, não o encontrando de forma alguma. Um
de seus filhos foi até a propriedade do fazendeiro, no qual foi negado o seu pedido de
procurar pelo equino em suas longas terras.
Duas semanas depois, a viúva durante a tarde, cozinhando do lado de fora da choupana,
avistou a trépida figura de seu cavalo, extremamente desnutrido, com um pedaço de cabo de
madeira transpassado em sua boca e latas amarradas em seu rabo. O cavalo passara dias sem
poder comer, a madeira atravessada em sua boca o impedia de mastigar, as latas amarradas
em seu rabo cortaram profundamente seu lombo enquanto se sacudia atordoado e assustado
pelo barulho de metal se chocando.
A viúva tentou cuidar do animal, mas pelas condições em que estava, precisou ser
sacrificado.
O filho mais velho, observando que seu único cavalo, companheiro de transporte e
tracionador do arado, que era o meio de sobrevivência da família, havia sido maltratado e
morto de forma cruel, foi novamente até ás terras do fazendeiro para tomar satisfações.
Sem ao menos poder conversar com o latifundiário, foi recebido a tiros pelos empregados da
fazenda. Voltou para casa sangrando e com o ombro ferido por um disparo.
A viúva era uma mulher sábia e prudente, engoliu todo o desaforo e esperou pacientemente o
momento certo de implorar por justiça.
Assim que Julho se aproximou, a viúva pegou alguns de seus pertences e viajou para
Palermo, quando chegou o dia de Santa Rosalia ( Sant Rusulìa em dialeto siciliano),
inciaram pelas ruas da cidade as procissões e festas, neste sacro dia a viúva procurou o capo
do clã palermitano, que mediante as tradições da Cosa Nostra Siciliana, não poderia recusar
o pedido de ajuda de uma viúva no dia de Sant Rusulìa.
A mulher contou tudo que havia se passado, comovendo de forma surpreendente o chefe da
maior família de Palermo, que prometera que antes que o dia de Santa Rosalia acabasse, o
grande fazendeiro estaria morto.
O poderoso fazendeiro era um dos homens mais ricos da Sicília, mesmo não sendo
pertencente ao submundo, possuía quase uma centena de homens armados em sua
propriedade prontos para o defender.
O capo enviou todos os seus homens, do sul ao norte de Palermo, para a propriedade do
fazendeiro na região rural.
Semanas depois, a polícia italiana encontrou no galpão de fermentação de vinho da fazenda,
dentro dos barris de madeira, diversos corpos já em decomposição, entre eles o do poderoso
latifundiário, mas o que mais chamou a atenção da polícia foi o fato de que em todos os
corpos haviam pedaços de cabo de madeira transpassados em suas mandíbulas e latas vazias
de salsicha enfiadas em seus traseiros.
Um ano depois, a Itália entrou em guerra e as investigações sobre o massacre foram
arquivadas definitivamente...

29
Ascolta bene, si?

Um homem que vem a sua presença falar mal de outro homem, com toda certeza neste
mundo, falará mal de você para outro ouvinte. A mesma analogia, friamente e de modo
racional, pode e deve ser levada em conta, quando o quesito é LEALDADE.

A honra não tem tamanho, ela é a mesma, nas coisas pequenas e nos atos grandes, a desonra
também. O homem que não valoriza suas palavras e seuscompromissos, jamais o dê o mérito
da sua confiança. Se ele mente para os amigos, por quê contigo seria diferente? Se ele quebra
pequenas promessas, por quê quitaria uma grande? Non fa nulla! Da mesma forma, amico
mio, todo aquele que é infiel a própria mulher, a própria família, por ele constituída, perchè
seria fiel a você? Talvez este homem, davvero bucaiolo, seja quem estará lendo este texto e
pensando "Ma che dici?!"

Farabutto.. Não é questão de puritanismo, não é questão de falsa moral, mas sim, de honra e
lealdade. Dois pilares de toda filosofia da Sant'organizzazione siciliana.

Como acreditar em um homem dissimulado, que todas as noites se deita, beija a sua mulher,
mãe de seus filhos, e no amanhecer lhe dá Buon Giorno, enquanto seu pensamento está no
leito de outra cama estranha? Então dizem, mas o que uma coisa tem a ver com outra?
Continua-se fiel e amando a esposa, o que acontece é que a carne é fraca e é apenas por
diversão, talvez até melhore o casamento um pouco da quebra da rotina, uma mulher por
muitos anos acaba nos enjoando. Dai, Basta! Ma che vuoi? Para a desonra, para o fracasso,
existem milhões de desculpas, e a carne é a mesma.

Quem não resiste ao desejo de se deitar com uma mulher


estranha, não resiste da mesma forma, ao abocanhar a sua parte do dinheiro, não resiste da
mesma forma ao te derrubar em sua empreitada, não resiste a roubar o seu lugar, o seu posto,
não resiste a passar informações suas a policia ou ao inimigo por uma boa quantia de
dinheiro, não resistirá a carne na primeira oportunidade de te trair, apertar a sua mão, e com a
mesma coragem de quem diz ''a carne é fraca'' para a esposa, dirá para você: ''Não é nada
pessoal, são apenas negócios...''

30
Buona festa del papà, auguri!

O maior legado de um homem é viver a sua vida de um modo que nunca envergonhe seu
pai...

''[...] Aos 11 anos de idade, no final de noite com minha caixa de engraxar sapatos, eu
costumava sentar na frente de uma casa de shows no East Harlem, acendia meu cigarro e
ficava a espera de um algum cliente para ganhar uns poucos trocados.
Observava o movimento; judeus e magnatas ricos entrando e saindo, prostitutas se
oferecendo ao primeiro italiano que as comprassem.
Em uma dessas noites, já havia acumulado uns 6 ou 7 dólares engraxando sapatos, guardei
meus objetos na caixa e levantei para ir embora. Ao dar alguns passos, senti apenas uma
forte dor na nuca e perdi as forças nas pernas. Dois garotos mestiços e um irlandês haviam
me acertado com um pedaço de madeira pelas costas em uma covarde emboscada.
O irlandês, um pouco mais velho que os outros dois, se aproximou e enfiou a mão nos meus
bolsos retirando as poucas moedas que trazia comigo, enquanto os outros me seguravam.
Bem, eu me lembro apenas que nesta noite levei uma grande surra daqueles garotos. Voltei
para casa com minha caixa quebrada e escoriações por todo o corpo, entrei cabisbaixo e
minha mãe correu para saber o que tinha acontecido.
O aluguel venceria naquela semana e tínhamos que pagar as contas do gás e da eletricidade,
aquele dinheiro serviria para inteirar as economias.
Minha mãe fez alguns curativos e lavou um corte profundo, que se abriu no meu olho
esquerdo, com sal e limão. Meu pai me chamou para o quarto, eu tinha plena certeza que ele
me bateria por não voltar para casa com o dinheiro, mas para minha surpresa tudo ocorreu
diferente do que eu pensava;
Ele retirou de um criado mudo, três dólares e colocou na minha mão. Disse que no outro dia
sem tardar, eu deveria ir ao Mower Shop's comprar um navalha para me defender e que se
apanhasse na rua outra vez, nunca mais deveria voltar para casa, ''um Calabrês sempre
revida'', completará.
Eu fiz como me ordenou, comprei uma navalha mariposa e depois de consertar minha caixa,
voltei para as ruas do East Harlem.
Naquela noite os três garotos não apareceram, três ou quatro dias depois, havia acabado de
lustrar o sapato de um segurança da casa de show quando avistei os três do outro lado da rua.
Levantei-me apressado, peguei minha navalha e a coloquei entre um lenço, a pus no bolso de
trás da calça de casimira enquanto com a outra mão segurava a caixa de madeira.
Quando me aproximei, o irlandês deu um passo a frente, escarrou e cuspiu sobre meus pés.
Disse que eu tinha duas escolhas; entregar o dinheiro ou apanhar novamente.
Realmente, pensava comigo; eu possuía apenas duas opções, fraquejar e nunca mais ter o
respeito do meu pai ou me tornar um homem de verdade.
Antes que o irlandês terminasse de falar, saquei minha lâmina e saltei sobre ele, o atingi duas
vezes no abdome e uma no ombro, enquanto os mestiços roubavam minha caixa.
Eu me levantei do chão com as mãos sujas de sangue, e mesmo com os ouvidos trépidos
pelos gritos do garoto, corri atrás dos outros dois. Não pude alcançá-los, olhei para trás e
havia uma multidão envolta do garoto caído, entrei em um beco e fugi sem ser visto ou
perseguido por algum policial ou transeunte.
Novamente cheguei em casa sem o dinheiro daquela noite, meu pai me perguntou quanto
havia ganhado. Eu me aproximei, pedi a sua bênção e coloquei sobre seu colo a navalha suja
de sangue. Respondi que eu havia ganhado a honra de um homem''

(Trecho de um depoimento de Frank Costello a um produtor de cinema de Hollywood.


Costello também conhecido como ''Primeiro Ministro da Cosa Nostra Americana'', apelido
descrito pelo New York Times.)

31
Ascolta amico mio, si?

Saiba que todos aqueles que são bem-sucedidos têm uma coisa em comum: a capacidade de
controlar o medo, de saber ponderar riscos, de tomar decisões e de nunca esperarem que os
outros lhe deem uma oportunidade, pelo contrário, eles criam a sua própria.
''A ‘ccu nun tratta, mali nun trattari... lassalu a iddu stissu giudicari''

32
Ascolta amico, ma ascolta bene, si?

Eis o homem falso, e com ele princípios que deve aprender e atar ao coração, o primeiro
deve ser seguido e o segundo jamais feito;
O mentiroso, por experiência própria, jamais acredita em tudo que ouve, entretanto fala tudo
que nunca vivenciou...

33
Infatti;

A Cosa Nostra Americana revolucionou-se e teve um enorme auge durante os anos 60 e 70


na América, isto perchè inúmeros membros e associados entre 18 e 25 anos, presos por
diversos crimes como extorsão, assassinato, associação á máfia, corrupção e conspiração
política, receberam um indulto de liberdade caso se alistassem no exército para combaterem
no Vietnã. (Assim como foi feito na segunda guerra mundial.)
Uma ordem da alta cúpula da Cosa Nostra permitiu que estes jovens, na flor da idade e
sentenciados a dezenas de anos de reclusão, tivessem uma chance de se reerguerem.

Para quem não tinha nada a perder, era como diziam; Tutto o niente!

Estima-se que entre 1955 e 30 de abril de 1975, mais de mil e duzentos membros da Cosa
Nostra Americana haviam sido enviados para combate no Vietnã. Desse número, oitocentos
voltaram para a América, o resto, não se sabem se morreram em combate ou se fugiram para
outro país.

Os combatentes retornaram da guerra completamente mudados, com uma outra visão de


mundo, estes jovens logo entraram na linha de frente, não de uma guerra de interesses ou
ideologias como foi no Vietnã, mas uma guerra de negócios no sub-mundo.
O que era invadir um restaurante e disparar contra cinco homens, de uma família rival,
almoçando calmamente, para quem havia cruzado um campo minado no seio do território
dos vietcongues?
O que era cumprir uma simples ordem do capo para espancamento de um comerciante que
recusava pagar o pizzo, para quem cumpria ordens de um sargento ordenando-o a matar uma
família vietnamita inteira?

Nesse período de final e de pós guerra, a Cosa Nostra Americana tomou proporções
enormes, sendo tão temida quanto nos anos de ouro da lei seca.
O F.B.I entrou em colapso nervoso, as autoridades e políticos não sabiam o que fazer, existia
nas ruas de New York, New Jersey, Califórnia, Filadélfia, Chicago e Boston, uma máfia que
implacavelmente vinha assassinando seus rivais com técnicas de guerrilha sem deixar rastros
e com uma influência política jamais vista.

Diante de tamanho poder criminal, o Governo dos Estados Unidos da América do Norte,
criaram ás pressas um dos principais instrumentos para o combate ao crime organizado da
Cosa Nostra, a lei R.I.C.O ou a Lei de Combate a Organizações Corruptas e Influenciadas
pelo Crime Organizado (no inglês, Racketeer Influenced and Corrupt Organizations - RICO -
Act). Esta lei entrou em vigor com a finalidade específica de ajudar no combate à máfia.

A lei conseguia isso ao permitir que os promotores de justiça perseguissem organizações


inteiras. O "racketeering" (algo como empresa criminosa, é o delito criado pela lei com base
no termo que descreve os esquemas mafiosos, os "rackets") é a prática de se obter recursos
financeiros através da participação em qualquer empreendimento que siga um padrão
correspondente a uma atividade de enriquecimento ilícito.

Enviar membros da Cosa Nostra para uma guerra, com o intuito de economizar verbas no
sistema carcerário, reforçar os pelotões americanos no Vietnã e deixá-los que morressem em
campo, foi um belo tiro que saiu pela culatra do governo Norte Americano...

Cent'anni!

(Buonanima aos membros da sacra Cosa Nostra mortos em combate por um Estado que
sempre os renegaram, buongiorno Vietnam)

34
Ascolta bene, si?

Quantas vezes você parou para pensar no valor, não o preço, que há nas pessoas trabalham
para você ou ao seu lado?
Àquelas que estão no seu dia-a-dia e estão sempre prontas a lhe apoiar?

Talvez você não consiga tangibilizar o valor que elas tem para você e o seu trabalho, porque
às vezes são apoios tão pequenos e frequentes que se tornam até naturais, como se fosse
parte da responsabilidade, mas na verdade não são.

O companheirismo é isso. Você saber que pode contar com a outra pessoa e ela com você.
Sempre. Como se fosse natural e sem ser forçado, ou simplesmente pelo dinheiro ou por
medo.

Somente quando as pessoas se conhecem e se respeitam, é que elas sabem valorizar os


pequenos gestos que demonstram que ser companheiro é fazer parte do dia-a-dia e o que
final o resultado é para todos, que o companheirismo é um dos ramos da Lealdade que é um
galho da Honra...

Se você escolher ver mais as pessoas que lhe cercam, certamente vai identificar os
verdadeiros companheiros em muitos que você nem imagina que sejam.

E como é importante saber com quem você pode realmente contar e também deixar os outros
saber que eles podem contar de verdade com você. Se um dos seus cair, traga-o de volta. Se
ele não tiver como andar, vocês ficam e lutam juntos. Faça tudo o que puder, só não deixe
um companheiro para trás... Como dizem na Sicília; ''Lu rispettu è misuratu, cu lu porta l'avi
purtatu.''

No mundo dos negócios, se você não estiver “jogando junto” não funciona. Precisa exercitar
o companheirismo com as pessoas com quem você convive porque é pelo seu exemplo que
os outros vão entender o quanto é importante ser companheiro capisce?!

Onore, vendetta e fideltà.

35
Ascolta amico, ma ascolta bene si?

''Avere fegato''...
Enquanto você for jovem; Instrua-se observando o mundo real, aprendendo o que ele é e
como as pessoas que nele habitam agem e reagem.
Aprenda a observar a maldade e a bondade humana, aprenda a assimilar os traços e ações das
personalidades, se aprender como o jogo funciona, memorizar suas regras, com toda certeza
vai aprender a jogar perfeitamente e conseguinte, a trapacear com êxito.
Lembre-se sempre de manter seus olhos abertos e a boca fechada, modele-se, adquira as
ferramentas, elimine o máximo possível daqueles traços de personalidade que irão atrasar
seus planos. Se algum defeito ou atitude comum em si for prejudicial, aprenda a cortar o mal
pela raiz a todo custo. Isso exigirá muito esforço no início, mais tarde, nem tanto...
Talvez até agora, você acredite nas mentiras do Estado sobre o que é ilegal será sempre
errado e o que é legal será certo. Quanto maior uma empresa, quanto mais poderosa uma
Companhia mercantil, mais arbitrária, fraudulenta, fútil, malévola e completamente idiota
será, e seus donos apenas não estão atrás das grades, perchè o Estado julga legal suas
atitudes...Desde que renda gordos impostos...
Na realidade, a maioria dos grandes executivos, grandes "Chief executive officer" fazem
tradicionais capi da Cosa Nostra parecerem seguidores da Madre Teresa.
Nos negócios da Organização, você sabe os riscos, é tudo transparente, mas quando se trata
das corporações de capitalismo branco, elas não lhe dizem nada além de mentiras, e se por
acaso, contam a verdade, foi apenas por acidente.
O máximo que você pode fazer até deixar de ser jogador e passar a ser o dono do Cassino, é
tolerar esse ambiente moribundo e prostituído das grandes empresas e esperar, como um
lobo, a sua melhor oportunidade..

36
Infatti, o capitalismo é o sistema mais excludente que o ser humano já criou, pois exclui; o
fraco, o idiota, o utópico, o ingênuo, o preguiçoso, o vitimista, o imbecil, o burro, o
desprovido de perspectivas, o politicamente correto e toda corja que prefere culpar o sucesso
alheio do que reconhecer as suas próprias escolhas da qual resulta seu fracasso.
O capitalismo permite apenas a inclusão de uma pessoa: o homem implacável, que está
disposto a vencer. Por isto ele é demonizado por tantos...
37
Ascolta;

Acredita mesmo que tem algum potencial? Sicuro?


Você diz, com convicção, que tem tudo para vencer, mas a questão é: Quem é você e o que
tem a oferecer? Conhece as pessoas realmente importantes? Ou melhor, as pessoas
importantes lhe conhecem?
Si, aquelas que estão onde você queria estar, são estas que poderiam ser contactadas,
compradas, manipuladas.
É uma troca, amico mio, usa-se e é usado, favores são feitos e logo cobrados. Mas e a moeda
de troca? Qual você tem? Euro, dólar, contatos, conhecimento, popularidade, talento? Se
você não tem nada, não é nada, em lugar nenhum. Vanffanculo!? É só mais um, não faz
diferença, não passa de um prepotente culattone.
Política? Sabe o que é ou pensa que sabe? Ouviu sobre isto, aquilo, andou para a ''direita'',
andou para a ''esquerda'', mas não percebe que está correndo em círculos. Girando, girando,
como um rato engaiolado, recebendo algumas sementes, alguns trocados, quem é que se
importa?
Políticos não são aqueles imbecis e gananciosos que foram eleitos, destes que pedem votos
na televisão. Os verdadeiros políticos são tubarões, injetam milhões em suas mãos direitas e
milhões em suas mãos esquerdas, depois da campanha, quando seus bonecos podem
finalmente fazer o casual teatro de marionete, allora sí, o peixe grande mostra os dentes, e
abocanha bilhões.
Todos gostariam de ouvir: ''vocês são vencedores!'', davvero a maioria não passa de um
richhione ingênuo que sonha ser alguém na vida. Despreparado, fraco, com poucas
perspectivas e sem nenhuma inteligência, e mesmo assim quer ouvir ''você consegue?''. O
sucesso não é um bom pai, que a todos trata por igual, pelo contrário, é uma cidade forte que
poucos conseguem sitiar.
O mundo real é um jogo arriscado, as apostas são altas, a banca não quebra, nunca, não para,
jamais. Na manga, quem tem um Ás é Rei, faz a lei, quebra as regras. E quanto ao medíocre?
Non fa nulla!
E quem é você neste jogo? Jogador, apostador ou espectador? Ou então, tem aquela velha
opção, ser o imbecil lá no fundo, servindo as mesas, recebendo gorjetas daquele que
aprendeu como tudo funciona... Davvero, o bom blefe é uma ótima mão.

38
Ascolta, amico mio;

Bene, se os pagadores de impostos tivessem pistolas,


fuzis, teasers, veículos blindados e um exército
enquanto o Estado não possuísse nada disto, as pessoas
continuariam pagando impostos? Infatti, não.
De forma alguma é uma coincidência que o lado que detém o poder bélico seja o mesmo que
exige dinheiro, e não é uma ironia que parte deste dinheiro seja revertido em poder bélico...
il pizzo nada mais é, do que o reflexo de um continuo descaso do governo italiano quanto ao
Sul, a sonegação de impostos e a lavagem de dinheiro contra o Ministero delle Finanze
nunca foi um crime contra a população, ma si, um ato de resistência contra um leão estatal a
espreita de quem possa devorar.

Cent'anni.

39
Ascolta bene;

Davvero, antes de terminar a adolescência, Alexandre ''O Grande'' Magno já havia dominado
o velho mundo.
Quando jovem, Gaius Julius Caesar tomado pela vergonha, derramou lágrimas como um
menino perante a estátua de Alexandre, perchè com menos da sua idade, Magno já havia
conquistado em poucas décadas o que Roma demorara séculos para conseguir...
Oggi, você passa a maior parte do tempo sentado e de braços cruzados. Sua mediocridade
não o permite conquistar 300m², não sente a mínima vergonha disto, pelo contrário, culpa o
mundo pelo seu próprio fracasso.
Nos velhos tempos, 1920 a 40, antes dos psicólogos e psicanalistas, muletas da sociedade,
começarem a fazerem seus marcos cronológicos di cazzo, quanto a adolescência, e enchê-la
de frescuras e desculpas, as crianças de antigamente logo cedo já adquiriam experiência e
senso de vida precocemente, como a velha expressão; "la vita far vedere i sorci verdi"
Jovens italianos de 10, 11, 12 anos já tinham obrigações das quais, você da sociedade
moderna, não terá nem quando fizerem seus trinta anos.
Se hoje em dia, muitos se maravilham com uma criança habilmente manuseando em um
Iphone, saiba que antigamente, garotos mais novos que eles, manejavam três ou quatro
maquinas de tecelagem ao mesmo tempo, trabalhavam horas em minas de carvão, isto nos
negócios legais, quando atingiam 16 anos em média, jogavam fora suas marretas e martelos
e trocavam por um terno de seda ao serem acolhidos pelos grandes Capi sicilianos na velha
ilha ou de suas comunidades na América. Passaram suas infâncias aprendendo a dura lição
do que é o verdadeiro capitalismo selvagem, e esses garotos, ao atingirem a vida adulta, sem
magoa ou rancor, cobraram do Estado tudo aquilo que acreditavam merecer.
São estes homens, de 11 ou 12 anos, que quando completaram sua idade avançada eram
considerados os maiores inimigos públicos da América ao contrabandearem álcool na lei
seca. Quem imaginaria, engraxates se tornando donos de cassinos, pequenos mineradores
abrindo grandes bordeis em Las Vegas, notas e mais notas de dólares sendo contadas nas
mãos calejadas de quem um dia quase perdeu um braço numa tecelagem.
O Capitalismo é como um antigo bárbaro, que atira seus filhos nas florestas, para que
aprendam sozinhos a caçar, a lutar e a sobreviver e o resultado disso, é uma geração de
homens fortes, completamente diferente do que vemos hoje.

40
Ecclesiaste 7:2

E’ meglio andare in una casa di duolo, che andare in una casa di convito; poiché là è la fine
d’ogni uomo, e colui che vive vi porrà mente...

Neste dia, em 1979, Carmim ''the cigar'' Galante foi assassinado em um público no
restaurante italo-americano Joe e Mary. Como em uma ironia do destino, ''The cigar'' morreu
com um charuto pendurado entre seus dentes.

__________________________

On this day in 1979, Carmine Galante was murdered in a very public assassination at the Joe
& Mary Italian-American Restaurant. He was shot on the outdoor patio as he smoked one of
his trademark cigars.
___________________________
Cent'anni e Buonanima Joe...

41
A buon intenditor, poche parole...

Não faz muito tempo que visitava rotineiramente um rude e tradicional bar palermitano,
daqueles de decoração simples e frequentados por uma clientela fiel de senhores de idade.
Gostava sempre de comer alguns arancini caseiros. Logo na entrada do bar havia um quadro
de madeira rústico, escrito à mão em cor preta, com a seguinte frase: “Nel Passato, gli
uomini possedevano solo un rasoio in tasca e una scatola di Lilo''.
O que em bom português significa “Antigamente os homens possuíam em seus bolsos
apenas uma navalha e uma caixa de cigarros”.
Duas ou três vezes que entrei no bar e li aquela frase, não pude entender o seu real
significado, perguntei ao balconista o que ele queria dizer com tal. Ele respondeu que era o
antigo dono do bar, o seu grande e respeitoso avô, una pasta d'uomo, que teria talhado e
escrito aquele quadro dois anos atrás, antes de falecer.
O balconista também não entendia o que seu avô teimou em dizer com aquela frase, mas,
mantinha o quadro pendurado na parede como um enfeite e uma sentimental lembrança.
Foram precisos mais dois dias naquela semana para finalmente entender o significado e a
sabedoria contida em apenas duas linhas daquele quadro.
O bar possuía um enorme balcão em forma de arco, com magras e esticadas cadeiras em
volta, era normal que os jovens fregueses, ao se sentarem, esvaziassem seus bolsos
colocando uma enorme tralha de objetos sob o balcão para se sentarem mais
confortavelmente.
Havia chaves de carro, celulares, carteiras, tablet’s, Ipods, óculos de sol, e uma enorme
variedade de bugigangas eletrônicas ou não, debruçadas sobre a madeira.
Afinal de contas, o que aquele vecchio, já falecido, conseguiu observar naquela nova geração
de fregueses?
A sabedoria de um velho e sua experiência de vida jamais devem ser subestimadas. No fare
lo struzzo!
Com um pouco de observação ele conseguiu em uma única frase expressar toda a futilidade
de uma nova geração. A navalha, muito usada quarenta ou cinquenta anos atrás, servia não
apenas para se barbear ou cortar tabaco de corda, mas também como objeto de defesa. Em
um bar, naquela época, poderia arrumar confusão apenas olhando de mau jeito para uma
mulher acompanhada, ainda mais se aquela mulher estivesse ao lado de um homem da
honorável sociedade, bene, fazia parte do cotidiano aquelas brigas naqueles locais, mas o que
um homem jamais deixava de fazer era se defender.
Chamar a polícia era o que não fariam, ainda mais pela omertà, já que o bar era frequentado
pelos homens feitos da velha guarda.
Hoje em dia, o que se via naqueles bolsos? O homem se tornou escravo e dependente da
tecnologia, jovens fracos e maricas, que nunca poderiam se defender sozinhos sem fazer uso
de um processo judicial ou simplesmente teclar o numero da policia em seus smartfones. A
navalha não representava uma arma, mas sim, uma simbologia de uma época.
A caixa de cigarros não foi abolida, mas o seu significado na frase representava outra cosa
em relação à juventude;
Outrora, os sicilianos costumavam fumar para espantar as moscas e mosquitos enquanto
lavravam a terra ou colhiam uvas ou azeitonas, tragava-se a fumaça e a expelia como um
repelente. Quantos daqueles culattone, tomando vinho, sabiam como produzi-lo? Alguns
poderiam morar dois metros de uma videira sem nunca ter colhido com as próprias mãos
uma única uva. In fine, a ultima lição que aquela frase passava; uma navalha e uma caixa de
cigarro, o que mais está faltando? O dinheiro!
Não se vai a um bar sem dinheiro, correto? Oggi no, antigamente sim. Não existia nestes
bares sicilianos placas sobre não se vender a prazo. Se um homem comprasse algo, ele pedia
para pagar assim que recebesse o dinheiro da colheita e assim o fazia, respeitava-se a palavra
dada e pagava-se corretamente sem o uso de um boleto cobrando em sua casa. O que era dita
possuía tamanho respeito, que era considerado como já feito.
Um homem sabia que não existia nada mais pesado do que uma promessa e que deveria
honra suas dívidas, a não ser que quisesse ser encontrado na beira de uma das ruas de pedra
com a cabeça mergulhada em salmoura.
Em cima do balcão, máquinas e mais máquinas de cartão de crédito, onde jovens cada vez
mais cedo se afundam em dívidas, serão usurados pelos bancos mais do que com qualquer
agiota por aqui.
Quem acreditaria na palavra de um deles caso quisesse comprar uma dose de uísque e
prometesse pagar depois?
Davvero, posso não ter conhecido aquele antigo dono do bar, mas por aquela frase escrita e
eternizada naquela parede, tenho certeza que mais do que um comerciante, ele foi um
homem que morreu sábio...

42
Erros financeiros que um Pazzo comete:

1- Investir de forma agressiva sem estar preparado

O “sem estar preparado” no título do tópico é um eufemismo, perché vaffanculo! Mesmo


estando muito preparado (ou pelo menos crer estar), o Pazzo comete os maiores erros, cosi di
stronzo, no mundo dos negócios, paralelos ou legais.
O investimento extremamente agressivo, com objetivos de curto prazo e de ganhos rápidos, è
una cosa suicida muitas vezes, e é exatamente onde a maioria dos homens tolos erram. Como
dizem os palermitanos ''Avere la pappa scodellata.''

A ganância cega e a idiotice efervescentes os fazem ver o mercado de renda variável não
como uma opção de investimento, mas como uma espécie de “cassino” que pode transformar
a vida de alguém instantaneamente. E é aí que o dinheiro vai embora… A ganância cega
sempre o fará acordar com fome de dinheiro e dormir de barriga vazia.

2- Ignorar despesas do dia a dia

Não é um erro apenas do Pazzo, mas como a autoconfiança excessiva é mais aflorada nele,
tende-se a confiar ainda mais na memória e a desdenhar de ferramentas e práticas de controle
financeiro. Questo figlio di puttana, compra la gatta nel sacco.

O Pazzo gasta, gasta… e gasta, achando que as coisas vão se resolver sozinhas. Até que um
dia resolve olhar nos bolsos e ver que os registros que estão ali “não batem” com os da sua
memória.

3-Contar com frutos de plantas ainda não germinadas...

Muito comum entre os homens assalariados e comissionados, que já “gastam por conta”,
contando com os bônus de final de ano (que poderão não vir) ou comissões de negócios que
ainda não aconteceram.
Novamente, é apenas mais uma manifestação da autoconfiança excessiva.

4- Gastos excessivos para impressionar outras pessoas

Adoram impressionar todo mundo: mulheres, namoradas, filhos, amigos, parentes, colegas
de trabalho… Davvero, nada agrava mais a pobreza de um homem do que viver como se rico
fosse, não o sendo.
O Pazzo é como o pavão, vive buscando a admiração falsa e ostentadora que é totalmente vã.
O homem de honra é como uma pedra preciosa, não precisa ficar a mostra, todos o procuram
para vê-lo.
Não é a toa que, nos EUA, em alguns contextos, se usa o termo peacocking (algo como
“pavonear”, em uma tradução livre) para descrever o comportamento exibicionista.

43
Ascolta; Qual a maneira de conseguir sempre a vitória?

Aquele que hesita entre opiniões diversas acaba não conseguindo niente. Somente a decisão
corajosa traz a vitória! Se hesitar em tomar uma atitude, outro não hesitará em roubar sua
oportunidade. Legge della giungla non fallisce...
Não encontra um momento propricio? Vaffanculo, figlio di puttana, uma pessoa decidida
sempre cria a ocasião certa através da sua própria decisão. Este homem não espera que a
oportunidade venha, nem se torna escravo dela: ele cria a oportunidade.Todas as coisas se
prostram, dando passagem à sua decisão.
Aquele que é indeciso sempre será influenciado pelas opiniões divergentes, que vão
surgindo, e acaba abandonando a orientação da sabedoria que obtivera, como dizem os
Palermitanos: ''Avere un cervello di gallina''.
A sabedoria vem sempre na forma de primeira impressão, uma espécie de inspiração e não
através de discussões da multidão.

44
Ascolta, amico mio...

Bene, o mundo dos negócios é como o Boxe, mente aberta e guarda sempre fechada;
Quando o adversário investir, não recue. Mantenha-se com o olhar fixo, esquive, o canse e o
acerte tão forte, que não poderá mais levantar-se. Não adianta bater forte se não acertá-lo em
cheio.
Davvero, sempre que seu inimigo falar que você não conseguirá, deixe que fale um pouco
mais. Sempre que tentarem prejudicá-lo, esteja sempre a frente agindo primeiro, prevendo e
desviando de cada ação. Mantenha-se firme, não recue ou perca a perseverança, e quando o
sucesso for conquistado, revide com todas as forças, a tutti i costi...
O mundo dos negócios, legais ou paralelos, não foi feito para os fracos, inocentes e
moralistas utópicos. Dinheiro não nasce em árvores, para ganhá-lo, naturalmente alguém terá
de perdê-lo, seja de forma espontânea, por engodo ou de forma mais brusca.
A partir do momento que você fizer parte da selva capitalista, a única característica que lhe
diferenciará de um predador do reino animal será a troca da carne crua pelas cédulas.
Ampliare i propri orizzonti!

Cent'anni.

45
Ascolta questo, ma ascolta bene, si?

Em um mundo onde a maioria das pessoas vive reclamando pela falta de oportunidade, que
tal construir as suas próprias oportunidades? Será que não está na hora de acreditar mais,
bem mais em você e esperar menos, bem menos dos outros?
Se acredita ser dotado de inteligência, capacidade, talento e sabedoria, allora dimmi: —
Onde estão sendo instalados, empregados e aplicados o talento, a inteligência, a capacidade,
e a sabedoria que acredita possuir?
Não fique apenas esperando a oportunidade, vá ao encontro dela; não fique apenas esperando
que alguém venha bater na sua porta, vá à luta e bata nas portas das oportunidades, pois elas
se abrem com insistência, com paciencia e como violência, perchè no? Pois elas se abrem
somente para quem disposto está a procurá-las.
Não fique esperando que alguém venha criar oportunidades, questo mondo não é o convento
da madre Teresa de calcutá, todos estão pouco se importando para você, me ne freggo...
Crie as suas oportunidades, basta não ser tão fraco, basta não ser tão conformado e
acomodado diante das situações adversas.

46
Bene...
Davvero, viver é arriscar sempre...

Em geral as pessoas morrem em torno de trinta e cinco anos e são sepultadas por volta dos
oitenta.
Exaure-se anos, para os outros perceberem que aquela pessoa está morta.
A vida é sempre uma incerteza. Somente o que é morto é certo, fixo, sólido .Tudo que está
vivo muda sempre e se movimenta, é fluido, flexível, capaz de se mover em qualquer
direção.
Quanto mais você se torna inflexível, mais está perdendo chances na vida.
Viver é arriscado. Morrer é que não tem nenhum risco.
O mundo capitalista, segue as regras de Las Vegas, não importa quão grande seja as suas
probabilidades de ganhar, a banca nunca quebra, nunca dorme, nunca para...
Assim é esta selva de pedra, os tubarões nunca morrem de fome, enquanto os peixes
pequenos, estão a própria mercê. Por isto, preocupe-se mais consigo, com a sua vida e com
seus planos para chegar ao topo, egoísmo? O que sentimentos tem a ver com negócios?
Quando foi que alguém que estava no topo segurou a sua mão e o deixou no mesmo
patamar?
Viver é sempre perigoso, io capito, mas viver significa conviver com o desconhecido,
conviver com tudo que se odeia.
Morrer, é muito, muito seguro. Que outro lugar teria mais segurança que em um túmulo?
Nenhum ''acidente'' pode acontecer a quem está morto.
O crescimento é sempre um jogo arriscado . À vezes a pessoa tem que perder aquilo que
conhece em troca de algo que ainda não teve em mãos. Na vida real não há segurança total.
Exceto a incerteza da morte.

E esta é a beleza da vida. É por isso que há tanta emoção. O sucesso só é alcançado por um
alto preço. O risco é o preço. Pague por isto!

Cent'anni!

47
Modernidade? Vanffanculo!

Alguns homens simplesmente nasceram diante de costumes e em épocas das quais suas
almas jamais irão se adaptar...

48
Ascolta amico mio, ma ascolta bene, si?

Davvero, questa hipocrisia tomou as redes sociais no mundo, principalmente na Itália e no


Brasil.
Seria uma imensa surpresa que a maioria que grita aos ventos apoio e respeito a união legal
homossexual na América do Norte tivesse o mesmo respeito para com seus pais e o mesmo
apoio para com seus filhos ou familiares.
Famiglia é a instituição mais importante, mas um pazzo prefere dar mais atenção a
abominação de um culattone lá fora do que ao que ocorre dentro de sua casa.

49
Davvero, jamais compre um inimigo por um preço que não pode pagar e nunca prejudique a
família de um homem, feridas profundas não são vingadas com cortes rasos.

50
Infatti, não há honra em ser temido pelos fracos, não há glória à destra daquele que é
admirado pelos humildes.

Senza dubbio, o mar turvo faz a fama do bom almirante, bem como, o árduo combate eleva a
reputação de um imperador.

Superar a si mesmo somente é a maior vitória do homem quando não existem mais
adversários ou concorrentes à altura, vitórias sintéticas são tão despiciendas quanto uma
humilhante derrota.

A honra aos olhos do infame é tão fajuta quanto estrume, mas no coração do justo, ela
excede o valor das pedras preciosas...
Non c'è altro di cui parlare

51
O que muitos chamam de pecado, para outros é simplesmente experiência.
Assim como é impossível caminhar com sapatos brancos em um lamaçal e não sujá-los, é
impraticável sobreviver no submundo sem remorsos.
A tampa de mármore que cobre o ataúde tem a carga de uma pluma, quando comparada ao
peso das iniquidades que um homem acumula desde o berço até o mausoléu.
Nem todo concreto quente e úmido, derramado de uma padiola para selar os sete palmos,
sufocam tanto quanto as lágrimas que uma mãe derrama ao lado da viúva. Nem toda água
cristalina dos céus rompem com tamanha força quanto o pranto de um pai ao ver seus filhos
esqueléticos.
A morte de um bom homem é como uma comédia de Aristófanes, que alegra o coração dos
escusos inimigos, engrandece os bolsos de um herdeiro e alarga o estomago dos helmintos e
outras verminosas, que esperam impacientes pela carne putrefata. "A tempu ri dilùviu, tuttu
nata''
No fim de cada partida, tanto o rei quanto o peão voltam para a mesma caixa, mas a vitória, a
derrota ou a resignação, para quem são atribuídas?
Infatti, duas coisas atormentam um homem: a dor e a morte.
Os covardes, fracos e infames morrem várias e várias vezes antes da sua própria morte, mas
o homem de honra, este sim, experimenta a morte apenas uma vez, e ainda lhe diz com um
sorriso no rosto: Benvenuta! Puttana...
E quanto a dor? Bene, a dor é a sensação sentida quando a fraqueza está deixando o corpo e a
mente, quando não compreendida, é capaz de dilacerar o homem, todavia, uma vez aceita a
sua finalidade, ela o aperfeiçoa.
Infatti, nem os três tomos de Dante Alighieri descrevem o verdadeiro inferno das ruas, mas o
fogo que consome a palha é o mesmo que purifica o ouro, e como diziam: mares calmos não
fazem um bom marinheiro...

Voi non avete capito, o per meglio, dire non volete capire cosa significa? Adesso non vi resta
che essere giudiziosi!

52
Davvero, a habilidade che infatti é capaz de produzir o que chamamos de “remuneração de
mercado”, riqueza em outras palavras menos rebuscadas, não se trata do mérito, da equidade
ou do empenho exaustivo.
A habilidade de acumular soldi está acondicionada exclusivamente na “criação de valor”.
Valore questo, que um homem acrescenta à vida dos outros, na sua ou em outra sociedade.
Vaffanculo se é por esforço, esperteza, acaso, aptidão, espólio! Quanto mais imprescindível e
único o produto/serviço for à sociedade, mais ela estará disposta a pagar.
No capisce? Farabutto...
Imagine quantos padeiros e confeiteiros existem em Palermo? Produzindo os mais variados
Cannoli e atendendo as variáveis demandas, sovando e assando pães, com métodos obsoletos
de culinária, desde o “buongiorno” até o anoitecer.
Allora, imagine que um, entre estes pequenos empresários, desenvolva engenhosamente uma
máquina, adjunta de um método próprio, capaz de produzir centenas de cannoli por turno,
melhorando o sabor, a qualidade e reduzindo os custos. Presto, este empreendimento tornara-
se uma enorme rede de franquias na Sicília, exportando para a América, criando e
melhorando seus produtos únicos ligados á marca gastronômica...
Então outro pequeno padeiro, como tutto culattone inclinado ao socialismo, dirá: -Esforço-
me tanto, dia após dia, perchè este paesano foi capaz de enriquecer mais do que eu? Isto não
é justo...
O socialismo sempre atacou três instituições sociais básicas: religião, família e propriedade
privada.
Religião, porque demanda uma autoridade rival ao estado; família, porque representa uma
lealdade que não é ao estado; e propriedade privada, porque significa independência material
do estado.

53
Ascolta amico, ma ascolta bene, si?

Alexandre ''O Grande'' Magno antes de terminar a adolescência, já havia subjugado o velho
mundo...

Quando jovem, Caio Julius Caesar debruçou-se e chorou de tamanha vergonha perante a
estátua de Aléxandros, perchè, com a mesma idade, o Baliseu da Macedônica já havia
conquistado o que Roma demorara séculos para adquirir.

Allora, oggi, como boa parte de sua geração de italodescendentes, daqueles que seus joelhos
não suportariam alguns minutos em uma batalha campal, que nossos ancestrais, sob o crivo
da espada, foram moldados. Culattoni, dos quais seus ombros definhariam com o mesmo
peso dos sacos transpassados que seus bisavôs carregaram nas costas, como estivadores de
caís nas décadas da grande imigração.

Você mergulha sua vida em um sofá, e sentado, ergue a taça da opulência transbordada com
pobreza, enquanto brinda consigo mesmo e com a mediocridade numa lamuria festiva.

Observa o tempo passar entre os dedos, sem ao menos conseguir conquistar 300m² de terra e
concreto em uma cidade, infatti, não se envergonha disto, pelo contrário, culpa algo ou
alguém pelo seu próprio fracasso...

Ma Vaffanculo...

(A ‘ccu nun tratta, mali nun trattari... lassalu a iddu stissu giudicari)

54
Se você treina como uma moça, vai boxear como uma moça."

55
Davvero, quanto não ganha em tranquilidade quem não se preocupa com o que o outro diz,
faz ou pensa, mas apenas com os seus próprios atos.
Atente-se a tudo ao seu derredor, todavia, jamais esteja interessado por algo que não lhe diz
respeito.

56
Politicagem...

Política ou politicagem acontece a todo momento e em todos os lugares, são sempre sórdidos
interesses pessoais travestidos de ideologias comuns.

Nos negócios legais, nos que a maioria dos leitores trabalham, a politicagem se dá entre
momentos sociais, nos cafezinhos perto do bebedouro, nas festas da empresa, nas conversas
de bares após o expediente. As conversas, as manipulações e os jogos de influência vem e
vão, e quando alguém abaixa a guarda, as coisas acontecem.

Há sempre no mínimo alguém, que se diz muito seu amigo, esperando o momento certo para
acabar contigo, quer você perceba ou não. Na necessidade de se defender, será preciso que
você o conheça bem, que faça as informações sobre ele fluírem por vias secretas e de forma
sútil. Então você faz por ele o que ele faria por você e isto antes que ele se mova.

Neste tempo, é vital que seja amigo e simpático com todos a sua volta, desde homens,
mulheres, empregados do alto até o mais baixo cargo, de todos os grupos da empresa, seja
simpatizante mas sem se unir a nenhum deles, não se pode fazer amizades duradouras, mas
deve ser sempre cordial com todos.

Então você diz: Ma che cazzo! O que este assunto tem a ver com Política, com partidos, com
sindicatos, com eleições? Molto fumo e poco arrosto!

Amico, a Política que rege os países, chamados democráticos, funcionam da mesma forma e
maneira, a diferença é que quanto mais alto sobe o macaco, mais ele expõe o seu traseiro
pelado. Geralmente, quanto mais alto em um cargo um político chega, mais mentiroso e
corrupto ele é, injustiça não? -Do seu ponto de vista sim, mas do nosso, o que a ''justiça'' dos
pezzonovanti tem a ver com negócios?

Não importa, o que te disseram, o que te ensinaram, o que seu senso comum o faz pensar, a
verdade é que, se quer ser bem sucedido, rico e poderoso, jamais deverá se envolver em
nenhuma batalha política sem antes se perguntar a si próprio: '' Que eu ganho com isso?'', e
ainda mais ''O que os partidários ganham com isso?'', muitas vezes, suas respostas não serão
satisfatórias.

Se um dia vencer na vida, se tornar rico, che Dio ti aiuti, você vai precisar associar com
outros amigos ricos, para unidos financiar algum deputado (independente de qual partido)
para facilitar ainda mais a sua foma de ganhar dinheiro, então, finalmente na prática, você
vai entender como realmente a política funciona.

Não seja ou se sinta responsável pelas ideologias partidárias, que tomam a si o encargo de
decidir o que você deve fazer da sua vida, eles declaram as guerras nas quais querem que
você participe e combata para proteger o que eles possuem, Comunismo, Socialismo,
Fascismo, Libertarismo, Anarquismo, Direta, Esquerda, Centro, seja o que for, somente lhe
trará benefícios se você estiver por trás do movimento, caso contrário, vai simplesmente ser
esmagado.
Nenhum Estado, realmente será laico, pois o dinheiro será sempre o seu deus Mamom.
A característica principal da anfitriã di cosche, é a tendência de confrontar, par a par, o
Estado e seus representantes, através de relações ocultas com seus organismos, entes e
expoentes eleitivos, seja por neutralização, por meio do suborno, corrupção ou violência, de
quem quer que seja que atravesse o caminho da malavita.

Não deixem que digam que precisa obedecer às leis que eles fazem para defender o seu
próprio interesse e para te prejudicar. E lembre-se sempre que para se tornar um grande
homem de negócios, para ser bem sucedido, é necessário somente uma atitude: Em todas as
circunstâncias procurar a melhor oportunidade para si próprio, não para os outros. Egoísmo?
Infelizmente só podemos viver nossas vidas por nós mesmos e sermos enterrados sem
companhia alguma.

Cent'anni.

57
"O Senhor firmará os pés do Centurião enquanto sua espada estiver erguida, mas abaterá as
articulações do Legionário que se esconde na batalha."

(Sob o crivo, Sacra Ordine di Malta)

58
'Un giorno della caccia, altro di il cacciatore'' (Um dia da caça outro do caçador?), o come si
parla in Sicilia; "Oggi a me, domani a te".

Vaffanculo!

No reino animal, quando observará uma zebra carregando um leão sob o crivo de suas
presas?

Infatti, no ''Kingdom Business'', termo utilizado pelos financistas de Wall Street, não adianta
manter a esperança no vitimismo e na acomodação, esperando que uma oportunidade caia do
céu.

Ou você se torna grande ou será esmagado.Não existe o dia dos fracos, pois os fortes nunca
deixam esse momento chegar...

Davvero, é mais fácil desejar que os poderosos sejam fracos como a ti mesmo, do que lutar
para ser tão poderoso quanto eles.
Per questo, o capitalismo, por muitos medíocres i cullatoni, é tão odiado.

A paz enferruja a espada e atrofia os punhos, mas a guerra reacende a brasa do respeito.

#cosaNostra

59
O dinheiro, o poder, o respeito, a reputação, o império, a honra, a lealdade e tudo que
conquistar, não passarão do seu leito de morte, mas seus pecados, estes sim, o acompanharão
por toda eternidade... Um dia, todos serão apenas uma foto na escrivaninha de alguém,
depois, nem isto.

''Lu rispettu è misuratu, cu lu porta l'avi purtatu'' - (Siciliano detto).

60
Ascolta, a vida interna de una famiglia in malavita, ou cosca, como dizem em Agrigento, se
regula por uma dúplice ordem de relações;
Bene, a primeira, chamada de giacca nera, manifesta-se na obrigação de fidelidade e lealdade
ao clã, e por seguinte, total dedicação, mesmo com o custo da vida em sacrifício do mútuo
interesse familiar.
Ao contrário, este vínculo, forte e conciso, não se encontra na esfera econômica da
organizzazzione, que se caracteriza pela mais ampla liberdade de iniciativa! Cada membro
administra, infatti, com plena autonomia, uma cota de atividades lícitas e/ou ilícitas, apenas
repassando, un pizzo, para o alto escalão.
O entrelaçamento desses dois aspectos, o momento coativo de um punho de ferro e o
pragmatismo da condução dos negócios, configuram outra característica peculiar da Cosa
Nostra, representando um de seus maiores ângulos de força nesta Ilha.
IL uomo d'onore, empresário do submundo, começou a investir, sempre com maior
frequência, parte dos recursos provindos de atividades subversivas, destas não reconhecidas
pelo Estado, em setores legais, produzindo e vendendo bens de consumo e serviços
consentidos pela lei e permutados por operadores formalmente autorizados.
Questa Cosa, a organizzazzione, não exercita as atividades legais como uma empresa
privada, mas as finaliza com a criação de redes de relações que aumentam a influência social
e política. Não é apenas a busca pelo lucro, mas também a obtenção de um maior grau de
poder.

Segui l'esempio!

61
Ascolta bene, amico mio;

''As lágrimas jamais trarão o que sangue e suor concedem.''

Davvero, boa parte dos Esteroides Anabolizantes e outros Ergogênicos, tanto os proibidos
quanto os liberados na Itália pelos órgãos estatais de saúde, que são vendidos pela metade do
preço, são contrabandeados do Leste Europeu, da América Latina e da China direto para a
Sicília, através da Cosa Nostra Siciliana.

Na Sicília, depois da Heroína, Cocaína e Narcóticos sintéticos, o mercado de cigarros


contrabandeados é um dos mais lucrativos e tradicionais explorados pela Cosa Nostra. Então
você diz: ''Ma che cazzo, isto tem a ver com Esteroides Anabolizantes?''
Aspetta, amico mio! Aspetta!
A Cosa Nostra possuí diversas conexões pelo mundo, e o cigarro contrabandeado para a
Sicília possuí duas vertentes; o canal do Paraguai e o da China.
A sacra organização siciliana atualmente, em sua terceira geração, está completamente
voltada ao capitalismo do sub-mundo, ou seja, mercados não dominados pelo governo ou por
multinacionais privadas são explorados pela Cosa Nostra, não importando o que seja. Os
atuais capi da nova geração, nasceram na era das informações, da internet, da tecnologia, por
isto, modernizaram a si mesmos e consequentemente os negócios.
Observando o exponencial crescimento do esporte Bodybuilding na Sicília (e o grande
consumo de fármacos hormonais) perchè no, explorar esse novo mercado?
Agora entenderá o que cigarros tem a ver com isto...
Aproveitando das conexões de cigarros na China e no Paraguai, os membros da organização
começaram a enviar nos mesmos contêineres de cigarros, pequenos lotes de anabolizantes
esteroides, que seriam vendidos na Sicília por um terço do valor dos mesmos fármacos
importados legalmente.

Atualmente, este mercado tomou projeções enormes, tanto que, separaram os envios e
criaram conexões próprias para esta demanda.
E se não bastasse, mais de meio milhar de ginásios de musculação na Sicília são de
propriedade de membros da Cosa Nostra, usadas para lavagem de dinheiro, já que é fácil
burlar o número verdadeiro de alunos com o real valor das mensalidades, além de
abastecerem seus clientes com seus próprios produtos...

Mercado á parte, é necessário ao homem a prática de exercícios físicos que melhorem seu
desempenho, fortaleça o seu corpo e engrandeça a sua masculinidade.

O uso de fármacos como anabolizantes esteroides não faz milagre, e muito menos pode-se
dar causa ao tamanho e densidade dos músculos de um individuo pelo uso dos mesmos e
fechar os olhos para a sua dedicação, estudo e tempo investidos no esporte que seu corpo
carrega.

Uma das características primordiais de um membro da Cosa Nostra, é a sua flexibilidade


entre o mundo das ruas, dos negócios e das ideias, o mesmo homem que é um gênio da
administração de um império é o mesmo que tem total respeito nas ruas, ele domina o
conhecimento teórico do capitalismo aplicado ao sub-mundo ao mesmo tempo que é forte o
suficiente para arrebentar a cara de um imbecil que atravesse o seu caminho.

No sub-mundo dos negócios ninguém respeita um tolo, e nas ruas, ninguém respeita o fraco.
Daí o pazzo, pela sua preguiça e fraqueza física e mental, diz que uma arma é superior a um
corpo imponente.
Vanffanculo!
A arma deve ser uma ferramenta de justiça para um homem, e não a extensão de sua
covardia, ao se esconder atrás dela e da falsa impressão de poder que ela trás...

Uma mente sã em um corpo são, lhe fará sentar a mesa com os negociadores mais
intelectualmente superiores de igual forma que lhe ensinará a se portar e defender-se nas ruas
ou onde quer que esteja.
Cent'anni.

62
Ascolta, ma ascolta bene, si?

O ódio deve ser para o homem, de igual modo, como o fogo é para uma locomotiva á vapor!
Ela transforma o fogo em sua propulsão para percorrer os mais longos e ingrimes caminhos,
entretanto a máquina não se queima com as labaredas.
O homem deve fazer com que o seu ódio interno, propiciado por todas as injustiças que
foram cometidas a si, como aos seus semelhantes, seja seu combustível rumo ao sucesso,
mas sem se deixar consumir pela flamula...

Davvero, o amor pode mudar um homem, mas apenas o ódio o transforma...

Voi non avete capito, o per meglio, dire non volete capire cosa significa? Adesso non vi resta
che essere giudiziosi!

63
Bene, l'organizzazione sacra di Cosa Nostra dispõe, com relação a quaisquer outras
''organizações sub empreendedoras'', de uma importância preponderante pela tradição no
tempo, sendo uma força e potência financeiramente criminal, dentro e fora de seus limites
territoriais.
É parte integrante de um conjunto de valores, poderes, comportamentos, hierarquia e
modalidade de ações costumeiras, cujo rol é descrito simplesmente por omertà.
O permanente objetivos de seus filhos e irmãos é o de acumular o maior poder possível
adquirindo subsidiariamente dinheiro, e não vice-versa. É exatamente isto o que a diferencia
de todas associações criminosas ou primitivas facções criminais ao redor do mundo.
A característica principal da anfitriã de cosche, é a tendência de confrontar, par a par, o
Estado e seus representantes, através de relações ocultas com seus organismos, entes e
expoentes eleitivos, seja por neutralização, por meio do suborno, corrupção ou violência, de
quem quer que seja que atravesse o caminho da malavita.

64
"O socialismo sempre atacou três instituições sociais básicas: religião, família e propriedade
privada.
Religião, porque demanda uma autoridade rival ao estado; família, porque representa uma
lealdade que não é ao estado; e propriedade privada, porque significa independência material
do estado." (Joseph Sobran).

"Os impostos não apenas nos empobrecem (nos tirando uma parte substancial do produto do
nosso esforço). Também nos tornam menos livres, já que são o mecanismo que o Estado
emprega para nos fazer consumir isto e não aquilo ou nos comportamos economicamente de
uma ou outra maneira. Tributando ou não a sua vontade, o Estado nos induz a agir como lhe
for conveniente. Assim, os impostos nos convertem em marionetes do ministro da
economia." (Ludwig von Mises).

''Não é preciso ser muito inteligente nem muito estudioso para se perceber que onde há mais
protecionismo, regulações, controles, impostos e licenças há maior pobreza.'' (Ramón
Sánchez)

65
"É meia-noite em uma loja de bebidas no Texas,
tempo de fechamento mais um dia é feito.
Quando um menino entra pela porta e aponta uma pistola,
Ele não consegue encontrar um emprego, mas Senhor, ele encontrou uma arma."

(Out Among the Stars - Johnny Cash)

66
nfatti, quantas vezes já ouviu: ''O Mercado sempre fará, através da mídia, você comprar
coisas que não precisa. Ele criará necessidades que não existem.'' ?
Cazzo...
Esta sentença di minchia, faz com que os burocratas pezzonovati criem suas agências
reguladoras e legislações paternalistas para inibir e combater o que chamam de práticas de
manipulação e engano comercial, como se tutti uomini fossem bambini, e os órgãos estatais,
gerenciados por homens comuns, fossem despidos de debilidade humana e cobertos de
santidade econômica!
Ma vaffanculo!
Se existe um ente intervencionista, molto efficace em ''fornecer'' coisas que as pessoas não
precisam e obrigá-las a fazerem coisas que não querem, este é o Estado.

Cent'anni.
67
Davvero, quanto não ganha em tranquilidade quem não se preocupa com o que o outro diz,
faz ou pensa, mas apenas com os seus próprios atos.
Atente-se a tudo ao seu derredor, todavia, jamais esteja interessado por algo que não lhe diz
respeito.

68
Ascolta bene, si?

No Boxe, lutar contra um adversário mais fraco, não te torna mais forte.
No Xadrez, jogar contra um enxadrista menos inteligente, não te torna mais perspicaz.
Davvero, o mesmo raciocínio se aplica às relações de amizade, aos relacionamentos
amorosos e aos negócios.
Associe-se sempre com os melhores que você e pague a diferença. [...]

69
Davvero, amico mio, a habilidade che infatti é capaz de produzir o que chamamos de
“remuneração de mercado”, riqueza em outras palavras menos rebuscadas, não se trata do
mérito, da equidade ou do empenho exaustivo.
A habilidade de acumular soldi está acondicionada exclusivamente na “criação de valor”.
Valore questo, que um homem acrescenta à vida dos outros, na sua ou em outra sociedade.
Vaffanculo se é por esforço, esperteza, acaso, aptidão, espólio! Quanto mais imprescindível e
único o produto/serviço for à sociedade, mais ela estará disposta a pagar.
No capisce? Farabutto...
Imagine quantos padeiros e confeiteiros existem em Palermo? Produzindo os mais variados
Cannoli e atendendo as variáveis demandas, sovando e assando pães, com métodos obsoletos
de culinária, desde o “buongiorno” até o anoitecer.
Allora, imagine que um, entre estes pequenos empresários, desenvolva engenhosamente uma
máquina, adjunta de um método próprio, capaz de produzir centenas de cannoli por turno,
melhorando o sabor, a qualidade e reduzindo os custos. Presto, este empreendimento tornara-
se uma enorme rede de franquias na Sicília, exportando para a América, criando e
melhorando seus produtos únicos ligados á marca gastronômica...
Então outro pequeno padeiro, como tutto culattone inclinado ao socialismo, dirá: -Esforço-
me tanto, dia após dia, perchè este paesano foi capaz de enriquecer mais do que eu? Isto não
é justo...

70
Infatti, o que é o Estado e seu aparato senão uma disputa de poder entre helmintos? Como
poderia um parasita ser a encarnação representativa de seu hospedeiro?
Eis a sua função: pilhar autoritariamente todos aqueles que não podem se proteger da
extorsão governamental amparada pelas leis.
Quando una organizzazione subversiva e autônoma (nascida no âmago da Sicília, capaz de
gerir a si mesma e seus agregados sob seus próprios códigos e influenciar as leis dos
pezzonovanti) levanta-se contra a usurpação estatal daqueles que clamam a si o direito de
controlar a vida, o dinheiro, a liberdade e a propriedade de um homem, tutelando-o como se
infantil fosse, é considerada uma ameaça e uma aberração criminal a ser combatida, por
rejeitar completamente o sistema governamental e legalista Italiano.
Com um véu branco e peito despido, invocando maior santidade do que Sant'Àjta (santa
Àgata) possuí na Catânia, o Estado Italiano espolia e controla toda Sicília.
Permitem que os bárbaros deste século, saiam de seus califados do outro lado do mar,
navegando em seus batéis, e como outrora Roma sucumbira, estes invadem a sacra ilha
arrebatados no colo por Rosario Crocetta e Sergio Mattarella.
A pele temperada pelo mediterrâneo, os olhos doces, os cabelos sedosos e compridos que
cobrem os voluptuosos seios da mulher siciliana, são maculados pelas mãos raivosas dos
bastardos de Abraão. Eles rasgam com suas unhas, la fregna de uma filha virgem do
camponês palermitano, como se fosse uma bagascia. Povera ragazza! cuidara de sua honra
fugindo dos mais assanhados napolitanos, para ser despojada por un farabutto.
Todavia, quando o clamor da população, órfã dos burocratas do norte, estrondece pelas ruas
de pedra da Sicília, os animais surrupiadores são encontrados deitados sobre uma videira
com suas viscéreas expostas. Então o Estado envia seus promotores, carabinieri e juízes que
juntos exclamam: "Quem são estes que vituperam a paz destes pobres coitados estrangeiros?
Onde estão os que matam estes abastados sociais em nome da justiça?'', então os bons
homens sussurram: ''Omertà!''.

Bendita seja a sacra organizzazione por não permitir que a ilha torne-se suja como a França,
por não abaixar a Trinacria rubro-amarela para hastear uma bandeira negra manchada com o
sangue siciliano...

"Todo e qualquer governo depende do consentimento das pessoas; tão logo o público retirar
seu consentimento, qualquer regime estará condenado." (Etienne de La Boétie)
''A lingua batti unni u renti roli'' (Detti siciliane)

71
Durante um confronto, ofereça ao seu inimigo a crença de que tudo não passa de um simples
jogo de dados, permita-o usufruir da sorte, deixe-o envolver-se nos braços do destino,
enquanto isto, jogue xadrez.
Engode-o cuidadosamente, ludibrie-o até que seja tarde demais para que perceba, que o
tempo todo, você estava jogando com duas rainhas...

Questa è la nostra cosa, questa è la:

72
Ascolta bene, si?

Acima de tudo, evite falar de si mesmo.


Não comente sobre planos financeiros, pessoais ou amorosos antes de serem concretamente
realizados ou durante a realização.
Boa parte, dos seus ouvintes, estarão sempre divididos entre os que desejam o seu fracasso e
os que contribuem para a sua derrota.
Um homem inteligente é geralmente modesto. Ele pode sentir que é intelectualmente
superior em sociedade, mas não procura fazer os outros se sentirem inferiores, nem mostrar
sua vantagem em relação a eles.
Ele discutirá com simplicidade os tópicos propostos pelos outros, e evitará aqueles que os
outros não consigam discutir. Tudo que ele diz é marcado pela polidez e deferência aos
sentimentos e opiniões dos outros.

Cent'anni.

73
Ascolta bene, si?

O homem de má perspicácia, que fecha os olhos e corre rumo ao prazer do leito de uma
prostituta social, tropeça em sua própria tolice.
Se for direcionado a um relacionamento atraído pela sensualidade de uma mulher, no final,
odiará a si mesmo.
Ho assistito sicilianos, acostumados a negociarem com ciganos e judeus mascalzoni, serem
engodados e ludibriados, como se crianças ingênuas fossem, por uma puttana...

A'casa senza'a fimmina 'mpuvirisci. (detto siciliane)

74
Graças à evolução da tecnologia, dos costumes, da informação e aos seus ganhos
econômicos, cada vez mais, as famílias da Cosa Nostra Siciliana são capazes de enviar seus
filhos e netos para universidades de prestígio em Milão, Roma, Londres, São Paulo,
Cambridge, Califórnia e em outros diversos lugares do mundo.
Esses membros, comumente chamados de "mãos limpas’’, falam várias línguas, tem
importantes títulos acadêmicos e quando retornam para a Sicília, passam a fazer parte ativa
da alta sociedade e da economia de suas cidades.

A força da Cosa Nostra Siciliana é reforçada quando os “mãos limpas’’ criam relações com
políticos, empresários, membros da Administração pública, com o objetivo do
desenvolvimento dos seus negócios, aparentemente lícitos, infiltrando-se ainda mais no
âmago do Estado.

As famílias tradicionais do interior da Sicília, em meio século, evoluíram dos pequenos


roubos de gado para os majestosos crimes contra o sistema financeiro.
Atualmente, o modus operandi da organizzazione, numa notória metamorfose, deixou de
enfatizar a violência física em suas ações para focar na agressividade econômica do mercado
italiano e internacional. Entretanto, não é possível alcançar um elevado patamar sem o
conhecimento intelectual necessário, per questo, os filhos de um clã, com visível potencial,
mas que não possuem a aptidão necessária para viver no habitat da malavita, são enviados
para fora da Sicília, de modo a terem a melhor educação possível, e assim, quando retornam
para o leito de suas casas, melhoraram o desenvolvimento dos negócios com suas funções
especificas.

A sacra organização retirou sua atuação visível das ruas, para fugir dos holofotes dos
carabinieri e da mídia, desta forma, investir na educação de seus membros foi a melhor
escolha do sindicato. Médicos, advogados, engenheiros, políticos, juízes, promotores,
administradores, contadores, banqueiros, economistas e membros com outras profissões de
prestigio são filhos legítimos da Cosa Nostra Siciliana, atuando como embaixadores do
submundo na sociedade.

Além disto, proteger e ajudar a população da cidade de seus clãs, onde o esquecimento do
Estado é evidente, são práticas seculares do modo de agir da Cosa Nostra Siciliana. Não
apenas aqueles que possuem vínculo sanguíneo com a alta cúpula são alvos dos
investimentos massivos. Jovens pobres, com características propícias para vencer na vida,
são recrutados, não para atuarem nas ruas como un picciotto, mas para fortalecerem os novos
tentáculos geopolíticos.

Seus estudos são financiados desde a escola primária até a formação universitária. Roupas,
livros, computadores, transporte, todas as necessidades supridas pela Organização.
Estes são mais fieis e competentes membros, por gratidão a toda ajuda que receberam.

Estes garotos tornam-se com maestria: os advogados que defendem com todo vigor o capo
de seu clã, de modo preventivo, com seus detalhados pareceres, auditando desde as pequenas
extorsões até as mais altas licitações públicas em que concorrem as empresas licitas da
organização, ou de modo reparatório, nas esferas penais ou administrativas; os engenheiros
que criam projetos eficientes e superfaturados para as construtoras da organização que atuam
no mercado de construção civil-pública na Sicília; os administradores que aumentam a
produção e exportação das empresas legais da Cosa Nostra e as tornam fábricas de dinheiro
limpo no comercio exterior; os economistas e banqueiros que atuam diretamente com os
investimentos nas bolsas de valores do bloco europeu, multiplicando exponencialmente o
dinheiro de seus clãs.
O pragmatismo da terceira geração da Cosa Nostra Siciliana encontra-se no postulado: “É
mais barato financiar os estudos de membros para que se tornem juízes, do que pagar
milhões em propina para cada decisão favorável a um clã, quando necessitarem.”

A Cosa Nostra Siciliana descobriu na prática, que investir na educação e na evolução


intelectual é o melhor caminho para a evolução da organização, algo que o Governo Estatal
da Itália se recusa a fazer para seus ditos cidadãos...

Bene, se tiver bom siso e discernimento, observará que é necessário aprender primeiro as
regras do jogo, para depois começar a trapacear...

"A casa capi quantu voli lu patrùni'' (Detti Siciliane)

75
STRAGE VIA D'AMELIO, 16:58, 19 di LUGLIO di 1992.

O dia que a Cosa Nostra Siciliana parou a Itália com o bem sucedido atentado com carro-
bomba, ceifando a vida do juiz Paolo Borsellino.

Na via D'Amelio, em Palermo, um Fiat 126, com 90 libras do explosivo Semtex-H


(explosivo plástico de fabricação militar tchecoslováquia, indetectável a aparelhos ou
animais farejadores até 2001) e detonador de longa distância, explodiu na frente da casa da
mãe do juiz Borsellino, assim que ele desembarcou junto com cinco agentes especiais do
governo para visitá-la.
As autoridades federais italianas e investigadores da Interpol acreditam que o todo aparato e
o planejamento do atentado tenham sido feitos e orquestrados por especialistas do grupo
terrorista irlandês I.R.A (Irish Republican Army) sob encomenda da Cosa Nostra Siciliana.
Tal suspeita, foi fundada diate do rastreamento de transações monetárias internacionais,
naquele mesmo ano, onde depósitos milionários de origem italiana foram feitos em contas
fantasmas nas Bahamas, ligadas aos membros do I.R.A.
Foram encontradas pela perícia pichações ao derredor dos edifícios adjacentes da explosão,
com os seguintes dizeres: ''Dio perdona, noi no.'', e ''benvenuto all'inferno''.

76
Luciano Leggio, capo di tutti capi di Cosa Nostra Siciliane, responsável pela sangrenta
campanha dos Corleoneses (apelidados de ''Contadini'') rumo á conquista da Sicília, desde o
interior até Palermo, que perdurou de 1962 a 1969.

As obras literárias “Guerra e Paz”, de L. Tolstói, e “Crítica da Razão Pura”, de Kant eram as
prediletas de L. Leggio, e, Influenciado pelo estudo filosófico/analítico e prática racional
aplicada nos negócios ilegais, criada por Frank Costello na América, todo ordenamento
estratégico aprendido nos livros, lidos assiduamente, eram empregados na sua conquista do
submundo siciliano.

"O novo sempre destrona o velho, não existe zona de conforto neste nosso mundo.'' (Luciano
Leggio

77
Dimmi, amico mio...

Somente alguém disposto a mergulhar em um mar de pecados, e não se afogar, é capaz de


encontrar a pérola da redenção...
Que poeta poderia falar sobre o amor, sem ao menos ter amado uma única vez? Qual douto
escultor lapidaria o mármore com uma forma que nunca tocou? De tal forma, qual
conselheiro alertaria sobre a tribulação que nunca vivenciou?
Eis a nossa redenção; apregoar sobre o mal inerente que alguns homens se negam dia após
dia a enxergar, cegos por suas próprias escamas de inocência.
O mundo real deve ser visto não sob a ótica do bem e do mal, mas do que é justo. O sangue
que é derramado, dentro e fora do corpo, reflete com clareza solar o que poucos entendem
antes do túmulo.
Nada se resume a torná-los esperançosos ou oferecer-lhes motivação. A síntese de cada
conselho, dado como se um filho fosse, é: esteja preparado para o dia mal e suporte-o...
Se um único homem nos ouvir, nossos corpos regozijaram em jubilo, mas se este homem
ouvir e praticar, nossas almas terão um banquete eterno.

"A'megghiu parola è chidda ca 'un si dici."

78
Ora, reservou alguns minutos para ligar e desejar felicidades a sua mamma, todavia, dias que
não a visita, perchè o trabalho tem tomado grande parte do seu precioso tempo, mas quanto a
puttana que você scopare i fottere, esta sim, dedicou toda a sua atenção e energia durante o
ano inteiro.

Esquece de todos os consigli que recebera de sua mamma na juventude e pratica a iniquidade
e a infâmia: ''-São novos tempos, não? O que uma vecchia sabe sobre os dias de hoje? É
ultrapassada e com uma mentalidade obsoleta''. São estas palavras que crivou no seu peito.
O bom siso, ensinado no berço, por ti foi desprezado em seu coração, sem imaginar que o
conselho de uma mãe é capaz de proteger mais do que todo aparato estatal.

Ao final, quando os pilares, que sustentam tão frágil corpo feminino, estão trêmulos, as
janelas da visão embaçadas e a mais rala sopa é sinônimo de dificuldade para se engolir, um
asilo torna-se seu novo lar! Ou um hotel geriátrico, como você diz para anestesiar sua
consciência.
Esquece daqueles tempos em que era carregado nos braços, deitava, deleitava e se nutria
com o melhor leite, e todo seu sono era vigiado pela melhor das sentinelas.
A deixa à mercê de uma estranha vestida de branco, perchè a sua esposa, namorada ou
vaffanculo, abarrotada de jóias, roupas caras e mimos, não aceita um fardo, considerado
pesado, em casa sua casa.

Bucaiolo di cazzo!

Daquela puttana pirla, que tem o culo violado por tanto quantos homens poderia imaginar,
não sente vergonha, ma di tua mamma, que possuí as mãos enrugadas pelo trabalho duro, a
pele queimada pelo sol por diariamente buscar alimento, e, os cabelos grisalhos pelos
janeiros sofridos, desta se envergonha intrinsecamente quando está perto dos outros.
Farabutto...

De todas as coisas que um homem possuí, sua famiglia é a mais importante. Honrar a própria
mãe até a velhice e a retribuir com o mesmo esmero que recebera quando mal podia falar e
andar, é o único e verdadeiro presente que poderia dar em uma data comemorativa...

No natal, os cemitérios de Palermo estão abarrotados de figli buoni, que lembram de suas
mães pós morte durante a mais bela e aconchegante data do ano.
A enorme quantidade de flores sobre os mausoléus destas mulheres, são proporcionais ao
tamanho de seus remorsos.

E no fim, qual amor perdurará mais do que o de una mamma? Davvero, existe no inferno um
lugar reservado para os infames que abandonaram suas mães no fim da vida. Menos
atormentador seria caminhar sobre uma montanha de ossos e brasas, do que ver um asilo
abarrotado de boas mães...

Buon Natale;
79
''Se um dia você tiver que se curvar, curve-se bem baixo e não esqueça essa lembrança
amarga até o dia em que possa se vingar.''

O ódio deve ser para o homem, de igual modo, como o fogo é para uma locomotiva á vapor!
Ela transforma o fogo em sua propulsão para percorrer os mais longos e ingrimes caminhos,
entretanto a máquina não se queima com as labaredas.
O homem deve fazer com que o seu ódio interno, propiciado por todas as injustiças que
foram cometidas a si, como aos seus semelhantes, seja seu combustível rumo ao sucesso,
mas sem se deixar consumir pela flamula...
Davvero, o amor pode mudar um homem, mas apenas o ódio o transforma...

Voi non avete capito, o per meglio, dire non volete capire cosa significa? Adesso non vi resta
che essere giudiziosi!
Cent'anni.

80
Ascolta;

Em 1926, Benjamin ''Busgy'' Siegel, aos 20 anos de idade, foi preso acusado de estupro.
Ben estava apaixonado por sua amiga infância, Estelle Krakower (com quem se casou no ano
seguinte), per questo, terminou seu relacionamento para partir rumo ao leito de Estelle,
entretanto sua antiga namorada (suposta vítima) o seduziu e o convenceu a dormirem juntos
uma ultima vez.
Numa noite regada a bebida e ópio, mal sabia Busgy a armadilha em que havia sido fisgado.
Sob o crivo de um fetiche, a mulher pediu que Ben a estapeasse e a agredisse enquanto era
arrebatada pelo orgasmo sexual.
No dia seguinte, com hematomas e pequenos cortes, a mulher compareceu á uma delegacia
de New York e noticiou o fictício crime.
Em pouco tempo, Busgy estava preso e respondendo ao processo inquisitivo. Era um nítido
espetáculo da Promotoria Americana e do F.B.I, aproveitando da brecha para tentarem afetar
Lucky Luciano e Meyer Lansky na figura de seu amigo.
Lansky a par de todo o ocorrido, enviou alguns de seus homens com o objetivo de darem um
recado. Como um memorial, amarraram a antiga namorada de Benjamin em uma cadeira e
jogaram ácido em seu gato bem na sua frente. Os capangas de Lansky disseram à vítima que,
a menos que ela desenvolvesse uma amnésia súbita, tornariam e desta vez, jogariam ácido
em seu rosto, marcando-a por sua mentira para sempre.

"De todas as bebidas viciantes deste mundo, a que pode levar um homem ao fundo do poço
com maior rapidez é o líquido destilado entre as pernas de uma mulher." (Benjamin ''Busgy''
Siegel- Ao sair livre da prisão, 1926)

81
La verità è una sola:
Não envergonhe o sobrenome de seus tataravós italianos, e muito menos, o sangue de seus
ancestrais romanos.
Enquanto outros exaltam o status quo ignóbil de seus ascendentes outrora subjugados, você
desdoura o mérito avoengo-românico.
Dimmi! Onde está o seu orgulho? L'orgoglio de ter entre as veias e artérias a herança da
conquista do velho mundo.
Vaffanculo, aja como um homem, come un vero uomo...

"A omu'ngratu e cavulu ciurutu, chiddu ca fai tuttu è pirdutu."

82
Ascolta amico;

Tommaso ''Copacabana'' Buscetta (o maior delator da Cosa Nostra) administrou a conhecida


''Conexão Ilhabela'', onde realizou as primeiras grandes operações bilionárias de tráfico de
drogas no Brasil (antes mesmo que qualquer facção primitiva sonhasse com o tráfico
intercontinental via Europa).

Essa operação da Cosa Nostra baseava-se em monopolizar os fluxos de drogas na América


doSul, organizavam trechos de distribuição enviando cocaína e maconha para a Europa e
Estados Unidos e recebendo narcóticos sintéticos vindos do Oriente médio, tudo isto tendo o
Brasil como sua sede.
Muitos membros da Cosa Nostra procurados pelo F.B.I fugiam para uma temporada de
''férias'' nas terras tropicais brasileiras, se hospedando no Bairro Bixiga, na capital paulista,
em pacatos condomínios em Belo Horizonte, ou em apartamentos luxuosas a beira mar no
Rio de Janeiro.
Alguns nunca retornaram ao EUA, preferiram manter seus negócios, administrando-os
tranquilamente em seus escritórios em São Paulo/Rio de Janeiro.

(Anos depois, a Cosa Nostra Siciliana/Americana jamais conseguiu novamente o controle


das conexões de narcóticos na América Latina, seus empreendimentos foram prejudicados
assim que muitos lideres socialistas chegaram ao poder. Os Políticos vermelhos financiam o
mercado de distribuição através da Farc e outros grupos paramilitares, usados como testa de
ferro, a produção da cocaína e maconha que abastece o mercado interno continental e nos
Estado Unidos.
Muitas vezes a Cocaína, através de facções primitivas, usadas pelos mesmos políticos
socialistas, cruza o Brasil para ser enviada rumo a Europa através dos Portos do Rio de
Janeiro, Niterói, Angra dos Reis, Itaguaí e Santos.
Com a forte incidência subgovernamental no tráfico de drogas latino-americano, a Cosa
Nostra perdeu boa parte do seu espaço, sendo obrigada a buscar fornecedores de Cartéis
independentes na Bolívia, Colômbia e Paraguai e a firmar no Brasil, laços econômicos com
os banqueiros de jogatina da LIESA-Liga Independente das Escolas de Samba) para lavagem
de dinheiro e outros negócios relacionados aos jogos ilegais.)

Tommaso, ou ''Copacabana'' (apelido que ganhou na organização por sua preferência pelo
Brasil) passou despercebido pela Ilha Bela. Para a maioria das pessoas que conviveram com
este homem, desconhecendo o seu passado e a sua função na organização, ele era apenas o
“Toninho” ou “Toni”, um italiano tranquilo e carismático que circulava pela ilha em uma
moto... Quando não estava “trabalhando”, podia ser encontrado nas mesas do Restaurante
Siriúba, recanto da sociedade paulistana nos fins de semana e férias de verão.

Este membro operava o contrabando de cocaína e heroína para os estados Unidos através de
embarcações que atracavam no porto de São Sebastião e também em aeronaves que
pousavam durante a noite no pequeno aeroporto de terra batida que existia na ilha. Nas horas
de folga, Tommaso gostava de velejar.

Só após a sua prisão é que os moradores e autoridades de Ilhabela souberam que o “turista
italiano” era na verdade Dom Masino, um dos maiores capo do mundo. Foi o principal
suspeito da morte do dono de uma pousada em Ilhabela, mas sequer chegou a ser investigado
na época. Mesmo morando na ilha, Tommaso viajava à São Paulo e Rio de Janeiro
frequentemente.

Em 1972 Tommaso foi preso pela polícia brasileira e logo extraditado para a Itália,
cumprindo oito anos de prisão. Não conformado, retornou ao Brasil pelo Paraguai e foi preso
novamente em 1984, sendo mandado outra vez para Sicília. Cumpriu outros dez anos de
prisão e foi transferido para os Estados Unidos, lá através de uma delação premiada e sob a
proteção do FBI, ajudou as autoridades norte-americanas a desbaratar uma rede de
traficantes de cocaína e heroína que operava em pizzarias de Nova Iorque, conhecida como
“Conexão Pizza”.

Após deixar a prisão, Buscetta, em tese, nunca mais retornou à Ilhabela, onde havia morado
com uma de suas três mulheres, a brasileira Maria Cristina Guimarães, com a qual teve dois
filhos quando vivia na ilha. Há relatos, que seus dois filhos foram aliciados, por membros do
clã de Tommaso, para irem à Sicilia, onde tiveram ''seu sangue perdoado'' através de uma das
leis da Cosa Nostra que dita: ''pecado do pai não é pecado do filho''. Acredita-se que os filhos
de Tommaso sejam os primeiros italobrasileiros membros da Cosa Nostra Siciliana...

''Se existiu um lugar no mundo, onde eu pude guardar minha arma em uma gaveta, acender
um cigarro, beber um bom vinho conversando com as mais belas mulheres e esquecer de
todos meus problemas na Sicília, esse lugar era o Brasil'' (Tommaso Buscetta)
83
Somente alguém disposto a mergulhar em um mar de pecados, e não se afogar, é capaz de
encontrar a pérola da redenção...
Que poeta poderia falar sobre o amor, sem ao menos ter amado uma única vez? Qual douto
escultor lapidaria o mármore com uma forma que nunca tocou? De tal forma, qual
conselheiro alertaria sobre a tribulação que nunca vivenciou?
Eis a nossa redenção; apregoar sobre o mal inerente que alguns homens se negam dia após
dia a enxergar, cegos por suas próprias escamas de inocência.
O mundo real deve ser visto não sob a ótica do bem e do mal, mas do que é justo. O sangue
que é derramado, dentro e fora do corpo, reflete com clareza solar o que poucos entendem
antes do túmulo.
Nada se resume a torná-los esperançosos ou oferecer-lhes motivação. A síntese de cada
conselho, dado como se um filho fosse, é: esteja preparado para o dia mal e suporte-o...
Se um único homem nos ouvir, nossos corpos regozijaram em jubilo, mas se este homem
ouvir e praticar, nossas almas terão um banquete eterno.

"A'megghiu parola è chidda ca 'un si dici."

Cent'anni.

84
Uma importante notícia sempre demora um pouco para partir da América, cruzar o Atlântico
e atracar na velha ilha Siciliana.
Tempos atrás, a alta-comissão do sindicato na América vinha burlando e boicotando a maior
família da Philadelphia.
Cortavam conexões, atropelavam negociações, intermediavam influência de forma a
extinguir poderosos vínculos entre a Sicília e a Philadelphia.
A cúpula, presidida e comandada pelos grandes tubarões de New York e seus aliados de New
Jersey, evitavam qualquer fluxo direto que pudesse aumentar o poder econômico e criar uma
maior expansão da Philadelphia, ameaçando seus negócios, entretanto, Phil Narducci,
pragmático e bom estrategista, foi condecorado em comissão familiar, como o novo Capo.
Phill tem apoio das famílias americanas de Boston, Detroit e New Orleans como também
conexões italianas com a Cosa Nostra Siciliana e com a Sacra Corona Unita.
Além disto, milhões investidos em campanhas políticas dos Democratas, inúmeros juízes e
promotores em sua mão e um vasto empreendimento diversificado na Pennsylvania.
Narducci sempre deixa transparecer sua real ambição: Destruir a hegemonia das famílias de
New York e prosperar seu império, mesmo que para isto, tenha que bater de frente com o
atual capo (ou marionete) da família Novaiorquina Gambino, J. Angelo Gotti Junior, filho do
falecido Capo di tutti capi, John Gotti.
Gotti Junior nunca se importou em estar sob os holofotes da mídia, sendo sempre visto em
glamourosas festas e acompanhado de dezenas de mulheres, inclusive tendo como amante a
brasileira Carola Scarpa, enquanto Narducci é o extremo oposto.
É provável que os jovens membros da terceira geração da Cosa Nostra Siciliana e
Americana, vejam pela primeira vez, as tão aclamadas guerras da máfia, estampando sangue
nos folhetins policiais, despondo antigos reis e dando a brecha que o F.B.I espera para
começar seus escandalosos inquéritos.
Enquanto J. Angelo Gotti Junior revira seu traseiro gordo entre programas de televisão,
parlando per il culo, Narducci tem politicamente conquistado território, inclusive apoiado
Giovanni Gambino na guerra contra o ISIS e extremismo islamico em solo Americano e
Italiano.
Ao contrário de seu pai, um exímio administrador do sub-mundo, com uma carreira digna de
honra e respeito, G. Junior tem trazido apenas vergonha à organização na América e atraído
repúdio no Velho Mundo.

Infatti, é como dizem; A cada vinte ou trinta anos isto tem que acontecer.

85
Sam “Momo” Giancana

(Chicago, 15 de junho de 1908 — 19 de junho de 1975)

Reputado como o Chefão de Chicago, durante a Comissão do Senado estadunidense contra o


Sindicato do Crime e Cosa Nostra, Giancana invocou a Quinta Emenda, e se recusou a falar
o que os congressistas desejavam ouvir.

Salvatore Giancana, mais conhecido como Sam “Momo” Giancana, o açougueiro de


Chicago, tornou-se conhecido por sua forma implacável de gerir os negócios ''a la Chicago'' e
por estar ligado a diversas mortes mundialmente famosas, como os assassinatos dos irmãos
Kennedy, John F. (Presidente dos Estados Unidos) e Robert F. (então candidato à
Presidência) e do suposto suicídio de Marilyn Monroe, a amante de Kennedy (que
possivelmente teria sido realizado em parceria com a CIA em troca de absoluta proteção
estatal e perdão por crimes).

Sam “Momo” Giancana teve Al Capone como inspiração pessoal de trabalho, tendo
inclusive, trabalhado para este e possivelmente participado do Massacre do Dia de São
Valentim.

Quando tomou o poder da ''Chicago Outfit'', Sam mudou os moldes Napolitanos de gerir
(criados por Al Capone) para implantar os tradicionais meios Sicilianos, que perduram por
Chicago até os atuais dias.

86
Aos 11 anos de idade, eu no final da noite, com minha caixa de engraxar sapatos, costumava
sentar na frente de uma casa de shows no East Harlem, acendia meu cigarro e ficava a espera
de um algum cliente para ganhar alguns trocados.
Observava o movimento; judeus e magnatas ricos entrando e saindo, prostitutas se
oferecendo ao primeiro italiano que as comprassem.
Em uma dessas noites, já havia acumulado uns 6 ou 7 dólares engraxando sapatos, guardei
meus objetos na caixa e levantei para ir embora. Ao dar alguns passos, senti apenas uma
forte dor na nuca e perdi as forças nas pernas. Dois garotos mestiços e um irlandês haviam
me acertado com um pedaço de madeira pelas costas. O irlandês, um pouco mais velho que
os outros dois, se aproximou e enfiou a mão nos meus bolsos retirando as moedas, enquanto
os outros me seguravam.
Bem, eu me lembro apenas que nesta noite levei uma grande surra daqueles garotos. Voltei
para casa com minha caixa quebrada e escoriações por todo o corpo, entrei cabisbaixo e
minha mãe correu para saber o que tinha acontecido.
O aluguel venceria naquela semana e tínhamos que pagar as contas do gás e da eletricidade,
aquele dinheiro serviria para inteirar as economias.
Minha mãe fez alguns curativos e lavou um corte profundo que eu tinha abaixo do olho com
sal e limão. Meu pai me chamou para o quarto, tinha plena certeza que ele me bateria por
não voltar para casa com o dinheiro, mas para minha surpresa tudo ocorreu diferente do que
eu pensava. Ele retirou de um criado mudo, três dólares e colocou na minha mão. Disse que
no outro dia eu deveria ir ao Mower Shop's e comprar um navalha para me defender e que se
apanhasse na rua outra vez, nunca mais deveria voltar para casa. Um Calabrês sempre revida,
completou ele.
Eu fiz como me ordenou, comprei uma navalha mariposa e depois de consertar minha caixa,
voltei para as ruas do East Harlem.
Naquela noite os três garotos não apareceram, três ou quatro dias depois, eu havia acabado
de lustrar o sapato de um segurança da casa de show, quando avistei os três do outro lado da
rua. Levantei-me, peguei minha navalha, a coloquei entre um lenço e a pus no bolso de trás
da calça de casimira enquanto, com a outra mão, segurava a caixa de madeira.
Quando me aproximei o irlandês deu um passo a frente, escarrou e cuspiu sobre meus pés.
Disse que eu tinha duas escolhas; entregar o dinheiro ou apanhar novamente.
Na verdade, eu possuía apenas duas opções, fraquejar e nunca mais ter o respeito do meu pai
ou me tornar um homem de verdade.
Antes que o irlandês terminasse de falar, saquei minha lâmina e saltei sobre ele, o atingi duas
vezes no abdome e uma no ombro, enquanto isto, os mestiços roubaram minha caixa.
Eu me levantei do chão com as mãos sujas e ouvidos trépidos pelos gritos do garoto, tomei
fôlego e corri atrás dos outros dois. Não pude alcançá-los, olhei para trás e havia uma
multidão de pessoas envolta do garoto. Entrei em um beco e fugi sem ser visto ou perseguido
por algum policial.
Novamente cheguei em casa sem o dinheiro daquela noite, meu pai me perguntou quanto
havia ganhado. Eu me aproximei, pedi a sua bênção e coloquei sobre seu colo a navalha suja
de sangue. Respondi que, naquela noite, eu havia ganhado a honra de um homem''

(Trecho de um depoimento de Frank Costello a um produtor de cinema de Hollywood...)

[À esquerda, Luigi Castiglia Costello, à direita, Maria Saveria Aloise Costello e no centro,
seu filho, Frank Costello (Francesco Castiglia) também conhecido como ''Primeiro Ministro
da Cosa Nostra Americana'', apelido descrito e apregoado pelo New York Times.]

87
Quando não se pratica a justiça, crucifixo, arma e poder nenhum, poderão lhe proteger''
(antigo ditado siciliano)

Carmine Galante (21 de fevereiro de 1910 - 12 de julho de 1979):

Carmine, também conhecido como "Lilo" ou "Charuto" foi um mafioso e Capo interino da
família Bonanno .

Galante em sua vida, foi raramente visto sem um charuto na boca, por isto recebeu o apelido
de "The Cigar" e "Lilo" (uma gíria italiana para charuto), passou mais tempo em presídios
americanos do que nas ruas.
Aos 10 anos foi preso pela primeira vez, aos 15 comandava uma gang de Nova York
chamada Lower East Side, e em pouco tempo, por ser filho de sicilianos, foi iniciado na
Cosa Nostra Americana.

Tornou-se motorista do Capo da família Bonanno, Joseph Bonanno, único a quem se


manteve realmente fiel e rapidamente galgou as escadas de ossos da máfia, entretanto,
Galante além de fumante compulsivo de charutos, era também ambiciosamente psicótico
pelo poder.

Assim que usurpou a liderança da Familia Bonano, (quando Joseph Bonanno foi ''obrigado a
aposenta-se'') Carmine comprou brigas internas com o próprio Líder do Sindicato do crime
mundial, Lucky Luciano e era inimigo declarado de Frank Costello (amigo intimo de Lucky,
Lansky e Bugsy, fundadores do sindicato da Cosa Nostra Americana).

Carmine em seus delírios para monopolizar as conexões de drogas Europa-América, decidiu


eliminar uma das maiores famílias de New York, a Família Gambino, matando oito de seus
membros da alta cúpula.

As outras famílias de Nova York, membras do Sindicato, ficaram alarmadas com tentativa
descarada de Galante em tomar conta do mercado de narcóticos.
Galante também se recusou a dividir os lucros da droga com as outras famílias. Embora
Galante estava ciente de que ele tinha muitos inimigos, ele disse: "Ninguém nunca vai me
matar, eles não ousariam!"

Em janeiro de 1974, Galante ordenou que implantassem uma bomba no mausoléu de Frank
Costello, falecido um ano antes, explodindo a sepultura de seu antigo inimigo.

Diante de tamanhas loucuras, Galante era visto como o próprio Calígula da Máfia italiana.
Frank Tieri, Capo da família Genovese, contactou todos os Capi do sindicato, desde New
York, New Jersey, Philadelphia, Boston, Califórnia, Chicago e entrou em contato até com os
tradicionais Capi na Sicília. Conseguindo apoio e a ordem de morte de Galante ''the cigar''.

Em 12 de julho de 1979, Carmine foi assassinado quando terminou de saborear sua refeição
em um pátio aberto no ''Joe i Maria Italian-American Restaurant'' no Brooklyn.
Galante estava comendo com Leonard Coppola, membro da familia Bonanno, também
sentados à mesa estavam os guarda-costas sicilianos de Galante, Baldassare Amato e Cesare
Bonventre.

Logo que o nome de Carmine foi escrito no livro da morte graças a Cosa Nostra, três homens
mascarados entraram no restaurante e abriram fogo com espingardas e revólveres,
promovendo uma chacina.

Galante e Coppola foram mortos instantaneamente.

Ironicamente, a última foto de Galante, tirada pelo New York Times, mostrava o ganancioso
Capo com um charuto ainda pendurado em sua boca.
Acredita-se que entre os homens que alvejaram Galante, estava Richard Kuklinski ''the ice
man'', o maior assassino da máfia italiana.

Em 1980, o fluxo de dinheiro vindo dos narcóticos estava bem distribuído entre as famílias
de New York, e o sindicato da Cosa Nostra Americana promovia uma fabulosa festa em
homenagem a morte de Carmine, onde simbolicamente todos os convidados receberam um
charuto e um cartão, com as inscrições: ''Enquanto a brasa desse charuto estiver acesa, reze
pela alma de Galante.''

88
No Brasil, dia 25 de Junho comemora-se o dia do Imigrante, allora ascolta;

Segundo os antigos, uma loba alimentou os patriarcas de Roma, não é em vão, que a
mitologia romana diz que o orgulho italiano é fruto do leite de lobo entranhado em seu
sangue...

Buonanima aos ancestrais imigrantes enterrados em terras brasileiras ou norte-americanas;

Bene...
Segundo a OIT (Organização internacional do trabalho) o trabalho escravo contemporâneo é
definido como ''o labor forçado que envolve restrições à liberdade do trabalhador''.
O trabalhador é obrigado a prestar um serviço, sem receber um pagamento ou recebem um
valor insuficiente para suas necessidades e as relações de trabalho costumam ser ilegais.
Diante destas condições, os prestadores de mão de obra não conseguem se desvincular do
trabalho. A maioria é forçada a trabalhar para quitar dívidas.
Nossos antepassados, aliciados em suas províncias, embarcaram em navios a vapor
infestados de ratos, com vísceras de porco conservadas em sal como único alimento.
Amontoados em compartimentos metálicos para armazenamento de sardinha e forrados com
trapos para famílias inteiras se acomodarem, em uma temperatura abaixo de zero em alto
mar. Alla fine, desembarcaram homens, mulheres e crianças desnutridos, falando em dialetos
locais misturados a um italiano caipira.
Chegaram com uma dívida acumulada que demorariam anos para pagar ao governo. Na
América do Norte foram para os guetos americanos das grandes metrópoles, no Canadá se
estabeleceram em pequenas vilas madeireiras, na Austrália acolheram-se no garimpo e
outros, no baixo continente Sul americano, firmaram-se em colônias agrícolas da Argentina.
No Brasil buscaram oportunidades nas lavouras de café em Minas Gerais, nos cultivos de
videira, milho e trigo no Sul do país ou nas fábricas de São Paulo.
Além das duras jornadas, o pouco que recebiam não dava para suprir as necessidades básicas
de suas famílias.
Segundo a OIT, se os imigrantes desembarcassem hoje, da mesma forma que cem anos atrás,
seriam considerados como '' trabalhadores escravos''.
Viveram em guetos, subúrbios, zona de extração de recursos, em comunidades rurais e cem
anos depois, jamais exigiram esmolas do governo, não pediram ações positivas, nunca
tiveram cotas em absolutamente nada, não cruzaram os braços e se autoflagelaram como
coitados, ao contrário, venceram sozinhos a pobreza, saíram da sarjeta, se tornaram grandes
fazendeiros, grandes produtores, donos de fábricas, respeitados industriais, incríveis homens
de negócios. Davvero, se tornaram grandes, poderosos e disseram ''Vanffanculo'' ao Estado
explorador que os iludiram em suas terras natais...
Oggi estamos aqui, tendo orgulho desses pobres diabos que mostraram para as terras onde
chegaram, que a fama e a reputação sobre o sangue italiano ser especial não é em vão...

O maior legado deixado pelos imigrantes italianos foi a lição de que: O seu passado
influencia, mas não determina o seu futuro.
O lugar onde você nasceu influencia, mas não determina o seu futuro. Sua família influencia,
mas não determina o seu futuro. Sua cor de pele e sua descendência, influencia mas não
determina o seu futuro. Sua condição econômica influencia, mas não determina o seu futuro.
Seus traumas influenciam, mas não determinam o seu futuro. Sua escolaridade, seu diploma,
sua cultura, influenciam mas não determinam o seu futuro.
O que realmente vai determinar o seu futuro é a sua decisão de vencer e o que está disposto a
fazer para isso, esta sim, não apenas influencia, mas determina e muito o seu futuro.
Não se trata, de onde você está hoje, mas de onde você estará amanhã. Então, assim como os
imigrantes italianos, escolha onde quer chegar e faça o que for necessário para isso... O que
for necessário.

''Paese che vai, usanze che trovi.''

Cent'anni.

89
Infatti, esta foi a resposta de John Gotti ao Tribunal Federal Americano depois de lhe
oferecerem em juízo o direito a delação premiada, da qual poderia se beneficiar ao indicar os
membros da Cosa Nostra americana envolvidos em diversos crimes com ramificações
internacionais. Ao contrário de Salvatore "The Bull" Gravano, Gotti preferiu ser sentenciado
a prisão perpétua do que quebrar a principal lei do silêncio...
Teflon Don, como era conhecido, morreu em 2002, no hospital prisional federal de
Springfield, Missouri, mas morreu com honra, por isto é conhecido como o último grande
capo a moda antiga.

Cent'anni a J. Gotti jr.

90
Patri nostru, ca si' 'n celu,
santificatu sìa lu nomu tò,
vinissi prestu lu tò regnu,
sempri sìa fatta la tò vuluntati,
comu 'n celu accussì 'n terra.

''Que o sangue dos inocentes não seja derramado


mas, que o dos perversos escorra como rios vermelhos.
Dê têmpera ao fio de nossas navalhas,
guia-nos em nossas batalhas,
calce nossos pés com honra e lealdade
para que caminhemos sem medo
nos vales, onde ecoam os bramidos
de nossos inimigos e ruge a traição
dos falsos amigos que nos acompanham.
Desvia-nos da rota dos infames e proteja nossa família da abominável propagação de todo
homossexualismo.
Firma-nos nas velhas tradições e não nos deixe
negar os bons costumes.
Perdoe nossos meios, mas abençoe nossos fins,
que a boa fortuna seja o banquete de nossas mesas,
enquanto nossa família saciar a fome de justiça ao seu derredor.
Não nos permita ter pernas para fugir, ao contrário
rogamos assim, por braços fortes para lutar.''

Questa è la madre di cosa nostra, Sacro Ordine di Malta, spada e scudo della Sicilia. Santo è
il nome di Cristo, amen.

Cent'anni.

91
Que a Organizzazione sempre teve enorme influência sobre a ''Borsa l'Italiana'' (Bolsa de
Valores da Itália) não é nenhuma novidade, até para os mais leigos.
Entretanto, quando se trata de tranding, a sacra Cosa Nostra siciliana vem inovando a cada
década. Criou-se nesta ilha uma nova capitalização do mercado do submundo, perchè usar
euros próprios em arriscados negócios se pode usufruir do dinheiro de investidores para os
mesmos empreendimentos, onde todos lucram e o risco é reduzido?
Talvez não entenda o que tem sido dito, por não compreender alguns pequenos princípios da
administração ''a la malavita'', ma venire qui e ascolta:
Todo grande empreendimento, legal ou nem tanto, necessita de investidores. E quando a
empreitada é no sub-mundo, quanto mais ganancioso e com mais dinheiro a disposição,
melhor será o investidor. Eles são peças importantes da máquina, em Palermo e na Catânia
muitos empresários, donos de comércio e empreendedores, apostam no tráfico internacional
de drogas, nas manipulações de mercado, fraudes Bancárias, contrabando de armas, jogos de
azar e etc, eles enriquecem, mantém as mãos limpas e continuam usando o colarinho branco.
A Cosa Nostra sempre abre o submercado para injeção de capital por seus associados, as
reuniões com investidores se dão em lugares protegidos, desde pequenos cafés até em
prostíbulos mais luxuosos de Palermo, onde políticos e empresários de diversos ramos
(principalmente do futebol) aparecem para beber uísque, transar com garotas de programa e
investir em cocaína, contrabando de cigarros e venda de armas – eles deixam maços de
milhares de Euros (usados para comprar de mercadorias) e voltam semanas depois, para
recolherem a percentual do lucro da revenda.
A organização sempre foi chamada de ''império do silêncio'' por se manter oculta, e é isto que
tem feito. Ninguém mais ouve falar dela, além de pequenas exceções nos jornais, entretanto
sua atividade tem estado a todo vapor, movimentando uma grande parcela do PIB italiano.
Na Sicília, a maioria dos grandes empresários estão associados, a sacra sociedade é mais
influente que a maçonaria, mais rica que qualquer banqueiro judeu por aqui e mais poderosa
que o próprio Estado.
Essa prática tem sido adotada, nestes moldes, pela terceira geração da Cosa Nostra desde o
início dos anos dois mil, por isto não há nada de mal em exemplificar a complexidade do
submundo sem ferir um único fio da Omertà.

Cent'anni.

92
Bene...
Como afirmam a psicologia, psiquiatria e psicanálise; O objeto e primeiro elo de amor de
uma criança è tua mamma, logo durante o seu desenvolvimento, esta faz a diferenciação
entre si mesma, a mãe e o mundo através da figura paterna. Cresce adquirindo conhecimento,
moral e ética através do dualismo e complementariedade do âmago familiar.
Amico mio, toda a humanidade foi erguida durante milênios nos moldes naturais, come una
società como a atual, seja na Itália ou no Brasil, subsistirá nos próximos séculos com estas
novas mudanças?
Davvero, come abbiamo detto; não importa quão em ruínas esteja a sociedade lá fora,
mantenha sua casa em ordem.

Cent'anni...

93
Davvero, nas ruas ou você é a presa ou é o predador.
Não existe meio termo.
Ninguém vai lhe proteger, além de você mesmo.
Respeito deve ser imposto pela boa conduta, mas quando nosso meio é poluído por infames,
o respeito passa a ser conquistado pela dor da força bruta.

Cent'anni a tutti.

94
Bene, oggi um tabloide italiano, de categoria empresarial, publicou uma matéria sobre
atitudes empreendedoras.
Afirmava que um bom chefe deve sempre ouvir seus subalternos, a opinião de todos e tomar
decisões baseadas na satisfação de cada empregado... Vaffanculo!
Não existe uma formula para o sucesso de um líder, mas para o seu fracasso basta que ele
tente agradar a todos, como um culattone.
Nos negócios, relacionamentos pessoais e no desenvolvimento da celular familiar, o líder
deve ser firme e mesmo que o resultado de suas atitudes deva convergir para os interesses de
todos, elas não devem ser tomadas atreladas ás rédeas da opinião coletiva.
Não existe democracia em um negócio bem sucedido, existe confiança e submissão quanto
ao que deve ser feito, onde o sucesso ou fracasso terão enorme peso nas suas decisões.

Cent'anni.

95
Davvero, Londres não foi um grande refúgio siciliano, somente os compaesani do norte
preferiram se estabelecer nas estreitas e cinzas ruas londrinas durante as duas grandes
guerras.
Como é simples cruzar os trilhos do velho mundo em um comboio London-Roma, na
alfandega ferroviária não fazem muitas perguntas quando o passaporte é vermelho.
O maior problema de Londres, in contemporaneità, é que cada quarteirão é milimetricamente
dividido entre as grandes organizações criminosas até as pequenas gangues ideológicas.
Depois da proibição de porte de armas aliado ao rígido controle (vaffanculo...) dos policiais
MPS da Scotland Yard, uma simples pistola automática americana até um rifle ucraniano são
contrabandeados e pagos em grama/ouro pelos joalheiros judeus, os maiores varejistas do
ramo.
A falta de pólvora nos negócios trouxe ao âmago das organizações um modo mais pessoal de
resolver problemas, calor humano, come si dice. É comum traficantes russos espancando
hooligans na porta de algum pub, italianos esfaqueando pequenos nichos ciganos que
comandam os clubes clandestinos de apostas, pequenas gangues irlandesas e escocesas,
extremistas muçulmanos, punks, nazis, antifas, latinos, nigerianos e até mesmos antigos
membros do IRA atuam nos subúrbios, todos negociando em fronteiras invisíveis que
delimitam o território de cada um.
O submundo londrino, mesmo mesclado de inúmeros clãs de diversas nacionalidades, é
completamente diferente da América ou da Sicília. A cidade ainda é um lugar competitivo e
hostil a qualquer negócio paralelo, quando alguém morde mais do que pode mastigar acaba
tropeçando e caindo de barriga na ponta de uma navalha ou com a ponta do nariz em uma
soqueira inglesa...

Cent'anni.

96
Come è bello vivere in anonimato, senza pubblico, con gli amici ristretti,e in cui possiamo
vivere nella verità senza mentire a noi e non a quelli cercam.
Mentre il pazzo parla, parla, parla, dà il culo e tutti applaudono, in silenzio sorge un impero
lontano da occhi indiscreti...

Cent'anni.

97
Ascolta amico mio, ascolta si?

O que faz um homem não são seus testicoli ou seu cazzo, mas sim; a palavra cumprida, seus
princípios, sua conduta, sua honra, sua lealdade, sua justiça, sua implacabilidade, sua
coragem, sua ousadia, sua vontade de chegar ao topo, sua resistência, sua liderança, seu
respeito, sua reputação, sua inteligência, sua boca fechada e seus olhos abertos, sua firmeza,
sua constância, suas pretensões de vitória, suas estratégias, sua altivez, seu autocontrole, sua
autonegação do ego, sua gratidão...
Essere un vero uomo, não é fácil, por isto tantos fracos e medíocres tem preferido dar seu
culo, negar seus deveres e responsabilidades, ao invés de honrar a essência que há em
realmente poder dizer; ''-Sou um homem feito''...

Cent'anni.

98
Segundo os antigos, uma loba alimentou os patriarcas de Roma, não é em vão, que a
mitologia romana diz que o orgulho italiano é fruto do leite de lobo entranhado em seu
sangue...

Buonanima aos ancestrais imigrantes enterrados em terras brasileiras ou norte-americanas;

Bene...
Segundo a OIT (Organização internacional do trabalho) o trabalho escravo contemporâneo é
definido como ''o labor forçado que envolve restrições à liberdade do trabalhador''.
O trabalhador é obrigado a prestar um serviço, sem receber um pagamento ou recebem um
valor insuficiente para suas necessidades e as relações de trabalho costumam ser ilegais.
Diante destas condições, os prestadores de mão de obra não conseguem se desvincular do
trabalho. A maioria é forçada a trabalhar para quitar dívidas.
Nossos antepassados, aliciados em suas províncias, embarcaram em navios a vapor
infestados de ratos, com vísceras de porco conservadas no sal como único alimento, em
compartimentos metálicos para armazenamento de sardinha desativados e forrados com
trapos para famílias inteiras se acomodarem, em uma temperatura abaixo de zero em alto
mar. Alla fine, desembarcaram homens, mulheres e crianças desnutridos, falando em dialetos
locais misturados a um italiano caipira.
Chegaram com uma dívida acumulada que demorariam anos para pagar ao governo. Na
América do Norte foram para os guetos americanos das grandes metrópoles, no Canadá se
estabeleceram em pequenas vilas madeireiras, na Austrália acolheram-se no garimpo e
outros, no baixo continente Sul americano, firmaram-se em colônias agrícolas da Argentina.
No Brasil buscaram oportunidades nas lavouras de café em Minas Gerais, nos cultivos de
videira, milho e trigo no Sul do país ou nas fábricas de São Paulo.
Além das duras jornadas, o pouco que recebiam não dava para suprir as necessidades básicas
de suas famílias.
Segundo a OIT, se os imigrantes desembarcassem hoje, da mesma forma que cem anos atrás,
seriam considerados como '' trabalhadores escravos''.
Viveram em guetos, subúrbios, zona de extração de recursos, em comunidades rurais e cem
anos depois, jamais exigiram esmolas do governo, não pediram ações positivas, nunca
tiveram cotas em absolutamente nada, não cruzaram os braços e se autoflagelaram como
coitados, ao contrário, venceram sozinhos a pobreza, saíram da sarjeta, se tornaram grandes
fazendeiros, grandes produtores, donos de fábricas, respeitados industriais, incríveis homens
de negócios. Davvero, se tornaram grandes, poderosos e disseram ''Vanffanculo'' ao Estado
explorador que os iludiram em suas terras natais...
Oggi estamos aqui, tendo orgulho desses pobres diabos que mostraram para as terras onde
chegaram, que a fama e a reputação sobre o sangue italiano ser especial não é em vão...

O maior legado deixado pelos imigrantes italianos foi a lição de que: O seu passado
influencia, mas não determina o seu futuro.
O lugar onde você nasceu influencia, mas não determina o seu futuro. Sua família influencia,
mas não determina o seu futuro. Sua cor de pele e sua descendência, influencia mas não
determina o seu futuro. Sua condição econômica influencia, mas não determina o seu futuro.
Seus traumas influenciam, mas não determinam o seu futuro. Sua escolaridade, seu diploma,
sua cultura, influenciam mas não determinam o seu futuro.
O que realmente vai determinar o seu futuro é a sua decisão de vencer e o que está disposto a
fazer para isso, esta sim, não apenas influencia, mas determina e muito o seu futuro.
Não se trata, de onde você está hoje, mas de onde você estará amanhã. Então, assim como os
imigrantes italianos, escolha onde quer chegar e faça o que for necessário para isso... O que
for necessário.

''Paese che vai, usanze che trovi.''

99
I tre consigli d'onore (Os três conselhos de Honra)

Ascolta questa belíssima história difundida entre conexões da máfia, oscilando entre o boato
e a realidade, há gerações é contada da seguinte forma:
Durante uma devassa seca causada por um dos mais áridos verões que assolara a província
Siciliana, não havia sequer uma plantação que não tivesse murchado e secado seus frutos,
nenhuma espiga de milho ou broto de trigo conseguiram suportar a escassez de chuva. O
gado padecia junto com as ovelhas, a fome tornara companheira de todas as mesas dos
pobres na hora do jantar.
Em um pequeno vilarejo, residia um comum lavrador com sua recém-esposa. Os dois
moravam sem conforto ou luxo algum em uma choupana de paredes de madeira e telhado
construído com palha dourada e entrelaçada por cordas feitas dos ramos das videiras secas.
Incitado pela fome e desesperado por não suprir com as despesas de casa, observando sua
mulher a cada dia perder peso ao caminhar longas distâncias para colher agua suja em um
poço local, o pobre lavrador caminhou algumas horas pelas montanhas desde o seu pequeno
pedaço de terra até a reluzente cidade na costa da ilha. Seu pai havia trabalhado durante anos
em um vinhedo pertencente a um poderoso Capo. O lavrador estava disposto a procurá-lo e
pedir ajuda antes que ele e sua mulher padecessem.
Com os negócios na América crescendo e o dinheiro fluindo constantemente, os laços entre a
Cosa Nostra americana e siciliana se tornavam cada vez mais fortes. O Capo reconhecendo o
filho de seu antigo empregado e observando seu pálido rosto compadeceu-se do lavrador e
propôs um acordo, naquela mesma semana o Capo viajaria para Las Vegas, onde iria morar
para controlar de perto o novo cassino da famiglia e se o rapaz viesse junto, receberia uma
boa quantia. além de ter uma enorme chance de mudar sua vida financeira.
Mesmo ainda jovem, o lavrador aceitou a proposta, mas disse que a Sicilia sempre seria seu
verdadeiro lar e que iria para a América até que chegasse o dia em que poderia voltar e dar
um bom futuro a sua esposa, quem sabe comprar mais terras, refazer a plantação.
O lavrador voltou para casa, entregou nas mãos de sua esposa uma caixa com um bolo de
notas, dinheiro adiantado pelo Capo, e abraçando sua mulher, prometeu que iria para as
terras do outro lado do oceano, mas que voltaria assim que pudesse proporcionar a vida que
sua mulher realmente merecia e que mesmo distante não a deixaria de amar, não teria outra
em seu lugar e que o mesmo fosse feito por ela no tempo em que estivesse longe. E assim
pactuaram.
Durante longos vinte anos, o lavrador, tornou-se gerente do Cassino. Trabalhava fielmente,
subira vários e vários degraus na escada de ossos da famiglia, por quem fizera inúmeras
coisas que nunca imaginara e que de certa forma, aquilo lhe fizera aprender a lidar com a dor
de sua consciência. Tornara-se mais do que um ''homem feito'', era agora um homem de
honra. Não existia mais o lavrador fraco e caipira de antes.
Mesmo tantos anos longe de sua esposa e rodeado das mais belas mulheres, dinheiro e poder,
ele não quebrou sua promessa e manteve-se longe de qualquer mulher estranha.
Rico e poderoso, olhando tudo que conquistou nos ininterruptos anos de trabalho, sentiu a
forte vontade de retornar ao seu lar, era a hora de voltar à Sicilia.
Pediu receosamente ao Capo que lhe permitisse deixar os negócios e voltar para sua terra
natal. O velho concedeu o pedido, mas impôs duas opções; o lavrador antes de partir deveria
escolher se queria ou receber todo o dinheiro por ele merecido nestes anos de servidão leal
ou receber três conselhos.
Abalado e bastante surpreso, o lavrador entendeu a proposta como uma sutil ameaça, quanto
a sua deserção da organização, e por receio, escolheu receber os três conselhos. O Capo
segurou em seu obro e disse:
-Durante todos esses anos convivendo neste meio, você aprendeu mais do que poderia
aprender em séculos vivendo em sua fazenda, mas existem três lições que ainda não
aprendeu. Eu demorei a vida inteira para considerá-las em minha vida e agora, como um pai
faz com seu filho e as lhe ensinarei. Não confie em ninguém que se ofereça para ajudá-lo
quando não requisitar, nunca se intrometa em nada que não for da sua conta e o mais
importante de todos os conselhos, Jamais tome qualquer decisão quando estiver irritado sem
analisar os fatos.
Após aconselhá-lo, o Capo pegou um enorme pedaço de pão que estava no frigobar, foi até
seu escritório e voltou com ele embrulhado, entregou nas mãos do lavrador e disse que
aquilo era um presente, para comer assim que sentasse a mesa com sua esposa na Sicilia.
Naquela mesma noite, ele partiu rumo à Itália. Navegou durante alguns dias pelo oceano em
um navio até chegar à ilha siciliana. Estava tudo completamente mudado, mal parecia a
cidade que embarcou antes de partir. Ao tomar um café em um estabelecimento simples no
porto, um homem que estava sentado ao lado do balcão vendo o selo-destino da mala do
lavrador indicando que veio de Las Vegas, iniciou uma longa conversa e assim que o
lavrador terminou a xícara, o homem se propôs a dar uma carona, dizia que seu destino era
perto do vilarejo que o deixou há vinte anos. Antes de entrar no carro, o lavrador lembrou-se
do primeiro conselho que seu capo o havia dado e agradeceu, mas recusou a carona.
Cansado, o lavrador se hospedou em uma simples pousada para passar a noite e ouvindo o
desregulado rádio que chiava muito, ouviu sobre a prisão de um golpista que roubava turistas
no porto ao oferecer uma carona e depois desovava os corpos das vítimas em um rio
próximo.
Ao amanhecer, ouviu-se uma enorme confusão no corredor da pousada, gritos e insultos
faziam parte da briga, o colega de quarto levantou-se depressa e chamou o lavrador para ver
o que estava acontecendo, antes de levantar ele se lembrou do segundo conselho e voltou a
dormir. Antes de voltar a pegar no sono, um tiro ecoou pelo corredor atingindo a cabeça do
colega de quarto que abriu bruscamente a porta para saber o que ocorria.
Horas viajando de ônibus no final da tarde, o lavrador finalmente chegara ao seu lar, podia
avistar as suas pequenas terras abaixo da colina e bem ao fundo, uma pequena casa de
madeira. Ele desceu por um caminho íngreme de terra sujando seus lustrosos sapatos de
couro. Ao chegar, cansado e com pouco fôlego, antes de bater na porta e gritar por sua
esposa, ele viu pela janela de vidro amarelado sua mulher chorando, deitada sobre o colo de
um jovem rapaz que acariciava seus cabelos. O lavrador abriu sua mala e pegando sua
pistola pronto para arrombar a porta e atirar nos dois, ele ainda cego pela ira, lembrou-se do
terceiro e ultimo conselho de seu Capo, mesmo furioso, guardou a arma no paletó, sentou-se
sobre um troco de madeira e passou a noite na porta da casa. Ao amanhecer a mulher abriu a
porta e se deparou com marido, mesmo com roupas caras, um corte de cabelo diferente e
uma boa aparência, ela o reconheceu e atirou-se em seus braços com tamanha alegria. Ele
indiferente, virou o rosto e permaneceu em silêncio. Sem saber o que acontecia, o garoto saiu
de casa atrás da mulher que chorava ao receber o visitante. Ao ver o jovem, o lavrador
esbravejou que sua esposa havia quebrado a sua promessa, que ele nunca a esquecera da
palavra por ele dada e com a esperança de um dia voltar nunca tocara em outra mulher. A
esposa, entendendo o que se passava, chamou o garoto pelo nome do esposo e ele a atendera,
ela segurou no ombro do rapaz e disse que aquele era seu filho tido há vinte anos e quando o
lavrador viajou para a América, ela estava grávida e apenas soube disso no primeiro mês
após sua partida. Ela foi até uma gaveta da cristaleira e pegou um amontoado de cartas
devolvidas por endereço inexistente na América, onde cada uma delas falava sobre a
gravidez, sobre o filho, sobre cada dia que passou sem seu marido. O lavrador reconhecendo
as suas feições no rosto de seu filho, não deixando dúvida alguma sobre seu parentesco, ele o
abraçou e o chamou de filho.
Durante a manhã, os três passaram conversando, o lavrador contou sobre o país, sobre Las
Vegas e com muita insistência de sua esposa, ele contou sobre com o que trabalhou e o que
fez na América quando era membro do clã. Durante o almoço, o lavrador desembrulhou o
pão dado por seu Capo, colocou sobre a mesa e comendo acompanhado de uma sopa de
vegetais, todos sentiram pedaços duros na massa, como cascalho, ao cuspir, revelou-se que
entre o pão havia dezenas de pequenos diamantes e outras pedras preciosas que valeriam
dezenas de milhões de dólares e esfarelando o pão o lavrador encontrou um bilhete escrito a
punho por seu Capo em dialeto siciliano:
“Filho, que Deus o guie em nossa querida terra, obrigado pelos anos de fidelidade. Mais
valioso do que todas essas pedras são os conselhos que te dei. Com eles eu ergui um império
e aplicando-os eu me mantive até os dias de hoje vivo dentre tantos leões. Se você tivesse
sido ganancioso, como erroneamente suspeitei, e escolhido o dinheiro ao invés dos
conselhos, jogando fora toda sabedoria adquirida ao compor está família, com toda certeza
eu o mataria. Cem anos e saúde.”

100
Faz frio em Palermo, nada melhor do que ir ao Al Fondaco del Conte, pedir que lhe encham
uma taça empoeirada com vinho, acender um cigarro e sentar-se longe dos clientes e de seus
murmúrios sobre o novo presidente da Itália, Sergio Mattarella.
Durante momentos tranquilos pode-se com maior facilidade refletir sobre as coisas ao
derredor, imagine o que não se pode refletir durante a tranquilidade de espírito?
E o que se pode chegar a conclusão com uma taça entre os dedos? É que a solidão é como o
vinho, poucos sabem realmente como apreciá-la.
Dizem que o vinho faz bem para o coração, a solidão também, e mais, faz bem para a mente,
principalmente daqueles que a usam como ferramenta principal de trabalho...

101
O homem paciente é o homem que controla. Ele é firme; constante em todas as coisas.
Quando pretende acabar com seus inimigos, começa por matar seu próprio ego.

Permanece à parte da sociedade externa, geralmente contra ela. Não tem pretensões. O que
ele tem é uma força interna que lhe confere presença, porque espera, planeja, e ataca somente
no momento da melhor chance de sucesso.

In verità; sabe que somente os tolos e imbecis di cazzo correm riscos, ao contrário, como
homem de negócios, ele assume riscos.
Correr riscos significa agir sem ter as informações necessárias, e sem o planejamento
adequado para alcançar o sucesso. É como andar em uma corda bamba sem possuir nenhuma
habilidade no equilíbrio. Acredita que assumir riscos significa conhecer o tamanho da
oportunidade e do problema, considerando seu fôlego para enfrentá-lo. É a atitude
inteligente, baseada na razão e no conhecimento e que, executada de forma implacável, o
difere dos perdedores.

Ele se lembra de tudo o que seja possível usar, aprendendo às custas dos outros, com seus
próprios erros e ainda mais com os de alheios.

Estuda o comportamento deles, verifica o que irá funcionar ou o que provavelmente não terá
efeito.
Enquanto seus oponentes pulam e se contorcem em impaciência, raiva e ansiedade, ele
espera, sondando as fraquezas.

A sua vida é toda feita de trabalho, autonegação, autoconfiança e autocontrole. Não culpa a
Deus pelos seus próprios fracassos, não responsabiliza o Diabo por seus eminentes erros, não
deposita os fatores de sua mediocridade e fraqueza na sociedade ao seu derredor, todavia
assume seus atos tornando-se ainda mais perspicaz.

Ele não busca confrontos; evita-os - a não ser que algo de extrema importância esteja em
jogo. Ao contrário, manobra em direção a seus objetivos. É astuto. Acima de tudo, sabe que é
importante, e isto lhe confere dignidade e atrai respeito.

No fim, tem plena certeza que o mundo dos negócios, legais ou paralelos, não fora feito para
os fracos, inocentes e moralistas utópicos. Dinheiro não nasce em árvores, para ganhá-lo,
naturalmente alguém terá de perdê-lo, seja de forma espontânea, por engodo ou de forma
mais brusca, não importa como, ele fará dinheiro e multiplicara-lo na medida exponencial de
suas oportunidades.

A partir do momento que passou a fazer parte da selva capitalista, a única característica que
lhe diferencia de um predador animal é a troca da carne crua pelas cédulas quentes...

"Tigres e leões são maiores, mas lobos não trabalham em circos...''

Cent'anni a tutti.
102
um homem se torna imortal quando seus medos não mais possuem influência sobre si, e se
torna forte quando aprende que a dor é a sensação da fraqueza sendo expelida pelo corpo e
pela mente.
Não existe glória no homem, mas o que ele é se seus atos não forem grandes?

103

Davvero;
Na Sicília, se seguir a via Francesco Crispi, observando no horizonte os navios e cruzeiros
atracados no Porto de Palermo, poderá presenciar dezenas de filas, a perder de vista, de
estivadores com sacos pesados em suas costas, balanceiros e atracadores fazendo o serviço
pesado junto aos barcos, pescadores chegando do mediterrâneo com dezenas de quilos de
pescado...

E qual seria a reflexão?

Ascolta!

Você poderá passar por lá, todos os dias do ano, em todas as temporadas, em todas as
estações, e aposto todas as minhas fichas, que jamais verá uma única mulher naquele meio,
no trabalho braçal...
E se neste passeio, pela madre ilha, abrires o jornal ''Giornale di Sicilia'' poderá muitas vezes
ler um coluna ou crônica, de algumas stupide femministe, falando sobre igualdade entre
gêneros, salários mais baixos para cargos iguais i non sanno cosa...

Ma bene, grandes capitalistas, na Itália ou no Brasil, não são imbecis ou sentimentais, amico
mio, o que importa é o lucro, questa è la verità!
Sendo eficiente para o cargo e gerando capital na empresa, ganhará o que merece. Acredita
mesmo que um empresário de respeito manteria um empregado inútil recebendo uma quantia
muito maior do que sua subalterna que tem todas as qualidades para gerir o cargo apenas
perché ele é homem e ela mulher? Vanffanculo! O capital fala mais alto.

Não importa se você é homem ou mulher, se tiver capacidade, inteligência e muita astúcia
para lutar e chegar ao topo, o sucesso será consequência, não do que você tem entre as
pernas, mas do que tem na cabeça.

Pedir igualdade para ser um CEO de uma grande empresa com salário altíssimo e
trabalhando sob um ar condicionado com vista para a cidade tutti vogliono, mas que tal
protestar em Frente a prefeitura de Palermo pedindo igualdade para trabalhar no Porto com
os estivadores, segurando sacos de sal e ração durante uma tarde ensolarada?

Cent'anni

104
Gregorio Gigliotti, um dos braços da 'Ndrangheta no Eua, foi preso recentemente por
autoridades americanas e italianas, che desmantelaram uma rede de tráfico de cocaína que
funcionava dentro de uma pizzaria em Nova York, um esquema a moda antiga. O FBI
calculou que o volume de negócios de tráfico intercontinental executado na pizzaria era de
70.000 milhões dólares mensais.
A pizzaria ''Cucino a modo mio'' no Queens, (51-01 108 St
Corona, NY 11368
Estados Unidos) era gerida pela famiglia italiana Gigliotti e era o centro de uma conexão que
contrabandeou cocaína em forros de caixas de papelão contendo mandioca e frutas tropicais
vindas do Brasil, Bolívia, Colômbia e Paraguai.
O FBI interceptou ligações onde Gregorio se vangloriava com sua esposa de ter comido o
coração e o rim de um rival e queria dissolver outros dois em ácido sulfúrico...
Allora, a 'Ndrangheta acreditava mesmo que poderia desenvolver e monopolizar um negócio
de drogas, lucrando 840.000.000 Milhões de dólares anuais, em plena New York, território
nativo das Cinque Famiglie do sindicato da Cosa Nostra Americana? Acreditava que
mobilizaria mais de meio bilhão de dólares sem subornar políticos, juízes, promotores,
chefes do departamento de polícia distrital e do departamento de Narcóticos, todos dos quais
estão nas mãos do Sindicato? Davvero, acreditava.

105
O homem é como uma videira, precisa de obstáculos para crescer.

A Videira Catarratto ou uva branca, como preferir, é comumente cultivada em terras


sicilianas, os vinhos dessa espécie são aromáticos e de boa estrutura.
Dessa uva são produzidos desde um vinho-licor Likorwein da Sicília até o Vermut. Existe
esta cultura de uva por todos os cantos, desde pequenos quintais até grandes plantações.
Allora, a Catarratto, mesmo que seja plantada na melhor terra, irrigada e adubada da melhor
forma, se for cultivada rasteiramente, não chegará a crescer muito depois do broto, em pouco
tempo se tornará mirrada não passando de simples ramos secos. , você pensa, Ma che Cazzo
essa página está falando? Amico, avere sale in zucca, tenha bom senso de entender a
reflexão.
Caminhando sobre as íngremes ruas sicilianas da Catânia, compostas por pedras das rochas
do Etna, podíamos observar uma senhora, já surrada pela idade, (la vecchiaia è una grave
soma), che mesmo com tantos janeiros nas costas, a vecchia com bastante dificuldade,
colocando estacas de madeira e grades de ferro embaixo de uma videira, de forma a criar
obstáculos para os ramos, entretanto o objetivo daquela mulher não era dificultar o
crescimento e o desenvolvimento da planta, exatamente o contrário.
Ela visava que a planta espalhasse pelas estacas, expandisse sua forma física e tomasse as
grades como suporte para seus frutos.
A simples cena vista durante a manhã serviria como um buono consigli a página.

Ascolta: La vita, miei cari amici, é como aquela vecchia mulher, muitas vezes temos estacas,
grades, seja lá che diavolo, colocadas na nossa frente. Então podemos parar nossa
caminhada, dizer vaffanculo para Deus e pedir que as coisas se tornem fáceis.
Caso esta seja a sua escolha, você mirrará como um ramo de Catarratto e secará em pouco
tempo, se tornando um fraco, farabutto e imbecil homem. Contudo, se tiver um bom ponto
de vista, e souber transformar obstáculos em oportunidades, você desenvolverá suas forças,
expandirá sua resistência, terá ampla experiência e fará como uma videira, subindo pelas
estacas da vida e passando pelas íngremes grades para frutificar as uvas que fazem o mais
belo e saboroso vinho.
Assumir riscos, enfrentar problemas, bater frente a frente com os inimigos, buscar vencer a
guerra antes de obter a paz, isto é a verdadeira frutificação do homem de honra.
O sucesso não tem nada a ver com “tudo dando certo’’, ou com l'assenza di problemi, o
sucesso financeiro, pessoal, amoroso, é simplesmente, levantar após as quedas, é deixar de
cair no mesmo buraco onde pisou antes, é superar os problemas da vida, é ser forte e firme
nas adversidades e sobre tudo, sucesso não significa totalmente sair vitorioso, mas sim, sair
sempre lucrando...
106
Infatti a Cosa Nostra Americana revolucionou-se e teve um enorme auge durante os anos 60
e 70 na América, isto perchè inúmeros membros e associados entre 18 e 25 anos, presos por
diversos crimes como extorsão, assassinato, associação a organização criminosa, corrupção e
conspiração política, receberam um indulto de liberdade caso se alistassem no exército para
combaterem no Vietnã (Assim como foi feito na segunda guerra mundial).

Uma ordem da alta cúpula da Cosa Nostra permitiu que estes jovens, na flor da idade e
sentenciados a dezenas de anos de reclusão, tivessem uma chance de se reerguerem.

Para quem não tinha nada a perder, era como diziam; Tutto o niente!

Estima-se que entre 1955 e 30 de abril de 1975, mais de mil e duzentos membros da Cosa
Nostra Americana haviam sido enviados para combate no Vietnã. Desse número, oitocentos
voltaram para a América, o resto, não se sabem se morreram em combate ou se fugiram para
outro país.

Os combatentes retornaram da guerra completamente mudados, com uma outra visão de


mundo, estes jovens logo entraram na linha de frente, não de uma guerra de interesses ou
ideologias como foi no Vietnã, mas uma guerra de negócios no sub-mundo.

O que era invadir um restaurante e disparar contra cinco homens, de uma família rival,
almoçando calmamente, para quem havia cruzado um campo minado no seio do território
dos vietcongues?

O que era cumprir uma simples ordem do capo para espancamento de um comerciante que
recusava pagar o pizzo, para quem cumpria ordens de um sargento ordenando-o a matar uma
família vietnamita inteira?

Nesse período de final e de pós guerra, a Cosa Nostra Americana tomou proporções
enormes, sendo tão temida quanto nos anos de ouro da lei seca.
O F.B.I entrou em colapso nervoso, as autoridades e políticos não sabiam o que fazer, existia
nas ruas de New York, New Jersey, Califórnia, Filadélfia, Chicago e Boston, uma máfia que
implacavelmente vinha assassinando seus rivais com técnicas de guerrilha sem deixar rastros
e com uma influência política jamais vista.

Diante de tamanho poder criminal, o Governo dos Estados Unidos da América do Norte,
criaram ás pressas um dos principais instrumentos para o combate ao crime organizado da
Cosa Nostra, a lei R.I.C.O ou a Lei de Combate a Organizações Corruptas e Influenciadas
pelo Crime Organizado (no inglês, Racketeer Influenced and Corrupt Organizations - RICO -
Act). Esta lei entrou em vigor com a finalidade específica de ajudar no combate à máfia.

A lei conseguia isso ao permitir que os promotores de justiça perseguissem organizações


inteiras. O "racketeering" (algo como empresa criminosa, é o delito criado pela lei com base
no termo que descreve os esquemas mafiosos, os "rackets") é a prática de se obter recursos
financeiros através da participação em qualquer empreendimento que siga um padrão
correspondente a uma atividade de enriquecimento ilícito.
Enviar membros da Cosa Nostra para uma guerra, com o intuito de economizar verbas no
sistema carcerário, reforçar os pelotões americanos no Vietnã e deixá-los que morressem em
campo, foi um belo tiro que saiu pela culatra do governo Norte Americano...

Cent'anni!

(Buonanima aos membros da sacra Cosa Nostra mortos em combate por um Estado que
sempre os renegaram, buongiorno Vietnam

107
"Questa è la madre di cosa nostra, Sacro Ordine di Malta, spada e scudo della Sicilia..."

Decreto contra o comunismo documento da Igreja Católica, publicado pelo Santo Ofício no
dia 1 de Julho de 1949, durante o pontificado do Papa Pio XII. Este documento confirma a
excomunhão automática ipso facto (ou latae sententiae) de todos os católicos que, em
obstinação consciente, defendem abertamente o comunismo e colaborem com organizações
comunistas e afins.

CARTA ENCÍCLICA
DIVINIS REDEMPTORIS
DE SUA SANTIDADE
PAPA PIO XI
AOS VENERÁVEIS IRMÃOS,
PATRIARCAS, PRIMAZES, ARCEBISPOS,
BISPOS E DEMAIS ORDINÁRIOS
EM PAZ E COMUNHÃO COM A SÉ APOSTÓLICA

(tradução para o português)

SOBRE O COMUNISMO ATEU

INTRODUÇÃO
I - ATITUDE DA IGREJA PERANTE O COMUNISMO
II - DOUTRINA E FRUTOS DO COMUNISMO
III - LUMINOSA DOUTRINA DA IGREJA, OPOSTA AO COMUNISMO
IV - REMÉDIOS E MEIOS
V - MINISTROS E AUXILIARES DESTA OBRA SOCIAL DA IGREJA
CONCLUSÃO

INTRODUÇÃO

1. A promessa dum Redentor divino ilumina a primeira página da história da humanidade; e


assim a firmíssima esperança de melhores dias, assim como suavizou a dor causada pela
perda do paraíso de delícias, assim foi acompanhando os homens através do seu caminho de
amarguras e inquietações, até que enfim, quando chegou a plenitude do tempo, o nosso
Salvador, vindo à terra, cumulou as ânsias dessa tão longa expectação da humanidade e
inaugurou para todos os povos uma nova civilização cristã, que vence e quase imensamente
supera a que algumas nações mais privilegiadas atingiram, à custa dos maiores esforços e
trabalhos.

2. Depois da miserável queda de Adão, como conseqüência dessa mácula hereditária,


começou a travar-se o duro combate da virtude contra os estímulos dos vícios; e jamais
cessou aquele antigo e astuto tentador de enganar a sociedade com promessas falazes. É por
isso que, pelos séculos afora, as perturbações se têm sucedido umas às outras até à revolução
dos nossos dias, a qual ou já surge furiosa ou pavorosamente ameaçada atear-se em todo o
universo e parece ultrapassar em violência e amplitude todas as perseguições que a Igreja
tem padecido; a tal ponto que povos inteiros correm perigo de recair em barbárie, muito mais
horrorosa do que aquela em que jazia a maior parte do mundo antes da vinda do divino
Redentor.

3. Vós, sem dúvida, Veneráveis Irmãos, já percebestes de que perigo ameaçador falamos: é
do comunismo, denominado bolchevista e ateu, que se propõe como fim peculiar
revolucionar radicalmente a ordem social e subverter os próprios fundamentos da civilização
cristã.

I - ATITUDE DA IGREJA PERANTE O COMUNISMO

CONDENAÇÕES ANTERIORES

4. Mas diante destas ameaçadoras tentativas, não podia calar-se nem de fato se calou a Igreja
Católica. Não se calou esta Sé Apostólica, que muito bem conhece que tem por missão
peculiar defender a verdade, a justiça e todos os bens imortais, que o comunismo despreza e
impugna. Já desde os tempos em que certas classes de eruditos pretenderam libertar a
civilização e cultura humanística dos laços da religião e da moral, os Nossos Predecessores
julgaram que era seu dever chamar a atenção do mundo, em termos bem explícitos, para as
conseqüências da descristianização da sociedade humana. E pelo que diz respeito aos erros
dos comunistas, já em 1846, o Nosso Predecessor de feliz memória, Pio IX, os condenou
solenemente, e confirmou depois essa condenação no Sílabo. São estas as palavras que
emprega na Encíclica Qui pluribus: “Para aqui (tende) essa doutrina nefanda do chamado
comunismo, sumamente contrária ao próprio direito natural, a qual, uma vez admitida,
levaria à subversão radical dos direitos, das coisas, das propriedades de todos e da própria
sociedade humana” (Encíclica Qui pluribus, 9 de novembro de 1846: Acta Pii IX, vol. I, pág.
13. Cf. Sílabo, IV: A.A.S., vol. III, pág. 170). Mais tarde, outro Predecessor Nosso de imortal
memória, Leão XIII, na sua Encíclica Quod Apostolici muneris (28 de dezembro de 1878:
Acta Leonis XIII, vol. I, pág. 40), assim descreveu distinta e expressamente esses mesmos
erros: “Peste mortífera, que invade a medula da sociedade humana e a conduz a um perigo
extremo”; e com a clarividência do seu espírito luminoso demonstrou que o movimento
precipitado das multidões para a impiedade do ateísmo, numa época em que tanto se
exaltavam os progressos da técnica, tivera origem nos desvarios duma filosofia que de há
muito porfia por separar a ciência e a vida da fé da Igreja.
ATOS DO PRESENTE PONTIFICADO

5. Nós também no decurso do Nosso Pontificado, com insistente solicitude fomos várias
vezes denunciando as correntes desta impiedade que víamos crescendo e rugindo cada vez
mais ameaçadoras. Efetivamente, quando em 1924 voltava da Rússia a Nossa missão de
socorro, numa alocução especial dirigida ao universo católico (18 de dezembro de 1924:
A.A.S., vol. XVI (1924), págs. 494-495), condenamos os erros e processos dos comunistas.
E pelas Encíclicas Miserentissimus Redemptor (8 de maio de 1928: A.A.S., vol. XX (1928),
págs. 165-178), Quadragesimo anno (15 de maio de 1931: A.A.S., vol. XXIII (1931), págs.
177-228), Caritate Christi (3 de maio de 1932: A.A.S., vol. XXIV (1932), págs. 177-194),
Acerba animi (29 de setembro de 1932: A.A.S., vol. XXIV (1932), págs. 321-332),
Dilectissima Nobis (3 de junho de 1933: A.A.S., vol. XXV (1933), págs. 261-274),
levantamos a voz em solenes protestos contra as perseguições desencadeadas contra o nome
cristão, tanto na Rússia, como no México, como finalmente na Espanha. E estão ainda bem
frescas na memória as alocuções por Nós pronunciadas, o ano passado, quer por ocasião da
inauguração da Exposição mundial da Imprensa Católica, quer na audiência concedida aos
refugiados espanhóis, quer também em Nossa Mensagem radiofônica pela festa do santo
Natal. Até os mais encarniçados inimigos da Igreja, que desde Moscou, sua capital, dirigem
esta luta contra a civilização cristã, até eles mesmos, com seus ataques ininterruptos, dão
testemunho, não tanto por palavras como por atos, que o Sumo Pontificado, ainda em nossos
tempos, não só não cessou de tutelar com toda a fidelidade o santuário da religião cristã, mas
tem dado voz de alarme contra o enorme perigo comunista, com mais freqüência e maior
força persuasiva que nenhum outro poder público deste mundo.

NECESSIDADE DE UM NOVO DOCUMENTO SOLENE

6. Não obstante, posto que temos renovado tão repetidamente estas paternais advertências,
que vós, Veneráveis Irmãos, em tantas cartas pastorais, algumas delas coletivas,
diligentemente comentastes e transmitistes aos fiéis, ainda assim este perigo, com o impulso
de hábeis agitadores, mais e mais se vai agravando de dia para dia. É por isso que julgamos
dever Nosso levantar de novo a voz; e fá-lo-emos por meio deste documento de maior
solenidade, como é costume desta Sé Apostólica, mestra da verdade; e com tanto maior
satisfação o faremos, quando é certo que assim correspondemos aos desejos de todo o
universo católico. Confiamos até que o eco da nossa voz será acolhido de bom grado por
todos aqueles que, de espírito liberto de preconceitos, desejem sinceramente o bem da
humanidade. Esta nossa confiança vem em certo modo aumentá-la o fato de vermos estas
Nossas admoestações confirmadas pelos péssimos frutos, que Nós prevíramos e
anunciáramos haviam de brotar das idéias subversivas, e que de fato se vão pavorosamente
multiplicando nas regiões já dominadas pelo comunismo, ou ameaçam invadir rapidamente
os outros países do mundo.

7. Queremos, pois, mais uma vez expor, como em breve síntese, os sofismas teóricos e
práticos do comunismo, como eles se manifestam principalmente nos princípios e métodos
da ação do bolchevismo: a esses sofismas, todos falsidade e ilusão, contrapor a luminosa
doutrina da Igreja; e de novo exortar a todos insistentemente a lançar mãos dos meios, com
que é possível não somente livrar e salvaguardar deste horrendo flagelo a civilização cristã, a
única em que pode subsistir uma sociedade verdadeiramente humana, mas ainda fazê-la
avançar, a passo cada dia mais acelerado, para o genuíno progresso da humanidade.

II - DOUTRINA E FRUTOS DO COMUNISMO

DOUTRINA

Falso ideal

8. A doutrina comunista que em nossos dias se apregoa, de modo muito mais acentuado que
outros sistemas semelhantes do passado, apresenta-se sob a máscara de redenção dos
humildes. E um pseudo-ideal de justiça, de igualdade e de fraternidade universal no trabalho
de tal modo impregna toda a sua doutrina e toda a sua atividade dum misticismo hipócrita,
que as multidões seduzidas por promessas falazes e como que estimuladas por um contágio
violentíssimo lhes comunica um ardor e entusiasmo irreprimível, o que é muito mais fácil em
nossos dias, em que a pouco eqüitativa repartição dos bens deste mundo dá como
conseqüência a miséria anormal de muitos. Proclamam com orgulho e exaltam até esse
pseudo-ideal, como se dele se tivesse originado o progresso econômico, o qual, quando em
alguma parte é real, tem explicação em causas muito diversas, como, por exemplo, a
intensificação da produção industrial, introduzida em regiões que antes nada disso possuíam,
a valorização de enormes riquezas naturais, exploradas com imensos lucros, sem o menor
respeito dos direitos humanos, o emprego enfim da coação brutal que dura e cruelmente
força os operários a pesadíssimos trabalhos com um salário de miséria.

Materialismo evolucionista de Marx

9. Ora, a doutrina que os comunistas em nossos dias espalham, proposta muitas vezes sob
aparências capciosas e sedutoras, funda-se de fato nos princípios do materialismo chamado
dialético e histórico, ensinado por Karl Marx, de que os teóricos do bolchevismo se gloriam
de possuir a única interpretação genuína. Essa doutrina proclama que não há mais que uma
só realidade universal, a matéria, formada por forças cegas e ocultas, que, através da sua
evolução natural, se vai transformando em planta, em animal, em homem. Do mesmo modo,
a sociedade humana, dizem, não é outra coisa mais do que uma aparência ou forma da
matéria, que vai evolucionando, como fica dito, e por uma necessidade inelutável e um
perpétuo conflito de forças, vai pendendo para a síntese final: uma sociedade sem classes. É,
pois, evidente que neste sistema não há lugar sequer para a idéia de Deus; é evidente que
entre espírito e matéria, entre alma e corpo não há diferença alguma; que a alma não
sobrevive depois da morte, nem há outra vida depois desta. Além disso, os comunistas,
insistindo no método dialético do seu materialismo, pretendem que o conflito, a que acima
Nos referimos, o qual levará a natureza à síntese final, pode ser acelerado pelos homens. É
por isso que se esforçam por tornarem mais agudos os antagonismos que surgem entre as
várias classes, da sociedade, porfiando porque a luta de classes, tão cheia, infelizmente, de
ódios e de ruínas, tome o aspecto de uma guerra santa em prol do progresso da humanidade;
e até mesmo, porque todas as barreiras que se opõem a essas sistemáticas violências, sejam
completamente destruídas, como inimigas do gênero humano.

A que se reduzem o homem e a família


10. Além disso, o comunismo despoja o homem da sua liberdade na qual consiste a norma da
sua vida espiritual; e ao mesmo tempo priva a pessoa humana da sua dignidade, e de todo o
freio na ordem moral, com que possa resistir aos assaltos do instinto cego. E, como a pessoa
humana, segundo os devaneios comunistas, não é mais do que, para assim dizermos, uma
roda de toda a engrenagem, segue-se que os direitos naturais, que dela procedem, são
negados ao homem indivíduo, para serem atribuídos à coletividade. Quanto às relações entre
os cidadãos, uma vez que sustentam o princípio da igualdade absoluta, rejeitam toda a
hierarquia e autoridade, que proceda de Deus, até mesmo a dos pais; porquanto, como
asseveram, tudo quanto existe de autoridade e subordinação, tudo isso, como de primeira e
única fonte, deriva da sociedade. Nem aos indivíduos se concede direito algum de
propriedade sobre bens naturais ou sobre meios de produção; porquanto, dando como dão
origem a outros bens, a sua posse introduz necessariamente o domínio de um sobre os outros.
E é precisamente por esse motivo que afirmam que qualquer direito de propriedade privada,
por ser a fonte principal da escravidão econômica, tem que ser radicalmente destruído.

11. Além disto, como esta doutrina rejeita e repudia todo o caráter sagrado da vida humana,
segue-se por natural conseqüência que para ela o matrimônio e a família é apenas uma
instituição civil e artificial, fruto de um determinado sistema econômico: por conseguinte,
assim como repudia os contratos matrimoniais formados por vínculos de natureza jurídico-
moral, que não dependam da vontade dos indivíduos ou da coletividade, assim rejeita a sua
indissolúvel perpetuidade. Em particular, para o comunismo não existe laço algum da mulher
com a família e com o lar. De fato, proclamando o princípio da emancipação completa da
mulher, de tal modo a retira da vida doméstica e do cuidado dos filhos que a atira para a
agitação da vida pública e da produção coletiva, na mesma medida que o homem. Mais
ainda: os cuidados do lar e dos filhos devolve-os à coletividade. Rouba-se enfim aos pais o
direito que lhes compete de educar os filhos, o qual se considera como direito exclusivo da
comunidade, e por conseguinte só em nome e por delegação dela se pode exercer.

Em que se converteria a sociedade

12. Que viria a ser, então, a sociedade humana, baseada em tais fundamentos materialistas?
Viria a ser uma coletividade, sem outra hierarquia mais do que a derivada do sistema
econômico. Teria por missão única a produção de riqueza por meio do trabalho coletivo, e
único fim o gozo dos bens da terra num paraíso ameníssimo de delícias onde cada qual
“produziria conforme as suas forças e receberia conforme as suas necessidades”. É também
de notar que o comunismo reconhece igualmente à coletividade o direito, ou antes a
arbitrariedade quase ilimitada, de sujeitar os indivíduos ao jugo do trabalho coletivo, sem a
menor consideração do seu bem-estar pessoal; mais ainda, o direito de os forçar contra a sua
vontade e até pela violência. E nesta sociedade comunista proclamam que tanto a moral
como a ordem jurídica não brotam de outra fonte mais do que do sistema econômico do
tempo o que, por conseguinte, de sua natureza são valores terrestres transitórios e mudáveis.
Em suma, para resumirmos tudo em poucas palavras, pretendem introduzir uma nova ordem
de coisas e inaugurar uma era nova de mais alta civilização, produto unicamente duma cega
evolução da natureza: “uma humanidade que tenha expulsado a Deus da terra”.

13. E, quando as qualidades e disposições de espírito, que se requerem para realizar


semelhante sociedade, tiverem sido alcançadas por todos em tal grau, que por fim tenha
surgido aquele ideal utópico de sociedade, que eles sonham, sem distinção de classes então o
Estado político, que ao presente unicamente se organiza como instrumento de domínio dos
capitalistas sobre os proletários, perderá totalmente a razão de ser e, por necessidade natural,
se dissolverá! Todavia, enquanto se não tiver chegado a essa idade de ouro, os comunistas
empregam o governo e o poder público como o mais eficaz e universal instrumento, para
atingirem o seu fim.

14. Aqui tendes, Veneráveis Irmãos, diante dos olhos do espírito, a doutrina que os
comunistas bolchevistas e ateus pregam à humanidade como novo evangelho, e mensagem
salvadora de redenção! Sistema cheio de erros e sofismas, igualmente oposto à revelação
divina e à razão humana; sistema que, por destruir os fundamentos da sociedade, subverte a
ordem social, que não reconhece a verdadeira origem, natureza e fim do Estado; que rejeita
enfim e nega os direitos, a dignidade e a liberdade da pessoa humana.

DIFUSÃO

Promessas fascinadoras

15. Mas donde vem que tal sistema, que a ciência já há muito ultrapassou e a realidade dos
fatos vai cada dia refutando, possa difundir-se tão rapidamente por todas as partes do
mundo? Facilmente poderemos compreender esse fenômeno, se refletirmos que são muito
poucas as pessoas que têm penetrado a fundo a verdadeira natureza e fim do comunismo; ao
passo que são muitíssimos os que cedem facilmente à tentação, habilmente apresentada sob
as promessas mais deslumbrantes. É que os propagandistas deste sistema afivelam esta
máscara de verdade, a saber: que não querem outra coisa mais que melhorar a sorte das
classes trabalhadoras; que pretendem não somente dar remédio oportuno aos abusos
provocados pela economia liberal, mas também conseguir uma distribuição mais eqüitativa
dos bens terrenos: objetivos estes que certamente ninguém nega se possam atingir por meios
legítimos. Contudo os comunistas, por esses processos, explorando sobretudo a crise
econômica, que em toda a parte se sente, conseguem atrair ao seu partido aqueles mesmos
que, em virtude da doutrina que professam, abominam os princípios do materialismo e os
monstruosos crimes que não raro se perpetram. E, como em qualquer erro há sempre
qualquer centelha de verdade, como acima vimos que sucedia até mesmo nesta questão, este
aspecto de verdade põem-no em relevo com requintada habilidade, com o fim de
dissimularem e ocultarem, quanto convém, aquela odiosa e desumana brutalidade dos
princípios e dos métodos de comunismo; e desse modo conseguem seduzir até espíritos nada
vulgares, os quais muitas vezes a tal ponto se deixam entusiasmar que eles próprios se
tornam uma espécie de apóstolos, que vão extraviar com esses erros sobretudo os jovens,
facilmente expostos a se deixarem enredar por esses sofismas. Além disso, os arautos do
comunismo não ignoram que podem tirar partido, tanto dos antagonismos de raça como das
dissensões e lutas em que se entrechocam as diferentes facções políticas, como enfim
daquela desorientação que lavra no campo da ciência, onde a própria idéia de Deus emudece,
para se infiltrarem nas Universidades e corroborarem os princípios da sua doutrina com
argumentos pseudocientíficos.

O liberalismo preparou o caminho ao comunismo


16. Mas, para mais facilmente se compreender como é que puderam conseguir que tantos
operários tenham abraçado, sem o menor exame, os seus sofismas, será conveniente recordar
que os mesmos operários, em virtude dos princípios do liberalismo econômico, tinham sido
lamentavelmente reduzidos ao abandono da religião e da moral cristã. Muitas vezes o
trabalho por turnos impediu até que eles observassem os mais graves deveres religiosos dos
dias festivos; não houve o cuidado de construir igrejas nas proximidades das fábricas, nem
de facilitar a missão do sacerdote; antes pelo contrário, em vez de se lhes pôr embargo, cada
dia mais e mais se foram favorecendo as manobras do chamado laicismo. Aí estão, agora, os
frutos amargosíssimos dos erros que os Nossos Predecessores e Nós mesmo mais de uma vez
temos preanunciado. E assim, por que nos havemos de admirar, ao vermos que tantos povos,
largamente descristianizados, vão sendo já pavorosamente inundados e quase submergidos
pela vaga comunista?

Propaganda astuta e vastíssima

17. Além disso, a difusão tão rápida das idéias comunistas que se vão sorrateiramente
infiltrando por países grandes ou pequenos, cultos ou menos civilizados, e até nas partes
mais remotas do globo, tem sem dúvida por causa esse fanatismo de propaganda
encarniçada, como talvez nunca se viu no mundo. E essa propaganda, emanada duma fonte
única, adapta-se astutamente às condições particulares dos povos; dispõe de grandes meios
financeiros, de inúmeras organizações, de congressos internacionais concorridíssimos, de
forças compactas e bem disciplinadas; propaganda quer por jornais, revistas e folhas
volantes, pelo cinema, pelo teatro, pela radiofonia, pelas escolas enfim e pelas
Universidades, pouco a pouco vai invadindo todos os meios ainda os melhores, sem darem
talvez pelo veneno, que cada vez mais vai infeccionando os espíritos e os corações.

Conspiração do silêncio na imprensa

18. Outro auxiliar poderoso, que contribui para a avançada do comunismo, é sem dúvida a
conspiração do silêncio na maior parte da imprensa mundial, que não se conforma com os
princípios católicos. Conspiração dizemos: porque aliás, não se explica facilmente como é
que uma imprensa, tão ávida de esquadrinhar e publicar até os mínimos incidentes da vida
cotidiana, sobre os horrores perpetrados na Rússia, no México e numa grande parte de
Espanha pode guardar, há tanto tempo, absoluto silêncio; e da seita comunista, que domina
em Moscou e tão largamente se estende pelo universo em poderosas organizações, fala tão
pouco. Mas todos sabem que esse silêncio é em grande parte devido a exigências duma
política, que não segue inteiramente os ditames da prudência civil; e é aconselhável e
favorecido por diversas forças ocultas que já há muito porfiam por destruir a ordem social
cristã.

DEPLORÁVEIS CONSEQÜÊNCIAS

Rússia e México

19. Entretanto, aí estão à vista os deploráveis frutos dessa propaganda fanática. Porque, onde
quer que os comunistas conseguiram radicar-se e dominar, - e aqui pensamos com particular
afeto paterno nos povos da Rússia e do México, - aí, como eles próprios abertamente o
proclamam, por todos os meios se esforçaram por destruir radicalmente os fundamentos da
religião e da civilização cristãs, e extinguir completamente a sua memória no coração dos
homens, especialmente da juventude. Bispos e sacerdotes foram desterrados, condenados a
trabalhos forçados, fuzilados, ou trucidados de modo desumano; simples leigos, tornados
suspeitos por terem defendido a religião, foram vexados, tratados como inimigos, e
arrastados aos tribunais e às prisões.

Horrores do comunismo em Espanha

20. Até em países, onde - como sucede na Nossa amadíssima Espanha - não conseguiu ainda
a peste e o flagelo comunista produzir todas as calamidades dos seus erros, desencadeou
contudo, infelizmente, uma violência furibunda e irrompeu em funestíssimos atentados. Não
é esta ou aquela igreja destruída, este ou aquele convento arruinado; mas, onde quer que lhes
foi possível, todos os templos, todos os claustros religiosos, e ainda quaisquer vestígios da
religião cristã, posto que fossem monumentos insignes de arte e de ciência, tudo foi
destruído até os fundamentos! E não se limitou o furor comunista a trucidar bispos e muitos
milhares de sacerdotes, religiosos e religiosas, alvejando dum modo particular aqueles e
aquelas que se ocupavam dos operários e dos pobres; mas fez um número muito maior de
vítimas em leigos de todas as classes, que ainda agora vão sendo imolados em carnificinas
coletivas, unicamente por professarem a fé cristã, ou ao menos por serem contrários ao
ateísmo comunista. E esta horripilante mortandade é perpetrada com tal ódio e tais requintes
de crueldade e selvajaria, que não se julgariam possíveis em nosso século.

Ninguém de são critério, quer seja simples particular, quer homem de Estado, cônscio da sua
responsabilidade, ninguém absolutamente, repetimos, pode deixar de estremecer de sumo
horror, se refletir que tudo quanto hoje está sucedendo na Espanha, pode amanhã repetir-se
também em outras nações civilizadas.

Frutos naturais do sistema

21. Nem se pode asseverar que semelhantes atrocidades são conseqüências fatais de todas as
grandes revoluções, como excessos esporádicos de exasperação, comuns a qualquer guerra:
não, são frutos naturais do sistema, cuja estrutura não obedece a freio algum interno. Um
freio é necessário ao homem, tanto individualmente como socialmente considerado; e é por
isso que até os povos bárbaros reconheceram o vínculo da lei natural, esculpida por Deus na
alma de cada homem. E, quando a observância dessa lei foi tida por todos como um dever
sagrado, viram-se nações antigas atingir um tal esplendor de grandeza, que espanta, ainda
mais até do que é razão, aqueles que só superficialmente compunham os documentos da
história humana. Mas quando se arranca das mentes dos cidadãos a própria idéia de Deus,
necessariamente os veremos precipitar-se na crueldade mais selvagem, e na ferocidade dos
costumes. Luta contra tudo o que é divino

Luta contra tudo o que se chama Deus

22. É este o espetáculo que atualmente com suma dor contemplamos: pela primeira vez na
história estamos assistindo a uma insurreição, cuidadosamente preparada e calculadamente
dirigida contra “tudo o que se chama Deus” (cfr. 2 Tess 1, 4). Efetivamente, o comunismo
por sua natureza opõe-se a qualquer religião, e a razão por que a considera como o “ópio do
povo”, é porque os seus dogmas e preceitos, pregando a vida eterna depois desta vida mortal,
apartam os homens da realização daquele futuro paraíso, que são obrigados a conseguir na
terra.

O terrorismo

23. Mas não é impunemente que se despreza a lei natural e o seu autor, Deus; a conseqüência
é que os esforços dos comunistas, assim como nem sequer no campo econômico puderam até
hoje realizar o seu desígnio, assim também no futuro jamais o poderão conseguir. Não
negamos que esses esforços na Rússia contribuíram não pouco para sacudir os homens e as
suas instituições, daquela longa e secular inércia em que jaziam, e que puderam, empregando
todos os meios e processos; ainda mesmo ilegitimamente, fazer alguma coisa para promover
o progresso material; mas sabemos por testemunhos absolutamente insuspeitos, e alguns bem
recentes ainda, que de fato nem sequer neste ponto se conseguiu o que tanto se prometera. E
não se esqueça, que aquela ditadura, toda terrorismo e crueldade, impôs a inumeráveis
cidadãos o jugo da escravidão. Porque é de notar que também no terreno econômico é
imprescindível alguma norma de probidade a que se conforme, por dever de consciência,
quem exerce algum cargo; ora isso é indiscutível que o não podem dar os princípios
comunistas, nascidos dos sofismas do materialismo. Por conseguinte, nada mais resta do que
aquele pavoroso terrorismo que se está vendo na Rússia, onde os antigos camaradas de
conspiração e de luta se vão dando a morte uns aos outros; mas esse terrorismo criminoso,
longe de conseguir pôr um dique à corrupção dos costumes, nem sequer pode evitar a
dissolução da estrutura social. Um pensamento paternal para os povos oprimidos da Rússia

UM PENSAMENTO PATERNAL AOS POVOS OPRIMIDOS, NA RÚSSIA

24. Com isto, porém, não é nossa intenção condenar em massa os povos da União Soviética,
aos quais, pelo contrário, consagramos o mais vivo afeto paterno. É que, de fato, sabemos
que muitos deles gemem sob o jugo da mais iníqua escravidão, que lhes foi imposta por
homens, pela maior parte estranhos aos verdadeiros interesses daquele povo; e que muitos
outros foram enganados por promessas e esperanças falazes. O que Nós condenamos é o
sistema e seus autores e fautores que consideraram aquela nação como o terreno mais apto
para lançarem a semente do seu sistema, há muito tempo preparada, e de lá a disseminarem
por todas as regiões do globo.

III - LUMINOSA DOUTRINA DA IGREJA, OPOSTA AO COMUNISMO

25. Depois de termos focado os erros e os processos sedutores e violentos do comunismo


bolchevista e ateu, é já tempo, Veneráveis Irmãos, de opor-lhe sumariamente a verdadeira
noção da “Cidade humana”, que é tal como perfeitamente sabeis, qual no-la ensinam a razão
humana e a revelação Divina, por intermédio da Igreja, Mestra dos povos.

SUPREMA REALIDADE: DEUS!

26. E antes de mais nada importa observar que acima de todas as demais realidades, está o
sumo, único e supremo Espírito, Deus, Criador onipotente de todo o universo, Juiz
sapientíssimo e justíssimo de todos os homens. Este Ser supremo, que é Deus, é a refutação e
condenação mais absoluta das impudentes e mentirosas falsidades do comunismo. E na
verdade, não é porque os homens crêem em Deus, que Deus existe; mas porque Deus existe
realmente, por isso crêem nele e lhe dirigem as suas súplicas todos quantos não cerram
pertinazmente os olhos do espírito à luz da verdade.

QUE SÃO O HOMEM E A FAMÍLIA, SEGUNDO A RAZÃO E A FÉ

27. Quanto ao homem, o que a fé católica e a nossa razão ensinam, já Nós, ao explanarmos
os pontos fundamentais desta doutrina, o propusemos na Encíclica sobre a educação cristã da
juventude (Encíclica Divini illius Magistri, 31 de dezembro de 1929: A.A.S., vol. XXII
(1930), págs. 49-86). O homem tem uma alma espiritual e imortal; e, assim como é uma
pessoa, dotada pelo supremo Criador de admiráveis dons de corpo e de espírito assim se
pode chamar, como diziam os antigos, um verdadeiro “microcosmo”, isto é, um pequeno
mundo, por isso que de muito longe transcende e supera a imensidade dos seres do mundo
inanimado. Não somente nesta vida mortal, mas também na que há de permanecer
eternamente, o seu fim supremo é unicamente Deus; e, tendo sido elevado pela graça
santificante à dignidade de filho de Deus, é incorporado no Reino de Deus, no corpo místico
de Jesus Cristo. Conseqüentemente, dotou-o Deus de múltiplas e variadas prerrogativas, tais
como: direito à vida, à integridade do corpo, aos meios necessários à existência; direito de
tender ao seu último fim, pelo caminho traçado por Deus; direito enfim de associação, de
propriedade particular, e de usar dessa propriedade.

28. Além disso, assim como o matrimônio e o direito ao seu uso natural são de origem
divina, assim também a constituição e as prerrogativas fundamentais da família derivam, não
do arbítrio humano, nem de fatores econômicos, senão do próprio Criador supremo de todas
as coisas. Este assunto tratamo-lo já com suficiente desenvolvimento na Encíclica sobre a
santidade do matrimônio (Encíclica Casti Connubii, 31 de dezembro de 1930: A.A.S., vol.
XXII (1930), págs. 539-582), e na Encíclica acima citada sobre a educação.

QUE É A SOCIEDADE

Mútuos direitos e deveres entre o homem e a sociedade

29. Mas Deus destinou igualmente o homem para a sociedade civil, que a sua mesma
natureza reclama. É que, no plano do Criador, a sociedade é um meio natural, de que todo o
cidadão pode e deve servir-se para a consecução do fim que lhe é proposto, pois a sociedade
civil existe para o homem e não o homem para a sociedade. Isto, porém, não se deve
entender no sentido do liberalismo individualista, que subordina a sociedade à utilidade
egoísta do indivíduo, mas sim no sentido que, mediante a união orgânica com a sociedade,
todos possam, pela mútua colaboração, alcançar a verdadeira felicidade terrestre; e que, por
meio da sociedade, floresçam e prosperem todas as aptidões individuais e sociais, dadas ao
homem pela natureza, aptidões que transcendem o imediato interesse do momento, e
refletem na sociedade a perfeição divina: o que no homem isolado de modo nenhum se pode
verificar. Mas até este último objetivo da sociedade é, em última análise, ordenado ao
homem, para que reconheça este reflexo da perfeição divina, e o desenvolva assim em louvor
e adoração ao Criador. É que só o homem, e não qualquer sociedade humana por si, é dotado
de razão e de vontade moralmente livre.

30. Portanto, assim como o homem não pode furtar-se aos deveres que por vontade de Deus
o ligam à sociedade civil, e é por isso que os representantes da autoridade têm direito de o
forçar ao cumprimento do próprio dever, caso ele se recusasse ilegitimamente; assim também
não pode a sociedade privar o cidadão dos direitos pessoais que o Criador lhe concedeu (os
mais importantes apontamo-los acima sumariamente) nem tornar-lhe impossível o seu uso.
É, pois, conforme à razão e às suas exigências naturais, que todas as coisas terrenas sejam
para serviço e utilidade do homem, e assim, por meio dele, voltem ao Criador. Aqui se aplica
perfeitamente o que o Apóstolo das Gentes escreve aos coríntios sobre a economia da
salvação cristã: “Tudo... é vosso, mas vós sois de Cristo, e Cristo é de Deus” (1 Cor 3, 23). E
assim, enquanto a doutrina comunista de tal maneira diminui a pessoa humana, que inverte
os termos das relações entre o homem e a sociedade, a razão, pelo contrário, e a revelação
divina elevam-na a tão sublimes alturas.

A ordem econômico-social

31. Sobre a ordem econômico-social e sobre a questão operária já o Nosso Predecessor, de


feliz memória, Leão XIII, na Encíclica Rerum Novarum (15 de maio de 1891: Acta Leonis
XIII, vol. XI, págs. 97-144) deu normas eficazes: normas que Nós adotamos às condições e
exigências dos tempos presentes pela nossa Encíclica sobre a restauração cristã da ordem
social (Encíclica Quadragesimo anno, 15 de maio de 1931: A.A.S., vol. XXIII (1931), págs.
177-228). Nessa Encíclica, insistindo de novo com toda a força na secular doutrina da Igreja
acerca da natureza peculiar da propriedade privada no seu aspecto individual e social,
assinalamos com toda a clareza e precisão os direitos e a dignidade do trabalho humano, as
relações do mútuo apoio e auxílio que devem existir entre o capital e o trabalho, e o salário,
indispensável ao operário e a sua família, que por justiça lhe é devido.

32. Nessa mesma Encíclica mostramos também que a sociedade humana só então, poderá ser
salva da funestíssima ruína, a que é arrastada pelos princípios do liberalismo, alheios a toda a
moralidade, quando os preceitos da justiça social e da caridade cristã impregnarem e
penetrarem a ordem econômica e a organização civil; o que indubitavelmente não podem
conseguir nem a luta de classes, nem os atentados do terror, nem o abuso ilimitado e tirânico
do poder do Estado. Advertimos outrossim, que a verdadeira prosperidade do povo se deve
procurar segundo os princípios dum são corporativismo, que reconheça e respeite os vários
graus da hierarquia social; e que é igualmente necessário que todas as corporações operárias
se organizem em harmônica unidade para poderem tender ao bem comum da sociedade; e
que, por conseguinte, a função genuína e peculiar do poder público consiste em promover,
quanto lhe seja possível, esta harmonia e coordenação de todas as forças sociais.

Hierarquia social e prerrogativas do Estado

33. Para assegurar esta tranqüila harmonia pela colaboração orgânica de todos, a doutrina
católica confere aos governantes tanta dignidade e autoridade, quanta é necessária para que
eles com vigilante e previdente solicitude salvaguardem os direitos divinos e humanos, que
as Sagradas Escrituras e os Padres da Igreja tanto inculcam. E neste passo é necessário
observar que erram vergonhosamente os que sem consideração atribuem a todos os homens
direitos iguais na sociedade civil e asseveram que não existe legítima hierarquia. Sobre este
ponto baste-Nos recordar as Encíclicas do Nosso Predecessor Leão XIII, acima
mencionadas, especialmente a que trata do poder do Estado (Encíclica Diuturnum illud, 29
de junho de 1881: Acta Leonis XIII, vol. II, págs. 269-287) e a outra que versa sobre a
constituição cristã do Estado (Encíclica Immortale Dei, 1 de novembro de 1885: Acta Leonis
XIII, vol. V, págs. 118-150). Nelas encontram os católicos luminosamente expostos os
princípios da razão e da fé, que os tornarão aptos para as premunirem contra os erros e
perigos da concepção comunista acerca do Estado. A espoliação dos direitos e a escravização
do homem, a negação da origem primária e transcendente do Estado e do poder do Estado, o
abuso horrível do poder público ao serviço do terrorismo coletivista, são precisamente o
contrário do que é conforme à ética natural e à vontade do Criador. Tanto o homem como a
sociedade civil têm origem no Criador, e foram por Ele mutuamente ordenados um para a
outra; por isso nenhum dos dois pode furtar-se a cumprir os deveres correlativos, nem
recusar ou reduzir os direitos. O próprio Criador regulou esta mútua relação nas suas linhas
fundamentais, e é injusta a usurpação, que o comunismo se arroga, de impor, em lugar da lei
divina baseada nos imutáveis princípios da verdade e da caridade, um programa político de
partido, que promana do capricho humano e ressuma ódio.

BELEZA DESTA DOUTRINA DA IGREJA

34. A Igreja ao ensinar esta luminosa doutrina, não tem outro fim mais que realizar o
venturoso anúncio cantado pelos Anjos sobre a gruta de Belém, no nascimento Redentor:
“Glória a Deus e... paz aos homens” (Lc 2, 14): paz verdadeira e verdadeira felicidade, até
mesmo na terra, quanto é possível, encaminhada a preparar a felicidade eterna, mas paz
reservada aos homens de boa vontade. Esta doutrina é igualmente distante de todos os
extremos do erro como de todas as exagerações dos partidos ou sistemas que a eles aderem,
conserva sempre o equilíbrio da verdade e da justiça; reivindica-o na teoria, aplica-o e
promove-o na prática, conciliando os direitos e os deveres de um com os dos outros, como a
autoridade com a liberdade, a dignidade do indivíduo com a do Estado, a personalidade
humana no súdito com a representação divina no superior, e, por conseguinte, a sujeição
devida e o amor ordenado de si mesmo, da família e da pátria, com o amor das outras
famílias e dos outros povos, fundado no amor de Deus, pai de todos, primeiro princípio e
último fim. Nem separa a justa preocupação dos bens temporais a palavra de seu divino
Fundador: “Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais vos será dado por
acréscimo” (Mt 6, 33), está longe de se desinteressar das coisas humanas, de prejudicar os
progressos da sociedade e de impedir os adiantamentos materiais, que pelo contrário sustenta
e promove da maneira mais razoável e eficaz. E assim, até mesmo no campo econômico-
social, a Igreja, muito embora não tenha jamais apresentado como seu um determinado
sistema técnico, por não ser essa a sua missão, fixou contudo claramente princípios e
diretivas que, prestando-se a diversas aplicações concretas segundo as várias condições dos
tempos, dos lugares e dos povos, assinalam o caminho seguro para obter o feliz progresso da
sociedade.

35. A sabedoria e suma utilidade desta doutrina é admitida por quantos verdadeiramente a
conhecem. Com justificada razão puderam afirmar eminentes Estadistas que, depois de terem
estudado os diversos sistemas sociais, nada haviam encontrado mais sábio que os princípios
expostos nas Encíclicas Rerum Novarum e Quadragesimo anno. Até em países não católicos,
e nem sequer cristãos, se reconhece quão vantajosas são para a sociedade humana as
doutrinas sociais da Igreja; e assim, há apenas um mês, um eminente homem político, não
cristão, do Extremo Oriente, não duvidou proclamar que a Igreja com a sua doutrina de paz e
fraternidade cristã traz uma altíssima contribuição para o estabelecimento e conservação da
paz construtiva entre as nações. Mas ainda: até os próprios comunistas, como sabemos por
autênticas relações que afluem de toda a parte a este Centro de Cristandade, se não estão
ainda de todo corrompidos, quando se lhes expõe a doutrina social da Igreja, reconhecem a
sua superioridade sobre as doutrinas dos seus caudilhos e mestres. Somente os obcecados
pela paixão e pelo ódio fecham os olhos à luz da verdade e a combatem obstinadamente.

SERÁ VERDADE QUE A IGREJA NÃO PROCEDEU SEGUNDO A SUA DOUTRINA?

36. Mas os inimigos da Igreja, constrangidos embora a reconhecer a sabedoria da sua


doutrina, assacam-lhe o não ter sabido conformar os seus atos com aqueles princípios, e
afirmam por isso a necessidade de provocar outros caminhos. Quão falsa e injusta seja esta
acusação, demonstra-o toda a história do cristianismo. Para não Nos referirmos senão a um
ou outro ponto característico, foi o cristianismo o primeiro a propagar, por uma forma e com
uma amplitude e convicção desconhecidas nos séculos precedentes, a verdadeira e universal
fraternidade de todos os homens de qualquer condição ou raça, contribuindo assim
poderosamente para a abolição da escravatura, não com revoltas sangrentas, senão pela força
interna da sua doutrina, que à orgulhosa patrícia romana fazia ver na sua escrava uma irmã
em Cristo. Foi o cristianismo, que adora o Filho de Deus feito homem por amor dos homens
e convertido em “Filho do carpinteiro”, mais ainda, “carpinteiro” ele próprio (cfr. Mt 13, 55;
Mc 6, 3), foi o cristianismo que sublimou à sua verdadeira dignidade o trabalho manual:
aquele trabalho manual, antes tão desprezado que até o discreto Marco Túlio Cícero,
resumindo a opinião geral do seu tempo, não receou escrever estas palavras, de que hoje se
envergonharia qualquer sociólogo: “Todos os operários se ocupam em misteres desprezíveis,
pois a oficina nada pode ter de nobre” (M.T. Cícero, De officiis, L. I, c. 42).

37. Fiel a estes princípios, a Igreja regenerou a sociedade humana; sob a sua influência
surgiram admiráveis obras de caridade, poderosas corporações de artistas e trabalhadores de
todas as categorias. O liberalismo do século passado zombou delas, é certo, como de
velharias da Idade Média; elas, porém, impõem-se hoje à admiração dos nossos
contemporâneos que em muitos países procuram fazer reviver de algum modo a sua idéia
fundamental. E quando outras correntes entravavam a obra e punham obstáculos ao influxo
salutar da Igreja, esta até nossos dias não cessou nunca de admoestar os extraviados. Basta
recordar com que firmeza, energia e constância o Nosso Predecessor Leão XIII reivindicou
para o operário o direito de associação, que o liberalismo dominante nos Estados mais
poderosos se obstinava em negar-lhe. E esta influência da doutrina da Igreja ainda
atualmente é maior do que parece, porque é grande e certo, posto que invisível e difícil de
medir, o predomínio das idéias sobre os fatos.

38. Pode bem dizer-se com toda a verdade que a Igreja à semelhança de Cristo, passa através
dos séculos, fazendo bem a todos. Não haveria nem socialismo nem comunismo, se os que
governam os povos não tivessem desprezado os ensinamentos e as maternais advertências da
Igreja; eles, porém, quiseram, sobre as bases do liberalismo e do laicismo, levantar outros
edifícios sociais que à primeira vista pareciam poderosas e magníficas construções, mas bem
depressa se viu que careciam de sólidos fundamentos, e se vão miseravelmente
desmoronando, um após outro, como tem que desmoronar-se tudo quanto não se apoia sobre
a única pedra angular, que é Jesus Cristo.

IV - REMÉDIOS E MEIOS

NECESSIDADE DE RECORRER A MEIOS DE DEFESA

39. Tal é, Veneráveis Irmãos, a doutrina da Igreja, a única que, como em qualquer outro
campo, assim também no campo social, pode projetar verdadeira luz, a única doutrina de
salvação em face da ideologia comunista. Mas é necessário que esta doutrina se realize cada
vez mais na prática da vida, conforme o aviso do Apóstolo São Tiago: “Sede... cumpridores
da palavra e não simples ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” (Tg 1, 22), porquanto, o
que na hora atual há de mais urgente é aplicar com energia os remédios oportunos, para opor-
se eficazmente à revolução ameaçadora que se vai preparando. Alimentamos a firme
confiança de que ao menos a paixão com que dia e noite trabalham os filhos das trevas na
sua propaganda materialista e atéia, logre estimular santamente os filhos da luz a um zelo
igual, se não maior, da honra da Majestade divina. 40. Que é, pois, necessário fazer, que
remédios empregar, para defender a Cristo e a civilização cristã contra aquele pernicioso
inimigo? Como um pai no seio da família, Nós quiséramos conversar, quase na intimidade,
sobre os deveres que a grande luta de nossos dias impõe a todos os filhos da Igreja, dirigindo
também a Nossa paternal advertência aos filhos que dela se afastaram.

RENOVAÇÃO DA VIDA CRISTÃ

Remédio Fundamental

41. Como em todos os períodos mais tormentosos da história da Igreja, assim hoje também o
remédio fundamental é uma sincera renovação da vida privada e pública, segundo os
princípios do Evangelho em todos aqueles que se gloriam de pertencer ao Rebanho de Cristo,
a fim de serem verdadeiramente o sal da terra, que preserve a sociedade humana de tal
corrupção.

42. Com sentimentos de profunda gratidão para com o Pai das luzes, de quem desce “toda a
dádiva excelente e todo o dom perfeito” (Tg 1, 17), vemos por toda a parte sinais
consoladores dessa renovação espiritual, não só em tantas almas singularmente escolhidas,
que nestes últimos anos se têm elevado ao cume da mais sublime santidade, e em tantas
outras, cada vez mais numerosa, que generosamente caminham para a mesma luminosa
meta, mas também no reflorescimento de uma piedade sentida e vivida, em todas as classes
da sociedade, até nas mais cultas, como pusemos em relevo no Nosso recente Motu proprio
In multis solaciis, de 28 do passado outubro, por ocasião da reorganização da Pontifícia
Academia das Ciências (A.A.S., vol. XXVIII (1936), págs. 421-424).

43. Não podemos, contudo, negar que muito resta ainda por fazer neste caminho da
renovação espiritual. Até mesmo em países católicos, demasiados são os que são católicos
quase só de nome; demasiados, aqueles que, seguindo embora mais ou menos fielmente as
práticas mais essenciais da religião que se ufanam de professar, não se preocupam de melhor
a conhecer, nem de adquirir convicções, mais íntimas e profundas, e menos ainda de fazer
que ao verniz exterior corresponda o interno esplendor de uma consciência reta e pura, que
sente e cumpre todos os seus deveres sob o olhar de Deus. Sabemos quanto o Divino
Salvador aborrece esta vã e falaz exterioridade, Ele que queria que todos adorassem o Pai
“em espírito e verdade” (Jo 4, 23). Quem não vive verdadeira e sinceramente segundo a fé
que professa, não poderá hoje, que tão violento sopra o vento da luta e da perseguição,
resistir por muito tempo, mas será miseravelmente submergido por este novo dilúvio que
ameaça o mundo; e assim, enquanto se prepara por si mesmo a própria ruína, exporá também
ao ludibrio o nome cristão.

Desapego dos bens terrenos

44. E neste passo queremos, Veneráveis Irmãos, insistir mais particularmente sobre dois
ensinamentos do Senhor, que têm especial conexão com as atuais condições do gênero
humano: o desapego dos bens terrenos e o preceito da caridade. “Bem-aventurados os pobres
de espírito” foram as primeiras palavras que saíram dos lábios do Divino Mestre no sermão
da Montanha (Mt 5, 3). E esta lição é mais que nunca necessária, nestes tempos de
materialismo sedento de bens e prazeres da terra. Todos os cristãos, ricos ou pobres, devem
ter sempre fixo o olhar no céu, recordando que “não temos aqui cidade permanente, mas
vamos buscando a futura” (Hbr 13, 14). Os ricos não devem pôr nas coisas da terra a sua
felicidade, nem dirigir à conquista desses bens os seus melhores esforços; mas,
considerando-se apenas como administradores que sabem terão de dar contas ao supremo
Senhor, sirvam-se deles como de meios preciosos que Deus lhes concede para fazerem bem;
e não deixem de distribuir aos pobres o supérfluo, segundo o preceito evangélico (cfr. Lc 11,
41). Doutra forma verificar-se-á neles e em suas riquezas a severa sentença de São Tiago
Apóstolo: “Eia, pois, ó ricos, chorai, soltai gritos por causa das misérias que virão sobre vós.
As vossas riquezas apodreceram, e os vossos vestidos foram comidos pela traça. O vosso
ouro e a vossa prata enferrujaram-se e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e devorará
as vossas carnes como um fogo. Juntastes para vós um tesouro de ira para os últimos dias...”
(Tg 5, 1-3).

45. Mas os pobres, por sua vez, esforçando-se muito embora, segundo as leis da caridade e
da justiça, por se proverem do necessário e até mesmo por melhorarem de condição, devem
também permanecer sempre “pobres de espírito” (Mt 5, 3), estimando mais os bens
espirituais que os bens e gozos terrenos. Recordem-se, além disso, que jamais se logrará
fazer desaparecer do mundo as misérias, as dores, as tribulações, a que estão sujeitos ainda
aqueles que exteriormente parecem mais felizes. E assim, a todos é necessária a paciência,
aquela paciência cristã que eleva o coração às divinas promessas de uma felicidade eterna.
“Sede, pois, pacientes, irmãos”, vos diremos ainda com São Tiago, “até à vinda do Senhor.
Vede como o lavrador espera o precioso fruto da terra, tendo paciência, até que receba o
(fruto) temporão e o serôdio. Sede, pois, pacientes também vós, e fortalecei os vossos
corações; porque a vinda do Senhor está próxima” (Tg 5, 7-8). Só assim se cumprirá a
consoladora promessa do Senhor: “Bem-aventurados os pobres”. E não é esta uma
consolação e promessa vã, como são as promessas dos comunistas; mas são palavras de vida,
que encerram

108
Sapete la solita storia de que tanto um assaltante quanto o ofendido são ambos vítimas de um
sistema, esquizofrenicamente citado por ''politicamente corretos'' e pseudo-intelectuais?
Ma che cazzo...
As grande organizações (per esempio la Cosa Nostra) são formadas por membros
economicamente desenvolvidos e com ensino intelectual avançados. E o que o Estado tem a
ver com isto? Qual a influência do sistema italiano nisto? Niente!
Não se trata de estar certo ou errado, mas sim, de não ser hipócrita e vitimista.
Se o abastado economicamente e oprimido pelas ''classes'' dominantes, ingressa na vida
criminal perchè o sistema o conduz a isto, como explicar o motivo pelo qual homens
nascidos em famílias ricas e graduados nas melhores universidades tendem da mesma forma
a inclinarem-se a crimes como manipulação de mercado, informação privilegiada (Inside
trading), evasão de divisas, lavagem de dinheiro, corrupção e etc?
Não são fatores externos que fazem um homem ingressar nisto, mas sim, sua própria
ganância, como previa o próprio Niccolò Machiavelli, a ambição do homem é tão grande
que, para satisfazer uma vontade presente, não pensa no mal que daí a algum tempo pode
resultar dela.
É por isto, que os sicilianos mergulhados na malavita, sabendo disto, inseriram como lei em
seus próprios meios os mais puros princípios para controlarem um mal necessário, tornando-
se a primeira vista um paradoxo.
Como dizer que existe honra e lealdade na malavita? Este dilema depende apenas do que o
Estado e você consideram como crime...
Existe honra em colocar uma arma na cabeça de um homem honesto, pai de família e
ameaçar matar a sua filha se não lhe der dinheiro? E quanto, a gerenciar alguns jogos de
cartas e dados, onde quem, por espontânea vontade, está ali apostando e se divertindo?
Existe honra em vaguear pela noite como um rato, vendendo narcóticos para qualquer um
que lhe aborde, inclusive crianças, disseminando o vício e a morte? E quanto, a
contrabandear algumas remessas de cigarros, vendendo-os por um terço sem render-se aos
impostos estatais que lhe inflariam 1500% a mais o preço final?
É a ambição do homem que o faz escolher qual caminho seguir, não uma lenda de sete
cabeças do qual colocamos a culpa de nossos pecados. Entretanto, assim como em uma
guerra mesmo diante das atrocidades, existem leis inerentes a honra de um homem, da
mesma forma, existem na malavita

109
Liberazione d'Italia!

Hoje é um feriado italiano extremamente especial, tanto para a Sicília quanto para as outras
províncias. Uma verdadeira page italo-brasileira jamais poderia deixar de frisar este dia.

Setenta anos atrás, começara uma nova era para Itália, graças ao final do fascismo e da
segunda guerra mundial, bem como a libertação de ocupação nazista.

"La Festa della Liberazione" representa o aniversário da libertação da Itália das ocupações
nazistas, bem como o aniversário da Resistência.
É um feriado nacional italiano que comemora o fim da segunda guerra mundial.

Embora a data foi escolhida por convenção, porque representava o momento em que a
Comissão Nacional de Libertação de Alta Itália proclamou oficialmente a insurgência em um
anúncio de rádio, até 1 de Maio, todas as cidades do norte da Itália foram libertados,
incluindo Bologna (21 de Abril), Genoa (23 de abril), Milão e Turim (25 de abril) e Veneza
(28 de abril). A libertação pôr fim aos 20 anos de ditadura fascista e cinco anos de guerra.
Ela representa, simbolicamente, o início do percurso histórico que levou ao referendo de 2 de
Junho de 1946, quando os italianos escolheram tornar-se uma república, que foi seguido da
adoção da Constituição da República da Itália, em 1947.

Vale ressaltar a atuação, jamais esquecida pelos italianos, da FEB na Itália. Em Pistoia, está o
''Monumento Motivo Militar Brasileiro'', onde ocorrem diversas cerimônias com o
hasteamento da bandeira brasileira e a condecoração de pessoas valiosas ao movimento,
além de contar com a homenagem ao ''Soldado Desconhecido''.

#cosaNostra

Liberazione d'Italia

Seventy years ago, a new era started for Italy, thanks to the end of fascism and the Second
World War as well as the liberation from Nazi occupation.

La Festa della Liberazione represents the Anniversary of the Liberation of Italy from the
Nazi occupations as well as the Anniversary of the Resistance. It is a national Italian holiday
commemorating the end of the second world war.

While the date has been chosen by convention, because it represented the moment when the
National Liberation Committee of Upper Italy officially proclaimed the insurgency in a radio
announcement, by May 1, all cities in Northern Italy were liberated, including Bologna
(April 21st), Genoa (April 23rd), Milan and Turin (April 25th), and Venice (April 28th). The
liberation put an end to the twenty years of fascist dictatorship and five years of war.

It symbolically represents the beginning of the historical journey which led to the
referendum of June 2, 1946, when Italians chose to become a Republic, which was followed
by the adoption of the republic's Constitution of Italy in 1947.

#cosaNostra

110
Bene...
Na manhã del giorno 29 de setembro de 1978, o Papa João Paulo I foi encontrado morto em
sua cama, apenas 33 dias após assumir o papado. Um ataque cardíaco foi apontado como a
causa oficial da morte, mas não houve autópsia.

Após um escândalo que expôs a ligação da máfia italiana com o Banco do Vaticano, foi
levantada a hipótese de que o presidente do banco, o padre Paul Marcinkus, poderia estar
envolvido na morte de João Paulo I.

O controvertido jornalista investigativo David Yallop, no seu livro Em Nome de Deus,


afirma reunir provas e fontes que lhe autorizam a considerar a morte de João Paulo I não
natural, ou seja, fruto de um assassinato bem urdido, do qual teriam participado, entre outros,
o cardeal Jean Villot, o membro da máfia siciliana Michele Sindona, o cardeal americano
John Cody, então líder da arquidiocese de Chicago, e o presidente do Banco do Vaticano
daquela época, o bispo Paul Marcinkus, além de adeptos da loja maçônica P2.

Sem perder tempo, Marcinkus fugiu para os Estados Unidos, pediu imunidade diplomática e
ficou por lá.

O mais inquietante é que mesmo com a sua conexão com a Máfia, com a possível morte do
Papa e após ter causado um rombo no Banco do Vaticano, ele nunca foi indiciado. Sua frase
mais conhecida? “A Igreja não funciona apenas de ‘Ave Marias’”.

"[...]Poderia um soldado em uma guerra, ao matar seu inimigo, ser acusado ou de homicídio
pelo Estado ou de cometer um grave pecado pela Igreja Católica? O mesmo acontece na
consciência e estilo de vida destes homens e no modo dessa organização siciliana.
É uma guerra! Não por países ou ideologias, mas por interesses e negócios, além do mais,
todos eles estão ali, sabendo dos riscos e benefícios, nenhum deles é culpado ou inocente.
Este é o paradoxo inerente. [..] Quando iam até meu confessionário, eu aconselhava algumas
Ave maria e Pai nosso, mas sempre que terminavam a confissão, diziam ''omertà''ao invés de
amém. Era uma nítida forma de me lembrar, que eu era o único, além de Deus, a saber
daqueles pecados e a grande responsabilidade concedida a mim...''

(Trecho de uma entrevista do Padre Paul Marcinkus

111
A intolerância aos Cristãos na contemporaneidade, surgiu na África principalmente naqueles
países que alcançaram a independência após a década de 50.
Os colonos ocidentais foram identificados como cristãos, em um amálgama cultural-
religioso.
Ainda hoje, essas razões são utilizadas por grupos extremistas islâmicos contra o Ocidente
para justificar atos de violência em resposta ao sofrimento suportado no passado.
Certamente é um raciocínio esquemático, capcioso e simplicista, mas é usado para culpar os
cristãos e justificar a violência. ''Vaffanculo''...

Depoimentos de sobreviventes do atentado que matou 148 pessoas na Universidade de


Garissa, revelam detalhes de quem era o alvo dos ataques:

O jovem Collins Wetangula, vice-presidente do grêmio estudantil da universidade, estava se


preparando para tomar banho quando o colégio foi invadido. Ele e outros três colegas se
trancaram no quarto quando ouviram os disparos. "Ninguém gritava porque as pessoas
achavam que isso faria com que os atiradores soubessem onde estavam", afirmou. Quando os
atiradores chegaram ao seu dormitório, ele os ouviu abrindo as portas e perguntando às
pessoas escondidas se eram muçulmanas ou cristãs. " Se você fosse cristão, era alvejado ali
mesmo. A cada disparo da arma eu achava que iria morrer", conta Collins.

#cosaNostra
**

La cristianofobia è emersa soprattutto in quei paesi che hanno raggiunto l'indipendenza dopo
gli anni '50.
I coloni occidentali venivano identificati come cristiani, in un amalgama culturale-religioso.
Anche oggi, queste ragioni sono rispolverate da gruppi estremisti islamici contro l'occidente
e giustificano atti di violenza in risposta alle sofferenze subite in passato.
Certamente è un ragionamento schematico e simplicistico, ma è usato per accusare i cristiani
e giustificare la violenza.
Vaffanculo!

Centoquarantadue studenti, tre agenti e tre soldati. Sale di ora in ora il bilancio delle vittime
dell'attentato all'Università di Garissa, in Kenya, a 150 chilometri dal confine somalo.
Mentre file dei familiari sfilano davanti alle salme dei martiri per riconoscere i propri cari,
speranza, disperazione e terrore si intersecano.
Altri però non hanno avuto la stessa fortuna. Chi è stato preso dai terroristi di Al Shabab e
non ha saputo recitare i versi del Corano è stato fucilato. Stessa sorte per gli altri studenti
ritenuti cristiani solo per gli abiti che indossavano. "Chi è stato sorpreso sotto al letto o
nascosto dentro all'armadio è stato freddato sul colpo" a prescindere dalla fede racconta Nina
Kozel, sopravvissuta all'attentato. Chi si è consegnato ha avuto sorte differente: se
musulmano è stato graziato, se cristiano è stato ucciso. Molti sono morti dopo aver chiamato
la propria famiglia: "Muoio perché Uhuru Kenyatta non fa rientrare le truppe dalla Somalia".
Poi il colpo mortale alla nuca. Helen Titus è stata più fortunata di tutti. E' riuscita a sfuggire
alla furia omicida dei fondamentalisti somali fingendosi morta, cospargendosi col sangue
altrui il viso. E' stata ritrovata dopo due giorni.

#cosaNostra

112
O principal pilar que influência o terrorismo, não são as ideias radicais ou a religião, mas sim
o lucro.

Vaffanculo!
Isto mesmo, é o lucro.
O terrorismo, seja ele qual for e onde ocorrer, apenas existe perché algum pezzonovante por
detrás das cortinas, nos bastidores, está lucrando.

Políticos, megaempresários da indústria militar e tecnológica, investidores da bolsa de


valores, figurões da mídia, executivos de petrolíferas, desde o pequeno contrabandista de
armas até o maior corretor de antiguidades, estão lucrando. Todos lucram.
Os únicos infelizes que não ganham nada com isto são; os terroristas ativistas e os civis.

O mercado da corrupção Estatal, é mais sujo que o do sub-mundo da malavita.

Não é preciso ser nenhum intelectual para entender como tudo funciona, basta apenas um
pouco de experiência nas ruas.
Na Sicília, existe o pizzo, que é uma taxa cobrada dos comerciantes como forma de proteção,
querendo ou não, eles pagam.
Entretanto quando a taxa de criminalidade cai muito no território de um Clã, alguns
comerciantes se sentem ''protegidos demais'' e ''esquecem'' dos seus protetores e
principalmente de pagar ''pizzo'', por isto, a Cosa Nostra permite que alguns acidentes,
roubos ou algo do tipo, aconteça nestes estabelecimentos. Então os comerciantes dizem: ''A
criminalidade está demasiadamente descontrolada, um homem honesto não pode mais
ganhar seu pão em paz sem ser molestado por um vagabundo, nós precisamos da Cosa
Nostra?!''
E as coisas voltam a ser como eram.
O Estado Italiano faz exatamente o mesmo. Ele permite ou repreende o crime de baixo calão
e a violência de acordo com a sua necessidade em ter uma população dependente dele e
dizendo: ''A criminalidade está demasiadamente descontrolada, um cidadão honesto não
pode mais ganhar seu pão em paz sem ser molestado por um vagabundo, nós precisamos da
proteção estatal e de leis mais rigorosas?!''
Então, o Estado arrecada ainda mais o seu ''pizzo'' regulamentado pelas lei.
E perchè lá no topo da política mundial, onde os grandes interesses residem, as coisas seriam
diferente?

Neste jogo de xadrez chamado política, derrubar duas torres para dominar o tabuleiro inteiro
do adversário, realmente compensa...
Capisce?

O mundo capitalista è molto bello, mas é duro, então adapte a ser um forte, ou saia da frente.

113
Os Catanesi costumam murmurar que Palermo é a cidade do Pecado, davvero, diferente do
Vaticano, não existe puritanismo nas sarjetas palermitanas...

No coração das vielas, pelas verdadeiras artérias da cidade, onde a noite pulsa prostituição e
crime, não existem guias turísticos, locais históricos, imponentes catedrais, não existe nada
de belo para ser fotografado por visitantes ocidentais. O único flash é o piscar dos neons de
boates e prostíbulos, isso na melhor das hipóteses, muitas vezes, a unica luz branca incidente
sobre seus olhos pode vim acompanhada de um estardalhar ensurdecedor, aromatizado de
pólvora.
Os estabelecimentos da meia-noite são ecléticos, atendem todos os públicos. Com poucos
euros no bolso e uma insaciável vontade de entranhar nicotina, os pequenos mercados são as
melhores opções. No balcão enferrujado, sobre as prateleiras, elásticos cirúrgicos e seringas
envelopadas á vácuo fazem companhia aos cigarros contrabandeados. Tabaco é o veneno
menos nocivo da noite palermitana. A oferta e a demanda revesam os trocados do pequeno
comércio, o lucro é contabilizado assim que o valor do Pizzo a ser pago para a Organização é
alcançado, dali em diante, o comerciante ganha a vida.
O frio e o silêncio noturno excitam uma aposta, talvez por acreditar que continuar
caminhando por aquelas ruas de pedra polida e ainda estar com vida seja um sinal de sorte.
Algumas prostitutas podem lhe indicar uma jogatina, claro que informações assim, valem
tanto quanto uma volta entre suas pernas. E voltas será algo que dará dezenas de vezes:
''Converse com alguém no final da rua'', outro no ''próximo quarteirão'', ''entre por aqui ou
acolá'', indicações assim são o preludio da sua sorte.
Se não parar em um beco com um desconhecido enfiando um revólver em sua boca, de
forma que poderá sentir o gélido do ferro em sua língua, terá certeza que simpatizaram com a
sua cara e logo estará sentado em uma cadeira preta almofadada, apertando alguns botões e
pedindo a Deus que suas notas se multipliquem, mas quem disse que Ele lhe ouvirá?
As jogatinas são sempre diversificadas, para que um importunar dos carabinieri não
prejudique de forma relevante os negócios.
''Trevo de quatro folhas'' é como são chamados as casas de poker e roleta, feitas para os
''mais sortudos'', daqueles que colocam a mão no bolso, tiram um euro de caridade e soltam
sobre os pés daquelas crianças de rua que vagueiam pelo centro, mas ironicamente, no final
da noite, são os mesmos que queimam milhares com um blefe amador.
A fumaça do dinheiro empenhado na mesa vai direto para o exaustor da Casa; a banca nunca
quebra, nunca dorme, nunca para. Assim é a vida! Não importa como será, perder ou ganhar,
ela sempre continua e não te espera. As cartas das oportunidades são jogadas na sua frente,
querendo ou não, você é o jogador nato!
É necessário aprender todas as suas regras para então, arriscar um Ás na manga.
Tudo isto ao seu redor, amico mio, é nada mais que um jogo sujo, onde existem somente dois
tipos de jogadores honestos; os que não sabem trapacear e os que sabem, mas tem medo de
serem pegos.
Mas no final, quando a vida lhe desafia, o resumo é: ''cobre a aposta ou passa...'

114
Por volta de 1914, a segunda geração da Cosa Nostra Siciliana vivia um denso período de
incertezas e problemas nos negócios, isto por causa de uma evidente guerra que se
aproximava.
Nos campos ao derredor de Palermo, morava um poderoso e milionário latifundiário. Suas
terras se estendiam por toda a planície, seus filhos estudavam nas melhores escolas de Roma
e sua mulher tinha os luxos de uma esposa de Caesar.
Ao fim de sua propriedade, residia ao lado, em uma pequena choupana, uma recém viúva
que junto aos seus filhos cuidava de arar e colher pequenas levas de trigo, com o qual se
sustentava.
Na pequena plantação de trigo, o rude arado era puxado por um imponente cavalo, da raça
Avelino, que o arrastava cortando a terra enquanto a viúva, junto aos seus filhos, semeava
para a próxima colheita.
Durante uma tempestade, o estábulo feito de pequenas toras de madeira podre rompeu,
derrubando uma de suas partes laterais. O cavalo assustado, disparou atordoado rumo á
propriedade do poderoso fazendeiro.
O animal saltou as cercas e cavalgou durante horas até a chuva e trovões cessarem. Com
fome, começou a mascar as folhas de um enorme cultivo de videira Catarratto, devorando
uma pequena parte das uvas e suas folhas.
No dia seguinte a viúva procurou pelo seu cavalo, não o encontrando de forma alguma. Um
de seus filhos foi até a propriedade do fazendeiro, no qual foi negado o seu pedido de
procurar pelo equino em suas longas terras.
Duas semanas depois, a viúva durante a tarde, cozinhando do lado de fora da choupana,
avistou a trépida figura de seu cavalo, extremamente desnutrido, com um pedaço de cabo de
madeira transpassado em sua boca e latas amarradas em seu rabo. O cavalo passara dias sem
poder comer, a madeira atravessada em sua boca o impedia de mastigar, as latas amarradas
em seu rabo cortaram profundamente seu lombo enquanto se sacudia atordoado e assustado
pelo barulho de metal se chocando.
A viúva tentou cuidar do animal, mas pelas condições em que estava, precisou ser
sacrificado.
O filho mais velho, observando que seu único cavalo, companheiro de transporte e
tracionador do arado, que era o meio de sobrevivência da família, havia sido maltratado e
morto de forma cruel, foi novamente até ás terras do fazendeiro para tomar satisfações.
Sem ao menos poder conversar com o latifundiário, foi recebido a tiros pelos empregados da
fazenda. Voltou para casa sangrando e com o ombro ferido por um disparo.
A viúva era uma mulher sábia e prudente, engoliu todo o desaforo e esperou pacientemente o
momento certo de implorar por justiça.
Assim que Julho se aproximou, a viúva pegou alguns de seus pertences e viajou para
Palermo, quando chegou o dia de Santa Rosalia ( Sant Rusulìa em dialeto siciliano),
inciaram pelas ruas da cidade as procissões e festas, neste sacro dia a viúva procurou o capo
do clã palermitano, que mediante as tradições da Cosa Nostra Siciliana, não poderia recusar
o pedido de ajuda de uma viúva no dia de Sant Rusulìa.
A mulher contou tudo que havia se passado, comovendo de forma surpreendente o chefe da
maior família de Palermo, que prometera que antes que o dia de Santa Rosalia acabasse, o
grande fazendeiro estaria morto.
O poderoso fazendeiro era um dos homens mais ricos da Sicília, mesmo não sendo
pertencente ao submundo, possuía quase uma centena de homens armados em sua
propriedade prontos para o defender.
O capo enviou todos os seus homens, do sul ao norte de Palermo, para a propriedade do
fazendeiro na região rural.
Semanas depois, a polícia italiana encontrou no galpão de fermentação de vinho da fazenda,
dentro dos barris de madeira, diversos corpos já em decomposição, entre eles o do poderoso
latifundiário, mas o que mais chamou a atenção da polícia foi o fato de que em todos os
corpos haviam pedaços de cabo de madeira transpassados em suas mandíbulas e latas vazias
de salsicha enfiadas em seus traseiros.
Um ano depois, a Itália entrou em guerra e as investigações sobre o massacre foram
arquivadas definitivamente..

115
'Hey Frank, questo è per te!''

Estas foram as palavras de Vincente ''Lo Chin'' Gigante antes de fazer um disparo contra
Frank Costello.
Ao ouvir, Costello virou sua cabeça e a bala entrou na lateral direita de seu couro cabeludo,
viajou em torno de sua cabeça, e parou ante a sua orelha esquerda.
Gigante fugiu da cena com o pensamento que o caído Costello estava morto.
No entanto, advertência não intencional de Gigante salvou a vida de Costello e deixou-lhe
apenas com uma ferida

116
Evite falar de si mesmo e sempre evite comentar sobre planos financeiros, pessoais ou
amorosos antes de serem concretamente realizados ou durante a realização. Boa parte, dos
seus ouvintes, estarão sempre divididos entre os que desejam o seu fracasso e os que
contribuem para a sua derrota, Andarsene per i fatti suoi...
É melhor recusar um favor com classe do que garanti-lo vergonhosamente. Dizem que todos
os homens tem um preço. As vezes o preço é o dinheiro, o sangue, o medo, a honra, o poder
ou até mesmo um elogio pode comprar alguém.

Olhos e ouvidos abertos, e boca quase sempre fechada. Essa deve ser a atitude do iniciante
para adquirir sucesso e o segredo do veterano para manter o poder adquirido.

Piadas ruins e risada alta fazem você parecer um Stronzo. Tenha cuidado, em sociedade, para
nunca se colocar no papel de PAZZO, e nada é mais perigoso para a dignidade de um
Homem de honra. Você se expõe à censura e ao ridículo, e pode estar certo que, para cada
pessoa que ri "com você", duas riem "de você", e para cada um que o admira, dois assistem a
tudo com reprovação. Finire con le chiacchiere...

Nunca pareça mais sábio e mais inteligente do que as pessoas que estão a seu redor. O
silêncio de um homem sábio fala mais de si mesmo do que horas de um discurso explicativo.
Existe um ditado que diz: ''O ladrão quando é modesto se passa por honesto e o tolo quando
se cala, passa por sábio''. Ogni cosa a suo momento...

Não admire nada exageradamente. Ninguém é tão bom quanto aparenta ser, mas é sempre
pior do que sua maldade aparenta.

Faça apenas uma coisa por vez. Uma muralha posta pedra sobre pedra uma por vez aguenta
inúmeros mais ataques do que um muro feito ás pressas.

A paciência é o único meio de fazer que as coisas ruins não piorem.

Seja sério, mas não enfadonho, não fale longamente. A sua palavra deve ser breve e simples.

Cent'anni

117
Ascolta amico mio, ma ascolta bene, si...

As vezes, um homem feito se olha no espelho e não consegue se reconhecer. Naturalmente,


quando isto acontece, nada mais justo do que acender um cigarro, encher um copo com um
bom vinho e brindar consigo mesmo, o nascimento de um novo homem, forjado no ventre de
uma dura e real perspectiva.

A vida é severa, davvero, e todos nós, temos algum plano, de acordo com as leis ou não, para
deixá-la um pouco mais maleável, entretanto, jamais comentei sobre planos financeiros,
pessoais e muito menos os amorosos, antes de serem concretamente acabados ou durante a
realização, perchè, boa parte dos meus ouvintes, aqueles que ingenuamente acreditei em suas
promessas de amizade, estavam sempre divididos entre os que desejavam o meu fracasso e
os que contribuíram para a minha derrota.

Perante il banchetto che mangio e na mesa que confraternizamos, a anfitriã é a omertà e


nosso código de etiqueta nada mais é, do que uma refinada lei do silêncio, ou seja, o que é
feito ou dito entre homens, deve permanecer somente entre os homens que estavam na
conversa.

Não se pode espalhar espinhos por um caminho que é percorrido descalço e muito menos
permitir que a língua diga o que a cabeça poderá vir a pagar, mas isto, apenas aprendemos
com anos de sofrimento, acredito agora, que de todas as professoras que tive, a experiência
foi a mais severa, primeiro ela aplicou a prova para depois me ensinar uma lição.

Creio que todo homem, quando sentisse a vontade de contar alguma coisa que planeja para
alguém, deveria escrever tudo em um papel, embrulhar e por fim, mastigar até o último
pedaço.

Durante momentos tranquilos pode-se com maior facilidade refletir sobre as coisas ao
derredor, imagine o que não se pode refletir durante a tranquilidade de espirito? Se nunca
mirou para o horizonte, pairou os olhos sobre toda fortuna á vista, e refletiu para si mesmo:
Eu serei o dono de tudo isto!
Então nunca possuiu uma real ambição. Entretanto a ambição cega, lhe fará sempre acordar
com fome de dinheiro e dormir de barriga vazia. Seu dilema nada mais é do que o maior
paradoxo na vida de um homem de negócios da sacra organização; Como adquirir o poder e
dinheiro sem colocar os dois pés no inferno? Poderia um soldado em uma guerra, ao matar
seu inimigo, ser acusado de homicídio pelo Estado ou de cometer um grave pecado pela
Igreja? O mesmo acontece por aqui, não é nada mais do que uma guerra, não é defendida em
prol de países ou ideologias, mas por interesses e negócios, além do mais, todos eles estão
ali, sabendo dos riscos e benefícios, mas a cobiça fala mais alto, ninguém é culpado ou
inocente, são apenas negócios. E por mais que a chance de vencer seja grande, o capitalismo
segue as regras de Las Vegas e a banca nunca quebra...

Ter honra e lealdade, no submundo dos negócios é como andar calçado com sapatos brancos,
em uma rua de lama, tentando não se sujar, por isto, sempre levei comigo um lenço cinza,
perché sei que em muitas vezes, lavar a honra com sangue, me fará sujar o paletó.
Quanto aos sentimentos? Sempre prezei mais o ódio. E digo:
O ódio deve ser para o homem, assim como o fogo é para uma locomotiva a vapor!

Ela transforma o fogo em seu combustível para percorrer os mais longos e íngremes
caminhos, entretanto ela não se queima com ele. O homem deve fazer com que o seu ódio
interno de todas as injustiças que lhe foram cometidas seja seu propulsor rumo ao sucesso,
mas sem se consumir por ele.

O amor, poderá sim lhe tornar uma pessoa melhor, mas o que realmente vai determinar o seu
futuro é a sua decisão de vencer e o que está disposto a fazer para isso, esta sim, não apenas
influencia, mas determina e muito o seu futuro.

Não se trata, de onde você está hoje, ma si, sobre o que está disposto a fazer para galgar as
escadas de ossos até o topo.
Allora, escolha onde quer chegar e faça o que for necessário para isso, o que for necessário!
Como dizem os sicilianos; o amor pode melhorar o homem, mas apenas o ódio o
transforma...

Cent'anni..

118
Patri nostru, ca si' 'n celu,
santificatu sìa lu nomu tò,
vinissi prestu lu tò regnu,
sempri sìa fatta la tò vuluntati,
comu 'n celu accussì 'n terra.
Que o sangue dos inocentes não seja derramado
mas, que o dos perversos escorra como rios vermelhos.
Dê têmpera ao fio de nossas navalhas,
guia-nos em nossas batalhas,
calce nossos pés com honra e lealdade
para que caminhemos sem medo
nos vales, onde ecoam os bramidos
de nossos inimigos e ruge a traição
dos falsos amigos que nos acompanham.
Desvia-nos da rota dos infames e da propagação
de todo homossexualismo.
Firma-nos nas velhas tradições e não nos deixe
negar os bons costumes.
Perdoe nossos meios, mas abençoe nossos fins,
que a boa fortuna seja o banquete de nossas mesas,
enquanto nossa família saciar a fome de justiça ao seu derredor.
Frutifica o solo brasileiro,
da mesma forma como faz fértil toda terra da Sicília.
Rogamos assim, por braços fortes para lutar.
Santo è il suo nome, amen.

Cent'anni.

119
Luigi era um 'caporegime" siciliano que até ano passado administrava um cassino
clandestino nos fundos de uma fábrica de distribuição de carne, que era usada como fachada
na Catânia.
un giorno, quando terminou a jogatina, foi até uma das câmaras frias do frigorífico para
retirar uma peça de presunto e levá-la para sua esposa cozinhar, mas num momento de azar, a
porta fechou-se e ele ficou trancado lá dentro.

Ainda que tivesse gritado e batido na porta com todas as suas forças, jamais poderiam ouvi-
lo. A maioria dos jogadores e membros da famiglia já haviam ido embora, e no exterior da
arca frigorífica era impossível ouvir o que estava acontecendo lá dentro.

Cinco horas mais tarde, quando Luigi já se encontrava à beira da morte, alguém abriu a
porta. Era um dos homens que fazia a segurança da fábrica e do cassino clandestino, que
salvou sua vida.
O "caporegime" perguntou ao "soldato" como foi possível ele passar e abrir a porta, se isso
não fazia parte da sua rotina de trabalho, e então o jovem explicou:

“Eu vigio está fábrica há 5 anos, desde que fui iniciado. Centenas de pessoas entram e saem
a cada dia, desde jogadores até os membros da alta cúpula, mas o senhor é o único que me
cumprimenta pela manhã e se despede-se a noite, mesmo sendo um ''caporegime''.
Muitos me tratam como se eu fosse invisível. Hoje, como todos os dias, o senhor me disse
seu simples ‘CIAO’ na entrada, mas curiosamente, não tinha ouvido o seu ‘A PRESTO’. Ao
não receber a sua despedida, eu sabia que algo havia acontecido, então o procurei e o
achei...''

A lição, fica ao bem entender de cada um...

Cent'anni.

120
Melhor é o que tarda em irar-se do que o poderoso, e o que controla o seu ânimo interior do
que aquele que toma uma cidade.

Provérbios 16:32

Chi è lento all’ira val più del prode guerriero; chi padroneggia sé stesso val più di chi
espugna città.

Proverbi 16:32

121
Jamais mostre interesse na conversa quando dois homens se afastarem para conversarem em
particular."

122
Ascolta amico mio, ma ascolta bene, si?

Existem dois fatores capazes de fazer um homem cair no ridículo: O uso abusivo de álcool e
sua constante mania de tentar ser engraçado para encaixar-se em um grupo social.

123
Ascolta...
Qual o status ou o glamour em ter a moral desabada ao ser estampado na capa do Giornale di
Sicilia sendo conduzido pela Polizia di Stato para um maxijulgamento?
Num piscar de olhos, o imperador de uma organização de cinco mil membros reduzido à
reclusão de uma cela de quatro metros quadrados, padronizada pela Corte europeia de
direitos humanos. As únicas notícias que tem do mundo exterior são as folhas rasgadas do
caderno de esportes, de três semanas atrás, usadas pelos agentes penitenciários para forrar as
mesas dos refeitórios.
Acostumado com o chocalhar das cédulas nas máquinas industriais de contar dinheiro, agora
sente entre os dedos apenas as folhas soltas de uma Bíblia Sagrada, da qual fora arrancada a
capa dura por medidas de segurança.
Os dias em temporada de férias, nas praias de Miami ou no litoral do Rio de Janeiro, são
substituídos por quatro horas diárias de banho de sol. Os clássicos do Calcio Catania contra o
Unione Sportiva Città di Palermo dão lugar aos violentos jogos entre presos, de um lado os
imigrantes do norte da Africa, do outro os italianos natos.
Os finais de semana com a família em Veneza não existem mais, resta apenas seis horas por
mês de visitas previamente cadastradas. Os almoços de domingo em família são apenas
lembranças, uma sala com outros doze detentos conversando simultaneamente é o que resta
para ter contato com parentes. Um capo não desenha em sua pele, na reclusão, calos nas
mãos e cicatrizes pelo corpo são suas tatuagens.
Décadas depois, quando finalmente a penitência é cumprida no purgatório, depois dos
portões do inferno prisional, não tem ninguém esperando. Políticos que recebiam milhões de
propina para facilitarem as licitações das empresas da organização, juízes, promotores,
prostitutas, celebridades, cantores, amigos, empresários ou todos os outros que sugavam o
dinheiro sujo, ninguém da folha de pagamento está lá de fora esperando um Julius Caesa
falido. Os filhos também não aparecem, tem vergonha do pai. A esposa a quem um dia
prometeu amor e foi coberta de ouro e joias, divorciou-se e está casada com um empresário
da alta sociedade.
Todo o comando, todo o poder, o cetro de um Capo foi repassado junto com sua fortuna, seus
negócios e seus contatos, depois do exílio volta-se ao zero. A única escolha é: Apegar-se na
velha Bíblia e recomeçar longe dali ou inclinar novamente a Maquiavel e reivindicar com
sangue aquilo que foi perdido.

124
Infatti;
A máfia não é como uma organização criminosa qualquer.
Mais do que ter nascido como um simples instrumento de acumulação de riqueza por meios
ilegais, a Cosa Nostra prega o controle político do território e uma aliança com as classes
dirigentes. E mesmo a violência, um recurso tão característico, foi usada com moderação
durante a maior parte da sua história.
Responsável por incontáveis assassinatos ao longo de sua existência, a Cosa Nostra se
fortaleceu sobre a "construção do consenso". A máfia é forte porque usou a violência e
porque soube controlar o seu uso. Reduzir ao máximo o emprego da violência faz com que o
cidadão italiano pense que a máfia não existe.

Por conta disso, durante muito tempo defendeu-se na Sicília a ideia de que ela era uma
invenção, ou então que os mafiosos matavam apenas entre si.

No início dos anos 1990, a ''máfia'' chegou a criar o partido Sicilia Libera (Sicília Livre). No
entanto, Bernardo Provenzano, o 'chefe de todos os chefes' da Cosa Nostra na ocasião,
acabou com a ideia para evitar a exposição dos criminosos. Com a extinção da legenda,
todos os seus membros passaram então para o Forza Italia (FI), a sigla de Silvio Berlusconi.

Provenzano está preso desde 2006, e seu encarceramento iniciou um vácuo de liderança na
máfia siciliana. O comando do grupo está agora nas mãos de Matteo Messina Denaro, que
tem feito um esforço de relações públicas para melhorar a forma como a organização é vista.
Aos 51 anos de idade, Denaro preferiu afastar-se dos políticos - ele chamou Berlusconi de
um "vulgar vendedor de fumo" - e aproximou-se de novos setores econômicos, como o de
energia renovável, investindo inclusive em usinas eólicas. Matteo Messina Denaro quer criar
uma nova imagem da Cosa Nostra.

Capo di tutti capi, Denaro ou Diabolik, como o chamam, não tem seu rosto estampado nos
jornais pelo mundo, pelo contrário, a polícia italiana e a Interpol, possuem apenas ''retratos
falados'' do homem mais poderoso do sub-mundo do crime internacional, é um homem
invisível, poderoso, que controla tudo e todos da organização na Sicília.

Messina proibiu qualquer assassinato pelos membros e associados sem a sua direta
permissão, todos os negócios da Cosa Nostra estão se concentrando, graças a ele, em
empreendimentos semi-legais, a Cosa Nostra voltou as origens, Denaro tem dirigido junto
com seus ''fratelli di Cosa'' no Eua, um florescimento á terceira geração, tornando a
organização extremamente capitalista, retirando seus tentáculos das ruas e os levando para
dentro de bancos internacionais, times de futebol, redes de fast-food, cassinos virtuais,
depósitos de lixo industrial, transportes navais, construtoras civis, montadoras de carros, e
diversos outros empreendimentos, onde usando sua influência política, seu poder e aparato
bilionário, passando de sindicatos familiares para grandes corporações.

Os princípios e tradições continuam os mesmos, mas o modo de negociar, Messina fez


evoluir na mesma velocidade do mundo moderno, evitando assim prisões, economizando
mortes e se adaptando ao novo estilo de crime do século, os crimes multi-econômicos.
Messina Matteo é mais do que o capo di tutti capi in Sicilia, ele é a semente de uma nova
geração da Máfia Italiana, que a vem colocando no topo do sub-mundo em um lugar onde o
Estado, a mídia e as pessoas comuns não a podem enxergar, tornando a Cosa Nostra
invisível... Com certeza, depois de Lucky Luciano, Denaro é o maior ícone e gênio da
Organização.

Denaro herdou o poder e parte do estilo dos mafiosos de outrora, mas fundiu sua própria
personalidade absorto em ícones de uma nova geração de malviventi.
Nascido em abril de 1962, viveu infância e adolescência em meio à explosão da cultura pop
digital representada pelos então recentes videogames e pela redescoberta dos nem tão novos
quadrinhos. Seu apelido no submundo do crime, Diabolik, é apropriação direta do
personagem de ficção e anti-herói dos quadrinhos italianos criado pelas irmãs Angela e
Luciana Giussani justamente em 1962, ano em que Denaro nasceu.

A partir de uma carta de amor apreendida pela polícia em 1998 se pode medir a importância
dos hobbies nos anos de esconderijo do mafioso. Escrita pela suposta mulher de Messina
Denaro, a carta revela a paixão pelos games: "Te peço, não me diga 'não'. Desejo tanto te dar
um presente. Sabe, li em uma revista de videogames que saiu a fita de Donkey Kong 3 e não
vejo a hora de poder comprá-la para você. Aquela de Secret of Mana 2 não chegou ainda".
Denaro é fã assíduo das bandas Rolling Stones e AC/DC, também em uma de suas cartas, ele
faz referencias as suas canções prediletas: Satisfaction e TNT.

Apesar do estilo reluzente na hora de se vestir, as quase duas décadas em que vive como
foragido da Justiça só estão sendo possíveis graças aos arcaicos sistemas da malavita.
Denaro não possui telefone, computador ou qualquer outro meio de comunicação eletrônica.
As ordens aos demais mafiosos são passadas pelos tradicionais "bilhetinhos"(pizzini), frases
quase telegráficas, tomadas por códigos e senhas para esconder nomes, ações e datas escritas
em pequenas nesgas de papel.

O sistema é usado historicamente pela organização, que montou, ao longo dos anos, um
verdadeiro mecanismo postal paralelo para possibilitar a comunicação dentro da pirâmide de
poder.
Os pizzini passam por muitas mãos até chegar ao destino, como forma de eliminar qualquer
modo de descobrir seu paradeiro. O Capo di tutti capi, seguindo a tradição, nem mesmo os
escreve de próprio punho: dita as ordens a um comandado direto. Poucas vezes ao ano.

''Denaro me corrigiu aos berros; Você quer ser um homem de negócios ou um popstar na
cadeia? Se eu o tivesse ouvido, eu não estaria aqui falando com os federais.''

(Salvatore Denaro, Irmão de Matteo Denaro, preso na operação Golem 2

125
"Patri nostru, ca si' 'n celu, santificatu sìa lu nomu tò, vinissi prestu lu tò regnu, sempri sìa
fatta la tò vuluntati, comu 'n celu accussì 'n terra*¹."

Infatti*², quando era mais jovem, sempre imaginei que, de todas as penitências do pecado
original de Adão e Eva, nascer pobre era a maior delas. Ma Ho sbagliato*³.
Existe uma unica vantagem na pobreza, e para um uomo**¹de fibra, isto basta.
É fácil administrar grandes quantidades de dinheiro, não há aprendizado nisto, mas o desafio
para um futuro homem de negócios, está em saber sobreviver e vencer em meio as
dificuldades e com poucos recursos.
Quando eramos pequenos, costumávamos colecionar as figuras do New York Mets, sabíamos
o placar de jogadas, as contratações, mas um pouco de tempo nas ruas, retiraram o véu da
inocência de nossos pontos de vista, como um banho matinal descama as remelas dos olhos.
Perchè**²admirar pessoas que ganhavam 200 mil dólares por semestre, enquanto nossos
calos nas mãos se acumulavam por míseros trocados? Se ganhassem ou se perdessem, a
barriga faminta continuava a nos obrigar a ajoelhar para engraxar os sapatos daqueles
americanos que caminhavam na nova Mulberry Street, levar compras das senhoras dos mini-
market para casa, limpar carros estacionados na porta de bancos, lavar pratos nos pequenos
restaurantes, fazer o que sobrava para jovens italo-brasileiros, duplamente discriminados nas
terras do Tio San. Vanffanculo!**³
Como disse Lucky Luciano em seu tempo de glória: ''Um homem pode conquistar o mundo,
ou com uma arma ou com uma caneta, e eu usei as duas, mas com um pouco de tinta eu
lucrei mais do que com uma rajada de tiros''. Ir para a escola era fundamental, mas também
se graduar nas ruas nos faziam duplamente inteligentes, aprender inglês era essencial, falar
italiano nos deixava mais á vontade entre as ruas de Manhattan e ter o português como
língua nata era o que nos faziam entender um pouco quando um comerciante cubano ou
porto-riquenho tentava nos embromar na hora do pagamento.
Aos poucos, a paixão pelo time de basebol ia diminuindo na medida que os ''homens de
terno'' nos pagavam comissões de acordo com o que arrecadávamos nas corretagens de
apostas, não importava mais nosso time de coração, mas sim, que a moneyline ou runline
fossem ao nosso favor.
Apostar ilegalmente era o suficiente para os agentes de imigração enquadrassem uma
investigação e enviassem pro inferno qualquer um com visto provisório, mas a cobiça e a
ganância viciosa era maior no coração daqueles que nos davam alguns serviços, aos poucos,
trocamos o ''pode lavar os pratos'' nos restaurantes por ''aposte para mim nos Detroit Tigers'',
ou os ''me ajude a levar essas sacolas'' por ''hoje meu joelho esquerdo doeu, aposte para mim
nos Yankees'', os donos de restaurantes, as senhoras do mercado, os motoristas que
estacionavam onde ficávamos, ninguém se arriscava a ser deportado por causa de uma
inocente e simples aposta, então qual figlio di puttana***¹ seria o bode expiatório?....
Desde o nascer do sol até a sua forma poente, podemos em pequenas ações, muitas vezes
negligenciadas, buscar formas de aprendizado que são úteis, não apenas nos negócios, mas
no viver.

Ampliare i propri orizzonti!***²

*¹-Trecho do Pai Nosso em dialeto siciliano


*²-De fato
*³-Mas eu estava errado
**¹-Homem
**²-Por qual motivo
**³-Vá se f**er
***¹-Filho de uma prostituta
***²-Expanda seus horizontes

Cent'anni!

126

127
Se você não nasceu em berço de ouro, terá que lutar muito para dormir em uma cama de
diamantes.
Homens que não herdaram fortunas ou não fazem parte de famílias ricas e tradicionais, terão
de serem completamente mais espertos, implacáveis e destemidos do que os outros. É
impossível galgar uma escada de ossos desde o primeiro degrau sem derramamento de
sangue, tanto o próprio como o de alheios, isso tanto no sentido figurado como literal.
Cada segundo perdido esperando uma chance cair do céu é uma oportunidade a menos
perdida na terra. A preguiça de um homem é a sua mais falsa fé, pois o faz pensar que o
amanhã será farto enquanto o hoje é apenas fome e pobreza enquanto dorme.
Passar o tempo culpando o ''sistema'' por todas as mazelas é a mais evidente característica
daqueles que não enxergam sua própria preguiça, pobreza mental e moral, mediocridade,
falta de inteligência, fraqueza para lutar em prol do sucesso, e ao invés de criar suas próprias
oportunidades, preferem se vitimar culpando uma conspiração invisível fruto apenas de sua
esquizofrênica covardia..

128
Ascolta;

Tempos atrás, um líder religioso instituído pelo vaticano, após um de seus sermões na
Catedral de Santa Catarina, em Palermo, encontrava-se do lado de fora do templo
despedindo-se dos fiéis, quando um jovem, com um sotaque de Milano ou alguma outra
região do Norte, aproximou-se e ou por ingenuidade exacerbada ou por arrogância
perguntou-lhe alto para todos ao redor ouvirem: ''Senhor, aos olhos de Deus, é correto um
cristão pertencer a Máfia?''

Este líder não nega que sua entidade, para manter as festas religiosas, ações de caridades e
tradicionais procissões, recebe doações em dinheiro de vários Clãs da Cosa Nostra Siciliana
instituídos em Palermo, e por isto inúmeras vezes teve seu nome citado em tabloides
oportunistas.

O líder religioso, com tamanha sabedoria respondeu tão sabiamente, que nenhum dos que
estavam ali presente jamais esqueceram:

''Aos olhos de Deus, individualmente, todos nós somos pecadores, mas o filho obediente a
Palavra encontra graça aos olhos do Pai. Em Provérbios 31, do versículo 8 ao 9, diz:
Abre a tua boca a favor do mudo, a favor do direito de todos os desamparados. Julga
retamente, e faça justiça aos pobres e aos necessitados.
Estas palavras foram ditas para um Rei, mas mesmo sem pertencerem ao Estado, não é
exatamente a estes princípios que os palermitanos [capi di famiglie], que você se refere,
obedecem?''

129
Davvero, em Provérbios 15:22, o rei Salomão adverte que quando não há aconselhamento,
os planos tendem a fracassar, mas havendo muitos conselheiros, melhor se realizam. Mas tão
importante quanto um conselho, é saber para quem pedir e de quem ouvir.

Antes mesmo que esta fanpage iniciasse sua modesta atuação, contamos com o benefício de
um honroso grupo de mestres, conselheiros, sócios e mentores, que contribuíram para nossa
melhor vivência através de suas concepções de honra, vingança e lealdade. Independente de
suas nacionalidades ou modo de ganharem a vida, sem seus conselhos e suas sabedoria,
teríamos obtidos mais fracassos e menos êxitos e realizações.

Se oggi possiamo dizer algumas palavras que ajudam nossos leitores a terem algumas cartas
na manga neste jogo capitalista, deve-se simplesmente aos aconselhamentos preciosos sobre
teoria, razão, lógica e experiência sobre o real e sórdido mundo, que recebemos no passado.

Mesmo que suas memórias, por regra, devam sobrepor ao seus nomes, por suas
contribuições jamais esquecidas, la nostra eterna gratitudine.

Buonanima e Cent'anni

130
Vieni da me e ascolta bene, amico mio...

Um dos elementos dos quais um homem não pode murmurar dizendo ser injusto, é o tempo.
O tempo é o mesmo para o jovem e para o idoso, as vinte e quatro horas no dia de um
homem são as mesmas na vida de uma mulher. O tempo ergue sua mão na mesma
quantidade para todos, ma la differenza, está na forma e qualidade que os homens
aproveitam o tempo.
Pode-se nascer pobre, mas é impossível nascer sem tempo. Se o seu único capital é o tempo,
não o desperdice! Aplique-o em algo útil, plante-o em terra fértil e logo estará colhendo
preciosos frutos.
O tempo que perde reclamando é o mesmo que poderia estar agindo para contornar e
resolver um problema, o tempo que está de braços cruzados é o mesmo que poderia estar
criando oportunidades, o tempo que escorre no seu ócio, preguiça, mediocridade é o mesmo
que poderia estar investindo em algo grandioso que um dia lhe conferirá respeito, honra e
dinheiro.

Davvero, um homem que rasga dinheiro pode ser considerado um louco, mas não mais do
que aquele que desperdiça o precioso tempo... Mantenha essas modestas palavras atadas in
tuo cuore, neste inicio de semana...

La verità è una solo...


Cent'anni.

131
As vezes, um homem feito se olha no espelho e não consegue se reconhecer. Naturalmente,
quando isto acontece, nada mais justo do que acender um cigarro, encher um copo com um
bom vinho e brindar consigo mesmo, o nascimento de um novo homem, forjado no ventre de
uma dura e real perspectiva.

A vida é severa, davvero, e todos nós, temos algum plano, de acordo com as leis ou não, para
deixá-la um pouco mais maleável, entretanto, jamais comentei sobre planos financeiros,
pessoais e muito menos os amorosos, antes de serem concretamente acabados ou durante a
realização, perchè, boa parte dos meus ouvintes, aqueles que ingenuamente acreditei em suas
promessas de amizade, estavam sempre divididos entre os que desejavam o meu fracasso e
os que contribuíram para a minha derrota.

Perante il banchetto che mangio e na mesa que confraternizamos, a anfitriã é a omertà e


nosso código de etiqueta nada mais é, do que uma refinada lei do silêncio, ou seja, o que é
feito ou dito entre homens, deve permanecer somente entre os homens que estavam na
conversa.

Não se pode espalhar espinhos por um caminho que é percorrido descalço e muito menos
permitir que a língua diga o que a cabeça poderá vir a pagar, mas isto, apenas aprendemos
com anos de sofrimento, acredito agora, que de todas as professoras que tive, a experiência
foi a mais severa, primeiro ela aplicou a prova para depois me ensinar uma lição.

Creio que todo homem, quando sentisse a vontade de contar alguma coisa que planeja para
alguém, deveria escrever tudo em um papel, embrulhar e por fim, mastigar até o último
pedaço.

Durante momentos tranquilos pode-se com maior facilidade refletir sobre as coisas ao
derredor, imagine o que não se pode refletir durante a tranquilidade de espirito? Se nunca
mirou para o horizonte, pairou os olhos sobre toda fortuna á vista, e refletiu para si mesmo:
Eu serei o dono de tudo isto!
Então nunca possuiu uma real ambição. Entretanto a ambição cega, lhe fará sempre acordar
com fome de dinheiro e dormir de barriga vazia. Seu dilema nada mais é do que o maior
paradoxo na vida de um homem de negócios da sacra organização; Como adquirir o poder e
dinheiro sem colocar os dois pés no inferno? Poderia um soldado em uma guerra, ao matar
seu inimigo, ser acusado de homicídio pelo Estado ou de cometer um grave pecado pela
Igreja? O mesmo acontece por aqui, não é nada mais do que uma guerra, não é defendida em
prol de países ou ideologias, mas por interesses e negócios, além do mais, todos eles estão
ali, sabendo dos riscos e benefícios, mas a cobiça fala mais alto, ninguém é culpado ou
inocente, são apenas negócios. E por mais que a chance de vencer seja grande, o capitalismo
segue as regras de Las Vegas e a banca nunca quebra...

Ter honra e lealdade, no submundo dos negócios é como andar calçado com sapatos brancos,
em uma rua de lama, tentando não se sujar, por isto, sempre levei comigo um lenço cinza,
perché sei que em muitas vezes, lavar a honra com sangue, me fará sujar o paletó.
Quanto aos sentimentos? Sempre prezei mais o ódio. E digo:
O ódio deve ser para o homem, assim como o fogo é para uma locomotiva a vapor!

Ela transforma o fogo em seu combustível para percorrer os mais longos e íngremes
caminhos, entretanto ela não se queima com ele. O homem deve fazer com que o seu ódio
interno de todas as injustiças que lhe foram cometidas seja seu propulsor rumo ao sucesso,
mas sem se consumir por ele.

O amor, poderá sim lhe tornar uma pessoa melhor, mas o que realmente vai determinar o seu
futuro é a sua decisão de vencer e o que está disposto a fazer para isso, esta sim, não apenas
influencia, mas determina e muito o seu futuro.

Não se trata, de onde você está hoje, ma si, sobre o que está disposto a fazer para galgar as
escadas de ossos até o topo.
Allora, escolha onde quer chegar e faça o que for necessário para isso, o que for necessário!
Como dizem os sicilianos; o amor pode melhorar o homem, mas apenas o ódio o
transforma...

132
Existem pequenos e práticos conselhos dos quais muito pouco se veem e ainda menos se
recebem nos tempos atuais, mas entretanto, alguns que ouvimos em nossa realidade, quase
que desde nostra iniziazione, lhe serão repassados;

Desde Lucky Luciano, passando por Salvatore Totò Riina na Sicília, até John Gott o último
capo a moda antiga, possuíam em comum um tom tanto quanto particular de cavalheirismo
(não o cavalheirismo deturpado, aquele a grossos modos que é ''apenas a parte que convém
aos caprichos de uma mulher'').

Esta característica (o cavalheirismo robusto) destes homens lhes agregavam respeito social,
profissional e pessoal. Suas posturas e simples gestos os caracterizavam como homens
sábios, requintados e inteligentes, mas sem deixar que o observador esquecesse da
periculosidade e implacabilidade de cada um.

Em sintase, graças as tradições, sub-tradições e costumes de época que persistiram na máfia,


foi criado um incomum código de etiqueta entre os homens de honra, que diferente do
“decálogo siciliano’’ que são leis dentro da organização, os códigos muitas vezes servem
apenas como forma de diferenciar o pazzo do homem refinado e este são:

-Quando um homem mais velho estiver falando contigo, não importa quão tedioso seja o
assunto, mantenha a atenção.
-Nunca interrompa ninguém; é rude apontar uma data ou um nome que um homem feito
esteja hesitando em dizer, a não ser que te peçam para fazer isso e jamais antecipar algum
ponto da história que está sendo contada, ou terminar a frase para roubar o final para si.
-Dê opinião somente quando for requisitado e isto com muita modéstia nas palavras.
-Jamais, mostre interesse na conversa quando dois homens de honra se afastarem do grupo
para conversarem em particular.
-Nunca fale quando outra pessoa estiver falando, e não eleve a voz para cobrir a dos outros
durante uma reunião “di famiglia’’.
-Se estiver ficando irritado com a conversa, mude de assunto ou fique em silêncio. Você pode
dizer, num arroubo de paixão, palavras que nunca usaria num momento mais calmo, e as
quais você lamentaria depois de dizer. Não ridicularizes os defeitos físicos ou morais, e não
os arremedes, o que seria grande insulto. Homens de honra já mataram por muito menos que
um insulto.

De todos os conflitos, inimizades e assassinatos ao longo da história dentro da Organização,


a maioria ocorreram simplesmente por causa de palavras rudes ditas no momento errado e
para o homem errado. Na sua realidade, apenas diga algo, quando suas palavras forem mais
dignas do que o silêncio.

-Jamais sente-se de costas para a porta ou embaixo de janelas, por razões óbvias.

Por ironia do destino ou simplesmente por estarem com a guarda baixa, grandes homens da
Cosa Nostra foram executados enquanto comiam tranquilamente em seus restaurantes
prediletos. Qual lição pode-se tirar disto? Não importa onde ou o que esteja fazendo,
mantenha seus olhos bem abertos, seus inimigos vão esperar o momento certo para agirem.
Um café durante o trabalho, pode ser o momento em que lançarão uma pergunta capciosa
buscando algo que possa lhe comprometer.

-O homem jamais carrega a bolsa ou as sacolas de uma mulher, exceto se ela for de idade
avançada ou se as sacolas estiverem pesadas em excesso de forma que ela não tenha real
força para carregá-las.
-Abra e segure portas, deixar que passe primeiro ou ceder lugar, cabe apenas para os mais
velhos. Um homem de honra não é empregado de Mulheres jovens ou tem o dever que
propiciar conforto a elas.

De forma alguma poderão presenciar um “homem feito’’ da Orgazação em um shopping


carregando sacolas ao lado de uma mulher desregrada e inclinada a gastos supérfluos, mas
pelas ruas da Palermo ou New York sempre que um membro da Cosa Nostra encontrar uma
senhora, avançada em idade e carregando com muito esforço as frutas e peixes frescos que
acabara de comprar, tem o dever de ajudá-la. Isto reflete o respeito pelos mais velhos, que
abrange outros gestos cotidianos, e a apatia diante dos caprichos de uma mulher sem limites.

-Nunca entre na casa do seu superior quando somente a mulher ou filha dele estiverem em
casa. Caso o superior ou capo, esteja em seu recinto, mas a sua mulher que venha lhe abrir a
porta, espere até que ele pessoalmente o atenda e convide para entrar.
-Se encontrar um homem de honra acompanhando de sua mulher ou filha, jamais as
cumprimente diretamente. Apenas dirija-se ao homem e espere que elas o saúdem.
-Se for requisitado a dar uma carona para uma mulher de um homem de honra (seja esposa,
filha, secretária, sobrinha, mãe) jamais permita que ela fique em outro lugar a não ser no
banco de trás.

Dezenas de problemas podem ser evitados com estes simples atos, até mesmo livrar um
“homem feito’’ da morte. Algumas mulheres comprometidas, princesas da máfia ou não,
sentem prazer em cortejarem um homem estranho ao relacionamento apenas para atiçar seu
ego, não se importando com as consequências geradas, inclusive assassinatos. Na sua vida
estatalmente (i)legal, não se esqueça desses códigos que podem (e devem) ser aplicados ou
adaptados a sua realidade.

-Numa briga, se você não tem como reconciliar as partes, se abstenha. Você certamente faria
um inimigo, talvez dois, ao tomar um lado numa discussão onde ambos os lados já perderam
a calma.

Muitos homens já morreram baleados ao apartar uma briga...

-Em um jantar casual, onde os membros levam suas esposas, a mulher diz ao homem o que
escolheu, se ele concordar faz o pedido ao maître.
Isto simbolizará para os outros (e para a própria mulher que lhe acompanha) que dentro de
sua casa, “tu sei il capo.”.

-Jamais se atrase a um compromisso de negócios.

De todos os pecados de um membro da Cosa Nostra o maior deles é desrespeitar a “forma


secular de negociar” da Organização. Um homem que não respeita seus compromissos não
respeitará a palavra dada e muito menos seus juramentos de honra. O simples ato de se
atrasar (a não ser que se trate de um chefe) significa a falta de comprometimento com os
negócios, acarretando uma enorme ofensa a uma organização cuja base é o empresarialismo
do sub-mundo. Na sua vida empresarial ou laboral independente do que faça, dê o devido
respeito ao seu modo de ganhar dinheiro.

Cent'ann

133
Bene...

Contabilizaram que em 2013, viviam no Estado de São Paulo aproximadamente quinze


milhões de descendentes de italianos, representando cerca de 34% da população do estado...
O imigrante italiano, depois do paulista nato, foi o povo que mais ajudou a erguer e prosperar
o estado e a capital.

Aos paulistas de sangue italiano, não se esqueçam de manter vivo em seus corações o
orgulho de seus ancestrais que um dia conquistaram o vecchio mondo, e no Brasil onde
colocaram as mãos e derramaram suor, ali fizeram florescer riqueza e prosperidade.

Cent'anni a São Paulo, que a sua grandeza ecoe pela eternidade, buonafortuna também a
Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná que foram outras províncias que
acolheram o imigrante italiano no Brasil.

134
Joe ‘’Crazy’’ Gallo

Foi um notório assassino profissional da família mafiosa Profaci (Atual família Colombo),
uma das cinco famílias de Nova York.
Joe esteve envolvido em vários assassinatos sob as ordens do capo Profaci.

Ironicamente, seu apelido ‘’Crazy’’ não tinha nada a ver com sua reputação assassina. Muitos
membros da cosa nostra americana o rotularam como “louco” por seu hábito de recitar linhas
de diálogo de filmes de gangster e imitar mafiosos fictícios.

Sua reputação cresceu em 1957, quando ele foi suspeito (embora nunca comprovado pela
polícia) de ser um dos atiradores no assassinato de um poderoso chefão da máfia, Albert
Anastasia.
Carlo Gambino, subchefe de Anastasia queria assumir o cargo de capo da família, no
entanto, como Anastasia em tempos remotos, foi um dos fundadores da Murder Inc, uma
‘’empresa de assassinato particular’’ pertencente a Cosa Nostra, que vendia mortes, (o F.B.I
contabilizou mais de 200 assassinatos relacionados a Muder Inc), ou seja, Anastasia não seria
um homem fácil de matar.
Em 25 de outubro daquele ano, Anastasia entrou em uma barbearia. Enquanto ele estava
sentado à espera do barbeiro, homens armados entraram na loja e começaram a disparar
contra ele. Os relatórios dizem que Anastasia atordoado, investiu contra os assassinos, mas
apenas golpeou o reflexo deles nos espelhos, antes de cair no chão morto.

Depois disto, Gallo liderou um motim numa tentativa de derrubar o líder da sua família. A
tentativa não teve sucesso e muitos de seus amigos e parentes foram assassinados por
homens de Profaci, iniciando uma das maiores guerras da máfia desde 1931.

Para piorar as coisas para Gallo, em 1961 ele foi condenado por extorsão e sentenciado a 10
anos de prisão. Gallo foi solto em liberdade condicional depois de cumprir 8 anos de sua
sentença. Na Penitenciaria, ‘’Crazy'' fez algo proibido pela Cosa Nostra, ele recrutou negros
e porto-riquenhos de pequenas gangs e os nomeou como seus representantes.

Ao sair da prisão, sua então esposa comentou como ele havia se tornado frágil e pálido
enquanto estava na prisão, mas não desprovido de ambição.
Ele estava determinado mais do que nunca, a assumir o comando da família Profaci, agora
chamada de família Colombo.

Em 28 de junho de 1971, na segunda reunião do Italian-American Civil Rights League, uma


fundação criada por Joseph Colombo para proteção judicial e social de imigrantes italianos,
um homem armado emergiu da multidão e disparou contra J. Colombo, acertando sua
cabeça.
Os Guarda-costas de Joseph revidaram, matando o assassino. Que mais tarde foi identificado
como Jerome Johnson, um negro, o que fez com que a Cosa Nostra soubesse exatamente
quem era o mandante do assassinato.
J. Colombo sobreviveu ao tiroteio, mas manteve um estado vegetativo durante alguns anos,
até a sua morte.

‘’Crazy’’ Gallo tornara-se um problema para o Sindicato, recrutava negros e latinos ao


mesmo tempo em que matava chefes da máfia, logo um santo pintado em um papel era
mergulhado em um copo de vinagre e queimado sob a mesa de uma reunião da Cosa Nostra,
simbolizando que pela quebra do juramento de fidelidade (mesmo ritual onde se queima um
santo sobre as mãos do iniciado) a alma de Joe ''Crazy'' Gallo deveria também queimar...

Em 1972, quando Gallo estava comendo em um restaurante de frutos do mar com sua família
e seu guarda-costas, um pistoleiro irrompeu pela porta dos fundos e atirou cinco vezes no
peito de Gallo. Ele cambaleou para a rua e caiu morto.

O principal suspeito pelo assassinato era Carlo Gambino, (o mesmo por quem Gallo havia
matado Anastasia). Além da ordem da Cosa Nostra, Carlo Gambino era amigo íntimo de
Joseph Bonano, por quem jurou vingá-lo.

A morte de Gallo foi tema de Bob Dylan e Jacques Levy 's na canção "Joey", gravada por
Dylan em seu álbum de 1976, Desejo.

''The sun turned cold over President Street and the town of Brooklyn mourned
They said a mass in the old church near the house where he was born.
And someday if God's in heaven overlookin' His preserve
I know the men that shot him down will get what they deserve.

Joey, Joey,
King of the streets, child of clay.
Joey, Joey,
What made them want to come and blow you away?''

***

''Você pode abafar o som dos seus passos, o ruído dos disparos e o estardalhar dos gritos de
misericórdia, mas não pode silenciar a voz da sua consciência. Eu não matei inocentes ou
santos, pelo contrário, eles eram demônios como eu.
Talvez um dia no inferno, possamos nos reunir para rirmos do quão idiotas fomos aos
matarmos uns aos outros simplesmente por poder e dinheiro.'' (Joe ''Crazy'' Gallo)
Buonanima e riposare in pace..

135
A maioria dos conselhos dados ''pelos de fora'' sobre “como ficar rico” tem a ver com
JUNTAR DINHEIRO.

Essa vai ser difícil de engolir, mas saiba que você nunca vai ficar rico juntando dinheiro. A
única maneira de você ficar rico de verdade é criando um produto ou criando uma
oportunidade, sendo um produtor ao invés de consumidor e VENDENDO alguma coisa para
muitas pessoas. Em suma, a única forma de ganhar muito dinheiro é fazer a sua renda
crescer, Make Money ou Fanno Soldi, capisce?

Você não vai ficar rico tendo uma renda limitada e juntando um pouco dessa renda limitada
(principalmente se ela for contabilizada em salários mínimos).

''Juntar dinheiro'' é uma atividade para pazzo, que não requer muito esforço. Para ficar rico
você precisa agir, correr atrás, suar a camisa, ser antes de tudo, implacável.
É necessário ser um homem paciente, que controla, que cria oportunidades ao invés de
esperá-las caírem do céu, que é firme; constante em todas as coisas.

Você deve permanecer à parte da sociedade externa, geralmente contra ela. Não se envolver
em regras e leis, não se dá convencido pelo novos costumes do mundo. O que deve ter é uma
força interna que lhe conferirá presença, porque você espera, planeja, e ataca somente no
momento da melhor chance de sucesso..

É necessário produzir para ser rico. Quem junta dinheiro só pensa em reduzir. Reduzem o
número de cafés do Starbucks que eles tomam por dia, reduzem o número de vezes que
comem fora, mas nunca reduzem os gastos que realmente precisam ser reduzidos. E mais
importante: Nunca produzem nada.

O pazzo que junta dinheiro e pensa que vai conseguir se aposentar cedo é um sonhador. O
uomo di onore que faz dinheiro não se preocupa com aposentadoria – ele já tem bastante
tempo em mãos.

A maioria diz que se quiser ficar rico, precisa ter um bom trabalho, que lhe de segurança
(como ser um funcionário público e concursado) e um bom salário. Esse tipo de conselho
sempre é dado por familiares não-ricos, professores, funcionários públicos, amigos, etc ou
por pessoas de classe média que se estagnaram com um pouco de bens econômicos.

Se essas pessoas realmente soubessem como ganhar dinheiro elas não estariam trabalhando
no seu atual emprego. Vanffanculo! Elas não estariam trabalhando em lugar nenhum!
Elas trabalham em empregos que qualquer pessoa com um diploma de faculdade poderia ter.
São pessoas que na maioria das vezes ganham mal pela função que exercem, não tem
dinheiro ou tempo livre nenhum e ainda tem a ousadia de dar conselhos sobre como ficar
rico.
Quer ser rico e poderoso? Então escute o conselho da ''nossa coisa'':

Tenha uma vida toda feita de trabalho, autonegação do ego, autoconfiança real e
principalmente autocontrole.
Não busque confrontos; evite-os - a não ser que algo de extrema importância esteja em jogo.
Ao contrário, manobre em direção a seus objetivos. Seja astuto, não confie em ninguém.
Acima de tudo, saiba o que é importante, e isto lhe conferirá dignidade e atrairá respeito.
Crie suas oportunidades, não seja vitimista e encare o mundo de frente. Não invista dinheiro
e tempo em relacionamentos com prostitutas sociais ou promíscuas insubmissas.
Deixe de pensar em ter um ''bom emprego'' e passe a se dedicar em ''fazer empregos'' e a não
trabalhar para ninguém que não seja para si mesmo.
Todos os dias milhões de otários, pela manhã, levantam-se de suas camas e saem com os
bolsos cheios para a rua, o seu objetivo é criar um método, um serviço ou um produto para
fazer com que este dinheiro venha para suas mãos e que esses imbecis, ao anoitecer, voltem
para cama com um sorriso no rosto... Capisce?

136
Existem momentos que o silêncio é o melhor argumento,
Sábio é o homem que o escolheu como forma de discussão, o silêncio é o argumento dos
sábios.
Certas coisas não valem as palavras, ou até mesmo os gritos, são tão insignificantes que não
valem um espaço no pensamento, nem mesmo um pouco de raiva, como uma crítica mal
feita, mal elaborada, elas não valem o esforço de uma atitude drástica.
Sábio é aquele que escolhe o silêncio como arma.
Para um bom italiano, molho de tomate, dinheiro e silêncio, nunca são demais...
Chiaro e tondo, omertá!

137
"Não existe dinheiro limpo, ou dinheiro sujo, quando se trata de dinheiro, é simplesmente
dinheiro...''

Lucky Luciano Nasceu na Sicília, doutorou-se nas ruas de Manhattan e foi eleito pela
“Time” um dos 100 gênios empresariais mais influentes do século XX, Morreu há 50 anos.

Charles Lucky Luciano era o homem com quem qualquer mulher com atração pelo perigo
queria casar. “As pessoas que eu mais admiro são aquelas que nunca acabam”, escreveu um
dia Almada Negreiros. A frase, que poderia descrever o charme de um dos mafiosos mais
carismáticos da história, e resume a vida de Luciano. Primeiro reinventou-se, depois
reinventou a própria máfia italiana.

E porque para se ser um criminoso bem-sucedido há que ter o seu quê de visionário, assim
que assumiu o controle da maior família do crime organizado de Nova Iorque, o siciliano
começou por arrumar a casa. De acordo com o FBI, citado pela revista “Time”, a ascensão de
Luciano separou o trigo do joio dentro do crime organizado.

Após a sangrenta ascensão à liderança – ofereceu-se para matar o chefe Giuseppe (“Joe the
Boss”) Masseria, por forma a acabar com a violência contra o grupo de Salvatore Maranzano
– que considerava prejudicial ao negócio, e, alegadamente, fê-lo –, por fim, para acabar com
a guerra de clãs Luciano acabou com os dois maiores chefes da época, e logo que chegou ao
topo, reorganizou o crime em Nova Iorque.

Nomeado pela “Time” entre os 100 gênios empresariais mais influentes do século XX, a ele
se deve a modernização da máfia, a sua transformação num consórcio orientado por
objetivo.
A organização era formada por duas dezenas de chefes das família espalhadas pela América,
que controlavam o contrabando, os narcóticos, a prostituição, mas também empresas
legítimas como supermercados, restaurantes, pizzarias, lojas de roupa e escritórios de
contabilidade.
Um consórcio organizado em rede, uma expressão atualmente muito em voga, mas um
conceito em que Luciano foi visionário. Uma rede que se expandiu, infiltrando- -se,
seduzindo e corrompendo negócios legítimos, políticos e a polícia.

Como diz Bob Dylan, para viver fora da lei e sobreviver é preciso ser muito honesto. Talvez
tenha sido essa qualidade que lhe valeu morrer por causas naturais, em 1962, aos 65 anos, e
não antes, numa vingança sangrenta.
Assim que chegou a Manhattan, em 1907, com dez anos, viu de imediato uma oportunidade
de negócio nas ruas da cidade. Por um cêntimo ou dois por dia, o jovem, que na altura ainda
dava pelo nome de Salvatore Lucania, protegia os rapazes judeus de levarem pancada no
caminho para a escola.
Se não lhe pagassem, tratava ele mesmo do serviço. Certo dia um miúdo franzino polaco,
Meyer Lansky, recusou-se a pagar. Luciano apertou-o e ficou admirado pelo fato de o
polaco, sem tremer, ter encarado e sempre se levantado após apanhar. Ficaram amigos para a
vida inteira.

Apreciador do belo, Lucky também lançou a tendência do mafioso de bom gosto. Usava
ternos elegantes, camisas de seda, sapatos feitos à mão e casacos de caxemira. Andava
sempre rodeado de mulheres bonitas e tinha Frank Sinatra ou George Raft como amigos.
Os seus homens também tinham de obedecer a certas regras de estilo. Nada de chapéus de
abas largas, camisas ou gravatas espampanantes ou fatos espalhafatosos. “Deixem o Capone
e os gajos de Chicago fazerem isso. Nós não”, afirmava, segundo o livro “The Last
Testament of Lucky Luciano”, citado pelo “New York Times”.

A vida boa acabou em 1935. Nomeado procurador especial de Nova Iorque para acabar com
a máfia, Thomas E. Dewey escolheu Luciano como alvo, chamando-lhe “o czar do crime
organizado na cidade”. Num jogo baixo, acusou-o de inúmeros crimes de prostituição
forçada. “Isso é treta”, disse o siciliano já velho em Miami, onde apenas alguns mafiosos
ainda se lembravam dele. “Ninguém tinha nada de mau a dizer sobre o Charlie”, afirmou um
deles à “Time”. “Foi ele que organizou tudo. Um cavalheiro. Daria 100 dólares a uma vadia
só por rir para ele. A acusação de lenocínio foi só uma forma de o tirarem das ruas”,
acrescentou. Mesmo assim, foi considerado culpado de 62 crimes e condenado a uma pena
de até 50 anos de prisão. Tinha então 38 anos.

Foi preciso os Estados Unidos entrarem na Segunda Guerra Mundial para Lucky ser
libertado. Com o seu poder de influência e uma vida inteira nas ruas, o mafioso conseguiu
que pescadores, estivadores e bandidos se aliassem aos serviços secretos norte-americanos
contra os alemães. Assim que Luciano, ainda detido, entrou no conflito, foram presos espiões
nazis e descobertos planos de ataque. A sua ajuda também foi valiosa na invasão de Itália
pelos Aliados.

Pelas suas contribuições em tempo de guerra, Luciano foi libertado e enviado para Itália, em
Fevereiro de 1946, após dez anos de prisão.

Morreu 16 anos mais tarde, de ataque cardíaco, a melhor morte, segundo dizem. Teve sim
um pouco de sorte. Por ironia, um homem que tinha como nome ''Lucky'' jamais contava
com a própria sorte.

138
''Quando não se pratica a justiça, crucifixo, arma e poder nenhum, poderão lhe proteger''
(antigo ditado siciliano)

Carmine Galante (21 de fevereiro de 1910 - 12 de julho de 1979):

Carmine, também conhecido como "Lilo" ou "Charuto" foi um mafioso e Capo interino da
família Bonanno .

Galante em sua vida, foi raramente visto sem um charuto na boca, por isto recebeu o apelido
de "The Cigar" e "Lilo" (uma gíria italiana para charuto), passou mais tempo em presídios
americanos do que nas ruas.
Aos 10 anos foi preso pela primeira vez, aos 15 comandava uma gang de Nova York
chamada Lower East Side, e em pouco tempo, por ser filho de sicilianos, foi iniciado na
Cosa Nostra Americana.

Tornou-se motorista do Capo da família Bonanno, Joseph Bonanno, único a quem se


manteve realmente fiel e rapidamente galgou as escadas de ossos da máfia, entretanto,
Galante além de fumante compulsivo de charutos, era também ambiciosamente psicótico
pelo poder.

Assim que usurpou a liderança da Familia Bonano, (quando Joseph Bonanno foi ''obrigado a
aposenta-se'') Carmine comprou brigas internas com o próprio Líder do Sindicato do crime
mundial, Lucky Luciano e era inimigo declarado de Frank Costello (amigo intimo de Lucky,
Lansky e Bugsy, fundadores do sindicato da Cosa Nostra Americana).

Carmine em seus delírios para monopolizar as conexões de drogas Europa-América, decidiu


eliminar uma das maiores famílias de New York, a Família Gambino, matando oito de seus
membros da alta cúpula.

As outras famílias de Nova York, membras do Sindicato, ficaram alarmadas com tentativa
descarada de Galante em tomar conta do mercado de narcóticos.
Galante também se recusou a dividir os lucros da droga com as outras famílias. Embora
Galante estava ciente de que ele tinha muitos inimigos, ele disse: "Ninguém nunca vai me
matar, eles não ousariam!"
Em janeiro de 1974, Galante ordenou que implantassem uma bomba no mausoléu de Frank
Costello, falecido um ano antes, explodindo a sepultura de seu antigo inimigo.

Diante de tamanhas loucuras, Galante era visto como o próprio Calígula da Máfia italiana.
Frank Tieri, Capo da família Genovese, contactou todos os Capi do sindicato, desde New
York, New Jersey, Philadelphia, Boston, Califórnia, Chicago e entrou em contato até com os
tradicionais Capi na Sicília. Conseguindo apoio e a ordem de morte de Galante ''the cigar''.

Em 12 de julho de 1979, Carmine foi assassinado quando terminou de saborear sua refeição
em um pátio aberto no ''Joe i Maria Italian-American Restaurant'' no Brooklyn.
Galante estava comendo com Leonard Coppola, membro da familia Bonanno, também
sentados à mesa estavam os guarda-costas sicilianos de Galante, Baldassare Amato e Cesare
Bonventre.

Logo que o nome de Carmine foi escrito no livro da morte graças a Cosa Nostra, três homens
mascarados entraram no restaurante e abriram fogo com espingardas e revólveres,
promovendo uma chacina.

Galante e Coppola foram mortos instantaneamente.

Ironicamente, a última foto de Galante, tirada pelo New York Times, mostrava o ganancioso
Capo com um charuto ainda pendurado em sua boca.

Acredita-se que entre os homens que alvejaram Galante, estava Richard Kuklinski ''the ice
man'', o maior assassino da máfia italiana.

Em 1980, o fluxo de dinheiro vindo dos narcóticos estava bem distribuído entre as famílias
de New York, e o sindicato da Cosa Nostra Americana promovia uma fabulosa festa em
homenagem a morte de Carmine, onde simbolicamente todos os convidados receberam um
charuto e um cartão, com as inscrições: ''Enquanto a brasa desse charuto estiver acesa, reze
pela alma de Galante

139
Sam “Momo” Giancana
(Chicago, 15 de junho de 1908 — 19 de junho de 1975)

Reputado como o Chefão de Chicago, durante a Comissão do Senado estadunidense contra o


Sindicato do Crime e Cosa Nostra, Giancana invocou a Quinta Emenda, e se recusou a falar
o que os congressistas desejavam ouvir.
Salvatore Giancana, mais conhecido como Sam “Momo” Giancana, o açougueiro de
Chicago, tornou-se conhecido por sua forma implacável de gerir os negócios ''a la Chicago'' e
por estar ligado a diversas mortes mundialmente famosas, como os assassinatos dos irmãos
Kennedy, John F. (Presidente dos Estados Unidos) e Robert F. (então candidato à
Presidência) e do suposto suicídio de Marilyn Monroe (que teria sido realizado em parceria
com a CIA).
Sam “Momo” Giancana teve Al Capone como inspiração pessoal de trabalho, tendo,
inclusive, trabalhado para este e possivelmente participado do Massacre do Dia de São
Valentim.
Quando tomou o poder da ''Chicago Outfit'', Sam mudou os moldes Napolitanos de gerir
(criados por Al Capone) para implantar os tradicionais meios Sicilianos.

140
Muitas mulheres podem ser observadas ali e acolá, nesta página, comentando sobre isto ou
sobre aquilo que devem respeito a um outro público.
Diante disto, torna-se uma necessidade instruir aos moldes antigos sicilianos de como uma
dama deve ser portar diante de um homem de honra.

Allora, ascolta bene, signora e signorina, ma ascolta a nostra cosa, si?

Ama teu esposo acima de tudo na terra e ama teu esposo da melhor forma que puderes; mas
lembra-te de que a tua casa é teu esposo e não teu próximo; trata-o como um precioso amigo;
como a um hóspede de grande consideração e nunca como uma amiga a quem te contam as
pequenas contrariedades da vida;

Espera teu esposo com teu lar sempre em ordem e o semblante risonho; mas não te aflijas
excessivamente se alguma vez ele não reparar nisso; não lhe peças o supérfluo para o teu lar;
pede-lhe sim, caso possas, uma casa alegre e um pouco de espaço tranquilo para as crianças;
que teus filhos sejam sempre bem arrumados e limpos; que ele ao vê-los assim possa sorrir
satisfeito e que essa satisfação o faça sorri quando se lembre dos seus, em estado ausente.

Lembra-te sempre que te casaste para compartilhar com teu esposo as alegrias e tristezas da
existência. quando todos o abandonam fica tu a seu lado e diz-lhe: aqui me tens! sou sempre
a mesma. Se ele possuir a aventura de ter sua mãe viva, seja boa para com ela pensando em
todas as noites de aflição que terá passado para protegê-lo na infância, formando o coração
que um dia havia de ser teu;

Não peças à vida o que ela nunca deu para ninguém. pensa antes que se fores útil poderás ser
feliz;
Se teu esposo se afastar de ti, partindo pela Sicilia, espera-o. Porque tu não és somente a sua
esposa, és ainda a honra de seu nome, e quando um dia ele voltar, há de abençoar-te.

141
Ascolta;

Muito se ouve, da boca de um pazzo, a prévia falácia de forma até mais torpe; ''Aquele ou
este, depois que venceu na vida e conquistou isto ou aquilo, não mais conversa ou se mistura
com as antigas companhias''.

Davvero, um homem de honra não se esquece de suas origens e deve manter em sua essência
a humildade inerente quando alcançar o topo.

Entretanto, amico mio, chega um momento na vida de um homem bem sucedido que não
mais pode ser visto na presença de alguns que lhe atrasam de certa forma.
As más companhias são como o Mercado de Peixe Siciliano; faz o frequentador acostumar-
se ao mau cheiro.

Se você se tornar um notório advogado, não deve mais ficar á porta de um botequim
discutindo sobre aventuras sexuais passadas, ao contrário, deve manter-se frequente em
sociedade com profissionais ainda mais capacitados, onde terá um melhor aproveitamento de
informações, aperfeiçoamento do vocabulário e da visão de mundo. De igual modo, um
executivo não vai encontrar no banco da praça o contato perfeito para uma transação de
negócios.

Na sacra Cosa Nostra Siciliana não é diferente. Um Capo que galgou a escada de ossos da
''coisa'' não será visto nas ruas flertando com prostitutas, espancando um devedor das
jogatinas, cobrando pizzo de um comerciante, se entupindo de álcool com os amigos, não,
agora ele é um ''homem feito'', deve ser sempre visto bem-vestido á mesa de negócios com
todos os tipos de juízes, promotores, deputados, empresários, senadores, partidários,
empreiteiros, donos de construtoras... Todas aquelas antigas companhias e atitudes que ele
tinha, quando estava apenas começando, foram (e deviam assim ser) abandonadas.

Mais do que um amigo, você precisa de um mentor. Mais do que uma companhia, você
precisa de um contato. Isto claro, se o seu objetivo é chegar ao topo, agora se quer ser um
tolo sentimental rolando na sarjeta, diga ''me ne frego'' a tudo que foi dito...

Cent'anni!.

142
Ascolta, ma ascolta bene, si?

Ninguém dá a mínima para os seus problemas pessoais! Deixe as lamentações e o


choramingo para as mulheres sensíveis.
Resolva como um homem, vanffanculo!
Pare de perguntar a origem do seu comportamento problemático e apenas aja na direção
contraria dele. Aprenda a ficar só e enfrentar os seus demônios.

Cent'anni!

143
Oggi ascolta, ma ascolta bene, si?

Você não vai encontrar motivação para vencer na vida; em um livro de auto-ajuda, em uma
Fanpage de facebook, em um vídeo, em uma matéria de revista, em um Best-seller, em uma
consulta com psicólogo, em um website, etc... Nestes lugares por melhores exemplos que
possam ser observados, você apenas terá algumas doses de ilusão que o impulsionará a criar
metas vazias, onde a sua fraqueza, mediocridade e preguiça o impedirão de cumpri-las.

Ma davvero, você apenas encontrará motivação para vencer na vida; quando olhar no
espelho e apenas enxergar que não passa de um vulto fraco, de braços finos e pernas trépidas,
o dia que procurar emprego e observar que não vai conquistar uma vaga por falta de
capacitação, quando a mulher que diz amá-lo lhe trocar por outro que seja rico, quando levar
uma surra de alguém por não conseguir se defender sozinho, no momento que precisar dos
seus amigos e eles lhe negarem ajuda, no instante que ficar ás margens em um local de alta
sociedade por estar maltrapilho, na ocasião que for rejeitado por uma mulher por ser uno
stronzo, quando for traído por aqueles que lhe juraram lealdade...
Ora sì, encontrará a verdadeira motivação para deixar de ser fraco, imbecil, vitimista,
preguiçoso, ingênuo, medíocre e começará a odiar aquele próprio estado de putrefação física
e mental, e então este ódio será o fogo que forjará um novo homem, mais forte, mais esperto,
implacável, apto a lutar neste nostro mondo capitalista. Finalmente estará motivado...

O amor pode melhorar o homem, mas apenas o ódio o transforma...

Cent'anni!
Onore, vendetta e fedeltà!

144
Ciao a tutti!

Ascolta, é inexpressável o número de desejos que condensamos na expressão Buon Anno!


quando nos confraternizamos com as demais pessoas.

Entretanto, para desejar felicità, ricchezza, amore, salute, prosperità, existem muitos, ma
venire su di, algum dia você já viu um grande General bater nas bochechas de seus soldados
e desejar paz e felicidade enquanto estão indo para a guerra? Passamos todo o ano
rascunhando sobre as engrenagens do real mundo em que vivemos, e não tropeçaremos em
uma ilusão no último dia.

Promessas vem, e palavras ao vento vão, e nada do que se diz é cumprido. Perchè ninguém
sabe o dia de amanhã. Este ano que se aproxima pode sim ser o melhor ano da sua vida, che
Dio ti aiuti, mas também pode ser o seu ano mais amargo, mas quem falaria sobre esta outra
perspectiva a algumas horas de uma festa?

Davvero, em 2015 se você não mudar o seu modo medíocre e ingênuo de agir, se não se
fortalecer fisicamente e mentalmente, se não for implacável, se não agir com honra, se não
for leal á quem lhe é leal, se mantiver a sua boca como um boeiro de palavras, se confiar em
todos, se sempre preferir a bondade ao invés da justiça, se for preguiçoso, se não cumprir o
seus deveres como homem, se for o che cazzo tenha sido até agora, este novo ano continuará
sendo tão banal quanto o velho, ou acredita mesmo que a sua vida pode mudar para melhor
tão facilmente quanto o trocar de um calendário?
Neste ano você pode perder o emprego, um ente querido, um familiar, um amigo, uma
oportunidade, um bem material, mas não perca a honra, mantenha-se de pé! Não se desanime
quando estiver sozinho e tudo parecer perdido.

Poderíamos demagogicamente desejar Bona Fortuna, felicità, ricchezza, amore, salute,


prosperità, mas hoje você já terá muitos bajuladores para lhe abraçar e parlar questo,
entretanto o que desejamos á cada um de vocês, que nos acompanharam durante este longo
ano que se exaure, é;
Sabedoria para resolver seus problemas, coragem para romper desafios, força e
implacabilidade para lutar neste mundo capitalista rumo ao sucesso, honra e lealdade para
que andem neste caminho imundo do dinheiro sem sujar seus pés, que seus punhos sejam
fortes para defender o que é justo, e acima de tudo, desejamos que cada um esteja realmente
pronto para o dia mal, para que assim realmente exista vitória.

Questa è la verità

145
Ascolta bene, si?

Quantas vezes você parou para pensar no valor que há nas pessoas trabalham para você ou ao
seu lado?

Àquelas que estão no seu dia-a-dia e estão sempre prontas a lhe apoiar?

Talvez você não consiga tangibilizar o valor que elas tem para você e o seu trabalho, porque
às vezes são apoios tão pequenos e frequentes que se tornam até naturais, como se fosse
parte da responsabilidade, mas na verdade não são.

O companheirismo é isso. Você saber que pode contar com a outra pessoa e ela com você.
Sempre. Como se fosse natural e sem ser forçado, ou simplesmente pelo dinheiro ou por
medo.

Somente quando as pessoas se conhecem e se respeitam, é que elas sabem valorizar os


pequenos gestos que demonstram que ser companheiro é fazer parte do dia-a-dia e o que
final o resultado é para todos, que o companheirismo é um dos ramos da Lealdade que é um
galho da Honra...

Se você escolher ver mais as pessoas que lhe cercam, certamente vai identificar os
verdadeiros companheiros em muitos que você nem imagina que sejam.

E como é importante saber com quem você pode realmente contar e também deixar os outros
saber que eles podem contar de verdade com você.

No mundo dos negócios, se você não estiver “jogando junto” não funciona.

Você precisa exercitar o companheirismo com as pessoas com quem você convive porque é
pelo seu exemplo que os outros vão entender o quanto é importante ser companheiro.

Se um dos seus cair, traga-o de volta. Se ele não tiver como andar, vocês ficam e lutam
juntos. Faça tudo o que puder, só não deixe um companheiro para trás...

É ter maturidade demonstrar que você é companheiro, e que valoriza este posicionamento,
porque as pessoas vão fazer o mesmo por você. Você planta o que colhe, certo?!

Honra, vingança e Lealdade.


146
Ascolta amico mio, ma ascolta bene, si?

O ódio deve ser para o homem, assim como o fogo é para uma locomotiva á vapor!
Ela transforma o fogo em seu combustível para percorrer os mais longos e ingrimes
caminhos, entretanto ela não se queima com ele.
O homem deve fazer com que o seu ódio interno de todas as injustiças que lhe foram
cometidas seja seu combustível rumo ao sucesso, mas sem se deixar consumir por ele...
O amor, poderá sim lhe tornar uma pessoa melhor, mas o que realmente vai determinar o seu
futuro é a sua decisão de vencer e o que está disposto a fazer para isso, esta sim, não apenas
influencia, mas determina e muito o seu futuro.
Não se trata, de onde você está hoje, mas de onde você estará amanhã.
Então escolha onde quer chegar e faça o que for necessário para isso... O que for necessário.

Cent'anni amici!

147
Infatti...

Na Sicília, a primeira coisa que faz o ministério público italiano quando toma conhecimento
que uma ''Principessa della mafia'' divorciou-se de seu marido (membro da Cosa Nostra), é
enviar um promotor e oficiais para aliciá-la a ser uma pentita (informante da polícia).
Depois de anos fazendo jus ao apelido de princesa, ganhando de seu marido mais dinheiro do
que poderia gastar, vivendo luxuosamente coberta de jóias, roupas caras e carros importados,
não há o mínimo receio nestas mulheres de delatarem todas as operações ilegais de seus
maridos perante um tribunal.
Acredita que testemunhando contra seu marido, o verá perpetuamente preso e toda sua
fortuna será herdade por ela. O que esta puttana não imagina, é que tudo será confiscado pelo
Estado e passará a viver como uma doméstica, babá ou cuidadora de idosos, em alguma
cidade nas redondezas de Roma, com um nome falso, sem contato com nenhum de seus
parentes, sem suas jóias, sem seus luxos, e sob a proteção falha da Policia Italiana. Mas isto
o Ministério Público não diz, quando as oferecem a guarda de seus filhos e perdão judicial
por cumplicidade á máfia.
Depois de clãs inteiros destruídos por delações femininas, não em vão, a Cosa Nostra
Siciliana, mesmo vivendo os costumes de sua terceira geração, tem voltado seus olhos para
alguns velhos costumes, que agora entendem perchè seus antepassados do clã faziam tanta
questão. Atualmente, membros do médio escalão para cima, antes de se casarem, precisam
da autorização do seu Capo, que fará uma minuciosa análise sobre a mulher ao qual seu
subordinado deseja constituir matrimônio;
Vadias, prostitutas civis, mulheres dadas á luxo, ao conforto, á libertinagem, mães solteiras,
desregradas, insubmissas, inclinadas á bebedeira, são descartadas pelos olhos do Capo, por
serem não apenas péssimas esposas para um cosanostrista, mas também, por serem delatoras
em potencial.
Ainda assim, se o membro não aceitar o bom conselho de seu superior e casar-se com una
puttana, ele é desligado do clã, ''vivono a caso'' sem a proteção e com o repúdio da Cosa
Nostra.
Depois de dezenas membros da organização, sendo delatados não por seus subordinados ou
sócios, mas por aquelas que dormiam ao seu lado, a terceira geração da Cosa Nostra
compreendeu o que os tradicionais Capi já sabiam.
Davvero, una puttana ao lado de um homem de honra, é como vinagre misturado no melhor
vinho.

148
Qual terá sido o futuro dessas crianças, que passavam a tarde brincando ao lado de um
cavalo morto, nas ruas de pedra do Brooklin?

Não se sabe, o que essas crianças se tornaram e muito menos se esses pobres diabos
conseguiram chegar a vida adulta, mas foi nesse mesmo lugar, no cruzamento das cincos
mais famosas ruas de N.Y, berço da Five Points Gang, que Lucky Luciano, Al Capone, John
Torrio, Meyer Lansky ,Benjamin "Bugsy" Siegel, Frank Costello e diversos outros gangster
da velha guarda, engatinharam na sua jornada rumo ao sucesso...

A lição, que podemos retirar, simplesmente observando essa imagem é que, seu passado
influencia, mas não determina o seu futuro.
O lugar onde você nasceu influencia, mas não determina o seu futuro.
Sua família influencia, mas não determina o seu futuro.
Sua condição econômica influencia, mas não determina o seu futuro.
Seus traumas influenciam, mas não determinam o seu futuro.
Sua escolaridade, seu diploma, sua cultura, influencia, mas não determina o seu futuro.
Seus recurso financeiros influenciam, mas não determinam o seu futuro.

O que realmente vai determinar o seu futuro é a sua decisão de vencer e o que está disposto a
fazer para isso, esta sim, não apenas influencia como também determina e muito o seu
futuro.
Não se trata, de onde você está hoje, mas de onde você estará amanhã. Então escolha onde
quer chegar e faça o que for necessário para isso... O que for necessário.

Buon natale a tutti.


Cent'anni.

149
La vedova di Palermo (A viúva de Palermo)

Ascolta;
Por volta de 1914, a segunda geração da Cosa Nostra Siciliana vivia um denso período de
incertezas e problemas nos negócios, isto por causa de uma evidente guerra que se
aproximava.
Nos campos ao derredor de Palermo, morava um poderoso e milionário latifundiário. Suas
terras se estendiam por toda a planície, seus filhos estudavam nas melhores escolas de Roma
e sua mulher tinha os luxos de uma esposa de Caesar.
Ao fim de sua propriedade, residia ao lado, em uma pequena choupana, uma recém viúva
que junto aos seus filhos cuidava de arar e colher pequenas levas de trigo, com o qual se
sustentava.
Na pequena plantação de trigo, o rude arado era puxado por um imponente cavalo, da raça
Avelino, que o arrastava cortando a terra enquanto a viúva, junto aos seus filhos, semeava
para a próxima colheita.
Durante uma tempestade, o estábulo feito de pequenas toras de madeira podre rompeu,
derrubando uma de suas partes laterais. O cavalo assustado, disparou atordoado rumo á
propriedade do poderoso fazendeiro.
O animal saltou as cercas e cavalgou durante horas até a chuva e trovões cessarem. Com
fome, começou a mascar as folhas de um enorme cultivo de videira Catarratto, devorando
uma pequena parte das uvas e suas folhas.
No dia seguinte a viúva procurou pelo seu cavalo, não o encontrando de forma alguma. Um
de seus filhos foi até a propriedade do fazendeiro, no qual foi negado o seu pedido de
procurar pelo equino em suas longas terras.
Duas semanas depois, a viúva durante a tarde, cozinhando do lado de fora da choupana,
avistou a trépida figura de seu cavalo, extremamente desnutrido, com um pedaço de cabo de
madeira transpassado em sua boca e latas amarradas em seu rabo. O cavalo passara dias sem
poder comer, a madeira atravessada em sua boca o impedia de mastigar, as latas amarradas
em seu rabo cortaram profundamente seu lombo enquanto se sacudia atordoado e assustado
pelo barulho de metal se chocando.
A viúva tentou cuidar do animal, mas pelas condições em que estava, precisou ser
sacrificado.
O filho mais velho, observando que seu único cavalo, companheiro de transporte e
tracionador do arado, que era o meio de sobrevivência da família, havia sido maltratado e
morto de forma cruel, foi novamente até ás terras do fazendeiro para tomar satisfações.
Sem ao menos poder conversar com o latifundiário, foi recebido a tiros pelos empregados da
fazenda. Voltou para casa sangrando e com o ombro ferido por um disparo.
A viúva era uma mulher sábia e prudente, engoliu todo o desaforo e esperou pacientemente o
momento certo de implorar por justiça.
Assim que Julho se aproximou, a viúva pegou alguns de seus pertences e viajou para
Palermo, quando chegou o dia de Santa Rosalia ( Sant Rusulìa em dialeto siciliano),
inciaram pelas ruas da cidade as procissões e festas, neste sacro dia a viúva procurou o capo
do clã palermitano, que mediante as tradições da Cosa Nostra Siciliana, não poderia recusar
o pedido de ajuda de uma viúva no dia de Sant Rusulìa.
A mulher contou tudo que havia se passado, comovendo de forma surpreendente o chefe da
maior família de Palermo, que prometera que antes que o dia de Santa Rosalia acabasse, o
grande fazendeiro estaria morto.
O poderoso fazendeiro era um dos homens mais ricos da Sicília, mesmo não sendo
pertencente ao submundo, possuía quase uma centena de homens armados em sua
propriedade prontos para o defender.
O capo enviou todos os seus homens, do sul ao norte de Palermo, para a propriedade do
fazendeiro na região rural.
Semanas depois, a polícia italiana encontrou no galpão de fermentação de vinho da fazenda,
dentro dos barris de madeira, diversos corpos já em decomposição, entre eles o do poderoso
latifundiário, mas o que mais chamou a atenção da polícia foi o fato de que em todos os
corpos haviam pedaços de cabo de madeira transpassados em suas mandíbulas e latas vazias
de salsicha enfiadas em seus traseiros.
Um ano depois, a Itália entrou em guerra e as investigações sobre o massacre foram
arquivadas definitivamente...
150
Depois de 50 anos, EUA e Cuba retomam relações diplomáticas visando a quebra de
embargos econômicos.

Logo, o Capitalismo irá finalmente abraçar a ilha vermelha. Quando os retalhos da cortina de
ferro caírem, haverá um território imenso de mercado esperando para ser explorado, e não
serão apenas as empresas ''legais'' que fundarão novos negócios em Cuba.

A ilha conta com milhões de pessoas ''igualitariamente'' miseráveis, que estarão dispostas a
aceitar propostas para ganhar dinheiro rápido, depois de décadas mergulhadas na sarjeta
socialista.
Enquanto os CEO's das grandes corporações capitalistas estão discutindo onde investir, as
cúpulas de todas as organizações mundiais ás margens da lei estão dividindo entre si, de
acordo com as regras de negociação firmadas em concílios, as conexões em Cuba. E assim
como nos anos 30, a ilha aos poucos poderá voltar a ter Cassinos, fluxos de narcóticos,
contrabandos de toda espécie...

E por ironia, antes mesmo que Obama declarasse na imprensa americana as conciliações
diplomáticas e a futura quebra dos embargos, já haviam membros do alto escalão político
cubano e chefes do poder militar contactando, desde os grandes da Colômbia até os mais
tradicionais da Itália, em uma espécie de leilão do novo ''Canal do Panamá'' dos narcóticos.
Cuba possuí uma bela zona portuária (vale salientar que é graças ao Brasil) e está a poucos
quilômetros das organizações russas, japonesas e italianas instaladas na Costa do EUA e dos
cartéis natos do México...

Paradoxalmente, os que mais desejam se socializar com o capitalismo, são os ferrenhos


comunistas da corja de Fidel Castro.

***

''Até o inicio do anos 40, Cuba era um paraíso. Tínhamos cassinos, bares e os grandes hotéis
nos pertenciam. Quantas vezes nos reunimos naquele país, na época da lei seca, para
negociarmos nossas operações de distribuição de álcool sem sermos incomodados pelos
federais norte-americanos?
Assim que chegamos á década de 50, perdemos nossos cassinos, nossas empresas, nossos
negócios naquele lugar, graças á um bando de malucos comunistas. Nunca havíamos levado
um prejuízo tão grande por causa de um governo.
Eu nunca mais tive um dia tão feliz em minha vida, do que quando abri o New York Times e
estava estampado na capa: Che Guevara está morto.''

(Trecho de uma video-entrevista de Meyer Lansky á um programa de televisão israelense,


nos anos 70, quando passou uma temporada em Israel para se ver livre do F.B.I

151
Ascolta bene, si?

Se existe, amico mio, uma distinção importante que diz respeito ao crime organizado de alto
padrão é a máfia. A propósito, é impossível pensar na máfia e não se lembrar da Itália, na
região da Sicília (localizada no sul da Itália),
berço da Cosa Nostra.
A sua formação, modelo de constituição e o sucesso nos seus empreendimentos serviram de
inspiração para outras organizações criminosas.
Atribui-se o surgimento da máfia aos senhores feudais e príncipes
habitantes da Sicília que discordavam da ingerência do rei de Nápoles naquela região no
início do século XIX.
A gradativa redução de poderes dos senhores feudais
do sul da Itália fez com que eles recorressem à contratação de homens de honra” e
estabelecessem “sociedades secretas – as máfias – para resistirem à investida real.
Posteriormente, já nas últimas décadas do século XIX, época na
qual a Itália passava pelo processo de unificação, as máfias foram chamadas para atuarem
contra o “invasor estrangeiro piemontês”, o que gerou um forte apelo popular por suas
atividades. A partir dali, as máfias passaram a ser vistas como uma “instituição patriótica” e
até a década de 80 do séc. XX, pouco se sabia sobre a
Cosa Nostra, o que a tornava “misteriosa e indecifrável”. Isso se devia à forma de
organização da máfia que dificultava a ação estatal repressiva.
Assim, na melhor das hipóteses, aqueles que se conseguia individualizar e submeter à justiça
eram os executores
materiais dos crimes, jamais os chefes e/ou os mandantes, que continuavam a desfrutar da
impunidade absoluta que ganhavam de um estado italiano corrupto.
Ao lado disso, acrescente-se a imposição da omertà (lei do silêncio) às pessoas que tinham
conhecimento de algum fato praticado pela máfia.
A Cosa Nostra Siciliana é uma organização ás margens da lei corrupta estatal que se
distingue das demais organizações mundiais
em razão de alguns valores que lhe são peculiares, tais como:
sentido de família; honra; lealdade; fidelidade; cultura da morte; relação com o Estado e com
o poder; mito fundante; uso da violência de modo justo; estrutura e organização disciplinar e
rígida; utilização da influência e poder antes da violência, aprimoramento dos crimes
intelectuais em detrimento dos crimes brutos.
Dentre esses fatores, o que chama atenção no modelo clássico da Cosa Nostra por aqui, é o
cultivo à honra. Importante era que o mafioso fosse um homem de honra. Na maioria das
vezes ele deve passar por um rígido processo de seleção no qual se pode atestar
sua confiabilidade e lealdade ao grupo e seus superiores.
Com os avanços alcançados pelos meios de comunicação e as
novas relações de mercado surgidas a partir da segunda metade do
século passado, a Cosa Nostra teve que se adequar a essa realidade e reorganizar suas
estruturas e táticas de ação, ainda que para isso tivessem que sacrificar parte de alguns
valores do passado. Na Cosa Nostra o ingresso no mercado de drogas a fez rever sua
logística de abastecimento e distribuição de produtos ilegais, o que provocou a expansão de
suas fronteiras para outros países com Argentina, Brasil e Austrália, e a levou a uma
aproximação com outras organizações criminosas da América, Russia e Japão.
O sucesso obtido com esse novo negócio levou a Cosa Nostra a um notável enriquecimento.
As vultosas disponibilidades de capital passaram a ser empregadas no mercado financeiro
e bancário (investimentos pesados no Banco do Vaticano), criando um novo perfil de máfia
empreendedora.
A nova realidade experimentada pelos mafiosos foi decisiva para o
abandono de parte de seus valores tradicionais. A ordem econômica global levou a máfia a
desenvolver novas estruturas voltadas à economia capitalista e empresarial, a tecnologia a
fez embarcar na internet, em redes sociais, a financiar meios de propaganda para melhorar
sua imagem no mundo, as quais nem sempre são compatíveis com o modelo mafioso
clássico cultuado pela mídia. Capisce?

152
O Americanos apenas invadiram a Sicília depois de entrarem em acordo com Lucky Luciano
(Capo di tutti capi nel mondo), que utilizando de suas influências e contatos com a Cosa
Nostra Siciliana, permitiu e ajudou a abrir caminho para os ''Aliados'' em detrimento do
''Eixo'', em troca de sua liberdade retirada pelo F.B.I.

Com o seu poder e influência, de uma vida inteira nas ruas, o gênio da mafia conseguiu que
pescadores, estivadores e capos sicilianos se aliassem aos serviços secretos norte-americanos
contra os alemães e remanescentes fascistas de Mussolini.

Assim que Luciano, ainda detido, entrou no conflito, foram presos espiões nazis e
descobertos planos de ataque dentro dos EUA.
A Cosa Nostra Americana e a Siciliana estavam em um auge magnifico, possuíam bilhões de
doláres acumulados associativamente graças a Lei Seca Americana e as conexões criminosas
pelo mundo, possuíam um exército particular nas ruas de quase todas as grandes cidades na
América e na Sicília. Se os americanos invadissem a Sicília sem a ''benção'' da Cosa Nostra,
logo teriam um inimigo ainda mais forte que o Eixo, teriam a maior potência do sub-mundo
pronta para espalhar dezenas de atentados em New York, Boston, New Jersey, Filadélfia, e
Califórnia.

Pelas suas contribuições em tempo de guerra, Luciano foi libertado e ''extraditado'' para a
Itália, em Fevereiro de 1946, após dez anos de prisão.

Acredita-se que Lucky Luciano, endossado pelo serviço americano, tenha facilitado a
entrega de cinco carregamentos de anfetaminas dos nazistas, e fornecido a tecnologia
necessária para fabricá-las, para as ''famílias mais poderosas da ''Sicilia''. A anfetamina,
durante a Segunda Guerra Mundial, foi utilizada pelas tropas alemãs para reforçar a
resistência e eliminar a fadiga de combate, Lucky convenceu os grandes capos sicilianos da
época, que aquela era a droga do futuro. Não em vão, até os atuais dias, na Europa, os mais
modernos laboratórios de anfetamina e narcóticos sintéticos são pertencentes a Cosa Nostra
Siciliana, que exporta para a América, Europa Ocidental e América Latina.

''Durante anos os americanos pisaram em nós, prenderam-nos em celas apertadas e imundas


de tuberculose, desmantelaram nossos empreendimentos, nos fizeram passar vergonha ao
expor nossos rostos nos jornais, mas bastou dois pezzonovanti[sic.] se erguerem na Europa
para fazerem os Yankees[sic.] tremerem.
Então, a quem pediram ajuda? Procuraram os grandes do F.B.I? Procuraram os renomados
Juízes de New York? Procuraram os Senadores figurões em Washington? Não, o Governo
Norte Americano para invadir uma ilha no mediterrâneo, procurou aqueles que chamavam
de; O Sindicato do crime italiano'' (Lucky Luciano)
153
SUGNU SICILIANU E MI NNI VANTU
NATU NTA STA TERRA DILIZIUSA
TERRA D’AMURI, TERRA D’INCANTU
TERRA PRODUTTIVA E CALURUSA!

154
Ascolta bene, si?

Jamais divida a sua glória com aqueles que um dia lhe negaram a mão diante das
dificuldades. Se um dia chegar ao topo, nunca gaste o seu tempo e seu dinheiro com
mulheres promíscuas, amigos superficiais e toda corja que entranhará seu círculo social atrás
de vantagens.

155
Está foi a última formação da Cosa Nostra Americana, da segunda geração, descendentes
diretamente do modo de gerenciamento e princípios criados por Lucky Luciano, após a
morte de John Gotti (o último chefão) a máfia italo-americana floresceu á terceira geração,
tornando-se extremamente capitalista, retirando seus tentáculos das ruas e os levando para
dentro de bancos internacionais, times de futebol, redes de fast-food, cassinos virtuais,
depósitos de lixo industrial, transportes navais, construtoras civis, montadoras de carros, e
diversos outros empreendimentos, onde usando sua influência política, seu poder político e
aparato bilionário passaram de sindicatos familiares para grandes corporações.
Os princípios e tradições continuam os mesmos, mas o modo de negociar, evoluiu na mesma
velocidade do mundo moderno, evitando prisões, economizando mortes e se adaptando ao
novo estilo de crime do século, os crimes multi-econômicos.

''Nós deixamos a violência nas ruas, as drogas fortes e o sangue derramado por trocados,
para os negros do Harlem.
Estamos consolidados em um novo negócio e com uma nova forma de empreender, do qual
nossos pais ou avós jamais sonharam, hoje em dia não perdemos nosso tempo por menos de
milhões, somos tão poderosos quanto a União Européia e tão pacíficos quanto a ONU...''

(Bartolomeu Vernace- Chefe da terceira geração, Família Gambino)

156
''No ínicio do anos 40, Cuba era um paraíso. Tínhamos cassinos, bares e os grandes hotéis
nos pertenciam.
Quantas vezes nos reunimos naquele país, na época da lei seca, para negociarmos nossas
operações de distribuição de álcool sem sermos incomodados pelos federais norte-
americanos?
Assim que chegamos á década de 50, perdemos nossos cassinos, nossas empresas, nossos
negócios na ilha, graças á um bando de malucos comunistas.
Nunca havíamos levado um prejuízo tão grande por causa de um governo, ainda mais
estrangeiro.
Eu nunca mais tive um dia tão feliz em minha vida, do que quando abri o New York Times e
estava estampado na capa:
Che Guevara está morto!''

(Trecho de uma video-entrevista de Meyer Lansky á um programa de televisão israelense,


nos anos 70, quando passou uma temporada em Israel para se ver livre do F.B.I)

157
Anonimato. Uma arte, sem dúvida. O artista, um visionário. O anonimato seria quase que
uma religião, cultuada pelos adeptos e praticantes que seriam constantemente acometidos por
visões proféticas quanto ao futuro e o reflexo de nossas ações, visando o nosso benefício e o
de quem mais estiver sob nossa influência e alcance.

Ficamos cultos quando cultuamos aquilo que está oculto.

Crimes perfeitos dispensam suspeitos. É possível, ainda que visível, permanecer anônimo.
Estar acima de qualquer suspeita requer uma estreita relação entre cautela e precisão. É
necessário cobrir os flancos para que não hajam efeitos colaterais. Previstos, considerados,
mas sempre acidentais.

A ausência da identidade do benfeitor não anula a boa ação. A filantropia não possui
restrição e tampouco faz acepção. Fazer o bem sem olhar a quem deveria ser o pilar de nossa
civilização. Tudo o que precisa, para se tornar válido, é que seja feito de coração.

Uma causa. Maior que homens, motivação de heróis. Uma ideia, um símbolo, um mártir.
Nos inspiramos, e acontecem os milagres. Através de uma causa, qualquer um pode se tornar
a figura mais proeminente representada. Uma inteligência. Um personagem fictício. Uma
organização. Um abstracionismo. Uma consultoria. Uma opinião. Uma luz ao meio-dia. Pode
se tornar o valor inestimável. Pode se tornar o limite inalcançável.

O anonimato possibilita que pessoas comuns se tornem incríveis. Que fracassados se tornem
invencíveis. Servir de base, molde e exemplo para que consigam fazê-lo nos é o suficiente.
Os reconhecimentos e créditos são dispensáveis quando estamos cientes de nosso potencial e
posição.
É uma honra para os bastidores abrigar bons pensadores. É uma honra para os pensadores ter
um assento com visão privilegiada por trás dos bastidores.

Podem fechar as cortinas. Estamos atrás delas.


E de olho em vocês.

158
Na segunda geração da Cosa Nostra Siciliana, havia a tradição de que o homem, ainda não
órfão, apenas se casaria após ajudar financeiramente os seus próprios pais, proporcionando-
lhes uma vida confortavelmente equiparada a que viveria com sua esposa. Talvez por isto,
mesmo que paradoxalmente, a mãe italiana de um membro da organização podia sentir
tristeza e orgulho pelos pecados do filho...

159
Johnny Cash at Folsom Prison...1968.

Com a ajuda da esposa e influenciado por uma conversão religiosa alcançada depois de uma
tentativa fracassada de suicídio, J. Cash começou uma batalha pessoal e subjetiva contra os
vícios e contra todos os seus males pessoais e internos. Nos dois anos seguintes ele lançou
um dos seus maiores álbuns de sucesso, gravado na penitenciária Folsom State Prison, na
Califórnia.
o Homem de Preto possuía uma fama bem diferente, talvez perchè Cash sempre se
apresentava voluntariamente em penitenciárias desde o início de sua carreira, músicas como
“Cocain Blues”, “Folsom Prison Blues” e “San Quentin” contavam sempre histórias de
presidiários e criminosos.
Segundo relatos e arquivos da penitenciária californiana, no dia da apresentação de Johnny
Cash em 1968 na Folsom, estavam detidos 105 italo-americanos acusados de inúmeros
crimes estaduais, entre eles, associação á Máfia, não em vão, durante os anos seguintes, Cash
foi para a nova geração de mafiosos o que Frank Sinatra havia sido para a velha guarda...
Em praticamente todos os pubs, recintos de jogatina clandestina e nos grandes Cassinos da
máfia em Las Vegas, haviam vinis dos grandes sucessos de Johnny, era quase impossível
apostar dinheiro sem ouvir ''Hello, i'm Johnny Cash''.

160
'' Mediante as tradições da Cosa Nostra Siciliana, não poderia recusar o pedido de ajuda de
uma viúva, no dia de Sant Rusulìa.''

161
I tre consigli d'onore (Os três conselhos de Honra)

Uma belíssima história difundida entre conexões da máfia, oscilando entre o boato e a
realidade, há gerações é contada da seguinte forma:
Ascolta...

Durante uma devassa seca causada por um dos mais áridos verões que assolara a província
Siciliana, não havia sequer uma plantação que não tivesse murchado e secado seus frutos,
nenhuma espiga de milho ou broto de trigo conseguiram suportar a escassez de chuva. O
gado padecia junto com as ovelhas, a fome tornara companheira de todas as mesas dos
pobres na hora do jantar.
Em um pequeno vilarejo, residia um comum lavrador com sua recém-esposa. Os dois
moravam sem conforto ou luxo algum em uma choupana de paredes de madeira e telhado
construído com palha dourada e entrelaçada por cordas feitas dos ramos das videiras secas.
Incitado pela fome e desesperado por não suprir com as despesas de casa, observando sua
mulher a cada dia perder peso ao caminhar longas distâncias para colher agua suja em um
poço local, o pobre lavrador caminhou algumas horas pelas montanhas desde o seu pequeno
pedaço de terra até a reluzente cidade na costa da ilha. Seu pai havia trabalhado durantes
anos em um vinhedo pertencente a um Capo, o lavrador estava disposto a procurá-lo e pedir
ajuda antes que ele e sua mulher padecessem.
Com os negócios na América crescendo e o dinheiro fluindo constantemente, os laços entre a
Cosa Nostra americana e siciliana se tornavam cada vez mais fortes. O Capo reconhecendo o
filho de seu antigo empregado e observando seu pálido rosto compadeceu-se do lavrador e
propôs um acordo, naquela mesma semana, o Capo viajaria para Las Vegas, onde iria morar
para controlar de perto o novo cassino da famiglia e se o rapaz viesse junto, receberia uma
boa quantia além de ter uma enorme chance de galgar vários degraus na vida financeira.
Mesmo ainda jovem, o lavrador aceitou a proposta, mas disse que a Sicilia sempre seria seu
verdadeiro lar e que iria para a América até que chegasse o dia em que poderia voltar e dar
um bom futuro a sua esposa, quem sabe comprar mais terras, refazer a plantação.
O lavrador voltou para casa, entregou nas mãos de sua esposa uma caixa com um bolo de
notas, dinheiro adiantado pelo Capo, e abraçando sua mulher, prometeu que iria para as
terras do outro lado do oceano, mas que voltaria assim que pudesse dá-la a vida que
realmente merecia e que mesmo distante não a deixaria de amar e não teria outra mulher em
seu lugar e que o mesmo fosse feito por ela no tempo em que estivesse longe. E assim
pactuaram.
Durante longos vintes anos, o lavrador, tornou-se gerente do Cassino, trabalhava fielmente
ao Capo, subiu vários e vários degraus na escada de ossos da famiglia, fizera inúmeras coisas
que nunca imaginou e que de certa forma, o obrigou a aprendeu a lidar com a dor de sua
consciência. Tornara-se mais do que um homem feito, mas um homem de honra, não era
mais o lavrador fraco e caipira de antes. Mesmo tantos anos longe de sua esposa e rodeado
de mulheres, dinheiro e poder, ele não quebrou sua promessa e manteve-se longe de qualquer
mulher estranha. Rico e poderoso, olhando tudo que conquistou nos ininterruptos anos de
trabalho, sentiu a forte vontade de retornar ao seu lar, a Sicilia.
Pediu receosamente ao Capo que lhe permitisse deixar os negócios e voltar para a Sicilia. O
velho concedeu o pedido, mas impôs duas opções, o lavrador antes de partir deveria escolher
se queria ou receber todo o dinheiro por ele merecido nestes anos de servidão leal ou receber
três conselhos.
Abalado e bastante surpreso, o lavrador entendeu a proposta como uma sutil ameaça, quanto
a sua deserção da organização, e por receio, escolheu receber os três conselhos. O Capo
segurou em seu obro e disse:
-Durante todos esses anos convivendo neste meio, você aprendeu mais do que poderia
aprender em séculos vivendo em sua fazenda, mas existem três lições que ainda não
aprendeu. Eu demorei a vida inteira para considerá-las em minha vida e agora, como um pai
faz com seu filho e as lhe ensinarei. Não confie em ninguém que se ofereça para ajudá-lo
quando não requisitar, nunca se intrometa em nada que não for da sua conta e o mais
importante de todos os conselhos, Jamais tome qualquer decisão quando estiver irritado sem
analisar os fatos.
Após aconselhá-lo, o Capo pegou um enorme pedaço de pão que estava no frigobar, foi até
seu escritório e voltou com ele embrulhado, entregou nas mãos do lavrador e disse que
aquilo era um presente, para comer assim que sentasse a mesa com sua esposa na Sicilia.
Naquela mesma noite, ele partiu rumo à Itália. Navegou durante alguns dias pelo oceano em
um navio até chegar à ilha siciliana. Estava tudo completamente mudado, mal parecia a
cidade que embarcou antes de partir. Ao tomar um café em um estabelecimento simples no
porto, um homem que estava sentado ao lado do balcão vendo o selo-destino da mala do
lavrador indicando que veio de Las Vegas, iniciou uma longa conversa e assim que o
lavrador terminou a xícara, o homem se propôs a dar uma carona, dizia que seu destino era
perto do vilarejo que o deixou há vinte anos. Antes de entrar no carro, o lavrador lembrou-se
do primeiro conselho que seu capo o havia dado e agradeceu, mas recusou a carona.
Cansado, o lavrador se hospedou em uma simples pousada para passar a noite e ouvindo o
desregulado rádio que chiava muito, ouviu sobre a prisão de um golpista que roubava turistas
no porto ao oferecer uma carona e depois desovava os corpos das vítimas em um rio
próximo.
Ao amanhecer, ouviu-se uma enorme confusão no corredor da pousada, gritos e insultos
faziam parte da briga, o colega de quarto levantou-se depressa e chamou o lavrador para ver
o que estava acontecendo, antes de levantar ele se lembrou do segundo conselho e voltou a
dormir. Antes de voltar a pegar no sono, um tiro ecoou pelo corredor atingindo a cabeça do
colega de quarto que abriu bruscamente a porta para saber o que ocorria.
Horas viajando de ônibus no final da tarde, o lavrador finalmente chegara ao seu lar, podia
avistar as suas pequenas terras abaixo da colina e bem ao fundo, uma pequena casa de
madeira. Ele desceu por um caminho íngreme de terra sujando seus lustrosos sapatos de
couro. Ao chegar, cansado e com pouco fôlego, antes de bater na porta e gritar por sua
esposa, ele viu pela janela de vidro amarelado sua mulher chorando, deitada sobre o colo de
um jovem rapaz que acariciava seus cabelos. O lavrador abriu sua mala e pegando sua
pistola pronto para arrombar a porta e atirar nos dois, ele ainda cego pela ira, lembrou-se do
terceiro e ultimo conselho de seu Capo, mesmo furioso, guardou a arma no paletó, sentou-se
sobre um troco de madeira e passou a noite na porta da casa. Ao amanhecer a mulher abriu a
porta e se deparou com marido, mesmo com roupas caras, um corte de cabelo diferente e
uma boa aparência, ela o reconheceu e atirou-se em seus braços com tamanha alegria. Ele
indiferente, virou o rosto e permaneceu em silêncio. Sem saber o que acontecia, o garoto saiu
de casa atrás da mulher que chorava ao receber o visitante. Ao ver o jovem, o lavrador
esbravejou que sua esposa havia quebrado a sua promessa, que ele nunca a esquecera da
palavra por ele dada e com a esperança de um dia voltar nunca tocara em outra mulher. A
esposa, entendendo o que se passava, chamou o garoto pelo nome do esposo e ele a atendera,
ela segurou no ombro do rapaz e disse que aquele era seu filho tido há vinte anos e quando o
lavrador viajou para a América, ela estava grávida e apenas soube disso no primeiro mês
após sua partida. Ela foi até uma gaveta da cristaleira e pegou um amontoado de cartas
devolvidas por endereço inexistente na América, onde cada uma delas falava sobre a
gravidez, sobre o filho, sobre cada dia que passou sem seu marido. O lavrador reconhecendo
as suas feições no rosto de seu filho, não deixando dúvida alguma sobre seu parentesco, ele o
abraçou e o chamou de filho.
Durante a manhã, os três passaram conversando, o lavrador contou sobre o país, sobre Las
Vegas e com muita insistência de sua esposa, ele contou sobre com o que trabalhou e o que
fez na América quando era membro do clã. Durante o almoço, o lavrador desembrulhou o
pão dado por seu Capo, colocou sobre a mesa e comendo acompanhado de uma sopa de
vegetais, todos sentiram pedaços duros na massa, como cascalho, ao cuspir, revelou-se que
entre o pão havia dezenas de pequenos diamantes e outras pedras preciosas que valeriam
dezenas de milhões de dólares e esfarelando o pão o lavrador encontrou um bilhete escrito a
punho por seu Capo em dialeto siciliano:
“Filho, que Deus o guie em nossa querida terra, obrigado pelos anos de fidelidade. Mais
valioso do que todas essas pedras são os conselhos que te dei. Com eles eu ergui um império
e aplicando-os eu me mantive até os dias de hoje vivo dentre tantos leões. Se você tivesse
sido ganancioso, como erroneamente suspeitei, e escolhido o dinheiro ao invés dos
conselhos, jogando fora toda sabedoria adquirida ao compor está família, com toda certeza
eu o mataria. Cem anos e saúde.

162
Un giorno, uno uomo disse que a sua vestimenta não definia seu caráter, davvero, o que
define um homem não é simplesmente uma roupa, mas sim, seu bom gosto em escolhê-la e
vesti-la de forma adequada. Enquanto alguns viciados enrolam seus narcóticos em papel,
outros do alto escalão, enrolam de forma sistêmica o nó de suas gravatas de seda.
Na Sicília, se um homem de honra quiser sentar-seem uma mesa, de um restaurante típico de
Palermo, para tratar de negócios obscuros, deverá estar vestido com seu melhor terno, seu
mais lustrado sapato e com sua mais cara abotoadura de ouro. Em que outra parte da terra,
alguém que capitaliza á margem da lei Estatal, teria tanto respeito pelo seu ganha-pão?
Compra-se pelo mundo, uma camiseta, um tênis, qualsiasi cazzo de alguma marca norte-
americana por preços absurdos, perchè aquele que a compra, não questiona se o produto vale
aquilo mesmo e muitas vezes recebe salarialmente o inverso do valor disponível para
adquirir. Mas os ternos, paletós e sapatos não. Eles valem cada nota por metro quadrado de
seda, um bom terno de botões transpassado tem o poder de transformar um figlio di puttana
no mais nobre negociador.
Qual homem nunca vestiu um paletó preto com riscas brancas, se olhou no espelho, ajeitou o
colarinho com alguns puxões e se sentiu apto para uma ocasião especial? Agora o que dirá
ter o poder de usá-lo em qualquer ocasião, fazer todas serem especiais? Até mesmo para
adormecer algum concorrente eternamente...
Homens nascem pelados, sem um couro forte e densos pelos, mas um terno, para aqueles que
são implacáveis, é como uma segunda camada, e é isto que o faz melhor que outras feras da
natureza. Nesta selva capitalista, um homem de negócios é único predador que pode escolher
sua pele, ecco perché, escolhe aquela que lhe faz ser um lobo no mundo dos negócios.
Ascolta, sempre leve consigo um lenço, perché muitas vezes lavar a honra com sangue, lhe
fará sujar o paletó..

163

Ascolta amico...

Este homem de longas costeletas, pai de duas filhas gêmeas e marido fiel e dedicado,
tipicamente um cidadão norte-americano é Richard Leonard, conhecido como ''Richard
Iceman''.

Ma che cazzo! Cosa ha questo uomo?

Bene amico, Richard Leonard dos seus 13 anos até a data em que foi preso, matou
aproximadamente 250 pessoas, pessoalmente a mando da Máfia Italiana de New Jersey e
New York, utilizando apenas uma navalha mariposa, uma corda de piano e uma pistola
silenciada PB/6P9 calibre 9×18 mm, modelo 1967, que comprou de um amigo russo, ex-
integrante da forças armadas Soviéticas.

Não se atrele aos julgamentos do que você vê, aquele que muito usa os olhos para julgar,
posteriormente, os usará para chorar...

Se queres um conselho, não ofenda as pessoas erradas,principalmente aquelas que você crê
que são inofensivas.

''Eu suava frio, minhas mãos tremiam, o revólver que eu carregava parecia pesar uma
tonelada. Eu esfreguei a coronha na minha jaqueta e abandonei a arma sob o sangue morno,
como regrava a conduta daqueles que me pagaram. Quando eu matei um homem pela
primeira vez, eu sabia que estava matando também a minha chance de ser uma pessoa
comum, a partir daquele momento, eu não era mais Richard Kuklinsk, eu era o ''Iceman'',
mais um filho da Cosa Nostra Americana.''

( Trecho da entrevista de Richard Leonard Kuklinsk ''The IceMan'')

164

Ascolta, no Brasil, hoje é instituído o dia da consciência negra, allora, para este dia, vamos
falar sobre um povo que saiu do outro lado do oceano rumo ás terras tropicais do Brasil,
vindos das mais belas e antigas províncias, um povo naturalmente forte e guerreiro, que um
dia tiveram o mundo antigo em suas mãos. Vamos falar sobre nossos antepassados, os
italianos;

Bene...

Segundo a OIT, organização internacional do trabalho, O trabalho escravo contemporâneo é


definido como o trabalho forçado que envolve restrições à liberdade do trabalhador. O
trabalhador é obrigado a prestar um serviço, sem receber um pagamento ou recebem um
valor insuficiente para suas necessidades e as relações de trabalho costumam ser ilegais.
Diante destas condições, as pessoas não conseguem se desvincular do trabalho. A maioria é
forçada a trabalhar para quitar dívidas.
Quando nossos antepassados embarcaram em navios a vapor infestados de ratos, com
vísceras de porco conservadas no sal como único alimento, em compartimentos metálicos
para armazenamento de sardinha desativados e forrados com trapos para famílias inteiras se
acomodarem, uma dezena abaixo de zero em alto mar, desembarcaram homens, mulheres e
crianças desnutridos, falando em dialetos locais misturados a um italiano caipira, chegaram
já com uma dívida que demorariam anos a pagar ao governo, alguns foram para os guetos
americanos e outros, no baixo continente, foram para as colônias agrícolas do sul brasileiro
ou para trabalharem em fábricas de sapato em São Paulo, trabalhavam duras jornadas e o
pouco que recebiam não dava para suprir as necessidades básicas de suas famílias. Segundo
a OIT, se nossos parentes imigrantes desembarcassem hoje, da mesma forma de 100 anos
atrás, seriam considerados como '' trabalhadores escravos''.
Viveram em guetos, em comunidades rurais, e cem anos depois, tanto nos EUA quanto no
Brasil, jamais exigiram esmolas do governo, não pediram ações positivas, nunca tiveram
cotas em absolutamente nada, não cruzaram os braços e se autoflagelaram como coitados, ao
contrário, venceram sozinhos a pobreza, saíram da sarjeta, se tornaram grandes fazendeiros,
grandes produtores, donos de fábricas, respeitados industriais, grandes gangster, incríveis
capos, se tornaram grandes, poderosos, disseram ''Vanffanculo'' na cara do governo
explorador, que os iludiram em suas terras natais...
E hoje estamos aqui, tendo orgulho desses pobres diabos, que em cem anos, mostraram para
as terras onde chegaram que a fama sobre o sangue italiano ser especial não é em vão...
Orgulhosos, sentimentais, explosivos, vingativos, leais, honrados, esquentados,
trabalhadores, invencíveis, lutadores, essa é herança que eles nos deixaram no sangue...
Paese che vai, usanze che trovi.
Cent'anni.

165
A organização extremista/terrorista denominada ''Estado Islâmico'', tem destruído inúmeros
campos de Papoula no Iraque e Síria, matéria prima de diversos narcóticos que abastecem o
sub-mercado controlado pela Bratva na Russia e países vizinhos, pela Camorra, Cosa-Nostra
Siciliana e Nhandragueta na Itália e países do mediterrâneo, e prejudicando assim o
abastecimento intermediário na Ásia e América do Norte.
Como décadas atrás, na ''conferencia'' feita em Cuba, de membros e líderes Russos e
Italianos, novamente outro consílio formou-se para definir novas ''políticas'' para suprimir
uma ameaça que vem incomodando os ''negócios'' de ambas as organizações, além de claro, a
Bratva e as máfia italianas compartilharem de uma extrema ligação religiosa, findada no
cristianismo.

Outros motivos alicerçam essa parceria sub-internacional; O ''Estado Islâmico'' inúmeras


vezes tem ameaçado uma invasão á Itália, além de eliminarem grandes produtores de
papoula parceiros diretamente da Cosa Nostra Siciliana.
A Bratva, composta em sua liderança por antigos dissidentes soviéticos também nutrem ódio
ao extremismo islâmico que muitas vezes causou mortes e divisão em países do Leste
Europeu fronteiriços com a Russia e na região do Cáucaso.
De igual forma, onde no mundo legal diversos países estão de forma rançosa e burocrática
acordando diplomaticamente quais atitudes tomar, Organizações do sub-mundo
internacional, vem de maneira mais prática e precisa, tomando atitudes através de suas
influências e poder contra as ameaças ao seu modo de ganhar o pão e de crença...

Na Europa, em guetos de países como Inglaterra, Espanha, Portugal e França, onde a Bratva
e a Cosa Nostra Italiana tem enorme influência, ordens de morte á qualquer recrutador ou
líder extremista do ''Estado Islâmico'' foram dadas aos membros de ambas organizações ditas
''criminais''... E estas ordens estão sendo cumpridas, basta ler os grandes jornais europeus
sobre membros e recrutadores encontrados em suas casas ou mesmo na rua, com marcas de
tiros ou de cortes de faca...

Como na 2º Guerra Mundial, onde a Cosa Nostra ''abriu'' caminhos para os Aliados na
Invasão na Sicília e a Bratva, que durante o fim da Guerra Fria terminou de corromper e
enfraquecer o perverso regime comunista-soviético, assim mais uma vez, onde as leis dos
homens são falhas, somente aqueles que vivem á margem dela, são capazes de realmente
fazer o que nenhum Estado tem real capacidade; Justiça...

''Com as leis, fazemos dinheiro, mas com as mãos fazemos Justiça''


(Antigo ditado Cosanostrista

166
Infatti...

Na canção “My Way” (Meu Jeito) versão adaptada por Frank Sinatra, conta-se de forma sutil
como é a vida de um “homem-feito”da Máfia (aquele que não se submete às regras do
Estado nem às da sociedade).
Frank Sinatra era amigo íntimo de Carlo Gambino, “Big Paul” Castellano, Charlie “Lucky”
Luciano, Meyer Lansky, Albert Anastasia, Gregory DePalma, Jimmy “The Weasel”
Fratianno, Salvatore Spatola, Richard “Nerves” Fusco, inclusive Sinatra participou como
convidado de honra da Conferência Internacional da Máfia ocorrida em Havana (Cuba), em
1946...

A Canção ''My Way'', faz uma homenagem aos homens que seguem a sua vida do ''seu
próprio jeito''...

''E para que serve um homem, o que ele possui?


Senão ele mesmo, então ele não tem nada
Para dizer as coisas que ele sente de verdade
E não as palavras de alguém de joelhos

Os registros mostram, eu recebi as pancadas


E fiz tudo do meu jeito''

(My Way- Frank Sinatra)

167
Salvatore "The Bull" Gravano
(Brooklyn, Nova Iorque, 12 de março de 1945)

The Bull, era o braço direito de John Gotti, mafioso italiano da família Gambino dos anos 80
em Nova Iorque.
No ano de 1991 foi preso pelo FBI em uma operação contra a familia Gambino. Para se
livrar do assassinato de dezoito pessoas entregou John Gotti, seu capo e melhor amigo, que
foi preso e condenado a prisão perpétua em 1992 e acabou morrendo na prisão.

Entretanto, Salvatore foi condenado a cinco anos de prisão, beneficiado por ter testemunhado
contra seu chefe, entrando em seguida para o programa de proteção à testemunha e nunca
mais visto.

"[...]No velho continente, nós fomos donos de uma província inteira, nem todo o fascismo de
Mussolini, in vecchi tempi[sic.], conseguiu acabar conosco, na América, nós mandamos Jhon
Kennedy direto para o inferno, mas desde que Joseph Valachi nos anos 50, abriu sua maldita
boca para delatar todo o nosso mundo, desde que aquele stronzo di cazzo[sic] quebrou pela
primeira vez o código secular de nossos antepassados, todos os traidores que precisavam de
apenas um incentivo como este, começaram a cuspir na Omertà[sic.], desde então, como uma
sociedade igual a nossa, fundada na honra e lealdade familiar, poderia sobreviver sem
respeito aos seus antigos valores, princípios e tradições? Eu sabia que o F.B.I estava disposto
a nos destruir, mas não imaginava que jogariam tão baixo...''

(Trecho da entrevista de John Joseph Gotti Jr, antigo capo da ''Fagmilia Gambino'' em
entrevista ao New York Times, pouco tempo antes de falecer no hospital para presos federais
de Springfield, Missouri.)
Salvatore The Bull, Ci sputo sopra il tuo nome! Vaffanculo!
Il diavolo ha qualcosa di speciale riservato per voi in un inferno!

168
''Para nós, as leis são de fato orientações e não regras, usadas de acordo as nossas
inclinações. Eu por exemplo acredito no roubo, mas não acredito nos impostos.''

169
Avere fegato...

Enquanto você for jovem, amico mio, ascolta; Instrua-se observando o mundo real,
aprendendo o que ele é e como as pessoas que nele habitam agem e reagem. Aprenda a
observar a maldade e a bondade humana, aprenda a assimilar os traços e ações das
personalidades, se aprender como o jogo funciona, memorizar suas regras, com toda certeza
vai aprender a jogar perfeitamente e conseguinte, a trapacear com êxito.
Lembre-se sempre de manter seus olhos abertos e a boca fechada, modele-se, adquira as
ferramentas, elimine o máximo possível daqueles traços de personalidade que irão atrasar
seus planos. Se algum defeito ou atitude comum em si for prejudicial, aprenda a cortar o mal
pela raiz a todo custo. Isso exigirá muito esforço no início, mais tarde, nem tanto...
Talvez até agora, você acredite nas mentiras do Estado sobre o que é ilegal será sempre
errado e o que é legal será certo. Quanto maior uma empresa, quanto mais poderosa uma
Companhia mercantil, mais arbitrária, fraudulenta, fútil, malévola e completamente idiota
será, e seus donos apenas não estão atrás das grades, perchè o Estado julga legal suas
atitudes...Desde que renda gordos impostos...
Na realidade, a maioria dos grandes executivos, grandes "Chief executive officer" fazem
tradicionais capos da Cosa Nostra parecerem seguidores da Madre Teresa. Nos negócios da
Máfia, você sabe os riscos, é tudo transparente, mas quando se trata das corporações de
capitalismo branco, elas não lhe dizem nada além de mentiras, e se por acaso, contam a
verdade, foi apenas por acidente.
O máximo que você pode fazer até deixar de ser jogador e passar a ser o dono do Cassino, é
tolerar esse ambiente moribundo e prostituído das grandes empresas e esperar, como um
lobo, a sua melhor oportunidade..

170
Amico mio, ascolta:

A modernidade nos trouxe algumas coisas boas, mas nos tomou tudo que tínhamos de
melhor!

Ao derredor da Catedral de Santa Ágata, sob as ruas de pedras contrastando com o reflexo
dos outdoors eletrônicos, podem-se observar apenas carros di cazzo, com suas latarias
delicadas e seus motores ecologicamente afeminados, onde está os Muscle Cars de
antigamente? Com seus imponentes seis cilindros ou motores V8? Com suas latarias que
esmagariam um poste ao invés do contrário?
Caminhe um bocado e verá um grupo de jovens maricas e medíocres, sentados em uma mesa
destes Etoile D'or, bebendo algum refrigerante americano e discutindo sobre as contratações
do Calcio Catania, de como a FIGG (Federazione Italiana Giuoco Calcio) punirá alguns
torcedores mais agressivos... Vanffanculo! Onde está o buon e vecchio Football? Onde estão
os antigos torcedores do Catânia, com suas garrafas gélidas de Birra Moretti, caminhando
abraçados rumo á Fontana dell'Elefante para encontrarem seus antigos rivais Palermitanos?
Attualmente, qualquer tradicionalista sente ânsia de vômito ao observar o tal dito ''Moderne
Football''.
Vire á esquerda! Olhe pela vitrine de um salão de beleza feminino, presencie algumas
puttane dando ás suas filhas conselhos sobre a modernidade, ''Case com um homem rico e
bem sucedido!'', ''Abras as pernas apenas com proteção!'', ''Se ele está lhe aborrecendo,
separe-se e leve uma pensão e tudo que puder consigo!''. Ma che cazzo, amico mio... Dimmi
onde estão os velhos conselhos que se ouvia sobre ''Não fique sozinha com um rapaz!'', ''Não
se entregue antes do casamento!'', ''Procure um homem de fibra para ser o pilar da sua
família!'', ''Se algo está dando errado, procure compreender a situação!''... São estas
mulheres, que darão luz á homens fracos que retornarão ao ciclo moderno...

Se o mundo mudou, não significa que seus princípios deverão mudar com ele...

Modernidade? vanffanculo!

171
Esta postagem é feita para todos aqueles que compreendem o silêncio e a observação mais
do que qualquer belo discurso ou texto.

O homem paciente é o homem que controla. Ele é firme; constante em todas as coisas.

Permanece à parte da sociedade externa, geralmente contra ela. Não tem pretensões. O que
ele tem é uma força interna que lhe confere presença, porque espera, planeja, e ataca somente
no momento da melhor chance de sucesso.

Ele se lembra de tudo o que seja possível usar, aprendendo às custas dos outros.

Estuda o comportamento deles, verifica o que irá funcionar ou o que provavelmente não terá
efeito.

Enquanto seus oponentes pulam e se contorcem em impaciência, ele espera, sondando as


fraquezas.

A sua vida é toda feita de trabalho e autonegação, autoconfiança e autocontrole. Ele não
busca confrontos; evita-os - a não ser que algo de extrema importância esteja em jogo. Ao
contrário, ele manobra em direção a seus objetivos. É astuto. Acima de tudo, sabe que é
importante, e isto lhe confere dignidade e atrai respeito.

Onore, vendetta i fideltà...

Cent'anni a tutti.

172
Davvero, um homem determinado e disciplinado quando diz que fará tal coisa, é como já a
tivesse feito, uma vez que nada na terra conseguirá impedi-lo de concretizar o que disse.
Enquanto o homem motivado diz apenas aquilo que sua mente está embebecida pelo calor do
momento, mas logo sucumbe à preguiça ou ao medo.
173
Ascolta bene, perché c’ho il dente avvelenato!

Muitas vezes é necessário sacudir a árvore das amizades e derrubar os amigos que estão
podres, você não pode embarcar em uma jornada ao sucesso com uma bela âncora amarrada
nos pés.

Quando tiver que escolher seus amigos, lembre-se sempre de se associar com os melhores e
pagar a diferença. Ande com lobos e aprenderá a uivar.

Cent'anni e vaffanculo.
Cent'anni.
174
Ascolta bene, si?

Amico, enterre toda verborragia a respeito do falso cavalheirismo. O dinheiro que gastaria
sozinho com a enorme conta em um restaurante para impressionar em um primeiro encontro
una ragazza, pegue-o e compre um presente para si ou para tua mamma. A depender da
quantia, invista em algo lucrativo.

A condição feminina não a faz imune ás dores do dinheiro mediante dura labuta, vaffanculo.
Perché admitir que este mundo moderno, onde o bônus é dividido, obrigue-o a suportar
sozinho o ônus em suas costas? São nos pequenos detalhes que se conhece o âmago das
pessoas, per questo, a todo momento prove o caráter daqueles a sua volta.

Não se preocupe com o que ela vai pensar caso você exija a justiça do partilhar, ainda que a
primeira vista. Quanto mais cedo você descobrir o seu péssimo gênio e caráter, mais terá
economizado tempo e recursos econômicos.

Credi in me: se deseja dividir a vida com alguém, comece por dividir as contas.

Cent'anni.
175
Submissão", una parola dura para os ouvidos de mulheres contemporâneas. Na sacra
organização Siciliana/Americana, tanto nos negócios quanto na família, sempre foi natural
que o homem fosse a cabeça do relacionamento, não como um tirano, ma si, como um líder,
forte e implacável, da qual sua mulher teria plena certeza que sempre poderia confiar seu
coração nas mãos de seu marido.
Submissão esta, "onde a mulher desempenha o papel de mulher, honrada, honesta, fiel aos
costumes. E o homem desempenha seu papel, honesto, fiel e implacável".
Em outras culturas di cazzo, onde o subhomem, relapso e fraco, se abstêm do seu dever (já
que a liderança é um dever e não um direito) em prol de uma igualdade funcional.
Logo os divórcios e traições se tornaram cada vez mais comuns, pois o eixo familiar foi
mudado. Vanffanculo...
Na Sacra Sociedade Cosanostrista, casamentos são considerados eternos, até mesmo para o
companheiro(a) viúvo(a).
Mas qual o segredo de casamentos perfeitos em uma sociedade sub-criminal? Uma vez,
amico mio, que deixares que sua mulher desempenhe o seu papel de HOMEM, ela
rapidamente se considerará igual e logo, terá a crença que é melhor do que você e tenha
plena certeza: você se tornará inútil para sua mulher e simplesmente, ela procurará outro...
Os divórcios, estão sendo a cada dia realizados a revelia, perchè, as novas gerações são
instruídas a descartar seus problemas ao invés de consertá-los.
Homens fracos que escolhem mal e mulheres infames que mandam muito, receita infalível
para o fracasso de um matrimônio.
O berço de uma sociedade se encontra na célula familiar, assim como a fonte de um rio deve
ser pura para que toda a sua extensão o seja, a família deve ser estruturada para que toda a
sociedade não desabe.
Observa-se em todas as culturas e países, da Itália ao Brasil, uma sociedade feminina
contaminada e desmedida por movimentos políticos e ideias subversivas, com uma nova
forma de casamento, escolhido à luz de interesses pessoais. Dinheiro, poder e beleza
tornaram-se o maior atrativo dos relacionamentos, ao passo que as mulheres passaram a dar
maior ênfase ao status masculino e os homens tornaram-se negligentes quanto ao passado
imáculo, a honra e qualidades do lar femininas.
Acreditamos e sempre repetimos, que o mal do mundo é que os homens (que não são isentos
da atual condição) deixaram de seguir as velhas tradições e por fim, as mulheres
abandonaram os bons costumes.
Altri tempi, altri costumi... Como era belo o tempo em que um homem levava ao altar uma
mulher da qual todo o seu coração poderia se descansar e deleitar, quando a mulher sentia
prazer em saber que seu companheiro era um homem de fibra para construir uma sincera
cumplicidade.
Oggi, o passado púbere, promiscuo, desregrado e sem o mínimo de honra ou moral de uma
mulher torna-se irrelevante dado a sua vã beleza. Mulheres, das quais, casam-se tramando o
momento certo de divorciarem hediondamente, levando consigo, dinheiro, pensões e o que
sobrara da hombridade e moral de quem, um dia no altar, prometera dedicação eterna.
Mas a culpa não se encontra nas interesseiras, pelo contrário, todos tem a sua forma de
ganhar o pão, de procurarem seu lugar ao sol, culpado são os pazzi, a quem se deixaram
enganar-se, chi mal fa, mal fine aspetti!
Tão raro nos dias de hoje é encontrar uma que não se entregara à vã vaidade, que exitara em
entregar-se às paixões passageiras desta vida para agregar algum valor em sua personalidade.
Honra e Lealdade deixaram de ser ornamentos de suas características para dar lugar a uma
modernidade da qual putrefaz os antigos valores. Aderiram à ideia de que, viver em prol de
filhos e ao lado de seu marido é uma opressão, e passaram a se entregarem à jornadas de 12
horas de trabalho, realmente sendo oprimidas por um chefe empresarial.
Os relacionamentos, são como o mundo dos negócios, homens são atraídos pelo que veem e
as mulheres pelo que ouvem, por isso "homens" mentem e mulheres usam ornamentos,
maquiagem e todo aparato físico que possam melhorar suas aparências e sensualidade.
Entretanto, na mesma linha de pensamento, quando os negócios são fechados utilizando-se
impulsos emocionais e sentimentais, nada mais do que um enorme prejuízo resultará.
Ninguém faz uma aliança de negócios, visando obter lucro, observando a aparência de seu
parceiro, mas, observa-se a capacidade e competência a quem lhe depositará confiança e
dinheiro. Nos relacionamentos, infatti, aplica-se o mesmo princípio, é necessário observar
em uma mulher fatores realmente importantes, a aparência cativa sim, mas, para um homem
sensato e equilibrado, esta é apenas mais uma qualidade se somada a honra, lealdade,
virtuosidade, coragem, força de vontade, submissão, caridade, delicadeza, sensatez, e
diversas qualidades das quais as mulheres deviam ter, as do passado possuíam, as atuais, nem
tanto.
Saiba ter sensatez nas suas escolhas, e mantenha-se firme em seus objetivos, não deixe se
entregar aos novos tempos, seja um homem forte e saiba escolher aquela a quem entregará o
seu bem mais preciso, aquela que cuidará e educará seus filhos.

Não importa quão em ruínas a sociedade lá fora esteja, mantenha a sua casa em ordem...

Cent'anni a tutti
176
Davvero, As juras de amor de uma prostituta delicatae para um vecchio di Veneto merecem
mais fé que a pauta do telejornal matutino.

Constantemente a mídia global vai tentar enganá-lo. Ogni giorno vão repetir a mesma
mentira até que esta se torne verdade para as massas de manobras políticas.

A opinião política e socioeconômica de artistas e repórteres tão são despiciendas quanto as


suas fracassadas carreiras vividas no mainstream.
177
Davvero, constantemente tentarão enganá-lo.
Existem tantas mentiras nos jornais quanto nos discursos políticos. As juras de amor de uma
prostituta delicatae para um vecchio di Veneto merecem mais fé que a pauta do telejornal
matutino.
Infatti, a mídia prega niilismo para consagrar-se como uma deusa da verdade, roubando seus
filhos mais que um traficante de órgãos albanês.
178
Ascolta:

A "vendetta" na Sacra Organização Siciliana autoriza, ou melhor, impõe à família de alguém


assassinado o dever de também matar o algoz de seu familiar. E neste caso, o termo
''familiar'' se estende aos hóspedes, uma vez que, ainda que poucos sigam de forma
dogmática, um Capo tradicional da Catânia, Palermo, Siracusa, Messina, Caltanissetta ou
Trapani, pelas velhas tradições, não pode negar teto a quem bater em sua porta e pedir abrigo
por uma noite, e deve dar ao peregrino abrigo e alimento durante a noite que este passar em
sua casa.

Além disso, durante este tempo o hóspede é parte da família, tornando a sua segurança uma
responsabilidade do clã que o acolheu e, no caso de ser assassinado, a vendetta recai sob a
família anfitriã.

Tuttavia, em todo interior da ilha nenhum padre ou reverendo celebra um casamento sem a
benção do pai da noiva. Diferente da cultura do norte, la vecchia tradizione della Cosa
Nostra reza que, após o casamento, o pai (il capo o il membro di una famiglia) mesmo sem o
poder patriarcal sob a filha, tem o dever marcial de matar o genro caso ele a maltrate, a
subjugue ou a assassine covardemente.
La vendetta tradizionale é também chamada de "debito di sangue", mas não basta apenas
vingar a morte do familiar ou a mácula de honra, existem normas a serem seguidas: Após o
assassinato ou o insulto é instituído uma trégua de 24 (vinte e quatro) horas chamada de
''bessa'', período no qual o Capo e todo o clã reza sobre as armas a serem usadas na
represália, para que Deus lhe conceda justiça.

Assim, os projéteis (ou as lâminas a serem utilizadas) são banhados em vinagre Catarratto
branco e secados com a toalha que encobre o altar da santa residencial. Então designa-se
alguém para tornar alva novamente a honra da família.

Por tratar-se de uma sub sociedade à margem da lei estatal, o único motivo que faz os
membros de um clã seguirem um capo é um emaranhado psicológico fundado em normas e
tradições que contrabalançam com o inerente desejo de ascensão e ganância do ser humano.
Quando a alta liderança quebra pequenas regras e tradições, isto gera um efeito no âmago
dos subordinados de rompimento de hierarquias e obrigações, gerando um ciclo de anarquia.
179
Infatti, não há honra em ser temido pelos fracos, bem como não há glória à destra daquele
que é admirado pelos humildes. A honra aos olhos do infame é tão fajuta quanto estrume,
mas no coração do justo, ela excede o valor das pedras preciosas.

Senza dubbio, o mar turvo faz a fama do bom almirante, bem como, o árduo combate eleva a
reputação de um imperador.

La vecchia parola "superar a si mesmo" somente é a maior vitória do homem quando não
existem mais adversários ou concorrentes à altura; vitórias sintéticas são tão despiciendas
quanto uma humilhante derrota.

"Vencer a si mesmo" quando sua reputação, respeito e posição social não possuem sequer o
valor de uma palha sobre o chão de um estábulo pisoteada por cavalos, é como jogar-se
abruptamente contra os restos putrefatos de um cão, erguer suas vísceras e dizer: - Eis aqui o
meu espólio! Hoje matei um leão com meus próprios punhos, sou um grande caçador.

Alexandre ''O Grande'' Magno antes de terminar a adolescência, já havia subjugado o velho
mundo. Quando jovem, Caio Julius Caesar debruçou-se e chorou de tamanha vergonha
perante a estátua de Aléxandros, perchè, com a mesma idade, o Baliseu da Macedônica já
havia conquistado o que Roma demorara séculos para adquirir, e isto sem nunca ter sido
derrotado.

Allora, oggi, como boa parte de sua geração de italodescendentes, daqueles que seus joelhos
não suportariam alguns minutos em uma batalha campal, que nossos ancestrais, sob o crivo
da espada, foram moldados. Culattoni, dos quais seus ombros definhariam com o mesmo
peso dos sacos transpassados que seus bisavôs carregaram nas costas, como estivadores de
caís nas décadas da grande imigração.

Você mergulha sua vida em um sofá, e sentado, ergue a taça da opulência transbordada com
pobreza, enquanto brinda consigo mesmo e com a mediocridade numa lamuria festiva.
Observa o tempo passar entre os dedos, sem ao menos conseguir conquistar 300m² de terra e
concreto em uma cidade, infatti, não se envergonha disto, pelo contrário, culpa algo ou
alguém pelo seu próprio fracasso. Ma Vaffanculo...

Ser o melhor entre os melhores é alcançar o topo, manter-se no topo e evitar que
concorrentes alcancem o seu lugar no topo.

Non c'è altro di cui parlare.


180
Ascolta bene, si?

A vida, por sua vez, é como um fermento, uma levedura que se move por um minuto, uma
hora, um ano, um século, um milênio, mas que por fim terá paralisado os movimentos. Para
manter-se em movimento, o grande come o pequeno. Para manter-se forte, o forte come o
fraco. O que tem sorte prolonga o seu movimento por mais tempo - eis tudo. Mas o forte
apenas flagela e subjuga o fraco na medida que este não reage, não há força que compense
um adversário que sempre mantém-se em pé.

As novas gerações são instruídas a descartar seus problemas ao invés de consertá-los.


Davvero, você se entrega à letargia, debruça sobre a cama e pensa consigo: "Não tenho
disposição para fazer nada, então não necessito fazer. É tudo muito difícil e provavelmente
não conseguiria se tentasse. Prefiro dormir e esquecer de tudo, descansar é mais fácil..."

Aos poucos isola-se do mundo real, convencendo a si mesmo que é um fracassado e, em um


ciclo de frustrações, sua produtividade despenca tornando mais um argumento para
convencer-se da própria impotência. Infatti, ninguém dá a mínima importância para seus
problemas, e se dão, ou sentem pena ou sentem alegria sadista.

Pode-se optar entre transformar o poço de lama em que caiu em uma cova ou em uma
trincheira, qual será a sua opção?
Em momentos cruciais, não pode-se ver a face do covarde, o que se enxerga é apenas a sua
nuca, e isto bem longe, quando este foge de um confronto.

Allora, tenha coragem e determinação para resolver seus problemas sozinho. Tanto o
fracasso quanto a vitória, são fatores exclusivamente resultantes das suas atitudes. Assuma
sua culpa, não se vitimize em comiseração e desfrute do que conquistar.
181
Ascolta bene, si?

Hai difficoltà? Não me diga...Vaffanculo!

Quando estiver cansado de lutar, lembre-se que uma espada não é forjada com pinceladas ou
com o toque de uma esponja, mas com marteladas no calor das brasas.

Davvero, a maioria dos seus problemas poderão ser solucionados simplesmente quando você
parar de chorar como um culattone. Levante-se logo! O mesmo fogo que queima a palha,
purifica o ouro.
182
Davvero, um homem inteligente é geralmente modesto. Ele pode sentir que é
intelectualmente superior em sociedade, mas não procura fazer os outros se sentirem
inferiores, nem mostrar sua vantagem em relação a eles. Ele discutirá com simplicidade os
tópicos propostos pelos outros, e evitará aqueles que os outros não consigam discutir. Tudo
que ele diz é marcado pela polidez.
Fale pouco de si. Seus amigos conhecerão suas virtudes sem forçá-lo a nomeá-las, e você
pode estar certo de que é igualmente desnecessário expor você mesmo seus defeitos. O
conhecimento utilizado para humilhar seus subordinados é tolice, mas o exercido de forma
capaz de conquistá-los em admiração, questo si, é sabedoria.
O julgo pesado afasta os aliados como os grilhões afiados apartam touros.
183
Como partir depois de recebermos mais de 7.689 mensagens via in box dei nostri amici
solicitando nosso retorno e afirmando que não podemos deixá-los órfãos diante de tantas
outras caricatas e genéricas reproduções?

Quanto ao nosso despedir? Vaffanculo! Se é isto que querem, siamo tornati in gioco!

Bene...

Davvero, viver é arriscar sempre...

Em geral as pessoas morrem em torno de trinta e cinco anos e são sepultadas por volta dos
oitenta.
Exaure-se anos, para os outros perceberem que aquela pessoa está morta.
A vida é sempre uma incerteza. Somente o que é morto é certo, fixo, sólido .Tudo que está
vivo muda sempre e se movimenta, é fluido, flexível, capaz de se mover em qualquer
direção.
Quanto mais você se torna inflexível, mais está perdendo chances na vida.
Viver é arriscado. Morrer é que não tem nenhum risco.
O mundo capitalista, segue as regras de Las Vegas, não importa quão grande seja as suas
probabilidades de ganhar, a banca nunca quebra, nunca dorme, nunca para...
Assim é esta selva de pedra, os tubarões nunca morrem de fome, enquanto os peixes
pequenos, estão a própria mercê. Por isto, preocupe-se mais consigo, com a sua vida e com
seus planos para chegar ao topo, egoísmo? O que sentimentos tem a ver com negócios?
Quando foi que alguém que estava no topo segurou a sua mão e o deixou no mesmo
patamar?
Viver é sempre perigoso, io capito, mas viver significa conviver com o desconhecido,
conviver com tudo que se odeia.
Morrer é muito, muito seguro. Que outro lugar teria mais segurança que em um túmulo?
Nenhum ''acidente'' pode acontecer a quem está morto.
O crescimento é sempre um jogo arriscado . À vezes um homem tem que perder aquilo que
conhece em troca de algo que ainda não teve em mãos.

Na vida real não há segurança total. Exceto a incerteza da morte.


E esta é a beleza da vida. É por isso que há tanta emoção. O sucesso só é alcançado por um
alto preço. O risco é o preço. Pague por isto!

Cent'anni!
184
John "Sonny" Franzese, antigo Capo da famiglia Colombo, foi liberado de um hospital
penitenciário em Massachusetts na sexta-feira (23) com a idade de 100 anos, encerrando sua
sentença de encarceramento em uma prisão federal americana.

"A reputed Colombo crime family underboss and the oldest inmate in the federal prison
system has been released at the age of 100."

Cent'anni Sonny, cent'anni!

185
Davvero, há homens que amam mais o sono que o sucesso.

Eis o tolo que deveria se envergonhar: homens com idade para serem líderes em grandes
empresas e chefes de família, mas que, além de morarem com seus pais, ainda se permitem
em tardar em seu leito enquanto seus tutores vão á rua trabalhar.

Ascolta e svegliarsi, si? O único labor em que se ganha dinheiro na cama é a prostituição.

Se você não nasceu em berço de ouro, terá que lutar muito para dormir em uma cama de
diamantes.

Homens que não herdaram fortunas ou não fazem parte de famílias ricas e tradicionais, terão
de serem completamente mais espertos, implacáveis e destemidos do que os outros. É
impossível galgar uma escada de ossos desde o primeiro degrau sem derramamento de
sangue, tanto o próprio como o de alheios, isso tanto no sentido figurado como literal.

Cada segundo perdido esperando uma chance cair do céu é uma oportunidade a menos
perdida na terra. A preguiça de um homem é a sua mais falsa fé, pois o faz pensar que o
amanhã será farto enquanto o hoje é apenas fome e pobreza enquanto dorme.

Cent'anni.

186
tente-se a tudo ao seu derredor, todavia, jamais esteja interessado por algo que não lhe diz
respeito.

Davvero, quanto não ganha em tranquilidade quem não se preocupa com o que o outro diz,
faz ou pensa, mas apenas com os seus próprios atos e com suas própria vida.

A vida, por sua vez, é como um fermento, uma levedura que se move por um minuto, uma
hora, um ano, um século, um milênio, mas que por fim terá paralisado os movimentos. Para
manter-se em movimento, o grande come o pequeno. Para manter-se forte, o forte come o
fraco. O que tem sorte prolonga o seu movimento por mais tempo - eis tudo.
187
Ascolta:

Existe um velho brocardo siciliano que diz "Em alguns momentos, a violência é o sopro que
reaquece as brasas do respeito."

Em momentos cruciais, não pode-se ver a face do covarde, o que se enxerga é apenas a sua
nuca, e isto bem longe, quando este foge de um confronto. O forte apenas flagela e subjuga o
fraco na medida que este não reage, não há força que compense um adversário que sempre
mantém-se em pé.

Infati, quando tiver que quebrar algumas regras, certifique que não sejam as da sua conduta.

,188
Ascolta, ma ascolta bene, si?

Um homem que se apressa a prometer está fadado ao fracasso e à ruína.

Un uomo que busca angariar respeito e conquistar honra perante o seu meio deve primeiro
ser de um caráter de extrema confiabilidade. Tuttavia, se este assume a responsabilidade por
algo de maneira irracional, será conhecido por ser infame.

Bene, não se envolva em nada alheio, a menos que seja solicitado enfaticamente, não
importando o quão simples o problema possa ser. Perchè, tratando-se de um homem de
honra, uma vez que promete algo e compromete a si mesmo para fazer alguma coisa, seja ela
simples ou extremamente dificultosa, ele terá que se envolver e tomar cuidado e interesse
pelo assunto. E, dependendo de como as coisas se desenvolvem, ele pode, inevitavelmente,
desistir da própria vida pela realização da tarefa. Assim, para um homem feito, é inútil
assumir um compromisso em uma circunstância irracional.

Os antigos homens feitos, quando solicitados por suas famílias a fazerem algo pelos outros, a
primeira questão que analisavam era se podiam ou não realizar a façanha proposta, caso a
considerassem impossível, recusavam. Entretanto, se achavam que algo podia ser feito,
comprometiam-se absolutamente à questão só depois de pensar através do começo ao fim
como poderia ser realizado. Devido a isto, seus grandes feitos e empreendimentos nos
tempos de outrora, ocorreram em boa ordem e as circunstâncias raramente ia contra eles.

Per questo, foram eles consagrados como homens que realizavam aquilo que se propunham a
fazer. É certo, amico mio, que um homem vai ganhar a reputação de fracassado e de alguém
que nunca consegue nada se ele não pensa nas consequências, mas rapidamente promete algo
ou aceita logo que é convidado, não tendo nenhuma consideração pelo porvir,
independentemente de como as circunstâncias podem ser desfavoráveis.

189
O que muitos chamam de pecado, para outros é simplesmente experiência. Assim como é
impossível caminhar com sapatos brancos em um lamaçal e não sujá-los, é impraticável
sobreviver no submundo sem remorsos.
A Tampa de mármore que cobre o ataúde tem a carga de uma pluma quando comparada ao
peso das iniquidades que um homem acumula desde o berço até o mausoléu. Nem todo
concreto quente e úmido, derramado de uma padiola para selar os sete palmos, sufocam tanto
quanto as lágrimas que uma mãe derrama ao lado da viúva. Nem toda água cristalina dos
céus rompem com tamanha força quanto o pranto de um pai ao ver seus filhos esqueléticos.
A morte de um bom homem é como uma comédia de Aristófanes, que alegra o coração dos
escusos inimigos, engrandece os bolsos de um herdeiro e alarga o estomago dos helmintos e
outras verminosas, que esperam impacientes pela carne putrefata. "A tempu ri dilùviu, tuttu
nata''
No fim de cada partida, tanto o rei quanto o peão voltam para a mesma caixa, mas a vitória, a
derrota ou a resignação, para quem são atribuídas?
Infatti, duas coisas atormentam um homem: a dor e a morte. Os covardes, fracos e infames
morrem várias e várias vezes antes da sua própria morte, mas o homem de honra, este sim,
experimenta a morte apenas uma vez, e ainda lhe diz com um sorriso no rosto: Benvenuta!
Puttana...
E quanto a dor? Bene, a dor é a sensação sentida quando a fraqueza está deixando o corpo e a
mente. Quando não compreendida, é capaz de dilacerar o homem, todavia, uma vez aceita a
sua finalidade, ela o aperfeiçoa.
Os três tomos de Dante Alighieri não descrevem o verdadeiro inferno das ruas, mas o fogo
que consome a palha é o mesmo que purifica o ouro, como diziam: mares calmos não fazem
um bom marinheiro...