Você está na página 1de 33

1.

INTRODUÇÃO

Um dos temas mais debatidos no ambiente da política cultural brasileira é a centralidade da cultura na agenda
nacional. Tanto que o tema foi incluído na segunda Conferência Nacional de Cultura e esteve presente nos discursos de
autoridades governamentais e intelectuais nos últimos anos.

O Sistema Nacional de Cultura, desejado e articulado por pessoas governamentais e não governamentais em todo o
Brasil só será democraticamente construído e terá eficácia se prever de onde sairão os recursos financeiros para o seu
financiamento.

Entendendo que o Poder Público tem importância fundamental na elaboração e implantação do Sistema, um grupo
de pessoas instalou o Partido da Cultura, cujo conceito vem sendo construído coletiva e solidariamente por meio da internet,
com o objetivo de expor problemas e sugerir soluções que sejam operadas a partir de decisões políticas e institucionais de
partidos políticos, candidatos a cargo eletivo e ocupantes de cargos públicos.

O PCult é um fórum informal, ambiente supra-partidário permanente e trabalha para que a Cultura, tanto quanto
educação e saúde, seja tema central dos debates políticos eleitorais, nas campanhas que acontecem a cada dois anos no
país e no desenvolvimento do Sistema Nacional de Cultura, aglutinando diversas entidades, redes, movimentos e pessoas
de todos os estados do país em torno de temas diversos, sempre na esfera cultural.

Neste esforço, em sintonia com as eleições de 2010, para enriquecer o debate sobre a política cultural no Brasil, o
PCult iniciou uma série de estudos e pesquisas para medir, comparar e dar transparência ao investimento feito na função
Cultura nos orçamentos dos governos dos estados brasileiros e do Distrito Federal.

A pesquisa se propõe a indicar o grau de relevância do setor cultural para os poderes públicos estaduais a partir de
sua dotação orçamentária, fortalecendo o discurso do segmento e prestando um serviço público para a sociedade em geral,
uma vez que esses números não são facilmente encontrados.

Nessa primeira fase, pesquisadores do PCult focaram nos elementos quantitativos, medindo e comparando valores e
percentuais do investimento anual total e aquele investido na função cultura. A segunda fase se propõe ao método
qualitativo, indicando como esses recursos são investidos em cada estado.
2. METODOLOGIA

O grupo, formado por 4 pesquisadores representantes dos empreendimentos culturais, trabalhou sobre dados
secundários produzidos e publicados pelas Secretarias de Fazenda (ou Finanças) dos governos estaduais e do
Distrito Federal nas suas páginas na internet, em atendimento á Lei de Responsabilidade Fiscal, que obriga a
publicação bimestral dos RREO - Relatórios Resumidos de Execução Orçamentária (RREO).

A busca da equipe de pesquisa teve como base o total das despesas executadas, encontradas no RREO,
ANEXO I (LRF, art.52, inciso I, alinea "a" e "b" do inciso II e § 1º) no campo DESPESAS (EXCETO INTRA-
ORÇAMENTÁRIAS) (VIII), Despesas Executadas, Despesas Liquidadas Até o Bimestre.

Encontrados os valores totais a equipe buscou no ANEXO II (LRF, art. 52, inciso II, alinea "c") no campo
FUNÇÃO/SUB-FUNÇÃO na guia DESPESAS LIQUIDADAS Até o Bimestre (b) os valores finais investidos na função
Cultura.

Com os valores colhidos, nos RREO dos exercícios de 2007, 2008, 2009 e 2010 a equipe resolvia a regra de
três onde DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (VIII), Despesas Executadas, Despesas Correntes
Liquidadas Até o Bimestre = 100% e DESPESAS (EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (VIII), Despesas
Executadas, Despesas Liquidadas por função, Até o Bimestre = X, para encontrar o percentual investido em cultura.

A maioria dos RREO apresentados pelas Secretarias dos Estados oferece ainda a SUB-FUNÇÃO que consiste de
Administração Geral, Tecnologia da Informação,Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico e Difusão Cultural que
serão analisadas na segunda etapa da pesquisa.
I- ANÁLISE DOS GRÁFICOS

O primeiro bloco é composto de 04 gráficos que referem-se ao ranking anual de investimentos


estaduais na área cultural, em R$, para os anos de 2007, 2008, 2009 e primeiro semestre de 2010.

Em todos os anos o ranking é liderado pelo estado de São Paulo, sempre com uma representação
em torno dos 35% dos investimentos totais em cultura no país, um total de R$434,7 milhões. Estados
como Bahia, Rio de Janeiro e Minas Gerais, também estão sempre entre os cinco primeiros dos
rankings.

O mais impressionante é a Amazônia estar sempre entre os seis primeiros estados que mais
investem na cultura, à frente de estados economicamente mais fortes como os da Região Sul. Paraná,
Santa Catarina e Rio Grande do Sul aparecem apenas em posições intermediárias do ranking. As
posições finais no ranking são ocupadas por estados das regiões Nordeste e Norte.
2010
RANKING R$ INVESTIDOS POR ESTADO NA CULTURA

0 50 100 150 200 250 300 350

São Paulo 344,7


Bahia 101,9
Rio de Janeiro 67,8
Minas Gerais 60,5
Amazônia 59,5
Distrito Federal 56,2
Maranhão 49,4
Pernambuco 48,1
Paraná 33,4
Pará 31,7
Santa Catarina 21,4
Rio Grande do Sul 18,6
Espírito Santo 14,9
2010
Acre 10,7
Sergipe 9,2
Mato Grosso 7,1
Ceará 6,6
Mato Grosso do Sul 5,7
Goiás 5,5
Paraíba 3,7
Tocantins 3,5
Alagoas 3,1
Piauí 2,7
Roraima 1,3
Rondônia 0,6
Rio Grande do Norte0
Amapá0

milhões
2009
RANKING R$ INVESTIDOS POR ESTADO NA CULTURA

0 100 200 300 400 500 600 700

São Paulo 690,4


Bahia 185,9
Rio de Janeiro 128,35
Pernambuco 111,2
Minas Gerais 101,3
Amazônia 96,69
Distrito Federal 95,55
Pará 71,78
Paraná 71,34
Maranhão 50,63
Santa Catarina 50,11
Rio Grande do Sul 36,77
Acre 25,04 2009
Goiás 21,91
Mato Grosso 19,8
Espírito Santo 19,35
Ceará 16,77
Sergipe 11,9
Paraíba 11,06
Mato Grosso do Sul 10,84
Piauí 9,92
Roraima 6,19
Rondônia 5,93
Alagoas0
Rio Grande do Norte0
Amapá0
Tocantins0

milhões
2008
RANKING R$ INVESTIDOS POR ESTADO NA CULTURA

0 100 200 300 400 500 600

São Paulo 550,41


Bahia 160,66
Rio de Janeiro 98,16
Minas Gerais 85,94
Pará 85,23
Amazônia 74,65
Paraná 70,71
Santa Catarina 38,57
Rio Grande do Sul 34,56
Pernambuco 26,14
Acre 22,33
Goiás 21,31
Tocantins 20,55 2008
Espírito Santo 16,13
Mato Grosso 13,72
Piauí 12,46
Sergipe 12,1
Mato Grosso do Sul 8,59
Ceará 8,06
Paraíba 7,76
Alagoas 5,39
Rondônia 2,14
Maranhão 0
Rio Grande do Norte 0
Amapá 0
Roraima 0
Distrito Federal 0

milhões
2007
RANKING R$ INVESTIDOS POR ESTADO NA CULTURA

0 50 100 150 200 250 300 350 400 450

São Paulo 434,68


Bahia 125,15
Pará 78,46
Amazônia 76,52
Minas Gerais 72,14
Rio de Janeiro 67,63
Santa Catarina 66,69
Paraná 55,52
Pernambuco 51,99
Maranhão 37,73
Rio Grande do Sul 31,99
Goiás 22,57
Rio Grande do Norte 20,73 2007
Mato Grosso 18,53
Acre 15,17
Espírito Santo 13,42
Mato Grosso do Sul 12,13
Tocantins 11,32
Piauí 9,53
Sergipe 9,34
Ceará 8,8
Paraíba 7,13
Alagoas 3,38
Rondônia 1,35
Amapá 0
Roraima 0
Distrito Federal 0

milhões
II- ANÁLISE DOS GRÁFICOS

O segundo bloco é composto de 05 gráficos que referem-se ao ranking anual de investimentos


estaduais na área cultural, por região.
Na região Centro-Oeste o Distrito Federal está em primeiro em todos os anos. Goiás e Mato-Grosso
equilibrados no meio e Mato Grosso do Sul teve a pior colocação em todos os anos.
Na região Nordeste a Bahia está disparado na frente dos demais, com a média de 75,64% a frente dos
segundos colocados, Maranhão e Pernambuco, em todos os anos. Alagoas, Piauí e Rio Grande do Norte
estão nas últimas colocações.
Na região Norte, o Amazonas e o Pará estão iguais na conquista de primeiro e segundo lugares. O
Acre também se destaca mantendo a terceira posição. Roraima, Rondônia e Amapá apresentam os piores
investimentos na cultura da região.
Na região Sudeste, São Paulo e Rio de Janeiro encabeçam o ranking. Minas Gerais emplaca o
segundo lugar, ultrapassando o Rio, em 2007, e Espírito Santo se mantém nas piores colocações em todos
os anos.
Na região Sul o Paraná lidera em 75% dos anos, perdendo somente em 2007 pra Santa Catarina. Rio
Grande do Sul é o último do ranking.
INVESTIMENTO R$ NO SETOR DA CULTURA DE 2007 – 2010
COMPARATIVO REGIÃO CENTRO-OESTE

0 10000000 20000000 30000000 40000000 50000000 60000000 70000000 80000000 90000000 100000000

56226332,77

95.549.966,88

Distrito Federal 21306290

7099956,53

19.796.475,00

Mato Grosso 13724022,67

18532087,3
2010
2009
0 2008
10.839.467,95 2007

8587318,78
Mato Grosso do Sul
12125869,41

5540898,61

21.913.898,17

0
Goiás
22568975,71

milhões
INVESTIMENTO R$ NO SETOR DA CULTURA DE 2007 – 2010
COMPARATIVO REGIÃO NORDESTE

0,0000 50000000,0000 100000000,0000 150000000,0000 200000000,0000

101.906.000,00
185.897.000,00
Bahia 160.657.000,00
125.149.000,00

49.405.436,74
50.625.503,33
Maranhão 0,00
37.730.395,10

48.050.000,00
111.200.735,01
Pernambuco 26.140.351,14
51.987.188,07

9.201.695,40
11.900.459,97
Sergipe 12.100.402,61
9.340.773,06

6.564.265,10 2010
16.774.846,41
Ceará 8.063.727,60 2009
8.802.703,54 2008
3.737.000,00 2007
11.061.000,00
Paraíba 7.763.000,00
7.125.000,00

3.090.586,65
0,00
Alagoas 5.393.831,00
3.383.620,00

2.688.048,64
9.922.210,71
Piauí 12.462.594,66
9.528.798,64

0,00
0,00
0,00
Rio Grande do Norte 20.733.000,00
INVESTIMENTO R$ NO SETOR DA CULTURA DE 2007 – 2010
COMPARATIVO REGIÃO NORTE

0 10000000 20000000 30000000 40000000 50000000 60000000 70000000 80000000 90000000 100000000

59498710,15
96.691.615,53
Amazônia 74653617,25
76519585,69

31726000
71.781.000,00
Pará 85227000
78455000

10743429,03
25.043.809,44
Acre 22327983,44
15172707,05

3462735,05
0,00 2010
Tocantins 20550976,09 2009
11319798,8 2008
2007
1320851,42
6.193.799,46
Roraima 0
0

579714,99
5.925.088,21
Rondônia 2140722
1353000

0
0,00
0
Amapá
0

milhões
INVESTIMENTO R$ NO SETOR DA CULTURA DE 2007 – 2010
COMPARATIVO REGIÃO SUDESTE

0 100000000 200000000 300000000 400000000 500000000 600000000 700000000

344697000

690.400.000,00

São Paulo 550407000

434678000

67758000

128.353.000,00

Rio de Janeiro 98156000

67628000
2010
2009
60491890,45 2008
101.302.833,06

85935641,22
Minas Gerais
72142929,1

14902621,38

19.347.666,25

16125136,1
Espírito Santo
13418915,4

milhões
INVESTIMENTO R$ NO SETOR DA CULTURA DE 2007 – 2010
COMPARATIVO REGIÃO SUL

0 10000000 20000000 30000000 40000000 50000000 60000000 70000000 80000000

33429006,91

71.336.043,41

Paraná 70709562,16

55517596,86

21403861,36

50.113.000,00
2010
38573000 2009
Santa Catarina 2008
66694000 2007

18566781,56

36.765.401,83

34558000
Rio Grande do Sul
31992000

milhões
III- ANÁLISE DOS GRÁFICOS

O terceiro bloco é composto de 04 gráficos que representam o percentual de que cada estado
investe do seu orçamento total no setor da cultura.
A Amazônia aparece na 1a posição em todos os anos, explicando a sua boa colocação no ranking
de R$ investidos.
Estados como Maranhão, Acre e o Distrito Federal, se encontram em todos os anos dentre os
quatro estado que mais revertem dinheiro de seu orçamento para o setor cultural.
São Paulo e Bahia, que lideravam o outro ranking aperecem em posições mais intermediárias no
ranking de percentual investido na cultura. O Rio Grande do Sul, um estado economicamente forte
aperece sempre nas últimas posições.
2010
RANKING % DAS DESPESAS CORRENTES INVESTIDOS
POR ESTADO NA CULTURA

0 0 0 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01 0,02 0,02

Amazônia 1,75%
Maranhão 1,61%
Distrito Federal 1,25%
Acre 0,94%
Bahia 0,77%
Tocantins 0,77%
Pernambuco 0,77%
Pará 0,74%
São Paulo 0,72%
Santa Catarina 0,43%
Espírito Santo 0,39%
Sergipe 0,38%
Paraná 0,37% 2010
Minas Gerais 0,36%
Rio de Janeiro 0,33%
Roraima 0,32%
Mato Grosso 0,20%
Mato Grosso do Sul 0,16%
Paraíba 0,15%
Goiás 0,15%
Piauí 0,14%
Alagoas 0,14%
Rio Grande do Sul 0,13%
Ceará 0,10%
Rondônia 0,04%
Rio Grande do Norte 0,00%
Amapá 0,00%
2009
RANKING % DAS DESPESAS CORRENTES INVESTIDOS
POR ESTADO NA CULTURA

0 0 0 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01 0,02

Amazônia 1,46%
Acre 1,09%
Distrito Federal 0,99%
Pernambuco 0,91%
Bahia 0,87%
Pará 0,84%
São Paulo 0,70%
Santa Catarina 0,53%
Roraima 0,41%
Paraná 0,41%
Rio de Janeiro 0,35%
Minas Gerais 0,32%
Mato Grosso do Sul 0,32% 2009
Piauí 0,28%
Mato Grosso 0,28%
Sergipe 0,27%
Espírito Santo 0,27%
Paraíba 0,21%
Goiás 0,21%
Rio Grande do Sul 0,18%
Rondônia 0,18%
Ceará 0,14%
Alagoas 0,00%
Maranhão 0,00%
Rio Grande do Norte 0,00%
Tocantins 0,00%
Amapá 0,00%
2008
RANKING % DAS DESPESAS CORRENTES INVESTIDOS
POR ESTADO NA CULTURA

0 0 0 0,01 0,01 0,01 0,01

Amazônia 1,17%
Acre 1,12%
Pará 1,10%
Maranhão 0,84%
Bahia 0,82%
Tocantins 0,75%
São Paulo 0,59%
Santa Catarina 0,46%
Paraná 0,43%
Piauí 0,38%
Sergipe 0,32%
Rio de Janeiro 0,27%
Minas Gerais 0,26% 2008
Pernambuco 0,24%
Espírito Santo 0,24%
Mato Grosso 0,22%
Goiás 0,22%
Rio Grande do Sul 0,18%
Mato Grosso do Sul 0,17%
Paraíba 0,15%
Alagoas 0,10%
Ceará 0,07%
Rondônia 0,07%
Rio Grande do Norte 0,00%
Distrito Federal 0,00%
Roraima 0,00%
Amapá 0,00%
2007
RANKING % DAS DESPESAS CORRENTES INVESTIDOS
POR ESTADO NA CULTURA

0 0 0 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01 0,02

Amazônia 1,48%
Pará 1,19%
Acre 0,89%
Santa Catarina 0,89%
Maranhão 0,85%
Bahia 0,75%
Pernambuco 0,58%
São Paulo 0,53%
Tocantins 0,46%
Rio Grande do Norte 0,44%
Paraná 0,39%
Mato Grosso 0,35%
Piauí 0,31% 2007
Sergipe 0,30%
Mato Grosso do Sul 0,29%
Goiás 0,27%
Minas Gerais 0,26%
Rio de Janeiro 0,21%
Espírito Santo 0,20%
Rio Grande do Sul 0,18%
Paraíba 0,16%
Alagoas 0,10%
Ceará 0,10%
Rondônia 0,05%
Distrito Federal 0,00%
Roraima 0,00%
Amapá 0,00%
IV- ANÁLISE DOS GRÁFICOS

O quarto bloco é composto de 05 gráficos que referem-se ao ranking anual de investimentos


percentuais da despesa corrente na área cultural, por região.
Na região Centro-Oeste o Distrito Federal ocupa a primeira posição nos anos de 2010 e 2009,
registrando 1,25% e 0,99% de percentuais investidos, sendo que nos anos de 2008 e 2007, o RREO
referente aos respectivos exercícios não estavam disponíveis no site durante o período de realização da
pesquisa. Mato Grosso, Mato Grosso do Su (com exceção do ano de 2009, em que ultrapassa MT) e
Goiás, aparecem, respectivamente, na segunda, terceira e quarta posição de maiores investimentos
percentuais.
Na região Nordeste o Maranhão ocupa papel de destaque em relação aos investimentos
enquadrados nesta categoria, registrando 1,29% de recursos investidos em 2010, perdendo a primeira
posição apenas em 2009 para Pernambuco, que registrou 0,91%. Alagoas e o Ceará aparecem nas
últimas posições, computando.
Na região Norte, o Amazonas encontra-se na primeira posição, seguida pelo Acre, Pará (com
exceção de 2007, que superou AC), Tocantins, Roraima e Rondônia. Um fator que vale destacar é a
dificuldade de acessos aos dados do RREO por parte de alguns desses estados, como no caso do
Tocantins, Roraima e Amapá, sendo que no que se refere ao AP, nenhum dos referidos relatórios estavam
disponibilizados em seus sites.
Na região Sudeste, o ranking é encabeçado por São Paulo, sendo que o Rio de Janeiro, Minas
Gerais e o Espírito Santo se revezam na segunda, terceira e quarta posição, entre 2007 e 2010.
Na região Sul Santa Catarina lidera a lista de maiores percentuais investidos no setor entre os anos
citados, registrando recorde de 0,89% de percentual investido no setor em 2007. Na sequência parecem
os estados do Paraná e Rio Grande do Sul.
INVESTIMENTO % DAS DESPESAS CORRENTES SETOR
DA CULTURA DE 2007 – 2010
COMPARATIVO CENTRO-OESTE
0 0 0 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01

0,20%
0,28%
Mato Grosso 0,22%
0,35%

1,25%
0,99%

Distrito Federal 0,00%


0,00%
2010
2009
0,16% 2008
2007
0,32%
0,17%
Mato Grosso do Sul
0,29%

0,15%
0,21%
0,22%
Goiás
0,27%
INVESTIMENTO % DAS DESPESAS CORRENTES SETOR
DA CULTURA DE 2007 – 2010
COMPARATIVO REGIÃO NORDESTE
0 0 0 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01 0,02 0,02

1,61%
0,00%
Maranhão 0,84%
0,85%
0,77%
0,87%
Bahia 0,82%
0,75%
0,77%
0,91%
Pernambuco 0,24%
0,58%
0,38%
0,27%
Sergipe 0,32%
0,30%
0,15%
0,21% 2010
Paraíba 0,15% 2009
0,16% 2008
0,14% 2007
0,28%
Piauí 0,38%
0,31%
0,14%
0,00%
Alagoas 0,10%
0,10%
0,10%
0,14%
Ceará 0,07%
0,10%
0,00%
0,00%
Rio Grande do Norte 0,00%
0,44%
INVESTIMENTO % DAS DESPESAS CORRENTES SETOR
DA CULTURA DE 2007 – 2010
COMPARATIVO REGIÃO NORTE
0 0 0 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01 0,02 0,02

1,75%
1,46%
Amazônia 1,17%
1,48%

0,94%
1,09%
Acre 1,12%
0,89%

0,74%
0,84%
Pará 1,10%
1,19%

0,32%
0,41% 2010
Roraima 0,00% 2009
0,00% 2008
2007
0,04%
0,18%
Rondônia 0,07%
0,05%

0,77%
0,00%
0,75%
Tocantins
0,46%

0,00%
0,00%
0,00%
Amapá
0,00%
INVESTIMENTO % DAS DESPESAS CORRENTES SETOR
DA CULTURA DE 2007 – 2010
COMPARATIVO REGIÃO SUDESTE
0 0 0 0 0 0,01 0,01 0,01 0,01

0,72%

0,70%

São Paulo 0,59%

0,53%

0,33%

0,35%

Rio de Janeiro 0,27%

0,21%
2010
2009
0,36% 2008
2007
0,32%
0,26%
Minas Gerais
0,26%

0,39%

0,27%
0,24%
Espírito Santo
0,20%
INVESTIMENTO % DAS DESPESAS CORRENTES SETOR
DA CULTURA DE 2007 – 2010
COMPARATIVO REGIÃO SUL
0 0 0 0 0 0,01 0,01 0,01 0,01 0,01

0,43%

0,53%

Santa Catarina 0,46%

0,89%

0,37%

0,41%
2010
2009
0,43%
Paraná 2008
0,39%
2007

0,13%

0,18%

0,18%
Rio Grande do Sul
0,18%
V- ANÁLISE DOS GRÁFICOS

O quarto bloco composto de dois gráficos, apresenta o crescimento anual composto, entre os anos
de 2007 e 2009, do investimento em cultura por estado, tanto em valor total em R$, quanto o percentual
do orçamento que é revertido pra cultura.
Rondônia lidera o ranking com um crescimento anual de 90%. Nas primeiras posições também
estão estados da Região Nordeste e Sudeste, entre eles Pernambuco, Ceará, Rio de Janeiro e São
Paulo.
Nesse ranking os estados do Sul comprovam que a região é pouco preocupada com o setor da
cultura. Santa Catarina aparece na última colocação uma redução anual de 23%, acompanhada do Rio
Grande do Sul que pouco alterou o percentual de seu orçamento que reverte para a cultura.
RANKING % DE CRESCIMENTO

-0,2 0 0,2 0,4 0,6 0,8 1 1,2

Rondônia 109,00%

Pernambuco 46,00%

Ceará 38,00%

Rio de Janeiro 38,00%

Acre 28,00%

São Paulo 26,00%

Paraíba 25,00%

Bahia 22,00%

Espírito Santo 20,00%

Minas Gerais 18,00%

Maranhão 16,00%

Paraná 13,00%

Sergipe 13,00%

Amazônia 12,00%

Rio Grande do Sul 7,00%

Mato Grosso 3,00%

Piauí 2,00%

Goiás -1,00%

Pará -4,00%

Mato Grosso do Sul -5,00%

Santa Catarina -13,00%


RANKING % DE CRESCIMENTO

-0,4 -0,2 0 0,2 0,4 0,6 0,8 1

Rondônia 90,00%

Rio de Janeiro 29,00%

Pernambuco 25,00%

Ceará 18,00%

Espírito Santo 16,00%

São Paulo 15,00%

Paraíba 15,00%

Minas Gerais 11,00%

Acre 11,00%

Bahia 8,00%

Mato Grosso do Sul 5,00%

Paraná 3,00%

Rio Grande do Sul 0,00%

Amazônia -1,00%

Piauí -5,00%

Sergipe -5,00%

Mato Grosso -11,00%

Goiás -12,00%

Pará -16,00%

Santa Catarina -23,00%


VI- ANÁLISE DOS GRÁFICOS

O quinto e último bloco de gráficos, são os investimentos per capita em cultura de cada estado, para
os anos de 2007, 2008 e 2009.

Os estados da região norte Acre, Amazonas e Roraima aparecem em todos os anos ocupando as
primeiras posições. São Paulo também está sempre entre os cinco primeiros.

O Distrito Federal, por falta de dados, não aparece nos anos de 2007 e 2008, porém em 2009 é o
líder em investimento cultural per capita no país.
CRESCIMENTO PER CAPITA 2009

0 5 10 15 20 25 30 35 40

Distrito Federal R$ 39,00


Acre R$ 38,00
Amazônia R$ 30,00
São Paulo R$ 17,00
Roraima R$ 16,00
Bahia R$ 13,00
Pernambuco R$ 13,00
Pará R$ 10,00
Mato Grosso R$ 9,00
Santa Catarina R$ 9,00
Rio de Janeiro R$ 8,00
Maranhão R$ 8,00
Paraná R$ 7,00 2009
Sergipe R$ 6,00
Espírito Santo R$ 6,00
Minas Gerais R$ 5,00
Rondônia R$ 4,00
Mato Grosso do Sul R$ 4,00
Goiás R$ 4,00
Rio Grande do Sul R$ 4,00
Piauí R$ 3,00
Paraíba R$ 3,00
Ceará R$ 2,00
Alagoas R$ 0,00
Amapá R$ 0,00
Rio Grande do Norte R$ 0,00
Tocantins R$ 0,00
CRESCIMENTO DA RENDA PER CAPITA 2008

0 5 10 15 20 25 30 35

Acre R$ 34,00
Amazônia R$ 23,00
Tocantins R$ 17,00
São Paulo R$ 14,00
Pará R$ 12,00
Bahia R$ 11,00
Paraná R$ 7,00
Santa Catarina R$ 7,00
Rio de Janeiro R$ 6,00
Sergipe R$ 6,00
Mato Grosso R$ 6,00
Espíritio Santo R$ 5,00
Minas Gerais R$ 4,00 2008
Piauí R$ 4,00
Goiás R$ 4,00
Rio Grande do Sul R$ 3,00
Mato Grosso do Sul R$ 3,00
Pernambuco R$ 3,00
Paraíba R$ 2,00
Alagoas R$ 2,00
Rondônia R$ 1,47
Ceará R$ 1,00
Amapá R$ 0,00
Distrito Federal R$ 0,00
Maranhão R$ 0,00
Rio Grande do Norte R$ 0,00
Roraima R$ 0,00
CRESCIMENTO DA RENDA PER CAPITA 2007

0 5 10 15 20 25

Amazônia R$ 24,00
Acre R$ 23,00
Santa Catarina R$ 11,37
Pará R$ 11,00
São Paulo R$ 11,00
Tocantins R$ 9,00
Bahia R$ 9,00
Mato Grosso R$ 8,00
Rio Grande do Norte R$ 7,00
Maranhão R$ 6,00
Pernambuco R$ 6,00
Paraná R$ 5,00
Sergipe R$ 4,82 2007
Rio de Janeiro R$ 4,00
Mato Grosso do Sul R$ 4,00
Espírito Santo R$ 4,00
Goiás R$ 4,00
Minas Gerais R$ 4,00
Piauí R$ 3,00
Rio Grande do Sul R$ 3,00
Paraíba R$ 2,00
Alagoas R$ 1,00
Ceará R$ 1,00
Rondônia R$ 1,00
Amapá R$ 0,00
Distrito Federal R$ 0,00
Roraima R$ 0,00
CONCLUSÃO

A pesquisa sobre os investimentos praticadas pelos poderes públicos estaduais no setor cultural, nos revela
indicadores significativos para concluir a relevância orçamentária que a Cultura tem para os governos
estaduais dos úlimos quatro anos.

É notório que os estados que dispõe de um volume orçamentário maior, proporcionalmente, investem
menos no setor Cultural do que os estados com o volume orçamentário menor. Os estados com maior
recurso são os da região sudeste, com destaque para São Paulo e a Bahia, do nordeste.

O Amazonas é o estado mais equilibrado entre o volume de recursos destinados ao setor e a proporcão
pela sua despesa anual. Aliás, a região Norte merece destaque: Lideram o ranking de investimento per
capita na cultura, o ranking de crescimento anual e proporcional de investimento.

O Nordeste e o Centro-Oeste estão numa média razoável no que tange ao investimento proporcional à
despesa liquidada. O Nordeste também se destaca pelo crescimento anual. A região sul apresenta os dados
mais frágeis e frustrantes, abaixo da média na maior parte das categorias.

Se analisarmos os partidos que fizeram a gestão pública nos estados que apresentaram destaque positivo
nos rankings, podemos concluir que o PMDB representado pelo Eduardo Braga no estado do Amazonas, O
PT representado pelo governador Binho Marques no Acre, o PDT com Jackson Lago do Maranhão e até
mesmo o PSDB, com o José serra, merecem atenção. Ao mesmo tempo, o PMDB com o Germano Rigotto
no Rio Grande do Sul, apresenta a pior gestão.

Certamente é preciso se aprofundar em novos dados para termos o mapa geral da gestão pública para a
cultura no país e apostarmos em novas conclusões. A segunda fase da nossa pesquisa que avalia o
direcionamento desses investimentos, pode nos trazer uma nova leitura.
EXPEDIENTE

Realização
PCult

Pesquisa e Relatório
MO ArtMidia (MT)
Espaço Cubo (MT)
Amerê Coletivo (SP)
Supervisão
Economista Bruno Boljokan

Assessoria de Comunicação
Espaço Cubo