Você está na página 1de 100

NEYRPIC ADT1000

CADEIA TAQUIMÉTRICA

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


Descrição Técnica Nº 2247 C- BR

AVISO
Este documento é propriedade da empresa ALSTOM. Ele não pode ser entregue a terceiros, nem ser
reproduzido de nenhuma forma sem a autorização por escrito da empresa ALSTOM. A empresa ALSTOM
se reserva o direito de modificar sem aviso prévio o conteúdo da presente descrição técnica. Num
documento deste tipo, erros e omissões podem acontecer mesmo considerando que se tomou todos os
cuidados para evitá-los.

FÁBRICA : Avenida Charles Schneider s/n° - CEP 12040-001 - Taubaté - SP


Tel.:0 XX 12 225.3036 - Telex: 122 149 - Fax: 0 XX 12 225.3027
GENERALIDADES.................................................................................................................. 3
DESCRIÇÃO........................................................................................................................... 5
DESCRIÇÃO DO MATERIAL................................................................................................. 6
Caixa....................................................................................................................................... 6
Eletrônica................................................................................................................................ 6
DESCRIÇÃO FUNCIONAL.................................................................................................... 8
Medida de velocidade.............................................................................................................8
Tele-indicação da velocidade ................................................................................................ 9
Reles de velocidade................................................................................................................ 9
Detecção e sinalização de defeitos ..................................................................................... 10
Diálogo com o operador ...................................................................................................... 11
COLOCAÇÃO EM SERVIÇO ............................................................................................. 13
PRINCIPIO ............................................................................................................................................... 14
CONTROLE DO MATERIAL ............................................................................................................. 15
CONFIGURAÇÃO................................................................................................................................... 16
PREPARAÇÃO SOBRE A BANCADA ................................................................................................... 20
Material ................................................................................................................................................... 20
Operações preliminares ....................................................................................................................... 21
Parametrização...................................................................................................................................... 22
Controle do bom funcionamento......................................................................................................... 22
INSTALAÇÃO E CONTROLE NA MÁQUINA ....................................................................................... 24
GUIA DE PROGRAMAÇÃO ............................................................................................................. 25
DICIONARIO DOS PARAMETROS ....................................................................................................... 26
MANUTENÇÃO ................................................................................................................................ 41
GENERALIDADES................................................................................................................................... 42
ANEXO 1 - CARACTERÍSTICASTÉCNICAS.................................................................................. 47
Características gerais ........................................................................................................................... 48
Alimentação ........................................................................................................................................... 48
Entradas dos sensores de velocidade ............................................................................................... 49
Entradas lógicas .................................................................................................................................... 49
Saídas lógicas........................................................................................................................................ 50
Saída analógica ..................................................................................................................................... 50
ANEXO 2 - LISTA DE PARÂMETROS ............................................................................................ 51
ANEXO 3 – BORNES ....................................................................................................................... 55
ANEXO 3 – BORNES NEYRPIC ADT 1000-2 ................................................................................. 59
ANEXO 5 – REFERÊNCIAS DO COMANDO .................................................................................. 61
ANEXO 6 – DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE ........................................................................ 63
ADENDO À DESCRIÇÃO 2247C.......................................................................................................
CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000
GENERALIDADES

O módulo NEYRPIC ADT 1000 foi desenvolvido pela ALSTOM para fornecer informações de velocidade
relativas a máquinas rotativas. Estas informações são:
*Degraus de sinais de velocidade;
*Uma informação “máquina parada”;
*Uma informação “sentido de rotação horário”;
*Uma informação “sentido de rotação anti-horário”;
*Uma informação “máquina em movimento” (escorregamento).
Todas estas informações são fornecidas na forma de contato seco que podem ser utilizadas diretamente
por um automatismo clássico ou programável.
• Uma informação “velocidade da máquina”, fornecida através de um sinal analógico 4-20 mA.
Este aparelho, totalmente autônomo e com alimentação própria, garante a boa segurança de uma
máquina girante, bem como de eventuais sequências durante as fases de partida e parada da máquina.
Suas dimensões reduzidas e seu baixo consumo permitem uma fácil integração num quadro ou armário
de automação ou de regulação. Sua concepção para meios severos é perfeitamente adaptável a um longo
funcionamento em meio industrial.
DESCRIÇÃO DO MATERIAL

Caixa
O módulo NEYRPIC ADT 1000 é fornecido na forma de uma caixa metálica de dimensões 220 x 180 x 60
mm na sua versão de base 6 reles de velocidade (degraus) e 220 x180 x 110 mm na sua versão estendida
15 reles de velocidade (degraus). Na face inferior se encontram conexões de 2 (versão 6 reles de
velocidade) ou 4 (versão 15 reles de velocidade) bornes com parafusos e dois conectores SUB D 9
pontos. O conector fêmea permite de conectar um microcomputador PC compatível para a programação
dos valores de detecção de velocidade e para a manutenção. O conector macho é destinado a conectar
o módulo NEYRPIC ADT 1000 à rede de campo ALSTOM em certas aplicações particulares. A colocação
em funcionamento desta última ligação só pode ser efetuada pela ALSTOM. Nesta mesma face se
encontram dois diodos luminosos (LED), um de referência “ON” sinalizando se o aparelho está com
tensão aplicada, outro de referência “TR” servindo de sinalizador de transmissão na ligação em série.
Na versão com 15 reles de velocidade, um diodo luminoso (LED) verde, situado ao lado dos bornes de
extensão, sinalizam o bom funcionamento da CPU e do software.

Eletrônica

 Versão de base 6 reles de velocidade:


A eletrônica do aparelho é constituída de dois circuitos impressos superpostos:
Um circuito com a CPU tendo como funções a medida de velocidade, a comparação com os valores de
velocidade programados e a ativação das saídas. Ela garante igualmente o diálogo necessário à
programação dos valores de velocidade, bem como um auto-teste permanente durante o funcionamento.
O coração deste circuito é um microcontrolador 32 bits tipo 68332;
Um circuito de interface tendo por função realizar as isolações, proteções e condicionamento dos sinais
entrada e saída. É por este circuito que são fixadas a duas réguas de bornes , servindo para a conexão
exterior.

 Versão estendida 15 reles de velocidade:


Os dois circuitos impressos citados anteriormente se adicionam a um outro circuito de interface, integrada
numa caixa metálica independente, que se ajusta sobre a face superior da caixa de base. Este circuito
impresso, conectado ao circuito de interface de base por um cabo de comunicação e um outro de
alimentação internos, contendo isolações, proteções e adaptações para os sinais complementares
gerados. Neste circuito são fixos duas réguas de bornes de conexão exterior complementares.
DESCRIÇÃO FUNCIONAL
O módulo NEYRPIC ADT 1000 realiza as funções de base seguintes:
• Medida de velocidade;
• Tele-indicação da velocidade;
• Detecção de 6 ou 15 degraus de velocidade segundo a versão;
• Vigilância do bom funcionamento e sinalização de defeitos;
• Diálogo com o operador por programação de parâmetros da medida de degraus de velocidade.
Este módulo pode realizar as seguintes funções por meio da diminuição dos números de degraus de
velocidade disponíveis:
• Detecção de parada (- 1 degrau);
•Detecção do sentido de rotação (- 2 degraus), com dois sensores de velocidade.

Medida de velocidade
O módulo NEYRPIC ADT 1000 dispõe de duas entradas em freqüência permitindo de introduzir o sinal
do qual a freqüência é proporcional a velocidade de rotação da máquina. Este sinal pode ter várias
origens:
• Sensor de proximidade indutivo da dois fios;
•Sensor de proximidade a relutância;
• Tensão de saída do gerador piloto, ou de um transformador de tensão sobre o gerador principal (caso
de um grupo de geração de eletricidade).

ATENÇÃO
Algumas desta fontes de freqüência não permitem a integridade das funções disponíveis no NEYRPIC
ADT 1000 . Por exemplo, uma medida de velocidade no gerador principal não permitirá a obtenção de
degraus de baixa velocidade (limite inferior típico de 30 % da velocidade nominal, dependendo da tensão
de saída do gerador) nem de detecções de parada, escorregamento e sentido de rotação. Se assegurar
também que a tensão disponível quando o gerador não está excitado é compatível com a sensibilidade
das entradas de freqüências do NEYRPIC ADT 1000. (ver no anexo – características técnicas).
As entradas de freqüência aceitam sinais de freqüência nominal de 10 Hz a 2,5 kHz (freqüência dada
pelo sensor de velocidade da máquina). Nestas condições, o módulo NEYRPIC ADT 1000 mede as
velocidades indo de um milésimo à 2,8 vezes a velocidade nominal programada (parâmetros V1_FRN,
V2_FRN).

DESCRIÇÃO FUNCIONAL
É previsto duas entradas de freqüência afim de permitir uma redundância dos sensores de velocidade se
necessário (compromisso de segurança do aparelho). Toda discordância entre as duas medidas induz a
sinalização de defeito “FAULT” na caixa NEYRPIC ADT 1000-1, e a escolha da medida mais coerente
para o tratamento dos degraus de velocidade. Estas duas entradas são igualmente necessárias para a
determinação do sentido de rotação.
Estas entradas são referenciadas por “FREQ1” E“FREQ2” nas marcações da régua de bornes BN1.
Tele-indicação da velocidade
Esta indicação sai da régua de bornes BN1 (denominada “FREQ IND 4-20 mA”) na forma de um sinal
analógico normalizado de 4-20mA. A gama desta tele-indicação é modificável pela escala de 0 a 3 vezes
a velocidade nominal.
Reles de velocidade
Versão 6 reles:
• módulo fornece 6 reles de velocidade sob a forma de contatos secos, com capacidade de corte de 0,2
A / 120 V DC sobre uma carga indutiva L/R = 40 ms. Estes reles, denominados “01” a “06” nas réguas de
bornes BN1 e BN2, apresentam as características particulares seguintes:
“01” a “04” : contatos inversores independentes,
“05” e “06”: 2 contatos inversores com comum interligado.

Versão estendida 15 reles:

A mais do que foi visto acima, esta versão do módulo NEYRPIC ADT 1000 oferece 9 patamares
suplementares, denominados de “07” a “015” nas réguas de bornes BN3 e BN4, com as mesmas
características elétricas e as particularidades seguintes: “07” a “013” : contatos inversores independentes,
“014” e “015” : 2 contatos inversores com comum interligado. Para cada um dos reles acima (versão 6
reles ou versão 15 reles) é possível por diálogo com um computador de definir os parâmetros seguintes:
• Estado do relê (repouso ou trabalho) a velocidade nula;
• degrau de detecção de aumento de velocidade;
• degrau de detecção de queda de velocidade.
Ainda, se a medida é efetuada a partir dos sensores indutivos, é possível por programação de parâmetros:
Afetar uma saída na detecção angular do deslocamento e de fixar (em número de singularidades vistas
pelo sensor) o deslocamento angular a partir do qual a saída é ativada. Esta função é disponível com um
único sensor, na condição que ele seja do tipo indutivo;
Afetar uma ou duas saídas às informações “sentido de rotação horário” e “sentido de rotação anti-horário”.
Esta função supõe a presença de 2 sensores indutivos.

Detecção e sinalização de defeitos


Na versão de base 6 reles, o módulo NEYRPIC ADT 1000 é equipado de uma saída “defeito maior” na
forma de um contato de relê, fechado em funcionamento normal.
A abertura deste contato sinaliza uma anomalia tal que nenhuma outra informação fornecida pelo módulo
pode ser considerada como válida.
Esta saída é denominada “FAULT” na régua de bornes BN 2. A versão estendida oferece em
complemento uma saída “defeito menor”, sinalizando uma anomalia de funcionamento que não
compromete as informações fornecidas por este módulo. É o caso da perda de um sinal de velocidade
entre os dois disponíveis. Esta saída é denominada “ALARM” na régua de bornes BN4. A polaridade do
contato (aberto/fechado) é programado por dialogo com operador (parâmetro SY_ALRM=0/1). Uma
entrada denominada I1 na régua de bornes BN2, permite cancelar o defeito se a causa efetivamente
desapareceu.
* A saída “defeito menor” pode estar disponível na versão de base. Neste caso, a saída 04 é reservada a
seu uso exclusivo. O leitor deve se referir ao guia de programação para configurar esta opção.

A noção de defeito maior (“FAULT”) ou menor (“ALARM”) se refere apenas ao módulo NEYRPIC ADT
1000. Em particular, um arranjo externo deveser previsto de tal maneira que a ocorrência de um defeito
no NEYRPIC ADT 1000 não conduza à parada da máquina, mas unicamente uma intervenção de
manutenção. Nestas condições, a função de segurança da máquina é realizada na iniciativa de um
automatismo externo.
Diálogo com o operador
Os módulos NEYRPIC ADT 1000 (ou equipamentos contendo um ou vários módulos NEYRPIC ADT
1000) são fornecidos com um disquete de 3” ½ contendo o programa STAR ou STATUS para
microcomputadores PC ou compatíveis. Este programa é um ferramenta de base para programação dos
parâmetros do aparelho. Consultar a notícia “STAR ou STATUS – Manual do usuário” para a utilização
do programa. Este programa utilizado com o módulo NEYRPIC ADT 1000, permite:

 A modificação de parâmetros;
 Arquivar em disco e a restituição da configuração;
 A impressão de parâmetros;
 A leitura numérica de 2 medidas de velocidade;
 A leitura do defeito com clareza
 A leitura dos estados das entradas e das saídas tudo ou nada.

As outras funções do programa STAR ou STATUS não se aplicam ao módulo NEYRPIC ADT 1000.
COLOCAÇÃO EM SERVIÇO

PRINCIPIO
A colocação em serviço do módulo NEYRPIC ADT 1000 é particularmente simples. É perfeitamente
possível, se o aparelho foi adquirido configurado (especificação do tipo de sensor utilizado), colocar o
aparelho no campo e programar os parâmetros diretamente na máquina. Neste caso, pode-se não
consultar os parágrafos “Controle do Material”, “Parametrização” e “Instalação e controle na máquina”.
Se o aparelho foi fornecido configurado, endereçar-se diretamente ao parágrafo “Instalação e controle na
máquina”. É possível, e sempre desejável, preparar o aparelho na bancada antes de sua instalação no
lugar definitivo. Este procedimento faz objeto dos parágrafos “Configuração” e “Preparação sobre a
bancada”. Os procedimentos descritos supõem o bom funcionamento do módulo NEYRPIC ADT 1000.
No caso onde o resultado obtido não for o aqui descrito, se referir ao capítulo “Manutenção” do presente
documento.

CONTROLE DO MATERIAL
O fornecimento do NEYRPIC ADT 1000 consiste em:

 Uma ou várias caixas NEYRPIC ADT 1000, referência NEYRPIC ADT 1000-1 (versão 6 reles) ou
NEYRPIC ADT 1000-2 (versão 15 reles) marcada na etiqueta;
 Um cabo de ligação DB-9 macho / DB-9 fêmea para a conexão do módulo a um microcomputador
PC compatível;
 Um disquete 3” ½, etiqueta: “STAR ou STATUS Versão ...”, contendo o programa de diálogo STAR
ou STATUS;
 Notícia de referência “STAR ou STATUS – Manual do usuário”;

* Estes dois últimos itens podem fazer parte do fornecimento, uma vez que o NEYRPIC ADT 1000 é
apenas um componente de um conjunto (ex: painel de regulação com cadeia taquimétrica integrada).

Verificar que se dispõe de todos estes elementos. No caso de falta, contatar ALSTOM.
CONFIGURAÇÃO
As operações descritas neste parágrafo não são necessárias se o tipo de sensor foi especificado no
pedido. Neste caso, o módulo NEYRPIC ADT 1000 é configurado na fábrica.
A cadeia taquimétrica NEYRPIC ADT 1000 é prevista para funcionar com sensores de velocidade de
diferentes tipos, em tensão ou em corrente. Segundo o tipo de sensor, tem-se “jumpers” para posicionar
na placa de circuito impresso do aparelho. Este procedimento é descrito abaixo:
1. Colocar o aparelho sobre uma mesa;
2. Com o auxílio de uma chave “sextavada” calibre 3, desapertar os 4 parafusos situados nos cantos da
tampa;
3. Se o aparelho é um NEYRPIC ADT 1000-1, retirar a tampa superior. Se o aparelho é um NEYRPIC
ADT 1000-2, retirar delicadamente o módulo superior levantando através dos quatro cantos, depois mover
para a esquerda prestando atenção em não forçar o cabo que interliga o módulo superior ao módulo de
base;
4. No interior do módulo de base vê-se na borda esquerda o conector ao qual se liga o cabo, com a ajuda
de 2 alavancas nas extremidades deste conector, retirar o cabo sem forçar (a pressão nas duas alavancas
para o exterior deve retirar completamente o conector);
5. Retirar o módulo superior;
6. Desapertar o 6 parafusos da placa central;
7. Retirar a placa da unidade central levantando para o alto (segurar pelas extremidades esquerda e
direita);
Ver a figura seguinte:
Desmontagem do ADT 1000

conector de extensão

unidade central

8. No circuito impresso do aparelho, tem-se 6 “jumpers” denominados ST 501, ST 502, ST 503, ST 504,
ST 505 e ST 506. Posicionar os “jumpers” conforme a tabela abaixo.
Sensor FREQ 1/FREQ
2
Tensão (1)
4-20 mA, 2 fios (2)

ST 501 / ST 502

ST503 / ST504

ST 505 / ST 506

1-2
2-3

2-3
1-2

ON
ON

(1) Gerador piloto, transformador de tensão sobre o gerador principal, sensor a relutância:
(2) É em particular o caso dos sensores indutivos.
9. Adaptar eventualmente os capacitores C 511 e C 512 montados sobre os postes, em função do
freqüência aproximada da entrada medida, afim de estar em conformidade as especificações técnicas
seguintes:
SENSOR N°
1
2

50-60 Hz
C511=100NF
C512=100NF

2500 Hz
C511=1NF
C512=1NF

Estes capacitores determinam as freqüências de corte dos filtros analógicos internos ao circuito. Para
outros valores consultar à ALSTOM.
Este último ponto necessita da utilização de uma estação de solda, É conveniente que o interventor esteja
habilitado para realizar este tipo de manipulação. A ALSTOM não pode se responsabilizar em caso de
deterioração do aparelho.
Remontar em seguida o módulo da maneira seguinte:
1. Encaixar o circuito da unidade central no seu conector;
2. Fixar os 6 parafusos previstos para isto;
3. Se o módulo for um NEYRPI ADT 1000-1, colocar a tampa e fixa-la com os 4 parafusos previstos para
isto;
4. Se o módulo for um NEYRPI ADT 1000-2, aproximar o módulo de extensão verticalmente à borda
esquerda do módulo de base;
5. Encaixar sem forçar o conector fêmea do cabo no conector macho da placa;
6. Ajustar a caixa superiorna caixa inferior;
7. Recolocar, eventualmente, a tampa na caixa superior;
8. Fixar o conjunto com os 4 parafusos para isto.
A figura abaixo apresenta a localização dos “jumpers” úteis para configuração dos sensores de
velocidade.

CONFIGURAÇÃO

321
ST502

C511
ST506
21
321
ST504

321
ST501

C512

ST505
21
321
ST503

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

LIGAÇÃO ATRAVÉS
DO CONECTOR DB9
PREPARAÇÃO SOBRE A BANCADA

A preparação do material sobre a bancada é extremamente aconselhada, pois minimiza a imobilização


da máquina (alguns minutos serão suficiente para colocar o material no ponto) e permite um controle
completo e preciso do bom funcionamento

Material
O material seguinte é necessário:

 Uma alimentação regulável de 24 V, 48 V ou 125 V segundo a tensão de funcionamento


especificada (verificar a etiqueta de identificação do módulo), com potência mínima de 20 W.
 Um gerador de baixa freqüência capaz de emitir sinais de corrente alternada de amplitude 10 V
eficaz, impedância de saída inferior à 250 Ω, freqüência de saída ajustável de 0 a 7,5 kHz;
 Um ohmímetro ou todo dispositivo equivalente para controlar o estado aberto ou fechado dos
contatos de saída;
 Um miliamperímetro para testar a tele-indicação de freqüência;
 Um microcomputador PC compatível para comunicar com o NEYRPIC ADT 1000.

A montagem à realizar é apresentada na figura 2 a seguir, para uma configuração do sensor FREQ2 em
tensão.

Montagem para regulagem e ensaio

A tabela abaixo mostra as conexões do gerador BF da caixa NEYRPIC ADT 1000, em função das
configurações dos sensores das entradas:

Especificação da cablagem do banco de ensaio

Montagem em tensão
FREQ1

0V do gerador em BN1 borne 5


+

FREQ2

0V do gerador em BN1 borne 4


+
2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

do gerador em BN1 borne 6

do gerador em BN1 borne 3

Montagem em corrente
0V do gerador no terra de proteção BN2
borne 15
+ do gerador em BN1 borne 6
0V do gerador no terra de proteção BN2
borne 15
+ do gerador em BN1 borne 3

Operações preliminares

)*+,

Colocar a alimentação ainda não conectada ao NEYRPIC ADT 1000 sob tensão e ajustar o valor mínimo
previsto (24 V, 48 V ou 120 V). Colocar, em seguida, alimentação sem tensão;
Conectar a saída da alimentação na régua de bornes BN2 da caixa: polaridade – no borne 13 e polaridade
+ no borne 14;
Recolocar a alimentação sob tensão. O diodo luminoso (LED) vermelho “ON” deve acender . Se o
aparelho é um NEYRPIC ADT 1000-2, o diodo luminoso (LED) verde “RDY” deve ficar aceso após alguns
instantes .
Preparação do microcomputador para o diálogo:

Antes de toda operação, fazer uma cópia de “backup” do disquete STAR ou STATUS e guardar o original
em local seguro. Ele permitirá, em caso de erro de manipulação, de retomar as operações imediatamente
sem pedir auxílio à ALSTOM.
Efetuar em seguida o procedimento de instalação descrito no documento “STAR ou STATUS – Manual
do usuário” no capítulo “Instalação do programa”. Quando esta operação é terminada,conectar a porta
serial (geralmente COM1 OU COM2 dependendo da configuração) do microcomputador ao conector do
NEYRPIC ADT 1000 denominado “RS232”.
Acessar o programa STAR ou STATUS. Quando o menu principal é mostrado, apertar a tecla F2.
Controlar que ao momento de pressionar a tecla F2, o LED “TR” se ilumina. Se a comunicação é bem
feita, o menu descrito no capítulo “Controle dos estados da estação” aparece na tela do microcomputador.

Parametrização
Apertar na tecla F1 para acessar à modificação de parâmetros. Uma lista de parâmetros ajustáveis
aparece na tela. Proceder a programação de todos os parâmetros (um exemplo de valores típicos é dado
no anexo 2). Quando esta operação é terminada, é aconselhável arquivar os parâmetros (capítulo “Set
Up” do documento “STAR ou STATUS – Manual do Usuário”).

Controle do bom funcionamento


Para uma montagem em tensão, conectar o gerador à entrada “FREQ1” do módulo NEYRPIC ADT 1000
(bornes 5 e 6 da régua de bornes BN1). Ajustar a tensão do gerador em ~10 V e na frequência real do
sistema de medida de velocidade da máquina, com esta na velocidade nominal.
*Ex: para uma máquina equipada de uma roda dentada com 16 dentes rodando a 300 rpm, a freqüência
nominal será de 16x300/60 = 80 Hz.

No programa STAR ou STATUS, selecionar a via “Freqüência 1” (ver o documento “STAR ou STATUS”,
capítulo “Monitoração”) e controlar o valor mostrado. Se a programação dos parâmetros foi efetuada
corretamente, esta deve corresponder a velocidade nominal da máquina.

Fazer em seguida variar a freqüência de1/1000 à 3 vezes a freqüência nominal e controlar


simultaneamente :

 O valor mostrado no PC;


 O valor analógico nos bornes 1 e 2 da régua de bornes BN1.

Durante esta manipulação, assegurar-se da ativação e a desativação dos reles de velocidade aos valores
programados. Se uma detecção de parada foi programada, constatar que esta é bem ativada abaixo de
1/100 da freqüência correspondente à velocidade nominal (um tempo de espera antes da ativação é
normal e o tempo de medida sendo mais longo em freqüência baixa).
Repetir a operação da conexão do gerador na entrada “FREQ2” do módulo NEYRPIC ADT 1000.
INSTALAÇÃO E CONTROLE NA MÁQUINA

Quando os ensaios terminam, desconectar o módulo NEYRPIC ADT 1000 e instala-lo no seu local
definitivo. Antes de conectar os bornes, se assegurar que a tensão de alimentação é compatível com a
indicada na placa do equipamento. Conectar o PC no conector RS 232 e acessar o programa STAR ou
STATUS no modo “Monitoração”. Colocar a máquina em funcionamento e controlar se a rotação mostrada
na tela do PC corresponde a rotação real.
O módulo NEYRPIC ADT 1000 é, então, operacional. Desconectar o PC da conexão RS 232 (esta
operação pode ser feita com os equipamentos sob tensão).

GUIA DE PROGRAMAÇÃO

DICIONARIO DOS PARAMETROS

DT_GLIS
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Segundo Temporização de manutenção da informação do escorregamento


0
2047
15
3

Este parâmetro provoca o rearmamento de uma temporização interna rearmada um valor programado,
em cada pulso do sinal de velocidade. Quando esta temporização é decorrida, o NEYRPIC ADT 1000
indica que a máquina está parada, e comuta a polaridade da saída 04 . Esta função só é disponível
quando validada (SY_STOP = 1).

Contador de tempo

Detetor de atividade de velocidade


Máquina parada
t
Sinal de velocidade
Detecção de parada
DT_GLIS
DICIONARIO DOS PARAMETROS
Máquina parada
Detecção de “pulso”

Máquina em rotação
Tempo=DT_GLIS

Detecção de “pulso”

No caso onde se obtém uma comutação indevida da saída “Grupo na parada”, é conveniente reajustar o
parâmetro DT_GLIS (aumentar) para garantir a confiabilidade do movimento.

Tempo=0

DT_SL
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Desvio normalizado em 1
Valor de detecção de defeito do sensor de velocidade.
0
1
0.1
1

A função só se ativa com presença de dois sensores(VT_TAC2 = 1). Um desvio entre as duas medidas
de velocidade calculadas e normalizadas (velocidades medidas normalizadas no valor nominal), superior
em valor absoluto ao valor programado DT_SL, provoca uma detecção de não coerência dos sinais
recebidos, e a mantém para o módulo a informação mais verdadeira. Neste caso, o aparelho sinaliza um
defeito para o sensor considerado em pane. (Versão de base: saída FAULT no BN2 9-10, versão com
módulo de extensão: saída ALARM no BN4 12-13) (ex: ruptura do fio em uma via de medida).
Um filtro passa-baixa, ajustável pela freqüência de corte VT_FDCF, permite de atenuar os desvios HF
afim de não provocar uma sinalização indevida de um defeito pela simples usinagem da roda, à sua
montagem na árvore, à uma dissimetria na colocação dos sensores, ou uma simples perturbação elétrica
ocasional.

DICIONARIO DOS PARAMETROS

FREQ2

+-

VT_FCDF

DT_SL

Filtro Passa-baixa

Detetor de desvio

FAULT
BN2 9-10

FREQ1
SY_TACH2=1
Defeito Taquimétrico 1

&

VT_FC
Filtro
Passa-baixa

Velocidade filtrada
medida

SA_VT4/SA_VT20
Unidade
Significado

rpm
Velocidade para 4-20 mA na saída analógica FREQ
IND.
0/0
3/ 3
0/2
3

Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Estes parâmetros definem os valores de velocidade levados em conta pelo módulo para gerar uma
corrente na tele-indicação FREQ IND compreendida entre 4 e 20 mA, proporcional à velocidade de
rotação medida. SA_VT4 determina o valor para uma corrente 4 mA, SA_VT20 o valor para uma corrente
de 20 mA.

20

Rotação (rpm)
ST_VT
4

ST_VT2
0

* ver também SY_AJ4 / SY_AJ20


DICIONARIO DOS PARAMETROS

SY_AJ4/SY_AJ20
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Normalizada
Ajuste da saída analógica FREQ IND.
0.001/0.9
0.3/1.1
0.2/1
1

Estes dois parâmetros permitem ajustar exatamente o sinal da saída analógica 4-20 mA para obter uma
tele-indicação fiel aos valores programados de SA_VT4 e SA_VT20. Elas compensam principalmente os
erros de indicação introduzidos pela cadeia analógica..

12mA
SY AJ

4 mA

SY AJ

20 mA

Ver também SA_VT4 /SA_VT20

SV_SMi / SV_SDi
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

i=1 ã 15
Normalizada
Sinal de velocidade na subida/descida da saída tudo
ou nada
0/0
3/3
Não significativo
3

Estes parâmetros permitem regular os sinais de velocidade (degraus) de acionamento e de


desacionamento da saída TOR associada. O desvio entre os dois parâmetros definem uma histerese de
funcionamento, garantindo a estabilidade da saída quando o ponto de funcionamento se situa próximo
dos sinais programados.
INSTALAÇÃO E CONTROLE NA MÁQUINA

Oi

Velocidade (rpm)
SV_SDi

SV_SMi

A condição de funcionamento de uma saída sinal de velocidade está ligada intrinsecamente:


• A escolha do sentido de contato aos bornes (contato direto / inversor);
• O estado de repouso definido pelo parâmetro SY_RPi (energizado se a velocidade medida é inferior ao
valor programado SV_SDi),
O Esquema abaixo ilustra o comportamento de cada sinal de saída de velocidade:

Oi =
SY RP

(Velocidade>SV_SMi) e (Defeito de velocidade)

Oi =
SY RP
(Velocidade<SV_SDi) e (Defeito de velocidade)

SY_ALAR
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Sem
Estado de repouso da saída alarme
0
1
0
3

Este parâmetro define o estado de funcionamento da saída ALARM:


SY_ALARM=0, a saída ALARM é excitada em modo normal, e desexcitada na detecção de defeito.
SY_ALARM=1, A saída ALARM é desexcitada em modo normal, e excitada na detecção de defeito.
GUIA DE PROGRAMAÇÃO

SY_MAJ
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defautNível de acesso

Sem
Escolha do defeito na falha de 1 sensor
0
1
0
1

Quando a aplicação compreende dois sensores de velocidade, é possível, por intermédio deste
parâmetro, afetar a informação ausência de um sensor, ou discordância entre sensores, gerando uma
sinalização de defeito menor ou maior .
-Se SY_MAJ=0, o defeito de falha do sinal do sensor se traduz por uma sinalização de defeito menor no
NEYRPIC ADT 1000 15 reles (saída ALARM na extensão NEYRPIC ADT 1000), e afeta a saída 03 do
módulo de base se este for programado (Ver parâmetro SY_MIN). Se 03 não é afetada há uma sinalização
de defeito menor, este não aparece no NEYRPIC ADT 1000 de base. Entretanto é visível no STATUS ou
STAR em todos os casos. O defeito de dois sensores ativa a sinalização de um defeito maior (FAULT) e
de um defeito menor (ALARM e 03 se programado).
-Se SY_MAJ=1, o defeito de falha de sinal do sensor se traduz por uma sinalização de defeito maior no
módulo de base (Saída FAULT), e de um defeito menor.

SY_MIN
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Sem
Ativa defeito menor na 03 (BN1 15, BN2 1-2)
0
1
0
1

-Se SY_MIN=0, o defeito menor é sinalizado unicamente na saída ALARM do módulo de extensão.
-Se SY_MIN=1, o defeito menor é sinalizado também na saída 03 do módulo de base. Esta opção é
utilizado somente quando não tivermos o módulo de extensão e não precisarmos da saída 03 como sinal
de velocidade.
INSTALAÇÃO E CONTROLE NA MÁQUINA

SY_MEMO
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Segundo
Retardo naamostra de velocidade para defeito do
sensor
0.001
5
0.5
2

SY_MEMO fixa um valor de retardo para considerar uma detecção de ruptura da fiação no sistema de
medição. A ausência do sinal de velocidade medida a todos os instantes t e t-dt (dt=SY_MEMO), provoca
a ocorrência de defeito. Este parâmetro é normalmente programado a um valor padrão. Toda modificação
a fazer, deve supor que se conhece com profundidade o sinal à tratar.

SY_PRD1/
SY_PRD2
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Sem
Pré-divisão da medida de velocidade
0
1000
1
3

A pré divisão do sinal permite realizar uma medida sincronizada na máquina, levando em conta o número
de singularidades da roda dentada. Este dispositivo reduz, desta forma, o ruído na medida devido à
usinagem da roda (não eqüidistância das singularidades) ou limita os efeitos de superposição de baixa
freqüência dos falsos arredondamentos. Este meio só é colocado em serviço a partir de um valor de
velocidade interno não programável, afim de conservar as performances de detecção dos sinais (degraus)
de baixa velocidade e da parada da máquina. O parâmetro pode igualmente ser utilizado como filtro do
sinal medido a partir de um sensor de relutância, ou de um transformador de tensão do gerador principal.
GUIA DE PROGRAMAÇÃO
SY_PRD1 (respectivamente 2) age na filtragem da velocidade 1
(bornes BN1 5-6) (respectivamente velocidade 2 bornes BN1 3-4).

4
1

Sensor

Sinal pré - dividido

Sinal de velocidade
T

SY_PRDV=4

A programação de uma pré-divisão muito grande podeintroduzir um atraso na percepção dos sinais
incompatíveis
para o funcionamento correto do automatismo.

SY_REPL
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Sem
Modo das saídas (reles) em caso de defeito
0
1
1
2

Em caso de detecção de um defeito maior para o NEYRPIC ADT


1000, é possível, programar:
-SY_REPL=0, coloca as saídas no estado correspondentes a de
velocidade nula.
-SY_REPL=1, mantém as saídas nos seus estados, antes da
ausência do sinal do sensor.
A escolha de uma ou outra destas posições é normalmente imposta
pela condição do automatismo do cliente.

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000
Dependendo, o automatismo deve considerar o acontecimento
“defeito maior NEYPIC ADT 1000” como prioritário no seu
tratamento, e acionar eventualmente, o procedimento de exceção o
qual será associado.

)*+,

33

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


DICIONÁRIO DOS PARÂMETROS

SY_RPi
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Sem
Estado de repouso da saída T.O,R Oi
0
1
Não significativos
3

O sentido de um contato direto ou inversor estando selecionado ao


borne para a aplicação, este parâmetro permite de redefinir o
estado de repouso da saída associada.
*Ver também SV_Sdi / SV_SMi

SY_SENS
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Sem
Presença de detecção do sentido de rotação
0
1
0
3

Este parâmetro deve ser programado no valor 1 para validar o


algoritmo de detecção do sentido de rotação da máquina.
A configuração do material requerida, necessita da presença de um
segundo sensor de velocidade conectado na entrada FREQ2 do
módulo de base.
Nestas condições, oNEYRPIC ADT 1000 afeta as saídas 05 e 06
do módulo de base para indicar o sentido anti-horário ou horário da
máquina.
Entende-se que estas informações são somente exploráveis
quando o módulo por si próprio não gerou uma detecção de parada.

34

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


DICIONARIO DOS PARÂMETROS

SY_STOP
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Sem
Presença de detecção de parada
0
1
0
3

Programar esta parâmetro no valor 1 para validar o algoritmo de


detecção de parada.
Neste caso, a saída 04 (módulo de base) ou 013 (módulo de
extensão) é reservada para transmitir a informação “Grupo
parado”.
* Ver também DT_GLIS.

SY_TPMS
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Segundo
Temporização para inibir os defeitos na partida.
0.1
100
5
2

Este parâmetro permite temporizar a sinalização de um defeito de


velocidade na partida, afim de não provocar a emissão errônea de
um defeito devido a uma simples reinicialização dos circuitos
internos de contagem.

VT_FC

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

)*+,

Hertz
Freqüência de corte do filtro de medida de velocidade
0.01
100
5
3

35

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


DICIONÁRIO DOS PARÂMETROS

A programação de uma freqüência de corte muito baixa pode


introduzir um retardo na percepção dos sinais incompatíveis
para o funcionamento correto do automatismo.
* Ver também esquema de principio no parâmetro DT_SL
VT_FCDF
Unidade
Significado

Hertz
Freqüência de corte do filtro de detecção do defeito de
velocidade
0.01
100
5
3

Mínimo
Máximo
Valor defautNível de acesso

* Ver também esquema de principio no parâmetro DT_SL

VT1_FRN /
VT2_FRN
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Hertz
Freqüência nominal 1 (Respectivamente 2)
10
2500
60
3
A freqüência nominal da medição taquimétrica depende
essencialmente da velocidade de rotação da maquina, do número
de dentes de uma roda dentada ou do número de pólos do gerador.
* Exemplo: Para uma maquina equipada de uma roda dentada com 16
dentes rodando ã 300 rpm, a freqüência nominal será de 16 x 300 / 60 =
80 Hz.

36

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


DICIONARIO DOS PARÂMETROS

VT_TAC2
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Sans
Presença do sensor de velocidade n° 2
0
1
0
3

Este parâmetro deve ser programado no valor 1, para indicar ao


NEYRPIC ADT 1000 a presença de um segundo sensor de
velocidade.
Nesta configuração, as detecções de discordância do sinal de
velocidade e a escolha de uma posição do sinal em caso de
anomalia (escolha FREQ1 / FREQ 2) são automaticamente válidas.

Quando o fornecimento não prevê a presença do segundo sensor


(VT_TAC=0), a entrada requerida é obrigatoriamente a entrada
FREQ 1 bornes BN1 5-6

* Ver também esquema de principio no parâmetro DT_SL

VT_VN
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

rpm
Velocidade nominal
0
3000
1000
3

VT_VN representa, em rpm, a velocidade de rotação da maquina,


que é definida pelo construtor.

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

Este parâmetro é somente utilizado para a visualização em rpm de


certos pontos de testes acessíveis pelo software STAR ou
STATUS quando fazem parte dofornecimento.

)*+,
37

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


DICIONÁRIO DOS PARÂMETROS

ANO-MÊS-DIA-HORAMINUTO-SEGUNDO
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

Data de inicialização do módulo


0-1-1-0-0-0
99-12-31-23-59-59
96-7-8-12-0-0
3

O módulo NEYRPIC ADT 1000 possui uma pilha interna


alimentando um circuito “relógio”, permitindo memorizar e datar os
acontecimentos , e de conservar desta forma, um histórico do
funcionamento e utilização.
A leitura desta tabela pode ser realizada com ajuda do programa
STATUS, quando esta faz parte do fornecimento.
Nesta condições, estes últimos parâmetros são programáveis no
momento da colocação em serviço do aparelho.

MT-MOD
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

sem
Modo de manutenção
0
2
0
3

* Consultar a especificação de utilização no capítulo manutenção

MT-NUM
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

sem
Número da saída lógica à testar
1
15
1
3

* Consultar a especificação de utilização no capítulo manutenção

38

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


DICIONARIO DOS PARÂMETROS
MT-ETAT
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

sem
Estado forçado na saída
0
1
0
3

* Consultar a especificação de utilização no capítulo manutenção

MT-VIT
Unidade
Significado
Mínimo
Máximo
Valor defaut
Nível de acesso

sem
Velocidade simulada
0
3000
0
3

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000
* Consultar a especificação de utilização no capítulo manutenção

)*+,

39

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


DICIONÁRIO DOS PARÂMETROS

40

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


MANUTENÇÃO

2247C-BR-LARQ-JUNHO
2000

MANUTENÇÃO

)*+,

41

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


GENERALIDADES

GENERALIDADES
O NEYRPIC ADT 1000 não necessita de nenhuma manutenção
sistemática. Em particular a medida de velocidade que é efetuada a
partir de um relógio de referência a quartzo, não apresenta desvio
significativo no decorrer do tempo, o que garante a manutenção da
precisão dos valores de sinais de velocidade. Encontra-se em
seguida unicamente o procedimento a seguir em caso de pane.
A tecnologia evoluída neste aparelho (circuitos impressos multicamadas, componentes SMD) torna
impossível toda intervenção nos
circuitos impressos. Também, com exceção de panes simples, é
recomendável retornar à Alstom o aparelho defeituoso.
Pela sua concepção, o NEYRPIC ADT 1000 é um produto de grande
confiabilidade. É por esta razão que é aconselhável, antes de toda
procura de pane no aparelho, verificar cuidadosamente a fonte de
alimentação e também conforme as especificações técnicas o bom
funcionamento do sensor de velocidade.
Um dispositivo de vigilância interna aperfeiçoada, permite ao
NEYRPIC ADT 1000 de se assinalar com defeito desde a ocorrência
de uma anomalia, podendo colocar em evidência as informações
referentes. O organograma de manutenção 1 (com os organogramas
associados 1.1 e 1.2) permitem tratar o caso: ele parte da
sinalização “FAULT” comum aos produtos NEYRPIC ADT 1000-1 e
ADT 1000-2, relativos as panes que deixam o aparelho incapaz de
cumprir suas funções. O último bloco deste organograma pode ser
utilizado na ocorrência da informação “ALARM” disponível
unicamente na versão NEYRPIC ADT 1000-2 (defeitosmenores que
não perturbam o funcionamento). O tratamento destes últimos
defeitos podem ser diferenciados.
Uma ferramenta de ajuda ao controle e a manutenção é integrada ao
programa do NEYRPIC ADT 1000. Ele permite, pela seleção e ajuste
dos parâmetros específicos à manutenção (parâmetros cujo o nome
começam por MT_) de realizar as funções seguintes:
• Posicionar os reles de saída em estado ativo ou inativo para
verificar seu bom funcionamento, bem como as conexões
externas;
• Simular um sinal de velocidade ( em rpm) para verificar o bom
funcionamento dos valores na subida e na descida e as ações
que resultam eventualmente do automatismo da máquina.
Esta ferramenta é descrita nos organogramas referenciados 2.1 e
2.2.
Nos organogramas das páginas seguintes, os estados a observar
são descritos nos blocos hexagonais. O estado “verdadeiro” se
traduz pela continuação do organograma para baixo, o estado “falso”
se traduz pela continuação do organograma para o lado direito.

42

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


GENERALIDADES

Um defeito maior se traduz pela ocorrência da informação “FAULT”


nos bornes BN2-9/10.

não
“FAULT”

FIM

sim
Visor
“ON”
apagado

não
1.1

sim
Fonte de alimentação
presente nos bornes
BN2-13/14

não

Procurar a pane
na fonte
de alimentação

sim
Retirar a tampa (ADT 1000-1)
ou o capo e o módulo de extensão
(ADT 1000-2)

Verificar o fusível (porta-fisível na


placa de base próxima à régua de
bornes BN2)

Fusível
rompido

não

Retornar o aparelho à
ALSTOM

sim

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

Trocar o fusível, colocar o capo no


lugar, e o módulo de extensão se
ele existe.
)*+,43

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


GENERALIDADES

1.1

Programa
“STAR”
disponível

não

Retornar o aparelho à
ALSTOM

sim
Conectar o PC na saída RS 232,
acessar “STAR”, F2 : controle
dos estados da estação

não
Ligação
estabelecida

sim
Chamar o menu “Monitoring”-F3

No do defeito >
99

Cortar a alimentação durante 30 s,


depois recolocar o
ADT 1000 sob tensão
não
1.2

sim

Lançar “STAR”, F2 : controle dos


estados da estação

Cortar a alimentação durante


30 s, depois recolocar o
ADT 1000 sob tensão

Ligação
estabelecida

não

sim
não
O defeito
desapareceu

Retornar o aparelho à
ALSTOM

sim

FIM

44

)*+,
DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO
GENERALIDADES

1.2

Defeito sensor 1 ou 2
+ defeito ou ausência do
sensor 2 ou 1

não

sim
Controlar com um osciloscópio a
presença de sinal nos bornes BN1-5/6
e/ou BN2-3/4

Sinal ausente

não

sim
Verificar e reparar os sensores e sua
cablagem

Retornar o aparelhos à
ALSTOM

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

Um defeito se traduz pela ocorrência da informação “ALARM” nos


bornes BN4-12/13 do NEYRPIC ADT 1000-2. No caso de um
NEYRPIC ADT 1000-1, esta informação é acessível apenas pelo
programa “STAR ou STATUS”. O tratamento da manutenção à
aplicar é o mesmo (para o sensor lido em defeito pelo programa
“STAR ou STATUS” no modo “Monitorição”) que o descrito acima
para dois sensores.

)*+,

45

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


GENERALIDADES

2.1

Forçamento das saídas reles

Assegurar que a maquina está parada e


que nenhum sinal
está presente nas entradas
FREQ1 e FREQ2.

Conectar um PC ao ADT 1000,


lançar “STAR” no modo modificação
de parâmetros,
fazer MT_MOD = 1.Selecionar a saída i a testar
pelo MT_NUM = i
(i compreende entre 0 e 15).

Selecionar o estado desejado pelo


MT_ETAT = 0 (repouso)
ou MT_ETAT = 1 (trabalho)

teste terminado
fazer MT_MOD = 0
(retorno ao
funcionamento normal)
46

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


ANEXO 1 – Características Técnicas

ANEXO 1 - CARACTERÍSTICAS

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

TÉCNICAS

)*+,

47

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ANEXO 1 – Características Técnicas

Características gerais
Proteção

Temperatura ambiente:
funcionamento
transporte e armazenagem

Higrometria

Resistência mecânica
IP 30

Conforme a norma IEC 68-2


0 a 55 ºC
-25 a 70 ºC

< 85 % sem condensação

Conforme a norma IEC 68-5

Resistência elétrica:
Perturbações nos condutos
Perturbações radiais
Tensão de choque
Descarga eletrostática

Conexão
Dimensões

Conforme as normas IEC 1000-4-4 e IEC 255-4


Conforme a norma IEC 1000-4-3
Conforme a norma IEC 255-4
Conforme a norma IEC 1000-4-2

Pelos bornes a parafusos


220 x 180 x 60 (ADT 1000-1)
220 x 180 x 110 (ADT 1000-2)

Alimentação
Tensão nominal
Consumo

24 V DC / 48 V DC / 125 V DC(1)
24 W
Características

Conforme a norma NFC 63850

Tolerância

+10 / -20% da tensão nominal

Isolação galvânica

Conforme a norma IEC 255-5: 2 KV AC/2,8 KV DC

(1) Outras tensões disponíveis sob pedido

48

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


ANEXO 1 – Características Técnicas

Entradas dos sensores de velocidade


Tipo de sensor
Número máximo

Transformador de tensão, sensor indutivo 4-20 mA 2


fios, sensor à relutância
2

Alimentação dos sensores

12 V (sensor 4-20 mA)

Tensão de entrada máxima


50 V RMSSensibilidade

< 0,5 V RMS

Freqüência nominal

10 a 2,5 Hz

Freqüência mínima medível

1/1000 x freqüência nominal

Freqüência máxima medível

3 x freqüência nominal

Isolação galvânica

Não (1 borne ligado ao 0 V da alimentação interna


se sensor a tensão, ou +12 V interno se sensor a
corrente)

Entradas lógicas
Tipo
Número
Alimentação

1 (ADT 1000-1), 2 (ADT 1000-2)


Pela fonte de alimentação do ADT 1000, borne
fornecido
Conforme a norma IEC 255-5 : 2 KV AC / 2,8 KV DC

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000
Isolação galvânica

Contato seco livre de potencial (isolação opto)

)*+,

49

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ANEXO 1 – Características Técnicas

Saídas lógicas

Tipo
Número máximo

Tensão máxima de utilização

Reles de contato seco


7 (ADT 1000-1), 17 (ADT 1000-2)

440 V AC / 300 V DC

Poder de corte:
AC (carga resistiva)

2000 VA

DC (carga indutiva)

0,2 A sob 120 V, L/R = 40 ms

Isolação galvânica
Conforme a norma IEC 255-5: 2kV AC/2,8kV DC

Saída analógica
Tipo
Número

Carga máxima
Proteções

Isolação galvânica

50

Corrente: 4-20 mA – gama ajustável pelo


programa
1
< 500 Ω
Contra os curto-circuito permanentes

Não

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


ANEXO 2 – Lista de parâmetros

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

ANEXO 2 - LISTA DE PARÂMETROS

)*+,
51

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ANEXO 2 – Lista de parâmetros

Nome

Unidade

Descrição

Valor

DT_GLIS

Temporização da informação “escorregamento”

DT_SL

Sinal defeito sensor (desvio, normalizado 1)

SA_VT4

Velocidade p/ 4 mA na saída FREQ IND (normalizada)

SA_VT20

-
Velocidade p/ 20 mA na saída FREQ IND(normalizada)

SV_SM1

Valor dosinal de velocidade na subida n 1(normalizado)

SV_SD1

Valor do sinal de velocidade na descida n 1(normalizado)

SV_SM2

Valor do sinal de velocidade na subida n 2(normalizado)

SV_SD2

Valor do sinal de velocidade na descida n 2(normalizado)

SV_SM3

Valor do sinal de velocidade na subida n 3(normalizado)

SV_SD3
-

Valor do sinal de velocidade na descida n 3(normalizado)

SV_SM4

Valor do sinal de velocidade na subida n 4(normalizado)

SV_SD4

Valor do sinal de velocidade na descida n 4(normalizado)

SV_SM5

Valor do sinal de velocidade na subida n 5(normalizado)

SV_SD5

Valor do sinal de velocidade na descida n 5(normalizado)

SV_SM6

Valor do sinal de velocidade na subida n 6(normalizado)

SV_SD6
-

Valor do sinal de velocidade na descida n 6(normalizado)

SV_SM7

Valor do sinal de velocidade na subida n 7(normalizado)

SV_SD7

Valor do sinal de velocidade na descida n 7(normalizado)

SV_SM8

Valor do sinal de velocidade na subida n 8(normalizado)

SV_SD8

Valor do sinal de velocidade na descida n 8(normalizado)

SV_SM9

Valor do sinal de velocidade na subida n 9(normalizado)


SV_SD9

Valor do sinal de velocidade na descida n 9(normalizado)

SV_SM10

Valor do sinal de velocidade na subida n 10(normalizado)

SV_SD10

Valor do sinal de velocidade na descida n 10(normalizado)

SV_SM11

Valor do sinal de velocidade na subida n 11(normalizado)

SV_SD11

Valor do sinal de velocidade na descida n 11(normalizado)

SV_SM12

Valor do sinal de velocidade na subida n 11(normalizado)


SV_SD12

Valor do sinal de velocidade na descida n11(normalizado)

SV_SM13

Valor do sinal de velocidade na subida n 11(normalizado)

SV_SD13

Valor do sinal de velocidade na descida n 11(normalizado)

52

o
o

o
o

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


ANEXO 2 – Lista de parâmetros

Nome

Unidade

Descrição

Valor
o

SV_SM14

Valor do sinal de velocidade na subida n 14(normalizado)

SV_SD14

Valor do sinal de velocidade na descida n 14(normalizado)

SV_SM15

Valor do sinal de velocidade na subida n 15(normalizado)


SV_SD15

Valor do sinal de velocidade na descida n 15(normalizado)

SY_AJ4

Ajuste nível 4 mA saída 4-20 mA (usina)

SY_AJ20

Ajuste nível 20 mA saída 4-20 mA (usina)

SY_ALARM

Estado de repouso da saída ALARM (0ou1)

SY_MAJ

escolha de defeito de perda de 1 sensor (1: maior)

SY_MIN

-
Ativação de defeito menor na saída 03 (1: ativado)

SY_MEMO

Retardo na amostra de velocidade p/ defeito do sensor

SY_PRD1

Pré-divisão da medida de velocidade via 1

SY_PRD2

Pré-divisão da medida de velocidade via 2

SY_REPL

Modo das saídas em caso de defeito (0: parada 1: mantém)

SY_RP1

Estado de repouso da saída 01 (0 ou 1)

SY_RP2

-
Estado de repouso da saída 02 (0 ou 1)

SY_RP3

Estado de repouso da saída 03 (0 ou 1)

SY_RP4

Estado de repouso da saída 04 (0 ou 1)

SY_RP5

Estado de repouso da saída 05 (0 ou 1)

SY_RP6

Estado de repouso da saída 06 (0 ou 1)

SY_RP7

Estado de repouso da saída 07 (0 ou 1)

SY_RP8
-

Estado de repouso da saída 08 (0 ou 1)

SY_RP9

Estado de repouso da saída 09 (0 ou 1)SY_RP10

Estado de repouso da saída 10 (0 ou 1)

SY_RP11

Estado de repouso da saída 11 (0 ou 1)

SY_RP12

Estado de repouso da saída 12 (0 ou 1)

SY_RP13

Estado de repouso da saída 13 (0 ou 1)

SY_RP14

-
Estado de repouso da saída 14 (0 ou 1)

SY_RP15

Estado de repouso da saída 15 (0 ou 1)

SY_SENS

Presença detecção do sentido de rotação (0 : não, 1 : sim)

SY_STOP

Presença da detecção de parada (0 : não, 1 : sim)

SY_TPMS

(s)

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

Tempo para validação das saídas na partida


)*+,

53

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ANEXO 2 – Lista de parâmetros

Nome

Unidade

Descrição

VT_FC

Hz

Freqüência de corte do filtro da medida de velocidade

VT_FCDF

Hz

Freqüência de corte do filtro de defeito de velocidade

VT1_FRN

Hz

Freqüência nominal da entrada 1

VT2_FRN
Hz

Freqüência nominal da entrada 2

VT_TAC2

Presença do sensor n° 2 (0 : não, 1 : sim)

VT_VN

rpm

Velocidade nominal

VT_FRN

Hz

Freqüência de entrada na velocidade nominal

MT_MOD

Hz

MT_NUM

Hz

Modo de manutenção (0 : funcionamento normal, 1 : teste saídas


reles, 2 : teste os valores de sinal de velocidade
Número de saída a testar (1 a 15)

MT_ETAT
Hz

Estado forçado na saída MT_NUM (0 ou 1)

MT_VIT

rpm

Velocidade simulada quando MT_MOD = 2

ANNEE

ANO (1900 => 00) para acerto da data

MOIS

MÊS (1 a 12) para acerto da data

JOUR

DIA (1 a 31) para acerto da data

HEURE

HORA (0 a 23) para acerto do relógio


MINUTE

MINUTOS (0 a 59) para acerto do relógio

SEC

SEGUNDOS (0 a 59) para acerto do relógio

54

Valor

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO -MANUTENÇÃO


ANEXO 3 – Bornes

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

ANEXO 3 – BORNES

)*+,

55

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ANEXO 3 - Bornes
56

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


ANEXO 3 – Bornes

+V 4 – 20mA

SANA-

0V 4 – 20 Ma

FREQ2+

+V FREQUENCIA 2

FREQ2-

0V FREQUËNCIA 2

FREQ1-

0V FREQUENCIA 1

FREQ1+
+V FREQUËNCIA 1

06-O

CONTATO ABERTO

06-F

CONTATO FECHADO

05-O

CONTATO ABERTO

0V

+V

ON

SANA+
2

RS232

RS48
5

TR

BN1

10

05-F

11

05-06-N

0V

12

04-O

CONTATO ABERTO

13
04-N

COMUM

0V
+V

14

04-F

CONTATO FECHADO

15

03-O

CONTATO ABERTO

03-N

COMUM

03-F

CONTATO FECHADO
3

02-O

CONTATO ABERTO

02-N

COMUM

02-F

CONTATO FECHADO

01-O

CONTATO ABERTO

01-N

COMUM

01-F

CONTATO FECHADO
1

FAULT-O

CONTATO ABERTO

10

FAULT-N

COMUM

11

+I1

+ENTRADA TOR 1

12

-I1

- ENTRADA TOR 1

5
13

+V BAT

+V BATERIA

CONTATO FECHADO

+V

14

-V BAT

15

GND

0V BATERIA
TERRA DE
PROTEÇÃO

COMUM

FREQ IND
4-20 mA
FREQ 2
FREQ 1

24Vcc
8

BN1

06

125Vcc

01

FUSIVEL 1A 5X20

02

8
9 10 11 12 13 14 15

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

48Vcc

03

BN2

)*+,

04

BORNES

10 11 12 13 14 15
BN2

05

FAULT
+
-

I1

+V
0V

PWR

57

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ANEXO 3 - Bornes

58

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


ANEXO 4 – Bornes ADT 1000-2

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

ANEXO 3 – BORNES NEYRPIC ADT


1000-2
)*+,

59

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ANEXO 3 – Bornes ADT 1000-2

1
2

015-F

CONTATO FECHADO

014-A

CONTATO ABERTO

014-F

CONTATO FECHADO

014-015-N

013-A
CONTATO ABERTO7

013-N

COMUM

013-F

CONTATO FECHADO

RD

CONTATO ABERTO

COMUM

015

BN3

015-A

012-A

CONTATO ABERTO

012-N
COMUM

11

012-F

CONTATO FECHADO

12

011-A

CONTATO ABERTO

13

011-N

COMUM

14

011-F

CONTATO FECHADO

15

010-A

CONTATO ABERTO

010-N
COMUM

010-F

CONTATO FECHADO

09-A

CONTATO ABERTO

09-N

COMUM

09-F

CONTATO FECHADO

08-A

CONTATO ABERTO

7
08-N

COMUM

08-F

CONTATO FECHADO

07-A

CONTATO ABERTO

10

07-N

COMUM

11

07-F

CONTATO FECHADO

9
10
4

014

5
6
7

013

8
9
10 11 12 13 14 15

48Vcc

011

125Vcc

010
2
3

CONTATO ABERTO

ALARM-N

COMUM

6
14

+I2

+ENTRADA TOR 2

15

-I2

- ENTRADA TOR 2

09

08

ALARM-A

13

BN4

12

9 10 11 12 13 14 15

BORNES NEYRPIC ADT 1000-2

60
BN3
24Vcc

BN4

012

07

ALARME
+
-

I2

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


ANEXO 5 – Referências do comando

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

ANEXO 5 – REFERÊNCIAS DO
COMANDO

)*+,

61

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ANEXO 5 – Referências do comando
ADT 1000 –

1 /V

TIPO DE APARELHO
- 1 : VERSÃO : 6 RELES DE VELOCIDADE
- 2 : VERSÃO : 15 RELES DE VELOCIDADE
- V : SINAL DE TENSÃO (gerador, sensor à
relutância,...)
- I : SINAL DE CORRENTE (sensor indutivo,...)

62

)*+,

DESCRIÇÃO – INSTALAÇÃO - MANUTENÇÃO


ANEXO 6 – Declaração de conformidade

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

ANEXO 6 – DECLARAÇÃO DE
CONFORMIDADE

)*+,

63

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ANEXO 6 – Declaração de conformidade

Construtor
Endereço
Nome do produto
Modelo

Segurança

Normas CEM
Ano

64

ALSTOM
82, avenue Léon Blum
B.P. 75. 38041 GRENOBLE CEDEX 9
Cadeia taquimétricaADT 1000
1e2
Este produto satisfaz as exigências da diretriz
73/23/CEE relativa ao material elétrico destinado
a ser empregado a uma tensão nominal
compreendida entre 50 e 1000 V alternada, e 75
e 1500 V contínua.
EN 50081-2 EN 61 000-4-2
EN 50082-2 EN 61 000-4-4
1996

)*+,

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ADENDO À DESCRIÇÂO 2247C

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

ADENDO À DESCRIÇÃO 2247C


)*+,

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ADENDO À DESCRIÇÃO 2247C

AVISO
Este documento é de propriedade da empresa ALSTOM.
Ele não pode ser comunicado a terceiros, nem reproduzido
sob qualquer que seja a forma sem a autorização da
ALSTOM.
A ALSTOM se reserva o direito de modificar sem pré aviso o
conteúdo do presente documento.
Em um documento deste tipo, erros ou omissões podem ser
descobertos, se bem que tudo seja feito para evita-los.

Este documento constitui um complemento das informações


contidas na descrição N.º 2247C.
Seu conteúdo será incorporado na próxima atualização da
documentação do NEYRPIC ADT 1000. A data de
elaboração deste documento, consta na margem esquerda
das paginas impares, isto foi feito para localizar o índice de
publicação.

)*+,

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ADENDO À DESCRIÇÂO 2247C

Estoque por longo tempo do NEYPIC ADT 1000


O
NEYRPIC ADT 1000 é dotado de uma bateria interna
alimentando um circuito de data. No momento que será estocado
por um longo tempo na prateleira, é conveniente programar, com
ajuda dos software STAR ou STATUS, os parâmetros MÊS, DIA, à
um valor 0, afim de aumentar a autonomia de funcionamento do
relógio de tempo real.
Uma supervisão luminosa (led D15 no cartãoCI563 montado no
cartão de base do ADT 1000-1) é especialmente organizada para
indicar o bom funcionamento da bateria. Esta supervisão é
normalmente apagada em caso de funcionamento correto.
Após estoque do aparelho, quando o módulo é colocado em serviço,
a bateria pode estar descarregada. Neste caso, o led D15 estará
aceso. Prever então uma alimentação do aparelho, de maneira
continua, por um período de 24 horas. Se após todo este tempo, o
led continua aceso, conclui-se que a bateria não está em condição
de uso, e deve ser trocada (ou retornar o aparelho à ALSTOM).
É conveniente controlar a validade da data no momento de cada
colocação em serviço do aparelho. Esta operação pode ser
realizada listando as pilhas de eventos memorizados, as entradas
FREQ1 e FREQ2 estando desconectadas (sinalização de evento
PARADO e ver descrição de funcionamento do software STAR ou
STATUS para acessar à pilha de eventos), e reprogramando os
parâmetros citados acima, se constate um desvio do relógio.

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

Em todos os casos, o mal funcionamento da data e hora não altera


em nada o funcionamento correto do módulo, e o gerenciamento do
sistema de velocidade fica operacional. Somente a data dos eventos
internos deverão estar erradas.

)*+,
3

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ADENDO À DESCRIÇÃO 2247C

Lista de eventos indicados pelo STAR ou STATUS


Código

Denominação

Tipo

Defeito via 1

Defeito

Defeito via 2

Defeito

Corte do sensor via 1

Defeito

Corte do sensor via 2


Defeito

20

Parada

Estado

21

Reset cão de guarda

Defeito do sistema

22

Erro de barramento

Defeito dosistema

23

Erro de endereço

Defeito do sistema

25

Divisão inteiro por 0

Defeito do sistema

26

Outro vetor de interrupção


Defeito do sistema

28

Erro de aplicação checksum

Defeito do sistema

29

Erro de gravação E2PROM

Defeito do sistema

30

Caixa de data ON/OFF

40

Erro de checksum PROM

Estado
Defeito do sistema

* O modo de monitoração do software STAR e STATUS indica o código do


evento de referencia, são denominados conforme acima em liguagem
clara, e também indicam a data de ocorrência do evento.
* O módulo de LEITURA DOS DEFEITOS sinaliza o código do evento, a
data
de
referencia
associada,
e
a
incidência
do
aparecimento/desaparecimento conforme os casos.

Os códigos 1 e 2 estão ligados quer seja pela detecção de uma


discordância entre os dois sensores, ou à falta de sinal de um
sensor.
Os códigos 3 e 4 indica provavelmente uma ruptura nos cabos de
ligação. Neste caso, os códigos 1 e 2 aparecem também.
Os códigos se referem à um defeito do sistema, podendo Ter uma
origem externa (perturbação na alimentação ou nas entradas lógicas
com níveis superiores para o qual o aparelho é especificado e
testado).É aconselhável, neste caso, proceder a reinicialização do
módulo: desligar a alimentação durante 30 segundos
aproximadamente, depois recolocar o aparelho sob tensão e resetar
os defeitos para a entrada I1prevista a este uso. Se o defeito
persiste, proceder a troca de aplicação, arquivada em um disquete
suporte, com um arquivo de extensão E2P. Se o defeito continua
persistindo, é conveniente colocar o módulo reserva no lugar, e ou
de reenviar o módulo defeituoso à ALSTOM que assegura oseu
reparo.

)*+,

CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000


ADENDO À DESCRIÇÂO 2247C

Em todos os casos, o interventor aplicará as prescrições


descritas no guia de manutenção do presente documento.

Escala de tomada em conta da informação de velocidade


Detecção sentido de
rotação (opcional)

(opcional)

Detecção de
escorregamento

2247 C-BR-LARQ-JUNHO
2000

0Vn

Sinal máquina parada

-3

10 Vn

Detecção de discordancia de se sensor (opcional e conforme parâmetro DT_SL)

Gestão dos sinais de velocidade

Sinal interno

Detecção de ruptura de fiação

2.8Vn

Domínio de validade das informações

)*+,

5
CADEIA TAQUIMÉTRICA ADT 1000
ADENDO À DESCRIÇÃO 2247C

Lista dos pontos de teste


Identificador
I1
I2
GLISST1
GLISST2
VT_OK1
VT_OK2
SENS
01-015
Maior
Menor

Significado
Entrada de reset de defeito
Não utilizado na aplicação NEYRPIC ADT 1000
Detecção de front na entrada FREQ1
Detecção de front na entrada FREQ2
Medida do sensor 1 valida
Medida do sensor 2 valida
Detecção do sentido de rotação horária (1) ou
antihorária (0)
Este sinal [e sem significado quando a aplicação não
possui mais que um sensor
Detecção dos sinais de velocidade
Indicação de defeito maior presente
Indicação de defeito menor presente

Reset do defeito maior sem presença de freqüência


Se um defeito maior ocorre em conseqüência da perda das duas
medidas de velocidade, o reset deste defeito. máquina em marcha,
sem que a informação de velocidade seja reenviada, provoca o
basculamento dos sinais no seu estado “velocidade nula”. Conforme
o automatismo, isto pode colocar em perigo a maquina (aplicação
dos freios).

)*+,