Você está na página 1de 3

TRES PARÁBOLAS

Parabéns aos pais, mães e filhos. Especialmente para os pais que neste dia
têm o selo da especialidade festiva.

Amados, questões como exemplo ou ensinos da fé que os pais passam aos


filhos? Inquietação, por envolver seus filhos em coisas saudáveis e no
caminho do Senhor? Passam por nossa mente todos os dias, por medo de
não os ver envolvidos em situações embaraçosas e que possam atrapalhar
suas vidas dentro de um modelo de vida honesta e ética.

Há como sabemos a forma de os instruir pelo ensino formal que é aplicado


na escola e em casa; como também o ensino informal. E minha preocupação
é em relação ao escudo da fé que talvez você tenha recebido de alguém, o
que ainda não o tenha recebido, mesmo já sendo pai. Pois não o recebendo
fica mais difícil interpretar os valores de DEUS PARA INSTRUIR A CRIANÇA
NO CAMINHO que deve andar. E tendo recebido, também, você pode
vivenciar dificuldades em os transmitir da maneira correta.

Vamos refletir sobre alguns princípios da Palavra de Deus a exemplo de:

Dt 4.9 Tão somente guarda-te a ti mesmo e cuida bem da tua própria


alma, a fim de que jamais te esqueças dos muitos sinais que os teus
olhos contemplaram, e para que tais vivas recordações nunca se
apartem do teu coração, em nenhum dia da tua vida. Ensina-as com
dedicação aos teus filhos e aos teus netos.

Dt 6.5-7 - Amarás o SENHOR, teu Deus, com todo o coração, com toda a
tua alma e com todas as tuas forças. 6 Que todas estas palavras que
hoje te ordeno estejam em teu coração! 7 Tu as ensinarás com todo o
zelo e perseverança a teus filhos. Conversarás sobre as Escrituras
quando estiveres sentado em tua casa, quando estiveres andando pelo
caminho, ao te deitares e ao te levantares.

Ef 6.4 - E vós, pais, não provoqueis a ira dos vossos filhos, mas educai-
os de acordo com a disciplina e o conselho do Senhor.

Vou lhes apresentar três parábolas para que assim você possa interpretar
que valor você tem dado ao que a Palavra te orienta a fazer em favor do seu
filho.

PRIMEIRO – Pai, pegue a mão do seu filho, saia com ele a passear, andem
juntos durante um tempo. Pois, é seu dever o conduzir ao PAI CELESTIAL.
Talvez você esteja preocupado pela tremenda responsabilidade para com
este dever. E tenha falado com seu filho sobre Deus nestes termos: Olha
meu filho, Deus tem uma face severa, se qualquer criança o desagravar. Em
sua caminhada aponta para uma árvore e diz: Vê esta árvore, o PAI
CELESTE tem o poder de derrubar ela com um simples raio. Como está
calor, você conta a seu filho da Grandeza de Deus que criou um sol quente e
que tudo derrete.

Depois desse passeio ao chegar em casa, você convida seu filho a se


encontrar com Deus, pela via da oração. É provável que simplesmente, seu
filho se esconda atrás de você. Ele terá medo de Deus, não irá querer
levantar os olhos para contemplar a face amorosa do PAI CELESTE. Porque
ele lembrou do Deus que você apresentou, um Deus severo. Por isso ele
nunca irá querer colocar sua mão na mão de Deus. E talvez, você esteja
surpreso. Pois falou com tanta sinceridade, mas também com tanta
seriedade que se colocou entre seu filho e Deus.

SEGUNDO – Pai, pegue a mão de seu filho ou filha, sia a passeio com ele.
Você deve conduzir ele até Deus. Daí, você sente o peso relacionado a
tantas coisas a serem ensinada. Talvez você tenha se apressado indo de
lugar em lugar com seu filho a seu lado. E tenha lhe mostrado as árvores e
quando ele tentar comparar as folhas, você apressadamente o faz olhar para
os pássaros. E quando ele se interessa e inicia uma pergunta sobre
pássaros, você se apressa a mostrar as borboletas. E assim leva a vida
falando e mostrando Deus, apressadamente, sem ouvir o seu filho ou dar a
devida atenção. Talvez, você esteja somente despejando conteúdo nos
ouvidos de seu filho, a respeito do que ele precisa saber e conhecer, que não
perceba o vento que sopra, e fale sobre ele; ou as estrelas no céu e as
estude com ele; ou passe por um rio mas não lhe fale sobre a maravilha de
com pequenas gotas ele se transforma num caudaloso rio.

Depois desse passeio ao chegar em casa, você convida seu filho a se


encontrar com Deus, pela via da oração. Talvez seu filho queira estar ao seu
lado, contemple o PAI CELESTE lhe estendendo amão, mas ele não
desperte interesse em pegar na mão de Deus. Você também, se colocou
entre a criança e Deus. E amanhã fique surpreso, por não o ver desejoso de
viver sob as asas do Altíssimo. E diga, mas eu lhe ensinei tantas coisas.

TERCEIRA – Peque a mão de sua criança. Pois você tem a responsabilidade


de a conduzir até o trono da graça de Deus. Perceba que a sua missão é
especial, e que seu coração é grato a Deus por tão grande privilégio. Ande
com ele devagar. Se adapte aos passos de seu filho. Fale compassadamente
e com o olhar no olhar, sobre o que ela observa.

As vezes, ele olha um pássaro que Deus lindamente criou; observe com ele
o ninho, veja os ovos ali colocados. Mostre a ele o cuidado do pássaro com
seus filhotes.
Colha flores com Ele e o faça perceber que elas são maravilhosas em suas
cores porque Deus assim as fez, como cores vivas. Conte a ele histórias
sobre Deus. Peça que ele também lhe conte histórias, se interesse pelo que
seu filho lhe fala. Voce e ele, conversem um com o outro de forma repetida e
amorosa. Ao parar debaixo de uma árvore, faça ele perceber o valor da
árvore que o Pai Celestial criou, faça ele valorizar o frescor da vida que
emana do ar, da terra, do céu.

Pois, assim fazendo. Quando você se colocar em oração com ele. Os olhos
dele vão brilhar. Ele vai olhar para o rosto de Jesus com amor, confiança e
desejo de sua presença. Vai colocar sua mão nas mãos do PAI CELESTIAL.
E, se naquele momento você perceber que seu Filho esqueceu de você, não
se surpreenda, fique contente, pois cumpriu a sua missão de pai. Sl 127.3
Quanto a seus filhos, eles são herança do SENHOR: o fruto do ventre é
um presente de Deus.

A pergunta a ser feita é:

O que pode acontecer a uma criança, quando os pais dizem uma coisa e
fazem outra?

Em que parábola você tem vivido a maior parte de seu tampo?