Você está na página 1de 40

1

1 SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE MÓDULO1

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

2

Índice Apresentação do Autor

2

Introdução

3

Formação de Líderes/Obreiros

3

Características da vida de um líder

3

Qualidades morais

4

A influência do líder em sua equipe

5

A importância da

7

Confrontando a estrutura de Orgulho

12

MÓDULO 2

20

Chamados e Escolhidos para Servir

21

Princípio de Honra e Mentoria

25

Chamada ao Sacerdócio

30

Entrando no Principio de Honra ao Sacerdote

35

Referências Bibliográficas

40

Apresentação do Autor

Marcio Vinhote! Servo do Deus altíssimo, escritor, pedagogo, psicopedagogo, professor de filosofia e sociologia, músico e juiz de mediações de arbitragens. Bispo evangélico, palestrante especializado em diversas áreas eclesiástica tais como: Crescimento de igrejas em diversos modelos; seminários e treinamentos para líderes, quebra de maldições, batalha Espiritual, libertação e cura interior.

MÓDULO 1

FORMAÇÃO DE LÍDERES/OBREIROS - DA PORTA AO PULPITO

A IMPORTANCIA DA SUBMISSÃO E SUAS CONSEQUENCIAS NO CORPO DE CRISTO.

CONFRONTANDO ESTRUTURAS DE ORGULHO / E O SEU PODER DE INVISIBILIDADE E AUTO-ENGANO.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

3

INTRODUÇÃO

FORMAÇÃO DE LÍDERES/OBREIROS - DA PORTA AO PULPITO

O Obreiro do Senhor Jesus, entende que sua função vai desde sua entrada na Casa do

Senhor ate o Púlpito. Sua postura deve falar mais alto. Seu sorriso, gentileza e santidade no falar. Não importa se fica na porta da igreja ou no púlpito ou mesmo em sua casa;

deve simplesmente ser um líder do futuro.

A pessoa do líder tem natureza bastante complexa. Não raro ele desconhece as próprias

reações. Fala, pensa, ouve e reage de maneiras tão diferentes, a ponto de precisar

conhecer a si próprio para tomar atitudes ponderadas que o dignifiquem.

É indispensável ao líder conhecer a si mesmo e desejar ser um bom exemplo à sua

equipe.

Você assume uma posição de liderança, tudo que está em seu interior se tornará evidente. Seus atos, decisões, palavras e gestos demonstrarão o que você é por dentro. No conjunto de seus segredos, você descobrirá características boas e ruins.

Características da vida de um líder

Todos têm características positivas e negativas que acabam influenciando as pessoas que estão sob nossa liderança. Toda pessoa tem qualidades. Um líder, em especial, tem qualidades que podem ultrapassar as de sua equipe.

O

fato de uma pessoa ser líder não significa que não tenha defeitos. O que marca a vida

de

um líder é ter sabedoria para administrar não só seus pontos negativos como também

aquilo que pode refletir negativamente em sua equipe.

Vou enfatizar de novo: as imperfeições na vida de um líder não o tornam inútil para o trabalho.

No entanto, o líder não pode conformar-se com os problemas que tem.

É por isso que muitos líderes são depostos de seu cargo, a inabilidade do líder em

administrar os pontos falhos. Foi exatamente isso que aconteceu com Saul.

Os segredos mais íntimos de um líder envolvem as áreas mais profundas da vida. São

nessas áreas que ele precisa ter mais habilidade e destreza para não ser derrubado com

as próprias mãos.

Qualquer pessoa que queira liderar precisa ter alguns fundamentos como prioridade absoluta na vida. Um dos segredos cruciais da liderança é ter a vida fundamentada em princípios e valores eternos, a ponto de causar em outros, vontade de imitá-lo.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

4

O líder deve procurar, a todo custo, ser irrepreensível. Não deve haver motivo para que

um membro da equipe vá ao líder e diga-lhe que não está cumprindo este ou aquele passo do que ensina. Ser irrepreensível não significa ausência de erros. Significa que, se

você errou, adiante-se imediatamente para corrigir-se. Assim, antes que alguém o acuse você já voltou a caminhar na direção certa.

Agindo dessa maneira, quando alguém descobrir um erro seu, você mostrará o que fez para corrigi-lo.

Qualidades morais

Para ser líder, é preciso ter vida limpa. Do ponto de vista moral, um líder deve cuidar de

si mesmo, como cuida dos próprios olhos. Quando os olhos não enxergam bem, é

preciso usar óculos, ou lentes, para ver melhor. Se a visão está embaçada, um colírio

pode tornar tudo límpido novamente. Se em sua vida moral houver sujeira, você não conseguirá enxergar adequadamente os caminhos pelos quais deve conduzir as pessoas ou a organização que lidera.

Um líder desmoralizado não consegue desenvolver seu trabalho, as pessoas deixam de acreditar nele. Líderes de todas as épocas têm sucumbido por dinheiro, sexo, poder ou qualquer coisa que traga prazer momentâneo, mas cujo resultado em longo prazo é a destruição da carreira.

As pessoas desejam, e precisam de líderes corretos, que tenham uma visão clara, sem distúrbios.

Do ponto de vista pessoal, o líder deve ter o desejo de ser transparente por questão de princípio, não por medo de sua equipe.

Esse é um segredo da liderança que não tem preço. Talvez você não consiga praticar todas as regras e tornar-se um líder excepcional, mas, se você tiver uma vida correta, a visão clara das coisas levará você a atingir objetivos significativos.

Objetivos pessoais

Todo líder tem traços que o caracterizam. Alguns são mais organizados que outros. Uns

No entanto, todo líder deve

procurar desenvolver objetivos para a vida, que independem de traços de personalidade

e são verdadeiros segredos para o sucesso na liderança.

são extrovertidos. Outros falam somente o necessário

Alvos pessoais

O líder que não estabelece alvos pessoais concretos para os próximos dois anos de vida

também não conseguirá estabelecer um alvo mensurável para a sua liderança. Sem alvos, não se chega a lugar algum. Os alvos pessoais constituem um segredo estratégico para que o líder obtenha sucesso nos alvos que tem como líder de uma equipe. Outro segredo estratégico é estabelecer alvos para a sua equipe.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

5

A influência do líder em sua equipe

Todo líder exerce influência em sua equipe — quer boa, quer ruim. Essa influência pode ser positiva, quando o líder é consciente e procura dar o melhor de si no que faz, e também pode ser negativa, se ele tem uma vida desorganizada e sem rumo.

Por esse motivo é preciso tomar cuidado com atitudes e procedimentos. Um aspecto negativo da vida do líder pode ser transmitido a outros sem que ele perceba.

Um dos grandes segredos do líder é saber exercer influência sem que imponha sua vontade e sem que os outros se sintam incomodados. Quando isso ocorre, o líder dificilmente será contestado, e sua liderança será reforçada pela influência natural que exerce sobre situações e pessoas.

A maior influência do líder é decorrente de sua autoridade pessoal. Quando um líder é

respeitado por causa do cargo que ocupa, sua probabilidade de influenciar diminui consideravelmente. Quando é respeitado por sua vida, sua capacidade de influenciar

ocorre naturalmente.

Discipulado na liderança

Além da influência natural, o líder precisa praticar o discipulado, que é uma influência planejada. Discipulado não se restringe à transmissão de dados ou informações de uma área específica ou de uma forma de liderar, mas é, sobretudo, transmissão de vida.

O discipulado surge da vontade de que mais pessoas se desenvolvam para a liderança e

sejam capacitadas para o bom desempenho dessa função.

Autoconhecimento e as marcas da vida

Cada líder deve conhecer-se si mesmo. Não basta querer ser exemplo, se você não sabe o que tem para ensinar a outros. Por vezes, pode haver em você tantos aspectos ruins, que sua equipe ficará com dúvidas a seu respeito.

O ser humano é um labirinto, e poucos são os que conhecem a si mesmos.

Todos têm problemas, e a eles os líderes não estão imunes.

Como liderar e ajudar outras pessoas sem conhecer a própria estrutura emocional? É preciso evitar a hipocrisia na liderança. Todos temos dificuldades em nos aceitar como somos.

Precisamos ser nós mesmos. É necessário conhecermos nossos problemas e nos conscientizarmos deles. Devemos reconhecer nossas limitações e saber até onde vai nossa capacidade.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

6

À medida que as pessoas conhecem suas dificuldades, elas passam a perceber as marcas de sua vida. Marcas que, por vezes, precisam de remédio e cura.

É preciso curar a mente, as emoções, lembranças desagradáveis etc. Devemos permitir a renovação da mente, gerar em nós cura interior. Cura interior significa romper os laços com o passado. A mente serve muitas vezes de “lixeira” para a raiva que se manifesta em nós. É preciso haver cura para as mágoas, os ressentimentos e os traumas do passado.

Alguns precisam de cura para mágoas causadas por problemas de formação (relacionamento com os pais, por exemplo). Outros, por algo que fizeram (por exemplo, traição). Outros ainda precisam de cura para algo que aconteceu (como um acidente), ou para livrar-se de algum preconceito (ser portador de um defeito físico, entre outros). Todos precisam de cura para alguma coisa. Então é preciso encarar o passado.

Em outros casos é preciso dar e receber perdão. Perdoar àqueles que o ofenderam e machucaram. É necessário ter uma vida feliz e estar pronto para servir como líder, sem pesos. Líderes amargurados com o passado ou mal resolvidos pelas marcas da vida, muitas vezes reproduzem amargura no exercício de sua liderança.

Precisamos de cura, sermos curados para então ajudarmos outros a serem curados.

Olhe para as suas emoções, para sua alma.

Veja se está realmente pronto para liderar.

Deus quer lhe curar, O Senhor te colocará na posição de servo, e sua vida será usada para fazer diferença no mundo.

Este é um segredo que levará você a ser um líder mais firme e autêntico: libertando-se das feridas do passado, sua visão de futuro estará firmada em barreiras superadas. Você não carregará sacos de areia nas costas. E, assim, estará livre para servir.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

7

A IMPORTÂNCIA DA SUBMISSÃO

1. Aliviar a sobrecarga da liderança

"Obedecei a vossos guias, sendo-lhes submissos; porque velam por vossas almas como quem há de prestar contas delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil" (Hb 13:17).

Quando se alivia a sobrecarga do líder, viabiliaza-se a cobertura do povo. Estas duas coisas estão ligadas. O líder sempre carrega um peso maior de responsabilidades. Submeter é valorizar o líder e o princípio da autoridade, e isto poupa todo o corpo. Os ataques prediletos do inimigo são contra as pessoas em posição de autoridade. Quando o líder é ferido, todo o povo se dispersa.

Um dos principais pontos críticos da igreja são líderes desgastados e estafados, que pela falta de apoio, abandonam o ministério da palavra e da oração e tornam-se vulneráveis.

O Getsêmani de Moisés

"E acontecia que quando Moisés levantava a mão, prevalecia Israel; mas quando ele abaixava a mão, prevalecia Amaleque. As mãos de Moisés, porém, ficaram cansadas; por isso tomaram uma pedra, e a puseram debaixo dele, e ele sentou-se nela; Arão e Hur sustentavam-lhe as mãos, um de um lado e o outro do outro; assim ficaram as suas mãos firmes até o pôr do sol. Assim Josué prostrou a Amaleque e a seu povo, ao fio da espada" (Ex 17:11-13).

Este texto estabelece uma verdade irrefutável: o líder não vence sem o povo e nem o povo vence sem o líder! Líderes estafados colocam o povo em risco. Teremos vitórias na mesma medida que apoiarmos nossos líderes através do ministério sacerdotal, ou seja, orando e servindo de bom coração.

Este texto refere-se a um momento literalmente crucial quando Israel estava enfrentando seu pior inimigo. Josué estava com o povo no campo de batalha enquanto Moisés intercedia dando cobertura. Quando Moisés levantava seus braços, Josué prevalecia e quando ele abaixava, Amaleque prevalecia. Fica claro que muitas vitórias têm obrigatoriamente um caráter corporativo envolvendo a liderança e o povo.

A primeira lição deste texto é que exercer cobertura espiritual demanda manter-se numa posição de cruz, suportando intercessoriamente a carga do povo. O aspecto crítico é que esta posição sacrificial de permanecer com os braços levantados é pesada e cansativa. Quando os intercessores dormem no Getsêmani, o líder chega a suar sangue!

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

8

A negligência, o boicote e a divisão entre líderes pode representar as maiores derrotas de um ministério. Imagine se Arão e Hur estivessem se desentendendo enquanto Moisés, no seu Getsêmani, intercedia pelo povo no campo de batalha?

Líderes precisam de intercessores e ajudadores. Aqui entra o poder da submissão que assenta o líder numa posição triunfante de descanso. No caso de Jesus, Deus precisou enviar anjos para confortá-lo, pois seus intercessores não suportaram o peso da batalha e dormiram.

O fato é que se não fora por Arão e Hur assentar Moisés numa rocha sustentando seus

braços levantados, Israel provavelmente teria sido derrotado! Quando o líder estressa, o povo perde a batalha! É desta forma que muitas igrejas estão sendo atacadas e derrotadas por Satanás. É o povo desgastando o líder e o líder descobrindo espiritualmente o povo! Amaleque, ou seja, a carnalidade prevalece.

Submissao pode fazer toda diferença numa situação de batalha espiritual. Se não fora por Arão e Hur, todo esforço de Moises e Josué teria sido insuficiente. Eles simplesmente decidiram a batalha através da submissão, sustentando Moises na posição ativa de descanso, onde Israel prevalecia. O descanso quebra a passividade do ativismo e ativa a fé, sustentando uma vida de entrega total, confiança e vitória.

Quem na verdade foi o responsável pela grande vitória sobre os amalequitas? Moises? Josué? O povo? Arão e Hur? Nenhum deles poderia ter vencido sem o outro. Submissão coloca o líder numa posição sobrenatural de descanso, viabilizando uma intercessão eficaz a favor do povo.

Nem sempre a submissão e uma tarefa fácil. Todo líder tem suas limitações e defeitos. Alguns são realmente imaturos e despreparados. Com isto uma grande lacuna pode se abrir. Se esta brecha não for preenchida pela oração, abre-se campo para a rebelião.

A rebelião nasce da falta de oração pela liderança. Quando oramos, nos conscientizamos cada

vez mais das necessidades dos nossos lideres e quando não oramos, tendemos a enfatizar as suas falhas, criticando-os irresponsavelmente. Sustentar os lideres em oração

é um dos pontos centrais pelo qual um ministério é abençoado e prevalece. Ao

fazermos isto, pensando corporativamente, estamos investindo em nos mesmos.

2. Proteção

Estamos protegidos na mesma proporção que somos submissos. Submissão estabelece um manto de cobertura espiritual e proteção sobre as nossas vidas. A maneira certa de sermos guardados por Deus e permanecendo debaixo da autoridade que Deus tem estabelecido sobre nos.

"Sucedeu, porem, que depois doeu o coração de Davi, por ter cortado a orla do manto de Saul. E disse aos seus homens: O Senhor me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, ao ungido do Senhor, que eu estenda a minha mão contra ele, pois é o

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

9

ungido do Senhor. Com essas palavras Davi conteve os seus, impedindo que se "

levantassem contra Saul

(I Sm 24:5-7).

O principal aspecto da proteção que Davi recebia de Deus em relação a furiosa perseguição de Saul era que ele não revidava. Tinha um profundo discernimento acerca da importância da submissão. Sabia que para ser protegido por Deus precisaria não reagir no espírito impiedoso de Saul. Estava diante da maior prova que todo líder aprovado por Deus precisa passar, a prova de respeitar uma liderança injusta. Apesar de Saul tentar exterminar Davi, em momento algum, ele insurgiu desrespeitosamente contra a autoridade do rei. Isto fez de Davi uma pessoa inatingível, protegido por Deus até do seu próprio líder.

Mudando de igreja

Permita-me abrir um pequeno parêntesis e fazer uma abordagem pratica em relação a algumas situações criticas que freqüentemente se repetem no corpo de Cristo.

Hoje temos um universo de milhares de denominações cristas diferentes. Assim sendo, até certo ponto, é normal, pessoas mudarem de igreja. Algumas mudanças podem ser positivas e estratégicas no cumprimento da vontade de Deus e outras negativas e até mesmo trágicas.

Tanto a insatisfação irresponsável do membro, como o controle possessivo do líder são elementos emergentes que podem precipitar-se comprometendo seriamente a obra de Deus.

Reconheço que estas situações são delicadas e muitas vezes exigem o conselho de pessoas maduras e imparciais. Porém, generalizando o que ocorre nestes impasses, vamos considerar alguns extremos mais comuns:

Receber uma pessoa que saiu mal da sua ex-igreja

Muitos líderes se esquecem da ética quando alguém se candidata como novo membro.

Porem, se a pessoa saiu de um ministério com situações espirituais pendentes, provavelmente, será apenas uma questão de tempo para que o mesmo problema se repita. É aqui que muitos líderes se equivocam pensando que estão ganhando, mas no futuro podem pagar um prego muito alto pela imprudência cometida. Digo isto por experiência propria (aplicando para a nossa igreja).

Além de criar um constrangimento com o pastor da igreja anterior da pessoa, ou agindo com uma misericórdia não divina, o que estes líderes supostamente ignoram é que estas pessoas são como uma bomba-relógio ambulante, que a qualquer momento poderá explodir nas suas mãos, causando muitos danos.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

10

É um erro receber estas pessoas sem ajudá-las a fechar estas brechas. Enquanto estas pessoas não redimirem estas situações continuarão vulneráveis, sofrendo novas decepções e decepcionando muita gente, principalmente os próprios líderes que as receberam tão avidamente.

A melhor coisa é intermediar a situação com o ex-lider da pessoa. Não quer dizer que isto, obrigatoriamente, vá dar certo, mas as possibilidades são excelentes. Isto envolve lidar com feridas profundas das pessoas. Lidar com situações assim é como desarmar uma bomba. Envolve um grande risco. A bomba pode ser desarmada, como também pode explodir. É necessário muita prudência para que ninguém corte o fio errado.

Precipitar e sair fora do tempo

Problemas não justificam a saída de uma pessoa de um ministério. Provavelmente, quanto mais pessoas freqüentam uma igreja, mais problemas esta igreja contrai. Permanecer numa igreja envolve muitas provas que são fundamentais para o nosso crescimento pessoal e ministerial.

Sem este discernimento, muita coisa pode ser retardada e abortada em nossas vidas.

Normalmente, todas as pessoas que não discernem as provas de Deus e animosamente saem de debaixo da proteção da liderança tornam-se confusas e problemáticas.

Precisamos discernir com muito cuidado qual é a liderança que Deus tem para estarmos sujeitos, e caso seja necessário uma mudança, devemos sabiamente fazê-lo com ética e no tempo de Deus.

Retardar e não sair por medo e autocondenação

Este é o problema do legalismo que enfeitiça as pessoas através do medo e da culpa. O legalismo distorce os valores e anula o discernimento espiritual. Líderes que ameaçam as pessoas com maldições caso elas deixem a sua igreja transformam a igreja num presídio espiritual.

A condenação pode ser a mais poderosa estratégia de feitiçaria. Mesmo quando a pessoa está certa nas suas convicções, ou está sendo injustiçada, ainda assim ela sente-se culpada. A culpa leva a pessoa a se anular. O seu tempo naquele ministério já esgotou e a pessoa não consegue sair pois está numa prisão de auto-condenação. Muitas vezes, a pessoa por algum motivo justo ou injusto é simplesmente rotulada de rebelde. Ao invés de ajudar com sabedoria estas pessoas, alguns líderes esmagam a pessoa usando covardemente a sua posição de autoridade.

Na verdade, todo líder que precisa frequentemente impor a sua autoridade, demonstra que esta mesma autoridade é suspeita. O que define um líder é o fato dele ter seguidores voluntários. Não existe liderança sadia sem respeitar a liberdade alheia e inspirar a voluntariedade das pessoas. A imposição é a linha divisória entre a liderança

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

11

e a tirania. O tirano não intenciona servir, mas apenas ser servido. No fundo, ele não serve nem a Deus, senão a si mesmo. Todo líder deve estar aberto para as pessoas se encaixarem no corpo de Cristo independentemente da denominação ou organização que pertença. O juramento "até que a morte nos separe" só pode ser aplicado ao casamento

e não se ajusta ao compromisso com uma organização, seja ela qual for. Mesmo que um

membro esteja saindo precipitadamente da igreja, o líder deve abençoar esta pessoa respeitando sua decisão equivocada. Provavelmente esta atitude semeará o retorno e a restauração desta pessoa no futuro.

O que se constata, é que estas pessoas que acabam paralizadas pelas ameaças de um

líder desenvolvem uma consciência frágil e vulnerável à autocondenação. Sentindo-se frustradas e defraudadas, mas ao mesmo tempo impedidas de agir com liberdade, vão desenvolvendo os mais profundos traumas, que depois de um desgaste crônico, manifestam-se através de profunda insegurança, confusão, legalismo, colapsos mentais, depressão e até loucura.

3. Unidade e crescimento

O espírito de submissão incentiva um compromisso com a reconciliação e a unidade.

Submissão opera a funcionabilidade do corpo. A submissão tem vários aspectos concernentes à vontade divina. Não é apenas você estar submisso à liderança certa, mas

operar no dom que recebeu, no local designado por Deus, através dos valores do Reino

de

Deus e com a motivação conjunta ao espírito de Cristo.

O

líder é aquele que não só discerne o ministério das pessoas, como também destranca

os seus dons e abre portas introduzindo e encaixando a pessoa em níveis cada vez

mais elevados de eficiência vocacional. Toda pessoa que tem um compromisso sério com

o princípio da submissão se encaixa no corpo de Cristo fluindo graciosamente.

Na submissão reside um dos maiores segredos da fertilidade ministerial. Pessoas que se sentem desencaixadas e improdutivas frequentemente estão falhando em corresponder com um ou vários aspectos referentes a uma vida realmente submissa. O padrão da submissão é amplo e devemos atentar para todos os seus aspectos:

"Vós, servos, obedecei a vossos senhores segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo, não servindo somente à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus, servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens" (Ef 6:5-7].

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

12

CONFRONTANDO ESTRUTURAS DE ORGULHO

Todavia, dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos; dá, porém, graça aos humildes. Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós. (Tg 4:6-7.)

Este texto fala sobre um necessário processo de sujeição a Deus que precede o confronto espiritual com hostes demoníacas. Sujeitai-vos a Deus é o que assevera Tiago. Sempre que humildemente suportamos esse processo de quebrantamento submetendo-nos a Deus e crucificando as estruturas de orgulho, estamos aptos a resistir vitoriosamente ao diabo. Assim sendo, como introdução, gostaria de especificar quatro princípios evidenciados por Tiago que constróem uma sequência muito importante na batalha espiritual.

1. Antes de Deus resistir ao diabo, Ele resiste aos soberbos

O maior problema de Deus não é o diabo, são os soberbos. Muitas vezes estamos

lutando e guerreando contra situações malignas que nos assolam sem nenhum resultado. Repreendemos os demônios e nada acontece. Às vezes, a coisa só piora. Estamos berrando: "Sai demónio! Tá amarrado!" Mas não são os demônios que estão nos resistindo. É o próprio Deus: Ele está com a sua mão no nosso peito, resistindo ao nosso orgulho.

Portanto, antes de resistir ao diabo, a Bíblia deixa claro que ele vai resistir aos soberbos.

O grande desafio de Deus é o coração endurecido do homem. Deus certamente irá

confrontar a nossa soberba, a nossa independência, a nossa justiça própria e todo julgamento frívolo que vem do orgulho ferido.

2. Deus dá graça aos humildes

Depois de resistir aos soberbos, Deus honra os humildes. Graça e orgulho não se misturam. O favor de Deus e a abundância do seu reino estão ligados com um coração purificado da arrogância e orgulho. Estados crónicos de desgraça pessoal e familiar são respaldados por esquemas de orgulho.

A humildade é a chave que abre a porta da graça. Tudo o que peca contra a humildade

nos conduz a uma vida estéril e desfavorável. O poder do pecado se aloja no orgulho ferido. Quando nos humilhamos, a graça de Deus jorra e inunda nossa vida. Experi- mentamos uma capacitação de Deus que vence o poder do pecado.

Humildade é o grande segredo da santidade. A insuficiência da graça divina em relação a cadeias pecaminosas que não conseguimos vencer é justificada pelo orgulho. Esse princípio ensina que todo pecado pode ser vencido desde que o esquema de orgulho seja renunciado. Deus dá graça aos humildes!

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

13

3. Sujeitai-vos, pois, a Deus

Este é o processo no qual nosso orgulho é confrontado. É necessário topar esse desafio de Deus,- suportando as duras provas que visam desarticular esquemas malignos e estruturas de orgulho que muitas vezes existem imperceptivelmente em nossa vida. Uma das maiores façanhas do espírito de orgulho é o seu poder de invisibilidade e auto-engano.

Tiago enfatiza um processo de se sujeitar a Deus. Este é o maior desafio e é sobre isso que quero tratar neste final de semana. A capacidade de enfrentar com humildade as provas e se relacionar com o tratamento de Deus, entendendo sua importância e propósito são chaves-mestras que destrancam as cadeias demoníacas.

Teoricamente, isso pode parecer fácil, mas não é. Só há uma maneira de responder de forma aprovada a esse doloroso processo de se sujeitar a Deus, e a palavra de ordem é humilhação.

Quebrar esquemas de orgulho envolve provas que muitas vezes não compreendemos e pelas quais jamais imaginaríamos que fôssemos passar. Situações que afrontam nossos pontos fracos e que provocam nosso senso de justiça humana.

Deus quer tratar não apenas com aquele lado negativo do ego, mas também com o lado "positivo". Ego é ego e precisa morrer. As estruturas mais sutis de orgulho se aninham no "ego justo" ou no "ego bonzinho" do ser humano. A justiça própria que produz uma indignação irracional e a misericórdia humana que nos leva a alisar o pecado alheio são armadilhas de orgulho que têm o potencial de amaldiçoar os relacionamentos.

4. Resisti ao diabo e ele fugirá de vós

O processo de sujeitarmos a Deus constrói uma plataforma de autoridade através da qual

resistimos ao diabo e ele não terá outra alternativa senão fugir.

Em contrapartida, quando não discernimos as provas de Deus, ao invés de o diabo fugir, nós é que fugimos. Ao invés de o diabo sair do nosso casamento, nós é que abandonamos o cônjuge. Ao invés de o inimigo sair do nosso ministério, nós é que largamos o ministério. Ao invés de o inimigo sair da nossa igreja, nós é que decidimos ir embora, e assim por diante. Isso é terrível! É derrota!

À medida que suportamos a humilhação, sujeitando-nos à correção divina, o diabo não

tem mais onde se apoiar e se esconder. Torna-se um alvo claro, desarmado e fácil.

Fortalezas mentais e esquemas de maldição são desmoronados através de uma fulmi- nante e genuína libertação.

Quando Tiago fala sobre resistir ao diabo, isso pode significar um tempo no qual vamos guerrear através da humilhação. Para Jesus, foram quarenta dias no deserto. Para Daniel,

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

14

foram vinte um dias de jejum. Muitas vezes será necessário resistência moral para vencer confrontos com o diabo. A perseverança é altamente relevante na batalha espiritual.

Vamos ilustrar esse processo de se sujeitar a Deus e resistir ao diabo no contexto de uma libertação familiar:

Ora, partindo Jesus dali, retirou-se para as regiões de Tiro e Sidom. E eis que uma mulher cananéia, provinda daquelas cercanias, clamava, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim, que minha filha está horrivelmente endemoninhada. Contudo ele não lhe respondeu palavra. Chegando-se, pois, a ele os seus discípulos, rogavam-lhe, dizendo: Despede-a, porque vem clamando atrás de nós. Respondeu-lhes ele: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. Então veio ela e, adorando-o, disse: Senhor, socorre-me. Ele, porém, respondeu: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ao que ela disse: Sim, Senhor, mas até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos. Então respondeu Jesus, e disse-lhe: Ó mulher, grande é a tua fé! Seja-te feito como queres. E desde aquela hora sua filha ficou sã. (Mt 15:21-28.)

Por muitas vezes li esta passagem sem entendê-la. Aos meus olhos parecia ser algo absurdo, um desatino total de Jesus, até que, meditando mais cuidadosamente nesse texto, percebi que o meu entendimento estava cego pelo meu próprio orgulho.

Estava passando por situações muito difíceis, injustas aos meus olhos, através das quais minha alma foi adoecendo. Sentia-me frustrado e desgastado. Eram provas fortes que não faziam sentido. De repente meus olhos se abriram e pude entender que tudo aquilo tinha um objetivo maior: Deus estava confrontando o meu orgulho.

Ao analisar esse episódio, fica bem claro que muitas situações miseravelmente demoníacas estão ligadas a estruturas de orgulho em nossa vida. Em vista disso podemos compreender que existe algo ainda mais nocivo que o poder de demónios alojados numa pessoa: o orgulho que os aloja.

Sondando meu coração e analisando meus próprios problemas consegui desvendar uma tendência viciante que se baseia no orgulho ferido. A raiz de noventa por cento dos nossos maiores problemas e conflitos é uma coisa só: orgulho. O pior do orgulho é que ele é como o mau hálito. Quem tem não sabe que tem. Isto torna mais difícil compreender certas provas às quais Deus nos submete. O orgulho humano é um depósito de feridas pelas quais demónios se tornam o senhor de muitas situações de desgraça. Dessa forma é que muitas pessoas perdem a batalha, pois se deixam levar pelo orgulho e por feridas.

INFESTAÇÃO DEMONÍACA NA FAMÍLIA

minha

filha está horrivelmente endemoninhada.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

15

Este texto fala de uma mulher que tinha uma filha miseravelmente endemoninhada. Essa filha também pode significar áreas extremamente significativas de nossa vida que estão aprisionadas em quadros crónicos de derrota e destruição.

Alguns estão com o relacionamento conjugal endemoninhado, outros com a vida financeira, outros com o temperamento, outros com a vida sentimental, e assim por diante. Não é difícil mapear nossa vida, bem como a de nossa família. Normalmente os sintomas são evidentes e denunciam realidades que precisam ser mudadas.

Essa mulher cananéia é também um símbolo da igreja gentia -sob a maldição de Cão. Muitas maldições são perpetuadas por um esquema fundamentado em orgulho. Quebrar esse esquema pode ser um dos maiores desafios para Deus em relação à vida de alguém. Envolve provas que raras pessoas compreendem e se dispõem a sujeitar.

O DISCERNIMENTO DE JESUS - A CHAVE DA LIBERTAÇÃO Temos em pauta um caso clássico de batalha espiritual. Jesus exerce um discernimento surpreendente. Ele conseguiu provocar na vida dessa mulher uma atitude que produziu por si mesma a libertação pela qual ela clamava.

Será que Jesus não poderia apenas ter expulsado aquele demónio e pronto? Muitos de nós gostaríamos que fosse assim conosco, mas não é dessa forma que funciona! Deus não quer curar nossa vida superficialmente.

O caminho para algumas libertações envolve passar por provas duríssimas. Ao sermos provados e tratados por Deus, a libertação acontece. A questão aqui não é vencer os demónios, mas sermos vencidos por Deus.

Essa mulher simplesmente precisava ter sua atitude alinhada com um princípio específico de Deus que resultaria numa solução radical do seu problema. Não foi uma tarefa simples. Jesus foi na raiz da situação espiritual dela. Ele não fez rodeios. Mesmo correndo um grande risco de ser terrivelmente mal interpretado, como muitos de nós não o entendemos ao lermos esse texto, ele permaneceu firme no seu discernimento.

Muitos ressentimentos contra Deus nascem de respondermos às suas provas sem uma visão do nosso orgulho. Isto só aponta para novas provas que virão, até que a invisibilidade do nosso orgulho seja removida e a humilhação tome lugar.

Por isso, Jesus submeteu aquela mulher a um processo duro e contínuo de humilhação que, correspondido seria, talvez o único caminho para uma resposta sobrenatural de Deus. Jesus estava levando aquela mulher a provocar essa resposta que ela mesma tanto queria. Isso é discernimento e mapeamento espiritual!

É interessante como existem muitas rotas e armas de libertação. Jesus mencionou castas demoníacas que apenas são expelidas através de jejum e oração. Ele também venceu a Satanás através da Palavra de Deus. Adoração também é outro poderoso caminho de batalha espiritual pelo qual o rei Josafá venceu seus inimigos, e assim por diante. Porém,

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

16

nessa situação percebemos uma entidade demoníaca que só seria vencida trilhando uma estreita e difícil rota de humilhação.

É importante mencionar que essa mulher já conhecia ao Senhor Jesus como o Salvador.

Ela se dirigiu a Jesus como o Filho de Davi, um título usado apenas para se referir ao Messias. Ela já tinha a revelação divina de que Jesus era o Cristo, o Messias prometido, o Redentor do homem.

SUJEITANDO-SE A DEUS

Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará. /Tg 4:10.)

Vamos analisar o doloroso processo de libertação ao qual essa mulher foi submetida. O que realmente significa isso que Tiago disse - sujeitai-vos a Deus? Como reagir diante de situações humilhantes? O que Deus está querendo nos falar através destas situações?

O que fazer quando Deus começa a agir de maneira terrivelmente estranha conosco? Na

atitude dessa mulher estão as respostas.

1. Silêncio e desprezo

E eis que uma mulher cananéia, provinda daquelas cercania, clamava, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim, que minha filha está horrivelmente endemoninhada. Contudo ele não lhe respondeu palavra.

Aquela mulher veio gritando por socorro e simplesmente Jesus a ignorou. Ele não lhe respondeu palavra. Ele a despreza num momento de angústia e perplexidade. Quando o silêncio de Deus confronta o nosso desespero. Deus se cala. Aquela sensação de vazio e de dor atravessa nosso coração. A única resposta que temos diante do nosso clamor é a solidão. Você ora, faz campanhas, chora, consagra-se mais e nada acontece!

O sentimento é claro: Deus virando as suas costas e se distanciando no mesmo passo

que o abandono se aproxima. Nossos sentimentos se afloram e se tornam vulneráveis.

O espírito de orgulho imediatamente se achega e dói, ou melhor, fala: "Ele não ama

você, Ele não se importa com você. Deus se esqueceu de você!

Ele te abandonou na hora em que mais precisava dEle". O pior é que isso parece fazer sentido. Não acreditar numa mentira como essa num momento como esse é só para pessoas humildes e perseverantes.

Jesus de fato criou um clima muito constrangedor. Ele desprezou aquela mulher.

Tamanho foi o constrangimento que os discípulos tentaram melhorar a situação. Por

Despede-a

que vem gritando atrás de nós

escândalo, cuidado com o mau testemunho, Mestre! Ela vem gritando e o Senhor a ignorou! Pelo menos seja educado e fale que o Senhor não pode atendê-la agora!"

Pedro, talvez, tenha repreendido: "Senhor, olha o

um momento eles estavam sendo mais espirituais que o próprio mestre:

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

17

2. Discriminação

Respondeu-lhes ele: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.

Quando os discípulos tentam amenizar o constrangimento inicial da situação, vem uma resposta ainda mais agressiva. Jesus impetra um outro golpe fortíssimo contra a insistência daquela mulher. Ele a discrimina racialmente. Ele se omite em relação a ela por causa da sua nacionalidade. Ele a inferioriza em relação aos judeus, provocando especificamente o seu orgulho, que precisava ser vencido.

Essa resposta de Jesus é uma provocação racial e no nosso contexto poderia ser uma provocação denominacional. Apenas imagine se você como um "bom batista" estivesse clamando a Jesus e ele falasse com você: "Agora só estou abençoando os presbiterianos, não tenho tempo para você!"

Você ora pelo avivamento na sua igreja e o avivamento acontece na igreja vizinha que você tem como concorrente. "Senhor, eles não são tão espirituais quanto nós! Porque isto Senhor?"

O orgulho denominacional é uma das maiores brechas no Corpo de Cristo, onde Satanás e seus demónios têm infiltrado com todo tipo de perturbação, inveja, inimizades, etc. Jesus deixou muito claro que uma casa dividida será devastada. Orgulho precede a divisão que compromete a autoridade e traz destruição.

Essa foi a síndrome de Jonas. Jonas não podia suportar o fato de Deus abençoar os ninivitas. Ele não gostava dos ninivitas. Eram inimigos de Israel. Jonas não queria um avivamento em Nínive. Ele queria esse avivamento em Jerusalém. Ficou chateado com Deus. Mas foi exatamente dessa forma que Deus confrontou seu orgulho nacionalista.

Em Lucas, a Bíblia explica melhor a nacionalidade dessa mulher. Era grega, siro-fenícia de nação. Naquele momento a prova se tornou mais específica. Sua nacionalidade tinha forte ligações com estruturas de orgulho. Orgulho nacional pode ser claramente discernido como o ponto no qual aquele demônio que possuía sua filha se apoiava. Ela era grega, ou seja, da elite cultural vigente. Muito culta, talvez também rica, bem posicionada na sociedade, mas com um problema literalmente demoníaco.

É importante mencionar que apesar de os romanos terem dominado o mundo pela força, os gregos o conquistaram filosoficamente, inclusive o Império Romano. A cidadania grega era símbolo do orgulho intelectual, cultural e espiritual. Até hoje a Grécia é tida como o "berço da civilização". As pessoas mais sábias, cultas e civilizadas estavam lá. Todo conceito de superioridade e moda, o padrão de beleza, fora ditado pela filosofia grega.

Jesus precisou tocar nesse ponto. Aquela mulher era grega em cultura e língua. Algo havia em relação a isto que precisava de um ajuste. Nesse ponto se alojava a raiz de orgulho e superioridade que desencadeou o quadro de miséria que ela enfrentava. Certas informações são chaves tremendas que explicam a situação espiritual que a pessoa vive.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

18

Esse foi, talvez, o principal aspecto no qual o discernimento de Jesus se embasava. A partir disso fica fácil delinear um procedimento que vai provocar a libertação necessária. Todo preconceito revela uma idolatria . Isso precisa ser tratado. Ao tratar preconceituosamente aquela mulher, Jesus estava confrontando o complexo de superioridade que os gregos tinham em relação ao resto do mundo.

Mas, mesmo assim, aquela mulher ainda numa posição de intercessão o adora dizendo:

"Senhor, socorre-me!" Ela derrota o preconceito grego e seu orgulho nacionalista.

3. Ofensa

Vem então a terceira resposta de Jesus:

Ele, porém, respondeu: Não ê bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ao que ela disse: Sim, Senhor, mas até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos,

Jesus estava agora tocando na dignidade humana daquela mulher. Jesus desceu o nível, ofendendo-a publicamente. Foi uma coisa muito forte. Não havia como provocar mais a carnalidade de uma pessoa de "alta estirpe". Aquela mulher foi ignorada, discriminada e, agora, ofendida pelo próprio Jesus!

Jesus agrediu aquela mulher em relação à filiação. Ele não só a desconsiderou como filha, mas a considerou como um animal imundo. Chamou-a de cadela! Naquele momento, os discípulos já estavam suando frio! Não era possível uma atitude tão baixa. Jesus tinha perdido a cabeça!

Os traumas em relação à sua família estavam sendo provocados. Mas ela superou a prova da rejeição familiar também.

Surpreendentemente, ela respondeu: os cachorrinhos comem das migalhas! Ela se humilhou tanto que, naquele momento, todo o seu orgulho deu seu último suspiro de vida! Aquilo foi como uma bomba no inferno. Palavras insuportáveis por qualquer de- mónio. Ela deixou bem claro que Jesus não era apenas seu Salvador, mas seu Dono, seu Senhor!

A trezentos mil quilómetros por segundo, na velocidade da luz, ou melhor, na velocidade das trevas, aqueles demónios que afligiam sua família fugiram!

Com certeza, naquele momento Jesus suspirou aliviado e ao mesmo tempo, surpreendido por ouvir tamanha declaração de humildade. Ele havia conseguido levá-la ao ponto da libertação absoluta. O poder de Deus fluía com tanta autoridade que Jesus expli- cou imediatamente o que havia acontecido. Aqui entendemos que a fé é dimensionada pela humildade.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

19

Percebemos que Jesus não tinha perdido a cabeça, mas todo esse processo fazia parte de um mapeamento espiritual preciso que produziu uma das libertações mais espetaculares da Bíblia!

4. Exaltação

Então respondeu Jesus, e disse-lhe: O mulher, grande é a tua fé! Seja-te feito como queres. E desde aquela hora sua filha ficou sã.

Através da humilhação, uma prova de fogo, todas as cadeias demoníacas romperam-se, toda maldição se foi.

Fé tem tudo a ver com a capacidade de humilhação. Onde existe humildade, existe fé. Onde existe orgulho, muitas fortalezas demoníacas serão levantadas.

DISCERNINDO A PROVA DA HUMILDADE

Este é o tipo de sujeição que Deus espera de nós antes que combatamos os demónios.

A

verdade é que frequentemente Deus está nos submetendo a provas como essa.

O

que vamos fazer com o nosso orgulho? Quando Deus resiste ao nosso orgulho o que

vamos fazer? Você percebe, lá no fundo, que não são as pessoas que estão refutando

você, é Deus mesmo. Como reagimos?

A "injustiça de Deus" está sempre em contraste com a nossa justiça própria. Sempre que

nos relacionamos com uma situação na qual temos uma forte impressão de Deus estar sendo injusto conosco, é porque nossa justiça própria está em xeque. Quando cogitamos que Deus está sendo muito duro conosco, na verdade, nós é que estamos sendo muito duros com Ele

O PRINCÍPIO DA INTERCESSÃO

Aqui também percebemos uma poderosa ligação entre a humilhação e a oração respondida. Uma grande fé brota no solo de uma grande humilhação. Aqui nasce o verdadeiro espírito de intercessão. Como fazemos nossas orações subirem, serem exaltadas? A humilhação é a resposta. Deus é perito em exaltar atitudes realmente humildes. Tiago confirma:

Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte. (1 Pe 5:6.)

Aquela mulher suportou a prova. Ela não se sentiu humilhada por Jesus, não se ressentiu, não tinha orgulho para ser ferido, antes entendeu que precisava se humilhar ainda mais. Colocou-se na brecha. Tinha consciência da miséria que vivia. Não mediu esforços para se humilhar. E foi exaltada.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

20

Então perguntamos: Quem na verdade expulsou o demónio da menina? Jesus apenas discipulou aquela mulher, talvez, a se tornar num dos maiores ministérios ambulantes de libertação. Jesus deixou bem claro para ela: Por esta palavra, vai; o demónio já saiu de sua filha.

Em 2 Cr 7:14, o Senhor declara que a humilhação precisa ser o carro-chefe do processo que faz nossas orações serem ouvidas, nossos pecados perdoados e nossa nação curada. A maior marca de um avivamento é a oração feita com humilhação, confissão de pecados e íntimo quebrantamento. O avivamento e a cura começam com a humilhação!

Temos os dois aspectos de uma luta interna. De um lado estão nossos ressentimentos, justiça própria, desilusões e tantas outras feridas do orgulho. Do outro, existe uma poderosa perspectiva de humilhação. O que está pesando mais? Até quando vamos resistir ao tratamento de Deus?

mais? Até quando vamos resistir ao tratamento de Deus? MINISTRAÇÕES ∑ A HONRA DO CHAMADO ∑

MINISTRAÇÕES

A HONRA DO CHAMADO

PRINCIPIOS DE HONRA E MENTORIA

CHAMADA AO SACERDÓCIO

ENTRANDO NO PRINCIPIO DE HONRA AO SACERDOTE

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

21

CHAMADOS E ESCOLHIDOS PARA SERVIR

A maior honra que podemos ter é servir ao Senhor. O serviço está ligado a

uma atitude prática da vida cristã.

Servo = Escravo. Servo não é um título que se ganha, mas sim um estilo de vida de entrega total como Jesus ensinou nas Escrituras (Mt 20:28).

Temos que sentir em nosso coração uma urgência em relação ao mundo sobre as notícias da salvação que há em Cristo Jesus, para então, levarmos as boas novas para aqueles que ainda não o conhecem.

Nossa oração deve ser: "Senhor, usa-me para tua glória e para edificação do teu reino". Esse desejo deve – nos "consumir" todos os dias. Deve ser o clamor do nosso coração.

Algo que precisamos saber é que, em diferentes proporções, Deus chamou a TODAS as pessoas para o serviço em sua obra. No entanto, muitas vezes a nossa falta de conhecimento e limitação pessoal faz que nos sintamos impossibilitados de nos envolvermos na obra do Senhor.

Deus quer nos usar! Vamos nos colocar à sua disposição para que Ele nos use nesses dias! Estamos dispostos à servir ao Senhor na sua obra?

Observemos agora, três classes de serviço:

1. SERVIÇO POR AMOR

Quando sentimos o amor de Deus em relação a nós, a nossa resposta natural

é: "Senhor, te servirei". Está resposta acontece quando uma pessoa recebe

amor incondicional, e seu desejo é retribuir a quem lhe mostrou este amor. Existe uma frase que expressa esta atitude da seguinte maneira: "É possível dar sem amar, mas é impossível amar sem dar".

A principal razão pela qual desejamos servir ao Senhor se resume nesta

frase: "Queremos serví-lo porque o amamos". Em II Coríntios 5:14, Paulo

diz:

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

22

"O amor de Cristo nos constrange". Paulo disse que se sentia obrigado, forçado, a contar as boas novas de Jesus por causa do amor que ele tinha recebido do Senhor. Em Romanos 1:14, Paulo diz: "Sou devedor". Ele se via como um devedor de amor.

Ele reconhecia que tudo que Deus havia feito por nós através de Jesus era por amor (João3: 16).

Quando sentimos o amor de Deus sendo derramado na nossa vida, o nosso desejo natural é dar a ele alguma coisa em troca. Porém, reconhecemos que tudo o que podemos dar é pouco em relação ao que ele nos deu, entretanto devemos oferecer o melhor de nós. O que de melhor poderíamos oferecer à Deus? Nossa vida, nossos talentos, nosso tempo, nossas energias e capacidades. "Senhor, em que posso te servir?". Esse deve ser o clamor do nosso coração. As pessoas que nunca fizeram esta pergunta, obviamente precisam ter uma experiência mais profunda com Deus, ou então quem sabe, esteja faltando o "fogo do amor" em seu coração. Toda pessoa quando está apaixonada se preocupa em saber qual é a melhor maneira se servir o seu amado, assim deve ser a nossa atitude para com Deus.

No livro de Êxodo 21, fala sobre as leis em relação aos servos. Nos versículos 5 e 6, falam do servo que depois de servir o seu senhor por seis anos e no sétimo obter a liberdade, decide ficar definitivamente com o seu senhor porque o amava, não por compromisso, nem por melhor pagamento, mas sim por amor ao seu senhor.

Ele não queria viver em outra casa, e nem servir a outro senhor. A partir de então, era feito uma marca em sua orelha (do servo) que o identificava como um escravo por amor perante todos. Com certeza, este escravo era grato com o tratamento que recebia do seu senhor. No sentido mais literal, ele daria a própria vida pelo seu senhor. Era um escravo por amor.

Esta deveria ser a nossa resposta em relação ao nosso Senhor amoroso, bondoso e misericordioso! Ele entregou seu filho para morrer por nós, derramando seu sangue, perdoando nossos pecados, dando-nos salvação

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

23

eterna e vida abundante. Também nos trouxe cura e libertação dando-nos forças renovadas para seguirmos adiante. A pergunta que deveríamos fazer é esta: "Como não servir a Deus?. É impossível! Tenho que serví-lo! Seu amor me constrange, me força a serví-lo, e faço por amor".

Então o que poderíamos renunciar para servir a Deus? Nossos gostos pessoais, nosso lugar cômodo, nossas horas de sono, nossos passeios, horas de lazer e outras coisas que não são nossas obrigações diárias (não podemos confundir atividades - passeios, jogos, etc., com nossas obrigações diárias – trabalho, escola, etc.)

2. SERVIÇO POR PRIVILÉGIO

É um privilégio poder servir a Deus! Ele quer ter um relacionamento íntimo conosco, mostrar seus planos e projetos, e usar a nossa vida. Que privilégio! Existem muitas pessoas que estão sentadas nos bancos das igrejas perguntando a si mesmas se foram chamadas para servir ou não. TODOS nós devemos nos envolver neste serviço. TODOS nós fomos chamados para servir!

Temos o privilégio de servir a Deus no ministério de música e de termos recebido d'Ele este dom. Não merecemos ocupar este lugar, mas Deus está nos dando à oportunidade de serví-lo (II Tm. 1: 9). Portanto, não devemos desperdiçar, mas sim nos dedicarmos da melhor maneira possível dando o melhor de nós.

3. SERVIÇO COM RESPONSABILIDADE

Temos uma grande responsabilidade em nossas mãos. Deus nos chama para sermos restauradores de brechas (Is. 58: 6-12). É o nosso principal desafio! Em II Crônicas 29:11, diz que não devemos ser negligentes com as coisas que Deus tem deixado em nossa responsabilidade. Deus tem deixado em nossa responsabilidade.

Deus tem um projeto. Qual é este projeto? Salvar o mundo ( Jo 3:16). Portanto, o nosso compromisso, e a nossa responsabilidade devem ser:

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

24

alcançar aqueles que não conhecem a Jesus. Alcançar aqueles que não conhecem a Jesus.

Deus tem confiado a nós esta responsabilidade, então, devemos nos preparar para realizarmos com excelência a obra de Deus. É importante saber que os dons que recebemos não são para nós, mas sim para as pessoas (I Pe. 4:10), serve para abençoarmos as pessoas.

REFLEXÃO

1- Temos servido por amor?

2-

3- Quando Deus derrama o seu amor sobre nós, naturalmente queremos

retribuir da melhor forma possível. Será que temos oferecido o melhor de

Deus?

e talentos que Ele nos deu?

5- Será que temos consciência de que somos muito privilegiados em servir ao Senhor?

6- O que tem sido prioridade para nós nestes dias: as nossas atividades, ou o nosso serviço a Deus?

7- Temos renunciado coisas da nossa vida para servir a Deus? 8- Temos tido o sentimento de compaixão em relação aqueles que não conhecem Jesus?

serviço?

Qual

tem

sido

o

nosso

nível

de

entrega

neste

nós? Nossa vida? 4- Temos valorizado

Nosso

os

tempo?

Nosso

serviço

a

dons

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

25

PRINCÍPIOS DE HONRA E MENTORIA

Princípio de honra fala de investimento. Investimento na vida pessoal, investimento na mente, na família e em sua igreja onde congrega.

Dentro do Ministério Eclesiástico devo servi a Deus e servi a pessoa que honro com amor e respeito. Eu não vou deixar o meu mentor angustiado. Vou cuidar da vida dele, orar por ele e alcançar o favor de Deus. Existem pessoas que não respeitam nossa privacidade. E existem discípulos que querem ultrapassar um espaço da privacidade do líder. Não somos obrigados a ouvir discípulos até as 4 horas da manha.

O mentor é aquele que provoca mudança na sua geografia.

Quando somos mentores de uma chamada nós fazemos mudança. Seremos

alguém que vai provocar a mudança na geografia.

O mentor não é aquele que ti aplaudi, mas sim que treina.

Mentor não foi feito pra subi nas arquibancadas para aplaudir, não mesmo! Ele é treinador; e treinador é para treinar, não podemos quebrar princípios.

EXISTEM FORMAS DE MENTOREAR. Existem formas de discipular. Alguns absorvem com velocidade. Nunca

espere as mesmas respostas pra todos. Os mentoreados nunca ficarão no mesmo nível de resposta. As pessoas respondem diferentes.

O mentor é construtor de pontes. Que ajudam a nivelar as vidas pela ponte

que construímos. Para que a pessoa seja facilitada pela meta. Às vezes

queremos que as pessoas construam pontes para nós e não construímos para ninguém. Precisamos construir pontes de acesso. Mentores não só mudam. Eles constroem. Mentores se importam com lixos debaixo e sobre nossa cabeça. Quando temos lixo no chão é porque existem lixos nos céus daquela cidade.

O mentor é antenado. Não vale a pena seguir o mentor que está no seu lado,

mas alguns metros na sua frente. É para desatar

Ser mentor é ser um facilitador de resultados. Dentro do principio da honra,

o treinamento será para trazer uma resposta aprovada para aquele que ti treina.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

26

Como alguém pode ser um bom pastor? Porque ele treinou a mente e

associou a palavra de vida tem resultados impressionantes. Devemos ser um líder nas nossas dificuldades. Enfrentar a dificuldade. Isso é coragem. Os mentores são aqueles que desatam fé na equipe.

O treino é nosso, o resultado é dos discípulos. A minha obrigação é treinar,

mas o resultado é seu. Então mentores devem cuidar da área espiritual. Existem mentores que são criticados quando não jejuam, não vestem uma calça, não andam bem arrumados, quero lhe dizer uma coisa: as pessoas vão ti criticar. Alguns líderes são fechados, outros se recusam a homenagens. Porque

alguns mentores não abrem caminhos para honra? Porque são doentes, são feridos.

O que impede do mentor ser honrado? Orgulho.

Precisamos tirar nosso orgulho, isso é comida de leviatã. Se alguém quer ser honrado vai ter que fazer a rota da humildade. Mentores devem ter caminhos facilitados para ser honrados.

A doutrina nossa é considerar todos superiores a nós mesmos.

A honra de interesses são laços de caminho. Toda vez que você honra alguém por interesses está fazendo laço em seu caminho. Devo honrar por honra. Por causa do principio.

O papel de leviatã é desonrar a liderança.

Espero que você não seja testado por leviatã. Toda vez que você provoca leviatã, ele vai tentar causar desonra no ministério. Leviatã causou desonra no céu e foi expulso. Não tem como você desonrar e não criar caminho para falência, e catástrofe. Quando pessoas desonram, elas têm mentores por trás também e sofrerão prejuízos por isso. Se você quiser ser mentor honrado no futuro, honre muito no presente. Plante muitas sementes de honra para colher amanha. Toda colheita posterior é porque teve uma semeadura anterior. As sementes plantadas crescem de varias formas. Às vezes tem sementes que jogamos e não pensamos que ela vai crescer.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

27

Nós queremos ter uma igreja de êxito e não plantamos as sementes para o futuro. Precisamos mostrar as sementes a partir de minha vida. Toda vez que honramos alguém é pedras preciosas que damos a alguém.

A nossa parte completa o outro. Isso é nossa diferença completa um ao

outro. Decisões definem riqueza. Decisões definem a honra. Paga se preço para honrar. Eu defino a quem quero honrar, nosso coração seleciona a quem honrar. Todos nós escolhemos e definimos. Você pode estar plantando na equipe para desonrar quem está sobre você, porque ela tem uma meta de destruir a honra.

As decisões definem riqueza, a honra é uma construção que vai atrair riquezas. Toda construção é feia. Quando você começar a construir sua honra muita coisa vai ficar exposto. Quem tem o principio de honra atrai a gloria de Deus.

A honra é feita para suprimento. Toda a rota de honra vai trazer suprimento

para nós.

O que fazemos para ser prospero? Sementes semeadas.

Uma Semente É Um Pequeno Início Com Um Grande Futuro.

É qualquer coisa que pode se tornar maior. É o começo. Ê qualquer coisa

que você possa fazer, saber ou possuir que possa abençoar outra pessoa. Os Seus Pensamentos são Sementes de comportamento desejado, conduta e criatividade.

O seu Amor é uma Semente. O seu Tempo é uma Semente.

A sua Paciência é uma Semente. O seu Dinheiro é uma Semente.

A sua Cortesia é uma Semente. As suas Orações são Sementes.

Parar de caluniar é uma Semente. Perdão é uma Semente.

Agradecimento é uma Semente.

A sua Semente é qualquer coisa que você tenha recebido de Deus que possa

ser trocada por algo mais. Você precisa de alguém para ajudá-lo a plantar a Semente que você possui. Você precisa de alguém para mostrar-lhe uma visão do futuro nela. As decisões definem riquezas. Decida honrar.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

28

Tem muita gente torcendo, para nosso fracasso. Mas tem muito mais para

nos honrar. José era um homem excelente. Tinha um carro de ouro. Hoje ninguém tem até hoje carro de ouro. Mas José teve. Ele viveu seis mil anos antes de nós.

O sucesso de José era a honra.

José não se defendeu na negociação. E nem falou para o pai o que seus irmãos tinham feito com ele. Ele honrou seus irmãos. Tem pessoas que só honram por interesse. Quando José sai da masmorra ele recebe colorar de ouro, carro de ouro e o cartão de credito da época: o anel de ouro. O que ele quisesse era só carimbar com o anel, que estava feito à compra, a transferência e aliança. Deus decide hoje mudar sua sorte! Semeie! Primícia e dizimo com a oferta gordurosa. (explicar em gênesis 4). Toda sua prosperidade e sucesso estão na honra. Toda a nossa ação tem uma reação.

A sua expectativa do ministério vai até onde vai à bandidagem ou honra.

Tem pessoas quem andam na bandidagem. Ou você muda ou Deus ti expõe. Quantos querem ser humilhados diante da multidão?

Isso nunca vai acontecer se não tiver sementes de desonra.

A prosperidade é fruto da honra. A semente é a honra. Plante a honra.

As decisões definem alegria, favor e prosperidade.

Deus dá algo para homem chamado sabedoria. Isaias 11. Se Deus fizesse tudo para mim isso não seria interessante, não haveria necessidade de pedirmos sabedoria. Sabedoria cria memoriais de prazer. Os tolos não sustentam casamento, ministério, vocação. Cada vez que buscamos o conhecimento de Deus honramos a Deus, quando ficamos mais sábios honramos as pessoas. Não adianta ser tolo perante os sábios. Toda vez que você soltar uma palavra tola o sábio sempre terá uma palavra sabia, apontando nosso caminho que promovem rota de prosperidade, de honrarmos gerações. As pessoas honradas serão o memorial

O sábio é aquele que aprende a fazer as coisas com sabedoria. Tudo aquilo

que fizermos primeiro, Deus virá construir memorais. As gerações olharem para nós e nos desejarem nos preferirem.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

29

Três coisas: Saúde aprovada, unção incansável, prosperidade para vir

riquezas da parte de Deus. Precisamos ser numericamente preciso em nossa liderança. Nunca devemos ser encontrado fazendo 10% em alguma coisa, mas 100% em tudo. Quando fazemos primeiro criamos oportunidade para Deus fazer coisas Novas em nosso ministério.

O principio da honra deve documentado, homologado, precisa ser visto. Da

maneira como lemos à palavra, como oro da maneira como eu chego ao

meu discipulador define a minha honra. Todo louvor é porta de acesso. Toda vez que você louva a Deus abre porta de acesso. Documente a porta de acesso, homologue. Algo novo só acontece quando você adora. Honra são louvores! Honra são presentes! Como é que eu honro meu líder:

com frutos. Eu trago frutos eu documento. Eu honro com palavras, mas com as ofertas eu legitimo a minha honra ao meu sacerdote.

O

reconhecimento traz prosperidade sem limites. Legitime a sua honra com

as

ofertas. Orando com ele. Jejuando com ele.

Quem não se dispõe não conquista. Tem pessoas que não andam com o líder e não desatam. Honra é homologada. Entram em guerra sem autorização de seu líder, sem homologar. Precisamos remover o espinheiro. Jejuar pelo líder, orar, pagar o preço. Guardar meu líder!

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

30

CHAMADA AO SACERDÓCIO

Nós somos fruto de um decreto Profético ou sacerdotal? Sacerdotal

O sacerdote ele ensina, ele liberta ele cura ele capacita ele doutrina e ele

realiza. Ninguém em Israel podia curar doutrinar ou capacitar gerações a não ser o sacerdote. Isso era o manto do sacerdote.

Nós somos uma geração apostólica Sacerdotal.

O que esta geração tem? Capacitação de cura, libertação, sinais,

maravilhas.

Você não vai ver profeta tirando do leprosário um sacerdote, mas você vai

ver sacerdote tirando profeta. Lembra de Arão que tirou a profetisa Mirian

da lepra.

Sacerdote é imune à maldição. Você não peca quando ouve e julga, mas peca quando ouve e passa. Miriam falou. A maioria dos profetas é bicudo. Mas Arão era ético. Miriam recebeu a maldição porque falou demais.

Existem saídas para sacerdote Como não existe saída para profetas. Por causa da lepra toda uma geração é paralisada. Por sete dias Israel parou

por causa de um profeta.

Um boato pode destruir gerações, pessoas e famílias, que Deus nos livre de

um boato.

Tem pessoas que não conseguem mais se refazer por causa de um boato.

Ninguém segura às pernas de um boato. Só quem pode bloquear um boato é o sacerdote.

Os sacerdotes são freadores de maldição.

Porque em sete dias que Israel estava bloqueado, entrou o sacerdote no leprosário e emitiu um decreto de cura. Mas você vai ver profeta que são estiladores de maldição. Você não vai ver um profeta entrando no leprosário para tirar sacerdote. Todo sacerdote é desejoso de arrancar a lepra de discípulos. Existe um manto de cura sobre o sacerdote. Somos uma geração de sacerdócio real. Profeta não. Não existe um sacerdote levantado por acidente.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

31

Profeta sim, é levantado em qualquer lugar para algo emergencial, para aquele momento. Sacerdote não. É por genealogia, por descendência. Para ocupar a melhor posição no altar de Deus. Nós para sermos sacerdotes somos necessariamente mergulhados na genealogia de Jesus. Profeta às vezes é irado. O sacerdote é bom. Quando aquele homem chegou para Jesus, e disse: “se quiseres me curar” e Jesus diz: “eu quero”. Porque o sacerdote é bom. Sacerdote somente com uma palavra traz vida. Porque sacerdote só com um decreto traz vida ou traz morte. Jesus disse: “quero que você fique limpo”, e ficou. Lembram da figueira que Jesus amaldiçoou? Morreu na hora.

Os sacerdotes removem a maldição, remove a vergonha. Porque não é fácil alguém viver no estigma de vergonha. Segundo a tradição aquela mulher adúltera estava com um sacerdote, mas ele foi protegido. E ela não. E Jesus não levantou o rosto para acusar porque ele não mostra a nudez de ninguém. Jesus dá uma palavra dizendo que aquele que não tinha pecado seja o primeiro atirar a pedra. Sacerdote revela geografia, revela comportamento. Naquela hora todos tiram à pedra e saem. E Jesus manda a mulher a não pecar mais. E ela volta com o manto de Jesus. Ela saiu com o manto do perdão. Temos pedra para os outros e não queremos para nós. Solte a pedra porque as pessoas não precisam mais de pedradas. Todos somos carentes de perdão. Não só a adúltera, mas quem acusa também. Jesus não tem prazer em desnudar alguém, mas trazer perdão. Então o sacerdote possui o manto da libertação, da cura e dos milagres. Você tem um manto novo que desce agora sobre sua vida: da libertação, da cura e dos milagres. Tudo isso é semente plantado no ministério sacerdotal. As sementes são para trazer integridade.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

32

As pessoas não nascem com o caráter pronto, isso se constrói, com família e sociedade.

A

gente é formada em casa, na escola e na sociedade.

Ai

daquele que teve professor errado.

Há esperança para construção de caráter. Que Deus coloque sacerdotes que construam em nós um bom caráter.

O que é caráter? É o conjunto de qualidades éticas que resultam na

formação da pessoa.

Não frei os 11 porque tem um doze que é mau caráter. Não paralise sua célula porque tem um mau caráter. Não paralise seu discipulado porque tem discípulo que é mau caráter. Não paralise sua conquista porque falaram mal de você.

Sacerdote com manto apostólico.

Existe uma geração de sacerdote em 1 Pedro 5. Todo sacerdote tem o manto apostólico. Você quer uma palavra para o presente ou para o futuro.

O profeta diz e o sacerdote faz.

Enquanto o profeta diz que vai acontecer o sacerdote diz já aconteceu. Enquanto o profeta diz que sua benção chegará, o sacerdote diz sua benção

chegou.

O

sacerdote emite decretos favoráveis. A mudança de sorte.

Decretos favoráveis de abundancia de sorte na família, em empresas em ministérios e pessoal.

Sacerdote não admite impureza em seu território.

Quando você creditar em seu sacerdote, terá um decreto favorável na sua:

família empresa ou trabalho, ministério ou pessoal.

Para o decreto de Deus vir ele vai ter quer tirar algumas coisas que estão atrapalhando.

Hebreus 10:23 precisamos segurar a confissão da esperança. Para chegar às pedras é necessário vencer as areias. Cave até você encontrar as fundações.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

33

O que é uma confissão: é expor-se. Quem não se expõe não conquista.

Quem não se expõe não conserta não se estabelece, não vence, vai ter que

se expor. Estar aberto.

Confissão é semente de misericórdia. Que confissão é essa: de fé de esperança e de mudança As pessoas só mudam quando são confrontadas. Quando o discípulo lhe confrontar publicamente faça o confronto abertamente. Quando for ao secreto faça no secreto

O sacerdote emite decretos de mudança: no ministério, na empresa e na família. Se as mudanças estiverem acontecendo é porque você é um sacerdote. Quando contrario então você não é um sacerdote Somos frutos de um decreto. Todo decreto é uma semente para conquista. Os decretos são para estabelecer conquista. O que ele disser será. Lv. 27:12

O que é decreto na boca de um sacerdote? É a mudança de ambiente, da

circunstancia e da palavra proferida. Como se processa? Ela vem de Deus

ao sacerdote e ao sacerdote volta para Deus homologar, e depois volta ao sacerdote para emitir o decreto.

O sacerdote é o filtro para ir e voltar.

Sacerdote vive no milagre. Antes que o milagre venha, ele passa pelo sacerdote. Você é poço de milagres. Não tem profecia de morte para o sacerdote. Ele é avaliador. As pessoas acreditam nas nossas orações. Quando eu emito o decreto eu estou avaliando. Não nascemos para matar ninguém. Com o sacerdócio nas mãos é para emitir vida ou avaliar. Avaliar quem ou o quê? A empresa, ministério a vida pessoal. Para trazer mudança de vida.

Tudo que Jesus dizia era. Jesus mudava o decreto. Quem falou foi um profeta, mas quem mudou foi um sacerdote. Todo decreto faz você chegar ao destino!

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

34

Tem pessoas que emitem decreto sem saber o destino. Ou recebem sem saber o que querem. “Bispo me abençoe”. “Bispo: quero um emprego”! No dia seguinte sai no jornal ou alguém liga ou diz pessoalmente, que tem trabalho em tal lugar. Mas ela não quer! Por quê? Porque não sabe destino, o que quer. Onde quer ou quanto quer.

Homens valiam coisas e Deus avalia homens. Pessoas e coisas dentro da avaliação do sacerdote prospera. Sacerdote é um Consolidador. Milagres ganham vidas. Onde entra um sacerdote o milagre acontece. Se você tiver oportunidade de crer nisso, não perde tempo não. Convide seu sacerdote para sua casa e oferte generosamente a oferta de honra, dentro de sua casa e diga a ele: emita decretos na minha casa, na minha família. Ou levá-lo a sua empresa e fazer a mesma coisa. Eu sou fruto de um decreto. O sacerdote emite 3 coisas:

Três áreas de sua vida: pessoal, na casa e nos empreendimentos. Tem pessoas esperando isso de nossa boca: decretos de bênçãos nessas áreas. O sacerdócio tem que ser honrado na vida pessoal. Oferta de honra. Não tem nada vê com Primícia. Toda vez que você convidar o sacerdote para entrar em tua casa, ele avaliará tua casa, tua vida e teus empreendimentos. Traga a ele a oferta de honra. E espere a avaliação e no final peça a benção ou decretos para sua vida. Primícia, dízimo e oferta generosa não é por necessidade, mas por principio. Semente para quem quer mudança na área pessoal, profissional e ministerial. Oferta generosa pode estar acima da Primícia ou do dizimo. Para desatar: fé, prosperidade e benção.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

35

ENTRANDO NO PRINCIPIO DE HONRA AO SACERDOTE

TEXTO: Ez. 44: 20 A 30 Romanos 12:10 1 Timóteo 5: 17-18 HEBREUS 5:4

As pessoas precisam ser honradas.

Pessoas que andam em falência são porque desonraram alguém.

A honra constrói caminho de prosperidade.

Toda vez que você planta semente de honra, você prospera. Muitos não prosperam porque semeiam sementes de desonra.

O

que me faz honrar as primícias, o dizimo, a oferta? Caráter!

O

que é caráter? È um conjunto de características e traços relativos à

maneira de agir e de reagir de um indivíduo. É um feitio moral. É a firmeza

e coerência de atitudes. Jesus honrou o que era de César. Pagou o que era devido, o imposto. Honrar a liderança é o caminho de crescimento. Assim como não quero ser desonrado, também não posso desonrar quem

está sobre mim. Toda semente é honra para o êxito. Êxodo 20; efésios 5; você vai aprender a honrar a cadeia de autoridade.

A honra é a linguagem de quem quer ser honrado.

Todos nós estamos na rota da prosperidade. Decisões definem prosperidade, êxito e sucesso. Tudo é fruto de uma decisão. Tem pessoas que são definidas e outras são definitivas. Nós definimos a nossa história, nosso futuro. Tem pessoas que a excelência não chega. Tem pessoas que não sabem nem o que é suprimento, porque só vivem no básico. Quando se fala em suprimento fala-se de riquezas, isso é prosperidade. O dinheiro não é tudo, mas tudo atende.

São as nossas atitudes que dirão quem nós somos. Caminhos de sucesso. Caminho de êxito.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

36

Para você ter uma unção de finanças você deve ter sabedoria, para saber agir, definir uma coisa e outra. Se não ficaremos pobres novamente. Pois antes de Deus nos dar riquezas ele nós dará sabedoria. Não Andes com alguém que é faltoso em sabedoria. E o que é sabedoria: é uma palavra rhema. Uma pessoa batizada em sabedoria nunca passará dificuldade. Pessoas que são sábias exigem serem conduzidas por pessoas sábias. Nosso coração não respeita tolos.

Os tolos fabricam palavras para os tolos, e os sábios falam palavras sábias.

A única pessoa que você respeita é que você honra.

Quando temos respeito pelas pessoas, passamos a honrar, quando se perde o respeito se perde a admiração, se perde a honra.

Entrar na honra do sacerdote é dar as primeiras coisas, separar os primeiros frutos. Existem pessoas que se recusam honrar o líder. Você não precisa concordar para obedecer. É uma questão de honra e prosperidade. Porque mesmo não concordando, mas obedecendo eu prospero. Quando eu honro o sacerdote, eu planto sementes de honra e isso atrai prosperidade. Honrar alguém não é para benefícios próprios, mas para treinar nosso caráter. Aquele que você honra a unção é liberado. É pelo principio de honra que libero ou travo a unção. Quando entramos no principio da honra eu conquisto.

A única pessoa que pode te abençoar é aquela que você tem aliança de

honra.

Nem Deus suportou a desonra. Quando lúcifer desonrou a Deus, ficou descredibilizado e foi expulso do céu. Deus reage aos rebeldes.

A rebelião trás orgulho, sendo comida de leviatã, orgulho é soberba.

Leviatã não passa fome, porque ele se alimenta de orgulho e soberba.

É muito fácil entrar na rota do orgulho. É só crescer um pouquinho e já se

rebela contra a autoridade. Deus pune o líder soberbo, não é Deus que abate o soberbo, a própria soberba o destrói.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

37

Quando é que honramos a Deus? Quando damos 100 por cento naquilo que estamos fazendo. E ao sacerdote quando primiciamos.

Precisamos colocar cem por cento naquilo que estamos exercendo, a minha chamada, meu ministério. Na questão da submissão, quando ouço o comando do líder, eu digo sim ou não, depende do meu caráter.

Quando eu reajo à autoridade eu revelo o meu caráter. A essência do meu caráter é revelada quando eu reajo a autoridade. Tudo que fizermos na frente do líder faça com excelência. E quando ele não estiver por perto faça com nobreza. Por que José foi aprovado? Porque mesmo na cadeia não perdeu o padrão da excelência. Quando eu honro autoridade eu planto a semente do êxito, de excelência.

Que excelência é essa? A honra. Jose manteve a integridade da honra. Tinha todos os motivos para desonrar, mas não o fez. Porque só infiéis encontram motivos para desonrar o líder, e trazer a nudez. Toda a nossa prova é para revelar nosso caráter, a nossa honra.

Minha semente de hoje determina a minha colheita de amanha. Quanto mais longe você estiver, mas perto estará o passado. Tem gente que se alimenta do passado. Satanás sempre vai apresentar nosso passado, por isso temos que ter na mente o plano redentivo.

Nós somos resposta de nossa semeadura.

Precisamos sair da rota das tempestades. Eu posso mudar através de um passo o meu êxito ou fracasso. Exemplo do Marco Zero em Macapá. Tudo o que você precisa para o seu futuro pode ser plantado no presente.

O futuro vai para dentro de nossa casa.

Tudo o que você plantar hoje para o futuro vai para dentro de sua casa.

O

seu futuro chegou aleluia!

O

líder em suas decisões é observado; você sabia que o cabelo, olhos, dente

e unha são reflexos de sua liderança. Você sabia que seus cabelos, unhas e dentes ficam para a identificação do DNA. Cabelos arrumados e unhas limpas definem equilíbrio.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

38

Se não cuidar do corpo como vai cuidar da igreja. Todo sacerdote precisa honrar seu corpo, não ficar sem camisa na frente de estranhos que não são sua família. São pessoas que não sabem honrar seu próximo. Quando você fica sem camisa você desonra os outros. Porque seu corpo é de sua esposa e seus filhos. Nós não somos lideres comuns. Quando você se levanta na hora que alguém está falando algo, você desonra. Porque denota que não é uma pessoa de excelência. Uma pessoa que honra.

Somos líderes incomuns. Que decidimos andar na rota de prosperidade. Isso é excelência. Viver num padrão de excelência é entrar na cidade dos nobres no palácio real. Só vai ter excelência no futuro quem plantou hoje. O lugar de maior nobreza está nos meus pensamentos. Nem toda vez eu penso com nobreza, mas pela minha mente eu posso selecionar os pensamentos, então a minha mente deve ser o lugar de maior investimento. Preciso ter excelência no meu corpo, mas também excelência na minha mente. Toda nossa guerra está na mente. Se você controlar sua mente você controla suas ações.

A minha mente não é lixeira.

Mente ungida é mente no óleo. O óleo não aceita lixo e nem água. O óleo joga o lixo para superfície. Nós temos a mente de Cristo. Todo discurso contra você aumenta ou diminui sua estima, tudo depende de sua mente. Invista mais na sua mente do que em propriedades ou no restaurante. Tem restaurante empobrecendo seu corpo. Invista na sua vida e desista da amenidade. Porque ela rouba a essência de nossa vida.

A unção que você honra é a mesma que ti faz crescer.

Mentor não em para aplaudir, mas para corrigir, ti ensinar a ralar. Geralmente corremos das pessoas que nos curam nos libertam. Nunca existirá uma Ana se não tiver uma Penina ti perturbando. Nunca vai nascer um Davi se não tiver um Golias. Se não tivesse um Golias, Davi nunca teria 10 mil vitórias.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

39

Todos reverenciam uma mente nobre. Ninguém se alegra com alguém que tem uma mente tola. Minha mente é como um oceano com seres vivos. Eu faço as seleções de quem fica e de quem vai.

Nossa mente é um código. Para quem revelamos o código. Tem pessoas que são medíocres que tem acesso a sua mente.

Quem estar acessando sua mente que está bloqueando você. Que diabo é esse que tem acesso aos seus códigos e que está tirando você da rota dos nobres, do território dos conquistadores.

A pessoa que deve saber todos os nossos códigos é a pessoa de nossa

aliança. Agora cuidado com o discipulador que pode usar esses códigos contra você. Conheça primeiro seu discipulador.

O líder que você confia pode lhe abençoar em crescimento ou destruí-lo.

Faz-se necessário conhecer o líder. Os discípulos precisam entregar os códigos à pessoa de sua aliança. Isso não é pedido é resposta de confiança.

O código da alma são segredos da vida. Cuidado para quem você está

entregando. Agora é necessário entregar os códigos para três pessoas: Deus, o líder de

aliança (autorizado) e discipulador (que está em processo).

O que são códigos da alma? São pensamentos, atitudes e ações que geram

morte ou vida.

Quantos aqui querem gerar vidas? Amém! Eis a resposta porque muitos de nossos discípulos ou mesmo nossas células ficam doentes, traumáticos, ou mesmo não conquistam. Porque repassamos o que recebemos direto ou indiretamente. Observe de quem bebemos ou de quem somos discípulos. De quem somos discípulos? A quem honramos? A quem servimos? Tem gente que é mais discipulado pela mídia do que pelo seu pastor. É mais discipulado pela igreja tal do que pela sua própria. A quem você presta conta? Quem pode ti abençoar?

A resposta está na aliança. A única pessoa que pode de abençoar é a que

você tem compromisso de aliança. A quem você confiou os códigos.

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1

40

Agora se tais códigos estão prejudicando seu desempenho, relacionamento e intimidade com Deus, troquem de códigos. Em outras palavras: mude seu comportamento, ocupe seus pensamentos com palavra de Deus com a palavra de seu líder, mude sua atitude, suas ações. Decida ser santo em atitudes.

Referências Bibliográficas

https://vozdoavivamento.wordpress.com/2009/02/15/avivamento-e-missoes/

http://ieadjo.com/materias/evangelizacao-atraves-de-pequenos-grupos

http://www.mir12.com.br/br/2016/estudos/12/132-consolidacao-a-ferramenta-de-deus-para-

conservar-o-crescimento-parte-1

https://www.lagoinha.com/ibl-vida-crista/a-celebracao-da-pascoa-2/

http://www.portaldodiscipulador.com.br/2015/08/o-preco-do-discipulado.html

http://medita-na-palavra.blogspot.com/2017/11/o-discipulo-e-cruz.html

http://piem.org.br/pg/estudos/95-um-por-todos-todos-por-um-parte-4.html

http://www.iem.org.br/sitepiem/pg/estudos/96-um-por-todos-todos-por-um-parte-5.html

http://www.iem.org.br/sitepiem/pg/estudos/115-quem-e-jesus-parte-3.html

https://pt.scribd.com/document/262744451/d-Consolidacao-Ad-Pedreira

SEMINARIO PARA LÍDERES E OBREIROS – BISPO MARCIO VINHOTE

MÓDULO1