Você está na página 1de 27

Como montar um

serviço de
aluguel de mesas
e utensílios para

EMPREENDEDORISMO

Especialistas em pequenos negócios / 0800 570 0800 / sebrae.com.br


Expediente

Presidente do Conselho Deliberativo

Robson Braga de Andrade – Presidente do CDN

Diretor-Presidente

Guilherme Afif Domingos

Diretora Técnica

Heloísa Regina Guimarães de Menezes

Diretor de Administração e Finanças

Vinícius Lages

Unidade de Capacitação Empresarial e Cultura Empreendedora

Mirela Malvestiti

Coordenação

Luciana Rodrigues Macedo

Autor

Lauri Tadeu Corrêa Martins

Projeto Gráfico

Staff Art Marketing e Comunicação Ltda.


www.staffart.com.br
TOKEN_HIDDEN_PAGE

Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /


Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Sumário

1. Apresentação ........................................................................................................................................ 1

2. Mercado ................................................................................................................................................ 2

3. Localização ........................................................................................................................................... 4

4. Exigências Legais e Específicas ........................................................................................................... 4

5. Estrutura ............................................................................................................................................... 5

6. Pessoal ................................................................................................................................................. 5

7. Equipamentos ....................................................................................................................................... 6

8. Matéria Prima/Mercadoria ..................................................................................................................... 8

9. Organização do Processo Produtivo .................................................................................................... 8

10. Automação .......................................................................................................................................... 9

11. Canais de Distribuição ........................................................................................................................ 9

12. Investimento ........................................................................................................................................ 10

13. Capital de Giro .................................................................................................................................... 11

14. Custos ................................................................................................................................................. 12

15. Diversificação/Agregação de Valor ..................................................................................................... 12

16. Divulgação .......................................................................................................................................... 13

17. Informações Fiscais e Tributárias ....................................................................................................... 14

18. Eventos ............................................................................................................................................... 16

19. Entidades em Geral ............................................................................................................................ 16

20. Normas Técnicas ................................................................................................................................ 16

21. Glossário ............................................................................................................................................. 20

22. Dicas de Negócio ................................................................................................................................ 20

23. Características .................................................................................................................................... 21

24. Bibliografia .......................................................................................................................................... 21

25. Fonte ................................................................................................................................................... 22

26. Planejamento Financeiro .................................................................................................................... 22


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Sumário

27. Soluções Sebrae ................................................................................................................................. 23

28. Sites Úteis ........................................................................................................................................... 23

29. URL ..................................................................................................................................................... 23


Apresentação / Apresentação
1. Apresentação
Oferece conveniência e comodidade a empresas e pessoas físicas que precisam de
infraestrutura para a realização de eventos. Mercado em fase de crescimento.

Aviso: Antes de conhecer este negócio, vale ressaltar que os tópicos a seguir não
fazem parte de um Plano de Negócio e sim do perfil do ambiente no qual o
empreendedor irá vislumbrar uma oportunidade de negócio como a descrita a seguir. O
objetivo de todos os tópicos a seguir é desmistificar e dar uma visão geral de como um
negócio se posiciona no mercado. Quais as variáveis que mais afetam este tipo de
negócio? Como se comportam essas variáveis de mercado? Como levantar as
informações necessárias para se tomar a iniciativa de empreender?O negócio de
aluguel de mesas e utensílios para eventos está relacionado à conveniência e
comodidade.

Nem sempre é possível encontrar no ambiente em que o evento será realizado as


mesas, cadeiras e utensílios que combinem com o estilo de festa desejado. O negócio
de aluguel de mesas e utensílios para eventos é uma opção rápida, prática e
acessível, para todos os que desejam realizar a festa ou o evento dos seus sonhos.

O custo da compra de móveis para a utilização por um curto período de tempo ou


restrita a ocasiões ou épocas do ano, prazos curtos, custo de transporte, e a
necessidade de manutenção e atualizações em tempo relativamente curto, tornam
essa opção bastante atrativa e muito procurada por clientes que desejam compor a
sua festa ou evento com os móveis e acessórios que tornam a ambientação mais
bonita e requintada.

Além de diminuir os custos, os clientes não precisam se preocupar com a organização


do local, entregando essa atividade para especialistas no assunto.

Podem ser alugados pratos, talheres, copos, baixelas, guardanapos, castiçais,


petisqueiras, toalhas de mesa, mesas, cadeiras, sofás, pufs, tapetes, gaveteiros e
dezenas de outros itens.

Uma alternativa de mercado que pode ser adotada por escolha do empreendedor é
especializar-se no aluguel de mesas, móveis e utensílios voltados para a realização de
festas excêntricas ou temáticas. Atualmente, pode-se encontrar para aluguel, peças de
mesa e decoração que contemplam os estilos que vão do contemporâneo ao clássico,
para a realização de jantares íntimos ou eventos variados que são ditados pelo nível
de criatividade dos clientes ou do empresário desse ramo. Um dos temas bastante
procurados está relacionado à cultura indiana, porém, as festas relacionadas às
estações do ano têm seu lugar garantido, principalmente se considerarmos que
estamos num país de clima tropical. As festas ligadas aos costumes regionais também
ocupam grande espaço nesse negócio, e é claro que deve-se considerar as festas
como: carnaval, páscoa, natal e réveillon, sem descuidar das grandes oportunidades

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 1


Apresentação / Apresentação / Mercado
representadas pelas confraternizações de grupos empresariais, associações, igrejas,
sindicatos, ONG’s e tantas outras.

O público alvo desse segmento são as empresas que organizam eventos, bufês,
pessoas físicas, decoradores, empresas e organizações em geral que precisam de
infra-estrutura para realização de eventos.

Eventos que demandam o aluguel de móveis, utensílios e equipamentos sofrem os


efeitos da sazonalidade, cujo aumento ocorre no período das festas de final de ano.
Nos demais meses o empresário deve desenvolver estratégias que possibilitem a
manutenção do negócio em alta durante todo o tempo.

Este documento não substitui o Plano de Negócio. Para elaboração do plano consulte
o Sebrae mais próximo.

2. Mercado
Não há informações disponíveis sobre o tamanho do mercado de aluguel de mesas e
utensílios para eventos, porém seu tamanho e oportunidades estão diretamente
ligados ao mercado de eventos no Brasil, que envolve vários segmentos diversificados,
que vão desde organizadores de eventos, bufês, recepcionistas, montadoras, serviços
gerais, locação de mão de obra temporária, locação de equipamentos, iluminação,
sonorização, fotografia, filmagens e etc.

Estima-se que a organização de um grande evento envolva até 126 categorias


profissionais entre recepcionistas, eletricistas, designers, promotores, montadores e
outros, que fazem parte de diversos tipos de empresas.

Segundo a Embratur – Empresa Brasileira de Turismo, a indústria de eventos


movimentou no Brasil R$ 209,2 bilhões em 2013, valor equivalente a 4,32% do PIB
(Produto Interno Brasileiro). Na comparação com 2001, quando a renda anual da
indústria de eventos foi de R$ 37 bilhões, houve um crescimento de 465%.

Os dados são de uma pesquisa contratada pelo Sebrae em parceria com a ABEOC,
realizada pelo Observatório de Turismo da Faculdade de Turismo e Hotelaria da
Universidade Federal Fluminense.

O estudo Sebrae/Abeoc Brasil mostra que em 2013 o Brasil sediou 590 mil eventos, 95
deles nacionais e metade realizados nos Estados da região Sudeste (São Paulo, Rio
de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo), a mais populosa do país. No total, esses
eventos contaram com a participação de 202,2 milhões de pessoas, que gastaram, em
média, R$ 161,80 por dia, somando gastos anuais de R$ 99,3 bilhões.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 2


Apresentação / Apresentação / Mercado
A renda total da indústria de eventos é composta pela soma dos gastos feitos pelos
participantes de feiras, congressos e outros eventos, pela receita gerada com a
locação dos espaços destinados a esses encontros e pelo faturamento das
organizadoras de eventos. De acordo com o estudo, a estrutura disponível no Brasil
para realização de eventos conta com 9.445 espaços para feiras, congressos e
eventos de diversas naturezas, totalizando uma área de 10,2 milhões de metros
quadrados e 9,2 milhões de assentos.

Em dez anos, o número de congressos e convenções de negócios internacionais


realizados no Brasil cresceu 408%. Entre 2003 e 2013, o total de eventos
internacionais passou de 62 para 315, conforme os dados do ICCA. No mesmo
período, o número de cidades que sediaram eventos internacionais subiu 145%,
passando de 22 para 54 e ainda há muito espaço para o crescimento do setor.
Crescimento que beneficiou o Brasil, mas ajudou também os países latino-americanos.
De 2003 a 2013, o número de eventos na região registrou alta de 163%, passando de
459 para 1.209, já o crescimento global foi um pouco menor: 98%. Na América do
Norte, a alta foi de 45%.

No continente Americano, como sede de eventos internacionais, o Brasil perde apenas


para os Estados Unidos, que recebeu 829 eventos em 2013, segundo dados do ICCA.
Os 315 eventos realizados em 2013 trouxeram ao país cerca de 126 mil visitantes de
outros países, gerando um movimento de US$ 137 milhões.

As expectativas para os próximos anos em relação ao segmento são promissoras.


Além do trabalho desenvolvido pela Embratur nos últimos anos para captar esses
eventos para cidades brasileiras, os grandes eventos internacionais (Rio 2012, Copa
das Confederações, Jornada Mundial da Juventude, Copa do Mundo 2014 e Olímpiada
2016) projetaram o Brasil no mundo e vão alavancar o mercado de eventos.

Por fim, os turistas de eventos estão entre os visitantes com maior nível educacional:
97% deles têm nível superior, conforme pesquisa realizada pela Fundação Getúlio
Vargas (FGV) para a Embratur. Ou seja, podem ajudar a ampliar a boa experiência
que tiveram durante sua permanência no Brasil, contribuindo para divulgar o país como
destino turístico internacional. Essa pesquisa mostra ainda que 64% dos entrevistados
informaram que o fato de o evento ter sido realizado no país influenciou positivamente
na sua decisão de participar. E, a exemplo dos visitantes que aqui estiveram durante a
Copa, a maioria pretende retornar ao país.

Ranking País - Nº de eventos (2013)


1 - Estados Unidos - 829
2 - Brasil - 315
3 - Canadá - 290
4 - Argentina - 223
5 - México - 158

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 3


Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas
6 - Colombia - 139
7 - Chile - 110
8 - Perú - 64
9 - Uruguay - 62
10 - Panamá - 61

3. Localização
Definir a localização e escolher o imóvel para a instalação do negócio de Aluguel de
Mesas e Utensílios para Eventos é uma das decisões mais importantes para o
negócio. Para isso o empreendedor deve considerar a distância geográfica entre os
diversos bairros da cidade, para viabilizar o planejamento da melhor rota de entrega
dos móveis e utensílios no menor tempo possível e ao menor custo.

Para os empreendedores que se especializam em grandes eventos a localização da


empresa deve considerar a maior proximidade dos centros de convenções, casas de
festas e outros locais onde se concentram, normalmente, a realização de congressos,
feiras e exposições.

Aluguel de mesas e utensílios para eventos é uma compra planejada, ou seja, o cliente
pesquisa preço, atendimento, condições de entrega e qualidade, antes de realizar o
fechamento do negócio. Os fatores que pesam na decisão pela contratação de uma
empresa são: a qualidade do produto, a padronização, preço, prazo de entrega e
atendimento.

Por outro lado, as condições de infra-estrutura existentes tais como: rua com facilidade
de acesso, disponibilidade de internet com alta velocidade, energia elétrica
estabilizada, serviços de água, esgoto e telefone, além de espaço adequado para
carga e descarga no local onde será instalada a empresa são fatores fundamentais
para essa atividade.

4. Exigências Legais e Específicas


É necessário contratar um contador profissional para legalizar a empresa nos
seguintes órgãos:
- Junta Comercial;
- Secretaria da Receita Federal (CNPJ);
- Secretaria Estadual de Fazenda;

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 4


Pessoal
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
- Prefeitura Municipal, para obter o alvará de funcionamento;
- Enquadramento na Entidade Sindical Patronal em que a empresa se enquadra (é
obrigatório o recolhimento da Contribuição Sindical Patronal por ocasião da
constituição da empresa e até o dia 31 de janeiro de cada ano);
- Caixa Econômica Federal, para cadastramento no sistema “Conectividade Social –
INSS/FGTS”;
- Corpo de Bombeiros Militar.

Além do cumprimento das exigências anteriores, é necessário pesquisar na Prefeitura


Municipal se a Lei de Zoneamento permite a instalação de empresa de aluguel de
mesas e utensílios para eventos.

O Sebrae local poderá ser consultado para orientação.

5. Estrutura
A estrutura de uma empresa de aluguel de mesas e utensílios para eventos é bastante
simples, composta basicamente pelas seguintes áreas:
- área de atendimento ao cliente – negociação e venda;
- exposição dos produtos para demonstrações;
- depósito para móveis, utensílios e equipamentos;
- escritório para a administração;
- operação e gestão dos serviços.

É importante que a empresa tenha em suas instalações banheiros e uma copa para
refeições rápidas.

A empresa deve ter espaço para estacionamento de caminhões, pois eles farão o frete
dos produtos contratados para levar ao local do evento e também a sua devolução
para a empresa.

6. Pessoal
A quantidade de profissionais está relacionada ao porte do empreendimento. Para uma
empresa de aluguel de mesas e utensílios para eventos de pequeno porte pode-se
começar com cinco empregados, sendo um atendente, um motorista, dois
entregadores e um auxiliar de escritório.

O atendimento personalizado e qualificado é um item que deve merecer atenção


especial do empresário, direcionando esforços para a manutenção e fidelização da
clientela. Por essa razão o empresário deve contratar colaboradores que possuam as
seguintes competências:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 5


Pessoal / Equipamentos
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
- conhecimento das características essenciais relacionadas ao negócio, tais como:
ornamentação, arranjos, estilo das peças, harmonia entre os componentes da estrutura
do ambiente, tipos de eventos, conhecimento sobre diversos temas e etc;
- cordialidade, paciência e atenção para identificar as necessidades e desejos dos
clientes, fornecendo orientações que atendam essas expectativas;
- agilidade no atendimento e disponibilidade para prestar informações e tirar dúvidas.

O empreendedor deverá participar de seminários, congressos e cursos direcionados


ao seu ramo de negócio, para manter-se atualizado e sintonizado com as tendências
do setor.

Deve-se estar atento para a Convenção Coletiva do Sindicato dos Trabalhadores no


Comércio Varejista, utilizando-a como balizadora dos salários e orientadora das
relações trabalhistas, evitando, assim, conseqüências desagradáveis.

O Sebrae da localidade poderá ser consultado para aprofundar as orientações sobre o


perfil do pessoal e o treinamento adequado.

7. Equipamentos
São necessários os seguintes móveis e equipamentos:

Mobiliário para a área administrativa:


- microcomputador completo 1 – R$ 1.600,00
- impressora 1 – R$ 350,00
- telefone 2 – R$ 180,00
- mesas 2 – R$ 630,00
- cadeiras 6 – R$ 660,00
- armário para o escritório 1 – R$ 450,00
- estante para o escritório 1 – R$ 590,00
- conjunto de sofá para recepção 1 – R$ 900,00
Total mobiliário: R$ 9.360,00

Equipamentos para guarda e exposição de louças e utensílios


- balcão de atendimento em L 1 – R$ 495,00
- gôndolas de centro inicial c/5 prateleiras 02 – R$ 1.120,00
- gôndolas de centro continuação c/5 prateleiras 08 – R$ 4.480,00
- estantes 6 – R$ 1.800,00
- computador 1 – R$ 1.600,00
- impressora de cupom fiscal 1 – R$ 1.400,00
- kit de segurança com 4 câmeras 1 – R$ 538,00
- veiculo utilitário usado para entregas 1 – R$ 23.000,00
Total dos equipamentos: R$ 34.433,00

Mesas e Utensílios para locação:

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 6


Pessoal / Equipamentos
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Sugere-se que o empreendedor inicie com o investimento de R$ 30.000,00,
selecionando itens da relação abaixo, considerando seu mercado potencial. A decisão
de investir mais, ou menos, dependerá das condições do novo empresário e de sua
expectativa sobre a oportunidade identificada.

Itens
- aparadouro;
- artigos de decoração e iluminação;
- balde para gelo;
- balde para vinho;
- bandejas;
- baixelas e travessas;
- castiçais;
- cestos de lixo;
- cinzeiros;
- copos (água, cerveja, whisky, etc);
- guardanapos de pano;
- jarras;
- panelas;
- pirex;
- porta doces e bolos;
- pratos;
- pufs;
- rechauds;
- saladeiras;
- sopeiras;
- taças (vinho, champanhe, etc);
- talheres;
- tendas;
- tinas para gelo;
- toalhas de mesa;
- xícaras;
- poltronas;
- mesas (madeira, ferro e plástico);
- cadeiras (ferro e plástico);
- capas para cadeiras.

Observações importantes:
- Neste quesito, considerando que a base da empresa é o patrimônio material, móveis
e objetos de locação, há de se prever a realização de um seguro sobre os mesmos.
- A empresa deve estabelecer controle rígido com a qualidade dos produtos que oferta,
visto que será sempre solidário em demandas judiciais ocorridas em virtude de
acidentes por falta de segurança nos itens locados.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 7


Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
8. Matéria Prima/Mercadoria
A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a
demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros,
os seguintes três importantes indicadores de desempenho:
Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o
capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido
em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado.
Obs.: Quanto maior for a freqüência de entregas dos fornecedores, logicamente em
menores lotes, maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice
de rotação de estoques.

Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do período


de tempo que o estoque, em determinado momento, consegue cobrir as vendas
futuras, sem que haja suprimento.

Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente


do varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer
receber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o número
de oportunidades de venda que podem ter sido perdidas, pelo fato de não existir a
mercadoria em estoque ou não se poder executar o serviço com prontidão.

Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na
alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta
o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da
empresa.O negócio de aluguel de mesas e utensílios para eventos não possui matéria
prima. A mercadoria é composta dos itens colocados para locação.

Para a definição do mix dos produtos a serem oferecidos para locação o empresário
deverá visitar concorrentes, ouvir permanentemente seus clientes e ir fazendo
adaptações ao longo do tempo.

9. Organização do Processo Produtivo


Os processos produtivos de uma empresa de aluguel de mesas e utensílios para
eventos são divididos em:
Exposição dos produtos – Representado por prateleiras e vitrines onde são expostos
os itens disponíveis para locação. Deve ter boa visibilidade e estar distribuída de forma
harmônica e integrada ao ambiente.

Atendimento ao cliente e prestação do serviço – é o primeiro contato com o cliente,


geralmente se dá na visita a empresa ou por telefone, email ou através de
preenchimento de cadastro no site da empresa. Nessa fase inicial é realizada a

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 8


Canais de Distribuição
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
pesquisa e análise dos objetivos e desejos do cliente, que se transforma no orçamento
detalhado dos itens e valores.

Após a aprovação do orçamento e negociação da forma de pagamento, o empresário


deverá apresentar o contrato de locação dos móveis, com as clausulas que englobem
o valor da transação, a quantidade de cada objeto (cadeiras, mesas, etc) data de
locação, data de devolução, e, principalmente, anexo ao contrato, termo de vistoria e
responsabilização por todos itens locados.

Cumpridos os requisitos de documentação da transação, os itens deverão ser


transportados até o local do evento. Todos os produtos devem ser inventariados,
etiquetados e embalados através de um rígido sistema de organização, sendo
conferidos na entrega ao cliente e no retorno ao estoque.

É importante estabelecer contato com o cliente após a realização do serviço com o


objetivo de avaliar a qualidade do atendimento e o nível de satisfação.

Estoque – área onde são armazenados os diversos itens para aluguel. Deve haver um
sistema rígido de controle e armazenagem classificado por itens, com registro de
entrada e saída.

Administração – destina-se às atividades de relacionamento com fornecedores,


controle de contas a pagar, atividades de recursos humanos, controle financeiro e de
contas bancárias, acompanhamento do desempenho do negócio e outras que o
empreendedor julgar necessárias para o bom andamento do empreendimento.

10. Automação
Há no mercado uma boa oferta de sistemas para gerenciamento de pequenos
negócios. Para uma produtividade adequada, devem ser adquiridos sistemas que
integrem as compras, as vendas e o financeiro. Os softwares possibilitam o cadastro
de clientes e fornecedores, controle de estoque, serviço de mala-direta para clientes e
potenciais clientes, cadastro de móveis e equipamentos, controle de contas a pagar e
a receber, fornecedores, folha de pagamento, fluxo de caixa, fechamento de caixa etc.

Deve-se procurar softwares de custo acessível e compatível com uma pequena


empresa.

11. Canais de Distribuição


O principal canal de distribuição é loja. Uma alterantiva que complementa o ponto de
venda físico e amplia a possibilidade de captação de novos clientes é implantação de

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 9


Canais de Distribuição / Investimento
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
sistema delivery, onde o cliente escolhe os itens que deseja locar pela Internet e faz o
pedido por telefone, recebendo os itens no local do evento. Este sistema traz
comodidade para o cliente e a possibilidade do desenvolvimento de estratégias
personalizadas por parte do empreendedor.

O empresário poderá realizar parcerias com empresas que atuam em áreas


complementares como é o caso do ramo de fotografias e filmagens, fornecimento de
bebidas, buffets, aluguel de roupas e outras, de forma que uma empresa indique a
outra para os seus clientes, possibilitando uma rede de prestação de serviços de forma
articulada, gerando negócios para todos.

12. Investimento
Investimento compreende todo o capital empregado para iniciar e viabilizar o negócio
até o momento de sua auto-sustentação. Pode ser caracterizado como:
- investimento fixo – compreende o capital empregado na compra de imóveis,
equipamentos, móveis, utensílios, instalações, reformas etc.;
- investimentos pré-operacionais – são todos os gastos ou despesas realizadas com
projetos, pesquisas de mercado, registro da empresa, projeto de decoração,
honorários profissionais e outros;
- capital de giro – é o capital necessário para suportar todos os gastos e despesas
iniciais, geradas pela atividade produtiva da empresa. Destina-se a viabilizar as
compras iniciais, pagamento de salários nos primeiros meses de funcionamento,
impostos, taxas, honorários de contador, despesas de manutenção e outros.

Para uma loja de aluguel de mesas e utensílios para eventos o empreendedor deverá
dispor de aproximadamente R$ 147.293,00 para fazer frente aos seguintes itens de
investimento:
- Mobiliário para a área administrativa – R$ 9.360,00
- Construção e reforma de instalações – R$ 30.000,00
- equipamentos – R$ 34.433,00
- despesas de registro da empresa, honorários profissionais, taxas etc.- R$ 3.500,00
- mesas e utensílios para locação: R$ 30.000,00
- capital de giro para suportar o negócio nos primeiros meses de atividade – R$
40.000,00

Estes valores são estimativas que variam de acordo com a região e o tipo de
equipamentos usados.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 10


Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
13. Capital de Giro
Capital de giro é o montante de recursos financeiros que a empresa precisa manter
para garantir fluidez dos ciclos de caixa. O capital de giro funciona com uma quantia
imobilizada no caixa (inclusive banco) da empresa para suportar as oscilações de
caixa.

O capital de giro é regulado pelos prazos praticados pela empresa, são eles: prazos
médios recebidos de fornecedores (PMF); prazos médios de estocagem (PME) e
prazos médios concedidos a clientes (PMCC).

Quanto maior o prazo concedido aos clientes e quanto maior o prazo de estocagem,
maior será sua necessidade de capital de giro. Portanto, manter estoques mínimos
regulados e saber o limite de prazo a conceder ao cliente pode melhorar muito a
necessidade de imobilização de dinheiro em caixa.

Se o prazo médio recebido dos fornecedores de matéria-prima, mão- de-obra, aluguel,


impostos e outros forem maiores que os prazos médios de estocagem somada ao
prazo médio concedido ao cliente para pagamento dos produtos, a necessidade de
capital de giro será positiva, ou seja, é necessária a manutenção de dinheiro disponível
para suportar as oscilações de caixa. Neste caso um aumento de vendas implica
também em um aumento de encaixe em capital de giro. Para tanto, o lucro apurado da
empresa deve ser ao menos parcialmente reservado para complementar esta
necessidade do caixa.

Se ocorrer o contrário, ou seja, os prazos recebidos dos fornecedores forem maiores


que os prazos médios de estocagem e os prazos concedidos aos clientes para
pagamento, a necessidade de capital de giro é negativa. Neste caso, deve-se atentar
para quanto do dinheiro disponível em caixa é necessário para honrar compromissos
de pagamentos futuros (fornecedores, impostos).

Portanto, retiradas e imobilizações excessivas poderão fazer com que a empresa


venha a ter problemas com seus pagamentos futuros.

Um fluxo de caixa, com previsão de saldos futuros de caixa deve ser implantado na
empresa para a gestão competente da necessidade de capital de giro. Só assim as
variações nas vendas e nos prazos praticados no mercado poderão ser geridas com
precisão. No caso de uma empresa de aluguel de mesas e utensílios para eventos, o
empresário deve reservar em torno de 30% do total do investimento inicial ou
minimante dois meses de custo fixo, para o capital de giro.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 11


Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
14. Custos
São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que serão
incorporados posteriormente ao preço dos produtos ou serviços prestados, como:
aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas e insumos
consumidos no processo de estoque e comercialização.

O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra,


produção e venda de produtos ou serviços que compõem o negócio, indica que o
empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como
ponto fundamental a redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o
controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maior a chance de
ganhar no resultado final do negócio.

Abaixo apresentamos uma estimativa de custos fixos mensais típicos de uma empresa
de aluguel de mesas e utensílios para eventos:
1. água, luz, telefone, internet – R$ 900,00
2. salários, comissões e encargos – R$ 8.500,00
3. taxas, contribuições e despesas afins – R$ 500,00
4. transporte – R$ 900,00
5. refeições – R$ 1.200,00
6. seguros – R$ 1.000,00
7. assessoria contábil – R$ 750,00
8. segurança – R$ 900,00
9. aluguel – 3.000,00
10. limpeza, higiene e manutenção – R$ 700,00.

15. Diversificação/Agregação de Valor


Para o sucesso do negócio é fundamental um estoque com várias opções e o mais
diversificado possível, oferecendo também para locação outros itens como elementos
de decoração, arranjos, equipamentos, compressores, datashow, equipamentos de
iluminação e sonorização, etc. Algumas empresas oferecem produtos complementares
tais como:
- convites personalizados;
- cardápios especiais;
- consultoria para realização de eventos;
- organização do evento.

A personalização é o que realmente conta nesse tipo de negócio, para isso o


empreendedor pode elaborar algumas estratégias como a apresentação de pacotes
específicos para cada tipo de evento, desde o jantar íntimo para reunir a família até os
eventos mais sofisticados, aliando peças clássicas, com itens sob medida.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 12


Divulgação
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
É importante pesquisar junto aos concorrentes para conhecer os serviços que estão
sendo adicionados e desenvolver opções específicas com o objetivo de proporcionar
ao cliente um produto diferenciado. Além disso, conversar com os clientes atuais para
identificar suas expectativas é muito importante para o desenvolvimento de novos
serviços ou produtos personalizados, o que amplia as possibilidades de fidelizar os
atuais clientes, além de cativar novos.

O empreendedor deve manter-se sempre atualizado com as novas tendências, novas


técnicas, novos métodos, através da leitura de colunas de jornais e revistas
especializadas, programas de televisão ou através da Internet.

16. Divulgação
Os meios para divulgação variam de acordo com o porte e o público-alvo escolhido.
Podem ser usados anúncios em jornais de bairro, revistas locais e propaganda em
rádio.

A mala direta impressa ou eletrônica é um sistema barato e simples, no qual pode ser
utilizado o cadastro de clientes, obtido de forma rápida e sem maiores custos, por meio
do banco de dados dos freqüentadores, ou uma relação de conhecidos do proprietário,
ou da compra de listagens vendidas no mercado por empresas de marketing direto.

A distribuição de folders junto às casas de festas, buffets e restaurantes é uma


estratégia de divulgação muito interessante.

O empreendedor poderá realizar parcerias com outras empresas que atuam no ramo
de festas, como: empresas de iluminação, aluguéis de brinquedos, sonorização,
bufetts e etc.

A divulgação através de site na internet deve ser considerada, pois o acesso de


pessoas à rede cresce permanentemente e em larga escala.
Na medida do interesse e das possibilidades, poderão ser utilizados anúncios em
jornais de grande circulação, revistas e outdoor. Se for de interesse do empreendedor,
um profissional de marketing e comunicação poderá ser contratado para desenvolver
campanha específica.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 13


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
17. Informações Fiscais e Tributárias
O segmento de ALUGUEL DE MESA E UTENSILIOS PARA EVENTOS, assim
entendido pela CNAE/IBGE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) 7729-
2/02 como a atividade de aluguel de móveis, utensílios e aparelhos eletroeletrônicos de
uso doméstico e pessoal, poderá optar pelo SIMPLES Nacional - Regime Especial
Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas ME
(Microempresas) e EPP (Empresas de Pequeno Porte), instituído pela Lei
Complementar nº 123/2006, desde que a receita bruta anual de sua atividade não
ultrapasse a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) para micro empresa, R$
3.600.000,00 (três milhões e seiscentos mil reais) para empresa de pequeno porte e
respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições,


por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do
Simples Nacional), que é gerado no Portal do SIMPLES Nacional (http://www8.receita.f
azenda.gov.br/SimplesNacional/):

• IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica);


• CSLL (contribuição social sobre o lucro);
• PIS (programa de integração social);
• COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social);
• INSS (contribuição para a Seguridade Social relativa a parte patronal).

Conforme a Lei Complementar nº 123/2006, as alíquotas do SIMPLES Nacional, para


esse ramo de atividade, variam de 4% a 12,42%, dependendo da receita bruta auferida
pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo
SIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de
atividade, os valores de receita bruta acumulada devem ser proporcionais ao número
de meses de atividade no período.

Se o Estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade conceder


benefícios tributários para o ICMS (desde que a atividade seja tributada por esse
imposto), a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso. Na esfera Federal poderá
ocorrer redução quando se tratar de PIS e/ou COFINS.

Se a receita bruta anual não ultrapassar a R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), o


empreendedor, desde que não possua e não seja sócio de outra empresa, poderá

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 14


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
optar pelo regime denominado de MEI (Microempreendedor Individual) . Para se
enquadrar no MEI o CNAE de sua atividade deve constar e ser tributado conforme a
tabela da Resolução CGSN nº 94/2011 - Anexo XIII
(http://www.receita.fazenda.gov.br/legislacao/resolucao/2011/CGSN/Resol94.htm ).
Neste caso, os recolhimentos dos tributos e contribuições serão efetuados em valores
fixos mensais conforme abaixo:

I) Sem empregado
• 5% do salário mínimo vigente - a título de contribuição previdenciária do
empreendedor;
• não farão recolhimento de ICMS e ISS por não serem contribuintes destes tributos.

II) Com um empregado: (o MEI poderá ter um empregado, desde que o salário seja de
um salário mínimo ou piso da categoria)

O empreendedor recolherá mensalmente, além dos valores acima, os seguintes


percentuais:
• Retém do empregado 8% de INSS sobre a remuneração;
• Desembolsa 3% de INSS patronal sobre a remuneração do empregado.

Havendo receita excedente ao limite permitido superior a 20% o MEI terá seu
empreendimento incluído no sistema SIMPLES NACIONAL.

Para este segmento, tanto ME, EPP ou MEI, a opção pelo SIMPLES Nacional sempre
será muito vantajosa sob o aspecto tributário, bem como nas facilidades de abertura do
estabelecimento e para cumprimento das obrigações acessórias.

Fundamentos Legais: Leis Complementares 123/2006 (com as alterações das Leis


Complementares nºs 127/2007, 128/2008 e 139/2011) e Resolução CGSN - Comitê
Gestor do Simples Nacional nº 94/2011.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 15


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
18. Eventos
ICWeek – Iesquecível Casamento
Rio de Janeiro – Curitiba – São Paulo
http://icweek.com.br/, acesso em 28/10/2014.

Expo Noivas & Festas – Exposição de Produtos e Serviços para Festas de Casamento,
15 anos, Bodas e Festas Infantis
Evento: semestral
Local: São Paulo-SP.
www.exponoivas.com.br, acesso em 28/10/2014.

Exposystems – Exposição e Congresso Internacional de Soluções Integradas para


Feiras e Eventos
Evento: Anual
Local: São Paulo-SP
http://www.exposystems.com.br/site/, acesso em 28/10/2014.

19. Entidades em Geral


Relação de entidades para eventuais consultas:

Associação Brasileira de Empresas de Eventos – ABEOC


www.abeoc.org.br

Procurar na localidade:
Associação Comercial

20. Normas Técnicas


Norma técnica é um documento, estabelecido por consenso e aprovado por um
organismo reconhecido que fornece para um uso comum e repetitivo regras, diretrizes
ou características para atividades ou seus resultados, visando a obtenção de um grau
ótimo de ordenação em um dado contexto. (ABNT NBR ISO/IEC Guia 2).

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 16


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Participam da elaboração de uma norma técnica a sociedade, em geral, representada
por: fabricantes, consumidores e organismos neutros (governo, instituto de pesquisa,
universidade e pessoa física).

Toda norma técnica é publicada exclusivamente pela ABNT – Associação Brasileira de


Normas Técnicas, por ser o foro único de normalização do País.

1. Normas específicas para Aluguel de mesas e utensílios para eventos

Não existem normas específicas para este negócio.

2. Normas aplicáveis na execução de serviço de Aluguel de mesas e utensílios para


eventos.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 17


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
Nota: Normas Técnicas que podem ser utilizadas na área administrativa e de recepção
ao clientes.

ABNT NBR 15842:2010 - Qualidade de serviço para pequeno comércio – Requisitos


gerais.

Esta Norma estabelece os requisitos de qualidade para as atividades de venda e


serviços adicionais nos estabelecimentos de pequeno comércio, que permitam
satisfazer as expectativas do cliente.

ABNT NBR 12693:2010 – Sistemas de proteção por extintores de incêndio.

Esta Norma estabelece os requisitos exigíveis para projeto, seleção e instalação de

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 18


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
extintores de incêndio portáteis e sobre rodas, em edificações e áreas de risco, para
combate a princípio de incêndio.

ABNT NBR IEC 60839-1-1:2010 - Sistemas de alarme - Parte 1: Requisitos gerais -


Seção 1: Geral.

Esta Norma especifica os requisitos gerais para o projeto, instalação, comissionamento


(controle após instalação), operação, ensaio de manutenção e registros de sistemas de
alarme manual e automático empregados para a proteção de pessoas, de propriedade
e do ambiente.

ABNT NBR 9050:2004 Versão Corrigida:2005 - Acessibilidade a edificações,


mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.

Esta Norma estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados quando do


projeto, construção, instalação e adaptação de edificações, mobiliário, espaços e

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 19


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
equipamentos urbanos às condições de acessibilidade.

21. Glossário
Delivery – palavra inglesa que significa entrega. É quando uma empresa entrega um
determinado produto em um local previamente acertado com comprador.

Promotor de eventos – em inglês promoter, é o profissional que ocupa-se do


desenvolvimento de atividades de planejamento, organização, realização e
administração dos recursos de eventos de qualquer tipo.

Tecnologia Assistiva – Traduz-se por uma ampla gama de equipamentos, serviços,


estratégias e práticas concebidas e aplicadas para minorar os problemas encontrados
pelos indivíduos com deficiências.

22. Dicas de Negócio


- É importante estar atento às novidades do mercado de eventos, especialmente
quanto às tendências da moda, para isso é necessário sempre que possível participar
de eventos do setor, e oferecer móveis e utensílios adequados às necessidades do
cliente;
- Investir na qualidade global de atendimento ao cliente, ou seja: estado de
conservação dos itens oferecidos ao cliente, pontualidade na entrega, e atendimento
respeitoso e atencioso.
- O empresário desse ramo precisa ter grande capacidade de percepção das
expectativas, sonhos e desejos dos clientes, para oferecer um serviço que desperte a
sensibilidade do público-alvo do evento, proporcionando momentos memoráveis.
- Procurar fidelizar a clientela com ações de pós-venda, como: remessa de cartões de
aniversário, comunicação de novos serviços e novos produtos ofertados, contato
telefônico lembrando promoções e novidades.
- Fazer contato com o cliente após o retorno dos itens locados para identificar a
percepção do cliente sobre a qualidade dos serviços é fundamental para o sucesso do
empreendimento.
- Sondar próximos eventos que o cliente pretende realizar e surpreendê- lo com
soluções que ativem seus sonhos e fantasias.
- Cada festa deve gerar momentos mágicos. O empreendedor deve ter capacidade
para trabalhar com eventos comerciais, como: feiras e exposições, e ao mesmo tempo
atuar em casamentos, aniversários, formaturas e festas temáticas, sabendo discernir

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 20


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
aqueles que envolvem emoções, demonstrações de status e posição social.
- A criatividade e a inovação constantes dão vida e prolongam a existência desse tipo
de empresa.
- É importante manter vivo na lembrança que valor ao cliente tem relação direta com o
nível de satisfação, e a diferenciação da empresa pode elevar seus preços e
proporcionar maiores lucros, consolidando a imagem e posicionando de forma
favorável ao sucesso do negócio.

23. Características
O empreendedor envolvido com atividades relacionadas à empresa de aluguel de
mesas e utensílios para eventos precisa adequar-se a um perfil que o mantenha na
vanguarda do setor. É aconselhável uma auto-análise para verificar qual a situação do
futuro empreendedor frente a esse conjunto de características e identificar
oportunidades de desenvolvimento. A seguir, algumas características desejáveis ao
empresário desse ramo.
- Ter paixão pela atividade e conhecer bem o ramo de negócio.
- Pesquisar e observar permanentemente o mercado em que está instalado,
promovendo ajustes e adaptações no negócio.
- Ter atitude e iniciativa para promover as mudanças necessárias.
- Acompanhar o desempenho dos concorrentes.
- Saber administrar todas as áreas internas da empresa.
- Saber negociar, vender benefícios e manter clientes satisfeitos.
- Ter visão clara de onde quer chegar.
- Planejar e acompanhar o desempenho da empresa.
- Ser persistente e não desistir dos seus objetivos.
- Manter o foco definido para a atividade empresarial.
- Ter coragem para assumir riscos calculados.
- Estar sempre disposto a inovar e promover mudanças.
- Ter grande capacidade para perceber novas oportunidades e agir rapidamente para
aproveitá-las.
- Ter habilidade para liderar a equipe de profissionais da loja.

24. Bibliografia
AIUB, George Wilson et al. Plano de Negócios: serviços. 2. ed. Porto Alegre: Sebrae,
2000.

BARBOSA, Mônica de Barros; LIMA, Carlos Eduardo de. A Cartilha do Ponto


Comercial: Como escolher o lugar certo para o sucesso do seu negócio. São Paulo:
Clio Editora, 2004.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 21


Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /
BIRLEY, Sue; MUZYKA, Daniel F. Dominando os Desafios do Empreendedor. São
Paulo: Pearson/Prentice Hall, 2004.

COSTA, Nelson Pereira. Marketing para Empreendedores: um guia para montar e


manter um negócio. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.

DAUD, Miguel; RABELLO, Walter. Marketing de Varejo: Como incrementar resultados


com a prestação de Serviços. São Paulo: Artmed Editora, 2006.

DOLABELA, Fernando. O Segredo de Luisa. 14. ed. São Paulo: Cultura Editores
Associados, 1999.

JORNAL FOLHA DA REGIÃO. Locação de móveis é alternativa para quem precisa de


soluções rápidas, Disponível na internet www.folhadaregiao.com.br/noticia?82633.
Acesso em 10 de fevereiro de 2010.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. 10. ed. São
Paulo: Prentice Hall, 2000.

RATTO, LUIZ. Comercio – Um Mundo de Negócios. Rio de Janeiro: Ed. Senac


Nacional, 2004.

SEBRAE-MG. Saiba como montar Empresa de locação de equipamentos para festas e


eventos. Série Ponto de partida. Rio de Janeiro, SEBRAE/MG, 2009.

SILVA, José Pereira. Análise Financeira das Empresas. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

http://www.embratur.gov.br/piembratur/opencms/salaImprensa/artigos/arquivos/Indu
stria_de_eventos_movimenta_mais_de_R_200_bilhoes_por_ano.html, acesso em 28
de outubro de 2014.

25. Fonte
Não há informações disponíveis para este campo.

26. Planejamento Financeiro


Não há informações disponíveis para este campo.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br 22


Apresentação / Apresentação / Mercado / Localização / Exigências Legais e Específicas / Estrutura /

23
Pessoal / Equipamentos / Matéria Prima/Mercadoria / Organização do Processo Produtivo / Automação /
Canais de Distribuição / Investimento / Capital de Giro / Custos / Diversificação/Agregação de Valor /
Divulgação / Informações Fiscais e Tributárias / Eventos / Entidades em Geral / Normas Técnicas /
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ideias/Como-montar-um-servi%C3%A7o-
de-aluguel-de-mesas-e-utens%C3%ADlios-para-eventos
Não há informações disponíveis para este campo.

Não há informações disponíveis para este campo.

Ideias de Negócios | www.sebrae.com.br


27. Soluções Sebrae

28. Sites Úteis

29. URL