Você está na página 1de 13

FICHA DE TRABALHO nº2 SETEMBRO 2017

BIOLOGIA E GEOLOGIA 10º ano de escolaridade

Nas respostas aos itens de escolha múltipla, seleciona a opção correta.

GRUPO I

1. Considera o ciclo litológico simplificado ilustrado na figura 1.

Figura 1

1.1. Os algarismos 1, 2 e 3 da figura 1, designam, respetivamente…

(A) rochas magmáticas; rochas sedimentares e rochas metamórficas.


(B) rochas sedimentares; rochas metamórficas e rochas magmáticas.
(C) rochas metamórficas; rochas magmáticas e rochas sedimentares.
(D) rochas sedimentares; rochas magmáticas e rochas metamórficas.

1.2. O processo do ciclo litológico representado pela letra _______, designa-se


metamorfismo, enquanto que o processo representado pela letra ____________,
designa-se ___________.

(A) Y … Z … erosão
(B) Z … Y … fusão
(C) Z …. X … fusão
(D) Y … X … erosão

1.3. A energia necessária para o funcionamento do ciclo litológico provém

(A) da decomposição da matéria orgânica.


(B) dos combustíveis fósseis.
(C) da energia hídrica renovável.
(D) da energia solar e do calor interno da Terra.

Página 1
1.4. No decorrer da diagénese intervêm processos

(A) físicos e químicos.


(B) apenas químicos.
(C) apenas físicos.
(D) tectónicos.

1.5. As rochas magmáticas

(A) formam-se sempre em profundidade.


(B) podem aflorar à superfície dos continentes.
(C) são resistentes, não sendo alteradas nem desagregadas.
(D) originam sempre rochas metamórficas.

1.6. Os arenitos formam-se a partir das areias, devido a processos de

(A) compactação seguidos de cimentação.


(B) recristalização seguidos de sedimentação.
(C) erosão seguidos de transporte.
(D) meteorização seguidos de desidratação.

2. O agravamento do efeito de estufa e o consequente degelo dos glaciares e calotes polares


são fenómenos que, de forma direta, afetam respetivamente

(A) a geosfera e a hidrosfera.


(B) a biosfera e a atmosfera.
(C) a atmosfera e a hidrosfera.
(D) a atmosfera e a biosfera.

3. Uma determinada rocha com 5600 Ma apresenta na sua constituição isótopos radioativos de
potássio 40 (40K). Sabendo que o período de semivida destes isótopos é de 1400 Ma, indica:

3.1. o número de períodos de semivida que decorreram desde a formação da rocha.

3.2. a percentagem previsível de isótopos-filho de árgon 40 (40Ar).

4. A datação radiométrica não se aplica a todos os tipos de rocha.


Explica o facto de este método de datação ser mais eficaz quando aplicado a rochas
magmáticas.

Página 2
GRUPO II
1. Observa a figura 2 que representa, de forma esquemática e não ordenada, alguns
acontecimentos geológicos numa dada região.

Figura 2

1.1. Organiza as diferentes imagens de forma a representarem a sequência dos


acontecimentos numa ordem cronológica correta.

1.2. Elabora uma legenda para cada um dos esquemas, de forma a traduzir os
acontecimentos em evidência.

2. O princípio da sobreposição dos estratos não se pode aplicar quando estes

(A) se encontram deformados.


(B) sofreram alterações mineralógicas.
(C) não apresentam conteúdo fossilífero.
(D) permanecem na sua posição original.

3. A presença de fósseis de trilobites em estratos sedimentares do Ordovícico permite


determinar a idade___________ dessas rochas se esses fósseis apresentarem uma
reduzida distribuição ____________.

(A) absoluta … geográfica


(B) relativa …geográfica
(C) absoluta … estratigráfica
(D) relativa … estratigráfica

4. Ao longo da história da Terra, ocorreram várias extinções em massa de espécies. A


associação das referidas extinções a episódios vulcânicos de grandes dimensões contraria o
princípio do

(A) uniformitarismo, que defende a existência de mudanças geológicas lentas e graduais.


(B) uniformitarismo, que defende a existência de mudanças geológicas rápidas e pontuais.
(C) catastrofismo, que defende a existência demudanças geológicas lentas e graduais.
(D) catastrofismo, que defende a existência de mudanças geológicas rápidas e pontuais.

5. A litosfera encontra-se fragmentada em ___________ cujas zonas fronteiriças de


contacto, denominadas ___________, registam movimentos relativos. A litosfera move-se
sobre uma zona ________ rígida do manto.

(A) continentes … orlas costeiras … mais


(B) placas litosféricas … limite de placas … mais
(C) continentes … orlas costeiras… menos
(D) placas litosféricas … limites de placas … menos

Página 3
6. Numa zona de contacto entre placas litosféricas não será de esperar

(A) a ocorrência de fenómenos vulcânicos.


(B) uma atividade sísmica intensa.
(C) a estabilidade da crusta terrestre.
(D) a libertação de grandes quantidades de energia.

7. Já não é fácil encontrar registos fósseis dos primórdios da vida.


Relaciona a escassez de fósseis representativos dos primórdios da vida na Terra com as
características geológicas do planeta.

GRUPO III

O lago subglacial Vostok

Desde a descoberta, em 1996, do lago Vostok, situado na Antártida, sob uma calote de gelo com
cerca de 4000 m de espessura, os cientistas têm especulado acerca da possibilidade de aí existirem
novas formas de vida.
Em 1998, foi concluída uma sondagem que terminou a alguns metros da água do lago, de modo a
evitar qualquer contaminação, uma vez que se trata de um ambiente primitivo que mantém as suas
características ambientais ancestrais. Tanto a sondagem como o sistema subglacial do lago Vostok
estão representados na figura 3.
Tal como uma rocha sedimentar, a calote de gelo é formada estrato a estrato, à medida que a
neve é compactada em camadas de gelo. A distinção das camadas é possível devido à variação
das poeiras vulcânicas presentes na atmosfera na altura em que o gelo se formou, permitindo que
os cientistas recriem 420 000 anos de alterações de clima na Antártida.
A sondagem revelou, ainda, a presença de microrganismos entre os sedimentos preservados em
todos os níveis da calote de gelo.
Inicialmente, os cientistas acreditavam que a água do lago resultava da fusão do gelo da calote.
No entanto, dados recentes obtidos por radar e por GPS permitiram construir mapas detalhados das
camadas de gelo, cuja interpretação sugere que as mais profundas são formadas por gelo
acrecionado e recentemente formado, com origem na água do lago, que vai congelando à medida
que entra em contacto com a placa de gelo que se sobrepõe ao lago. Este novo estrato apresenta
características diferentes das camadas sobrejacentes.
Esta descoberta suscita um novo desafio científico – quais serão as fontes de reposição de água
no lago?
O lago Vostok constitui também um objeto de interesse para a astrogeologia e para a astrofísica,
uma vez que as condições ambientais em que se enquadra o lago Vostok podem ocorrer em
Europa e em Calisto, duas das luas do planeta Júpiter.

Página 4
Figura 3

1. O lago Vostok pode ser considerado um subsistema…

(A) fechado, pois não troca matéria e troca energia com outros subsistemas.
(B) aberto, pois troca matéria e não troca energia com outros subsistemas.
(C) aberto, pois troca matéria e troca energia com outros subsistemas.
(D) fechado, pois troca matéria e não troca energia com outros subsistemas.

2. Europa e Calisto são planetas…

(A) secundários, que orbitam em torno de um planeta gigante.


(B) principais, que orbitam em torno de um planeta essencialmente gasoso.
(C) secundários, que orbitam em torno de um planeta de núcleo metálico.
(D) principais, que orbitam em torno de um planeta telúrico.

3. Os dados mais recentes relativos aos estratos inferiores que constituem a calote gelada
sobrejacente ao lago Vostok, formados por gelo acrecionado, estão…

(A) de acordo com o princípio da sobreposição dos estratos, pois estratos mais recentes estão
por cima de estratos mais antigos.
(B) de acordo com o princípio da sobreposição dos estratos, pois estratos mais recentes estão
por baixo de estratos mais antigos.
(C) em contradição com o princípio da sobreposição dos estratos, pois estratos mais recentes
estão por cima de estratos mais antigos.
(D) em contradição com o princípio da sobreposição dos estratos, pois estratos mais recentes
estão por baixo de estratos mais antigos.

Página 5
4. Considera os seguintes dados:

• a água líquida a baixa temperatura retém maior quantidade de oxigénio dissolvido do que a água
líquida a temperaturas mais elevadas;

• a maior concentração de organismos vivos do mundo (por volume) ocorre ao longo da costa da
Antártida.

Explica, tendo em conta os dados fornecidos, em que medida o efeito dos glaciares da Antártida
exemplifica uma interação entre o subsistema hidrosfera e o subsistema biosfera.

GRUPO IV

1. A figura 4 representa, esquematicamente, o ciclo das rochas.

Figura 4

1.1. Classifica de verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das seguintes afirmações
respeitantes ao ciclo das rochas.

(A) As rochas sedimentares são as menos abundantes à superfície dos continentes.


(B) O ambiente de formação de uma rocha magmática intrusiva é caracterizado por
valores de baixa pressão e alta temperatura.
(C) As rochas metamórficas surgem de modificações sofridas pelos diferentes tipos de
rochas no interior da Terra, sem ocorrer fusão das mesmas.
(D) As rochas magmáticas resultam da cristalização e do arrefecimento de material
rochoso fundido.
(E) A erosão de rochas preexistentes é uma condição necessária à formação de uma
rocha magmática intrusiva.
(F) Os sedimentos resultantes de processos erosivos, após sedimentação seguida de
diagénese, formam rochas sedimentares.
(G) O ciclo hidrológico é o principal responsável pela atividade geológica interna do
planeta.
(H) A principal fonte de energia da parte subcrustal do ciclo das rochas é o calor interno do
planeta.

Página 6
1.2. Seleciona a opção que permite preencher os espaços, de modo a obter uma
afirmação correta.

O fenómeno representado pelo número 5 da figura 4, a _____________, e o


transporte assinalado pelo número ______________ são etapas fundamentais na
formação das rochas sedimentares.

(A) cristalização (…) 3


(B) cristalização (…) 4
(C) diagénese (…) 3
(D) diagénese (…) 4

1.3. Sobre as interações entre os diferentes subsistemas terrestres foram feitas as


seguintes afirmações:
Seleciona a opção que as avalia corretamente.

1. A biosfera apenas interage com a geosfera na sua região mais superficial.


2. Os gases resultantes da queima dos combustíveis fósseis tornam a água da chuva
ácida.
3. A atividade vulcânica não interfere com a composição atmosférica.

(A) 1 é verdadeira; 2 e 3 são falsas.


(B) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.
(C) 2 é verdadeira; 1 e 3 são falsas.
(D) 2 e 3 são verdadeiras; 1 é falsa.

1.4. Relaciona as características do sistema Terra com uma gestão sustentável dos
recursos.

2. A cadeia montanhosa dos Himalaias resulta da colisão entre a placa Indiana e a placa
Euroasiática. Atualmente, a placa Indiana continua a deslocar-se para Norte à velocidade
aproximada de 2 cm por ano, o que faz com que a altitude dos Himalaias continue a aumentar à
razão aproximada de 5 mm por ano. A geóloga Yani Najman, recorrendo à análise de isótopos de
Árgon presentes em minerais constituintes de rochas da região, reavaliou a idade da cordilheira dos
Himalaias, e considerou que esta formação seria 15 milhões de anos mais jovem do que
inicialmente se pensava. A análise de isótopos incidiu sobre pequenos grãos de mica branca
(moscovite), recolhidos na mais antiga bacia sedimentar continental encontrada na área.

2.1. A formação da cadeia montanhosa dos Himalaias resultou da colisão entre duas placas
litosféricas, que apresentam entre si limites…

(A) convergentes, havendo o aumento da espessura da crosta continental.


(B) conservativos, permitindo a manutenção da litosfera oceânica.
(C) conservativos, permitindo a manutenção da espessura da crosta continental.
(D) convergentes, havendo a formação de litosfera oceânica.

2.2. O movimento de placas litosféricas é possível devido à…

(A) viscosidade dos materiais da astenosfera.


(B) viscosidade dos materiais da litosfera.
(C) rigidez dos materiais da mesosfera.
(D) rigidez dos materiais da geosfera.

Página 7
2.3. Na datação efetuada pela geóloga Yani Najman verificou-se que as rochas mais antigas
apresentam, para um determinado elemento ___________ uma razão de isótopos-pai/isótopos-
filho___________ do que as rochas mais recentes.

(A) instável (…) maior


(B) instável (…) menor
(C) estável (…) maior
(D) estável (…) menor

2.4. Na cordilheira dos Himalaias encontraram-se vestígios de seres vivos que foram classificados
como fosseis de idade, pois pertencem a espécies que viveram num período de tempo
relativamente…

(A) curto e apresentam grande distribuição estratigráfica.


(B) longo e apresentam reduzida distribuição estratigráfica.
(C) curto e apresentam grande dispersão geográfica.
(D) longo e apresentam reduzida dispersão geográfica.

2.5. Segundo Wegener, os continentes já estiveram todos unidos num supercontinente, a Pangeia,
este ter-se-ía fragmentado em dois continentes: um a norte, chamado Laurásia, e o outro a sul, a
Gonduana. Refere três dados que apoiem a hipótese da existência de Gonduana.

GRUPO V

O Inselberg de Monsanto

Um inselberg, também designado de “monte-ilha”, é um relevo residual que se destaca numa


superfície aplanada. O inselberg granítico de Monsanto (Idanha-a-Nova) eleva-se a mais de 300
metros de altitude e é litologicamente distinto da superfície de aplanação que o envolve. Nesta
superfície é possível encontrar xistos e grauvaques (rocha com origem sedimentar levemente
metamorfizada).
A instalação deste granito ocorreu durante a formação da cadeia montanhosa Varisca, há cerca de
310 milhões de anos (era Paleozoica), aquando do arrefecimento de um magma rico em sílica. Mais
tarde, e como resultado da exposição a um clima tropical durante a era Mesozoica, terá ocorrido
uma alteração do granito em profundidade. Esta alteração será a consequência da circulação de
fluídos provenientes das águas das chuvas pelas fraturas existentes nas rochas.
Posteriormente, já na era Cenozoica, no período árido do Paleogénico e início do Neogénico, os
xistos e os grauvaques que envolviam o granito alteraram-se ainda mais rapidamente, o que levou à
remoção do manto de alteração e à exposição do relevo granítico. A partir dessa fase, os granitos
sofreram uma alteração química e física que conduziu à formação, ao longo dos tempos, de blocos
de tamanhos e configuração variados, caoticamente amontoados.

Adaptado de “Granitos de Monsanto – história da sua vida”, Naturtejo – Geo.Park e Carvalho, C. (2004). “O
Parque Geomorfológico de Monsanto através do seu percurso pedestre. As pedras para além do sagrado”.
Geonovas.

Página 8
A B

Figura 5. (A) Formação de um inselberg de Monsanto; (B) Esquema de evolução de superfícies de


aplanamento. Adaptado de Clamote, V. (2011). “O desnivelamento entre a superfície da Meseta e
as superfícies abatidas da Beira Baixa. Compreensão geomorfológica da sua evolução”. – Tese de
Mestrado, FLUC.

1. Há cerca de 310 milhões de anos, o granito de Monsanto

(A) estaria sujeito à alteração pelos fluídos superficiais.


(B) ter-se-á formado próximo da superfície terrestre.
(C) aflorou à superfície terrestre.
(D) ter-se-á formado em profundidade.

2. O granito de Monsanto constitui uma litologia _____, inserida num contexto geológico de
natureza _____.

(A)magmática (…) metamórfica


(B)metamórfica (…) magmática
(C)Intrusiva (…) extrusiva
(D)magmática (…) sedimentar

3. A semivida do urânio-235 em chumbo-207 é de, aproximadamente, 710 milhões de anos.


Cristais de zircão recolhidos no granito de Monsanto demonstram que a percentagem de

(A)urânio-235 é inferior à de chumbo-207.


(B)urânio-235 é semelhante à de chumbo-207.
(C)urânio-235 é superior à de chumbo-207.
(D)urânio-235, relativamente ao chumbo-207, é residual.

Página 9
4. No segundo parágrafo do texto, as expressões “os xistos e grauvaques que envolviam o
granito alteraram-se ainda mais rapidamente” e “ levou à remoção do manto de alteração”
referem-se, respetivamente, a

(A)meteorização e erosão.
(B)erosão e meteorização.
(C)meteorização e transporte.
(D)erosão e transporte.

5. Quando comparado com um basalto da ilha de Porto Santo, o granito de Monsanto apresenta
minerais de _____ tamanho, devido a um arrefecimento mais _____ do magma.

(A)menor (…) lento


(B)maior (…) rápido
(C)maior (…) lento
(D)menor (…) rápido

6. O último período do texto refere processos que podem ser associados à

(A)deposição.
(B)diagénese.
(C)consolidação.
(D)sedimentogénese.

7. As rochas metamórficas têm a sua génese frequentemente associada a agentes de


geodinâmica

(A)interna atuando a temperaturas inferiores às do ponto de fusão das rochas.


(B)interna atuando a temperaturas superiores às do ponto de fusão das rochas.
(C)externa atuando a temperaturas inferiores às do ponto de fusão das rochas.
(D)externa atuando a temperaturas superiores às do ponto de fusão das rochas.

8. O clima tropical existente na zona onde atualmente se localiza o inselberg de Monsanto sugere
que, durante o Mesozoico e o Cenozoico terá ocorrido uma

(A)aproximação dessa zona ao continente sul-americano.


(B)aproximação dessa zona ao continente norte-americano.
(C)migração dessa zona para regiões mais afastadas do equador.
(D)migração dessa zona para regiões mais próximas do equador.

9. Numa perspetiva_____, o desmantelamento _____ da cadeia montanhosa Varisca, durante a


era Mesozoica, ocorreu após a instalação do plutonito granítico de Monsanto.

(A)catastrofista (…) lento e gradual


(B)catastrofista (…) repentino
(C)uniformitarista (…) lento e gradual
(D)uniformitarista (…) repentino

Página 10
10. Faz corresponder cada um dos processos de formação de rochas sedimentares, expressos na
coluna A, à respetiva designação, que consta da coluna B.

Coluna A Coluna B

a. Fenómeno que ocorre quando a ação dos agentes de erosão e de


1. Transporte
transporte se anula ou é muito fraca.
2. Diagénese
b. Transformação dos sedimentos móveis em rochas sedimentares
3. Erosão
consolidadas, por via física e/ou química.
4. Meteorização
c. Movimentação dos materiais erodidos por ação da água e do
5. Sedimentação
vento.

11. Explica em que medida o encaixe fluvial da figura 1B terá contribuído para a uma exposição
subaérea mais rápida do plutonito granítico.

GRUPO VI

Os dinossáurios da serra de Aire

No extremo oriental da serra de Aire, na povoação de Bairro, em pleno Parque Natural das Serras
de Aire e Candeeiros, existe um importante registo fóssil do período Jurássico (era Mesozoica).
Pegadas de dinossáurios saurópodes encontram-se expostas numa laje calcária, conservadas ao
longo dos últimos 175 milhões de anos.
No período Jurássico, durante a separação da grande massa continental – Pangeia –, o clima da
Terra era mais quente. Existiam extensos mares pouco profundos e a vida era abundante. No
espaço atualmente ocupado por Portugal, existiam regiões típicas de climas tropicais (quentes e
húmidos) com densas e luxuriantes florestas.
Esta vegetação permitiu a proliferação de dinossáurios herbívoros, como os saurópodes. Os
saurópodes eram animais possantes, quadrúpedes, de cabeça pequena, cauda e pescoço
compridos. A cauda favoreceria, possivelmente, na defesa contra os predadores; o pescoço, tal
como a cauda, ajudaria ainda estes animais a manterem o equilíbrio, permitindo-lhes chegar à
vegetação mais alta e torná-los mais competitivos em relação a animais de menor porte. Ao
deslocarem-se, estes animais terão deixado as suas pegadas em camadas finas de lama calcária
existente nas lagunas marinhas de baixa profundidade, que, após secar, foram soterradas por
sedimentos calcários, acabando por originar rochas coesas.
Passados cerca de 175 milhões de anos, os trabalhos de exploração numa pedreira permitiram
colocar a descoberto os vários trilhos de saurópodes visíveis atualmente na laje calcária.

Adaptado de “Monumento Natural das Pegadas de Dinossáurios da Serra de Aire”,


http://www.pegadasdedinossaurios.org [consultado em setembro de 2016].

1. Denomina as camadas rochosas formadas a partir da alternância de sedimentos de diferentes


naturezas.

Página 11
2. A laje calcária com pegadas de saurópodes é exemplo de uma

(A)rocha magmática vulcânica.


(B)rocha sedimentar.
(C)rocha magmática plutónica.
(D)rocha metamórfica.

3. As pegadas de saurópodes em afloramento

(A)correspondem a vestígios de seres vivos com representação atual.


(B)permitem determinar a idade absoluta de rochas suprajacentes a estes fósseis.
(C)são posteriores à formação das rochas em que surgem.
(D)permitem deduzir a idade relativa de rochas subjacentes a estes fósseis.

4. Na caracterização dos icnofósseis, como as pegadas de saurópodes, assumem particular


importância a forma e as dimensões da marca, bem como o grau de profundidade que atingem.
Estes aspetos permitem inferir, respetivamente o

(A) seu grau de desenvolvimento, o seu sexo e o seu peso.


(B) seu grau de desenvolvimento, o seu peso e o grupo a que pertence o animal.
(C) grupo a que pertence o animal, o seu grau de desenvolvimento e o seu peso.
(D) grupo a que pertence o animal, a sua alimentação e o seu sexo.

5. A preservação das pegadas de dinossáurios é imprescindível, dado que os agentes da


geodinâmica externa

(A)atuam rápida e impercetivelmente sobre as rochas calcárias.


(B)são normalmente catastróficos sobre rochas calcárias.
(C)atuam lenta e gradualmente sobre as rochas calcárias.
(D)podem desencadear fenómenos diagenéticos intensos no local.

6. Ordena as letras de A a E, de modo a reconstituir a sequência cronológica de alguns


acontecimentos prováveis que levaram à formação e descoberta do registo fóssil existente no
extremo oriental da serra de Aire.

A – Manadas de saurópodes deslocam-se pelas lagunas marinhas de baixa profundidade.


B – Formação de calcários.
C – Início da exploração da pedreira.
D – Descoberta dos fósseis por remoção de uma laje calcária.
E – Precipitação do carbonato de cálcio com formação de lama calcária.

Página 12
7. Faz corresponder cada uma das frases expressas na coluna A à respetiva designação, que
consta da coluna B.

Coluna A Coluna B

a. Situam-se em locais onde é gerada nova crosta oceânica.


1. Placa litosférica
b. Estrutura que se desenvolve perpendicularmente às dorsais
2. Impacto meteorítico
oceânicas e ao longo da qual ocorrem movimentos de
3. Limite convergente
deslizamento lateral.
4. Falha transformante
c. Situam-se em regiões em que ocorre a subducção de uma placa
5. Limite divergente
oceânica sob uma placa continental.

8. No final da era Mesozoica ocorreu uma extinção em massa que culminou com o
desaparecimento de muitas espécies, nas quais se incluem os dinossáurios.
Aponta dois contributos da geocronologia na definição deste importante momento na História da
Terra, tendo como base o estudo de rochas magmáticas e rochas sedimentares fossilíferas.

FIM

Página 13