Você está na página 1de 68

Gerador de

Corrente Contínua
PROF. CELSO CIAMPONI

U2S2
Geradores de Corrente Contínua

❑ Um gerador de corrente contínua é uma máquina elétrica capaz de


converter energia mecânica em energia elétrica.

❑ Também chamados Dínamos.

❑ O entendimento do seu funcionamento auxiliará no entendimento do


funcionamento do motor CC que é basicamente o mesmo
equipamento
ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC
ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC

ROTOR / ARMADURA / INDUZIDO

❖ Parte móvel do gerador/motor de corrente contínua.

❖ Composto por um material ferromagnético envolto num enrolamento


– enrolamento de armadura.

❖ A tensão gerada na armadura é ligada ao circuito externo podendo


passar aqui, altas correntes.
ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC

❑ Partes do rotor:

❖ Núcleo ferromagnético: constituído por chapas de aço magnético


laminadas com ranhuras axiais para alojar o enrolamento da
armadura.

❖ Enrolamento da armadura: composto de um grande número de


espiras em série ligadas ao comutador/coletor. O giro da armadura
faz com que seja induzida uma tensão neste enrolamento.

❖ Eixo: Transmite a potência mecânica externa ao rotor.


ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC
ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC
ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC

❑ ANEL COMUTADOR / COLETOR

❖ Realiza a inversão adequada do sentido das correntes que


circulam no enrolamento do rotor.

❖ É constituído de um anel de lâminas de material condutor (cobre),


segmentado por um material isolante (mica) de forma a fechar o
circuito entre cada uma das bobinas do enrolamento de armadura
e as escovas no momento adequado.

❖ É montado junto ao eixo da máquina e gira junto com o mesmo.


ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC
ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC

❑ ESCOVAS

❖ Podem ser de carvão, de metal, macias ou duras.

❖ Servem de contato entre o coletor e a carga.

❖ É posicionada no porta escovas onde é comprimida por meio de


uma mola contra o coletor.
ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC
ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC

❑ ESTATOR

❖ Parte estática do motor, montada em volta do rotor.

❖ Constituído de material ferromagnético envolto num enrolamento de


baixa potência – enrolamento de campo.

❖ Produz campo magnético fixo para interagir com o do rotor. A fonte


de corrente de campo pode ser uma fonte separada, chamada de
excitador, ou proveniente do próprio rotor
ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC
ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC

❑ Um gerador pode possuir de 2 a vários pólos.

▪ A figura mostra uma máquina bipolar e uma máquina hexapolar.

▪ Estes polos são construídos em pares alternados N e S.


ELEMENTOS DE UM GERADOR/MOTOR CC

▪ Vimos pela Lei de Faraday que ao movimentar um fio condutor


dentro de um campo magnético de forma que este corte linhas de
campo, surgirá nele uma fem.
Princípio de Funcionamento de um Gerador CC

▪ Para facilitar o estudo do principio de funcionamento, vamos


considerar inicialmente uma espira imersa em um campo
magnético produzido por um ima permanente.
Princípio de Funcionamento de um Gerador CC

▪ Observe que ocorre a inversão constante da corrente na espira


devido ao fato das extremidades desta estar hora subindo hora
descendo. Essa alteração no sentido da corrente é passada para
a carga.
Princípio de Funcionamento de um Gerador CC

https://www.youtube.com/watch?v=xN5jdheIP4s
Princípio de Funcionamento de um Gerador CC

▪ A força eletromotriz gerada (e) varia com a intensidade do campo


magnético, com o comprimento do condutor e com a velocidade de
deslocamento do condutor dentro do campo.

Assim quando o movimento do


condutor for rotativo como é no
gerador, é possível calcular o valor da
fem induzida em cada momento e
observar que quando  = 0 ou 180
0
não
há fem induzida. Define-se aí o plano
magnético neutro.
Princípio de Funcionamento de um Gerador CC

Outra fórmula que permite calcular a tensão gerada é:

E0 = K g . n. 
Onde:

E0 tensão gerada, sem carga;


Kg constante do gerador;

n r.p.m;

 fluxo por polo.


Princípio de Funcionamento de um Gerador CC

▪ Com o uso do anel comutador é possível evitar que a


alternância da corrente induzida seja passada para a carga.
No momento em que ocorre a inversão da corrente o anel
troca a extremidade da espira da qual a corrente é coletada
pelas escovas.
Princípio de Funcionamento de um Gerador CC

▪ A forma de onda da saída ainda não é contínua. Para se ter uma


aproximação de uma saída em corrente contínua, basta aumentar a
quantidade de espiras em rotação dentro do campo e também o
número de polos do estator.

Obs.: Não é a resultante da


soma das senóides, mas sim a
tensão captada pelas escovas
que fornece a tensão
resultante (média) e contínua.
REAÇÃO DO INDUZIDO

▪ A fem induzida, como esperado, também cria um campo


magnético próprio (Lei de Lenz) o qual interage com o campo do
estator. O campo resultante é um campo distorcido com
deslocamento do plano neutro magnético.

▪ No momento da comutação não deveria ter corrente pela espira


(neutro magnético), mas com o neutro deslocado esta acaba
cortando linhas de indução na hora da comutação e é então
curto-circuitada (normal na comutação) com corrente passando
por ela.

▪ Após a comutação observa-se um centelhamento nas escovas


devido a interrupção do caminho dessa corrente indesejada e
retomada da corrente normal
REAÇÃO DO INDUZIDO

▪ Este fenômeno é conhecido como Reação do Induzido e além do


perigo do centelhamento em áreas onde se trabalha com material
inflamável, ela reduz a vida útil das escovas e causa queda da
tensão induzida gerada pelo gerador.
REAÇÃO DO INDUZIDO

❑ Soluções

❖ Deslocar escovas para o novo neutro magnético. É uma


operação complexa que precisa ser feito com frequência;

❖ Inclusão de interpolos ou polos de comutação para corrigir o


campo induzido. São colocados na linha neutra geométrica e
ligados em série com o induzido. Produzem campo magnético
oposto ao do induzido (não resolve a questão da queda de
tensão já que consomem corrente).
REAÇÃO DO INDUZIDO

❖ Enrolamento compensador nos polos do estator reduzindo o


campo da fmm (força magnetomotriz) criada pelo induzido (não
resolve a questão do centelhamento).
REAÇÃO DO INDUZIDO
FÓRMULA GERAL DO GERADOR E MOTOR CC

❑ A equação básica para um motor cc é dada por:

❖ Para um gerador CC: V = Eg − Ra .I a (E g  V )


:

❖ Para um motor CC: V = Eg + Ra .I a (V  Eg )


:
Tipos de Geradores de Corrente Contínua

https://www.youtube.com/watch?v=aqUJi2WsGjk
EXERCÍCIO:

1) UMA MÁQUINA DE EXCITAÇÃO INDEPENDENTE TEM TENSÃO DE


ARMADURA DE 120V, COM RESISTÊNCIA DE ARMADURA DE 0,07
OHMs. PARA CADA VALOR DE TENSÃO MEDIDA EM SEUS TERMINAIS
ABAIXO, INFORME SE SE TRATA DE UM MOTOR OU GERADOR E
CALCULE SUA CORRENTE DE ARMADURA.

a) 115 V
b) 130V
EXERCÍCIO:

1) UMA MÁQUINA DE EXCITAÇÃO INDEPENDENTE TEM TENSÃO DE


ARMADURA DE 120V, COM RESISTÊNCIA DE ARMADURA DE 0,07
OHMs. PARA CADA VALOR DE TENSÃO MEDIDA EM SEUS TERMINAIS
ABAIXO, INFORME SE SE TRATA DE UM MOTOR OU GERADOR E
CALCULE SUA CORRENTE DE ARMADURA.

a) 115 V
b) 130V

a) I=71,43A

b) I=142,85A
Geradores de Corrente Contínua
O conjugado eletromagnético é dado por:

(1)

Onde:

- Corrente no circuito externo da armadura;


- Número total de condutores no
enrolamento da armadura;
- Número de caminhos em paralelo no
enrolamento;
- Fluxo magnético;

- Constante determinada pelo


projeto do enrolamento.
Geradores de Corrente Contínua
Tensão retificada entre as escovas é dado por:

(2)

Onde:

- Tensão de velocidade;
- Velocidade mecânica em rad/s;

Das Equações (1) e (2) obtém-se:

❑ Logo, conclui-se que a potência elétrica instantânea, associada a tensão


de velocidade, é igual a potência mecânica instantânea, associada ao
conjugado magnético.
Formas de excitação
Formas de excitação
Formas de excitação
Excitação composta
Gerador CC com excitação independente
Característica de magnetização
Característica terminal
Gerador CC shunt
Circuito Equivalente

EA – Tensão interna induzida


VT – Tensão Terminal

IA – Corrente de Armadura
IF – Corrente de Campo
Circuito Equivalente

E A = k 
 é fixo: Máquina Primária

 : é função de IF

VT = E A − RA I A Função de EA

VT
IF = Função de EA
RF
 = f (I F ) Função de IF
Análise do Gerador
◼ Objetivo: Encontrar VT para uma dada IA

◼ VT depende de EA e EA depende de VT.

◼ Ambas equações devem ser satisfeitas:

 EA : representada por sua curva de saturação

 VT :
VT = RF I F
Análise do Gerador – com carga

• Sem carga: IA = 0 VT = EA

• Ambas equações são satisfeitas no ponto de encontro


das curvas EA x IF e VT x IF

E A = k 
Análise do Gerador – com carga

VT
EA

E A = k 

Intersecção das
Curvas – Ponto de
Operação a Vazio



IF
Análise do Gerador – com carga

Aumento de Carga

IA  0
VT depende de EA e da queda da tensão em RA
VT = E A − RA I A
IF depende de VT
VT
IF =
RF
EA depende de IF, logo depende de VT
Análise do Gerador – com carga
Sem reação da Armadura – Basta conhecer RAIA
VT EA
VT = E A − RA I A
RA I A

E A − VT = RA I A

IF
Análise do Gerador – com carga
Com reação da Armadura
VT EA Efeito desmagnetizante
da corrente de armadura

FmmReac
E A − VT = RA I A
I F =
NF

IF
O processo de autoexcitação
O processo de autoexcitação
O processo de autoexcitação
Característica terminal
Característica terminal
Gerador CC série
Característica terminal
Gerador CC composto
Gerador CC composto
Característica terminal
Exercício 1:

Uma máquina CC de excitação independente , 25Kw e 125 V


opera com a velocidade constante de 3000 rpm e uma corrente de
campo constante tal que a tensão de armadura em circuito aberto
seja 125 V. A resistencia de armadura é de 0,02 ohms.
Calcule a corrente de armadura, a potencia terminal, e a potencia
e o conjugado eletromagnético quando a tensão de terminal é:
a ) 128 V
b) 124 V
Solução:
Pot. Terminal:

Pot. Eletromagnética:

Conjugado. Eletromagnético:

a)

Corrente de armadura:
Solução:
Pot. Terminal:

Pot. Eletromagnética:

Conjugado. Eletromagnético:

b)

Corrente de armadura:
Exercício 2:

Considere a máquina CC de excitação independente do Exercício


anterior, com a corrente de campo sendo mantida constante no valor que
produziria uma tensão de 125V para uma velocidade de 3000 rpm.
Observa-se que a máquina está operando como motor, para uma tensão
de terminal de 123V e uma potencia terminal de 21,9 kW. Calcule a
velocidade do motor.
Solução:
A corrente de terminal pode ser encontrada da tensão de terminal e da
potencia:

Assim, a tensão gerada é:

Velocidade de rotação pode ser obtida por: