Você está na página 1de 11

Univiçosa – Engenharia Civil – 4º Período – Física Elétrica (ENG113)

Prof.: Marciano Matias Ângelo

MAGNETISMO – LINHAS DE CAMPO MAGNÉTICO – FORÇA MAGNÉTICA

Campo Magnético
Os campos magnéticos podem ser produzidos de duas formas. A primeira forma é usar partículas
eletricamente carregadas em movimento, como uma corrente elétrica em um fio, para fabricar
um eletroímã. A corrente produz um campo magnético que pode ser usado, por exemplo, para
controlar o disco rígido de um computador ou para transportar sucata de um lugar para outro.

A outra forma de produzir campos magnéticos é usar partículas elementares, como os elétrons,
que possuem um campo magnético intrínseco.

O campo magnético é uma propriedade básica de muitas partículas elementares, do mesmo modo
como a massa e a carga elétrica (quando existe) são propriedades básicas. Em certos materiais os
campos magnéticos dos elétrons se combinam para produzir um campo magnético nas
vizinhanças do material. Esta combinação é o motivo pelo qual um ímã permanente, o tipo usado
para pendurar bilhetes na porta das geladeiras, possui um campo magnético permanente. Em
outros materiais os campos magnéticos dos elétrons se cancelam e o campo magnético em torno
do material é nulo. Esse cancelamento é a razão pela qual não possuímos um campo magnético
permanente em torno do nosso corpo.

A unidade de B no SI é o Newton por Coulomb - metro por segundo. Por conveniência, essa
unidade é chamada de Tesla (T):

Linhas de campo magnético

Podemos representar o campo magnético através de linhas de campo. As regras são as mesmas:
(1) a direção da tangente a uma linha de campo magnético em qualquer ponto fornece a direção
de B nesse ponto; (2) o espaçamento das linhas representa o módulo de B: quanto mais intenso o
campo, mais próximas estão as linhas e vice-versa.
A Figura a seguir mostra as linhas de campo magnético nas proximidades dc um ímã em forma
de barra. Todas as linhas passam pelo interior do ímã e formam curvas fechadas (mesmo as que
não parecem formar curvas fechadas na figura).
O campo magnético externo é mais intenso perto das extremidades do ímã, o que se reflete em
um menor espaçamento das linhas. Assim, o campo magnético do ímã em forma de barra da
figura anterior recolhe muito mais limalha de ferro nas extremidades.
As linhas de campo entram no ímã por uma das extremidades e saem pela outra. A extremidade
pela qual as linhas saem é chamada de pólo norte do ímã: a outra extremidade, pela qual as
linhas entram, recebe o nome de pólo su1.

Pólos magnéticos de nomes diferentes se atraem e pólos do mesmo nome se repelem.

Força Magnética
A força magnética (ou força de Lorentz) é resultado da interação entre dois corpos dotados de
propriedades magnéticas, como ímãs ou cargas elétricas em movimento.

No caso das cargas elétricas, a força magnética passa a existir quando uma partícula
eletricamente carregada movimenta-se em uma região onde atua um campo magnético.
Considerando que uma carga pontual Q, com velocidade v, é lançada em uma região onde existe
um campo magnético uniforme B, passa a atuar sobre ela uma força magnética com intensidade
dada pela seguinte equação:

F = IQI.v.B.senα

*α é o ângulo entre os vetores da velocidade v e do campo magnético B.

A direção da força magnética é perpendicular ao plano que contém os vetores v e B, e o


sentido é dado pela regra da mão esquerda. Observe a figura:
A regra da mão esquerda mostra o sentido da velocidade, do campo e da força magnética.

Veja que o dedo médio aponta na direção da velocidade v em que a carga (positiva) está
movimentando-se, já o indicador indica a direção do campo magnético B. O polegar aponta no
sentido da Força magnética F.

O movimento adquirido pela carga elétrica ao entrar em contato com o campo magnético
depende do ângulo em que ela foi lançada:
Quando a partícula lançada possui velocidade paralela às linhas de indução do campo
magnético, a força magnética é nula.
Observe que, nesse caso, o ângulo α = 0º ou α = 180 º. A equação que utilizamos para calcular a
força é:

F = IQI.v.B.senα  E o sen 0º = sen 180º = 0

Substituindo na equação, teremos:

F = IQI.v.B.0  F=0

Se a força é igual a zero, a partícula mantém-se com a mesma velocidade e realiza movimento
retilíneo uniforme na mesma direção do campo magnético.

 Partícula lançada perpendicularmente ao campo magnético: o ângulo entre v e B será α =


90º. Como sen 90º = 1, teremos:

F = IQI.v.B.sen90  F = IQI.v.B.1  F = IQI.v.B

O movimento executado pela partícula é circular e uniforme, e o raio de sua trajetória é obtido da
seguinte forma:
F = Fcp(centrípeta)

Sabemos que:
F = Q.v.B e Fcp = m.v2/R

Igualamos as expressões e obtemos:

Q.v.B = m.v2/R  R = m.v/ Q.B

Quanto maior for a massa da partícula, maior será o raio de sua trajetória.
Partícula lançada obliquamente às linhas de campo: Nesse caso, devemos considerar as
componentes x e y do vetor velocidade. A velocidade vx tem o mesmo sentido que as linhas de
campo magnético, enquanto vy é perpendicular. A resultante da velocidade ocasiona um
movimento circular e uniforme, com direção perpendicular ao vetor B, que pode ser denominado
de helicoidal uniforme.
A unidade de medida da força magnética é a mesma de qualquer outro tipo de força: o Newton.
Existem inúmeras aplicações da força magnética, dentre elas, podemos citar os seletores de
velocidade, motores elétricos e galvanômetros.

Assim, a força é zero se v e B são paralelos (α = 0°) ou antiparalelas (α = 180°) e é máxima


quando v e B são perpendiculares.

Com relação à orientação (regra da mão esquerda – Figura a seguir): para uma carga
positiva, F aponta no mesmo sentido que o polegar. Se q é negativa, a força F tem sinal
contrários e, portanto, aponta na direção oposta.
Exercícios:

1 - Suponha que uma carga elétrica de 4 μC seja lançada em um campo magnético uniforme de 8 T.
Sendo de 60º o ângulo formado entre v e B, determine a força magnética que atua sobre a carga
supondo que a mesma foi lançada com velocidade igual a 5 x 103 m/s.

R:

2 - Imagine que 0,12 N seja a força que atua sobre uma carga elétrica com carga de 6 μC e lançada em
uma região de campo magnético igual a 5 T. Determine a velocidade dessa carga supondo que o
ângulo formado entre v e B seja de 30º.

3 – Julgue as afirmativas a seguir:

I. Uma carga elétrica submetida a um campo magnético sofre sempre a ação de uma força magnética.

II. Uma carga elétrica submetida a um campo elétrico sofre sempre a ação de uma força elétrica.
III. A força magnética que atua sobre uma carga elétrica em movimento dentro de um campo
magnético é sempre perpendicular à velocidade da carga.
R: A afirmação I está incorreta pelo fato de a carga elétrica nem sempre sofrer ação de uma força
magnética. Para uma carga elétrica lançada paralelamente as linhas de campo a força magnética será
nula.

A afirmação II está correta, pois cargas elétricas lançadas em campos elétricos sempre sofrem a
ação de uma força elétrica.

A afirmação III está correta, pois a força magnética é sempre perpendicular à velocidade da
carga. Essa comprovação pode ser realizada através da regra da mão direita.

4 - Um elétron num tubo de raios catódicos está se movendo paralelamente ao eixo do tubo com
velocidade 107 m/s. Aplicando-se um campo de indução magnética de 2T, paralelo ao eixo do tubo, a
força magnética que atua sobre o elétron vale:

R:

Se a direção do deslocamento da carga elétrica for paralela à direção do vetor indução magnética B, o
ângulo θ será tal que sen θ = 0, pois θ = 0º ou θ = 180º, a força magnética será igual a zero.

5-
R: Sabendo que o campo elétrico sai do + e vai para o -, o elétron é atraído para cima

Pela regra da mão esquerda (sabendo que a carga é negativa), o elétron sofre uma Forma Magnética
Resultante que desvia sua trajetória para a esquerda.

Assim, o feixe de elétrons é desviado para a região 1

6 - Uma panícula alfa se move com uma velocidade v de módulo 550 m/s em uma região onde
existe um campo magnético B de módulo 0,045 T. (Uma partícula alfa possui uma carga de + 3,2
x 10-19 C e uma massa de 6,6 x 10-27 kg.) O ângulo entre v e B é 52°. Determine (a) o módulo da
força FB que o campo magnético exerce sobre a partícula; (b)A aceleração da partícula causada
por FB.

R:

7 - Um próton cuja trajetória faz um ângulo de 23° com a direção de um campo magnético de
2,60 mT experimenta uma força magnética de 6,50 x 10-17 N. Calcule a velocidade do próton:

R:

9 - A figura mostra a tela de um osciloscópio onde um feixe de elétrons, que provém


perpendicularmente da página para seus olhos, incide no centro da tela. Aproximando-se
lateralmente da tela dois imãs iguais com seus respectivos pólos mostrados, verificar-se-á que o
feixe desviará para qual direção?
R:

10 - Um feixe de elétrons incide horizontalmente no centro do anteparo. Estabelecendo-se


um campo magnético vertical para cima, o feixe de elétrons passa a atingir o anteparo em
que região?

a) região 1
b) região 2
c) segmento OB
d) segmento OA
e) região 3

Resposta: c)

11- Uma partícula com carga elétrica positiva desloca-se no plano Z – X na direção d – b, que é
diagonal do quadrado a, b, c, d indicado na figura (1). É possível aplicar na região do movimento da
carga um campo magnético uniforme nas direções dos eixos (um de cada vez), como é mostrado nas
figuras (2), (3) e (4).

R: Nos casos 2 e 4.
Força Magnética em um Fio Percorrido por Corrente

A corrente informada é a convencional – contrária ao fluxo real de elétrons

Conforme visto anteriormente, um campo magnético exerce uma força sobre uma partícula
carregada que se move ao longo dele. Analogamente, sabendo que uma corrente elétrica é
constituída por um fluxo de cargas negativas, pode se concluir que um campo magnético exerce
uma força (lateral) sobre os elétrons que se movem cm um fio.

Essa força, naturalmente, é transmitida para o fio - já que os elétrons não podem deixá-lo.

Na Figura a) a seguir observa-se um fio vertical que não conduz corrente e está preso nas duas
extremidades; o fio é colocado no espaço entre os pólos de um ímã. O campo magnético do ímã
é dirigido para fora do papel. Na Figura b) uma corrente dirigida para cima passa a circular no
fio, que se encurva para a direita. Na Figura c) o sentido da corrente é invertido, e o fio se
encurva para a esquerda.

A Força magnética que age sobre um trecho de fio retilíneo de comprimento L percorrido por
uma corrente i e submetido a um campo magnético B perpendicular ao fio pode ser calculada
pela equação:

Se o campo magnético não é perpendicular ao fio, a força magnética é dada pela equação a
seguir, que leva em conta o ângulo entre a direção do vetor campo magnético e a direção da
corrente que percorre o fio:
Assim, Φ é o ângulo entre as direções de L e B. A direção de FB é a do produto vetorial L x B:
FB é sempre perpendicular ao plano definido pelos vetares L e B,

Exercícios:

1 - Um fio com 13,0 g de massa e L = 62,0 cm de comprimento está suspenso por um par dc
contatos flexíveis na presença de
um campo magnético uniforme de módulo 0,440 T, conforme figura a seguir. Determine (a) o
valor absoluto e (b) o sentido (para a direita ou para a esquerda) da corrente necessária l para
remover a tensão dos contatos, ou seja, para fazer com q o fio fique levitado (força magnética de
mesmo valor e sentido contrário a força peso)

R: A força magnética no fio deve ter direção para cima e ter módulo igual a força peso m.g do
fio. Como o campo magnético é perpendicular a corrente, a força resultante é dada por FB = iLB,
onde L é o comprimento do fio. Assim:

Aplicando a regra da mão esquerda concluímos que a corrente (convencional) deve ser da
esquerda para a direita.

2 - Uma linha de transmissão horizontal é percorrida por uma corrente de 5000 A. O campo
magnético da Terra (60,0 μT) tem a direção norte e faz um ângulo de 70,0° com
a linha de trasmissão. Determine o módulo da força magnética exercida pelo campo magnético
da Terra sobre 100 m da linha.

R:
Módulo da Força Magnética é dado por FB = iLB sin φ,sendo φ o ângulo entre a corrente e o
campo. Nesse caso φ = 70°. Assim:

3 - Um fio de 1,80 m de comprimento é percorrido por uma corrente de 13,0 A e faz um ângulo
de 35,0° com um campo magnético uniforme de módulo B = 1,50 T. Calcu1c a força magnética
exercida pelo campo sobre o fio.
R:
4 - Um condutor reto e horizontal de comprimento L = 0,5m , e massa m = 2,0 .10-2 kg ,
percorrido por uma corrente elétrica de intensidade i = 8,0 A , encontra-se em equilíbrio sob ação
exclusiva do campo da gravidade e de um campo magnético uniforme B , conforme mostra a
figura abaixo.

Determine:

a) A intensidade do vetor B.
b) O sentido da corrente i .
R:

5 - Um fio reto de 1,8 m de comprimento transporta uma corrente de 13 A e faz um ângulo de 35 o


com um campo magnético uniforme B = 1,5 T . Calcular o valor da força magnética sobre o fio.
R: