Você está na página 1de 4

1

CONFLITOS NA BÍBLIA

Adão e Eva - Caim e Abel


Sara e Hagar - Esaú e Jacó
José e seus irmãos - Davi e seus filhos
Os Doze (quem é o maior) - Atos – As viúvas helenistas
Paulo e Barnabé

ILUSTRAÇÃO DO COPO COM ÁGUA

"A água derramou no chão porque tem água dentro do copo! Essa e a resposta de Deus
para a razão do conflito".

Precisamos nos perguntar De que modo a soberania de Deus deve


moldar nossas respostas ao conflito. Os conflitos são os próprios meios que
Deus usa para que possamos enxergar Nossa miserável condição e a riqueza
de seu poder e sua sabedoria justiça e misericórdia.
O conflito vem à tona e, com ele, todos os tipos de males – difamação,
fofoca, a atitude de um culpar ao outro, malícia, ira, divisões e assim por
diante – o mal está dentro dos nossos corações.
A arrogância é o motor dos nossos conflitos. Eu preciso provar que a
minha causa é justa. É preciso ganhar e você, perder.
O conflito testa nossa verdadeira teologia. Ele nos testa e sonda nossos
corações, revelando aquilo em que nós realmente cremos e a que nos
prendemos. O conflito vem como um vento Impetuoso, derrubando tudo que
não tem as suas raízes plantadas em Deus.
Muito dos conflitos que temos com as pessoas da igreja São resultado de
uma falha em vê-los como membros de nossa família (família de Deus).
Quando estamos envolvidos em um conflito, em vez de nos referir a
outra pessoa como "irmão" nós chamamos de "insensato" ou "tolo". Ex.: Adão
diz a mulher que me deste.
O perdão bíblico é o reconhecimento da perversidade do pecador. O
verdadeiro perdão não é desculpar o ignorar o mal. Pelo contrário, perdão
bíblico – perdoar como Deus perdoa – é reconhecer a grave natureza do
Pecado em toda sua depravação moral. Em outras palavras, o perdão bíblico
reconhece a perversidade do pecado e do pecador.
2

Perdoar não é esquecer. As quatro promessas Chaves do Perdão são as


seguintes:

 Eu não irei pensar sobre esse incidente.


 Eu não irei trazê-lo à tona e usá-lo contra outra parte envolvida.
 Eu não irei conversar com outras pessoas sobre esse incidente.
 Eu não irei permitir que esse dente fica entre nós e atrapalhe nosso
relacionamento pessoal.

É claro que perdoar geralmente não é algo instantâneo, o que acontece


de uma só vez, mas sim um processo. Nós perdoamos alguém então
continuamos a perdoar.

Perdão não é dar o que a pessoa merece, ela merece justiça. Perdão é
dar o que a pessoa não merece. Deus nos deu o perdão sem merecermos. Não
perdoamos a pessoa com base nos seus méritos, pois, fomos perdoados com
base nos méritos de Cristo. Olhe para Cristo, e veja o perdão que Deus te deus
e conceda ao seu próximo.

Devemos Perdoar a Pessoa que não se arrepende?

Deus perdoa quem não se arrepende?

Observe que Cristo não perdoou pessoalmente seus inimigos. Assim,


em Mt 5.44 ele não exortou seus discípulos a perdoarem seus inimigos, mas
os exortou a “orar” por eles. Mas nós não devemos perdoar aqueles que nos
maltratam? Isso nos leva a um ponto com respeito ao qual é necessária muita
instrução hoje em dia.

A escritura ensina que sob todas as circunstâncias devemos perdoar


sempre? Eu respondo enfaticamente: não, ela não ensina. A palavra de Deus
diz: “Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; e, se ele se arrepender, perdoa-lhe; e,
se pecar contra ti sete vezes no dia e sete vezes no dia vier ter contigo, dizendo:
Arrependo-me, perdoa-lhe” (Lc 17.3,4). Aqui somos claramente ensinados que
uma condição deve ser satisfeita pelo ofensor antes que possamos pronunciar
o perdão. Aquele que nos ofendeu deve primeiramente “se arrepender”, isto
é, julgar a si mesmo por seu erro e dar evidência de sua tristeza por causa dele.
Mas, suponha que o ofensor não se arrependa? Então eu não preciso perdoá-
lo.
3

Mas que não haja má compreensão do que queremos dizer aqui. Mesmo
que alguém que nos ofendeu não se arrependa, todavia, eu não devo abrigar
sentimentos ruins contra ele. Não deve haver nenhum ódio ou malícia
cultivada no coração. Todavia, por outro lado, eu não devo tratar o ofensor
como se ele não tivesse cometido nenhum erro. Isso seria fechar os olhos à
ofensa, e, portanto, eu estaria falhando em manter as exigências da justiça, e
isso é o que o crente deve fazer sempre. Deus alguma vez perdoa onde não há
arrependimento? Não, pois a escritura declara: “Se confessarmos os nossos
pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”
(1 Jo 1.9). Mais uma coisa. Se alguém me prejudicar e não se arrepender,
embora eu não possa lhe perdoar e tratá-lo como se ele não tivesse me
ofendido, todavia, eu não apenas não devo abrigar nenhuma malícia em meu
coração contra ele, mas devo também orar por ele. Aqui está o valor do
exemplo perfeito de Cristo. Se não podemos perdoar, podemos orar a Deus
para perdoá-lo. A. W. Pimk

O USO INDISCIPLINADO DA LÍNGUA

Se fizermos uma pesquisa para saber qual é uma das causas dos
grandes problemas de conflito entre as pessoas na Igreja, família, trabalho,
sociedade, etc... sem dúvida a resposta da maioria será: “O USO
INDISCIPLINADO DA LÍNGUA”. Pela linguagem expressamos os nossos
pensamentos e revelamos se o que nos domina é a nossa própria vontade ou
se é a obediência a vontade de Deus. “O maior dos pecados de uma pessoa
está em suas palavras.
De todos os nossos membros o que mais o diabo deseja usar é a nossa
boca. O diabo não usou o veneno da serpente no Éden, o que ele usou foi a
boca da serpente no Éden e tudo o que ele quer é uma boca para usar. Tudo
começou lá no Éden e o diabo não mudou a sua estratégia de guerra.
Uma grande necessidade hoje está no cuidado que devemos ter com
aquilo que falamos; pois como diz: "A LÍNGUA DO HOMEM É COMO
ABELHA; TEM MEL E TEM FERRÃO".
As Palavras podem edificar ou derrubar. Nada tem maior poder de
influenciar. São responsáveis pelas guerras, separações de casais, mortes,
inimizades... uma série de situações que poderiam ser evitadas se houvesse
maior cuidado com o que se fala.
4

Ted Jack escreveu o seguinte: “MAIS PESSOAS SÃO FERIDAS PELA LÍNGUA
DESCONTROLADA, DO QUE POR QUALQUER ARMA DE FOGO”

Temos que disciplinar a nossa língua para crescermos no


relacionamento de casal, família e no relacionamento com os irmãos e as
demais pessoas. EF 4:29 “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a
que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem”. Não sai
da sua boca nenhuma palavra que prejudica, que destrói, que danifica, que
corrompa ou contamina. Por quê Paulo escreveu isto para igreja? Suas
palavras são nutridoras ou destrutivas? Elas nutrem aos que te ouvem ou
envenena os que te ouvem?
O estado da nossa alma depende do que sai da nossa boca. “O que
guarda a sua boca e a sua língua guarda a sua alma das angústias”. PV. 21:23
TG 1:26 “Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua,
antes engana o seu coração, a religião desse é vã”.
01 - PALAVRAS REVELAM O NOSSO CARÁTER

O estado do nosso coração é revelado quando falamos. Quer conhecer


o coração de alguém converse com a pessoa por alguns minutos. “
CONHECEMOS OS INSTRUMENTOS MUSICAIS PELO SOM QUE ELES PRODUZEM E AS
PESSOAS POR AQUILO QUE FALAM” MT 12:33 “Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto
bom, ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto (Palavras) se conhece
a árvore (Coração)”.