Você está na página 1de 10

MÚSICA E CONSTRUÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS NA

EDUCAÇÃO INFANTIL1

Autora: Juliete Soares de Albuquerque


Graduanda do Curso de Pedagogia
Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG

Co-autora: Geruslandia Almeida Gomes


Graduanda do Curso de Pedagogia
Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG

Co-autora: Janiely Nascimento de Oliveira


Graduanda do Curso de Pedagogia
Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG

Co-autora: Profa. Zildene Francisca Pereira


Professora do Curso de Pedagogia
Unidade Acadêmica de Educação/CFP/UFCG

GT: 13- Formação de Professores e Práticas Pedagógicas

Resumo

O presente projeto é requisito de formação e avaliação na disciplina de Fundamentos e


Metodologia da Educação Infantil do Curso de Pedagogia da UAE/CFP/UFCG e discute
a importância da música para a Educação Infantil a partir de atividades diferenciadas
que promovam o processo de ensino-aprendizagem. É imprescindível oportunizarmos
elementos teórico-metodológicos para que o professor da educação básica possa utilizar
em suas aulas, pois sabemos que o trabalho com a música só ganhou maior visibilidade
após a Lei 11.796 de 18 de agosto de 2008, passando a ser obrigatória nas escolas
brasileiras. A música no contexto educacional vem sendo instrumento relevante para a
aprendizagem das crianças, pois favorece a formação de hábitos, novos conhecimentos,
desenvolvimento da sensibilidade, criatividade, autodisciplina e de acordo com alguns
autores as atividades com a música podem contribuir como reforço para o
desenvolvimento cognitivo, afetivo e motor da criança.

Palavras-chave: Educação Infantil; Música; Práticas Pedagógicas.

1
Texto organizado para a Oficina Pedagógica de Música na Educação Infantil, realizada na
Disciplina: Fundamentos e Metodologia da Educação Infantil, juntamente com as alunas:
Adenilda Timóteo Salviano; Ana Cristina de Abreu e Daniela Pedrosa de Queiroga.
Apresentação

O presente projeto pretende apresentar a importância da música na Educação


Infantil, refletindo meios que favorecem o trabalho do professor em sala de aula como
um auxílio, a mais, no processo de ensino-aprendizagem dos conteúdos. Dessa forma, é
possível pensarmos a utilização da música não apenas como um momento de
descontração ou para passar o tempo, mas como um processo socializador e facilitador
das diferentes habilidades.
A partir desta compreensão podemos afirmar que o trabalho com a música em
sala de aula não tinha tanta importância para a educação algum tempo atrás e só passou
a ter uma amplitude e visibilidade depois da Lei 11.796 de 18 de agosto de 2008,
sancionada pelo Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Desse modo, a
música passou a ser obrigatória nas escolas brasileiras fazendo-nos refletir a sua real
importância no processo de ensino-aprendizagem.
A música no contexto da Educação Infantil vem sendo percebida e valorizada
por englobar vários assuntos como: convivência, solidariedade, limites, possibilidades,
socialização, escuta, fala e expressões diversas, auxiliando-nos na formação de hábitos,
atitudes e no comportamento, além de proporcionar a construção do conhecimento,
favorece a sensibilidade, o senso rítmico, a imaginação, a criatividade, a autodisciplina,
a memória, a concentração, a atenção e a socialização, além de contribuir na consciência
corporal.
Podemos afirmar que a música está presente em todas as culturas e através dela
o educador poderá obter uma forma privilegiada de alcançar seus objetivos na sala de
aula, pois o trabalho com a música faz com que o educador organize de forma planejada
as capacidades de ouvir, sentir, perceber e discriminar os diversos sons; brincar com a
melodia, experimentar diversificados modos de movimentos corporais através das
cantigas, imitações e inventividade, promovendo elos entre a criança, a música e tudo
que a rodeia.
A música na Educação Infantil está interligada com a brincadeira e pensando
dessa forma o educador poderá desenvolver, entre as crianças, atividades como a
construção de instrumentos musicais com materiais de sucata, trabalhar as cores, os
sons, a coletividade, a criatividade e proporcionar a exploração de materiais adequados
a cada faixa etária.
Com essa atividade é possível, ainda, trabalhar a informação de assuntos
variados, a origem e história do instrumento musical, vivenciar e entender questões
relativas à acústica, produção do som, fazer música, por meio da improvisação ou
composição, no momento em que os instrumentos criados estiverem prontos e em
seguida apresentar de forma lúdica toda a criação para os pais, bem como toda a
comunidade escolar.
Este projeto de oficina pedagógica é requisito da disciplina de Fundamentos e
Metodologia da Educação Infantil II como momento de formação, avaliação e reflexão
da relação teoria-prática, vivenciados durante o semestre e coordenado pela Professora
Dra. Zildene Pereira. O projeto foi elaborado levando em consideração a participação de
alunas do 5º período do Curso de Pedagogia da Unidade Acadêmica de Educação/UAE,
do Centro de Formação de Professores/CFP, da Universidade Federal de Campina
Grande/UFCG, campus de Cajazeiras/PB.
Desafiadas pela exigência na elaboração deste projeto de oficina pedagógica é
que elaboramos os seguintes objetivos: proporcionar a compreensão da musicalidade na
Educação Infantil; refletir a importância da música na Educação Infantil e construir
instrumentos musicais e manuseá-los em sala de aula.

Musicalização na Educação Infantil: aspectos primordiais para o processo ensino-


aprendizagem de crianças.

Alecrim, alecrim dourado


Que nasceu no campo
Sem ser semeado [...]
Alecrim, alecrim miúdo
Que nasceu no campo
Perfumando tudo [...]
Foi meu amor
Que me disse assim
Que a flor do campo é o alecrim

(Alecrim Dourado – Cantigas Populares)

Falar em música nos remete, inicialmente, a lembranças do tempo de escola, das


canções que ouvíamos quando os adultos ninavam a criança ao dormir, das canções de
amor, amizade, infantis, de roda, folclóricas, dentre outras. As músicas nos fazem voltar
no tempo em busca de novas vivências e assim compreendemos hoje com maior clareza
a sua função em sala de aula.
A música é uma linguagem que nos leva a comunicação de sensações, sentidos,
sentimentos e desenvolve o equilíbrio, a autoestima, o autoconhecimento e é, também,
uma ferramenta a mais para a integração social. A música tem sido, atualmente,
trabalhada na Educação Infantil, levando as crianças a ampliarem seu repertório para
outros gêneros musicais para além daqueles que tem contato em sua residência e/ou
comunidade.
É imprescindível afirmarmos que o trabalho com a música para além da
concepção de horas de lazer e para passar o tempo só foi possível após a Lei 11.796 de
18 de agosto de 2008, sancionada pelo Presidente da República Luiz Inácio Lula da
Silva. Após este momento o ensino da música se tornou obrigatório nas escolas
brasileiras, o que levou professores a refletirem seu papel em sala de aula,
especialmente na Educação Infantil e a perceber a real importância deste tipo de
atividade para o processo de ensino-aprendizagem. No entanto, foi possível pensar
acerca da função da música nas atividades educativas, pois estas tinham fins de falar
sobre a higiene, o lanche, as datas comemorativas, o cuidado que se deve ter com o
outro e, dificilmente, como uma ampliação dos conhecimentos.
A música faz parte da vida do ser humano e trabalhá-la na Educação Infantil faz
com que a criança entre em contato com o mundo letrado, lúdico e cheio de fantasias,
expressando criatividade, sentimentos, autonomia e novos conhecimentos. Podemos
afirmar que o
[...] cotidiano da Educação Infantil é repleto de atividades musicais,
algumas tão conhecidas que já fazem parte do repertório usual das
escolas. [...] Certa ocasião cantei uma música, com todos os gestos
que fazem parte da coreografia, e perguntei a um grupo de professores
qual seria o objetivo de tal tarefa para a formação das crianças.
Fizemos uma lista enorme: esquema corporal, coordenação motora,
lateralidade, expressividade e criatividade (MAFFIOLETTI, 2001, p.
123).

Desse modo, podemos observar que a utilização da música na Educação Infantil


perpassa os conteúdos, mas nos possibilita ampliarmos a expressão corporal, os
sentimentos, o olhar diferente para a formação do corpo e do nascimento das palavras a
partir da leitura. A educação da criança não acontece somente no ambiente escolar, mas
em todos os ambientes que participa por esta e tantas outras razões é que a música deve
ser trabalhada desde cedo com a criança, considerando os sons, a musicalidade, a
criação de estórias a partir do que ouve.
A criança, ainda, no útero da mãe ao ouvir músicas cria um vínculo afetivo com
a mesma, pois passa a sentir um bem estar que de uma forma ou de outra está ligada a
presença de alguém, a forma que ela é recebida e cuidada. Além destas contribuições a
[...] criança precisa de vivências mais ricas para construir uma
imagem de si mesma a partir da identidade corporal, suas
possibilidades físicas, suas singularidades. No contato com a música, a
criança aprende que um som pode se combinar com outro som, mas,
principalmente, que é possível imprimir significados aos sons. É isso
que fará dela um ser humano capaz de compreender os sons de sua
cultura e de se fazer entender pelo deliberado dessas aprendizagens
nas trocas sociais (MAFFIOLETTI, 2001, p. 130).

Trabalhar a música na Educação Infantil é proporcionar as crianças a descoberta


de diferentes sons iniciando, assim, o seu processo de musicalização. Através dessa
descoberta a criança terá várias reações, pois a música está inserida em diferentes
culturas e pode se utilizada no desenvolvimento motor, lingüístico e afetivo de todos os
indivíduos envolvidos no processo educativo.
Vimos que o processo de musicalização amplia e desenvolve o conhecimento e o
gosto musical das crianças fazendo com que haja uma ampliação da sensibilidade, da
criatividade, da intelectualidade, dentre outros aspectos, tornando a descoberta do
mundo prazerosa.
O conhecimento musical possibilitará a criança um olhar sensível e crítico aos
diversos ritmos, sons, letras, pois a linguagem musical é um processo de construção e
não um momento pronto ou acabado. A música inserida no contexto escolar traz alegria,
descontração, amplia os laços e torna a aprendizagem prazerosa, especialmente quando
a criança tem o contato direto e pode manusear diferentes objetos que lembre os sons de
diferentes instrumentos musicais. Assim,
As crianças precisam ter experiências concretas com objeto que
emitem sons, instrumentos musicais ou outros e formar um
vocabulário específico para se referir a eventos sonoros. O manuseio
de objetos sonoros cria situações em que será possível agrupar ou
separar os sons, classificar e seriar. [...] As crianças desenvolvem
formas de trabalhar com os sons que permitirão organizar suas ações e
realizar atividades expressivas com esses materiais. Agindo assim, as
crianças aprendem a fazer parcerias, criam e reproduzem pequenas
combinações, que são esboços das regras que regem os sons de sua
cultura (MAFFIOLETTI, 2001, p. 130-131).

Determinados aspectos trabalhados na utilização da música na Educação Infantil


faz com que sejam estimuladas as sensações de bem estar, de criações, de novas
aprendizagens, diálogos, escuta e potencializa outras áreas de conhecimento, além de
favorecer a socialização entre as crianças da mesma faixa etária e outras de faixa etária
diferente.
É importante considerar que as atividades musicais permitem que as crianças
passem a conhecer seu corpo, sua voz, desenvolvam a comunicação com as demais
crianças, amplie outras habilidades para além daquelas que ela já reconhece que possui
e brinque com as palavras, pois os
Jogos de palavras, poemas concretos, haikais, e outros podem se
prestar a ricas explorações musicais. [...] a ideia é desconstruir e
reconstruir, transgredir e transformar a forma. Da perspectiva do
letramento, é dominar a escrita, e não ser dominado por ela. Brincar
com as letras, palavras e onomatopéias, variando sua intensidade,
altura e direção, combinando-as, cruzando-as e retrogradando-as, pode
conferir o processo do letramento numa dimensão lúdica e criativa
(FRANÇA, 2010, p.18).

Neste momento podemos citar alguns trabalhos que envolvem a música como:
ladainhas, poemas, cantigas de roda, cantigas populares, todas estas proporcionam as
crianças o conhecimento sobre o folclore e suas manifestações, pois as canções
folclóricas são repassadas de geração para geração através das brincadeiras e do resgate
da história de cada povo.
Trabalhar com a música como ferramenta de apoio é proporcionar a criança
momentos de descoberta, deixando que essa descubra, analise e compreenda os
diferentes ritmos. Quando as atividades envolvem música esta nos dá condições de
observar o raciocínio, a percepção musical, a sensibilidade e as variadas formas de
expressão corporal dos alunos. Desse modo,
Musicalizar é tornar a música acessível a todos, usando a música
elementar que está inserida no movimento e na palavra. É fazer com
que as crianças amem a música, preparando-as para realizarem com
alegria a prática musical. É construir o conhecimento com o objetivo
de despertar e desenvolver o gosto musical através do estímulo, e
assim contribuir para a formação global da criança. Esse processo de
educação musical deve ser adaptado à realidade social em que a
criança vive, respeitando as fases evolutivas, sendo multidisciplinar,
tendo objetivos claros e precisos, preparando seres humanos capazes
de criar, realizar e vivenciar emoções (LIMA; STENCEL, 2010, p.
91).

Compreender a música como linguagem é uma forma de conhecimento que nos


leva a ver a criança como um ser interativo, que interage o tempo todo com o mundo ao
seu redor, organizando seus pensamentos e ações. A linguagem musical deve fazer parte
do contexto escolar, envolvendo atividades e situações que desafiem os educandos,
levando-os a exploração e descoberta de novos conhecimentos significativos para a sua
vida.
A utilização da música, em sala de aula, como instrumento de ensino-
aprendizagem favorece o olhar cuidadoso das formas, sensações, sentimentos e
socialização entre as crianças, pois este tipo de atividade favorece o comprometimento
com os diferentes tipos de expressão. De acordo com o Referencial Curricular nacional
para a Educação Infantil
A música é a linguagem que se traz em formas sonoras capazes de
expressar e comunicar sensações, sentimentos e pensamentos, por
meio da organização e relacionamento expressivo entre o som e o
silêncio. A música está presente em todas as culturas, nas mais
diversas situações: festas e comemorações, rituais religiosos,
manifestações cívicas, políticas etc (BRASIL, 1998, p. 45).

Sabemos que a música quando utilizada em atividades em sala de aula atrai e


envolve os alunos, motivando-os e acentua a percepção, estimula à memória, a
inteligência, a linguagem, desenvolvendo habilidades e procedimentos de
autoconhecimento e de prazer.
Ao observarmos a criança na escola devemos buscar um maior entendimento
acerca do gênero musical mais escutado por ela, quais as músicas que gosta de cantar,
de dançar e quais ela, ainda, não adquiriu o hábito de ouvir. Com essa percepção será
possível resgatar canções diversas para que ela sinta-se convidada a ampliar o seu
repertório, pois
[...] Buscamos trabalhar com a musicalização infantil tendo como
proposta práticas: desenvolver o prazer de ouvir, reproduzir e criar
música proporcionando a criança oportunidade de compreender a
realidade sonora que circunda; focalizar o trabalho com rimas,
parlendas, canções folclóricas e brincadeiras tradicionais infantis,
resgatando o repertório tradicional e cultural do Brasil; obter uma
consciência sonora; ampliar a percepção auditiva, trabalhando com as
qualidades do som como altura, intensidade e timbre; estimular a
criança a expressar-se de maneira criativa por meio de elementos
sonoros e instigar na criança a autodisciplina para desenvolver a
atenção e respeito ao próximo, ajudando-os na convivência social,
sempre partindo do fazer musical e não de forma fragmentada (LIMA;
STENCEL, 2010, p. 91).

Como uma prática pedagógica, a música é uma ferramenta que facilita o


desenvolvimento da criança, pois o professor que utiliza de maneira adequada encontra
neste instrumento um aliado poderoso para o processo de ensino-aprendizagem. A
música promove uma comunicação e uma integração social essencial na vida do
indivíduo e deve ser parte do contexto educacional principalmente na Educação Infantil.
O professor que trabalha com crianças na Educação Infantil poderá incluir nas suas
atividades cotidianas as cantigas populares, as brincadeiras de roda para que se faça um
resgate histórico das diferentes culturas e para que as crianças possam, também, ter
acesso aos bens culturais de uma determinada época. Aliado a este procedimento o
professor poderia construir instrumentos musicais com materiais recicláveis de modo
que as aulas seriam bem mais atrativas, pois
Ouvir música, aprender uma canção, brincar de roda, realizar
brinquedos rítmicos, são atividades que despertam, estimulam e
desenvolvem o gosto pela atividade musical, além de atenderem a
necessidades de expressão que passam pela esfera afetiva, estética e
cognitiva (BRASIL, 1998, p. 48).

O ouvir, o brincar, o fazer brinquedos rítmicos, o aprender uma canção são


elementos que tornam o contexto educacional mais propício e interessante para as
crianças, e isso vem se tornando depois da Lei 11.796/08 cada vez mais freqüente nas
instituições que atendem crianças de 0 a 6 anos de idade, possibilitando-nos uma maior
compreensão da prática pedagógica como uma ação compartilhada e interdisciplinar.
Desse modo, podemos pensar que as atividades musicais vivenciadas em sala de
aula poderão nos apontar diferentes fases e descobertas em que passa a criança em
diferentes faixas etárias e favorecer o processo ensino-aprendizagem de maneira
coletiva e lúdica.

Metodologia

A oficina pedagógica é requisito da disciplina Fundamentos e Metodologia da


Educação Infantil II, no Curso de Pedagogia, com alunas do 5º período noturno, sob o
acompanhamento e orientação da Professora Dra. Zildene Francisca Pereira.
Realizaremos um evento no Centro de Formação de Professores para discutirmos as
temáticas: Educação Inclusiva e Práticas Pedagógicas voltadas para a Educação Infantil
e serão realizadas as apresentações dos Projetos dos grupos, envolvendo os seguintes
temas: Revista em quadrinhos para crianças; Trabalho com argila: aprender brincando;
Jogos para deficientes: cuidar e educar na Educação Infantil; Jogos educativos: preparar,
apontar... fogo!; Criação de bonecos na Educação Infantil; Música e construção de
instrumentos musicais e Desenho na Educação Infantil: primeiras aproximações.
As Oficinas Pedagógicas foram realizadas em três momentos distintos: no
primeiro realizamos o levantamento bibliográfico acerca de cada temática escolhida e
foram feitos estudos em grupos. No segundo, aprofundamos a escolha do tema, a escrita
da justificativa, dos objetivos e da metodologia, seguida de sugestões de jogos, como
confeccioná-los e como utilizá-los em diferentes salas de aula. No terceiro momento,
tivemos estudos direcionados para a escrita do referencial teórico e orientações de como
formatar o projeto. Por último, como encerramento da disciplina, teremos as
apresentações dos Projetos no auditório do Centro de Formação de Professores.

Considerações Finais

O objetivo principal da Oficina Pedagógica voltada para a importância da


música e a construção de instrumentos musicais na Educação Infantil, é percebermos a
relevância desta temática para o desenvolvimento da criança em fase inicial de
escolarização, bem como construirmos instrumentos musicais, valorizando o trabalho
coletivo em sala de aula.
Desde cedo a música está presente na vida das crianças e, portanto, esse
envolvimento torna o processo ensino-aprendizagem mais fácil e prazeroso, porém
sabemos que muitos educadores que atuam na área da Educação Infantil não utilizam,
ou não conseguem incorporar a música nas suas práticas pedagógicas cotidianas,
praticando apenas em datas comemorativas, fugindo do que é proposto nos Referencias
Curriculares Nacionais para Educação Infantil, que tem como proposta o trabalho da
música como uma forma apreciativa e de reflexão. A música tem uma ligação com a
linguagem expressiva, e o esquema corporal das crianças, pois está em contado com
sons podendo desenvolvendo diversas formas de expressão.
Pudemos perceber, ao longo da elaboração deste projeto, que para inserir a
utilização da música em sala de aula o educador não precisa ter uma formação
específica, mas precisa pesquisar e vivenciar uma prática diferenciada. Dessa forma,
podemos dizer que haverá uma mudança no processo de ensinar do professor,
favorecendo seu amadurecimento enquanto educador e um maior desenvolvimento dos
seus educandos.
À medida que a oficina foi elaborada vimos que o educador que muda sua
prática pedagógica e reconhece a importância da música como uma linguagem e a
utiliza de maneira correta, poderá encontrar uma aliada para favorecer o
desenvolvimento infantil.
O estudo dos sons seja apenas ao escutar uma música, ou na construção de instrumentos
leva às crianças a exploração do mundo, pois a música está presente em tudo a sua
volta. Esse processo de musicalização na Educação Infantil é importante, pois
possibilitará novos significados para as relações sociais, afetivas, comunicativas em que
estão submetidas às crianças. Estas, estão em constante desenvolvimento e
aprendizagem, devendo ser estimuladas de forma agradável para que amadureça e
aperfeiçoe o seu conhecimento.
Assim, podemos concluir que a música exerce um importante papel na aprendizagem e
no desenvolvimento das crianças, podendo transformar o ambiente escolar deixando-o
mais alegre, divertido e prazeroso, fazendo com que as crianças sintam vontade de está
neste ambiente de forma espontânea, contribua com o seu comportamento, com a
socialização e o trabalho coletivo e, dessa maneira, a criança passará a respeitar o
espaço do outro e das pessoas com as quais convivem. Podemos afirmar que a oficina
nos possibilitou um novo olhar para a prática pedagógica e nos favoreceu um maior
amadurecimento quanto as questões relacionadas a Educação Infantil.

Referências Bibliográficas

MAFFIOLETTI, L. de A. Práticas Musicais na Educação Infantil. In. CRAIDY. M.;


KAERCHER, G. E. P. da S.; Educação Infantil: pra que te quero. Porto Alegre: Artmed,
2001.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental.


Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil – Conhecimento de
Mundo. Brasília, MEC/SEF, 1998.

FRANÇA, C. C. Sopa de letrinhas: notações analógicas (des)construindo a forma


musical. In. Música na educação básica. Associação Brasileira de Educação Musical.
Porto Alegre, v.2, n.2, 2010.

LIMA, A. R. B. de; STENCEL, E. de A. B. Vivência musical no contexto escolar. In.


Música na educação básica. Associação Brasileira de Educação Musical. Porto Alegre,
v.2, n.2, 2010.