Você está na página 1de 8

VIBRAÇÃO ORIGINAL DE YORIMÁ

1. CONCEITO
O termo YORIMÁ foi um dos raros termos
sagrados que se manteve sem nenhuma alteração. O
que aconteceu é que esse termo foi completamente
esquecido e postergado. Mesmo os vários povos que
foram conhecedores da Proto-Síntese Relígio-
Científica, dentre eles os africanos, não guardaram o
termo YORIMÁ, o qual representa uma
POTESTADE CÓSMICA ou Orisha Ancestral. Esse
termo sagrado foi realmente revelado, ou
relembrado, através do Movimento Umbandista em
sua mais alta pureza e expressão. Traduzindo esse
vocábulo segundo a Coroa da Palavra, através do
alfabeto Adâmico, teríamos:

YORIMÁ: POTÊNCIA DO VERBO ILUMINADO


POTÊNCIA DA LEI SAGRADA ORDEM
ILUMINADA DA LEI
Traduzindo silabicamente, teremos:
YO→POTÊNCIA; ORDEM; PRINCÍPIO
RI→REINAR; ILUMINADO
MA→LEI; REGRA
YORIMA portanto traduz: Princípio ou Potência
Real da Lei.

2. ATIVIDADE ESPIRITUAL KÁRMICA


YORIMÁ é o Orisha Primaz do elemental terra,
cuja corrente cósmica vem pelo cardeal norte.
Manipula os éteres, e, dentre eles, o Éter Químico e
Refletor.
A Vibração de Yorimá é composta por diversas
Entidades que alcançaram a maturidade espiritual,
através de experiências mil, sendo pois SENHORES
DAS EXPERIÊNCIAS.
Cristalizaram essa experiência em forma de
evolução, orientando muito principalmente Seres
Espirituais ainda inexperientes e vulneráveis aos
entre-choques individuais e coletivos que atendem
suas próprias necessidades kármicas individuais ou
coletivas. Essas Entidades, seus Orishas e Guias,
contribuíram muito decisivamente na formação física
de nosso planeta, em seus mínimos detalhes, sendo
portanto Senhores de Nossa Casa Planetária.
Ajudaram na antropogênese, muito contribuindo com
seus conceitos adquiridos no velho — e não menos
majestoso em evolução — Planeta Saturno.
Atualmente, sua função se prende em orientar os
Filhos de Fé no caminho da Fé e da evolução,
alcançadas através da humildade e sabedoria.
Mostram que o peso das experiências torna leve a
consciência, direcionando-a a níveis superiores, aos
planos mais altos da vida. Disso tratam suas
mensagens quando mediunizam os Filhos de Fé, tudo
feito de forma oportuna, transparente e que não
traumatizem os Filhos de Fé. Adaptam seus
ensinamentos aos mais diversos níveis de
entendimento das humanas criaturas, sempre de
forma paciente e tolerante. São exemplos de
humildade, paciência e tolerância, pois alcançaram
patamares espirituais de elevadíssimo escol mas
dirigem-se aos simples, humildes e desgarrados,
fazendo-o com amor só alcançado por quem já
renunciou ao ilusório e a si mesmo.
Em se tratando da Magia Etérico-Física, atuam
neutralizando as baixas correntes ou cargas pesadas
oriundas da baixa magia ou Magia Negra. São
mestres nesse mister e, por sua experiência profunda,
não raras vezes, se misturam com as falanges negras
visando combatê-las, sabotando assim as ações
deletérias dos Gênios das Trevas. Ajustam e
ideoplastizam seus corpos astrais para se infiltrarem
no submundo

astral, visando minar o poder ou mesmo esclarecer,


de maneira muito inteligente e sutil, as Almas aflitas
que se encontram presas nas garras de verdadeiros
marginais daquele plano. São mestres na Magia,
desfazendo os efeitos etéreo-físicos dos
popularmente chamados "trabalhos de Magia Negra"
e por isso são chamados de MANDINGUEIROS DE
LUZ. Não podemos confundi-los, é claro, com
"feiticeiros", como muitos os chamam. Esperamos ter
deixado clara a distinção.
Enquanto os Prepostos de Yorimá ativamente
desfazem os bozós (feitiços, correntes de bruxaria,
vodus, etc.) os ditos quimbandeiros, com suas hordas,
são os que fazem esses trabalhos inferiores e
grosseiros que visam contundir este ou aquele
indivíduo. Nesse trabalho incessante de atuação
direta tanto na Luz quanto na Sombra, incrementando
a evolução, é que atuam os Orishas e Guias,
orientando os Protetores e seus subplanos na
execução direta dessa difícil tarefa, qual seja de
preservar a integridade mágico-vibratória do planeta
e de seus habitantes. Essa é a função mais direta dos
ditos PAIS-VELHOS ou PRETOS-VELHOS na
Corrente Astral de Umbanda da atualidade.
3. GRAFIA SAGRADA OU LEI DE PEMBA
Dentro do grafismo ou escrita sagrada, o alfabeto
que traduz os equivalentes vibratórios de ordem
astral (clichês astrais que quando ativados produzem
ações várias) é o dito Adâmico.
O termo sagrado YORIMÁ, que assim se
expressa nesse alfabeto original, tem equivalências
vibratórias na Magia Astroetérico-Física.
Além dos sinais sagrados, daremos também seus
valores numéricos que além da quantidade expressam
qualidades, através da unidade letra-som.
LEI DE PEMBA em sentido vertical, de baixo para cima:

4. OS 7 ORISHAS MENORES — OS GUIAS —


OS PROTETORES
Os 7 Orishas Menores são os que representam,
aqui no Planeta Terra, em seu plano físico e astral, o
Orisha Ancestral.
Os 7 Orishas Menores da Vibração de Yorimá
são:
1. PAI GUINÉ
2. PAI CONGO DE ARUANDA
3. PAI ARRUDA
4. PAI TOMÉ
5. PAI BENEDITO
6. PAI JOAQUIM
7. VOVÓ MARIA CONGA
Abaixo dessas Entidades, temos os GUIAS. São
Guias da Vibratória de Yorimá:
PAI CHICO DAS ALMAS, VOVÓ ANGOLÁ,
PAI JOÃO D'ANGOLA, PAI CONGO DO MAR,
VOVÓ CAMBINDA DE GUINÉ, etc.
Logo abaixo, dentro da Hierarquia Sagrada,
temos os PROTETORES. Dentre eles, citaremos:
PAI TIBÚRCIO, PAI CELESTINO DO
CONGO, PAI CIPRIANO, PAI JOÃO DA
CARIDADE, PAI CHICO CARREIRO, VOVÓ
BARBINA etc.

5. ATUAÇÃO DESSAS ENTIDADES


Nesta Faixa Vibratória, não raramente, quando
encontram médiuns positivos e limpos moralespiritualmente,
os Orishas Menores "baixam". Dão
suas consultas, que são profundas e esclarecedoras,
como também dão mensagens de caráter geral,
visando incrementar a Fé e a humildade no coração e
na ação de vários de seus Filhos de Fé.
Gostam também de atuar em outras modalidades
mediúnicas, muito principalmente por meio da
vidência ou da sensibilidade psicoastral.
Os Guias de Yorimá também são comuns nos
terreiros. Quase todas as noites ouvem e apascentam
vários Filhos de Fé. São em verdade
profundos conhecedores da mente e do
comportamento humano, como também
de suas mazelas. Também atuam em
todas as outras modalidades
mediúnicas.
Os Protetores de Yorimá,
juntamente com os Guias, utilizam
muito as rezas e os benzimentos
(energização), além de darem
medicamentos, principalmente da flora,
para combater os males físicos e astrais
dos vários Filhos de Fé.
Ao pitarem seus cachimbos,
veiculam com a fumaça portentosas
vibrações que limpam o aura,
desagregando até certas larvas
condensadas (pelo pensamento
cristalizado) que, se não o fossem,
poderiam trazer sérios prejuízos à
constituição astrofísica do indivíduo. A
fumaça não é, como muitos pensam,
deletéria. É deletéria, sim, aos Filhos da
Terra que fumam aspirando nicotina,
alcatrão, alcalóides vários e gases
nocivos.
Quando um Preto-Velho ou mesmo
Caboclo manipula magicamente a
fumaça, sabe como fazê-lo, utilizando
determinados elementos nocivos para
destruir ou desestruturar bactérias, vírus
e outros microrganismos até de ordem
astral que se encontram no ambiente, neutralizando completamente os efeitos
deletérios da fumaça nos Filhos de Fé. São os
SENHORES DA MAGIA, profundos conhecedores
da alquimia astral, a qual manipulam com destreza e
sabedoria.
Assim atuam esses Pais-Velhos, grandes Magos
da Sagrada Corrente Astral de Umbanda. Ao
terminar, queremos salientar que muitos deles foram
da pura Raça Vermelha, vindos de outras galáxias e
estagiando no planeta Saturno. Aliás, até hoje muitas
Entidades oriundas de Saturno, Júpiter e Vênus estão
atuando e estagiando em nossa Corrente. È a
GRANDE FAMÍLIA CÓSMICA, é o início do:

No universo astral haverá um só rebanho, que será


conduzido às suas origens — ao Cosmo Espiritual.
6. MANIFESTAÇÕES MEDIÚNICAS
Essas Entidades atuam no corpo astral do médium
na região do chacra genésico (em sânscrito, chacra
muladhara), que tem sua equivalência no corpo físico
denso nas glândulas germinativas e anexos.
No homem: testículos, próstata e vesículas seminais.
Na mulher: ovários, útero e trompas.
Atuam também no plexo frontal e
cervical, produzindo na fenomênica
mediúnica profundas alterações
fisionômicas (marcantes mas sem perder a
estética; formas bonitas ou sugestivas),
psíquicas, vocais, posturais, etc.
A ligação fluídico-magnética dessas
Entidades com o médium começa pela
fronte, em forma de uma certa "friagem"
que se prolonga até a laringe (garganta).
Rapidamente a "friagem" desce pela coluna
vertebral e, como um choque em todo o
organismo físico, começam suas vibrações
fluídicas de chegada, dando um "sacolejo
geral", muito principalmente na cabeça e
ombros, arcando gradativamente o tórax e
as pernas. Assim "pegam bem" os
aparelhos, emitindo um mantra surdo e
interiorizado que mais parece um som
básico. Quando no "reino", incorporados,
gostam de trabalhar sentados, pitando seus
cachimbos, falando muito calmamente e com
sabedoria. Como outras Entidades, adaptam seu
linguajar ao entendimento dos consulentes e, quando
necessário, pronunciam o idioma sem modismos. São
os GRANDES MAGOS, são em verdade o Mestrado
da Magia, Senhores da Lei de Pemba, profundos
conhecedores, em suas causas e aplicações, da Lei
Kármica.
Suas mensagens, através das preces cantadas, são
fortes imagens que predispõem o mental às coisas do
espiritual e, por meio de seu ritmo suave e dolente,
ativam os centros superiores do indivíduo, bem como
suas faculdades nobres, às vezes ainda adormecidas
em muitos Filhos de Fé.

Também riscam com mestria os verdadeiros


sinais de pemba, e dão logo a flecha, a chave e a raiz
em perfeita harmonia com as vibrações de
Geometria Cósmica.

7. RELAÇÕES DA VIBRATÓRIA DE YORIMÁ


Como todas as demais Linhas, a Linha Espiritual
ou Vibração Original de Yorimá se relaciona com
particulares vibrações que são:

8. MAGIA VEGETOASTROMAGNÉTICA
Neste tópico específico da Magia
Vegetoastromagnética encontraremos os banhos de
ervas, as defumações e as essências sagradas.
A) Banhos de Ervas
As ervas mais afins à Vibração Original de Yorimá
são aquelas que recebem mais diretamente as
influências de Saturno, absorvendo suas energias
específicas.

As ervas de Saturno são:


EUCALIPTO TROMBETA BANANEIRA
TAMARINDO ALFAVACA SETE-SANGRIAS
GUINÉ-PIPIU CAMARÁ VASSOURA-PRETA OU BRANCA

Temos também muitas outras, que são facilmente


reconhecidas pelo seu odor ou perfume agradável e
característico.
Essas ervas podem ser usadas em banhos, quais
sejam:

A-1) Banhos de Elevação ou Litúrgicos


Essas ervas, as de Saturno, não devem ser usadas
neste tipo específico de banho. Os Filhos de Fé que
estiverem debaixo da Vibratória de Yorimá e
necessitarem do banho de elevação devem fazê-lo
obedecendo os mesmos critérios expostos aos Filhos
de Fé que se encontram debaixo da Vibratória de
Orixalá (pág. 177), pois somente as ervas solares, e
muito excepcionalmente as ervas lunares, poderão
ser usadas neste banho litúrgico.
A-2) Banho de Desimpregnação ou
Descarga
A finalidade precípua deste banho é deslocar ou
eliminar as cargas negativas que ficam agregadas no
corpo etérico do indivíduo, podendo até lhe causar
doenças relativas ao sistema geniturinário (infecções,
distúrbios fisiológicos, impotência, frigidez ou o
contrário, e tumores, etc).
Os banhos de desimpregnação com as ervas de
Saturno são muito úteis no combate a todas as
mazelas, especialmente para os males que afetam a
organização astroetérica influindo na atividade
psicossexual.
Para prepará-los, escolhem-se as ervas, que
deverão ser colhidas verdes, na Lua crescente
principalmente, nunca devendo-se colher na Lua
cheia ou minguante, na quantidade 1, 3, 5 ou 7 ervas,
de preferência colhidas, lavadas e preparadas na hora
favorável de Saturno ou no horário vibratório de
Yorimá (21 horas à meia-noite).
Após lavarmos as ervas, elas são colocadas na
vasilha, tendo ao lado uma vela branca dentro de um
pentagrama (r), tudo isso preparado com orações, debaixo de uma corrente de pensamentos
que se harmonize com a ocasião. Acrescenta-se água
fervente e espera-se esfriar. Após o banho de
higienização, o indivíduo volta-se para o ponto
cardeal sul e toma o banho de ervas deixando o
mesmo, junto com as ervas, passar pelo corpo todo,
isto é, do pescoço para baixo. É bom ter sob os pés
pequenos pedaços de carvão, que fixarão as cargas
que as ervas deslocarem.
Com o aura limpo, o indivíduo torna-se menos
suscetível de contrair distúrbios agudos, leves e
mesmo os mais graves. É normal indivíduos com
esses tipos de sobrecargas terem alterações em seu
humor e na libido. Os detritos das ervas, juntamente
com o carvão, devem ser "despachados" em água
corrente.
A-3) Banho de Fixação ou Ritualístico
Este banho é de caráter essencialmente
mediúnico, visando precipitar em maior abundância
fluidos etéreo-físicos do médium, e seu mentor
espiritual. Levam ervas da Vibração Original do
médium e da Vibração Original da Entidade atuante,
no caso de serem diferentes.
Se forem iguais, as ervas serão somente da
Vibração de Yorimá, sendo o banho preparado como
se fosse de elevação. Caso as Vibrações Originais
sejam diferentes, o banho ritualístico terá ervas da
Vibração Original do médium misturadas com as da
Vibração Original da Entidade atuante, na proporção
de 2:1, sendo preparado na mesma vasilha de louça
branca. Como neste nosso caso a Vibração Original
do médium é Yorimá, as ervas serão todas colhidas
em uma hora favorável de Saturno, na quinzena
positiva ou branca. Após colhidas e lavadas, as ervas
são colocadas na vasilha, onde acrescenta-se água
quente ou água da cachoeira, rio, mar, etc. Se for
água quente, coloca-se a água e espera-se que esfrie,
retirando-se então as folhas para despachar. Se for
despachar com água das diversas procedências,
trituram-se as ervas e, antes de banhar-se, retiram-se
os restos, coando o sumo. Na preparação do banho
deve ficar sobre a mesa uma vela branca acesa dentro
do hexagrama (e). Ao tomá-lo, o indivíduo volta-se
de costas para o ponto cardeal oeste ou leste. As
ervas não devem passar pelo corpo e o banho não
passa pela cabeça.

B) Defumações*
Aqui, as ervas devem ser colhidas na Lua nova
ou crescente, numa hora favorável de Saturno e
postas para secar à sombra, ficando claro que só se
queimam ervas secas em braseiro de barro. As
defumações podem ser feitas em qualquer Lua ou
horário, desde que a colheita tenha obedecido aos
critérios citados.
Para eliminar cargas morbosas e pesadas com o
elemento ígneo-aéreo das defumações, deve o
interessado voltar-se para o ponto cardeal sul e tomar
a defumação de frente e pelas costas, mentalizando
tanto quanto possível a cor vermelha se quiser afastar
um mal físico, a cor amarela se for um mal de ordem
astral e a azul se for um mal de ordem mental.
As ervas a serem usadas na quantidade de 1, 3, 5
ou 7, devem neste caso ser misturadas com casca
seca de limão. Esta defumação serve também para
descarregar uma "gira de terreiro", o ambiente
doméstico, etc.
No caso do indivíduo querer revitalizar-se,
deverá o mesmo queimar essas ervas numa hora
favorável de Saturno, de preferência no horário
diurno, voltando-se para o ponto cardeal Oeste ou
Leste, recebendo a fumaça pela frente e pelas costas.
Pode ser também usada para revitalizar o organismo
físico, astral e mental, juntamente com as luzes
vermelha, amarela e azul respectivamente, e, é claro,
debaixo de orações e correntes de pensamentos
condizentes com o ato.
C) Essências Sagradas**
Esses banhos deverão ser usados em qualquer fase
da Lua e em qualquer horário, e devem
obrigatoriamente passar pela cabeça. As essências
que mais se harmonizam com a Vibração de Yorimá
são: junquilho, eucalipto, alfazema, etc. O preparo e
uso do banho seguem os critérios da pág. 181, com
mentalização na cor lilás-claro.
9. LEI DE PEMBA — IDENTIFICAÇÃO
As Entidades atuantes na Corrente Astral de
Umbanda, nas 7 Vibrações Originais, dividem-se em
3 planos: o dos Orishas, o dos Guias e o dos
Protetores. Na Lei de Pemba as Entidades podem se
identificar num desses 3 planos. Vejamos os sinais
de Yorimá:
a) A Banda ou Vibração-Forma é a de Pretos-Velhos,
cuja flecha é reta.