Você está na página 1de 24

Profª. Drª.

Georgete Lopes Freitas –


georgete.lf@gmail.com
1 - Departamento
de Biblioteconomia (UFMA)
NBR-10520/2002
Norma responsável pela elaboração
de citações bibliográficas.

CITAÇÃO “[...] é a menção, no


texto, de uma informação extraída
de outra fonte.” (ASSOCIAÇÃO...,
2002, p. 1). 2
TIPOS DE CITAÇÕES
CITAÇÃO DIRETA
Transcrição textual de parte da obra do autor consultado.
Podem ser:
a) curtas (até 3 linhas), e vêm inseridas no
parágrafo, destacadas por aspas duplas.
Exemplo
A Leitura é essencial para a produção científica. Assim,
“Os objetivos básicos da leitura são a assimilação, a busca de
conhecimentos, a preparação intelectual para posicionamentos
críticos diante da realidade circundante.” (MEDEIROS, 2007, p. 88).
3
 b) longas (mais de três linhas), são recuadas a 4 cm da
margem esquerda, sem aspas, e com letra menor que
a do restante do texto. Recomenda-se que o texto seja
digitado com fonte 12 e a citação longa, com fonte 10.
Exemplo
Quando se fala em livro, geralmente imagina-se o
livro impresso, que contém diversas folhas
encadernadas. Essa idéia tem origem na etimologia da
palavra. Sobre isso, Fonseca (2007, p.21) comenta:
Em conseqüência [da] etimologia, a palavra livro é
definida pelos dicionários como reunião de cadernos de
papel contendo um texto manuscrito, ou impresso [...]
obra científica, literária ou artística [...]

Cada autor tem seu conceito específico, no entanto, a


palavra livro permanece em todas a nações, com o mesmo
significado, por ex. no Brasil e em Portugal, livro, 4na
Espanha e Itália libro, em francês, livre, em inglês book
e em alemão Buch.
Podem ser indicadas:
a) supressões [...];
b) interpolações, acréscimos ou
comentários [ ];
c) ênfase ou destaque (grifo ou negrito ou
itálico).
Ex.1:
A Comunicação entre os pares pressupõe
um padrão e “A eficácia na comunicação
científica exige um modelo de padronização, na
sua forma de apresentação [...]” (NAHUZ;
FERREIRA, 2002, p. 27, grifo nosso). 5
CITAÇÃO INDIRETA

Texto baseado na obra do autor consultado.

Exemplo

A biblioteca é um recurso pedagógico de


grande auxílio para o universitário e ela pode
fazer a diferença quando oferece livros e demais
documentos atualizados em diversas áreas do
conhecimento (ANDRADE, 2003).
6
CITAÇÕES INDIRETAS
-Nas citações indiretas onde houver
diversos documentos de vários
autores mencionados
simultaneamente, separe-os por
ponto e vírgula (;).
Ex.:
Ela polariza e encaminha, sob a
forma de demanda coletiva, as
necessidades de todos (FONSECA,
1995; PAIVA, 1997; SILVA, 1999). 7
CITAÇÃO DE CITAÇÃO
O autor não se utiliza do texto
original, mas sim de uma citação feita
em obra consultada.

Poderá ser reproduzida direta,


indiretamente, ou traduzida e utiliza-
se a expressão latina apud, seguida
da indicação da fonte efetivamente
consultada. 8
CITAÇÃO DE CITAÇÃO
Exemplo
Desde os primórdios da humanidade, o
homem preocupa-se em guardar dados,
informações, memória, por isso é válido
ressaltar que:
Na medida da produção do registro
informativo, o homem engendrou
sistemas para não dispersar a
informação. Pois, era preciso retê-
la sobre algum suporte concreto
[...] (MILANESI, 1983 apud 9

LUCAS, 2000, p. 46).


Ex. Autor dentro da sentença
De acordo com Boaventura (2004,
p. 37): “É essencial fornecer uma
idéia clara, precisa e delimitada do
tema.”.
Ex. Autor fora da sentença
As investigações científicas
requerem o seguimento de padrões e
“Toda pesquisa inicia-se com algum tipo
de problema. Contudo, defini-lo não é
uma tarefa fácil, pois são várias as suas
acepções [...]” (BOAVENTURA , 2004, 10p.
38).
Quando a citação incluir texto
traduzido por quem está fazendo o
trabalho, utiliza-se a expressão
tradução nossa, entre parênteses.

EX.:
Ao fazê-lo, pode estar envolto em
culpa, perversão, ódio de si mesmo
[...] pode julgar-se pecador e
identificar-se com seu pecado.
(RAHNER, 1962, p. 463, tradução
nossa). 11
REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO
1 Especificar páginas da fonte consultada,
quando se tratar de citações diretas, após a
data, separados por vírgula e precedidos pelo
termo que caracteriza (páginas- p.).

2 Nas citações, as chamadas devem ser


feitas pelo sobrenome do autor, pela
entidade responsável ou pelo título. Em letras
maiúsculas e minúsculas quando estes
fizerem parte do texto ou sentença. Quando
estiverem fora da sentença, fica entre
parênteses, todo em maiúsculas.
12
AS CITAÇÕES PODEM
APARECER:
A) NO TEXTO;
B) EM NOTAS DE RODAPÉ.

SISTEMA DE CHAMADA
A) SISTEMA AUTOR-DATA
B) SISTEMA NUMÉRICO

PADRONIZAR 13
SISTEMA DE CHAMADA
AUTOR-DATA
Eco (1998, p.126) realça que
“Citar é como testemunhar num
processo.”.

“Citar é como testemunhar num


processo.” (ECO, 1998, p.126).

A citação é tão importante que


pode comparar-se ao testemunho de
um processo (ECO, 1998). 14
NUMÉRICO
Ex.:
Diz Eco: “Citar é como testemunhar num
processo.”² ou (2).
_____________________
²ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São
Paulo: Atlas, 1992. p.20.
Conforme Eco² ou (2): “Citar é como
testemunhar num processo.”.
Conforme Umberto Eco: “Citar é como
testemunhar num processo.”² ou (2).
A citação é tão importante que pode15
comparar-se ao testemunho de um processo²
ou (2).
NOTAS DE RODAPÉ

a) Notas Explicativas
Ex. No texto:
Diante de um texto, a intenção do aluno
deverá ser ler para obter dados e informações
que incrementem as discussões a respeito do
tema trabalhado. Isso facilitará a elaboração de
resumos, resenhas bibliográficas², fichamentos
etc.

Na nota de rodapé
______________
²Implica na apreciação, julgamento ou opinião do
aluno sobre a obra lida.
16
NOTAS DE RODAPÉ

b) Notas de Referência

Ex. no texto:
Os direitos humanos devem ser
respeitados.³

na nota de rodapé:
_____________________
³FARIA, José Eduardo. Direitos
sociais e justiça. São Paulo:
Malheiros, 1994. 17
- As citações constantes da mesma obra, podem
ser referenciadas de forma abreviada, utilizando
as expressões:

a) Idem – mesmo autor – Id.;

Ex.:
________________
²ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS
TÉCNICAS. NBR 10520: informação e
documentação: citações em documentos:
apresentação. Rio de Janeiro, 2002. p.2.
³Id. NBR 6023: informação e documentação:
referências: apresentação. Rio de Janeiro, 2000.
p.19.
18
b) Ibidem – na mesma obra –
Ibid.;
Ex.: _
________
¹GEERTZ, C. A interpretação
das culturas. São Paulo: Atlas,
1925. p. 176.
²Ibid., p. 190.
19
c) Opus citatum – opere citato –
op. cit.
Ex.:
________
¹GEERTZ, C. A interpretação
das culturas. São Paulo: Atlas,
1925. p. 20.
²ADORNO, T. Dialética negativa.
São Paulo: Atlas, 1997. p. 38.
³GEERTZ, op. cit., p. 40. 20
d) Passim – aqui e ali, em
diversas passagens - passim.
Ex.:
____________
²ADORNO, T. Dialética
negativa. São Paulo: Atlas,
1997. p. 38.
³Ibid., 1997, passim.
21
e) Cf. (conferir, confrontar) –
remissão do leitor para páginas
ou documentos citados no
trabalho.

Ex.:
__________________
²Cf. p.17.
³Cf. ADORNO, José. Filosofia.
São Paulo: Harbra, 1997. p.30.

22
REFERÊNCIAS
ALMEIDA, Rotilde Caciano de. Organização do trabalho
intelectual. Brasília, DF: Thesaurus, 1987.
BRASIL. Presidência da República. Câmara da Reforma do Estado.
Plano diretor da reforma do aparelho do Estado. Brasília, DF,
1995. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/publ_04/colecao/plandi.htm. Acesso em:
25 jan. 2010.
ECO, Umberto. Como se faz uma tese. 14. ed. São Paulo:
Perspectiva, 1998.
FERREIRA, Lusimar Silva; FERRO, Rubem Rodrigues. Técnicas de
pesquisa bibliográfica e de elaboração de monografias. São
Luís: APBEM, 1983.
LEITE, José Alfredo A. A metodologia de elaboração de teses.
São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1978.
MARTINS, Suzana Matte Silveira. Administração de empresas.
Porto Alegre: EDPUCRS, 1997. 1 CD-ROM.

23
Obs.: Sistema numérico com rodapé ou Sistema
autor-data
REFERÊNCIAS
1ECO, Umberto. Como se faz uma tese. 14. ed. São Paulo:
Perspectiva, 1998. p. 10.
2LEITE,
José Alfredo A. A metodologia de elaboração de teses.
São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1978. p. 15.
3ALMEIDA, Rotilde Caciano de. OTI – Organização do trabalho
intelectual. Brasília, DF: Thesaurus, 1987. p.400.
4OLIVEIRA, José Gerardo Beserra et al. Manual de normas para
redação e apresentação de tese, dissertação ou monografia.
Fortaleza: Ed. UFC, 1981. p. 2.
5FERREIRA, Lusimar Silva; FERRO, Rubem Rodrigues. Técnicas
de pesquisa bibliográfica e de elaboração de monografias.
São Luís: APBEM, 1983. p. 76.
6MARTINS, Suzana Matte Silveira. Administração de empresas.
Porto Alegre: EDPUCRS, 1997. p. 23. 1 CD-ROM.
24

Sistema numérico sem rodapé