Você está na página 1de 484

Índice

Banco do Estado do Rio Grande do Sul S/A

BANRISUL
Escriturário EDITAL DE CONCURSO N° 01/2015
ARTIGO DO WILLIAM DOUGLAS

LÍNGUA PORTUGUESA

Aspectos linguísticos.............................................................................................................................................................01
Ortografia: grafia correta de palavras; acentuação...........................................................................................................01
Morfologia e Sintaxe: Estrutura e formação de palavras: valores de prefixos, radicais e sufixos. Classes de palavras
– usos e valores semânticos. Flexões de tempo, modo, número, pessoa, gênero e grau. Equivalência e transformação de
estruturas. Emprego e valor de nexos. Concordância nominal e verbal. Regência nominal e verbal; crase. Emprego de
sinais de pontuação...................................................................................................................................................................... 11
Análise e interpretação de textos: Compreensão global do texto. Estruturação do texto: recursos de coesão. Ponto de
vista do autor. Significado contextual de palavras e expressões. Informações literais e inferências possíveis....................70

MATEMÁTICA

Funções...................................................................................................................................................................................01
Equações................................................................................................................................................................................01
Inequações..............................................................................................................................................................................01
Sistemas lineares....................................................................................................................................................................37
Sistemas de capitalização: juros simples e compostos.......................................................................................................42
Descontos simples..................................................................................................................................................................42
Taxas de juros: nominal, efetiva, equivalentes, proporcionais, real e aparente..............................................................42
Anuidades ou séries de pagamentos iguais: postecipadas e antecipadas.........................................................................46
Sistemas de Amortização de Empréstimos e Financiamentos..........................................................................................46

RACIOCÍNIO LÓGICO

Números naturais, inteiros, racionais e reais. Operações e propriedades.......................................................................01


Operações com conjuntos: União, intersecção, diferença e complementar. Representação por diagramas................18
Razões e proporções, regra de três simples, regra de três composta, porcentagem.......................................................24
Progressões aritméticas e Progressões geométricas..........................................................................................................38.
Princípio fundamental da contagem, arranjos simples, permutações simples e combinações simples........................46
Probabilidade: Espaço amostral, resultados igualmente prováveis, probabilidade condicional e eventos
independentes...............................................................................................................................................................................50

Didatismo e Conhecimento
Índice

DOMÍNIO PRODUTIVO DE INFORMÁTICA

Conceitos Básicos de Informática: Conceitos práticos e teóricos de informática, Internet e segurança da


informação. ..................................................................................................................................................................................01
Sistema Windows: Componentes da Área de Trabalho; Componentes das Janelas; Configuração do Painel de
Controle; Área de Transferência; Windows Explorer; Formatação e Cópia de discos; Utilização da Ajuda; Programas
nativos...........................................................................................................................................................................................22
BrOffice Calc e Microsoft Excel: Conhecimentos práticos; Atalhos e barra de ferramentas; Formatação de Dados;
Seleção de Células; Funções, Fórmulas e Expressões Matemáticas; Referências absolutas e relativas; Intervalos Nomeados;
Gerenciamento de Arquivos; Gráficos.......................................................................................................................................30
BrOffice Writer e Microsoft Word: Conhecimentos práticos; Atalhos e barra de ferramentas; Modos de seleção de
texto; Formatação de Fonte; Formatação de Parágrafo; Bordas; Marcadores e Numeração; Tabulação; Quebras; Texto
em colunas; Tabelas; Modos de visualização; Cabeçalho e rodapé; Numeração de Páginas; Localização e substituição de
texto; Impressão...........................................................................................................................................................................60
Internet: Conceitos; Browser (Internet Explorer, Google Chrome, Mozilla Firefox);...................................................92
Correio Eletrônico: conceitos; Gerenciador de e-mail (Outlook Express);................................................................... 114
Vírus e segurança da informação......................................................................................................................................121

ÉTICA E LEGISLAÇÃO DE EQUIDADE DE GÊNEROS E IGUALDADE RACIAL

Conceito de ética....................................................................................................................................................................01
Ética aplicada: ética, moral, valores e virtudes; noções de ética empresarial e profissional.........................................01
A gestão de ética nas empresas públicas e privadas...........................................................................................................01
Código de Conduta Ética do Banrisul.................................................................................................................................09
Temática de gênero, raça e etnia, conforme Decreto nº 48.598, de 19 de novembro de 2011.........................................12
BRASIL. Lei Federal nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. Lei Maria da Penha................................................................12
BRASIL. Lei Federal nº 12.288, de 20 de julho de 2010. Estatuto da Igualdade Racial................................................20
RIO GRANDE DO SUL. Lei Estadual nº 13.694, de 19 de janeiro de 2011. Estatuto Estadual da Igualdade
Racial..................................................................................................................................................................................... 29

TÉCNICAS DE VENDAS

Noções de administração de vendas: planejamento, estratégias, objetivos e metas.......................................................01


Técnicas de vendas de Produtos e Serviços financeiros no setor bancário: planejamento, técnicas; motivação para
vendas............................................................................................................................................................................................03
Composto de Marketing: Produto, Preço, Praça, Promoção............................................................................................05
Vantagem competitiva...........................................................................................................................................................06
Análise de mercado e da concorrência................................................................................................................................08
Manejo de carteira de Pessoa Física e de Pessoa Jurídica................................................................................................10
Código de Proteção e Defesa do Consumidor: Lei nº 8.078/1990..................................................................................... 11
BANCO CENTRAL DO BRASIL. Resolução 4.433, de 23/07/2015................................................................................22

ATENDIMENTO

Características dos serviços bancários: intangibilidade, inseparabilidade, variabilidade e perecibilidade.................01


Noções de Marketing de Relacionamento...........................................................................................................................01
Satisfação e retenção de clientes. ........................................................................................................................................02
Valor percebido pelo cliente.................................................................................................................................................03
Etiqueta empresarial: comportamento, aparência, cuidados no atendimento pessoal e telefônico (telemarketing)... 04

Didatismo e Conhecimento
Índice
Interação entre vendedor e cliente.......................................................................................................................................08
Qualidade no atendimento a clientes...................................................................................................................................09
Resolução CMN nº 4.433, de 23/07/15 - Sobre a constituição e o funcionamento de componente organizacional de
ouvidoria pelas instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil......17

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS

Sistema Financeiro Nacional - estrutura e funções............................................................................................................01


Autoridades Monetárias – estrutura e funções..................................................................................................................01
Políticas Econômicas: Noções de política monetária, política fiscal e política cambial.................................................. 11
Mercado Financeiro: mercado monetário, mercado de crédito, mercado de capitais; mercado cambial, mercado de títulos
públicos federais, mercado interbancário, sistema de liquidação e custódia, taxas de juros do mercado financeiro........12
Mercado Bancário: Produtos de serviço, produtos de captação, produtos de empréstimo, crédito rural, financiamento
para investimento, leasing...........................................................................................................................................................18
Mercado de Capitais - estrutura e funcionamento, mercado de ações e de derivativos.................................................33
Fundos de investimentos: Fundos de investimento em renda fixa, fundos de renda variável, fundos referenciados em
dólar, fundos de investimento orientados à aposentadoria......................................................................................................34
Regras prudenciais: risco de crédito, cambial, de mercado e de liquidez; conceito de patrimônio de referência, regras
prudenciais definidas pelo CMN às instituições financeiras....................................................................................................36
Noções de: falhas de serviço, fatores de satisfação, governança corporativa, estratégia de segmentação, diferenciação
e clientes private...........................................................................................................................................................................39

Didatismo e Conhecimento
SAC

Atenção
SAC
Dúvidas de Matéria
A NOVA APOSTILA oferece aos candidatos um serviço diferenciado - SAC (Serviço de Apoio ao Candidato).
O SAC possui o objetivo de auxiliar os candidatos que possuem dúvidas relacionadas ao conteúdo do edital.
O candidato que desejar fazer uso do serviço deverá enviar sua dúvida somente através do e-mail: professores@
novaconcursos.com.br.
Todas as dúvidas serão respondidas pela equipe de professores da Editora Nova, conforme a especialidade da
matéria em questão.
Para melhor funcionamento do serviço, solicitamos a especificação da apostila (apostila/concurso/cargo/Estado/
matéria/página). Por exemplo: Apostila Professor do Estado de São Paulo / Comum à todos os cargos - Disciplina:.
Português - paginas 82,86,90.
Havendo dúvidas em diversas matérias, deverá ser encaminhado um e-mail para cada especialidade, podendo
demorar em média 10 (dez) dias para retornar. Não retornando nesse prazo, solicitamos o reenvio do mesmo.

Erros de Impressão
Alguns erros de edição ou impressão podem ocorrer durante o processo de fabricação deste volume, caso
encontre algo, por favor, entre em contato conosco, pelo nosso e-mail, sac@novaconcursos.com.br.
Alertamos aos candidatos que para ingressar na carreira pública é necessário dedicação, portanto a NOVA
APOSTILA auxilia no estudo, mas não garante a sua aprovação. Como também não temos vínculos com a
organizadora dos concursos, de forma que inscrições, data de provas, lista de aprovados entre outros independe
de nossa equipe.
Havendo a retificação no edital, por favor, entre em contato pelo nosso e-mail, pois a apostila é elaborada com
base no primeiro edital do concurso, teremos o COMPROMISSO de enviar gratuitamente a retificação APENAS por
e-mail e também disponibilizaremos em nosso site, www.novaapostila.com.br, na opção ERRATAS.
Lembramos que nosso maior objetivo é auxiliá-los, portanto nossa equipe está igualmente à disposição para
quaisquer dúvidas ou esclarecimentos.

CONTATO COM A EDITORA:


2206-7700 / 0800-7722556

nova@novaapostila.com.br

@novaconcurso\\

/NOVAConcursosOficial

NovaApostila

Atenciosamente,
NOVA CONCURSOS
Grupo Nova Concursos
novaconcursos.com.br

Didatismo e Conhecimento
Artigo
O conteúdo do artigo abaixo é de responsabilidade do autor William Douglas, autorizado gentilmente e sem cláusula
de exclusividade, para uso do Grupo Nova.
O conteúdo das demais informações desta apostila é de total responsabilidade da equipe do Grupo Nova.

A ETERNA COMPETIÇÃO ENTRE O LAZER E O ESTUDO

Por William Douglas, professor, escritor e juiz federal.

Todo mundo já se pegou estudando sem a menor concentração, pensando nos momentos de lazer, como também já deixou de
aproveitar as horas de descanso por causa de um sentimento de culpa ou mesmo remorso, porque deveria estar estudando.
Fazer uma coisa e pensar em outra causa desconcentração, estresse e perda de rendimento no estudo ou trabalho. Além da
perda de prazer nas horas de descanso.
Em diversas pesquisas que realizei durante palestras e seminários pelo país, constatei que os três problemas mais comuns de
quem quer vencer na vida são:
• medo do insucesso (gerando ansiedade, insegurança),
• falta de tempo e
• “competição” entre o estudo ou trabalho e o lazer.

E então, você já teve estes problemas?


Todo mundo sabe que para vencer e estar preparado para o dia-a-dia é preciso muito conhecimento, estudo e dedicação, mas
como conciliar o tempo com as preciosas horas de lazer ou descanso?
Este e outros problemas atormentavam-me quando era estudante de Direito e depois, quando passei à preparação para concursos
públicos. Não é à toa que fui reprovado em 5 concursos diferentes!
Outros problemas? Falta de dinheiro, dificuldade dos concursos (que pagam salários de até R$ 6.000,00/mês, com status e
estabilidade, gerando enorme concorrência), problemas de cobrança dos familiares, memória, concentração etc.
Contudo, depois de aprender a estudar, acabei sendo 1º colocado em outros 7 concursos, entre os quais os de Juiz de Direito,
Defensor Público e Delegado de Polícia. Isso prova que passar em concurso não é impossível e que quem é reprovado pode “dar a
volta por cima”.
É possível, com organização, disciplina e força de vontade, conciliar um estudo eficiente com uma vida onde haja espaço para
lazer, diversão e pouco ou nenhum estresse. A qualidade de vida associada às técnicas de estudo são muito mais produtivas do que a
tradicional imagem da pessoa trancafiada, estudando 14 horas por dia.
O sucesso no estudo e em provas (escritas, concursos, entrevistas etc.) depende basicamente de três aspectos, em geral,
desprezados por quem está querendo passar numa prova ou conseguir um emprego:
1º) clara definição dos objetivos e técnicas de planejamento e organização;
2º) técnicas para aumentar o rendimento do estudo, do cérebro e da memória;
3º) técnicas específicas sobre como fazer provas e entrevistas, abordando dicas e macetes que a experiência fornece, mas que
podem ser aprendidos.
O conjunto destas técnicas resulta em um aprendizado melhor e em mais sucesso nas provas escritas e orais (inclusive entrevistas).
Aos poucos, pretendemos ir abordando estes assuntos, mas já podemos anotar aqui alguns cuidados e providências que irão
aumentar seu desempenho.
Para melhorar a “briga” entre estudo e lazer, sugiro que você aprenda a administrar seu tempo. Para isto, como já disse, basta
um pouco de disciplina e organização.
O primeiro passo é fazer o tradicional quadro horário, colocando nele todas as tarefas a serem realizadas. Ao invés de servir
como uma “prisão”, este procedimento facilitará as coisas para você. Pra começar, porque vai levá-lo a escolher as coisas que não são
imediatas e a estabelecer suas prioridades. Experimente. Em pouco tempo, você vai ver que isto funciona.
Também é recomendável que você separe tempo suficiente para dormir, fazer algum exercício físico e dar atenção à família ou
ao namoro. Sem isso, o estresse será uma mera questão de tempo. Por incrível que pareça, o fato é que com uma vida equilibrada o
seu rendimento final no estudo aumenta.
Outra dica simples é a seguinte: depois de escolher quantas horas você vai gastar com cada tarefa ou atividade, evite pensar em
uma enquanto está realizando a outra. Quando o cérebro mandar “mensagens” sobre outras tarefas, é só lembrar que cada uma tem
seu tempo definido. Isto aumentará a concentração no estudo, o rendimento e o prazer e relaxamento das horas de lazer.
Aprender a separar o tempo é um excelente meio de diminuir o estresse e aumentar o rendimento, não só no estudo, como em
tudo que fazemos.

*William Douglas é juiz federal, professor universitário, palestrante e autor de mais de 30 obras, dentre elas o best-seller
“Como passar em provas e concursos” . Passou em 9 concursos, sendo 5 em 1º Lugar
www.williamdouglas.com.br
Conteúdo cedido gratuitamente, pelo autor, com finalidade de auxiliar os candidatos.

Didatismo e Conhecimento
LÍNGUA PORTUGUESA
LÍNGUA PORTUGUESA

Prof. Carlos Kappler


c) palavras derivadas do verbo ter: abster (abstenção), ater
(atenção), reter (retenção).

Pós-Graduação na Faculdade São Luís: Língua Portugue- d) palavras derivadas do verbo torcer: torção, distorção.
sa, Compreensão e Produção de Textos; Bacharel em Letras pela
USP; Coordenador Pedagógico e Professor de Língua Portuguesa e) nos sufixos -aça, -aço, ança, -ção, -ença, -iça, -uço: barca-
em diversos cursos preparatórios; Autor de diversas apostilas de ça, golaço, balança, embarcação, crença, preguiça, dentuço.
Português e de testes comentados para concursos.
f) palavras derivadas de outras que possuam t no radical: can-
tar (canção), exceto (esxeção), setor (seção).
ASPECTOS LÍNGUÍSTICOS. CH
ORTOGRAFIA: GRAFIA CORRETA DAS
PALAVRAS; ACENTUAÇÃO a) Nas iniciais cham e cho: champanha, chaminé, chocolate,
chocalho.
Exceção: xampu.

Os aspectos linguísticos são voltados para o funcionamento b) Nos sufixos -acho, -icho e ucho(a): riacho, esguicho,
da língua no que diz respeito à sua sistematização. Vão desde os gaúcho(a).
conceitos fonológicos, morfológicos, sintáticos, semânticos, bus-
cando-se melhor compreensão entre seus falantes. c) Nas palavras cognatas (que provêm de uma raiz comum):
chamar (chamariz), chave (chaveiro), piche (pichador).
ORTOGRAFIA: GRAFIA CORRETA DAS PALAVRAS
G
Observe o trecho a seguir:
a) após o a inicial: agente, agiota, agir, agouro.
O excesso de exceções faz com que sejamos obcecados e
obsessivos, na ânsia de aprender, ficamos pretensiosos e pouco
b) após r: aspergir, divergir, sargento, virgem.
concisos.
Exceções: gorjeta, sarja, sarjeta.
Provavelmente você teria dificuldades para escrever correta- c) verbos terminados em -er e -ir: viger, fingir, fugir, infringir.
mente todas as palavras destacadas da frase acima. A Ortografia,
que é a parte da gramática que trata da escrita correta das palavras, d) Nas terminações verbais -ger e -gir: proteger, divergir, vi-
está relacionada a critérios etimológicos (origem das palavras) e ger.
fonológicos (representação dos fonemas). Pode-se dizer que ela é
fruto de uma convenção: Acordos Ortográficos que envolvem os e) Nas terminações -agem, -igem, -ugem: fuligem, aragem,
países em que a língua portuguesa é oficial. selvagem, penugem. Exceções: verbo viajar - Que eles viajem;
A melhor maneira de fixar as regras ortográficas é escrever lambujem, pajem.
várias frases com as palavras que se têm dificuldade e, sempre que
possível, recorrer a um bom dicionário. f) Nas terminações -ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio: pedágio,
colégio, litígio, relógio, refúgio.
Com a Reforma Ortográfica, que ainda não entrou em vigor, o
nosso alfabeto passa a ser composto oficialmente de 26 letras. São g) derivadas de palavras que contenham j no radical: jeito -
elas: A, B, C, D, E, F, G, H, I, J, K, L, M, N, O, P, Q, R, S, T, U, ajeitar, juízo - ajuizar.
V, W, X, Y, Z.
H
Seguem abaixo, algumas regras que poderão auxiliá-lo na
hora de escrever. É uma letra que não apresenta fonema. É utilizada:
Regras que poderão auxiliá-lo na hora de escrever. a) No início ou no fim das interjeições: ah!, hi!; hem!
Emprego de consoantes b) O segundo elemento do composto for unido ao primeiro por
hífen: super-homem; anti-higiênico.
Ç
c) Em razão da etimologia: humilde, horta, hindu.
a) após ditongos: afeição, beiço.
Exceções: coice, foice. Observação: Bahia - nome de estado, grafa-se com h, porém,
as formas derivadas, escrevem-se sem ele: baiano, baianada.
b) palavras africanas, árabes ou indígenas: açaí, açoite, ba-
baçu, caçula. d) verbo haver e flexões: havemos, haverei, houvesse, houve.

Didatismo e Conhecimento 1
LÍNGUA PORTUGUESA
Emprego do J c) Após ditongos: caixa, peixe, feixe, ameixa. Exceções: re-
cauchutagem, caucho.
a) Palavras de origem tupi, árabe ou africana: canjica, alfor-
je, acarajé, Moji. d) Após sílaba inicial en: enxaguar, enxuto, enxada. Exce-
ções: encharcar, encher, enchova.
b) Terminação -aje: laje, ultraje, traje.
e) Nas palavras de origem indígena ou africana: xará, xa-
c) Nas formas dos verbos terminados em -jar: viajar, despejar; vante, Caxambu.
sobrepujar, enferrujar.
f) Nas palavras de origem inglesa: xerife, xampu.
d) Nas palavras derivadas de outras em que ela já exista: gorja
- gorjear, cereja - cerejeira, rijo - enrijecer, varejo - varejista. Z

e) palavras de origem latina: hoje, jeito, majestade, objeto. a) palavras iniciadas por a: azar, azedo, azia, azul.
Exceções: asa, Ásia, asilo.
K, W e Y
b) Nas palavras que derivam de outras em que ela já exista:
São empregadas apenas em abreviaturas ou símbolos científi- baliza - abalizado; raiz - enraizamento; deslize - deslizar.
cos, bem como em nomes próprios e seus derivados. Exemplos: K
- símbolo do potássio; kg - quilograma; watt; yd - jarda; Kappler; c) Nos sufixos -ez e -eza (formadores de substantivos abstra-
William; Yone; wagnerismo; darwinismo. tos a partir de adjetivos: nobre - nobreza; surdo - surdez; macio
- maciez; avaro - avareza)
S
d) Nos sufixos -izar (formadores de verbos): civilizar, coloni-
a) Nas palavras que derivam de outras em que ela já existe: zar, realizar, concretizar.
casa - casinha, casebre; análise - analisar, analisador; português -
portuguesa, aportuguesar. e) no final da palavra em que o fonema “z” não estiver entre
Exceções: catequizar, batizar, sintetizar. vogais: algoz, audaz, cicatriz, cuscuz, giz, sagaz.
Exceções: ananás, após, atrás, gás, invés, lilás, quis, revés,
b) Após ditongos: coisa, lousa, tesoura, pausa, Cleusa. viés.

c) Formas verbais dos verbos pôr e querer: quis, quisesse, f) verbos terminados em -er e -ir: benzer, cozer, abduzir, pro-
quisera, pus, pusesse, puser. duzir.
Exceções: coser (costurar), transir (respirar)
d) No prefixo trans-: transportadora, transatlântico.
Emprego das vogais
e) Nos sufixos -ês, -esa, -isa: baronesa, marquesa, burguês,
poetisa. E

f) Nos sufixos -oso, -osa: dengoso, saborosa. Nas formas dos verbos terminados em -oar, -uar, no Presente
do Subjuntivo: abençoe, continue, pontue, perdoe.
g) Nos adjetivos terminados pelo sufixo -oso(a): cheirosa, ga-
soso, dengosa, horroroso. Nas formas dos verbos terminados em -IR (segunda e terceira
pessoa do singular e terceira pessoa do plural): sentir - sentes, sen-
h) Nos vocábulos iniciados pelas vogais i, o e u: Isabel, Osó- te, sentem; partir - partes, parte, partem.
rio, uso.
Exceção: ozônio. Nas formas rizotônicas (sílaba tônica no radical) dos verbos
mediar, ansiar, remediar, incendiar, odiar e intermediar: medeie,
i) Nas terminações -ase, -ese, -ise e ose: fase, catequese, ca- anseies, remedeio, incendeio, odeies, intermedeiam.
tálise, apoteose.
Exceções: deslize, gaze. Grafam-se com e:
beneficência
X cadeado
candeeiro
a) Após a sílaba inicial me: mexilhão, mexer, mexicano. Ex- creolina
ceção: mecha e derivados. cumeeira
descortinar
b) Após as sílabas iniciais bru (bruxa), gra (graxa), la (laxan- descrição
te), li (lixo), lu (luxo). descriminar

Didatismo e Conhecimento 2
LÍNGUA PORTUGUESA
desperdício cãibra ou câimbra
despensa carroçaria ou carroceria
empecilho catorze ou quatorze
espontâneo catucar ou cutucar
peão chipanzé ou chimpanzé
periquito clina ou crina
prazerosamente cociente ou quociente
rédea coisa ou cousa
terebintina cota ou quota
cotidiano ou quotidiano
I cotizar ou quotizar
covarde ou cobarde
Nas formas dos verbos terminados em -air, -oer, -uir, na 2ª e cuspe ou cuspo
3ª pessoas do singular do Presente do Indicativo: cai, dói, contri- degelar ou desgelar
buis, possuis. dependurar ou pendurar
desenxavido ou desenxabido
Grafam-se com i: dourado ou doirado
elucubração ou lucubração
aborígine empanturrar ou empaturrar
camoniano engambelar ou engabelar
casimira enlambuzar ou lambuzar
crioulo entoação ou entonação
digladiar entretenimento ou entretimento
discernir enumerar ou numerar
discrepância espuma ou escuma
discrição estalar ou estralar
disenteria exorcizar ou exorcismar
dispensa (licença) flauta ou frauta
displicência flecha ou frecha
impigem fleuma ou flegma
lampião flocos ou frocos
manteigueira gengibirra ou jinjibirra
meritíssimo geringonça ou gerigonça
pião (brinquedo) gorila ou gorilha
privilégio hemorróidas ou hemorróides
impingem ou impigem
Palavras que apresentam dupla prosódia (ambas corretas) imundícia, imundície ou imundice
infarto, enfarte ou enfarto
abaixar ou baixar intrincado ou intricado
abdome ou abdômen laje ou lajem
afeminado ou efeminado lantejoula ou lentejoula
ajuntar ou juntar leste ou este
aluguel ou aluguer limpar ou alimpar
aritmética ou arimética lisonjear ou lisonjar
arrebitar ou rebitar louça ou loiça
arremedar ou remedar louro ou loiro
assoalho ou soalho maltrapilho ou maltrapido
assobiar ou assoviar maquiagem ou maquilagem
assoprar ou soprar maquiar ou maquilar
aterrissar ou aterrizar ou aterrar marimbondo ou maribondo
avoar ou voar melancólico ou merencório
azálea ou azaleia menosprezo ou menospreço
bêbado ou bêbedo mobiliar, mobilhar ou mobilar
bebadouro ou bebedouro mozarela ou muçarela
bilhão ou bilião neblina ou nebrina
bílis ou bile nenê ou neném
biscoito ou biscouto parêntese ou parêntesis
bravo ou brabo percentagem ou porcentagem
bujão ou botijão peroba ou perova

Didatismo e Conhecimento 3
LÍNGUA PORTUGUESA
pitoresco, pinturesco ou pintoresco Uso do hífen
plancha ou prancha
pólen ou polem De modo geral, é empregado:
presépio ou presepe
protocolar ou protocolizar a) separação de sílabas de uma palavra, inclusive na transline-
quadriênio ou quatriênio ação (mudança de linha). Exs: ca-de-a-do,
radioatividade ou radiatividade a-ba-ca-te, sor-ve-te-ria;
rastro ou rasto
registro ou registo
b) para ligar adjetivos compostos: azul-claro, azul-escuro,
relampadar, relampadear, relampadejar, relampaguear, relam-
paguejar, relampar, azul-marinho;
relampear, relampejar, relamprar
remoinho ou redemoinho c) para ligar pronomes enclíticos ou mesoclíticos: dai-me,
ridiculizar ou ridicularizar faça-me, vendê-lo-ei, compar-me-ia.
salobra ou salobre
seção ou secção Regras especiais
selvageria ou selvajaria
sobressalente ou sobresselente I. Sempre existirá diante de palavras iniciadas por h. Exem-
surripiar ou surrupiar plos: anti-higiênico, extra-humano, super-homem.
taberna ou taverna Exceção: subumano.
taramela ou tramela
televisar ou televisionar II. Não será usado em palavras com prefixo ou falso prefixo,
terraplenagem ou terraplanagem
terminado por uma vogal e com a palavra seguinte iniciada por vo-
terremoto ou terramoto
tesoura ou tesoira gal diferente. Exemplos: autoescola, antiamericano, infraestrutura,
tesouro ou tesoiro semiautomático.
toicinho ou toucinho
transladar ou trasladar III. Não será usado em palavra iniciada por consoante + pre-
transpassar ou traspassar ou trespassar fixo terminado em vogal. Exemplos: autoproteção, microcompu-
transvestir ou travestir tador, seminua.
treinar ou trenar
tríade ou tríada IV. Palavras que começam pelas letras r ou s + prefixo que
trilhão ou trilião termina em vogal não terão hífen e essas letras (r, s) ficaram dupli-
vargem ou varge cadas. Exemplos: antessala, antirrugas, infrassom.
várzea ou várgea
vassoura ou bassoura V. Prefixo terminado em vogal mais palavra começada pela
verruga ou berruga
mesma vogal , empregar-se-á o hífen. Exemplos: anti-inflamató-
vespa ou bespa
rio, micro-ondas, micro-organismo.
Escreva corretamente
VI. Se o prefixo terminar por consoante haverá hífen se a pa-
beneficência lavras seguinte começar pela mesma consoante. Exemplos: inter-
beneficente -regional, inter-racial, sub-base.
cabeleireiro
chuchu Observações:
de repente
disenteria 1. Com os prefixos além, aquém, ex, grã, pós, pré (tônico),
empecilho pró (tônico), recém, sem, vice - usa-se sempre o hífen: além-mar,
exceção aquém-mar, ex-amante, grã-duquesa, pós-graduação, pré-vestibu-
êxito lar, pró-europeu, recém-formado, vice-campeão.
hesitar
jiló
2. O prefixo co junta-se em geral ao segundo elemento - coor-
manteigueira
mendigo denar, coobrigação. Exceção: se a palavra seguinte iniciar-se por
meritíssimo “h”: co-herdeiro.
misto
mortadela 3. Com os prefixos circum e pan - usa-se o hífen diante de pa-
prazerosamente lavra iniciada por m, n e vogal: pan-americano, circum-navegação.
privilégio
salsicha VII. Para sufixo de origem tupi-guarani como: açu, guaçu, mi-
sobrancelhas rim, deve-se usar hífen. Exemplos: amoré-guaçu, capim-açu.

Didatismo e Conhecimento 4
LÍNGUA PORTUGUESA
VIII. O hífen deve ser usado em duas ou mais palavras que, ACENTUAÇÃO
quando se agrupam, formam um encadeamento vocabular. Exem-
plos: eixo Rio-São Paulo, Ponte Rio-Niterói. Leia o parágrafo abaixo:

IX. Em palavras que perderam a noção de composição, o hífen Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo prin-
não será usado. Exemplos: mandachuva, paralamas, paraquedas. cípio ou pelo fim, isto é, se poria em primeiro lugar o meu nasci-
mento ou a minha morte. Suposto o uso vulgar seja começar pelo
X. Não se emprega o hífen em palavras que perderam a noção nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente
de composição: girassol, paraquedas, mandachuva, pontapé. método: a primeira é que eu não sou propriamente um autor de-
funto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço;
XI. Em regra, não é empregado em locuções: a segunda é que o escrito ficaria assim mais galante e mais novo.
Moisés, que também contou a sua morte, não a pôs no intróito, mas
a) adjetivas: cor de vinho, cor de café com leite; no cabo; diferença radical entre este livro e o Pentateuco. (Trecho
de Memórias Póstumas de Brás Cubas, Machado de Assis).
b) adverbiais: à vontade, depois de amanhã, por cima;
O parágrafo acima apresenta cento e uma palavras, apenas
c) conjuncionais: a fim de que, contanto que, visto que; dez delas recebem acento gráfico (Na Língua Portuguesa existem
apenas três: acento agudo, acento grave e acento circunflexo), ou
d) prepositivas: acima de, a fim de, por cima de; seja, 10 por cento. Pode-se concluir que a maioria das palavras têm
e) pronominais: cada um, nós mesmos, quem quer que seja; apenas acento tônico (sílaba pronunciada com mais intensidade).
Em nossa língua, a posição da sílaba tônica é contada a partir
f) substantivas: fim de semana, sala de aula, sala de jantar. da última sílaba da palavra, fazendo com que a classifiquemos em
três posições, podendo ser oxítonas (acento tônico recaindo na úl-
Observação: há exceções já consagradas pelo uso - água-de- tima sílaba), paroxítonas (acento recaindo na penúltima sílaba) e
-colônia, cor-de-rosa, dois-pontos, mais-que-perfeito, pé-de-meia. proparoxítonas (acento recaindo na antepenúltima sílaba).
Grafia e emprego dos porquês
Conceitos importantes
1. Por que
Sílaba tônica: é aquela proferida com mais intensidade que
as outras.
a) Início de frases interrogativas: Por que é difícil aprender
Matemática?
Acento tônico: está relacionado com a intensidade de som e
b) Quando se subentende a palavra motivo ou razão: Ninguém ocorre em todas as palavras com duas ou mais sílabas.
explicou por que Matemática é tão difícil.
Acento gráfico: Existirá em algumas palavras e será utilizado
c) Quando é possível a substituição pelas expressões pelo qual de acordo com as regras de acentuação.
e suas flexões: São justas as causas por que reivindicamos melho- Quanto aos monossílabos (uma sílaba), eles podem ser:
res salários.
Átonos: artigos, preposições, conjunções e pronomes oblí-
2. Porque quos (exceto mim, ti, si): o, a, por, me, te, se.

a) Resposta a perguntas: Não vim porque estava chovendo. Tônicos: substantivos, adjetivos, verbos, pronomes (exceto os
(Pode ser substituído por pois) oblíquos), advérbios, numerais e interjeições: pá, pé, pó, cor, ar,
mau, bom, mãe.
b) Quando for igual a para que: Reclamava porque fosse dis- Quanto à sílaba tônica, as palavras podem ser classificadas
cutido o aumento salarial. em:

c) Pergunta com resposta implícita. Por que você faltou à oxítonas - a sílaba tônica é a última sílaba da palavra.: escre-
aula? Não será porque estava indisposta? ver, comer, Amapá, você, jiló, ninguém, pulmão.

3. Por Quê paroxítonas - a sílaba tônica é a penúltima sílaba da palavra:


bolsa, segredo, fêmur, álbum, órfão, tristeza.
Usado no final de uma pergunta direta ou indireta, sem deter-
minante. Você chegou atrasado, por quê? proparoxítonas - a sílaba tônica é a antepenúltima sílaba da
palavra: xícara, bêbado, estudássemos, ganhássemos, pródigo.
4. Porquê
Regras básicas
Usado precedido de um determinante (artigo ou pronome),
exercendo a função de um substantivo: Ele queria saber o porquê a) Acentuam-se os monossílabos tônicos terminados em A,
de sua desatenção. E, O, seguidos ou não de S: pá(s), pé(s), pó(s).

Didatismo e Conhecimento 5
LÍNGUA PORTUGUESA
b) Acentuam-se todas as palavras proparoxítonas: médico, Palavras que causam dúvidas
lúcida, último.
São palavras oxítonas:
c) Acentuam-se as oxítonas terminadas em A, E, O, segui-
das ou não de S e as terminadas em EM (ENS): sofá(s), café(s), cateter
cipó(s), também, parabéns. condor
hangar
d) Acentuam-se as paroxítonas terminadas em L, R, X, N, mister
PS, I, IS, US, UM, UNS, Ã, ÃS, ÃO, ÃOS, Ditongos Orais: útil, nobel
éter, xérox, próton, fórceps, táxi, lápis, álbum, álbuns, ímã, órfãs, novel
bênção, sótãos, cárie, árduo. ruim
sutil
ureter
Regras especiais
São palavras paroxítonas:
a) Acentuam-se os ditongos abertos EI, OI quando forem
oxítonos: herói, dói, anéis, papéis, caso sejam paroxítonos não re- austero
ceberão mais acento: assembleia, ideia, paranoia, joia. avaro
Observação: o ditongo aberto EU continua sendo acentua- aziago
do, seja oxítono ou paroxítono: chapéu, véu, ilhéus, céu. batavo
ciclope
b) Hiatos - acentuam-se o I e U tônicos, acompanhados ou circuito
não de S: recaída, Anhangabaú. decano
Observação Se o I for seguido de NH, não haverá acento: rai- efebo
nha, bainha; também não haverá acento quando o I ou o U forem filantropo
acompanhadas de outra letra que não seja S: juiz, ruim. fortuito
gratuito
c) Não são mais acentuados os grupos EE e OO: creem, ibero
leem, enjoo, perdoo. intuito
libido
d) Trema - somente receberá o trema os nomes próprios e Madagáscar
seus derivados: Müller, mülleriano. maquinaria
misantropo
necropsia
e) Acentos Diferenciais - Foram mantidos apenas:
pudico
quiromancia
pôr (verbo), para diferenciar de por (preposição); recorde
rubrica
pôde (3ª pessoa do singular do pretérito perfeito), para dife-
renciar de pode (3ª pessoa do singular do presente o indicativo). São palavras proparoxítonas

f) Formas verbais acompanhadas de pronomes oblíquos - Ágape


Considera-se apenas a forma verbal sem o pronome. Ex.: matá-la Álacre
(oxítona terminada em A) Álibi
Anátema
g) Formas verbais ter e vir e seus derivados (ele tem / eles Ínterim
têm; ela vem / elas vêm; ele mantém / eles mantêm). zênite

h) Não se acentua mais a vogal “u” nas formas verbais prece- EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
didas de “g” ou “q” e antes de “e” ou “i”: argui, averigue, enxague,
oblique. 1. Complete as palavras convenientemente.
pr.....vilégio
m.....x.....rica
i) Não se acentuam mais o “i” e “u” tônicos em paroxítonas,
um.....decer
quando precedidos de ditongo: baiuca, bocaiuva, feiura, caiula. marc.....neiro
Observação: Se a palavra for oxítona e o “i” ou o “u” es- d.....sprevenido
tiverem em posição final (seguida ou não de “s”), a acento será cam.....ndongo
mantido: Piauí, tuiuiús. p.....lir
p.....leiro

Didatismo e Conhecimento 6
LÍNGUA PORTUGUESA
p.....lenta pê.....ego
b.....lir bru.....a
mai.....ena ob.....eno
framboe.....a me.....er
enfi.....ema fa.....ínora
va.....ar alca.....ofra
fle.....a plebi.....ito
pi.....e can.....ica
ma.....i.....o
cafa.....este o....eri.....a
.....eito ob.....e.....ão
pa.....em bisse.....to
va.....em calcár.....o
.....iló re.....isão
na.....cer aboríg.....ne
fa.....ista fa.....ínio
cuscu..... alís.....os
cri.....ântemo conten.....ão
excur.....ão cas.....mira
pa.....oca man.....edoura
en.....ebado jab.....ti
.....mpecilho fem.....ral
jab.....ticaba
pát.....o 2. Preencha as lacunas com por que, porque, porquê ou por
táb.....a quê.
b.....tijão a) Quero saber .................... você não quer ir ao concerto no
c.....rtume Teatro Municipal.
ab.....lir b) Você não quer ir ao concerto no Teatro Municipal
pesqui.....ar ....................?
reb.....liço c) .................... você não quer ir ao concerto no Teatro Mu-
atra.....ado nicipal?
bele.....a d) Por mais que justifique, não consigo entender o ....................
en.....oval de não ter ido ao concerto no Teatro Municipal.
anali.....ar e) Não fui ao concerto no Teatro Municipal .................... os
en.....urrada ingressos estavam esgotados.
desli.....e
ca.....umba 3. Acentue quando necessário.
pi.....aim cha
pa.....é chamine
.....u.....u talvez
preten.....io.....o ves
en.....er vez
fa.....ículo frances
.....ingar gentis
ob.....ecado voce
ma.....estade farao
d.....s.....nteria urubu
re.....eitar tupi
mer.....tíssimo ve-lo
su.....eito xadrez
ób.....lo ziper
pu......ãozinho Araujo
su.....eira protons
g.....ela Claudia
mon.....e Nelson
cafu.....o dispo-las
.....iboia jovens
ân.....ia cuica
ju..... senti-lo

Didatismo e Conhecimento 7
LÍNGUA PORTUGUESA
cores 04. (Vunesp) A .................... de provas deve .................... os
voz trabalhos de .................... .
reuni-los a) escasses - paralizar - investigação
fluor b) escassez - paralizar - investigação
Vitor c) escasses - paralisar - investigasão
tres d) escassez - paralisar - investigação
sozinho e) escassez - paralisar - investigasão
Suiça
Guaruja 05. (Vunesp) Assinale a alternativa em que a grafia das pala-
irascivel vras está correta.
heroina a) projeção - requizitos - apropiadas
cores b) compreenção - progeto - usufluir
pus c) porisso - tração - licenciamento
rainha d) usuário - emissão - conciência
biquini e) autuação - excessivo - previsível
arduo
cru 06. (Funrio) Qual palavra está mal grafada?
ninguem a) obceno
flores b) rescisão
Pacaembu c) ressuscitar
carater d) assessório
Itu e) dissensão
miopia
hifen 07. (Funrio) Qual palavra está incorreta quanto ao emprego
bolor de s ou c?
Ela pode vir hoje a) hortência
b) pretensioso
TESTES DE CONCURSOS c) ganso
e) pêssego
01. (Vunesp) Indique a alternativa em que a grafia de todas as e) consenso
palavras está correta.
A rescesão asiática roubou a expontaneidade do mercado de 08. (Funrio) O vocábulo “senso”, homófono (= mesmo som)
investidores.
é diferente de “censo”, que além da diferença semântica (= signi-
Vossa Exelência não admitiu a indiscreção do Ministro.
ficado), difere, ainda, pela letra inicial e não pelo valor fonêmico.
As medidas tomadas pelo Governo contra a infração econômi-
Assinale a alternativa em que todas as palavras estão corretamente
ca não atendem às espectativas da população.
grafadas.
A política de contenção de gastos fez com que paralisassem os
a) excesso, excessão, cessão, acesso
trabalhos de pesquisa.
b) ficcional, fuzível, mansidão, sessão
Desabituados do trabalho, aqueles homens sugeitaram-se a
c) açodamento, esplêndido, assento, misto
um grande despêndio de energia.
d) expontâneo, sucção, acento, geitoso
e) sargento, sarjeta, magestade, jiló
02. (Vunesp).............................. você não resolveu todas as
questões da prova? Creio que é .............................. você não sabe
o .............................. das regras. 09. (Funrio) Leia o trecho a seguir: “em pulos cautelosos
a) Porque - porque - porquê alcançou o telhado onde esta, hesitante e trêmula, escolhia com
b) Por que - porque - porquê urgência outro rumo.”. Assinale a opção que apresenta, respec-
c) Por que - por que - porquê tivamente, duas palavras acentuadas pela mesma razão que são
d) Porquê - por que - por quê acentuadas as palavras no trecho destacadas:
e) Por quê - porquê - por que a) barítono; pé
b) pólvora; área
03. (Vunesp) A ....................do vestibular não pode causar c) trôpego; insípido
.................... nem .................... . d) você; gênio
a) eminência, expectativa, tensão e) órfã; tórax
b) iminência, espectativa, tensão
c) eminência, espectativa, tensão 10. (Funrio) “- Lembra por que o senhor me contratou? Por-
d) iminência, expectativa, tenção que eu era o servidor público perfeito.” Marque a opção em que
e) iminência, expectativa, tensão se deve usar, à semelhança do fragmento acima, “por que” e “por-
que”:

Didatismo e Conhecimento 8
LÍNGUA PORTUGUESA
a) Andar isso tudo ....................? / Não se sabe o .................... caxumba
daquela atitude. pixaim
b) Não sei .................... ele não quer sair. / Não fui .................... pajé
tenho que estudar. chuchu
c) Não veio .................... não quis? / Sei muito bem pretensioso
.................... motivo ele se foi. encher
d) Diga-me um.................... para continuar aqui. / Vou de me- fascículo
trô .................... demora menos. xingar
e) Queria saber .................... ele saiu. / Qual é o .................... obcecado
agora? majestade
disenteria
GABARITOS rejeitar
meritíssimo
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO sujeito
óbolo
1. puxãozinho
privilégio sujeira
mexerica goela
umedecer monge
marceneiro cafuzo
desprevenido .jiboia
camundongo ânsia
polir jus.
poleiro pêssego
polenta bruxa
bulir obsceno
maisena mexer
framboesa facínora
enfisema alcachofra
vazar plebiscito
flecha canjica
piche maciço
ojeriza
cafajeste obsessão
jeito bissexto
pajem calcário
vagem rescisão
.jiló aborígine
nascer fascínio
fascista alísios
cuscuz contenção
crisântemo casemira
excursão manjedoura
paçoca jabuti
ensebado femoral
empecilho
jabuticaba 2.
pátio a) por que
tábua b) por quê
botijão c) Por que
curtume d) porquê
abolir e) porque
pesquisar
rebuliço
atrasado 3.
beleza chá
enxoval chaminé
analisar talvez
enxurrada vês
deslize vez

Didatismo e Conhecimento 9
LÍNGUA PORTUGUESA
francês TESTES DE CONCURSOS COMENTADOS
gentis
você 01. (Fundação Carlos Chagas) A frase totalmente correta do
faraó ponto de vista da grafia e/ou da acentuação é:
urubu a) É o caso de se por em discussão se ele realmente crê na
tupi veracidade dos dados.
vê-lo b) Referiu-se àquilo que todos esperavam − sua ascensão na
xadrez empresa −, com um misto de humildade e prepotência.
zíper c) Enquanto construimos esta ala, eles constroem a reservada
Araújo aos aparelhos de rejuvenecimento.
protons
d) Ele é sempre muito cortês, mas não pode evitar que sua
Cláudia
Nélson ogeriza à ela transpareça.
dispô-las e) Assinou o cheque, mas ninguém advinha o valor registrado,
jovens porisso foi devolvido pelo banco.
cuíca
senti-lo 02. (Fundação Carlos Chagas) É preciso corrigir deslizes rela-
cores tivos à ortografia oficial e à acentuação gráfica da frase:
voz a) As obras modernistas não se distinguem apenas pela temá-
reuni-los tica inovadora, mas igualmente pela apreensão do ritmo alucinante
flúor da existência moderna.
Vítor b) Ainda que celebrassem as máquinas e os aparelhos da civi-
três lização moderna, a ficção e a poesia modernista também valoriza-
sozinho vam as coisas mais quotidianas e prosaicas.
Suíça c) Longe de ser uma excessão, a pintura modernista foi res-
Guarujá ponsável, antes mesmo da literatura, por intensas polêmicas entre
irascível artistas e críticos concervadores.
heroína d) No que se refere à poesia modernista, nada parece caracte-
cores
rizar melhor essa extraordinária produção poética do que a opção
pus
quase incondicional pelo verso livre.
rainha
biquíni e) O escândalo não era apenas uma consequência da produção
árduo modernista: parecia mesmo um dos objetivos precípuos de artistas
cru dispostos a surpreender e a chocar.
ninguém
flores 03. (Fundação Carlos Chagas) No Brasil, a falta de educação
Pacaembu entre as pessoas vem aumentando. Por uma ......, ainda que superfi-
caráter cial, podemos ...... com ...... a falta de um ...... de discrição dos ......
Itu de pais despreparados para educá-los. As palavras que preenchem,
miopia respectivamente, as lacunas do texto acima estão corretamente
hífen grafadas em: 
bolor a) análise, enxergar, clareza, gesto, discípulos
Ela pode vir hoje b) análise, enchergar, clareza, gesto, dicipulos
c) análise, enchergar, clareza, jesto, disípulos
TESTES DE CONCURSOS d) análize, enxergar, clareza, jesto, discípulos
e) análize, enxergar, claresa, gesto, dissípulos
01 D
02 B 04. (Fundação Carlos Chagas-Adaptada) Todas as palavras
estão acentuadas de acordo com as normas oficiais em:
03 E
a) Aquí também se observam as preferencias musicais dos jo-
04 D vens que usam o transporte público.
05 E b) As raizes da falta de educação dos jóvens se devem também
06 A à falta de educação dos pais. Pacote para Técnico
c) Os ônibus contem uma verdadeira plateia ouvindo musicas
07 A
altas nem sempre de carater muito agradável.
08 C d) Os passageiros não têm como evitar o terrível som do ruído
09 B das falas, ao celular, dentro dos ônibus.
10 B e) Alguem falando alto ao telefone, numa forma pouco rápida,
revela um comportamento publico repreensível.

Didatismo e Conhecimento 10
LÍNGUA PORTUGUESA
05. (Fundação Carlos Chagas) Acentuam-se devido à mesma
regra os seguintes vocábulos: MORFOLOGIA E SINTAXE: ESTRUTURA E
a) também, mantêm, experiências. FORMAÇÃO DE PALAVRAS: VALORES DE
b) indígenas, séculos, específico. PREFIXOS, RADICAIS E SUFIXOS.
c) acúmulo, importância, intercâmbio. CLASSES DE PALAVRAS – USOS E VALORES
d) políticas, história, Pará. SEMÂNTICOS. FLEXÕES DE TEMPO, MODO,
e) até, três, índios. NÚMERO, PESSOA, GÊNERO E GRAU. EQUI-
VALÊNCIA E TRANSFORMAÇÃO DE ESTRU-
RESPOSTAS TURAS. EMPREGO E VALOR DE NEXOS.
CONCORDÂNCIA NOMINAL E VERBAL.
01. Resposta B. REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL; CRASE.
EMPREGO DE SINAIS DE PONTUAÇÃO.
Demais alternativas: a) pôr - verbo, em oposição a por - pre-
posição; c) construímos - segunda vogal tônica “i”, formando
hiato, rejuvenescimento; d) ojeriza, a ela - não há acento grave,
indicativo de crase, diante de pronome pessoal do caso reto; e)
adivinha, por isso. ESTRUTURA E FORMAÇÃO DE PALAVRAS: VALO-
RES DE PREFIXOS, RADICAIS E SUFIXOS
02. Resposta C. Exceção, intensas - não se acentua paroxíto-
na terminada em “a”, seguida de “s”, conservadores. A palavra pode ser dividida em unidades menores. A esses
elementos significativos damos o nome de morfemas.
03. Resposta A. Análise, enxergar, clareza (terminação -eza
para substantivos abstratos derivados de adjetivos), gesto, discí- Classificação dos morfemas
pulos - proparoxítona.
Radical
04. Resposta D. Têm - terceira pessoa do plural do presente
do indicativo, concordando com o núcleo do sujeito “passageiros”, Observe as palavras a seguir: escola, escolar, escolarizar, es-
em oposição a tem - terceira pessoa do singular; terrível - paroxí- colarizado, escolarização. Em todas elas há um morfema comum:
tona terminada em “l”; ruído - segunda vogal tônica “i”, formando ESCOL. É o elemento básico da palavra chamado radical, respon-
hiato; ônibus - proparoxítona. sável por sua significação principal.

Demais alternativas: a) Aqui - não se acentua oxítona termi- Afixos


nada em “i”, também - oxítona terminada em “em”, público - pro-
paroxítona; b) raízes - segunda vogal tônica “i”, formando hiato, São os elementos que se juntam ao radical, modificando seu
jovens - não se acentua paroxítona terminada em “ens”, também significado. Dividem-se em:
- oxítona terminada em “em”; c) ônibus - proparoxítona, caráter a) prefixos - aparecem antes do radical. Ex.: desleal, infeliz.
- paroxítona terminada em “r”, agradável - paroxítona terminada b) sufixos - aparecem após o radical. deslealdade, felizmente.
em “l”; e) Alguém - oxítona terminada em “em”, rápida e públi-
co - proparoxítonas, repreensível - paroxítona terminada em “l”. Os prefixos e sufixos, além de operar mudança de classe gra-
matical, são capazes de introduzir modificações de significado no
05. Resposta B. Indígenas, séculos e específicos - proparo- radical a que são acrescentados.
xítonas.
Desinências
Demais alternativas: a) também e mantêm - oxítonas termi-
nadas em “em”, experiências - paroxítona terminada em diton- São os morfemas que se apõem ao radical para assinalar as
go, seguida de “s”; c) acúmulo - proparoxítona, importância e flexões gramaticais. Podem ser:
intercâmbio - paroxítonas terminadas em ditongo; d) políticas -
proparoxítona, história - paroxítona terminada em ditongo, Pará a) nominais: indicam o gênero e o número dos nomes. Exem-
- oxítona terminada em “a”; e) até - oxítona terminada em “e”, plos: alunas - é um substantivo feminino, no plural; fracos - é um
três - monossílabo tônico terminado em “es”, índios - paroxítona adjetivo masculino, no plural.
terminada em ditongo, seguida de “s”.
b) verbais: indicam o tempo e o modo (modo-temporal), a
pessoa e o número (número-pessoal). Exemplo; falávamos - o
“va” indica que o verbo está no pretérito imperfeito do indicati-
vo (modo-temporal), o “mos” indica a primeira pessoa do plural
(número-pessoal).

Didatismo e Conhecimento 11
LÍNGUA PORTUGUESA
Vogal temática filo amigo filosofia
Agrega-se ao radical, para receber as desinências. Exs.: can- fobia medo/aversão acrofobia
tara, bebera. fone som/voz telefone
gamia casamento poligamia
Observações:
gastro estômago gastrologia
I. Vogais temáticas nominais: -a, -e, e -o, quando átonas finais, grafo escrever/descrever datilografia
como em mesa, escola, pente dente, copo, sono. Nesses casos, não hidro água hidrofobia
há indicação de gênero. Os nomes terminados em vogais tônicas hipo cavalo hipódromo
(vatapá, boné, cipó, saci) não apresentam vogal temática.
II. Vogais temáticas verbais: -a, -e e -i, caracterizam as con- lito pedra aerólito
jugações. Verbos terminados em ar (cantar, falar, conversar) per- mancia adivinhação quiromancia
tencem à primeira conjugação; terminados em er (beber, comer, metro medida hidrômetro
temer) pertencem à segunda e os terminados em ir (partir, sentir,
morfo forma morfologia
mentir) são de terceira conjugação.
necro morte necrotério
Tema neo novo neologismo
oligo poucos oligarquia
É o radical já acrescido da vogal temática. Ex.: cantara, be-
bera. ped criança pediatra
pleo cheio pleonasmo
Vogal ou consoante de ligação poli cidade acrópole
São morfemas que surgem para facilitar ou mesmo possibili- proto primeiro protótipo
tar a leitura de uma determinada palavra. Exemplos: paulada, alvi- pseudo falso pseudônimo
negro, cafeteira, gasômetro. psico alma psicologia
pizo raiz rizotônico
Principais radicais e prefixos gregos
sofia sabedoria filosofia
Radical Sentido Exemplo taqui rápido taquicardia
acro alto, elevado acrobata téo deus teologia
aero ar aeronáutica topo lugar topologia
agogô o que conduz pedagogo xeno estranho, estrangeiro xenofobia
algia dor nevralgia zoo animal zoologia
amaxo carro amaxofobia Prefixos de Origem Grega
andro homem androide
antropo homem antropologia Prefixo sentido exemplo
arcaio / arqueo antigo arqueologia a-, an- negação ateu, anarquia
arquia governo monarquia ana- inversão anagrama
auto por si mesmo automóvel anfi- duplicidade anfíbio
biblio livro biblioteca anti- ação contrária antipatia
bio vida biologia apo- separação apóstata
caco mau cacofonia arque-,arqui-, arce- superioridade arquétipo, arcebispo
cali belo caligrafia cata mov. para baixo cataclismo
cardio coração cardiologista dia- movimento através diagonal
cefalo cabeça acéfalo dis- dificuldade dispneia
cloro verde clorofila e-, en- posição interna elipse, encéfalo
cosmo mundo cosmonauta posição superior,
crono tempo cronômetro ec-, ex- movimento para eclipse, exorcismo
fora
demo povo demagogo endo- posição interior endoscopia
derma pele dermatologia epi- posição superior epitáfio, epiderme

Didatismo e Conhecimento 12
LÍNGUA PORTUGUESA

eu- bem, bom eufemismo pade pé pedestre


excesso, posição pisci peixe psicultura
hiper- hipertensão
superior
hipo- deficiência hipodérmico pluri vários pluricelular
mudança, pluvi chuva pluvial
meta- metamorfose, metáfora
transformação puer crinaça pueril
ao lado de,
para- paralelo
proximidade quadri quatro quadrilátero
peri- em torno de perímetro reti reto, direito retilíneo
pro- anteriormente prólogo, prognóstico sacar açúcar sacarose
sin- simultaneidade simpatia, sincrônico sapo sabão saponáceo
sesqui um e meio sesquipedal
Principais radicais e prefixos latinos
silvi floresta silvícola
taur touro taurino
Radical sentido exemplo
tri três tricolor
agri campo agricultor
umbra sombra penumbra
ambi ambos, duplicidade ambíguo
uxor esposa uxoricida
arbori árvore arborizar
vermi verme vermífugo
avi ave avicultura
beli guerra beligerante Prefixos de origem latina
bi, bis duas vezes bípede, bisavô
calor calor calorimetria prefixo Sentido exemplo
capit cabeça decapitar ab (abs) afastamento abstrair
cida que mata suicida ad (a) proximidade, direção adjazer
cola que cultiva ou habita vinícola, agrícola ambi duplicidade ambidestro
cruci cruz crucificar ante anterioridade antedatar
cultura cultivar apicultura bem bem, bom êxito bendizer
curvi curvo curvilíneo bi dois bissexual
ego eu egocentrismo circum movimento em torno circunavegação
equi igual equivalente cis posição aquém cisalpino
evo idade medievo combater,
com (con) companhia colaborar,
fero que contém ou produz mamífero
contemporâneo
fico que faz ou produz frigorífico contra oposição contradizer
fide fé fidelidade de origem, afastamento deportar
forme forma uniforme negação, separação, ação
des desleal, desfazer
contrária
frater irmão fraterno
em (en ou in) movimento para dentro enterrar
fugo que foge centrífugo
ex (es ou e) movimento para fora exportar
gero que contém ou produz benéfico
extra fora de extra-oficial
herbi erva herbicida
In negação imberbe, infeliz
loco lugar localizar
infra abaixo infra-assinado
ludo jogo ludoterapia
inter entre, posição intermediária intervir
mater mãe materno
intra posição interior intravenoso
morti morte mortífero
intro movimento para dentro introduzir
multi muito multinacional
justa junto de justapor
oni todo onipresente
mal mal maldizer
pari igual paridade
ob oposição obstar
paro que produz ovíparo
pene quase penúltimo
pater pai paterno

Didatismo e Conhecimento 13
LÍNGUA PORTUGUESA

per movimento através percorrer Aglutinação - há alteração fonética na união das palavras.
Ex.: planalto (plano + alto); aguardente (água + ardente), embora
pos posição posterior pospor
(em + boa + hora).
pre anterioridade predizer
preter além de preternatural Outros processos de formação de palavras
pro anterioridade, em frente prosseguir
Abreviação - eliminação do segmento de uma palavra para se
re movimento para trás, de novo refrear
obter outra mais curta. Exemplos.: telefone - fone; motocicleta -
retro movimento para trás retroação moto; pneumático - pneu.
semi metade semicírculo
soto posição inferior sotopor Hibridismo - união de radicais de línguas distintas. Ex.: au-
inferioridade, de baixo para tomóvel (auto - grego, móvel - latim); burocracia (buro - francês,
sub subscrever cracia - grego), sociologia (sócio - latim, logia (grego).
cima
super posição superior super-homem
supra posição superior supracitado Onomatopeia - palavra que procura reproduzir sons ou ruí-
dos. Ex.: tique-taque, cacarejar. blá-blá-blá.
trans além de transpassar
tri três tripartido Siglonimização - palavras formadas pelas siglas. Ex.: USP
ultra além de limite ultrapassar (Universidade de São Paulo), CEP (Código de Endereçamento
vis (vice) no lugar de vice-cônsul Postal), ONU (Organização das Nações Unidas).

Neologismo - processo de criação de uma nova palavra na


PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE PALAVRAS língua devido à necessidade de designar novos objetos ou novos
conceitos ligados às diversas áreas: tecnologia, arte, economia, es-
Há dois processos principais de palavras: composição e de- portes etc. É criado através de processos diversos como: justaposi-
rivação. ção, aglutinação, prefixação, sufixação, abreviação, importação de
vocábulos existentes em uma outra língua ou ainda, através de um
Derivação - processo pelo qual novas palavras são formadas novo sentido dado a uma palavra já existente. Há diversos tipos de
a partir de outras já existentes. Dividi-se em: neologismos:

Prefixal - formada pelo acréscimo de um prefixo. Ex.: infeliz, a) Semântico: a palavra já existe, mas ganha uma nova cono-
desfazer, amoral. tação, um novo significado.

Sufixal - formada pelo acréscimo de um sufixo. Ex.: capitalis- Exemplos:


ta, tristeza, livraria. Estou a fim de Fulano. (estou interessado).
Beltrano, não vai dar, deu zebra. (algo não deu certo).
Parassintética - emprego simultâneo de prefixos e sufixos. Vou fazer um bico. (trabalho temporário).
Ex.: empobrecer, esfarelar, pernoitar.
b) Lexical: é criada uma palavra nova, com um novo conceito.
Prefixal e sufixal - emprego de prefixo e sufixo, não simulta-
neamente. Ex.: infelizmente, ingovernável, deslealmente. Exemplos:
deletar (eliminar),
Regressiva - redução da palavra primitiva. Ocorre principal-
abobado (aquele que é “bobo”, sonso),
mente com substantivos derivados de verbos. Ex.: buscar - busca;
internetês (a língua da internet).
chorar - choro.

Imprópria - consiste em mudar uma palavra de uma classe c) sintático: são resultados da organização de um novo vocá-
gramatical para outra. Ex.: A palavra jantar é verbo, mas na frase: bulo. Supõem a combinatória de elementos já existentes na língua
O jantar foi servido, essa palavra é um substantivo. como a derivação ou a composição.

Composição é o processo que forma novas palavras por meio Exemplos:


da união de duas ou mais palavras ou radicais. “A não-informação conduz o homem à caverna”.
“João Paulo II reinventa a Igreja papalizando com êxito”.
Divide-se em: “A operação-desmonte é uma invenção política mentirosa”

Justaposição - não há alteração fonética na união das pala-


vras. Ex.: amor-perfeito, pé-de-moleque, vaivém.

Didatismo e Conhecimento 14
LÍNGUA PORTUGUESA
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO f) ( ) entardecer
g) ( ) estupidez
1. Analise o poema a seguir para responder os itens abaixo: h) ( ) abster
i) ( ) adjunto
Forma j) ( ) tristeza
Reforma k) ( ) fervoroso
Disforma l) ( ) enforcar
Transforma m) ( ) deslealdade
Conforma n) ( ) romano
Informa o) ( ) desigualdade
Forma
TESTES DE CONCURSOS
a) Estamos diante de um poema concreto de autoria de José
Lino Grünewald. De acordo com o processo ligado à formação de 01. (Acadepol) O embarque dos passageiros será feito no
palavras, conceitue-o, levando em consideração o radical. aterro. Os dois termos destacados representam, respectivamente,
casos de:
......................................................................................................... a) formação regressiva e formação regressiva
b) conversão e formação regressiva
......................................................................................................... c) formação regressiva e conversão
......................................................................................................... d) derivação prefixal e palavra primitiva
e) nenhuma das alternativas anteriores
b) Indique a classe gramatical a que pertence o radical e as
02. (Cesgranrio) “Chapechape. As alpercatas batiam no chão
demais palavras que dele se originaram.
rachado. O corpo do vaqueiro derreava-se, as pernas faziam dois
......................................................................................................... arcos, os braços moviam-se desengonçados. Parecia um macaco.
(...) Fabiano sempre havia obedecido. Tinha muque e substância.
......................................................................................................... Mas pensava pouco e obedecia. (...)” (Graciliano Ramos) Identifi-
que a palavra que foge ao processo de formação de chapechape.
......................................................................................................... a) zumzum
b) reco-reco
2. Classifique as palavras de acordo com o seguinte código: c) toque-toque
d) tim-tim
(i) derivação prefixal e) vivido
(ii) derivação sufixal
(iii) derivação parassintética 03. (Cesgranrio) Nos vocábulos repatriar - acéfalo - perni-
(iv) derivação imprópria longo verificaram-se os processos de formação descritos na alter-
(v) aglutinação nativa:
(vi) justaposição a) derivação parassintética, derivação prefixal, composição
por aglutinação
( ) pombo-correio b) derivação sufixal, derivação prefixal, composição por aglu-
( ) os guerrilheiros efetuaram ataques relâmpagos tinação
( ) retroagir c) derivação prefixal, derivação prefixal, composição por jus-
( ) deslocamento taposição
( ) planalto d) derivação parassintética, derivação sufixal, composição por
( ) entristecer justaposição
e) derivação prefixal, derivação prefixal, composição por jus-
taposição

3. Relacione as palavras de acordo com os códigos abaixo. 04. (Cespe-Unb) Assinale a opção em que o vocábulo com-
1. Prefixal posto de elementos gregos não se ajusta à definição dada.
2. Sufixal a) macrobia - estado de vida longa
3. Prefixal e Sufixal b) claustrofobia - aversão a lugares fechados
4. Parassintética c) misantropia - aversão à sociedade
d) xilografia - arte de gravar em pedra
a) ( ) transpor e) etnologia - estudo das raças
b) ( ) sufixal
c) ( ) endurecer 05. (Cespe-Unb) Admitindo que não haja desinência nominal
d) ( ) malandragem de masculino em livro, tribo etc., por não haver oposição com um
e) ( ) bilabial feminino em a (como ocorre em aluno/aluna), que nome teria esse
elemento mórfico?

Didatismo e Conhecimento 15
LÍNGUA PORTUGUESA
a) desinência nominal de singular GABARITOS
b) vogal de ligação
c) sufixo EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
d) afixo
e) vogal temática 1.
a) derivação prefixal (tomando-se como base o radical “for-
06. (Cespe-Unb) Indique a opção em que a palavra destacada ma”).
resulta de derivação imprópria. b) o radical pertence à classe dos substantivos, as demais pa-
a) “Às sete horas da manhã começou o trabalho principal: a lavras são verbos.
votação.
b) Pereirinha estava mesmo com a razão. Sigilo... Voto secre- 2.
to... Bobagens, bobagens! (VI) pombo-correio
c) Sem radical reforma da lei eleitoral, as eleições continua- (IV) os guerrilheiros efetuaram ataques relâmpagos
riam sendo uma farsa. (I) retroagir
d) Não chegaram a traçar um isto de prosa, e se entenderam. (II) deslocamento
e) Dr. Osmírio andaria desorientado, senão bufando de raiva. (V) planalto
(III) entristecer
07. (Cetro) Observe o trecho: “Os bons são aqueles que con-
seguem aproveitar uma descoberta para utilizar em sua vida prá- 3.
tica.” No que se refere à formação das palavras, o termo grifado a) (1) transpor
apresenta o processo de b) (3) sufixal
a) derivação regressiva, pois a classe gramatical da palavra c) (4) endurecer
permanece a mesma, porém foi acrescido o artigo. d) (2) malandragem
b) derivação imprópria, pois mudou-se a classe gramatical da e) (4) bilabial
palavra, estendendo-lhe a significação. f) (4) entardecer
c) redução, já que foi omitido o substantivo a que se refere o g) (2) estupidez
adjetivo destacado, diminuindo o campo de significação da frase. h) (1) abster
d) parassíntese, no qual há a mudança de classe gramatical i) (1) adjunto
sem alterar a significação da nova palavra. j) (2) tristeza
e) neologismo, já que há transformação em relação à significa- k) (2) fervoroso
ção da palavra que, até então, era utilizada com um único sentido. l) (4) enforcar
m) (3) deslealdade
08. (Fundação Carlos Chagas) Assinale a opção em que a con- n) (2) romano
soante grifada faz parte do radical, não sendo consoante de ligação. o) (3) desigualdade
a) bambuzal
b) lapisinho TESTES DE CONCURSOS
c) cafeteira
d) chaleira 01 A
e) paulada
02 E
09. (Consulplan) Assinale a alternativa cuja afirmativa esteja 03 A
incorreta: 04 D
a) As palavras violência e comentário obedecem à mesma
05 E
regra de acentuação.
b) A palavra fiéis é acentuada pela mesma razão de lençóis. 06 D
c) As palavras pérolas, inimaginável e político são acentua- 07 B
das porque são proparoxítonas. 08 B
d) A palavra inimaginável é formada pelo processo de deri-
vação. 09 C
e) A palavra sordidez é formada pelo processo de derivação 10 A
sufixal.

10. (Consulplan) A alternativa em que todas as palavras são


formadas pelo mesmo processo de formação é:
a) responsabilidade, musicalidade, defeituoso
b) cativeiro, incorruptíveis, desfazer
c) deslealdade, colunista, incrível
d) anoitecer, festeiro, infeliz
e) reeducação, dignidade, enriquecer

Didatismo e Conhecimento 16
LÍNGUA PORTUGUESA

Bosque árvores
CLASSES DE PALAVRAS – USOS E
VALORES SEMÂNTICOS. FLEXÕES DE Buquê flores
TEMPO, MODO, NÚMERO, PESSOA, Cacho bananas, uvas
GÊNERO E GRAU. EQUIVALÊNCIA E Cáfila camelos
TRANSFORMAÇÃO DE ESTRUTURAS.
EMPREGO E VALOR DE NEXOS. Cambada desordeiros, malfeitores viajantes, peregrinos
Cardume peixes
Caterva desordeiros, malfeitores
FLEXÃO NOMINAL Cavalgada cavaleiros

SUBSTANTIVO Choldra bandidos, malfeitores


Cinemateca filmes
É palavra variável que denomina objetos animados e inanima-
dos. Nomeia também ações (ginástica, natação), estados (alegria, Clero sacerdotes
pesar), lugares (São Paulo, Rio Grande do Sul), qualidades (since- Colégio eleitores, cardeais
ridade, segurança) e sentimentos (ódio, compaixão). Coletânea textos, canções
Classifica-se em simples (designam os seres de modo gené-
rico - cama, lenço, travesseiro), próprios (referem-se a pessoas, Colmeia abelhas
a entidades, a seres e são escritos sempre com inicial maiúscula Colônia imigrantes, bactérias, insetos, pescadores
- Carlos, Isabel, Catedral da Sé, Sergipe), compostos (apresen- Comitiva acompanhantes cidadãos
tam mais de um radical - couve-flor, pé-de-moleque, alto-falante),
primitivos (não derivam de outra palavra - livro, pedra, caneta), Congresso parlamentares, doutores
derivados (formados de outras palavras - pedreiro, ferreiro, car- Constelação estrelas
pinteiro), concretos (designam coisas reais ou imaginárias - fada, Cordilheira montanhas
duende, céu, inferno), abstratos (designam estados, qualidades,
sentimentos - beleza, vida, morte), coletivos (designam conjunto Corja ladrões, desordeiros
de seres da mesma espécie - manada, biblioteca, conclave). Coro anjos, cantores
Discoteca discos
Coletivos
Elenco atores
São substantivos que nomeiam conjunto de seres de uma mes- Enxame abelhas, marimbondos, vespas
ma espécie. Enxoval roupas
Lista com os principais coletivos Esquadra navios de guerra
Esquadrilha aviões
Acervo obras de arte Exército soldados
Fardo tecidos, papeis, palha, feno
Álbum retratos, autógrafos, selos
Fato cabras
Alcateia lobos
Fauna animais
Antologia textos
Feixe lenha
Armada navios de guerra
Flora plantas ou vegetais
Arsenal armas
Floresta árvores
Fornada pães, tijolos
Assembleia parlamentares, membros de qualquer associação
Frota navios e veículos
Atlas mapas
Galeria objetos de arte
Baixela objetos de servir à mesa
Grupo pessoas ou coisas
Banca examinadores
Hemeroteca jornais e revistas
Banda músicos
Horda bárbaros, selvagens
Bando pessoas, aves, malfeitores
Junta médicos, examinadores
Bateria canhões, instrumentos de percussão, perguntas
Júri jurados, pessoas que julgam
Biblioteca livros Legião anjos, soldados, demônios

Didatismo e Conhecimento 17
LÍNGUA PORTUGUESA

Manada elefantes, bois, búfalos Principais substantivos sobrecomuns

Matilha cães o cônjuge


Miríade insetos, estrelas o carrasco
Molho chaves o apóstolo
a pessoa
Multidão pessoas o algoz
Ninhada pintos, filhotes a vítima
Nuvem gafanhotos o animal
o cadáver
Orquestra músicos o dedo-duro
Pilhas coisas colocadas umas sobre as outras o gênio
Pinacoteca quadros o líder
o nó-cego
Plantel animais de raça (bovinos ou equinos), atletas a personagem
Plateia espectadores a sentinela
Praga insetos nocivos o sujeito
a criança
Prole filhos
o indivíduo
Quadrilha ladrões, bandidos o monstro
Ramalhete flores a testemunha
Rebanho bois, carneiros, cabras o verdugo
o tipo
Réstia cebolas, alhos o boia-fria
Revoada aves a criatura
Saraivada tiros, perguntas, vaias o ídolo
o membro
Seleta textos escolhidos o pão-duro
Time jogadores o pé-quente
Tripulação marinheiros ou aviadores o pivô
o tira
Tropa soldados, animais de carga
Trouxa roupas Principais substantivos comum de dois gêneros
Turma estudantes, trabalhadores, amigos
Vara porcos estudante
imigrante
acrobata
Flexão do substantivo agente
intérprete
Gênero (masculino x feminino) lojista
patriota
Biformes: uma forma para masculino e outra para feminino. mártir
(príncipe, princesa, menino, menina). viajante
artista
Uniformes: uma única forma para ambos os gêneros. Divi- aspirante
dem-se em: atleta
gerente
Epicenos - referem-se a alguns animais que apresentam ape- médium
nas um gênero gramatical para designar o sexo: baleia, barata, protagonista
pulga. A distinção é feita pelos adjetivos macho / fêmea: pulga gerente
macho, pulga fêmea. cliente
jornalista
Sobrecomuns - apresentam apenas um gênero gramatical servente
para designar ambos os sexos. Exemplos: o cônjuge, a testemunha. chefe

Comuns de dois gêneros - a distinção se faz pelo artigo ou xereta
outro determinante - o estudante, a estudante. anarquista
colega

Didatismo e Conhecimento 18
LÍNGUA PORTUGUESA
compatriota d) terminados em AL, EL, OL, UL flexionam-se trocando o
dentista L por IS: animal - animais; caracol - caracóis; hotel - hotéis. Exce-
doente ções: mal - males; cônsul - cônsules.
herege
indígena e) terminados em IL fazem o plural de duas maneiras: 1.
jovem Quando oxítonos, em IS: canil - canis. 2. Quando paroxítonos,
jurista em EIS: míssil - mísseis. Obs.: réptil e projétil, como paroxítona,
pianista fazem plural répteis e projéteis; como oxítonos, fazem o plural:
reptis e projetis
Mudança de gênero com mudança de significado f) terminados em S fazem o plural da seguinte maneira: 1.
Quando monossilábicos ou oxítonos, mediante o acréscimo de
o caixa = funcionário ES: ás - ases, retrós - retroses. 2. Quando paroxítonos ou pro-
a caixa = o objeto paroxítonos, ficam invariáveis: o lápis - os lápis; o ônibus - os
o cabeça = chefe, líder ônibus.
a cabeça = parte do corpo
o capital = dinheiro g) terminados em ÃO fazem o plural em ÃOS: cidadão - cida-
dãos; em ÃES: cão - cães e em ÕES (mais comum): avião - aviões.
a capital = sede de governo
o cisma = separação h) terminados em X ficam invariáveis: o tórax - os tórax; o
a cisma = desconfiança látex - os látex.
o coma = sono mórbido
i) usados somente no plural: calças, costas, óculos, parabéns,
a coma = cabeleira, juba férias, olheiras, hemorroidas, núpcias, arredores, afazeres, alvís-
o grama = medida de massa saras, anais, condolências, esponsais, exéquias, fezes, pêsames,
a grama = a relva, o capim víveres, naipes do baralho (copas, espadas, ouros, paus)
o guarda = o soldado
a guarda = vigilância, corporação Plurais que merecem destaque
o guia = aquele que serve de guia, cicerone
a guia = documento; meio-fio alazão - alazães, alazões
o moral = estado de espírito aldeão - aldeãos, aldeães, aldeões
a moral = ética, conclusão ancião - anciãos, anciães, anciões
o banana = o molenga caráter - caracteres
a banana = a fruta charlatão - charlatães, charlatões
o cabeça = chefe
cirurgião - cirurgiães, cirurgiões

corrimão - corrimãos, corrimões
a cabeça = parte do corpo
o cisma = separação ermitão - ermitãos, ermitães, ermitões
a cisma = desconfiança guardião - guardiães, guardiões
o lente = professor júnior - juniores
peão - peães, peões
a lente = vidro projétil - projéteis
o lotação = veículo projetil - projetis
réptil - répteis
a lotação = capacidade reptil - reptis
o moral = ânimo sacristão - sacristãos, sacristães
sênior - seniores
a moral = regras sultão - sultãos, sultães, sultões
verão - verãos, verões
Número: singular ou plural. vilão - vilãos, vilães, vilões
vulcão - vulcãos, vulcães, vulcões.
Plural dos substantivos simples
Observação:
a) terminados em vogal, ditongo oral e N fazem o plural pelo Alguns substantivos, quando assumem a forma de plural, so-
acréscimo de S: pai - pais, ímã - ímãs, hífen - hifens Exceção: frem alteração na pronúncia: do “ô” fechado da sílaba tônica, passa
cânon - cânones. a ser aberto “ó”. Tal processo chama-se metafonia. Exemplos:
b) terminados em M fazem o plural em NS: homem - homens. aposto (ô) - aposto (ó)
caroço (ô) - caroços (ó)
c) terminados em R e Z fazem o plural pelo acréscimo de ES: corpo (ô) - corpos (ó)
revólver - revólveres; juiz - juízes. Exceção: caráter - caracteres. esforço (ô) - esforços(ó)

Didatismo e Conhecimento 19
LÍNGUA PORTUGUESA
fogo (ô) - fogos (ó) d) expressões substantivadas - invariáveis: os bumba-meu-
forno (ô) - fornos (ó) -boi, os chove-não-molha.
imposto (ô) - impostos (ó)
jogo (ô) - jogos (ó) Grau
miolo (ô) - miolos (ó)
olho (ô) - olhos (ó) aumentativo: expressa o aumento do tamanho normal do ser
osso (ô) - ossos (ó) que o substantivo nomeia. o aumentativo pode ser
ovo (ô) - ovos (ó)
poço (ô) - poços (ó) analítico: quando formado com os auxílio de adjetivos: gran-
porco (ô) - porcos (ó) de, enorme, imenso etc. e também pode ser
porto (ô) - portos (ó) sintético: quando se empregam sufixos como: ão (o mais co-
povo (ô) - povos (ó) mum), az, astro, alhão, ona, ázio, orra, arra etc.
reforço (ô) - reforços (ó)
socorro (ô) - socorros (ó) Exemplos:
tijolo (ô) - tijolos (ó) bala - balaço
barca - barcaça
Plural dos substantivos compostos boca - bocarra
cabeça - cabeçorra
Regra: variam os substantivos, adjetivos, numerais e a maio- cão - canzarrão
ria dos pronomes. copo - copázio
corpo - corpanzil
Flexionam-se os dois elementos, quando formados de: faca - facalhão, facalhaz
substantivo + substantivo = couve-flor / couves-flores forno - fornalha
substantivo + adjetivo = amor-perfeito / amores-perfeitos homem - homenzarrão
adjetivo + substantivo = gentil-homem / gentis-homens nariz - narigão
numeral + substantivo = quarta-feira / quartas-feiras pedra - pedregulho
poeta - poetastro
Flexiona-se somente o segundo elemento, quando formados rapaz - rapagão
de: rocha - rochedo
vaga - vagalhão
verbo + substantivo = caça-níquel / caça-níqueis vidro - vidraça
palavra invariável + palavra variável = abaixo-assinado / voz - vozeirão
abaixo-assinados
palavras repetidas ou semelhantes = reco-reco / reco-recos, 1. Diminutivo: Exprime uma diminuição no tamanho do
tique-taque / tique-taques ser. Pode ser analítico, quando se faz com auxílio de adjetivos
como pequeno, minúsculo, insignificante etc. Pode ser sintético,
Flexiona-se somente o primeiro elemento, quando formados formado por meio de prefixos como: inho, zinho (os mais usuais),
de: ito, zito, acho, culo, ejo, elho, ete, ilho, ota, ucho, únculo.
substantivo + preposição clara + substantivo = água-de- Exemplos:
-colônia / águas-de-colônia
corpo - corpúsculo
Permanecem invariáveis, quando formados de: diabo - diabrete
verbo + advérbio = o bota-fora / os bota-fora flauta - flautim
verbo + substantivo no plural = o saca-rolhas / os saca-ro- frango - frangote
lhas globo - glóbulo
gordo - gorducho
Casos especiais: homem - homúnculo
lugar - lugarejo
a) verbos opostos - nenhum elemento varia: os ganha-perde. obra - opúsculo
poema - poemeto
b) dois substantivos - quando o segundo elemento especifica povo - populacho
o primeiro, apenas o primeiro varia ou ambos variam: bananas- questão - questiúncula
-maçã ou bananas-maçãs. rabo - rabicho
rio - riacho
c) palavra guarda - se o segundo elemento for substantivo,
guarda será verbo. Irá para o plural apenas o segundo elemento ADJETIVOS
(guarda-chuvas); se o segundo elemento for adjetivo, guarda será
substantivo - as duas palavras variam (guardas-civis). São palavras que se referem a um substantivo, indicando-lhe
algum atributo.

Didatismo e Conhecimento 20
LÍNGUA PORTUGUESA
Locução adjetiva: é uma expressão formada de preposição de cobra = colubrino, urbano
mais substantivo com valor de adjetivo. de cobre = cúprico
de coelho = cunicular
Principais locuções: de coração = cardíaco, cordial
de correio = postal
de abdômen = abdominal de corujas = estrigídeos
de abelha = apícola de costas = dorsal
de abóbora = cucurbitáceo de coxa = crural
de abutre = vulturino de crânio = craniano
de açúcar = sacarino de criança = pueril, infantil
de adão = adâmico de dança = coreográfico
de águia = aquilino de daltonismo = daltônico
de alface = lactúceo de dedo = digital
de alma = anímico de descartes = cartesiano
de aluno = discente de diamante = adamantino, diamantino
de amígdalas = tonsilar de dinheiro = pecuniário
de amor = erótico de direito = jurídico
de andorinha = hirundino de éden = edênico
de anel = anular de eixo = axial
de anjo = angelical de embriaguez = ébrio
de ano = anual de enxofre = sulfúrico, sulfúreo, sulfuroso
de aranha = aracnídeo de erva = herbáceo
de asno = asinino de espelho = especular
de astro = sideral de esposa = uxoriano
de audição = ótico de esposos = esponsal
de aves de rapina = acipitrino de esquilo = ciurídeo
de baco = báquico de estômago = gástrico, estomacal
de baço = esplênico de estrela = estelar
de baixo-ventre = alvino de éter = etéreo
de bálsamo = balsâmico de fábrica = fabril
de bexiga = vesical de face = facial
de bílis = biliar de falcão = falconídeo
de bispo = biliar de fantasma =espectral
de boca = bucal, oral de faraó = faraônico
de bode = hircino de farinha = farináceo
de boi = bovino de fêmur = femural
de borboleta = papilionáceo de fera = beluíno, feroz, ferino
de bosque = nemoral de ferro = férreo
de brejo =palustre de fígado = figadal, hepático
de bronze = brônzeo, êneo de filho = filial
de cabeça = cefálico, capital de fogo = ígneo
de cabelo = capilar de folha = foliáceo
de cabra = caprino de formiga = formicular
de caça = venatório, cinegético de frente = frontal
de campo = rural de gado = pecuário
de cana = arundíneo de gafanhoto = acrídeo
de cão = canino de galinha = galináceo
de cardeal = cardinalício de galo = alectório
de Carlos Magno = carolíngio de ganso = anserino
de carneiro = arietino de garganta = gutural
de cavalo = equídeo, equino, hípico de gato = felino, felídeo
de cegonha = ciconídeo de gelo = glacial
de cela , célula = celular de gesso = gípseo
de chumbo = plúmbeo de Golias = goliardo
de chuva = pluvial de guerra = bélico
de cidade = citadino, urbano de homem = humano, viril
de cílio = ciliar de idade = etário
de cinza = cinéreo de Idade Média = medieval
de circo = circense de igreja = eclesiástico

Didatismo e Conhecimento 21
LÍNGUA PORTUGUESA
de ilha = insular de pele = cutâneo, epidérmico
de insetos = entômico de pênis = peniano, fálico
de intestino = intestinal, entérico, cilíaco de pescoço = cervical
de inverno = hibernal de Platão = platônico
de irmão = fraterno, fraternal de plebe = plebeu
de joelho = genicular de pombo = columbino
de junho = junino de porco = suíno, porcino
de lado = lateral de prado = pratense
de leite = lácteo, láctico de prata = argênteo, argentino, argírico
de lesma = limacídeo de professor = docente
de limão = cítrico de prosa = prosaico
de lobo = lupino de proteína = proteico
de lua = lunar, selênico de pulmão = pulmonar
de macaco, símio = simiesco de pus = purulento
de maçãs do rosto= malar dos quadris = ciático
de madeira, lenho = lígneo de raio = fulgural
de madrasta = novercal de raposa = vulpino
de mãe = materno, maternal de rato = murino
de manhã = matinal de rei = real
de mar = marinha, marítimo, equóreo de rim = renal
de marfim = ebúrneo, ebóreo de rio = fluvial, potâmico
de margem = marginal de rocha = rupestre
de mármore = marmóreo
de romance = romanesco
de memória = mnemônico
de rosa = róseo
de mestre = magistral
de sabão = saponáceo
de moeda = monetário, numismático
de seda = sérico, seríceo
de Moisés = mosaico
de monge = monacal, monástico de selo = filatélico
de monstro = monstruoso de selva = silvestre
de morte = mortal, letal, mortífero de sobrancelha = superciliar
de nádegas = glúteo de sonho = onírico
de nariz = nasal de Sócrates = sintático
de navio = naval de sol = solar
de neve = níveo, nival de sul = meridional, austral
de Nilo = nilótico de tarde = vesperal, vespertino, crepuscular
de noite = noturno de teatro = teatral
de norte = setentrional, boreal de tecido = têxtil
de noz = nucular de terra = terrestre, terreno, telúrico
de nuca = occipital de terremoto = sísmico
de óleo = oleaginoso de tijolo = laterário
de olhos = ocular , óptico, oftálmico de tio = avuncular
de Olimpo = olímpico de tórax = torácico
de opala = opalino opalescente de touro = taurino, táureo
de orangotango = pitecal de trás = traseiro
de orelha = auricular de trigo = tritíceo
de outono = outonal de túmulo = tumular
de ouvido = ótico de umbigo = umbilical
de ouro = áureo de universo ( habitado) = ecumênico
de osso = ósseo de unha = ungueal
de ovelha = ovino de vaca = vacum
de pai = paterno, paternal de vasos sanguíneos = vascular
de paixão = passional
de veado = cerval, elafiano
de palato = palatal
de velho, velhice = senil
de pântano = palustre
de vento = eólio, eólico
de papa = papal
de verão, estio = estival
de paraíso = paradisíaco
de parede = parietal de víbora = viperino
de páscoa = pascal de vida = vital
de peixe = ictíaco, písceo de vidro = vítreo, hialino

Didatismo e Conhecimento 22
LÍNGUA PORTUGUESA
de vinho = vínico, vinário, vinosos, víneo audaz = audacíssimo
de vinagre = acético benéfico = beneficentíssimo
de violeta = violáceo benévolo = benevolentíssimo
de virilha = inguinal bom = boníssimo ou ótimo
de virgem = virginal capaz = capacíssimo
de visão = óptico célebre = celebérrimo
de vontade = volitivo comum = comuníssimo
cruel = crudelíssimo
difícil = dificílimo
Flexão do adjetivo doce = dulcíssimo
dócil = docílimo
Número: eficaz = eficacíssimo
fácil = facílimo
Plural dos Adjetivos compostos - apenas o segundo elemen- feliz = felicíssimo
to vai para o plural: acordos sino-franco-suíços. feroz = ferocíssimo
fiel = fidelíssimo
Casos especiais: frágil = fragílimo
frio = friíssimo ou frigidíssimo
a) Se o segundo elemento for substantivo, o plural será invari- geral = generalíssimo
ável: calças amarelo-ouro. humilde = humílimo
incrível = incredibilíssimo
b) Azul-celeste e azul-marinho são invariáveis. infame = infamérrimo
inimigo = inimicíssimo
c) Surdo-mudo - variam ambos os elementos. íntegro = integérrimo
jovem = juvenilíssimo
Grau livre = libérrimo
magnífico = magnificentíssimo
Comparativo: magro = macérrimo ou magríssimo
manso = mansuetíssimo
Igualdade: Sofia é tão inteligente quanto (como) Alice. mau = péssimo
miserável = miserabilíssimo
Superioridade: Sofia é mais inteligente (do) que Alice. miúdo = minutíssimo
necessário = necessariíssimo
Inferioridade: Sofia é menos inteligente (do) que Alice. negro - nigérrimo
nobre = nobilíssimo
Superlativo: notável = notabilíssimo
pequeno = mínimo
Absoluto Analítico: Alice é muito inteligente. perspicaz = perspicacíssimo
Absoluto Sintético: Alice é inteligentíssima. pessoal = personalíssimo
pobre = paupérrimo
Relativo: preguiçoso = pigérrimo
pródigo = prodigalíssimo
de Superioridade: Sofia é a mais inteligente da classe. próspero = prospérrimo
provável = probabilíssimo
de Inferioridade: Sofia é a menos inteligente da classe. sábio = sapientíssimo
sério = seriíssimo
Principais superlativos absolutos sintéticos eruditos público = publicíssimo
pudico = pudicíssimo
acre = acérrimo pulcro = pulquérrimo
ágil = agílimo rústico = rusticíssimo
agradável = agradabilíssimo sábio = sapientíssimo
agudo = acutíssimo sagrado = sacratíssimo
amargo = amaríssimo salubre = salubérrimo
amável = amabilíssimo semelhante = simílimo
amigo = amicíssimo  sensível = sensibilíssimo
antigo = antiquíssimo, antiguíssimo simpático = simpaticíssimo
áspero = aspérrimo simples = simplicíssimo
atroz = atrocíssimo soberbo = superbíssimo
tenaz = tenacíssimo

Didatismo e Conhecimento 23
LÍNGUA PORTUGUESA
tenro = teneríssimo Classificação
terrível = terribilíssimo
tétrico = tetérrimo Regulares: possuem as desinências normais de sua conjuga-
velho = vetérrimo ção e cuja flexão não provoca alterações no radical. Exemplo: falo,
visível = visibilíssimo falei, falava, falaria, falarei, falasse. O radical “fal” se mantém em
voraz = voracíssimo todas as conjugações.
vulnerável = vulnerabilíssimo
Irregulares: aqueles cuja flexão provoca alterações no radi-
Observações: cal ou nas desinências. Exemplo: caibo, cabes, caiba, coubesse,
caberia.
a) As formas sintéticas (melhor, pior, maior, menor) são usa- Defectivos: aqueles que não apresentam conjugação comple-
das quando se compara uma qualidade em dois seres diferentes: ta. Classificam-se em impessoais, unipessoais e pessoais.
Meu escritório é maior do que o seu.
b) As formas analíticas (mais bom, mais mau, mais grande) I. Impessoais: verbos que não têm sujeito. Normalmente, são
usados na terceira pessoa do singular. Os principais são: a) haver,
são usadas quando estão sendo comparadas duas qualidades de um
quando sinônimo de existir, acontecer, realizar-se ou fazer (em
único ser: Meu escritório é mais grande do que pequeno.
orações temporais). Exemplos: Havia poucas crianças no parque;
c) Mais pequeno é forma boa em qualquer circunstância:
b) fazer, ser e estar (quando indicam tempo). Exemplo: Faz meses
André é mais pequeno que forte; André é mais pequeno do que
que não chove no Sudeste; Está muito quente esta primavera; Era
Anselmo. noite quando o encontrei; c) verbos que indicam fenômenos da
d) formas irregulares: natureza (chover, nevar, anoitecer, amanhecer). Exemplo: Nevou
bom - melhor, ótimo, o melhor muito em Santa Catarina o ano passado.
grande - maior, máximo, o maior
mau - pior, péssimo, o pior II. Unipessoais: são conjugados apenas nas terceiras pessoas
pequeno - menor, mínimo, o menor do singular e do plural.: Os principais são: a) indicam vozes de
animais: bramir, cacarejar, latir, miar etc.; b) verbos cumprir, im-
VERBOS portar, parecer, aprazer, convir etc.

A Grande Catástrofe III. Pessoais: não apresentam algumas flexões por motivos
morfológicos ou eufônicos. Exemplos: falir, computar, adequar,
No início era o Verbo. O verbo Ser. Conjugava-se apenas no precaver etc.
infinitivo. Ser, e nada mais.
Intransitivo absoluto. Abundantes: possuem mais de uma forma com o mesmo va-
Isso foi no princípio. Depois, transigiu, e muito. Em vários lor. Ocorrem, geralmente, no particípio, havendo a forma regular
modos, tempos e pessoas. Ah, nem queiras saber o que são as pes- (terminação em -ado ou -ido) e a irregular. Exemplos: aceitar -
soas: eu, tu, ele, nós, vós, eles... aceitado, aceito; anexar - anexado, anexo; eleger - elegido, eleito
Principalmente eles! etc.
E ante essa dispersão lamentável, essa verdadeira explosão do
SER em seres, até hoje os anjos ingenuamente se interrogam por Lista dos principais verbos abundantes
que motivo as referidas pessoas chamam a isso de CRIAÇÃO...
Mário Quintana, Prosa & Verso. Infinitivo pessoal / Particípio regular e Irregular

Os verbos são palavras que exprimem ação, fenômeno natu- aceitar: aceitado, aceito
acender: acendido, aceso
ral, estado ou mudança de estado, situando tais fatos no tempo.
benzer: benzido, bento
Flexionam-se em número (singular, plural), pessoa (primeira,
concluir: concluído, concluso
segunda e terceira), modo (indicativo, subjuntivo e imperativo),
eleger: elegido, eleito
tempo (presente, pretérito e futuro) e voz (ativa, passiva e refle- emergir: emergido, emerso
xiva). enxugar: enxugado, enxuto
entregar: entregado, entregue
Modos e tempos expelir: expelido, expulso
expressar: expressado, expresso
Os modos indicam diferentes maneiras de um fato realizar-se. exprimir: exprimido, expresso
São três: indicativo, subjuntivo e imperativo. expulsar: expulsado, expulso
extinguir: extinguido, extinto
Os tempos situam a época ou o momento em que se verifica frigir: frígido, frito
o fato. São: presente, pretérito perfeito, pretérito imperfeito, pre- findar: findado, findo
térito mais-que-perfeito, futuro do presente e futuro do pretérito. imergir: imergido, imerso
imprimir: imprimido, impresso

Didatismo e Conhecimento 24
LÍNGUA PORTUGUESA
inserir: inserido, inserto Paradigma dos verbos regulares
isenta: isentado, isento
limpar: limpado, limpo 1ª Conjugação - falar
matar: matado, morto
morrer: morrido, morto Presente do Indicativo - eu falo tu falas, ele fala, nós fala-
omitir: omitido, omisso mos, vós falais, eles falam
prender: prendido, preso Pretérito Perfeito do Indicativo - eu falei, tu falaste, ele
romper: rompido, roto falou, nós falamos, vós falastes, eles falaram
salvar: salvado, salvo Pretérito Imperfeito do Indicativo - eu falava, tu falavas, ele
segurar: segurado, seguro
falava, nós falávamos, vós faláveis, eles falavam
submergir: submergido, submerso
Pretérito Mais-que-perfeito do Indicativo - eu falara, tu fa-
suprimir: suprimido, supresso
laras, ele falara, nós faláramos, vós faláreis, eles falaram
suspender: suspendido, suspenso
Futuro do Presente do Indicativo - eu falarei, tu falarás, ele
tingir: tingido, tinto
falará, nós falaremos, vós falareis, eles falarão
Anômalos: possuem mais de um radical em sua conjugação. Futuro do Pretérito do Indicativo - eu falaria, tu falarias, ele
Verbos ser e ir. Exemplos; sou, era, fui, fora, vou, ide, sede etc. falaria, nós falaríamos, vós falaríeis, eles falariam
Presente do Subjuntivo - que eu fale, que tu fales, que ele
Auxiliares: participam da formação dos tempos compostos fale, que nós falemos, que vós faleis, que eles falem
e das locuções verbais. O verbo principal, quando acompanhado Pretérito Imperfeito do Subjuntivo - se eu falasse, se tu fa-
pelo auxiliar, é expresso numa das formais infinitivo, gerúndio lasses, se ele falasse, se nós falássemos, se vós falásseis, se eles
ou particípio. Os verbos mais utilizados são; ser, estar, ter e ha- falassem
ver. Exemplos: Vou correr a maratona; Está chegando o segundo Futuro do Subjuntivo - quando eu falar, quando tu falares,
turno eleitoral; Os convidados foram cumprimentados por todos. quando ele falar, quando nós falarmos, quando vós falardes, quan-
do eles falarem
Formas nominais Imperativo Afirmativo - fala tu, fale você, falemos nós, falai
vós, falem eles
Desempenham funções de substantivos, adjetivos e advérbios. Imperativo Negativo - não fales tu, não fale você, não fale-
São elas: mos nós, não faleis vós, não falem eles
Infinitivo Pessoal - por falar eu, por falares tu, por falar ele,
1. Infinitivo - é a forma como se designam os verbos (desi- por falarmos nós, por falardes vós, por falarem eles
nência em -r): falar, comer, sorrir. Pode ser: Infinitivo Impessoal - falar
Gerúndio - falando
a) Pessoal - flexionado, referindo-se a uma pessoa gramatical: Particípio - falado
Estamos felizes por termos conseguido a aprovação no concurso.
2ª Conjugação - vender
b) Impessoal - não flexionado. Não se refere a nenhuma pes-
soa gramatical. Exerce a função de substantivo: O nascer é mara- Presente do Indicativo: eu vendo, tu vendes, ele vende, nós
vilhoso. vendemos, vós vendeis, eles vendem
Pretérito Perfeito do Indicativo: eu vendi, tu vendeste, ele
2. Gerúndio - é ação em desenvolvimento. Apresenta a desi- vendeu, nós vendemos, vós vendestes, eles venderam
nência -ndo: falando, comendo, sorrindo. Pode exercer a função Pretérito Imperfeito do Indicativo: eu vendia, tu vendias,
de advérbio ou adjetivo: Chegando o frio, começaremos a cam- ele vendia, nós vendíamos, vós vendíeis, eles vendiam
panha do agasalho. (advérbio).Torcedores chorando saíram do Pretérito Mais-que-perfeito do Indicativo: eu vendera, tu
estádio (adjetivo). venderas, ele vendera, nós vendêramos, vós vendêreis, eles ven-
deram
3. Particípio - sem verbo auxiliar exerce a função de subs- Futuro do Presente do Indicativo: eu venderei, tu venderás,
tantivo ou adjetivo: Terminado o jogo, os torcedores foram para ele venderá, nós venderemos, vós vendereis, eles venderão
a avenida comemorar; em tempos compostos, expressa o resultado Futuro do Pretérito do Indicativo: eu venderia, tu venderias,
de ação: A casa foi alugada no carnaval. Apresenta a desinência ele venderia, nós venderíamos, vós venderíeis, eles venderiam
em d (regular) ou t, s (irregular): falado, aceito, aceso. Presente do Subjuntivo: que eu venda, que tu vendas, que
ele venda, que nós vendamos, que vós vendais, que eles vendam
Formas Rizotônicas: São as estruturas verbais com a sílaba Pretérito Imperfeito do Subjuntivo: se eu vendesse, se tu
tônica no radical: 1ª, 2ª, 3ª pessoas do singular e 3ª pessoa do plural vendesses, se ele vendesse, se nós vendêssemos, se vós vendêsseis,
no Presente do Indicativo e no Presente do Subjuntivo e formas se eles vendessem
respectivas do Imperativo. Futuro do Subjuntivo: quando eu vender, quando tu vende-
res, quando ele vender, quando nós vendermos, quando vós ven-
Formas Arrizotônicas: São as estruturas verbais com a sílaba derdes, quando eles venderem
tônica fora do radical. Todas as demais estruturas verbais, com Imperativo Afirmativo: vende tu, venda você vendamos nós,
exceção das rizotônicas. vendei vós, vendam vocês

Didatismo e Conhecimento 25
LÍNGUA PORTUGUESA
Imperativo Negativo: não vendas tu, não venda você, não Imperativo Negativo: não comas, não coma, não comamos,
vendamos nós, não vendais vós, não vendam eles não comais, não comam.
Infinitivo Pessoal: por vender eu, por venderes tu, por vender
ele, por vendermos nós, por venderdes vós, por venderem eles Observação: A única exceção à regra é com o verbo ser que
Infinitivo Impessoal: vender no Imperativo Afirmativo fica: sê (tu) sede (vós).
Particípio: vendido
Gerúndio: vendo Valor dos tempos verbais

3ª Conjugação - partir presente do indicativo - indica um fato real situado no mo-


mento ou época em que se fala.
Presente do Indicativo: eu parto, tu partes, ele parte, nós par-
timos, vós partis, eles partem pretérito perfeito do indicativo - indica um fato real cuja
Pretérito Perfeito do Indicativo: eu parti, tu partiste, ele ação foi iniciada e concluída no passado.
partiu, nós partimos, vós partistes, eles partiram
Pretérito Imperfeito do Indicativo: eu partia, tu partias, ele pretérito imperfeito do indicativo - indica um fato real cuja
partia, nós partíamos, vós partíeis, eles partiam ação foi iniciada no passado, mas não foi concluída ou era uma
Pretérito Mais-que-perfeito do Indicativo: eu partira, tu ação costumeira no passado.
partiras, ele partira, nós partíramos, vós partíreis, eles partiram
Futuro do Presente do Indicativo: eu partirei, tu partirás, ele pretérito mais-que-perfeito do indicativo - indica um fato
partirá, nós partiremos, vós partireis, eles partirão real cuja ação é anterior a outra ação já passada.
Futuro do Pretérito do Indicativo: eu partiria, tu partirias,
ele partiria, nós partiríamos, vós partiríeis, eles partiriam futuro do presente do indicativo - indica um fato real situa-
do em momento ou época vindoura.
Presente do Subjuntivo: que eu parta, que tu partas, que ele
parta, que nós partamos, que vós partais, que eles partam
futuro do pretérito do indicativo - indica um fato possível,
Pretérito Imperfeito do Subjuntivo: se eu partisse, se tu par-
hipotético, situado num momento futuro, mas ligado a um momen-
tisses, se ele partisse, se nós partíssemos, se vós partísseis, se eles
to passado.
partissem
Futuro do Subjuntivo: quando eu partir, quando tu partires,
presente do subjuntivo - indica um fato provável, duvidoso
quando ele partir, quando nós partirmos, quando vós partirdes,
ou hipotético situado no momento ou época em que se fala.
quando eles partirem
Imperativo Afirmativo: parte tu, parta você, partamos nós, pretérito imperfeito do subjuntivo - indica um fato prová-
parti vós, partam vocês vel, duvidoso ou hipotético cuja ação foi iniciada mas não conclu-
Imperativo Negativo: não partas tu, não parta você, não par- ída no passado.
tamos nós, não partais vós, não partam vocês
Infinitivo Pessoal: por partir eu, por partires tu, por partir ele, futuro do subjuntivo - indica um fato provável, duvidoso,
por partirmos nós, por partirdes vós, por partirem eles hipotético, situado num momento ou época futura.
Infinitivo Impessoal: partir
Particípio: partido Verbos irregulares
Gerúndio: partindo
Terminados em -EAR: recebem um I na primeira, segunda
Formação do Imperativo Afirmativo / Negativo e terceira pessoas do singular e na terceira pessoa do plural do
Presente do Indicativo e nas formas respectivas do Presente do
Imperativo Afirmativo - A segunda pessoa do singular e a Subjuntivo. Ex.: verbo pentear (penteio, penteias, penteia, pente-
segunda pessoa do plural são retiradas do Presente do Indicativo, amos, penteais, penteiam; penteie, penteies, penteie, penteemos,
suprimindo-se o S final; as demais formas são as mesmas do Pre- penteeis, penteiem).
sente do Subjuntivo.
Terminados em -IAR: São todos regulares, com exceção de:
Imperativo Negativo - Todas as pessoas são idênticas às cor- mediar, ansiar, remediar, incendiar ,odiar e intermediar. Ex.: an-
respondentes do Presente do Subjuntivo, bastando antepor o ad- seio, anseias, anseia, ansiamos, ansiais, anseiam; anseie, anseies,
vérbio Não. anseie, ansiemos, ansieis, anseiem.

Exemplo com o verbo comer Correlação verbal


Presente do indicativo: como, comes, come, comemos, co-
meis, comem. Dá-se o nome de correlação verbal à articulação temporal en-
Presente do Subjuntivo: coma, comas, coma, comamos, co- tre duas formas verbais. Assim, ao construir um período, os verbos
mais, comam que ele possa apresentar estabelecem, entre si, uma relação, uma
Imperativo Afirmativo: come (tu), coma (você), comamos correspondência, ajustando-se, convenientemente, um ao outro.
(nós), comei (vós), comam (vocês). Exemplo: Se eu tivesse dinheiro, faria um curso preparatório,

Didatismo e Conhecimento 26
LÍNGUA PORTUGUESA
Tivesse: tempo que indica hipótese. 2. Escreva no plural os substantivos abaixo.
Faria: tempo que expressa uma possibilidade (fazer o curso) a) caneta ................................................................
que depende da realização ou não, do fato contido em “tivesse”. b) anel ...................................................................
c) cor ....................................................................
Outros casos d) pastelzinho .......................................................
e) canil .................................................................
I. Presente do indicativo + Pretérito Perfeito do Indicativo - f) fóssil ................................................................
Sei que tive oportunidade de ganhar na loteria. g) ananás .............................................................
h) pêsames ...........................................................
II. Presente do Indicativo + Pretérito Imperfeito do Indicativo i) xerox ................................................................
- Observo que tinha oportunidade de ganhar na loteria  d) caráter .............................................................
k) animalzinho ....................................................
III. Presente do Indicativo + Futuro do Presente do Indicativo l) ancião ..............................................................
- Sei que terei oportunidade de ganhar na loteria.
3. Escreva no plural os compostos abaixo.
IV. Presente do Indicativo + Presente do Subjuntivo -  Peço a) doce-de-leite ...................................................
que você me explique correlação verbal. b) segunda-feira ..................................................
V. Pretérito Perfeito do Indicativo + Pretérito Imperfeito do c) abaixo-assinado ..............................................
Subjuntivo - Pedi que você me explicasse correlação verbal. d) reco-reco ........................................................
e) quero-quero ....................................................
VI. Pretérito Perfeito do Indicativo + Futuro do Pretérito do f) meio-fio ..........................................................
Indicativo - Disseram que você seria aprovado no concurso. g) guarda-florestal ..............................................
h) guarda-comida ................................................
VII.  Pretérito Imperfeito do Indicativo + Pretérito Imperfeito i) guarda-marinha ............................................
do Subjuntivo - Queria que você fosse aprovado no concurso; j) peixe-boi .....................................................
k) febre-amarela..............................................
VIII. Pretérito Mais-Que-Perfeito do Indicativo + Pretéri- l) guarda-civil ..................................................
to Imperfeito do Subjuntivo - Pedira que você me apresentasse à
sua melhor amiga. 4. Passe para o plural: O jovem usava estranho uniforme: cal-
ça verde-azeitona, blusa vermelho-lagosta, meia amarelo-dourada;
IX. Futuro do Pretérito + Pretérito Imperfeito do Subjuntivo - na cabeça, gorro amarelo-enxofre; no pescoço, colar roxo-escuro e
Pediria que você me apresentasse à sua melhor amiga. nos dedos, anel verde-ervilha.

X.  Futuro do Subjuntivo + Futuro do Presente Indicativo - .........................................................................................................


Quando eu estudar, direi a você. ........................................................................................................
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ........................................................................................................

1. Classifique os substantivos segundo o código: .........................................................................................................


a) comum-de-dois
b) epiceno 5. Dê o superlativo absoluto sintético dos adjetivos abaixo.
c) heterônimo
d) sobrecomum a) amigo ........................................................................
b) sábio .........................................................................
( ) colega c) amargo......................................................................
( ) mascote d) inteligente ................................................................
( ) testemunha e) magro .......................................................................
( ) águia f) humilde.....................................................................
( ) abelha g) doce .........................................................................
( ) cônjuge h) malévolo .................................................................
( ) sentinela i) livre .........................................................................
( ) cavalheiro j) áspero ......................................................................
( ) mulher
( ) rouxinol 6. Aponte o grau dos adjetivos nas frases seguintes, de acordo
( ) ídolo com a relação que segue:
( ) pessoa a) comparativo de igualdade
( ) intérprete b) comparativo de superioridade
( ) mártir c) comparativo de inferioridade
( ) tigre d) superlativo absoluto analítico

Didatismo e Conhecimento 27
LÍNGUA PORTUGUESA
e) superlativo absoluto sintético As correspondências entre locução adjetiva e adjetivo foram
f) superlativo relativo de superioridade feitas adequadamente, apenas em
g) superlativo relativo de inferioridade a) I, II, III
b) I, II, IV
1. ( ) A professora mantinha os estudantes muito disci- c) I, III, V
plinados. d) II, III, IV
2. ( ) O processo será examinado pela juíza mais inteli- e) III, IV, V
gente do Tribunal.
3. ( ) Todos achavam que Priscila era macérrima. 02. (Cesgranrio) Assinale a série de nomes: masculino, femi-
4. ( ) Fabiana era mais preguiçosa do que sua irmã. nino e masculino.
5. ( ) Márcio é menor do que Fernando. a) tribo, eclipse, tabu
6. ( ) O teatro foi menos interessante do que o cinema. b) telefonema, alvará, telefonada
7. ( ) O riso é tão importante como o choro. c) bílis, rês, ágape
8. ( ) Ricardo é o aluno menos dedicado da escola. d) anátema, cal, estratagema
e) aluvião, champanha, comichão
7. Dê a forma verbal pedida:
a) correr - 2ª p. pl. pretérito perfeito ...................................... 03. (Cesgranrio) O substantivo seleção admite apenas uma
b) mentir - 2ª p. pl. futuro do subjuntivo ............................... forma de plural. Entre os apresentados a seguir, o substantivo que
c) partir - 2ª p. pl. presente do indicativo. ............................. também só admite uma forma para o plural é
d) prestigiar - 1ª p. pl. pretérito mais-que-perfeito ................ a) refrão
e) recorrer - 2ª p. pl. pretérito imperfeito indicativo ............. b) cidadão
f) antecipar - 3ª p. pl. futuro presente ................................... c) verão
g) repor - 1ª p. pl. presente do subjuntivo ............................. d) corrimão
h) querer - 1ª p. pl. futuro do pretérito .................................. e) ancião
i) ser - 2ª p. pl. pretérito imperfeito do subjuntivo .................
04. (Cesgranrio) À semelhança de pagãos muitos substantivos
j) crer - 3ª p. sing. pretérito perfeito do indicativo .................
terminados em ão têm uma única forma de plural; vários, entretan-
to, apresentam duas ou mais formas. Assinale entre os substantivos
8. (FUVEST) Passe o texto para a forma negativa: “Sai daqui!
abaixo o que está neste caso.
Foge! Abandona o que é teu e esquece-me.”
a) verão
.........................................................................................................
b) cristão
.........................................................................................................
c) desvão
.........................................................................................................
d) demão
e) irmão
9. Conjugue a 1ª pessoa do singular no Futuro do Subjuntivo
dos seguintes verbos: 05. (Cesgranrio) Assinale a opção em que ambos os termos
a) convir .................................................. não admitem flexão de gênero.
b) intervir ................................................. a) inglesa pálida
c) ir .......................................................... b) jovem leitor
d) manter ................................................. c) alguns mestres
e) poder ................................................... d) semelhante criatura
f) pôr ........................................................ e) moça ideal
g) propor ..................................................
h) requerer ............................................... 06. (Cesgranrio) Dos verbos apresentados a seguir, o que pode
i) reter ...................................................... ser conjugado em todas as pessoas do presente do indicativo é:
j) querer ................................................... a) abolir
k) ver ........................................................ b) explodir
l) vir .......................................................... c) magoar
d) falir
TESTES DE CONCURSOS e) reaver

01. (Cesgranrio) Em “... que seus direitos caninos estejam 07. (Cesgranrio) O verbo destacado está flexionado incorre-
sendo violados”. O adjetivo destacado corresponde corretamente tamente em:
à locução “de cães”. Observe os pares abaixo. a) Ele, finalmente, reouve a fé perdida.
I. de gato - felino; b) Assim que os vir, dê-lhes um forte abraço.
II. de dedo - digital; c) Propus, na verdade, maior reflexão.
III. de guerra - gálico; d) Ninguém a deteu, embora sua escolha fosse arriscada.
IV. de rio - fluvial; e) Durante muito tempo, cri em ideias não plausíveis.
V. de professor - discente

Didatismo e Conhecimento 28
LÍNGUA PORTUGUESA
08 (Cesgranrio) ................... tu mesmo um modo de enrique- 14. (Cesgranrio) Não .................... o que iria acontecer, mas
cer a tua vida. Assinale a opção cuja forma verbal apresentada no era necessário que .................... a calma. As formas verbais que
imperativo completa corretamente a frase. preenchem, nesta ordem, as lacunas, são:
a) Descobre a) preveu - mantivesse
b) Descobres b) preveu - tivesse mantido
c) Descubras c) preveu - mantesse
d) Descubra d) previu - mantesse
e) Descobri e) previu - mantivesse

09. (Cesgranrio) Reescrevendo, na 2ª pessoa do singular do 15. (Cesgranrio) Se .................... as tabuletas, ....................
outros poemas. As formas que completam corretamente a frase
Imperativo Afirmativo, o texto “Não coma com os dedos!”, de
acima são:
acordo com o registro culto, teremos a forma verbal:
a) reaver e comporá
a) come
b) comas b) reouver e comporia
c) comei c) reavesse e comporá
d) comes d) reavesse e comporia
e) comais e) reouvesse e comporia

10. (Cesgranrio) Transpondo a frase Faça diferente todos os GABARITOS


dias! para a 2ª pessoa do singular do imperativo negativo, teremos
a forma verbal: EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
a) não faze
b) não faças 1.
c) não fazes ( a ) colega
d) não fazei ( d ) mascote
e) não faz ( d ) testemunha
( b ) águia
( c ) abelha
11. (Cesgranrio) É preciso que os diretores da empre-
( d ) cônjuge
sa................. De acordo com a conjugação verbal, a frase acima se
( d ) sentinela
completa adequadamente com: ( c ) cavalheiro
a) nomeiem logo os novos gerentes. ( c ) mulher
b) mediem as conversas entre os concorrentes. ( b ) rouxinol
c) principiam cedo as suas atividades. ( d ) ídolo
d) pensam melhor antes de agir. ( d ) pessoa
e) remediem os erros dos funcionários. ( a ) intérprete
( a ) mártir
12. (Cesgranrio) No passado a Ciência não ............... com- ( b ) tigre
bater muitas doenças. Hoje, ela ............... meios de evitá-las. As
formas verbais que completam corretamente as frases são: 2.
a) pôde e possui a) canetas
b) pôde e possue b) anéis
c) pode e possui c) cores
d) pode e possue d) pasteizinhos
e) poude e possui e) canis
f) fósseis
g) ananases
13. (Cesgranrio) Considere as frases.
h) os pêsames
I. Ficarei muito satisfeito se, ao envelhecer, me ....................
i) as xerox
espiritualmente jovem. i) os tórax
II. Os economistas .................... soluções para os problemas j) caracteres
financeiros. k) animaizinhos
As formas verbais que preenchem corretamente as frases aci- l) anciãos, anciães, anciões
ma são:
a) manter - proporam 3.
b) mantiver - propuseram a) doces-de-leite
c) mantiver - propuserem b) segundas-feiras
d) mantesse - propusessem c) abaixo-assinados
e) mantivesse - proporam d) reco-recos
e) quero-queros ou queros-queros

Didatismo e Conhecimento 29
LÍNGUA PORTUGUESA
f) meios-fios e) puder
g) guardas-florestais f) puser
h) guarda-comidas g) propuser
i) guardas-marinha ou guardas-marinhas h) requerer
j) peixes-boi ou peixes-bois i) retiver
k) febres-amarelas j) quiser
l) guardas-civis i) vir
j) vier
4. Os jovens usavam estranhos uniformes: calças verde-azei-
tona, blusas vermelho-lagosta, meias amarelo-douradas; na ca- TESTES DE CONCURSOS
beça, gorros amarelo-enxofre; no pescoço, colares roxo-escuros
e nos dedos, anéis verde-ervilha. 01 B
5. 02 D
a) amicíssimo 03 B
b) sapientíssimo 04 A
c) amaríssimo
05 D
d) inteligentíssimo
e) macérrimo 06 C
f) humílimo 07 D
g) dulcíssimo 08 A
h) malevolentíssimo
i) libérrimo 09 A
j) aspérrimo 10 B
11 A
6.
12 A
1. (d) A professora mantinha os estudantes muito disciplina-
dos. 13 B
2. (f) O processo será examinado pela juíza mais inteligente 14 E
do Tribunal. 15 E
3. (e) Todos achavam que Priscila era macérrima.
4. (b) Fabiana era mais preguiçosa do que sua irmã. TESTES DE CONCURSOS COMENTADOS
5. (b) Márcio é menor* do que Fernando.
6. (c) O teatro foi menos interessante do que o cinema. 01. (Fundação Carlos Chagas) ... respeite pai e mãe... O verbo
7. (a) O riso é tão importante como o choro. flexionado de modo idêntico ao do grifado está também na frase
8. (g) Ricardo é o aluno menos dedicado da escola. a) Todos desejavam que o recém-chegado se comportasse de
acordo com os costumes locais.
* menor = mais pequeno b) Esperava-se aceitação bem maior das novas determinações
estabelecidas pela instituição.
7. c) Leia este manual com bastante atenção, para conhecimento
a) correrdes das normas de convivência da empresa.
b) mentirdes d) Sempre se soube que a organização de um grupo depende
c) partis de regras, respeitadas por seus integrantes.
d) prestigiáramos e) É preciso que se observem as normas, para garantir uma
e) recorríeis convivência agradável em qualquer ambiente.
f) anteciparão
g) reponhamos 02. (Fundação Carlos Chagas) Tome-se o arremesso do mar-
h) quereríamos telo. Repete-se o emprego da forma verbal grifada acima no verbo
i) fôsseis também grifado em:
j) creu a) ... em que o homem primitivo se torna capaz de inventar
ferramentas...
8. “Não saias daqui! Não fujas! Não abandones o que é teu e b) ... a espécie permite-se o luxo de brincar.
não me esqueças. “ c) O arremesso do martelo ... continua assustador.
d) Haja peso, para dar os rodopios que precedem seu lança-
9. mento.
a) convier e) Do martelo à bola, desenha-se um percurso ...
b) intervier
c) for
d) mantiver

Didatismo e Conhecimento 30
LÍNGUA PORTUGUESA
03. (Fundação Carlos Chagas) Considere a flexão verbal em 08. (Fundação Carlos Chagas) O Ministério também lançará
viviam - vivem - viverão. A mesma sequência está corretamente um livro que reúna dados sobre espécies invasoras marinhas. O
reproduzida nas formas: verbo flexionado nos mesmos tempo e modo que o grifado acima
a) queriam - querem - quiserão está na frase:
b) davam - dão - dariam a) ... isso se dá no momento ...
c) exigiram - exigem - exigerão b) “Queremos que sirva como critério para barrar sua entrada
d) punham - põem - porão e o seu plantio”...
e) criam - criavam - criarão c) ... e hoje ocupa o lugar de espécies nativas nos parques e
reservas do Rio ...
04. (Fundação Carlos Chagas) Ambos os verbos grifados es- d) ... o homem, desavisado do estrago que pode provocar no
tão corretamente flexionados na frase: ambiente ...
a) Do impacto da crise que se abateu sobre vários países, so- e) ... mas que agora começa a ser revista.
breviu o pânico, com a queda no valor de seus investimentos.
b) Um dos analistas políticos, que se deteu na análise dos 09. (Fundação Carlos Chagas) Escuta a hora formidável do
problemas decorrentes da crise, receia ainda a gravidade de seu almoço//na cidade. O verbo flexionado da mesma forma que o
desdobramento. grifado acima está no verso:
c) Em vários países governantes se dispuseram a liberar enor- a) As bocas sugam um rio de carne, legumes e tortas vitami-
mes quantias para as empresas refazerem o capital necessário à nosas.
produção. b) Os subterrâneos da fome choram caldo de sopa...
d) Foram vários os fatores que comporam o cenário em que se c) Come, braço mecânico ...
delineou a atual crise econômica mundial. d) ... vem na areia, no telefone, na batalha de aviões ...
e) Os ventos favoráveis da economia mundial alimentaram a e) ... toma conta de tua alma ...
ampla circulação de instrumentos financeiros, sem que se preves-
sem os perigos subjacentes. 10. (Fundação Carlos Chagas) Olhemos, agora, por exemplo...
O verbo flexionado de forma idêntica à do grifado acima está tam-
05. (Fundação Carlos Chagas) É possível que mudem bastan- bém grifado na frase:
te nesse processo. O verbo corretamente flexionado nos mesmos a) Chegamos, sem dúvida, a uma situação crítica em relação
às condições climáticas no país.
tempo e modo do grifado acima está também grifado na frase:
b) Vemos, no momento, situações extremas de seca ou de ex-
a) Autoridades responsáveis pelo meio ambiente preparam
cesso de chuvas.
ações que devem reduzir a destruição de importantes biomas na-
c) Devemos ser solidários com os desabrigados pelas inun-
cionais.
dações.
b) Apesar de serem tomadas todas as medidas necessárias de
d) Façamos nossa parte, agindo como cidadãos conscientes da
preservação do Cerrado, continua havendo desmatamento.
necessária preservação das florestas.
c) No Cerrado se produzem toneladas de grãos, especialmente
e) Observamos sinais evidentes de que o clima no planeta de-
a soja, tanto para exportação quanto para consumo interno. riva de um sistema bastante desregulado.
d) O desmatamento do Cerrado é um problema difícil de ser
resolvido, embora as autoridades se empenhem no seu controle. 11. (Fundação Carlos Chagas) A frase em que ambos os ver-
e) Os órgãos de controle geralmente recebem denúncias refe- bos estão corretamente flexionados é:
rentes à destruição de matas, e os responsáveis são pesadamente a) Os agricultores de várias regiões sofreram graves prejuízos
multados. por conta da seca que se abateu sobre enorme área do País.
b) As autoridades responsáveis pelo agronegócio não solucio-
06. (Fundação Carlos Chagas) O entusiasmo, que levava a naram os problemas que sobreviram no transporte de cereais.
citações... O verbo flexionado nos mesmos tempo e modo que o c) Para que se mantessem os preços favoráveis na comerciali-
grifado acima está na frase: zação de cereais, os agricultores reduziram a área de cultivo.
a) ... pouco a pouco se agrupam diante do homem baixo ... d) Alguns produtores interviram na oferta de comercialização
b) ... que se arrasta cantante. de grãos, para refazerem o estoque desses alimentos
c) ... que a voz do governador se fazia mais forte... e) Aqueles que se proporam ao plantio em áreas mais extensas
d) ... imaginou o boi fincado na paisagem ... se beneficiaram com a procura por alimentos no mercado externo.
e) Os ouvintes (...) começaram a mexer-se ...
12. (Fundação Carlos Chagas) A palavra destacada que está
07. (Fundação Carlos Chagas) Ele ................ que lhe empregada corretamente é:
................ dificuldades, mas ................ ajuda financeira para as a) Diante de tantos abaixos-assinados, teve de acatar a soli-
pesquisas sobre o clima. citação.
a) receiava - sobreviessem - obteu b) Considerando os incontestáveis contra-argumento, reco-
b) receiava - sobrevissem - obteve nheceu a falha do projeto.
c) receava - sobreviessem - obteve c) Ele é um dos mais antigos tabeliões deste cartório.
d) receava - sobrevissem - obteve d) Os guardas-costas do artista foram agressivos com os jor-
e) receava - sobreviessem - obteu nalistas.
e) Os funcionários da manutenção já instalaram os corrimãos.

Didatismo e Conhecimento 31
LÍNGUA PORTUGUESA
13. (Fundação Carlos Chagas) Está corretamente empregada a a) Ao ouvir as notícias...
palavra destacada na frase b) ... D. João embarcou na carruagem...
a) Constitue uma grande tarefa transportar todo aquele ma- c) ... que passara a madrugada...
terial. d) ... bastaram algumas semanas...
b) As pessoas mais conscientes requereram anulação daquele e) ... que o aguardava...
privilégio.
c) Os fiscais reteram o material dos artistas. RESPOSTAS
d) Quando ele vir até aqui, trataremos do assunto.
e) Se eles porem as pastas na caixa ainda hoje, pode despa- 01. Resposta E. As formas verbais respeite e observem estão
chá-la imediatamente. conjugadas no presente do subjuntivo.

14. (Fundação Carlos Chagas) Observe o texto: Demais alternativas: a) comportasse - pretérito imperfeito do
subjuntivo; b) Esperava-se - pretérito imperfeito do indicativo; c)
João e Maria Leia - imperativo afirmativo; d) depende - presente do indicativo.

Agora eu era o herói 02. Resposta D. As formas verbais tome-se e haja estão con-
E o meu cavalo só falava inglês jugadas no presente do subjuntivo.
A noiva do cowboy
Era você Demais alternativas: presente do indicativo.
Além das outras três
Eu enfrentava os batalhões 03. Resposta D. Viviam e punham - pretérito imperfeito do
Os alemães e seus canhões indicativo; vivem e põem - presente do indicativo; viverão e po-
Guardava o meu bodoque rão - futuro do presente do indicativo.
E ensaiava um rock
Para as matinês Demais alternativas: a) queriam - pretérito imperfeito do in-
(...) dicativo, querem - presente do indicativo, a forma “quiserão” não
existe, o correto é quererão (futuro do presente do indicativo);
b) davam - pretérito imperfeito do indicativo, dão - presente do
Não, não fuja não
indicativo, dariam - futuro do pretérito do indicativo; c) exigiram
Finja que agora eu era o seu brinquedo
- pretérito perfeito ou mais-que-perfeito do indicativo, exigem -
Eu era o seu pião
presente do indicativo, a forma “exigerão” não existe, o correto
O seu bicho preferido
é exigirão - futuro do presente do indicativo; e) criam - pretérito
Sim, me dê a mão
imperfeito do indicativo, criavam - pretérito imperfeito do indica-
A gente agora já não tinha medo
tivo, criarão - futuro do presente do indicativo.
No tempo da maldade
Acho que a gente nem tinha nascido
04. Resposta C. dispuseram - pretérito perfeito do indicativo
Chico Buarque e Sivuca do verbo dispor, refazerem - infinitivo pessoal do verbo refazer.
I. Nos versos Agora eu era o herói e A gente agora já não Demais alternativas: a) sobreveio - pretérito perfeito do indi-
tinha medo, o uso do advérbio agora mostra-se inadequado, pois cativo do verbo sobrevir (chegar ou acontecer de modo imprevis-
os verbos conjugados no pretérito imperfeito designam fatos trans- to ou inesperado); b) deteve - pretérito perfeito do indicativo do
corridos no tempo passado. verbo deter; d) compuseram - pretérito perfeito do indicativo do
II. Em Finja que agora eu era o seu brinquedo e Sim, me verbo “compor”; e) previssem - pretérito imperfeito do subjuntivo
dê a mão, os verbos grifados estão flexionados no mesmo modo. do verbo prever.
III. Substituindo-se a expressão a gente pelo pronome nós nos
versos A gente agora já não tinha medo e Acho que a gente nem 05. Resposta D. As formas verbais mudem e empenhem es-
tinha nascido, a forma verbal resultante, sem alterar o contexto, tão conjugadas no presente do subjuntivo.
será teríamos.
Demais alternativas: a) devem - presente do indicativo; b) se-
Está correto o que se afirma em rem - infinitivo pessoal; c) produzem - presente do indicativo; e)
a) I, apenas recebem - presente do indicativo.
b) II, apenas
c) III, apenas 06. Resposta C. As formas verbais levava e fazia estão conju-
d) I e II, apenas gadas no pretérito imperfeito do indicativo.
e) I, II e III
Demais alternativas: a) agrupam - presente do indicativo; b)
15. (Fundação Carlos Chagas) ... como fazia em noites de tro- arrasta - presente do indicativo; d) imaginou - pretérito perfeito
voadas. O verbo flexionado nos mesmos tempo e modo em que se do indicativo; e) começaram - pretérito perfeito do indicativo.
encontra o grifado acima está em:

Didatismo e Conhecimento 32
LÍNGUA PORTUGUESA
07. Resposta C. receava - pretérito imperfeito do indicativo Demais alternativas: a) Ao ouvir - futuro do subjuntivo; b)
do verbo recear, sobreviessem - pretérito imperfeito do subjunti- embarcou - pretérito perfeito do indicativo; c) passara - pretérito
vo do verbo sobrevir, obteve - pretérito perfeito do indicativo do mais-que-perfeito do indicativo; d) bastaram - pretérito perfeito
verbo obter. do indicativo.

08. Resposta B. As formas verbais reúna e sirva estão conju- VOZES DO VERBO
gadas no presente do subjuntivo.
Dá-se o nome de voz à forma assumida pelo verbo para indi-
Demais alternativas: conjugadas no presente do indicativo. car se o sujeito gramatical é agente ou paciente da ação. Divide-se
em:
09. Resposta C. As formas verbais Escuta e Come estão con-
jugadas no imperativo afirmativo. I. Ativa: quando o sujeito pratica a ação expressa pelo verbo.
Exemplo: Sílvia comeu o bolo.
Demais alternativas: conjugadas no presente do indicativo. Sílvia é o sujeito agente (pratica a ação), o verbo fazer, no
pretérito perfeito do indicativo é a ação, enquanto o bolo funciona
10. Resposta D. As formas verbais olhemos e façamos estão como o objeto (paciente da ação).
conjugadas no presente do subjuntivo.
II. Passiva: quando o sujeito recebe a ação expressa pelo ver-
Demais alternativas: presente do indicativo. bo. Exemplo: O bolo foi comido por Sílvia.
O bolo é o sujeito paciente; foi feito - locução verbal, repre-
11. Resposta A. Sofreram - pretérito perfeito do indicativo sentando a ação e por Sílvia - funciona como o agente da passiva.
do verbo sofrer; abateu - pretérito perfeito do indicativo do verbo
abater. III. Reflexiva: o sujeito é ao mesmo tempo agente e paciente,
isto é, pratica e recebe a ação. Exemplo: Ricardo feriu-se ao fazer
Demais alternativas: b) sobrevieram - pretérito perfeito do a barba.
indicativo do verbo sobrevir (chegar ou acontecer de modo im-
A voz passiva pode ser formada por dois processos: analíti-
previsto ou inesperado); c) mantivessem - pretérito imperfeito do
co e sintético.
subjuntivo do verbo manter; d) intervieram - pretérito perfeito do
indicativo do verbo intervir; e) propuserem - futuro do subjuntivo
I. Analítico - Formado pelo verbo ser + particípio do verbo
do verbo propor.
principal. Exemplo: O bolo foi comido por Sílvia.
Na transformação da voz ativa para a passiva, deve-se manter
12. Resposta E. O plural de corrimão é corrimãos ou cor-
o mesmo tempo verbal do verbo na voz ativa.
rimões.
Exemplos: Sílvia comerá o bolo (futuro do presente do indi-
Demais alternativas: a) abaixo-assinados (advérbio + adjeti- cativo)
vo = apenas o último elemento se pluraliza); b) contra-argumen- Voz passiva: O bolo será (futuro do presente do indicativo)
tos (prefixo + substantivo = apenas o último elemento vai para comido por Sílvia.
o plural); c) tabeliães; d) guarda-costas (verbo + substantivo = Sílvia comia o bolo (pretérito imperfeito do indicativo)
apenas o último elemento varia). Voz passiva: O bolo era (pretérito imperfeito do indicativo)
comido por Sílvia.
13. Resposta B. requereram - pretérito perfeito do indicativo
do verbo requerer. Sílvia comera o bolo (pretérito mais-que-perfeito do indica-
tivo)
Demais alternativas: a) Constitui - presente do indicativo do Voz passiva: O bolo fora (pretérito mais-que-perfeito do indi-
verbo constituir; c) retiveram - pretérito perfeito do verbo reter; cativo) por Sílvia.
d) vier - futuro do subjuntivo do verbo vir; e) puserem - futuro do
subjuntivo do verbo pôr. II. Sintético (ou Pronominal) Formado por verbo na terceira
pessoa, seguido do pronome SE (apassivador). Exemplos: Comeu-
14. Resposta B. Analisando-se as afirmações: I. incorreta - -se o bolo; Destruíram-se os terrenos baldios.
não há inadequação, o pretérito imperfeito designa também tempo
imaginário, muito empregado em contos de fadas; II. correta - as Passagem da ativa para a passiva e vice-versa
duas formas verbais estão conjugadas no imperativo afirmativo
(terceira pessoa do singular); III. incorreta - a forma verbal tinha Para efetivar a transformação da ativa para a passiva e vice-
está conjugada no pretérito imperfeito do indicativo, na primeira -versa, procede-se da seguinte maneira:
pessoa do plural fica tínhamos.
1. O sujeito da voz ativa passará a ser o agente da passiva.
15. Resposta E. As formas verbais fazia e aguardava estão
conjugadas no pretérito imperfeito do indicativo. 2. O objeto direto da voz ativa passará a ser o sujeito da voz
passiva.

Didatismo e Conhecimento 33
LÍNGUA PORTUGUESA
3. Na passiva, o verbo ser estará no mesmo tempo e modo do EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO
verbo transitivo direto da ativa.
1. Passar para a voz ativa ou passiva conforme o caso.
4. Na voz passiva, o verbo transitivo direto ficará no particí-
pio. a) Alice fez uma excelente prova de Português.

Voz ativa: Sílvia comeu o bolo. Sujeito = Sílvia. Verbo transi- ..................................................................................................
tivo direto = comeu. Objeto direto = o bolo. b) Uma ação irreparável fora cometida pelo ex-presidente do país.
Voz passiva: O bolo foi comido por Sílvia. Sujeito = O bolo. ..................................................................................................
Locução verbal passiva = foi comido. Agente da passiva = por Síl-
via. c) A torcida apuparia os jogadores.

Transformação da voz passiva sintética para a voz passiva ..................................................................................................


analítica d) Eu reconheci todos os casos de concordância verbal.
Ex.: Não se destruiu o imóvel - passiva sintética ..................................................................................................
Não foi destruído o imóvel - passiva analítica
e) O computador será vendido pela internet.
a) Troca-se o pronome se pelo verbo auxiliar, conjugado da
mesma forma em que estava o verbo da passiva sintética; ..................................................................................................

f) A Secretaria da Saúde divulgou novos dados sobre a dengue


b) Passa-se o verbo da voz passiva sintética para o particípio.
no interior de São Paulo.
Conjugação do verbo ser
..................................................................................................
Presente do Indicativo: eu sou, tu és, ele é, nós somos, vós
sois, eles são g) Os guias auxiliem os turistas.
Pretérito Perfeito do Indicativo: eu fui, tu foste, ele foi, nós
..................................................................................................
fomos, vós fostes, eles foram
Pretérito Imperfeito do Indicativo: eu era, tu eras, ele era,
nós éramos, vós éreis, eles eram GABARITO
Pretérito Mais-que-perfeito do Indicativo: eu fora, tu foras,
ele fora, nós fôramos, vós fôreis, eles foram EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO
Futuro do Presente do Indicativo: eu serei, tu serás, ele será,
nós seremos, vós sereis, eles serão 1.
Futuro do Pretérito do Indicativo: eu seria, tu serias, ele a) Uma excelente prova de Português foi feita por Alice.
seria, nós seríamos, vós seríeis, eles seriam b) O ex-presidente do país cometera uma ação irreparável.
Presente do Subjuntivo: que eu seja, que tu sejas, que ele c) Os jogadores seriam apupados pela torcida.
seja, que nós sejamos, que vós sejais, que eles sejam d) Todos os casos de concordância verbal foram reconheci-
Pretérito Imperfeito do Subjuntivo: se eu fosse, se tu fosses, dos por mim.
se ele fosse, se nós fôssemos, se vós fôsseis, se eles fossem e) A internet venderá o computador.
Futuro do Subjuntivo: quando eu for, quando tu fores, quan- f) Novos dados sobre a dengue foram divulgados no interior
do ele for, quando nós formos, quando vós fordes, quando eles de São Paulo pela Secretária da Saúde.
forem g) Os turistas sejam auxiliados pelos guias.
Imperativo Afirmativo: sê tu, seja você, sejamos nós, sede
vós, sejam vocês TESTES DE CONCURSOS COMENTADOS
Imperativo Negativo: não sejas tu, não seja ele, não sejamos
nós, não sejais vós, não sejam vocês 01. (Fundação Carlos Chagas) A floresta de 4,2 milhões de
Infinitivo Pessoal: por ser eu, por seres tu, por ser ele, por quilômetros quadrados é habitada por centenas de milhares de
sermos nós, por serdes vós, por serem eles plantas... Transpondo para a voz ativa a frase acima, a forma ver-
Infinitivo Impessoal: ser bal grifada passará a ser, corretamente
Particípio: sido a) habitam
Gerúndio: sendo b) habitou
c) habitava
d) tinha habitado
e) eram habitadas

Didatismo e Conhecimento 34
LÍNGUA PORTUGUESA
02. (Fundação Carlos Chagas) ... eis a frase leiga e padrão 03. Resposta E. Para que haja voz passiva é imprescindível
que mais se fala e mais se ouve nas queixas ... O segmento grifado que o verbo seja transitivo direto ou transitivo direto e indireto.
acima pode ser corretamente substituído, sem alteração do sentido Na alternativa em análise, a forma verbal ocupa é transitiva direta,
original, por: permitindo a transposição para a voz passiva: o lugar de espécies
a) mais é falada e mais é ouvida. nativas é ocupada...
b) mais tinham falado e mais tinham ouvido.
c) mais se falaram e mais se ouviram. Demais alternativas: a) são - verbo de ligação; b) Trata-se -
d) mais foram falados e mais foram ouvidos. verbo transitivo indireto; c) desconfiar - verbo transitivo indireto;
e) mais vem sendo falado e mais vem sendo ouvido. d) é - verbo de ligação.

03. (Fundação Carlos Chagas) ... tradição brasileira que co- 04. Resposta: A. A passagem da voz passiva analítica para a
meçou com a corte portuguesa, foi alterada na década de 1920 por voz ativa é feita da seguinte maneira: o agente da passiva torna-se
paisagistas como Burle Max ... O verbo que admite o mesmo tipo sujeito (Uma combinação de desastres); o sujeito torna-se ob-
de transposição que a do grifado acima está na frase: jeto direto (os países de baixa renda). Exclui-se o verbo ser e
a) ... elas são mais predadoras do que o aquecimento global. flexiona-se o verbo que está no particípio (afetados) no tempo em
b) Trata-se de espécies exóticas trazidas de outros países ...
que estiver o verbo ser (futuro do presente do indicativo): Um
c) Mas quem poderia desconfiar de uma jaqueira ...
combinação de desastres afetará os países de baixa renda).
d) ... não é um exemplar original.
e) ... e hoje ocupa o lugar de espécies nativas nos parques e
reservas do Rio ... 05. Resposta D. Para que haja voz passiva é necessário que
o verbo seja transitivo direto ou transitivo direto e indireto. A al-
04. (Fundação Carlos Chagas) Os países de renda baixa serão ternativa em análise é a única em que a forma verbal garantiu
afetados. Transpondo corretamente a forma verbal grifada para a é transitiva direta, permitindo a transposição para a voz passiva:
voz ativa, tem-se: A separação entre a espécie humana e a dos demais primatas foi
a) afetará garantida pela existência de uma família nuclear.
b) afetariam
c) teriam afetado Demais alternativas: a) eram - verbo de ligação; b) ficavam
d) seria afetado - verbo de ligação; c) foi - verbo de ligação; e) competem - verbo
e) terá sido afetado transitivo indireto.

05. (Fundação Carlos Chagas) O estudo foi feito com base ARTIGO
num conjunto de quatro túmulos coletivos... O verbo que admite a
transposição grifada acima está na frase: Precede o substantivo, indicando-lhe o gênero e o número.
a) Massacres de famílias inteiras eram aparentemente comuns Pode ser definido (determina o substantivo de modo preciso e
em épocas remotas da história da humanidade. particular): a, as, o, os ou indefinido (determina o substantivo de
b) Segundo os arqueólogos, machos aventureiros ficavam em modo impreciso, geral e vago: um, uns, uma, umas.
desvantagem em relação àqueles mais constantes junto às fêmeas.
c) Uma vantagem evolutiva foi a consolidação de uma família Emprego
com presença constante do pai, como guardião da prole.
d) A existência de uma família nuclear garantiu a separação A) Antes de nomes próprios indica familiaridade: O José fal-
entre a espécie humana e a dos demais primatas. tou ao trabalho hoje.
e) Entre algumas espécies de primatas os cuidados com a pro-
le competem exclusivamente à fêmea. B) Pode ser omitido antes de pronomes possessivos: (A) mi-
nha carteira foi roubada.
RESPOSTAS
C) Não se combina com preposições, quando faz parte de no-
01. Resposta: A. A passagem da voz passiva analítica para a
voz ativa é feita da seguinte maneira: o agente da passiva torna-se mes de revistas, jornais, obras literárias: Li a notícia em O Estado
sujeito (centenas de milhares de plantas); o sujeito torna-se ob- de São Paulo; As fotos foram publicadas em O Globo.
jeto direto (a floresta de 4,2 milhões de quilômetros quadrados).
Exclui-se o verbo ser e flexiona-se o verbo que está no particípio D) Sua anteposição substantiva qualquer palavra: Respondeu
(habitada) no tempo em que estiver o verbo ser (presente do in- com um não.
dicativo): Centenas de milhares de plantas habitam a floresta de
4, 2 milhões de quilômetros quadrados. E) Obrigatório entre o numeral ambos e o substantivo a que se
refere: Ele se referiu a ambos os participantes da disputa.
02. Resposta A. O segmento grifado está na voz passiva sin-
tética. Deve-se manter a mesma voz, alterando-se para a passiva ADVÉRBIO
analítica (basta excluir o pronome “se”, colocar o verbo ser no
mesmo tempo verbal (presente do indicativo) e passar os verbos Modifica o verbo (Cheguei tarde), o adjetivo (Vânia era uma
“falar” e “ouvir” para o particípio) - mais é falada e mais é ouvida. rapariga muito esperta) e o próprio advérbio (Ele chegou muito
cansado), exprimindo circunstância. Pode ser de:

Didatismo e Conhecimento 35
LÍNGUA PORTUGUESA
Lugar: aqui, antes, dentro, ali, adiante, fora, acolá, atrás, De tempo: às vezes, à tarde, à noite, de manhã, de repente, de
além, lá, detrás, aquém, cá, acima, onde, perto, aí, abaixo, aon- vez em quando, de quando em quando, a qualquer momento, de
de, longe, debaixo, algures, defronte, nenhures, adentro, afora, tempos em tempos, em breve, hoje em dia.
alhures, nenhures, aquém, embaixo, externamente, a distância, à
distância de, de longe, de perto, em cima, à direita, à esquerda, ao De negação: de modo algum, de jeito nenhum, de forma ne-
lado, em volta. nhuma, não.

Tempo: hoje, logo, primeiro, ontem, tarde, outrora, amanhã, De afirmação: com certeza.
cedo, dantes, depois, ainda, antigamente, antes, doravante, nunca,
então, ora, jamais, agora, sempre, já, enfim, afinal, amiúde, breve, De dúvida: por certo, quem sabe.
constantemente, entrementes, imediatamente, primeiramente, pro-
visoriamente, sucessivamente, às vezes, à tarde, à noite, de manhã, De intensidade ou quantidade: em excesso, de todo, de
de repente, de vez em quando, de quando em quando, a qualquer muito, por completo, por demais.
momento, de tempos em tempos, em breve, hoje em dia.
PREPOSIÇÃO
Modo: bem, mal, assim, adrede, melhor, pior, depressa, acin-
te, debalde, devagar, às pressas, às claras, às cegas, à toa, à von- É uma palavra invariável que liga dois termos de modo que
tade, às escondidas, aos poucos, desse jeito, desse modo, dessa um deles fique subordinado ao outro. Semanticamente, podem in-
maneira, em geral, frente a frente, lado a lado, a pé, de cor, em dicar diversas circunstâncias:
vão e a maior parte dos que terminam em “-mente”: calmamente,
tristemente, propositadamente, pacientemente, amorosamente, do- Lugar - Estive em Lisboa o mês passado.
cemente, escandalosamente, bondosamente, generosamente.
Origem - Estas frutas vieram da Alemanha.
Afirmação: sim, certamente, realmente, decerto, efetivamen-
te, certo, decididamente, deveras, indubitavelmente. Causa - O mendigo morreu de frio.

Negação: não, nem, nunca, jamais, de modo algum, de forma Assunto - Hoje só comentamos sobre a derrota de seu time.
nenhuma, tampouco, de jeito nenhum.
Meio - Viajo de metrô todos os dias.
Dúvida: acaso, porventura, possivelmente, provavelmente,
quiçá, talvez, casualmente, por certo, quem sabe. Matéria - Comprei muitas camisas de algodão naquela loja.

Intensidade: muito, demais, pouco, tão, em excesso, bastante, Instrumento - Vera limpou as unhas com algodão.
mais, menos, demasiado, quanto, quão, tanto, assaz, que (equivale
a quão), tudo, nada, todo, quase, de todo, de muito, por completo, Companhia - Vou com você ao shopping.
extremamente, intensamente, grandemente, bem (quando aplicado
a propriedades graduáveis). Posse - A bicicleta de Cirilo é nova.

Exclusão: apenas, exclusivamente, salvo, senão, somente, Locuções prepositivas: duas ou mais palavras com valor de
simplesmente, só, unicamente. preposição: abaixo de, acerca de, acima de, ao lado de, à distância
de, dentro de, de acordo com, em cima de, por trás de, para com,
Inclusão: ainda, até, mesmo, inclusivamente, também. por causa de, junto a, perto de.

Ordem: depois, primeiramente, ultimamente. Podem ser classificadas em essenciais - aquelas que atuam
como tal. São elas: a, ante, após, até, de, desde, em, entre, com,
Locução adverbial: ocorre quando duas, três ou mais pala- contra, para, perante, por, sem, sob, sobre, trás ou acidentais - pa-
vras exercem função de advérbio e substantivo. São conjuntos de lavras de outras classes gramaticais que, em alguns contextos, po-
palavras, geralmente introduzidas por uma preposição, que exer- dem atuar como preposições: como, conforme, segundo, durante.
cem a função de advérbio.
Observação: Diferença entre A (preposição) x A (artigo) x A
Principais locuções adverbiais (pronome) - O A preposição é invariável, enquanto o A artigo e o
A pronome flexionam-se de acordo com o termo a que se referem.
De modo: às pressas, às claras, às cegas, à toa, à vontade, às
escondidas, aos poucos, desse jeito, desse modo, dessa maneira, Exemplos: Não dou atenção a fofocas. (preposição)
em geral, frente a frente, lado a lado, a pé, de cor, em vão.
As fofocas da seção, ignoro-as.
De lugar: a distância, à distância de, de longe, de perto, em ¯ ¯
cima, à direita, à esquerda, ao lado, em volta, por aqui. artigo pronome

Didatismo e Conhecimento 36
LÍNGUA PORTUGUESA
Combinação - não há perda de fonemas: a + o = ao b) Para designar leis, artigos, decretos, portarias - utiliza-se
o ordinal até o nono e o cardinal de dez em diante. Exemplos:
Contração - há perda de fonemas: de + aquilo = daquilo Artigo 8o (oitavo); Artigo 10 (dez).

CONJUNÇÃO c) Para designar o mês - utilizam-se os cardinais, exceto para o


primeiro dia (primeiro de abril, primeiro de novembro).
É a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos
semelhantes de uma mesma oração. d) Com referência a páginas e folhas, a apartamentos, quartos,
casas de espetáculos, veículos de transporte, usam-se os cardinais,
Classificação se não estiver anteposto. Exemplos: Casa 1 (um), Casa 38 (trinta
e oito).
De acordo com o tipo de relação que estabelecem, as con-
junções podem ser coordenativas e subordinativas. No primeiro e) Quando o numeral estiver anteposto ao substantivo - em-
caso, os elementos ligados pela conjunção podem ser isolados um prega-se a forma ordinal. Exemplos: 14o capítulo (décimo quarto);
do outro, mantendo a unidade de sentido; no segundo caso, cada 23o verso (vigésimo terceiro).
um dos elementos ligados pela conjunção depende da existência
do outro. Numerais coletivos

Locuções Conjuntivas - duas ou mais palavras com valor de Principais:


conjunção: no entanto, visto que, desde que, se bem que, por mais
que, ainda quando, logo que, à medida que, à proporção que, a fim biênio - período de dois anos
de que. bíduo - período de dois dias
casal - par, composto de macho e fêmea
NUMERAL centena - cem
década ou decênio - período de dez anos
É a palavra que atribui quantidade aos seres ou os situa em dezena - dez
certa sequência. dístico - dois versos
dúzia - doze
Classificação: grosa - doze dúzias ou cento e quarenta e quatro
lustro - período de cinco anos
Cardinais: indicam contagem, medida. São os números bási- milênio - período de mil anos
cos: zero, um dois, três, milhão, bilhão. novena - período de nove dias
quadriênio - período de quatro anos
Ordinais: indicam a ordem ou lugar do ser numa série dada: quarentena - período de quarenta dias
primeiro, segundo, centésimo, milésimo. quinquênio - período de cinco anos
quinzena - período de quinze dias
Fracionários: indicam parte de um inteiro, ou seja, a divisão século - período de cem anos
dos seres: meio, terço, quatro quintos. semana - período de sete dias
semestre - período de seis meses
Multiplicativos: expressam ideia de multiplicação dos seres, tríduo - período de três dias
indicando quantas vezes a quantidade foi aumentada: dobro, triplo,
undécuplo, cêntuplo. Lista de números cardinais

Flexão dos numerais Número Cardinal


Os numerais cardinais que variam em gênero são um/uma, 1 um
dois/duas e os que indicam centenas: duzentos / duzentas; trezen- 2 dois
tos / trezentas e assim por diante. Os cardinais: milhão, bilhão, 3 três
trilhão etc. variam em número: milhões, bilhões, trilhões etc. Os
4 quatro
demais cardinais são invariáveis.
5 cinco
Emprego 6 seis
7 sete
a) Para designar papas, reis, imperadores, séculos e partes de
uma obra - quando o numeral vem depois do substantivo, utilizam- 8 oito
-se os ordinais até décimo e a partir daí os cardinais. Exemplos: 9 nove
João Paulo II (segundo); Século IX (nono); João XXIII (vinte e 10 dez
três).
20 vinte

Didatismo e Conhecimento 37
LÍNGUA PORTUGUESA

30 trinta 400 quadringentésimo


40 quarenta 500 quingentésimo
seiscentésimo
50 cinquenta 600
ou sexcentésimo
60 sessenta 700 se(p)tingentésimo
70 setenta 800 octingentésimo
80 oitenta noningentésimo
900
90 noventa ou nongentésimo
1.000 milésimo
100 cem
10.000 décimo milésimo
200 duzentos
100.000 centésimo milésimo
300 trezentos
1.000.000 milionésimo
400 quatrocentos
1.000.000.000 bilionésimo
500 quinhentos
600 seiscentos Observação - milhão e milhar são palavras masculinas. São
700 setecentos frases corretas: Cinco milhões de doses de vacinas foram aplica-
800 oitocentos dos; os três milhares de crianças.
900 novecentos
INTERJEIÇÃO
1.000 mil
10.000 dez mil É a palavra invariável que exprime emoções, sensações, esta-
100.000 cem mil dos de espírito, ou que procura agir sobre o interlocutor. Sempre
vem acompanhada pelo sinal de exclamação. Os principais tipos
1.000.000 um milhão
de interjeição são:
1.000.000.000 um bilhão ou bilião a) alegria: ou admiração: oh!, ah!, olá!
b) admiração: puxa!
Lista de números ordinais c) alívio: ufa!, arre!, também!
d) agradecimento: graças a Deus!, obrigado!
Número Ordinal e) aplauso: bis!, bem!, bravo!, viva!, apoiado! muito bem!,
1 primeiro parabéns!
2 segundo f) animação: coragem!, avante!, vamos!
g) advertência: alerta!, cuidado!, alto lá!, calma!, olha!, Fogo!
3 terceiro h) chamamento: Alô!, hei!, olá!, psiu!, socorro!
4 quarto i) desculpa: perdão!
5 quinto j) desejo: oh!, oxalá!, tomara!, pudera!, queira Deus!, quem
6 sexto me dera!
k) despedida: adeus!, até logo!, tchau!
7 sétimo l) dor: ai!, ui!
8 oitavo
9 nono A interjeição é uma estrutura à parte e não desempenha função
10 décimo sintática.
20 vigésimo Locução interjetiva
30 trigésimo
40 quadragésimo Formada por mais de um vocábulo, terminando sempre pelo
50 quinquagésimo ponto de exclamação: Puxa vida! Que vida boa!, Valha-me Deus!,
Cruz credo! Macacos me mordam! Ora bolas!
60 sexagésimo
70 se(p)tuagésimo PRONOMES: EMPREGO, FORMAS DE TRATAMEN-
80 octogésimo TO E COLOCAÇÃO
90 nonagésimo
É a palavra variável em gênero, número e pessoa que substitui
100 centésimo
ou acompanha o substantivo, indicando sua posição em relação às
200 ducentésimo pessoas do discurso ou situando-o no espaço e no tempo. Quan-
300 trecentésimo do ele representa o substantivo, dizemos que se trata do pronome

Didatismo e Conhecimento 38
LÍNGUA PORTUGUESA
substantivo. Ex.: Nós fomos aprovados no concurso. Quando ele Principais formas de tratamento:
vem acompanhado do substantivo, restringindo a extensão de seu
significado, dizemos que se trata do pronome adjetivo. Ex.: Este Vossa Alteza - V.A. (VV.AA.) - príncipes, duques, arquidu-
apartamento é antigo. ques
Vossa Eminência - V. Em.a (V. Em.as) - cardeais
Há seis espécies de pronomes, a saber: Vossa Excelência - V. Ex.a (V. Ex.as) - altas autoridades e
oficiais das Forças Armadas
1. Pessoais - indicam as pessoas do discurso. Vossa Magnificência - V. Mag.a - (V. Mag.as) - reitores de uni-
versidades
Pronomes retos Pronomes oblíquos Vossa Majestade - V.M. (VV. MM.) - reis, imperadores
Vossa Meritíssima (não se abrevia) - juízes de direito
Tônicos átonos Vossa Paternidade - V.P. (VV.PP.) - abades, superiores de
Eu mim, comigo me conventos
tu ti, contigo te Vossa Santidade - V.S. - papa
ele, ela ele, ela, si, consigo se, o, a, lhe Vossa Reverendíssima - V. Revm.a (V.Revm.as) - sacerdotes
e religiosos em geral
Nós nós, conosco nos Vossa Excelência Reverendíssima - V. Ex.a Revm.a (V. Ex.as
vós vós, convosco vos Revm.as) - bispos, arcebispos
eles, elas eles, elas, si, consigo se, os, as, lhes Vossa Senhoria - V.S.a (V. S.as) - tratamentos cerimoniosos
Você - v. (vv.) - familiares, pessoas íntimas
Observações: Senhor - Sr. (Srs.) - distanciamento respeitoso

a) Os pronomes do caso reto não podem ser usados como Observação - Os pronomes de tratamento devem vir prece-
complementos verbais. Ex.: Eu vi ele no elevador - forma errada; didos de Vossa, quando nos dirigimos à pessoa representada pelo
o correto é: Eu o vi no elevador. pronome e por Sua, quando falamos sobre essa pessoa. Ex.: Vos-
b) Os pronomes oblíquos a(s), o(s), quando precedidos de ver- sa Alteza permite um conselho?; Sua Alteza, não comparecerá ao
bos que terminam em -R, -S, -Z, assumem a forma lo, la, los, las. baile.
Exs.: beijar + a = beijá-la; quis + o = qui-lo; refiz + o = fi-lo.
c) Os pronomes oblíquos a(s), o(s), quando precedidos de ver- 2. Possessivos - referem-se às pessoas do discurso: meu, mi-
bos que terminam em -M, -ÃO, ÕE, assumem a forma no, na, nha, meus, minhas, teu, tua, teus, tuas, nosso, nossa, nossos, nos-
nos, nas. Exs.: cantam + os = cantam-nos, dão + os = dão-nos. sas, vosso, vossa, vossos, vossas, seu, sua, seus, suas.
d) Os pronomes oblíquos podem funcionar como sujeito no
infinitivo, quando se usam os verbos: deixar, fazer, mandar, ou- Observações:
vir, sentir e ver. Ex.: Mandaram-me entrar (E não: Mandaram eu
entrar). I. Os pronomes possessivos nem sempre indicam posse. Po-
Empregos das formas Eu e tu x mim e ti dem ter outros empregos, como:

Quando precedidos de preposição, utilizam-se as formas mim a) indicar afetividade. Exemplo: Não decore a lição, meu fi-
e ti. Ex.: Nada mais há entre mim e ti. lho.
Exceção - quando as formas retas funcionarem como sujeito
de um verbo no infinitivo. Ex.: Deram a aeronave para eu dirigir. b) indicar valor indefinido ao substantivo: Exemplo: Isabel
tem seus defeitos, mas é uma pessoa admirável.
Emprego de Conosco / convosco / com nós / com vós
c) indicar cálculo aproximado: Sandra já deve ter seus qua-
Utilizam-se as formas com nós / com vós antes de pronomes renta anos.
relativos (que), numerais, palavras de reforço: todos, ambos, mes-
mos, próprios. Ex.: Arlete saiu com nós dois; Fomos nós mesmos d) Os pronomes pessoais podem assumir valor possessivo.
ao teatro. Exemplo: O despreparo lhe embargou a voz (embargou a sua voz).
Nos demais casos, utilizam-se as formas conosco / convosco.
Exs.: Arlete saiu conosco; Beatriz falou convosco. 3. Demonstrativos - referem-se à posição dos seres em rela-
ção às pessoas do discurso, situando-os no tempo, no espaço ou no
Emprego dos pronomes Se, si e consigo - utilizados somente próprio discurso.
quando reflexivos. Exs.: Fernando cortou-se; Telma é muito ego-
ísta. Só pensa em si mesma; O professor trouxe as avaliações con- 1a pessoa - este(s), esta(s), isto
sigo.
2a pessoa - esse(s), essa(s), isso
Pronomes de tratamento - Referem-se à segunda pessoa,
mas exigem o verbo na terceira pessoa. 3a pessoa - aquele(a), aqueles(as), aquilo

Didatismo e Conhecimento 39
LÍNGUA PORTUGUESA
Emprego 5. Indefinidos - referem-se à terceira pessoa do discurso de
maneira imprecisa ou genérica. Podem fazer referência a pessoas,
1a pessoa - indica proximidade de quem fala ou escreve. Ex.: coisas e lugares.
Este computador é meu; referem-se ao que ainda vai ser dito ou
escrito. Ex.: Ainda relembro estas palavras: ”Agora você é pai. Pessoas: quem, alguém, ninguém, outrem.

2a pessoa - indica proximidade da pessoa a quem se fala ou Lugares: onde.


se escreve. Ex.: Essa caneta que tens falha muito; refere-se ao
que já foi dito ou escrito. Ex.: A conjunção e a interjeição são Coisas: qual, algo, tudo, nada, todo, algum, nenhum, certo,
palavras invariáveis - essas duas classes gramaticais não têm fle- outro, muito, quanto, pouco, qualquer, cada.
xão.
Observações:
3a pessoa - referência a seres que se encontram longe do falan-
te e do ouvinte. Ex.: Aquela caneta que Iracema tem falha muito. Algum - após substantivo a que se refere, tem valor negativo:
Partido algum merece confiança.
Observações: Cada - deve ser sempre seguido por um substantivo ou nume-
a) Os pronomes o(s), a(s) serão demonstrativos quando pu- ral: Eles marcaram 2 gols cada um.
derem ser substituídos por isto, isso, aquilo ou aquele. Exs.: Não Outrem - equivale a “qualquer pessoa”.
se pode pedir tudo o (aquilo) que foi exposto; A (aquela) que res- Todo - usado sem artigo significará cada ou todos (Todos
ponder com exatidão, ganhará o novo dicionário de Caldas Aulete. dias como frutas de manhã.), usado com artigo significará inteiro -
b) Quando houver a enumeração de dois elementos e, à frente, Adriana ficou dormindo o dia todo.
quiser retomá-los, deve-se substituir o primeiro por aquele, aquela,
aquilo e o último por este, esta, isto. Exemplo: Guimarães Rosa 6. Interrogativos - que, quem, qual, quanto. Empregados em
e Manuel Bandeira foram dois expoentes da literatura brasileira. perguntas diretas ou indiretas. Exs.: Quem está aí? Quero saber
Este na poesia; aquele, nos romances. (Este: Manuel Bandeira;
quem está com vocês.
aquele: Guimarães Rosa)
c) Tal, tais: serão pronomes demonstrativos quando estiverem
Observação: Na língua culta, não se devem misturar os trata-
substituindo outros pronomes demonstrativos, como aquele, aque-
mentos tu e você, como é comum na linguagem coloquial. Evitem-
la e aquilo. Exemplo: Explique como César conseguiu o diploma
-se frases como: Se você quiser, vou te ajudar. Em seu lugar, deve-
universitário. A palavra “tal” pode ser substituída por “essa” ou
-se usar a uniformidade de tratamento, ou seja, Se você quiser, vou
“aquela”.
ajudá-lo ou Se quiseres, vou te ajudar.
d) Mesmo(a), mesmo(os), próprio(a), próprios(as): serão
demonstrativos quando equivalerem a “idêntico” ou “em pessoa”:
Ela mesma estudou sozinha; Elas próprias trocaram o pneu do car- Colocação pronominal
ro.
Os pronomes oblíquos átonos (me, te, se, o, lhe, nos, vos, se,
4. Relativos - referem-se a um termo anterior, denominado os, as, lhes) podem aparecer como complementos verbais em três
antecedente. Veja a relação: posições: depois do verbo (ênclise), antes do verbo (próclise) ou
a) Que - usado em relação a coisas ou pessoas (Este é o di- no meio do verbo (mesóclise).
cionário que você está consultando; A pessoa que lhe apresentei
venceu o concurso de contos); Ênclise - ocorre em:

b) Quem - refere-se apenas a pessoas e aparece sempre prepo- a) períodos iniciados por verbos. Ex.: Sigam-me os que forem
sicionado: Esta é a garota a quem ele admirava; brasileiros!;

c) Cujo - indica posse, vem entre dois substantivos, concorda b) no infinitivo impessoal. Ex.: Passaram a odiar-se mutua-
em gênero e número com o substantivo a que se refere, não admi- mente;
tindo a posposição do artigo (Este é o autor cuja obra li na íntegra);
c) no imperativo afirmativo: Por favor, diga-me onde fica a
d) Onde - equivale a em que ou no(a) qual, empregado para Rua da Saudade;
indicar lugar (Onde você reside?);
d) no gerúndio: Fazendo-se de rogado, não respondeu às ques-
e) Quanto - vem precedido de um dos pronomes indefinidos: tões.
tudo, tanto(s), tanta(s), todo(s),toda(s). Tenho tudo quanto almejo.;
Observações
f) Quando - será pronome relativo quando o antecedente dá
ideia de tempo (A greve aconteceu em janeiro quando o governo a) Se o gerúndio vier precedido de preposição, empregaremos
aumentou o preço dos combustíveis). a próclise. Ex.: Em se tratando de cooperar, Aline era a última a
participar.

Didatismo e Conhecimento 40
LÍNGUA PORTUGUESA
b) A ênclise não ocorre com as formas dos futuros do indicati- b) Os espelhos devem ser limpos diariamente.
vo e do particípio. Exs.: Formas erradas - Faria-me um favor; Sér-
gio tem irritado-me. Corrigindo-se, teremos: Far-me-ia um favor; ..................................................................................................
Sérgio tem me irritado.
c) A mulher de vermelho atravessou a rua sem olhar.
Mesóclise - ocorre apenas no futuro do presente ou no fu-
turo do pretérito do indicativo, desde que não haja palavra que ..................................................................................................
exija a próclise. Ex.: A prova do concurso realizar-se-á no próximo
final de semana. d) Chegaram as primeiras encomendas de medicamentos com
tarja preta.
Próclise - ocorre:
..................................................................................................
diante de palavras ou expressões negativas: Não se trata de
nenhum golpe; e) Gustavo não encontrou o que procurava e foi embora.

advérbios: Naquela ocasião me falaram que tudo estava bem; ..................................................................................................

pronomes relativos: O que me disseram não corresponde à f) Este dossiê sobre o presidente contém muitas incoerências.
verdade;
..................................................................................................
pronomes indefinidos: Todos se consternaram com a sua si-
tuação financeira; g) A escola tomará todas as providências para solucionar o
caso.
pronomes demonstrativos: Isso me agrada muito;
..................................................................................................
conjunções subordinativas: Conforme me avisaram, a deci-
são foi adiada; 2. Faça a correlação entre a preposição destacada e o signifi-
cado que ela cria.
orações exclamativas: Que mal lhe fiz, criatura!; ( ) estar ante o portão
( ) parar após o obstáculo
orações interrogativas: Quem lhe disse tal absurdo? ( ) beber com os amigos
( ) pagar com cheque
Casos Optativos ( ) lutar contra o vício
( ) trabalhar para a sobrevivência
a) Sujeito expresso - O gato se lambia ou lambia-se. ( ) voltar de Santos
( ) cadeira de vime
b) conjunção coordenativa - Era rico, mas se queixava ou ( ) morrer de fome
queixava-se. ( ) doce com leite
( ) doce sem leite
c) infinitivo preposicionado Fiz de tudo para perdoar-lhe ou
lhe perdoar. (A) finalidade
(B) oposição
Colocação dos pronomes nas locuções verbais (C) instrumento
(D) companhia
1. Não havendo palavra atrativa: a colocação é livre, desde (E) causa
que não contrarie as normas gramaticais: O pai lhe devia dar apoio (F) matéria
ou devia-lhe dar apoio ou devia dar-lhe apoio. (G) origem
(H) posterioridade
2. Havendo palavra atrativa: pronome fica antes ou depois (I) anterioridade
da locução, se não contrariar as regras gramaticais. A equipe não (J) inclusão
lhe quis compreender ou A equipe não quis compreender-lhe. (L) exclusão

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 3. Escreva os números por extenso.


a) Papa Paulo VI .....................................................................
1. Classifique morfologicamente as palavras sublinhadas abai- b) João XXIII ........................................................................
xo. c) XIX capítulo ......................................................................
a) Todas as lojas deverão ter catracas eletrônicas. d) Artigo X ..............................................................................
e) XXIX seção .......................................................................
..................................................................................................

Didatismo e Conhecimento 41
LÍNGUA PORTUGUESA
4. Escreva os numerais ordinais por extenso. l) ( ) Não chegou-se a nenhuma conclusão lógica sobre a
a) 333º - .................................................................................. solução do problema.
b) 555º - ................................................................................... m) ( ) Quanto custou-nos renunciar!
c) 999º - ................................................................................... n) ( ) Aqui, vive-se em harmonia, embora haja dificuldades.
d) 784º - ................................................................................... o) ( ) Em se tratando de dificuldades, ele sempre portava-se
com a maior dignidade possível.
5. Complete com eu ou mim.
a) Faz isso diante de ............... só para ............... ficar zangado. TESTES DE CONCURSOS
b) Chegaram os novos medicamentos para ............... conferir.
c) Para .................... descer da árvore tiveram que colocar uma 01. (Vunesp) Assinale a alternativa em que todas as palavras
escada. grifadas são substantivos.
d) Não havia sobrado nada para .................... comer. a) E também de técnicos de linhas de transmissão de energia,
e) Não há nada entre aquela secretária e ............... que lutam contra o vento, pendurados a 30 metros de altura...
f) Perante ..............., juraste inocência. b) Um operador de serras tinha uma chance de morrer em ser-
viço 20 vezes maior que a média dos trabalhadores em todos os
6. Numere a 2ª coluna de acordo com a 1ª adequando o prono- outros setores.
me de tratamento à pessoa. c) Os acidentes de trabalho têm probabilidades muito maiores
A) Vossa Senhoria de serem fatais quando ocorrem em lugares de onde é impossível
B) Vossa Excelência escapar.
C) Vossa Alteza d) Por incrível que pareça, nem a Organização Mundial do
D) Vossa Majestade Trabalho tem um ranking estatístico ou um estudo global que
E) Vossa Reverendíssima aponte as profissões com os índices de óbitos por acidente mais
F) Vossa Magnificência elevados.
G) Vossa Eminência e) A maioria das mortes ocorre naquelas serrarias espalhadas
em cantos remotos do país.
( ) governador
( ) chefe de seção 02. (Vunesp) Pertencem à mesma categoria gramatical os ter-
( ) reitores mos sublinhados na frase:
( ) marechal a) Daí a necessidade de criar emprego nas pequenas cidades.
( ) rei b) A reforma agrária não poderá ser executada de maneira uni-
( ) príncipe forme.
( ) sacerdote c) Não se trata, contudo, de “engessar” a população rural no
( ) diretor campo.
( ) cardeais d) Ela não será a mesma nas terras férteis.
e) A reforma agrária contribuirá para reduzir o ritmo da migra-
7. Complete com o pronome demonstrativo adequado, ção campo-cidade.
a) .................... livro que estou lendo conta a história da Inde-
pendência do Brasil. 03. (Vunesp) Assinale a alternativa em que o termo que, em
b) A placa continha .................... dizeres: “É proibido fumar!” destaque, é pronome relativo.
c) A rua está esburacada. .................... não pode acontecer. a) Espero que todos os convidados cheguem logo.
d) .................... relógio que está lá no museu pertenceu a D. b) Não sairei de casa hoje desde que haja necessidade.
Pedro I. c) Leia este bilhete que recebi ontem.
e) Lembre-se ....................: estudar exige dedicação. d) Venha logo a fim de que o problema seja resolvido.
f) Estudar exige dedicação. Lembre-se .................... . e) Hoje a partida será mais difícil que a de ontem.

8. Quanto à colocação pronominal, assinale C se a frase esti- 04. (Vunesp) “Teu braço é a mola que move a cidade,” Sobre
ver correta e E se estiver errada. esse período é correto afirmar:
a) ( ) Se não fosse a chuva, acompanhar-te-ia. a) O “que” é um pronome relativo e refere-se a “braço”
b) ( ) Ninguém socorreu-nos naqueles momentos difíceis. b) “move” é um verbo que se encontra no pretérito perfeito”
c) ( ) Diga-me com quem andas, que dir-te-ei quem és. c) “teu” é um pronome demonstrativo
d) ( ) Não foi trabalhar porque machucara-se na véspera. d) O “que” é um pronome relativo e inicia uma oração
e) ( ) Em se tratando de esporte, prefere natação e) “Mola” é um adjetivo
f) ( ) Amanhã dir-te-ei toda a verdade.
g) ( ) A turma havia convidado-o para um jantar 05. (Vunesp) Considere o trecho: interrupção do tratamento
h) ( ) Tudo acaba-se com a morte, menos a saudade. e a procura de um médico se os sintomas persistirem. Mantendo
i) ( ) Sílvia, me diga a verdade. o mesmo sentido, a oração se os sintomas persistirem pode ser
j) ( ) Me levantei do banco logo que vi um senhor idoso. substituída por
k) ( ) Nada nos foi informado sobre a realização dos exames a) caso os sintomas persistam
finais. b) quando os sintomas persistirem

Didatismo e Conhecimento 42
LÍNGUA PORTUGUESA
c) embora os sintomas persistam 12. (Vunesp) Assinale a alternativa correta quanto à colocação
d) ou os sintomas persistirão pronominal.
e) porque os sintomas persistem a) As pessoas sabiam que enfrentariam-se Estados Unidos e
Iraque.
06. (Vunesp) “...Dona Zoé agonizava e sem dúvida não passa- b) Os passarinhos não omitiriam-se de sua tarefa de cantar.
va daquela semana. Contudo não foi bem o que ocorreu.” O termo c) Se espantaram os repórteres com o canto dos pássaros.
grifado pode ser substituído, sem alteração do sentida da frase, por d) O canto dos pássaros diluía-se nos maus presságios.
a) Entretanto e) Como irritou-se o jornalista com a possibilidade da guerra!
b) Por isso
c) Portanto 13. (Vunesp) Assinale a alternativa correta quanto à colocação
d) Por conseguinte pronominal, de acordo com a norma culta.
e) Porque a) Contariam-me a novidade, se pudessem.
b) Não assustem-se com as notícias.
07. (Vunesp) Assinale a alternativa em que a preposição des- c) Tudo passou-se na mais completa tranquilidade.
tacada indica modo. d) Jamais diriam-me a verdade.
a) Só o Estado de São Paulo. e) É bom que se apressem.
b) ... ser lesionada com facilidade.
14. (Vunesp) Assinale a alternativa correta quanto à colocação
c) ... contribuem para o aparecimento do câncer.
pronominal.
d) ... e por longos períodos.
a) O cigarro, quem consome-o corre risco de vida.
e) ... levará ao desenvolvimento de displasias. b) Onde estudaram-se as doenças respiratórias?
c) O cigarro traz problemas que não resolvem-se facilmente.
08. (Vunesp) Observe a frase: Você transgrediu a lei, logo está d) Tudo diz-se a respeito das ações tóxicas do cigarro.
sujeito à penalidade. A conjunção em destaque tem o mesmo sen- e) Ninguém se conscientiza dos malefícios do cigarro.
tido que o da conjunção da frase:
a) O motorista atropelou um pedestre, porém não o socorreu. 15. (Vunesp) Assinale a alternativa em que a colocação pro-
b) O taxista entrou no carro e deu a partida. nominal está correta.
c) Ele passou nas provas, portanto fez jus à carteira de habi- a) Me disseram que hoje choverá.
litação. b) As pessoas nem importaram-se com o ocorrido.
d) O guarda me multou, pois ultrapassei o limite de veloci- c) Se visse-a, não teria dúvidas sobre sua conduta.
dade. d) Nunca se deve acreditar em fofocas.
e) Ou construímos mais piscinões, ou estaremos sujeitos a ala- e) Ele disse que amava-me muito.
gamentos.
GABARITOS
09. (Vunesp) Assinale a alternativa em que o sentido da pala-
vra em destaque, indicado entre parênteses, está correto. EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
a) Ana mudou-se para Blumenau. (tempo)
b) Saiu com a mãe para ir à escola. (lugar) 1.
c) Desde 1987 ela não vê o filho. (modo) a) as - artigo, catracas - substantivo, eletrônicas - adjetivo;
d) Talvez haja falta de energia. (condição) b) espelhos - substantivo, limpos - adjetivo, diariamente -
e) Certamente ele virá para a festa. (afirmação) advérbio;
c) de vermelho - locução adjetiva, sem - preposição;
10. (Vunesp) No trecho - Os moradores, porém, serão multa- d) primeiras - numeral, medicamentos - substantivo; preta
dos (...) caso tenham comportamento antissocial - o termo desta- - adjetivo;
e) não - advérbio, e - conjunção; embora - advérbio;
cado apresenta equivalência de sentido na alternativa
f) Este - pronome; sobre - preposição; contém - verbo
a) porque
g) todas - pronome, para - conjunção, caso - substantivo.
b) assim que
c) quando 2.
d) se (I) estar ante o portão
e) embora (H) parar após o obstáculo
(D) beber com os amigos
11. (Vunesp) Assinale a alternativa correta, de acordo com a (C) pagar com cheque
norma culta, quanto à colocação pronominal. (B) lutar contra o vício
a) Nunca falou-se tanto sobre o assunto. (A) trabalhar para a sobrevivência
b) Não avisaram-me que havia essa festa. (G) voltar de Santos
c) Tinha planejado tudo para se aposentar aos sessenta anos. (F) cadeira de vime
d) Me parece que a situação é dúbia. (E) morrer de fome
e) Quando recuperar-se do choque, esclarecerá tudo. (J) doce com leite
(L) doce sem leite

Didatismo e Conhecimento 43
LÍNGUA PORTUGUESA
3. m) (E) Quanto custou-nos renunciar!
a) Papa Paulo sexto; n) (C) Aqui, vive-se em harmonia, embora haja dificuldades.
b) João vinte e três; o) (E) Em se tratando de dificuldades, ele sempre portava-se
c) Décimo nono capítulo; com a maior dignidade possível.
d) Artigo dez;
e) Vigésima nona seção; TESTES DE CONCURSOS
f) Casa seiscentos e quarenta e cinco.
01 C
4.
02 A
a) 333º - trecentésimo trigésimo terceiro
b) 555º - quingentésimo quinquagésimo quinto 03 C
c) 999º - noningentésimo nonagésimo nono 04 D
d) 784º - septingentésimo octogésimo quarto 05 A
06 A
5.
a) Faz isso diante de mim só para eu ficar zangado. 07 B
b) Chegaram os novos medicamentos para eu conferir. 08 C
c) Para eu descer da árvore tiveram que colocar uma escada. 09 E
d) Não havia sobrado nada para eu comer. 10 D
e) Não há nada entre aquela secretária e mim.
f) Perante mim, juraste inocência. 11 C
12 D
6. 13 E
(B) governador 14 E
(A) chefe de seção
(F) reitores 15 D
(B) marechal
TESTES COMENTADOS
(D) rei
(C) príncipe
01. (Fundação Carlos Chagas) No entanto, a música não é
(E) sacerdote
mais algo que fazemos nós mesmos, ou até que observamos outras
(A) diretor pessoas fazerem diante de nós. Considerando-se o contexto, é in-
(G) cardeais correto afirmar que o elemento grifado pode ser substituído por:
a) Porém
7. b) Contudo
a) Este livro que estou lendo conta a história da Independên- c) Todavia
cia do Brasil. d) Entretanto
b) A placa continha estes dizeres: “É proibido fumar!” e) Conquanto
c) A rua está esburacada. Isso não pode acontecer.
d) Aquele relógio que está lá no museu pertenceu a D. Pedro I. 02. ((Fundação Carlos Chagas)) Nem sempre, porém, menos
e) Lembre-se disso: Estudar exige dedicação. gelo significa más notícias. A conjunção grifada acima pode ser
f) Estudar exige dedicação. Lembre-se disso. substituída, sem alteração do sentido original, por:
a) enquanto
8. b) por isso
a) (C) Se não fosse a chuva, acompanhar-te-ia. c) ainda que
b) (E) Ninguém socorreu-nos naqueles momentos difíceis. d) senão
c) (E) Diga-me com quem andas, que dir-te-ei quem és. e) no entanto
d) (E) Não foi trabalhar porque machucara-se na véspera.
e) (C) Em se tratando de esporte, prefere natação 03. (Fundação Carlos Chagas) Em 1989, entretanto, a praga
f) (E) Amanhã dir-te-ei toda a verdade. denominada vassoura-de-bruxa...Enquanto menos cacau comum é
g) (E)A turma havia convidado-o para um jantar enviado ao exterior...Sem prejuízo para a correção e o sentido, e
h) (E) Tudo acaba-se com a morte, menos a saudade. sem que nenhuma outra alteração seja feita, os elementos subli-
i) (E) Sílvia, me diga a verdade. nhados podem ser substituídos, respectivamente, por:
j) ( E) Me levantei do banco logo que vi um senhor idoso. a) contudo - Ao passo que
k) (C) Nada nos foi informado sobre a realização dos exames b) conquanto - Tanto que
c) porquanto - Onde
finais.
d) não obstante - Embora
l) (E) Não chegou-se a nenhuma conclusão lógica sobre a
e) ainda assim - Posto que
solução do problema.

Didatismo e Conhecimento 44
LÍNGUA PORTUGUESA
04. (Fundação Carlos Chagas) ... e esses compositores estão a) satisfazer o seu “eu” autoral / satisfazê-lo
obviamente vinculados um ao outro, embora seja fácil aos que es- b) que inicia a bossa nova / que a inicia
tão familiarizados com a linguagem do período distingui-los. Sem c) deixa de ser um mero acompanhante / deixa de sê-lo
qualquer outra alteração da frase, o elemento sublinhado acima d) Subtrai notas / Subtrai-lhes
pode ser corretamente substituído por: e) Quando se pergunta a João Gilberto / Quando se lhe per-
a) de modo que gunta
b) desde que
c) ainda que 10. (Fundação Carlos Chagas) O segmento grifado está subs-
d) visto que tituído de modo incorreto pelo pronome correspondente em:
e) à medida que a) para sublimar uma frustração = para lhe sublimar.
b) porque projetamos sentimentos humanos em animais = por-
05. (Fundação Carlos Chagas) Seus subordinados,  contudo, que os projetamos.
cumpriram fielmente a ordem de não soltá-lo até que estivessem c) Os cientistas submeteram um grupo de animais = subme-
longe da zona de perigo.
teram-no.
Sem prejuízo para o sentido original e a correção gramatical,
d) revelando sua cor verdadeira = revelando-a.
o elemento grifado acima pode ser substituído por
e) Os bichos aprenderam rapidamente a associar o prêmio =
a) embora
a associá-lo.
b) entretanto
c) portanto
d) onde RESPOSTAS
e) por isso
01. Resposta E. A conjunção conquanto é concessiva; as de-
06. (Fundação Carlos Chagas) O pronome que substitui corre- mais, como a sublinhada no enunciado, são adversativas, indican-
tamente o segmento grifado, respeitando também as exigências de do oposição, contraste.
colocação, está em:
a) não haveria limites para a atividade humana = não haveria-os. 02. Resposta E. As conjunções porém e no entanto são ad-
b) detonando a questão das mudanças do clima = as detonando. versativas e dão ideia de oposição, de contraste.
c) as principais produtoras criaram um sistema conjunto = cria-
ram-no. 03. Resposta A. Entretanto e contudo são conjunções coor-
d) para aumentar a eficiência de hardwares e softwares = au- denadas adversativas; enquanto e Ao passo que são conjunções
mentá-los. subordinativas adverbiais temporais.
e) e promover a reciclagem = lhe promover.
04. Resposta C. As conjunções embora e ainda que são con-
07. (Fundação Carlos Chagas) Trabalho infantil? Há quem con- cessivas.
sidere o trabalho infantil uma excrescência social, mas há também
quem veja no trabalho infantil uma saída para muitas crianças, por- 05. Resposta B. As conjunções contudo e entretanto são co-
que atribui ao trabalho infantil a vantagem de representar a inserção ordenativas adversativas e indicam ideia de oposição, de con-
dos menores carentes. traste.
Evitam-se as viciosas repetições do texto acima, substituindo-
-se os elementos sublinhados, na ordem dada, por: Demais alternativas: a) embora - conjunção adverbial con-
a) lhe considere - lhe veja - lhe atribui cessiva; c) portanto - conjunção coordenativa conclusiva; d) onde
b) a ele considere - nele veja - atribui-no
- advérbio de lugar ou pronome relativo; e) por isso - conectivo
c) o considere - nele veja - lhe atribui
conclusivo
d) o considere - lhe veja - o atribui
e) lhe considere - o veja - lhe atribui
06. Resposta C. Criaram-no - a forma verbal “criaram” é
08. (Fundação Carlos Chagas) O segmento grifado abaixo que transitiva direta, o seu objeto direto “um sistema conjunto” deve
está substituído de modo incorreto pelo pronome correspondente é: ser substituído pelo pronome pessoal oblíquo “o”, como o verbo
a) minimizar esses impactos = minimizá-los. termina por forma nasal, deve-se acrescentar um “n” ao pronome.
b) destacamos uma extensa e diversificada cadeia de fornece-
dores = destacamo-la. Demais alternativas: a) não os haveria - advérbio é palavra
c) favorecendo um desenvolvimento mais sustentável = favo- atrativa de próclise; b) detonando-a - deve-se empregar a ênclise
recendo-o. diante de gerúndio não antecedido por preposição; d) aumentá-
d) passou a despertar o interesse de pesquisadores = despertar- -la - a forma verbal “aumentar” é transitiva direta, o núcleo do
-lhes. objeto direto “eficiência” é feminino, como o verbo termina por
e) que suprem produtos = que os suprem. “r”, elimina-se tal consoante e acrescenta-se um “l” ao pronome;
e) promovê-la - a forma verbal promover é transitiva direta, de-
09. (Fundação Carlos Chagas) A substituição do elemento gri- vendo ser substituída pelo pronome oblíquo “a”, como o verbo
fado pelo substantivo, com os necessários ajustes no segmento, foi termina por “r”, elimina-se essa consoante e acrescenta-se um “l”
realizado de modo incorreto em ao pronome.

Didatismo e Conhecimento 45
LÍNGUA PORTUGUESA
07. Resposta C. Há quem o considere - a forma verbal “con- CONCORDÂNCIA NOMINAL E VERBAL
sidere” é transitiva direta, o objeto direto correspondente deve ser
substituído pelo pronome oblíquo “o”, como há palavra atrativa Concordância Nominal
(pronome indefinido “quem”), emprega-se a próclise; quem nele
veja - substitui a locução adverbial “no trabalho infantil”; lhe atri- Regra: O artigo, o numeral, o pronome e o adjetivo concor-
bui - a forma verbal “atribui é transitiva direta e indireta, a forma dam em gênero e número com o substantivo. Exemplo: Os nossos
indireta deve ser substituída pelo pronome oblíquo “lhe”, em pró- dois medalhistas na natação estão esperançosos para aas Olimpí-
clise, devido à palavra atrativa (“porque”). adas.

08. Resposta D. Despertá-lo - a forma verbal “despertar” é Regras Gerais


transitiva direta, seu complemento direto “o interesse de pesqui-
sadores” deve ser substituído pelo pronome pessoal oblíquo “o”, I. O adjetivo concorda em gênero e número quando se refere
como termina em “r”, elimina-se tal consoante e acrescenta-se um a um único substantivo. Exemplo: Os pensamentos longínquos
“l” ao pronome. eram sua característica principal.

Demais alternativas: a) minimizá-los - a forma verbal “mi- II. Quando o adjetivo se refere a mais de um substantivo ocor-
nimizar” é transitiva direta, seu objeto direto “esses impactos” rem os seguintes casos:
deve ser substituído pelo pronome pessoal “os”, exclui-se o “r” a) Adjetivo anteposto aos substantivos: concordará em gênero
e acrescenta-se um “l” ao pronome; b) destacamo-la - a forma e número com o substantivo mais próximo. Exemplo: Isabel tem
verbal “destacamos” é transitiva direta, seu objeto direto “uma ex- boa memória e talento.
tensa e diversificada cadeia de fornecedores” deve ser substituído
pelo pronome oblíquo “o”, exclui-se o “s” e acrescenta-se um “l” Observação:
ao pronome; c) favorecendo-o - a forma verbal “favorecendo” é Se os substantivos forem nomes próprios ou indicarem pa-
transitiva direta, seu complemento direto deve ser substituído pelo rentesco, o adjetivo concordará no plural. Exemplos: As alegres
pronome pessoal “o”; e) que os suprem - a forma verbal “suprem” Priscila e Amanda foram ao cinema; Vi os simpáticos primos e
é transitiva direta, seu objeto direto “produtos” deve ser substitu- primas na festa.
ído pelo pronome pessoal oblíquo “os”, como há palavra atrativa
(vocábulo “que”), emprega-se o pronome antes do verbo. b) Adjetivo posposto aos substantivos: concordará com o mais
próximo ou com todos eles, ficando no plural masculino se hou-
09. Resposta D. Subtrai-as - a forma verbal “Subtrai” é tran- ver gêneros diferentes. Exemplos: Encontrei a jovem e o jovem
sitiva direta, o seu complemento direto deve ser substituído pelo entediados. O sofá, o armário, o ventilador e as mesas são novas
pronome oblíquo “as”. (concordância com “mesas” ou novos (concordância com todos os
substantivos).
Demais alternativas: a) correta - o verbo satisfazer é transiti-
vo direto, seu complemento direto deve ser substituído pelo pro- Observação: Se os substantivos forem antônimos, irá para o
nome oblíquo o”, como o verbo termina por “r”, substitui-se essa plural. Exemplo: Vilma era capaz de num mesmo momento jurar
consoante e acrescenta-se um “l” ao pronome; b) correta - a forma amor e ódio eternos.
verbal “inicia” é transitiva direta, seu complemento direto deve
ser substituído pelo pronome oblíquo “a”, como há o pronome III. Um substantivo modificado por dois ou mais adjetivos no
“que” existe caso de próclise (pronome antes do verbo); c) correta singular. Admitem-se duas construções:
- forma verbal no infinitivo, seu complemento deve ser substituído
pelo pronome oblíquo “o”, como termina em “r”, exclui-se essa a) O substantivo fica no singular e os adjetivos recebem arti-
consoante e acrescente um “l” ao pronome; e) correta - a forma gos. Exemplo: Estudo a língua alemã e a francesa.
verbal “pergunta” é transitiva direta e indireta, o seu complemento
indireto deve ser substituído por “lhe”, como há a conjunção su- b) O substantivo vai para o plural e omite-se o artigo antes do
bordinativa “quando”, antepõe-se o pronome antes do verbo. adjetivo. Exemplo: Estudo as línguas alemã e francesa.

10. Resposta A. Para sublimá-la - verbo transitivo direto + IV. Expressões é bom, é necessário, é proibido e equiva-
pronome pessoal oblíquo “a”, como termina em “r”, substitui-se lentes
essa consoante e acrescenta-se um “l” ao pronome.
a) Essas expressões concordam com o substantivo a que se
Demais alternativas: b) porque os projetamos - verbo tran- referem quando é precedido de artigo ou pronome. Exemplos: É
sitivo direto + pronome oblíquo “os”, como há palavra atrativa proibida a entrada; É necessária muita calma.
(conjunção “porque”), emprega-se a próclise; c) submeteram-no
- verbo transitivo direto + pronome oblíquo “o”, como termina em b) Elas ficam invariáveis quando o substantivo não é precedi-
nasal, acrescenta-se um “n” ao pronome; d) revelando-a - verbo do de artigo ou de pronome: Exemplos: É proibido entrada; Ce-
transitivo direto + pronome oblíquo “a”; e) a associá-lo - verbo noura é bom para a visão.
transitivo direto + pronome oblíquo “o”, como termina em “r”,
elimina-se tal consoante e acrescenta-se um “l” ao pronome. V. Anexo, incluso, próprio, obrigado

Didatismo e Conhecimento 46
LÍNGUA PORTUGUESA
Concordam com o substantivo a que se referem. Exemplos: XIII. Concordância ideológica
As faturas seguem anexas; O comprovante segue incluso; Nós
próprias fizemos as correções, disseram as moças; Muito obriga- Prevalece a ideia ou o sentido subentendido. Exemplo: Os
da, agradeceu a servidora. brasileiros comemoramos a vitória sobre a Argentina (subenten-
de-se nós, os brasileiros).
Observação: A expressão em anexo é invariável. Exemplo:
As faturas seguem em anexo. XIV. Só

VI. Menos e Alerta a) Como advérbio (significando somente, apenas) é invariá-


vel. Exemplo: Só obteve 10% de desconto na compra do imóvel.
São invariáveis. Exemplos: Estou com menos dúvidas de con-
cordância nominal; Estamos sempre alerta ao perigo nuclear. b) Como adjetivo (significando sozinho) é variável. Exemplo:
Não estamos sós no Universo.
VII. Meio
XV. Caro, Barato
a) Como advérbio, é invariável. Exemplo: Alice estava meio
a) Como advérbios (acompanhando o verbo custar) são inva-
gripada (pode-se substituir pela expressão “um pouco” - Alice es-
riáveis. Exemplo: As botas custaram caro (barato).
tava um pouco gripada.
b) Como adjetivos (acompanhando os verbos ser ou estar) são
b) Como numeral, concorda com o substantivo. Exemplos: variáveis. As botas estavam caras (baratas).
Tomei meia taça de sorvete; Tomei meio copo de leite (pode-se
substituir por “metade”). Tomei metade da taça de sorvete, tomei XVI. Quite
metade do copo de leite.
O adjetivo concordará em gênero e número com a palavra a
qual se refere. Exemplo: Depois daquele resultado, estávamos qui-
VIII. Um e outro, nem um nem outro tes com a nossa consciência.

Exigem o substantivo posposto no singular, mas o adjetivo no XVII. Substantivo empregado como adjetivo
plural. Exemplo: Não conheço nem uma nem outra marca antigas
de detergente. Recebe o nome de derivação imprópria - não varia: Exemplos:
camisas vinho, festa monstro.
IX. Possível
XVIII. Porcentagem e formas fracionárias.
Em expressões como o mais, o menos, o melhor, o pior, as
mais, os menos, os piores, as melhores, a palavra possível concor- Quando o sujeito é formado por uma expressão que indica
dará com o artigo. Exemplos: Conheci museus o mais interessante porcentagem ou fração seguida de substantivo, o verbo deve con-
possível; Visitei museus os mais interessantes possíveis. cordar com o substantivo. Exemplos: 30% do orçamento familiar
destinou-se à Educação; 1/3 do orçamento destinou-se à Educa-
X. Mesmo ção; 10% dos entrevistados ainda não sabiam em quem votar; 2/3
dos entrevistados declararam o seu voto.
a) Como advérbio é invariável. Exemplo: Preciso mesmo ser
Observação: Quando a expressão que indica porcentagem ou
aprovado.
fração não é seguida de substantivo, o verbo deve concordar com
o número. Exemplos: 1,7% foi aprovado no concurso da OAB; 1/3
b) Como pronome varia. Exemplo: Os mesmos negócios es-
obteve nota mínima; 70% querem aumento salarial na empresa;
cusos garantiram a sua entrada na política. 2/5 esqueceram algum documento.
XI. Bastante Concordância Verbal
a) Como advérbio é invariável. Exemplo: As mulheres falam Regra: O verbo concorda em número e pessoa com o sujeito.
bastante. Exemplo: Nós discutimos sobre futebol sempre que nos encon-
tramos.
b) Como adjetivo ou pronome varia. Exemplos: O advogado
já reuniu provas bastantes (adjetivo) para incriminar o réu; O juiz Sujeito simples
já reuniu bastantes (pronome) provas para incriminar o réu.
I. Pronomes de Tratamento
XII. Tal qual
O verbo fica na 3ª pessoa do singular ou do plural. Exemplos:
Tal concorda com o termo antecedente, qual, com o termo Vossa Excelência tentará a reeleição? Vossas Excelências deve-
consequente. Exemplo: As mulheres são vaidosas tais qual a mãe. riam renunciar.

Didatismo e Conhecimento 47
LÍNGUA PORTUGUESA
II. Indicadores de horas (bater, dar, soar, badalar) X. Nome próprio no plural

a) Se houver sujeito concordará com ele. Exemplo: O relógio a) Com artigo no plural - verbo no plural. Exemplo: Os Esta-
da Praça da Sé deu 13h. dos Unidos possuem muitos atletas de elite.

b) Se não houver sujeito concordará com o numeral. Exemplo: b) Sem artigo ou com artigo no singular - verbo no singular.
Soaram cinco horas no relógio da igreja. Exemplo: Minas Gerais é o Estado que mais produz queijo.

III. Pronome relativo que XI. Pronome indefinido ou interrogativo no plural (alguns,
muitos, pouco, quais, quantos, quaisquer)
A concordância será com o antecedente dele. Exemplos: Fui
eu que denunciei o infrator à polícia; És tu que dizes muitas men- Se vier seguido pelas expressões: “de vós” ou “por nós”,
tiras. concordará com o pronome pessoal ou irá para a terceira pessoa
do plural. Exemplos: Quais de nós adquiriremos / adquirirão o
IV. Pronome relativo quem novo produto?; Alguns de vós sabíeis / sabiam da denúncia.

Há duas possibilidades de concordância: com o antecedente Observação: Se o pronome estiver no singular, o verbo ficará
do pronome ou empregá-lo na terceira pessoa do singular. Exem- no singular. Exemplos: Qual de nós sabia da declaração do presi-
plo: Fomos nós quem tiramos dez na prova de Redação ou Fomos dente? Algum de vós relatou o episódio?
nós quem tirou dez na prova de Redação.
XII. Pronome se apassivador
V. Coletivo
Concorda com o sujeito. Exemplo: Vendem-se imóveis em
a) O verbo fica no singular. Exemplo: Um bando pichou o São José dos Campos.
muro.
XIII. Pronome se índice de indeterminação do sujeito
b) Se o coletivo vier especificado, o verbo fica no singular ou
no plural. Exemplo: Um bando de vândalos pichou / picharam o
O verbo fica na terceira pessoa do singular. Exemplo: Precisa-
muro.
-se de professores habilitados para a Editora.
VI. Mais de um
Sujeito composto
a) O verbo fica no singular. Exemplo: Mais de um atleta supe-
Regra básica: o verbo vai para o plural. Exemplo: Marido e
rou o recorde mundial nos jogos de inverno.
mulher discutiam a renda familiar.
b) O verbo vai para o plural se houver repetição ou recipro-
cidade. Exemplos: Mais de um governador, mais de um senador, Regras gerais
mais de um prefeito obtiveram a reeleição; Mais de um torcedor
agrediram-se antes do início do jogo. I. Pessoas gramaticais diferentes

VII. Expressões partitivas (metade de, a maioria de, gran- A primeira pessoa do plural prevalece sobre a segunda pessoa,
de parte de, uma porção de etc.) que por sua vez, prevalece sobre a terceira. Exemplos: Eu, tu e
Alfredo viajaremos a Portugal (equivale a nós); Tu e Alfredo via-
Quando vier seguido de pronome ou substantivo no plural, o jareis a Portugal (equivale a vós).
verbo pode ficar no singular ou no plural. Exemplo: A maioria dos Observação: Quando houver segunda e terceira pessoas,
jovens eleitores anulou / anularam o voto. pode-se empregar também o verbo na terceira pessoa do plural.
Exemplo: Tu e Alfredo viajarão a Portugal.
VIII. Expressões: Um dos que, uma das que
II. Palavras sinônimas ou em gradação
O verbo fica no singular ou no plural. Exemplo: Maria Eduar-
da é uma das que menos estuda / estudam no colégio. Concordará com a palavra mais próxima ou irá para o plural.
Exemplo: O rancor, a ira, a raiva fez / fizeram com que ele aban-
IX. Quantidade aproximada (cerca de, mais de, menos de, donasse o partido.
perto de)
III. Resumido por nada, tudo ou expressões equivalentes
Se a expressão vier seguida de numeral e substantivo, o verbo
concordará com o substantivo. Exemplo: Perto de duas mil pesso- O verbo fica no singular: Os móveis, as joias, o dinheiro, tudo
as foram ao velório do atleta. foi levado pelos frequentadores do clube.

Didatismo e Conhecimento 48
LÍNGUA PORTUGUESA
IV. Ou / Nem III. Indicação de datas, horas e distância.

O verbo vai para o plural. Exemplo: Nem o professor nem o O verbo ser é impessoal (conjugado sempre na terceira pessoa
aluno chegaram a uma conclusão. do singular), concordando com a expressão numérica. Exemplos:
Observação: Se houver ideia de exclusão, o verbo ficará no É um hora e cinquenta e nove minutos; São dez horas; Daqui a
singular. Federer ou Nadal vencerá o torneio de tênis. Atibaia são sessenta quilômetros; Hoje são vinte de outubro.

V. Preposição com Observações:


O verbo fica no plural. Exemplo: O pai com seu filho foram
a) Diante de datas, admite-se também o singular, uma vez que
ao jogo no Itaquerão.
está subentendida a palavra dia. Hoje é (dia) vinte de outubro.
Observação: Se vier ligado por vírgula, ficará no singular. b) Se a palavra dia for mencionada, o singular é obrigatório.
Exemplo: O pai, com seu filho, foi ao Itaquerão. Exemplo: Hoje é dia 20 de outubro.
c) Se houver locução verbal, o verbo auxiliar concordará com
VI. Conjunção como o predicativo. Exemplo: Devem ser nove horas.

O verbo vai para o plural ou concorda com o antecedente. IV. Expressões é muito, é pouco, é suficiente e equivalentes
Exemplo: O pintor como o seu ajudante acabou / acabaram a
obra do prédio. O verbo ficará no singular. Exemplo: Ganhar R$10 000,00 por
mês é pouco (é bastante, é suficiente).
VII. Um ou outro / Nem um nem outro
Concordância com verbos impessoais fazer, haver
O verbo fica no singular ou vai para o plural. Exemplo: Um ou
outro obteve / obtiveram a nota máxima.
Os verbos impessoais não têm sujeito, sendo conjugados na
terceira pessoa do singular.
VIII. Infinitivos

a) O verbo ficará no singular. Exemplo: Passear e brincar faz Haver


parte do mundo da garotada.
Será impessoal no sentido de existir, ocorrer ou indicando
b) Se os verbos forem antônimos ou se estiverem determina- tempo transcorrido. Exemplos: Havia muitas crianças no Parque
dos, o verbo vai para o plural. Exemplo: O falar e o escrever se da Juventude; Haverá sessão plenária hoje em Brasília; Havia
harmonizam. dois meses que não chovia em São Paulo.

IX. Pronome cada Observações:

O verbo fica no singular. Exemplo: Cada eleitor, cada servidor a) Se vier acompanhado por verbo auxiliar, ele também será
do Cartório votou na última eleição. impessoal. Exemplo: Deve haver muitos partidos preocupados
com o resultado das eleições.
X. Sujeito posposto ao verbo

O verbo poderá ficar no singular ou no plural. Exemplo: Fal-


tou / Faltaram ousadia e competência para a equipe vencer a par- b) O verbo haver será impessoal quando puder ser substituído
tida por existir, no entanto, o verbo existir é sempre pessoal (apresenta
Observação: Se houver ideia de reciprocidade, é obrigatório sujeito). Exemplos: Existe vida em outro planeta?; Existem mui-
o uso do plural. Ofenderam-se o tio e o primo do rapaz. tas incertezas quanto á política econômica.

Concordância com o verbo ser Fazer

I. Com pronomes tudo, isso, isto, aquilo Será impessoal no sentido de tempo transcorrido ou indicando
fenômeno meteorológico. Exemplos: Faz seis meses que não vejo
A concordância dar-se-á com o predicativo. Exemplos: Tudo meu primo Ricardo; Hoje fez quarenta graus à sombra.
são flores; Aquilo eram recordações.
Observação: Se vier acompanhado por verbo auxiliar, ele
II. Quando o sujeito ou o predicativo for nome próprio, a
também ganha a impessoalidade. Vai fazer três meses que não
concordância far-se-á com ele. Exemplos: Fernando era só pro-
blemas; O homem é cinzas. chove.

Didatismo e Conhecimento 49
LÍNGUA PORTUGUESA
Considerações finais f) Há bastante razões para eu não votar no seu partido.

Verbo Parecer .........................................................................................................

.........................................................................................................
Quando seguido de infinitivo, admite duas construções:
g) Assisti e gostei muito do filme.
a) Não se flexiona o infinitivo. Exemplo: Alguns jogadores
pareciam chorar com a eliminação do campeonato. .........................................................................................................

b) O infinito se flexiona. Exemplo: Alguns jogadores parecia .........................................................................................................


chorarem com a eliminação do campeonato.
h) Depois de assistir algumas aulas, prefiro ficar na sala do que
Expressão haja vista brincar no pátio da escola.

Admite três construções: Haja vista os resultados; Hajam .........................................................................................................


vista os resultados; Haja vista aos resultados.
.........................................................................................................
i) Conheci moças bastante competentes na área jurídica.
Sujeito oracional
.........................................................................................................
Quando o sujeito de um verbo é uma oração. O verbo fica
sempre na terceira pessoa do singular. Exemplos: Beber água e .........................................................................................................
fazer caminhadas faz bem à saúde; Interessa a certos extrovertidos
encobrir aspectos de sua timidez. j) Tenho uma amiga que é meia ingênua em termos de política.

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO .........................................................................................................

1. Corrija as frases a seguir, quando necessário. .........................................................................................................


a) Segue anexo uma cópia do soneto composto pela pseuda
poetisa, no qual a autora tenta imitar o grande Bilac, usando as k) Aquela decisão me custou muito cara.
mesmas imagens.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
l) Esperava menos perguntas de interpretação de textos na
b) Bebida alcoólica não é permitida neste recinto. prova.

......................................................................................................... .........................................................................................................

......................................................................................................... .........................................................................................................

c) Conheci escritores os mais brilhantes possíveis. m) Está incluso no total do recibo, a sua comissão na venda
do produto.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
d) Todos ficarão alertas, embora os grevistas já tenham se dis-
persado. n) Nós estávamos quite com o serviço militar.
......................................................................................................... .........................................................................................................
......................................................................................................... .........................................................................................................

e) Ainda meia furiosa, mas com menas violência, proferia in- o) Respondia com gesto e expressão irônica.
júrias bastante para escandalizar todos.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................

Didatismo e Conhecimento 50
LÍNGUA PORTUGUESA
2. Corrija as frases a seguir, quando necessário. k) Sabe quantos meses fazem que não vou ao teatro? Pois hoje
estão fazendo nove meses.
a) Um bloco de foliões animava a festa de carnaval em Recife.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
l) Não pode existir, pois, no futebol brasileiro, razões para an-
b) Não fomos nós quem incentivamos a briga entre vocês. gústias, uma vez que não falta, no gramado de nossos estádios,
talentos incomparáveis.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
c) Vossa Excelência e sua comitiva sereis nossos convidados
.........................................................................................................
de honra.

......................................................................................................... m) Têm havido dúvidas sobre a capacidade de reação da equi-


pe carioca.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
d) Podem ter certeza de que não serei eu que arcará com as .........................................................................................................
despesas de sua festa de casamento. n) O ambiente está tenso: haja vista as manifestações de on-
tem na Praça da Sé.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
e) Choveu pedaços de granizo no interior de Santa Catarina.
o) Faziam apenas dois meses que ela ficara viúva e mais de
......................................................................................................... uma proposta de casamento apareceram; porém, deviam haver sé-
rios motivos para ela recusá-las.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
f) Restaura-se móveis antigos e conserta-se televisores em
cores. .........................................................................................................
p) Já houve duas guerras mundiais no século passado. Have-
......................................................................................................... rão outras?
......................................................................................................... .........................................................................................................

g) Precisam-se de líderes que ajudem a civilizar o país. .........................................................................................................


q) Gérson, os filhos, eu e tu irão ao cinema.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
h) Os Estados Unidos são um país desenvolvido e formam a .........................................................................................................
maior economia nacional do mundo. r) Atenderam-se a todos os pedidos durante a campanha pre-
sidencial.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
i) 12% da produção de tomate se perderam com a geada no
s) Há de ser corrigidos todos os erros de concordância verbal.
Sul do Brasil,
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
......................................................................................................... t) A nenhum dos passageiros perturbavam, de fato, a vagarosi-
j) Mais de trezentas pessoas acertaram o resultado da loteria dade daqueles trens cheios de poesia.
esportiva.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................

Didatismo e Conhecimento 51
LÍNGUA PORTUGUESA
GABARITOS r) Atendeu-se a todos os pedidos durante a campanha presi-
dencial.
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO s) Hão de ser corrigidos todos os erros de concordância verbal.
t) A nenhum dos passageiros perturbava, de fato, a vagarosi-
1. dade daqueles trens cheios de poesia.
a) Segue anexa uma cópia do soneto composto pela pseudo
poetisa, no qual a autora tenta imitar o grande Bilac, usando as TESTES DE CONCURSOS COMENTADOS
mesmas imagens.
b) Bebida alcoólica não é permitido neste recinto. 01. (Fundação Carlos Chagas) A concordância verbo-nominal
c) Frase correta. está inteiramente correta na frase:
d) Todos ficarão alerta, embora os grevistas já tenham se dis- a) Existe desafios comuns às áreas urbanas densamente povo-
persado. adas, no mundo todo, sendo um deles o trânsito, responsáveis pela
e) Ainda meio furiosa, mas com menos violência, proferia in- poluição atmosférica em uma metrópole.
júrias bastantes para escandalizar todos. b) A África é o continente em que ocorrem, de forma mais
f) Há bastantes razões para eu não votar no seu partido. rápida, a migração das zonas rurais para as áreas urbanizadas, prin-
g) Assisti ao filme e gostei muito dele. cipalmente em virtude de guerras e de secas.
h) Depois de assistir a algumas aulas, prefiro ficar na sala a c) Há um século, o maior número de megalópoles se concen-
brincar no pátio da escola. trava em países ricos; atualmente a maioria delas está nos países
I) Frase correta. em desenvolvimento.
j) Tenho uma amiga que é meio ingênua em termos de política. d) Na maioria dos países emergentes o crescimento das cida-
k) Aquela decisão me custou muito caro. des acontecem sem nenhum planejamento, criando problemas ao
l) Frase correta. poder público difícil de resolver.
m) Está inclusa no total do recibo, a sua comissão na venda e) O maior atrativo para a vida nas cidades é as possibilidades
do produto. de desfrutar mais de saúde, educação, lazer, elementos que garante
n) Nós estávamos quites com o serviço militar. qualidade de vida aos moradores.
o) Respondia com gesto e expressão irônica ou irônicos.
02. (Fundação Carlos Chagas) O verbo registrado entre parên-
2.
teses cuja flexão deverá ser feita no plural está na frase:
a) Um bloco de foliões animava / animavam a festa de carna-
a) É importante saber como se ..................... os melhores re-
val em Recife.
sultados da leitura de jornais. (atingir)
b) Não fomos nós quem incentivou / incentivamos a briga en-
b) Nenhuma das soluções apontadas ..................... livre de in-
tre vocês.
terpretações deturpadas da realidade. (estar)
c) Vossa Excelência e sua comitiva serão nossos convidados
c) A tentativa de controle das informações veicula-
de honra.
das..................... em regimes totalitários. (ocorrer)
d) Podem ter certeza de que não serei eu que arcarei com as d) A televisão, por sua abrangência e propostas de diversão,
despesas de sua festa de casamento. ..................... entre os meios de comunicação. (sobressair)
e) Choveram pedaços de granizo no interior de Santa Catarina. e) A preferência dos leitores, a partir das informações obtidas,
f) Restauram-se móveis antigos e consertam-se televisores em ..................... resultados imprevisíveis. (apresentar)
cores.
g) Precisa-se de líderes que ajudem a civilizar o país.
h) Frase correta. 03. (Fundação Carlos Chagas) As normas de concordância es-
i) 12% da produção de tomate se perdeu com a geada no Sul tão plenamente observadas na frase:
do Brasil. a) Costumam-se especular, nos meios acadêmicos, em torno
j) Mais de trezentas pessoas acertou o resultado da loteria es- de três acepções de Ética.
portiva. b) As referências que se faz à natureza da ética consideram-na,
k) Sabe quantos meses faz que não vou ao teatro? Pois hoje com muita freqüência, associada aos valores morais.
está fazendo nove meses. c) Não coubessem aos juristas aproximar-se da ética, as leis
l) Não podem existir, pois, no futebol brasileiro, razões para deixariam de ter a dignidade humana como balizamento.
angústias, uma vez que não faltam, no gramado de nossos estádios, d) Não derivam das teorias, mas das práticas humanas, o efeti-
talentos incomparáveis. vo valor de que se impregna a conduta dos indivíduos.
m) Tem havido dúvidas sobre a capacidade de reação da equi- e) Convém aos filósofos e juristas, quaisquer que sejam as
pe carioca. circunstâncias, atentar para a observância dos valores éticos.
n) Frase correta.
o) Fazia apenas dois meses que ela ficara viúva e mais de uma 04. (Fundação Carlos Chagas) O verbo indicado entre parên-
proposta de casamento apareceu; porém, devia haver sérios moti- teses deverá flexionar-se no plural para preencher de modo coreto
vos para ela recusá-las. a lacuna da frase:
p) Já houve duas guerras mundiais no século passado. Haverá a) Frutas e verduras, mesmo quando desprezadas, não
outras? .................... (deixar) de as recolher quem não pode pagar pelas
q) q) Gérson, os filhos, eu e tu iremos ao cinema. boas e bonitas.

Didatismo e Conhecimento 52
LÍNGUA PORTUGUESA
b) ....................-se (dever) aos ruidosos funcionários da lim- e) Nem sempre é possível evitar acontecimentos trágicos que
peza pública a providência que fará esquecer que ali funcionou acabam ocorrendo em lugares em que se encontram muitas pes-
uma feira. soas.
c) Não .................... (aludir) aos feirantes mais generosos, que
oferecem as sobras de seus produtos, a observação do autor sobre 08. (Fundação Carlos Chagas) Já ................ várias medidas
o egoísmo humano. para que se ................ os índices de desmatamento em toda a re-
d) A pouca gente .................... (deixar) de sensibilizar os pe- gião.
nosos detalhes da colega, a que o narrador deu ênfase em seu texto. a) foi tomadas - reduzissem
e) Não ................... (caber) aos leitores, por força do texto, b) foi tomado - reduzissem
criticar o lucro razoável de alguns feirantes, mas sim, a inaceitável c) foram tomadas - reduzissem
impiedade de outros. d) foram tomadas - reduzisse
e) foi tomado - reduzisse
05. (Fundação Carlos Chagas) A concordância verbal e nomi-
nal está inteiramente correta na frase: 09. (Fundação Carlos Chagas) A concordância verbal e nomi-
a) Medidas sem precedentes em vários países, voltadas para nal está inteiramente correta na frase:
conter o pânico no mercado financeiro internacional, ainda não
a) Os caboclos da região, que vivem na floresta e dela retiram
conseguiu conter o impacto da crise.
seu sustento, sabem que é importante respeitar todas as formas de
b) A gestão dos riscos e das incertezas, que são responsabilida-
vida que nela se encontram.
de de governantes, trouxeram-lhe novos desafios: encontrar meios
e modos de superar a crise. b) Existe, na mitologia de vários povos, duendes com diversos
c) A falta de transparência dos produtos financeiros e do fun- poderes mágicos que encarna, sobretudo, o espírito da floresta.
cionamento do mercado econômico globais deram origem à atual c) É sempre relatado às crianças indígenas os feitos valorosos
crise que se expandiu no mundo todo. de ilustres guerreiros, como forma de manter as tradições da tribo.
d) Não se poderia manter intocável as ações e a ampla circula- d) O repositório de lendas brasileiras de origem indígena va-
ção de instrumentos financeiros, sem os necessários mecanismos de riam muito, mas mostram, particularmente, uma explicação para
supervisão e de controle. os fenômenos da natureza.
e) Os desequilíbrios do sistema financeiro global redundaram e) Quando se tratam de questões de sobrevivência na mata fe-
em inúmeros prejuízos à medida que despencou o valor das ações e chada, é necessário a presença de guias habituados às dificuldades
se retraíram as ofertas de crédito. da região.

06. (Fundação Carlos Chagas) A concordância verbal e nomi- 10. (Fundação Carlos Chagas) A concordância verbal e nomi-
nal está inteiramente correta na frase: nal está inteiramente correta na frase:
a) Nem sempre as pessoas se sentem dispostas a prestar aten- a) Destina-se, muitas vezes, as medidas econômicas a conter
ção em anúncios que é apresentado nos veículos de transporte, certos abusos existentes no mercado, protegendo as classes mais
como os táxis. desfavorecidas.
b) Muitos fabricantes não reconhecem que existe lugares onde b) Empresários buscam fórmulas eficazes de conquistar a
não deveria ser permitido a apresentação de anúncios, seja eles qual classe emergente, pois se sabem que os lucros é sempre mais segu-
forem. ro nessa camada social.
c) As empresas que querem anunciar seus produtos devem c) A classe média constitui um forte segmento de consumi-
respeitar os momentos de tranquilidade das pessoas cujo interesse dores, razão por que as pesquisas atualmente está sempre voltada
buscam despertar. para elas.
d) Ao ser anunciado, os produtos precisam oferecer alguma d) A meta de conquistar consumidores para seus produtos leva
coisa que possam despertar a atenção de quem está olhando para empresários a uma constante disputa nos meios de comunicação
eles.
de que dispõem.
e) Os anúncios espalhados pela cidade é que vai mostrar a qua-
e) Na economia de mercado, muitas vezes se esconde lucros
lidade dos produtos, para motivar os consumidores a comprá-lo.
maiores nos produtos que, em princípio, parece ser mais baratos.
07. (Fundação Carlos Chagas) A concordância verbal e nomi-
nal está inteiramente correta na frase: 11. (Fundação Carlos Chagas) Há um deslize na concordância
a) O confronto generalizado entre torcedores de times adversá- verbal da seguinte frase:
rios acabaram com grande número de feridos atendidos no hospital a) Não se devem abrir às crianças, sejam elas pobres ou não, a
mais próximo. opção entre estudar ou trabalhar.
b) Existe sempre alguns fatos que vai dar origem aos protes- b) Será que cabe apenas aos governantes tomar medidas que
tos violentos, que acabam em depredações e em grande número de impeçam a exploração profissional dos menores?
feridos. c) Destacam-se, entre os argumentos já levantados contra o
c) É importante as medidas de controle que é feita pelos órgãos trabalho infantil, os que defendeu Darcy Ribeiro.
responsáveis pela segurança em eventos que atraem multidões d) Aos que não desejam alinhar-se contra o trabalho infantil
d) Seria necessário maiores cuidados com a segurança do pú- resta combater em nome dos ideais de Darcy Ribeiro.
blico em eventos onde se encontra milhares de pessoas, de todas e) Sempre haverá, por esta ou aquela razão, os que defendem
as idades. a inserção das crianças pobres no mercado de trabalho.

Didatismo e Conhecimento 53
LÍNGUA PORTUGUESA
12. (Fundação Carlos Chagas) O verbo indicado entre parên- d) Atitudes firmes e claras voltadas para a sustentabilidade na
teses deverá adotar obrigatoriamente uma forma do plural para exploração dos recursos da natureza deve trazer lucros promisso-
preencher com correção a lacuna da frase: res para as empresas.
a) Estão sendo ditas muitas coisas e .......................... (ter) e) Deveria ser divulgado claramente os princípios que nor-
havido muitos protestos durante esses dias de manifestações, em teiam as atividades empresariais, como diretriz para orientar os
Gênova. consumidores
b) .......................... (faltar) a todos esses jovens manifestan-
tes, segundo os velhos líderes estudantis, maior solidez nas reivin- RESPOSTAS
dicações políticas.
c) Não .......................... (ocorrer) ao ex-líder estudantil Mário 01. Resposta C. Se concentrava - concordância com o núcleo
Capanna, em seu pronunciamento, as lembranças de quando era do sujeito “número”, está - concordância com o núcleo do sujeito
um rígido stalinista? “maioria”.
d) Não .......................... (competir) aos velhos políticos de
esquerda avaliar com maior isenção as atitudes dos jovens con- Demais alternativas: a) existem - concordância com o núcleo
testadores? do sujeito “desafios”, responsável - o adjetivo deve concordar com
e) .......................... (estar) nas teses confusas dos jovens ma- o substantivo “trânsito”; b) ocorre - concordância com o núcleo do
nifestantes a razão mesma dos sentimentos de adesão e simpatia sujeito “migração”; d) acontece - concordância com o núcleo do
que o autor confessa ter
sujeito “crescimento”, difíceis - o adjetivo deve concordar com o
substantivo “problemas”; e) é / são - com o verbo “ser” pode-se
13. (Fundação Carlos Chagas) A concordância verbal e nomi-
concordar com o sujeito ou com o predicativo (“possibilidades”),
nal está inteiramente correta na frase:
a) A existência de florestas em várias regiões é garantia de garantem - concordância com “elementos”.
melhor distribuição de chuvas, por conta da umidade que gera as
nuvens. 02. Resposta A. Atingem - concordância com o núcleo do
b) Vale para todo mundo as explicações para os fenômenos sujeito “resultados”.
climáticos extremos que está ocorrendo em diversos países.
c) A água nas regiões quentes de florestas evaporam mais do Demais alternativas: b) está - concordância com o núcleo do
que nos oceanos, e o fluxo de ar úmido se dirige para o continente. sujeito “Nenhuma”; c) ocorre - concordância com o núcleo do
d) Sempre haverão pesquisadores dispostos a questionar as sujeito “tentativa”; d) sobressai - concordância com o núcleo do
bases de novas teorias, até que elas os convença de sua validade. sujeito “televisão”; e) apresenta - concordância com o núcleo do
e) É somente acima de 20% que as taxas de umidade do ar se sujeito “preferência”.
torna saudável para que as pessoas respirem normalmente.
03. Resposta E. Convém - concordância com o sujeito ora-
14. (Fundação Carlos Chagas) Observam-se corretamente as cional (quando o sujeito de um verbo é uma oração, ficando esse
regras de concordância verbal e nominal em: verbo na terceira pessoa do singular) “atentar para a observância
a) Causam grande admiração, por parte de todos aqueles que dos valores éticos).
se dispõem a ouvir as criações insuperáveis de João Gilberto, o
rigor com que ele se dedica à sua arte. Demais alternativas: a) Costuma-se - concordância com o su-
b) Ainda que possam haver vozes discordantes, é preciso reco- jeito oracional “especular”; b) fazem - concordância com o núcleo
nhecer que a bossa nova tem sido o estilo mais influente na música do sujeito “referências”; c) coubesse - concordância com o sujeito
brasileira das últimas décadas. oracional “aproximar-se”; d) deriva - concordância com o núcleo
c) Não é possível exagerar a importância de João Gilberto do sujeito “valor”.
para a música brasileira e a contribuição que ele tem dado para a
divulgação dessa música no exterior. 04. Resposta D. Deixam de sensibilizar - concordância com
d) Há muitos artistas de destaque que, como João Gilberto, o núcleo do sujeito “detalhes”.
parece tentar a todo custo manter uma vida reservada e o mais
distante possível dos holofotes.
Demais alternativas: a) deixa - concordância com o núcleo do
e) Não é exagero dizer que com frequência se ouve, em países
sujeito “quem”. Observação: “Frutas e verduras” é o objeto direto;
onde menos seria de se esperar, músicas brasileiras que só contá-
vamos ouvir em nosso país. b) Deve-se - concordância com o núcleo do sujeito “providência”;
c) Alude - concordância com o núcleo do sujeito “observação”; e)
15. (Fundação Carlos Chagas) A concordância verbal e nomi- cabe aos leitores - concordância com o sujeito oracional (quando
nal está inteiramente correta na frase: o sujeito de um verbo é uma oração, ficando esse verbo na terceira
a) Chegou ao fim as campanhas voltadas para a reciclagem de pessoa do singular) “criticar o lucro razoável de alguns feirantes”.
materiais nas cidades escolhidas no projeto-piloto.
b) A conscientização dos moradores daquela área contamina- 05. Resposta E. redundaram - concordância com o núcleo do
da pelos resíduos tóxicos acabaram surtindo bons resultados. sujeito “desequilíbrios”, despencou - concordância com o núcleo
c) Muitos consumidores se mostram engajados na luta pela do sujeito “valor”; retraíram - concordância com o núcleo dos
sustentabilidade e traduzem seu compromisso em tudo aquilo que sujeito “ofertas”.
compram.

Didatismo e Conhecimento 54
LÍNGUA PORTUGUESA
Demais alternativas: a) conseguiram - concordância com o 11. Resposta A. Deve abrir - concordância com o núcleo do
núcleo do sujeito “Medidas”; b) é, trouxe-lhe - concordância com sujeito “opção”.
o núcleo do sujeito “gestão”; c) global - concordância com o subs-
tantivo “mercado”, deu - concordância com o núcleo do sujeito Demais alternativas: b) será - concordância com o sujeito
“falta”; d) poderiam manter - concordância com o sujeito com- oracional (quando o núcleo do sujeito é um verbo) “cabe apenas
posto “as ações e a ampla circulação de instrumentos financeiros”. aos governantes”; cabe - concordância com o sujeito oracional
“tomar medidas”; impeçam - concordância com “medidas”; c)
06. Resposta C. Querem anunciar, devem respeitar, bus- Destacam-se - concordância com o sujeito “os” (pronome de-
cam despertar - concordância com o núcleo do sujeito “empre- monstrativo - equivale a aqueles), levantados - concordância com
sas”. o núcleo do sujeito “argumentos”, defendeu - concordância com o
sujeito “Darcy Ribeiro”; d) desejam - concordância com o sujeito
Demais alternativas: a) são apresentados - concordância com “Aos” (pronome demonstrativo - equivale a Aqueles), resta - con-
o substantivo “anúncios”; b) existem - concordância com o sujeito cordância com o sujeito oracional “combater em nome dos ideais
“lugares”, permitida - concordância com o substantivo “apresen- de Darcy Ribeiro”; e) haverá - verbo impessoal na acepção de
tação”; d) serem anunciados - concordância com o núcleo do su- existir, conjugado na terceira pessoa do singular, defendem - con-
jeito “produtos”, possa despertar - concordância com o substanti- cordância com o sujeito “os” (pronome demonstrativo - equivale
vo “coisa”; e) vão mostrar - concordância com o núcleo do sujeito a aqueles).
“anúncios”, comprá-los - concordância com “produtos”.
12. Resposta C. Ocorreram - concordância com o núcleo do
07. Resposta E. É possível - concordância com o sujeito sujeito “lembranças”.
oracional “evitar acontecimentos trágicos”; acabam ocorrendo -
concordância com o núcleo do sujeito “acontecimentos”; encon- Demais alternativas: a) tem havido - nas locuções verbais, o
tram - concordância com o núcleo do sujeito “pessoas”. verbo haver quando impessoal (3ª pessoa do singular), transmite a
impessoalidade a seu auxiliar; b) falta - concordância com o nú-
Demais alternativas: a) acabou - concordância com o núcleo cleo do sujeito “solidez”; d) compete - concordância com o sujeito
do sujeito “confronto”; b) Existem - concordância com o núcleo oracional (quando o núcleo do sujeito é um verbo) “avaliar com
do sujeito “fatos”, vão dar, acabam - concordância com “protes-
maior isenção as atitudes dos jovens contestadores”; e) está - con-
tos violentos”; c) São importantes - concordância com o núcleo
cordância com o núcleo do sujeito “razão”.
do sujeito “medidas”, São importantes, são feitas - concordância
com o núcleo do sujeito “medidas”; d) Seriam necessários - con-
13. Resposta A. É - concordância com o núcleo do sujeito
cordância com o núcleo do sujeito “cuidados”, encontram - con-
“existência”, gera - concordância com o substantivo “umidade”.
cordância com o núcleo do sujeito “pessoas”.
Demais alternativas: b) Valem - concordância com o núcleo
08. Resposta C. Foram tomadas - concordância com o nú-
do sujeito “explicações”, estão ocorrendo - concordância com
cleo do sujeito “medidas”; reduzissem - concordância com o nú-
cleo do sujeito “índices”. “fenômenos climáticos extremos”; c) evapora - concordância
com o núcleo do sujeito “água”; d) haverá - verbo impessoal na
09. Resposta A. Vivem, retiram, sabem – concordância com acepção de existir, conjugado na terceira pessoa do singular, con-
o núcleo do sujeito “caboclos”, encontram – concordância com o vençam - concordância com o sujeito “elas”; e) tornam saudáveis
substantivo “formas”. - concordância com o núcleo do sujeito “taxas”.

Demais alternativas: b) Existem, encarnam - concordância 14. Resposta C. Não é possível - concordância com o sujeito
com o sujeito “duendes”; c) São sempre relatados - concordância oracional ”exagerar a importância de João Gilberto...”.
com o núcleo do sujeito “feitos”; d) varia, mostra - concordância
com o núcleo do sujeito “repositório”; e) Quando se trata - verbo Demais alternativas: a) Causa - concordância com o núcleo
transitivo indireto acompanhado pelo pronome oblíquo “se”, deve do sujeito “rigor”; b) possa haver - nas locuções verbais o ver-
permanecer no singular, é necessária a presença - concordância bo haver quando impessoal (3ª pessoa do singular), transmite a
com o artigo feminino “a”. impessoalidade a seu auxiliar; d) parecem tentar ou parece ten-
tarem - concordância com o substantivo “artistas”; e) ouvem -
10. Resposta D. Leva - concordância com o núcleo do sujeito concordância com o núcleo do sujeito “músicas”.
“meta”, dispõem - concordância com o sujeito “empresários”.
15. Resposta C. Mostram, traduzem, compram - concor-
Demais alternativas: a) Destinam-se - concordância com o dância com o núcleo do sujeito “consumidores”.
núcleo do sujeito “medidas”; b) pois se sabe - concordância com o
sujeito oracional “que os lucros são mais seguros”; c) estão sem- Demais alternativas: a) Chegaram - concordância com o nú-
pre voltadas - concordância com o núcleo do sujeito “pesquisas”; cleo do sujeito “campanhas”; b) acabou - concordância com o nú-
e) muitas vezes se escondem - concordância com o núcleo do cleo do sujeito “conscientização”; d) devem trazer - concordância
sujeito “lucros”, parecem ser ou parece serem mais seguros - com o núcleo do sujeito “atitudes”; e) Deveriam ser divulgados
concordância com o substantivo “produtos”. - concordância com o núcleo do sujeito “princípios”.

Didatismo e Conhecimento 55
LÍNGUA PORTUGUESA
REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL Regência com o advérbio

REGÊNCIA NOMINAL longe de


perto de
É a relação existente entre um nome (adjetivo, advérbio ou
substantivo) e os termos regidos por ele. Entre eles sempre haverá Regência com o substantivo
uma preposição.
admiração a, por
Regência com o adjetivo amor a, de, por
aversão a, para, por
acessível a atentado a, contra
acostumado a, com bacharel em
agradável a capacidade de, para
alheio a, de devoção a, com, para, por
análogo a doutor em
ansioso de, para, por dúvida acerca de, em, sobre
apto a, para horror a
ávido de impaciência com
benéfico a medo a, de
capaz de, para obediência a
compatível com ojeriza a, por
contemporâneo a, com respeito a, com, para com, por
contíguo a
contrário a Regência dos principais verbos
descontente com
diferente de Siglas empregadas:
entendido em
equivalente a
VTD - verbo transitivo direto
escasso de
VTI - verbo transitivo indireto
essencial a, para
VI - verbo intransitivo
fácil de
VTDI - verbo transitivo direto e indireto
fanático por
favorável a
generoso com 1. AGRADAR
grato a, por
hábil em a) VTD - acariciar: A cadela agradou o filhote.
habituado a
idêntico a b) VTI - satisfazer: A prova agradou a todos os candidatos.
impróprio para
indeciso em 2. ASPIRAR
insensível a
liberal com a) VTD - inalar, sorver, respirar: Aspirei o ar puro de Campos
natural de do Jordão.
necessário
nocivo a b) VTI - almejar, ter objetivo: Ela aspirava a um da Receita
paralelo a Federal.
passível de Observação: Na acepção de almejar, ter por objetivo não
preferível a aceita lhe como complemento. Deve ser substituído por a ele(a),
prejudicial a a eles(as).
prestes a
propício a 3. ASSISTIR
próximo a
relacionado com a) VTI - assistir, presenciar, observar - Irene assistiu a mais
relativo a um grande filme de Woody Allen.
satisfeito com, de, em, por Observação: Com esse significado, não aceita lhe como
semelhante a complemento. Deve ser substituído por a ele(a), a eles(as).
sensível a
sito em b) VTD ou VTI - prestar assistência, socorrer: A mãe assistia
suspeito de o(ao) filho doente.
vazio de

Didatismo e Conhecimento 56
LÍNGUA PORTUGUESA
c) VTI - caber: Este direito assiste a todos os servidores pú- 11. OBEDECER / DESOBEDECER
blicos.
VTI - Devemos obedecer à família. / Devemos desobedecer
d) VI - morar, residir: Assisto em São Paulo há mais de vinte às leis desumanas.
anos. Observação: Esses verbos não aceitam lhe quando o com-
plemento é coisa. Devemos obedecer (desobedecer) a elas (leis).
4. CHAMAR
12. PAGAR / PERDOAR
a) VTD - convocar: A ministra chamou os subordinados para
nova reunião. VTDI - Paguei a conta ao balconista. / Perdoei a ofensa ao
infrator.
b) VTD ou VTI - denominar: O diretor chamou os subordi-
nados de desleais ou O diretor chamou aos subordinados desleais. 13. PRECISAR
5. CUSTAR
VTI - necessitar: Preciso de sua ajuda para resolver problemas
financeiros.
a) VTI - ser custoso, ser difícil: Custa-nos compreender o ra-
ciocínio do prefeito.
VTD - indicar com precisão: Fabiana precisou o lugar onde
b) VI - ter valor ou preço de: O pão francês não deveria custar escondeu o celular da irmã.
tanto.
14. PREFERIR
6. ESQUECER / LEMBRAR
VTDI - Prefiro frutas a doces.
a) VTD - formas não pronominais: Fernando esqueceu (lem- São construções errôneas: Preferir mais, preferir menos, pre-
brou) a promessa. ferir mil vezes, etc.

b) VTI - formas pronominais: Fernando esqueceu-se (lem- 15. PROCEDER


brou-se) da promessa.
a) VI (+ adj. adverbial de lugar) - provir, originar-se: Aline
Nos sentidos de cair no esquecimento ou vir à lembrança e procede de Maceió.
ocorrer, os verbos esquecer e lembrar têm como sujeito as coisas
lembradas ou esquecidas. Ex.: Esqueceram-me as regras gramati- b) VI (+ adj. adverbial de modo) - comportar-se: Henrique
cais ; Lembraram-me as regras gramaticais. procedeu muito mal.

7. GOSTAR c) VI - ter fundamento: Suas ações não procedem.

a) VTI - amar, ter afeto, apreciar: De quem você gosta mais: d) VTI - realizar: Elias procedeu ao relatório da empresa.
de cachorro ou de gato?
16. QUERER
b) VTD - experimentar, provar, degustar: Adorei o vinho de-
pois que o gostei. a) VTD - desejar, cobiçar: Sofia queria uma nova fatia de bolo
de chocolate.
8. IMPLICAR
b) VTI - estimar, amar: Quero muito aos meus avós.
a) VTD - acarretar, provocar: Isso implicará prejuízos para o
país.
17. SIMPATIZAR / ANTIPATIZAR / CONFRATERNI-
b) VTI - ter implicância; envolver-se: Silvana implicou com o ZAR
preço da gasolina; Daniel implicou-se em ações ilícitas.
VTI - Não simpatizo com os políticos / Antipatizo com a maio-
9. MORAR / RESIDIR ria dos governos. Na festa de final de ano, todos confraternizaram.
Observação: Não são usados com as formas pronominais.
Devem estar acompanhados pela preposição em: Moro (Resi-
do) em Poços de Caldas. 18. TORCER

10. NAMORAR VTI - Todos torcerão pela derrota da Argentina na final do


Campeonato Mundial.
VTD - Rúbia namora Marcos há dois anos.

Didatismo e Conhecimento 57
LÍNGUA PORTUGUESA
19. VISAR o) Esta é uma manifestação .......... a violência infantil.
p) Alguma dúvida .......... regência nominal?
a) VTD - mirar, assinar, rubricar: Ele visou o recibo; Edivaldo q) Carlos é perito .......... informática.
visou o alvo e errou. r) Muitas pessoas fazem questão de se manterem alienadas
.......... problemas sociais.
b) VTI - almejar, desejar: Adriana visa ao cargo de chefia. s) Berenice é imune .......... seus comentários maldosos.
t) Gramática é preferível .......... Trigonometria.
Observações:
2. Corrija as frases, quando necessário.
a) A preposição pode ser omitida quando o verbo é seguido de a) Avisei-lhe de que não desejava substituí-Io na presidência,
infinitivo: Ariovaldo visava a descansar nas férias / ou Ariovaldo pois apesar de ter sempre servido a instituição, jamais aspirei tal
visava descansar nas férias. cargo.
b) Na acepção de almejar, desejar não aceita lhe como com-
plemento. Deve ser substituído por a ele(a), a eles(as). .........................................................................................................
.........................................................................................................
20. AVISAR / CERTIFICAR / CIENTIFICAR / INFOR-
MAR / NOTIFICAR / PREVENIR b) É dever de todo médico assistir todos os enfermos.
VTDI - com dois tipos de construções: Avisei-o de que não .........................................................................................................
haverá expediente hoje ou Avisei-lhe que não haverá expediente
hoje. .........................................................................................................

21. CHEGAR / DIRIGIR-SE / IR / VOLTAR / VERBOS c) As crianças preferem ir ao cinema do ficarem em casa ven-
QUE INDICAM MOVIMENTO do televisão.
.........................................................................................................
Exigem a preposição a: Vou ao teatro / Cheguei a farmácia /
Voltei ao baile. .........................................................................................................

Observação: Ir a - utilizado com ideia de retorno imediato: d) É preciso lembrar que você me deve mais atenção.
Vou a Portugal para passar as férias; Ir para - utilizado com ideia
de permanência, sem data para retornar: Vou para Portugal. .........................................................................................................
.........................................................................................................
22. VERBOS COM REGÊNCIAS DIFERENTES - Não se
deve atribuir um mesmo complemento a eles.
e) A atitude da ex-presidente implicou em descontentamento
de todo o país.
Ex.: Li e gostei do livro de Sartre (errado). O correto é: Li o
livro de Sartre e gostei dele. .........................................................................................................

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO .........................................................................................................

1. Coloque a preposição adequada para completar as frases f) Não lhe conheço o suficiente para entender seus motivos,
abaixo mas aviso-lhe de que não o perdoo a traição.
a) O fumo é prejudicial .......... saúde.
.........................................................................................................
b) Financiamentos imobiliários tornaram-se acessíveis ..........
população. .........................................................................................................
c) Seu projeto é passível .......... reformulações.
d) Esteja atento .......... tudo que acontece por aqui. g) Chegando no local de trabalho encontrei as portas fechadas.
e) Suas ideias são compatíveis .......... as minhas.
f) Estamos fartos .......... tantas promessas. .........................................................................................................
g) Ela era suspeita .......... ter assaltado a loja.
h) O filme é proibido .......... menores de dezoito anos. .........................................................................................................
i) Andreia é bacharel .......... direito.
j) Francisco está acostumado .......... o trânsito congestionado h) O sócio visou a todas as folhas do contrato social.
de São Paulo. .........................................................................................................
k) Renato sente ojeriza .......... essa alimentação.
l) Tinha esperança .......... que você fosse aprovado no con- .........................................................................................................
curso.
m) O GPS é essencial .......... alguns motoristas.
n) Maria é devota .......... Nossa Senhora de Fátima.

Didatismo e Conhecimento 58
LÍNGUA PORTUGUESA
i) Aquela é a garota com quem muito me simpatizei. r) Aqui se jogam as sementes para informar-lhes de que a cul-
tura não deve ser acadêmica.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
j) Os motoristas irresponsáveis, em geral, não obedecem os
sinais de trânsito. s) Não nos interessa donde eles vêm, aonde moram, nem onde
pretendem ir.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
k) Posso informar os senhores que ninguém, na reunião, ou-
sou aludir a tão delicado assunto. t) Gostei do filme que vi; Clarice, do filme que assistiu; San-
dra, do filme que te referiste; Fabiana, do filme que te opuseste;
......................................................................................................... Isabel, do filme que te queixaste.
......................................................................................................... .........................................................................................................
l) As últimas medidas tomadas visam ao racionamento de .........................................................................................................
água em São Paulo.
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
.........................................................................................................
GABARITOS
m) O Colégio São Rafael, situado à Rua do Progresso, encer-
rou suas atividades neste ano. EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
......................................................................................................... 1.
......................................................................................................... a) O fumo é prejudicial à saúde.
b) Financiamentos imobiliários tornaram-se acessíveis à po-
n) Ele é uma pessoa em cuja honestidade ninguém duvida. pulação.
c) Seu projeto é passível de reformulações.
......................................................................................................... d) Esteja atento a tudo que acontece por aqui.
e) Suas ideias são compatíveis com as minhas.
......................................................................................................... f) Estamos fartos de tantas promessas.
g) Ela era suspeita de ter assaltado a loja.
o) A linguagem especial, cujo emprego se opõe o uso da co- h) O filme é proibido a menores de dezoito anos.
munidade, constitui um meio de os indivíduos de determinado gru- i) Andreia é bacharel em direito.
po dispõem para satisfazer o desejo de autoafirmação. j) Francisco está acostumado com o trânsito congestionado
de São Paulo.
.........................................................................................................
k) Renato sente ojeriza por essa alimentação.
......................................................................................................... l) Tinha esperança de que você fosse aprovado no concurso.
m) O GPS é essencial para alguns motoristas.
p) A professora aspirava o sucesso? Sim, aspirava-lhe. n) Maria é devota de Nossa Senhora de Fátima.
o) Esta é uma manifestação contra a violência infantil.
......................................................................................................... p) Alguma dúvida sobre regência nominal?
q) Carlos é perito em informática.
.........................................................................................................
r) Muitas pessoas fazem questão de se manterem alienadas
dos problemas sociais.
q) Esqueceu-me o desejo discreto de conhecer as coisas do
s) Berenice é imune aos seus comentários maldosos.
coração.
t) Gramática é preferível a Trigonometria.
.........................................................................................................
2.
......................................................................................................... a) Avisei-o de que não desejava substituí-Io na presidência,
pois apesar de ter sempre servido à instituição, jamais aspirei a
tal cargo.
b) Correta. Admite também: É dever de todo médico assistir a
todos os enfermos.

Didatismo e Conhecimento 59
LÍNGUA PORTUGUESA
c) As crianças preferem ir ao cinema a ficarem em casa vendo a) Durante milênios convivemos com a convicção...
televisão. b) Há outros ângulos do problema ...
d) É preciso lembrar de que você me deve mais atenção. c) ... que entopem as caixas de recepção de mensagens no
e) A atitude da ex-presidente implicou descontentamento de mundo ...
todo o país. d) ... que a própria ONU criou diretrizes mundiais ...
f) Não o conheço o suficiente para entender seus motivos, mas e) ... se haverá um limite para a internet ...
aviso-o de que não lhe perdoo a traição.
g) Chegando ao local de trabalho encontrei as portas fechadas. 04. (Fundação Carlos Chagas) Ganhos maiores também resul-
h) O sócio visou todas as folhas do contrato social. tam em novos hábitos ...
i) Aquela é a garota com quem muito simpatizei. O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o grifa-
j) Os motoristas irresponsáveis, em geral, não obedecem aos do acima está na frase:
sinais de trânsito. a) A agricultura brasileira pode produzir mais ...
k) Posso informar aos senhores que ninguém, na reunião, ou- b) ... que diminuíram depois de episódios de seca ...
sou aludir a tão delicado assunto ou Posso informar os senhores de c) ... foi o aumento do uso do milho nos EUA para a produção
que ninguém... de etanol.
l) Frase correta. d) ... os exportadores têm obtido ganhos comerciais signifi-
m) O Colégio São Rafael, situado na Rua do Progresso, encer- cativos.
rou suas atividades nestes ano. e) ... para se ajustar às novas conjunturas.
n) Ele é uma pessoa de cuja honestidade ninguém duvida.
o) A linguagem especial, a cujo emprego se opõe o uso da 05. (Fundação Carlos Chagas) ...e sustentou uma infinidade
comunidade, constitui um meio de os indivíduos de determinado de apostas sombrias.
grupo dispõem para satisfazer o desejo de autoafirmação. O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o gri-
p) A professora aspirava ao sucesso? Sim, aspirava a ele. fado está na frase:
q) Frase correta. a) ...os brasileiros conviveram com uma ameaça nascida nos
r) Aqui se jogam as sementes para informar-lhes que a cul- boletins dos censos demográficos.
tura não deve ser acadêmica ou Aqui se jogam as sementes para b) A taxa de fecundidade é o fator...
informá-los (las) de que a cultura... c) ...a população cresce em ritmo mais lento.
s) Não nos interessa donde eles vêm, onde moram, nem aonde d) ...tiveram quedas expressivas em seus índices de natalida-
pretendem ir.” de.
t) Gostei do filme que vi; Clarice, do filme a que assistiu; San- e) ...e todos ficam mais ricos.
dra, do filme a que te referiste; Fabiana, do filme a que te opuseste;
Isabel, do filme de que te queixaste. 06. (Fundação Carlos Chagas) O Código de Defesa do Consu-
midor (CDC) atingiu sua maioridade plena em março de 2009 ...
TESTES DE CONCURSOS COMENTADOS O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o grifa-
do acima está na frase:
01. (Fundação Carlos Chagas) ... por que não aderi a essa his- a) ...serviu de inspiração para muitos países na construção de
tória de “estória”... suas leis.
O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o do b) ...que tanto os consumidores quanto as empresas estão mais
grifado acima está na frase: conscientes e seletivos...
a) ... tudo é verdade mesmo. c) ...que a sociedade brasileira conta com mecanismos jurídi-
b) Acredito em tudo. cos adequados...
c) Ai do autor que não der essa impressão de verdade! d) ...para aprimorar seu canal de comunicação com a clientela.
d) ... se eu nunca pronunciei a palavra desse modo? e) ...pois ele é fonte de sustentabilidade para a sobrevivência
e) Não sou tão analfabeto assim. de qualquer fornecedor.

02. (Fundação Carlos Chagas) ... que vivem em áreas urbanas ... 07. (Fundação Carlos Chagas) ... que prevalece no conheci-
O mesmo tipo de regência que caracteriza o verbo grifado aci- mento do torcedor comum sobre os dados históricos.
ma está na oração: A frase cujo verbo exige o mesmo tipo de complemento que
a) ... ultrapassará o de moradores do campo. o grifado acima é:
b) ... todo o crescimento populacional do planeta ocorrerá nas a) ... que homogeneíza todos os indivíduos.
cidades ... b) ... o sentimento tribal é muito forte ...
c) ... porque elas atraem diferentes tipos de moradores ... c) ... acompanha o indivíduo por toda vida ...
d) ... e dependem de normas comuns de comportamento. d) ... que (...) participam no rito das danças guerreiras.
e) ... a criar os filhos sob um controle extenuante. e) ... e estão espalhados por vários locais.

03. (Fundação Carlos Chagas) Pensam em novas formas de 08. (Fundação Carlos Chagas) A busca por explicações para
suprimento de energia ... os diversos matizes da personalidade...
O verbo que exige o mesmo tipo de complemento que o grifa- A mesma regência assinalada acima não está caracterizada na
do acima está na frase: expressão:

Didatismo e Conhecimento 60
LÍNGUA PORTUGUESA
a) a influência dos hábitos e do estilo de vida. 05. Resposta D. As formas verbais sustentou e tiveram são
b) na formação da personalidade. transitivas diretas.
c) produto apenas do ambiente.
d) uma reação à série de barbaridades. Demais alternativas: a) conviveram - verbo transitivo indire-
e) em vários países da Europa. to; b) é - verbo de ligação; c) cresce - verbo intransitivo; e) ficam
- verbo de ligação.
09. (Fundação Carlos Chagas) Órgãos públicos, entidades
não-governamentais e até mesmo internautas engajados aderiram 06. Resposta D. as formas verbais atingiu e aprimorar são
à novidade ... transitivas diretas.
A frase cujo verbo exige o mesmo tipo de complemento que
o do grifado acima é: Demais alternativas: a) serviu - verbo transitivo indireto; b)
a) ... e, cada vez mais, interagem com as chamadas redes so- estão - verbo de ligação; c) conta - verbo transitivo indireto; e)
ciais. é - verbo de ligação.
b) Alguns movimentos ecológicos nasceram em redes...
c) Seu sucesso impulsiona o debate sobre o uso de redes so- 07. Resposta D. As formas verbais prevalece e participam
ciais na internet ... são intransitivas, não precisam de complemento. “No conheci-
d) ... intensificando contato direto com eles. mento do torcedor” e “no rito das danças guerreiras” são adjuntos
e) ... que o governo havia fraudado as votações. adverbiais de lugar.

10. (Fundação Carlos Chagas) Está correto o emprego do ele- Demais alternativas: a) homogeneíza - verbo transitivo dire-
mento sublinhado na frase: to; b) é - verbo de ligação; c) acompanha - verbo transitivo direto
a) As propostas políticas, de cuja falta sentiu Mário Capanna, e indireto; e) estão - verbo de ligação.
eram, na verdade, inúmeras e contrastantes.
b) As posições dos jovens manifestantes, das quais o autor se 08. Resposta E. O substantivo “países” não pede comple-
congratulou, eram as mais díspares possíveis. mento. A expressão “da Europa” é adjunto adverbial.
c) As ruas de Gênova, aonde se fixaram grupos de manifestan-
tes, ganharam uma nova animação. Demais alternativas: todos os substantivos pedem a preposi-
d) Os restos de esperanças socialistas, por cujas o autor já de- ção “de”.
monstrara simpatia, misturam-se a outras convicções.
09. Resposta A. As formas verbais aderiram e interagem são
e) Os impulsos missionários, de que o autor não se mostra
transitivas indiretas.
carente, poderiam levá-lo a combater a fome do mundo.
Demais alternativas: b) nasceram - verbo intransitivo; c) im-
RESPOSTAS
pulsiona - verbo transitivo direto; d) intensificando - verbo tran-
sitivo direto; havia - verbo transitivo direto.
01. Resposta B. As formas verbais aderi e acredito são tran-
sitivas indiretas.
10. Resposta E. De que - mostrar-se carente de algo.
Demais alternativas: a) é - verbo de ligação; c) der - verbo Demais alternativas: a) cuja falta (a forma verbal sentiu é
transitivo direto; d) pronunciei - verbo transitivo direto; e) sou - transitiva direta, sem preposição; b) com as quais (congratular-se
verbo de ligação. com alguma coisa); c) onde ou em que (ideia de lugar); d) por que
ou pelas quais (mostrar simpatia por algo).
02. Resposta B. As formas verbais vivem e ocorrerá são in-
transitivas, “em áreas urbanas” e “nas cidades” são adjuntos ad- CRASE
verbiais.
É a palavra de origem grega, que significa fusão, junção. É o
Demais alternativas: a) ultrapassará - verbo transitivo direto; encontro de duas vogais idênticas, uma sendo preposição e a outra
c) atraem - verbo transitivo direto; d) dependem - verbo transiti- podendo ser um artigo, um pronome demonstrativo ou um prono-
vo indireto; e) criar - verbo transitivo direto. me relativo. Assinala-se a crase com o acento grave ( ` ).
03. Resposta A. As formas verbais pensam e convivemos são
transitivas indiretas. Exemplos:
Fui a (preposição) + a (artigo) praça. Fui à praça.
Demais alternativas: transitivas diretas. Falei a (preposição) + aquele (pronome) professor. Falei
àquele professor.
04. Resposta E. As formas verbais resultam e ajustar são
transitivas indiretas. Emprega-se o acento grave nos seguintes casos:

Demais alternativas: produzir - a) verbo transitivo direto; b) a) Quando for possível substituir o substantivo feminino por
diminuíram - verbo intransitivo; c) aumento - completa o sentido um masculino e resultar ao. Exemplo: Referi-me à professora de
de um nome; d) têm - verbo transitivo direto. Espanhol. Referi-me ao professor de Espanhol.

Didatismo e Conhecimento 61
LÍNGUA PORTUGUESA
Observação: a troca da palavra feminina por masculina deve b) Diante da preposição até. Exemplo: Fui até a (à) praia no
obedecer à mesma classe gramatical. último final de semana.

b) Na indicação de horas determinadas. Exemplo: Saiu da es- c) Diante de pronomes possessivos femininos. Exemplo:
cola às 19 horas. Obedeço a (à) minha mãe.

Observação: Não haverá acento grave se o horário for inde- Casos especiais
terminado. Exemplo: Gustavo saiu da escola a uma hora qualquer.
a) Nomes de lugar: Dica: se vou a e volto da, crase há, se vou
a e volto de, crase pra quê? Vou à França (vou a, volto da); Vou a
c) Diante da palavra moda (à moda de), mesmo que subenten- Buenos Aires (vou a, volto de)
dida. Gostava de escrever versos à Castro Alves (subentende-se a
expressão “à moda de”). Observação:

d) Diante de expressões femininas: à moda de, à esquerda, à Se o nome do lugar vier determinado por algum adjunto ad-
direita, à noite, à proporção que, à frente de etc. Exemplos: Vire nominal, ocorrerá a crase. Exemplo: Vou à Portugal dos eternos
à direita no próximo farol; À proporção que estudávamos sintaxe, fados.
mais compreendíamos a gramática.
b) Diante da palavra casa: No sentido de lar, residência pró-
Não se emprega o acento grave nos seguintes casos: pria, se não vier determinada não aceita o artigo, não havendo o
acento grave. Exemplo: Retornei a casa muito cedo.
a) Antes de masculino. Exemplo: Caminhava a pé ao traba- Observação: Caso venha determinada por um adjunto adno-
lho. minal, aceita artigo e haverá acento grave. Exemplo: Voltei à casa
dos meus irmãos.
Observação: Quando estiver implícita a expressão à moda de
(veja item C dos casos em que há acento grave) ou quando estiver
c) Diante da palavra terra: No sentido de chão firme, toma-
implícita palavra feminina, haverá acento. Exemplo; Dirigi-me à
da em oposição a mar ou ar, se não vier determinada, não aceita
Globo (Rede ou Editora).
o artigo e não ocorre acento grave. Exemplo: Os marinheiros já
chegaram a terra.
b) Antes de verbo. Exemplo: Estava disposta a falar toda a
verdade.
Observação: Se o vocábulo vier determinado, admite artigo
e haverá acento grave. Exemplo: Já cheguei à terra dos meus an-
c) Antes de pronomes em geral. Exemplos: Dirijo-me a Vos-
sa Excelência; Disse a ela que iria embora. tepassados.

Observações: d) Diante da palavra distância - Não há consenso entre os


gramáticos. Uns afirmam que só deveria levar o acento indicativo
I. Existem três pronomes de tratamento que aceitam o artigo, de crase, se vier determinada; outros, admitem-no em qualquer cir-
logo levarão acento grave: dona, senhora e senhorita. Exemplo: cunstância. Exemplo: Um relógio, a (à) distância, bateu dez horas;
Refiro-me à senhora. Ela estuda à distância de cem metros do colégio.
II. Haverá acento grave diante de pronomes que admitam arti-
go, como mesma, própria. Exemplo: Referi-me à mesma mulher. e) Embora não ocorra acento grave diante de locução adver-
III. Haverá acento grave diante de pronomes demonstrativos, bial de instrumento, o acento é admitido pela maioria dos gramá-
quando o termo antecedente admitir preposição. Exemplo: Fui ticos, para evitar ambiguidade. Ex.: Joana escreve a (à) máquina;
àquele supermercado famoso. (O verbo ir pede a preposição “a”) Fabiana pinta a (à) mão.

d) Com expressões formadas por palavras repetidas: cara Há X a


a cara, face a face, lado a lado. Exemplo: O brasileiro venceu a
Maratona de ponta a ponta. A - preposição indica tempo futuro. Não haverá acento grave.
Exemplo: A aula começará daqui a pouco.
e) Quando o “a” está no singular e a palavra seguinte, no
plural. Ex.: Nunca vou a festas. Há - verbo haver, indica uma ação passada: Há pouco recebi
a notícia do aumento da gasolina.
f) Diante de artigo indefinido. Exemplo: Não chegamos a
uma conclusão definitiva sobre o caso. EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

Uso facultativo do acento grave 1. Coloque o acento grave, indicativo de crase onde for ne-
cessário.
a) Antes de nomes próprios de pessoas femininos. Exem- a) Aspira as primeiras colocações no concurso, pois sempre
plo: Referi-me sempre a (à) Adriana. atendera as palavras dos professores para estudar com afinco.

Didatismo e Conhecimento 62
LÍNGUA PORTUGUESA
b) Júlia foi a padaria, a manicura, a modista e voltou a repar- TESTES DE CONCURSOS COMENTADOS
tição antes de viajar. Por pouco não chegava a estação a tempo de
tomar o trem que a levaria a Recife. De Recife viajará a Portugal, a 01. (Fundação Carlos Chagas) Está correto o emprego ou a
Espanha, a França, a Inglaterra, a Holanda e a Israel. É a primeira ausência do sinal de crase na frase:
vez que visitará a Europa. No próximo ano pretender ir a África. a) Consumidores menos abastados, com menor poder de ne-
c) A noite assistimos a peça teatral e a seguir fomos a estação gociação, submetem-se as exigências dos credores a fim de obte-
rodoviária, onde ficamos a espera de nossos tios que iam retornar rem crédito.
de viagem. b) Lado a lado com as conquistas econômicas, os estratos so-
d) O fazendeiro doou a terra a todos os seus empregados. ciais mais baixos ascenderam a uma classe social superior.
e) Daqui a cinco dias ela voltará a terra natal. c) Os produtos destinados à classes sociais de maior poder
aquisitivo estão a disposição da classe C, por conta do crédito fácil.
2. Complete adequadamente as lacunas com a(s), à(s) ou há: d) O poder público busca atender, à todo momento, com me-
a) “Deixei-me ficar pelas ruas até ....... quatro horas da tarde, didas pertinentes, as necessidades das classes mais desfavorecidas.
quando me dirigi ....... sua casa, saudoso dele, ....... quem não via e) A mídia estampa de maneira persuasiva e à qualquer hora
....... mais de vinte dias.” produtos destinados à uma classe emergente cada vez maior.
b) Maria pediu ....... psicóloga que ....... ajudasse ....... resolver
o problema que ....... muito ....... afligia. 02. (Fundação Carlos Chagas) Pela internet, um grupo de jo-
c) Daqui ....... vinte quilômetros, o viajante encontrará, logo vens universitários buscou a melhor formar de ajudar ...... vítimas
....... entrada do grande bosque, uma estátua que ....... séculos foi de enchentes em Santa Catarina, e um deles foi ...... Itapema, dis-
erigida em homenagem ....... deusa da floresta. posto ...... colaborar na reconstrução da cidade.
d) Os rapazes, ..... partir daquele dia, só usaram o carro ..... As lacunas da frase acima estarão corretamente preenchidas,
gás, por economia; ..... tempos pensavam em ir ..... Brasília e ..... respectivamente, por:
Bahia, mas o preço do combustível impedia que pensassem em ir a) as - a - a
..... lugares tão distantes. b) às - à - a
c) as - à - à
GABARITOS d) às - a - à
e) as - a - à
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
03. (Fundação Carlos Chagas) A frase inteiramente correta
quanto ao emprego ou ausência do sinal de crase é:
1.
a) O ensino permanente deve oferecer às pessoas os meios
a) Aspira às primeiras colocações no concurso, pois sempre
de superar obstáculos, para atingir os objetivos a que se propõem.
atendera às palavras dos professores para estudar com afinco.
b) Apesar da obrigatoriedade de crianças entre 7 e 14 anos
b) Júlia foi à padaria, à manicura, à modista e voltou à repar-
irem a escola, boa parte delas é incapaz de escrever um bilhete à
tição antes de viajar. Por pouco não chegava à estação a tempo de
um amigo.
tomar o trem que a levaria a Recife. De Recife viajará a Portugal, c) Atender a todas as crianças, tornando-as capacitadas à uma
à Espanha, à França, à Inglaterra, à Holanda e a Israel. É a primei- vida digna e confortável, deve ser o objetivo maior de uma escola.
ra vez que visitará a Europa. No próximo ano pretender ir à África. d) Uma educação de qualidade oferece à qualquer pessoa as
c) À noite assistimos à peça teatral e a seguir fomos à estação condições essenciais à entrada ou à permanência no mercado de
rodoviária, onde ficamos à espera de nossos tios que iam retornar trabalho.
de viagem. e) A medida que se avança na melhoria do sistema de ensino,
d) O fazendeiro doou a terra a todos os seus empregados. é possível oferecer boas condições de trabalho à muitas pessoas.
e) Daqui a cinco dias ela voltará à terra natal.
04. (Fundação Carlos Chagas) Lado ...... lado das restrições
2. legais, são importantes os estímulos ...... medidas educativas, que
a) “Deixei-me ficar pelas ruas até as(às) quatro horas da tarde, permitam avanços em direção ...... um desenvolvimento sustentá-
quando me dirigi a(à) sua casa, saudoso dele, a quem não via há vel do setor da saúde.
mais de vinte dias.” As lacunas da frase acima estarão corretamente preenchidas,
b) Maria pediu à psicóloga que a ajudasse a resolver o proble- respectivamente, por
ma que há muito a afligia. a) à - a - à
c) Daqui a vinte quilômetros, o viajante encontrará, logo à b) à - a - a
entrada do grande bosque, uma estátua que há séculos foi erigida c) a - a - a
em homenagem à deusa da floresta. d) a - à - a
d) Os rapazes, a partir daquele dia, só usaram o carro a gás, e) a - à - à
por economia; há tempos pensavam em ir a Brasília e à Bahia, mas
o preço do combustível impedia que pensassem em ir a lugares tão 05. (Fundação Carlos Chagas) Muitos consumidores não se
distantes. mostram atentos ........... necessidade de sustentabilidade do ecos-
sistema e não chegam ........... boicotar empresas poluentes; outros
se queixam de falta de tempo para se dedicarem ........... alguma
causa que defenda o meio ambiente.

Didatismo e Conhecimento 63
LÍNGUA PORTUGUESA
As lacunas da frase acima estarão corretamente preenchidas, 10. (Banco do Brasil - Escriturário - 2011 - FCC) Quando
respectivamente, por comparado ...... outras aves, os tucanos parecem ser bem maiores
a) à - a - a ...... quem os observa, ...... voar na natureza. Os espaços pontilha-
b) à - a - à dos da frase acima estarão corretamente preenchidos, na ordem,
c) à - à - a por:
d) a - a - à a) às - a - a
e) a - à - à b) às - à - a
c) as - a - a
06. (Fundação Carlos Chagas) A alimentação diária, ...... base d) às - a - à
de feijão com arroz, fornece ...... população brasileira os nutrientes e) as - à - à
necessários ...... uma boa saúde.
RESPOSTAS
As lacunas da frase estarão corretamente preenchidas, respec-
tivamente, por:
01. Resposta B. Lado a lado - não há acento grave diante de
a) a - à - à palavras repetidas; as conquistas - apenas artigo feminino, ascen-
b) à - a - a deram a uma - diante de artigo indefinido não há acento grave.
c) à - à - a
d) a - a - à Demais alternativas: a) submetem-se às exigências - a forma
e) à - à - à verbal “submetem-se” pede a preposição “a”, o substantivo “exi-
gências” admite artigo feminino “as”; c) a classes sociais - não há
07. (Fundação Carlos Chagas) A transição rumo ...... econo- acento grave quando o “a” estiver no singular, e a palavra seguinte
mia sustentável deve considerar uma produção limitada ...... ne- no plural, à disposição da - locução prepositiva feminina; d) a
cessidade de reposição dos itens, e o fabricante prestaria serviços todo momento - não há acento grave diante de nome masculino;
vinculados ...... bens alugados, como manutenção, recolhimento e e) qualquer hora - diante de pronome indefinido não há acento
reciclagem. grave; a uma classe - diante de artigo indefinido há somente pre-
As lacunas da frase acima estarão corretamente preenchidas, posição.
respectivamente, por:
a) à - à - a 02. Resposta A. Ajudar as vítimas - a forma verbal “ajudar”
b) à - à - à é transitiva direta, sem preposição, o “as” é apenas artigo; foi a
c) à - a - a Ipatema - a forma verbal “foi” pede a preposição “a”, a cidade de
Ipatema não admite artigo “a” (vou a Ipatema, volto de Ipatema);
d) a - à - à
disposto a colaborar - diante de verbos não há acento grave.
e) a - a - a
03. Resposta A. Oferecer às pessoas - a forma verbal “ofere-
08. (Fundação Carlos Chagas) A erupção de um vulcão pro- cer” é transitiva direta e indireta, pedindo a preposição “a” na for-
vocou perdas ........... economia europeia bem superiores ........... ma indireta, o substantivo “pessoas” admite artigo feminino “as”;
trazidas pelos atentados terroristas de 2001, fato que obrigou a objetivos a que se destinam - apenas preposição.
ONU ........... criar um plano internacional de redução dos riscos
de acidentes. Demais alternativas: b) irem à escola - a forma verbal “irem”
As lacunas da frase acima estarão corretamente preenchidas, é transitiva indireta e pede a preposição “a”, o substantivo “escola”
respectivamente, por: admite artigo feminino “a”, a um amigo - não há acento grave
a) a - aquelas - a diante de palavras masculinas; c) a todas - diante de pronomes
b) a - àquelas - à indefinidos não há acento grave, as crianças - apenas artigo, a
c) à - aquelas - a uma vida - não há acento grave diante de artigo indefinido; d) a
d) à - aquelas - à qualquer pessoa - diante de pronome indefinido não há acento
e) à - àquelas - a grave, as condições - apenas artigo; e) À medida que - locução
conjuntiva feminina, a muitas pessoas - diante de pronome inde-
09. (Fundação Carlos Chagas) Exportadores brasileiros lan- finido há somente preposição.
çaram-se ......... conquista de vários mercados internacionais, após
04. Resposta B. Lado a lado - diante de palavras repetidas há
......... modernização do setor agropecuário, que passou a oferecer
somente preposição; estímulos a medidas - não há acento grave
......... esses mercados produtos de qualidade reconhecida.
quando o “a” estiver no singular, e a palavra seguinte no plural;
As lacunas da frase acima estarão corretamente preenchidas, direção a um desenvolvimento - não há acento grave diante de
respectivamente, por palavra masculina.
a) à - a - a
b) à - a - à 05. Resposta A. Mostram atentos à necessidade - o adjetivo
c) a - a - à “atentos” pede a preposição “a”, o substantivo “necessidade” ad-
d) a - à - à mite artigo feminino “a”; chegam a boicotar - diante de verbos
e) à - à - a não há acento grave; dedicarem a alguma - diante de pronome in-
definido não há acento grave.

Didatismo e Conhecimento 64
LÍNGUA PORTUGUESA
06. Resposta C. À base de feijão com arroz - locução prepo- — É verdade — disse o Ponto. — Uma pontuação errada
sitiva feminina; fornece à população - a forma verbal “fornece” é muda tudo.
transitiva direta e indireta e pede a preposição “a” na forma indire- — Se eu aparecer depois da frase “a guerra começou” — disse
ta, o substantivo “população” admite artigo feminino “a”, a uma o Ponto de Interrogação — é apenas uma pergunta, certo?
boa saúde - diante de artigo indefinido não há acento grave. — Mas se eu aparecer no seu lugar — disse o Ponto de Excla-
mação — é uma certeza: “A guerra começou!”
07. Resposta A. Rumo à economia - o substantivo “rumo” — Olha nós aí de novo — disseram as Aspas.
pede a preposição “a”, o substantivo “economia” admite artigo — Pois eu estou presente desde o comecinho — disse o Tra-
feminino “a”; limitada à necessidade - o substantivo “limitada” vessão.
pede a preposição “a”, o substantivo “necessidade” admite artigo — Tem hora em que, para evitar conflitos, não basta um Pon-
feminino “a”; vinculados a bens - não há acento grave quando o to, nem uma Vírgula, é preciso os dois — disse o Ponto e Vírgula.
“a” estiver no singular, e a palavra seguinte no plural. — E aí entro eu.

08. Resposta E. Provocou perdas à economia europeia - a


forma verbal “provocou” é transitiva direta e indireta e pede a pre- — O melhor mesmo é nos chamarem para trazer paz — disse
posição “a” na forma indireta, o substantivo “economia” admite a Vírgula.
artigo feminino “a”; superiores àquelas trazidas - o adjetivo “su- — Então, que nos usem direito! — disse o Ponto Final. E pôs
periores” pede a preposição “a”, o pronome demonstrativo “aque- fim à discussão.
las” inicia-se por “a” - a + aquelas = àquelas; a criar um plano João Anzanello Carrascoza
- diante de verbos não há acento grave.
Pode-se dizer que os sinais de pontuação representam pau-
09. Resposta A. Lançaram-se à conquista - a forma verbal sas na fala (ponto, vírgula, ponto-e-vírgula), entoações (ponto de
pronominal “lançaram-se” pede a preposição “a”, o substantivo exclamação e ponto de interrogação), além de reproduzirem, na
“conquista” admite artigo feminino “a”; após a modernização - escrita, emoções, anseios, intenções etc.
apenas artigo; oferecer a esses - não há acento grave diante de
nomes masculinos. EMPREGOS
10. Resposta A. comparado às outras - o adjetivo “compara- VÍRGULA ( , )
do” pede a preposição “a”, o pronome “outras” admite artigo femi-
nino “a”; a quem os observa - diante de pronomes indefinidos não a) separar termos que possuem mesma função sintática na ora-
há acento grave; a voar - diante de verbos há apenas preposição. ção: Minha namorada é bonita, sincera, meiga e inteligente. (sepa-
ra predicativos do sujeito).
EMPREGO DE SINAIS DE PONTUAÇÃO
b) isolar o vocativo. Exemplo: Não falem tão alto, minhas fi-
Pontos de Vista
lhas.
Observação: o vocativo pode figurar no início da frase, no
Os sinais de pontuação estavam quietos dentro do livro de
meio ou no fim Exemplos: Minhas filhas, não falem tão alto; Não
Português quando estourou a discussão.
falem, minhas filhas, tão alto.
— Esta história já começou com um erro — disse a Vírgula.
— Ora, por quê? — perguntou o Ponto de Interrogação.
— Deveriam me colocar antes da palavra “quando” — res- c) isolar o aposto. Exemplo: Tiradentes, mártir da independên-
pondeu a Vírgula. cia do Brasil, morreu enforcado.
— Concordo! — disse o Ponto de Exclamação. — O certo
seria: d) isolar termos antecipados, como complementos ou adjun-
“Os sinais de pontuação estavam quietos dentro do livro de tos. Exemplo: Desanimada, a equipe do Botafogo entrou em cam-
Português, quando estourou a discussão”. po sem chances de se manter na primeira divisão.
— Viram como eu sou importante? — disse a Vírgula.
— E eu também — comentou o Travessão. — Eu logo apareci e) separar expressões explicativas ou corretivas (isto é, ou
para o leitor saber que você estava falando. melhor, ou seja, aliás, por exemplo, a saber etc.) Exemplo: O se-
— E nós? — protestaram as Aspas. — Somos tão importantes gundo turno das eleições presidenciais ocorrerá em novembro, isto
quanto vocês. Tanto que, para chamar a atenção, já nos puseram é, em outubro.
duas vezes neste diálogo.
— O mesmo digo eu — comentou o Dois Pontos. — Apareço f) separar os nomes dos locais de datas. Exemplo: Recife, 19
sempre antes das Aspas e do Travessão. de fevereiro de 2014.
— Estamos todos a serviço da boa escrita! — disse o Ponto de
Exclamação. — Nossa missão é dar clareza aos textos. Se não nos g) marcar a omissão de um verbo. Exemplo: Luísa gosta de
colocarem corretamente, vira uma confusão como agora! cinema; Laura, de teatro.
— Às vezes podemos alterar todo o sentido de uma frase —
disseram as Reticências. — Ou dar margem para outras interpre- h) Separar o complemento pleonástico. Exemplo: Este filme,
tações... já o vi o ano passado.

Didatismo e Conhecimento 65
LÍNGUA PORTUGUESA
i) Diante da conjunção “e” será empregada nos seguintes b) Usado em abreviaturas. Exemplos: Sr.; Ltda.; obs.; etc.
casos:
PONTO DE INTERROGAÇÃO ( ? )
I. quando os sujeitos das orações coordenadas forem diferen-
tes. Exemplo: Temperatura bate recorde, e Sabesp planeja raciona- a) Formular perguntas diretas. Exemplo: Você assistiu ao de-
mento de água. bate ontem à noite?

II. ocorrer polissíndeto: Mariana falava, e ria, e dançava; b) Indicar indignação, expectativa ou surpresa diante de certa
situação. Exemplos: O quê? Não acredito que aquele deputado foi
III. houver ideia de adversidade: Queria estar atento à pales- reeleito. Será que eu mereço ganhar tanto dinheiro?
tra, e (equivale a mas, porém) a sono logo chegou.
Observações:
j) Separar orações:
I. Nas interrogações indiretas, não há ponto de interrogação.
a) coordenadas assindéticas. Exemplo: Matias abriu a porta, Exemplo: Ela perguntou ao marido se não era melhor irem embora
entrou no quarto, foi dormir.
da festa.
II. Nas perguntas que indiquem surpresa ou admiração, costu-
b) coordenadas sindéticas (exceto as ativas introduzidas por e
ma-se empregar também o ponto de exclamação ao lado do ponto
ou nem). Exemplo: Venha logo, pois já estamos atrasados.
de interrogação. Exemplo: Você já viu tanta felicidade, Alice?!
c) subordinadas. Exemplo: Se chover, não irei à festa de ani-
versário. PONTO DE EXCLAMAÇÃO ( ! )

d) subordinadas adjetivas explicativas; Exemplo: Os estudan- a) Depois de frases que expressem sentimentos, como: entu-
tes, que estudam com afinco, são aprovados nos concursos. siasmo, espanto, horror, ordem, súplica, surpresa etc. Exemplos:
Por favor, não me deixe aqui no cemitério sozinho! (medo, hor-
Observações: ror). Iremos ao Nordeste nestas férias! (alegria, entusiasmo). Fui
aprovado(a) no concurso! (alegria, surpresa). Troque-se mais rápi-
Não se usa a vírgula nos seguintes casos: do, que estamos atrasados! (ordem).
I. entre o sujeito e o predicado. Exemplo: Todos os processos
foram analisados. b) Em interjeições. Exemplos: Salve-se quem puder! Oxalá!
II. entre o verbo e seus complementos. Exemplo: O juiz avi-
sou o resultado do processo ao réu. c) Em vocativo. Exemplo: Façam silêncio, crianças!
III. entre o nome e seus complementos. Exemplo: A reação do
governo contra o dossiê despertou a ira dos demais partidos. DOIS-PONTOS ( : )

PONTO-E-VÍRGULA ( ; ) a) Fazer alguma citação ou introduzir uma fala. Exemplo:


Marina, enfim respondeu: não consegui concluir o exercício de
a) Separar itens enumerados. Exemplo: O conteúdo de gra- geometria.
mática no concurso será: Acentuação; Ortografia; flexão nominal
e verbal; Morfologia; Sintaxe; Semântica e Compreensão e inter- b) indicar uma enumeração. Exemplo: Quero que vá ao super-
pretação de textos. mercado e compre: batatas, cebolas, tomates, frutas, pão integral,
leite e ovos.
b) Separar um período que já se encontra dividido por vírgu-
las. Exemplo: “Às vezes, também a gente tem o consolo de saber
ASPAS DUPLAS ( “ “)
que alguma coisa que se disse por acaso ajudou alguém a se recon-
ciliar consigo mesmo ou com a sua vida; sonhar um pouco, a sentir
uma vontade de fazer coisa boa.” (Rubem Braga) a) Indicar citação de alguém. Exemplo: “Em terra de cego,
quem tem um olho tem mais responsabilidade.” (Hélio Ribeiro)
c) Separar orações coordenadas que encerram pensamentos
opostos. Exemplo: “Matamos o tempo; o tempo nos enterra”. (Ma- b) Indicar expressões estrangeiras, gírias, neologismos. Exem-
chado de Assis) plos: “caput”, olá, “mano”; “teodorar”.

d) Mostrar a omissão de um verbo marcada pela vírgula, ha- c) Indicar nomes de publicações (científicas, literárias, da mí-
vendo uma pausa antes do sujeito. Exemplo: Fabiana aprecia obras dia) ou de obras artísticas. O livro de Machado de Assis “Memó-
de arte; Fernando, as belas mulheres. rias Póstumas de Brás Cubas” inaugurou o Realismo no Brasil.

PONTO FINAL ( . ) Observação: Poder-se-ia substituir as aspas por itálico ou ne-


grito.
a) Indicar uma pausa total. Exemplo: É fim de jogo.

Didatismo e Conhecimento 66
LÍNGUA PORTUGUESA
ASPAS SIMPLES ( ‘ ‘) f) Solteiro foi um menino turbulento casado era um moço ale-
gre viúvo tornara-se um macambúzio.
Empregadas quando, dentro de um texto já destacado por as- g) Sou a soma do quadrado dos catetos mas pode me chamar
pas duplas, houver necessidade de novas aspas. Exemplo: O pro- de Hipotenusa. (Millor Fernandes)
fessor de Português avisou: “O aluno que responder ‘Não estudei’ h) Era uma vez uma agulha que disse a um novelo de linha
dificilmente será aprovado” . Por que está você com esse ar, toda cheia de si, toda enrolada,
para fingir que vale alguma cousa neste mundo?
RETICÊNCIAS ( ... ) i) Há mitos Timbira que narram como os índios aprenderam a
fazer determinados rituais com animais terrestres aquáticos e aé-
Indicar supressão de um texto, interrupção ou dar ideia de reos assim nos tempos míticos a situação seria o inverso da atual
continuidade ao que se estava falando. Exemplos: Eu gostei da os ritos existem no âmbito da natureza mas não no da sociedade.
prova de Português, mas da de Matemática....; j) A hospitalidade tem dois aspectos um geral que se refere
“Vinte e quatro horas não é muito para quem tem de amarrar- à convivência em sociedade e se confunde com o cerimonial e a
-se eternamente. Quero sondar meu próprio espírito, e... “ (Macha- etiqueta de cada povo o outro específico que estabelece relações
do de Assis) especiais entre anfitriões e convidados.
k) Sempre desejei sair e conhecer lugares exóticos e você só
PARÊNTESES ( ) pensa em assistir a novelas.
l) Todos os meus amigos da terceira série do primeiro grau do
a) Separar qualquer indicação de ordem explicativa ou algum Colégio Estadual de Primeiro e Segundo Graus Professor Temís-
comentário. Exemplo: A figura de linguagem denominada zeugma tocles dos Santos e Guerra participaram do jogo de futebol com
consiste na omissão de um termo (geralmente um verbo) que já ex-alunos.
apareceu na frase. m) A História torna o homem incrédulo a poesia indefeso a
matemática fria a filosofia soberbo a moral chato. (Millôr Fernan-
b) Isolar orações intercaladas em substituição a vírgulas ou des)
a travessões. Exemplo: Afirma-se (não é possível provar) que é
comum o recebimento de propina por parte dos políticos. 2. (ITA) Leia o texto seguinte:
Levantamento inédito com dados da Receita revela quantos
c) Delimitar o período de vida de uma pessoa ou de uma épo- são, quanto ganham e no que trabalham OS RICOS BRASILEI-
ca. Exemplo: Machado de Assis (1839 – 1908). ROS QUE PAGAM IMPOSTOS. (...)
Entre os nove que ganham mais de 10 milhões por ano, há
TRAVESSÃO ( – ) cinco empresários, dois empregados do setor privado, um que
vive de rendas. O outro, QUEM DIRIA, é servidor público. (Veja,
a) Iniciar a fala de um personagem. José respondeu com sin- 12/7/2000.)
ceridade:
– Não gosto mais de você. a) A ausência de vírgula no trecho em destaque, no primeiro
parágrafo, afeta o sentido? Justifique.
b) Separar orações intercaladas. Exemplo: Precisamos acredi-
tar sempre – disse o candidato confiante – vamos mudar o Brasil. .........................................................................................................

.........................................................................................................
Observação: Os travessões podem ser substituídos por vírgu-
las ou por parênteses. .........................................................................................................

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO .........................................................................................................

1. Pontuar adequadamente as frases abaixo. .........................................................................................................


a) Foi ao fundo da farmácia abriu um vidro fez um pequeno
embrulho e entregou ao homem.
b) Aos poucos a necessidade de mão de obra foi aumentando b) Por que o emprego da vírgula é obrigatório no trecho em
tornando-se necessária a abertura dos portos para uma outra popu- destaque, no segundo parágrafo? O que esse trecho permite infe-
lação de trabalhadores os imigrantes. rir?
c) Enquanto eu fazia comigo mesmo aquela reflexão entrou na .........................................................................................................
loja um sujeito baixo sem chapéu trazendo pela mão uma criança
de quatro anos. .........................................................................................................
d) Os termos essenciais e integrantes da oração ligam-se uns
com os outros sem pausa; não podem assim ser separados por vír- .........................................................................................................
gula.
.........................................................................................................
e) Como amanhã será o nosso grande dia duas coisas serão
importantes uma é a tranquilidade a outra é a observação minucio- .........................................................................................................
sa do que esta sendo solicitado.

Didatismo e Conhecimento 67
LÍNGUA PORTUGUESA
GABARITOS Considere as afirmativas a respeito da presença do travessão
no período acima:
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO I. O travessão isola um segmento opinativo.
II. A observação introduzida pelo travessão associa-se direta-
1. mente à expressão na esteira da Revolução Industrial.
a) Foi ao fundo da farmácia, abriu um vidro, fez um pequeno III. Estaria correta a substituição do travessão por uma vírgu-
embrulho e entregou ao homem la, sem prejuízo da estrutura sintática e do sentido original de todo
b) Aos poucos, a necessidade de mão de obra foi aumentando, o período.
tornando-se necessária a abertura dos portos para uma outra popu-
lação de trabalhadores: os imigrantes. Está correto o que se afirma somente em
c) Enquanto eu fazia comigo mesmo aquela reflexão, entrou a) II
na loja um sujeito baixo, sem chapéu, trazendo pela mão uma b) III
criança de quatro anos. c) I e II
d) Os termos essenciais e integrantes da oração ligam-se uns d) I e III
com os outros sem pausa; não podem, assim, ser separados por e) II e III
vírgula.
e) Como amanhã será o nosso grande dia, duas coisas serão 02. (Fundação Carlos Chagas) E ainda há o problema do lixo
importantes: uma é a tranquilidade; a outra é a observação minu- tecnológico (peças e pedaços de computadores, pilhas, baterias), já
ciosa do que esta sendo solicitado. tão grave que a própria ONU criou diretrizes mundiais que apon-
f) Solteiro, foi um menino turbulento; casado, era um moço tam caminhos para ampliar a vida dos componentes e promover a
alegre; viúvo, tornara-se um macambúzio. reciclagem. (peças e pedaços de computadores, pilhas, baterias)
g) “Sou a soma do quadrado dos catetos, mas pode me chamar Considere as observações a respeito do segmento do parágra-
de Hipotenusa”. (Millor Fernandes) fo transcrito acima:
h) Era uma vez uma agulha, que disse a um novelo de linha: I. Trata-se de um segmento enumerativo, intercalado no con-
- Por que está você com esse ar, toda cheia de si, toda enrola- texto.
da, para fingir que vale alguma cousa neste mundo? II. Os parênteses podem ser corretamente substituídos por tra-
i) Há mitos Timbira que narram como os índios aprenderam a
vessões, sem alteração do sentido original.
fazer determinados rituais com animais terrestres, aquáticos e aé-
III. A ausência do segmento colocado entre parênteses não al-
reos; assim, nos tempos míticos, a situação seria o inverso da atual:
teraria a sequência lógica nem a clareza do período.
os ritos existem no âmbito da natureza, mas não no da sociedade.
j) A hospitalidade tem dois aspectos: um geral, que se refere
Está correto o que se afirma em
à convivência em sociedade e se confunde com o cerimonial e a
a) III, somente.
etiqueta de cada povo; o outro, específico, que estabelece relações
b) I e II, somente.
especiais entre anfitriões e convidados.
c) II e III, somente.
k) Sempre desejei sair e conhecer lugares exóticos e você só
pensa em assistir a novelas. d) I e III, somente.
l) Todos os meus amigos da terceira série do primeiro grau do e) I, II e III.
Colégio Estadual de Primeiro e Segundo Graus Professor Temís-
tocles dos Santos e Guerra participaram do jogo de futebol com 03. (Fundação Carlos Chagas) A supressão da vírgula altera o
ex-alunos. sentido da seguinte frase:
m) “A História torna o homem incrédulo; a poesia, indefeso; a) Fica-se indignado com os feirantes, que não compreendem
a matemática, fria; a filosofia, soberbo; a moral, chato.” (Millor a carência dos mais pobres.
Fernandes) b) No texto, ocorre uma descrição o mais fiel possível da tra-
dicional coleta de um fim de feira.
2. c) A todo momento, dá-se o triste espetáculo de pobreza cen-
a) Sim, pois com a ausência de vírgula faz-se a seguinte lei- tralizado nessa narrativa.
tura: “são todos os ricos brasileiros e todos eles pagam impostos”. d) Certamente, o leitor não deixará de observar a preocupação
Com a presença da vírgula, tem-se que somente os ricos brasileiros do autor em distinguir os diferentes caracteres humanos.
pagam impostos”. e) Em qualquer lugar onde ocorra uma feira, ocorrerá também
b) No trecho “quem diria” é obrigatório o uso da vírgula, pois a humilde coleta de que trata a crônica.
funciona como uma intromissão do jornalista; uma expressão de
surpresa diante de fato inusitado. (Fundação Carlos Chagas) Para responder à questão de núme-
ro 04, considere o segmento abaixo.

TESTES DE CONCURSOS COMENTADOS Os países de renda baixa serão afetados, de acordo com o re-
latório, por uma combinação de desastres: redução dos volumes
01. (Fundação Carlos Chagas) Há um século, na esteira da Re- e dos preços de exportação, do dinheiro enviado pelos migrantes,
volução Industrial, a porcentagem tinha subido para 13% - ainda do turismo, do investimento estrangeiro e, talvez, da ajuda oficial.
uma minoria em um planeta essencialmente rural.

Didatismo e Conhecimento 68
LÍNGUA PORTUGUESA
04. Identifica-se, após os dois-pontos, 08. (Fundação Carlos Chagas) Provavelmente as novelas exi-
a) segmento repetitivo, desnecessário no contexto. bam casos de ascensão social pelo amor - genuíno ou fingido - em
b) insistência em fatos que justificam a renda baixa dos países proporção maior que a vida real...
citados. O emprego das reticências no final do segmento transcrito aci-
c) síntese referente ao assunto principal do texto. ma denota
d) longa sequência enumerativa de problemas decorrentes da a) nova referência, desnecessária, ao comentário de alguém
crise. alheio ao contexto.
e) introdução de fala de interlocutor alheio ao contexto. b) recurso adotado pelo autor, no sentido de estimular o inte-
resse do leitor.
05. (Fundação Carlos Chagas) Está inteiramente adequada a c) certeza da concordância de um eventual leitor com a opi-
pontuação da seguinte frase: nião ali exposta.
a) A LRF permite, entre outras coisas que, a oposição e a po- d) desejo de que a ficção possa se deter, realmente, em fatos
pulação, fiscalizem a administração das verbas públicas. que ocorrem na vida real.
b) Alegam alguns prefeitos, que encontram dificuldades, para e) hesitação, pela presença de um comentário de cunho subje-
fazer frente aos gastos que a Constituição determina, nas áreas da tivo, sem base em dados reais.
saúde e da educação.
c) São graves as penas previstas para quem descumpre, por 09. (Fundação Carlos Chagas) A única frase que está correta-
negligência ou má fé, as normas de responsabilidade fiscal da lei mente pontuada é: 
promulgada em 2000. a) Há poucas áreas da vida de uma pessoa, que não são direta
d) Fazem parte da LRF, as instruções que definem os limites e positivamente influenciadas pela sua educação.
para as despesas de pessoal, e as regras para a criação de dívidas. b) Na educação, o impacto da autoestima é incerto: conside-
e) Qualquer cidadão pode, graças à promulgação da LRF en- rados catorze estudos que analisam o assunto, só em metade se viu
trar com ação judicial para fazê-la cumprir, conforme sua regula- relação positiva entre autoestima e aprendizado.
mentação. c) As pesquisas também, vêm demonstrando que não há cor-
relação do QI de uma criança em idade pré-escolar, com seu de-
06. (Fundação Carlos Chagas) A frase corretamente pontuada sempenho futuro.
é: d) Dois terços da diferença entre o desempenho, em escolas
a) A indústria de assistência à saúde no Brasil, que envolve públicas e em escolas privadas, se devem não a fatores da escola
mais de 70 mil estabelecimentos, pode ter uma importante contri- mas, do alunado.
buição no campo da sustentabilidade ambiental. e) Não há que eu saiba, comprovação de que os métodos de
b) A indústria, de assistência à saúde no Brasil que envolve aceleração de desenvolvimento cognitivo para bebês tenham qual-
mais de 70 mil estabelecimentos, pode ter uma importante contri- quer impacto.
buição no campo da sustentabilidade ambiental.
10. (Fundação Carlos Chagas) Está inteiramente correta a
c) A indústria de assistência à saúde no Brasil que envolve,
pontuação do seguinte período:
mais de 70 mil estabelecimentos, pode ter uma importante contri-
a) Ainda que habitualmente escreva textos de humor, Luís
buição no campo, da sustentabilidade ambiental.
Fernando Veríssimo, como se depreende da leitura desta crônica,
d) A indústria de assistência, à saúde no Brasil que envolve
também tece comentários ácidos sobre temas mais graves, como o
mais de 70 mil estabelecimentos pode, ter uma importante contri-
da barbárie moderna.
buição no campo da sustentabilidade ambiental. b) Ainda que habitualmente, escreva textos de humor, Luís
e) A indústria de assistência à saúde no Brasil que envolve Fernando Veríssimo como se depreende da leitura desta crônica,
mais de 70 mil estabelecimentos pode ter, uma importante contri- também tece comentários ácidos sobre temas mais graves como o
buição, no campo da sustentabilidade ambiental. da barbárie moderna.
c) Ainda que, habitualmente, escreva textos de humor, Luís
07. (Fundação Carlos Chagas) O período corretamente pon- Fernando Veríssimo como se depreende da leitura desta crônica,
tuado é:  também tece comentários, ácidos, sobre temas mais graves como
a) A intenção, que vem desde a Cúpula do Desenvolvimento o da barbárie moderna.
Sustentável em Johannesburgo, é a de chegar-se a um acordo que d) Ainda que habitualmente, escreva textos de humor Luís
parece inalcançável com as divergências entre países. Fernando Veríssimo, como se depreende, da leitura desta crônica,
b) A intenção que vem desde a Cúpula do Desenvolvimento também tece comentários ácidos sobre temas mais graves: como o
Sustentável, em Johannesburgo é a de chegar-se, a um acordo que da barbárie moderna.
parece inalcançável com as divergências entre países. e) Ainda que habitualmente escreva textos de humor, Luís
c) A intenção que, vem desde a Cúpula do Desenvolvimento Fernando Veríssimo como se depreende da leitura desta crônica,
Sustentável em Johannesburgo é a de chegar-se, a um acordo que também tece, comentários ácidos, sobre temas mais graves como
parece inalcançável com as divergências entre países. o da barbárie moderna.
d) A intenção, que vem, desde a Cúpula do Desenvolvimento
Sustentável em Johannesburgo, é a de chegar-se a um acordo que RESPOSTAS
parece inalcançável com as divergências entre países.
e) A intenção que vem desde a Cúpula do Desenvolvimento 01. Resposta D. Analisando-se as afirmações: I. correta - sem
Sustentável, em Johannesburgo é a de chegar-se a um acordo, que ressalvas; b) II. incorreta - refere-se à porcentagem de 13%; III.
parece, inalcançável com as divergências entre países. correta - sem ressalvas.

Didatismo e Conhecimento 69
LÍNGUA PORTUGUESA
02. Analisando-se as afirmações: I. correta - trata-se de apos- 08. Resposta E. O advérbio “provavelmente” indica dúvida,
to explicativo (exemplifica os tipos de lixo tecnológico); II. cor- incerteza, hesitação, uma das características do uso das reticências,
reta - pode ser substituído por um par de travessões, vírgulas ou fazendo com que tenha um comentário subjetivo, como afirma a
parênteses); III. correta - o aposto explicativo pode ser retirado alternativa em análise.
sem prejuízo da sequência lógica e coerente do texto.
09. Resposta B. A primeira vírgula isola o adjunto adverbial
03. Resposta A. Se houver a omissão da vírgula, a oração “Na educação”, os dois-pontos introduzem uma explicação e a
transforma-se em subordinada adjetiva restritiva (fica-se indig- vírgula final, isola a oração subordinada adverbial concessiva
nado com todos os feirantes), mantendo-a, é uma oração subor- antecipada de sua oração principal.
dinada adjetiva explicativa (a indignação é apenas para com os
feirantes que não compreendem a carência dos mais pobres). Demais alternativas: a) deve-se omitir a vírgula, uma vez que
há uma oração subordinada adjetiva restritiva; c) deve-se excluir
Demais alternativas: as vírgulas são opcionais - isolam ad- a primeira vírgula, porque separa incorretamente o sujeito do pre-
juntos adverbiais, podendo ser suprimidas sem alterar o sentido dicado, a segunda vírgula também deve ser excluída pois separa
das frases. erroneamente o substantivo composto “pré-escolar” de seu com-
plemento nominal; d) deve-se mudar a posição da vírgula final:
04. Resposta D. Os dois-pontos foram empregados para sepa- deve aparecer antes da conjunção adversativa “mas”; e) deve-se
rar aposto enumerativo da expressão “combinação de desastres”. apor uma vírgula após a forma verbal “há”, para intercalar a ex-
pressão “que eu saiba”
05. Resposta C. O par de vírgulas isola o adjunto adverbial
intercalado “por negligência ou má fé”. 10. Resposta A. A primeira vírgula isola oração subordina-
da adverbial concessiva, anteposta à oração principal, as duas
Demais alternativas: a) Deve-se excluir a segunda vírgula vírgulas seguintes, intercalam oração subordinada adverbial
após a conjunção integrante “que” e colocá-la após o vocábulo conformativa, e a última, tem valor explicativo.
“coisas”, intercalando a expressão “entre outras coisas”, deve-se,
também, omitir a vírgula após o substantivo “população”, uma vez
que não se separa o sujeito do verbo “fiscalizem”; b) deve-se omi-
ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DE
tir a vírgula inicial, porque não se separa o sujeito do verbo por TEXTOS: COMPREENSÃO GLOBAL DO
sinais de pontuação, a segunda vírgula também deve ser excluída, TEXTO. ESTRUTURAÇÃO DO TEXTO:
uma vez que não se separa o verbo de seu complemento; por fim, RECURSOS DE COESÃO. PONTO DE
omita-se a vírgula final, por separar incorretamente o adjunto ad- VISTA DO AUTOR. INFORMAÇÕES
verbial no final da frase; d) deve-se eliminar a primeira vírgula, LITERAIS E INFERÊNCIAS POSSÍVEIS.
pois não se separa o predicado e o sujeito por sinais de pontuação;
e) deve-se apor uma vírgula após a sigla LRF, isolando o adjunto
adverbial “graças à promulgação da LRF”.

06. Resposta A. As duas vírgulas separam oração subordi- Na maioria das provas de Língua Portuguesa atuais, os testes
nada adjetiva explicativa. de compreensão e ou intelecção de textos podem corresponder a
mais de cinquenta por cento das questões. Veja, a seguir, as carac-
Demais alternativas: b) a primeira vírgula é indevida, uma vez terísticas desse tópico tão importante.
que separa o núcleo do sujeito do adjunto adnominal, para que a
segunda vírgula seja mantida é necessário apor uma vírgula após o Compreensão / intelecção de textos: Os testes exigem do
vocábulo “Brasil” para separar oração subordinada adjetiva expli- candidato uma postura voltada para o que realmente está escrito no
cativa; c) deve ser excluída a vírgula inicial, porque não se separa texto. Os comandos enunciam-se assim: O texto sugere...; O texto
o verbo transitivo direto (“envolve”) de seu objeto direto por sinais diz...; segundo o texto, é correto ou incorreto...; O narrador afir-
de pontuação, a segunda vírgula também deve ser omitida, pois ma que..., tendo em vista as ideias do texto..., em conformidade
está separando incorretamente o adjunto adnominal; d) a primeira com as ideias do texto...
vírgula deve ser excluída, uma vez que separa incorretamente o
complemento nominal “à saúde” do substantivo “assistência”, a Roteiro para compreensão e ou intelecção de textos
segunda vírgula também deve ser omitida, pois divide a locução
verbal “pode ter”; e) deve ser excluída a primeira vírgula, pois 1. Leia o texto pelo menos por duas vezes. Na primeira, para
separa o verbo transitivo direto de seu complemento, a segunda ter uma visão geral dele; na segunda, destacando suas ideias prin-
também deve ser omitida, porque separa adjunto adverbial no final cipais.
da frase.
2. Leia duas vezes cada alternativa para descartar as absurdas
07. Resposta A. O par de vírgulas isola oração subordinada e que nada têm a ver com o texto.
adjetiva explicativa.

Didatismo e Conhecimento 70
LÍNGUA PORTUGUESA
3. Observe o comando do enunciado da questão, se for de a) A fazenda é improdutiva. ( )
compreensão, entendimento ou intelecção, localize a resposta b) Os bois não pertencem ao dono da fazenda. ( )
no texto; se for de interpretação, interprete o que o autor quis c) A fazenda é arrendada. ( )
dizer, nunca o que você pensa sobre o texto.
3. A firma só enriqueceu quando passou a vender sistemas de
4. Atenção especial às palavras opção correta, opção incor- segurança.
reta, exceto, não, sempre, respectivamente, é obrigatório, é ne- a) A firma não era rica. ( )
cessário, deve, pode, inclusive. b) A firma sempre vendeu sistemas de segurança. ( )
c) A riqueza liga-se exclusivamente à venda de sistemas de
5. Tome cuidado com os vocábulos relatores - aqueles que segurança. ( )
remetem a outros vocábulos do texto: pronomes relativos, pro-
nomes pessoais, pronomes demonstrativos etc. 4. Por medida de segurança, o depoimento da testemunha-
-chave do processo contra o PM não pôde ser registrado por fotó-
6. Se duas alternativas parecerem corretas, busque a mais grafos ou cinegrafistas.
completa. a) O PM está sendo julgado. ( )
b) A testemunha-chave já depôs. ( )
c) Há outras testemunhas no processo. ( )
7. Se o enunciado solicitar a ideia principal ou tema, geral-
d) O depoimento da testemunha-chave não envolveu riscos. ( )
mente situa-se na introdução do texto (primeiro parágrafo) ou na
conclusão (último parágrafo).
5. “Eu sei que a poesia está para a prosa assim como o amor
está para a amizade e quem há de negar que esta lhe é superior”.
8. Evite os seguintes tipos de erros: a) extrapolação - acres- (Caetano Veloso)
centar ideias que não estão no texto); b) redução - dar atenção a a) A prosa está para o amor como a poesia está para a amizade.
alguns trechos do texto, não o analisando como um todo; c) con- ( )
tradição: concluir contrariamente ao texto; omitir passagens im- b) a poesia está para amizade como a prosa está para o amor ( )
portantes para fugir do sentido original. c) a amizade é superior ao amor ( )

9. Questões envolvendo sinônimos são muito frequentes em 6. A mulher foi passear na capital. Dias depois o marido rece-
concursos. A melhor maneira de ampliar o vocabulário é recorrer a beu um telegrama: “Envie cinquenta reais. Preciso comprar uma
um bom dicionário sempre que estiver diante de uma palavra que capa de chuva. Aqui está chovendo sem parar” E ele respondeu:
não conheça o significado; contudo, procure utilizá-la, sempre que “Regresse. Aqui chove mais barato”.
possível, para não esquecê-la. a) A preposição de tem valor semântico de finalidade. ( )
b) O advérbio aqui, em seus dois empregos, possui os mes-
O PONTO DE VISTA DO AUTOR mos referentes. ( )
c) A oração “Aqui está chovendo sem parar” poderia ligar-se
O narrador é quem fala ou a voz pela qual a história é contada. a anterior, sem alteração de sentido, pela conjunção “porquanto”.
Esse ponto de vista é classificado em primeira (Acordei com von- ( )
tade de estudar) ou terceira pessoas (Alfredo acordou com vontade
de estudar). O ponto de vista do autor refere-se ao contexto no qual 7.
a obra foi escrita.
Quem lia os romances românticos?
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
A prosa literária brasileira começa no Romantismo. Com o
gradual desenvolvimento de algumas cidades, sobretudo a do Rio
Os testes a seguir são curtos. Exigem, no entanto, leitura aten-
de Janeiro, a cidade da corte, formou-se um público leitor com-
ta para resolvê-los. A mesma atenção que eles requerem deverá
posto basicamente de jovens de classe rica, cujo ócio permitia a
ter em textos mais longos. Aceite o desafio e veja como está o seu
leitura de romances e folhetins. Esse público buscava na literatura
nível de atenção. apenas distração. Torcia por seus heróis, sofria com as heroínas e,
tão logo chegava ao final, fechava o livro e o esquecia, esperando
Leia com atenção os textos seguintes e responda V se a afir- o próximo, que lhe ofereceria praticamente as mesmas emoções. O
mação for verdadeira ou F se for falsa. público hoje substituiu os romances e folhetins pelas telenovelas,
mas ainda continua em busca de distração, passando o tempo a
1. Este ano, o uso do formulário simplificado de IR foi esten- torcer e a chorar por seus heróis. (Apresentação. In: ALMEIDA,
dido a todos os contribuintes que receberam somente rendimentos Manuel Antônio de. Memórias de um sargento de milícias. São
de salário no ano de 2013. Paulo, Moderna, 1993, p.7).
a) Nos anos anteriores, havia outras normas. ( ) a) O livro, para os jovens do Rio de Janeiro, revestia-se de
b) Há contribuintes que recebem outros rendimentos além do uma imagem perpétua que ficava gravada nas suas mentes. ( )
salário. ( ) b) A literatura era uma maneira de distração para o público do
Rio de Janeiro. ( )
2. A única atividade produtiva de expressão na fazenda é a c) Os leitores da atualidade ainda buscam as mesmas emoções
engorda de bois de arrendatários. dos leitores do Romantismo. ( )

Didatismo e Conhecimento 71
LÍNGUA PORTUGUESA
GABARITOS homem moral, é sempre o ato de um moralizador. Em geral, as
sociedades em que as normas morais ganham força de lei (os Es-
TESTES DE FIXAÇÃO tados confessionais, por exemplo) não são regradas por uma mo-
ral comum, nem pelas aspirações de poucos e escolhidos homens
1. exemplares, mas por moralizadores que tentam remir suas próprias
a) V falhas morais pela brutalidade do controle que eles exercem sobre
b) V os outros. A pior barbárie do mundo é isto: um mundo em que
todos pagam pelos pecados de hipócritas que não se aguentam.
2. (Contardo Calligaris, Folha de São Paulo, 20/3/2008)
a) F
b) V 01. Atente para as afirmações abaixo.
c) F I. Diferentemente do homem moral, o homem moralizador
não se preocupa com os padrões morais de conduta.
3. II. Pelo fato de impor a si mesmo um rígido padrão de condu-
a) V ta, o homem moral acaba por impô-lo à conduta alheia.
b) F III. O moralizador, hipocritamente, age como se de fato res-
c) V peitasse os padrões de conduta que ele cobra dos outros.

4. Em relação ao texto, é correto o que se afirma apenas em


a) V a) I
b) V b) II
c) V c) III
d) F d) I e II
e) II e III
5.
a) F 02. No contexto do primeiro parágrafo, a afirmação de que
b) F já decorreu um bom século de psicologia e psiquiatria dinâmicas
c) V indica um fator determinante para que
a) concluamos que o homem moderno já não dispõe de rigo-
6. rosos padrões morais para avaliar sua conduta.
a) V b) consideremos cada vez mais difícil a discriminação entre o
b) F homem moral e o homem moralizador.
c) V c) reconheçamos como bastante remota a possibilidade de se
caracterizar um homem moralizador.
7. d) identifiquemos divergências profundas entre o comporta-
a) F mento de um homem moral e o de um moralizador.
b) V e) divisemos as contradições internas que costumam ocorrer
c) F nas atitudes tomadas pelo homem moral.

TESTES DE CONCURSOS COMENTADOS 03. O autor do texto refere-se aos Estados confessionais para
exemplificar uma sociedade na qual
(Fundação Carlos Chagas) As questões de números 01 a 03 a) normas morais não têm qualquer peso na conduta dos ci-
referem-se ao texto abaixo. dadãos.
b) hipócritas exercem rigoroso controle sobre a conduta de
O homem moral e o moralizador todos.
c) a fé religiosa é decisiva para o respeito aos valores de uma
Depois de um bom século de psicologia e psiquiatria dinâ- moral comum.
micas, estamos certos disto: o moralizador e o homem moral são d) a situação de barbárie impede a formulação de qualquer
figuras diferentes, se não opostas. O homem moral se impõe pa- regra moral.
drões de conduta e tenta respeitá-los; o moralizador quer impor e) eventuais falhas de conduta são atribuídas à fraqueza das
ferozmente aos outros os padrões que ele não consegue respeitar. leis.

A distinção entre ambos tem alguns corolários relevantes. (Fundação Carlos Chagas) As questões de números 04 a 06
Primeiro, o moralizador é um homem moral falido: se soubesse baseiam-se no texto apresentado abaixo.
respeitar o padrão moral que ele impõe, ele não precisaria punir
suas imperfeições nos outros. Segundo, é possível e compreensível O país é o mesmo. O dia, mês e ano também. Brasil, 28 de
que um homem moral tenha um espírito missionário: ele pode agir abril de 2009. No Rio Grande do Sul, o índice de chuvas está 96%
para levar os outros a adotar um padrão parecido com o seu. Mas abaixo do que seria normal neste período. A taxa de umidade des-
a imposição forçada de um padrão moral não é nunca o ato de um pencou para menos de 20%, enquanto o saudável é praticamen-

Didatismo e Conhecimento 72
LÍNGUA PORTUGUESA
te o dobro. Tudo é seca e insolação. Brasil, 28 de abril de 2009. 06. Em relação ao 1º parágrafo do texto, está correto o que se
No Piauí os moradores enfrentam as piores cheias dos últimos 25 afirma em:
anos. Chove sem parar. Cidades estão ilhadas. Cerca de 100 mil a) Considerando-se o assunto central do texto, não se justifi-
pessoas ficaram desabrigadas. cam as informações referentes ao clima que aparecem nesse pa-
“O tempo anda louco”, eis a frase leiga e padrão que mais se rágrafo.
fala e mais se ouve nas queixas em relação às radicais discrepân- b) As informações nele constantes tentam comprovar a afir-
cias climáticas. Vale para o Norte e Nordeste do país, vale para a mativa dos cientistas russos de que as florestas são determinantes
região Sul também. A mais nova e polêmica explicação para tais para o clima.
fenômenos é uma revolucionária teoria sobre as chuvas, chamada c) As referências ao clima nas regiões brasileiras servem para
“bomba biótica”, e pode mudar os conceitos da meteorologia tra- demonstrar que pode haver um certo equívoco na teoria dos cien-
dicional. tistas russos.
Olhemos, agora, por exemplo, não para a loucura do tempo d) A descrição das catástrofes que ocorrem no Brasil vai justi-
em um único país, mas sim para a “loucura a dois”. Por que cho- ficar a imagem da bomba, criada pela nova teoria científica.
ve tanto em algumas regiões distantes da costa, como no interior e) Desenha-se nele um quadro de contrastes causados pelas
da Amazônia, enquanto países como a Austrália se transformam condições climáticas, para justificar todo o desenvolvimento pos-
em deserto? Dois cientistas russos sustentam, embasados na me- terior.
todologia da bomba biótica, que as florestas são responsáveis pela
criação dos ventos e a distribuição da chuva ao redor do planeta (Fundação Carlos Chagas) As questões de números 07 a 10
- como uma espécie de coração que bombeia a umidade. Esse mo- baseiam-se no texto apresentado abaixo.
delo questiona a meteorologia convencional, que explica a movi-
mentação do ar sobretudo pela diferença de temperatura entre os Assegurar e expandir mercados, aumentar a lucratividade e
oceanos e a terra. Ao falarem de chuva aqui e de seca acolá, eles garantir a sobrevivência da organização, não apenas no presen-
acabam falando de um dos mais atuais e globalizados temas: a te, mas em um futuro cercado de incertezas. Todas essas palavras
devastação das matas. de ordem remetem a uma ideia central: vantagem competitiva. As
Para o biogeoquímico Donato Nobre, do Instituto Nacional de empresas são progressivamente pressionadas por fatores como
Pesquisas da Amazônia e principal proponente da linha da bomba preço, qualidade, diversificação, customização e assim por diante.
biótica no Brasil, somente ela é que explica com clareza a con- Dentre os atributos valorizados pelos consumidores, cada vez mais
tradição entre a seca e a aridez que estão minguando as lavouras o desempenho ambiental das organizações tende a influir sobre as
na região Sul e as chuvas intensas que transbordam o Norte e o
decisões de compra.
Nordeste.
Diante dessa realidade, o tema sustentabilidade ambiental
De acordo, porém, com o professor americano David Adams,
passou a despertar o interesse de pesquisadores nas áreas de ges-
da Universidade do Estado do Amazonas, os físicos russos estão
tão, estratégia e estudos organizacionais. Um estudo realizado na
supervalorizando a força da bomba biótica. (Adaptado de Maíra
Fundação Getúlio Vargas tomou como referência a cadeia pro-
Magro. Istoé , 6/5/2009, p. 98-99)
dutiva da indústria da saúde no Brasil. A análise explorou, entre
outros aspectos, como os fatores confiança e cooperação podem
04. A frase que sintetiza corretamente o assunto do texto é:
ser decisivos para iniciativas que visem avanços consistentes no
a) Nova teoria científica busca explicações para os contrastes
do clima em diferentes regiões do planeta. desempenho ambiental do setor. Avaliou-se, ainda, o papel das po-
b) Meteorologia tradicional explica as recentes discrepâncias líticas ambientais para os serviços de saúde e como estas poderiam
climáticas que ocorrem no Brasil. melhor atender a suas especificidades, favorecendo um desenvol-
c) Diferenças regionais acentuadas nas regiões brasileiras po- vimento mais sustentável.
dem explicar alternância entre aridez e inundações. Na indústria da saúde destacamos uma extensa e diversificada
d) Cientistas se perdem em meio às novas teorias que tentam cadeia de fornecedores que suprem produtos, serviços, tecnolo-
explicar fenômenos climáticos extremos. gias, instalações, equipamentos e demais recursos imprescindíveis
e) A direção dos ventos na Amazônia justifica todos os exces- à concretização das atividades de diagnóstico, terapia e reabilita-
sos dos fenômenos climáticos no Brasil. ção que compõem a assistência propriamente dita.
Um grande hospital consome regularmente cerca de 30 mil
itens de uma grande variedade de fornecedores de diferentes se-
05. A expressão “ loucura a dois” refere-se, no 3º parágrafo, tores. Os estabelecimentos de saúde são sujeitos a licenciamento
a) à situação climática tanto nas regiões Norte e Nordeste ambiental e são caracterizados, segundo a legislação, como gera-
quanto na região Sul do país. dores de resíduos, emissões e efluentes perigosos, além de grandes
b) a países em situação geográfica e climática bem diversifi- consumidores de energia e água. No entanto, torna-se difícil mi-
cada. nimizar esses impactos sem o comprometimento dos fornecedores
c) às chuvas torrenciais e às secas destruidoras das lavouras. no desenvolvimento de tecnologias mais eficientes e processos
d) a cientistas que divergem em suas explicações sobre as va- menos poluentes. Fica claro que não bastam restrições legais, são
riações climáticas. também importantes os estímulos para que haja cooperação entre
e) à divergência entre metodologias de análise das condições os elementos da cadeia na adoção de medidas efetivas. (Adaptado
climáticas. de Vital Ribeiro. Adiante, março de 2006, p. 61-62)

Didatismo e Conhecimento 73
LÍNGUA PORTUGUESA
07. De acordo com o texto, a expressão vantagem competitiva d) Todo o parágrafo antecipa o assunto central do texto, já que
(1º parágrafo) refere-se ao fato de que as ações se referem diretamente à indústria da saúde.
a) os pesquisadores voltados para os estudos organizacionais e) Considera-se o respeito às condições ideais do meio am-
passaram a se preocupar especialmente com o desempenho am- biente como uma das preocupações inerentes às atividades empre-
biental das empresas. sariais, independentemente da área de atuação.
b) as organizações devem preocupar-se com as políticas de
preservação do meio ambiente, além do atendimento às exigências (Fundação Carlos Chagas) As questões de números 11 a 14
do mercado. baseiam-se no texto abaixo.
c) uma organização deve primar pela excelência de suas ações,
até mesmo agressivas, no sentido de superar os competidores. Até pouco tempo atrás, as empresas costumavam atrelar seu
d) as incertezas quanto às ações futuras da empresa são pau-
nome às causas verdes principalmente como estratégia de marke-
tadas em garantias que constam de fatores diferenciados, como
ting. À medida que o mundo tomava consciência das questões
preço e qualidade.
e) as pressões comerciais geralmente se sobrepõem à qualida- ambientais, em especial da degradação dos recursos naturais, de-
de dos serviços a serem prestados aos consumidores. monstrar preocupação com o planeta era uma forma de lustrar a
imagem da companhia e atrair os consumidores para suas marcas.
08. Em relação aos estabelecimentos de saúde, observa-se que Essa relação entre o mundo dos negócios e a natureza avançou
há no texto dramaticamente. Se antes as empresas patrocinavam o refloresta-
a) denúncia das más condições em que atua esse setor da saú- mento de uma área ou reciclavam seu lixo, colocavam a conta na
de no país, sem o devido controle das autoridades responsáveis ou lista de despesas, sem esperar retorno financeiro. Hoje, os custos
de uma legislação mais rigorosa. de ações como essas vão para a lista de investimentos, já que po-
b) crítica severa, por serem eles agentes efetivos de poluição dem significar lucros e crescimento nos negócios. Conglomerados
ambiental, além de seu excessivo consumo das fontes de energia como a General Electric, o Walmart e a IBM mantêm projetos de
e de água. ecoeficiência e de preservação do ambiente porque os consideram
c) reflexão acerca de possíveis novos modelos de gestão no estratégicos para a própria sobrevivência. O que mudou?
sentido de reduzir o consumo de água e de energia e controlar pe- “O aquecimento global, a escassez de água, a extinção das es-
rigos de contaminação do meio ambiente. pécies e o despejo de produtos tóxicos afetaram profundamente o
d) considerações pessimistas a respeito da impossibilidade de funcionamento da sociedade e também o das empresas”, diz o eco-
se fazerem os ajustes necessários ao bom funcionamento do setor, nomista Andrew Winston, consultor de grandes companhias para
por ausência de um modelo único de gestão.
questões ambientais. “Pela primeira vez na história os empresários
e) preocupação com a eficácia das propostas de redução dos
impactos causados por esse setor, o maior responsável pela emis- deparam com limites de crescimento reais impostos por questões
são de resíduos e o que mais consome recursos naturais. relacionadas à natureza”, ele completa.
O mundo dos negócios e o mundo natural estão inextricavel-
09. Uma conclusão pertinente e coerente do texto deverá ser: mente ligados. Todo produto que chega ao consumidor, seja um
a) Restrições de ordem legal têm sido, atualmente, os únicos carro, um tênis ou uma xícara de café, tem origem na extração
mecanismos eficazes de controle do eventual comprometimento ou na colheita de bens da natureza. Esses bens - a água, as terras
das condições ambientais pelo setor da saúde no Brasil. cultiváveis, as florestas - são finitos. Justamente nesse ponto reside
b) A indústria da saúde no Brasil tem contribuído de modo o maior desafio para as empresas. Desde a Revolução Industrial,
bastante controverso para a degradação do meio ambiente, por ser iniciada no século XVIII, o modelo econômico privilegiou a pro-
também a maior geradora de elementos poluidores. dução em detrimento da preservação dos recursos naturais. Essa
c) Torna-se necessário o desenvolvimento de processos menos conta está sendo cobrada agora - e é bem cara. (Gabriela Carelli.
poluentes e de tecnologia mais eficiente em toda a cadeia de forne- Veja, 9 de junho de 2010, pp. 149-150, com adaptações)
cimento e de assistência da indústria da saúde.
d) Estudos realizados no setor da saúde detectaram alto índi- 11. O que mudou? A resposta correta para a questão contida
ce de poluição decorrente do crescimento das atividades do setor, no 1º parágrafo está
pouco voltado para o controle ambiental. a) na ausência de investimentos que possibilitem a produção
e) Será quase impossível controlar a poluição decorrente do
de bens destinados ao consumo de uma sociedade mais exigente.
funcionamento do setor da saúde no país, tendo-se em vista o nú-
b) na necessidade imposta às empresas de se aliarem em gran-
mero de ações e de produtos envolvidos em suas atividades.
des conglomerados, com o objetivo de conquistar sempre mais
10. Tomando-se por base o 1º parágrafo do texto, está incor- consumidores.
reto o que se afirma em: c) na conscientização atual de que é necessário haver maior
a) As ações discriminadas se relacionam com as áreas de ges- preocupação com os recursos naturais e com a sustentabilidade
tão, estratégia e estudos organizacionais , tal como é retomado no do planeta.
parágrafo seguinte. d) no fato de que os investimentos em ações voltadas para o
b) O início do parágrafo indica uma sequência de ações que meio ambiente nem sempre possibilitam os lucros indispensáveis
são geralmente tomadas como lema dentro de uma organização. à produção.
c) As orações com verbos no infinitivo podem ser substituídas e) no desenvolvimento industrial do mundo moderno, em que
por expressões substantivas, como: a expansão de mercados, o au- se exige um número cada vez maior de produtos para o consumo.
mento da lucratividade, a garantia da sobrevivência etc.

Didatismo e Conhecimento 74
LÍNGUA PORTUGUESA
12. Conclui-se corretamente do texto que associar o prêmio de que mais gostavam (suco) à cor verde e o
a) os negócios bem sucedidos e a responsabilidade empresa- prêmio menos significativo (água) às demais cores. A reação ce-
rial na exploração do planeta constituem hoje atitudes intimamente rebral foi rigorosamente monitorada pelos pesquisadores por meio
relacionadas. de ressonância magnética em diversas situações: quando “ganha-
b) a busca pela simpatia dos consumidores deverá ser sempre vam” o suco, quando o “perdiam” e quando “invejavam” o com-
o principal objetivo na gestão financeira das empresas. panheiro bem sucedido. A pesquisa mostrou imensa atividade dos
c) a produção de objetos industrializados, sem se valer da ex- neurônios na mesma região cerebral responsável pelos processos
ploração da natureza, tornou-se o principal objetivo do mundo dos de pensamentos imaginativos desenvolvidos por uma pessoa ao se
negócios. arrepender de uma decisão, processo esse ligado à capacidade de
d) a oferta de recursos naturais está sendo posta em risco, sem fantasiar para sublimar uma frustração e não agir impulsivamente.
que haja atualmente qualquer tipo de cuidado na exploração desses
recursos. Essa sensação de frustração e remorso decorre da percepção
e) a industrialização dos recursos da natureza oferece maiores de que poderia ter acontecido algo bom (ou, pelo menos, não ter
vantagens econômicas por respeitar antigos modelos de produção. acontecido nada) se tivesse sido outra a decisão diante de deter-
minado estímulo. Processo semelhante ocorre com os macacos.
13. É correto afirmar que o desafio para as empresas será o de Embora o cérebro dos macacos atue da mesma maneira que o dos
a) transformar em lucros os investimentos, ainda que explo- humanos arrependidos, os biólogos ainda preferem ser cautelosos
rem indevidamente os recursos naturais. quando se cotejam as duas espécies. “É preciso ter cuidado por-
b) pôr em prática procedimentos voltados para a obtenção de que projetamos sentimentos humanos em animais. Eles não têm
lucros, no sentido de superar a concorrência nos negócios. condições de refletir nem de avaliar aquilo que estão sentindo”,
c) recorrer a um modelo de produção que, embora já superado, diz Mauro Lantzman, veterinário e professor de psicobiologia da
tem sido mais eficaz em seus resultados. d) garantir maior oferta de Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. (Tatiana de Mello.
recursos da natureza, que se encontra reduzida devido ao aumento ISTOÉ, 17/6/2009, com adaptações)
na produção de bens variados.
e) colocar em primeiro lugar um modelo econômico que res- 15. O ditado é errando que se aprende, transcrito no 1º pará-
peite os limites da natureza na oferta de seus recursos. grafo,
a) contém ideia que contradiz o desenvolvimento posterior.
14. A oposição assinalada no 1º parágrafo entre lista de despe-
b) faz uma afirmativa que se aplica apenas ao comportamento
sas e lista de investimentos
humano.
a) salienta as questões relativas à saúde financeira das empre-
c) atribui um sentido emocional a um texto de caráter cientí-
sas, que valorizam o necessário equilíbrio entre gastos e lucros.
fico.
b) identifica o maior problema das empresas, quer dizer, como
d) tem pequena relação com o desenvolvimento do texto.
abastecer o mercado sem que os estoques fiquem parados, sem
e) antecipa o desenvolvimento do assunto e sua conclusão.
compradores.
c) tem seu sentido alterado pelas mudanças ocorridas no mun-
16. Com a opinião exposta no último parágrafo, o veterinário
do moderno, caracterizado por uma sociedade mais consumista.
d) reproduz, de maneira simples, a mudança de percepção em a) reforça as conclusões obtidas por outros pesquisadores
relação ao uso dos recursos naturais ocorrida no mundo dos ne- quanto aos sentimentos dos animais.
gócios. b) propõe cautela na atribuição de sentimentos humanos para
e) indica uma tomada de posição estratégica para garantir a definir o comportamento de animais.
sobrevivência no mundo empresarial, marcado pela competição c) demonstra incerteza quanto ao fato de os animais mani-
festarem sentimentos idênticos aos do homem. d) censura o uso
(Fundação Carlos Chagas) As questões de números 15 a 17 de animais em experimentos de caráter científico sem os cuidados
baseiam-se no texto abaixo. necessários.
e) aceita as evidências quanto aos sentimentos que explicam o
Há um ditado que diz: é errando que se aprende. Pelo menos comportamento dos animais.
no campo da experimentação científica, no qual se comemora o
acerto mas não se lamenta o insucesso que ensina, essa máxima 17. As aspas que assinalam os três verbos no 2º parágrafo
funciona - as escolhas equivocadas e as oportunidades perdidas a) comprovam a teoria de que macacos agem de forma idênti-
podem ser processadas pelo cérebro como base para positivas ca aos seres humanos perante os erros cometidos.
decisões futuras. Pesquisadores americanos anunciaram que essa b) demonstram o comportamento antissocial existente tanto
característica não é um privilégio do homem; também os macacos nos humanos quanto nos macacos diante das frustrações.
aprendem com as escolhas erradas. c) atestam a falta de palavras adequadas para traduzir o arre-
Os cientistas submeteram um grupo de animais ao seguinte pendimento dos animais devido a escolhas erradas.
teste: eles tinham de escolher, entre objetos iguais, aquele que lhes d) indicam uma sequência de ações que se concretizam ao
resultaria na melhor recompensa. Diante deles foram depositados mesmo tempo, monitoradas pelos pesquisadores.
oito cubos idênticos, todos brancos. Quando os macacos selecio- e) atribuem sentido particular a esses verbos, remetendo à ob-
navam um cubo, os outros acendiam, revelando sua cor verdadeira servação feita pelo veterinário no final do texto.
e o prêmio correspondente. Os bichos aprenderam rapidamente a

Didatismo e Conhecimento 75
LÍNGUA PORTUGUESA
(Fundação Carlos Chagas) As questões de números 18 e 19 III. estabelecer um consenso entre as mais variadas opiniões
baseiam-se no texto apresentado abaixo. existentes em grupos minoritários coloca em risco a legitimidade
de uma democracia.
O século XX escolheu a democracia como forma predominan-
te de governo e, para legitimá-la, as eleições pelo voto da maioria. Está correto o que se afirma em
O momento eleitoral passou a mobilizar as energias da política e a) I, somente
trazer ao debate as questões públicas relevantes. No entanto, de- b) II, somente
magogias de campanha e mandatos mal cumpridos foram aos pou- c) I e III, somente
cos empanando a festa de cidadania do sufrágio universal. d) II e III, somente
Pierre Rosanvallon propõe como um dos critérios para ava- e) I, II e III
liar o grau de legitimidade de uma instituição a sua capacidade de
encarnar valores e princípios que sejam percebidos pela sociedade (Fundação Carlos Chagas) As questões de números 20 a 22
como tais. Assim como a confiança entre pessoas, legitimidade é baseiam-se no texto abaixo.
uma entidade invisível. Mas ela contribui para a formação da pró-
pria essência da democracia, levando à adesão dos cidadãos. Afi- O Brasil é hoje um dos líderes mundiais do comércio agrícola,
nal, a democracia repousa sobre a ficção de transformar a maioria ocupando a primeira posição nos embarques de açúcar e de carne
em unanimidade, gerando uma legitimidade sempre imperfeita. O bovina e a segunda, nas vendas de soja e de carnes de aves. Já era o
consentimento de todos seria a única garantia indiscutível do res- maior exportador mundial de café, mas até há uns 20 anos a maior
peito a cada um. parte de sua produção agropecuária era menos competitiva que a
Mas a unanimidade dos votos é irrealizável. Por isso a regra das principais potências produtoras. Esse quadro mudou, graças
majoritária foi introduzida como uma prática necessária. Na de- a um persistente esforço de modernização do setor. Um levanta-
mocracia os conflitos são inevitáveis, porque governar é cada vez mento da Organização Mundial do Comércio (OMC) conta uma
mais administrar os desejos das várias minorias em busca de con- parte dessa história, mostrando o aumento da presença brasileira
sensos que formem maiorias sempre provisórias. Há, assim, uma nas exportações globais ente 1999 e 2007. Uma história mais com-
contradição inevitável entre a legitimidade dos conflitos e a neces- pleta incluiria também um detalhe ignorado pelos brasileiros mais
sidade de buscar consensos. Fazer política na democracia implica
jovens: o suprimento do mercado interno tornou-se muito melhor
escolher um campo, tomar partido.
quando o país se transformou numa potência exportadora e as cri-
Quanto mais marcadas por divisões sociais e por incertezas,
ses de abastecimento deixaram de ocorrer. Essa coincidência não
mais as sociedades produzem conflitos e necessitam de lideranças
ocorreu por acaso.
que busquem consensos. Como o papel do Poder Executivo é agir
A prosperidade mundial e o ingresso de centenas de milhões
com prontidão, não lhe é possível gerir a democracia sem praticar
de pessoas no mercado de consumo, em grandes economias emer-
arbitragens e fazer escolhas. Mas também não há democracia sem
gentes, favoreceram a expansão do comércio de produtos agro-
o Poder Judiciário, encarregado de nos lembrar e impor um siste-
ma legal que deve expressar o interesse geral momentâneo; igual- pecuários nas duas últimas décadas. Mas, apesar das condições
mente ela não existe sem as burocracias públicas encarregadas de favoráveis criadas pela demanda em rápida expansão, houve uma
fazer com que as rotinas administrativas essenciais à vida em co- dura concorrência entre os grandes produtores. A competição foi
mum sejam realizadas com certa eficiência e autonomia. (Gilberto distorcida pelos subsídios e pelos mecanismos de proteção adota-
Dupas. O Estado de São Paulo, A2, 17 de janeiro de 2009, com dos no mundo rico e, em menor proporção, em algumas economias
adaptações) emergentes.
A transformação do Brasil num dos líderes mundiais de ex-
18. De acordo com o texto, portação agropecuária foi possibilitada por uma combinação de
a) a autonomia de uma rotina administrativa é um dos fun- ações políticas e empresariais. Um dos fatores mais importantes
damentos essenciais à existência de uma verdadeira democracia. foi o trabalho das instituições de pesquisa, amplamente reforçado a
b) o regime democrático, apesar de sua validade no momento partir da criação da Embrapa, nos anos 70. A ocupação do cerrado
eleitoral, torna-se ilegítimo por não conseguir o pleno consenso da por agricultores provenientes de outras áreas - principalmente do
maioria da população. Sul - intensificou-se nessa mesma época. Nos anos 80, rotulados
c) a democracia constitui a legítima forma de governo, apesar por economistas como “década perdida”, a agropecuária exibiu di-
do abuso demagógico de alguns políticos. namismo e modernizou-se, graças ao investimento em novas tec-
d) os mandatos conferidos pelo sufrágio universal devem ser nologias e à adoção de melhores práticas de produção. O avanço
integralmente cumpridos pelos políticos eleitos. tecnológico foi particularmente notável, nessa época, na criação de
e) a legitimidade de uma democracia só estará garantida se gado de corte e na produção de aves. Isso explica, em boa parte,
houver um consenso entre a maioria das pessoas. o sucesso comercial dos dois setores nos anos seguintes. Com o
abandono do controle de preços, a transformação da agropecuária
19. Segundo o autor, acelerou-se nos anos 90 e o Brasil pôde firmar sua posição como
I. basear-se em opiniões alheias para a tomada de certas deci- grande exportador.
sões pode originar conflitos que ponham em risco a ordem pública A magnitude da transformação fica evidente quando se ob-
essencial em regimes democráticos. servam os ganhos de produtividade. As colheitas cresceram muito
II. respeitar a vontade da maioria é uma prática democrática mais do que a área ocupada pelas lavouras. Aumentou a produção
que se impôs pela impossibilidade de haver unanimidade no trato de carne bovina, indicando uma pecuária muito mais eficiente. No
de questões de ordem pública. setor de aves, o volume produzido expandiu-se consideravelmen-

Didatismo e Conhecimento 76
LÍNGUA PORTUGUESA
te. Isso permitiu não só um grande avanço no mercado externo, Uma tese corrente entre os antropólogos sustenta que um dos
mas também um enorme aumento do consumo por habitante no marcos da separação entre o homem e os demais primatas foi o ad-
mercado interno. Proteínas animais tornaram-se muito baratas, vento da família nuclear. Formada por pai, mãe e filhos que vivem
refletindo-se nas condições de vida de milhões de brasileiros. (O juntos, ela se opõe à chamada família estendida, em que os animais
Estado de São Paulo, Notas & Informações, A3, 29 de novembro andam em bandos e as relações entre membros consanguíneos se
de 2009, com adaptações) dão de outras formas. Entre os chimpanzés e os bonobos, nossos
parentes mais próximos na árvore da evolução, como entre muitos
20. É correto afirmar, de acordo com o texto, que outros mamíferos sociais, a guarda da prole fica exclusivamente a
a) apesar da adoção de melhores práticas de produção, a trans- cargo da fêmea.
formação do Brasil em país exportador foi impossibilitada por bar- Uma pesquisa recente de um grupo de arqueólogos alemães
reiras criadas nos países mais ricos. confirma a antiguidade da família nuclear entre humanos. O estudo
b) a dura concorrência entre os grandes produtores levou a foi feito com base num conjunto de quatro túmulos coletivos, que
uma redução das áreas destinadas à agropecuária, em todo o país. datam de 4.600 anos atrás, encontrados próximos ao rio Saale, no
c) as condições de vida de milhões de brasileiros melhoraram interior da Alemanha. Os túmulos abrigavam treze ossadas, cujas
fraturas sugeriam que os indivíduos haviam sido vítimas de um
em razão da oferta abundante de alguns produtos no mercado in-
massacre. Por análises de DNA, provou-se que num dos túmulos
terno.
pai, mãe e filhos - dois meninos com cerca de 5 e 9 anos - haviam
d) as grandes economias emergentes foram responsáveis por
sido enterrados juntos. Como mostra uma reconstituição artística
eventuais crises de abastecimento, devido ao aumento da demanda
feita a partir das ossadas, cada uma das crianças foi sepultada, res-
por alimentos. pectivamente, junto aos braços do pai e da mãe. O achado constitui
e) o sucesso comercial dos produtos agropecuários brasileiros a mais antiga evidência arqueológica de família nuclear já encon-
se deveu, especialmente, à melhoria no abastecimento do mercado trada e identificada por meio da genética.
interno. Até meados do século XX, prevalecia entre os antropólogos
a ideia de que a família nuclear era uma instituição apenas cul-
21. Essa coincidência não ocorreu por acaso. (1o parágrafo) A tural. Ela está presente em mitos consagrados como Adão e Eva,
opinião acima se baseia na correlação observada entre a primeira das famílias, segundo a Bíblia. Hoje se acredita que a
a) ampliação do espaço das lavouras e transformação do Bra- família nuclear tenha se estabelecido por trazer vantagens evoluti-
sil em potência exportadora. vas. Segundo o biólogo holandês Frans de Waal, um dos maiores
b) fim das crises de abastecimento do mercado interno e oferta primatologistas da atualidade, “É provável que a família nuclear
abundante dos mais variados produtos à população. tenha sido essencial para diferenciar a espécie humana, garantir
c) modernização da agropecuária com investimentos em tec- sua sobrevivência e sua disseminação pelo planeta”.
nologia e adoção de práticas eficazes de produção. Várias hipóteses apontam nesse sentido. Nas gerações ime-
d) liderança nas exportações e melhoria no fornecimento de moriais, os machos que ficavam mais perto das fêmeas geravam
produtos destinados ao consumo da população brasileira. mais descendentes que os aventureiros, que só apareciam de vez
e) estabelecimento de barreiras de proteção pelos países mais em quando. A relação estável também ganhou espaço porque, en-
ricos e maior consumo de alimentos nos países emergentes. tre humanos, criar um filho não é fácil. O bebê exige cuidados es-
peciais por mais tempo que outros primatas. Em ambientes hostis,
22. Está implícito no texto o fato de que como a selva ou a savana, proteger a criança era difícil. Sob a ótica
a) a década de 80 foi corretamente rotulada de “década perdi- do pai, estar por perto para arranjar comida, manter as feras afasta-
da”, em razão dos escassos investimentos na produção agropecu- das e garantir a sobrevivência da prole representava uma vantagem
ária brasileira. evolutiva.
b) os mecanismos de proteção adotados por algumas nações Como mostra a imagem da família abraçada no túmulo en-
permitiram um considerável aumento na oferta mundial de produ- contrado na Alemanha, o instinto familiar é ancestral no Homo
sapiens. (Leandro Nardoch. Veja, 10 de dezembro de 2008, pp.
tos agropecuários.
114-115, com adaptações)
c) a modernização ocorrida no setor cafeeiro colocou o Brasil
entre os principais exportadores de produtos agrícolas no mercado
23. As vantagens evolutivas, de acordo com o texto, são, prin-
internacional.
cipalmente,
d) o setor agrícola brasileiro, por ter produtividade inferior à a) variedade de formas de relacionamento entre as espécies e
dos demais países, foi um obstáculo à presença do país no mercado vínculo consanguíneo.
internacional. b) caracterização da espécie humana e influência cultural de
e) os exportadores brasileiros enfrentaram barreiras comer- certos mitos familiares.
ciais impostas por outros países produtores para ampliar sua parti- c) geração de maior número de descendentes e garantia de
cipação nas exportações mundiais. sobrevivência da prole.
d) diferenciação entre o homem e os demais primatas e mu-
(TRT 20ª Região - Técnico Judiciário - 2010 - Fundação Car- danças nas relações sociais.
los Chagas) As questões de números 23 a 26 baseiam-se no texto e) papel de guarda da prole desempenhado pelas fêmeas e de
abaixo. provedor, pelos machos.

Didatismo e Conhecimento 77
LÍNGUA PORTUGUESA
24. Uma síntese correta do texto está apresentada em: O longa também se propõe a discutir outro problema: o fato de
a) A descoberta de ossadas reforça a ideia de que o núcleo que, mesmo quando salvas das mãos dos traficantes, muitas aves
familiar floresceu e se manteve através das eras por favorecer a não são reintroduzidas na natureza. Além da versão final editada
evolução da espécie humana. para o cinema, as entrevistas e materiais pesquisados estarão dis-
b) A vida dos homens primitivos era bastante semelhante à poníveis para pesquisadores que queiram se aprofundar no tema.
dos primatas e sujeita a atos de violência, como os massacres que A intenção é a de que o filme contribua para a educação - e, por
destruíam famílias inteiras. isso, será oferecido para estabelecimentos de ensino. Entre as es-
pécies mais visadas pelos traficantes estão papagaios, a araponga,
c) Achados arqueológicos, mesmo em quantidade notável,
o pixoxó, o canário-da-terra, o tico-tico, a saíra-preta, o galo-de-
nem sempre conseguem esclarecer divergências entre os especia- -campina, sabiás e bigodinho. (O Estado de S. Paulo, A30 Vida,
listas no assunto. Planeta, 21 de novembro de 2010)
d) A influência das religiões, desde as épocas mais remotas,
permitiu o estabelecimento de núcleos familiares estáveis entre os 27. O assunto do texto está corretamente resumido em:
seres humanos. a) Um longa-metragem, em forma de documentário, abordará
e) O convívio marcado por um comportamento típico de ban- o tráfico de aves silvestres no Brasil, e terá objetivos educativos.
dos favoreceu a sobrevivência de algumas espécies animais, como b) A Ancine deverá escolher e patrocinar a realização de al-
chimpanzés e bonobos. guns projetos de filmes educativos, destinados às escolas brasi-
leiras.
25. O texto aponta c) ONGs voltadas para a proteção de aves silvestres buscam a
realização de novos projetos, como a de filmes educativos.
a) semelhanças indiscutíveis na organização social e familiar
d) Várias espécies de aves silvestres encontram-se em extin-
de várias espécies de primatas, incluída a espécie humana. ção, apesar dos constantes cuidados de ONGs destinadas à sua
b) influências culturais remotíssimas que nortearam a forma- proteção.
ção dos núcleos familiares durante a Antiguidade. e) Apesar das intenções didáticas, filme sobre tráfico de aves
c) divergência nas conclusões de pesquisadores sobre as con- silvestres não atinge sua finalidade educativa.
dições de diferenciação da espécie humana em relação aos outros
primatas. 28. O texto informa claramente que
d) mudança de visão de antropólogos em relação à instituição a) produtor do documentário sobre aves silvestres baseou-se
familiar, confirmada por achados arqueológicos. em entrevistas com pesquisadores para desenvolver o roteiro do
e) dificuldades encontradas por arqueólogos para chegar a in- filme.
b) as discussões referentes aos diversos problemas que colo-
terpretações científicas a partir de achados antiquíssimos.
cam em perigo as aves silvestres já estão em andamento na Ancine.
c) algumas Organizações Não Governamentais estão se pro-
26. Considere as afirmativas seguintes: pondo a proteger aves silvestres capturadas e a preparar seu retor-
I. Há, no texto, informação explícita a respeito do significado no à natureza.
de família nuclear. d) objetivo principal do documentário será oferecer subsídios
II. Está implícito no texto que recursos oferecidos pela genéti- a pesquisadores interessados em estudos sobre aves silvestres bra-
ca são importantes auxiliares em estudos arqueológicos. sileiras.
III. A conclusão que surge no último parágrafo é coerente com e) projeto do documentário sobre o tráfico de aves silvestres
o desenvolvimento do texto. já foi aprovado, mas ainda não há patrocinador para sua produção.

Está correto o que se afirma em (Fundação Carlos Chagas) As questões de números 29 e 30


referem-se ao texto abaixo.
a) II e III, somente
b) I, II e III A bailarina
c) II, somente
d) I e II, somente A profissão de bufarinheiro está regulamentada; contudo, nin-
e) I e III, somente guém mais a exerce, por falta de bufarinhas*. Passaram a vender
sorvetes e sucos de fruta, e são conhecidos como ambulantes.
(Fundação Carlos Chagas) As questões de números 27 e 28 Conheci o último bufarinheiro de verdade, e comprei dele um
referem-se ao texto abaixo. espelhinho que tinha no lado oposto a figura de uma bailarina nua.
Que mulher! Sorria para mim como prometendo coisas, mas eu era
O documentário E Agora? pretende revelar detalhes do tráfi- pequeno, e não sabia que coisas fossem. Perturbava-me.
co de aves silvestres no Brasil. Segundo o produtor Fábio Cava- Um dia quebrei o espelho, mas a bailarina ficou intata. Só que
não sorria mais para mim. Era um cromo como outro qualquer.
lheiro, o longa-metragem apresentará cenas de flagrantes de trá-
Procurei o bufarinheiro, que não estava mais na cidade, e prova-
fico, as rotas do comércio ilegal e entrevistas com autoridades e velmente teria mudado de profissão. Até hoje não sei qual era o
representantes de ONGs. mágico: se o bufarinheiro, se o espelho.
A Agência Nacional de Cinema (Ancine) aprovou o projeto e,
agora, busca-se patrocínio. A ONG SOS Fauna, especializada em * bufarinhas − mercadorias de pouco valor; coisas insigni-
resgates, foi uma das orientadoras para a produção do filme. ficantes.

Didatismo e Conhecimento 78
LÍNGUA PORTUGUESA
(Carlos Drummond de Andrade. Contos plausíveis, in Prosa 05. Resposta B. A expressão “loucura a dois” refere-se ao
Seleta. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2003, p.89) Brasil (representado pela Amazônia) e a Austrália. Observe o tre-
cho: “Por que chove tanto em algumas regiões distantes da costa,
29. O texto se desenvolve como como no interior da Amazônia, enquanto países como a Austrália
a) depoimento de uma criança sobre o espelhinho que tinha se transformam em deserto?”
no lado oposto a figura de uma bailarina nua, registrado em sua
memória. 06. Resposta: E. Há um contraste entre os estados do Rio
b) discussão em torno da importância de certas profissões, ain- Grande do Sul e o Piauí, o que origina o desenvolvimento posterior
da que se destinem ao comércio de bufarinhas. do texto, quando se menciona uma nova teoria sobre as chuvas - a
c) crítica a um tipo de vendedores que não se preocupa com chamada “bomba biótica”.
valores morais, como no caso da figura da bailarina nua vendida
a uma criança. 07. Resposta B. O primeiro parágrafo do texto menciona,
d) relato de caráter pessoal, em que o autor relembra uma situ- além do desempenho ambiental das empresas, outros fatores im-
ação vivida quando era pequeno e reflete sobre ela. portantes como preço, qualidade, diversificação, customização.
e) ensaio de caráter filosófico, em que o autor questiona o di-
lema diante de certos fatos da vida, apontado na dúvida final: Até 08. Resposta C. Tal reflexão mencionada na alternativa em
hoje não sei qual era o mágico. análise, consta no quarto parágrafo do texto: “Fica claro que não
bastam restrições legais, são também importantes os estímulos
30. É incorreto afirmar que: para que haja cooperação entre os elementos da cadeia na adoção
a) A exclamação Que Mulher! cria uma incoerência no con- de medidas efetivas.”
texto, por referir-se a uma figura feminina que era, na verdade, um
cromo como outro qualquer. 09. Resposta C. Resposta bem semelhante à questão anterior,
b) Percebe-se, na fala do contista, certa nostalgia em relação observe o trecho final do texto: “torna-se difícil minimizar esses
aos bufarinheiros, que vendiam sonhos, embutidos nas pequenas impactos sem o comprometimento dos fornecedores no desen-
coisas. volvimento de tecnologias mais eficientes e processos menos po-
c) Bufarinheiro é uma palavra atualmente em desuso no idio- luentes. Fica claro que não bastam restrições legais, são também
ma, porém é possível entender seu sentido no decorrer do texto. importantes os estímulos para que haja cooperação entre os ele-
d) Uma possível conclusão do texto é a de que a verdadei- mentos da cadeia na adoção de medidas efetivas.”
ra mágica estava no encanto da criança, quebrado com o espelho
partido. 10. Resposta D. No primeiro parágrafo não existe nenhuma
e) No 1º parágrafo o autor constata mudança de hábitos na menção à indústria da saúde; na verdade, ele mostra a importância
substituição das bufarinhas por sorvetes e sucos de fruta. do desempenho ambiental, influenciando os consumidores.

RESPOSTAS 11. Resposta C. Essa conscientização pode ser observada no


início do segundo parágrafo: “O aquecimento global, a escassez
01. Resposta C. Analisando-se as afirmações: I. incorreta. O de água, a extinção das espécies e o despejo de produtos tóxicos
moralizador preocupa-se com os padrões morais, contudo, nos ou- afetaram profundamente o funcionamento da sociedade e também
tros. Observe o final do primeiro parágrafo: “o moralizador quer o das empresas.”
impor ferozmente aos outros os padrões que ele não consegue res-
peitar.”; II. incorreta. Leia o trecho: “...é possível e compreensível Demais alternativas: a) incorreta - não há ausência de in-
que um homem moral tenha um espírito missionário: ele pode agir vestimentos e sim um aumento de custos; b) incorreta - o texto
para levar os outros a adotar um padrão parecido com o seu.”; III. menciona que a preocupação das empresas é com o aumento dos
correta. Leia o conclusão do texto: “A pior barbárie do mundo é investimentos na preservação do meio ambiente; d) incorreta -
isto: um mundo em que todos pagam pelos pecados de hipócritas os investimentos relacionados à preservação do meio ambiente
que não se aguentam.” tornaram-se uma necessidade de sobrevivência para as empresas,
uma vez que dão continuidade aos lucros delas; e) incorreta - a
02. Resposta D. O primeiro parágrafo explicita as diferenças preservação do meio ambiente diz respeito ao desenvolvimento
de comportamento entre o homem moral e o homem moralizador das empresas, não sendo apenas ações de marketing.
de maneira divergente.
12. Resposta A. É o que se pode concluir com o que é men-
3. Resposta B. É o que se menciona o desfecho do texto: “um cionado no final do primeiro parágrafo: “Conglomerados como a
mundo em que todos pagam pelos pecados de hipócritas que não General Electric, o Walmart e a IBM mantêm projetos de ecoefici-
se aguentam.” ência e de preservação do ambiente porque os consideram estraté-
gicos para a própria sobrevivência.”
04. Resposta A. A frase que sintetiza o texto está no final do
segundo parágrafo: “A mais nova e polêmica explicação para tais Demais alternativas: b) incorreta. O principal objetivo do
fenômenos é uma revolucionária teoria sobre as chuvas, chamada mundo dos negócios, segundo o texto, é a manutenção dos lucros;
‘bomba biótica’, e pode mudar os conceitos da meteorologia tra- c) incorreta. Veja alternativa “b”; d) incorreta. Há preocupação
dicional.” das empresas em dar mais destaque aos investimentos na preser-

Didatismo e Conhecimento 79
LÍNGUA PORTUGUESA
vação dos recursos naturais; e) incorreta. Observe trecho final do 19. Resposta B. Analisando-se as afirmações: I. incorreta - o
texto: “Desde a Revolução Industrial, iniciada no século XVIII, o texto apenas menciona que opiniões diferentes podem gerar con-
modelo econômico privilegiou a produção em detrimento da pre- flitos e que necessitam de lideranças para se buscar o consenso; II.
servação dos recursos naturais.” correta - é o que se menciona no início do terceiro parágrafo; (co-
tação via Internet). incorreta - as mais variadas opiniões não colo-
13. Resposta E. É o que se pode inferir do trecho final do ca em risco a legitimidade da democracia e sim fazem parte dela.
texto: “Desde a Revolução Industrial, iniciada no século XVIII,
o modelo econômico privilegiou a produção em detrimento da 20. Resposta C. Leia-se o parágrafo final: “A magnitude da
preservação dos recursos naturais. Essa conta está sendo cobrada transformação fica evidente quando se observam os ganhos de
agora - e é bem cara.” produtividade. As colheitas cresceram muito mais do que a área
ocupada pelas lavouras. Aumentou a produção de carne bovina,
Demais alternativas: a) incorreta - a segunda parte da ora- indicando uma pecuária muito mais eficiente. No setor de aves, o
ção invalida a alternativa (o correto seria dizer: “transformar em volume produzido expandiu-se consideravelmente. Isso permitiu
lucros os investimentos, sem explorar indevidamente os recursos não só um grande avanço no mercado externo, mas também um
naturais.”; b) incorreta - observe o trecho: “Pela primeira vez na enorme aumento do consumo por habitante no mercado interno.
história os empresários deparam com limites de crescimento reais Proteínas animais tornaram-se muito baratas, refletindo-se nas
impostos por questões relacionadas à natureza.”; c) incorreta - tal condições de vida de milhões de brasileiros.”
modelo é contestado (“Essa conta está sendo cobrado agora - e é
bem cara.”); d) incorreta - o que se salienta no texto é a garantia Demais alternativas: a) incorreta - o texto menciona que
da exploração adequada dos recursos que a natureza oferece. houve uma dura competição entre os grandes produtores, mas não
impediu que o Brasil se transformasse em país exportador; b) in-
14. Resposta D. Observe o trecho: “Hoje, os custos de ações correta - tal afirmação não está no texto; d) incorreta - erro de
como essas vão para a lista de investimentos, já que podem signi- contradição. As crises de abastecimento deixaram de ocorrer quan-
ficar lucros e crescimento nos negócios.” do o país se transformou em potência exportadora; e) incorreta
15. Resposta E. O ditado popular que inicia o texto serve de - a melhoria ocorreu principalmente ao abastecimento do mercado
externo.
tese para o desenvolvimento e conclusão do texto.
21. Resposta A: Leia o trecho: “o suprimento do mercado in-
Demais alternativas: a) incorreta - veja comentário da alter-
terno tornou-se muito melhor quando o país se transformou numa
nativa “e”; b) incorreta - aplica-se também aos seres irracionais (é
potência exportadora e as crises de abastecimento deixaram de
constatada pelos macacos); c) incorreta - o texto é objetivo, não
ocorrer.”
há sentido emocional; d) incorreta - veja alternativa “e”.
22. Resposta E. Observe o trecho: “A competição foi distor-
16. Resposta B. Leia o trecho: “Embora o cérebro dos maca- cida pelos subsídios e pelos mecanismos de proteção adotados no
cos atue da mesma maneira que o dos humanos arrependidos, os mundo rico e, em menor proporção, em algumas economias emer-
biólogos ainda preferem ser cautelosos quando se cotejam as duas gentes.”
espécies.”
Demais alternativas: a) incorreta - leia o trecho: “Nos anos 80,
Demais alternativas: a) incorreta - observe o trecho: “É pre- rotulados por economistas como “década perdida”, a agropecuária
ciso ter cuidado porque projetamos sentimentos humanos em ani- exibiu dinamismo e modernizou-se, graças ao investimento em no-
mais. Eles não têm condições de refletir nem de avaliar aquilo que vas tecnologias e à adoção de melhores práticas de produção.”; b)
estão sentindo.”; c) incorreta - há uma ressalva na tentativa de incorreta - esses mecanismos de proteção trouxeram uma “dura
definir o comportamento dos animais, atribuindo-lhes sentimen- concorrência entre os produtores”; c) incorreta - a mencionada
tos humanos; d) incorreta - não há embasamento no texto para modernização foi no setor agropecuário; d) incorreta - contradiz o
admitir tal hipótese; e) incorreta - o autor demonstra cautela, veja texto, uma vez que a produção nacional apresenta destaque, como
comentário da alternativa “a”. se observa no início do primeiro parágrafo: “O Brasil é hoje um
dos líderes mundiais do comércio agrícola, ocupando a primeira
17. Resposta E. Os verbos ganhar, perder e invejar realçam posição nos embarques de açúcar e de carne bovina e a segunda,
cautela que se deve ter na definição do comportamento dos ani- nas vendas de soja e de carnes de aves.”
mais, tendo como base os sentimentos humanos.
23. Resposta C. É o que constata o biólogo holandês Frans de
18. Resposta E. É o que se pode depreender da leitura do se- Waal: “É provável que a família nuclear tenha sido essencial para
gundo parágrafo do texto. diferenciar a espécie humana, garantir sua sobrevivência e sua dis-
seminação pelo planeta.”
Demais alternativas: a) incorreta - segundo o texto, um dos
fundamentos essenciais à existência de uma verdadeira democra- 24. Resposta A. É a alternativa que sintetiza o texto.
cia é a eleição pelo voto da maioria; b) incorreta - o texto men-
ciona que a unanimidade dos votos é irrealizável e não ilegítimo; Demais alternativas: b) incorreta - o texto não menciona que
c) incorreta - a democracia não constitui a legítima forma de go- os massacres destruíam famílias inteiras, apenas que foram encon-
verno, é apenas a forma predominante no século XX; d) incorreta trados túmulos, com treze ossadas de indivíduos que haviam sido
- não existe menção disso no texto. vítimas de um massacre; c) incorreta - observe o trecho: O achado

Didatismo e Conhecimento 80
LÍNGUA PORTUGUESA
arqueológico “constitui a mais antiga evidência arqueológica de 30. Resposta A. Não há incoerência na expressão em desta-
família nuclear já encontrada e identificada por meio da genética.”; que, há uma recordação de um momento de sua infância.
d) incorreta - extrapolação, uma vez que o texto não menciona in-
fluência das religiões; e) incorreta - não existe tal relação no texto, Demais alternativas: b) correta - o autor cita que a profissão
menciona-se apenas que a guarda da prole entre os chimpanzés e dos bufarinheiros foi substituída pela dos ambulantes, que passa-
bonobos era exclusivamente da fêmea. ram a vender sorvetes e sucos de fruta; c) correta - o autor men-
ciona que atualmente é uma palavra em desuso, que ninguém mais
25. Resposta D. Leia-se o início do terceiro parágrafo: “Até a exerce; d) correta - sem ressalvas; e) correta - sem ressalvas.
meados do século XX, prevalecia entre os antropólogos a ideia de
que a família nuclear era uma instituição apenas cultural. Ela está ESTRUTURAÇÃO DO TEXTO: RECURSOS DE CO-
presente em mitos consagrados como Adão e Eva, a primeira das ESÃO. SIGNIFICADO CONTEXTUAL DE PALAVRAS E
famílias, segundo a Bíblia. Hoje se acredita que a família nuclear EXPRESSÕES
tenha se estabelecido por trazer vantagens evolutivas.”
Coesão - ligação de natureza gramatical entre as partes de um
26. Resposta B. Analisando-se as afirmativas: I. correta - “fa- texto ou de uma sentença. Expressa-se pelo uso adequado dos co-
mília nuclear. Formada por pai, mãe e filhos que vivem juntos”; II. nectivos (conjunções e pronomes relativos, principalmente).
correta - observe o trecho: “O achado constitui a mais antiga evi-
dência arqueológica de família nuclear já encontrada e identificada Coerência - conjunto de relações sintático-semânticas que
por meio da genética.”; III. correta - o parágrafo final retoma os unem as partes de um texto.
três parágrafos anteriores de maneira coerente.
A importância dos conectivos
27. Resposta A. Sem ressalvas. Resume o texto, informando
sobre os dois objetivos do documentário - abordar o tráfico de aves A coesão de um texto depende muito da relação entre as ora-
silvestres e a sua finalidade educativa. ções que formam os períodos e os parágrafos. Os períodos com-
postos precisam ser relacionados por meio de conectivos adequa-
Demais alternativas: b) incorreta - a Ancine apenas aprovou dos.
o projeto do documentário; c) incorreta - houve citação nominal
de apenas uma ONG - a SOS Fauna; d) incorreta - o texto não faz Conjunções coordenativas
menção sobre a extinção de várias espécies, apenas menciona as
espécies mais visadas pelos traficantes; e) incorreta - o advérbio Relação / conjunção / exemplo
“não” invalida a alternativa.
Adição - e, nem, mas também. Sofia estuda e brinca.
28. Resposta E. Observe o início do segundo parágrafo: “A
Agência Nacional de Cinema (Ancine) aprovou o projeto e, agora, Adversidade (oposição) - mas, porém, contudo, todavia, en-
busca-se patrocínio.” tretanto. Joana estudou muito, porém não foi aprovada.

Demais alternativas: a) incorreta - o documentário não se ba- Alternância - ou.. ou, ora... ora, quer... quer, seja... seja. Bea-
seou em entrevistas com pesquisadores; o longa-metragem apre- triz ora estuda, ora trabalha.
sentará também cenas de flagrantes do tráfico e as rotas do comér-
cio ilegal; b) incorreta - o texto não menciona discussões sobre Conclusão - logo, portanto, pois (após o verbo). Penso, logo
diversos problemas, citam-se apenas dois: os flagrantes do trafico existo.
e a não reintrodução de muitas aves na natureza; c) incorreta - o
texto menciona apenas uma ONG - a SOS Fauna, uma das orienta- Explicação - que, porque, pois (antes do verbo). Estudem bas-
doras para a produção do filme; d) incorreta - segundo o texto, o tante, pois só assim serão aprovados.
objetivo principal do documentário é educativo.
Conjunções subordinativas
29. Resposta D. O autor do texto relata de maneira pessoal, a
compra por um bufarinheiro de um “espelhinho que tinha no lado Relação / conjunção / exemplo
oposto a figura de uma bailarina nua”.
Causa - porque, já que, visto que, como. Já que todos falta-
Demais alternativas: a) incorreta - não é um depoimento e ram, não haverá aula.
sim um relato de caráter pessoal; b) incorreta - não se discute a
importância de certas profissões, o destaque é a compra do espelhi- Comparação - mais... que, menos... que, assim como, tão/
nho com a figura de uma bailarina nua; c) incorreta - não há crítica tanto... como. Vânia é mais esperta do que sua irmã.
no texto em análise; e) incorreta - extrapolação, não há ensaio
filosófico na transcrição do texto, trata-se apenas de lembranças Concessão - embora, ainda que, conquanto, mesmo que. Ain-
do autor. da que chova, iremos à aula inaugural do curso.

Didatismo e Conhecimento 81
LÍNGUA PORTUGUESA
Condição - se, caso, desde que, a não ser que, a menos que. A remissão anafórica (para trás) realiza-se por meio de pro-
Se não chover, iremos ao concerto no Municipal. nomes pessoais de 3ª pessoa (retos e oblíquos) e os demais prono-
mes; também por numerais, advérbios e artigos. Exemplo: André
Conformidade - conforme, como, segundo. Fizeram tudo e Pedro são fanáticos torcedores de futebol. Apesar disso, são di-
conforme o combinado. ferentes. Este não briga com quem torce para outro time; aquele
o faz.
Consequência - tão/tanto... que, de modo que. Comeu tanto, O termo isso retoma o predicado são fanáticos torcedores de
que teve distúrbio intestinal. futebol; este recupera a palavra Pedro; aquele, o termo André; o
faz, o predicado briga com quem torce para o outro time.
Finalidade - para que, a fim de que. Lutou muito a fim de ser
reconhecido. A remissão catafórica (para frente) realiza-se preferencial-
mente através de pronomes demonstrativos ou indefinidos neutros,
Proporcionalidade - à medida que, à proporção que. À me- ou de nomes genéricos, mas também por meio das demais espé-
dida que estudava, ganhava mais ânimo. cies de pronomes, de advérbios e de numerais. Exemplo: Qualquer
que tivesse sido seu trabalho anterior, ele o abandonara, mudara
Tempo - quando, logo que, assim que, mal, enquanto. Quando
de profissão e passara pesadamente a ensinar no curso primário:
chegou, a reunião já havia começado.
era tudo o que sabíamos dele, o professor, gordo e silencioso, de
ombros contraídos.
Relação dos principais elementos de coesão:
O pronome possessivo seu e o pronome pessoal reto ele ante-
1) assim, desse modo: têm um valor exemplificativo e com- cipam a expressão o professor
plementar. A sequência introduzida por eles serve normalmente
para explicitar, confirmar ou ilustrar o que se disse antes. SIGNIFICADO CONTEXTUAL DE PALAVRAS E EX-
PRESSÕES
2) e: anuncia o desenvolvimento do discurso e não a repetição
do que foi dito antes; indica uma progressão que adiciona, acres- A semântica é a parte da gramática que estuda a significação
centa algum dado novo. das palavras. É comum em concursos solicitar dos candidatos não
apenas a compreensão e ou interpretação de textos, mas também
3) ainda: serve, entre outras coisas, para introduzir mais um a significação contextual de palavras e expressões, seja através de
argumento a favor de determinada conclusão, ou para incluir um sinônimos (palavras que se identificam aproximadamente quanto
elemento a mais dentro de um conjunto qualquer. ao significado) e antônimos (palavras que se opõem pelo signi-
ficado).
4) aliás, além do mais, além de tudo, além disso: introdu-
zem um argumento decisivo, apresentado como acréscimo, como EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
se fosse desnecessário, justamente para dar o golpe final no argu-
mento contrário. 1. Por meio de pronomes relativos adequados, junte cada par
de frases numa só, fazendo as modificações necessárias.
5) isto é, quer dizer, ou seja, em outras palavras: introdu- Modelo: Tio Onofre contava histórias. As histórias dele me
zem esclarecimentos, retificações ou desenvolvimento do que foi apavoravam. (Tio Onofre contava histórias que me apavoravam.)
dito anteriormente. 1.
a) Junto à fonte vi uma jovem. Pedi a ela um pouco d’água.
6) mas, porém e outros conectivos adversativos: marcam
oposição entre dois enunciados ou dois segmentos do texto. ........................................................................................................

7) embora, ainda que, mesmo que: são relatores que estabe- ........................................................................................................
lecem ao mesmo tempo uma relação de contradição e de conces-
são. Servem para admitir um dado contrário para depois negar seu
valor de argumento. Trata-se de um expediente de argumentação b) Veja o perigo. Você se expõe a esse perigo.
muito vigoroso.
........................................................................................................
Pronomes relativos
........................................................................................................
Referem-se a um termo anterior, denominado antecedente.

Pronomes demonstrativos c) Antes do jogo houve uma cerimônia cívica. Durante essa
cerimônia o povo se manteve em silêncio.
Referem-se à posição dos seres em relação às pessoas do dis-
curso, situando-os no tempo, no espaço ou no próprio discurso. ........................................................................................................

........................................................................................................
Uma das modalidades de coesão é a remissão, que, no texto,
é realizada por meio da referenciação anafórica ou catafórica,

Didatismo e Conhecimento 82
LÍNGUA PORTUGUESA
d) O crítico elogiou o filme. Woody Allen participou do filme. d) ......................... o time não tenha treinado, conseguiu che-
gar à final do campeonato, sem, ......................... merecer. No final,
........................................................................................................ os jogadores não se esforçaram nem um pouco ..........................
........................................................................................................ não perderiam dinheiro com isso, ......................... perderam o jogo
vergonhosamente.
e) Os entusiastas do vídeo sustentam que as imagens são mais
e) Denise foi aprovada no concurso. O pai de Denise é pro- cativantes do que as palavras, ignorando, ........................., a dife-
fessor. rença maior entre ambos: ......................... o vídeo é captado pelos
olhos, o texto ressoa direto na mente. O texto nos convida a ir
........................................................................................................ buscar imagens que completem as palavras.
........................................................................................................
3. Indique o sinônimo das seguintes palavras, associando as
f) O futebol é um esporte. O povo gosta muito desse esporte. colunas.
(1) garimpar
........................................................................................................ (2) prover
(3) consumir
........................................................................................................ (4) minguar
(5) palmilhar
(6) amanhar
g) O escritor vive no anonimato. A obra desse escritor foi cen-
surada.
( ) percorrer a pé
........................................................................................................ ( ) gastar, levar
( ) providenciar, abastecer
........................................................................................................ ( ) preparar a terra para o plantio, cultivar
( ) diminuir, emagrecer
h) Marisa Monte gravou novo CD. Sou admirador de Marisa ( ) trabalhar em garimpo, explorar pedras preciosas
Monte.
........................................................................................................ 4. Indique o antônimo das seguintes palavras, associando as
colunas.
........................................................................................................ (1) admitir
(2) acessório
(3) avaro
i) Você se referiu à obra. A obra está esgotada. (4) inércia
........................................................................................................ (5) calado
(6) conciso
........................................................................................................
( ) loquaz
( ) pródigo
j) Telefonou-me um político. Nas informações desse político ( ) atividade
não acreditei. ( ) excluir
( ) fundamental
........................................................................................................
( ) prolixo
........................................................................................................
TESTES DE CONCURSOS
2. Complete com os conectivos adequados.
a) O maior temor dos candidatos é chegar um minuto atra- 01. (Cetro) Assinale a alternativa cuja conjunção substitua
sado ao local da prova. ......................... o estudante tentar entrar adequadamente o conectivo grifado no período abaixo, sem pre-
......................... o portão está fechado, arrisca-se a ter os dedos da juízo da informação, fazendo as adaptações necessárias. Apesar
mão decepados. de não ter contraindicação, é importante que esses compostos só
b) Quase desço do táxi ......................... falar com eles e talvez sejam usados com orientação médica, já que o excesso de uso
pedir uns autógrafos, ......................... contive minha exaltação pa- pode trazer danos à saúde.
triótica, preferindo olhá-los a distância, ......................... nunca se a) embora
sabe o que Rambo pode fazer diante de um nordestino de aparên-
b) conforme
cia certamente ameaçadora, melhor admirar de longe.
c) ainda que
c) ......................... a esposa estar, há muito tempo, longe de
casa, o marido não sente sua falta, ......................... se rodeia de d) visto que
amigos, ......................... comemorar sua liberdade. e) ao passo que

Didatismo e Conhecimento 83
LÍNGUA PORTUGUESA
02. (Cetro) Assinale a alternativa cuja conjunção não substi- 07. (Esaf) Assinale o item que não preenche a lacuna do texto
tui adequadamente o conectivo grifado no período, prejudicando a com coesão e coerência: Os historiadores dizem que a troca de e-
informação: Espera-se que os indivíduos, por exemplo, respeitem -mails, o download de fotos dos amigos ou as reservas para as ferias
os limites de velocidade, uma vez que estudos técnicos foram rea- feitas pelo computador talvez sejam divertidos, ......................... a
lizados e orientaram as decisões contidas na legislação. internet não pode ser comparada a inovações como a invenção da
a) visto que imprensa, o motor a vapor ou a eletricidade. (Adaptado de Negó-
b) já que cios Exame, p.94)
c) porque a) contudo
d) apesar de que b) no entanto
e) pois c) entretanto
d) todavia
03. (Cetro) Se quiséssemos manter o sentido da oração “Sua e) porquanto
missão é quase, mas não totalmente, frustrada pelos esforços vila-
nescos de um modelo superior de robô, o T-1000”, o termo grifado 08. (Esaf) Abaixo você tem cinco frases que formam o pará-
só não poderia ser substituído por: grafo inicial de um texto. Ordene-as de maneira a obter um pará-
a) porém grafo coeso e coerente.
1. Assim também, se você decidir chamar a rosa por um outro
b) logo
nome, ainda assim ela continuará sendo uma rosa.
c) embora
2. Quem quiser dizer o contrário que o faça.
d) contudo
3. Em resumo, o nosso país é o que é.
e) entretanto
4. Isso em nada mudará essa realidade.
5. O Brasil é um país de Terceiro Mundo.
04. (Cetro) A questão apresenta um período que você deverá
modificar, iniciando-o conforme se sugere, mas sem alterar a ideia a) 1, 2, 3, 4, 5
contida no primeiro. Assinale a alternativa que contém o elemento b) 3, 5, 1, 4, 2
adequado ao novo período. “Termine a lição, e eu deixo você ir c) 4, 5, 1, 2, 3
brincar”. “Eu deixo você ir brincar .................... termine a lição.” d) 5, 2, 4, 1, 3
a) pois e) 2, 4, 3, 5, 1
b) embora
c) a fim de que (Fundação Carlos Chagas) As questões 09 e 10 apresentam
d) ou um período em que você deverá modificar, iniciando-o conforme
e) desde que se sugere, mas sem alterar a ideia contida no primeiro. Em con-
sequência, outras partes da frase sofrerão alterações. Assinale a
05. (Cetro) O trecho - “Bem cuidado como é, o livro apresenta alternativa que contém o elemento adequado ao novo período.
alguns defeitos”. Começando com: “O livro apresenta alguns de-
feitos, - o sentido do trecho não se altera se continuar com: 09. Penso, logo existo. Comece com: Existo ........................
a) desde que bem cuidado a) na medida em que
b) contanto que bem cuidado b) conforme
c) à medida que é bem cuidado c) pois
d) tanto é que bem cuidado d) enquanto
e) ainda que bem cuidado e) à medida que

06. (Esaf) Já foram registradas na floresta amazônica brasilei- 10. Eu gritei, mas ninguém ouviu. Comece com: Ninguém me
ra 2.500 espécies de Árvores. Em apenas um hectare são encon- ouviu ........
tradas trezentas espécies de vegetais diferentes. ......................... , o a) visto que
b) portanto
consumo e a miséria são faces da mesma moeda. Alguns recursos
c) então
naturais, renováveis ou não, são explorados de forma inescrupulo-
d) ainda que
sa e consumidos em ritmo superior a capacidade de renovação da
e) por isso
natureza.
(FGV) Leia o trecho a seguir para responder à questão 11.
Para unir as duas partes do texto de forma coerente, assinale
a expressão correta. No ano 2000, a Organização Mundial da Saúde calculou que
a) Na medida em que doenças atribuíveis a mudanças climáticas haviam sido responsá-
b) Assim que veis pela perda de 188 milhões de anos de vida por morte prema-
c) Por muito que tura ou incapacidade física, apenas na América Latina e Caribe; na
d) A medida que África, foram 307 milhões de anos; no sudeste asiático, 1,7 bilhão.
e) No entanto Esses números contrastam com os dos países industrializados: 8,9
milhões.

Didatismo e Conhecimento 84
LÍNGUA PORTUGUESA
11. O pronome destacado acima tem valor a) devidamente - priorizará - arregimentação
a) catafórico b) legitimamente - incorporará - movimento
b) dêitico c) naturalmente - corroborará - circulação
c) anafórico d) ingenuamente - incitará - mobilização
d) expletivo e) instintivamente - alavancará - progresso
e) fático
16. (Fundação Carlos Chagas) Parece-nos plausível que venha
12. (FGV) Mas a correlação de forças não lhes permite ir mais a ocorrer exacerbação dos ânimos, pois a decisão foi tomada arbi-
longe, e essa paralisia favorece o retorno dos acordos bilaterais ou trariamente. Têm significação oposta à dos termos sublinhados na
regionais. Com isso, falta um projeto mundial coerente em que o frase acima, respectivamente:
desenvolvimento do comércio seja articulado ao equilíbrio social a) inverossímil, pacificação, pressurosamente
e ambiental. Os pronomes em destaque no trecho selecionado têm, b) inadmissível, apaziguamento, criteriosamente
respectivamente, valor c) inaceitável, apaziguamento, gratuitamente
a) catafórico e catafórico d) inadmissível, arrefecimento, injustificadamente
b) anafórico e anafórico e) reprovável, tensionamento, sensatamente
c) dêitico e dêitico
d) anafórico e catafórico 17. (Fundação Carlos Chagas) Ele sempre demonstrou ani-
e) catafórico e anafórico mosidade para com os mais jovens, sobretudo quando estes, inad-
vertidamente, dispõem-se a falar sobre temas tidos como polêmi-
13. (Quadrix) Mesmo quando criados  em cativeiro, os ani- cos.
mais viveriam em condições degradantes  e padeceriam horrores
na hora de extrair a pele. Os termos sublinhados poderiam ser substituídos, sem prejuí-
O conector “mesmo”, em destaque no texto, participa de um zo para o sentido da frase, por, respectivamente,
processo de coesão, por meio da indicação de uma circunstância a) intolerância, apressadamente e incontroversos.
de: b) boa vontade, pressurosamente e delicados.
a) consequência c) tolerância, inocentemente e indevassáveis.
b) conclusão
d) má vontade, irrefletidamente e controversos.
c) explicação
e) impaciência, descuidadamente e improcedentes.
d) condição
e) concessão
18. (Consulplan) “Muito embora nada justifique essa prática
execrável,...” A palavra destacada anteriormente pode ser substi-
(Quadrix) Leia o trecho abaixo para responder à questão 14.
tuída, sem perda semântica, por:
a) exigente
O brasileiro Anderson Silva não tem mesmo sorte diante de
b) abominável
Chris Weidman. Ao tentar retomar o cinturão dos médios no UFC
c) independente
168, ele acabou sofrendo uma séria lesão e ainda não sabe quando
poderá voltar ao octógono. Ele não foi bem no lº round, mas no d) automática
seguinte tentava ditar o ritmo da luta quando acertou um chute e) comparável
no rival e acabou tendo uma fratura na canela esquerda. Teve de
desistir do combate e viu o cinturão ficar mais distante. 19. (Consulplan) Em “A crise tem características peculiares.”
A palavra destacada apresenta como significado correto:
14. Sobre a palavra “ele”, em destaque, assinale a alterna- a) conhecedor das coisas divinas e humanas.
tiva correta. b) exorbitantes
a) Evita a repetição de um termo, participando de um processo c) desarranjadas, transtornadas
de coesão referencial anafórica. d) ameaçadoras
b) Evita a repetição de um termo, participando de um processo e) que é atributo particular duma pessoa ou coisa.
de coesão referencial catafórica.
c) Morfologicamente, é classificada como uma preposição. 20. (Consulplan) Assinale a alternativa em que o significado
d) Morfologicamente, é classificada como um pronome pes- da palavra destacada encontra-se incorreto.
soal oblíquo. a) “Não havia celular ou internet...” (existia)
e) Morfologicamente, é classificada como um pronome de- b) “Eu mandava as novidades à mão.” (enviava, remetia)
monstrativo. c) “Óbvio que toda essa modernidade trouxe milhões de coi-
sas boas.” (evidente, incontestável)
15. (Fundação Carlos Chagas) A primeira pergunta que se co- d) “Em que o destino agia mais...” (lugar aonde se dirige
loca espontaneamente é se a União Monetária favorecerá a mobi- alguém ou algo; direção)
lidade da mão de obra no interior da chamada “zona do euro”, ou e) “A impressão é de que estaríamos desistindo da vida em
“Eurolândia”. Os termos grifados na frase acima podem ser substi- sociedade...” (renunciando)
tuídos corretamente, sem prejuízo do sentido original, por:

Didatismo e Conhecimento 85
LÍNGUA PORTUGUESA
GABARITOS 12 B
13 E
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
14 A
1. 15 C
a) Junto à fonte vi uma jovem a quem pedi um pouco d’ água. 16 B
b) Veja o perigo a que você se expõe.
17 D
c) Antes do jogo houve uma cerimônia cívica, durante a qual
o povo se manteve em silêncio. 18 B
d) O crítico elogiou o filme de que (do qual) Woody Allen 19 E
participou. 20 D
e) Denise, cujo pai é professor, foi aprovada no concurso.
f) O futebol é um esporte de que o povo gosta muito.
g) O escritor cuja obra foi censurada vive no anonimato. TESTES DE REVISÃO
h) Marisa Monte de quem sou admirador gravou novo CD.
i) Você se referiu à obra que está esgotada. 1. (Vunesp) Se você o ............... peça que ele lhe mostre os
j) Telefonou-me um político em cujas informações não acre- ............... que está fazendo. São verdadeiras ............... . Preenchem
dite corretamente as lacunas do fragmento acima as palavras da alter-
nativa
2. Respostas sugeridas: a) ver, corrimão, obras-primas
a) se, quando b) vir, corrimãos, obras-primas
b) para, mas, porque c) ver, corrimãos, obras-prima
c) apesar de, já que, a fim de d) ver, corrimães, obra-prima
d) ainda que; uma vez que; por isso e) vir, corrimães, obra-prima
e) contudo, enquanto, ao passo que
2. (Vunesp) ......................... escolas que, no decorrer dos
3. anos, não fazem alteração nas turmas, pois .................... no cresci-
(5) percorrer a pé mento do vínculo entre os colegas. É verdade que o tempo ajuda
(3) gastar, levar a fortalecer a convivência, mas é preciso ter cuidado para que não
(2) providenciar, abastecer .................... os papéis desempenhados por alguns da turma. Às
(6) preparar a terra para o plantio, cultivar vezes, um jovem assume uma função da qual não consegue se li-
(4) diminuir, emagrecer bertar, e a mudança de sala de um ano para o outro pode levá-lo
(1) trabalhar em garimpo, explorar pedras preciosas a reconstruir uma nova identidade como estudante. (Nova Escola
- Gestão Escolar, abril/maio de 2011)
4.
(5) loquaz As lacunas do texto devem ser preenchidas, correta e respec-
(3) pródigo tivamente, com:
(4) atividade a) Existem ... apostam ... se cristalizem
(1) excluir b) Há ... apostam ... cristalizem-se
(2) fundamental c) Se veem ... se aposta ... se cristalize
(6) prolixo d) Conhecem-se ... aposta-se ... cristalizem-se
e) Existe ... apostam ... se cristalize
TESTES DE CONCURSOS
3. (Vunesp) O autor afirma que vemos cada vez mais pessoas
01 D públicas dizendo “tu vai” e “ele afirmou de que”. A correção des-
02 D sas duas ocorrências se faz com a sua substituição por
03 B a) tu vades e ele afirmou a que
b) tu vais e ele afirmou que
04 E
c) tu ides e ele afirmou em que
05 E d) tu ides e ele afirmou que
06 E e) tu vais e ele afirmou a que
07 E
4. (Vunesp) Assinale a alternativa correta quanto à concor-
08 D dância e ao emprego de pronome, em conformidade com a norma-
09 C -padrão.
10 D a) Vou ter que arrancar o teu dente, senhor. Já existe poucos
11 C dentes em tua boca e, se não fizer um tratamento rápido, vai perder
eles.

Didatismo e Conhecimento 86
LÍNGUA PORTUGUESA
b) Vou ter que arrancar o seu dente, senhor. Já há poucos den- Está correto o contido em
tes em sua boca e, se não fizer um tratamento rápido, vai perdê-los. a) I e II, apenas
c) Vou ter que arrancar o vosso dente, senhor. Já tem poucos b) II e IV apenas
dentes em vossa boca e, se não fizer um tratamento rápido, vai lhes c) III e IV apenas
perder. d) II, apenas
d) Vou ter que arrancar o teu dente, senhor. Já se vê poucos e) IV, apenas
dentes em sua boca e, se não fizer um tratamento rápido, vai per-
der-nos. (Vunesp) Nas questões 9 e 10, assinale a alternativa correta
e) Vou ter que arrancar o seu dente, senhor. Já têm poucos den- quanto ao emprego das palavras e à concordância entre elas.
tes em sua boca e, se não fizer um tratamento rápido, vai perder-
-lhes. 9.
a) Não sou capaz de saber se a vida deles está indo mau.
5. (Vunesp) Assinale a alternativa em que a regência verbal e o b) O poema nos mostra como foi criado a lua e as estrelas.
emprego e a colocação do pronome pessoal estão corretos. c) A mentalidade das pessoas foram se modificando.
a) Já avisaram-la que não é nada original a ideia de queimar d) Será homenageados o professor e o aluno mais simpáticos.
sutiãs em prol dos direitos iguais da mulher? e) Haverá muitos candidatos preparados para a prova.
b) Já avisaram-lhe que não é nada original a ideia de queimar
sutiãs em prol dos direitos iguais da mulher? 10.
c) Já avisaram-na de que não é nada original a ideia de quei- a) Lá fora está uns pais de alunos querendo ser atendidos.
mar sutiãs em prol dos direitos iguais da mulher? b) Foi realizado alguns trabalhos de prevenção contra a den-
d) Já lhe avisaram de que não é nada original a ideia de quei- gue.
mar sutiãs em prol dos direitos iguais da mulher? c) Muitas pessoas ficou chocada com o caso do gerente que
e) Já a avisaram de que não é nada original a ideia de queimar cortou a mão.
sutiãs em prol dos direitos iguais da mulher? d) Os jovens que são moderno prefere pagode a rock.
e) As famílias haviam se mudado, esperançosas, para o Brasil.
6. (Vunesp) Considere o texto a seguir. Até muito recentemen-
te, ainda .................... muitos pontos de vista sobre o tema do aque- 11. (Vunesp) Nenhum de nós ......................... dizer
cimento global. Mesmo nos dias atuais, ainda .................... pes- ........................... o ......................... cidadão portou-se tão
quisadores que não chegaram à conclusão .................... a emissão ................... .
de gases é a principal responsável pela elevação das temperaturas a) soubemos, porque, eminente, mau
e nem têm certeza de que o homem seja o maior responsável por b) soubemos, por quê, iminente, mal
essa emissão. c) soube, por que, eminente, mal
d) soube, porque, eminente, mau
Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamen- e) soube, porquê, iminente, mal
te, as lacunas do texto.
a) havia ... existe ... que 12. (Vunesp) .................... sentido a produção, nos países ári-
b) havia ... existem ... de que dos, de certas variedades destinadas .......... exportação, mediante
c) haviam ... existem ... que um gasto .................... de água?
d) haviam ... existe ... de que a) Faz, à, excessivo
e) havia ... existe ... de que b) Faz, a, ecessivo
c) Fazem, à, excessivo
7. (Vunesp) Considerando o emprego do verbo e a regência d) Faz, a, excessivo
verbal, assinale a alternativa correta. e) Fazem, a, escecivo
a) O policial interviu no caso e foi bem sucedido.
b) A empresa de que você confia não cumpriu o que foi con- 13. (Vunesp) Assinale a frase gramaticalmente correta.
tratado. a) A praia estava meia deserta porque chovera muito.
c) Se você querer mais informações, pergunte a Jordão. b) Bastante alunos fizeram suas matrículas ontem.
d) Prefiro mais trabalhar aqui do que sair da cidade. c) Sobraram lugares no ônibus, viajaram menas pessoas.
e) Continua ainda o desentendimento a que você se referiu. d) Não pude comprar a cal porque estava sem dinheiro.
e) Tomei dois meio copos de vinho.
8. (Vunesp) Considere as frases:
I. Quando pedi, ela trouxe um copo com água para mim beber. 14. (Vunesp) A polícia já está .................... preocupada com
II. Infelizmente, houveram muitas pessoas que telefonaram eles, pois .................... os ladrões no início da tarde.
para pedir informações. a) menas ... deteve
III. Vamos se encontrar amanhã, na praça central? - pergun- b) menas ... deteu
tou-lhe aflita a moça. c) menos ... deteu
IV. Ela mesma deverá assinar o documento desistindo da com- d) menos ... deteve
pra do apartamento. e) menas ... deteram

Didatismo e Conhecimento 87
LÍNGUA PORTUGUESA
15. (Vunesp) As Nações Unidas ......................... uma políti- 20. (Vunesp) A crescente tolerância das leis penais brasilei-
ca destinada .......... ......................... experiências com a clonagem ras, que ........... anos .................... sendo mudadas de forma sis-
humana. temática para ampliar benefícios e direitos de réus e condenados,
a) adotou, à, disuadir .................... como um convite para que os crimes se repitam e
b) adotaram, há, disuadir se agravem. (J. R. Guzzo. Uma justiça que dá pena. Exame,
c) adotou, à, dissuadir 20.2.2002)
d) adotaram, a, disuadir Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamen-
e) adotaram, a, dissuadir te, as lacunas do texto
a) a - vem - funciona
b) há - vem - funcionam
16. (Vunesp) Assinale a alternativa que preenche correta e
c) a - vêm - funciona
respectivamente as lacunas do trecho: O grupo prosseguiu alegre-
d) há - vêm - funcionam
mente, só tornando ................. se preocupar um pouco na hora em
e) há - vêm - funciona
que, já chegando ....... entrada do camarote, alguns pedestres asse-
diaram o grupo, tentando pegar autógrafos das celebridades e, ....... 21. (Vunesp) Assinale a alternativa que preenche, corre-
vezes, ............................................ um pouco ao ........................... ta e respectivamente, as lacunas do texto: ......................... que,
........ sua animação. ......................... 68 ......................... o imaginário coletivo não
a) à, à, às, esorbitando, extravasar como uma utopia realizada, existiria mais ......................... em nos-
b) a, à, às, exorbitando, extravazar sa visão da história.
c) à, a, as, esorbitando, extravazar a) Diria-se ... se caso ... povoasse ... lucidez
d) a, à, às, exorbitando, extravasar b) Dir-se-ia ... se ... povoasse ... lucidez
e) a, a, às, exorbitando, extravazar c) Diria-se ... caso ... povoe ... lucidez
d) Se diria ... se ... povoaria ... lucidês
17. (Vunesp) Assinale a alternativa correta quanto ao uso e à e) Dir-se-ia ... se caso ... povoava ... lucidês
grafia das palavras.
a) Na atual conjetura, nada mais se pode fazer. 22. (Vunesp) A regência verbal e nominal e o emprego do si-
b) O chefe deferia da opinião dos subordinados. nal indicativo de crase estão de acordo com a norma culta em:
c) O processo foi julgado em segunda estância. a) Nosso imaginário ainda persiste em guardar à lembrança de
68, como uma lição à todas as gerações.
d) O problema passou despercebido na votação.
b) Quem não lembra daquele ano? Aliás, de 68 à 70 os jovens
e) Os criminosos espiariam suas culpas no exílio.
questionaram ao regime militar.
c) Os jovens de 68 legaram às gerações futuras uma história
18. (Vunesp) Não há improbidade vocabular ou erro de grafia mítica, baseada em resistir àquelas formas de opressão.
apenas na alternativa: d) luta não se limitou à perspectivas políticas; estendeu-se à
a) O equipamento que por ventura não estiver condicionado aspectos da vida cotidiana.
em embalagens resistentes deverá ser reembalado. e) Essa geração revolucionou à cultura, e dela herdamos à
b) Os casos de usocapião estão sendo tratados diretamente concepção romântica de lutar por ideais.
pelo sub-diretor da assessoria jurídica, que é um proeminente ju-
rista. 23. (Vunesp) Assinale a alternativa que preenche, correta e
c) Um bom profissional não deve exitar em usar seus conhe- respectivamente, os espaços das frases: O que nos entusiasma-
cimentos para solucionar os problemas de sessão em que trabalha va eram as palavras daqueles .................... muito respeitados
na empresa. ................... sempre confiamos.
d) Ninguém está autorizado a distratar um colega ou cliente; a) cidadãos … nos quais
deve-se grangear-lhes a confiança. b) cidadões … os quais
e) Há um subitem da norma que não está sendo considerado, c) cidadães … nos quais
e tampouco é conhecido... d) cidadãos … os quais
e) cidadões … dos quais
19. (Vunesp-adaptada) Assinale a alternativa que não conte-
24. (Vunesp) Atente para as afirmações:
nha erros de concordância, grafia ou conjugação.
I. Na frase - A despeito de todas as diferenças étnicas, cultu-
a) Se nós pormos o texto no papel, veremos a necessidade de
rais e econômicas, a humanidade compartilha de uma necessidade
umas correções. básica: a saúde. - a expressão A despeito de tem sentido de con-
b) Quando irmos à livraria, deveremos consultar um manual tanto que.
da língua. II. Quanto à pontuação, está correta a frase: Cirurgiões-den-
c) Os erros, muitas vezes, proveem de certa desatenção ao es- tistas brasileiros espera-se que os senhores possam colaborar, em
crever Moçambique, com a recuperação da saúde bucal das pessoas.
d) Se nós querermos melhorar a escrita, o ideal será ler e es- III. A alteração da frase - ... políticas públicas de saúde que
crever bastante. servem de modelo para o mundo. - está gramaticalmente correta
e) Quando vir um erro, o ideal será corrigi-lo prontamente. em: políticas públicas de saúde que se prestam a modelo para o
mundo.

Didatismo e Conhecimento 88
LÍNGUA PORTUGUESA
IV. Na frase - ... mas é gratificante acompanhar nossas con- c) intervieram … à … previu … há
quistas servindo de exemplo para populações tão diversas social- d) intervieram … a … previu … há
mente. - as palavras tão e socialmente indicam, respectivamente, e) interviram … à … preveu … à
ideia de intensidade e de modo.
(Vunesp) Nas questões 28 e 29, assinale a alternativa que
Está correto apenas o que se afirma em completa, correta e respectivamente, os espaços das frases dadas.
a) I e II
b) II e III 28. Se o Eron .................... amanhã, nós, como .................... res-
c) I e III ponsáveis, também .................... esforçaremos para estar lá com ele.
d) II e IV a) for ... cidadãos ... se
e) III e IV b) ir ... cidadões ... nos
c) for ... cidadões ... se
25. (Vunesp) Esse é um novo tipo de ser humano que, até d) ir ... cidadãos ... nos
que a televisão o revelasse, nunca se suspeitara existir. Mas, pelo e) for ... cidadãos ... nos
que se vê, tem proliferado de maneira incontrolável, uma vez que
não há novela global que não nos mostre algum exemplar dessa Ontem era para ......................... comprar algumas garrafas de
nova espécie de gente. Substituindo-se o verbo haver pela locução vinho e dois ......................... , mas os fiscais ......................... o carro
deve haver, no pretérito imperfeito do indicativo, e flexionando-se do vendedor.
o substantivo novela no plural, obtém-se, de acordo com as regras a) eu ... saca-rolhas ... retiveram
gramaticais, a seguinte frase: b) mim ... sacas-rolhas ... reteram
a) ... não devem haver novelas globais... c) eu ... sacas-rolha ... reterão
b) ... não devia haver novelas globais... d) mim ... saca-rolhas ... retiveram
c) ... não deveriam haver novelas globais... e) eu ... sacas-rolhas ... reteram
d) ... não deviam haver novelas globais...
e) ... não deverão haver novelas globais... 30. (Vunesp) Considere as afirmações:
I. Na frase - A maioria dos comentaristas demorou a entender as
26. (Vunesp) Atente para as afirmações: reais dimensões da crise. - substituindo-se o verbo entender por des-
I. Na frase - O maior acelerador de partículas foi concebido cobrir, a regência verbal deverá ser alterada para - A maioria dos co-
para explorar os enigmas do Universo - a expressão em destaque mentaristas demorou a descobrir sobre as reais dimensões da crise.
pode ser substituída corretamente por um pronome pessoal, do se- II. Em - Perceberam-se os riscos. - a colocação pronominal será
guinte modo: explorar-los. alterada caso a frase seja transposta para a forma negativa - Não se
II. No trecho - Sabemos que, apesar dos grandes conhecimen- perceberam os riscos.
tos sobre o Universo, desconhecemos 95% da matéria, e agora te- III. Em - Disseram aos investidores que tudo estava bem. -
mos o mecanismo para transformar a teoria filosófica do Big Bang substituindo-se a expressão aos investidores por um pronome tem-
em física experimental… - todos os verbos estão conjugados no -se - Disseram-lhes que tudo estava bem.
presente do indicativo.
III. No trecho - Ele é um acelerador de partículas que muitos Está correto apenas o que se afirma em
temem, acreditando que irá abrir um buraco negro forte o suficien- a) I
te para engolir o planeta e a alma dos pecadores… - o termo em b) II
destaque estabelece relação de finalidade. c) III
d) I e II
Está correto apenas o que se afirma em e) II e III
a) I
b) II TESTES DE CONCURSOS
c) III
d) I e II 01 B
e) II e III
02 A
27. (Vunesp) Considere o trecho - Os cientistas do Conselho 03 B
Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN) .................... no colisor de 04 B
partículas e iniciaram .......... aceleração de prótons que colidirão,
05 E
emitindo partículas ainda menores, cuja vedete é o bóson de Hi-
ggs, assim chamada em homenagem ao cientista Peter Higgs, que 06 B
................... sua existência .......... 30 anos. 07 E
08 E
As lacunas podem ser corretamente preenchidas, de acordo
com a norma culta da língua portuguesa, respectivamente, por 09 E
a) interviram … à … preveu … há 10 E
b) interviram … a … previu … a

Didatismo e Conhecimento 89
LÍNGUA PORTUGUESA
11 C gundo essas leis, se você quer aumentar as suas chances, só existe
uma saída: aposte mais no que você quer de verdade. Revista Co-
12 A nhecer. São Paulo: Duetto. n. 28, out. 2011, p. 49. Adaptado.
13 D
14 D 01. (Cesgranrio) De acordo com o texto, a pergunta feita no
subtítulo “Afinal, existe sorte e azar?” é respondida da seguinte
15 E
maneira:
16 D a) Depende das pessoas, umas têm mais sorte.
17 D b) A sorte e o azar podem estar, ou não, no número 13.
18 E c) Sorte e azar são frutos do acaso ou da aleatoriedade.
d) Como são ocorrências prováveis, pode-se ter mais azar.
19 E e) A fé de cada um em elementos, como os números, pode dar
20 E sorte.
21 B
02. (Cesgranrio) O período em que a expressão no fundo está
22 C
usada com o mesmo sentido com que é empregada na primeira
23 A linha do texto é:
24 E a) A horta está no fundo do quintal.
25 B b) Procure na mala toda, até no fundo.
c) No fundo do corredor, está a melhor loja.
26 C d) No fundo, acredito que tudo sairá bem.
27 D e) No fundo do poço, ninguém vê saída para problemas.
28 E
03. (Cesgranrio) No trecho “Os romanos criaram o verbo sors,
29 A
do qual deriva a ‘sorte’ de todos nós que falamos português” (iní-
30 E cio do segundo parágrafo), sorte designa
a) uma ideia
b) uma palavra
PROVAS DE LÍNGUA PORTUGUESA (BANCOS) c) um conceito
d) o contrário de azar
ESCRITURÁRIO - BANCO DO BRASIL - 2012 e) o adjetivo do verbo sortear

SORTE: TODO MUNDO MERECE 04. (Cesgranrio) A oração “envolvendo o número” (final do
Afinal, existe sorte e azar? primeiro parágrafo) pode ser substituída, sem prejuízo do sentido
original, pela seguinte oração:
No fundo, a diferença entre sorte e azar está no jeito como a) por envolver o número.
olhamos para o acaso. Um bom exemplo é o número 13. Nos EUA, b) que envolviam o número.
a expedição da Apollo 13 foi uma das mais desastrosas de todos os c) se envolvessem o número.
tempos, e o número levou a culpa. Pelo mundo, existem constru- d) já que envolvem o número.
tores que fazem prédios que nem têm o 13o andar, só para fugir do e) quando envolveram o número.
azar. Por outro lado, muita gente acha que o 13 é, na verdade, o nú-
mero da sorte. Um exemplo famoso disso foi o então auxiliar téc- 05. (Cesgranrio) A palavra mesmo está sendo empregada com
nico do Brasil, Zagallo, que foi para a Copa do Mundo de (19)94 o sentido igual ao que se verifica em “o Brasil foi campeão mes-
(a soma dá 13) dizendo que o Mundial ia terminar com o Brasil mo” (final do primeiro parágrafo), na seguinte frase:
campeão devido a uma série de coincidências envolvendo o núme-
a) O diretor preferiu ele mesmo entregar o relatório ao con-
ro. No final, o Brasil foi campeão mesmo, e a Apollo 13 retornou a
selho.
salvo para o planeta Terra, apesar de problemas gravíssimos.
b) Mesmo sabendo que a proposta não seria aceita, ele a en-
Até hoje não se sabe quem foi o primeiro sortudo que quis
viou.
homenagear a sorte com uma palavra só para ela. Os romanos cria-
c) Fui atendido pelo mesmo vendedor que o atendeu anterior-
ram o verbo sors, do qual deriva a “sorte” de todos nós que fala-
mente.
mos português. Sors designava vários processos do que chamamos
d) Você sabe mesmo falar cinco idiomas fluentemente?
hoje de tirar a sorte e originou, entre outras palavras, a inglesa
sorcerer, feiticeiro. O azar veio de um pouco mais longe. A palavra e) Ele ficou tão feliz com a notícia que pensou mesmo em sair
vem do idioma árabe e deriva do nome de um jogo de dados (no dançando.
qual o criador provavelmente não era muito bom). Na verdade, ele
poderia até ser bom, já que azar e sorte são sinônimos da mesma 06. (Cesgranrio) O trecho “apesar de problemas gravíssimos”.
palavra: acaso. Matematicamente, o acaso – a sorte e o azar – é a (final do primeiro parágrafo) é reescrito de acordo com a norma-
aleatoriedade. E, pelas leis da probabilidade, no longo prazo, todos -padrão, mantendo o sentido original, se tiver a seguinte forma:
teremos as mesmas chances de nos depararmos com a sorte. Se- a) ainda que houvessem problemas gravíssimos.
b) apesar de que aconteceu problemas gravíssimos.

Didatismo e Conhecimento 90
LÍNGUA PORTUGUESA
c) a despeito de acontecesse problemas gravíssimos. ESCRITURÁRIO – BANCO DO BRASIL - 2013
d) embora tenham ocorrido problemas gravíssimos.
e) não obstante os problemas gravíssimos que ocorreu. (Fundação Carlos Chagas) Para responder às questões de nú-
meros 1 a 6, considere o texto abaixo.
07. (Cesgranrio) No texto, diz-se que “o criador provavel-
mente não era muito bom [no jogo de dados]” (meio do segundo Ao longo do século XVII, a Holanda foi um dos dois motores
parágrafo) porque de um fenômeno que transformaria para sempre a natureza das re-
a) o jogo deu origem à palavra azar. lações internacionais: a primeira onda da chamada globalização. O
b) o jogo que criou continha imperfeições. outro motor daquela era de florescimento extraordinário das trocas
c) só um árabe sabe jogar dados bem. comerciais e culturais era um império do outro lado do planeta −a
d) em jogos de dados sempre alguém perde. China. Só na década de 1650, 40 000 homens partiram dos portos
e) as pessoas que criam não sabem jogar bem. holandeses rumo ao Oriente, em
busca dos produtos cobiçados que se fabricavam por lá. Mas a
08. (Cesgranrio) A frase em que a presença ou ausência da derrota em uma guerra contra a França encerrou os dias da Holan-
preposição está de acordo com a norma-padrão é: da como força dominante no comércio mundial.
a) A certeza que a sorte chegará para mim é grande. Se o século XVI havia sido marcado pelas grandes descober-
b) Preciso de que me arranjem um emprego. tas, o seguinte testemunhou a consequência maior delas: o estabe-
c) Convidei à Maria para vir ao escritório. lecimento de um poderoso cinturão de comércio que ia da Europa
d) A necessidade que ele viesse me ajudar me fez chamá-lo.
à Ásia. “O sonho de chegar à China é o fio imaginário que percorre
e) Às dez horas em ponto, estarei à sua casa.
a história da luta da Europa para fugir do isolamento”, diz o es-
critor canadense Timothy Brook, no livro O chapéu de Vermeer.
09. (Cesgranrio) O verbo entre parênteses está conjugado de
acordo com a norma-padrão em: Isso determinou mudanças de comportamento e de valores:
a) Desse jeito, ele fale a loja do pai. (falir) “Mais gente aprendia novas línguas e se ajustava a costumes des-
b) O príncipe branda a sua espada às margens do rio. (bran- conhecidos”. O estímulo a esse movimento era o desejo irreprimí-
dir) vel dos ocidentais de consumir as riquezas produzidas no Oriente.
c) Os jardins florem na primavera. (florir) A princípio refratários ao comércio com o exterior, os governantes
d) Eu me precavejo dos resfriados com boa alimentação. (pre- chineses acabaram rendendo-se à evidência de que o comércio sig-
caver) nificava a injeção de riqueza na economia local (em especial sob a
e) Nós reouvemos os objetos roubados na rua. (reaver). forma de toneladas de prata).
Sob vários aspectos, a China e a Holanda do século XVII
10. (Cesgranrio) O uso de sinais (aspas e travessão) está ade- eram a tradução de um mesmo espírito de liberdade comercial.
quado à norma-padrão, que deve ser observada em uma correspon- Mas deveu-se só à Holanda a invenção da pioneira engrenagem
dência oficial, na seguinte frase: econômica transnacional. A Companhia das Índias Orientais − a
a) O artigo sobre o “processo de desregulamentação” foi pu- primeira grande companhia de ações do mundo, criada em 1602 −
blicado na Folha de São Paulo. foi a mãe das multinacionais contemporâneas.Beneficiando-se dos
b) As chuvas de verão — fenômenos que se repetem desde há baixos impostos e da flexibilidade administrativa, ela tornou-se a
muito tempo podem ser previstas. grande potência empresarial do século XVII. (Adaptado de: Mar-
c) “Mutatis mutandis”, as novas diretrizes da direção em nada celo Marthe. Veja, p. 136-137, 29 ago. 2012)
alteram as antigas.
d) O cuidado com a saúde — meta prioritária do governo, será 01. De acordo com o texto,
ainda maior. a) durante os séculos XVI e XVII, os produtos orientais, espe-
e) — O diretor disse: Demita-se o funcionário. cialmente aqueles que eram negociados na China, constituíram a
base do comércio europeu, em que se destacou a Holanda.
GABARITO b) a eficiência administrativa de uma empresa comercial cria-
da na Holanda, durante o século XVII, favoreceu o surgimento
01 C desse país como um dos polos iniciais do fenômeno da globali-
02 E zação.
03 C c) a atração por produtos exóticos, de origem oriental, deter-
minou a criação de empresas transnacionais que, durante os sécu-
04 E los XVI e XVII, dominaram o comércio entre Europa e Ásia.
05 B d) a China, beneficiada pelo comércio desde o século XVI,
06 E rivalizou com a Holanda no predomínio comercial, em razão da
grande procura por seus produtos, bastante cobiçados na Europa.
07 A
e) apesar do intenso fluxo de comércio com o Oriente no sé-
08 A culo XVII, as mudanças de valores por influência de costumes
09 B diferentes aceleraram o declínio da superioridade comercial ho-
10 A landesa.

Didatismo e Conhecimento 91
LÍNGUA PORTUGUESA
02. ... daquela era de florescimento extraordinário das trocas 06. A princípio refratários ao comércio com o exterior, os go-
comerciais e culturais ... (1o parágrafo) vernantes chineses acabaram rendendo-se à evidência de que o co-
Dados constantes do texto, que confirmam a observação aci- mércio significava a injeção de riqueza na economia local.
ma, dizem respeito A afirmativa acima está corretamente transcrita, com lógica e
a) ao aprendizado de novos modelos de comércio entre nações clareza, em:
geograficamente distantes e à influência chinesa no continente eu- a) De início, os governantes chineses acabaram aceitando o
ropeu. comércio exterior, pois trazia riqueza na economia local, o que era
b) às grandes descobertas que marcaram os séculos XVI e contrário às evidências.
XVII e à possibilidade de comércio com a França. b) A riqueza que entrava na economia local através do co-
c) ao grande número de comerciantes que saíam da Holanda mércio com o exterior, os governantes chineses aceitaram esses
para o Oriente e ao contato com novos idiomas e diferentes modos resultados, apesar de ser contrários a eles.
de vida. c) O comércio com outras nações no exterior, os governantes
d) ao espírito de liberdade na busca de produtos ainda desco- chineses acabaram percebendo a entrada de riquezas na economia
nhecidos por eventuais consumidores europeus e ao acúmulo de local, mesmo se opondo a ele de início.
riqueza. d) Intrigados com a origem exterior do comércio, os gover-
e) à superioridade administrativa da Companhia das Índias nantes chineses evidenciaram que o tal comércio trazia riqueza
Orientais e ao comércio ultramarino de produtos de origens di- para a economia desse local.
versas. e) Os governantes chineses que, de início, se opunham à aber-
tura comercial com outras nações, mudaram seu posicionamento
03. Isso determinou mudanças de comportamento e de valores ao perceberem os resultados econômicos desse comércio.
... (3o parágrafo) O pronome grifado evita a repetição, no texto, da
expressão: (Fundação Carlos Chagas) Para responder às questões de nú-
a) o estabelecimento de um poderoso cinturão de comércio. meros 7 e 8, considere o Texto I, abaixo.
b) b) a primeira onda da chamada globalização.
c) a derrota em uma guerra contra a França. Sustentabilidade é um conceito sistêmico, relacionado com
d) o desejo irreprimível dos ocidentais. a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e am-
e) a injeção de riqueza na economia local. bientais da sociedade humana.
Desenvolvimento sustentável foi um termo utilizado pela pri-
04. “O sonho de chegar à China é o fio imaginário que per- meira vez em 1987, como resultado da Assembleia Geral das Na-
corre a história da luta da Europa para fugir do isolamento”. (2o ções Unidas, e definido como aquele que “atende as necessidades
parágrafo) do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras
O estímulo a esse movimento era o desejo irreprimível dos de atenderem as suas”.
ocidentais de consumir as riquezas produzidas no Oriente. (3o pa- Trata-se, portanto, de uma nova visão de mundo com impli-
rágrafo) cação direta nas relações político-sociais, econômicas, culturais e
Considerando-se o contexto, as expressões grifadas nas afir- ecológicas, ao integrar em um mesmo processo o equilíbrio en-
mativas acima seriam corretamente substituídas, respectivamente, tre as dimensões econômicas, sociais e ambientais. Diz respeito
por: à necessidade de revisar e redefinir meios de produção e padrões
a) o caminho fictício - A causa desse impulso de consumo vigentes, de tal modo que o crescimento econômico
b) o desejo consumista - A busca de riqueza não seja alcançado a qualquer preço, mas considerando-se os im-
c) o intenso comércio - A cobiça de bens pactos e a geração de valores sociais e ambientais decorrentes da
d) a finalidade lucrativa - O motor desse fenômeno atuação humana. (Adaptado de: http://www.bb.com.br/portalbb/
e) a onda inicial - A curiosidade pelo desconhecido page251,8305, 3912,0,0,1,6.bb?codigoNoticia=28665)

05. A Companhia das Índias Orientais − a primeira grande 07. O sentido do Texto I está corretamente exposto em:
companhia de ações do mundo, criada em 1602 − foi a mãe das a) Tentar diminuir os atuais padrões de consumo será o melhor
multinacionais contemporâneas. caminho para se chegar a um real desenvolvimento econômico, de
O segmento isolado pelos travessões constitui, no contexto, acordo com a proposta das Nações Unidas.
comentário que b) Só será possível atender as necessidades futuras com um
a) especifica as qualidades empresariais de uma companhia real crescimento econômico de todos os meios de produção, inde-
de comércio. pendentemente dos atuais padrões de consumo.
b) contém informações de sentido explicativo, referentes à c) O conceito de sustentabilidade é relativamente datado, pois
empresa citada. o crescimento econômico ampliou a necessidade da interferência
c) enumera as razões do sucesso atribuído a essa antiga em- humana na exploração do meio ambiente.
presa. d) Desenvolvimento sustentável é aquele em que há equilíbrio
d) enfatiza, pela repetição, as vantagens oferecidas pela em- entre meios de produção e padrões de consumo vigentes, ao lado
presa. de uma preocupação ecológica, de preservação ambiental.
e) busca restringir o âmbito de ação de uma antiga empresa e) O sistema econômico sustentável, como propôs em 1987 a
de comércio. Assembleia das Nações Unidas, não condiz com uma visão moder-
na dos padrões de consumo vigentes.

Didatismo e Conhecimento 92
LÍNGUA PORTUGUESA
08. ... que o crescimento econômico não seja alcançado a 10. ... mas se tornou obsoleta antes mesmo de ser finalizada ...
qualquer preço, mas considerando-se os impactos e a geração de O fato que justifica a afirmativa acima está expresso em:
valores sociais e ambientais decorrentes da atuação humana. a) atrasos na construção da ferrovia.
O sentido da afirmativa acima está corretamente reproduzido, b) insalubridade da floresta, que originava doenças.
em linhas gerais e com outras palavras, em: c) declínio do comércio da borracha, na época.
a) o preço do crescimento econômico está além dos impactos d) desativação parcial da ferrovia, em 1966.
oferecidos ao meio ambiente pela atuação do homem, com os seus e) alteração da extensão inicial da ferrovia.
valores sociais e ambientais.
b) o crescimento econômico está acima de qualquer valor, seja (Fundação Carlos Chagas) Para responder à questão abaixo,
ele social ou ambiental, mesmo se for considerado os efeitos da considere os Textos I e II apresentados anteriormente.
atuação do homem no ambiente.
c) nada deve impedir a busca do crescimento econômico, que 11. A informação constante do Texto II que mais se aproxima
precisa ter o seu valor estabelecido, onde for necessário a presença do conceito de sustentabilidade (Texto I) diz respeito
humana e os impactos dela. a) ao deslocamento de famílias que residem nos trilhos da fer-
d) não se deve buscar o crescimento econômico a todo custo, rovia.
sem levar em consideração os valores sociais e os efeitos decorren- b) à destinação da ferrovia ao transporte da borracha.
tes da interferência humana no meio ambiente. c) ao tombamento da ferrovia pelo Instituto do Patrimônio
e) com os impactos ambientais da ação humana, sendo que o Histórico e Artístico Nacional.
crescimento econômico tem seu preço, qualquer que seja os valo- d) à construção de uma usina hidrelétrica na região.
res sociais e ambientais gerados por ele. e) à recuperação do paisagismo original da região.

(Fundação Carlos Chagas) Para responder às questões de nú- (Fundação Carlos Chagas) Atenção: Para responder às ques-
meros 9 e 10, considere o Texto II, abaixo. tões de números 12 a 15, considere o texto abaixo.

Texto II O Sul esteve por muito tempo isolado do resto do Brasil, mas
nem por isso deixou de receber influências musicais que chegavam
Em 2012, a ferrovia Madeira-Mamoré, que cruzava 364 quilô- de outras regiões do país e do mundo. Mário de Andrade já tinha
metros da Floresta Amazônica, completou 100 anos. Mais de 5 mil decifrado brilhantemente em seu Ensaio sobre a música brasilei-
operários, entre os 60 mil contratados, morreram vítimas de doen- ra as fontes que compõem os ritmos nacionais: ameríndia, africa-
ças tropicais durante a construção da estrada de ferro, entre 1907 na, europeia (principalmente portuguesa e espanhola) e hispano-
e 1912. A ferrovia foi concebida para transportar a borracha vinda -americana (Cuba e Montevidéu).
da Bolívia até o rio Madeira e, de lá, para o Oceano Atlântico, mas A gênese da música do Rio Grande do Sul também pode ser
se tornou obsoleta antes vista como reflexo dessa multiplicidade de referências. Há influ-
mesmo de ser finalizada, devido à decadência do ciclo serin- ências diretas do continente europeu, e isso se mistura à valiosa
gueiro na Amazônia. contribuição do canto e do batuque africano, mesmo tendo sido
Desativada parcialmente em 1966, e por completo em 1972, perseguido, vigiado, quase segregado.
a ferrovia foi tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio His- O vanerão* é próprio do Sul, e a famosa modinha, bem pró-
tórico e Artístico Nacional), e terá 7 quilômetros de vias recupe- pria de Santa Catarina, onde se encontra um dos mais antigos re-
radas pela empresa que constrói a hidrelétrica de Santo Antônio, gistros do estilo no Brasil. De origem lusitana, a modinha tocada
como uma das compensações pelo impacto ambiental provocado na viola, chorosa, suave e, enfim, romântica, tornou o gênero uma
pela obra. A recuperação depende do deslocamento das famílias espécie de “mãe da MPB”**.
residentes nos trilhos do trecho que será destinado aos passeios
turísticos. Foram recuperados a antiga estação ferroviária de Porto *Vanerão = Ritmo de origem alemã, desenvolvido no sul.
Velho, alguns vagões e o paisagismo original. (Adaptado de: Ho- **MPB = Música Popular Brasileira
rizonte Geográfico, n. 144, ano 25. p. 13)
(Adaptado de: Frank Jorge, de Porto Alegre. Revista da Cul-
9. O Texto II informa claramente que tura, 18. ed. p. 30, jan. 2009)
a) a extensão da Floresta Amazônica foi o principal obstáculo
para o funcionamento da ferrovia. 12. Conclui-se corretamente do texto que
b) toda a área ambiental em torno da ferrovia Madeira-Mamo- a) a música que caracteriza a região Sul se diferencia da que se
ré deverá ser recuperada. encontra no restante do Brasil, em razão do longo isolamento em
c) moradores da região amazônica impedem a reativação da que permaneceu essa região.
ferrovia Madeira-Mamoré. b) diversas manifestações musicais que aparecem em alguns
d) a ferrovia Madeira-Mamoré tem sido importante meio de estados distinguem-se, por sua origem, do conceito de música po-
transporte de borracha na Amazônia. pular brasileira.
e) um pequeno trecho da antiga ferrovia Madeira-Mamoré c) estudos especializados e registros encontrados em alguns
será destinado ao turismo. estados evidenciam as influências, até as mais remotas, recebidas
na formação da música brasileira.

Didatismo e Conhecimento 93
LÍNGUA PORTUGUESA
d) o pesquisador Mário de Andrade enfatizou, em sua obra, GABARITO
os diferentes ritmos musicais encontrados na música da região Sul
do Brasil. 01 B
e) o Estado de Santa Catarina é o único do país em que se
encontra um estilo de música popular marcada por um ritmo mais 02 C
suave e romântico. 03 A
04 A
13. A gênese da música do Rio Grande do Sul também pode
05 B
ser vista como reflexo dessa multiplicidade de referências.
O sentido da frase acima está corretamente transcrito, com 06 E
outras palavras, em: 07 D
a) Os reflexos da música do Rio Grande do Sul pode ser obser- 08 D
vada nas mais diversas referências brasileiras.
b) A música do Rio Grande do Sul recebeu igualmente, desde 09 E
o início, as múltiplas influências que se observam na música bra- 10 C
sileira. 11 E
c) No Rio Grande do Sul também podem ser reconhecidas a
12 C
origem das referências musicais de todo o Brasil. d) No início da
música do Rio Grande do Sul ainda podem observar o reflexo das 13 B
influências da música brasileira. 14 D
e) As múltiplas influências que se receberam na música do 15 A
Rio Grande do Sul também pode ser vista como reflexo do Brasil.
ESCRITURÁRIO – BANCO DO BRASIL - 2015
14. De origem lusitana, a modinha tocada na viola, chorosa,
suave e, enfim, romântica, tornou o gênero uma espécie de “mãe Cartilha orienta consumidor
da MPB”.
O sentido da afirmativa acima está corretamente transcrito, Lançada pelo SindilojasRio e pelo CDL-Rio, em parceria com
em linhas gerais, em: o Procon-RJ, guia destaca os principais
a) A modinha, que era de origem lusitana, enquanto fosse to- pontos do Código de Defesa do Consumidor (CDC), selecio-
cada na viola, com ritmo suave e romântico, tal como na geração nados a partir das dúvidas e reclamações mais comuns recebidas
da música popular brasileira. pelas duas entidades
b) As espécies musicais derivadas da modinha devem ser su-
aves e românticas, assim como eram tocadas na sua origem, em O Sindicato de Lojistas do Comércio do Rio de Janeiro (Sin-
Portugal, na viola. dilojasRio) e o Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro
c) A influência suave e romântica da música lusitana gerou a (CDL-Rio) lançaram ontem uma cartilha para orientar lojistas e
música popular brasileira, dando origem, depois dela, à modinha consumidores sobre seus direitos e deveres. Com o objetivo de dar
tocada na viola. mais transparência e melhorar as relações de consumo, a cartilha
d) Originada em Portugal, a modinha tocada na viola, de som tem apoio também da Secretaria Estadual de Proteção e Defesa do
suave e romântico, se transformou em inspiração Consumidor (Seprocon)/ Procon-RJ.
para a música popular brasileira. Batizada de Boas Vendas, Boas Compras! – Guia prático de
e) Como em Portugal, de onde vem a modinha, de ritmo su- direitos e deveres para lojistas e consumidores, a publicação des-
ave e romântico, assim como chorona, a viola que gera a música taca os principais pontos do Código de Defesa do Consumidor
popular brasileira. (CDC), selecionados a partir das dúvidas e reclamações mais co-
muns recebidas, tanto pelo SindilojasRio e CDL-Rio, como pelo
15. ... mesmo tendo sido perseguido, vigiado, quase segrega- Procon-RJ.
do. (final do 2o parágrafo) “A partir da conscientização de consumidores e lojistas sobre
O segmento acima deve ser entendido, considerando-se o con- seus direitos e deveres, queremos contribuir para o crescimento
texto, como sustentável das empresas, tendo como base a ética, a qualidade dos
a) uma observação que valoriza a persistente contribuição produtos e a boa prestação de serviços ao consumidor”, explicou o
africana para a música brasileira. presidente do SindilojasRio e do CDL-Rio, Aldo Gonçalves.
b) restrição ao sentido do que vem sendo exposto sobre a mú- Gonçalves destacou que as duas entidades estão comprometi-
sica popular brasileira. das em promover mudanças que propiciem o avanço das relações
c) a causa que justifica a permanência da música de origem de consumo, além do desenvolvimento do varejo carioca.
africana no Brasil. “O consumidor é o nosso foco. É importante informá-lo dos
d) as consequências da presença dos escravos e sua influência seus direitos”, disse o empresário, ressaltando que conhecer bem
na música popular brasileira. o CDC é vital não só para os lojistas, mas também para seus for-
e) uma condição favorável à permanência da música popular necedores. Jornal do Commercio. Rio de Janeiro. 08 abr. 2014,
de origem africana. A-9. Adaptado.

Didatismo e Conhecimento 94
LÍNGUA PORTUGUESA
01. (Cesgranrio) A comparação do título da reportagem com o são palavras de classes gramaticais diferentes
texto integral permite afirmar que o a) vendas e compras
a) texto pode provocar dúvidas nos leitores porque contém b) prático e principais
muitas siglas desconhecidas. c) publicação e pontos
b) texto contradiz o título, pois desqualifica a orientação aos d) direitos e lojistas
consumidores. e) deveres e destaca
c) título é inteiramente fiel ao conteúdo do texto, cujo foco é
especificamente a defesa dos consumidores. 06. (Cesgranrio) O emprego do verbo destacado no trecho
d) texto e o título focalizam os consumidores como o público- “‘queremos contribuir para o crescimento sustentável das empre-
-alvo da cartilha. sas’” contribui para indicar uma pretensão do presidente do Sindi-
e) título destaca apenas parcialmente o conteúdo da cartilha cato dos Lojistas, que começa no presente e se estende no futuro.
de orientação. Se, respeitando-se o contexto original, a frase indicasse uma
pretensão que começasse no passado e se estendesse no tempo, o
02. (Cesgranrio) A matéria informa que as orientações conti- verbo adequado seria o que se destaca em:
das na cartilha levaram em consideração alguns dados objetivos. a) quisemos contribuir para o crescimento sustentável das
Que dados são esses? empresas.
a) As queixas dos consumidores diante da má qualidade de b) quisermos contribuir para o crescimento sustentável das
atendimento dos lojistas empresas.
b) As desculpas dos lojistas diante da grande quantidade de c) quiséssemos contribuir para o crescimento sustentável das
reclamações dos consumidores empresas.
c) As queixas e as dificuldades declaradas tanto por compra- d) quereremos contribuir para o crescimento sustentável das
dores como por vendedores empresas.
d) O índice elevado de prejuízos dos varejistas diante da falta e) quisera poder contribuir para o crescimento sustentável das
de pagamento dos consumidores empresas.
e) As pesquisas feitas por especialistas em técnicas de consu-
mo e vendas
07. (Cesgranrio) Considere-se a hipótese de que, antes de pu-
blicado no jornal, o texto foi revisto pelo seu editor, que propôs a
03. (Cesgranrio) Na frase “‘É importante informá-lo dos seus
alteração do trecho “‘tendo como base a ética, a qualidade dos pro-
direitos’” emprega-se o verbo informar seguido do pronome
dutos e a boa prestação de serviços ao consumidor’”, pois o texto
oblíquo. Entretanto, o redator poderia ter optado por empre-
original continha uma vírgula antes da conjunção e.
gar, em vez de lo, o pronome lhe.
Se for considerado que ele se baseou nas regras de emprego da
A frase resultante, mantendo-se o mesmo sentido e respeitan-
vírgula adequado à norma-padrão, a decisão do
do-se a norma-padrão, seria:
editor levou em conta a
a) É importante informar-lhe sobre os seus direitos.
b) É importante lhe informar a respeito dos seus direitos. a) proibição de colocar vírgula antes da conjunção e.
c) É importante informar-lhe dos seus direitos. b) recomendação de separar por vírgula os elementos de uma
d) É importante informar-lhe os seus direitos. enumeração.
e) É importante lhe informar acerca dos seus direitos. c) interpretação de que a ênfase criada pela vírgula antes do e
era desnecessária.
04. (Cesgranrio) Na última frase do texto, é transcrita a opi- d) obrigatoriedade de colocar vírgula apenas nos elementos
nião de um empresário, para quem “conhecer bem o CDC é vital iniciais de uma enumeração.
não só para os lojistas, mas também para seus fornecedores”. e) suposição de que a vírgula criaria um efeito de ambiguidade
Considerando-se o conteúdo dessa opinião, que outra estrutu- no texto.
ra frasal poderia representá-la?
a) Conhecer bem o CDC é vital tanto para os lojistas quanto 08. (Cesgranrio) De acordo com a norma-padrão, se fosse
para seus fornecedores. acrescentado ao trecho “disse o empresário” um complemento in-
b) Conhecer bem o CDC é vital em especial para os lojistas formando a quem ele deu a declaração, seria empregado o acento
assim como para seus fornecedores. indicativo de crase no seguinte caso:
c) Conhecer bem o CDC é vital nem tanto para os lojistas a) a imprensa especializada
como para seus fornecedores. b) a todos os presentes
d) Conhecer bem o CDC é vital inclusive para os lojistas sem c) a apenas uma parte dos convidados
falar em seus fornecedores. d) a suas duas assessoras de imprensa
e) Conhecer bem o CDC é vital não tanto para os lojistas bem e) a duas de suas secretárias
como para seus fornecedores.
09. (Cesgranrio) Após ler o texto, que é uma reportagem, um
05. (Cesgranrio) No trecho “Batizada de Boas Vendas, Boas funcionário do jornal decidiu enviá-lo por e-mail a um colega,
Compras! – Guia prático de direitos e deveres para lojistas e con- mas, além do texto completo, ele resolveu também anexar uma
sumidores, a publicação destaca os principais pontos do Código de imagem com a capa do jornal. A mensagem enviada tinha, porém,
Defesa do Consumidor (CDC)” uma concordância que desrespeitava a norma-padrão.

Didatismo e Conhecimento 95
LÍNGUA PORTUGUESA
Essa concordância equivocada está exemplificada em:
a) Mando-lhe dois arquivos alusivos à matéria mencionada
em epígrafe.
b) Segue os dois arquivos que mencionei sobre a cartilha do
consumidor.
c) Envio dois arquivos atachados referentes aos itens que
mencionei acima.
d) Veja nos anexos os dois arquivos sobre a matéria mencio-
nada.
e) Anexo nesta mensagem dois arquivos relacionados com a
reportagem.

10. (Cesgranrio) No seguinte período, a palavra em destaque


está grafada de acordo com a ortografia oficial:
a) O sindicato se preocupa com o aspécto educativo da car-
tilha.
b) Várias entidades mantêm convênio conosco.
c) O consumidor tem de ser consciênte de seu papel de cida-
dão.
d) O substântivo que traduz essa cartilha é “seriedade”.
e) No rítmo em que a sociedade caminha, em breve exercere-
mos plena cidadania.

GABARITO

01 E
02 C
03 D
04 A
05 E
06 A
07 C
08 A
09 B
10 B

Didatismo e Conhecimento 96
MATEMÁTICA
MATEMÁTICA
CLASSIFICAÇÃO
Prof. Dra. Marie Oshiiwa
Há vários tipos (classificações) de equações.
Licenciatura em Matemática

FUNÇÕES. EQUAÇÕES. INEQUAÇÕES.

Veja abaixo alguns exemplos:


De uma forma geral, função é um conceito abstrato que es-
tabelece uma relação de dependência entre grandezas. Grande-
za, para nós, é tudo o que pode ser contado ou medido. Como
exemplos, podemos citar: tempo, dinheiro (custo, lucro, salário...),
quantidade de produtos, distância, velocidade, peso, altura, núme-
ro de pessoas, número de peças etc. Uma característica importante
das grandezas é que suas quantidades ou medidas podem variar Para resolver cada uma das equações citadas, precisamos de
(aumentar ou diminuir). recursos adequados; cada tipo de equação requer desenvolvimento
Não é difícil observar situações em que duas ou mais gran-
de método próprio de resolução.
dezas estão relacionadas de forma dependente uma da outra. Veja
alguns exemplos:
Outro conceito importante é o de desigualdade.
• O salário de um fisioterapeuta pode variar em função do
número de horas que trabalha.
Dois números relativos serão “desiguais”, ou “diferentes”,
• O salário de um fisioterapeuta pode variar em função do
quando a subtração entre eles não zerar, ou seja: , que
número de pessoas que atende.
equivale dizer .
• O salário de um vendedor pode variar em função dos va-
lores (em R$) de vendas que realiza ou em função das horas que Mas as desigualdades comparativas são mais famosas: se
trabalha. um número é diferente de zero, então é porque esse número é
• A receita de uma empresa, de qualquer porte, varia em maior que zero ou é menor que zero. Em símbolos: ou
função do número de produtos ou de serviços que vende. .
• As vendas de um produto podem variar em função do
investimento em propaganda e marketing. DIAGRAMAS DE VENN PARA
• O valor a ser pago no posto, após abastecer seu carro com REPRESENTAR UMA FUNÇÃO
gasolina, varia em função do número de litros de combustível que
é colocado no carro. “Se eu entrar em uma loja e quiser comprar algumas canecas.
Quanto será gasto com essas canecas”?
Todas essas relações de dependência entre grandezas podem A resposta a essa pergunta é: “depende do número de canecas
ser descritas matematicamente por meio de “regras” que chama- que serão compradas”. Ou seja, o custo (em reais) na produção
mos de funções. das canecas VARIA EM FUNÇÃO do número de canecas que são
encomendadas, o quanto se gasta VARIA em função do número
SOBRE EQUAÇÕES E INEQUAÇÕES de canecas.
Essa situação pode ser observada na linguagem de conjuntos
Comecemos com o conceito de igualdade algébrica: trata-se da seguinte maneira:
de um conjunto de duas expressões algébricas ligadas pelo símbo- o conjunto A, que é chamado de Domínio, é o conjunto que
lo da igualdade “=”. As igualdades algébricas podem se apresentar reúne todos os valores possíveis da variável “número de canecas”.
sob a forma de identidades ou de equações. O conjunto B, conhecido como Contra Domínio, reúne todos
os possíveis valores da variável “dinheiro”, medida em “reais”,
A identidade é a igualdade que se verifica para quaisquer va- que é a unidade monetária que usaremos para medir o custo na
lores que se atribuam às letras que compõem as expressões; por produção das canecas.
exemplo, a expressão Essas duas variáveis estão representadas em dois conjuntos,
por meio dos diagramas de Venn, na Figura 1.
é uma identidade, pois, para Perceba que no conjunto A (valores da variável “Número de
qualquer valor que se atribua a ou a , a igualdade será preser- Canecas”) representamos 0, 1, 2, 3, e fomos até 4. Vamos nos li-
vada. mitar a esses números, mas você sabe que isso pode continuar para
A equação também é uma igualdade algébrica, só que, neste um valor bem mais alto.
caso, somente valores particulares podem ser atribuídos às letras, No conjunto B (variável dinheiro) representamos os possíveis
por exemplo, a igualdade é uma equação, pois só valores em reais: para 0 canecas, 0 reais; para 1 caneca, 2 reais;
pode assumir o valor para que a expressão seja uma igual- para 2 canecas, 4 reais; para 3 canecas, 6 reais; para 4 canecas, 8
dade. reais (e assim por diante).

Didatismo e Conhecimento 1
MATEMÁTICA
Entendeu a relação? Em nosso exemplo das canecas, (que
é o valor de custo, em reais) é sempre o dobro do valor de . Essa
forma de representar, por meio de leis e igualdades, é a forma al-
gébrica de representar a relação entre essas duas variáveis: número
de canecas e dinheiro gasto com elas. Veja como fica essa escrita:

Se “batizarmos” essa função de , teremos outra maneira


de escrever essa expressão:

Tanto como são exemplos de ex-


pressão algébrica da função, e vários autores gostam também de
Figura 1: Diagramas de Venn para a função chamar cada uma delas de lei da função. As duas notações são
que relaciona número de canecas e valores a pagar boas; a primeira é mais enxuta, e a segunda tem a vantagem de nos
mostrar, mais facilmente, a relação entre um certo x e um certo y,
EXPRESSÃO ALGÉBRICA (OU LEI) DE UMA FUNÇÃO conforme ilustraremos no Quadro 1.
Nesta função, chamamos de variável independente e de
Veja que há uma espécie de “regra” que relaciona o valor do variável dependente (na representação, o valor de depende do
primeiro conjunto, que vamos chamar de x, com o valor que está valor de ).
no segundo conjunto, que vamos chamar de y, conforme a Figura 2.
Quadro 1: cálculos usando as leis da função

Para x=0 y = 2.0 = 0


f(0) = 2.0 = 0
Para x=1 y = 2.1 = 2
f(1) = 2.1 = 2
Para x=2 y = 2.2 = 4
f(2) = 2.2 = 4
Para x=3 y = 2.3 = 6
f(3) = 2.3 = 6
Para x=4 y = 2.4 = 8
Figura 2: Diagramas de Venn f(4) = 2.4 = 8
e a relação entre x canecas e y reais
Percebeu que cada gera um único ? Muito bem, isso quer
Como o valor do segundo conjunto é sempre o dobro do valor dizer que é possível ilustrar uma função também por meio de pa-
do primeiro, podemos ver que essa relação sempre leva um valor res de números, mais especificamente, pares ordenados. No Qua-
de x do primeiro conjunto ao seu dobro, 2x, no segundo conjunto, dro 2, construído a partir do Quadro 1, ilustramos na 3ª coluna os
conforme ilustra a Figura 3. pares ordenados que representam cada relação em particular, neste
mesmo exemplo das canecas.

Figura 3: Diagramas de Venn e a


relação entre x canecas e 2x reais

Didatismo e Conhecimento 2
MATEMÁTICA

Quadro 2: cálculos usando as leis da função

Pares ordenados

Para x=0 y = 2.0 = 0 (0, 0)


f(0) = 2.0 = 0
Para x=1 y = 2.1 = 2 (1, 2)
f(1) = 2.1 = 2
Para x=2 y = 2.2 = 4 (2, 4)
f(2) = 2.2 = 4
Para x=3 y = 2.3 = 6 (3, 6)
f(3) = 2.3 = 6
Para x=4 y = 2.4 = 8 (4, 8)
f(4) = 2.4 = 8

PLANO CARTESIANO

A representação gráfica de uma função é feita num plano cartesiano.


É padrão orientar a reta horizontal da esquerda para a direita e a vertical de baixo para cima. A reta horizontal é denominada eixo x ou
eixo das abscissas, e a reta vertical, eixo y ou eixo das ordenadas.
Assim, o plano cartesiano é conhecido como um sistema de eixos coordenados: veja, são dois eixos ordenados conjuntamente, com
intersecção em suas origens, gerando o ponto (0,0) que é considerado a origem do sistema.

Figura 4: Plano Cartesiano

Qualquer ponto do plano pode ser representado por um único par ordenado de números reais (x,y) neste sistema, e qualquer par orde-
nado (x,y) se associa a um único ponto do plano (chamamos isso de correspondência biunívoca entre pares ordenados de números reais e
pontos do plano).

Os valores x e y são chamados, coordenadas do ponto (x,y). Note que existe uma ordem estabelecida: primeiro o valor de x (abscissa)
e depois o valor de y (ordenada).

Os eixos coordenados dividem o plano em quatro espaços que denominamos quadrantes. É estabelecida uma numeração para os qua-
drantes, que é feita pela ordem no sentido anti-horário (veja Figura 5):

Didatismo e Conhecimento 3
MATEMÁTICA
Figura 5: numeração dos quadrantes Veja que o número de canecas é uma variável que pertence ao
conjunto dos números naturais ( ), enquanto o volume de com-
bustível que vai ao tanque da moto é um número racional ( ).
Simulando o preço de R$ 2,00 o litro de combustível, mostra-
mos mais uma representação de funções, similar aos diagramas de
Venn: a tabela! Veja a Figura 7:

Figura 7: Forma tabular para a função


(agora com outros valores de x)

Na Figura 5 estão marcados os quadrantes e também os sinais


das coordenadas dos pontos que pertencem a cada quadrante.
Veja que no 1º quadrante, tanto a coordenada x quanto a coor-
denada y do ponto (x,y) são positivas. Veja que essa tabela pode conter não apenas esses valores,
mas também números maiores que 3, e números entre 1 e 1,5 (afi-
Ligando idéias nal podemos abastecer 1,32 litros de combustível, certo?).
• Cada relação, numa função, é um par ordenado. Com essa ideia, podemos deduzir que há infinitos pontos que
• Cada ponto, no plano cartesiano, é representado por um comporão o gráfico dessa função que relaciona volume de com-
par ordenado. bustível e dinheiro a pagar. Neste momento, com esse raciocínio, é
• Cada relação de uma função é representada por um ponto possível imaginar o gráfico da função com aspectos
(no plano cartesiano). da Figura 8.

GRÁFICO DA FUNÇÃO Figura 8: para o dinheiro a pagar em função da


quantidade de combustível, em litros.
Todos os pares ordenados que estiverem numa função, podem
ser marcados no plano cartesiano, e ao conjunto desses pontos cha-
mamos gráfico da função.
Na função que relacionou número de canecas com dinheiro a
pagar, geramos a função .
Logo, esses pontos marcados no plano (como podem ser vis-
tos na Figura 6), representam o gráfico da função .

Figura 6: Gráfico da função f (n° de canecas e dinheiro a pagar)

Esse gráfico é uma semirreta? Bem, o desenho dele é uma se-


mirreta. Porém, se focarmos nossa atenção a certos detalhes do con-
texto, então esse gráfico deve ser um segmento de reta. Isso porque
x não vale, por exemplo, 100 litros (não cabe na moto).
Se o tanque da moto da profª Cláudia tem capacidade para 16 li-
tros, então o preço máximo que ela pagará é
reais. Então, fazendo um zoom na figura anterior e redefinindo esse
gráfico, chegamos à representação gráfica de para
este exemplo (veja a Figura 9).

Didatismo e Conhecimento 4
MATEMÁTICA
Figura 9: para o dinheiro a pagar em função da Figura 11: Ilustração para Domínio, Contradomínio e Imagem
quantidade de combustível, em,litros, com por meio de diagramas de Venn.

O conjunto Imagem de uma função envolve todos os valores


A Figura 10 representa o gráfico da função com de y que podem aparecer na segunda coluna de uma tabela como
domínio (D) sendo o conjunto dos reais. Note que valores negati- essa. Na função , com a
vos de foram utilizados na construção desse gráfico; por exem- Imagem fica ; confirme isso com a
plo: e . Figura 12.

Figura 10: para Figura 12: para o dinheiro a pagar em função da


quantidade de combustível, em litros, com e con-
junto Imagem com

O conjunto de valores de x, que forma o conjunto A, chama-


mos de Domínio da função. O conjunto B, correspondente ao eixo
y ou parte dele, é o Contradomínio. Mas ainda temos um outro
conjunto importante que é o conjunto Imagem de uma função. O
conjunto Imagem é subconjunto do Contradomínio que contém os
valores (de ) que foram relacionados, ou seja, que são resultados
do cálculo feito com a lei algébrica da função, de acordo com o
seu domínio. Note que a Imagem tem um significado contextualizado nesse
exemplo: é o conjunto de valores, em reais, que a profª Cláudia
pode pagar para abastecer sua motoca.

Didatismo e Conhecimento 5
MATEMÁTICA
OUTROS EXEMPLOS DE FUNÇÃO
FUNÇÃO
Não, nem toda função é representada por uma reta ou mesmo Conhecida como um tipo de “função irracional”, pelo fato de
por uma parte dela. Falando mais categoricamente, há inúmeras existir uma raiz quadrada envolvida com a variável x, é uma fun-
funções que não são retas. ção que existe apenas para valores de x não negativos.

FUNÇÃO Figuras 17 e 18: gráfico e tabela para

Figuras 15 e 16: gráfico e tabela para

O fato de não existir, nos reais, raiz quadrada de um número


negativo, nos leva a e

FUNÇÃO

Vários autores classificam essa função como “função racio-


nal”, pelo fato de existir a variável x no denominador de uma fra-
ção. Veja que o único valor real que não pode ser atribuído a x é
zero.

Figuras 19 e 20: gráfico e tabela para a função

Esta curva é conhecida como parábola. Este gráfico é har-


mônico com a tabela: como elevamos os números ao quadrado, o
valor de y não será negativo; compare o gráfico com a tabela para
verificar que, realmente, os valores da imagem não são negativos Por isso essa função tem e , e vale a pena
(embora na tabela estejam apenas alguns valores de y). Perceba observar que esse gráfico se situa no 1º e no 3º quadrantes; veja
que não há gráfico abaixo do eixo x. que para valores de x positivos, y ficará positivo; para valores de x
negativos, y também será negativo.
Veja que seu domínio pode ser entendido como o conjunto dos
reais, ou seja, , já que podemos elevar qualquer número FUNÇÃO CRESCENTE E DECRESCENTE
ao quadrado, e sua imagem fica . Não tem asterisco,
pois ele tiraria o zero (veja que y=0 está na tabela). Definição formal: uma função f(x) é crescente num intervalo
[u, v], com u e v números reais e u<v, se f(u) < f(v). Nas mesmas
condições, f(x) é decrescente se f(u) > f(v).

Definição informal: seja uma função f(x) num intervalo [u, v];
tomando valores de x nesse intervalo, f(x) será:

CRESCENTE se aumentando x aumenta-se valores de y.


DECRESCENTE se aumentando x diminui-se valores de y.

Didatismo e Conhecimento 6
MATEMÁTICA
FUNÇÃO AFIM

Função polinomial do 1º grau ou função afim é uma função da forma, na qual 𝑎 e 𝑏 são números reais quaisquer (com 𝑎 ≠ 0 ); 𝑥 é a
variável independente e 𝑦 é a variável dependente.
De modo geral e matemático, o Domínio e o Contradomínio são, ambos, iguais a ℝ, mas o contexto em que cada função está inserida
pode redefinir esses conjuntos.
Bem, está na hora de generalizarmos um fato: toda função do primeiro grau, cuja lei tem a forma , com , gera uma
reta no plano cartesiano. Sabendo disso, perceba que não é necessário marcar muitos pontos no plano para se fazer esse desenho.
Teoricamente, podemos escolher dois pontos distintos quaisquer, atribuindo dois valores à variável e calculando suas respectivas
imagens . Porém, cada lei de função tem pontos que são mais práticos de serem encontrados, e podemos te dar uma dica para encontrar
esses pontos, que normalmente possuem importância em problemas contextualizados.
Toda reta gerada por uma função do 1º grau, de lei algébrica , com , intercepta o eixo (eixo das ordenadas) no
valor de , já que o ponto pertence ao gráfico dessa função.
O valor de b é chamado de coeficiente linear da função , com . A Figura 6 ilustra essa generalização, ou seja, para
teremos , que nos leva a , ou seja, .

Figura 6: Valor de b no gráfico de funções da forma , com .

Outro ponto cujas coordenadas você calcula facilmente para marcar no plano cartesiano é o ponto da raiz da função.

Didatismo e Conhecimento 7
MATEMÁTICA
RAIZ OU ZERO DE UMA FUNÇÃO

É o valor de x para o qual se tem y = 0.


Uma função pode ter mais de uma raiz, ou mesmo não ter raízes, mas as funções de 1 grau sempre possuem uma única raiz.

Graficamente enxergamos o valor de raiz no ponto onde a reta intercepta o eixo x (eixo das abscissas)
Para calculá-la algebricamente, basta substituir y por zero e resolver a equação de 1º grau resultante.

Quadro 1: cálculo das raízes das funções de ,

Taxa de variação ou coeficiente angular da reta


É a variação dos valores de y, para cada variação em x

Figura 7: gráficos de , e

As retas são paralelas, isso significa que elas têm a mesma inclinação (elas são crescentes com a mesma taxa, conforme explicaremos
adiante).

As funções de , e possuem o mesmo coeficiente , que vale 2, na forma


. Portanto, estamos te apresentando duas novidades ao mesmo tempo; a primeira delas se refere ao “papel” desempenhado
pelo coeficiente da variável na expressão , que é o valor de .

O coeficiente 𝑎, nas funções da forma 𝑦 = 𝑎𝑥 + 𝑏, mede a inclinação da reta que representa o gráfico dessa função. Sem detalhar demais
essa definição, entenda-se que “inclinação” tem a ver com o ângulo que a reta forma com o sentido positivo do 𝑒𝑖𝑥𝑜 𝑥 (ou, mais popular-
mente, o ângulo “da direita” que essa reta forma com o 𝑒𝑖𝑥𝑜 𝑥).

Didatismo e Conhecimento 8
MATEMÁTICA
Figura 8: indicação do ângulo que mede a inclinação de uma reta. Figura 9: gráficos com funções de valores diferentes para .

O cálculo do coeficiente angular de uma reta é feito a par-


tir das coordenadas de dois pontos distintos quaisquer (dois pa-
res ordenados) pertencentes a ela. A fórmula considera a varia-
ção dos valores de em relação à variação dos valores de Se Um pouco mais sobre o coeficiente 𝑎, nas funções da forma 𝑦
são dois pontos distintos quais- = 𝑎𝑥 + 𝑏, com 𝑎 ≠ 0.
quer de uma reta, com , a fórmula para é
Se 𝑎 > 0, então a função é CRESCENTE.
Se 𝑎 < 0, então a função é DECRESCENTE.

Se a função não é chamada de “função do 1º grau”,


mas sua análise não será difícil. Imagine uma tabela para a função
Essa mesma fórmula também pode ser expressa pela expres- , que equivale à função , e pense nos res-
são a seguir: pectivos pontos que geram o gráfico dessa função.
As Figuras 10 e 11 ilustram essa função, tanto pela tabela
quanto pelo gráfico.

Figuras 10 e 11: tabela e gráfico da


função ,equivalente a
Para exemplificar e mostrar a você que esse cálculo fun-
ciona, tomaremos dois pontos distintos quaisquer da função
, que constam no Quadro 2: os pontos (1; 12) e
(3;16). Na verdade, tanto faz qual é o ponto A e qual é o ponto B: o
importante é sempre manter a ordem das coordenadas no cálculo.
Veja o cálculo, para B = (1; 12) e A = (3;16):

Note que, se trocarmos a posição dos pontos, o resultado será


o mesmo, fazendo A = (1; 12) e B = (3;16): Ou seja, para qualquer , o valor de é sempre 3. Dessa for-
ma, podemos definir a função constante, que é da forma ,
onde é um número real qualquer.

No exemplo das Figuras 10 e 11, o valor de é 3, mas já sa-


bemos que se pensarmos na função de expressão , teremos
Note também que quanto maior o valor positivo de , mais uma reta horizontal passando pelo valor 7 do .
inclinada será a reta. Além disso, há outro fato importante: para
valores negativos de , teremos funções decrescentes. Todos esses Por fim, vale observar que o coeficiente angular de todas as
fatos podem ser verificados na Figura 9 (sugestão: veja as leis das retas cujas leis são da forma é igual a zero.
funções de baixo para cima):
Realmente, veja que essas funções não são nem crescentes,
nem decrescentes. Ou seja, o quanto aumenta em , para cada
aumento em , é zero.

Didatismo e Conhecimento 9
MATEMÁTICA
SINAL

Estudar o sinal de uma função qualquer y = f(x) é determinar


os valor de x para os quais y é positivo, os valores de x para os
quais y é zero e os valores de x para os quais y é negativo.
Consideremos  uma função afim y = f(x) = ax + b vamos estu-
dar seu sinal. Já vimos que essa função se anula pra raiz.

Há dois casos possíveis:

1º) Quando a > 0 (a função é crescente)

INEQUAÇÃO DE 1º GRAU

Uma inequação do 1° grau na incógnita x é qualquer expres-


são do 1° grau que pode ser escrita numa das seguintes formas:
Conclusão: y é positivo para valores de x maiores que a raiz; ax + b > 0;
y é negativo para valores de x menores que a raiz ax + b < 0;
ax + b ≥ 0;
ax + b ≤ 0.

Onde a, b são números reais com a ≠ 0.


Exemplos:
-2x + 7 > 0
x - 10 ≤ 0
2x + 5 ≤ 0
12 - x < 0

Resolvendo uma inequação de 1° grau


Uma maneira simples de resolver uma inequação do 1° grau é
isolarmos a incógnita x em um dos membros. Observe dois exem-
plos:
Exemplo 1: -2x + 7 > 0
Solução:
-2x > -7
Multiplicando por (-1)
2x < 7
2º) Quando a < 0 (a função é decrescente) x < 7/2
Portanto a solução da inequação é x < 7/2.

Exemplo 2: 2x - 6 < 0
Solução:
2x < 6
x < 6/2
x<3
Conclusão: y é positivo para valores de x menores que a raiz;
y é  negativo para valores de x maiores que a raiz. Portanto a solução da inequação e x < 3

Pode-se resolver qualquer inequação do 1° grau por meio do


estudo do sinal de uma função do 1° grau, com o seguinte proce-
dimento:
1. Iguala-se a expressão ax + b a zero;
2. Localiza-se a raiz no eixo x;
3. Estuda-se o sinal conforme o caso.

Didatismo e Conhecimento 10
MATEMÁTICA
Exemplo 1: Figuras 12 e 13: tabela e gráfico da função
-2x + 7 > 0
-2x + 7 = 0
x = 7/2

A Função Quadrática é representada graficamente por uma


curva aberta, chamada Parábola. As características dessa função
são mais facilmente compreendidas quando construímos seu gráfi-
co. Assim, vamos começar a entender essa função pela construção
Exemplo 2: de dois gráficos que representam duas funções do 2o grau. Sejam
2x – 6 < 0 as funções representadas nas Figuras 14 e 15, por meio das leis
2x - 6 = 0 algébricas e dos gráficos:
x=3
Figuras 14 e 15: lei e gráfico de duas funções quadráticas

FUNÇÃO QUADRÁTICA
Dados três números reais , e e constantes, com ,
chamaremos de “Função Quadrática” (ou do 2o Grau) a função
𝑓: ℝ→ℝ (domínio real gerando imagem real), definida pela regra
(lei) de associação.
• Quando o valor de é positivo (como ), a conca-
vidade da parábola é voltada para cima e quando é negativo (como
), a concavidade da parábola é voltada para baixo.
São exemplos de Funções Quadráticas:
• Para , tem-se o ponto em que a curva intercepta
o . No caso do item (a) , e no caso do item (b)
. Percebe-se que em ambos os casos, este valor confere
com o termo da lei da função. Caso não exista o termo 𝑐 na
expressão (como em ), deduzimos que ,e
então a curva irá interceptar o no ponto (0,0).
• Nota-se que em ambos os casos exemplificados nas Figu-
ras 14 e 15 a curva intercepta o duas vezes, logo, a função
tem duas raízes.

Este último exemplo se refere à função mais básica do 2º grau Dessa forma, podemos extrair várias características da função
que podemos pensar; nesse formato podemos perceber que temos quadrática observando apenas seus coeficientes , e .
os valores Agora cabe saber como descobrimos as raízes de uma função
de 2º grau. Existem vários processos, porém, nos deteremos aqui
, e . Veja sua representação nas Figuras ao processo de “Bhaskara”.
12 e 13, nas formas de tabela e de gráfico: Para determinação das raízes usamos a seguinte fórmula:

Didatismo e Conhecimento 11
MATEMÁTICA

ou pode ser representada por:

Outra característica importante do gráfico da função do 2º grau a descobrir é o vértice da parábola, pois, é exatamente neste ponto que
a curva atinge o seu mínimo, para funções com concavidade para cima, e seu máximo, para funções com concavidade para baixo.
As duas coordenadas do vértice de uma parábola são determinados pelas seguintes expressões:

A coordenada xv pode ser obtida calculando-se o ponto médio das raízes da função de segundo grau (quando existirem), ou seja:

A coordenada xv é obtida a partir do valor de . Basta substituirxv na função para obter o valor correspondente de yv.
Perceba que o vértice (informalmente, veja que é o “bico” da parábola) divide o gráfico da função em duas partes simétricas; é justa-
mente nele que a parábola muda de crescente para decrescente (para o caso da função ter concavidade para baixo – Figura 16) ou então de
decrescente para crescente (para o caso da função ter concavidade para cima – Figura 17). Assim, em ambos os casos temos um lado do
vértice com uma parte crescente e, do outro lado, uma parte decrescente.

Figuras 16 e 17: concavidades e formas de crescimento de gráficos de funções

Para , a concavidade é voltada para baixo, assim, para qualquer , é crescente e, para qualquer ,

Didatismo e Conhecimento 12
MATEMÁTICA
é decrescente.
Figura 18: gráfico da função de lei
Quando , a concavidade é voltada para cima, assim,
para qualquer , é decrescente e, para qualquer
, é crescente.

Casos conhecidos de função de segundo grau.


1º caso: Função Quadrática com duas raízes reais e distintas
Seja a função , na qual se deseja determinar:
(a) as raízes; (b) o vértice; (c) o gráfico.

Conseguimos destacar duas características importantes da


função antes mesmo de começarmos a realizar os cálculos, obser-
vando apenas e expressão.

A primeira é que , ou seja, é positivo , logo,


a parábola tem concavidade voltada para cima, e a segunda é que
a curva intercepta o eixo dos em , visto que .
Voltando ao exercício teremos: 2º caso: Função Quadrática com duas raízes reais e iguais
(a) Raízes: Seja agora a função , vamos deter-
minar suas características:
Pela expressão algébrica da função temos ; Os coeficientes da função são , e .A
e , assim, calculando o valor de e substituindo na fór- função terá concavidade voltada para cima, pois, (é positi-
mula de Bhaskara, teremos: vo) e interceptará o em , pois, .

As raízes serão:

.
Assim:
Esta expressão nos fornecerá “duas raízes reais e distintas”
para , que chamaremos de x1 e :

Neste caso costumamos dizer que a função terá duas “raízes


reais e iguais”, ou seja, vai interceptar o em apenas um
ponto:

Isso nos diz que a função irá interceptar o eixo dos em dois
locais, em e em . O vértice será:
(b) Agora vamos calcular o vértice:

(c) Portanto, o ponto do vértice será V .


O ponto do vértice será então V .Esse
ponto é o mesmo das raízes, e isso sempre ocorrerá se tivermos
Com base em todos os dados que obtivemos, podemos prever
duas raízes iguais. Com esses dados vamos obter o gráfico ilustra-
nossa curva. Ela tem a concavidade para cima , intercep-
do na Figura 19:
ta o em , intercepta o em dois pontos, pois,
tem duas raízes e e possui um ponto “míni-
mo”, que é o vértice V .
Com esses valores a curva fica conforme ilustra a Figura 18:

Didatismo e Conhecimento 13
MATEMÁTICA

Figura 20: gráfico da função de lei

Figura 19: gráfico da função de lei


Se fizermos uma observação mais detalhada, iremos ver que
3º caso: Função Quadrática que não possui raízes reais nos três casos estudados as raízes têm uma relação direta com o
Seja agora a função , vamos determinar suas valor do calculado.
características: os coeficientes da função são , e
. • Se , a função tem duas raízes reais e distintas;
A função terá concavidade voltada para cima, pois, (é • Se , a função tem duas raízes reais e iguais;
positivo) e interceptará o em , pois, . • Se , a função não tem raízes reais.

Para achar as raízes (e depois o vértice) vamos determinar o Essas três possibilidades também são caracterizadas nas fun-
valor de : ções com
, ou seja, aquelas que possuem a concavidade voltada
para baixo. Na figura 21, vamos distribuir os seis casos possíveis
para a função de 2º grau e aproveitaremos para fazer o estudo de
sinais da função.
Esse estudo de sinais se refere aos intervalos de para os
quais os valores de ora assumem sinal positivo (+), ora assume
sinal negativo (–).

Figura 21: aspectos gráficos, número de raízes, concavidade e


sinais de uma função do 2º grau da forma ,
Note que o valor de é negativo. Isso implica em termos
uma raiz quadrada de um número negativo, no momento em que
quisermos calcular as raízes, veja:
O fato de ter dado raiz quadrada de número negativo, não quer
dizer que não exista um gráfico para a função. Neste caso costu-
mamos dizer que para essa função “NÃO existem raízes reais”,
ou seja, a curva “NÃO” vai interceptar o , porém, o grá-
fico existe. Bastaria atribuirmos vários valores de na expressão,
gerando vários valores de o que nos daria vários pontos. Mas
vamos manter o trabalho com os pontos principais que já estudá-
vamos no 1º e no 2º casos, ou seja, vamos determinar o vértice da
parábola:

O ponto do vértice será então V . Com


esses dados vamos obter o gráfico ilustrado na Figura 20:

Didatismo e Conhecimento 14
MATEMÁTICA
FUNÇÃO MODULAR
Para entender função modular - tema que cai nos vestibulares e no Enem - devemos compreender o que é módulo. Em seguida, através
de exercícios, resolveremos algumas equações modulares e falaremos sobre a função modular: o que muda ao inserirmos um módulo à
função?

MÓDULO
Antes de falar da função modular, vamos relembrar a definição e como calcular o módulo de um número.
O módulo é a distância de um determinado número até o zero.
Por exemplo, o módulo de 13 é a distância entre o 13 e o 0.
Para nos deslocarmos do 13 ao 0, andaremos 13 unidades. Portanto, o módulo de 13 é igual a 13. Ou ainda: |13| = 13.
Sendo assim, qual será o módulo de -13? Bem, a distância do -13 ao zero é também de 13 unidades. Então, |-13| = 13. 

Vejamos alguns outros exemplos:

|-4| = 4
|690| = 690
|23,41| = 23,41
|-log2| = log2
|78| = 78
|-π| = π

Você já deve perceber que existe uma certa regra para calcularmos: todos os números que são positivos, continuam positivos; e todos
da forma negativa, tornam-se positivos. Ou seja:

|x| = x, se x for positivo. 


|-x|, se x for negativo ou usando a linguagem matemática: 
|x| = x, se x>0 
|x| = -x, se x<0

EQUAÇÃO MODULAR
Definição: Equação modular é toda equação cuja incógnita se apresenta em módulo.
Dessa forma, são equações modulares:
• |– 2x + 5| = x
• |3x – 1| = 4
• |10 – 2x| = 2x – 5

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES MODULARES


A resolução de equações modulares baseia-se na definição de módulo, mostrada no início deste texto. Para fins de aprendizado e fixação,
vamos resolver as equações exemplificadas anteriormente.

Didatismo e Conhecimento 15
MATEMÁTICA

INEQUAÇÃO MODULAR

Inequação modular é toda inequação cuja incógnita aparece em módulo. Veja alguns exemplos:
• |x| > 6
• |x| ≤ 4
• |x + 3| > 7
• |4x + 1| ≥ 3

Podemos utilizar as propriedades a seguir para resolver esse tipo de inequação:


• |x| > a        →     x < – a ou x > a.
• |x| < a        →     – a < x < a.
• |x| ≤ a        →     – a ≤ x ≤ a.
• |x| ≥ a        →     x ≤ – a ou x ≥ a.
• |x – a| ≤ b →    – b ≤ x – a ≤ b       →      a – b ≤ x ≤ a + b

Didatismo e Conhecimento 16
MATEMÁTICA
RESOLUÇÃO DE INEQUAÇÕES MODULARES E por fim,
→ |2x + 6| = 2x + 6, se x > 3 (gráfico I)
Agora que você já conhece o conceito sobre inequações mo-
dulares e suas propriedades resolutivas, é hora de colocar a mão na
massa. Antes de analisar as resoluções, tente resolver, utilizando as
propriedades explanadas anteriormente, os modelos de inequações
modulares acima. Veja as resoluções a seguir:

|x| > 6
x < – 6 ou x > 6
S = {x ∈ R | x < – 6 ou x > 6}

|x| ≤ 4
–4≤x≤4
S = {x ∈ R | – 4 ≤ x ≤ 4}

|x + 3| > 7
x + 3 < – 7 ou x + 3 > 7
Se x + 3 < – 7, então:
x<–7–3
x < – 10 → |2x + 6| = -2x - 6, se x < -3 (gráfico II)
Se x + 3 > 7, então:
x>7–3
x>4
S = {x ∈ R | x < – 10 ou x > 4}

|4x + 1| ≥ 3
4x + 1 ≤ – 3 ou 4x + 1 ≥ 3
Se 4x + 1 ≤ – 3, então:
4x ≤ – 3 – 1
4x ≤ – 4
x≤–1
Se 4x + 1 ≥ 3, então:
4x ≥ 3 – 1
4x ≥ 2
x≥½
S = {x ∈ R | x ≤ – 1 ou x ≥ ½}

VAMOS ESBOÇAR O GRÁFICO DA FUNÇÃO F(X) = |2X Com isso, o gráfico da função f(x) ficará da seguinte forma:
+ 6|:

Sabemos que:
→ |2x + 6| = 2x + 6, se 2x + 6 > 0
→ |2x + 6| = -(2x + 6), se 2x + 6 < 0

Então: 
→ |2x + 6| = 2x + 6, se 2x > -6
→ |2x + 6| = -2x - 6, se 2x < -6

Didatismo e Conhecimento 17
MATEMÁTICA
Comparação entre o gráfico de f e a função 2x + 6: FUNÇÃO COMPOSTA

As funções correspondem a uma lei de proporcionalidade en-


tre grandezas. A função composta é utilizada quando é possível
relacionar mais de duas grandezas através de uma mesma função.
Por exemplo, a altura que a lava e o vapor atingem em um
vulcão em erupção é obtida em função da pressão dos gases no
interior do Vulcão e da Terra. Contudo, essa pressão depende da
temperatura atingida pela atividade vulcânica.

Repare que ao colocarmos o módulo na função 2x + 6, a parte


negativa (x < -3) transformou-se em positiva. É essa a principal
mudança quando inserimos o módulo na função: toda a parte ne-
gativa torna-se positiva.

VAMOS ESBOÇAR O GRÁFICO DE G(X) = | X² - 5X + 4|:


De início, o esboço do gráfico sem o módulo: h(x) = x² - 5x + 4: Veja que podemos relacionar diretamente a altura da lava e
do vapor com a temperatura interna do vulcão. Isso remete à ideia
geral de função composta. 

Veja o seguinte exemplo. 

Um terreno foi dividido em 10 lotes, todos estes em forma


quadrada e de mesma área. Represente a função da área do terre-
no utilizando a área dos lotes. 

x = medida de cada lote 

y = f(x) = área de cada lote 

g(x) = área do terreno 

Veja que a área de cada lote é dada pela função f(x):

Como já vimos, ao inserir o módulo a parte negativa ficará Para calcular a área de todo o terreno, devemos saber a área
positiva, então o gráfico de f(x) será: de cada lote, área esta que é informada pela função f(x). Como te-
mos 10 lotes, teremos que a área do terreno será dada da seguinte
maneira:

Veja que para chegar à área do terreno tivemos que utilizar a


função f(x), ou seja, a função g(y) depende da função f(x), por isso
trata-se de uma função composta. 

Realizando a composição teremos que:

Sendo assim, definiremos a função composta, em uma lingua-


gem matemática.

Didatismo e Conhecimento 18
MATEMÁTICA

Exemplo: (Unifor – CE)

Primeiramente devemos esboçar a composição da fog.

Calculando g (-3√2).

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS:

1 - Sendo f e g duas funções tais que: f(x) = ax + b e g(x) = cx + d . Podemos afirmar que a igualdade gof(x) = fog(x) ocorrerá se e
somente se:
a) b(1 - c) = d(1 - a) 
b) a(1 - b) = d(1 - c) 
c) ab = cd 
d) ad = bc 
e) a = bc

SOLUÇÃO:
Teremos:
fog(x) = f[g(x)] = f(cx + d) = a(cx + d) + b \ fog(x) = acx + ad + b
gof(x) = g[f(x)] = g(ax + b) = c(ax + b) + d \ gof(x) = cax + cb + d

Como o problema exige que gof = fog, fica:


acx + ad + b = cax + cb + d
Simplificando, vem:
ad + b = cb + d
ad - d = cb - b \ d(a - 1) = b(c - 1), que é equivalente a d(a - 1) = b(c - 1), o que nos leva a concluir que a alternativa correta é a letra A. .

Didatismo e Conhecimento 19
MATEMÁTICA
2 - Sendo f e g duas funções tais que fog(x) = 2x + 1 e g(x) = Figura 1: Modelo linear
2 - x então f(x) é:
a) 2 - 2x  (posição) 𝒚 = 𝟐𝒙 (valor)
b) 3 - 3x 
c) 2x - 5 
d) 5 - 2x  1 2
e) uma função par. 2 4

SOLUÇÃO: 3 6
Sendo fog(x) = 2x + 1, temos: f[g(x)] = 2x + 1 4 8
Substituindo g(x) pelo seu valor, fica: f(2 - x) = 2x + 1 5 10
Fazendo uma mudança de variável, podemos escrever 2 - x =
u, sendo u a nova variável. Portanto, x = 2 - u. 6 12
Substituindo, fica:
f(u) = 2(2 - u) + 1 \ f(u) = 5 - 2u
Portanto, f(x) = 5 - 2x , o que nos leva à alternativa D. No segundo caso: a partir do segundo termo, cada termo da
sequência é igual ao termo anterior multiplicado por 2. Essa ideia
FUNÇÃO EXPONENCIAL pode ser escrita como:
O termo exponencial não é estranho para você. Provavelmen-
te você já leu ou ouviu alguma informação como estas: . Este é um modelo exponencial, em que indica a
• “O número de usuários da internet cresceu exponencial- posição do número na sequência e o valor do número na posição
mente nos últimos anos.” .
• “A tecnologia evolui em ritmo exponencial.” Figura 2: Modelo exponencial
• “A informação se propagou de forma exponencial.”
• “Houve um aumento exponencial da taxa de juros no pri-
(posição) 𝒚 = 𝟐𝒙
meiro semestre do ano.”
• “Os carros tiveram perda exponencial de valor no ano (valor)
passado.” 1 2
• “A população das bactérias cresceu exponencialmente no 2 4
período.” · “Ao longo do tempo, os recursos diminuíram exponen-
cialmente.” 3 8
4 16
Essas afirmações envolvem a ideia de aumento ou decrésci-
5 32
mo exponencial. Todas elas passam um sentido de ascensão ou de
queda rápida. Pois bem! 6 64

A função exponencial retrata exatamente estes contextos.


Dois exemplos de continuidade para essa sequência: Perceba que no modelo linear, enquanto aumenta de 1 em
1) 2, 4, 6, 8, 10... 1, aumenta em relação a numa proporção de 2 para 1. Já no
2) 2, 4, 8, 16, 32... caso exponencial, não há proporcionalidade, pois enquanto au-
menta de 1 em 1 os valores de vão dobrando, e isso faz com que
No primeiro caso: a partir do segundo termo, cada termo da aumente mais rápido que (variação de é bem maior que a
sequência é igual ao termo anterior mais 2. Essa ideia pode ser variação de ).
escrita como:
Potenciação
É um modelo linear, em que indica a posição do número na Se a, x e y são dois números reais quaisquer e k é um número
sequência e o valor do número na posição . racional, então:
• ax ay= ax + y
• ax / ay= ax – y
• (ax) y= ax.y
• (a b)x = ax bx
• (a / b)x = ax / bx
• a-x = 1 / ax

Radiciação
Uma raiz nada mais é que uma operação inversa à potencia-
ção, sendo assim, ela é utilizada para representar, de maneira dife-
rente, uma potência com expoente fracionário.

Didatismo e Conhecimento 20
MATEMÁTICA
Exemplos

Raiz com índice par


Para um número real a positivo, com n sendo um número natural par e positivo, maior que 1, tem-se um b, tal que, se  , en-
tão bn = a, onde a é o radicando, n é o índice, b é raiz e √ é o radical. Com  .

Nenhum valor de a negativo (-a) tem definição nesse caso.


Observação: quando o índice não aparecer no radical, isso indica que n = 2 e teremos uma raiz quadrada.

Exemplos:

Raiz com índice ímpar


Sendo a um número real, positivo ou negativo, com m sendo um número natural ímpar e positivo, maior que 1, tem-se um b, tal que, se 
, então bm = a, onde a é o radicando, m é o índice, bé raiz e √ é o radical. Com   .

Nesse caso é possível obtermos raízes negativas dentro do conjunto dos números reais (ℝ).

Exemplos:

Propriedades
1, Para o radicando que tenha, como resultado de uma fatoração,
expoente igual a seu índice, então este radicando é igual à raiz procurada.

Exemplos:

2, Podemos dividir o radicando e o índice por um mesmo número real, desde que este seja diferente de zero e maior que um, e divisor
comum do radicando e do índice.
Exemplo:

Exemplos:

3, Para resolvermos a raiz m-esima de uma raiz n-ésima, multiplicamos os índices entre si mantendo intacto o radical interno.
Exemplos:

Didatismo e Conhecimento 21
MATEMÁTICA
Exemplos:

4, A raiz n-ésima de um produto é igual ao produto das raízes n-ésimas.

5, A raiz n-ésima de um quociente (divisão) de a por b é igual ao quociente entre as raízes n-ésimas.

Exemplos:

Considerações finais

A compreensão sobre a radiciação é pré-requisito para os mais diversos conteúdos da matemática moderna. Suas regras não são de
difícil entendimento, porém, neste artigo, procurei facilitar a linguagem escrevendo-as por extenso com riqueza de detalhes, o que nos livros
didáticos é feito unicamente através da linguagem matemática formal. Tendo em vista a extensão do assunto abordado nesse trabalho, ficam,
esses tópicos abordados, como sendo uma introdução dos demais artigos que produzirei futuramente utilizando essa temática a fim de tornar
clara e compreensível a absorção dos saberes sobre os radicais em toda sua amplitude.

Números Racionais e Expoente Negativo 

Nos casos em que o expoente é negativo, devemos trocar o sinal do expoente e inverter a base racional, isto é, o numerador passa a ser
denominador e o denominador passa a ser numerador. Observe: 

Didatismo e Conhecimento 22
MATEMÁTICA
Função Exponencial
1.1 A parte teórica e algumas generalizações para uma função exponencial
Na seção “Para começar” você viu um exemplo de função exponencial: .
Vamos, agora, definir uma generalização da função exponencial.
Definimos a função exponencial pela expressão algébrica em que é um número real positivo e diferente de 1 (𝑎 ∈ ℝ∗+
𝑒 𝑎 ≠ 1), para todo real (ou seja, o domínio é o conjunto dos números reais).

Primeiramente, veja o nome dessa função e perceba o porquê dele: trataremos agora com funções que possuem uma variável no
expoente de um número real (daí o nome exponencial!). Perceba, também, que a base não será um número qualquer, deve ser um número
positivo e diferente de 1.

Veja alguns exemplos de funções exponenciais:

Bem, apenas para detalhar um pouco mais as condições estabelecidas para a base :

• A base não será zero; não haveria utilidade de se trabalhar com , uma vez que, para qualquer expoente positivo que
elevemos o número , sempre obteremos como resposta e, portanto, teremos a função constante. Veja:

Além disso, expoente negativo seria um problemão: iríamos obter um resultado “proibido”, como no exemplo a seguir:

E ainda, no caso de expoente igual a zero com base zero, teríamos a forma indeterminada: 00.
• A base valendo , também não teria utilidade; se pensarmos em , perceberemos que para qualquer expoente teremos
(a função constante, novamente).

Para fechar estes detalhes técnicos, veja que a base também não pode ser negativa, uma vez que, quando elevamos um número ne-
gativo ao expoente par, obtemos um número positivo e, se elevarmos a um expoente ímpar, teremos um número negativo. Isso irá conferir
pontos, ora positivos, ora negativos, gerando pontos isolados, não formando uma curva específica. Para piorar, há inúmeros valores para os
quais esse cálculo não existiria nos reais

Analisando os valores que podemos atribuir à base , iremos destacar os seguintes intervalos ilustrados na Figura 3.
Figura 3: intervalos de valores de que utilizaremos em funções da forma (𝑎∈ℝ∗+ 𝑒 𝑎≠1)

0<𝑎<1 𝑎>1

Construindo dois gráficos de funções exponenciais: uma função com base sendo um número maior que 1, e outra função com base entre
0 e 1. Seja a função exponencial , para todo real. Note que a base é maior que 1, ou seja, 𝑎 >1, pois, . O Quadro 1 mostra
os cálculos de vários valores de para alguns valores de :

Didatismo e Conhecimento 23
MATEMÁTICA

Quadro 1: cálculo de valores e pares obtidos para

Veja com muita atenção a última coluna do Quadro 1; realize o exercício de observar aqueles pares ordenados representados agora na
Figura 4.

Figura 4: gráfico da função dada por

Temos representado na Figura 4 o gráfico da função dada por , para todos os valores possíveis para (todos os reais). É impres-
cindível notar que conforme os valores de aumentam, os valores de também aumentam. Assim, se cresce conforme cresce, então
estamos lidando com uma função crescente. E isso é válido: toda função exponencial que possui uma base maior que 1 (𝑎>1) é uma função
crescente. Outra importante observação: o gráfico está acima do , percebe? Isso quer dizer que esta função é positiva, só assume
valores positivos para . E, portanto, tem como conjunto imagem: .

O gráfico da função para 𝑎>1 tem sempre esse comportamento: passa pelo ponto (0;1) e parece um “tobogã infinito” (descen-
do para quem olha da direita para a esquerda). O gráfico nunca encosta no . E quanto maior o valor de , mais inclinada é a curva,
ou seja, mais rapidamente os valores de aumentam. Bacana, não acha?

Bem, como será uma função exponencial que tem a base sendo um número real menor que 1? Mais especificamente, como relata-
mos antes, teremos uma base tal que 0<𝑎<1. Antes de verificar o próximo exemplo, perceba estes cálculos: , e veja que
. Ou seja, quando aumentamos o expoente do número 0,1, o resultado diminuiu.

Vamos então ao nosso segundo exemplo de função exponencial, dado pela lei . Note que e essa base está compreen-
dida entre 0 e 1 (equivale ao número decimal 0,5). Acompanhe os cálculos no Quadro 2, e veja os pares ordenados na última coluna desse
quadro.

Didatismo e Conhecimento 24
MATEMÁTICA
Tem como domínio: ℝ. Tem como conjunto-imagem:
Quadro 2: cálculo de valores e pares obtidos para ℝ∗+. Passa pelo ponto (0;1).

Não possui raízes.


• Para 𝑎>1, teremos uma função exponencial crescente.
• Para 0<𝑎<1, teremos uma função exponencial decres-
cente.

Os modelos exponenciais aparecem em diferentes contex-


tos: dinâmica de populações, aplicações financeiras, decaimento
radioativo, depreciação de bens etc. Nas aplicações das funções
exponenciais, em geral, aparece um valor constante multiplicando
a potência. Por exemplo: . Perceba que, quando
o valor da função é (o valor constante).

Teófilo depositou R$ 1000,00 numa aplicação que possui um


Figura 5: gráfico da função dada por excelente rendimento, no 5º dia do mês de janeiro; esse valor de
R$ 1000,00 chamamos de Capital (y0). Vamos supor que não haja
variação na taxa de juros e que ela sempre será de 2% (0,02) ao
mês; na Matemática Financeira costumamos usar a letra para essa
taxa percentual.
Passados 3 meses, no dia 5 de abril, Teófilo obtém um extrato
para verificar seu saldo e visualiza os seguintes dados no demons-
trativo:

Quadro 3: cálculo de valores para uma aplicação de R$


1000,00 com juros de 2% ao mês

Vamos detalhar os cálculos que estão nesse quadro. No dia 5


Temos representado na Figura 5 o gráfico da função dada por de cada mês, Teófilo terá direito à correção. O cálculo dos juros (𝐽)
desse primeiro mês é o seguinte:
, para todos os valores possíveis para (todos os reais).
Perceba que, usando a base , obtivemos uma função decrescente,
pois quando aumentamos os valores de , os respectivos valores
de diminuem. E isso sempre ocorrerá quando o valor da base Esses juros, no valor de , será incorporado à quantia
estiver compreendido entre 0 e 1. que foi depositada, concorda? Assim, após um mês o valor será:

Neste caso, o gráfico também está acima do . Esta


função é positiva, só assume valores positivos para . E, portanto,
tem como conjunto- imagem: ℝ∗+. Veja que o valor confere com o da tabela, mas agora pode-
mos avançar em nosso conhecimento matemático. Note que y1 é
O gráfico da função para 0<𝑎<1 tem sempre esse equivalente ao capital aplicado mais os juros do 1º mês, ou seja,
comportamento: passa pelo ponto (0;1) e também parece um “to- . Mas devemos lembrar que , dessa
bogã infinito” (só que agora descendo para quem olha da esquer- forma podemos escrever a expressão assim:
da para a direita). O gráfico nunca “encosta” no . Quanto
menor o valor de , mais inclinada (mais próxima do )a
curva será (isso significa que quanto menor o valor de , a função
decresce mais rapidamente). Se colocarmos y0 em evidência, vamos ter:

A função exponencial tem forma geral 𝑓(𝑥) 𝑎𝑥, para a ∈ ℝ∗+


e a ≠ 1.

Didatismo e Conhecimento 25
MATEMÁTICA
Exemplos de equações exponenciais:
Para obter o saldo do 2º mês vamos proceder da mesma
forma, porém, para calcular os juros, teremos que utilizar o saldo
10x = 100
anterior y1, veja:
2x + 12 = 20
9x = 81
5x+1 = 25
Seguindo a mesma lógica para o 3º mês (y3), teremos:
Para resolvermos uma equação exponencial precisamos apli-
car técnicas para igualar as bases, assim podemos dizer que os
expoentes são iguais. Observe a resolução da equação exponencial
Dessa forma, os cálculos para os três meses serão: a seguir:

[1]