Você está na página 1de 5

PROJETO REALIZAR PROFESSOR: VALENTIM

FÍSICA – AULÃO PARA OFICIALATO Pág. 1

01 - Considere duas partículas de massa m, cada qual presa numa (A) 6 (B) 9 (C) 12
das pontas de uma corda, de comprimento l e massa desprezível, (D) 15 (E) 18
que atravessa um orifício de uma mesa horizontal lisa. Conforme
mostra a figura, a partícula sobre a mesa descreve um movimento 03 - Uma criança está sentada no topo de um escorregador cuja
circular uniforme de raio r e velocidade angular ω1. A partícula estrutura tem a forma de um triângulo ABC, que pode ser
suspensa também descreve esse mesmo tipo de movimento, mas perfeitamente inscrito em um semicírculo de diâmetro AC = 4m. O
com velocidade angular ω2, estando presa a uma mola de constante comprimento da escada do escorregador é AB = 2m.
elástica k e comprimento natural desprezível, mantida na horizontal.

Considerando que a energia potencial gravitacional da criança no


Sendo g o módulo da aceleração da gravidade e θ o ângulo do trecho ponto B, em relação ao solo horizontal que está em AC, é igual a 342
suspenso da corda com a vertical, a razão (ω1/ω2)2 é dada por joules, e adotando g = 5,7 3 m s2 , a massa da criança é igual a
r[mg + k( l - r)cos θ)
a) . a) 30 kg b) 25 kg c) 20 kg
mg(l - r)
d) 24 kg e) 18 kg
(l - r)(mg + kr cos θ)
b) .
mgrsenθ 04 - A barra indicada na figura, presa de forma articulada ao teto, é
composta por dois segmentos. O primeiro segmento AB possui 4 kg
(l - r)(mg + kr tgθ)
c) . de massa e 10m de comprimento. Já o segundo BC possui 2 kg de
kr 2 massa e 2m de comprimento. Sobre a extremidade da barra, atua
k(l - r)cos θ uma força horizontal para a direita, com intensidade de 35N.
d) .
mg + kr
(l - r)k cos θ
e) .
mg + k(l - r)cos θ

02 – Conforme a figura acima, duas lanternas muito potentes,


cilíndricas, com diâmetro D = 4 cm, estão alinhadas no plano vertical.
Ambas possuem lentes nas extremidades, cujos centros ópticos O
estão alinhados verticalmente e cujas distâncias focais são f = 3 cm.
Uma das lentes é convergente e a outra é divergente. Suas lâmpadas
geram raios de luz horizontais, que encontram as lentes das
respectivas lanternas e são projetados até um anteparo vertical. Se a barra está em repouso, a tangente do ângulo θ que ela faz com
Sabendo que a distância entre os centros ópticos das duas lentes é y a vertical vale
= 12 cm, a distância máxima x entre os centros ópticos das lentes O e a) 0,25
o anteparo, em centímetros, que faz com que a luz projetada pelas b) 0,35
lanternas não se sobreponha é: c) 0,5
d) 1
e) 2

05 - Três partículas, A, B e C, movimentam-se, com velocidades


constantes, ao longo de uma mesma direção. No instante inicial, t 0 =
0, a distância entre A e B vale x, e entre B e C vale y, conforme indica
a figura a seguir.

FÍSICA MIL
www.fisicamil.com.br @fisicamil
PROJETO REALIZAR PROFESSOR: VALENTIM
FÍSICA – AULÃO PARA OFICIALATO Pág. 2

Em t = 2s, a partícula A cruza com a partícula B. Em t = 3s, a partícula


A cruza com a partícula C. A partícula C alcançará a partícula B no
instante dado pela relação
6y
a)
2y - x
6(y - x)
b)
2y - 3x
y-x
c) 1/ 2
3x 3 2 
a) gR e  gR 
3y 2 3 
d) 1/ 2
y-x 2 3 
b) R e  gR 
3 2 
06 - A montagem da figura a seguir ilustra a descida de uma 2/3
partícula 1 ao longo de um trilho curvilíneo. Partindo do repouso em 1 3 
c) gR e  gR 
A, a partícula chega ao ponto B, que está a uma distância vertical H 3 2 
abaixo do ponto A, de onde, então, é lançada obliquamente, com 2/3
um ângulo de 45° com a horizontal.
2 2 
d) R e  gR 
3 3 
1/ 2
2 2 
e) R e  gR 
3 3 

08 - Ana Clara ganhou de seu pai um balão e, para evitar que esse
balão, contendo gás hélio e com volume V = 5,0 L, se perdesse
voando para a atmosfera, ela pediu a seu pai que utilizasse um
cordão de massa m = 10g e comprimento l = 1,0m para amarrá-lo.
Para atender ao pedido de sua família e ao mesmo tempo estudar o
fenômeno da propagação de ondas, o pai prendeu a extremidade
livre do cordão à parede e utilizou uma polia ideal para montar o
experimento (conforme apresentado na figura abaixo). Sabe-se que
A partícula, agora, descreve uma trajetória parabólica e, ao atingir a massa específica do gás no interior do balão é de 0,17 kg/m 3 e a do
seu ponto de altura máxima, nessa trajetória, ela se acopla a uma ar atmosférico é de 1,21 kg/m3.
partícula 2, sofrendo, portanto, uma colisão inelástica. Qual é, então, a velocidade com que uma onda transversal se
propaga no cordão do balão de Ana Clara?
Essa segunda partícula possui o dobro de massa da primeira, está (Dados: Despreze a massa do revestimento do balão)
em repouso antes da colisão e está presa ao teto por um fio ideal, de
comprimento maior que H, constituindo, assim, um pêndulo.
Considerando que apenas na colisão atuaram forças dissipativas, e
que o campo gravitacional local é constante. O sistema formado
pelas partículas 1 e 2 atinge uma altura máxima h igual a
H
a)
3
H a) 1,41 m/s
b)
9 b) 2,28 m/s
H c) 2,83 m/s
c) d) 3,32 m/s
16
e) 4,00 m/s
H
d)
18 09 - Um mol de um gás ideal monoatômico vai do estado a ao
estado c, passando pelo estado b com pressão, como mostrado na
07 - Devido à quase inexistência de esportes radicais no Alasca, um figura abaixo. A quantidade de calor Q que entra no sistema
garoto resolve deslizar, a partir do repouso, do alto de um iglu de durante esse processo é de aproximadamente:
forma semiesférica de raio R. Ao atingir o ponto O, que se encontra a
uma altura h do solo, ele perde totalmente o contado com a
superfície. Se, com uma boa aproximação, desprezarmos todas as
formas de resistências impostas ao movimento desse garoto e
considerarmos o módulo da aceleração gravitacional local como
sendo g, podemos concluir que a altura h e a velocidade com que ele
chegará ao ponto O serão, respectivamente:

FÍSICA MIL
www.fisicamil.com.br @fisicamil
PROJETO REALIZAR PROFESSOR: VALENTIM
FÍSICA – AULÃO PARA OFICIALATO Pág. 3

a) 4000 J
b) 5000 J
c) 6000 J
d) 7000 J
e) 8000 J a) 1,50 .

10 - Dona Marize, numa noite fria de inverno, resolveu fazer café. b) 2,20 .
Entretanto, percebeu que não havia água para fazer o café. Dona
c) 2,75 .
Marize teve uma ideia, pegou cubos de gelo do congelador de massa
total 1,5 kg a -8°C e com o calor fornecido por um ebulidor, d) 3,15 .
transformou-os em água a 90°C, num intervalo de tempo de 700s. O
ebulidor foi ligado a uma fonte de tensão contínua de 150V. e) 3,50 .
Determine o valor da resistência elétrica do ebulidor em ohms, 13 - A figura abaixo apresenta os gráficos da posição (x) em função
supondo que 60% da potência elétrica dissipada no resistor seja do tempo (t) para dois sistemas A e B de mesma massa m que
aproveitada para a realização do café. oscilam em MHS, de igual amplitude.
a) 2,26
b) 4,45
c) 6,63
d) 8,62
e) 10,40

11 - A imagem de um objeto formada por um espelho côncavo mede


metade do tamanho do objeto. Se este é deslocado de uma distância
de 15cm em direção ao espelho, o tamanho da imagem terá o dobro
do tamanho do objeto. Estime a distância focal do espelho e assinale
a alternativa correspondente.
a) 40 cm
b) 30 cm
c) 20 cm
Sendo ECA e ECB as energias cinéticas dos sistemas A e B
d) 10 cm
respectivamente no tempo t1; EPA e EPB as energias potenciais do
e) 5 cm
sistema A e B respectivamente no tempo t2, é correto afirmar que
a) ECA = ECB
12 - Uma pequena esfera carregada, de massa m= 0,400kg e carga
b) EPA > EPB
elétrica q= 7,50.10–1C, está presa à mola ideal de constante elástica
c) ECA > ECB
K= 40,0N/m. O sistema esfera–mola oscila em M.H.S, com amplitude
d) EPB > EPA
A= 10,0cm, sobre uma rampa formando uma ângulo de 30º com a
horizontal. A esfera move–se numa região onde existe um campo
14 - Uma fonte sonora A, em repouso, emite um sinal sonoro de
magnético uniforme de módulo igual a 2,00 teslas, perpendicular ao
frequência constante f = 100 Hz. Um sensor S desloca-se A com
plano do movimento (conforme a figura abaixo). Despreze os atritos
velocidade constante VS = 80 m/s, em relação à Terra, sobre um
e a magnetização da mola. No instante em que a mola estiver
plano perfeitamente retilíneo, em direção à fonte sonora, como
esticada 10,0cm em relação ao seu tamanho natural, se afastando da
mostra a Figura 1.
posição de equilíbrio do sistema esfera–mola, o módulo da força
normal (em newtons) exercida pelo plano inclinado (rampa) sobre a
esfera é

O sensor registra a frequência aparente devido à sua movimentação


em relação à fonte sonora e a reenvia para um laboratório onde um
sistema de caixas sonoras, acopladas a três tubos sonoros, de
comprimentos L1, L2 e L3, reproduz essa frequência aparente fazendo

FÍSICA MIL
www.fisicamil.com.br @fisicamil
PROJETO REALIZAR PROFESSOR: VALENTIM
FÍSICA – AULÃO PARA OFICIALATO Pág. 4

com que as colunas de ar desses tubos vibrem produzindo os


harmônicos apresentados na Figura 2.

Considere que o sensor se movimenta em um local onde a


velocidade do som é constante e igual a 320 m/s, que os tubos
sonoros possuam diâmetros muito menores do que seus respectivos
comprimentos e que a velocidade do som no interior desses tubos
seja também constante e igual a 320 m/s. Considere também que a
fonte A e o ar estejam em repouso em relação à Terra. Nessas
condições, é correto afirmar que os comprimentos L 1, L2 e L3,
respectivamente, em metros, são:
16 -

15 - Analise o gráfico a seguir.


Um tubo sonoro de comprimento total L = 1m, aberto nas duas
extremidades, possui uma parede móvel em seu interior, conforme a
figura. Essa parede é composta de material refletor de ondas
sonoras e pode ser transladada para diferentes posições, dividindo o
tubo em duas câmaras de comprimento L 1 e L2. Duas ondas sonoras
distintas adentram nesse tubo, uma pela abertura da esquerda, com
f1 = 2,89 kHz, e outra pela abertura da direita, com f 2 = 850 Hz.

Em relação às ondas sonoras, os valores de L 1 e L2, em cm, que


possibilitarão a formação de ondas ressonantes em ambas as
cavidades são, respectivamente:
O gráfico acima representa um gás ideal descrevendo um ciclo ABC
em um diagrama PxV. Esse ciclo consiste em uma transformação Dado:
isotérmica seguida de uma transformação isocórica e uma isobárica. - O meio no interior do tudo é o ar, onde o som se propaga com
Em um diagrama V x T, qual o gráfico pode representar o mesmo velocidade 340 m/s.
ciclo ABC? a) 14,7 e 85,3
b) 44,1 e 55,9
c) 50,0 e 50,0
d) 70,0 e 30,0
e) 90,0 e 10,0

17 - Considere as afirmações abaixo, relativas a uma máquina


térmica que executa um ciclo termodinâmico durante o qual há
realização de trabalho.

Afirmação I. Se as temperaturas das fontes forem 27°C e 427°C, a


máquina térmica poderá apresentar um rendimento de 40%.
Afirmação II. Se o rendimento da máquina for 40% do rendimento
ideal para temperaturas das fontes iguais a 27°C e 327°C e se o calor
rejeitado pela máquina for 0,8 kJ, o trabalho realizado será 1,8 kJ.
Afirmação III. Se a temperatura de uma das fontes for 727°C e se a
razão entre o calor rejeitado pela máquina e o calor recebido for 0,4,

FÍSICA MIL
www.fisicamil.com.br @fisicamil
PROJETO REALIZAR PROFESSOR: VALENTIM
FÍSICA – AULÃO PARA OFICIALATO Pág. 5

a outra fonte apresentará uma temperatura de –23°C no caso de o


rendimento da máquina ser 80% do rendimento ideal.

Está(ão) correta(s) a(s) seguinte(s) afirmação(ões):


(A) I, apenas.
(B) I e II, apenas.
(C) II e III, apenas.
(D) I e III, apenas.
(E) III, apenas.

18 - Uma barra metálica de massa m = 250g desliza ao longo de dois


trilhos condutores, paralelos e horizontais, com uma velocidade de
módulo v = 2,0 m/s. A distância entre os trilhos é igual a L = 50 cm,
estando eles interligados por um sistema com dois capacitores
ligados em série, de capacitância C1 = C2 = 6,0 µF, conforme ilustra a
figura a seguir:

O conjunto está no vácuo, imerso em um campo de indução


magnética uniforme, de módulo B = 8,0 T, perpendicular ao plano
dos trilhos.
Desprezando os efeitos do atrito, calcule a energia elétrica
armazenada no capacitor C1 em micro joules.
a) 384
b) 192
c) 96
d) 48
e) 24

FÍSICA MIL
www.fisicamil.com.br @fisicamil