Você está na página 1de 28

Certificação Profissional ANBID CPA-10

Certificação Profissional ANBID

CPA-10

Módulo III | Noções de Economia e Finanças

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 1


Certificação Profissional ANBID CPA-10

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 2


Certificação Profissional ANBID CPA-10

10% a 15% da prova


Índice

1. Conceitos Básicos de Economia 5


1.1 Indicadores econômicos 5
1.1.1 PIB 5
1.1.2 Índices de Inflação: IPCA / IGPM 6
1.1.3 Taxa de Câmbio 7
1.1.4 Taxa Selic meta 7
1.1.5 Taxa Selic over 8
1.1.6 Taxa DI 8
1.1.7 TR - Taxa Referencial 8
1.2 COPOM: finalidade e atribuições 9
1.3 Avalie seu Conhecimento em Economia 11
2. Conceitos Básicos de Finanças 12
2.1 Taxa de juros nominal e Taxa de juros real 12
2.2 Capitalização simples versus capitalização composta 12
2.3 Taxa de juros equivalente e taxa de juros proporcional 13
2.4 Índice de referência (benchmark): conceito e finalidade 14
2.5 Marcação a Mercado como valor presente de uma carteira: precificação e 16
volatilidade – impacto de prazos e taxas
2.6 Prazo médio ponderado de uma carteira e os riscos associados 19
2.7 Volatilidade: conceito 20
2.8 Mercado Primário e Mercado Secundário: conceito, finalidade e relevância para o 21
investidor
2.9 Avalie Seu Conhecimento em Finanças 24
3. Resumo 25

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 3


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

Aplicabilidade dos conceitos no dia-a-dia

Você é responsável por prestar aconselhamento aos clientes que buscam


orientação em relação às decisões de investimento.

Para prestar essa orientação de forma profissional e competente é necessário


que você detenha, dentre outros, conhecimento básico de Economia e Finanças.

Noções de Economia vai ajudar você a entender melhor quais são as relações
de causa e efeito que certas políticas provocam sobre as principais variáveis
econômicas: taxa de juros, taxa de câmbio e índice de ações.

O desempenho dos produtos de investimentos que você comercializa recebe o impacto positivo ou
negativo dessas variáveis econômicas e, o entendimento dessas relações, permitirá que você consiga
orientar seu cliente de forma adequada e profissional.

Vai conhecer os principais indicadores financeiros do mercado comumente utilizados pelos meios de
comunicação e cujo entendimento contribuirá para fortalecer seu discurso de vendas de produtos de
investimento.

Os Fundamentos de Finanças vão auxiliar você a entender como são mensurados os preços e as taxas dos
produtos de investimento.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 4


Certificação Profissional ANBID CPA-10

1. Noções de Economia

1.1 Indicadores Econômicos

Conceitos Básicos de Economia


Definição: são um conjunto de dados estatísticos, passíveis de mudanças e oscilações, capazes de
dar uma idéia do estado de uma economia em determinado período ou data. Em geral, fornecem
dados sobre produção, comercialização e investimentos em um país.
Dentre os Indicadores Econômicos mais relevantes estão os referentes ao nível de emprego, índice
de preços, distribuição de renda e crescimento da economia. Vamos conhecer um dos indicadores
mais famosos da economia: o PIB!

1.1.1 PIB - Produto Interno Bruto

É o conjunto da produção final de bens e serviços realizada em território nacional, independente


da nacionalidade dos agentes econômicos, num determinado período de tempo, normalmente, 1
ano.

Algumas regras para cálculo do PIB:


 O valor dos bens intermediários não é computado no cálculo do PIB, visto que está
incluído dentro do valor dos bens finais.
 Com o objetivo de computar o valor dos bens e serviços finais, soma-se somente o
valor adicionado ou agregado em cada etapa de produção a preços de mercado.
Tome por exemplo a fabricação de um carro: em relação à montadora de veículos será
considerado apenas o que ela adicionou para sua fabricação, caso contrário o aço e os
pneus, por exemplo, seriam considerados duas vezes para efeito de PIB.
 Quanto à economia informal, a partir das últimas mudanças metodológicas, anunciadas
em 2007, o IBGE vem considerando esta importante parte da economia nacional nos
cálculos oficiais do PIB.

O PIB: Conceitos Básicos de Finanças


 Produção total de bens e serviços de um país durante o ano, independente
da nacionalidade dos agentes econômicos;
 Considera o valor agregado na etapa de produção do bem.

Sob a ótica das despesas, os componentes do PIB são:


C é o consumo privado
I é o total de investimentos realizados
G representa gastos governamentais
PIB = C + I + G + X - M
X é o volume de exportações
M é o volume de importações

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 5


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

 Consumo: refere-se a todos os bens e serviços comprados pelas famílias e divide-se em três
subcategorias: bens não-duráveis, bens duráveis e serviços.
 Investimento: consiste nos bens adquiridos para uso futuro. Essa categoria divide-se em duas
subcategorias: investimento fixo das empresas (formação bruta de capital fixo) e variação de
estoques.
 Despesa do Governo: são os bens ou serviços adquiridos pelos governo federal, estadual ou
Conceitos Básicos de Economia

municipal. Exemplos: estradas, hospitais, escolas, etc.


 Exportações : refere-se ao volume de produtos, bens e serviços vendidos ao exterior.
 Importações : refere-se ao volume de produtos, bens e serviços comprados do exterior.

Componentes do PIB:
Consumo + Investimento + Gastos do Governo + Exportações – Importações

1.1.2 Índices de Preços (medem a inflação)

A inflação é a taxa média de variação dos preços de bens e serviços, em um período de tempo,
em uma determinada economia (ou em determinado país).
Os índices de preços mostram o comportamento da variação dos preços de uma cesta de bens e de
serviços.
O preço de referida cesta varia ao longo do tempo e demonstra que, em determinados momentos, o
nosso poder de compra aumenta e que em outros momentos o nosso poder de compra diminui ou
permanece inalterado.
Dois índices serão explicados a seguir:
 IPCA que é um índice que mede a inflação na ponta do consumidor (varejo),
 IGP-M que é um índice geral de preços, composto da variação tanto de preços no atacado
como na ponta do consumidor (ou varejo).
Conceitos Básicos de Finanças

IPCA – Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo

O IPCA é calculado pelo IBGE e reflete a variação dos produtos e serviços consumidos pelas famílias
com rendas de 1 a 40 salários mínimos.
O período de coleta do IPCA estende-se do dia 01 a 30 do mês de referência. Periodicidade mensal.
O IPCA é um índice utilizado pelo Banco Central do Brasil, mais precisamente seu colegiado de
diretores, conhecido como COPOM - Comitê de Política Monetária, para o acompanhamento dos
objetivos estabelecidos no sistema de metas de inflação, adotado a partir de julho de 1999, para o
balizamento da política monetária.

Meta de Inflação:
 O Conselho Monetário Nacional estabelece a meta de inflação.
 O Banco Central (COPOM) cumpre a meta.
 O IPCA mede a inflação para verificar o cumprimento da meta.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 6


Certificação Profissional ANBID CPA-10

IGP-M – Índice Geral de Preços de Mercado

O IGP-M é o índice de inflação calculado mensalmente pela FGV - Fundação Getulio Vargas e é
composto pela média ponderada de 3 outros índices, a saber:

Conceitos Básicos de Economia


Composição do IGP-M Peso %

IPA – Índice de Preços por Atacado 60%

IPC – Índice de Preços ao Consumidor 30%

INCC – Índice Nacional de Custos da Construção 10%

Período de coleta: de 21 a 20 de cada mês.


Divulgação: final do mês de referência.

1.1.3 Taxa de Câmbio

A taxa de câmbio índica a equivalência de uma moeda em relação a outra. Como cada país tem sua
própria moeda, é necessário estabelecer o valor da moeda de um país em relação à moeda do outro.
A política cambial atual no Brasil é de taxa de câmbio livre sendo sua cotação determinada pelo
mercado em função de oferta e demanda da moeda estrangeira.
Cotação do dólar norte-americano, por exemplo: R$2,10. Significa que são necessários R$2,10 para
comprar 1 dólar.
 Se a taxa de câmbio sobe para R$2,20, significa que são necessários mais Reais para
comprar o mesmo dólar = Real desvalorizou.
 Se a taxa de câmbio cai para R$2,00, significa que são necessários menos Reais para
comprar o mesmo dólar = Real valorizou.

Conceitos Básicos de Finanças


PTAX
É a informação oficial sobre a cotação das moedas estrangeiras no Brasil,
fornecida pelo Banco Central do Brasil.
É definida pela média das negociações no decorrer do dia, para liquidação
em dois dias úteis.

1.1.4 Taxa Selic Meta

Divulgada pelo COPOM - Comitê de Política Monetária, é expressa na forma anual para 252 dias úteis
e representa o nível de taxa de juros que o governo considera adequada para atingir a meta de
inflação definida pelo Conselho Monetário Nacional.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 7


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

1.1.5 Taxa Selic Over

Calculada e divulgada diariamente pela Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia), representa
a taxa média das operações de financiamento por um dia, lastreadas em títulos públicos federais na
forma de operações compromissadas.
Conceitos Básicos de Economia

Expressa na forma anual, base de 252 dias úteis, é a taxa efetivamente praticada no mercado
interfinanceiro.

1.1.6 Taxa DI CETIP

A taxa média das operações realizadas no mercado interfinanceiro pelo prazo de 1 dia, com lastro em
CDI – Certificado de Depósito Interfinanceiro. A taxa é expressa ao ano, base de 252 dias úteis e é
calculada e divulgada diariamente pela CETIP, câmara de custódia e liquidação onde são registradas e
liquidadas as operações.

Taxa das operações do mercado interfinanceiro relativas a operações de 1 dia


(compromissadas):
 Taxa Selic – lastro em títulos públicos federais
 Taxa DI – lastro em CDI

Operações Compromissadas
São operações de venda de títulos com compromisso de recompra assumido pelo
vendedor, concomitante com compromisso de revenda assumido pelo comprador, para
Conceitos Básicos de Finanças

liquidação no dia útil seguinte.

1.1.7 TR – Taxa Referencial

É calculada diariamente pelo Banco Central do Brasil com base na TBF – Taxa Básica Financeira, que é
a média da taxa de captação dos depósitos a prazo de 30 instituições financeiras selecionadas.
Para cada TBF obtida será calculada a correspondente TR, pela aplicação de um redutor, definido pelo
Banco Central. É o índice que remunera os depósitos da Poupança.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 8


Certificação Profissional ANBID CPA-10

1.2. COPOM – Comitê de Política Monetária

O COPOM foi instituído com o objetivo de estabelecer as diretrizes da política monetária e definir a
taxa de juros básica da economia.
Os objetivos do COPOM são:

Conceitos Básicos de Economia


 Implementar a política monetária
 Definir a meta da taxa SELIC e seu eventual viés
 Analisar o Relatório de Inflação

A taxa de juros fixada na reunião do COPOM é a meta para a taxa SELIC a qual vigora por todo o
período entre as reuniões ordinárias do Comitê. O COPOM também pode definir o viés, que é a
prerrogativa dada ao Presidente do Banco Central para alterar a meta da taxa SELIC a qualquer
momento entre as reuniões ordinárias, no sentido (alta ou baixa) indicado pelo viés.

COPOM
 Define a taxa Selic meta
 Cumpre a meta de inflação definida pelo Conselho Monetário

Conceitos Básicos de Finanças

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 9


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

EXERCÍCIO
EXERCÍCIO 1
1 || Verdadeiro
Verdadeiro ou
ou Falso?
Falso?
Indique
Indique se
se aa afirmativa
afirmativa éé Verdadeira
Verdadeira ou
ou Falsa.
Falsa.
Conceitos Básicos de Economia

AFIRMATIVA V F

1. PIB é o total da produção de bens e serviços de um país, produzidos em


território nacional, em determinado período.

2. O IGP-M é o índice de preço adotado pelo governo para monitorar o


cumprimento da meta de inflação.

3. O IPCA é a média ponderada de 3 índices sendo 60% do IPA, 30% do IPC e 10%
do INCC.

4. A taxa Selic meta é definida pelo COPOM como sendo a taxa adequada para
cumprir a meta de inflação.

5. A taxa Selic over é a taxa média das operações realizadas no mercado


interfinanceiro pelo prazo de 1 dia com lastro em títulos públicos federais.

6. A taxa DI é a taxa média das operações realizadas no mercado interfinanceiro


pelo prazo de 1 dia com lastro em título privado – CDI.

7. O COPOM é responsável por cumprir a meta de inflação determinada pelo


Conselho Monetário Nacional.

8. A TR Taxa Referencial é definida com base na inflação medida pelo IPCA e


remunera os depósitos em Poupança.

9. A taxa de câmbio indica quantas unidades da moeda local são necessárias para
Conceitos Básicos de Finanças

comprar ou vender uma unidade da moeda estrangeira.

10. As taxas Selic e DI são expressas em taxa anual, calculadas com base em 252
dias úteis.

Gabarito: (1) Verdadeiro;( 2) Falso; (3) Falso; (4) Verdadeiro; (5) Verdadeiro;(6) Verdadeiro; (7) Verdadeiro; (8) Falso;
(9) Verdadeiro; (10) Verdadeiro.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 10


Certificação Profissional ANBID CPA-10

1.3 Avalie seu Conhecimento em Economia

1. A taxa Selic - over expressa a:


a) meta da taxa de juros básica da economia.

Conceitos Básicos de Economia


b) média ponderada das operações interfinanceiras, por um dia, lastreadas em títulos públicos federais.
c) média ponderada das operações interfinanceiras, lastreadas em CDI.
d) meta de inflação estabelecida para o ano.

2. A Taxa Referencial - TR é calculada com base nas operações de:


a) nota promissória.
b) letra de câmbio.
c) debêntures.
d) CDB.

3. A Taxa DI é:
a) divulgada diariamente pela SELIC.
b) calculada com base em 360 dias corridos.
c) base de cálculo para a TR -Taxa Referencial.
d) calculada com base nas operações do mercado interfinanceiro, de um dia, com lastro em CDI.

4. O Conselho Monetário Nacional define a meta de inflação para cada ano, e o índice
utilizado para mensuração da meta é o:
a) IGP-M.

Conceitos Básicos de Finanças


b) IPC.
c) IPCA.
d) INCC.

5. O COPOM tem como objetivo definir a:


a) meta da taxa Selic.
b) meta de inflação.
c) taxa referencial.
d) taxa DI.

Gabarito: (1) B; (2) D; (3) D; (4) C; (5) A.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 11


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

2. Noções de Finanças

2.1 Taxa de Juros Nominal e Taxa de Juros Real


Conceitos Básicos de Economia

Taxa Nominal
É a taxa que encontramos nas operações correntes, ou seja, a taxa visível aos participantes de uma
transação, por exemplo, de um CDB cotado a 13% ao ano. A inflação está inserida nessa cotação e
não reflete, portanto, o ganho real do investidor no investimento.

Taxa Real
É a taxa nominal descontada a inflação do período. Ela será positiva quando a taxa nominal for maior
do que a inflação no mesmo período e será negativa quando a taxa nominal for menor do que a
inflação no mesmo período.
Acompanhe o exemplo: Seu cliente investe em CDB pelo prazo de 1 ano e recebe taxa nominal de
13% ao ano. Vamos considerar 3 hipóteses de inflação e indicar qual foi a taxa de juros real da
operação em cada cenário:

Hipótese de Inflação Taxa Real de Juros

5% no período Positiva de 8% ao ano (13% - 5%)

15% no período Negativa de 2% ao ano (13% - 15%)

13% no período Zero (13% - 13%)

Nota do professor: Fizemos uma simplificação do cálculo mediante uma simples


operação de subtração para facilitar o entendimento do conceito.

2.2 Capitalização Simples versus Capitalização Composta


Conceitos Básicos de Finanças

No regime de capitalização simples a taxa de juros incide apenas sobre o capital inicial.
Exemplo: Uma aplicação de R$100 feita por 3 meses a uma taxa de 2% ao mês. Qual o rendimento
acumulado no final de 3 meses?

Mês 1 2 3

Capital $100,00 $100,00 $100,00

Juro $2,00 $2,00 $2,00

Montante $102,00 $104,00 $106,00

A expressão matemática é a seguinte:

 2 
Montante = 100 x 1 + x3 = 100 x (1 + 0,06) = 106,00
 100 

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 12


Certificação Profissional ANBID CPA-10

No regime de capitalização composta a taxa incide sobre o capital inicial acrescido do juro do
período anterior, ou seja, o juro de cada período é gerado pela aplicação da taxa sobre a soma do
capital anterior e seus respectivos juros.

A mesma aplicação de R$100 feita por 3 meses a uma taxa de 2% ao mês, no sistema de

Conceitos Básicos de Economia


capitalização composta ficaria assim:

Mês 1 2 3

Capital $100,00 $102,00 $104,04

Juro $2,00 $2,04 $2,08

Montante $102,00 $104,04 $106,12

A expressão matemática para encontrar o montante é a seguinte:


3
 2 
Montante = 100 x 1 +  = 100 x 1,0612 = 106,12
 100 

A expressão matemática para encontrar a taxa do período é a seguinte:

 3 
Taxa período =   1 + 2  − 1 x 100 = 6,12%
 100  
 

Conceitos Básicos de Finanças


2.3 Taxa de Juros Equivalente e Taxa de Juros Proporcional

Muitas vezes a taxa de juros é expressa ao ano, mas a transação é por um prazo menor e temos de
achar a taxa correspondente ao período da operação.
Duas taxas são PROPORCIONAIS quando, considerados o mesmo prazo e o mesmo capital,
produzem o mesmo montante, no regime de capitalização SIMPLES de juros.

Exemplo: Dado o mesmo prazo de 12 meses, as taxas de 12% ao ano e 1% ao mês são
proporcionais porque produzem o mesmo montante no vencimento. Confira!

$100 x 1,12 = $112,00


$100 x (1+ 0,01 x 12) = $112,00

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 13


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

Duas taxas são EQUIVALENTES quando, considerados o mesmo prazo e o mesmo capital, produzem
o mesmo montante, no regime de capitalização COMPOSTA de juros.
Exemplo: Dado o mesmo prazo de 12 meses, as taxas de 12% ao ano e 0,95% ao mês são
equivalentes porque produzem o mesmo montante no vencimento. Confira!

$100 x 1,12 = $112,00


Conceitos Básicos de Economia

$100 x (1,0095)12 = $112,00

Capitalização Simples – as taxas são proporcionais.


Capitalização Composta – as taxas são equivalentes.

Cuidado! Nem sempre a taxa de juros composta produz maior montante... Quando o
prazo da transação (6 meses) é menor que a unidade de tempo em que a taxa de juros
está expressa (12% ao ano), a taxa proporcional (juro simples) produzirá maior
montante do que a taxa equivalente (juro composto).

2.4 Índice de Referência aplicado a produtos de investimento

Também conhecido como benchmark, o índice de referência é um parâmetro para análise de retorno
de investimentos.
Quando o investidor escolhe determinado investimento ele tem uma certa expectativa de
rentabilidade. O benchmark permitirá que ele observe se essa rentabilidade está sendo alcançada ou
não.
Os índices de referência (ou benchmark) variam de acordo com o tipo de investimento feito, ou ainda,
de acordo com o objetivo do investimento.
 O benchmark mais utilizado pelo mercado é a taxa de juros básica da economia: taxa DI ou
taxa Selic.
Conceitos Básicos de Finanças

 Quando o objetivo de investimento está associado a obter um retorno acima da inflação, o


benchmark mais adequado será o IPCA ou o IGP-M.
 Um investimento em ações, por sua vez, deverá adotar um benchmark relativo ao mercado
acionário: o Ibovespa ou o IBrX, por exemplo.

Benchmark
Parâmetro utilizado para avaliar o desempenho de um investimento ao longo do tempo.

Os benchmarks mais utilizados pelo mercado são:


 Fundos DI, Renda Fixa e Multimercado: taxa DI e taxa Selic.
 Fundos Renda Fixa com composição de índices de preços: IPCA e IGP-M.
 Fundo Cambial: Variação cambial (Ptax).
 Fundo de Ações: Ibovespa e IBrX – índices formados pelas ações mais negociadas no mercado.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 14


Certificação Profissional ANBID CPA-10

EXERCÍCIO
EXERCÍCIO 2
2
Indique
Indique oo banchmark
banchmark adequado
adequado para
para cada
cada um
um dos
dos investidores.
investidores.

Conceitos Básicos de Economia


Taxa DI Ibovespa ou IPCA ou Taxa Câmbio
ou Taxa Selic IBrX IGPM PTAX

1 Fundos de Ações ou carteira de ações.

2 Fundo Referenciado DI, Fundo Renda Fixa e Fundo Multimercado

3 Fundos Renda Fixa com posições em índices de preços

Conceitos Básicos de Finanças

4 Fundo Cambial

Gabarito: (1) Ibovespa ou IBX; (2) Taxa DI ou Selic; (3) IPCA ou IGPM; (4) taxa de câmbio ou Ptax.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 15


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

A “Renda Fixa” não é Fixa!

Ficou curioso?
Conceitos Básicos de Economia

Como assim, a “renda fixa” não é fixa?... Para entender melhor esse assunto
vamos conversar sobre o conceito da Marcação a Mercado que provoca
oscilação no valor da cota dos fundos de investimento, mesmo naqueles
chamados de “renda fixa”.

2.5 Marcação a Mercado

A Marcação a Mercado tem um objetivo: saber quanto vale um título ou valor mobiliário. A resposta é
uma só: ele vale o valor que o mercado estiver disposto a pagar.
Quanto vale a sua casa? E o seu carro? E os dólares que você comprou o ano passado? E as ações da
Petrobras ou Vale do Rio Doce que você comprou com o dinheiro do Fundo de Garantia?
A resposta parece natural nesses casos: vale o que o mercado estiver disposto a pagar por eles.
E para descobrir quanto vale um CDB de taxa prefixada, um título público de taxa prefixada ou a cota
de um Fundo de “Renda Fixa”, a regra não se aplica? A resposta é: com certeza!
O curioso é que não aceitamos isso com naturalidade. Acho que o nome “renda fixa” ajuda a explicar
a razão dessa estranheza. Porque quando um investidor compra um CDB de taxa prefixada, por
exemplo, ele acredita que a TAXA DE JUROS é fixa. Engano!
Na verdade, o que é fixado no momento da contratação da operação é:

(1) a data de vencimento e


(2) o valor de resgate do CDB.

Se quisermos saber quanto vale esse CDB antes do vencimento, vamos perguntar quanto o mercado
está disposto a pagar por ele. Para isso, o mercado calcula o valor presente do fluxo de pagamentos
Conceitos Básicos de Finanças

desse título para saber quanto ele vale hoje.


O procedimento de “Marcação a Mercado”, feito diariamente pelos administradores dos Fundos de
Investimento, tem exatamente esse objetivo: calcular o valor da cota de cada fundo com base no
valor de mercado dos ativos que compõem a carteira do fundo.
Por que esse procedimento é necessário? Para que o valor da cota seja exatamente o que tiver de ser
– nem mais, nem menos. Caso contrário, alguns cotistas podem ser prejudicados e outros
favorecidos.

Marcação a Mercado
• valor presente do fluxo de pagamentos dos títulos que compõem a carteira de um
fundo de investimento
• tem como objetivo evitar a transferência de riqueza entre os cotistas dos fundos!

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 16


Certificação Profissional ANBID CPA-10

Agora que você já sabe o que é a Marcação a Mercado e por que ela é feita, vamos entender quais são
os fatores que provocam oscilação no preço dos títulos prefixados:
a) Variação na taxa de juros
b) Prazo médio dos títulos da carteira

Conceitos Básicos de Economia


Observe o fluxo de pagamento de uma operação de CDB contratado pelo prazo de 12 meses, taxa de
15% ao ano.

Valor de resgate
R$ 1.150,00

Valor de emissão Vencimento


R$ 1.000,00 12 meses

O que o investidor contrata, na verdade, é um VALOR FUTURO de R$1.150,00, pagável na data de


vencimento da operação.
Se ele quiser revender o CDB no mercado ANTES do vencimento, equivale a ele pedir para o mercado
descontar o recebível que ele tem, não é verdade?
Pois é exatamente isso que o mercado faz. Pega o valor de resgate do título, o prazo que falta até o
dia do vencimento, e desconta pela taxa de juros ATUAL de mercado.
Como você sabe, em qualquer operação de desconto, quanto maior a taxa, menor será o valor
presente.

Conceitos Básicos de Finanças


A relação entre a taxa de juros e o preço é inversamente proporcional

Taxa Preç
Preço Taxa Preç
Preço
sobe cai cai sobe

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 17


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

Vamos voltar ao fluxo da operação de CDB pré, manter o vencimento constante e ver o que
acontece com o preço do título se a taxa de juros subir para 20%.

Valor de resgate
Conceitos Básicos de Economia

descontar o VF
R$ 1.150,00
pela taxa de 20%

Vencimento
12 meses
Preço
mercado
R$958,33

Perceba que o valor de mercado caiu e, se tiver que ser vendido no mercado hoje, o
investidor receberá um valor menor do que investiu. Perda de R$$41,67.

HP12C
Valor Futuro
FV = 1150 Valor Presente = n
 i 
n=1 1 + 
i = 20
 100 
PV = ?
Conceitos Básicos de Finanças

Se, entretanto, a taxa de juros cair para 10%, haverá um ganho de $45,45 porque, nesse
caso, a taxa utilizada para descontar o valor futuro será menor.

descontar o VF Valor de resgate

pela taxa de 10% R$ 1.150,00

Vencimento
12 meses
Preço mercado
R$1.045,45

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 18


Certificação Profissional ANBID CPA-10

2.6 Prazo médio ponderado de uma carteira e os riscos associados

O prazo de um título ou de uma carteira também afeta seu valor de mercado?


Com certeza! A taxa de desconto será aplicada pelo prazo restante até o dia do vencimento. Isso
significa que quanto maior o prazo, maior será o impacto da variação da taxa de juros no valor de

Conceitos Básicos de Economia


mercado.

Prazo maior Risco maior

Uma das formas de reduzir a exposição ao risco da oscilação da taxa de juros sobre uma carteira de
renda fixa é ENCURTAR o prazo médio da carteira. É isso que os gestores dos fundos de curto prazo
fazem. A boa notícia é que o risco será menor. A má notícia é que:
a) A rentabilidade será menor, e
b) O imposto de renda será maior...

O prazo médio da carteira também impacta a definição do preço de um título ou carteira:


 Quanto maior o prazo, maior será o lucro ou a perda. E o inverso é verdade.
 Quanto menor o prazo, menor será o lucro ou a perda.
 O prazo, maior ou menor, define a volatilidade do investimento frente à oscilação da taxa de juros

A prova da ANBID pode apresentar a expressão “precificar”, que significa “formar o


preço”, “definir o preço”.

Vamos voltar ao fluxo da operação de CDB pré, considerar a elevação da taxa de juros para 20% e
ver o que acontece com o preço de dois títulos de prazos diferentes: 1 de 1 ano e outro de 2 anos.

Conceitos Básicos de Finanças


descontar o VF
Valor de resgate
pela taxa de 20%
R$ 1.150,00

Vencimento
Preço mercado 12 meses
R$958,33

Perceba que o valor de mercado caiu e, se tiver que ser vendido no mercado
hoje, o investidor receberá um valor menor do que investiu. Perda de R$41,67.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 19


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

Suponha agora que o investidor tivesse comprado o CDB com vencimento para 2 anos com
remuneração de 15% ao ano. Nesse caso, o valor de resgate do título seria R$1.322,50.
Observe o que acontece com o preço do título frente à mesma elevação da taxa de juros para 20% ao
ano.
Conceitos Básicos de Economia

descontar o VF Valor de resgate


pela taxa de 20% R$ 1.322,50

Vencimento
24 meses
Preço mercado
R$918,40

Perceba que o valor de mercado caiu muito mais e, se tiver que ser vendido no mercado
hoje, o investidor receberá apenas R$918,40 representando uma perda de R$81,60.

2.7 Volatilidade

Volatilidade é uma medida de risco e é utilizada, normalmente, para expressar o risco de mercado
(variação nos preços) dos ativos financeiros.
Conceitos Básicos de Finanças

Todos os preços oscilam – uns mais, outros menos. E a volatilidade ajuda a identificar os mais
voláteis, portanto, os mais arriscados. É um bom indicador do nível de oscilação histórica de um
determinado produto ou mercado.
Quanto maior a volatilidade, maior o risco do investimento e consequentemente maior a rentabilidade
esperada.
Vamos ver exemplos com números, da rentabilidade de 3 fundos de investimento distintos.

Fundo de Março Abril Maio Junho


Investimento

Branco + 1,20% + 1,25% + 1,19% + 1,15%

Preto + 1,20% + 1,50% + 2,00% + 1,15%

Vermelho - 0,50% + 1,00% + 1,50% + 1,15%

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 20


Certificação Profissional ANBID CPA-10

Vamos calcular a diferença entre a maior e a menor rentabilidade de cada Fundo de Investimento:

Fundo de Investimento Faixa de rentabilidade Diferença entre a maior


e menor rentabilidade
maior menor

Conceitos Básicos de Economia


Banco 1,25% 1,15% 0,10%

Preto 2,00% 1,15% 0,85%

Vermelho 1,50% -0,50% 2,00%

A prova ANBID pode perguntar, por exemplo:


1) Qual é o fundo menos volátil?
2) Qual é o fundo mais volátil?
3) Ordene os fundos pelo critério de volatilidade, do mais volátil para o menos volátil.

Volatilidade – uma medida de risco de flutuação de preços.

Respostas: (1) Fundo Branco; (2) Fundo Vermelho; (3) Fundo Vermelho, Fundo Preto, Fundo Branco.

2.8 Mercado Primário e Mercado Secundário

Conceitos Básicos de Finanças


Para captar recursos financeiros no mercado as empresas e o governo emitem títulos que pagam
juros aos investidores dispostos a investir. A oferta desses títulos no mercado pode se dar de duas
formas:

• Mercado primário: As empresas ou o governo emitem títulos e valores mobiliários para captar
novos recursos diretamente de investidores.

• Mercado secundário: é composto por títulos e valores mobiliários previamente adquiridos no


mercado primário, ocorrendo apenas a troca de titularidade, isto é, a compra e venda. Não envolve
mais o emissor e nem a entrada de novos recursos de capital para quem o emitiu. Seu objetivo é
gerar negócios, isto é, dar liquidez aos títulos.

A liquidez é um dos atributos que o investidor procura em determinados investimentos, sendo assim,
é importante saber se existe um mercado secundário desenvolvido para esse investimento
especificamente.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 21


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

Quando se trata do mercado de ações o conceito também se aplica pois as ações da empresa podem
ser ofertadas aos investidores em geral mediante dois tipos de distribuição:

• Distribuição primária: corresponde à distribuição de novas ações, sendo os recursos captados


Conceitos Básicos de Economia

destinados a aumento de capital da companhia emissora.

• Distribuição secundária: corresponde à distribuição de ações já emitidas e os recursos captados


se destinam aos acionistas vendedores.

Mercado Primário ou Distribuição Primária


• gera captação de novos recursos para o emissor

Mercado Secundário ou Distribuição Secundária


• NÃO gera captação de recursos para o emissor
• Um investidor vende o título ou valor mobiliário para outro investidor.
• Oferece liquidez ao investidor que deseja vender/resgatar seu investimento
Conceitos Básicos de Finanças

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 22


Certificação Profissional ANBID CPA-10

EXERCÍCIO
EXERCÍCIO 2
2 || Verdadeiro
Verdadeiro ou
ou Falso
Falso
Assinale
Assinale se
se aa afirmativa
afirmativa éé Verdadeira
Verdadeira ou
ou Falsa.
Falsa.

Conceitos Básicos de Economia


AFIRMATIVA V F

1. A taxa real de juros de um investimento pode ser definida como a taxa obtida
descontada a inflação.

2. A taxa proporcional refere-se a juro simples e a taxa equivalente a juro


composto.

3. Marcar a mercado um título significa precificar esse título pelo valor de


mercado.

4. No regime de capitalização simples o juro incide sobre o capital corrigido pelo


juro do período anterior.

5. Frente a uma elevação na taxa de juros, cai o preço de um título de taxa


prefixada.

6. A volatilidade indica o nível de oscilação de preços de um título ou carteira.


Quanto maior a volatilidade, maior o risco de mercado.

7. O prazo médio de uma carteira afeta a precificação de seus ativos frente a


mudança na taxa de juros.

8. Mercado primário significa que o título está sendo vendido no mercado pela
primeira vez e o emissor do título está captando recursos.

Conceitos Básicos de Finanças


9. No mercado secundário, um investidor vende o título para outro investidor e o
emissor do título não capta recursos. É importante para a liquidez de mercado.

10. Frente a uma queda na taxa de juros 2 títulos com taxa prefixada de prazos
distintos – um de 6 meses e outro de 12 meses de vencimento – terão lucros
semelhantes.

Gabarito: (1) Verdadeiro; (2) Verdadeiro; (3) Verdadeiro; (4) Falso; (5) Verdadeiro; (6) Verdadeiro; (7) Verdadeiro;
(8) Verdadeiro; (9) Verdadeiro; (10) Falso.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 23


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

2.9 Avalie seu Conhecimento em Finanças

1. Referencial ou parâmetro para análise de retorno de investimentos:


a) benchmark.
Conceitos Básicos de Economia

b) juro futuro.
c) juro nominal.
d) taxa líquida.

2. Em relação à marcação a mercado de um título de taxa prefixada é correto afirmar que


quando a taxa de juros:
a) sobe, o valor do título também sobe.
b) sobe, o valor do título cai.
c) cai, o valor do título permanece inalterado.
d) cai, o valor do título também cai.

3. A carteira de Renda Fixa X tem prazo médio de 180 dias e a carteira Y 360 dias. A
sensibilidade à oscilação das taxas de juros de mercado será;
a) menor na carteira X.
b) maior na carteira X.
c) menor na carteira Y.
d) idêntica nas duas carteiras.

4. A taxa de juros negociada entre investidor e emissor nas transações de renda fixa é:
a) real.
b) proporcional.
c) nominal.
Conceitos Básicos de Finanças

d) líquida.

5. O Banco A cotou uma operação de CDB pelo prazo de 1 ano a 12% ao ano. O Banco B
cotou a mesma operação a 6% ao semestre. Ambos operam sob o regime de juros simples.
Com relação às cotações citadas, você conclui que:
a) 12% ao ano é a melhor para o investidor.
b) 6% ao semestre é a melhor para o banco.
c) são taxas proporcionais.
d) são taxas equivalentes.

Gabarito: (1) A; (2) B; (3) A; (4) C; (5) C.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 24


Certificação Profissional ANBID CPA-10

3. Resumo

No módulo de Economia você aprendeu que:


 O PIB mede o desempenho do crescimento da economia de um país e reflete a produção de bens e
serviços produzidos em território nacional num dado período de tempo.

 O pilar central da economia brasileira é o sistema de meta de inflação, determinada pelo Conselho
Monetário Nacional, cumprida pelo COPOM e medida pelo IPCA.

 O IGPM, índice de preços muito utilizado pelo mercado, é composto por 3 outros índices: 60% do
IPA, 30% do IPC e 10% do INCC.

 O COPOM determina a meta da taxa Selic, taxa básica de juros da economia.

 A taxa Selic é a taxa média das operações de financiamento por um dia, realizadas entre instituições
financeiras, lastreadas em títulos públicos federais. É calculada e divulgada diariamente pelo sistema
SELIC.

 A taxa DI é a taxa média das operações de financiamento por um dia, realizadas entre instituições
financeiras, mediante emissão de CDI. É calculada e divulgada diariamente pelo sistema CETIP.

 A TR é calculada a partir da TBF (média dos depósitos a prazo dos 30 maiores bancos de mercado),
descontado um redutor definido pelo Banco Central, responsável por calcular e divulgar essa taxa
diariamente.

 A PTAX é a cotação oficial das moedas estrangeiras no Brasil. É definida pela média das negociações
no decorrer do dia, para liquidação em dois dias úteis.

No módulo de Finanças você aprendeu que:


 A taxa de juros praticada pelo mercado é uma taxa nominal de juros pois embute a inflação.

 A taxa real de juros indica quanto o investidor recebe de rendimento descontada a inflação. Será
positiva se o rendimento for superior à inflação e será negativa se o rendimento for abaixo da inflação.

 O mercado utiliza comumente o regime de capitalização composta de juros no qual a taxa incide
sobre o capital inicial acrescido dos juros do período anterior.

 No regime de capitalização simples a taxa de juros incide apenas sobre o capital inicial.

 O procedimento de marcação a mercado permite conhecer o valor atual de mercado dos ativos
financeiros que compõem uma carteira de investimento. O preço dos ativos de renda fixa é apurado
em função da taxa de juros e do prazo médio dos títulos.

 Quanto maior o prazo médio de uma carteira de ativos, maior será o risco frente a oscilações na
taxa de juros de mercado.

 A volatilidade é uma medida de risco que indica a intensidade da oscilação de preços de um ativo ou
carteira de ativos. Quanto maior a volatilidade, maior será a incerteza e maior tende a ser a
rentabilidade de um investimento.

 A colocação de um título no mercado primário gera captação de recursos para o emissor. O mercado
secundário oferece liquidez ao mercado a medida que um investidor vende o título para outro
investidor. Nesse caso, o emissor não gera captação de recursos.

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 25


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

Anotações

_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 26


Certificação Profissional ANBID CPA-10

Anotações

_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 27


MÓDULO III | Noções de Economia e Finanças

Anotações

_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________

Copyright 2009 © BankRisk Editora e Publicações 28