Você está na página 1de 11

Written By: Joao do Boi

Samba, cachaça e viola

Samba Chula

Meu balaio, meu balaio, meu balaio

meu balaio, meu balaio, meu balaio

tira o maxixe da rama, bota o quiabo no pé

tira o maxixe da “gaia”, eu vou

eu vou com meu barco anda no mar

o vento bateu na vela

Balaio meu, balaio de opinião

moça que não tem balaio

senta as “cadeira” no chão!

O rebolado que ela faz, o rebolado que ela faz

eu vou atrás pra ver, eu não posso mais


eu vou deixar minha marcação

atrás dessa garota anda muito gavião!

eu vou jogar vou beber até cair

me dá, me dá, me dá, me dá um dinheiro aí

Quando eu dou minha risada, ha ha

quando eu dou minha risada, ha ha

Ô violeiro, toca viola sereno

ô violeiro, toca viola sereno

quem sabe lê não trabalha

só “veve” com a mão na pena

ô violeiro, violeiro, toca viola serena, ha

Aprender a ler, vô aprender a ler

aprender a ler pra dar lição a meus camarada, ê he, meus camarada

Porquê bebe tanto assim, rapaz?

Você já bebeu demais!


você vai morrer sabendo

que a cachaça saborosa tem veneno

Eu lhe falei você não quis acreditar

que a cachaça tá “botando pra quebrar”

Roça, boi e lobisomem

Written By: Joao do Boi

2. Roça, boi e lobisomem

Samba Chula

Êh, Eu plantei um pé de “abroba” dentro da “páia” da cana

Eu plantei um pé de “abroba” dentro da “páia” da cana

“Abrobeira” não deu nada, deu sessenta numa rama

Comi “abroba”, dei “abroba”, paguei meus trabalhador

Com o dinheiro dessa “abroba”, eu comprei um elevador

fui “passeá” com a baiana


Meu dinheiro iô, iô - Meu dinheiro iá, iá,

Meu dinheiro iô, iô - Iô, iô meu dinheiro, iá.

Eu saí pro meu trabalho, deixei Luisa em casa

Eu saí pro meu trabalho, deixei Luisa em casa

Luisa se descuidou, Labareda me roubou

Luisa! minha nega! eu vou ver Labareda!

Conheça essa voz é minha, iô, iô !

Conheça essa voz é minha, ô iá iá !

É hora, é hora, é hora do boi beber

Cortei meu capim d’angola

Botei pra meu boi comer, tá na hora

É hora, é hora, é hora do boi beber, ha ha

“Ariri” meu boi, “ariri bará”

Quem nasceu para sofrer, deixar penar


São Félix pra Candeias corre um bicho “lobisoni”

São Félix pra Candeias corre um bicho “lobisoni”

eu mandei tirar meu gado do pasto daquele homem, ha ha

eu vi conversa de homem, eu vi grito de rapaz

eu vi conversa de homem, é assim que homem faz

O meu amor ja me chamou

Written By: Joao do Boi

O meu amor já me chamou

Samba Chula

Ê, na beira da praia, “passeano” com meu bem

Tava na praia, “passeano” com meu bem

uma caboclinha me deu um “psiu”

Ô, o bem que eu quero à outra

eu quero a você também, ha ha


Candeia, candeia

o meu amor já me chamou, candeia

Meu amor tá me chamando, para quê?

pra tirar um galho de rosa, para quê?

pra plantar no meu quintal para cheirar

eu não sei do nome dela, é Rosedá!

Fiz a cama na janela, esqueci do cobertor

o vento deu na roseira, encheu a cama de flor

Mulher rendeira, ô mulher rendá

mulher rendeira ô mulher rendá

tú me ensina a fazer renda, eu te ensino a namorar

as moça de Vila Velha, não tem mais ocupação

só “veve” na janela dando amor a Lampião

Pode costurar rendeira, pode costurar

pode costurar rendeira, pode costurar


“Avuô”, iô iô, “avuô”, iá iá

“Avuô”, iô iô, “avuô”, iá iá

Na beira do rio tem um peixe dourado

menina bonita com seu namorado

penteando seus cabelos com pente de barbatana

Deusa!

Quem dera ser espelho

pra alumiar a sua cama, a há

Relativo 1:

Amanhã eu vou na sua casa, amanhã eu vou na sua casa

amanhã eu vou na sua casa, amanhã eu vou na sua casa, amanhã eu vou !

Relativo 2:

Me leva pra Salvador, morena

me leva pra Salvador, morena

Maracangalha e Santo Amaro


Written By: Joao do Boi

Maracangalha e Santo Amaro

Samba Chula a capella

Maracangalha tem quatro pé de moeda

moedor tem mais de dez

Ô, Maracangalha tem quatro pé de moeda

moedor tem mais de dez

uma cana demerara, uma cana demerara

tá custando 10 mil réis

Ô rapaz, ô rapaz, paga o dinheiro da moça

embora não “vala” mais....

Êh, não vou em Santo Amaro, no dia que eu não quiser

Eu não vou em Santo Amaro, no dia que eu não quiser


Boto meu facão de lado, sou homem não sou mulher

Êh, boto meu facão do lado, sou homem não sou mulher

Seu “valentão”, aê seu “valentão”

seu “valentão” não quero barulho aqui não, não quero barulho aqui não!

Seu “valentão”, eu sambei com “valentão”

sambei com“valentão” não quero barulho aqui não!

Tum, tum, tum

Written By: Joao do Boi

Tum, tum, tum

Samba Chula

Tum tum tum, bateu na porta

levanta Maria vai ver quem é

tornou bater, levanta Maria vai ver você

Ô, minha mãe, isso é fora de hora


não abra sua porta não senhora!

Ô, minha mãe, isso é fora de hora

não abra sua porta não senhora!

Amanhã eu vou na sua casa, amanhã eu vou na sua casa

amanhã eu vou na sua casa, amanhã eu vou!

Katharina, Katharina, Katharina

Katharina minha nega, eu vou ver Labareda!

Ôôô, ôôô, deixa de choro coração atraído

Ôôô, ôôô, deixa de choro coração atraído

Mandou seu bem embora, mas depois se arrependeu

mandou seu bem embora, mas depois se arrependeu

quem pensa que eu céu é perto, vem pra lá mais eu

aquela noite serena, aquela noite amargosa

perdeu que chora, aê, já perdeu não acha mais

Madeira, madeira!
Assim diz o pica-pau, madeira!

Adeus morena

Written By: Joao do Boi

Adeus Morena

Samba Chula a capella

Adeus morena eu vou embora

se eu contar a minha vida você chora!