Você está na página 1de 3

Segurança - Direção defensiva

Ser adepto da "direção defensiva", também chamada "direção


segura", significa ser capaz de reagir bem em situações
inesperadas e adversas.

Entre elas, pode-se citar falta de luz nas vias públicas,


tempo ruim, trânsito intenso, estradas malconservadas,
acidentes na pista, motoristas e pedestres imprudentes, e,
também, saber lidar com situações de roubo e seqüestro.

Alguns cuidados podem evitar acidentes nas ruas e estradas.


Veja quais são:

Aquaplanagem
Quando há poças ou uma lâmina (camada) fina de água cruzando
a pista, o carro pode deslizar sem controle caso esteja em
alta velocidade, porque os pneus perdem o contato com o chão.
Isso pode ocorrer no asfalto ou nas estradas de terra batida,
ainda mais lisas.
Se seu carro aquaplanar (ou hidroplanar), tire o pé do
acelerador, não pise no freio e firme o volante para se
manter no curso da pista.
Em dias de chuva, dirija bem abaixo da velocidade permitida.
Calibre os pneus uma vez por semana e antes de viagens, com a
pressão indicada no manual do veículo.
Verifique periodicamente se os sulcos dos pneus atingiram os
marcadores de profundidade ou menos de 1,6 milímetro de
profundidade.
Pedestres
Quando estiver dirigindo, tenha sempre por princípio que os
pedestres são imprevisíveis, especialmente os idosos e as
crianças.

Lembre-se sempre de que, pelo Código de Trânsito, a


responsabilidade maior é dos motoristas. Na faixa de
pedestres, por exemplo, a preferência é sempre das pessoas
que estão atravessado, mesmo que o sinal esteja aberto para
você e principalmente se você estiver dobrando uma esquina.
Se um pedestre atravessar à sua frente, procure frear aos
poucos o veículo para evitar colisões por trás. Se for
impossível estacar o carro, tente desviar para um local de
menor risco.
Nunca deixe de socorrer uma vítima.
Nas cidades que possuem socorro de vítimas de trânsito, o
mais aconselhável é chamar o pessoal especializado.
Bicicletas
Os ciclistas, como os pedestres, costumam fazer movimentos
bruscos, surgir inesperadamente ou trafegar no sentido
contrário ao do trânsito.

À noite, o risco de acidentes aumenta, ainda mais porque a


maioria das bicicletas não possui o equipamento determinado
pelo Código de Trânsito.

Os ciclistas devem trafegar no mesmo sentido do trânsito, a


não ser que a autoridade local baixe norma liberando o
sentido de tráfego. Diz o CTB que, se o ciclista está andando
a pé e conduzindo sua bicicleta, ele é encarado como pedestre.
Se achar que o ciclista está desatento, buzine de leve quando
for ultrapassá-lo.
Redobre a atenção ao dobrar esquinas.
Olhe sempre pelo retrovisor e pelo espelho lateral antes de
abrir a porta do carro.
Motocicletas
O número de motos nas grandes cidades, a imprudência de
muitos motociclistas e a desatenção de outros condutores têm
causado grande quantidade de acidentes nos últimos anos.

Fique atento aos espelhos retrovisores.


Mantenha o curso na pista quando uma motocicleta se
aproximar.
Nem sempre os motoqueiros obedecem à norma do Código de
Trânsito de que todo veículo deve manter uma distância mínima
de segurança de 1,5 metro em relação aos outros. Redobre a
atenção.
Fique atento ao abrir a porta do carro, seguindo o mesmo
cuidado tomado com a aproximação de bicicletas.
Animais
O CTB considera crime a presença de animais soltos na pista,
mas sempre convivemos com esse perigo nas estradas e ruas
brasileiras.

Animais pesados, como vacas, cavalos, ovelhas, porcos e


cachorros podem provocar acidentes gravíssimos.
Ao avistar o animal, reduza bastante a velocidade para não
desorientá-lo e sinalize com o braço para alertar os
motoristas que vêm atrás.
Só retome a velocidade quando tiver ultrapassado o animal
completamente.
Dirija bem
Veja os maus hábitos que devem ser evitados ao volante
Segurar o carro em subidas com a embreagem, sem o freio de
mão (desgaste da embreagem). Dirigir com o pé pousado no
pedal de embreagem (desgaste da embreagem).
Acelerar o motor antes de desligar o carro (desgaste
prematuro do motor).
Partir com o veículo em segunda marcha (desgaste do câmbio).
Dirigir com a mão apoiada na alavanca do câmbio (desgaste do
câmbio).
Frear com a marcha em ponto morto ou a embreagem acionada
(desgaste mais rápido das pastilhas e do disco do freio).
Acelerar o veículo quando não se pode avançar para lugar
algum (gasto de combustível e desgaste do motor e dos
freios).
Deixar o nível de combustível chegar à reserva (obstrução de
filtros e de passagens do carburador, como o bico injetor,
pela sujeira do fundo do tanque, além poder queimar a bomba
de gasolina elétrica, em veículos com injeção eletrônica).
Deixar os pneus com calibragem abaixo ou acima da
especificada (desgaste dos pneus e aumento do consumo de
combustível).
Estacionar com o pneu pressionado contra o meio-fio (guia) da
calçada (deformações no pneu, desalinhamento da suspensão e
eventual desgaste da caixa de direção).