Você está na página 1de 17

Curso: Português

Teoria e Questões Comentadas


Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

Aula 00 – Pronomes
Curso: Português
Prof.: Bruno Spencer e Luiz Miranda

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 1 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

Aula 00 – Pronomes

Olá amigos!
Hoje vamos ao estudo dos PRONOMES. Este é um assunto
importantíssimo e que se reflete em muitos outros, mas que também é muito
abordado diretamente por algumas bancas.
Atentem aos conceitos de cada espécie de pronome. Procurem
entender suas formas de utilização e deem especial ATENÇÃO ao item 2.3 –
Colocação Pronominal.
Vamos nessa!!!

Sumário

1 – Classificação .................................................................................. 7
2 – Pronomes Pessoais ........................................................................ 8
2.1 - Retos .......................................................................................... 8
2.2 - Oblíquos ..................................................................................... 9
2.3 – Colocação Pronominal ................................................................ 11
2.4 – Colocação Pronominal nas Locuções Verbais.................................. 14
3 – Pronomes Possessivos ................................................................. 16
4 – Pronomes Demonstrativos ........................................................... 17
5 – Pronomes Relativos ..................................................................... 19
6 – Pronomes Interrogativos ............................................................. 20
7 – Pronomes Indefinidos .................................................................. 20
8 – Pronomes de Tratamento ............................................................. 21
9 – Questões Comentadas ................................................................. 22
10 - Lista de Exercícios ...................................................................... 62
11 – Gabarito ..................................................................................... 88
12 – Referencial Bibliográfico ............................................................ 88

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 6 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

1 – Classificação

Os pronomes são palavras que acompanham ou substituem o nome


(substantivo). Como consequência, podem ser (pronomes ADJETIVOS) ou
(pronomes SUBSTANTIVOS).
Pronomes Adjetivos - acompanham
Pronomes Substantivos – substituem

Exemplos:
Meu carro é vermelho.
meu - pronome adjetivo - acompanha e qualifica o nome “carro”

Ele é vermelho.
ele - pronome substantivo - substitui o termo “meu carro”

Quem pegou meu livro?


quem - pronome substantivo – pode ser substituído por um nome.

O menino pegou meu livro?


meu - pronome adjetivo – acompanha e qualifica o nome “livro”

Veja as espécies de pronomes no quadro abaixo:


eu, tu, ele/ela, nós,
Reto
vós, eles/elas
me, te, se, o, a, lhe,
Oblíquo Átono nos, vos, se, os, as,
PESSOAIS lhes
mim, comigo, ti,
contigo, si, ele, ela,
Oblíquo Tônico
nós, conosco, vós,
convosco, si, eles, elas
meu(s), minha(s), teu(s), tua(s), seu(s), sua(s),
POSSESSIVOS
nosso(s), nossa(s), vosso(s), vossa(s)
este(s), esta(s), isto, esse(s), essa(s), isso,
DEMONSTRATIVOS
aquele(s), aquela(s), aquilo

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 7 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

quem, onde, como, quando, quanto, que, o qual,


RELATIVOS
a qual, cujo(s), cuja(s)
INTERROGATIVOS quem, onde, que, quanto(a)(s)
algum(a), nenhum(a), todo, tudo, nada, algo,
INDEFINIDOS muitos, vários, tanto, qualquer, alguém, ninguém,
mais, menos, que, qualquer um...
Você, Senhor(a), Vossa Senhoria, Vossa
TRATAMENTO
Excelência, Vossa Santidade, Vossa Alteza...

2 – Pronomes Pessoais

São os pronomes que substituem (pronomes substantivos) as pessoas


do discurso. Têm um destaque dentro da oração, pois podem ser sujeitos,
objetos ou predicativos.
Exemplos:
• João foi ao teatro. / Ele foi ao teatro.
• Mário entregou o livro a sua amiga. / Mário entregou-o a sua amiga.
Os pronomes pessoais podem ser RETOS ou OBLÍQUOS.
Vamos ver cada um deles!

2.1 - Retos

Fazem o papel de sujeito nas orações.


Exemplos:
• Eu trabalhei muito.
• Tu estudarás o suficiente.

Eu (singular)
1a Pessoa Quem fala
Nós (plural)

Tu (singular)
2a Pessoa Para quem se fala
Vós (plural)

ele(a) (singular)
3a Pessoa De quem se fala
eles(a) (plural)

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 8 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

2.2 - Oblíquos

Fazem o papel de objetos ou complementos nas orações.


Exemplos:
• Beijou-a pela manhã.
• Sempre te apoiamos.
• Fê-lo esquecer dos problemas.
Os pronomes oblíquos se dividem em ÁTONOS e TÔNICOS.

ÁTONOS TÔNICOS

me (singular) mim, comigo


1a Pessoa
nos (plural) nós, conosco

te (singular) ti, contigo


2a Pessoa
vos (plural) vós, convosco

se, o, a lhe (singular) si, consigo, ele(a)


3a Pessoa
se, o, a, lhe(s) (plural) si, eles(a)

Um ponto importante nesse assunto é a contração dos verbos com os


pronomes o, a, os, as, que fazem-nos assumir as formas lo(s), la(s), no(s),
na(s).

Em formas verbais terminadas em R, S, Z acrescentamos o L antes de


o(s), a(s).

Exemplos:
• Devemos aprender a lição. / Devemos aprendê-la.
• Escolhemos o livro. / Escolhemo-lo.
• Fez as pessoas felizes. / Fê-las felizes.
• Vou cortar as cebolas. / Vou cortá-las.

Note que as consoantes R, S e Z são cortadas e por vezes acentua-se a


sílaba final do verbo.

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 9 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

Em formas verbais terminadas em sons nasais AM, EM, ÃO, ÕE


acrescentamos a consoante N antes de o(s), (a)(s).
Exemplos:
• Enrolavam o novelo. / Enrolavam-no.
• Eles fazem o trabalho. / Eles fazem-no.
• Estudarão a aula. / Estudarão-na.
• Põe o livro sobre a mesa e estuda. / Põe-no sobre a mesa e estuda.
NOTE que nesses casos NÃO se corta qualquer letra do verbo!!!

Quando o verbo for transitivo direto e indireto temos as seguintes opções


para utilização dos pronomes:
Exemplos:
Entreguei o livro a minha colega.
Entreguei-o a minha colega. (substituiu-se o termo “o livro” - objeto direto –
OD)
Entreguei lhe o livro. (substituiu-se o termo “a minha colega” - objeto indireto
– OI) Repare que o “a” é uma preposição.
Entreguei lho. (substituindo os dois termos; lho = lhe + o)

Pronomes Oblíquos Reflexivos


Os pronomes oblíquos, exceto o(s), a(s) lhe(s), podem referir-se ao
próprio sujeito da oração. Nesses casos são chamados de REFLEXIVOS.
Exemplos:
• Achei-me em um lugar distante.
• Nós aperfeiçoamo-nos nas matérias da prova.
• Endireita-te antes que seja tarde.
Ele machucou-se enquanto lutava.
• Ela pensou consigo a respeito de sua vida.

FCC/TJ/TST/Administrativa/Segurança Judiciária/2012

Fazendo-se as alterações necessárias, o segmento grifado está substituído


corretamente por um pronome em:

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 10 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

a) alçar a turma = alçar-lhe

b) retirou um conjunto deles = retirou-nos

c) guiar os estudantes = guiar-os

d) desconstruir a visão = desconstruir-lhe

e) analisaram os cursos de oito faculdades = analisaram-nos

Comentários:

Alternativa A – Incorreta – Como o verbo “alçar” é transitivo direto, devemos


utilizar o pronome oblíquo A (alçá-la).

Alternativa B – Incorreta – Como o verbo “retirar” é transitivo direto, devemos


utilizar o pronome oblíquo O, no entanto a forma verbal “retirou” não termina
em som nasal, portanto não deve receber o N (retirou-o).

Alternativa C – Incorreta – Como o verbo “guiar” é transitivo direto, devemos


utilizar o pronome oblíquo O, no entanto, como a forma verbal “guiar” termina
em R, devemos cortá-lo e adicionar o L ao pronome O (guiá-los).

Alternativa D – Incorreta - Como o verbo “desconstruir” é transitivo direto,


devemos utilizar o pronome oblíquo A. Como a forma verbal termina em R,
devemos cortá-lo e adicionar o L ao pronome A (desconstrui-la).

Alternativa E – Correta - Como o verbo “analisar” é transitivo direto, devemos


utilizar o pronome oblíquo OS. A forma verbal “analisaram” termina em som
nasal, portanto deve receber o N (analisaram-nos).

Gabarito: E

2.3 – Colocação Pronominal

Esse é um assunto importantíssimo para concursos, seja para a prova


objetiva, seja para a discursiva.
Os pronomes oblíquos podem vir antes, no meio ou após os verbos,
dessa forma ocorrerá o que se chama de próclise, mesóclise ou ênclise.
Exemplos:
• Não o deixarei desanimar. (próclise)
• Falar-te-ei a respeito de tudo. (mesóclise)
• Falou-nos de sua experiência. (ênclise)

Vamos esquematizar algumas regras:

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 11 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

•Ocorrência de palavras de ATRAÇÃO (invariáveis), tais como


advérbios, pronomes indefinidos, pronomes relativos,
Próclise
conjunções subordinativas, palavra "só", palavras
negativas.
•Ex. Não me abandone. / Nada lhe tira o foco. / Ele é o
homem de quem lhe falei. / Pedi a ele que os avisasse. / Só
lhe sobrou uma alternativa.

• Nas orações: optativas, exclamativas ou interrogativas


nas formas seguintes:
•Ex. Deus o abençoe! / Quanto te maltratas! / Quem se
disponibilizará?

•É PROIBIDO o uso de pronomes átonos no início de


períodos, ou após pausas* sem palavra de atração!!!

•Verbo no FUTURO DE PRESENTE ou FUTURO do PRETÉRITO,


caso não haja palavra atrativa.
Mesóclise •Ex. dar-te-ei, fazê-lo-ia

•Regra geral, caso não seja caso de próclise ou mesóclise.


•Ex. Suas palavras deixaram-nos tranquilos. / As pessoas
Ênclise aplaudiam-no calorosamente.

1. Quando vier a forma infinitiva precedida da preposição “a”, os pronomes


o(s), a(s) virão após o verbo.
Ex. Não tornaremos a encontrá-los tão cedo.

2. Quando o verbo no GERÚNDIO for precedido de preposição teremos


obrigatoriamente PRÓCLISE.
Ex. Em se tratando de carros, prefiro os importados.

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 12 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

3. Enquanto a proibição de iniciar períodos com pronomes átonos é


ABSOLUTA, a proibição após as “pausas” comporta exceções.

Ex. Atendeu todos aquele que, mesmo envergonhados, lhe solicitaram ajuda.

Nesse caso, o pronome é atraído pelo pronome relativo QUE, mesmo estando
antes do termo intercalado.

Note como na linguagem informal muitas vezes “atropelamos” as regras


gramaticais:
“Eu te darei o céu meu bem e o meu amor também. ” – A rigor a frase está
gramaticalmente ERRADA.
Apesar de todo o romantismo do autor, a grafia correta seria a seguinte:
Eu dar-te-ei o céu... (futuro do presente sem palavra atrativa = mesóclise)
Repare que, caso houvesse uma palavra atrativa, aí sim, poderíamos usar a
próclise normalmente.
Ex. Não te darei... (correto)
Entretanto, essa linguagem usual em verbos no futuro, vem sendo a
cada dia mais aceita, sendo inclusive abonada por alguns gramáticos mais
modernos, devido à estranheza que pode causar o uso da quase arcaica
mesóclise.
Nesse caso, poderíamos até utilizar a próclise após uma vírgula,
enquanto a ênclise fica expressamente proibida.
Exemplo:
Ela, que você julgou ser má, far-te-á um vitorioso.
ou
Ela, que você julgou ser má, te fará um vitorioso.

Fique ligado!
Nos exercícios, verifique o posicionamento da banca a respeito do tema.

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 13 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

FUNCAB/ASC/CBM AC/2012
No trecho “[...] esperando uma hipótese muito remota de trazê-LO de volta...
[...]”, o pronome pessoal oblíquo átono O está corretamente empregado.
A opção em que o pronome pessoal oblíquo átono destacado também está
empregado de acordo com as regras da norma culta da língua é:
a) Não queira-ME mal, mas eu precisava fazer esse desabafo com você!
b) Demo-NOS conta, somente agora, de como a vida de um bombeiro é dura!
c) Encontraremos-NOS depois dessa chamada para comemorarmos a vida.
d) Quando sempre chamarem-ME, lembre que estarei disposto a salvar vidas!
e) Jamais desesperes-TE; chegarei logo, são, salvo e feliz. Salvei algumas vidas!
Comentários:
Alternativa A - Incorreta – A palavra “não” atrai o pronome, por isso seria
correto a próclise nesse caso. “Não me queira mal...”
Alternativa B - Correta – Não se começa período com pronome átono, por
isso está correto o emprego da ênclise.
Alternativa C - Incorreta – Por mais esquisito que seja, a nossa gramática atesta
como correto o uso da mesóclise para os tempos futuro de presente e futuro
do pretérito do indicativo. “Encontrar-nos-emos depois...”
Alternativa D - Incorreta – ATENÇÃO, note que “sempre” também é uma palavra
atrativa por ser advérbio.
Eis algumas palavras atrativas: advérbios, pronomes indefinidos, pronomes
relativos, conjunções subordinativas, palavra "só", palavras negativas.
“Quando sempre me chamarem...”
Alternativa E - Incorreta – “Jamais” também é classificado como advérbio,
assim como palavra de negação, por isso atrai o pronome “te” para antes do
verbo. “Jamais te desesperes...”
Gabarito: B

2.4 – Colocação Pronominal nas Locuções Verbais

As locuções verbais formam-se por VERBO AUXILIAR + VERBO


PRINCIPAL (INFINITIVO, GERÚNDIO OU PARTICÍPIO). As regras já vistas
anteriormente continuam válidas, porém como temos dois verbos, vamos ver
como se aplicam.

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 14 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

Quando NÃO há palavra atrativa:


1. Próclise em relação ao auxiliar – OK – (se conseguiu livrar) – Caso não
seja início de período!!!
2. Ênclise em relação ao auxiliar – OK - (conseguiu-se livrar)
3. Próclise em relação ao principal – OK - (linguagem usual falada)
(conseguiu se livrar)
4. Ênclise em relação ao principal – OK - (conseguiu livrar-se) – PERFEITO
– Essa é a forma recomendada!

OBSERVAÇÃO:
1 - As formas verbais no PARTICÍPIO NÃO admitem ÊNCLISE!!!
Ex. Eles haviam ajudado-nos. (ERRADO)
2 - No caso de o verbo principal estar no PARTICÍPIO, a forma ideal será a
segunda (ênclise em relação ao auxiliar).

Quando há palavra atrativa:


1. Próclise em relação ao auxiliar – OK – (não se conseguiu livrar) - Forma
recomendada!
2. Ênclise em relação ao auxiliar – ERRADO - (não conseguiu-se livrar)
devido à existência da palavra atrativa
3. Próclise em relação ao principal – OK - (linguagem usual falada) (não
conseguiu se livrar)
4. Ênclise em relação ao principal – OK - (não conseguiu livrar-se – a
palavra atrativa “perde a força”)
Veja o resumo abaixo:

Quando NÃO há palavra atrativa

Caso não seja início


1 Próclise ao auxiliar OK se conseguiu livrar
de período

2 Ênclise ao auxiliar OK conseguiu-se livrar OK

3 Próclise ao principal OK conseguiu se livrar linguagem usual


Perfeito!!!
4 Ênclise ao principal OK conseguiu livrar-se Forma
recomendada!!!

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 15 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

Quando HÁ palavra ATRATIVA


Perfeito!!!
1 Próclise ao auxiliar OK não se conseguiu livrar Forma
recomendada!!!
2 Ênclise ao auxiliar X não conseguiu-se livrar ERRADO

linguagem
3 Próclise ao principal OK não conseguiu se livrar
usual
A palavra
4 Ênclise ao principal OK não conseguiu livrar-se atrativa “perde
a força”.

OBSERVAÇÃO
Quando há preposição entre o verbo auxiliar e verbo principal, admite-se a
próclise ou ênclise, desde que não esteja no particípio.
Ex. O médico deixou de se cuidar. / O médico deixou de cuidar-se.

3 – Pronomes Possessivos

Servem para designar a POSSE de algo. Determinam ou qualificam os


nomes. Nas orações, possuem função de adjunto adnominal.
Exemplos:
• Minha casa é amarela, a tua é branca.
• Nosso objetivo é um só.
• Estude e realizará seu sonho.

meu(s), minha(s)
1a Pessoa
nosso(s), nossa(s)

teu(s),tua(s)
2a Pessoa
vosso(s), vossa(s)

3a Pessoa seu(s), sua(s)

Há situações que o uso dos pronomes possessivos seu(s), sua(s), pode gerar
certa confusão quanto a quem ou a que se referem.
Exemplo:
O cachorro comeu o seu almoço.

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 16 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

Nesse caso devemos usar os termos dele(s), dela(s).


O cachorro comeu o almoço dele.

4 – Pronomes Demonstrativos

Servem para indicar a posição das pessoas da oração em relação a


espaço, tempo ou posição textual.
Os mais conhecidos são: este(s), esta(s), isto, esse(s), essa(s), isso,
aquele(s), aquela(s) e aquilo.
Também são pronomes demonstrativos: aqueloutro(a)(s), mesmo(a)(s),
próprio(a)(s), semelhante, tal e tais.

➔ Usamos ESTE(A)(S), quando:


1. O objeto está PERTO de quem FALA.
Ex. Estas canetas são suas. (as canetas devem estar na mão ou bem próximo
a quem fala)
2. Refere-se a um momento PRESENTE.
Ex. Esta semana está demorando a passar. (a semana ainda está acontecendo)
3. ANTES de enunciar algo.
Ex. Os pronomes possessivos são estes: meu, minha, teu, tua...

➔ Usamos ESSE(A)(S), quando:


1. O objeto está PERTO de quem OUVE.
Ex. Essas canetas são suas. (as canetas devem estar próximo de que ouve)
2. Refere-se a um momento PASSADO PRÓXIMO.
Ex. Essa semana demorou a passar. (a semana já aconteceu, mas não está tão
distante)
3. Refere-se a algo DEPOIS de mencionado.
Ex. Os pronomes possessivos são meu, minha, teu, tua... Esses pronomes são
usados para indicar posse.

➔ Usamos AQUELE(A)(S), quando:


1. O objeto está LONGE de quem FALA e de quem OUVE.
Ex. Aquelas canetas são suas. (as canetas devem longe das duas pessoas)
2. Refere-se a um momento PASSADO DISTANTE.

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 17 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

Ex. Aquela semana está demorou a passar. (a semana aconteceu em um


passado remoto)
3. Quando falamos de dois aspectos em uma oração, para falarmos do
MENCIONADO PRIMEIRAMENTE.
Ex. Os pronomes pessoais podem ser retos ou oblíquos, estes servem como
complementos, enquanto aqueles servem com sujeitos de orações. (“estes”
referem-se a “oblíquos” – “aqueles” referem-se a “retos”)

Vamos ver alguns exemplos da utilização dos demais pronomes demonstrativos:


• Tais atitudes não são permitidas aqui.
• Nunca vi coisa semelhante.
• Ela sabe o que aconteceu. (aquilo)
• O próprio presidente pediu desculpas.
• Ele mesmo admitiu o erro.
• Aqueloutro carro é mais novo que esse.

QUANDO USAR...

ANTES de enunciar
objeto está momento
algo OU
ESTE(A)(S) PERTO de quem PRESENTE
FALA para citar o TERMO
MAIS PRÓXIMO entre
dois já citados
objeto está momento
algo DEPOIS de
ESSE(A)(S) PERTO de quem PASSADO
mencionado
OUVE PRÓXIMO

objeto está momento


LONGE de quem para citar o PRIMEIRO
AQUELE(A)(S) PASSADO
FALA e de quem TERMO entre dois já
DISTANTE
OUVE citados

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 18 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

5 – Pronomes Relativos

Eles têm esse nome, pois referem-se a termos ANTERIORMENTE


MENCIONADOS na oração. São eles: o qual, a qual, os quais, as quais, cujo(s),
cuja(s), quanto(s), quanta(s), quem, que, como, quando e onde.
Vamos a alguns exemplos e observações:
• Aquela é a garota por quem ele apaixonou-se.
Repare que “quem” refere-se ao nome “garota” já mencionado na oração.

• O livro que estou lendo é ótimo. / O livro o qual estou lendo é ótimo.
• Falei com a mãe do seu amigo que esteve lá na delegacia.
Para evitar duplo sentido, melhor seria usar “o qual” ou “a qual”, a
depender de quem “esteve lá na delegacia”.

• Falei com a mãe do seu amigo o qual esteve na delegacia.


Nesse caso, fica claro que o amigo é quem esteve na delegacia.

• A cidade onde nasci é a mais bela.


• Esse é o hospital cujos médicos são os melhores.
Veja que o pronome “cujos” dá uma idéia de posse do “hospital” em relação
aos “médicos”.

OBSERVAÇÃO:
1. O pronome QUEM é usado apenas para PESSOAS.
2. O pronome ONDE é usado apenas para LUGARES.
3. NÃO se usa artigo após o pronome CUJO(A)(S).

• Esse é o carro cuja a porta está quebrada. (ERRADO)


• Esse é o carro cuja porta está quebrada. (CORRETO)

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 19 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

6 – Pronomes Interrogativos

São usados em frases interrogativas na 3a pessoa no modo direto ou


indireto.
Exemplos:
• Que aconteceu? (direto)/ Ele perguntou o que aconteceu. (indireto)
• Quem será? / Imagino quem será o próximo.
• Qual o motivo? / Todos sabem qual o motivo da sua falta.
• Quantas pessoas chegaram? / Imagine quantas pessoas virão à festa.

7 – Pronomes Indefinidos

Servem para designar algo de forma imprecisa, vaga, indefinida ou


indetermidada, referindo-se sempre à 3 a pessoa.
Podem ocorrer como pronomes substantivos, pronomes adjetivos ou
locuções.
Exemplos:

• Alguém acredita nisso?


• Algo importante aconteceu.
• Vi tantas pessoas que não pude contar.
• Há muito a se fazer.
• Gosto de quem gosta de mim.

Eis alguns outros:


• algum(a)(s), nenhum(a)(s), todo(a)(s), outro(a)(s), muito(a)(s),
certo(a)(s), vários(a), demais, tanto(a)(s), quanto(a)(s), qualquer,
alguém, ninguém, tudo, nada, cada, algo, mais, menos, que, quem, qual,
pouco(a)(s), tal, tais, bastante(s) (= muito(s)), uns, uma(s)
Algumas LOCUÇÕES:
• cada qual, tal qual, qualquer um, quem quer, um ou outro

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 20 de 88


www.exponencialconcursos.com.br
Curso: Português
Teoria e Questões Comentadas
Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda - Aula 00

8 – Pronomes de Tratamento

Servem para nos dirigirmos adequadamente a pessoas de acordo com


critérios de familiaridade ou formalidade que a situação exija.
Quando nos dirigimos diretamente a uma autoridade, um juiz por
exemplo, devemos falar da seguinte maneira:
• Vossa Excelência chegou a alguma decisão?
Note que o verbo fica na 3ª pessoa do singular.

No entanto, quando em sua ausência, para nos referimos à mesma


autoridade, devemos falar da maneira seguinte:
• Sua Excelência chegou a alguma decisão?
O verbo permanece na 3ª pessoa do singular.

Vamos a um pequeno quadro resumo:

VOCÊ •Informal, familiar

SENHOR(A) •Respeitoso

VOSSA SENHORIA •Cerimonioso, funcionários graduados

VOSSA EXCELÊNCIA •Altas autoridades

VOSSA REVERENDÍSSIMA •Sacerdotes

VOSSA EMINÊNCIA •Cardeais

VOSSA SANTIDADE •Papa

VOSSA MAJESTADE •Reis e rainhas

É isso aí pessoal. Vamos praticar???

Prof. Bruno Spencer e Luiz Miranda 21 de 88


www.exponencialconcursos.com.br