Você está na página 1de 20

07/04/2020

MÓDULO: LABORATÓRIO DE LITURGIA


TEO 03 – Prof. Jonadab D. Almeida
Tema: Laboratório de Liturgia 1

Leitura Bíblica:

Isaías 6.1-8

Objetivos da aula:
 Conhecer e valorizar diversos tipos de liturgia,
as suas partes constitutivas, bem como os
referenciais a serem observados;
 Refletir sobre os desafios e possibilidades
litúrgicas em tempo de afastamento social;
 Reconhecer e valorizar o significado e valor da
vida sacramental da Igreja Cristã, com especial
atenção ao Batismo e à Eucaristia;
 Ressaltar a importância de utilizar instrumentos
adequados e necessários à elaboração e
condução de diferentes liturgias.

1
07/04/2020

Partes já abordadas em Teo 2:


 Liturgia I:
 Referências da Prática Litúrgica na Bíblia – AT e NT
 Modelos e referenciais de prática litúrgica na História
da Igreja Cristã;
 Fundamentos da Liturgia Cristã – Pão e Palavra;
 Por que fazer o Culto? Motivação: a Graça.
 Onde fazer o Culto? - Teologia do espaço.
 Quem faz o Culto? - O povo de Deus;
 Como fazer o Culto? Liberdade e criatividade
 Liturgia II:
 Quando cultuar? A história da Salvação.
 Calendário Litúrgico e História da Salvação
 Lecionário Comum Revisado na prática litúrgica;
 Tipos e partes constitutivas da liturgia.

Laboratório de Liturgia

 A preparação e condução de celebrações


litúrgicas como parte necessária à
formação pastoral, contemplando os
principais atos celebrativos das
comunidades de fé:
 Liturgia sacramentais:
 Batismos: adultos e crianças;
 Eucaristia (ação de graças)- Ceia do
Senhor.

 Liturgia não sacramentais:


 Confirmação de batismos:
 Assunção de votos:
 Casamentos:
 Ofícios fúnebres:
 Festa Ágape (Festa do Amor):
 Consagração de Ministérios:
 Lançamento de Pedra Fundamental:
 Dedicação de espaços físicos:
 Outras...

2
07/04/2020

Fundamentação - Liturgia e Teologia:


Três grandes áreas da Teologia:
 Teologia Bíblica:
 Teologia Sistemática e História:
 Pastoral: aplicação

 A liturgia encontra o seu lugar no ambiente da


Teologia Pastoral,
 A Teologia Pastoral se subdivide em diferentes
áreas estabelecidas a partir da narrativa bíblica de
Atos dos Apóstolos 2.42-47:
42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos e
na comunhão, no partir do pão e nas orações.
 Doutrina (Didaskalia) .
 Comunhão (Koinonia).
 Partilha do pão (Diakonia) .
 Oração/louvor (Liturgia).

 A liturgia é, portanto,
um capítulo da Teologia Pastoral.

 Divisões têm caráter meramente


didáticos.
 Na prática,
 todas as áreas da Teologia estão imbricadas,
interligadas e se interdependem.

3
07/04/2020

Assim sendo,
 Não se pode fazer liturgia sem se recorrer à
fonte da nossa fé:
A Teologia Bíblica;
 Não se pode fazer liturgia sem se recorrer à
interpretação e atualização dessa fé:
A Teologia Sistemática e a História; e,
 Não se pode fazer liturgia sem recorrer-se à
aplicação dessa fé à vida com vistas à
transformação da realidade à luz dos princípios
do Reino de Deus:
Tarefa específica da Teologia Pastoral.

O que é liturgia?
A teologia do serviço
 Do grego clássico:
 Leitourgia:
 leitos [adjetivo de laós] = povo +
 ergon = trabalho
... Obra, ação ou iniciativa ... em favor do povo,
do bairro, da cidade, do Estado.
...qualquer trabalho que importasse em
“serviço” ... prestado ao Estado ou a um
indivíduo ou mesmo à divindade.

No Primeiro Testamento (AT):


 O termo hawa, um dos mais significativos –
pode ser traduzido por “prostrar-se” e
“adorar”, é empregada 170 vezes:
Ideia de submissão e auto humilhação: curvar-se
até a testa encostar o chão.
Outros termos:
Abad, traduzido por escravo, servo (equivalente a
doulos);
Abida, traduzido por “serviço”, “ritual”,
“adoração”;
Abodah, traduzido por “trabalho” e
‘Abad, “serviço”, “cultivar o campo”
Êx 12.21-28; Dt 10.8; 2Cr 8.14 (RAMOS, 2011, 33-35).

4
07/04/2020

Aos poucos, ...


 passou a designar qualquer trabalho
que importasse em “serviço” ... prestado
ao Estado ou a um indivíduo ou mesmo à
divindade.
 Na LXX (versão grega do AT, Alexandria, III ao I
séc. a. C): o termo é empregado para
designar o “serviço religioso” prestado
pelos levitas a Javé (ocorre mais de 150
vezes).

 No N.T.:
 o verbo leitourgeo,
 o adjetivo leiturgikos e
 os substantivos leitourgia e leitourgos
 ocorrem 15 vezes ... traduzidos como:
 “serviço”, “ministério”, “socorro/auxílio”
e seus correspondentes.

 Alguns exemplos no NT:

 Em Atos 13.2, o termo tem especificamente


o sentido de “culto”:
E, servindo (Leitourgountwn) eles ao Senhor e
jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora,
Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado.
 Em Hebreus 1.7,14: “Ainda, quanto aos anjos,
diz: Aquele que a seus anjos faz ventos, e a seus
ministros (leitourgouj), ...”; “Não são todos eles
espíritos ministradores (leitourgika), enviados para
serviço (diakonian) a favor dos que hão de herdar a
salvação?”
 Hebreus 8.2,6; Hebreus 10.11; Filipenses 2.17:

5
07/04/2020

 No NT, outros termos utilizados com o mesmo


sentido de leitourgia:
Todos esses termos:
 Proskyneo ...“adorar/ adoração/
adorador”
 Latreia ... culto, serviço sagrado
Sebomai ...“temor”, “piedade”
têm a conotação de humildade e serviço.
Atualmente, o termo Liturgia se aplica a
 todo o conjunto dos atos rituais e da Igreja...

 Portanto, liturgia é:
 O serviço comunitário celebrado pelo povo de
Deus,
por meio da adoração à Trindade e da
solidariedade aos da família da fé, bem como a
toda a comunidade humana.
 Um diálogo interativo entre Deus e os seres
humanos e destes entre si, no contexto
celebrativo da fé, na forma de um serviço
comunal , comunitário e comunicacional porque
é prestado por todos e para todos.

ALGUNS TIPOS DE LITURGIA :


CEIA DO SENHOR
BATISMO e RECEPÇÃO de MEMBROS
OFÍCIO FÚNEBRE
FESTA ÁGAPE (FESTA DO AMOR)
CASAMENTO
BATISMO INFANTIL
CULTO EM AÇÃO DE GRAÇAS
LANÇ. PEDRA FUNDAMENTAL
RECEPÇÃO DE NOVOS MEMBROS
CONSAGRAÇÃO DE MINISTÉRIOS
INAUGURAÇÃO E DEDICAÇÃO DE ESPAÇO FÍSICO
CULTO ECUMÊNICO, etc.

6
07/04/2020

Como fazer o culto em tempos de afastamento social?


Prof. Jonadab Domingues de Almeida

Algumas dentre muitas possibilidades:


Realizar o Culto Público no templo,
descumprindo as determinações dos órgãos
sanitários e autoridades?
 Realizar Live pelos canais – a partir do templo,
com dirigentes, pregador/a, músicos, etc.
 Realizar Live a partir de casa, a partir da
reunião do Pastor ou Pastora com a sua Família:
Realizar Live em casa ou no escritório, de uma
mesa, dirigindo cada momento.

 Realizar o culto com aplicativos de reuniões on-line


– tipo Zoom, Skype e outros, promovendo interação
das pessoas, com a presença, voz e imagem.
Fazer gravação com áudio ou áudio e vídeo e enviar
para membros da Igreja em grupos do WhatsAp
 Um único arquivo com a sequência e mesclando
leituras bíblicas, cânticos, orações, Pregação e
orientações.
 Vários arquivos em sequência seguindo roteiro,
de forma a que as pessoas possam ir abrindo um a
um e participando de cada momento.

7
07/04/2020

Exemplo de orientação para culto via Grupo do WhatsApp:


... segue o roteiro que vamos seguir para a Liturgia do
Culto Vespertino de hoje, 18h (29/03/2020).
Esperamos que todos e todas possam se preparar para
aquela momento. Uns 20 a 30 minutos ao todo.
Sugerimos que, durante esse tempo, entre uma postagem
e outra, cada Irmão e Irmã possa se expressar com
Aclamação ao Senhor. Com "Amém!" "Aleluia!" "Louvado
seja Deus!" ou outra expressão em acordo com que está
sendo ministrado e o Culto que prestamos ao nosso Deus.
Seguiremos o seguinte Roteiro:

Roteiro:
1) Iniciaremos com o ♫ Prelúdio – Piano: Gravado hoje
pela Irmã Roselice - Doxologia.
2) Postaremos um áudio com Abertura do culto com
palavras de acolhimento, leitura bíblica, oração e breve
reflexão (áudio do Pr. Jonadab, de 4min53).
3) Postaremos outro áudio e a letra de um lindo Hino
de Adoração: (Geuid tocando - 2min30)
4) Após o Hino, postaremos outro áudio, agora com a
pregação do Pr. Jonadab, com base no texto bíblico de
João 11.1-11, 39-45, com o Título: Jesus, Senhor da vida
e vencedor da morte.

5) Após a pregação, postaremos o áudio e letra de outro


lindo Hino de Dedicação: (Roselice tocando - 2min42)
6) Após o hino de dedicação, postaremos outro áudio com
Palavras de envio, em confiança e compromisso de
testemunho e serviço ao Senhor e ao próximo; seguido de
oração de intercessão e dedicação, e a bênção final.
7) Finalmente o ♫ Poslúdio, quando o Culto estará
encerrado.
Equipe Pastoral

8
07/04/2020

https://drive.google.com/file/d/1kJgip845mba5_kcH9hXmjj2ixxlj7jxM/
view?usp=drivesdk – Igreja Metodista em Santa Isabel.
IM Campos do Jordão:
NOSSA SEMANA Domingo – 29 de março 10h00 - Escola Dominical On-
line Link:
https://us04web.zoom.us/j/671933694?pwd=TUsrdHN1R0c1dFRZcTVa
NHF1TGs4QT09
18h00, Devocional On-line Link:
https://us04web.zoom.us/j/717881766?pwd=VmlGZkFINm4xZ0VvdHFJ
bHNiWWxnUT09
Terça-feira – 31 de março 18h00 – Tempo de Comunhão Link:
https://us04web.zoom.us/j/506197640?pwd=MzgvdU5CTnJkNFh3VEIz
TTErN3laQT09
Quinta-feira – 02 de abril 18h00 – Tempo de Comunhão Link:
https://us04web.zoom.us/j/509910140?pwd=bjBCVmUxU0xIU054UVh
vTVpBWER6Zz09 - Sábado – 04 de abril 18h00 – Tempo de Comunhão
Link:
https://us04web.zoom.us/j/427252017?pwd=SFcrUU1XaFNlSWpeWVL
N3dBa0U5UT09 19h30 – Discipulado – Grupo Pastor Paulo O link será
disponibilizado no whatsapp do grupo.

Outros pontos muito importantes:


1) Celebração da Santa Ceia, como fazer:
1) Há igrejas ou pastores/as que decidiram fazer jejum da Santa
Ceia até retornar às reuniões presenciais.
2) Há igrejas que ainda estão procurando definir uma forma.
3) Há igrejas que já emitiram orientações:
1) O Pastor ou Pastora orienta seus membros para, em família,
preparem o pão e o suco, para participarem da ceia após
acompanharem a consagração e ministração feita pelo Pastor ou
Pastora (a enviar por áudio, vídeo ou em transmissão ao vivo).

9
07/04/2020

Recentes orientações da IM sobre a Ceia em tempos de


Covid: (somente um exemplo, considerando que as várias Igrejas têm suas
orientações).
ORIENTAÇÕES PARA EVENTUAL CELEBRAÇÃO DA SANTA CEIA NAS IGREJAS
METODISTAS DURANTE O ISOLAMENTO SOCIAL EXIGIDO POR CONTA DA
PANDEMIA DO COVID 19
Considerando:
Que a situação atual de pandemia mundial é algo inusitado e não
vivido pela nossa geração, exigindo de nós posturas e ações
diferenciadas frente à realidade.
Que nosso ritual afirma que “o culto é a ocasião na qual a vida da
comunidade, do país e do mundo devem estar presentes, quer
como informação, reflexão e/ou motivo de intercessão”.
Que nosso ritual prevê que noutros lugares, “como nos lares e
hospitais, preferencialmente será realizada com a presença do
pastor e da pastora, a quem cabe consagrar os elementos para a
celebração, salvo em situações excepcionais”.

Que a presença virtual, como temos testemunhado nos cultos


online, configura-se como realidade e tem permitido interação
ao vivo com as pessoas, atendendo ao disposto no ritual, de que
este é um momento comunitário.
Que a realidade das grandes cidades dificulta deslocamentos
sem risco de contrair o Covid-19 e que as aglomerações de
qualquer natureza configuram grave ameaça à saúde pública.
O Colégio Episcopal da Igreja Metodista publica as seguintes
orientações caso sua igreja local deseje realizar a ceia no contexto do
culto online, enquanto durar o isolamento social em território
brasileiro:
A Santa Ceia será celebrada pelo pastor ou pastora durante culto
online nas diferentes plataformas de internet;

O pastor ou pastora deverá consagrar os elementos da Ceia e


celebrá-la com seus familiares (no caso do culto transmitido de
casa) ou com as pessoas auxiliares (no caso de culto transmitido
do templo) para que os membros façam o mesmo em suas casas,
seguindo as instruções recebidas.
A ministração deve ocorrer, preferencialmente, em tempo real
(live);
Um vídeo da celebração poderá ficar disponível para as pessoas
que, por qualquer razão, não puderem participar em tempo real;
Os membros usarão pão e o suco de uva (ou, excepcionalmente,
água) que tenham disponíveis em suas casas;

10
07/04/2020

Para pessoas cujos recursos de celular não permitam baixar um


vídeo, se fará um áudio, com as mesmas orientações e
consagração dos elementos. Ou, ainda, o pastor ou pastora
poderá ministrar ao vivo, por ligação telefônica, em tempo
devidamente agendado com a família.
Se houver outros arranjos locais que possam ser feitos, não há
impedimento, desde que não haja aglomeração de pessoas nem
alguma atitude que possa vir a infringir as regulamentações do
Ministério de Saúde. Em todo o caso, deve-se recordar que não
há ceia do Senhor sem a devida consagração dos elementos por
pessoa devidamente autorizada pela igreja para tanto, ou seja,
sem um pastor ou pastora ordenado ou missionário/missionária
com designação episcopal para conduzir a celebração.

Lembrando sempre o princípio de tudo realizar com ordem e


decência, o Colégio Episcopal orienta aos pastores e pastoras
todo o cuidado com a Santa Ceia, entendendo que sua
ministração atende, além das determinações bíblicas do próprio
Cristo, a uma saúde emocional de nossos membros nestes
tempos tão controversos.
Outras possibilidades e sugestões o bispo e a bispa estarão
estudando com seus respectivos MAEs na realidade de cada
região.
(CE da IM).

2) Entrega das ofertas e dízimos:


1) Depósitos ou transferências bancárias, com
orientação, o costume e compromisso da
membresia;
2) Depósitos ou transferências bancárias, com
apelos e promessas de bênçãos e
prosperidade;
3) Outra forma.

11
07/04/2020

EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS E NORMATIVAS PARA


CELEBRAÇÕES LITÚRGICAS
Prof. Jonadab Domingues de Almeida

Algumas referências:
 A Bíblia: com instrumentos que ajudam a tirar o
melhor proveito das narrativas: EXEGESE
 A Teologia e História: instrumentos que ajudam a
lidar com as referências históricas, teológicas,
confessionais e doutrinárias: HERMENÊUTICA
A Pastoral: instrumentos que ajudam a lidar com
as questões da comunidade, das famílias e das
pessoas.

Alguns instrumentos:
As Normativas e orientações:
O Calendário Litúrgico:
O Lecionário Comum Revisado:
Os Hinários e Cancioneiros:
O Jornal
O relacionamento com as pessoas e a
inserção na comunidade
Outras

12
07/04/2020

Para seguir Calendário Litúrgico e o Lecionário: o


Anuário Litúrgico da Faculdade de Teologia, dentre
outros materiais.

COMPREENSÃO SOBRE O CULTO:


“Cremos que o culto verdadeiro que Deus
aceita dos homens e das mulheres é aquele que
inclui a manifestação de uma vivência de amor,
na prática da justiça e no caminho da humildade
com o Senhor” (Artigo 4º, inciso II, item 11, Credo Social,
Cânones da Igreja Metodista 2017).

“O Culto é um serviço devido a Deus pelo seu


povo e se expressa em todos os planos da
existência humana” (Art. 6º, Das normas do Ritual,
Cânones da Igreja Metodista 2017).

“O Culto Público, promovido pela Igreja, é


 uma parcela do serviço total do povo de Deus,
no qual o Senhor
 vem ao seu encontro,
 requer a sua adoração,
 mostra-lhe o seu pecado,
 perdoa-lhe quando se arrepende,
 confia-lhe a Sua mensagem e
 espera a sua resposta em fé, gratidão, amor
e obediência” (Art. 7°, Cânones da Igreja Metodista 2017).

13
07/04/2020

§ 1° - Para edificação dos cristãos, a igreja estimula,


também, a devoção pessoal e o culto doméstico, em
que cada um é incentivado à leitura e ao estudo das
Sagradas Escrituras, à meditação e à oração.
§ 2° - O Culto Público é realizado pelas igrejas
normalmente aos domingos, no horário mais
conveniente à comunidade.
§ 3° - Além dos cultos dominicais, as igrejas
proporcionam, em outros dias da semana, a
experiência do culto, na forma de
 Reuniões de oração,
 Estudos bíblicos e doutrinários,
 Troca de testemunhos e
 Comemorações especiais.

§ 4° - Dentre as comemorações especiais, as igrejas


realizam, esporadicamente,
 reuniões de testemunho ou «Festa do Amor»,
em que os membros da igreja, reunidos em espírito
fraternal, tomam água, comem pão, oram, cantam e
narram suas experiências da vida cristã.
A Festa do Amor, também conhecida como Ágape,
reunia os cristãos em círculos ou ao redor de uma
mesa;
 o pão era partido em pequenos pedaços, ou
 um pão comum era passado de mão em mão;
 o cálice do amor era comum, provido de duas
alças laterais, sendo substituído posteriormente por
cálices individuais.

 Dos Sacramentos (Art. 8°): Sacramentos são meios de


graça instituídos por Nosso Senhor Jesus Cristo, sinais
visíveis da graça invisível do Espírito Santo na vida dos
crentes: o Batismo e a Ceia do Senhor.
 Do Batismo (Art. 9) - O Batismo é o sinal visível da graça de nosso
Senhor Jesus Cristo, pela qual nos tornamos participantes da
comunhão do Espírito Santo e herdeiros da vida eterna.
§ 1° - O Batismo é aplicável a crianças, a maiores cristãos e a excepcionais
de qualquer idade.
§ 2° - O Batismo de maiores cristãos somente se aplica a pessoas que
desejam filiar-se à Igreja e assumem os votos de membro, conforme os
Cânones.
§ 3° - O Batismo de crianças só será feito com a garantia de que entre pais
e testemunhas haja quem possa assumir todas as responsabilidades
exigidas pelo cerimonial, para o que serão prévia e devidamente
orientados quanto às responsabilidades que assumem.

14
07/04/2020

§ 4° - O Batismo, sendo ato de testemunho comunitário, deverá ser


realizado, sempre que possível, durante o Culto Público.

Art. 10 - O Batismo é com água, em nome do Pai, do Filho


e do Espírito Santo, por aspersão, derramamento ou
imersão. A Igreja Metodista, embora comumente pratique
a aspersão, reconhece como igualmente válido o batismo
por derramamento ou por imersão.

 Da Ceia do Senhor (Art. 11): A Ceia do Senhor é o sinal


de nossa redenção em Cristo e o memorial perpétuo de
Sua paixão e morte. Nos elementos da Ceia, Cristo se dá
aos que são Seus, renovando a comunhão de amor da
nova aliança.
Parágrafo único - A Ceia é ministrada, a juízo do pastor
e do Concílio Local, com a frequência que, em conjunto,
determinarem, visando sempre à edificação espiritual
da igreja.

 Da Recepção de Membros (Art. 12): Para testemunho de


fé e gozo dos plenos direitos de membro da Igreja, o
candidato, depois de devidamente instruído, apresenta-
se diante da congregação para assumir os votos de
membro dela.
§ 1° - Nenhuma pessoa pode ser recebida como membro da
Igreja por processo diferente dos indicados no art. 9°, do
Título II destes Cânones, e sem que tenha sido devidamente
instruída numa classe de catecúmenos.
Art. 9º (Título II). Os procedimentos para recepção de membro leigo são os
seguintes:
I - profissão de fé e batismo, para pessoas que não foram batizadas na
infância e se convertem a Cristo, professam a fé e são batizadas;
II - confirmação, para pessoas que foram batizadas na infância, professam
a fé e confirmam o pacto batismal;
III - assunção de votos, para pessoas que assumem os votos de membros
da Igreja Metodista, de acordo com o Ritual da Igreja Metodista.

15
07/04/2020

 Constituem requisitos para Admissão de membro leigo


(Art. 8º, Título II, Cânones da Igreja Metodista 2017):
I - aceitar a Jesus Cristo pela fé, confessando-o como Senhor e
Salvador pessoal;
II - arrepender-se de seus pecados e ter disposição de viver vida
nova, de acordo com os ensinos do Evangelho;
III - aceitar os elementos básicos da Igreja Metodista;
IV - comprometer-se a viver a mordomia cristã;
V - prometer observar os preceitos do Evangelho e sujeitar-se às leis
da Igreja Metodista;
VI - ser batizado ou batizada, ou confirmar o pacto batismal, se o foi
na infância.
§ 1º. A impossibilidade de regularização do estado civil não impede a
admissão de membro leigo.
§ 2º. Pessoas vinculadas à Maçonaria e sociedades secretas devem
renunciar a esse vínculo antes de assumir votos de membro da Igreja
Metodista.

No Plano para a Vida e a Missão da Igreja - PVMI:


(E.) Como participar da Missão de Deus?
A Igreja participa da Missão e cresce em
santificação, o que acontece quando
produz
atos de piedade e
obras de misericórdia.
Os atos de piedade são, principalmente, o
culto e o cultivo da piedade pessoal e
comunitária, e
as obras de misericórdia são,
preferencialmente, o trabalho que valoriza e
realiza a pessoa enquanto constrói, em amor e
justiça, a nova comunidade e o Reino de Deus.

Assim, a Igreja participa da Missão e cresce


quando:
1 - Cultua a Deus
• no oferecimento de nós mesmos, em
comunidade, na adoração, no louvor, na
confissão, na afirmação da fé, na consagração e
no compartilhar de nossas experiências e dons (Rm
12.1-2; 1Co 14.26);
• no recebimento da palavra de renovação, de
alimento, de fortalecimento mútuo e do poder de
Deus (Cl 3.16; Is 1.6, 2.13).

16
07/04/2020

 Recebemos de Deus a vida e a ofertamos


novamente a Deus. A celebração da vida por meio
de Jesus Cristo se torna visível no seu início, pelo
 Batismo, e sua continuidade,
 pela proclamação da Palavra e
 da Ceia do Senhor,
que são atos centrais do culto, e nele celebramos
a vitória do Reino de Deus sobre as forças do mal e
da morte (1Co 11.26; Lc 22.18; Mt 26.29; Jo 14.16-
18, 25-27; Ap 1).

O Culto deve:
• ser amplamente participativo, em que a
comunidade tenha vez e voz;
• ser inserido no dia a dia da comunidade na
qual a igreja está localizada;
• expressar as angústias, lutas, alegrias e
esperanças do povo, ofertando-as a Deus (1Co
14.26; Cl 3.16-17; Sl 150; Ef 5.19-21; Mt 6; Sl 71; Rm 8.15-39; Ef 3.14-17, 20-
21).
O Culto continua por meio da oração e
meditação pessoais, da família e de grupos. Ele
se completa no oferecimento da vida em atos de
amor e justiça (Ef 6.10-20; Dt 6.4-9; Sl 15).
• ser uma oportunidade para “apelos” a todos
os homens e mulheres para aceitarem a Jesus
Cristo como Salvador.

Ainda como EXEMPLO: Outro documento:


NORMATIVAS PARA A CELEBRAÇÃO DE CERIMÔNIAS DO
RITUAL E OUTRAS
http://www.metodista.org.br/arquivos/v/regulamentos-normas-di

INTRODUÇÃO:
O Colégio Episcopal da Igreja Metodista, no exercício de
sua competência estabelecida no Art. 119, incisos 1, 2 e 39, da Lei Ordinária,
normatizando o Capítulo II, artigos 2º, a) e b), dos Cânones 2017, estabelece as

seguintes normativas para a celebração de cerimônias do


Ritual e outras, em toda a Igreja Metodista no território
nacional, visando à unidade doutrinária e pastoral de
todos os metodistas.

17
07/04/2020

I. CELEBRAÇÃO DO CULTO
1. O culto é o momento no qual o povo de Deus
se identifica com a história das relações de Deus
com a humanidade, a “História da Salvação”,
recordando esta história ou partes dela, nos
momentos específicos de adoração, confissão e
perdão, louvor, edificação e dedicação,
especialmente no batismo e santa ceia.
Assim, ...

 As partes do Culto:
 Adoração,
 Confissão e perdão,
 Louvor,
 Edificação e
 Dedicação,
 Especialmente no Batismo e Santa Ceia.
 Celebração festiva, com ordem e reverência.

 ...

...
6. O culto é presidido pelo pastor ou pastora na igreja
local, pelo Bispo ou Bispa nas celebrações regionais, e
por pessoas devidamente autorizadas pelas respectivas
autoridades.
7. O culto é ocasião na qual a vida da comunidade, do
país e do mundo devem estar presentes quer como
informação, reflexão e/ou motivo de intercessão.
8. No preparo e na celebração do culto deve-se fugir
tanto da rotina quanto da improvisação. A condução
pode ser compartilhada.

18
07/04/2020

9. A celebração do culto deverá merecer uma


cuidadosa preparação, a fim de assegurar-lhe um
ambiente acolhedor.
Entende-se que o simbolismo do altar deverá expressar
a importância da
verticalidade do evangelho, em reconhecimento da
soberania de Deus e da
horizontalidade da fé, como compromisso do povo de
Deus de ser altar no meio do mundo, ou seja, “sal da
terra” e “luz do mundo”.

CULTO DE AÇÃO DE GRAÇAS


1. Todo evento significativo na vida das pessoas, das
famílias e da comunidade, desde que compatível em
sua natureza com o Evangelho, deve ser aproveitado
para a celebração de culto de ação de graças.
2. O culto de ação de graças será realizado a pedido de
qualquer pessoa, ...

SACRAMENTO DO BATISMO
Formas de Batismo: ...
Batismo de crianças

IV. RECEPÇÃO DE NOVOS MEMBROS POR BATISMO,


CONFIRMAÇÃO, ASSUNÇÃO DE VOTOS.
 Batismo de Adultos
 Confirmação
 Reafirmação dos votos de membro da Igreja
V. SACRAMENTO DA CEIA DO SENHOR
VI. CASAMENTO
VII. OFÍCIO FÚNEBRE
VIII. RESSARCIMENTO DE DESPESAS
Ficam revogadas todas as disposições em contrário.
Publique-se e cumpra-se.
São Paulo,.20 de junho de 2018
Bispo Luiz Vergílio Batista da Rosa, Presidente do Colégio
Episcopal Bispa Marisa Ferreira de Freitas Secretária do Colégio
Episcopal

19
07/04/2020

Boa Semana!

Prof. Me. Jonadab Domingues de Almeida

Bibliografia Básica
CARVALHAES, Claudio. Religião, Liturgia e Arte: Correlações.
São Paulo: Fonte Editorial, 2018. 446 p
FREDERICO, Denise Cordeiro de Souza. Cantos para o culto
cristão. São Leopoldo: Sinodal, 2001.
RAMOS, Luiz Carlos. Em espírito e em verdade: curso prático
de liturgia. São Bernardo do Campo: Editeo, 2011 (Série
Cristianismo Prático).
Bibliografia Complementar
BUYST, Ione. Como estudar liturgia: princípios de ciência litúrgica. São Paulo:
Paulinas, 1990.
HAHN, Carl Joseph. História do culto protestante no Brasil. São Paulo: Aste, 1989.
RAMOS, Luiz Carlos (org.). Anuário litúrgico. São Bernardo do Campo: Editeo, 2003-
2013.
SARTORE, D.; TRIACCA, A. M. Dicionário de liturgia. São Paulo: Paulus, 1992.
WHITE, James. Introdução ao culto cristão. São Leopoldo: Sinodal, 1997.

Referências Sugeridas:
ALLMEN, J. J. von. O culto cristão: teologia e prática. São Paulo: Aste, 1968.
ALMEIDA, Jonadab Domingues (editor). Anuário Litúrgico. São Bernardo do
Campo, 2014-2020.
CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS. Batismo, eucaristia e ministério. São Paulo:
Aste, 1983.
GONZÁLES, Justo (ed.). Obras de Wesley. Franklin: Providence House Publishers,
1998.
IGREJA METODISTA. O Culto da Igreja em Missão. São Paulo: Editora Cedro, 2006.
RAMOS, Luiz Carlos (org.). Anuário litúrgico. São Bernardo do Campo: Editeo,
2003-2013.
Referências Sugeridas: ...
RANSOM, J. J. Compêndio da Igreja Metodista Episcopal. Rio de Janeiro: Haziett,
1878.
SARTORE, D.; TRIACCA, A. M. Dicionário de liturgia. São Paulo: Paulus, 1992.
TESCHE, Silvio. Vestes litúrgicas: elementos de prodigalidade ou dominação? São
Leopoldo: Sinodal, 1995.
TURNER, Victor W. O processo ritual: estrutura e antiestrutura. Petrópolis: Vozes,
1974.
TABRAHAM, Barrie W. Brother Charles: vida e obra de Charles Wesley, São
Bernardo do Campo: Editeo, 2017.

20