Você está na página 1de 28

Adinkra

Tecidos de algodão estampados à


mão com entalhes/ tipo carimbo

Reino Ashanti (ou Asante ou Axante)/


Povo Akan - Ghana

1
O Adinkra é um sistema de escrita ancestral africana através de
símbolos pictóricos que transmitem as filosofias, provérbios,
ensinamentos dos ancestrais no povo Akan.

É uma espécie de dicionário de valores.

Adinkra - significa Adeus em Twi - idioma falado entre os


Akan.

A escrita de símbolos adinkra reflete um sistema de valores


humanos universais: Família, integridade, tolerância, harmonia
e determinação, entre outros.

2
“De acordo com a história oral, o sistema dos adinkra tem
origem numa guerra que Asantehene Osei Bonsu, rei dos
asante, moveu contra Kofi Adinkra, rei de Gyaaman, região da
Costa do Marfim. Este teve a audácia de copiar o banco real de
Asantehene, o gwa, símbolo da soberania e do poder do Estado.
Assim o rei de Gyaaman provocou a ira do poderoso soberano
asante. O Asantehene venceu a guerra, e os asante dominaram a
arte dos adinkra, ao mesmo tempo ampliando o espaço
geográfico onde esse conjunto de ideogramas impunha sua
presença. Antes disso, havia sido patrimônio dos mallam e dos
denkyira, povos da África Ocidental que desenvolveram esse
sistema de escrita em um passado remoto.” (NASCIMENTO,
2008, p.34).
3
4
https://www.tripadvisor.com.br/Attraction_Review-g317061-d3840341-Reviews-Ntonso_Adin

O centro importante e
kra_Craftsmen-Kumasi_Ashanti_Region.html#photos;aggregationId=101&albumid=101&filte
r=7&ff=447245392

tradicional da
produção do tecido
Adinkra é Ntonso, na
região de Ashanti, no
Gana.

https://www.google.com.br/maps/place/Ntonso
,+Gana/@6.8253129,-1.5210596,3a,75y,29.69h/da
ta=!3m8!1e2!3m6!1sAF1QipMYhKuADA5Gggx
V6QLGoTl-BN55vLI2iUIM89SO!2e10!3e12!6s
https:%2F%2Flh5.googleusercontent.com%2Fp
%2FAF1QipMYhKuADA5GggxV6QLGoTl-B
N55vLI2iUIM89SO%3Dw203-h270-k-no!7i312
0!8i4160!4m5!3m4!1s0xfdbc0aa537aa199:0xbc19
c767ea4f2b12!8m2!3d6.8313792!4d-1.5196521

https://jetsanza.com/ntonso-adinkra-craft-village/

5
A tecelagem é a forma mais comum de produção de tecidos entre
asantes. É o entrelaçamento de dois conjuntos de fios; a trama e o
urdume. Asantes são conhecidos principalmente por seu tecido de
prestígio conhecido como o Kente.

O tecido tradicional Adinka é feito de algodão de fio grosso.


Atualmente o tecido pode ser encontrado nas mais diversas cores
de base, inclusive com brilho.

O tecido é feito estampando tiras de tecidos e os símbolos são


estampados com corante vegetal. As tiras de comprimento
desejado são costuradas para formar tecidos de vários tamanhos,
dependendo do uso pretendido.
6
A história do bordado à mão tradicional entre Asantes começou
ao lado do produção de tecido Adinkra.
Os fios eram tradicionalmente fiados a partir de fibras de
algodão e estes foram usados para o bordado. Estes fios foram
tingidos localmente com corantes tradicionais preparado a
partir de fontes naturais. As cores usadas incluem vermelho,
amarelo, azul, índigo, verde, preto, marrom e uma série de
outros.
Originalmente o bordado foi feito para unir as tiras de tecido
Kente.

O bordado é feito com linha e agulha no tecido antes de


carimbar/ estampar.
7
Tradicionalmente o uso era restrito à nobreza e líderes
religiosos.

Hoje, o tecido adinkra não é usado exclusivamente pelo povo


Asante. É usado por outros grupos étnicos em Gana em uma
variedade de reuniões sociais tradicionais e ocasiões festivas.

Versões escuras do tecido adinkra são usadas principalmente


em funerais, enquanto versões mais leves são usadas em
casamentos e outras ocasiões comemorativas.

8
Existem quatro tipos de panos Adinkra classificados de acordo
com o pano de fundo em que os padrões são estampados.

❖ 'Mpakyinwa' (fundo simples)


❖ 'Nhwimu' (fundo com marcações lineares)
❖ Kente (só a faixa)
❖ 'Nwomu' (fundo com bordado à mão).

9
Além da classificação pelos designs de fundo, o Adinkra pode
ser classificado de acordo com a cor do fundo.

❖ 'Kuntunkuni' - quando a cor de fundo é marrom


avermelhado
❖ 'Kobene' - quando é vermelho brilhante
❖ 'Birisi' - quando é índigo.

10
Significado das cores

❖ Fufuo (branco)
❖ Tuntum (preto)
❖ Kobene (vermelho)
❖ Amarelo
❖ Azul

11
Em um plano espacial e temporal, os Akan encaram a vida
como um continuum circular de cores. A vida começa com
branco e corre no sentido horário para a juventude e
adolescência com amarelo. Durante o abadinto (cerimônia de
nomeação de crianças), a criança se veste de branco e recebe
pokuaa (pepita de ouro) como kera sika (ouro para a alma da
criança), simbolizando vida e prosperidade contínuas para a
criança. A vida adulta é alcançada com marrom (dansinkran) e
termina com preto para a morte. Nos pontos intermediários, as
cores principais combinam e mudam gradualmente os tons; o
centro do ciclo de vida Akan, sendo a soma de todas as partes, é
concebido como multicolorido.

12
Adinkra DURU
(“medicamento adinkra” - Corante)
Casca da árvore Badie (Bridelia ferruginea)/ kuntukuni.
Como fazer:
Fever durante a noite e deixar encharcado durante dois dias,
para amaciar.
Depois de dois dias triturar e obter um líquido/ corante marrom
bem espesso.
A casca triturada é coada e é fervida novamente por duas horas e
aguarda mais 3 dias para usá-lo. Quanto mais nova, isto é, recém
colhida a casca tiver sido, mais corante será obtido.
Recebe o nome também de medicamento, pois pode ser usado
para curar várias doenças/ enfermidades - entre elas malária e
diarréia
13
O carimbo com os símbolos Adinkra são entalhados/ gravados
em pedaços de cabaça e colocados uma espécie de alça para dar o
suporte.

Para iniciar a estampa, as tiras de pano ou o tecido são colocadas


em superfícies planas - antigamente eram apenas feitos no chão.
Hoje também são feitos em plataformas elevadas.

Para os tecidos Nhwimu - que são divididos, primeiro, o tecido é


dividido em seções usando um pente duro esculpido em madeira
local e com duas a oito pontas. Depois os carimbos de cabaça
serão utilizados para aplicar os símbolos adinkra nos espaços
entre as marcas de pente.
14
Segurar o carimbo pelas alças e colocar dentro do Adinka-Duru
verificando se não estará totalmente imerso no líquido.

Cuidado para quando tirar o carimbo não estar muito molhado


e não escorrer tinta no tecido.

Pressione o carimbo de um lado para outro.

Deixe secar e estará pronto.

Os panos são preservados com lavagem à seco - no passado não


eram lavados para “durar”.

15
https://akomasfghanacollaborati
on.wordpress.com/2014/07/06/ad
inkra/

http://insidetheconservatorsstudio.blogspot.com/2019/08/adinkra-cloth-another-textile-from-ghana.html?m=1
16
17
18
http://www.afreaka.com.br/notas/adinkra-um-dicionario-de-valores-n
a-arte-dos-carimbos/

http://claudio-zeiger.blogspot.com/2012/02/tecido-adinkra-arte
-axante.html

19
http://www.afreaka.com.br/notas/adinkra-um-dicionario-de-valores-na-ar
te-dos-carimbos/

20
https://en.wikipedia.org/wiki/Adinkra_symbols#/media/File:NtonsoAdi
nkraComb.jpg

21
22
https://mobile.twitter.com/farafinakan

www.btsadventures.com

23
http://www.afreaka.com.br/notas/adinkra-um-dicionario-de-valores-na-arte-dos-carimbos/
24
http://www.afreaka.com.br/notas/adinkra-um-dicionario-de-valores-na-
arte-dos-carimbos/

25
SANKOFA

É o símbolo mais conhecido do Adinkra

Desenho de um cisne olhando para trás.

Significa “voltar e apanhar denovo aquilo


que ficou para trás” - o ensinamento é
olhar para o passado para aprender e
assim construir o presente e o futuro.

26
(FOSU, 2017)
27
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS - TECIDO ADINKRA

ACQUAYE, Richar. Exploring indigenous west african fabric design in the context of contemporary global commercial
production. University Of Southampton ,Faculty Of Business, Law And Art, Winchester School Of Ar. Tese Doutorado, Reino
Unido: 2018
ARTHUR, G. F. Kojo. Cloth as metaphor: (Re)reading the Adinkra Cloth Symbols of the Akan of Ghana. 2a. edição.
Bloomington. Ebook - 2017
AWUYAH, Isaac Kofi. Exploiting techniques in asante indigenous hand embroidery for Adinkra Cloth production. Kwame
Nkrumah University Of Science And Technology, Kumasi, Ghana. Tese Master Of Fine Arts In Textile Design. 2012
FOSU, Kelvin. Adinkra: The Ghanaian heritage. E-book. 2017
JAICAF (Japan Association for International Collaboration of Agriculture and Forestry. Fiber Plants of Africa and their
Usage. 2010
NASCIMENTO, Elisa Larkin. A matriz africana no mundo: Coleção Sankofa. volume 1. São Paulo: Selo Negro 2008

SITES VISITADOS
https://africadoladodeka.wordpress.com/2014/05/29/adinkras/
http://claudio-zeiger.blogspot.com/2012/02/tecido-adinkra-arte-axante.html
https://www.itaucultural.org.br/ocupacao/abdias-nascimento/sankofa/?content_link=6
http://www.afreaka.com.br/notas/adinkra-um-dicionario-de-valores-na-arte-dos-carimbos/
http://www.ideafixa.com/oldbutgold/a-roupa-do-rei-adinkra
https://ipeafro.org.br/acoes/pesquisa/adinkra/
https://www.sescsp.org.br/online/artigo/compartilhar/12571_DO+LUTO+AO+MURO+A+SIMBOLOGIA+ADINKRA
https://www.metmuseum.org/
https://www.britishmuseum.org/
https://www.africanbeadsandfabrics.info/knowledge/adinkra-cloth/
28