Você está na página 1de 72

Página |-1-

Página |-2-

PARTE I ......................................................................................................................................................... - 3 -

INTRODUÇÃO .................................................................................................................................................. - 4 -
OBJETIVO:........................................................................................................................................................ - 4 -
A FLAUTA DOCE – UM POUCO DE SUA HISTÓRIA ....................................................................................................... - 5 -
A FAMÍLIA DA FLAUTA DOCE – CONSORT ................................................................................................................... - 5 -
CONHECENDO A ESTRUTURA FLAUTA DOCE SOPRANO: ................................................................................................... - 6 -
NOÇÕES DE POSTURA............................................................................................................................................ - 6 -
POSIÇÃO DA MÃO E DEDOS: .................................................................................................................................... - 6 -
ARTICULAÇÃO: .................................................................................................................................................... - 6 -

PRIMEIRAS NOTAS NA FLAUTA DOCE SOPRANO ............................................................................................... - 7 -


PRATICANDO I ................................................................................................................................................. - 8 -
DUAS MÚSICAS PARA FLAUTA E PIANO ...................................................................................................................... - 8 -
AU CLAIR DE LA LUNE (TRAD. FRANCESA). ............................................................................................................. - 9 -
A OVELHA DE MARIA ...................................................................................................................................... - 10 -
DEUS É BOM .................................................................................................................................................. - 10 -
BOA TARDE MEUS AMIGOS ............................................................................................................................ - 11 -
KLEINES LIED (BRIAN BONSOR) ........................................................................................................................... - 12 -
TANZ, KINDLEIN, TANZ (GUDRUN HEYENS) .......................................................................................................... - 12 -
KLEINER WALZER (BRIAN BONSOR) .................................................................................................................... - 13 -

ACRESCENTANDO MAIS DUAS NOTAS ............................................................................................................ - 14 -


PRATICANDO II .............................................................................................................................................. - 16 -
ODE À ALEGRIA .............................................................................................................................................. - 16 -
ASA BRANCA (LUIZ GONZAGA 1912-1989) .......................................................................................................... - 16 -
INVERNO, ADEUS! .......................................................................................................................................... - 17 -
CUCO ............................................................................................................................................................. - 18 -
ANDANTE GRAZIOSO ...................................................................................................................................... - 19 -
A MARCHA DOS SANTOS (TRAD. AMERICANA)..................................................................................................... - 20 -
AVE MARIA (BURGMÜLLER) ............................................................................................................................ - 22 -

ACRESCENTANDO MAIS TRÊS NOTAS .............................................................................................................. - 24 -


PRATICANDO III ............................................................................................................................................. - 25 -
DANÇÃ BARROCA ........................................................................................................................................... - 26 -
CANTO DO POVO DE ALGUM LUGAR (MPB) ..................................................................................................... - 27 -
AUSTRIAN LÄNDLER ....................................................................................................................................... - 27 -
THE LONELY SHEPHERD BOY (COLIN HANDS) ...................................................................................................... - 28 -
WALZER (F. SCHUBERT) .................................................................................................................................. - 28 -
WATER LILIES (SARAH WATTS) ........................................................................................................................ - 29 -
ARIETTA (J. B. LULLY) ...................................................................................................................................... - 30 -
MULHER RENDEIRA (LAMPIÃO) ......................................................................................................................... - 30 -
Página |-3-

PARTE I
Página |-4-

INTRODUÇÃO

Essa apostila foi elaborada para servir como instrumento de apoio, nas aulas de flauta doce
coletiva, turmas de ensino básico de música e práticas em conjunto. Partindo do pressuposto que
os alunos já possuam algum conhecimento prévio elementar de teoria musical, esse material
servirá como um instrumento de estudo na prática de solfejo e execução de repertório, pequenas
melodias acompanhadas ao piano, melodias para uma flauta ou duetos e leituras práticas.
OBJETIVO:
Geral: Desenvolver habilidades musicais, técnicas e expressivas elementares ao
instrumento, visando sua utilização como ferramenta pedagógica para alunos iniciantes não tendo
a obrigatoriedade de trabalhar a flauta como instrumento principal (virtuose).
Específico: Exercitar a leitura de partitura tradicional (clave de sol) e o dedilhado da flauta
em pequenas melodias acompanhadas ao piano, partindo incialmente de três notas iniciais do
pentacorde de Sol maior e gradativamente evoluir para outras notas e escalas, se limitando a
utilizar os seguintes pentacordes; Sol maior e Ré maior. Desenvolver de forma concisa um estudo
sobre a história da flauta e da estrutura do instrumento, aonde o professor vai estar fomentando
esses conhecimentos em aula atrelando ao trabalho de repertório variado, desde pequenas
melodias folclóricas e leituras, até músicas populares contemporâneas.

A ideia principal desse material é trabalhar a leitura musical dos alunos de forma que eles
consigam tocar os exercícios propostos dessa apostila e consequentemente adquirir habilidades
técnicas no instrumento. Essa apostila não tem o intuito de fomentar a elaboração técnica da
flauta doce soprano como instrumento de estudo especializado e voltado para a performance
virtuose, e sim, para o estudo como instrumento auxiliar e prática coletiva.
Através desses exercícios o professor pode sugerir aos alunos uma abertura para outras
exposições musicais como a improvisação musical.
No decorrer da apostila, será exibida uma pequena bula com o dedilhado das notas que
serão utilizadas e sua grafia musical na pauta. Ao final da apostila encontrasse um dicionário com
o dedilhado de todas as notas da extensão na flauta doce soprano.

Contato profissional para dúvidas, comentários e troca de experiências:


Prof. Bruno Nascimento (licenciando em música / UFPE)
E-mail: edmilsonbruno2011@hotmail.com

APOSTILA DE FLAUTA DOCE SOPRANO PARA ENSINO COLETIVO


COM ACOMPANHAMENTO (PIANO) – PARTE 1

Extensão dos exercícios e melodias da primeira parte, abrangendo os pentacordes de Sol


Maior e Ré maior.
Página |-5-

A FLAUTA DOCE – Um pouco de sua história

No mundo existem diversos tipos de flautas, exemplos como flauta


Transversal, flauta de Pã, Pífaro, Ocarina, flauta de Êmbolo, são as mais
conhecidas.
Para nossos estudos, utilizaremos a flauta doce ou flauta de Bisel, que é o
primeiro tipo e mais antigo instrumento que temos na família das flautas.
Tem suas origens nos antigos instrumentos folclóricos que ainda podem ser
encontrados em diversos lugares na Europa, alertando que em cada período
musical houve um tipo de flauta diferente, com modificações para se adaptar as
exigências do período.
A flauta doce é um instrumento construído e torneado em madeira. Era
bastante utilizada no meio orquestral bem antes do surgimento da flauta
transversal e também após sua criação. Com a implantação da flauta
transversal no âmbito de orquestra, a flauta doce passou a investir em
produções solísticas. No século XIX a flauta doce se mantinha nesse âmbito de
instrumento solista no meio cameristico. Todavia, com as grandes produções e
popularização da flauta transversal, foi perdendo uma grande parte de seu
público, até que perdeu sua grande popularidade.
No século XX, o flautista Arnold Dolmetsch, no desejo de interpretar
músicas originalmente escritas para flauta doce, se dedicou a reconstruir esses
instrumentos que estavam, em parte, esquecidos. Alguns historiadores e
estudiosos afirmam que os primeiros modelos em plástico foram fabricados na
Inglaterra no período da segunda grande guerra.
Em meados de 1920, a flauta doce foi resgatada na Europa, para ser
utilizada como instrumento de musicalização e na educação musical.
Atualmente, ela é feita de madeira, embora possa ser de plástico ou marfim.

A Família da Flauta Doce – Consort

Observação: Quanto maior for o tamanho da flauta, mas o som e timbre serão graves,
consequentemente, da imagem acima, a flauta sopranino é a menor e possui o som mais agudo,
enquanto a flauta baixo é a maior e possui o som mais grave.
Página |-6-

Conhecendo a estrutura flauta doce soprano:

Noções de Postura - • Manter os pulsos retos o máximo


possível
SENTADO: • Não cruzar as pernas
• Sentar-se na ponta da cadeira • Manter os pés em posição natural
• Deixar reta suas costas EM PÉ:
• Relaxar os ombros • Esteja em equilíbrio, não incline para
• Deixar cabeça e pescoço relaxados frente ou para trás.
• Não juntar ou separar demais os • Mantenha retas suas costas
cotovelos • Mantenha os ombros abaixados

Posição da mão e dedos:


Mão esquerda na parte superior da flauta e mão direita na parte inferior.
(Sem alterações para quem é canhoto ou destro).
Articulação:
Para produzirmos os sons na flauta doce, para além da respiração correta utilizada no estudo
desse instrumento, precisamos atentar-nos a outro aspecto importante, a prática da articulação. A
articulação é a adequação da técnica instrumental ao discurso musical, dando ao intérprete,
precisão ao expressar a ideia musical que é proposta na composição ou na individualidade do
intérprete. A língua é a responsável por iniciar e parar o som. A cada nota que tocamos na flauta
doce, precisamos inicialmente impor um tipo de articulação. Dois tipos básicos de articulação
mais utilizada.
Articulação simples: TU ou Du
Articulação dupla: TUDU (a junção dos dois).

Estudo complementar: Mas informações sobre o estudo de articulação -


(AULA 7: Introdução a articulação), canal no Youtube da professora Nathalia Domingos, UFRN.

Acesso em: https://www.youtube.com/watch?v=Lwnlzxso6k4 (Duração ± 10 min).


Página |-7-

Primeiras notas na Flauta Doce Soprano


Nas primeiras leituras que iremos exercitar, faremos a utilização das três notas iniciais do
pentacorde de Sol Maior. Logo abaixo temos a bula com o dedilhado dessas três notas e sua
localização na pauta musical. Dedilhados alternativos serão colocados um pouco menor.
(Vale lembrar que a flauta transpõe a altura do som em uma oitava acima do som real
escrito no pentagrama)

SI LÁ SOL
S
I l Á OL

Exercícios de Leitura 1 – Melodias de Franz Giesbert


Página |-8-

PRATICANDO I
Duas músicas para Flauta e Piano
Página |-9-

AU CLAIR DE LA LUNE (Trad. Francesa).

Moderato

("À Luz do Luar") É uma canção tradicional francesa do séc. XVIII. Seu compositor e letrista são
desconhecidos. Sua melodia é frequentemente ensinada a iniciantes no começo do estudo de
um instrumento musical.
P á g i n a | - 10 -

DUAS MELODIAS DO LIVRO – SMILINGÜIDO


(Método de flauta infantil Hering)
A OVELHA DE MARIA

DEUS É BOM
P á g i n a | - 11 -

BOA TARDE MEUS AMIGOS


P á g i n a | - 12 -

KLEINES LIED (Brian Bonsor)

TANZ, KINDLEIN, TANZ (Gudrun Heyens)


P á g i n a | - 13 -

KLEINER WALZER (Brian Bonsor)

Atividade Complementar:

1. Estudar as posições das notas aprendidas até o momento.


2. Praticar os exercícios de articulação sugeridos no vídeo da professora Nathalia Domingos
3. Revisar as leituras feitas na sala de aula (utilizando o metrônomo)
4. Escolher uma melodia do praticando I, para tocar memorizada na próxima aula,
(Podendo se dividir em grupos)
P á g i n a | - 14 -

Acrescentando mais duas notas

Nas primeiras leituras que fizemos, praticamos as três primeiras notas do


pentacorde de Sol maior. Agora iremos acrescentar as duas notas que restam
para completar a extensão do pentacorde.
Com essas cinco notas, podemos tocar várias músicas conhecidas e
também criar melodias...

DÓ RÉ
Ó É
Exercícios de leitura:

Nas próximas leituras, faremos três exercícios a duas vozes (duetos) 1:

1
Uma opção para realizar o dueto, é dividir a sala em dois grupos e eles alternarem as vozes.
P á g i n a | - 15 -
Na leitura 7, temos a presença de uma forma musical chamada cânone.

Cânone: forma polifônica (varia vozes), em que uma melodia é cantada por uma primeira voz e
imitada por outras vozes, entrando uma de cada vez. É uma espécie de corrida em que a segunda voz
nunca alcança à primeira.
P á g i n a | - 16 -

PRATICANDO II
ODE À ALEGRIA
(Melodia para duas Flautas2)

ASA BRANCA (Luiz Gonzaga 1912-1989)

2
A segunda flauta deve ser tocada pelo professor.
P á g i n a | - 17 -

INVERNO, ADEUS!

Observação: Procure ficar atento ao tipo de articulação que você estará utilizando nessa
melodia.
No compasso 10, é preferível fazer a nota SI com o dedilhado alternativo.
SI
Dedilhado alternativo:
P á g i n a | - 18 -

CUCO
P á g i n a | - 19 -

ANDANTE GRAZIOSO

Observação: Procure ficar atento ao tipo de articulação que você estará utilizando nessa
melodia. Cuidado com as ligaduras!
Também é preferível fazer a nota SI com o dedilhado alternativo.
P á g i n a | - 20 -

A MARCHA DOS SANTOS (Trad. Americana)


When The Saints Go Marching in
P á g i n a | - 21 -
P á g i n a | - 22 -

AVE MARIA (BURGMÜLLER)


P á g i n a | - 23 -

Atividade complementar:

1. Revisar as melodias estudadas no praticando II


2. Memorizar duas melodias para a próxima aula do praticando II (A turma pode se dividir
em grupo, cada grupo com duas melodias decoradas)
3. Criar individualmente uma melodia dentro do pentacorde de Sol Maior
4. Escrever a melodia criada com a escrita musical tradicional
P á g i n a | - 24 -

Acrescentando mais três notas

Até aqui praticamos bastante o pentacorde de Sol Maior em diversas


leituras já feitas... Agora, iremos acrescentar mais três notas que fazem parte
do pentacorde de Ré maior.

RE MI FA Sustenido
É I

Exercícios de Leitura

Observação: Quando na música uma nota da melodia for sempre alterada


(sustenidos ou bemóis), normalmente essa alteração fica exposta na armadura de
clave.
Na leitura 11, temos um exemplo onde à armadura de clave indica que a nota
FÁ, será alterada para FÁ #. Dessa forma fique sempre atento nessas alterações.
P á g i n a | - 25 -

PRATICANDO III
(DUAS MELODIAS DO LIVRO 20 RONDAS INFANTIS)
P á g i n a | - 26 -

DANÇÃ BARROCA

Giga (em francês: gigue) é uma dança barroca popular. Foi importada para a França em
meados do século VII e geralmente aparece no fim duma suíte. Sua fórmula de compasso
geralmente é ternária.
P á g i n a | - 27 -

CANTO DO POVO DE ALGUM LUGAR (MPB)

AUSTRIAN LÄNDLER
P á g i n a | - 28 -

THE LONELY SHEPHERD BOY (Colin Hands)

WALZER (F. SCHUBERT)


P á g i n a | - 29 -

WATER LILIES (SARAH WATTS)


P á g i n a | - 30 -

ARIETTA (J. B. LULLY)

MULHER RENDEIRA (Lampião)

Atividade complementar:

1. Revisar todas as melodias do praticando III e selecionar três para em grupo, tocar
memorizada na próxima aula.
2. Explorar os pentacordes de Sol Maior e Ré maior, criando em grupo 2 melodias autorais
para gravar em vídeo. (Primeiro criar as melodias e inserir uma harmonia).
P á g i n a | - 31 -
P á g i n a | - 32 -

PARTE 2

INTRODUÇÃO ................................................................................................................................................ - 33 -
OBJETIVO:...................................................................................................................................................... - 33 -

APRENDENDO TRÊS NOTAS ............................................................................................................................ - 34 -


CINCO MELODIAS PARA PRATICAR .................................................................................................................. - 35 -
IHR KINDERLEIN KOMMET .................................................................................................................................... - 36 -
TEMA SINGELO .................................................................................................................................................. - 36 -
FURUSATO ..................................................................................................................................................... - 37 -
PRATICANDO IV ............................................................................................................................................. - 38 -
A CANOA VIROU (FOLCLORE) ............................................................................................................................. - 38 -
AINDA NÃO COMPREI..................................................................................................................................... - 39 -
CINCO MELODIAS DO LIVRO CORALITO – PRA APRENDER A CANTAR (THELMA CHAN) ................................................. - 40 -

ACRESCENTANDO MAIS TRÊS NOTAS .............................................................................................................. - 42 -


PRATICANDO V .............................................................................................................................................. - 44 -
ANUNCIAÇÃO (ALCEU VALENÇA) ........................................................................................................................ - 44 -
DAS KLINGET SO HERRLICH – W. AMADEUS MOZART ................................................................................................. - 45 -
SONG............................................................................................................................................................. - 46 -
MARIA SANTANA (TRAD. BISPÂNICA) ................................................................................................................. - 46 -
WHEN THE SAINTS GO MARCHING IN ..................................................................................................................... - 46 -
SEMPLICETTA TORTORELLA – N. VACCAJ .................................................................................................................. - 47 -

ACRESCENTANDO MAIS DUAS NOTAS ............................................................................................................ - 48 -


PRATICANDO VI ............................................................................................................................................. - 50 -
FANFARE ....................................................................................................................................................... - 50 -
AVVEZZO A VIVERE - NICOLA VACCAJ .............................................................................................................. - 51 -
SAPO CURURU (M. LÚCIA CRUZ SUZIGAN) ............................................................................................................ - 52 -
PAVANE - RENASCENTISTA.................................................................................................................................. - 52 -
TRÊS RONDAS INFANTIS ................................................................................................................................. - 53 -
PEQUENA MELODIA ACOMPANHADA ....................................................................................................................... - 54 -
O CRAVO BRIGANDO COM A ROSA.................................................................................................................. - 55 -
N. VACCAJ Nº7 ............................................................................................................................................... - 56 -
SKYE BOAT SONG – LULLABY SONG..................................................................................................................... - 58 -
CORAL DA PAIXÃO DE JOHANN S. BACH .......................................................................................................... - 59 -
GIRASSOL (TOQUINHO E VINÍCIUS) ....................................................................................................................... - 60 -
MOTHER ATKINS ALE – MELODIA RENASCENTISTA .......................................................................................... - 61 -
LONG, LONG AGO ........................................................................................................................................... - 63 -
VOCALISE 1 – MÉTODO G. CONCONE 50 OP.9 ........................................................................................................ - 64 -
ANUNCIAÇÃO ................................................................................................................................................ - 65 -

DEDILHADOS.................................................................................................................................................. - 68 -

REFERÊNCIAS ................................................................................................................................................. - 71 -
P á g i n a | - 33 -

INTRODUÇÃO

Essa segunda parte da apostila, foi elaborada, com fins de ampliar os


conhecimentos já adquiridos na primeira parte. Nessa fase, estaremos
trabalhando os pentacordes das tonalidades de Dó maior e Fá maior. Com essa
nova extensão de notas na flauta doce, o aluno poderá realizar um repertório
mais rico melodicamente, com um discurso musical mais robusto e vasto. Para
além disso, essa segunda parte também é um desafio maior no estudo coletivo
de flauta doce, por trazer consigo, notas e dedilhados mais complexos.

OBJETIVO:

Geral: Desenvolver habilidades musicais, técnicas e expressivas


elementares ao instrumento, visando sua utilização como ferramenta
pedagógica para alunos iniciantes não tendo a obrigatoriedade de
trabalhar a flauta como instrumento principal (performance).

Específico: Exercitar a leitura de partitura tradicional (clave de sol) e o


dedilhado da flauta em melodias mais avançadas e complexas, acompanhadas
ao piano. Partindo inicialmente com três notas pertencentes aos dois
pentacordes que iremos trabalhar, Dó maior e Fá maior. Posteriormente, após a
absorção desses novos pentacordes, iniciaremos o estudo de escalas
diatônicas dessas tonalidades estudadas, Sol maior, Ré maior, Dó maior e Fá
maior. Finalizaremos essa segunda parte, trazendo mais uma nota (Sol
sustenido), que estará complementando uma nova tonalidade (Lá maior),
presente em algumas melodias que estaremos trabalhando. Essa tonalidade
(Lá maior) e outras serão extensivamente exploradas em outro momento.

A ideia principal desse material é trabalhar a leitura musical dos alunos de


forma que eles consigam tocar os exercícios propostos dessa apostila e
consequentemente adquirir habilidades técnicas no instrumento. Essa apostila
não tem o intuito de fomentar a elaboração técnica da flauta doce soprano
como instrumento de estudo especializado e voltado para a performance, e sim,
para o estudo como instrumento auxiliar e prática coletiva.
No decorrer da apostila, será exibida uma pequena bula com o dedilhado
das notas que serão utilizadas e sua grafia musical na pauta. Ao final da
apostila encontrasse um dicionário com o dedilhado de todas as notas da
extensão na flauta doce soprano.

Extensão dessa segunda parte e a extensão total de todas as notas


estudadas:
P á g i n a | - 34 -

APRENDENDO TRÊS NOTAS

Nessa segunda parte, temos como objetivo inicialmente trabalhar os dois


pentacordes restantes (Dó maior e Fá maior). Trabalharemos melodias com
as notas que conhecemos e enxertaremos essas novas notas.

DÓ grave FÁ SI bemol

Dedilhado com forquilha


Exercícios de Leitura:
P á g i n a | - 35 -

CINCO MELODIAS PARA PRATICAR


P á g i n a | - 36 -

Ihr Kinderlein Kommet

Tema Singelo
P á g i n a | - 37 -

FURUSATO

EXERCITANDO OS PENTACORDES AS ESCALAS

Estudo Complementar:
MICHELINI, Patrícia. Flauta doce barroca x germânica – dois dedos de prosa. lab.flauta,
2018. Disponível em: <http://labflauta.org/conteudo/>.
Vídeo complementar: Por que NÃO tocar uma flauta doce GERMÂNICA?
(Canal no Youtube; Falando de Flauta)
Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=lXfL5fH1sGA&t=54s>
P á g i n a | - 38 -

PRATICANDO IV
A CANOA VIROU (Folclore)
P á g i n a | - 39 -

AINDA NÃO COMPREI


P á g i n a | - 40 -

CINCO MELODIAS DO LIVRO CORALITO – Pra aprender a cantar (Thelma Chan)


P á g i n a | - 41 -

Atividade Complementar:
Praticar todos os pentacordes possíveis com as notas aprendidas e escrevê-los no caderno de
música.
Praticar as escalas pentatônicas de DÓ maior, RÉ maior, FÁ maior e SOL maior.
Escrever as escalas pentatônicas no caderno de música
Criar uma melodia para cada escala pentatônica acima estudada.
P á g i n a | - 42 -

FORMANDO AS ESCALAS
Acrescentando mais três notas

Até esse ponto da apostila, trabalhamos excessivamente os pentacordes


das tonalidades propostas. Agora, iremos aprender novos dedilhados que irá
proporcionar-nos uma extensão ainda maior da flauta doce, abrangendo as
escalas que objetivamos no início da parte dois desse material. Para a leitura
das próximas peças, precisaremos apender mais três notas que já
conhecemos, mas em uma nova região da pauta.

MI agudo FÁ agudo SOL agudo

Exercícios de leitura:

Leitura 15
P á g i n a | - 43 -

Leitura 16

Leitura 17
P á g i n a | - 44 -

Leitura 18

PRATICANDO V
ANUNCIAÇÃO (Alceu Valença)
P á g i n a | - 45 -

Das Klinget so herrlich – W. Amadeus Mozart


2

Penúltimo compasso, pode ser feito um pequeno trinado na nota SI e FÁ#, com o dedilhado
alternativo.

Melodia retirada da ópera A flauta mágica de Mozart, parte do coral de escravos:


Das klinget so herrlich, das klinget so schön! (Parece maravilhoso, parece tão bonito!)
Nie hab’ ich so etwas, gehört und gesehen. (Nunca tinha escutado ou visto coisa igual)
P á g i n a | - 46 -

SONG

MARIA SANTANA (Trad. Bispânica)

When the Saints Go Marching In


P á g i n a | - 47 -

Semplicetta Tortorella – N. Vaccaj


P á g i n a | - 48 -

Acrescentando mais duas notas


Estamos chegando ao fim dessa apostila, praticamos diversos dedilhados
e melodias, com o objetivo de executar leituras musicais e pequenos repertórios
na flauta doce soprano. Para então finalizarmos, estaremos inserindo ao nosso
repertório mais duas notas alteradas, que resultará na conclusão das escalas
propostas para essa apostila.
Inicialmente, aprendemos os pentacorde das quatro tonalidades iniciais,
(Sol Maior, Ré Maior, Dó Maior e Fá Maior) e consequentemente, ao longo do
percurso conseguimos formar algumas escalas como Fá Maior e Dó maior.
Para finalizar as escalas diatônicas de Sol Maior e Ré Maior, precisaremos
dessas duas novas notas. Vamos completá-las agora?

Dó sustenido Fá sustenido

Exercícios de leitura:

Leitura 19

Leitura 20
P á g i n a | - 49 -

EXERCITANDO AS ESCALAS

Pratique as escalas de forma gradativa

DICAS:

1. Utilize uma marcação externa para servir de apoio (metrônomo)


2. Comece com um andamento lento e gradativamente vá acelerando
3. Tente subverter as figuras de semínimas e faça variações rítmicas
sobre as notas
4. Trabalhe a agilidade dos dedos.
P á g i n a | - 50 -

PRATICANDO VI
FANFARE
P á g i n a | - 51 -

AVVEZZO A VIVERE - NICOLA VACCAJ

Para essa canção precisaremos aprender mais uma nota que ainda não
vimos, o sol sustenido, pois em um momento da música ela aparece de
forma bem rápida…
P á g i n a | - 52 -

SAPO CURURU (M. Lúcia Cruz Suzigan)

PAVANE - Renascentista
P á g i n a | - 53 -

TRÊS RONDAS INFANTIS


P á g i n a | - 54 -

Pequena melodia acompanhada


P á g i n a | - 55 -

O CRAVO BRIGANDO COM A ROSA


(Elvira Drummond vol.1)
P á g i n a | - 56 -
3

N. VACCAJ Nº7
P á g i n a | - 57 -
P á g i n a | - 58 -

SKYE BOAT SONG – Lullaby Song


P á g i n a | - 59 -

CORAL DA PAIXÃO DE JOHANN S. BACH


P á g i n a | - 60 -

GIRASSOL (Toquinho e Vinícius)


P á g i n a | - 61 -

MOTHER ATKINS ALE – MELODIA RENASCENTISTA


P á g i n a | - 62 -
P á g i n a | - 63 -

LONG, LONG AGO


P á g i n a | - 64 -

VOCALISE 1 – Método G. Concone 50 op.9


P á g i n a | - 65 -

ANUNCIAÇÃO
P á g i n a | - 66 -
P á g i n a | - 67 -
P á g i n a | - 68 -

DEDILHADOS
P á g i n a | - 69 -
P á g i n a | - 70 -
P á g i n a | - 71 -

REFERÊNCIAS

CHAN, Thelma. Coralito: pra brincar de cantar. São Paulo: Irmãos Vitale: Fermata Brasil, 2006.

CONCONE, G. Vocalises: op.12 – Ed. Max Spicker.

DRUMMOND, Elvira. Caderno preparatório – iniciação a flauta doce. Seis Rondas Infantis para
Flauta Doce e Piano. Vol. 1 e 2.

FRANK, Isolde Mohr. Pedrinho Toca Flauta. 1ed. Rio Grande do Sul: Ase editora Sinodal, v. 1
e 2, 1980.

GIESBERT, Franz J. Method for treble recorder. Los Angeles: Schott, 1950.

HERING, Harmônicas. Método de Flauta Infantil: Smilingüido. Santa Catarina: Luz e Vida.

KRIEGER, Edino. 20 Rondas Infantis em Forma de Canon. 2ed. Rio de Janeiro: LK produções
artísticas, 2008.

LACERDA, Osvaldo. Marilia de Dirceu: canto e piano. São Paulo: Ricordi Brasileira, 1965, p.16.

MAHLE, Ernst. As Melodias da Cecília. Flauta doce ou Oboé e piano. Piracicaba: Editora
gráfica da Universidade Metodista de Piracicaba.

MONKEMEYER, Helmut. Método para tocar la flauta dulce soprano o la flauta dulce tenor.
Germany: Moeck Verlag, 1966.

RAMIRES, Cíntia P. de L. Apostila de Flauta Doce. São Paulo, 2017. p. 6. Disponível em:
https://vdocuments.net/apostila-flauta-doce-anglo-prof-cintia.html. Acesso em: 10 de jun. 2020.

SCHREIBER, A. C. R. SIMIONATO, L. C., SCHREIBER, M. Doce Flautear: flauta

doce soprano. 2ed. Curitiba/PR: Cidade Musical, 2017.

SUZUKI, Shichini. Suzuki ViolinSchool. Vol I e II. ED Suzuki Method International.


P á g i n a | - 72 -