Você está na página 1de 11

1

ESTATUTO

GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA CANA

CAPÍTULO I
Da Denominação, Sede e Duração

Art. 1º - O GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA CANA, fundado em 29 de


NOVEMBRO de 2001, com sede e foro na cidades de Viçosa – MG, é uma associação de
direito privado,sem fins econômicos e lucrativos com duração por tempo indeterminado.

Parágrafo Primeiro: No desenvolvimento de suas atividades, o GRÊMIO RECREATIVO


ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA CANA, observará os princípios da legalidade,
impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e da eficiência e não fará qualquer
discriminação de raça, cor, gênero ou religião.
Parágrafo Segundo: O GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA CANA aplica
integralmente suas rendas, recursos e eventual resultado operacional na manutenção e
desenvolvimento dos objetivos institucionais no território nacional.

Parágrafo Terceiro: Em caso de dissolução da entidade, o eventual patrimônio


remanescente será destinado a uma entidade congênere devidamente registrada no cartório
de Títulos e Documentos e possuindo CNPJ.

Parágrafo Quarto: Para cumprir seu propósito a entidade atuará por meio da execução direta de
projetos, programas ou planos de ações, da doação de recursos físicos, humanos e financeiros, ou
prestação de serviços intermediários de apoio a outras organizações sem fins lucrativos e a órgãos
do setor público que atuam em áreas afins.
Parágrafo Quinto: A entidade não remunera, nem concede vantagens ou benefícios por
qualquer forma ou título, a seus diretores, conselhos, sócios, instituidores, benfeitores ou
equivalente, não distribui entre os seus sócios ou associados, conselheiros, diretores,
empregados ou doadores eventuais excedentes operacionais, brutos ou líquidos, dividendos,
bonificações, participações ou parcelas do seu patrimônio, auferidos mediante o exercício de
suas atividades.
Parágrafo Sexto: O presente Estatuto poderá ser reformado, a qualquer tempo, por decisão da
maioria absoluta dos sócios, em Assembléia Geral especialmente convocada para esse fim, e
entrará em vigor na data de seu registro em Cartório.

CAPÍTULO II
Das Finalidades

Art. 2º - São fins do GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA CANA:


1. Planejar, organizar e executar trabalhos que visem desfiles carnavalescos;
2. Promover recreações em diversas modalidades;
3. Executar a política de apoio esportivo sócio-cultural;
4. Produzir, agregar e difundir informações sobre as organizações da sociedade civil no Brasil e
no exterior, bem como de suas relações com os governos e com setor privado;
5. Produzir, agregar e difundir informações sobre as questões e temas de interesse para os
indivíduos e as organizações da sociedade civil no Brasil e no exterior, entre os quais programas
de geração do trabalho e renda, ações de prevenção e tratamento de saúde, educação, cultura,
2
esporte, saneamento, habitação, população em situação de risco, no Brasil e no exterior, assim
como fomentar estudos e pesquisas;
6. Apoiar, assessorar e treinar pessoas e/ou organizações voltadas para a promoção social das
áreas mais carentes da sociedade;
7. Produzir trabalhos escritos e audiovisuais, seminários, cursos, debates, conferências e
congressos sobre a atividade das organizações não governamentais e sem fins lucrativos no Brasil
e exterior, bem como suas relações com os governos e com o setor privado;
8. Promoção da assistência social;
9. Promoção da cultura, defesa e conservação do patrimônio histórico e artístico;
10. Promoção gratuita da educação e educação do consumidor;
11. Promoção da segurança alimentar e nutricional;
12. Defesa, preservação e conservação do meio ambiente e promoção do desenvolvimento
sustentável;
Promoção do voluntariado;
13. Promoção do desenvolvimento econômico e social e combate à pobreza;
14. Experimentação, não lucrativa, de novos modelos sócio-produtivos e Sistemas alternativos de
produção, comércio, emprego e crédito;
15. Coordenar e supervisionar as ações voltadas para a proteção ambiental;
16. Desenvolver atividades informativas e educativas, relacionadas aos problemas ambientais;
17. Apoio a projetos para finalidades beneficentes, educacionais ou culturais;
18. Apoio a projetos destinados a valorizar a cidadania, desenvolvimento social, cultura e o meio
ambiente;
19. Formação de agentes em prol da solidariedade;
20. Desenvolvimento da cultura da solidariedade;
21. Desenvolvimento e o bem-estar social das camadas mais necessitadas da população;
Nutrição;
22. Ações em apoio à educação formal ou informal comunitária e exercício da cidadania;
23. Projetos que visem auxiliar na eliminação do trabalho infantil e no combate à exploração sexual
e aos maus tratos de crianças e adolescentes;
24. Bem-estar público e alívio da pobreza;
25. Promoção da ética, da paz, da cidadania, da construção de novos direitos, do desenvolvimento
econômico e social de combate à pobreza, do voluntariado, da saúde gratuita, da educação
gratuita, da defesa e preservação do meio ambiente, da inclusão no esporte, na cultura, na dança e
na arte;
26. Desenvolvimento humano e social sustentável;
27. Promoção de recuperação de áreas degradadas, a limpeza e reciclagem de resíduos sólidos;
28. Promoção e incentivo a proteção das águas;

Parágrafo primeiro: a fim de cumprir sua finalidades, o GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE


SAMBA UNIDOS DA CANA poderá fazer parcerias, contratos,convênios e outros com órgãos
públicos e ou privados,municipais, estaduais e federais, bem como legados,subsídios,
doações, subvenções, e outros.

Art. 3º - O GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA CANA, não fará qualquer
discriminação no desempenho de suas atividades e deverá cumprir e fazer cumprir, pelos seus
associados todas as leis e regulamentos emanados da Entidade a que estiver filiada, bem como
participar das e festividades e ações promovidas pela mesma.

CAPITULO III
3
Do Patrimônio e dos Recursos financeiros

Art. 4°- Constituem patrimônio do GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA


CANA,:
I - os bens móveis, imóveis e direitos, livres de ônus, que lhe forem transferidos em caráter
definitivo por pessoas naturais ou jurídicas, privadas ou públicas, nacionais ou estrangeiras;
II - as doações, auxílios, heranças ou legados de pessoas naturais ou jurídicas, privadas ou
públicas, nacionais ou estrangeiras.
III – instituição poderá firmar convênios, contratos, parcerias e intercâmbios, promovendo
iniciativas conjuntas com organizações e instituições públicas e/ou privadas nacionais,
estrangeiras, internacionais e multilaterais, visando a realização de seus objetivos.

Art. 5°- Constituem recursos financeiros desta Associação:

I- as dotações orçamentárias que lhe forem anualmente consignadas;


II - as subvenções, auxílios ou quaisquer contribuições estabelecidas pela União, Estado ou
Município;
III - as arrecadações de fundos especiais;
IV - as rendas decorrentes da exploração de seus bens ou da prestação de serviços;
V - os saldos de exercício financeiro encerrado;
VI - as contribuições oriundas de convênios, acordos e contratos;
VII - os produtos de operações de crédito;
VIII - as ajudas financeiras de qualquer origem;
IX - quaisquer outros recursos que lhe forem destinados.

Parágrafo primeiro: Os recursos de que trata este artigo serão aplicados integralmente na
manutenção e desenvolvimento das atividades do GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE
SAMBA UNIDOS DA CANA e será garantido aos doadores que o desejarem, o sigilo de
identificação, a não ser por decisão da Diretoria mediante força judicial.

Parágrafo segundo: É vedada a distribuição de qualquer parcela, lucros, dividendos ou


participação no resultado, de seu patrimônio ou de suas rendas a título de lucro, entre os
membros e associados.

CAPITULO IV
Da Administração

Art. 6°- A Administração do GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA CANA,


será exercida pelos seguintes órgãos:
I – Assembléia Geral
II – Diretoria
III - Conselho Fiscal Executivo
CAPITULO V
Da Assembléia Geral

Art.7.º- A Assembléia Geral, órgão máximo do GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA


UNIDOS DA CANA instalada na forma do Estatuto, a fim de deliberar sobre matéria de interesse da
classe composta por todos os sócios quites com a tesouraria , maiores de 18 anos, e se reunirá
ordinariamente de 4 (quatro) em 4 (quatro) anos na 1ª quinzena do mês de janeiro, com a
finalidade de eleger e empossar a Diretoria e o Conselho Fiscal Executivo.
4

Parágrafo Único: A Assembléia Geral será ordinária ou extraordinária.

Art. 8º- A Assembléia Geral tem poderes para todos os assuntos que interessem ao GRÊMIO
RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA CANA,, bem como para tomar as decisões que
julgar convenientes à defesa desta e da classe do Ministério Público.

Art.9° - É da competência privativa da Assembléia Geral:


a) eleger e, se for o caso, destituir os membros da Diretoria e do Conselho Fiscal Executivo;
b) tomar, anualmente, as contas da Diretoria e deliberar a respeito;
c) discutir, para fins de aprovação ou recusa, o parecer do Conselho Fiscal Executivo;
d) suspender o exercício dos direitos dos associados, assegurada ampla defesa;
e) alterar ou reformar o Estatuto;
f) deliberar sobre qualquer outra matéria de interesse do GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE
SAMBA UNIDOS DA CANA,

Art. 10 - A convocação da Assembléia Geral far-se-á mediante correspondência pessoal ao


associado ou outro feito com antecedência mínima de 5 (cinco) dias de sua realização, pelo
Presidente Executivo.

Art. 11- A Assembléia Geral instalar-se-á, em primeira convocação, com a presença de 51/%
(cinqüenta e um por cento) dos associados em condição de voto, e, em segunda convocação, com
qualquer número.

Parágrafo Único: Para as deliberações a que se referem à destituição dos administradores e à


alteração do Estatuto, não poderão deliberar, em primeira convocação, sem a maioria absoluta dos
associados, porém , com quantos estiverem presentes nas convocações seguintes.

Art.12 - A sessão da Assembléia Geral será sempre aberta e presidida pelo Presidente Executivo
do GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DA CANA.

Art. 13- Serão admitidas na Assembléia Geral tão somente as presenças dos associados titulares
e contribuintes sendo vedado representantes por procuração.

Parágrafo Segundo: Antes de abrir-se a Assembléia Geral, presidida pelo Presidente Executivo os
associados lançarão seus nomes, seguidos de respectivas assinaturas, no livro de presença. cujas
deliberações da Assembléia Geral, ressalvadas os casos expressos em contrário, serão tomadas
por maioria de votos, não se computando os votos em branco.

Art. 14- A ata dos trabalhos e resoluções da Assembléia Geral será lavrada no livro de Atas, ou
digitadas e assinada pelo Presidente Executivo, secretário e sócios presentes.

CAPITULO VI
Da Assembléia Geral Ordinária

Art. 15 - A Assembléia Geral Ordinária reunir-se-á, anualmente, para tomar as contas da


Diretoria, examinar e discutir o parecer do Conselho Fiscal Executivo, sobre eles deliberando.

Art. 16- A Diretoria fará a convocação, comunicando que se acham à disposição dos associados:
a) o relatório da Diretoria sobre o exercício findo e os principais fatos administrativos;
b) parecer do Conselho Fiscal Executivo.
5

Art. 17- Instalada a Assembléia Geral Ordinária, proceder-se-á a leitura do relatório e documentos
contábeis a que fizer menção, bem como o parecer do Conselho Fiscal Executivo.

CAPITULO VII
Da Assembléia Geral Extraordinária

Art.18- A Assembléia Geral Extraordinária reunir-se-á em qualquer tempo, a critério da Diretoria,


do Conselho Fiscal Executivo.

Art. 19 - A Assembléia Geral Extraordinária que tiver como objeto a reforma do Estatuto, somente
se instalará em primeira convocação ou segunda convocação, com presença da maioria absoluta
dos associados com direito a voto, instalando-se, porém, em terceira convocação, com qualquer
número.
CAPITULO VIII
Da Diretoria
Art. 20 - A Diretoria compõe-se de por 3 (três) membros:
1 – Presidente Executivo
2 – Vice-Presidente
3 – Secretário-tesoureiro

Art. 21 - A Diretoria será eleita juntamente com o Conselho Fiscal Executivo para mandato
de quatro anos contados do dia da posse, convocada para este fim, em Assembléia Geral
Ordinária por votação ou aclamação, admitida à reeleição por igual período, apenas uma
vez consecutiva.

Art. 22 - A Diretoria reunir-se – á trimestral mente em dia e hora previamente indicados ou quando
convocada pelo Presidente Executivo ou por 1/3 (um terço) ou quantos estiverem presentes de
seus membros, para deliberar sobre assuntos de interesses da Entidade.

Art. 23 – No caso de vacância do cargo de Presidente Executivo, assumirá a Presidência o Vice-


presidente , a quem competirá a complementação do mandato.

CAPITULO IX
Das Atribuições da Diretoria

Art. 24 - Compete à Diretoria:


a) executar as deliberações da Assembléia Geral;
b) sindicar sobre os atos contrários aos interesses da associação;
c) resolver sobre as demissões e licenças solicitadas pelos seus membros;
d) aprovar as indicações de novos associados;
e) prestar contas, anualmente, à Assembléia Geral;
f) praticar todos os atos de livre gestão e resolver sobre todos os assuntos e interesses da
Associação;
g) suspender “ad referendum” da Assembléia Geral o exercício dos direitos dos associados, cujo
procedimento se tornar incompatível com a dignidade da classe, ou que deixar de cumprir as
disposições estatutárias, assegurando-lhes o direito de ampla defesa;
h) exercer as atividades específicas de suas funções;
i) expedir regulamento para o funcionamento das atividades sociais;
j) resolver sobre os casos omissos deste Estatuto.
6
l) instituir e manter os órgãos técnicos necessários, bem como organizar a Secretaria, tesouraria,
contabilidade, almoxarifado, arquivo, cadastro e todos os serviços que possam beneficiar a
Associação e seus associados;
m) Celebrar convênios e acordos com entidades congêneres e instituições públicas;
n)superintender as atividades sócio-recreativas, culturais, administrativas e financeiras da Sub-
sede;
o) adquirir bens e contratar serviços, ouvida a Diretoria.
p) Promover manifestações esportivas;
q) Promover manifestações sociais;
r) zelar pelo patrimônio da Associação;
s)promover manifestações de interesse coletivo dos associados.
t) Autorizar a aquisição de equipamentos;

Art. 25 – Ao Presidente Executivo compete:

1. Usar o voto de desempate quando necessário;


2. Representar a Associação em juízo e fora dele, ativa e passivamente, podendo delegar
poderes a um ou mais procuradores;
3. Convocar e presidir as reuniões da Diretoria e das Assembléias Gerais;
4. Abrir, rubricar e encerrar os livros da Associação;
5. Autorizar as despesas necessárias à manutenção da Associação;
6. Prover, interinamente, qualquer cargo que vier a vagar na Diretoria;
7. Resolver todos os casos omissos neste Estatuto depois de consultar os associados;
8. Assinar, com o secretário toda a correspondência da Associação;
9. Assinar com o tesoureiro, todos os cheques e demais papéis que importem em obrigações
sociais;
10. Usar o voto de desempate quando necessário;
11. Assinar escritura de aquisição e venda de bens da Associação, com o tesoureiro, após
aprovação da Assembléia Geral;
12. Admitir, demitir e nomear funcionários;
13. Presidir as reuniões da Diretoria
14. Convocar e presidir Assembléia Geral;
15. Rubricar todos os livros da Secretaria e da Tesouraria;
16. Proclamar todos os resultados das deliberações tomadas em sessão e assinar, com o
Secretário(a) as atas dos trabalhos, depois de aprovadas;
17. Sancionar, com a sua rubrica, todos os documentos e despesas autorizadas e autorizar as
despesas necessárias;
18. Assinar, com o Secretário e o Tesoureiro, os diplomas, contratos, procurações, cheques e
demais papéis que importem em responsabilidade;

Parágrafo Único: Em suas faltas ou impedimentos, o Presidente Executivo será substituído,


sucessivamente, pelos demais membros eleitos da Diretoria.

Art. 26 - Ao Vice-Presidente Compete:


a) substituir o Presidente Executivo em suas faltas ou impedimentos;
b) executar as atribuições delegadas pelo Presidente Executivo ou pela Diretoria.

Art. 27 - Ao Secretário-Tesoureiro Compete:

1. Lavrar e assinar atas das reuniões da Diretoria e Assembléias;


2. Fazer toda correspondência da associação;
7
3. Dirigir os trabalhos da secretaria, tendo a seu cargo o arquivo da Associação;
4. Manter em dia o registro de associados e controle de presença;
5. Encaminhar à Diretoria as propostas de associados;
6. Redigir e assinar convocação das Assembléias Gerais;
7. Redigir o relatório anual;
8. Substituir o Vice-Presidente nos seus impedimentos.
9. Assinar, com o Presidente Executivo, todos os cheques e saques em bancos, bem como
quaisquer documentos expedidos pela tesouraria;
10. Escriturar, em forma contábil, o livro-caixa;
11. Efetuar, mediante comprovantes, os pagamentos determinados pelo Presidente Executivo;
12. Manter depositados, em estabelecimento oficial de crédito, os valores da Associação;
13. Assinar escrituras de aquisição e venda de bens da Associação, juntamente com o Presidente
Executivo, desde que autorizados em Assembléia Geral;
14. Submeter trimestralmente à Diretoria, e anualmente à Assembléia Geral, um relatório
pormenorizado da situação financeira da Associação;
15. Planejar o orçamento anual, bem como, as contribuições dos associados.

Parágrafo Único: quaisquer outros cargos serão indicados e nomeados pelo Presidente a
constar em ata pelo mesmo período de mandato do Presidente.

CAPÍTULO X
Do Conselho Fiscal Executivo

Art. 28 - O Conselho Fiscal Executivo será composto de 3 (três) membros efetivos,maiores de


18 anos:

a) Presidente
b) Vice-Presidente
c) Secretário

Art. 29- Ao Conselho Fiscal Executivo compete:


a)examinar, a qualquer tempo, pelo menos de 3 (três) em 3 (três) meses, os livros e papéis da
Associação, o estado do caixa e patrimônio sociais, devendo os Diretores fornecer-lhes as
informações solicitadas;
b) lavrar no Livro de Atas e Pareceres do Conselho Fiscal Executivo.;
c) apresentar à Assembléia Geral Ordinária parecer sobre as operações sociais de cada ano,
tomando por base o inventário, o balanço das contas dos Diretores;
d) denunciar as irregularidades, porventura apuradas, sugerindo as medidas que julgar
necessárias à Associação;
e) convocar a Assembléia Geral Ordinária, se a Diretoria retardar por mais de um mês a sua
convocação e a extraordinária sempre que ocorrerem motivos graves e urgentes;
f) Dar parecer sobre o relatório anual e balanço da gestão da Diretoria;
h) Eleger e empossar a Diretoria e Conselho Fiscal Executivo, bem como, preencher as vagas que
se derem durante o ano social;
i) Aprovar e reformar o estatuto da Associação;
J) Resolver sobre os casos omissos;
l) Cumprir e fazer cumprir as leis, regulamentos e decisões das Entidades Superiores;
m) Aprovar a receita e despesa anual da Associação;
n) Administrar a Associação em caso de demissão coletiva da Diretoria, providenciando para
eleger e empossar a nova Diretoria, no prazo de 30 (trinta) dias.
8
CAPÍTULO XI
Dos Associados

Art. 30 - A Associação compõe-se das categorias de sócios a saber:


a) Fundadores: os participantes da Assembléia Geral de constituição da Entidade que assinam a
ata de Associação.
b) Efetivos: os inscritos e contribuintes regulares
c) Colaboradores: os merecedores desse título por prestarem relevantes serviços ou efetuarem
significativas doações à Associação.

Art. 31 - Os associados serão excluídos da Associação:

a) pela morte;
b) a pedido através de ofício;
c) por descumprimento reiterado do Estatuto;
d) por conduta incompatível, indigna ou flagrantemente contrária aos interesses da Associação;
e) por atraso no pagamento da mensalidade, quando superior a 1 (um) ano;
f) for condenado pelos Tribunais do país, por crime contra a honra, a vida e a propriedade;
g)Por seu mau comportamento, dentro e fora do recinto da Associação, venha a prejudicar, seus
interesses;
h) Desrespeitar os membros da Diretoria ou ordens de seus superiores;

Parágrafo Único: Os Associados não respondem pelas obrigações contraídas pela Associação
sendo, apenas, responsável pela jóia, mensalidade e subscrição de título ou compromissos que
tenham assumido por documento.
CAPÍTULO XII
Dos Direitos e Deveres dos Associados

Art. 32 - São direitos dos Associados:


1. Votar e ser votado;
2. Participar das atividades da entidade e usufruir das vantagens decorrentes de suas realizações;
3. Examinar, a qualquer tempo, os livros e arquivos da Associação;
4. Denunciar ao Conselho Fiscal Executivo ou à Diretoria qualquer irregularidade constatada;
5. Impetrar recurso ao Conselho Fiscal Executivo, dos atos praticados ou decisões proferidas pela
Diretoria.
6. Fazer-se representar nas reuniões, por procuração, com direito de voz e voto, quando
impossibilitados em comparecer, através de procuração específica, com firma reconhecida, na
forma de uma única procuração por procurador, para cada situação.
7. Participar das Assembléias Gerais Ordinárias e Extraordinárias da, discutindo seus assuntos e
podendo fazer proposições.
8. Participar com seus familiares das atividades sociais promovidas pela Associação.

Art. 33 – Somente terão direitos a votar e serem votados nas Assembléias Gerais, os sócios
maiores de 18 anos, com pelo menos 3(três) meses de associado e, quites com a tesouraria.

Art. 34- As propostas para a admissão de sócios, serão feitas por escrito e apresentadas à
Diretoria, que depois de aprová-las expedirá a respectiva comunicação e carteira de associado, de
conformidades com a categoria estatuária.
9
Parágrafo Único: As propostas deverão conter os seguintes dados do proposto:
nome,assinatura , estado civil, data de nascimento, nacionalidade, sexo, profissão, endereço
residencial e assinatura do sócio proponente.

Art. 35 – São deveres dos Associados:


1. Cumprir e fazer cumprir o presente Estatuto, as deliberações da Diretoria e das Assembléias;
2. Pagar as mensalidades sociais nos prazos estabelecidos;
3. Exercer os cargos ou comissões para os quais forem eleitos ou nomeados, salvo por motivo
justificado;
4. Zelar pela conservação dos bens da Associação;
5. Participar das solenidades cívicas em que a Associação tomar parte;
6. Cumprir rigorosamente, as disposições dos presentes estatutos e regimento interno da
Associação, bem como as leis e regulamentos das entidades superiores;
7. Dirigir à Diretoria qualquer proposta ou reclamação que visem o progresso e o bom nome da
Associação;
8. Comparecer às sessões da Assembléia Geral e portar-se de modo conveniente;
9. Pedir por escrito, à Diretoria, licença ou demissão quando deixar a Associação ou ausentar a
fim de evitar que seja eliminado por falta de pagamento;
10. Apresentar o recibo de quitação para ingressar nas dependências da Associação.

Parágrafo único: O sócio suspenso não fica isento de pagamento de sua mensalidade, sendo-
lhe, entretanto, vedada a entrada na sede.

CAPÍTULO XIII
Do processo Eleitoral

Art. 36 – As eleições e posse da Diretoria e do Conselho Fiscal Executivo, realizar-se-ão de 4


em 4 anos, na 1ª(primeira) quinzena do mês de janeiro, em Assembléia Geral, convocada
pela Diretoria sendo vedado o direito de procuração.

Art. 37– O Edital de convocação será divulgado com 10(dez) dias de antecedência, afixado no
mural da Sede da Associação ou por intermédio de veículos de comunicação.

Parágrafo Primeiro: No edital deverá constar:


a) data da eleição;
b) prazo para inscrição dos candidatos;
c) nome do Presidente Executivo.

Parágrafo Segundo: Os candidatos serão associados fundadores ou efetivos, integrantes da


Associação há mais de 2(dois) ano, em dia com a tesouraria e deverão estar inscritos nas chapas
que serão obrigatoriamente cadastradas na Associação.

Parágrafo Terceiro: Cada chapa deverá indicar candidato para todos os cargos da Diretoria e do
Conselho Fiscal Executivo com seus suplentes, não podendo o mesmo candidato figurar em dois
ou mais cargos ao mesmo tempo, dentro da mesma chapa, ou candidatar-se por chapas diversas,
mesmo que em distintos cargos.

Art. 38 – As decisões da Assembléia Geral serão tomadas por maioria de votos e poderá ser feita
por aclamação.
10
Art. 39 - Ao proceder a eleição, será feita, pelo secretário, a chamada dos presentes por ordem
de assinatura do livro de presença do Conselho Fiscal Executivo, os quais irão depositando nas
urnas as respectivas cédulas.

Art. 40 - A Ata do Conselho Fiscal Executivo será assinada pelo Presidente da mesa e
respectivo Secretário, bem como, pelos escrutinadores, quando houver eleição e pelos presentes.

CAPITULO XIV
Disposições Gerais

Art. 41 - A Associação poderá ser dissolvida somente por motivos de dificuldades insuperáveis,
por deliberação de pelo menos 2/3 (dois terços) de sócios quites presentes de uma Assembléia
Geral extraordinária, convocada expressamente para esse fim e, de cuja sessão, obrigatoriamente
deverá fazer presente o quorum estabelecido.

Art. 42 - A Associação festejará, condignamente, o seu aniversário a cada ano, no dia 29 de


novembro.

Art. 43 - Todo material de expediente da Associação, excetuando-se o de uso interno, deverá ter
impresso o nome da mesma, a data de sua Associação, a qualificação necessária à sua
identificação.

Art. 44 - Os presentes estatutos entrarão em vigor depois de devidamente registrados em


Cartório de Títulos e Documentos.

Viçosa, 31 de agosto de 2009.

___________________________________________________________
Presidente Executivo : Rilene Geraldo Acácio
CPF: 553.290.636-04
RG: M – 6.562.694
Endereço: Rua Santana 515 - Centro
36570-000 – Viçosa – MG

___________________________________________________________
Vice-Presidente: Geraldo Ovídio Gonçalves
CPF: 976.452.818-04
RG: M-4.310.098
Endereço: Rua Aimorés 137 - Centro
36570-000 – – Viçosa – MG

__________________________________________________________
Secretária-tesoureira: Poliana Maria da Costa Acácio
CPF: 087.133.906-43 RG: MG MG-15.189.291
Endereço: Rua Álvaro Gouveia 552 – Fundos - Centro
36570-000 – Viçosa – MG
11
Conselho Fiscal Executivo

_________________________________________________________
Presidente: Walace Augusto da Costa Antero
RG: MG- 17.317.707
Endereço: Rua Santana 515 - Centro
36570-000 – Viçosa – MG

_________________________________________________________
Vice-Presidente: Francisco José Ferreira de Sales
CPF: 094.341.406-76
Endereço: Rua Santana 438 – Centro
36570-000 – Viçosa-MG

_________________________________________________________
Secretária: Patrícia Sabrina da Costa Acacio
CPF: 089.334.906-20
Endereço: Rua Álvaro Gouveia 552 - Centro
36570-000 – Centro – Viçosa - MG