Você está na página 1de 15

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ – CAMPUS SOBRAL

CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA


DISCIPLINA: ELETRÔNICA ANALÓGICA
PROFESSOR: ANDRÉ DOS SANTOS LIMA

PRÁTICA Nº 3
RETIFICADORES A DIODOS

ALUNOS
Gabriel Dias 385513
Joao Pedro da Silva Rodrigues 385528

Sobral – CE

2019
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO...................................................................................................... 3

2. OBJETIVO............................................................................................................. 4

3. MATERIAL UTILIZADO .................................................................................... 4

4. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL ................................................................ 5

5. QUESTIONÁRIO................................................................................................... 12

6. CONCLUSÃO........................................................................................................ 15

7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................................................................... 15


1. INTRODUÇÃO

Diodo semicondutor não é nada mais que um componente semicondutor


composto por cristais de silício ou germânio, podendo ser dopados com gases nobres
diferentes, surgindo assim a diferenciação entre diodos do tipo N e P. Em relação à
polarização, os diodos podem ser de polarização direta ou inversa. Tais diferenciações
consistem em alimentar ou o polo denominado de ânodo ou o polo denominado de
cátodo. Outra forma de diodos são os diodos zener, que são fabricados para trabalhar
com polarização reversa, de maneira que quando a tensão de ruptura do diodo zener é
atingida, a mesma permanece constante independente da corrente que passa pelo diodo,
sendo utilizado assim, como regulador de tensão. Os diodos comuns, por terem a
característica de condução de corrente em um único sentido, podem ser usados para
fazer chaveamento da energia elétrica, executando a função de retificação de sinais
senoidais.

Existem circuitos de retificação comumente conhecidos, como os circuitos


retificadores de meia onda, circuito retificadores de onda completa e circuito
retificadores em ponte. O circuito retificador permite que uma tensão ou corrente AC
seja retificada, sendo transformada em contínua. Eles podem ser controlados ou não-
controlados. Os circuitos controlados usam tiristores.
2. OBJETIVOS

. Conhecer o funcionamento dos diodos;

. Montar as topologias de retificadores (meia onda e onda completa);

. Comparas as topologias experimentalmente.

3. MATERIAS UTILIZADOS

. Placa protoboard;

. Resistor de 100Ω;

. Osciloscópio digital;

. Alicate medidor de corrente;

. Cabos banana;

. Diodos;

. Transformador de tensão;
4. PARTE PRÁTICA E RESULTADOS

Na primeira parte da prática, é montado um circuito retificador de meia onda


com center tap. O sinal senoidal, após ser transformado de 220V para 12V, passa por
um diodo polarizado diretamente, permitindo apenas a passagem do semiciclo positivo
da senoide, retificando o sinal. O retificador começa a funcionar quando a tensão de
entrada ultrapassa a tensão do diodo, que até esse momento não conduz corrente,
funcionando como uma chave aberta. Após passar pelo diodo, a tensão de entrada sofre
uma queda em seu valor, que pode variar de acordo com o material do qual é feito o
diodo. Vemos pela imagem 1 que o fio abraçado pelo alicate medidor de corrente está
enrolado em três voltas, para fornecer uma corrente maior no osciloscópio e de melhor
observação no mesmo.

Gráfico 1 – sinal senoidal após passar pelo diodo.

Fonte: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Retificador_de_meia_onda#/media/Ficheiro:Waveform_halfwave_rectifier.png>.

Imagem 1 – circuito retificador de meia onda.

Fonte: autor.
Como estudado, a finalidade do center tap é dividir a diminuir a tensão de
entrada a cerca de metade do seu valor. Com o circuito montado, obtêm-se os seguintes
valores no osciloscópio:

. V0 = 7.05v;

. Vmédia = 5.40V;

. Vrms = 8,38V;

. Vp = 17,6V

. Imédia = 114mA;

. Irms = 256mA;

. Ip = 640mA.

Abaixo, vê-se as ondas de tensão e corrente no osciloscópio.

Imagem 2 – formas de onda de tensão e corrente do circuito da imagem 1.

Fonte: autor.
A segunda parte da prática consiste em montar um circuito retificador de onda completa
com center tap. Um retificador de onda completa consiste em dois retificadores de meia
onda voltados um para o outro, com um controlando a parte positiva da senoide de
tensão de entrada, e o outro, a parte negativa. Devido a presença do center tap, cada
circuito do diodo recebe apenas metade da tensão do secundário do transformador.

Gráfico 2 – sinal senoidal após retificação completa.

Fonte: <https://athoselectronics.com/circuitos-retificadores/>.

Imagem 3 – circuito retificador de onda completa.

Fonte: autor.
Após a montagem do circuito acima, obtêm-se os seguintes valores:

. Vo = 17.2V;

. Vmédio = 10.1 V;

. Vrms = 11,3V;

. VDRMS = 7,05V

. Ip = 960mA;

. Imédio = 426mA;

. Irms = 487mA.j

Abaixo, vê-se as ondas de tensão e corrente no osciloscópio.

Imagem 4 – formas de onda de tensão e corrente do circuito da imagem 3.

Fonte: autor.

A terceira e última parte da prática consiste na montagem de um circuito retificador de


onda completa em ponte. Com esse tipo de circuito, não há necessidade do uso do
center tap e são utilizados quatro diodos. Uma desvantagem desse circuito retificador é
a queda de tensão inicial maior, devido a utilização de quatro diodos porém, tem como
vantagens a saída em onda completa e uma tensão de pico igual a tensão do secundário,
fazendo com que esse tipo de circuito seja o mais popular dos circuitos retificadores.

Imagem 5 – esquema do circuito retificador em ponte.

Fonte: <https://www.wikiwand.com/pt/Retificador_de_onda_completa>.

Imagem 6 – circuito retificador de onda completa em ponte.


Fonte: autor.

Após a montagem do circuito mostrado na imagem 6, obtemos os seguintes resultados


no osciloscópio:

. VP = 16.4V;

. Vmédio = 9.73V;

. Vrms = 11V;

. VP = 18V;

. Vmédio = 9.73V;

. Vrms = 11V;

. Irms = 381mA;

. Imédio = 20.4mA;

. Ip = 720mA;

. Vdp = 18V;
. Vdrms = 8.32V;

. Vdmédio = 4.39V;

. Idrms = 261mA;

I = 568mA.
. dp

Abaixo, observa-se as ondas de tensão e corrente no osciloscópio.

Imagem 7 – formas de onda de tensão e corrente do circuito da imagem 6.

Fonte: autor.

5- QUESTIONÁRIO

A) Explique a principal diferença observada nos circuitos montados. Cite as


principais vantagens/desvantagens de cada topologia.

O circuito retificador de meia-onda apresenta apenas um diodo. A principal


vantagem dessa topologia consiste em apresentar poucos componentes. No entanto,
pode ser apontada como principal desvantagem justamente o uso de apenas um
semiciclo da tensão fornecida. Retificadores de meia-onda criam ruído na rede de força
e prejudicam a eficiência do serviço de distribuição como um todo.

No caso do circuito retificador de onda completa, um transformador é usado para


inverter um dos semiciclos para que possa ser retificado em serviço de meia onda.
Assim, com dois retificadores de meia-onda operando defasados, obtém-se uma
retificação de onda completa. Neste circuito o problema da queda de tensão no diodo
fica minimizado. Existe também uma economia de componentes, já que são necessários
apenas dois diodos. Uma desvantagem deste circuito em relação aos anteriores é a
exigência de um transformador com tomada central., que costumam ser um pouco mais
caros que os de enrolamento simples.

O circuito retificador de onda completa em ponte, por sua vez, apresenta quatro
diodos. A ponte retificadora é uma forma de se conseguir aproveitar os dois semiciclos
da tensão usando um transformador simples. Uma vantagem óbvia dessa topologia em
relação ao retificador de meia-onda consiste em aproveitar os dois semiciclos da rede, o
que torna a filtragem muito mais simples e eficiente. Também há um certo grau de
isolamento dos estágios anteriores pela ponte, permitindo seu uso em conexões diretas
na rede com relativa segurança. A desvantagem da ponte aparece na queda de tensão no
retificador. Cada vez que a corrente atravessa um diodo, ocorre uma queda de tensão.
Nos retificadores de silício esta queda é de aproximadamente 0,7V. Para o caso da
ponte, cada semiciclo irá atravessar dois diodos, dando uma queda de 1,4V. Na maior
parte das aplicações essa queda não é um problema, sendo preocupante apenas quando
se trata de tensões abaixo de 10V. No entanto, isso muda para retificadores a válvula.
Válvulas retificadoras apresentam quedas de tensão altas, da ordem de 20V até 60V,
inviabilizando o uso da ponte retificadora com válvulas por ficar muito ineficiente.

B) Quais as observações que foram feitas com relação à tensão e corrente sobre os
diodos nas duas topologias? Os valores de tensão médias, rms, e de pico estão de
acordo com a teoria apresentada em sala de aula? Demonstre matematicamente
os cálculos e compare com valores medidos.

Fórmulas:

Tensão de saída máxima para o retificador de meia onda:

V o =V i √ 2−V γ

V
V rms = (Valor Eficaz )
2

Vo
V media = (Valor Médio)
π

Tensão de saída máxima para o retificador de onda completa:

V o =V i √ 2−V γ

V
V rms = (Valor Eficaz )
2
Vo x2
V media = (Valor Médio)
π

Tensão de saída máxima para a ponte retificadora:

V o =V i √ 2−V γ

V
V rms = (Valor Eficaz)
√2
Vo x2
V media = (Valor Médio)
π

Sendo: V i=12 V e V γ =0,7 V

Valores calculados:

Parte A) Vo=16,27V, Vrms=8,14V, Vmedia=5,17V

Parte B) Vo=16,27V, Vrms=11,5V, Vmedia=10,35V

Parte C) Vo=15,57V, Vrms=11V, Vmedia=9,91V

Comparando os valores calculados com os valores medidos, mostrados na seção


anterior, pode-se notar que os valores ficaram bastante próximos.

C) Explique resumidamente e com suas palavras o comportamento de tensão e


corrente sobre os diodos nas topologias.

No caso do retificador de meia-onda, como existe apenas um diodo, haverá apenas uma
queda de tensão de um valor aproximado de 0,7 V (no caso de diodos de silício), assim
como no caso do retificador de onda completa, já que apenas um dos dois diodos
conduzem. No caso da ponte retificadora, dois diodos conduzem de cada vez, sendo a
queda de tensão no diodo de 1,4 V.

D) Pesquise a respeito do componente tiristor (SCR). Descreva resumidamente com


suas palavras a respeito de sua construção, operação, semelhanças e diferenças
comparado ao diodo e aplicação.

O retificador controlado de silício é um componente eletrônico semicondutor de


quatro camadas pertencente à família dos tiristores. Ele é composto, geralmente, por três
terminais, sendo dois deles o ânodo e cátodo, e um terceiro (usado para controle),
denominado gatilho, em que se aplica um pulso provocador do "disparo" do dispositivo.
A sua estrutura é o que diferencia este dispositivo dos diodos, pois lhe conferem
propriedades bem definidas. Quando o SCR opera como elemento retificador, o disparo
do dispositivo é geralmente sincronizado com a forma de onda da CA que está sendo
retificada em um determinado ângulo determinado previamente pelo projetista. Para a
manutenção do SCR, é preciso uma corrente mínima. Após ser disparado, o SCR
continuará em condução até sua corrente se tornar menor do que a corrente de
manutenção, ocasionando, assim, seu desligamento. Não estando em condução, até que
ocorra um novo disparo, o SCR recebe toda a tensão existente na entrada entre os
terminais de ânodo e cátodo. Existem diversos tipos de SCR, sendo os mais comuns os
do tipo P-N e o N-P-N-P.

6- CONCLUSÃO

Com a presente prática, foi possível o observar o funcionamento real dos


circuitos retificadores, tanto de meia-onda como de onda completa. Desse modo, foi
possível observar na prática o comportamento desses circuitos e comparar com os
resultados medidos com os teóricos. Foram medidos as tensões e correntes no resistor e
nos diodos, foi observado, por exemplo, que a corrente média nos diodos na segunda
topologia é metade da corrente média no resistor.

7- REFERÊNCIAS

[1] Retificador de Onda Completa. Wikipedia. Disponível em


<https://pt.wikipedia.org/wiki/Retificador_de_onda_completa>. Acessado em: 13 de outubro
de 2019.

[2] Circuitos Retificadores. Disponível em: <https://athoselectronics.com/circuitos-


retificadores/>. Acessado em: 13 de outubro de 2019.
[3] Diodos Rectificadores. Disponível em <https://www.electronica-pt.com/diodos-
rectificadores>. Acessado em: 13 de outubro de 2019.

[4] Retificador Controlado de Silício. Wikipedia. Disponível em <


https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Retificador_Controlado_de_Sil%C3%ADcio>. Acessado em: 13
de outubro de 2019.

[5] Topologia. Disponível em <https://www.nartlof.com/Retificadores_Tipos.aspx>. Acessado


em: 13 de outubro de 2019.

Você também pode gostar