Você está na página 1de 3

UFMS – Campus de Aquidauana obra, o sentido.

Uma vez que leitores lêem de maneira diferente, possuem


Disciplina = Teoria da Literatura I diferentes conhecimentos de mundo, além de diferentes contextos sociais, as
Prof. Msc. Nilza Lemos obras possuem uma diversidade de sentidos. Assim, o significado pode ser mais
MESQUITA, Samira Nahid de. O enredo. São Paulo: Ática, 1986. ou menos transparente.
A organização de um enredo, os sentidos ocultos variam para cada leitor,
CAPÍTULO 01 – CONSIDERAÇÕES GERAIS em cada época, e geram diferentes significações.

Enredo e história = Sentido essencial de arranjo de uma história, com Enredo e realidade = Cada sociedade produz a ficção de que necessita. Assim,
apresentação/representação de situações, de personagens nela envolvidos e as o enredo está ligado à vida social dos grupos, em todas as atividades
sucessivas transformações que vão ocorrendo entre elas até o seu desfecho. significantes que acompanham o homem desde o seu nascimento.
Contém uma história = é o corpo da narrativa.
Enredo e narração = Histórias, fábulas, matérias narradas podem ter sua
Enredo e mito = Cada evento narrado possui uma significação e se articula existência de forma autônoma e anterior à estruturação da obra literária, mas
de forma lógica, de maneira inter-relacionada, remetendo a um significado de uma vez que faz parte dela, integra sua estrutura interagindo com o discurso que
ordem geral, cósmica e universal. A transmissão oral dos mitos, com a narra.
presença de um narrador e de um ou mais ouvintes motivam a sua Conforme a ordenação dos fatos e situações narradas, o enredo pode
multiplicidade e a sua diversificação. apresentar uma organização linear (começo, meio e fim) conforme a causalidade
(fatos ligados pela relação de causa e efeito) e verossimilhança. Também pode
Enredo e gênero = Enredo desenvolve-se em romances, contos, novelas, em apresentar uma organização subversiva de suas formas.
prosa, poesia, teatros, filmes, histórias em quadrinhos e até mesmo na música.
Não há como separar a relação enredo/narrativa. Enredo e linguagem = Literatura é um trabalho de linguagem, que vincula
O enredo enquanto categoria estruturante da narrativa de ficção em realidade e ficção. O ato de escrever é que suscita e agencia os signos, criando
prosa, compreendendo tudo o que compõe o plano de ação, as transformações significações. Leitura e escrita são operações complementares, necessárias e
das situações que se sucedem, na ordem/desordem em que são apresentadas. indispensáveis de forma recíproca. Os textos escritos podem ser:
a) Transparentes = textos com linguagem “natural”, dentro dos padrões
Enredo e sentido = A composição material que constitui a obra é o texto. usuais.
Com base nas palavras utilizadas pelo autor, o leitor constrói o significado da b) Opacos = texto com linguagem elaborada, estranha aos padrões.
Enredo Psicológico = Os fatos narrados nem sempre são evidentes, não O que se narra: o universo representado
equivalendo a ações concretas dos personagens, mas sim aos fatos Trata-se da materialidade do espaço físico (mundo vegetal, mineral,
emocionais do autor que compõem o enredo psicológico animal, pessoas, objetos), em seu inter-relacionamento, em diferentes
significações, nas situações em que o mundo é apresentado pelo discurso do
CAPÍTULO 02 – O ENREDO ENQUANTO ESTRUTURAÇÃO DA narrador.
NARRATIVA
Partes do Enredo
A questão da terminologia 1) Exposição = Introdução ou apresentação. Coincide com o começo da
As formulações propostas para o estabelecimento de uma história, onde são apresentados os fatos iniciais, as personagens, o
terminologia adequada, capaz de categorizar o estudo da narrativa, ocorre tempo e o espaço.
desde os gregos.
2) Complicação = Desenvolvimento. Onde o conflito se desenvolve.
De um modo geral podemos dizer que a narrativa é o ato verbal de
3) Clímax = Momento de maior tensão da história. Ponto de referência
apresentar uma situação inicial, que passa por várias transformações até
para as outras partes do enredo.
chegar a uma situação final. Essas transformações ocorrem por conta dos
4) Desfecho = Conclusão. Solução dos conflitos, sendo boa ou má, feliz
acontecimentos, fatos, vivências, episódios e até pelos diferentes estados
ou não.
psicológicos de uma personagem.

CAPÍTULO 03 – COMO SE NARRA


O que se narra: a história
O enredo é a própria estruturação da narrativa, o produto das relações
O discurso que narra
entre a matéria narrada, a ação da narrativa, a sucessão e a transformação das
Importante salientar que a divisão da matéria narrada, da história tem
situações e dos fatos narrados.
apenas uma finalidade didática para o estudo do enredo. História, ação e discurso
são elementos interdependentes, assim como enredo, trama e intriga. A narrativa
O que se narra: o núcleo dramático
ordena os fatos narrados, decidindo a perspectiva a partir do qual se focaliza a
É o gerador das ações das personagens, em torno do qual podem-se
matéria narrada.
gerar outros conflitos. Dependendo da motivação do núcleo dramático
A ação desenvolve-se a medida em que as situações vão se modificando,
pode-se caracterizar o enredo côo de amor, de aventura, de mistério, ...
podendo ocorrer sem interrupções ou através de descrições que podem atrasá-la.
• Ações que atrasam o fluxo da ação: Ao ler um texto, um leitor real também é considerado um autor, pois
- Digressão = desvio da sequência da narrativa pelo discurso. O insere ao enredo sua experiência de vida, relacionando-a com o que está lendo.

discurso pode se apresentar na forma de reflexões, diálogos, opiniões,


considerações filosóficas, ...
- Micro-narrativas encaixadas
- Analepses = retrospectivas e antecipações
• Ações que aceleram o fluxo da ação:
- Diálogos = discurso direto torna a narrativa mais rápida, pela
ausência do intermédio do narrador.

Quem narra
O narrador é a voz que articula a narração, sujeito da enunciação, tão
ficcional quanto qualquer outro personagem.
• Narrador Autodiegético = O narrador em 1ª pessoa (protagonista),
apresenta-se e conta suas experiências.
• Narrador Homodiegético = Narrador em 1ª pessoa participa da
história, mas não é o personagem principal.
• Narrador Heterodiegético = Narrador em 3ª pessoa pode ou não
comentar, avaliar ou dirigir-se ao leitor. Está fora da história.

A quem se narra
Qual a relação entre um texto e o seu destinatário? Narrativas são
destinadas para um leitor virtual, situado no plano ficcional. Não deve ser
confundido com o leitor real, que lê a narrativa.