Você está na página 1de 16

DIRETORIA TÉCNICA

GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT

NORMA TÉCNICA
NT- 007A/2005 R-02

ILUMINAÇÃO PÚBLICA
PREFEITURA MUNICIPAL DE FORTALEZA

DEPARTAMENTO DE NORMAS E PROCEDIMENTOS


DOCUMENTO NORMATIVO
Código
NORMA TÉCNICA NT- 007A
Página
I
ILUMINAÇÃO PÚBLICA - PREFEITURA Revisão

MUNICIPAL DE FORTALEZA 2
Emissão
AGO/2005

INTRODUÇÃO

O serviço de Iluminação Pública de Fortaleza está a cargo da Prefeitura Municipal,


cabendo a COELCE fornecer energia elétrica necessária ao abastecimento da iluminação,
mediante aplicação da tarifa correspondente.

Nesta Norma Técnica são apresentadas orientações e recomendações à Prefeitura de


Fortaleza quanto à Elaboração do Projeto, Execução da Obra, Manutenção e quanto ao uso dos
equipamentos de iluminação pública, a fim de que seja adotado, em cada caso, a melhor solução
técnica e econômica para o município e sua população.

A presente NT 007A R02 / 2005 Adendo 1 substitui a NT 007A/2003 – Adendo 1

Elaboração:
José Deusimar Ferreira

Colaboradores:
Antonio Régis Alves Guimarães
Antonio Ribamar Melo Filgueira
Francisco das Chagas Andrade
Leonardo de Paula Guimarães
Ranier de Souza Lima

Apoio:
Ítalo Romeiro Wanderley
Código
NORMA TÉCNICA NT- 007A
Página
I
ILUMINAÇÃO PÚBLICA - PREFEITURA Revisão

MUNICIPAL DE FORTALEZA 2
Emissão
AGO/2005

INDICE

1 OBJETIVO .................................................................................................................................... 1
2 DEFINIÇÕES................................................................................................................................. 1
2.1 CARGA INSTALADA ....................................................................................................................................... 1
2.2 REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DE FORTALEZA .............................................................................................. 1
2.3 FATOR DE POTÊNCIA .................................................................................................................................... 1
2.4 PLANTA DE SITUAÇÃO ................................................................................................................................... 1
2.5 REDE DE DISTRIBUIÇÃO ................................................................................................................................ 1
2.6 PONTO DE ENTREGA DE ENERGIA PARA ATENDIMENTO À DE REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ........................... 1
2.7 ILUMINAÇÃO PÚBLICA - IP............................................................................................................................. 1
2.8 PROJETO DE AMPLIAÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ........................................................................................ 1
2.9 PROJETO DE REFORMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ........................................................................................... 1
2.10 MANUTENÇÃO ............................................................................................................................................ 1
3 DISPOSIÇÕES GERAIS .............................................................................................................. 2
3.1 AMPLIAÇÃO, REFORMA E MANUTENÇÃO DE REDES DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA .................................................. 2
3.2 PONTO DE ENTREGA DE ENERGIA ................................................................................................................. 2
3.3 MEDIÇÃO E PROTEÇÃO ................................................................................................................................. 2
4 PROJETO ..................................................................................................................................... 3
4.1 ELABORAÇÃO DO PROJETO........................................................................................................................... 3
4.2 APRESENTAÇÃO DO PROJETO PARA ANÁLISE PELA COELCE......................................................................... 4
4.3 EXECUÇÃO DA OBRA .................................................................................................................................... 5
5 INSPEÇÃO E RECEBIMENTO DA OBRA .................................................................................... 5
5.1 DEVE SER VERIFICADO SE A OBRA FOI EXECUTADA CONFORME PROJETO........................................................ 5
5.2 VERIFICAR OS SEGUINTES ITENS: ................................................................................................................. 5
6 LIGAÇÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA....................................................................................... 5
TABELA 1 – DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES E PROTEÇÃO ........................................................................ 6
TABELA 2 – POTÊNCIA DAS LÂMPADAS E PERDAS NOS REATORES ....................................................................... 6
7 DESENHOS .................................................................................................................................. 7
Código
NORMA TÉCNICA NT- 007A
Página
1/11
ILUMINAÇÃO PÚBLICA - PREFEITURA Revisão
2
MUNICIPAL DE FORTALEZA Emissão
AGO/2005

1 OBJETIVO
Estabelecer procedimentos para projeto, execução, ligação e manutenção das redes de iluminação
pública do município de Fortaleza.

2 DEFINIÇÕES
2.1 Carga Instalada
É a soma das potências nominais de todas as lâmpadas instaladas na rede de Iluminação Pública
da Prefeitura de Fortaleza.
2.2 Rede de Iluminação Pública de Fortaleza
São os condutores, luminária, equipamentos e demais acessórios, que compõem o sistema de
iluminação pública de Fortaleza.
2.3 Fator de Potência
Razão entre a energia elétrica ativa e a raiz quadrada da soma dos quadrados das energias
elétricas ativa e reativa, consumidas num mesmo período especificado.
2.4 Planta de situação
É um desenho em escala adequada, com indicação do Norte Magnético e pontos de referência que
permitam identificar o local onde será construída, ampliada ou reformada a rede de Iluminação
Pública.
2.5 Rede de Distribuição
É a parte integrante do sistema elétrico, formada pelo conjunto de linhas elétricas, equipamentos e
materiais diretamente associados, destinado à distribuição de energia elétrica.
2.6 Ponto de Entrega de Energia para Atendimento à de Rede de Iluminação Pública
Ponto de conexão do sistema elétrico da COELCE com as instalações elétricas de Iluminação
pública, caracterizando-se como o limite de responsabilidade do fornecimento.
2.7 Iluminação Pública - IP
Serviço que tem por objetivo prover de luz, ou claridade artificial, os logradouros públicos no período
noturno ou nos escurecimentos diurnos ocasionais, inclusive aqueles que necessitam de iluminação
permanente no período diurno.
2.8 Projeto de Ampliação de Iluminação Pública
Projetos que resultem em obras para crescimento da rede de IP, iluminando novos logradouros.
2.9 Projeto de Reforma de Iluminação Pública
São projetos que resultem em obras nas instalações existentes, com a finalidade exclusiva de
melhorar as suas condições físicas, por razões de segurança, estética, padronização ou
eficientização.
2.10 Manutenção
São serviços que se caracterizam por manterem o sistema funcionando nas condições normais de
serviço, sem alteração no seu projeto inicial.
Código
NORMA TÉCNICA NT- 007A
Página
2/11
ILUMINAÇÃO PÚBLICA - PREFEITURA Revisão
2
MUNICIPAL DE FORTALEZA Emissão
AGO/2005

3 DISPOSIÇÕES GERAIS
3.1 Ampliação, Reforma e Manutenção de Redes de Iluminação Pública
a) As Ampliações, Reformas ou Manutenção são executadas e mantidas às custas da Prefeitura, a
partir do Ponto de Entrega de Energia;
b) Todas e quaisquer Ampliações ou Reformas devem ter o Projeto apresentado para analise pela
COELCE, contendo o prescrito no Capítulo 4. Deve ser prevista medição e proteção no ponto de
entrega e ter rede de energia exclusiva para o seu atendimento;
c) Nas ampliações e reformas deve ser estendido o circuito de IP a partir do transformador de
acordo com o estabelecido no Acordo Operacional, devendo cada circuito de IP ficar limitado à
área de um único transformador;
d) As redes exclusivas para atendimento de IP devem ser construídas mantidas e reparadas pela
Prefeitura às suas expensas;
e) Na manutenção das instalações existentes, onde ainda não exista medição e circuito exclusivo
de IP, a conexão da fiação da luminária com a rede elétrica deve obrigatoriamente ser feita com
conector tipo cunha em redes nuas. Nas redes isoladas a conexão deve ser feita na caixa de
derivação ou por meio de conector perfurante. Os conectores devem ser adequados para
condutores de cobre ou de alumínio de acordo com os condutores onde serão aplicados.

3.2 Ponto de Entrega de Energia


É o ponto de conexão do sistema elétrico da COELCE com as instalações elétricas da rede de
iluminação pública caracterizando-se como limite de responsabilidade de fornecimento, devendo ser
o mais próximo possível do transformador.
3.3 Medição e Proteção
3.3.1 Recomendações para Medição e Proteção
a) As redes de IP ampliadas ou reformadas devem ser medidas de acordo com o estabelecido no
Acordo Operacional e ter proteção individual para cada circuito, independente da rede ser aérea
ou subterrânea;
b) Em toda ampliação e reforma o circuito de IP deve ter medição trifásica, podendo ser utilizado
até três circuitos monofásicos independentes a partir do mesmo. Nos casos em que os circuitos
monofásicos ultrapassem o limite de 6 kW, será permitido a instalação de um outro medidor
monofásico;
c) A caixa de medição deve obedecer ao padrão estabelecido pela COELCE, conforme Desenhos
190.11 e 190.13. Poderá ser aceito outro padrão desde que previamente submetido à análise e
aceitação da COELCE;
3.3.2 Localização da Medição
a) Quando instalada em postes da rede convencional da COELCE a medição deve ser instalada no
poste do transformador, a uma altura de 3,00 a 3,30 metros do solo, conforme Desenhos
007A.01 e 007A.02;
b) Na rede DAT, a medição deve ser feita através do concentrador, localizado na cruzeta do poste
adjacente ao poste do transformador;
c) Quando a IP for instalada em postes exclusivos para iluminação, como em praças e avenidas
com canteiro central, a medição pode ser instalada em poste, muro ou mureta. Nos casos de
praças a localização da medição deverá ser preferencialmente dentro da área da mesma;
Código
NORMA TÉCNICA NT- 007A
Página
3/11
ILUMINAÇÃO PÚBLICA - PREFEITURA Revisão
2
MUNICIPAL DE FORTALEZA Emissão
AGO/2005

d) Quando por motivos técnicos a medição for instalada fora da área da praça e não for possível
cruzar ramal aéreo para a praça, admite-se a travessia subterrânea de ruas com o circuito de
Iluminação Pública, já medido, desde que sejam observadas as recomendações de segurança
para rede subterrânea, como eletrodutos com proteção mecânica adequada e fitas de
sinalização;
e) Quando instalada em muro ou mureta a caixa de medição deve possuir tela de proteção e ser
instalada em local que não esteja sujeita a abalroamento de veículos;
f) Os condutores, a proteção e a medição devem estar de acordo com a Tabela 1.

4 PROJETO
4.1 Elaboração do Projeto
Na elaboração do Projeto devem ser observadas as recomendações contidas nesta NT, devendo
ser observado:
a) Nos casos onde haja necessidade de intercalação de postes, reforços, aumento da altura ou
modificações nas instalações existentes para instalação de IP, a rede elétrica deve ser feita
pela COELCE;
b) Os aterramentos da caixa de medição e proteção, do neutro, das luminárias e equipamentos
devem ser interligados aos aterramentos existentes na rede da COELCE;
c) Na eventualidade de ocupação de postes por mais de uma ocupante (Telecomunicações, etc.)
a COELCE se exime de quaisquer danos causados ao Sistema de Iluminação Pública, pelos
mesmos;
d) O Projetista deve fornecer a COELCE as informações relativas aos valores de trações
horizontais para instalações dos condutores que serão utilizados no projeto e construção;
e) O condutor da rede de IP será do tipo pré-reunido, fase e neutro, de cobre isolado com seção
de 16 mm2 ou de alumínio isolado de 25mm2;
f) Somente deve ser utilizado Reator de Alto Fator de Potência.
g) A instalação da rede de IP deve obedecer às trações máximas, para fixação de seus cabos nos
postes da COELCE, de modo a manter estabilidade da estrutura;
h) Devem ser observadas todas as distâncias mínimas de segurança, conforme padrões COELCE,
devendo as flechas manterem a mesma catenária dos cabos da rede de BT da COELCE, de
modo que a distância entre a rede de BT e rede de IP, seja sempre a mesma ao longo de todo
o vão;
i) Quando da implantação de IP em ruas ou avenidas onde não exista rede elétrica, a COELCE
instalará os postes da rede;
j) Na elaboração do projeto e execução da obra de IP em rede convencional, observar as
distancias indicados nos Desenhos 007A.01 e 007A.02;
k) Quando se tratar de rede DAT, observar as recomendações contidas no padrão de Estrutura PE
DAT – Distribuição Aérea Transversal (Desenho DAT 003, anexo) e no PEX 076 - Execução de
Interligação, Instalação e Manutenção do Sistema de Iluminação Pública em Rede DAT;
l) A carga instalada por circuito e o dimensionamento da proteção devem estar de acordo com a
Tabela 1;
m) As perdas máximas nos reatores estão indicadas na Tabela 2.
Código
NORMA TÉCNICA NT- 007A
Página
4/11
ILUMINAÇÃO PÚBLICA - PREFEITURA Revisão
2
MUNICIPAL DE FORTALEZA Emissão
AGO/2005

4.2 Apresentação do Projeto para Análise pela COELCE

Todos os projetos de iluminação pública devem ser submetidos à análise e aceitação da COELCE e
devem conter no mínimo:
4.2.1 Memorial descritivo contendo:
a) Potência, tipo e número de lâmpadas;
b) Fator de Potência e Perdas do reator;
c) Tipo de luminárias e dos respectivos braços ou postes;
d) Carga instalada;
e) Cálculo de Queda de Tensão
f) Tipo de comando;
g) Condutores utilizados;
h) Relação com especificação resumida e quantidade de todos os materiais utilizados;
i) Data prevista de ligação;
j) Identificação dos pontos de aterramento;
k) Identificação dos pontos de alimentação;
l) Informação do esforço resultante dos cabos e equipamentos e luminárias a serem instaladas;
m) Detalhes de fixação dos equipamentos nos postes, vista frontal e lateral do poste com indicação
da posição da luminária e dos demais equipamentos da estrutura, distância em relação à rede
secundária da COELCE, ao solo e das redes das demais ocupantes (Telemar, etc.).
4.2.2 Anotação de Responsabilidade Técnica – ART (uma via)

4.2.3 Plantas
As plantas devem ser na escala 1:1000 para ruas e avenidas e 1:500 para praças e confeccionadas
conforme Padrão ABNT, contendo:
a) Planta de situação em escala adequada, com indicação das ruas adjacentes, da orientação
norte-sul, dos pontos de derivação na rede da COELCE e da entrada de serviço (até a
medição).
b) Ruas, avenidas e demais logradouros públicos com os respectivos nomes;
c) Identificação do ponto de entrega, identificando o código do poste, suas coordenadas
geográficas x-y (UTM/UPS) e o número de fases a ser conectado;
d) Indicação dos códigos dos Postes e suas coordenadas geográficas x-y (UTM/UPS), onde serão
instalados, retirados ou alteradas as características dos pontos luminosos (quantidade e
potências das lâmpadas e luminárias)
e) Detalhes e localização do logradouro a ser iluminado, contendo os postes e luminárias;
f) Largura das vias;
g) Indicação do balanceamento das fases quando a alimentação for trifásica.
h) Projeto elétrico da rede de iluminação pública, com detalhes das distâncias de segurança, altura
ao solo, descrição detalhada das cargas a serem ligadas, incluindo as perdas e o fator de
potência dos reatores e detalhes da medição;
Código
NORMA TÉCNICA NT- 007A
Página
5/11
ILUMINAÇÃO PÚBLICA - PREFEITURA Revisão
2
MUNICIPAL DE FORTALEZA Emissão
AGO/2005

4.2.4 Viabilidade do atendimento


a) Compete a COELCE analisar a viabilidade de atendimento da carga de Iluminação Pública pelo
seu Sistema Elétrico no ponto de entrega previsto;
b) Avaliar os itens relacionados à segurança dos transeuntes tais como a profundidade dos cabos
no solo, no caso de rede subterrânea, e altura mínima estabelecida pela ABNT, quando aérea;
c) Conferir o dimensionamento do disjuntor, a proteção física da caixa de medição, o ponto de
conexão à rede da COELCE e a classificação da Iluminação Pública Especial ou Padronizada.
4.3 Execução da Obra
a) Na execução da obra devem ser observadas as recomendações contidas nos seguintes
Procedimentos Operacionais e Procedimentos de Execução e outros aplicáveis, em suas últimas
revisões:

• POP 001 - Trabalhos em Redes Desenergizadas nas Proximidades de Instalações com


Tensão;
• POP 003 - Trabalhos em Redes Energizadas;
• PEX 006 - Execução de Instalação e Manutenção do Sistema de Iluminação Pública;
• PEX 076 - Execução de Interligação, Instalação e Manutenção do Ponto de Iluminação
Pública em Rede DAT;
b) Na execução da obra devem ser envolvidas somente pessoas comprovadamente qualificadas e
devidamente treinadas nos PEX acima citados;
c) A obra deve ser executada de acordo com o projeto aprovado e com as demais características
exigidas pelas normas técnicas.

5 INSPEÇÃO E RECEBIMENTO DA OBRA

5.1 Deve ser verificado se a obra foi executada conforme projeto.


5.2 Verificar os seguintes itens:
a) altura mínima dos condutores ao solo;
b) distância entre a rede da COELCE e a rede de iluminação pública;
c) instalação da caixa de medição;
d) instalação do aterramento;
e) corrente do disjuntor;
f) seção dos condutores;
g) potência das lâmpadas instaladas;
h) profundidade dos dutos no solo, no caso de rede subterrânea;
i) proteção do eletroduto de descida.

6 LIGAÇÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA


6.1 A ligação da IP só deve ser efetuada caso esteja conforme projeto aceito e atenda aos requisitos
de segurança e aos demais itens inspecionados;
6.2 A ligação das redes de IP devem ser efetuadas pela COELCE;
6.3 Todas as conexões dos fios da luminária, relés e reatores devem ser perfeitamente isoladas.
Código
NORMA TÉCNICA NT- 007A
Página
6/11
ILUMINAÇÃO PÚBLICA - PREFEITURA Revisão
2
MUNICIPAL DE FORTALEZA Emissão
AGO/2005

Tabela 1 – Dimensionamento dos Condutores e Proteção

Carga Instalada por Condutor Isolado Corrente do Extensão Máxima


Circuito Monofásico (mm2) Disjuntor de cada Circuito

(kW) Cobre Alumínio (A) (m)

até 6 16 25 60 400

Tabela 2 – Potência das Lâmpadas e Perdas nos Reatores

Potência das Lâmpadas Vapor de Sódio Vapor de Mercúrio

(W) Perdas Conjunto Perdas Conjunto


Máximas no Lâmpada + Máximas no Lâmpada +
Reator (W) Reator (W) Reator (W) Reator (W)

70 VS 15 85 - -
80 VM - - 9,6 89,6
100 VS 18 118 - -
125 VM - - 13,75 138,75
150 VS 26 176 - -
250 VS 37 287 - -
250 VM - - 25 275
400 VS 54 454 - -
400 VM - - 36 436

VS = Vapor de Sódio. Perdas conforme NBR 13593


VM = Vapor de Mercúrio. Perdas conforme NBR 5125
Código
NORMA TÉCNICA NT- 007A
Página
7/11
ILUMINAÇÃO PÚBLICA - PREFEITURA Revisão
2
MUNICIPAL DE FORTALEZA Emissão
AGO/2005

7 DESENHOS

Desenhos Anexos:
Desenho 007A.01
Desenho 007A.02
Desenho 190.11
Desenho 190.13
Desenho DAT 003
Companhia Energética do Ceará
Companhia Energética do Ceará
Companhia Energética do Ceará
Companhia Energética do Ceará
Companhia Energética do Ceará