Você está na página 1de 30

Problemas

O capitão do navio

Ao Xº dia do Yº mês do ano 1900+Z, um navio com U hélices, V chaminés e W


homens partiu para mar alto.

Sabendo que a soma do produto UVWXYZ com a raiz cúbica da idade do


capitão (que é avô) é igual a 4002331, determina a idade do capitão e o valor
de U, V, W, X, Y e Z.

O capitão do navio

Ao Xº dia do Yº mês do ano 1900+Z, um navio com U hélices, V chaminés e W


homens partiu para mar alto.

Sabendo que a soma do produto UVWXYZ com a raiz cúbica da idade do


capitão (que é avô) é igual a 4002331, determina a idade do capitão e o valor
de U, V, W, X, Y e Z.

Solução

A idade do capitão tem que ser um cubo perfeito, isto é, 1 , 8, 27, 64, 125,...
Como o capitão já é avô, a idade que se ajusta é 64 anos.

A raiz cúbica da idade do capitão, isto é, a raiz cúbica de 64, é 4. Então,

UVWXYZ+4=4002331, isto é, UVWXYZ=4002327.

Decompondo este número em factores primos temos:

4002327= 3 x 3 x 7x 17 x 37 x 101

O número 101 só pode ser o número de homens.

O número 37 só pode corresponder ao ano, assim o navio partiu para o mar em


1937.

O número 17 corresponde ao dia. ( não é provável que o navio tenha 17


chaminés ou 17 hélices)

O número 7 corresponde ao mês. ( também é muito elevado para chaminés ou


hélices)
Teremos ainda 3 chaminés e 3 hélices.

Concluindo,

No dia 17/07/1937, um navio com 3 hélices e 3 chaminés, sob o comando de


um capitão que tinha 64 anos, partiu para o mar levando a bordo 101 homens.

Enigma dos 7,50 €

O Zacarias foi à mercearia comprar 4 coisas: 1 kg de açúcar, 1 litro de óleo,


uma garrafa de vinho e uma garrafa de azeite, todas com preços diferentes. Ao
receber a conta no valor de 7,50€ percebeu que o dono da mercearia em vez
de ter somado os preços tinha-os multiplicado, resolveu então reclamar com
um argumento que em vez dos preços dos 4 produtos serem multiplicados
deveriam ser somados, foi aí que o comerciante disse:
- Multiplicando ou somando a conta dará o mesmo resultado ( 7,50 € )!
A pergunta é qual poderá ser o preço de cada um dos produtos?

Duelo mortal

O cavaleiro branco, o cavaleiro cinzento e o cavaleiro negro vão-se defrontar


num duelo de pistolas depois de se terem ofendido gravemente uns aos outro.
O duelo entre os três desenrolar-se-á segundo umas curiosas regras que eles
mesmos estabeleceram sem pensar muito: Depois de se disporem segundo os
vértices de um triângulo equilátero efectuariam disparos por turnos,
concedendo o primeiro disparo ao cavaleiro branco, depois dispararia o
cavaleiro cinzento e depois o cavaleiro negro, repetindo este processo até que
só restasse um deles.
Tendo um carácter nobre concederiam o primeiro disparo ao cavaleiro branco
porque todos sabiam que, em média, só acertava no seu objectivo um terço
das vezes que disparava. Seguia-se o cavaleiro cinzento que acertava, em
média, dois terços dos disparos que efectuava, por fim, o cavaleiro negro era
temível porque nunca errava um disparo.
No dia do duelo encontraram-se ao amanhecer e, de acordo com as regras,
chegou o momento do cavaleiro branco efectuar o primeiro disparo.
Que opção deve tomar o cavaleiro branco de modo a ter mais probabilidades
de sobrevier?

Duelo mortal

O cavaleiro branco, o cavaleiro cinzento e o cavaleiro negro vão-se defrontar


num duelo de pistolas depois de se terem ofendido gravemente uns aos outro.
O duelo entre os três desenrolar-se-á segundo umas curiosas regras que eles
mesmos estabeleceram sem pensar muito: Depois de se disporem segundo os
vértices de um triângulo equilátero efectuariam disparos por turnos,
concedendo o primeiro disparo ao cavaleiro branco, depois dispararia o
cavaleiro cinzento e depois o cavaleiro negro, repetindo este processo até que
só restasse um deles.
Tendo um carácter nobre concederiam o primeiro disparo ao cavaleiro branco
porque todos sabiam que, em média, só acertava no seu objectivo um terço
das vezes que disparava. Seguia-se o cavaleiro cinzento que acertava, em
média, dois terços dos disparos que efectuava, por fim, o cavaleiro negro era
temível porque nunca errava um disparo.
No dia do duelo encontraram-se ao amanhecer e, de acordo com as regras,
chegou o momento do cavaleiro branco efectuar o primeiro disparo.
Que opção deve tomar o cavaleiro branco de modo a ter mais probabilidades
de sobrevier?

Solução

Se o cavaleiro branco disparar sobre o cinzento e o matar, não tem a mínima


hipótese de sobreviver pois a seguir é o negro a disparar e este nunca falha.
Se o branco optar por disparar contra o negro e o matar, a seguir o cinzento
dispara sobre o branco e, neste caso, o branco tem um terço (cerca de 33%)
de hipóteses de sobreviver. Embora a segunda hipótese seja melhor para o
branco, a probabilidade de morrer continua a ser grande.

Se o cavaleiro branco optar por disparar para o ar (talvez vicie um pouco o


enunciado), de seguida ou o cinzento mata o negro ou o negro mata o
cinzento. Analisemos esses dois casos:

• Se ficou o negro vivo, o branco dispara sobre ele e tem um terço de


hipótese de sobreviver (sobrevive se acertar o disparo).
• Se ficou o cinzento vivo, o branco dispara sobre ele e sobrevive se
acertar o seu disparo ou se o cinzento falhar o seu disparo.

Assim, a melhor estratégia para o branco é efectuar o seu disparo para o ar e


depois disparar contra o sobrevivente!

Verdadeiro ou falso

Quantas frases verdadeiras há no quadro seguinte ?

Neste quadro há exactamente uma frase verdadeira.

Neste quadro há exactamente uma frase falsa.

Neste quadro há exactamente duas frases verdadeiras.

Neste quadro há exactamente duas frases falsas.

Solução

Pode não haver nenhuma;

Pode haver apenas uma correcta ( a primeira );

Pode haver exactamente duas correctas ( as duas últimas );

O problema não tem uma resposta única! ( Esquisito, não? )

Xadrez e dominó

Um tabuleiro de xadrez tem 64 quadrículas. Se retirarmos as duas casas


correspondentes a dois cantos diametralmente opostos será possível recobrir
as 62 casa restantes com peças de dominó? (cada peça de dominó recobre
duas casas consecutivas do tabuleiro)

Solução
Um tabuleiro de xadrez é constituído por 32 casas brancas e 32 casas pretas,
dispostas alternadamente. Assim, se retirar duas casas em cantos
diametralmente opostos estou a retirar duas casas da mesma cor, ficando 32
casas de uma cor e 30 casas de outra cor.

Como um peça de dominó recobre simultaneamente uma casa branca e uma


casa preta não é possível recobrir o tabuleiro sem os dois cantos opostos.

Prisioneiro assassino

Numa prisão há 16 celas dispostas como o esquema abaixo indica. Certo dia, o
prisioneiro X situado na cela que fica no canto superior esquerdo perdeu a
cabeça. Em cada dia ele consegue furar a parede de uma cela vizinha e matar
o prisioneiro que a ocupa. Ele não volta a passar por uma cela onde tenha
morto alguém (acredita que lá se encontra o espírito do morto e os fantasmas
sempre o assustaram). No final, ele matou 15 prisioneiros e encontra-se na 16ª
cela em baixo à direita.

Encontra um possível percurso feito pelo assassino.

X a b c
d e f g
h i j k
l m n ?

Solução

Certamente, se tentou resolver o problema ficou a pensar que é impossível. A


resolução é, no entanto, bastante fácil. O assassino não volta a passar por uma
cela onde tenha morto alguém porque tem medo de fantasmas mas, nada o
impede de voltar a passar pela cela onde esteve preso visto que nessa cela
não ocorreu nenhum crime. Assim é fácil encontrar um caminho!

Por exemplo:

x;a;x;d;e;i;h;l;m;n;j;f;b;c;g;k;?

Quadro complicado

Completa o quadro abaixo com números de modo a obter afirmações


verdadeiras:
Neste quadro, aparece exactamente :

….. vez(es) o número 1

….. vez(es) o número 2

….. vez(es) o número 3

….. vez(es) o número 4

Solução

Neste quadro, aparece exactamente :

…3.. vez(es) o número 1

…1.. vez(es) o número 2

…3.. vez(es) o número 3

…1.. vez(es) o número 4

Expressão redonda

Qual é o valor da expressão:

Solução

O valor da expressão é zero porque um dos factores é ( x - x ) = 0 e o zero é o


elemento absorvente da multiplicação logo o produto é nulo.
Carros e ocupantes

Sete carros idênticos partem de Barcelos com dois terços da sua lotação total
ocupada.
Em Esposende um quarto dos ocupantes saem dos carros e vão para a praia.
Será possível colocar os restantes ocupantes em apenas três carros?

Solução

Seja n a lotação de um carro. Então a lotação dos 7 carros é 7n.

Se eles partem com 2/3 da lotação ocupada levam pessoas.

Em Esposende ficam um quarto das pessoas então, seguem viagem

logo podemos concluir que as pessoas que seguem viagem não cabem em três carros.
Seriam necessários 4 carros. 3 cheios e um com metade da lotação.

Céu ou inferno

Ao chegar a uma bifurcação do caminho da vida eterna em que um dos


caminhos conduz ao céu e o outro ao inferno, encontramos três silhuetas
recortadas no denso nevoeiro que se fazia sentir. Sabemos que essas três
silhuetas pertencem a três personagens conhecidos: Camões, Bocage e
Fernando Pessoa. O primeiro fala sempre verdade, o segundo mente sempre,
o terceiro às vezes fala verdade e outras vezes mente. Como o nevoeiro é
muito denso, as silhuetas são indistinguíveis.

Para descobrirmos o caminho que leva ao céu apenas podemos fazer duas
perguntas ( do tipo Sim/Não). Podemos fazer as duas perguntas à mesma
silhueta ou a silhuetas diferentes.
Quais são as perguntas que devemos fazer?

Solução

O mais problemático é o Pessoa portanto vamos fazer uma pergunta de modo a eliminá-
lo.

Suponhamos que identificamos as silhuetas pelas letras A, B e C.

Perguntamos à silhueta A: - As questões:

-És o Camões?

- B é o Pessoa?

têm a mesma resposta?

1. Suponhamos que a resposta é SIM.

1.1 As duas podem ser verdadeiras:

Se A é o Camões B tem que ser o Pessoa porque o Camões nunca mente.

1.2 As duas podem ser falsas:

Se A for o Bocage, B tem que ser o Pessoa já que o Bocage mente sempre, as duas
perguntas não podem ter a mesma resposta.

Se A for o Pessoa um sim significa que C não é o Pessoa.

Se a resposta é sim, ficamos a saber que a silhueta C não é o Pessoa.

2. Suponhamos que a resposta é NÃO.

Fazendo um raciocínio análogo ao anterior concluímos que se a resposta é não, então a


silhueta B não é o Pessoa.

3. Assim, se a resposta for sim escolhemos o C para responder à segunda pergunta, e,


se a resposta for não escolhemos o B para responder à segunda pergunta.
4. A segunda pergunta será efectuada à silhueta escolhida no ponto anterior e é a
seguinte:

- As questões:

-És o Camões?

- Este caminho leva ao céu?

têm a mesma resposta?

Sim - significa que o caminho leva ao céu;

Não - significa que o caminho leva ao inferno.

A explicação é fácil. Quem entendeu a primeira parte não terá dificuldade em a


descobrir. Quem não entendeu... paciência!

O chapéu ou a vida

Num reino em crise, o rei Maximus pretende eliminar os seus três sábios
conselheiros. Como sente algum carinho pelos sábios resolve dar-lhes uma
última oportunidade de salvarem a vida. Se os sábios forem capazes de
resolverem o seguinte problema o rei não os mandará matar.

O rei colocou os três sábios em fila indiana e disse-lhes: “ Disponho de cinco


chapéus, três brancos e dois pretos. Vou colocar na cabeça de cada um de
vocês um destes chapéus, de forma que cada um de vós é capaz de ver o
chapéu daqueles que estão à sua frente, mas não é capaz de ver o seu próprio
chapéu, nem o chapéu daqueles que estão atrás ( o último sábio da fila vê os
chapéus dos outros dois, o do meio só vê o chapéu do primeiro sábio e o
primeiro sábio da fila não vê nenhum dos chapéus).

Para salvarem a vida, pelo menos um dos três sábios terá que dizer de que cor
é o chapéu que tem na sua cabeça. Mas, se um de vocês se enganar na cor
morrem os três.

O rei colocou três dos chapéus na cabeça dos sábios e escondeu os outros
dois. De seguida, perguntou ao último da fila de que cor era o seu chapéu e ele
nada respondeu; perguntou ao do meio a cor do seu chapéu e este nada
respondeu; quando perguntou ao primeiro a cor do seu chapéu este respondeu
acertadamente e sem qualquer sombra de dúvida, ficando os três sábios livres.

De que cor era o chapéu do primeiro sábio? Porquê?


Solução

O sábio que deu a resposta ( o primeiro da fila ) raciocinou da seguinte forma:

Há 3 chapéus brancos e 2 pretos. Se o 3º sábio tivesse visto em cada um de nós chapéus


pretos teria dito prontamente "majestade, o meu chapéu é branco". Como não
respondeu significa que tem dúvidas. Portanto, há duas possibilidades:

1. Viu 2 chapéus brancos;

2. Viu um chapéu branco e outro preto.

Seguindo a primeira hipótese, o meu chapéu é branco.

Seguindo a segunda hipótese, quem terá o chapéu preto?

Se eu tivesse o chapéu preto, o segundo sábio teria respondido " vejo que o primeiro
sábio tem um chapéu preto. Se o meu fosse também fosse preto o terceiro sábio teria
respondido que o dele era branco. Como ele não respondeu o meu é branco ". Isto é, se
o meu chapéu fosse preto, o segundo sábio teria respondido, como não respondeu
significa que o meu chapéu é branco.

Em conclusão: Majestade, o meu chapéu é branco.

O camelo necessário não serve para nada!

Um velho emir, ao perceber que iria morrer brevemente, ordenou que se


distribuíssem os seus camelos pelos seus três filhos da seguinte forma: Metade
para o primogénito, a quarta parte para o segundo filho e um sexto para o mais
novo. Como o emir só tinha onze camelos, tornou-se difícil a execução da sua
vontade uma vez que não era possível matar nenhum dos camelos. Os três
irmãos estavam a discutir quando chegou ao pé deles um beduíno montado no
seu camelo. Este beduíno tinha fama de ser um homem muito sábio. Os três
irmãos aproveitaram logo a sua presença e puseram-lhe o problema que os
atormentava, pediram-lhe conselho e ele disse: - Se o vosso pai tivesse
deixado doze camelos em vez de onze não haveria problemas. – Certo, mas só
temos onze. – Responderam os irmãos. O beduíno disse: - Tomai o meu
camelo e fazei a divisão consoante as ordens do vosso pai. Não vos
preocupeis que eu não vou ficar sem o meu camelo.

Os irmãos fizeram a divisão e, efectivamente, o camelo do beduíno não ficou


para nenhum dos irmãos, sendo devolvido ao seu dono.
Com quantos camelos ficou cada um dos filhos? Como se explica esta
estranha situação?

Balança desequilibrada

Temos 13 bolas aparentemente iguais em forma, tamanho, cor, etc. Mas, sabe-
se que uma delas tem um peso diferente das outras doze, não sabemos se
pesa mais ou se pesa menos. Com uma balança de dois pratos e fazendo
apenas três pesagens como podemos localizar a bola diferente.

Café ou chã?

O Alberto, a Rute e Carlos almoçam juntos todos os dias úteis. Ao finalizar o


almoço cada um deles pede café ou chá.

Se o Alberto pede café, então a Rute pede o mesmo que o Carlos.

Se a Rute pede café, então o Alberto pede a bebida que o Carlos não pedir.

Se o Carlos pede chã, então o Alberto pede a mesma bebida que a Rute pedir.

Qual deles pede sempre a mesma bebida depois do almoço?

Piratas do caribe

Cinco piratas esconderam os seus tesouros na mesma ilha do Caribe. Deveis


descobrir em que praia desembarcou cada um dos piratas atendendo aos
seguintes dados e condições:

Dados:
Piratas: Capitão Sangue; Capitão Morte; Capitão Maldito; Capitão Estripador;
Capitão Gancho

Desembarque: Praia Norte; Praia Sul; Praia Este; Praia Oeste; Praia Sudoeste

Tesouros: Diamantes; Moedas de ouro; Pérolas; Tecidos de seda; Esmeraldas


Locais onde esconderam: Praia Norte; Praia Sul; Praia Este; Praia Oeste;
Centro da ilha

Condições:

1- Nenhum pirata enterrou o tesouro na praia em que desembarcou.

2- O capitão Sangue enterrou moedas de ouro, mas não o fez no centro da


ilha.

3- Quem desembarcou na praia Este ( não foi o capitão Morte ) levou tecidos
de seda.

4- Quem desembarcou na praia sudoeste enterrou o tesouro na praia Oeste.

5- O capitão Maldito desembarcou na praia Oeste. Não levava esmeraldas.

6- Na praia Sul desembarcaram-se diamantes que não foram enterrados na


praia Norte.

7- O capitão Gancho desembarcou na praia Norte e não enterrou o seu


tesouro no centro da ilha.

8- As pérolas foram enterradas na praia Este.

No tribunal

O detective Fuínha tinha por costume ir aos tribunais observar os julgamentos


para por à prova a sua capacidade de raciocínio. Um dos casos a que teve
oportunidade de assistir pode ser resumido da seguinte forma:

Temos quatro pessoas acusadas: Alberto, Belmiro, Carlos e Daniel. Está


provado que:

• Se o Alberto é culpado, então o Belmiro é cúmplice.


• Se o Belmiro é culpado, então ou o Carlos é cúmplice ou o Alberto é
inocente.
• Se o Daniel é inocente, então o Alberto é culpado e o Carlos é inocente.
• Se o Daniel é culpado, então o Alberto também é culpado.

Quem são os inocentes e quem são os culpados?


Ver com a mente

Estamos, com os olhos vendados, em frente a um tabuleiro em que há um


número desconhecido de fichas. Essas fichas têm uma das faces branca e a
outra preta. Sabemos que 10 dessas fichas estão com a face branca voltada
para cima e todas as outras têm a face preta voltada para cima. As fichas estão
baralhadas totalmente ao acaso.

Como podemos formar dois grupos que tenham o mesmo número de fichas
com a face branca voltada para cima?

Os olhos das escravas

O jovem príncipe Alexandre chegou ao reino de Bagdade para pedir a mão da


jovem princesa filha do poderoso emir Gustavo III. O emir propõe ao príncipe
um desafio que demonstre que ele é digno de desposar a sua filha.

O desafio consiste em resolver o seguinte problema:

- Possuo cinco escravas – disse o emir – duas das escravas têm os olhos
negros e três escravas têm os olhos azuis. As que têm os olhos negros falam
sempre verdade e as que têm os olhos azuis mentem sempre. Dentro de
alguns momentos as cinco escravas serão conduzidas à nossa presença com
os olhos vendados. Sem que lhes vejas os olhos, terás que descobrir, sem erro
possível, quais são as têm os olhos negros e quais são as que têm os olhos
azuis, para isso poderás fazer três perguntas a três das escravas (uma
pergunta por cada uma das três escravas).

Que perguntas deverá o príncipe fazer de modo a superar com êxito o desafio?

O califa e os beduínos

Cavalgavam pelo deserto, a caminho de Riade, dois beduínos quando


encontraram um velho califa caído na areia esfomeado e sedento. Os beduínos
ofereceram um pouco de água ao califa que quando recuperou lhes contou que
tinha sido assaltado por um grupo de terroristas da Al-Qaeda. O califa
perguntou aos beduínos se eles tinham alguma coisa para comer. O primeiro
beduíno respondeu que tinha cinco pães e o outro beduíno respondeu que
tinha três pães. O califa propôs que dividissem os pães pelos três e que
quando chegassem a Riade ele os recompensaria com oito moedas de ouro.

No dia seguinte, quando chegaram a Riade, o califa foi buscar oito moedas de
ouro e entregou cinco moedas ao primeiro beduíno e três moedas ao outro.
Mas, o primeiro beduíno disse:
“ Isto não está correcto. Como eu contribuí com cinco pães tenho direito a sete
moedas enquanto que o meu companheiro que apenas contribuiu com três
pães tem direito apenas a uma moeda.”

O primeiro beduíno tem razão? Porquê?

A Princesa escolhe noivo

A princesa Sofia tinha três cofres, um feito de ouro, outro de prata e o outro
era feito de chumbo. Num desses cofres ela guardava o seu retracto.

A princesa queria-se casar com um homem inteligente por isso, o pretendente


tinha que superar uma prova para se poder casar com a princesa. A prova
consistia em escolher o cofre que tivesse o retracto da princesa.

A Princesa escreveu em cada um dos cofres as seguintes frases:

Ouro: O retracto está neste cofre.


Prata: O retracto não está neste cofre.
Chumbo: O retracto não está no cofre de ouro.

A princesa informou o pretendente que, quando muito, apenas uma das frases
está correcta. Onde está o retracto?

O pretendente depois de pensar um pouco escolheu o cofre correcto.


Casaram-se e foram felizes durante algum tempo.

Passados alguns anos a princesa verificou que, apesar do marido ter resolvido
o problema, não era tão inteligente quanto ela desejava assim, decidiu
divorciar-se e escolher um novo marido que teria que resolver um problema
mais difícil. Desta vez a princesa escreveu nos cofres as seguintes frases:

Ouro: O retracto não está no cofre de prata.


Prata: O retracto não está neste cofre.
Chumbo: O retracto está neste cofre.

A princesa informou o pretendente que pelo menos uma das afirmações era
verdadeira e, pelo menos uma das afirmações era falsa. Onde está o retracto?

Quis o destino que o pretendente que conseguiu resolver este problema foi o
primeiro marido da princesa pelo que se casaram de novo e foram felizes para
sempre.

Zombies enfeitiçados

Numa ilha perto do Haiti metade dos habitantes foram alvo de um feitiço Vudú
ficando transformados em zombies. Esses zombies falam e não se podem
distinguir dos humanos, apenas se sabe que os zombies mentem sempre e
que os humanos falam sempre verdade. A situação nesta ilha é muito
complicada porque, apesar dos nativos entenderem perfeitamente o Inglês,
uma tradição local impede-os de dizerem qualquer palavra numa língua
estrangeira. Quando alguém lhes faz uma pergunta cuja resposta é sim ou não,
eles respondem “ Bal” ou “Da”, uma destas palavras significa “sim” e a outra
significa “não”. O problema é saber qual das palavras significa “sim” e qual
significa “não”.

O rei desta ilha quer casar a filha com alguém muito inteligente, assim, o
pretendente terá que superar uma prova. A prova consiste em fazer uma única
pergunta ao bruxo do rei. Se o bruxo responder “ Bal” o pretendente pode
casar-se com a filha do rei, se o bruxo responder “Da” o pretendente é enviado
para a prisão.

O problema consiste em encontrar uma pergunta tal que, independentemente


do bruxo ser zombie ou humano e independentemente de que “Bal” signifique
“sim” ou “não”, a resposta do bruxo seja “Bal”.

Corrida cruzada

Às treze horas de um certo dia, a Julieta e a Rosário partem as duas de um


mesmo local e começam a correr numa pista circular. A Julieta corre no sentido
dos ponteiros do relógio e a Rosário corre em sentido contrário. Às quinze
horas desse dia, as duas encontram-se novamente no ponto de partida.
Sabendo que a Julieta deu 10 voltas e que a Rosário deu 14 voltas, quantas
vezes se cruzaram durante a corrida?

Polícia Judiciária

Uma brigada da Polícia Judiciária estava a investigar um grupo de traficantes


que se encontravam num local protegido por fortes medidas de segurança. Os
agentes estavam escondidos num carro, próximo da entrada do esconderijo
dos traficantes. Nesse momento chega um cliente. Toca à campainha e do
interior alguém diz: “ 14 “. O cliente responde: “ 7 ”. A porta abre-se e o cliente
entra. Os polícias olham-se o não escondem o seu ar de satisfação, pensam
ter o código de acesso, mas decidem esperar por outro cliente para ter a
certeza. Pouco depois chega outro cliente. De dentro dizem-lhe: “ 8 “. Ele
responde: “ 4 “. A porta abre-se e o cliente entra. Diz o chefe da brigada: “ Não
há dúvida, temos que dizer a metade do número que os traficantes disserem”.
Decidem enviar um agente. O agente toca à campainha e o traficante diz: “ 0 “.
O agente hesita um pouco e responde: “ 0 “. Ouve-se uma rajada de tiros e o
agente morre. Os colegas ficaram muito surpreendidos, mas como tinham a
certeza de ter descoberto a senha decidem enviar outro agente. O agente toca
à campainha e o traficante diz: “10 “. O agente responde convictamente: “ 5 “.
Mais um a rajada de tiros e outro agente morto. Porque morreram os agentes?
Qual é a senha?
Etiquetas trocadas

Há três caixas: uma contém parafusos, outra pregos e a outra agrafos. Quem
colocou as etiquetas nas caixas estava completamente distraído e colocou-as
todas erradas. Abrindo uma só caixa e tirando uma só peça, como se pode
conseguir colocar as etiquetas correctamente?

Problemas para pensar

Problema 1 – Grupo de ceifeiros

Um grupo de ceifeiros tinha que ceifar duas cearas, uma das quais tinha uma área
que era o dobro da área da outra. Durante meio dia, todo o pessoal do grupo
trabalhou na ceara grande. Depois do almoço, metade do pessoal continuou na
ceara grande e a outra metade trabalhou na ceara pequena. No final da tarde tinham
acabado ambas as tarefas excepto um pequeno sector da ceara mais pequena , em
cuja ceifa se ocupou todo o dia seguinte apenas um ceifeiro.

Quantos ceifeiros tinha o grupo?

Problema 2 – Vacas no prado

A erva de um prado cresce em todo ele, com igual rapidez e espessura. Sabe-se
que 70 vacas comeriam a erva em 24 dias e 30 vacas comeriam a erva em 60 dias.
Quantas vacas comeriam a erva em 96 dias?

Problema 3 – O problema de Newton

Três prados cobertos de erva de igual espessura e do mesmo grau de crescimento


têm uma superfície de ha, 10 ha e 24 ha.
A erva do primeiro prado foi comida por 12 bois durante quatro semanas e a do
segundo prado foi comida por 21 bois em nove semanas. Quantos bois comerão a
erva do terceiro prado em 18 semanas?

Problema 4 - Na barbearia

Um barbeiro dispunha de duas garrafas com soluções de água oxigenada, uma a


30% e a outra a 3%. O barbeiro pretende obter uma determinada quantidade de
solução a 12%.

Qual é a proporção que deve utilizar?

Se pretendesse obter um litro de solução a 12% que quantidades teria que misturar?

Problema 5 - Problema das torneiras

Para encher um tanque podem ser utilizadas duas torneiras, a torneira A e a torneira
B. A torneira A, sozinha, enche o tanque em 6 horas enquanto que a torneira B,
sozinha, enche o tanque em 4 horas. Quanto tempo é necessário para que as duas
torneiras, em conjunto, encham o tanque.

Problema 6 – Barco e jangada

Um barco a motor leva 5 horas para descer um rio desde a cidade A até à cidade B.
Na volta, avança contra a corrente e por isso demora 7 horas. Quantas horas
necessitará uma jangada para ir da cidade A à cidade B, seguindo a velocidade da
corrente?

Problema 7 – Pessoas na festa

Numa festa estavam 20 pessoas. A Maria dançou com sete rapazes, a Margarida
com oito, a Joana com nove e assim sucessivamente até à Marta que dançou com
todos os rapazes. Quantos rapazes estavam na festa?

Problema 8 – Patrulha marítima


Um navio de reconhecimento que navegava com o resto da esquadra recebeu a
missão de explorar o mar numa zona de 70 milhas náuticas na direcção em que a
esquadra navegava, voltando depois para trás para se incorporar novamente na
esquadra. A velocidade do navio de reconhecimento era de 70 milhas náuticas por
hora enquanto que a velocidade da esquadra era de 35 milhas náuticas por hora.
Quanto tempo levará o navio de reconhecimento até se incorporar novamente na
esquadra?

Curiosidades: 1 milha náutica = 1852 metros

1 milha terrestre = 1609,3 metros

1 nó = 1 milha náutica por hora

Problema 9 – Velocidade média

Um automóvel percorreu a distância entre duas cidades a uma velocidade de 60


km/h e fez a viagem de regresso a 40 km/h. Qual foi a velocidade média feita nos
dois trajectos?

Problema 10 – De Lisboa ao Porto

A Teresa saiu de Lisboa em direcção ao Porto viajando pela N1 com velocidade


constante. Passado algum tempo reparou na placa que indicava o km XY. Uma hora
mais tarde passa pela placa que tem os mesmos algarismos mas por ordem inversa:
YX. Uma hora mais tarde ela avista uma terceira placa com os mesmos dois
algarismos pela ordem inicial mas separados por um zero: X0Y.

A que velocidade segue a Teresa?

Problema 11 – Problema complicado

Em tempos remotos aconteceu o seguinte facto:

Dois mercadores venderam uma manada de bois, recebendo por cada animal tantos
contos quantos os bois da manada. Com o dinheiro obtido compraram um rebanho
de ovelhas e um cordeirinho, pagando 10 contos por cada ovelha. Ao repartirem os
animais um ficou com mais uma ovelha ficando o outro com o cordeirinho. O que
ficou com o cordeirinho recebeu uma compensação monetária correspondente a um
número inteiro de contos. Qual foi o valor dessa compensação?
Problema 12 – Os restos

Determinar o menor número que, dividido por:

2, dê resto 1;

3, dê resto 2;

4, dê resto 3;

5, dê resto 4;

6, dê resto 5;

7, dê resto 6;

8, dê resto 7;

9, dê resto 8.

Problema 13 – Os frangos

Três irmãs foram vender frangos no mercado. Uma levou 10 frangos, a outra 16 e a
terceira 26. Ao meio dia, as três tinham vendido ao mesmo preço uma parte dos
frangos. Depois do meio dia, temendo que não pudessem vender todos eles,
baixaram o preço. As três irmãs, depois de terem vendido todos os frangos,
regressaram a casa com 35 contos cada uma.

A que preço venderam os frangos, antes e depois do meio dia?

Problema 14 – Propriedade numérica

Os números 46 e 96 têm uma propriedade curiosa: o seu produto não se altera


ainda que os algarismos que os formam troquem de lugar, isto é, .
Quais são os outros números de dois algarismos que têm a mesma propriedade?

Problema 15 – Corrida de motos

Numa corrida de motos, três delas partiram simultaneamente. A segunda percorre


numa hora menos 15 km que a primeira e mais 3 km que a terceira e chega à meta
12 minutos depois da primeira e 3 minutos antes da terceira. Durante a corrida não
houve paragens. Pretende-se saber:
a) a distância percorrida;

b) a velocidade de cada moto;

c) o tempo gasto por cada moto.

Problema 16 – Construção do apeadeiro

A 20 km de uma via férrea recta encontra-se a povoação B.

Onde devemos construir o apeadeiro C para que na viagem do local A para a


povoação B se gaste o menor tempo possível? A velocidade pela via férrea e pela
estrada é, respectivamente, 0,8 e 0,2 km por minuto.
EXERCÍCIOS COM RECTAS

Exercício 1

Na figura ao lado podes observar o mostrador de um relógio. Com duas linhas rectas
divide o mostrador em três partes de modo que, em cada uma das partes, a soma
dos números seja igual.

Solução

Exercício 2

Observa a figura ao lado. Verifica se podes formar um terceira


seta que tenha o mesmo tamanho das outras duas, juntando
apenas mais dois segmentos de recta.

Solução

Exercício 3
Divide a pisa com três linhas rectas de forma que em cada
pedaço de pisa haja apenas um pimento.

Solução

Exercício 4

Tenta ligar cada um dos rectângulos com o triângulo que tem o


mesmo número. As linhas de ligação não se podem cruzar nem
sair do diagrama.

Solução

Exercício 5

Tenta ligar cada um dos triângulos com o quadrado que tem o


mesmo número. As linhas de ligação não se podem cruzar nem
sair do diagrama.

Solução
Exercício 6

Une os nove pontos da figura usando apenas quatro


segmentos de recta.

Solução

Exercício 7

Tenta dividir a figura ao lado em três partes que contenham o


mesmo número de "bolas", utilizando apenas duas recta.

Solução

EXERCÍCIOS COM LÁPIS

Exercício 8
Consegues desenhar estas figuras sem levantar o lápis?
Não é permitido passar duas vezes sobre a mesma linha excepto quando elas se cruzam.

Solução Solução Solução

Exercício 9

Consegues desenhar estas figuras sem levantar o lápis?


Não é permitido passar duas vezes sobre a mesma linha excepto quando elas se cruzam.

Solução Solução Solução

Exercício 10

Consegues desenhar estas figuras sem levantar o lápis?


Não é permitido passar duas vezes sobre a mesma linha excepto quando elas se cruzam.
Solução Solução

Solução

EXERCÍCIOS COM PALITOS ( OU FÓSFOROS )

Exercício 11

Constrói uma casa usando 11 palitos como se indica na figura.


Movendo apenas um dos palitos muda a orientação da casa para o
sentido oposto.

Solução

Exercício 12
Coloca 12 palitos como se mostra na figura ao lado. Movendo apenas
3 palitos constrói 3 quadrados iguais.

Solução

Exercício 13

Retira dois palitos da figura de modo a ficares apenas com dois


quadrados.

Solução

Exercício 14

Coloca 16 palitos como se mostra na figura. Retira quatro


palitos de modo a ficares com apenas quatro triângulos.

Solução
Exercício 15

Os quatro palitos da figura representam uma pá levantando uma


moeda. Move apenas dois palitos de modo que a moeda fique fora da
pá.

Solução

Exercício 16

Coloca 12 palitos como mostra a figura. Move apenas quatro palitos de modo a
obteres exactamente 10 quadrados.

Solução

Exercício 17
Com os 6 palitos da figura será possível formar 4 triângulos todos do
mesmo tamanho?

Solução

Exercício 18

A figura ( composta por 8 palitos e uma moeda ) sugere um peixe nadando da


direita para a esquerda. Movendo apenas 3 palitos e a moeda faz com que o
peixe nade da esquerda para a direita.

Solução

UMA AVENTURA DE ALICE

Alice, ao entrar na floresta, perdeu a noção dos dias da semana. O


Leão e o Unicórnio eram duas estranhas criaturas que freqüentavam
a floresta. O Leão mentia às segundas, terças e quartas-feiras e
falava a verdade nos outros dias da semana. O unicórnio mentia às
quintas, sextas e sábados, mas falava a verdade nos outros dias da
semana.

PROBLEMA 1
Um dia Alice encontrou o Leão e o Unicórnio descansando à sombra
de uma árvore. Eles disseram:

Leão: Ontem foi um dos meus dias de mentir.

Unicórnio: Ontem foi um dos meus dias de mentir.

A partir dessas afirmações, Alice descobriu qual era o dia da semana.


Qual era?

PROBLEMA 2

Em outra ocasião Alice encontrou o Leão sozinho. Ele fez as seguintes


afirmações:

(1) Eu menti ontem.

(2) Eu mentirei daqui a 3 dias.

Qual era o dia da semana?

PROBLEMA 3

Em qual dia da semana é possível o Leão fazer as seguintes


afirmações?

(1) Eu menti ontem.

(2) Eu mentirei amanhã.

PROBLEMA 4

Em que dias da semana é possível o Leão fazer cada uma das


seguintes afirmações:

(1) Eu menti ontem e mentirei amanhã.

(2) Eu menti ontem ou eu mentirei amanhã.

(3) Se menti ontem, então mentirei de novo amanhã.

(4) Menti ontem se e somente se mentirei


amanhã.

PREENCHA A TABELA VERDADE PARA RESOLUÇÃO

DIA DA DOM SEG TER QUA QUI SEX SAB


SEMANA
LEÃO V M M M V V V
UNICÓRNIO V V V V M M M

Fonte: REVISTA DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA.17

De quem são as pegadas ?


2010-12-01

Um dos trigémeos deixou pegadas cheias de terra na cozinha da sua casa.


Uma vez que todos usam o mesmo número de sapato,
os pais não sabem quem é que deve limpar o chão.
"Não fui eu" - diz a Sara.
"Foi o Hugo" - diz a Marta.
" A Marta está a mentir" - diz o Hugo.
Um dos trigémeos diz a verdade e os outros estão a mentir.
De quem são as pegadas deixadas na cozinha?

www.MyCharades.com

De quem são as pegadas ?


As pegadas são da SARA.
Lembra-te que só um dos trigémeos é que diz a verdade.
Se foi o Hugo então a Sara e a Marta dizem a verdade.
Se foi a Marta, então o Hugo diz a verdade quando afirma que a
Marta está a mentir.
Resumindo:
a Sara é culpada porque está a mentir quando diz que não foi ela;
a Marta está a mentir quando acusa o Hugo
e o Hugo é o único que diz a verdade quando afirma que a Marta
está mentir.

Interesses relacionados