Você está na página 1de 11

H H

H3C C CH2 + HIH3C C CH2


01 H H I H
Considere a equação química, não balanceada, que H3C C CH2 + HI
_ _ H3C C CH2
_
representa a reação do sulfeto de cádmio em solução 1 2 0
I H
3
aquosa de ácido nítrico: oxidação
_ _ _
1 2 redução 0 3
CdS + HNO3 → Cd(NO3)2 + NO + Y + H2O oxidação
redução
Pode-se afirmar que, na equação química não balanceada, NaLiA�H
reação III, temos:
4 + 4(CH3)2CO + 4H2O 4(H3C)2CHOH + LiOH + A�(OH)3
a espécie Y é
a) Cd(HSO4)2 LiA�H4 + 4(CH3)2CO ++4H2O 4(H3C)2CHOH
0 + LiOH + A�(OH)3
2
b) CdSO4 redução
_ 2+ 0
c) SO3 1 oxidação
1+
redução
d) SO2 _
1 oxidação
1+
e) S
Resolução
Os sulfetos insolúveis (CuS, PbS, CdS etc) dissol­­vem-se Nas reações II, IV e V, não ocorreu variação do número
com ácido nítrico a quente e o sulfeto é oxidado a de oxidação de nenhum elemento.
enxofre. A reação balanceada e completa será:

CdS + HNO3 → Cd(NO3)2 + NO + S + H2O 03


2– 5+ 2+ 0 Uma amostra de um ácido dicarboxílico com 0,104 g de
redução: recebe 3e– massa é neutralizada com 20 cm3 de uma solução aquosa
oxidação: doa 2e–
0,1 mol L–1 em NaOH. Qual das opções abaixo contém a
fórmula química do ácido constituinte da amostra?
CdS:  Coeficiente = no total de e– = 2 · 1 = 2    3
a) C2H2O4 b) C3H4O4 c) C4H4O4
NO:  Coeficiente = no total de e– = 3 · 1 = 3    2

d) C4H6O4 e) C5H8O4
Resolução
3CdS + 8HNO3 → 3Cd(NO3)2 + 2NO + 3S + 4H2O
Quantidade de matéria de NaOH usada na
neutralização:
02
0,1 mol de NaOH 1L
Considere as reações químicas representadas pelas
x 0,020 L (= 20 cm3)
equações abaixo:
x = 0, 002 mol de NaOH
I. H3CCHCH2 + HI → H3CCHICH3
Cálculo de massa molar do ácido:
II. H3CCOOH + NaOH → H3CCOONa + H2O
HOOC(CH2)mCOOH + 2NaOH →NaOOC(CH2)mCOONa+
 iAlH4 + 4(H3C)2CO + 4H2O → 4(H3C)2CHOH +
III. L 2H2O
LiOH + Al(OH)3 1 mol do ácido reage com 2 mol de NaOH
 6H6ONa + CH3CH2C1 → C6H6OCH2CH3 +
IV. C ↓ ↓
NaCl y(g) 2 mol
V. H3CCH2OH + HC1 → H3CCH2C1 + H2O 0,104 g 0,002 mol
y = 104 g ∴ M = 104 g/mol
Assinale a opção que apresenta as equações químicas
Fórmula geral do ácido dicarboxílico:
que configuram reações de óxido-redução.
H2C2O4(CH2)m
a) Apenas I e II b) Apenas I e III c) Apenas II e IV
2 x 1,0 + 2 x 12,0 + 4 x 16,0 + (12,0 + 2 x 1,0)m = 104
d) Apenas III e IV e) Apenas V 90,0 + 14,0 m = 104
Resolução 14,0 m = 14
Na reação I, temos: m=1

OBJETIVO 43 ITA – Dezembro/2007


A fórmula do ácido é Assinale a opção que indica os sais cujas soluções
H2C2O4(CH2)1 ⇒ C3H4O4 aquosas saturadas aumentam a massa do sulfato de
cálcio sólido nos frascos em que são adicionadas.
4Carbamato
a) Apenas I e II
b) Apenas I e IV
de amônio sólido (NH COONH ) decompõe-
2 4
se em amônia e dióxido de carbono, ambos gasosos. c) Apenas II e III
Considere que uma amostra de carbamato de amônio d) Apenas III e IV
sólido esteja em equilíbrio químico com CO2(g) e e) Apenas IV e V
NH3(g) na temperatura de 50 ºC, em recipiente fechado Resolução
e volume constante. Assinale a opção CORRETA Como nos cinco frascos existe uma solução saturada e
que apresenta a constante de equilíbrio em função da corpo de fundo, teremos o seguinte equilíbrio:
pressão total P, no interior do sistema.
a) 3 P b) 2 P2 CaSO4(s)    Ca2+ 2–
(aq)  +  SO4 (aq)
c) P3 d) 2/9 P2
I – Adicionando solução saturada de CaSO4, nada
e) 4/27 P3 acontecerá com a massa de corpo de fundo.
Resolução
1 NH2COONH4 2NH3 + 1CO2 II – Adicionando solução saturada de CaC,2 , como a
(s) (g) (g)
concentração de íons Ca2+ nessa solução é maior que
A constante de equilíbrio Kp pode ser expressa por: a da solução saturada de CaSO4 (CaC,2 é mais solúvel
que CaSO4), aumentará a concentração de íons Ca2+
Kp = (pNH3)2 · pCO2 no sistema, deslocando o equilíbrio de solubilidade de
CaSO4 para a esquerda, aumentando a quantidade de
Como a proporção em mols dos gases NH3 e CO2 é de CaSO4 sólido no fundo do frasco.
2 : 1, as pressões parciais dos gases também estarão na
proporção de 2 : 1. III – O mesmo raciocínio do item II pode ser usado,
Como a pressão total em equilíbrio é igual a P, temos: pois o MgSO4 é mais solúvel que o CaSO4 e o aumento
P = 2x + x de íons SO 2–
4 desloca o equilíbrio para a esquerda,
P aumentando a quantidade de CaSO4 sólido no frasco.
x=
3
2·P
pNH3 = IV e V – A adição de soluções aquosas saturadas de NaC,
3
(Na+ e C,–) e KNO3(K+ e NO3–) irá diminuir a concentração
P
PCO2 = de íons Ca2+ SO42–  no frasco (aumento do volume de água),
3 deslocando o equilíbrio de solubilidade para a direita,

( (
2P
2
P 4P3 dissolvendo parte do sólido existente no fundo.
Kp = · =
3 3 27
06

05
Um frasco contém uma solução aquosa de brometo
de sódio e outro frasco, uma solução aquosa de ácido
Considere cinco frascos contendo, cada um, uma solução clorídrico saturada nos gases componentes do ar
aquosa saturada de sulfato de cálcio em equilíbrio químico atmosférico. O conteúdo de cada um dos frascos é
com seu corpo de fundo. A cada um dos cinco frascos é misturado e ocorre uma reação química. Qual das opções
adicionada uma solução aquosa saturada, sem corpo de abaixo contém a equação química que melhor representa
fundo, de um dos seguintes sais, respectivamente: a reação acima mencionada?
I CaSO4
(aq) + 1/2 O2(g) → H2O(l) + Cl2(g)
– + 2 H+
a) 2Cl(aq)
II CaC,2
2(g) + 4 H(aq) → 2Br2(l) + 2H2O(l)
– +O
b) 4Br(aq) +
III MgSO4
2(g) + H(aq) → HClO3(aq)
– + 3/2 O
c) Cl(aq) +
IV NaC,
V KNO3 – + 2 H+ → Br
d) 2Br (aq) (aq) 2(l) + H2(g)

ITA – Dezembro/2007 44 OBJETIVO


e) 2Cl –(aq) + H2O(l) + 1/2 O2(g) → 2OH–(aq) + Cl 2(g) Cálculo de concentração de Br– na solução resultante (2
Resolução L) da adição de AgBr com NaBr:
O sal brometo de sódio, NaBr, encontra-se totalmente Quantidade de matéria de Br – = 7,3 · 10–7 mol + 0,02
dissociado, conforme a equação: mol ≅ 0,02 mol
H2O [Br –] = 0,02 mol = 1 · 10–2 mol L–1
NaBr(s) Na+(aq) +Br (aq)

2L
Cálculo de [Ag+] na solução resultante
O ácido clorídrico, HCl , encontra-se ionizado, conforme
a equação: AgBr(s) Ag+(aq) + Br(aq)

Kps = [Ag+] · [Br –]


HO
HCl(g) 2 H+(aq) +Cl (aq)

5,3 · 10–13 = [Ag+] · 1 · 10–2
Os principais componentes do ar são os gases N2 e O2. [Ag+] = 5,3 · 10–11 mol/L
Como a concentração de Ag+ era de 7,3 · 10–7 mol/L e
O ânion brometo, Br –, é mais reativo que o ânion
passou para 5,3 · 10–11 mol/L, a variação de concentração
cloreto, Cl – ; o cátion H+ é mais reativo que o cátion
é da ordem de 7 · 10–7 mol/L.
Na+ e o gás O2 é mais reativo que o gás N2.
∆ = (7,3 · 10–7 – 5,3 · 10–11)mol/L ≅ 7 · 10–7 mol/L
Portanto, teremos:

2(g) + 4 H (aq) → 2Br2(l) + 2H2O(l)


8
– +O
4Br(aq) +

07
O processo físico de transformação do milho em pipoca
pode ser um exemplo de reação química. Se for assim
Assinale a opção CORRETA que corresponde à varia- entendido, qual é a ordem dessa reação, considerando
ção da concentração de íons Ag+ provocada pela adição, a um rendimento do processo de 100%?
25 °C, de um litro de uma solução 0,02 mol L–1 em NaBr a) zero b) um c) dois
a um litro de uma solução aquosa saturada em AgBr. d) três e) pseudozero
Dado: KpsAgBr(298K) = 5,3 x 10–13. Resolução
a) 3 x l0–14 Considere a reação química:
b) 5 x l0–11 milho pipoca
c) 7 x l0–7
A velocidade desse processo vai depender da quan-
d) 1 x 10–4 tidade de milho, portanto a equação da velocidade
e) 1x 10–2 será:
Resolução v = k · N,
sendo N o número de grãos de milho.
Concluímos que a ordem dessa reação é 1, isto é, quanto
maior a quantidade de milho, maior a quantidade de
pipoca, que é produzida na unidade de tempo.
1L 1L 2L
solução solução
saturada
de AgBr
0,02 mol L-1
de NaBr 9
A reação hipotética A(s) + B(aq) → C(g) + D(aq) + E
Cálculo de concentração de Ag+ na solução saturada de
(,) é autocatalisada por C(g). Considerando que essa
AgBr a 25 0C:
reação ocorre em sistema fechado, volume constante e
AgBr(s) Ag+(aq) +Br(aq)

sob atmosfera inerte, assinale a opção que representa
Kps = [Ag+][Br –]
a curva que melhor representa a variação da massa de
5,3 · 10–13 = x · x
A(s), mA, em função do tempo, desde o início da reação
x = 5,3 · 10 –13 ≅ 7,3 · 10–7 mol/L até imediatamente antes do equilíbrio ser estabelecido
[Ag+] = 7,3 · 10–7 mol/L dentro do sistema.

OBJETIVO 45 ITA – Dezembro/2007


a) b)
b) Apenas I e III
mA mA c) Apenas II
d) Apenas II e III
e) Apenas III
Resolução
Uma solução ideal é uma mistura na qual as moléculas
dos componentes se comportam de forma independente
tempo tempo uma da outra.
c) d)
I) Falso. O fato de a mistura ser uma solução ideal
mA mA
não significa que a temperatura final é a média
aritmética das temperaturas dos líquidos puros.
II) Verdadeiro. O comportamento dos líquidos na
solução ideal é igual ao dos líquidos puros, os
volumes são aditivos.
III) Verdadeiro. Para uma solução ideal vale a lei de
tempo tempo Raoult.
e)

11
mA

Uma tubulação de aço enterrada em solo de baixa
resistividade elétrica é protegida catodicamente contra
corrosão, pela aplicação de corrente elétrica proveniente
de um gerador de corrente contínua. Considere os
tempo seguintes parâmetros:
I. Área da tubulação a ser protegida: 480 m2;
Resolução II. Densidade de corrente de proteção: 10 mA/m2
No início da reação, existe C(g); portanto, a reação é
mais lenta.
Considere que a polaridade do sistema de proteção
Com a formação do catalisador C(g), a reação acelera,
catódica seja invertida pelo período de 1 hora. Assinale
consumindo maior massa em menor intervalo de tempo.
a opção CORRETA que expressa a massa, em gramas,
de ferro consumida no processo de corrosão, calculada
10 em função de íons Fe2+(aq). Admita que a corrente total
fornecida pelo gerador será consumida no processo de
Dois recipientes contêm volumes iguais de dois líquidos
puros, com calores específicos diferentes. A mistura dos corrosão da tubulação.
dois líquidos resulta em uma solução ideal. Considere a) 1 x 10–3 b) 6 x 10–2
que sejam feitas as seguintes afirmações a respeito das c) 3 x 10–1 d) 5
propriedades da solução ideal resultante, nas condições-
e) 20
padrão e após o estabelecimento do equilíbrio químico:
Resolução
I. A
 temperatura da solução é igual à média aritmética
I) Cálculo da corrente de proteção na tubulação:
das temperaturas dos líquidos puros.
10 mA ________ 1 m2
II. O
 volume da solução é igual à soma dos volumes
i ________ 480 m2
dos líquidos puros.
i = 4.800 mA = 4,8 A
III. A
 pressão de vapor da solução é igual à soma das
pressões parciais de vapor dos líquidos constituintes
II) Cálculo da carga (Q) utilizada:
da mesma.
Assinale a opção CORRETA que contém a(s) Q=i·t
propriedade(s) que é (são) apresentada(s) pela solução Q = 4,8 A · 3.600 s = 17.280 C
resultante.
a) Apenas I e II III) Cálculo da massa de ferro corroída:

ITA – Dezembro/2007 46 OBJETIVO


0 2+
Fe 2e– + Fe = +0,76 – 0,0591 [Zn2+]p
(s) (aq) DE
· H2
2 [H+]2

DE = +0,76 – 0,0591 1,0 · 10 –3 · 0,5
·
1 mol 2 mol e–
2 (10 –2)2

DE = +0,74 V
55,85 g 2x 96.500 C
x 17.280 C
13
300 gramas de gelo a 0 ºC foram adicionados a 400
x = 5,00 g gramas de água a 55 ºC. Assinale a opção CORRETA para
a temperatura final do sistema em condição adiabática.

12 Dados: calor de fusão do gelo = 80 cal g–1; calor


específico do gelo = 0,50 cal g–1 K–1; calor específico da
Considere um elemento galvânico formado pelos dois
água líquida = 1 cal g–1 K–1.
eletrodos (I e II), abaixo especificados e mantidos
separados por uma ponte salina: a) – 4 ºC b) – 3 ºC c) 0 ºC d) + 3 ºC e) + 4 ºC
- Eletrodo I: chapa retangular de zinco metálico Resolução
parcialmente mergulhada em uma Cálculo da quantidade de calor necessário para fundir
solução aquosa 1,0 x 10–3 mol L–1 de 300 gramas de gelo.
cloreto de zinco; Q = mL
cal
- Eletrodo II: chapa retangular de platina metálica Q = 300g 80 Q = 24000 cal
parcialmente mergulhada em uma g
solução aquosa de ácido clorídrico de Cálculo da temperatura final da água, considerando que
pH = 2, isenta de oxigênio e sob pressão todo gelo derreteu:
parcial de gás hidrogênio de 0,5 atm. Q = mc Δ t
Assinale a opção CORRETA que expressa o valor calculado cal
– 24000 cal = 400g · 1 (t – 55ºC)
aproximado, na escala do eletrodo padrão de hidrogênio gº C f
(EPH), da força eletromotriz, em volt, desse elemento
tf = – 5ºC
galvânico atuando à temperatura de 25°C, sabendo-se que
log 2 = 0,3 e E°Zn2+/Zn = –0,76 V (EPH). Concluímos que não houve a fusão total dos 300 gramas
a) 0,54 de gelo; portanto, temos gelo e água líquida numa
b) 0,64 temperatura de 0 ºC (gelo água).

14
c) 0,74

d) 0,84
Assinale o valor da constante de equilíbrio, nas
e) 0,94
condições-padrão, da reação química descrita pela
Resolução seguinte equação:
A equação química que ocorre entre os dois eletrodos é:
Sn2+(aq) + 2 Fe3+(aq) Sn4+ (aq) + 2Fe2+(aq)
eletrodo I: Zn → Zn2+ + 2e– + 0,76 V
+ + 2e– → H + 0,00 V Dados eventualmente necessários: Potenciais de eletrodo
eletrodo II: 2H
2 em relação ao eletrodo padrão de hidrogênio nas

equação global Zn + 2H → Zn2+ + H2 + 0,76 V
+ condições-padrão:
eletrodo I: [Zn2+] = 1,0 · 10–3 mol/L EºFe2+/Fe = – 0,44 V EºFe3+/Fe = – 0,04 V
EºFe3+/Fe2+ = 0,76 V EºSn4+/Sn2+ = 0,15 V
eletrodo II: pH = 0,5 atm [H+] = 1 · 10–2 mol/L
2 a) 1021 b) 1018 c) 1015 d) 1012 e) 109
Usando a equação de Nernst: Resolução
A equação de Nernst é:
DE = DE0 – 0,0591 · logQ Δ E = Δ Eº – 0, 0591 log Q.
n n

OBJETIVO 47 ITA – Dezembro/2007


Quando Δ E = 0, Q = Kc. Como o explosivo PBX é constituído de uma parte
polimérica (poliuretano) temos:
Cálculo do Δ Eº Poliol + isocianato → Poliuretana
Sn2+ → Sn4+ + 2e– – 0,15V

Sn2+
2 Fe3+ + 2e– → 2 Fe2+ + 0,76V
__________________________________
+2 Fe3+ →2 Fe2+ + Sn4+ + 0,61V
17
Assinale a opção que contém o polímero que, por ser
0, 0591 termoplástico e transparente, pode ser empregado na
0 = 0,61 – log Kc
2 fabricação de pára-brisas de aeronaves.
a) polietileno
21 = log Kc b) polipropileno
Kc = 1021 c) poli (tetrafluoroetileno)
d) policarbonato
15 e) poli (álcool vinílico)
Qual das opções abaixo apresenta o elemento químico Resolução
que é utilizado como dopante para a confecção do Um policarbonato é um polímero de alta força de
semicondutor tipo-p? impacto, termoplástico e transparente, tornando-se útil
a) Boro b) Fósforo c) Enxofre na fabricação de capacetes de segurança para ciclistas,
d) Arsênio e) Nitrogênio caixas de laptop, artigos moldados e na fabricação de
pára-brisa de aeronaves.
Resolução
Silício, Si, dopado com elementos do grupo IIIA(13), tais
como B, Al, Ga ou In, é denominado um semicondutor 18
do tipo p, por serem os vazios positivos os responsáveis Considere que os quatro processos químicos, descritos
pela semicondutividade. a seguir nos itens I a IV, são realizados isobárica e
A dopagem de um cristal de silício com esses elementos isotermicamente:
produz uma estrutura cristalina na qual se encontram I KNO3(S)  →  K+(aq) + NO –3 (aq)
alguns átomos com apenas três elétrons de valência. O
II H2O(,)  →  H2O(g)
lugar onde o quarto elétron de valência está ausente é
denominado de vazio eletrônico ou simplesmente vazio. III C(grafita)  →  C(diamante)
IV 2Na(s) + 1 O2(g)  →  Na2O(s)
16 2
O explosivo plástico conhecido como PBX é constituído Qual das opções abaixo contém os processos químicos
de uma parte polimérica, normalmente um poliuretano. cuja variação de energia interna é nula?
A formação do poliuretano é atribuída à reação entre um a) Apenas I e II
poliol com
b) Apenas I, II e III
a) um isocianato.
c) Apenas II e III
b) uma amina.
d) Apenas III e IV
c) uma anilina.
e) Nenhum processo
d) uma estearina.
Resolução
e) uma oleína. Em todos os quatro processos, a energia interna inicial
Resolução é diferente da energia interna final, portanto a variação
Uma uretana é produzida quando o álcool reage com de energia interna é diferente de zero.
um isocianato.


O

19
Assinale a opção ERRADA que apresenta (em KJ/mol) a
R – OH + O =C = N – R’ → R – O – C – N – R’ entalpia padrão de formação (ΔHf) da substância a 25 ºC.
álcool isocianato  a) ΔHf ( H2(g)) = 0
H
b) ΔHf (F2(g)) = 0
uretana
c) ΔHf ( N2(g)) = 0

ITA – Dezembro/2007 48 OBJETIVO


d) ΔHf (Br2(g)) = 0 atinge o equilíbrio químico à temperatura T e pressão
e) ΔHf ( Cl2(g)) = 0 Pi. Num dado momento, o sistema é perturbado por uma
Resolução elevação brusca do pistão, atingindo novo equilíbrio a
Substâncias simples na forma alotrópica mais estável, uma pressão Pf e à mesma temperatura T. Considere
a 25 ºC, apresentam entalpia padrão de formação igual que água líquida permanece no sistema durante todo o
a zero. processo.
O Br2 a 25 ºC encontra-se no estado líquido e, portanto, a) Esboce um gráfico da pressão interna no interior
DHf (Br2(g)) é diferente de zero. do cilindro versus tempo considerando o intervalo
de tempo compreendido entre os dois equilíbrios
20 químicos. Indique no gráfico as pressões Pi e Pf.
b) A pressão final, Pf, será maior, menor ou igual à
Qual das substâncias abaixo não é empregada na
fabricação da pólvora negra? pressão inicial, Pi? Justifique.
a) trinitrotolueno Resolução
b) enxofre Situação inicial no equilíbrio:
c) carvão
d) nitrato de sódio
e) nitrato de potássio H2O (l) H2O (v)
Resolução
Pólvora negra é formada por carvão, enxofre e salitre T pressão de vapor
(nitrato de sódio e nitrato de potássio). da água (Pi)

21
água líquida
Equilíbrio

Considere as seguintes moléculas no estado gasoso: OF2,


BeF2, AlCl2 e AlS2. Elevação brusca do pistão
pressão de
a) Dê as estruturas de Lewis e as geometrias moleculares vapor da
de cada uma das moléculas. água (Pf)

b) Indique as moléculas que devem apresentar caráter


polar. após certo tempo T
Resolução
a) As estruturas de Lewis e as geometrias moleculares
das moléculas: água líquida água
Equilíbrio
líquida

O F2 O F angular a) Pressão
F interna

Pi = Pf
Be F2 F Be F linear

Al
AlCl2 Cl Cl angular

tempo
AlS2 S Al S linear
b) Logo após a elevação brusca do pistão (aumento do
b) As moléculas angulares OF2 e AlCl2 apresentam
volume do recipiente contendo vapor d’água) ocorrerá
caráter polar.
diminuição de pressão de vapor da água.

22
Como a temperatura do sistema é mantida constante
e a pressão de vapor de um líquido só depende da
Um cilindro provido de pistão móvel, que se desloca temperatura, a tendência do sistema é atingir novamente
sem atrito e cuja massa é desprezível, foi parcialmente o equilíbrio com a evaporação de água líquida para
preenchido com água líquida. Considere que o sistema atingir a pressão Pf que será igual à pressão Pi.

OBJETIVO 49 ITA – Dezembro/2007


23
• Cálculo da massa molar

R·T
π= · C + b · C2
RT M
A equação Π = C + bC2 é uma expressão semi-
M
empírica utilizada para a determinação de massas molares π R·T
= + b · C
de solutos, M, presentes em soluções reais. Nesta fórmula, C M
Π é a pressão osmótica, em atm; C, a concentração de
soluto, em g/dm3; R, a constante universal dos gases; y = a + b · x
T, a temperatura da solução e b, uma constante. O coeficiente linear
gráfico abaixo mostra valores experimentais de Π/C
versus C para uma solução aquosa a 20 ºC de um soluto atm · dm 3
0,07 =
desconhecido. Determine o coeficiente linear do gráfico g
e, com esse valor, determine a massa molar do soluto. 8,21 ·10 –2 atm L · K –1 · mol –1 · 293 K
=
0,0750 M
Pressão osmótica/Concentração de soluto (atm.dm3/g)

0,0745
0,0740
M = 343,65 g/mol
0,0735
0,0730
0,0725
0,0720
24
Em um laboratório, a 20 ºC e utilizando um sistema
0,0715
adequado, H2(g) foi obtido através da reação entre uma
0,0710
amostra de uma liga de 0,3 g de magnésio e um litro de
0,0705
uma solução aquosa 0,1 mol L–1 em HCl. Um manômetro
20 30 40 50
3
indicou que a pressão no interior do recipiente que
Concentração de soluto (g/dm )
contém o H2(g) era de 756,7 Torr. Sabendo-se que
a pressão de vapor d’água a 20 ºC é 17,54 Torr e o
Resolução volume de H2(g) obtido foi 0,200 L, determine a pureza
π/C
da amostra da liga de magnésio (massa de magnésio x
100/massa total da amostra), considerando que somente
0,0745
o magnésio reaja com o HCl.
0,0740
Resolução
0,0735
* cálculo da pressão do H2:
0,0730 PT = pH + pH 0
2 2
0,0725
0,07425 – a
0,0720 756,70 Torr = pH + 17,54 Torr
2
0,0715
pH = 739,16 torr
0,0710 2
0,0705 0,07125 – a
* cálculo da quantidade de matéria, em mols, de H2:
a
15 – 0
P·V=n·R·T
50 – 0 739,16 Torr · 0,200L = n · 62,4 Torr · L · K–1 · mol –1 · 293K
0 10 20 30 40 50 C
n ≅ 0,0081 mol
• Cálculo do coeficiente linear considerando reta
média. * cálculo da massa de magnésio que reagiu:
Por semelhança de triângulos, do gráfico: Mg(s) + 2HCl(aq) → MgCl2 + H2
(aq) (g)
50 – 0 0,07425 – a ↓ ↓
= 1 mol 1 mol
15 – 0 0,07125 – a
{
{


24,31 g ––––––––––––––––––– 1 mol
a = 0,07 y g ––––––––––––––––––0,00811 mol

ITA – Dezembro/2007 50 OBJETIVO


y ≅ 0,2g a) No cilindro I, é realizada uma expansão isotérmica à
temperatura T, de um volume V até um volume 2V,
* cálculo da pureza da amostra de magnésio: contra uma pressão externa constante P.
0,3 ––––––––––––––––––––––––––––– 100% b) No cilindro II, é realizada uma expansão adiabática,
0,2 g –––––––––––––––––––––––––––––– z% de um volume V até um volume 2V, contra uma
pressão externa constante P.
z ≅ 66,67%
Determine os módulos das seguintes grandezas: variação
da energia interna, calor trocado e trabalho realizado

25
para os dois tipos de expansão.
Resolução
Apresente as respectivas fórmulas químicas estruturais Cilindro I ⇒ Expansão Isotérmica
das espécies químicas (A, B, C, D, E) presentes nas Processo Isotérmico ⇒ ∆U = 0
seguintes equações químicas: Trabalho é calculado pela expressão:

KOH (etanol)
CH3CH2CH2Cl A nRT

KOH (etanol)
W= ∫ pdV e p =
V
logo,
CH3CHClCH3 A
2V
dV 2V
KOH (etanol)
CH3CH2CHClCH3 B+C W= ∫ nRT · V
⇒ W = nRT ln
V
V
H SO H2O, calor
(H3C)2CCH2 2 4 D E W = nRTln2
Resolução
Temos as seguintes reações Utilizando a primeira lei da termodinâmica:

CH3 CH2 CH2Cl KOH KCl + H2O + CH3CH = CH2 ∆U = Q + W ⇒ Q = –W ⇒ Q = –nRTln2
etanol propeno (A)
Q = nRTln2
CH3 CHCl CH3 KOH KCl + H2O + CH3CH = CH2
etanol propeno (A) Cilindro II: Expansão Adiabática ⇒ Q = 0
CH3 CH2CH = CH2

1 – buteno (B) Cálculo do ∆U:
CH3CH2CHCl CH3 KOH KCl + H O +
2 CH 3 3
etanol 3 CH=CH – CH3 Gás ideal ⇒ ∆U = nR∆T ou ∆U = ∆PV
2 – buteno (C) 2 2
H SO 3 3
HO Logo: ∆U = P · (2V – V) ⇒ ∆U = PV
(H3C)2C=CH2 2 4
(H3C)2 – C – CH3 2 2 2
| calor
Utilizando a 1a lei da termodinâmica:
OSO3H
hidrogenossulfato 3
∆U = Q + W ⇒ ∆U = W ⇒ W = PV
de t-butila 2
(D)
H2O
calor
(H3C)2 – C – CH3 + H2SO4
|
27
Uma chapa de ferro é colocada dentro de um reservatório
OH contendo solução aquosa de ácido clorídrico. Após um
2-metil-2-propanol certo tempo observa-se a dissolução do ferro e formação
(E) de bolhas gasosas sobre a superfície metálica. Uma bolha
gasosa, de massa constante e perfeitamente esférica,
26 é formada sobre a superfície do metal a 2,0 metros de
profundidade. Calcule:
Dois cilindros (I e II) são providos de pistões, cujas
massas são desprezíveis e se deslocam sem atrito. a) o volume máximo dessa bolha de gás que se expandiu
Um mol de um gás ideal é confinado em cada um dos até atingir a superfície do líquido, admitindo-se que a
cilindros I e II. São realizados, posteriormente, dois tipos temperatura é mantida constante e igual a 25 ºC e que a
de expansão, descritos a seguir: base do reservatório está posicionada ao nível do mar.

OBJETIVO 51 ITA – Dezembro/2007


28
b) a massa de gás contida no volume em expansão da
bolha.
Sabe-se que no processo corrosivo que originou a Suponha que um pesquisador tenha descoberto um novo
formação da bolha de gás foram consumidos elemento químico, M, de número atômico 119, estável,
3,0 x 1015 átomos de ferro. a partir da sua separação de um sal de carbonato. Após
diversos experimentos foi observado que o elemento
Dado: massa específica da solução aquosa de HCl é
químico M apresentava um comportamento químico
igual a 1020 kg m–3 na temperatura de 25 ºC.
semelhante aos elementos que constituem a sua família
Resolução (grupo).
* cálculo da quantidade de matéria, em mols, de H2.
a) Escreva a equação balanceada da reação entre
Fe(s) + 2HCl(aq) → FeCl2(aq) + H2(g)
o elemento M em estado sólido com a água (se
↓ ↓
ocorrer).
1 mol 1 mol
b) O carbonato do elemento M seria solúvel em água?
}

}
6 · 1023 átomos –––––––––––––– 1 mol Justifique a sua resposta.
3 · 1015 átomos ––––––––––––– x mol
x = 5 · 10–9 mol Resolução
a) O enunciado pode dar margem a duas 1 H
interpretações diferentes: a) M(s) + H2O(,) → MOH(aq) + 2(g)
2
1a – Cálculo do volume final da bolha de H2 (volume
O elemento M de número atômico 119 deve pertencer
máximo):
ao grupo 1 (IA) da tabela periódica, portanto seu
P·V=n·R·T
comportamento é semelhante ao dos metais alcalinos.
1atm·V = 5·10–9 mol·8,21·10–2atm·L·K–1·mol–1·298K
V ≅ 1,22 · 10–7L b) Sim, porque apresentando comportamento seme­lhante
2a – Cálculo da expansão da bolha de H2: aos metais alcalinos, seus sais são sempre solúveis.
ΔV = Vfinal – Vinicial
Para calcularmos o volume inicial, necessitamos 29

determinar a pressão exercida a 2m de profundidade, Durante a realização de um estudo de corrosão, foi


na solução: montado um sistema constituído por um elemento
galvânico com as seguintes características:
P = patm + p solução
I. Ânodo de ferro e cátodo de platina;
A pressão da coluna de líquido é dada por μ·g·h II. Área de exposição ao meio corrosivo de ambos os
psolução = 1020 · 9,81 · 2 → 20012 Nm–2 eletrodos igual a 100,0 cm2;
20012 III. Circuito eletrolítico mantido por ponte salina;
psolução = → 0,197 atm ≅ 0,2atm
101325 IV. Eletrodos interconectados por fio de cobre;
Portanto: P = 1atm + 0,2atm = 1,2atm V. Eletrólito formado por solução aquosa ácida, livre
– cálculo do volume inicial da bolha: de oxigênio atmosférico.
P·V=n·R·T
Considerando que ocorre perda de massa do eletrodo
1,2atm·V = 5·10–9mol·8,21·10–2atm·L·K–1·mol–1·298K
de ferro, calcule a corrente de corrosão (em ampère)
V ≅ 1,02 · 10–7L
equivalente ao fluxo de elétrons no sistema, decorrente do
Assim temos: processo de dissolução metálica, se esse metal apresentar
ΔV ≅ 1,22 · 10–7L – 1,02 · 10–7L uma taxa de corrosão uniforme de 350 mdd.
ΔV = 2 · 10–8 L

b) 1a – 1 mol de H2 –––––––––––– 2,02g mg
Dado: mdd = (miligrama por decímetro
5 · 10–9 mol de H2 ––––––– y g dm 2 · dia
y ≅ 1,01 · 10–8g quadrado por dia, de ferro
a
2 – Densidade do gás na bolha na superfície: metálico corroído)
Resolução
1,01·10–8g
d= = 0,083g/L – Cálculo da massa de ferro corroída em 1 dia
1,22·10–7L
Massa no volume expandido: taxa de corrosão: 350 mg de Fe 1 dm2 como 1 dm2 =
100 cm , e a área de exposição é de 100 cm2, então
2
m = ΔV·d = 2·10–8L·0,083g/L = 1,66·10–9g MFe = 350 mg

ITA – Dezembro/2007 52 OBJETIVO


– Cálculo da carga elétrica Esta mesma reação pode ser catalisada pelo NO2(g) em
Fe0 → 2e–+ Fe2+ duas etapas, sendo que a primeira é bem mais lenta que a
55,85 g 2 · 9,65 · 104 C segunda. Numa mesma figura, esboce o perfil da curva da
–3
350 · 10 Q reação não-catalisada e da reação catalisada pelo NO2(g).
Q = 1209,5 C
– Cálculo da corrente Resolução
Energia
Q=i·t (kcal/mol)
1209,5 = i · 86400 não catalisada
i = 0,014 A

30
A reação de combustão 2SO2 (g) + O2(g) → 2SO3(g) é
catalisada
lenta e pode ser representada pela figura abaixo:
Energia (kcal/mol)

Caminho da reação

A reação catalisada apresenta menor energia de ativação


que a não catalisada.
Na reação catalisada, como a 1a etapa é bem mais lenta
que a 2a etapa, a energia de ativação da 1a etapa é
Caminhos da reação maior que da 2a etapa.

OBJETIVO 53 ITA – Dezembro/2007